ModaLifestyle
Como Usar, Diario de Viagem, Dicas de Viagem
02 dez 2019, 68 comentários

Mala Para O Outono Europeu!

Nossa, que White People Problem não é mesmo? hahahaha

EU VOLTEI! E daqui uns dias viajo de novo mas a proxima viagem é pra ficar no colo dos pais então não desaparecerei tanto assim. Me dei férias do blog, mas não do Instagram. Mostrei a Lua de Mel – quase toda – por lá e gente… que engajamento! Povo tava me seguindo igual novela hahahaha, uma leitora até falou que todo dia a noite ela e o marido paravam para assistir o Conyflix hahahahaha.

Ah foi demais. Como já contei um pouco por aqui, fomos para França e Itália com uma mini conexão em Lisboa que deu para fazer um belo turismo ninja! Não sabe o que fazer em 4 horas na capital portuguesa? Clica AQUI!

Bom, nosso roteiro para a Lua de Mel foi incerto e escolhido em cima da hora, depois contarei mais sobre isso, mas sabíamos que ficaríamos 3 dias em Paris, podendo ficar mais um dia e depois ir para a Itália, chegar em Milão e aí ir resolvendo o próximo destino.

Hoje o post é sobre a mala, então não comentarei destinos, dinheiros, hoteis e dicas de lugares tá? Deixemos isso para uma outra vez.

Hoje quero responder todas as mensagens que recebi sobre as roupas que levei, afinal, o Outono Europeu é muito mais frio que o nosso (uma média de 8 graus) e eu só podia levar uma mala de 23kg e uma de mão de 10kg. Tive que me virar e como queria fazer bonito nos looks e nas fotos, botei o Tico e o Teco pra funcionar e deu super certo!

Vou contar qual foi a minha lógica para montar essa mala, pensei assim: não consigo levar muitos casacos pesados (espaço e peso na mala) entao levarei 3 em cores básicas e a base (a roupa de baixo) será sempre nos mesmos tons básicos, que combinem entre eles. Além isso, lavarei cachecóis diferentes para mudar a cara dos casacos.

Escolhi 4 combinações:

  • Camel
  • Cinza
  • Preto
  • Jeans/branco

Dessa forma teria bases monocromáticas que poderiam combinar com os casacos que levei:

  • Um camel pesado da Amaro
  • Um cinza de lãzinha da Zara
  • Um trench coat preto da Amaro
  • Um de pelo da Le Lis Blanc
  • Dois blazer: um preto e o branco

Para os dias mais frios – Casacao Camel, cinza, trench coat e casaco de pelo.

Para os dias menos frios – Blazer preto e branco

Para as bases, muita blusa térmica e já adianto a marca, porque foi o mais perguntado durante a viagem. A maioria da minha roupa térmica é da Uniqlo, marca japonesa que tem uma tecnologia FODA (desculpem a palavra) para roupa térmica. O tecido é fininho, super gostoso de vestir, confortáveis e com ótimos preços. Alem disso são vários itens térmicos da linha Heattech, entre blusas, leggings, shorts e tudo tão fino que nem faz volume na mala. Infelizmente não vende no Brasil e sempre que viajo pra fora e acho uma Uniqlo, eu renovo meu estoque. Aqui no Brasil tem algumas coisas térmicas com bons preços na Decathlon, mas nem se compara com a Uniqlo.

Voltemos, para as bases levei:

  • 3 leggings pretas, sendo uma fosca da Zara, duas de tecido Prada (aquele que aperta tudo)
  • 2 calças jeans (e usei as duas)
  • uma calça cinza soltinha (comprei em Milão na Uniqlo)
  • uma calça camel soltinha (comprei na Zara em Firenze acho)

Levei outras coisas que não usei, no final do post listo o que sobrou ok? De blusas, umas 5 térmicas variando as cores entre preta e off white.

Para usar por cima das térmicas e por baixo dos casacos, vários tricôs, e adivinhem em quais cores? Camel, preto, off white, cinza. NADA COM ESTAMPAS. Vamos pensar nas fotos lindas! Na Europa os lugares são maravilhosos, cheios de detalhes, as cores do outono são bem intensas então misturar estampas com cenários assim não fica bom.

Lenços: preto, off white, cinza, camel e comprei um vermelho em Mantova.

Sapatos! Novamente, o básico e confortável. Sei que muita gente vai discordar de mim mas eu super gosto de Converse para bater perna e olha que andávamos cerca de 16km por dia! Levei:

  • Um Converse preto cano alto
  • Um Converse branco cano baixo
  • Um Nike Air Max Preto e Branco
  • Um tênis térmico da Yuool cinza (usei pouco, mais no aerolook mesmo mas deveria ter usado mais)
  • Um coturno preto

Bolsas! Levei uma preta da Amaro que usei a viagem toda, só no último dia que troquei por uma dourada porque o dia estava quente em Roma e meu look era todo claro. Mas só a preta teria atendido bem.

Agora vejamos isso tudo na prática?

Portugal ninja, tempo ameno. Blazer preto e base toda preta.

Paris estava mais frio! Casacão camel, blusa de frio de camel (térmica por baixo), jeans e tenis branco. Cachecol poderoso da Zara, usei muito!

Dia do Louvre! Base toda preta e casaco cinza. Coturno preto!

Sacre Coeur com chuva e frio, muito frio. Trench coat impereavel, calça térmica por baixo da legging de malha prada.

Milão! Tricozão branco, legging preta e coturno. Por cima coloquei o casaco camel depois.

Mantova!!! Toda de cinza e tênis branco.

Ainda em Mantova, preto e camel. Ah, levei uma luva de couro preta também!

Firenze e meu look preferido de toda a viagem! Toda camel e tênis Nike air Max 90.

Mais Firenze, jeans e preto!

Assis! Cidade mais maravilhosa da viagem toda. Toda de preto com blusa listrada preta e camel e lenço camel.

Ainda em Assis, jeans, branco e cinza.

Assis, casacão de pelo, legging malha prada preta e coturno. Usei esse casaco um dia em Paris também mas não fotografei.

Roma! Base camel e casaco preto.

Mais Roma e o dia mais quente da viagem toda, cerca de 15 graus e eu achando super verão hahahaha. Branco e camel e o único dia que troquei de bolsa.

Do que senti falta, o que não usei e o que trocaria?

  • Roupa para sair a noite. Levei dois looks e não usei nenhum, afinal ficávamos na rua o dia inteiro e não existia isso de voltar ao hotel para se arrumar.
  • Levei uma bota de salto. Bobagem.
  • Levei um pijama só, deveria ter levado dois.
  • Levei MUITA meia calça e meias térmicas. Deveria ter levado só duas térmicas e pronto.
  • Deveria ter levado um tênis branco mais confortável. O Converse branco deu pro gasto, mas amei tanto o Air Max que fiquei pensando que a versão branca dele me faria muito feliz, além disso é lindo. Já quero comprar um.
  • Levei duas calças de couro fake e não usei porque esqueci, dava para ter usado numa boa.
  • Levei 2 óculos de sol e usei só um.

SOBRE CANELAS DE FORA! Nossa, como me questionaram isso… e gente, é SUPER COMUM usar canela de fora no inverno! O frio é muito relativo e tive ZERO problemas com isso, aliás, a maioria das mulheres usa. Fora que fica lindo. Quem quiser e achar que sentirá frio, use meia calça cor da pele. Eu não achei necessário MESMO mas como falei, frio é diferente pra quem sente.

Ah e uma coisa importante, usei bastante meia de compressão durante as caminhadas e em outro post contarei o motivo e as vantagens.

  • E é isso! Gostei bastante da minha lógica e achei que deu super certo. Antes de ir, dei uma pesquisa em looks de outono no Pinterest e me inspirei bastante também! E aí? Gostaram? Dúvidas?
Lifestyle
Diario de Viagem, Dicas de Viagem
19 nov 2019, 9 comentários

Turismo Ninja em Lisboa!

Não sei se darei sequência a estes posts. Sempre me enrolo durante minhas viagens e uma coisa acaba atropelando a outra e perco o timing das postagens pra vocês. Sim, eu sei o quanto isso é ruim afinal a informação que poderia ser de grande valia fica perdida mas me acompanhem pelo Instagram também (@futilish) que tudo está lá e salvarei os stories nos destaques ok?

Mas vamos lá, onde estou e fazendo o quê?

Como a maioria de vocês sabe, eu me casei em setembro e nem estávamos pensando em lua de mel. Eu com muito trabalho e o Léo também. Mas surgiu a ideia de ir pra Itália, Léo queria conhecer Roma e acabamos por comprar – e caro – uma viagem quase em cima da hora para a França e Itália.

Eu já conheço PortugalFrança e Itália mas Léo não conhece e não neguei ir novamente rsrsrs. Eu amo a Europa!

Compramos pela TAP que tem vôo direto de Belo Horizonte para Lisboa. Ficou BH-Lisboa- Paris com uma conexão de 8 horas em Portugal na ida.

E o que fazer numa conexão tão longa? Sair para dar uma volta! E fizemos isso com tanta maestria que virou post.

Bom, chegamos em Portugal por volta de 6 horas da manhã. Até sair do avião, fazer a fila GIGANTE da imigração, foram quase duas horas. Por volta de 8h da manhã estávamos liberados no aeroporto de Lisboa. Nosso voo para Paris era as 16h então por volta de 14h teríamos que estar de volta.

Eu e o Léo levamos duas malas grandes (despachadas) e duas de mão, que deixamos num guarda volumes no aero para poder ficar mais à vontade. Pagamos 6 euros para deixar as duas malas.

Como não podíamos perder muito tempo e queríamos ir para vários lugares, optamos por ir de Uber primeiro para o lugar mais longe que queríamos visitar, a Torre de Belém. O Uber ficou por volta de 15 euros e demorou uns 20 minutos para chegar lá. Perto da Torre de Belém tem o Monumento do Descobrimento e o Mosteiro dos Jeronimos. Ou seja, várias coisas perto.

Chegamos umas 9 horas da manhã na Torre de Belém e esse horário é ótimo pois é antes da chegada dos ônibus lotados de turistas. Resultado? Fotos lindas e lugar quase vazio. Para nossa sorte, ainda abriu um solão.

Caminhamos até o Monumento do Descobrimento, fizemos algumas fotos e atravessamos para o Mosteiro de Jerônimo.

Como eu já conhecia, Léo entrou sozinho (10 euros de entrada) e eu fui visitar a igreja que está ao lado, onde estão os túmulos de Vasco da Gama e Luís Vaz de Camões!

As 11h, pegamos o bondinho 15E que nos levou até a Praça do Comércio. São 3 euros por pessoa e a gente paga com dinheiro nas maquininhas dentro do bondinho mesmo. Ah, pra quem gosta de pastel de nata, bem em frente ao ponto do bondinho está a Casa do Pastel de Belém, um dos mais famosos de Portugal. Nos não fomos, eu não gosto e Léo não fez questão. Aliás ele foi só ver o lugar e saiu.

Foram 25 minutos de bondinho até a Praça do Comércio e foi bem legal porque é um mini tour pela cidade. Ao descer na Praça, subimos a rua augusta até a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau onde tem o melhor bolinho de bacalhau e recheado com queijo da serra da estrela. Vem numa base junto com uma tacinha de vinho do Porto. DEMAIS! Custa 9 euros, caro, mas vale a pena.

Depois andamos um pouco pelo Chiado, passamos pelo elevador da Santa Justa e seguimos, a pé, até o Castelo de São Jorge, passando pelas escadaria de São Cristóvão e mirante Santa Luzia. LINDO!

Andamos viu? E ainda percorremos o castelo todo (10 euros para entrar).

Depois, por volta de 13:30 descemos a pé, chamamos um Uber (muito fácil andar de Uber em Lisboa) e voltamos pro aeroporto. Chegamos tranquilamente as 14h, pegamos nossas malas de mão e embarcamos para Paris!

  • Foi rápido, mas deu para ter uma ideia de Lisboa. Muito melhor que ficar no aeroporto mofando!