Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
27 jan 2019, 20 comentários

Mi casa, su casa – Poltrona do Papai

NHAE leitoras and leitores! tutupom?

Esse post foi uma sugestão da Fany, leitora que me acompanha aqui desde o comecinho.

Obrigado por ler a gente! <3

Sei que no post anterior eu falei sobre encolher os espaços e desfazer-se de ambientes que não tem uso. E neste eu chego promovendo um móvel que nem todo mundo acha importante. Vejam bem, o Downsizing, não é meramente metragem, é cortar excessos inúteis. Se você tem e usa uma biblioteca, um escritório em casa, não é para mudar para um lugar onde você não tenha esse espaço. Desfaça-se do quarto extra que ninguém usa, ou da piscina que era só para as crianças… coisas que perderam o sentido.

E algo que para mim, tem sentido (mesmo não sendo pai) é uma “poltrona do papai” então #vemkotio falar disso:

Se você procurar esse termo no gúgôw, acabará encontrando uma infinidade de cadeiras demoníacas de feias que vão traumatizar seus olhos e a farão correr de braços abertos feito a noviça rebelde gritando: “Me leva Jesus!”

Então vamos manter a moral, os bons costumes e desmembrar essa busca de uma forma que a aquisição dessa peça não culmine em um provável e legitimado divórcio.

O grande trunfo destes assentos é que ele eleva as patinhas do usuário, trazendo um conforto “incomum” principalmente aos homens. Aí o que era horroroso, ainda consegue piorar:

Caso você tenha um espaço como um home theater, uma biblioteca ou no próprio dormitório, onde você possa colocar esse modelo, ele pode não ser tão desastroso. Contudo se o jeito é colocá-lo na sala, aí precisamos por a mão no coração e escolher um modelo esteticamente melhor. Nenhuma decoração que não seja uma ode aos anos 80 consegue ter essa coisa no meio e parecer legal. Dá até pra ouvir ao fundo: “Xu-xu-xu, xa-xa-xáááá, é um jeito novo de se dançar…”

Lembre-se o principal é que ela seja confortável, e para isso precisamos que – seja lá qual for sua opção – o modelo escolhido preencha 3 requisitos:

  1. Apoio de cabeça. Ninguém relaxa sem ter onde recostar o cabeção;
  2. Pés elevados. Deixar os pés levemente elevados faz com que a circulação flua melhor e o corpo descanse melhor. Não necessariamente esse apoio precisa estar integrado na peça principal;
  3. Tronco reclinado. Assim como os chulés para o alto o tronco delicadamente inclinado trazem conforto extra.

Facilitei? Acho que sim. Fiz uma seleção de modelos para mostrar aqui. E vou falar um pouco sobre eles.

Vou começar com os itens que seriam legais para quem quer usar essa poltrona na sala principal de casa.

Esse modelo, clássico, chic-vovô apesar de não ser muito alto, você pode escorregar o corpinho e apoiar a cabeça também, permite ter uma peça de conforto e bonita em qualquer sala. Pode despirocar no tecido e fazer ela combinar com basicamente qualquer sala de estar. O pufe também pode servir como assento extra em dias de confraternização e até ser um modelo que esconde um bauzinho, onde eu guardaria aquela mantinha gostosa para me cobrir no inverno.

Agora umas peças contemporâneas:

A principal característica dessa “contemporaneidade” são as linhas mais limpas, retiramos aqueles calombos todos das opções mais comuns no mercado. De novo, elas permitem ser estofadas em vários tecidos diferentes e se adaptar ao estilo que você preferir.

Alguns designs consagrados também podem ser usados com essa finalidade, como a Eames Chair:

Desde que esse desenho caiu em domínio público, surgiram peças com valores atrativos, mas os originais seguem custando muito dinheiro. Apenas, por favor, não cometam o sacrilégio de usar as versões Frankenstein desses produtos. Eu vejo arquitetos colocando esse modelo de cadeira para uso em mesa de trabalho. Para isso, colocaram rodinhas na poltrona, estreitaram a largura, ergueram a altura do assento – que era para relaxar, não para alcançar a mesa – olha, a sorte é que eu não sou ninguém na fila do pão, porque se eu tivesse alguma voz no mundo da arquitetura e design, eu revogava os registros profissionais e fechava as fábricas que tivessem produzindo essas monstruosidades. Se você tiver estômago forte poder vislumbrar essa desgraça clicando AQUI.

Um ponto a levar em consideração é que pessoas altas podem ficar com a cabeça pendurada nesse modelo, e aí não seria tão relaxante usar uma dessa. Entretanto sempre vale o truque de dar uma escorregada para baixo e apoiar o cabeção.

Peças únicas, porque nem todo mundo quer ter a poltrona separada do pufe:

Essa chaise em couro acima é uma releitura da “La Chaise” que (adivinhem) também é um desenho de Charles e Ray Eames e acaba de amolecer meu coração. Meu coração já batia feliz ao ver a original, que sempre esteve na minha lista de desejos:

Outra opção, que inclusive é um clássico de Le Corbusier, é a Chaise LC4 lançada em 1928 e que tem um desenho que segue as curvas dos corpos ergonomicamente deixando a gente em estado de pura paz:

Eu tive o prazer de experimentar uma original dessas e eu juro pela minha mãe: Tem camas que não são tão convidativas e confortáveis quanto essa chaise. Também é um design que já caiu em domínio público então não é necessário desembolsar 35 ou 40 mil reais pela original. É possível encontrar boas opções na faixa de 3 mil tirinhos. A única coisa que eu vou pedir aqui: Se for comprar uma dessas, ou é couro de verdade, ou é tecido, combinado? Nada de plástico imitando couro.

No mercado Brasileiro, uma marca se destaca e eu não deveria divulgá-la aqui porque ela não nos paga.  Porém é impossível falar desse assunto sem comentar sobre a Re-Vive, da italianíssima Natuzzi.

Sim, é a mesma lá de cima, com a mocinha ilustrando o reclinamento do produto. Ainda que seja uma das melhores poltronas onde esse meu bumbum celulitoso já foi recostado, ainda que o couro seja dos deuses e que ele não requeira nenhum tipo de manutenção eu não vejo o motivo dessa peça ultrapassar o valor de R$ 20.000,00.

Então estamos exibindo ela aqui sim, porque existe pessoas com poder aquisitivo para comprá-las, amém, me contratem, MAS ela está fora da realidade da maior parcela da população mundial. Um cliente meu comprou em troca de showrrom, com 60% OFF e aí até que ficou razoável. Aproveitando, vamos rir das propagandas insolentes desse produto:

Contem pra mim: Seu homi chega em casa cansado do trabalho e se joga assim na-tu-ral-men-te na cadeira com a camisa e o blaser impecavelmente passados? E com o sapato assim estéril de tão limpo?

Não se preocupe, a produção de marketing da Natuzzi pode aprimorar as definições de confoto e espontaneidade para propagandas:

Quem nunca tirou uma soneca e cabeça para baixo, né gente? Batman que o diga.

Seguimos que o post tá longo.

Tem poucas coisas que eu posso ser exibido, então gostaria de pedir licença para a Fufulândia, porque eu tenho uma cadeira de papito, e não adianta:

NÃO TEM NO BRASIL MENINAS! HAHAHAHAHHAHAH

É uma Setu Lounge Chair, da Herman Miller. Aproveitand0, caso more fora do país, ou queira importar um móvel desses, eu sugiro buscar como “lounge chair with ottoman”

Ela é super clean, tem um sistema de reclinamento insspirado nas vertebras humanas, produzida com material reciclado e 98% reciclável, levíssima graças ao estofamento em tela tensionada. Outro pró da tela é que ela ventila super bem então em regiões quentes é super agradável passar muito tempo sobre a coitadinha. É um produto que tem valor elevado, porém de grande durabilidade, só de garantia estamos falando de 12 anos. E que eu só pude adquirir pois trabalhei com o importador direto no Paraguai e aproveitei a oportunidade de pagar muito, muito, muito menos até do que o preço que ela é divulgada hoje em dia em sites americanos.
Agora quero mostrar umas opções motorizadas, que fazem massagem mas que eu indico para quem tem um segundo ambiente para colocar uma peça dessas.

Somos matéria e perecemos, então vai que no futuro, ou mesmo atualmente, alguém da sua família precisa se algum tipo de estímulo. Ou então algum atleta, são muitas as possibilidades de se precisar recorrer a um assento que te estimule. As cadeiras com massageadores poder ser até indicações de ortopedistas e elas foram criadas como evolução da cadeira do papai:

Só queria que eles se preocupassem também com a estética desses produtos. Ajuda a gente vai!

Obrigado por quem acompanhou esse post imenso! E desculpe também por tomar tanto tempo, mas vejam que eu divaguei o mínimo possível.

Comentem o que vocês acharam.

#Bença!

Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
20 comentários em “Mi casa, su casa – Poltrona do Papai”
  1. Dani27/01/19 • 19h31

    Acabei de descobrir que PRECISO de uma cadeira de papai! Mas esse sonho vai ficar pra quando estiver morando num lugar maior. Por enquanto fico com a rede, versão econômica do sonho! Hahaha

    • Tio Lelo27/01/19 • 23h13

      Ouxe Dani, eu dormi numa rede qdo era xóvem, acordei em forma de bumerangue, então mantenha os olhos abertos!
      Beijão!

  2. Fany27/01/19 • 21h27

    Obrigada! Embora nome cadeira do papai, estou querendo uma para mim ou seja cadeira da vovó. Exatamente como vc descreveu, com apoio para a cabeça e elevação para os pés. O problema é achar uma com o preço razoável e bonita. As da Natuzzi preço de um rim, mas divinas! Vi umas lindas da Lafer mas, não tem revendedor no Rio, só em Sampa. Como comprar uma cadeira cara sem sentar! Bjks, Fany

    • Tio Lelo27/01/19 • 23h15

      Hey Fany!
      Realmente, investir alto numa poltrona sem testar é um perigo…
      NEnhuma previsão de viajar para algum lugar onde tenha representante? Caso vá experimentar, pelo menos uns 15 minutinhos hein, nada de quicar nela e comprar, as vezes tem coisas que incomodam depois de 5 ou 10 minutos…

      Beijão!

  3. Karine Gonçalves27/01/19 • 23h38

    Post maravilhoso!!!
    Amo à Charles Eames, e a versão de escritório ficou realmente medonha…

    • Tio Lelo28/01/19 • 12h00

      Bem vinda ao clubinho das pessoas que s2 Karine!
      Obrigado por ler a gente, super beijo!

  4. Lukénia28/01/19 • 07h16

    Só quis dizer que o Tio Lê-lo é O MELHOR…só isso mesmo.

    • Tio Lelo28/01/19 • 12h20

      Eike I-phônica ela!
      Obrigado pelo carinho Lukénia, mega beijo pra ti.
      =*

  5. Suyan28/01/19 • 09h20

    Adorei a matéria! Esses dias estava com um cliente que queria uma cadeira do papai modelo “clássico” AKA, aquele modelo da primeira foto, quase morri de infarto de ter que colocar aquele trambolhão no meu lindo projeto, mais nem sempre conseguimos convencer os clientes que nem tudo oq eles gostam fica bonito, enfim…sigo tentando colocar algo mais leve …rsrs…
    Adoro sua coluna aqui no blog.
    Bjos!!

    • Tio Lelo28/01/19 • 12h23

      Hey Suyan, sabemos bem como é complicado trabalhar com sonhos e desejos.
      Eu costumo fazer uma proposta, explicar, qdo o cliente insiste eu tento uma segunda vez oferecer algo mais alinhado com a proposta.
      Se nessaa segunda ainda não convencer, eu me rendo, pois temos que aceitar que a gente não vai morar lá, e que talvez isso seja algo que vai fazer a família feliz. Porém, não posto foto. HAHAHAHAHAH
      Obrigado por participar, um beijo imenso pra você.

  6. Carol28/01/19 • 10h15

    Lelo, querido, vc tem muito bom gosto, mas o dia em q vc deitar em uma cadeira do papai raiz, vc nao vai mais querer levantar! Não vai querer outra coisa da vida! Hahahahahah! Tenho uma de couro na minha sala e é uma disputa em casa pra ver quem senta! Hahahahah! Bjo! Adoro teus posts!

    • Tio Lelo28/01/19 • 12h32

      Carol meu bem, não é contra o conforto… é só em busca de uma opção que seja bonitá AND confortável.
      Mas como eu disse, se ela não for ficar na sala principal, por que é uma peça muito trambolhuda, pode ser a tradicional mesmo.
      Beijo grande, obrigado por compartilhar sua experiência.
      :*

  7. Carolina28/01/19 • 11h43

    Adoro poltrona do papai. Me lembra o Pai do Chris no Todo mundo Odeia o Chris que dorme nela pra descansar entre os dois empregos rs.
    Posso sugerir um tema? Quarto de escritório compartilhado que pode ser usado por duas pessoas ao mesmo tempo.
    Tenho várias dúvidas.
    Como faz com a disposição das mesas? Fica uma de frente pra outra, de costas, de lado? E as tralhas de cada um? Os móveis tem que ser iguais pros dois? Se puder dar umas dicas já agradeço muito!

    Beijos!

    • Tio Lelo28/01/19 • 12h35

      Oi Carolina, pode sugerir quantas coisas quiser!
      Tenho uma listinha aqui para ir postando, me ajuda muito!
      Deixa eu ver se entendi, vc quer transformar um quarto em escritório para 2 pessoas?
      Se tivesse umas fotos, e medida (mesmo que aproximada) fica mais fácil.
      Beijão!

  8. Nina28/01/19 • 13h24

    Tá afiado no deboche hoje elezinho gente! ri alto com os “3mil tirinhos” hahahahaha adorei! Minha sogra tem uma monstruosidade dessa na sala dela…eu passo de olho fechados por ela pelo bem da minha saúde mental de arquitêta. É uó!

    • Tio Lelo28/01/19 • 14h13

      Niiiiiiiiiiiiiina!!!
      #TamoJunto amiga!
      hahahahahah obrigado por sofrer junto.
      Beijo!

  9. Eliane Soares28/01/19 • 23h52

    Que post excelente Lelo!! Super divertido, informativo e muito bem escrito. Muito obrigada!

    • Tio Lelo29/01/19 • 10h19

      Olá Eliane!
      Obrigado por acompanhar a gente e pelo carinho.
      Beijão!

  10. Andréia29/01/19 • 11h10

    Você é muito incrível. Pode fazer posts enormes que a gente não consegue parar de ler. Tanto pela inspiração que você nos traz, quanto pela forma divertidíssima das suas colocações. A gente lê sorrindo….adooooro….

    • Tio Lelo29/01/19 • 11h22

      Mas que delícia Andréia, voc~es me fazem um humano melhor.
      Muito obrigado por acompanhar o Futilish, por participar comentando e pelo carinho.
      Beijo enorme pra você!