Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
09 set 2020, 27 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Putz, já é quarta de novo?

Chora 01 – Tarcila

Oiii Cony! Sou leitora super antiga, várias coisas mudaram na vida, mas continuo sempre aqui.
Resolvi escrever pro Chora pois estou me sentindo cada vez mais sufocada esse ano e gostaria de ouvir outras perspectivas. Apesar de ter aprendido a lidar com a quarentena, ela trouxe a tona outras coisas que me angustiam muito, e ficavam mais escondidas quando eu tinha outras distrações. Eu tenho sentido muita ansiedade, e frustração por dois motivos bem diferentes, a vida profissional e a amorosa, não sei como resolver, e ao mesmo me sinto culpada por me sentir tão triste com essas coisas,  pois sei que também tenho muito a agradecer e existem pessoas com problemas muito maiores. 
Eu trabalho em uma área que gosto, em uma empresa grande e boa, mas lá tenho pouco reconhecimento e a remuneração é ruim, o que não me permite ser independente financeiramente e sair da casa dos meus pais. Nem cogito me demitir sem ter outro emprego, então mando curriculos, fiz pós graduação, mas ainda não consegui uma outra oportunidade que valesse a pena. Eu tenho só 26 anos, mas pra uma pessoa que sempre foi super focada e dedicada no trabalho como eu, e sempre quis ser independente, isso é extremamente frustrante. 
A parte amorosa, acho ainda mais difícil, pois sinto que depende menos de mim. Eu nunca me incomodei de ser solteira, sempre sai bastante e aproveitei a vida, independente de estar namorando ou não. Mas atualmente, tenho sentido falta de ter um companheiro, alguém que eu pudesse contar, fazer planos juntos, viagens, ter uma familia no futuro. Parece que só encontro homens que ou só querem sexo, ou simplesmente a química não bate e eu não me interesso ou eles. Eu sou jovem, estou dentro do padrão de beleza, me considero inteligente, legal, bonita, mas agora tenho questionado muito tanto a minha aparência física quanto meu jeito. Além disso, eu tive uma situação ruim há uns 3 anos que eu nunca contei pra ninguém, considero que superei, mas não gosto de lembrar e acho que talvez me trave um pouco. Resumidamente, eu fui jantar com um cara e depois ele falou pra irmos pra casa dele conversar mais e eu acabei indo. Eu não queria transar e falei isso, mas depois de beber mais, simplesmente aconteceu. Não culpo ele e nem me culpo tbm, não foi forçado e eu estava consciente, ou seja normal, mas eu senti como se não estivesse ali, impotente sei lá, e eu chorei depois e o cara não entendeu nada, claro… não sei como, mas ainda saímos outras vezes depois. É algo que racionalmente não me afeta, mas queria contar pra alguém, talvez inconscientemente me afete, não sei porque (eu não tenho problemas com sexo, tive nesse dia apenas). 
Me desculpem pelo texto enorme, hoje precisava desabafar. As vezes me sinto sem controle da minha própria vida, o que me dá muita ansiedade. Só de escrever isso já me senti um pouco melhor, muito obrigada pelo espaço! 
Beijos! 

Miga, calma, respira, não se cobre tanto, não questione tanto os momentos da vida. Sim, isso é um momento, uma fase, e tudo pode mudar num piscar de olhos. Com certeza o caso que você relatou te afetou e pode ser por estar alterada (pela bebida), por ter feito algo que não queria mas acabou cedendo, por não ter tido química com ele (inconscientemente, talvez você não tenha curtido o cara), enfim… acontece, é muito comum a gente ficar com alguém só por ficar e depois dá um arrependimentozinho, mas saiba tirar uma lição de tudo. De todos esses momentos que você sente ter dificuldade, saiba se olhar e ver o que isso está te ensinando. Não se apresse, o mundo todo está em “stand by”, aproveite para se conhecer melhor e saber o que quer pra sua vida. Você faz terapia? Se não estiver fazendo, procure um profissional para te ajudar!

Chora 02 – Frida

Oii cony, tudo bem? Comecei esse e-mail e apaguei umas três vezes, mas agora vai! 
Eu moro em outro país e ando me sentindo muito sozinha, ainda mais depois da pandemia. 
Não tenho NENHUM amigo aqui onde moro e pra mim anda sendo muito difícil ver que além disso todos os meus amigos do  Brasil andam se distanciando muito de mim. Eu entendo que a vida faz cada um seguir seu caminho e a relação não vai ser a mesma (por falta de tempo, diferença no fuso horário etc), mas eu me esforço pra manter contato, mandar uma mensagem de vez em quando pra ver como as coisas estão e eu não sinto essa reciprocidade, sabe? Se eu não falo nada parece q não faz diferença, então eu fico me perguntando “vale a pena tentar manter essa pessoa na minha vida?”. Vejo amigas que eram super próximas engravidando e nem compartilhando a notícia comigo, coisa que se acontecesse comigo eu correria pra compartilhar. 
Fico me perguntando se o problema sou eu pq aparentemente eu que não consigo fazer amizade aqui nem manter as amizades antigas que eu tenho no Brasil e isso tá me deixando bem angustiada.
Viver em outro país já é difícil, imagina você olhar ao redor e não ter ninguém (além do marido) com quem contar?!  Aí eu penso que eu tenho q sair e achar umas amigas por aqui, que vivem a mesma realidade que eu e tal, mas não acho fácil fazer amizade ainda mais em meio a pandemia. 
Não sei mais oq fazer Cony, queria saber se outras mulheres que moram fora tem esse problema ou se sou só eu?! Queria dicas de como fazer amizades em outro país e do que fazer em relação as amizades que eu deixei no Brasil, vale a pena insistir?! H E L P!

Nesse momento de pandemia, realmente é mais complicado fazer amizades, não dá pra fazer cursos presenciais, pra ir em academia, pra participar de confrarias… Quanto a seus amigos que estão aqui, será que eles não estão pensando que você tá em outra, que tá fora, outro ritmo, outro horário e não querem te atrapalhar? Te falo isso porque eu tenho alguns amigos que moram fora e que realmente eu converso super pouco e não é que a amizade tenha deixado de existir… enfim, acho que vale conversar com suas amigas mais próximas e perguntar se tá tudo bem, dizer que tá com saudade, que quer ter mais contato e se mesmo assim elas não corresponderem, ok, vida que segue. Realmente as pessoas “grandes” tem dessas coisa 🙁

Chora 03 – Artemisia

Oi Cony, tudo bem? Te acompanho a anos e sempre que leio o chora fico com vontade de enviar, mas sempre me falta a coragem, talvez tenha medo de escutar o que preciso…Tenho 28 anos e estou num relacionamento a 7 anos com um cara de 43, moramos juntos dês do nosso 2º ano juntos, e ele banca praticamente 100% de nossa vida, já que tem um emprego 1000 vezes melhor do que o meu, viajamos bastante e ele sempre fez absolutamente tudo por mim, é do tipo que abre a porta do carro, puxa a cadeira pra sentar, me da presentes, viagens, muito carinho e etc… Só tem um porém, ele é casado no papel e tem um filho de 10 anos com a ex e por conta de dinheiro e comodismo me diz que não pretende se divorciar legalmente até que o filho faça 18 anos. Isso sempre me incomodou, mas sempre deixo isso de lado e vou levando o relacionamento… Casar de véu e grinalda e ter filhos não estão nos meus planos!O problema em tudo isso é que fico insegura em fazer investimentos financeiros nesse relacionamento e ficar sem nada no final, já que hoje nem tenho nada meu, se terminasse o relacionamento provavelmente voltaria a morar com a minha mãe… e junto disso tudo de uns 2 anos para cá a nossa vida sexual só vem piorando…Tenho praticamente zero vontade de me relacionar sexualmente com ele enquanto ele tem vontade o tempo todo… Isso esta afetando muito nosso relacionamento, principalmente ele!!Eu não sei o que fazer… As vezes penso em terminar, mas penso que amo ele e que nossa vida hoje é boa e fico nesse ciclo de melhora e piora no nosso relacionamento (principalmente sexualmente) já que quase não brigamos… Me ajudaaa?

Pera, me confundi no seu questionamento. O maior problema é fazer investimentos financeiros no seu relacionamento ou o desinteresse por ele? Obviamente, se ele continua casado no papel, jamais compre algo e coloque no nome dos dois, porque a ex teria “direito”, enfim, não sei qual o regime de casamento deles, mas melhor não arriscar. O que for comprar com seu dinheiro, compre no seu nome, e se forem coisas pequenas, móveis, eletrodomésticos, etc, guarde TODAS as NF. Eu não sou da área de Direito então não sei te aconselhar certinho, mas no meu entendimento, eu separaria tudo, tudo. Sobre o desinteresse nele, que ao meu ver é mais grave do que a questão financeira, miga, se você não tem tesão pelo seu namorido, não tem desejo, qual o sentido de ficar com ele? Já parou pra analisar se sua falta de libido pode ser hormonal? Ou a admiração acabou MESMO? Será que não está acomodada porque ele te dá quase tudo? Descobrindo isso, você terá sua resposta!

  • Choras ABERTOS! Pode mandar seu relato para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO!
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
26 ago 2020, 45 comentários

Chora Que Eu Te Escuto

É quarta feiraaaaa, é quarta feiraaaaa! Vamos lá:

Chora 01 – Betty

Oiiiii nem acredito que estou escrevendo um chora, em minha cabeça já escrevi tantos porém nunca acabei enviando, mas o mais interessante que nunca enviei pq incrivelmente os choras que você responde sempre me ajudam muito, em muitas vezes problemas com meu marido com minha filha, seus comentários estão me ajudando a muitos anos. Porém no momento encontro me em uma situação que gostaria muito de compartilhar com você, venho de uma família MACHISTA onde a única filha mulher sou eu, desde pequena venho lutando contra o machismo diariamente, na casa de meus pais a única a fazer afazeres doméstico era eu, meus irmãos por serem homens simplesmente não faziam, desde pequena eu reivindicava essa situação, mas apanhava diariamente ou da minha mãe ou de um dos meus irmãos, porque eu não ficava quieta reclamava falava que não achava justo e quanto via já tinha levada um tapao na boca, uma surra de vara de marmelo, mas ok tudo passa e não tenho mágoas dessa época, anos foram se passando fui estudar em outra cidade, porém sempre foi muito visível a diferença de auxílio financeiro que meu pai dava a meus Irmãos, mas não me incomodava pq sempre almejei ser independente e queria depender o mínimo possível financeiramente de alguém, então ser ajudada como eles eram pelos meus pais achava um absurdo, no último ano da faculdade minha mãe fez uma cirurgia a qual ficou com alguns problemas e precisava de ajuda, resolvi trancar minha faculdade e cuidar dela, nesse momento descobri que estava grávida e acabei ficando um pouco a mais do que o planejado na casa de meus pais, foi uma época boa pq cuidei da minha mãe e depois ela me ajudou muito quando minha filha nasceu, nos aproximamos muito, anos foram passando acabamos morando em outra cidade por uns 4 anos, mas conversando com meu marido queríamos que nossa filha convivesse com os avós, e voltamos morar próximo a eles, acabei rejeitando algumas promoções da empresa que trabalho pq teria que mudar de cidade e nosso intuito era ficar próximo a eles já que estão com uma idade mais avançada, e precisam de auxílio, acabei engolindo muita coisa que meu pai e meus irmãos faziam mas ok, pq o meu foco é ser feliz e não ter razão, o problema que há 3 meses ocorreu um desentendimento muito grande entre meu pai e um de meus irmãos meu pai chegou até a passar mal, fui tentar apaziguar e meu irmão me falou coisas horríveis, minha mãe sempre presencia tudo e não toma parte de nada, enfim depois dessa situação meu pai falou que não dava mais que meu irmão ia ter que caminhar com as pernas dele, acho que esqueci de comentar meu pai ajuda muito meus irmãos e esse da confusão trabalha com ele, porém uma semana depois estava tudo igual, conversei com meus pais e comentei que toda aquela situação me faz mal e não iria mais frequentar a casa deles( meu irmão sempre está lá e se acha o dono de tudo), mas deixei as portas da nossa casa sempre aberta para eles, faz 3 meses não fui mais lá(íamos todo o final de semana e uma ou duas vezes na semana) e nesse tempo eles vieram acho que 2 ou 3 vezes na minha pq precisavam de alguma coisa, Cony estou sendo egoista me distanciando? Fiz essa opção pq ir lá e presenciar oq acontece lá me faz muito mal e não consigo ficar inerte, prefiro não presenciar não ver, ate porque para ser sincera sinto e é visível nas atitudes de meus pais, por eu ser mulher eu não tenho a mesma importância o mesmo valor que meus irmãos e na cabeça deles a errada sou eu pelo simples fato que eu deveria entender isso, eles são homens.
Grata pela atenção e parabéns pelo trabalho que faz, bjs

De maneira nenhuma amiga! Você NUNCA deve se culpar por fazer o que é melhor pra você e também não deve se culpar pelo problema dos outros. Você já tem sua vida, sua família, é forte, guerreira, foi atrás dos seus sonhos, tem um coração bom, ajudou sua mãe mas está CORRETÍSSIMA em priorizar sua saúde mental. Pelo jeito das coisas que acontecem e aconteceram na sua família, acho que uma conversa não resolve mesmo e a única alternativa foi a que você tomou. Tá de parabéns por ver isso e agir corretamente viu? Fique bem, eles sabem onde te encontrar!

Chora 02 – Linda

Cony, meu chora pode parecer um pouco fútil considerando o contexto da tragédia do Covid19, mas é algo que está me incomodando, então queria compartilhar. Eu tenho 28 anos e fiquei noiva em 2019, com um homem que é o amor da minha vida e sou muito feliz por isso. Marcamos o casamento para 2020 e gastamos muito dinheiro e energia pensando em todos os detalhes de uma festa linda para 250 convidados, além de uma comemoração menor após o casamento civil. Mandamos Save the Date para a maioria dos convidados, estávamos muito empolgados. Mas aí você já sabe, né? Veio o Covid e tivemos que adiar. Ficamos frustrados, mas como adiei com muita antecedência, conseguimos uma data ótima no ano que vem com todos os nossos fornecedores, um sábado no final de maio de 2021. Como adiamos em abril, maio de 2021 parecia uma escolha muito segura e acertada. Porém, o tempo foi passando e todos os casamentos foram sendo adiados, e agora até os de janeiro e fevereiro de 2021 estão sendo remarcados novamente. Tem noivos que já passaram por 2 ou 3 adiamentos até. E o problema é que como agora tanta gente já adiou, se não for possível em maio de 2021 não devemos mais conseguir casar em 2021: em todas as datas do segundo semestre já teríamos conflitos do lugar, do cerimonial, de mil fornecedores importantes. E não sei se faz sentido comemorarmos em 2022, passando por 3 anos de noivado. Foi assim que o meu sonho virou pesadelo. Esse assunto passou a me dar muita ansiedade, e me vejo pesquisando sobre vacinas todos os dias, mais de uma vez ao dia. Qualquer notícia ruim já me deixa triste ou desanimada. O prefeito de São Paulo disse que talvez adie o carnaval para maio ou julho e eu passei a pesquisar todos os dias o adiamento do carnaval também para ver se não vai cair no dia da festa e inviabilizar. Enfim, sinto que estou muito ansiosa com esse assunto, sofrendo muito, e quando leio sobre quanto tempo vai levar para imunizar todo mundo, se é que teremos uma vacina, parece que cada vez mais casar em maio de 2021 se torna inviável. E sem vacina infelizmente não sei se vai dar para termos qualquer tipo de festa, mesmo que adaptada, porque o meu pai já é idoso e tem mais dois fatores de grupo de risco, e é a mesma situação da minha avó. Confesso que não consegui comemorar outros marcos da minha vida com festa e fico com medo de isso virar uma “sina”, uma tristeza na minha vida. Tenho evitado falar muito sobre esse assunto com as pessoas para não parecer fútil, já que tem tanta gente morrendo e sei que o meu problema é muito menor, e para não ser repetitiva. Mas sinto que isso tem me consumido, essa incerteza. Sempre fui tão planejada, é tão difícil não saber nada sobre o futuro. Por enquanto agradeço por eu e meu noivo estarmos bem empregados e felizes morando juntos, mas o sinto que estou perdendo saúde com esse assunto e que posso perder muito dinheiro também, a depender de como as coisas vão ficar. O que você acha? Tem outras leitoras na minha situação?

Menina, super complicado e pertinente seu Chora, não acho nada fútil não viu? Eu vou até pedir pra Brendinha comentar aqui, pois ela iria se casar agora em Outubro e também teve que adiar pro ano que vem. Não sei nem como te aconselhar, porque sinceramente, não dá para planejar NADA por agora. Vivo recebendo mensagens de promoções de passagens super baratas, mas na hora de comprar penso: “como vou comprar se nem vacina temos? Se nem sabemos como será daqui uns meses?” Já se passaram 6 meses e continuamos na MESMA! E pelo que tenho visto nas notícias, não podemos nem contar com a vacina, teremos que nos adaptar a viver com a presença do Covid por bons anos. É desanimador? É, mas é a realidade. Já pensou em fazer uma mini celebração, apenas para sua família (pai, mãe, avós) e deixar a festona em stand by? Nem isso seria aconselhável, mas se é algo que você quer muito, pode ser uma saída. Ou chuta o balde e espera 2022 mesmo…

Chora 03 – Debra

Passeando pelo Pinterest encontrei sua página. Fiquei muito feliz porque consigo compartilhar minha história e receber um conselho de alguém que me parece sensata e direta. Vamos lá…
Conheci uma moça a 5 anos e desde o começo ela demonstrou interesse por mim, no entanto não me relacionei com ela porque eu havia rompido um namoro e ainda estava abalada. Passou um tempo e comecei a pensar na possibilidade porque ela não me era indiferente, porém percebia atitudes estranhas.  Alguns exemplos:  não parava em emprego, saia da cidade para estudar e trabalhar em outra cidade sem planejamento, viajava para um outro país alegando que ia fazer um curso e não fazia etc. Comportamentos entre outros que me deixava bastante insegura porque já sou uma mulher madura e desejo ter alguém responsável ao meu lado. Dessa forma, o namoro não acontecia.  Além disso, não conseguia ver transparência nas atitudes dela. Resolvi dar um basta de vez quando ela apareceu grávida. Segundo ela, foi uma produção independente através de uma inseminação artificial. Fiquei chocada porque se ela queria namorar comigo porque não me informou dessa intenção?  Decepcionada me afastei e durante todo o período da gravidez não a encontrei. Um mês e meio após o nascimento da filha me ligou e me convidou para visitá-la.  Quando nos encontramos ela começou a dizer para mim o quanto estava mudada. Declarou que com a chegada da filha tinha pensado nas atitudes inconsequentes dela e que estava mais madura.Fiquei encantada com esse discurso e dei uma chance para nos conhecermos melhor e aceitei, finalmente, namorá-la. Isso aconteceu depois de três anos e meio de nos conhecermos. Nós nunca havíamos tido intimidade.  Houve uma conexão muito forte entre a gente.Porém, em pouco tempo ela começou a ter algumas atitudes incoerentes. A principal delas é que alegou que estava com depressão pós parto e que a mãe dela ficaria uns dias com ela para ajudá-la. Não entendi porque eu não poderia visitá-la. Não acreditei nessa história por conta de algumas contradições.Resolvi dar uma bisbilhotada na vida dela e cheguei em detalhes importantes que me fizeram enxergar a real situação.Descobri que é casada com uma mulher que foi morar no exterior por questões de trabalho. A tal depressão era a vinda da esposa para o Brasil para visitar ela e a filha. Soube depois que a criança foi planejada pelas duas.  Nos encontramos somente quando a mulher voltou para o exterior.  
Ela disse que não amava mais a esposa e que não estavam mais juntas. Acreditei. Voltamos e fiquei mais tranquila pensando que ela tinha resolvido a situação. No entanto, algumas coisas começaram a não fazer sentido para mim. Ela evitava me apresentar aos pais alegando que a mãe era uma pessoa difícil e outros detalhes iam surgindo fazendo com que a desconfiança reinasse.Resolvi tirar a prova dos nove e após descobrir o telefone da “ex” liguei e conversei com mulher para saber a real situação das duas.  O que eu descobri? Que elas ainda estavam juntas .Ela ficou bastante surpresa e no primeiro momento queria o divórcio, porém em seguida resolveu perdoá-la.Resolvi terminar. O que aconteceu? A moça me procurou incessantemente dizendo que me amava e queria resolver a situação para ficar comigo. Perguntei qual atitude ela tinha tomado em relação ao casamento e ela me disse novamente que havia terminado, mas que precisava ter algumas cautelas porque dependia financeiramente da mulher e precisava do dinheiro para se manter.    Quando a conheci ela passou a informação que era uma pessoa independente com emprego e apartamento próprio e quando iniciamos o namoro disse que estava de licença gestante.  Nada era verdade. Por isso, fiquei em dúvida se realmente ela tinha aberto o jogo com a esposa.Coloquei-a na parede e não fiquei surpreendida ao saber que ela não teve coragem em dizer a verdade.  Ou seja, está arrastando o relacionamento até conseguir, segundo ela, um trabalho para ficar mais independente. Depois vai pleitear a pensão da menina. Diz que me ama e quer ficar comigo, mas precisa resolver essa situação e pede para que eu tenha paciência.  Eu sugeri que quando ela conseguisse transformar a vida dela me procurasse. Porém não aceita pois quer que eu fique ao seu lado para fortalecê-la.   Estou tentando acabar com tudo de uma vez. Contudo ela me procura obstinadamente tentando me convencer de todas as formas que me ama. Eu a bloqueio do whats e ela liga sem parar, bloqueio o telefone e ela liga do privado, manda e-mail fazendo chantagens emocionais, vem na minha casa pedindo outra chance e faz muitas promessas. Chora copiosamente e justifica suas mentiras dizendo que tinha medo de me perder caso eu soubesse a verdade. Teve uma situação que aconteceu que me deixou também muito chateada. Ela aproximou-se de uma amiga minha e as duas fizeram amizade e ambas esconderam esse fato de mim. Soube através de uma terceira pessoa. Pelo que entendi dessa história ela queria informações sobre o que eu falava dela e o que eu fazia. Essa atitude resultou em um rompimento de amizade. Acordamos que ela iria se afastar dessa moça, porém descobri recentemente que as duas ainda se falam. Ou seja, ela também não cumpre acordos.Não sei se o que ela faz tem a ver com um caráter ruim ou se pode ser um transtorno psicológico. Mesmo tendo consciência que devo me retirar dessa história porque me sinto tão fraca? 
Ficarei muito grata em receber uma resposta. 
Um abraço carinhoso.

Se sente tão fraca porque tá faltando amor próprio aí! Ela SÓ MENTE o tempo todo, reiteradas vezes e mesmo assim você deu corda e inúmeros votos de confiança… Corte de uma vez, fale de uma vez por todas e de maneira firme que acabou e pronto! Um hora ela cansa de ir atrás de você. E ela só te quer pra ter companhia enquanto a esposa tá fora… não percebe isso? Quando ela vem, você perde protagonismo. Não aceite ser segundo plano de ninguém! Você merece mais, merece um amor inteiro só seu. Forçaaa!

  • Choras ABERTOS!!!! Mande seu desabafo, sua dúvida, sua angústia para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO! Seu anonimato é garantido!