11
Aug 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Gente tá uma loucura essa semana aqui no Rio! Ontem nem consegui postar direito, mas hoje tem Chora pra nós ok??? Ah, e vou fazer o post com looks para olimpíadas entre hoje ou amanhã!

Caso 01 – Ana

Oi Cony, td bem?? Estou passando por uma situação meio atípica e nao sei direito como lidar, quem sabe vc pode me dar uma luz? Trabalho em uma equipe com pouquissimas pessoas. Acabei indicando um dos meus melhores amigos para trabalhar comigo, o que, inclusive, representou para ele uma importante promoção dentro da empresa. Estava tudo lindo, trabalhar num lugar em que o ambiente é otimo e ainda tem seu melhor amigo era mesmo um privilegio. Porem, como sempre acontece em ambientes de trabalho, rolou um stress na equipe e me desentendi com um dos funcionários. Até entao tudo normal, acontece. Notei, alguns dias depois, um tratamento um pouco estranho por parte de alguns colegas, até o fatídico dia em que ouvi meu melhor amigo falando mal de mim.

E não foi uma critica profissional ou razoável. Ele debochava de mim, fazia piada comigo, falando alto, achando q eu não ouviria ou não entenderia que eu era o assunto. Foi aquela situação “perco o amigo mas não perco a piada”. Fiquei arrasada, jamais imaginaria que alguma atitude assim pudesse partir dele, principalmente porque alem dele ter total liberdade para me questionar caso eu tenha alguma atitude que o desagrade, ele sempre teve o discurso de que eu era a melhor amiga dele. Fiquei naquela saia justa, pois estava muito triste e nao queria que o ambiente na empresa ficasse ainda pior. Não queria passar por outra decepção, ou conversar com ele e ficar imaginando que seria alvo de mais deboches e chacotas. Talvez seja meio radical, mas a confiança tinha acabado ali.

Naturalmente, me afastei e aceitei que a amizade não era tudo aquilo que eu imaginava (processo que levou alguns meses, confesso). Na mesma época, comecei a prestar atenção e percebi que ele mal trabalhava, passava o dia enrolando, conversando ou fazendo piadas, e passei a não reconhecê-lo mais como aquela pessoa com quem convivi tanto tempo.

Acontece que, recentemente, uma amiga em comum, sabendo do ocorrido, resolveu se intrometer de forma espontanea e tentar “ajudar”. Contou pra ele que eu tinha ouvido tudo, que estava esquisita por causa dele e que tinha comentado que ele nem trabalhava mais. Ele se justificou a respeito da conduta profissional, chorou pra ela e pra outros colegas e foi isso. Não veio conversar comigo (o que me decepcionou ainda mais), eu também nao tomei nenhuma atitude. A minha duvida é que não sei mais como agir. O clima, que já estava ruim, ficou ainda pior. Sei que meu “chora” parece uma briguinha da quinta serie, mas nao sei como lidar com essa situação. Estou tentando manter uma conduta profissional e tratar todos com cordialidade e respeito, mas nao esta facil.

Menina, muita infantilidade desse amigo seu viu??? Eu chegaria nele e daria um belo esporro. Sério. Chamava ele no canto e falava: ¨Aqui fulano, o que está acontecendo?? Você está aqui nesta empresa porque EU te coloquei aqui, te considerava um grande amigo e você fica de mimimi com o povo do trabalho? Se quiser me dizer algo, diga na minha frente e não pelas costas.¨ Ele precisa de uma conversa séria sim, e saindo de você! PODE SER que seja um mal entendido mas isso você só vai saber num cara a cara! Esse tipo de problema a gente só resolve conversando diretamente.

 

b724093f9b41d0a91a3a501e5b858f8f

 

Caso 02 – Emmanuelle

Oi Conny, primeiramente queria dizer que amo seu blog e você é minha inspiração!!! Eu namoro a 4 anos com meu primeiro e único namorado, nos amamos e pretendemos seguir a vida juntos. O problema mesmo é meu cunhado e a namorada… Ela era minha amiga e fui eu que apresentei os dois, nós éramos muitos amigas mesmo, apresentei os dois a pouco tempo e eles logo ficaram juntos.., o problema é que eles brigam demais e em uma dessas brigas eu fiz a burrada de me envolver e contar para ela que ele tinha levado outra menina em casa, mas ela fez escândalo e falou que fui eu que contei, por fim fiquei super mal com a família inteira né!!! Pq ele é super mimado e fez até a minha sogra ir na casa dela pra falar que era mentira! Fiquei com a cara no chão!!!! O engraçado é que nessas brigas ele falava pra ela que ninguém da família gostava dela e todos gostavam de mim, às vezes acho que ela fez de propósito só pra me deixar com vergonha de todos, enfim o problema é que depois disso eu não consigo mais ficar normal com ela e nem com ele, me sinto incomodada com a presença dos dois e eu só queria que meu namorado não morasse na mesma casa pra eu nao ter que aguentar, pior é aguentar nas festas e tudo mais!! Enfim eu me culpo muito por isso, acho q fui muito burra e não deveria nunca ter me metido, sou muito rancorosa, queria uma dica do que posso fazer pra tornar essa convivência mais tolerável pra mim, que é quem mais sofre com esse sentimento ruim né!!!

Anota aí amiga: EM BRIGA DE MARIDO E MULHER, NINGUÉM METE A COLHER. Repita isso várias vezes! Você pode apoiar ela, ouvir tudo, mas nunca passe informação pesada como essa, enquanto as coisas ainda não estão 100% resolvidas. Agora fica fria e espere que o tempo passe e as pessoas esqueçam. Continue sendo você mesma, tente não ter um comportamento estranho quando estiver com todo mundo, não fique sem graça. Segure a onda por um tempo e deixe que as coisas se ajeitem. E não emita mais um PIO sobre esse assunto!

 

4eb6bd2fd2a7e694305a4599060a4f8e

 

Caso 03 – Giovanna

Tenho 23 anos, estudo numa universidade pública e estou bem perdida no rumo que tomarei da minha vida.

Bem, namoro há quase cinco anos com uma pessoa que realmente amo, que me faz bem, me completa e me faz feliz no geral. Há um ano mais ou menos as coisas começaram a se complicar na área de trabalho dele e ele foi ficando cada vez mais retraído, algumas vezes isso complicou nosso relacionamento. Mas fomos fortes e seguimos em frente. Em fevereiro, ele foi passar 2 meses em outro país, na casa dos tios que moram lá, enquanto aguardava uma resposta de emprego. Quando essa resposta chegou ele voltou com toda a garra pra se dá bem, mas infelizmente deu errado.
A questão é que ele está indo morar de vez agora e eu não sei o que fazer.
 
Sempre tive MUITA vontade de morar em outro país, principalmente pra onde ele vai, mas sinto medo do que pode acontecer. Teria que abrir mão de um curso de 5 anos pra trabalhar com algo “mais humilde” e isso me preocupa. Além da questão da língua que não domino e ter que começar do zero em outro país.
 
Não sou apaixonada pela minha futura profissão, pelo contrário, cada semestre fica mais desestimulante pela falta de oportunidade, de concursos e pela má remuneração, além de ser uma área que você precisa ter algum dinheiro pra se manter durante os estudos, já que não pode trabalhar durante o curso.
 
Enfim, a ideia inicial é ele ir na frente e no fim do próximo ano (quando me formar) eu ir também, mas tenho medo e insegurança de deixar meus pais e uma vida confortável por um relacionamento e uma vida bem diferente em outro país.
 
A dúvida é: viver no lugar que moro relativamente confortável, porém sem muita perspectiva na área profissional e sem o boy ou ir em frente, enfrentar os medos e dificuldades e tentar uma nova vida num país promissor junto de quem amo, mas longe da família?
 
Me ajuda Cony, não tenho muito com quem conversar sobre isso e queria a opinião de uma pessoa que não vive próxima dos pais e que de alguma forma seguiu uma carreira diferente.

 

Amiga, vá! Se tudo der errado, pelo menos você ganhará experiência! Morar em outro país é maravilhoso, é enriquecedor, não se apegue a diplomas, títulos, não pense em trabalho mais humilde. Olha só, eu sou formada em Administração, pós graduada em Negocios Internacionais, especialista em Comércio Exterior e fui ser ASSISTENTE de garçonete na Florida e posso te falar? Foi a melhor experiência da minha vida! Voltei outra pessoa! E só voltei porque estava noiva na época e meu ex morava no Brasil. Não fosse isso, estava lá até hoje. Vá, não pense muito, aproveite essa oportunidade.

 

b7de0bb3e5a8426c6b47878346cf63ad

 

Caso 04 – Miroslava

Olá Cony tudo bem? Tenho 25 anos e namoro há 3!

Meu problema é que eu não sei se amo mais o meu namorado. Nosso namoro sempre foi conturbado. No começo brigávamos muito porque sou uma pessoa sensível e romântica, e ele sempre sendo grosseiro e desleixado comigo, do tipo de não se importar com datas, não me levar pra os lugares, me humilhar (dizia que eu não fazia nada, as vezes reclamava do meu corpo…ou estava muito magra ou muito gorda e uma vez chegou ao cúmulo de não querer entrar comigo em um restaurante pois já tinha dado em cima da recepcionista de lá – me senti, nesse momento, mesmo como namorada, menos importante que ela)…enfim, eram tantos abusos e como se não bastasse a família dele não gostava de mim e eu nem sei o porque! O pior de tudo é que eu não conseguia acabar…era como se sentisse necessidade desse relacionamento doentio que me fazia chorar dia sim dia não. Isso tudo foi me fazendo ficar muito insegura, algo que nunca fui, e ciumenta de uma forma exagerada. Ocorre que depois de um tempo, e de muitas brigas feias, consegui acabar. Ficamos 7 meses separados e nesse tempo conheci pessoas maravilhosas mas nunca deu em nada. Acabei voltando com meu ex. No começo ele estava MARAVILHOSO, reconhecia os erros, pedia desculpa…um sonho. Só que eu não voltei com a mesma empolgação…o tempo passou e devido a minha profissão tive que mudar de cidade mas resolvemos tentar o namoro a distancia! Ocorre que ele tá cada vez mais desleixado, no relacionamento a distancia, o que alimenta a relação são as palavras, o cuidado, o saber como o outro estar…mas NADA, ele não me pergunta nada…só fala sobre ele e os problemas dele…sendo que eu também estou passando por um momento super difícil…e hoje, mais do que nunca, fico insegura e com ciumes…e fico sempre procurando, sabe? as vezes eu acho que é como se eu precisasse de uma desculpa pra acabar  (fora o jeito dele frio comigo), porque não pode ser normal…e essa minha “busca” acaba desgastando nosso namoro pois sempre gera briguinhas bobas que logo são resolvidas.
Eu não sei o que fazer, sei que se acabarmos, como estamos longe, vai ser muito difícil voltar, caso eu me arrependa…e a ideia de vê-lo com outra pessoa me faz ficar com muita raiva…é um sentimento de posse, não sei!
Enfim, só queria saber se alguém está passando ou já passou por algo assim pois as vezes me sinto covarde por me contentar com tão pouco…talvez seja reflexo da minha baixo auto estima que no meu inconsciente diz que nunca encontrarei algo melhor…
espero que possa me ajudar!

 

Miga, aproveita que tá longe e termina logo! E sem chance de voltar pelamordedeus. Você não se ama não??? Vai deixar que ele te trate dessa forma? Não acredito que ele tenha mudado e você só andou pra trás ao voltar com ele. O comportamento dele é babaca e vai continuar assim. Não perca mais seu precioso tempo. Ele tem que somar na sua vida, fazer você se sentir a mulher mais maravilhosa do mundo e não o contrário. Você está obcecada por ele e isso não é saudável, é destrutivo! Faz uma terapia, se prepare e coloque ponto final LOGO nisso.

 

01e25c36f7a821227100703d684e85bb

 

  • Choras AINDA suspensos! Mas começarei a fazer de 4 em 4 para andar mais rápido ok??
55 Comentários
  1. #1
    Luiza Abrahão
    11.08.2016 - 16:22

    Olá Constanza, tudo bem?

    Imagino que embora não tenha sido a sua intenção, a expressão popular de que “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher” perpetua questões muito complicadas com relação à violência contra a mulher. Sei que você sempre busca promover, inclusive com esse “quadro” do blog, o bem estar afetivo e psicológico das mulheres que seguem seu blog, mas acho que em briga de marido e mulher nós mulheres temos que meter a colher sim. Avisando que uma outra mulher está sendo traída, denunciando violência doméstica, relacionamentos abusivos, confrontando homens sobre como e o porquê de tratarem mulheres de formas com as quais não compactuamos.

    Nós mulheres temos que nos unir cada vez mais, e cada vez mais nos colocarmos do lado umas das outras. Obviamente, problemas decorrerão disso: existem mulheres que vão nos culpar por contar uma traição, nos julgar por estar dando palpite, mas ao menos teremos a certeza de que estamos fazendo o certo: permanecendo do lado de outra mulher que, provavelmente, enfrenta, como nós, todas as dificuldades decorrentes de ser mulher na nossa sociedade.

    • #2
      Constanza
      11.08.2016 - 16:37

      Acho que existem casos e casos, depende da gravidade, eu não gostaria de ngm se metendo em minha vida, só se eu perguntasse ou pedisse ajuda. Bjs

      • #3
        Bruna
        11.08.2016 - 16:56

        Ah, só se tem abuso mesmo.
        Concordo com a Cony
        E nem é só isso
        Vc tenta ajudar, contando um traição para uma amiga. O que pode rolar? Ela continuar com o ex, ele e odiar e vc perder a amiga por causa disso.
        O ideal é tentar abrindo os olhos da pessoa aos poucos, para ela mesma perceber que está numa encrenca.

        • #4
          Constanza
          13.08.2016 - 12:42

          Extamente, mas essa onde de feminismo exacerbado esta deixando muita gente revoltada com coisas que nem vem ao caso.

      • #5
        Larissa
        11.08.2016 - 17:41

        Se você estivesse apanhando em casa não ia querer que uma vizinha chamasse a polícia não? Clap clap clap pro comentário da menina acima. Lógico que não é pra se meter em tudo, mas no caso da garota do chora ela estava sendo traída. Eu ia preferir ser avisada que estou sendo corna do que ficar passando papel de otária na frente da família toda depois.

        • #6
          Constanza
          13.08.2016 - 12:41

          APANHANDO é bem diferente amiga… seja inteligente e saiba onde deve comentar e onde nao.

      • #7
        Isla Wolff
        12.08.2016 - 12:44

        Concordo contigo, Cony
        Sei de muita gente que já delatou o marido ai para as mulheres e essas ficaram brabas com as migas e continuaram com o boy, como essa menina ai!
        Só vê quem realmente quer, tem coisas que não tem o que fazer!
        Aposto que se fosse um caso de agressão, como citas, a Cony prontamente teria outra resposta

    • #8
      Bruna
      11.08.2016 - 20:28

      Uma coisa é a mulher estar sendo vítima de violência -seja ela física e/ou psicológica – outra é ela estar sendo traída (algo que até pra quem é próxima temos que avaliar se a pessoa deseja ou não saber). Tbm compartilho da ideia de que ela não pedir opinião sobre traição não há motivo para interferimos.

      Ps: Constanza, parabéns por abrir este espaço para discussão, sinto que aqui é possível falarmos as dores e as alegrias mais intimas. Meu muito obrigada!

    • #9
      Débora
      12.08.2016 - 08:29

      Dá para entender que a Constanza estava se referindo a questões que devem ser resolvidas pelo casal. Mesmo quando acontece de vermos o par de uma amiga com outra, devemos dar tempo para ver como as coisas evoluem. Não sabemos de todos os fatos. Pode ter sido uma vez só e o casal se acerte. Se for um caso de traição prolongada, eu, particularmente, conversaria com o traidor, diria que quero o melhor para minha amiga e dou um prazo para ele resolver a questão com ela. Essa situação não tem NADA A VER com violência doméstica. Denunciar violência doméstica não é intromissão, é um dever, trata-se de um crime, e se nos omitirmos também estaremos cometendo um crime. Eu sou “peituda” e já me meti em discussões entre casal na rua, claro, porque envolveu agressão física. Não deixo passar, trabalho no meio judicial e já dei muita “carteirada”. Meu marido uma vez ouviu um valentão, que queria agredir um adolescente, me chamar baixinho de “vaca da Promotoria”. Tô nem aí.

    • #10
      Nina
      12.08.2016 - 11:18

      Mas pq essa problematização de tudo hj em dia meu deus do céu?! esse caso é só fofocaiada de família gente…acontece td hr em qlq lugar…Pelamor! E outra….Não adianta nd as duas meninas se unirem, se a sogra faz o favor de ir lá mentir pra nora de q o babaca do filho dela não fez nd. Por isso q eu digo e repito, nem td mundo devia ter filhos!rs.

    • #11
      Mah
      12.08.2016 - 12:47

      Concordo com a Cony.
      Tem casos e casos.
      Uma vez num prédio em que eu morava, ouvi uma briga física ocorrendo num apartamento e liguei pra delegacia e delegacia da mulher.
      A polícia apareceu lá, e o que aconteceu? A mulher e ele disseram que não estava acontecendo nada. Fiquei com o c* na mão de descobrirem (principalmente ele, tarado nojento) que fui eu quem ligou. Se eu faria de novo? COM CERTEZA. Mas o que fiz não ajudou em nada…

      Nesse caso específico do chora, EU não teria contado se percebesse sinais claros de que a moça é uma tapada. Se for uma melhor amiga esperta que não seja cega e não acredite cegamente no fdp. Porque? Porque senão vc perde a amiga, fica mal na fita com todo mundo e o namoro deles segue firme e forte.

      Quando a pessoa NÃO QUER ENXERGAR, só o tempo é capaz de mostrar os defeitos do outro. Não queira resolver o problema.

      Então sim, na maioria das vezes, e quando não há violência, não se mete a colher.

    • #12
      Aline Magalhaes
      16.08.2016 - 12:02

      Vim comentar exatamente a mesma coisa. Em situação de abusos, tem que meter a colher sim. Inclusive: https://www.facebook.com/appmeteacolher/?fref=ts
      Por fim, nem sempre o abuso é óbvio. Abuso psicológico é mais comum do que imaginamos. Levar a sogra para a casa da namorada para ela MENTIR em seu nome me parece um abuso e daqueles. Boa sorte na tomada de decisão! Abraços.

  2. #13
    Letícia
    11.08.2016 - 17:56

    Caso 3 – Giovanna:
    Vc tem sua resposta, só está com medo de enfrentá-la!!! Vai, e se der medo, vai com medo mesmo!!!!
    De que adianta um diploma se a situação no Brasil está péssima, com altos índices de desemprego e violência? Vida confortável enquanto vc está na casa da mamãe, certo?
    Se vcs se amam e vc acredita no futuro do seu relacionameno, vai, e vai sim!!! Vai com garra e força para construirem juntos o futuro de vcs, ainda mais que vc já tinha vontade de morar fora!!!
    E se der errado? Volta, se muda, se reconstrói! A mágica acontece fora da nossa zona de conforto!!!! 🙂

  3. #14
    Bruna
    11.08.2016 - 18:34

    Luiza Abrahão, concordo plenamente! Tem que meter colher, garfo e faca, principalmente se a mulher estiver em situação de vulnerabilidade e/ou abuso. Não sei se o foi o caso mas pela descrição do namorado em questão, dá pra ter uma noção do tipo de pessoa que ele é: mimado, briguento e diz pra namorada que ninguém gosta dela.
    Lembro de uma caso aqui no Chora de uma moça que a mãe sofria abusos por parte do pai e a Cony disse que “pais são assim mesmo”. Cony sua linda, talvez você devesse refletir um pouco mais sobre isso.
    Devemos nos unir e cuidarmos umas das outras ♥

    • #15
      Constanza
      13.08.2016 - 12:40

      A gente SEMPRE tem que pensar nos DOIS lados. E se eu for refletir sobre essa coluna, é melhor eu ficar calada em todos os casos e não ajudar ngm. Daí encerro o Chora mais uma vez. O que prefere? Ajudar como posso ou omitir minha opinião? Reflita vc sobre isso.

      • #16
        Vivi
        15.08.2016 - 16:48

        Cony, eu lembro desse caso onde vc disse q “pais são assim mesmo” – meus pais são assim também, meu pai é um ogro mas minha mãe escolheu ficar com ele. Naquele contexto, você tem toda razão, “pais são assim mesmo”. O que as leitoras não podem fazer é tirar o que você falou do contexto, para justificar uma opinião diferente da sua.
        Queria saber se quem está condenando, já teve uma amizade/laço familiar rompido por tentar ajudar contando uma traição. Provavelmente não.

        • #17
          Constanza
          15.08.2016 - 18:14

          Sim, elas pegam uma frase e generalizam, colocam em qq situação. Aí fica difícil debater msm…

          • #18
            Luana
            18.08.2016 - 23:58

            Credo Cony, as meninas estão comentando com educação. Não tem necessidade nenhuma de ser grossa.

            Já percebi em vários posts que se a pessoa não tem a mesma opinião que você, você dá uma patada. :/

          • #19
            Constanza
            19.08.2016 - 11:37

            Uai e discordar é ser grossa? As pessoas podem discordar de mim sim, mas eu tb posso manter minha opinião e sustenta-la! Ou não??? Ou tenho que calar a cada comentário contra só para não ser grossa? Pessoas inteligentes se posicionam, dos dois lados e isso é saudável, não é grosseria.

  4. #20
    Jacqueline
    11.08.2016 - 20:05

    Vim escrever basicamente o que a Luiza disse. Acho que “em briga de marido e mulher” as vezes a gente tem que meter a colher, os pés, o que for. E garantir que a mulher saiba sim onde está se metendo E que conta com outras mulheres. Por frases como essa, de que cada um aabe de sua relação, vizinhos não chamam a polícia quando escutam um episódio de violência doméstica. Claro, é um caso mais extremo que uma potencial traição, mas a ideia é a mesma. Precisamos meter a colher sim, porque tem mulher que sozinha não consegue sair de situações de violência.

    • #21
      Constanza
      13.08.2016 - 12:39

      Continuo nao concordando. Violencia física é BEM diferente de mimimi e traição. Isso é coisa deles, eles que resolvam. Imagina se a gente for palpitar na vida amorosa de todo mundo???? Não dá ne. Uma coisa é ajudar alguém sendo agredida, outra é virar uma pessoa chata e que se mete onde não deveria.

  5. #22
    Marilu
    11.08.2016 - 20:51

    Não acredito que a Miroslava descreve o pior namoro do mundo e pergunta o que fazer. Afe fia. Se vc gosta de ser infeliz, continue na relação. Caso contrário, NÃO
    E Giovana, seu namoro já tem 5 anos e vc pelo visto não tem perspectiva de emprego aqui. Não sei o que te segura! Vai!

  6. #23
    Naty
    12.08.2016 - 03:14

    Miroslava, por experiencia propria eu diria: ” se o relacionamento não esta bom, mesmo depois de muita insistência, melhor terminar de vez por mais dolorido que seja”

    A vida continua, vc esta em uma cidade distante da dele, motivos não faltam para conhecer gente nova… quando terminamos um relacionamento, a gente pensa que o mundo vai acabar, mas de todos os meus terminos, sempre me proporcionaram relacionamentos melhores e mais maduros – hoje falo porque sou casada, mas antes tive uns 4 namorados…

    uma coisa eh certa: homem babaca e egoísta não tem cura, experiência própria…

  7. #24
    Sabrina
    12.08.2016 - 07:20

    Miroslava- Ficar com um cara que te humilhou, falou mal do seu corpo, te fez chorar dia sim dia não… ah manda esse cara pastar.Sobre ter raiva da ideia de ver ele com outra pessoa, você devia é ter pena da outra ficar com um cara desse. Se ame em primeiro lugar e vale o velho ditado “Antes só do que mal acompanhada”.

  8. #25
    Débora
    12.08.2016 - 08:10

    Ana, tudo bem. Estou no mercado de trabalho há 20 anos, no serviço público há 15, na maioria do tempo em cargos de chefia, e no começo tinha dificuldades em resolver problemas no trabalho quando envolviam o lado pessoal. Depois aprendi que as questões profissionais devem ser tratadas como tal, de modo objetivo, pragmático e imparcial. Claro, tentando preservar o lado humano. O diálogo franco e respeitoso é o melhor trunfo do bom coordenador de equipe. Quase tudo se resolve nua boa conversa, e se não, é sinal de que algo tem que mudar. Tive uma experiência dolorosa. No começo da carreira precisava reduzir o quadro de funcionários e precisei ser justa e pensar no grupo, na empresa e no bom andamento do trabalho. Então demiti um rapaz muito próximo de mim, que era o menos qualificado e empenhado. Se a pessoa é madura entende.

  9. #26
    Vanessa
    12.08.2016 - 08:35

    Caso 4;
    Minha filha termina esse namoro já e resgate sua auto estima. Você com certeza merece coisa muito melhor do que ser abusada por quem quer que seja, aliás, ninguém merece ser abusada.
    A vida é curta demais e você é nova. Aproveite garota e dá um pé nesse cara de uma vez sem chance de volta.

  10. #27
    Débora
    12.08.2016 - 08:39

    Giovana, amiga, você está muito nova, se não der certo vai ter tempo de sobra para partir para outra. Você sabe que ser fluente em outro idioma e ter experiência de morar no exterior SÃO SUPER VALORIZADOS no mercado trabalho. A inteligência emocional hoje é mega valiosa, e as empresas brigam de foice por jovens com experiência pessoal e profissional no exterior, nem importa em que área. É a globalização minha filha, agarra esta chance para evoluir. Só não vale ficar morando lá fora como dona de casa. Tem que correr atrás, principalmente aprender a falar muito bem o idioma local e também outros, porque não. A faculdade você tranca ou pode tentar até continuar lá. Muito gente do programa Ciência sem Fronteiras cursou até um ano de sua faculdade no exterior. Depois pode continuar no Brasil. Ah, e se o relacionamento azedar mas você gostar do país e estiver bem e feliz, não volte, faça amigos e fique por lá enquanto achar que vale a pena.

  11. #28
    Tata
    12.08.2016 - 08:40

    Olá Cony,
    Esse meu depoimento é pra Giovanna: eu passei exatamente por isso que você está passando. Na época eu tinha 21 anos e ainda estava terminando a faculdade, larguei tudo e fui. Estamos fora há mais de 10 anos e o que eu te digo de coração: vá, se vc realmente o ama, com certeza tem que ir. Maaassss, por experiência: termine sua faculdade primeiro. Não pelo fato de ter que trabalhar em algo mais humilde, porque isso você terá que fazer de qualquer maneira (raras pessoas já chegam e trabalham em sua área), mas, se der errado e voce tiver que voltar, você ainda tem a segurança de uma carreira. Eu não terminei a minha e me arrependo profundamente. Dependo totalmente dele, porque ao logo do processo fui entrando em depressão por justamente não ter dado prioridade à mim. Mas, concordo plenamente com a Cony: morar fora te dá uma visão completamente diferente do mundo e eu jamais mudaria o curso da minha vida, apenas teria terminado o trecho “faculdade”.

  12. #29
    Roberta
    12.08.2016 - 08:59

    Meu cometário vai pra Emmanuelle: toma cuidado com esse ninho de cobras q é a família do seu namorado! Como assim, todo mundo botar panos quentes pro filhinho q levou outra garota pra casa? Eu ficaria com a pulga atrás da orelha e me distanciaria desse povo.
    Quanto à sua amiga, vc fez o certo e a alertou sobre o ocorrido. Se ela aceitou ser traída, não só por ele, mas por toda a família, paciência. Do lado de quem seu namorado ficou? Espero q do seu, senão, eu ficaria desconfiada com ele tbm…

  13. #30
    Vanessa
    12.08.2016 - 09:17

    Ana:
    Passei por algo parecido com vc e posso te falar? conversar não adiantou nada, era a minha melhor amiga na época, passava por dificuldades financeiras, a levai para trabalhar comigo e na primeira oportunidade ela me sacaneou, me impediu de virar gerente, foi uma época bem difícil, saí do emprego pq não aguentava mais olhar para a cara dela. Cortamos a relação de vez, passei muitos meses sofrendo com isso, com a oportunidade de emprego que perdi por causa dela, com a amizade que se desfez e aprendi que não dá para misturar trabalho e amizade, isso me marcou profundamente e não consigo nem fazer amigos no trabalho por causa disso, sempre acho que alguém vai me sacanear.
    Emmanuelle: vc está na idade de arriscar, vá, se não der certo vc volta, vc tem uma vida inteira pela frente, se vc não for pode passar o resto da vida de arrependendo de não ter ido, se vc se arrepender de ir, é só voltar.

  14. #31
    Naomi
    12.08.2016 - 09:20

    Caso 4
    Miroslava, acredito que o seu namorado já deu vários sinais de que não importa-se muito com você. Ou talvez esse seja o jeito de ser dele mesmo. De qualquer forma você não está satisfeita.
    Toda relação unilateral está fadada ao fracasso. Ambos devem cultivar o amor e esse é um trabalho que deve ser diário. No começo (início da relação) é fácil, depois de um tempo, demanda esforço, sacrifício, abrir mão da própria vontade etc e tal.
    Vejo que você precisa se valorizar mais também. Você deve ser a primeira do mundo a se amar e muito.
    Há um velho ditado que diz mais ou menos assim:”Não chore pelo que partiu, alguém melhor virá”.
    Perdoe-se, liberte-se e depois venha contar pra gente as novidades!!!

  15. #32
    Marilu
    12.08.2016 - 10:32

    Cony faz o post da classe econômica da bijoux por favor nunca te pedi nada

  16. #33
    Raiza
    12.08.2016 - 10:34

    Minha opinião pra Ana, pois já passei pela mesma situação.

    NUNCA, JAMAIS leve um amigo pra trabalhar diretamente com você. Sempre acaba dando errado. As relações profissionais passam por muitos altos e baixos, em muitos casos é um lugar de stress, a convivência é diária por muitas horas. É muito difícil.

    Eu passei igualzinho você, só que eu fui falar diretamente com a pessoa. Na minha frente ficou mil maravilhas, mas por trás continuou falando mal. No fim das contas, ela saiu da empresa e ainda falou mal de mim pra todos os amigos em comum (de fora do trabalho), ficou uma situação péssima.
    Então meu conselho é, falar com ele provavelmente não vai adiantar, ja que ele já tem essa índole de falar mal pelas costas. Eu sinceramente tentaria muda-lo de setor pra não estar mais diretamente ligado a você. E se não for possível, tentaria tirá-lo da empresa sim.

  17. #34
    Marina
    12.08.2016 - 10:37

    Que penaaa que não postou os looks. Tenho um jogo hj e n sei o aue usar..

  18. #35
    aninha
    12.08.2016 - 10:53

    Sobre se meter ou não em briga de casal, concordo plenamente com a Cony. Não se pode comparar o caso em questão, que trata de problemas de relacionamento que dizem respeito aos dois, a outras condutas envolvendo agressão, por exemplo . Uma coisa é dar palpite nas escolhas particulares dos outros. Outra é interferir quando se constata que está ocorrendo um crime. Vítimas precisam ser ajudadas. Pessoas com dificuldade na relação precisam conversar e resolver entre elas.

    • #36
      Munique
      13.08.2016 - 19:08

      Aninha, palmas pro seu comentário! Sintetizou perfeitamente. Não dá pra colocar tudo no mesmo balaio. O extremismo está tomando o lugar do bom senso…

      • #37
        ALESSANDRA
        13.08.2016 - 23:46

        Tbm concordo plenamente.

  19. #38
    12.08.2016 - 11:10

    Concordo com a colega acima. No caso 02 tudo bem, ela fez mal em se intrometer, ainda que na tentativa de ajudar, pois tem coisas que só o casal pode resolver. Mas esse negócio de não meter a colher é complicado e não é legal passar essa mensagem como se ninguém devesse ajudar o outro mesmo que essa pessoa não tenha pedido. Sei que não foi intencional, porém não ficou legal.

    Quanto ao caso 04, já estudei e vi casos suficientes para entender o quanto um relacionamento abusivo mexe com o psicológico das pessoas. Por isso julgar por alguém se submeter a isso é perigoso, pois são danos que a pessoa não enxerga, é extremamente complicado e doloroso, já que você não consegue se livrar do que te faz mal e a síndrome de Estocolmo explica. Mas vi que você conseguiu uma vez, então pode conseguir novamente – dessa vez, definitivamente! Pense em você, no que te faz bem e lute para largar de vez dessa pedra no seu caminho. Você é forte, você consegue!

    E se for para criticar sem conhecer do assunto, acho que a colega pode muito bem ficar sem o seu comentário, pois ela precisa de ajuda para superar esse relacionamento.

  20. #39
    Nina
    12.08.2016 - 11:14

    Ana, eu serei mais direta q a Cony…Infantilidade não, mau caratismo messssmo! O cara q faz isso com qm se diz amigo, faz coisas mt piores. Abre teu olho e não chama isso de amigo nunca mais!
    Giovana minha filha, larga esse forninho e vaaaaai, se joga nesse mundão véio sem porteira com o boy! Experiencia própria baby…vai!
    Miroslava, não li seu relato inteiro… Parei no ” ele me humilhava…reclamava do meu corpo” Daí pra diante não me interessa mais nada. Tá fazendo oq com esse xexelento ainda?Fala sério!

  21. #40
    Bia
    12.08.2016 - 12:00

    Luiza Abrahão, vejo sua “boa vontade” através do comentário, mas vamos combinar que na vida real não funciona bem assim. Acho que devemos ajudar dentro do possível (e principalmente, quando somos chamadas para isso). Sabe aquela expressão “o pior cego é o que não quer ver”? Pois é, se aplica a milhares de relacionamentos por aí. Todo mundo enxerga que o cara é babaca, violento, ciumento ao extremo, galinha…e a companheira não quer ver isso. Para ela é o melhor cara do mundo (que de vez em quando tem uns defeitos). Aí quem se mete no meio da situação acaba sendo visto como “a destruidora de lares”, a amiga invejosa, etc. Desculpa, mas não vou me meter nisso. Ajudo da maneira que posso, mas não estou aqui para salvar a alma de ninguém, para isso existe livre arbítrio. Também não vou me meter na briga de vizinhos, pessoas na rua, etc. Vou chamar a polícia? Sim, mas não vou me enfiar numa luta corporal com o agressor, pode ter certeza. Quero o bem dos outros, mas acima de tudo prezo pela minha vida.

  22. #41
    Cristina
    12.08.2016 - 13:01

    Caso 2:É como a Cony disse, nunca mais entre no meio dessas coisas. É problema deles. Sei que é ruim saber e não falar, mas depois pode passar a ser um problema seu, como foi o caso. Olha, para mim, a melhor maneira de você lidar com a situação agora é simplesmente fazer de conta que nada aconteceu, dê uma de “louca” mesmo, trate todos muito bem, inclusive a sogra, converse à vontade, mentalize um clima positivo, abstraia!!! Você vai ver que tudo vai mudar! Não fique imaginando o que vão pensar de você. Não interessa!

    Caso 3: Giovanna, você é tão jovem! Está com oportunidade maravilhosa! Aliás, duas: viver em outro país e viver com seu amor! Não tenha medo! Vai valer a pena de qualquer maneira! Quando quiser voltar, volte e refaça sua vida por aqui!!

    Caso 4: Miroslava, releia seu texto imaginando ser de outra pessoa. Você verá que está claríssimo! Termine e vá viver sua vida! Isso aí está doentio! Não tenha medo de terminar. Esse homem não te dá o menor valor! Já deu o que tinha que dar.

  23. #42
    Camilla
    12.08.2016 - 13:12

    Ana, eu acredito que esse “amigo” que se promoveu profissionalmente graças à sua confiança e indicação deveria ser acima de tudo GRATO. Não que ele lhe devesse algum favor em troca, mas se tivesse alguma gratidão, jamais agiria assim tão desrespeitosamente. Eu me sentiria traída sim e acho que vc se sentiu DECEPCIONADA.
    Porém, ciente de que ele é babaca, vc se livra do PESO de enxergá-lo como um amigo e parceiro e o sujeito passa a ser mais um COLEGA DE TRABALHO. Será libertador tratar as pessoas como colegas, sem esperar nada além do exercício de suas atribuições profissionais! Vc conseguirá focar no que importa – o seu trabalho – e será capaz de ter a frieza criticá-los quando faltar profissionalismo da parte deles, sempre com polidez. Vc passará a ter discernimento para notar atitudes que excedem os limites do ambiente de trabalho e deixará de se importar com atitudes que não dizem respeito A VOCÊ.
    Se não sabe como agir, eu sugeriria chegar todos os dias ao trabalho com um belo sorriso de BOM DIA sem esperar qualquer retorno. Faça o seu trabalho e também conte apenas com o profissionalismo, respeito e cordialidade de seus COLEGAS. Depois, naturalmente, o climão vai esfriar e possivelmente surgirão maiores aproximações com os COLEGAS com quem vc possa ter alguma afinidade.
    Em resumo: amigo é amigo, colega é colega e fdp é fdp.
    Beijos

  24. #43
    Fabiana
    12.08.2016 - 13:45

    Li esses dias e acho que pode ajudar na reflexao sobre o caso da Giovanna:
    http://revistatrip.uol.com.br/tpm/nina-lemos-fala-sobre-crise-trabalho-desemprego-e-estudos

  25. #44
    Loyds
    12.08.2016 - 14:27

    Concordo plenamente com a Cony, não se mete a colher mesmo. Cada uma sabe onde o sapato aperta. Fiz isso uma vez e me arrependi pelo resto da vida. A pessoa que tá num relacionamento assim só enxerga o que quer, e depois a gente fica de ruim ainda, eu heim…

  26. #45
    Laura
    12.08.2016 - 15:01

    Para a Miroslava:

    CAI FORA!!!

    Namorei com uma pessoa bem parecida com o teu namorado e posso te dizer que só piora. Eu sei que quando a gente ama alguém, tende a se apegar aos momentos bons da pessoa, pra justificar os momentos de grosseria.
    A gente não tem que ficar justificando o comportamento idiota dos outros, isso só faz mal pra gente.
    Eu sei que a gente fica com esse sentimento de que não vai achar nada melhor, mas ele não tá te dando absolutamente nada. Na verdade, está só te sugando.
    Eu acho que tu precisa ficar sozinha pra te reencontrar… ter um relacionamento com alguém dessa personalidade suga a alma.
    Aproveita a distância e corre, mas corre! E não olha pra trás!

    Beijoooooo

  27. #46
    Valéria
    12.08.2016 - 15:37

    Concordo contigo Constanza!
    Este caso é bem diferente de você ver um homem espancando, abusando verbalmente, fisicamente, etc de uma mulher. Evito “colocar a colher” no caso de fofocas, intrigas, etc, principalmente se for familiares.

    • #47
      Constanza
      13.08.2016 - 12:34

      Pois é, há casos e casos! Não pode ser radical assim…

  28. #48
    leila
    12.08.2016 - 16:14

    Caso 1 – Ana, querida, amigos, amigos, negócios à parte. O sujeito já provou e comprovou que não é seu amigo coisa nenhuma. Mas já que ele cagou com o seu ambiente de trabalho, merece uma chacoalhada. Dica prática: ensaie em frente ao espelho e anteveja as respostas mais escrotas do amiguinho para você ter presença de espírito na hora. Tudo vai ficar bem se você tomar a atitude.

    Caso 2 – Emanuelle, tempo ao tempo. Você aprendeu com a lição, nunca mais se meta. Eu já me meti num caso semelhante e perdi a amizade e, quer saber? Não era tão amiga assim, depois descobri que a fulaninha me detonava… enfim, atritos familiares devem ser tratados com muita sensibilidade porque você tem a intenção de conviver com essas pessoas forever. Contemporize e se distancie. Depois, tem o seguinte: se o seu cunhado bota chifres na namorada, é porque esse namoro “pode ser” que não dê certo. Daqui a pouco ele está com outra e tudo passa.

    Caso 3 – Giovana, você é muito nova, acredite. Vai com fé. No mínimo, você vai aprender uma nova língua (te garanto que em 5 meses você já estará dominando, se tiver alguma base), vai ter vivência no exterior e história pra contar. Você ainda é muito nova e aproveita que não está amarrada em nada (filhos, família, emprego).

    Caso 4 – Miroslava, desculpa, mas já demorou demais pra chutar a bunda do namorado. Minha filha, eu com 25 anos, emprego em outra cidade, g-zuis, tava aproveitando a vida até não poder mais. Vai viver e ser feliz. Ficar solteira também é muito bom.

  29. #49
    Lulu
    12.08.2016 - 16:21

    Moça do caso 1: Seu amigo não é seu amigo de verdade. Isso não é ser amigo. Tb acho q ele merece ouvir umas poucas e boas, aliás, eu não conseguiria somente me distanciar sem falar umas verdades, mas isso é de mim. Sou muito transparente e logo a pessoa percebe q não to normal e aí tenho q falar mesmo. Qto ao climão q deve estar aí no seu emprego, sei q é difícil mas pensa q vc ta aí pra trabalhar e não pra fazer amizade. Espero q isso te ajude até essa fase passar.

    Moça do caso 2: Já contei pra uma amiga q tinha visto o namorado dela numa balada. Na época contei pq eu tinha na cabeça q se fosse cmg, eu gostaria q fizessem o mesmo. Porém, essa minha amiga foi tirar satisfação com o namorado, falou q eu q tinha contado, ele negou até a morte, ela acabou acreditando nele e ficando com raiva de mim, até parou de falar cmg, como se eu tivesse algum interesse em faze-los brigar. Enfiei na minha cabeça q nunca mais faria isso, mesmo q eu visse alguém aprontando coisa muito pior. E nunca mais falei mesmo. Depois de um tempo de amizade abalada, voltamos a nos falar e sermos amigas. Eles se casaram, e há uns anos atrás eu o vi numa outra balada. Fingiu q não me viu e eu fiz o mesmo. Se ela ficou sabendo, não foi por mim. Eu entendo suas intenções qdo contou pra ela da outra moça, afinal vcs são amigas. Mas ela não foi sua amiga qdo deixou seu nome escapar sobre esse assunto, ainda mais numa situação dessas q envolve a família dos namorados. Algumas pessoas não sabem ser gratas pelo q fazemos por elas.

    Moça do caso 3: Faço minhas as palavras da Cony. Morar fora só somará boas experiencias à sua vida. E eu não me importaria de ter uma profissão mais humilde se fosse melhor valorizada, mesmo sendo graduada em outra profissão.

    Moça do caso 4: Já estive numa situação parecida. Namorei por 3 anos e meio um cara q no começo era gentil, sensível, companheiro mas q com o tempo se revelou extremamente machista e estúpido cmg. Não me respeitava como mulher, só me criticava e chegou a me mandar calar a boca na frente dos nossos amigos. Eu não conseguia terminar pois achava q já estávamos juntos há tanto tempo e eu tinha me distanciado das minhas amigas, se terminasse ficaria solitária, sem amigos, sozinha no mundo a chorar pelos cantos. Hj vejo qto tempo perdi com isso. Terminamos por outros motivos. 3 meses depois comecei a namorar meu atual marido q não se compara ao outro. Tem defeitos sim, mas não chegam nem perto das coisas q o outro me fazia passar. Vc só citou motivos pra terminar. Dá logo um basta nisso pra sua vida andar, como a minha andou. Certeza q vc vai encontrar alguém q realmente te mereça e te respeite como mulher.

    Espero ter ajudado a todas.
    Bjos

  30. #50
    Aline
    12.08.2016 - 16:52

    Caso 1 – Ana
    Nesse caso, eu não falaria é nada. Sei que dá muita vontade de falar a real, esclarecer a situação, mas tem coisas que não valem a pena.
    Eu sou uma pessoa muito clara e não gosto de nhe nhe nhe, gosto de jogar limpo e não ficar de “casinho”, mas nem todo mundo é assim. Esse seu amigo demonstrou não ser assim pela atitude que você descreveu. E quando você percebe que uma pessoa é duas caras, não vale a pena querer acertar as coisas. Pra mim, você descobriu o que esse cara sempre foi: um babaca. No seu caso, eu prefereria perder o amigo, a piada, e se realmente for necessário, se afaste dos outros amigos que estão apoiando ele também. Posso ser tachada de rancorosa, que levo as coisas a ferro e fogo e etc, mas não ligo, comigo é 8 ou 80, e esse tipo de atitude eu posso até perdoar, mas não consigo continuar convivendo como se não tivesse acontecido, pois vou ficar lembrando sempre. Vai ser feliz amiga, e deixa esses bobinhos pra lá!

    • #51
      Aline
      15.08.2016 - 13:23

      Eu concordo com você, xará! Além do mais este cara já mostrou que sabe manipular pessoas de forma a ser o “senhor da razão”. Se você partir para cima dele é bem provável que ele piore ainda mais a situação e coloque seu emprego em risco. Infelizmente (ou melhor, felizmente) é reconhecer que este cara nunca foi um amigo de verdade e se afastar. Quando a gente se afasta de pessoas complicadas e de caráter duvidoso tudo melhora!

  31. #52
    Taiza
    12.08.2016 - 19:55

    Giovanna, vá!
    A não ser que vc tenha um emprego estável aqui, um concurso, aí vc pensa melhor. Caso contrário, vá! Recém formado a gente ganha pouco geralmente, mesmo q vc vá pra começar do zero, vale a pena tendo em vista que ele já tem emprego lá.

  32. #53
    Taiza
    12.08.2016 - 19:57

    Miroslava, a impressão é que vc acabou voltando com o ex porque os outros rolos não deram em nada, ou porque vc não queria ficar sozinha. Meu, leia o que vc escreveu. O cara é um casca grossa, insensível, vc mesma relatou isso. Por que cargas d’água uma mulher se submeteria a ficar com um cara desses?

  33. #54
    Renata
    13.08.2016 - 23:46

    Caso 01: Vida profissional e amigos não combinam, eu já comecei amizades e terminei amizades. Somos seres competitivos e talvez algo que não aconteceu, sintetize uma guerra de braço. Se afasta e tenta se manter em um espaço onde você se mostre profissional, cordial e equilibrada. Nada alem disso.

    Caso 02: Essas coisas são complicadas e tem pessoas e pessoas. Fica na sua, que o tempo cura. E Sim, acho que em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher. Somos seres diferentes e o que é inaceitável para um, é totalmente liberado por outro. O amor cega as pessoas, falo por experiencia própria.

    Caso 03: Quer ajuda para arrumar as malas? To aqui!rsrsrsr

    Caso 04: O que te prende a ele ainda? Acho que quando temos dúvidas, é porque já acabou e estamos tentando fazer que o relacionamento não seja promovido para a linha de amores fracassados. Comodismo, medo, auto estima baixa. Mulher, aprenda uma coisa: A vida é curta para ficarmos presas em algo marromenos. Se liberta e se curta, você estando bem com você, atrairá pessoas boas.

    Bjs

  34. #55
    Cristina
    15.08.2016 - 10:19

    1º caso- Esse cara nunca foi seu amigo, acho que não deve conversar com ele não vale a pena! Nada vai retirar o que fez, debochar de você pelas costas… O caminho é ignorar e ponto.

    2º caso- Sobre a cunhada que dedurou o cunhado… A família do seu namorado bem que devia entender que vocês são amigas, mas é difícil se tratando de um parente… Não fez nada absurdo, mas não devia ter contado para sua amiga, pois além de ser amiga dela, é de certa forma, amiga ou muito próxima da família dele. Resumindo ficar neutra é a melhor opção, bem diferente se fosse uma irmã, uma amiga de umas das partes… Acho que deve ficar na sua mesmo, mas nada de pedir desculpa ou ficar tentando agradar eles.E é em briga de marido e mulher, para mim, devemos nos meter quando os atos alcançam uma esfera criminal… Não só agressão física, mas moral muito forte!

    3º- Esse seu namorado é um babaca e INSEGURO! Homens inseguros adoram colocar a parceira para baixo, para se sentir superior, no fundo sabem que são desprezíveis…Você sabe de tudo, só não tem força para sair… Pra você indico distanciamento total desse cara (pesquise sobre a TEORIA DO DESAPAIXONAMENTO, do Ailton Amélio) e terapia para ganhar auto estima e segurança, não só para esse caso, para sua vida!

    4°- Se joga, hoje tava pensando hoje não ter essa experiência de morar no exterior na época da faculdade ou recém saída da faculdade! Hoje não dá mais! Só se forme antes, um diploma é segurança!

Comente