LifestyleLifestyle
Decoração
02 ago 2020, 2 comentários

Esquadrão Decor 77 – Nathalia´s Mom

Praticamente uma denúncia decorativa, A Nathália mandou pra nós a sala da mamy´s dela. Então em plena pandemia, vamos dar pitaco na sala de mamyta alheia.

“Oii Leloo, aaamo amo amo suas dicas e acompanho o Tem jeito Decor no blog desde que começou, e sempre tento tirar umas diquinhas pra decorar minha casa! haha

Mas hoje preciso de ajuda pra sala da minha mãe, que toda vez que estou aqui na casa dela fico quebrando a cabeça pra tentar mudar alguma coisa, e não consigo!

A sala é pequena, tem um sofá que é uma obra faraônica (daqueles que vem de outra casa com mais espaço e agora não faz sentido no espaço que tem!)  O sofá gigante foi reformado nos últimos tempos, e ficou lindo lindo, mas ele ainda só cabe nessa parede, e eu acho que ele toma muito espaço da sala.

A Poltrona do meu pai, era aquele sonho da “poltrona do papai” e ele gosta de ficar com ela DE FRENTE PRA TV!

Eu acho que só daria pra mudar alguma coisa na disposição dos móveis, se trocar de sofá, mas VAI QUE VOCÊ DA UMA LUZ! haha Ou pelo menos umas dicas pra dar uma decorada aqui e melhorar a cara dessa sala toda branca/cinza!

Segue imagens e medidas da sala e dos móveis!

Medidas: Sala 3 m x 4,15
Rack 0,45 x 1,97
Sofá 3,10 x 0,93 largura

Ajuuuda Lelo!

Beijoos

😉

Nathalia meu bem, vou começar dizendo que o sofá ficou lindo lindo, mesmo! Mas você está enganada em um ponto. A sala não tem nada de pequena. Inclusive, essa sala tem dimensões muito generosas. Contudo o Layout dela é difícil, então vou aproveitar e falar um pouco disso, pois talvez ajude quem está construindo ou reformando.

Quem projetou essa sala, conseguiu a façanha de não deixar duas paredes confortáveis para televisão e sofá. E as possibilidades são muitas, mesmo sem saber o que tem debaixo dessa porta aqui na porção debaixo da foto.

Esse acesso em diagonal, que atravessa o cômodo em sua maior medida acaba atrapalhando não somente a decoração, mais o próprio uso. Impossível assistir algo, ou receber alguém sem que as pessoas sejam interrompidas por um vulto cada vez que alguém precise levantar ou que chegue alguém. Vou deixar aqui algumas posições que na minha opinião melhorariam o fluxo (lembrando que eu não sei o que tem do outro lado da parede, então talvez seja impossível alguma das propostas).

Vamos falar da sala. Como a poltrona do papy era sonho e ela não vai sair jamé, vamos aceitar que precisamos manter o layout que já existe, porém melhorar a decoração.

Já sobre o sofá, que como já antecipei achei muito bonito mesmo eu não vou sugerir trocar ele não, mas eu vou indicar que retirem dois dos cinco módulos. Senta com a mamãe porque não adianta nada ter um sofá gigante, com dois assentos trancados pela outra poltrona. Simples assim. Tenho certeza que independente do que seja que vocês bebam na sala (café, chá, suco, chimarrão, suco verde…) fica todo mundo de castigo segurando o copo, porque não há um apoio apropriado. Diminuindo o sofá (e NÃO é pra por os restos dele de frente pro maior igual sala de espera de médico) vamos incluir uma mesa de apoio, e já que não temos nenhum testemunho de apego a favor do rack, tô tacando fogo no nanico nesse mesmo instante.

Mas #vemkotio ver o layout:

Poltrona, mesinha -usei uma cor de goiaba, para trazer mais personalidade- o sofá esquartejado, e alterei o rack do televisor para um mais elegante. também propus duas banquetas estilo barcelona, que podem se encaixar no móvel, deixando a entrada da casa mais livre.

Nas laterais da parede ao fundo, apliquei dois espelhos, desde o rodapé até o teto, é um recurso pra marcenaria ficar mais leve e também para livrar a abertura da porta do corredor. Aqui tenho 60cm de espelho de cada lado, e mais 15 cm de painel (afastado com iluminação fica com 7cm de profundidade) então deverá livrar a porta, porém peça para o marceneiro/loja de planejados conferir.

O painel liso e fosco (Areia Guararapes) vai do rodapé até o rebaixo do gesso (falarei no final disso) e tem detalhes em frisos negativos, já na porção debaixo, 1 nicho e 2 gavetas em cada lateral em tom amadeirado (Savana Guararapes). Essa parte mais “funcional” do móvel, que seria o rack propriamente, está 45cm afastado do chão pra abrigar as banquetas e tem 30cm de altura, pra não ficar muito caixote, a ideia é que ele pareca fininho mesmo. Ah, a profundidade dele é 40cm pra não ocupar muito espaço de passagem.

Usei aquela textura linda de cimento queimado nas paredes todas, igual tem no apartamento da patroa, Não encontrei tapete e quadro iguais aos da sua família, então usei os mais próximos, contudo sugiro manter assim como as almofadas, são todas peças de bom gosto.

A mesa “goiaba” foi inspirada no quadro da sua sala. As plantinhas penduradas preenchem e trazem charme.

Ao lado da televisão, temos uma planta alta, pois os verdes sempre resultam em vida no ambiente e quando tiver mais gente pela casa os pufes vem para a posição onde hoje tem os pufes iguais o sofá (que são grandes demais pro espaço). Estes apesar de largos (60cm) tem apenas 45cm de profundidade e 40cm de altura, pra não ficar no caminho que quem entra. O couro caramelo compôs bem com a madeira e a mesa colorida.

Já que já temos quase tudo pronto pra esse projeto, vamos gastar com gesso e iluminação, fazer sujeira e bagunça inclusive! Se o imóvel for alugado, coloca o famoso trilho iluminado com 5 spots de PAR20-9 wats 4000K. Se for um imóvel próprio, não perca essa chance:

Vamos fazer um rebaixo no centro da sala, alinhado com o painel, aqui está solto 60cm de cada lado e com iluminação de fita de led nas duas laterais ( coloque uma fita bem forte, mínimo 14w por metro, pois essa luz que rebate do teto perde muita força). Coloquei 2 frizinhos de cada lado, que já é meio que marca registrada do escritório Nest. (15cm da borda, friso negativo de 2cm, espaço de 5cm, friso de 2cm. No centro, três pontos de luz muito rycah inshalá, anota aí:

Módulo AR70 7W dimerizável, 2700K abertura de 24º alto IRC. A marca BRILIA tem exatamente essa, pra facilitar sua procura. É uma luz bem amarelinha, com o facho bem fechado e bem forte, que vai bater no tapete e brilhar de volta pro ambiente, por isso dimerizar (controlar a intensidade) é legal nessa proposta que estou te fazendo. O ponto do meio está centralizado no gesso e os outros estão a 100cm de distância desse central. Não esquece de incluir o spot hein, nesse link só tem a “lâmpada”.

Difícil entender sobre especificação de luz? Já iniciamos uma conversa sobre isso AQUI, mas se vocês pedirem eu falo mais disso – é mais técnico, meio chatinho – porém podemos abordar se vocês quiserem.

Dêem seus pitacos, hoje a transformação não foi radical, entretanto olhamos um pouco pro teto, coisa que não costumo fazer, o que achou? Conta pra mim nos comentários!

Bença!

LifestyleComportamento
Bem Estar, Cotidiano
24 jul 2020, 76 comentários

Ser Ou Não Ser Vegetariano?

Aposto que estão lendo este título com estranheza, afinal eu nunca falei sobre isso e vivo comendo carne.

Sim, sou carnívora, adoro um churrasco e ao mesmo tempo AMO AMO AMO os animais. Contraditório, eu sei, e nem sei explicar se o fato de eu comer carne é vergonhoso e incompreensível ou não diante do meu amor pelos bichos. Sério, não sei me defender.

Mas bem, o Leo, meu marido, virou vegetariano. Já tem alguns meses e no começo eu falava: “mas você nem gosta de cachorro!” e não é que ele NÃO GOSTE de cachorro, é que ele nunca teve um na vida e não sabe como lidar com esse amor que a gente sente por eles e que nos faz tratar como se fossem pessoas da família. Leo nunca me forçou a virar vegetariana e eu nunca o forcei a voltar a comer carne, é questão de respeito mútuo mesmo.

Mas bem, esses dias ele me chamou e disse: “escrevi o motivo de ter virado vegetariano, queria que você lesse.” E eu li, e achei tão interessante que resolvi publicar para vocês.

Vem com a gente:

“Nunca tive cachorros ou gatos ou muita proximidade com animais. Quando criança, meu pai tinha alguns passarinhos, mas fora disso, meu contato com animais sempre foi distante.

Esse é um dos principais enganos quando me perguntam porque virei vegetariano. “É porque gosta de animais?

Outra coisa que supõem de forma errada tem a ver com questões espirituais. “Você é espírita ou segue alguma religião que obriga a não consumir carne?” A resposta é não. 

Embora eu tenha um interesse e procure um caminho espiritual, não é por este motivo.

Então, porque me tornei vegetariano?

Para entender isto, dois pontos são fundamentais.

Primeiramente, embora não tenha animais de criação, tem sido muito marcante perceber o carinho intenso e a relação de verdadeira amizade que diversos amigos, parentes e até minha própria esposa Cony, tem com seus animais de estimação.

Para muita gente, o animal de estimação chega a ser uma pessoa da família. Muitas pessoas tem uma relação tão terna com animais, que chega a ser uma prioridade cuidar deles, mais até do que de outros seres humanos. 

Isto tudo pra dizer que esse carinho com os animais é muito marcante e, embora não tenha um bicho de estimação, entendo perfeitamente o tanto que esses animais são queridos e acrescentam na vida das pessoas. Eles são capazes de demonstrar carinho, tem uma relação com seus donos que é inviolável como no caso dos cães, e tem sentimentos que, poderíamos dizer, remetem a emoções humanas, como alegria, dor, prazer.

Obviamente, os animais de estimação, como gatos, cachorros, etc, não são comidos, mas o que os diferencia de um bovino, um suíno, um leitão, ou outros animais que estão na cadeia alimentar humana? Tais animais também tem vida e sensibilidades. Também nascem com instinto a vida. É nosso direito tirar a vida deles? Temos essa possibilidade, mas eticamente é o melhor a ser feito?

Em segundo lugar, gostaria de contar minha experiência com a alimentação em si. Fiz um caminho que foi até mesmo natural, de reduzir o consumo de carnes, quando nem pensava em ser vegetariano ainda.

Comecei, naturalmente, a enriquecer meu prato com outros sabores. Comecei a acostumar e até curtir alimentos que nunca havia gostado. 

Ë curioso como nosso paladar se adapta e convido a todos para experimentar aos poucos novos gostos. É lógico que ao provar um brócolis, ou uma baroa, ou um repolho, pela primeira vez, a experiência não foi agradável para mim. Mas aos poucos, parece que o paladar acostuma, e alguns desses alimentos estão entre meus preferidos hoje em dia.

E com essa redução de carne, meio que sem querer, comecei a me sentir mais leve, com uma digestão menos pesada, com menos peso no estômago e gazes intestinais, o que foi positivo. Além disso, tem impacto nos níveis de colesterol, tive mais facilidade de manter peso, etc.

Do ponto de vista nutricional, é interessante saber que é plenamente possível substituir as carnes de forma muito eficiente com diversos alimentos como as leguminosas como feijão, lentilhas, grão de bico e ervilha e também produtos de origem animal mas que não são carnes, como ovos e queijos. Algumas colheres de feijão já substituem um bife, em termos de proteínas. A vitamina B12 é a mais complicada de ser substituída, mas uma vez que não me tornei vegano, ovos e queijos continuam na minha dieta e são fontes muito boas dessa vitamina.

Dessa forma, porque matar animais para matar a fome, se existem alimentos que substituem a carne plenamente?

Sabemos que a indústria da carne é também muito poluente e que desmata nossas florestas e degrada diversos recursos naturais. 

Enfim, esse assunto é muito mais amplo e tem diversos pontos de vista que não deu tempo de abordar.

Respeito quem consome carne mas existem boas razões para mudarmos nossos hábitos e fazermos escolhas em nossas vidas. Viemos ao mundo para aprendermos a viver e evoluirmos como seres humanos, e porque não fazer novas escolhas?”

  • Dá uma bela chacoalhada no cérebro né? Não sei se prefiro continuar fazendo “vista grossa”, se aprendo a defender o meu não vegetarianismo, ou se faço um mea culpa e assumo ser um ser não tão bom por gostar de comer carne. O que vocês acham?