08
Nov 2014
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Não podia deixar a semana passar sem publicar esta tag. Fico meio desesperada querendo dar resposta logo, pois imagino como vários coraçõezinhos (é assim que escreve?) devem estar ansiosos esperando uma palavra amiga para um momento difícil.

Vamos com o pedido de ajuda da Adriana??

“Eu sou uma daquelas que já se beneficiou várias vezes com os posts do coração aqui do Fufu. Até pensei, ah…vou falar de novo sobre isso. Mas como a mãe de uma amiga disse: a gente fala do que o coração tá cheio.

Eu sofri um baque muito grande na vida, uma dor que não tem nome. Tive meu primeiro namorado, que foi meu primeiro em tudo, uma pessoa por quem eu movia o meu mundo, sabe? A gente ia casar, estavam faltando 6 meses pra tudo de consumar. Já tínhamos comprado casa, eu estava vendo tudo da festa, nossa, convite, doces, tudo, tudo. E esse tipo de coisa marca a gente de uma forma que é inexplicável. Principalmente depois de ter sido traída, e todo mundo ficar sabendo disso antes de mim. Ah, tá, você vai dizer, acontece com todo mundo uma vez na vida. Mas dentre o “todo mundo” que falei ali, estão os meus pais. Sim, eles viram pelo Facebook e me falaram. Imagina a humilhação. Fora as mais ou menos 600 pessoas que trabalhavam comigo, e como ele trabalhava no mesmo lugar, T-O-D-O mundo soube. Você não sabe o que são olhares de pena…são pequenos peixinhos minúsculos sob a sua pele, te comendo por dentro. Sério.

E depois de um mês, ele assume tudo no Facebook, coloca em letras garrafais que está vivendo o melhor momento da vida dele, e casa com a mulher. CASA. E depois de um tempo, tem um par de filhas com ela. Sim, gêmeas. Óbvio que ele estava com ela, e devia ser há muito tempo…já deviam estar rindo de mim, falando de mim, judiando dos meus sentimentos.

Olha, tem um tempão que isso aconteceu. Anos na verdade. E fico me perguntando por quê ainda não deixei isso pra trás. Não consigo me envolver com ninguém, tenho medo de tudo, e hoje, focada no meu trabalho e meus estudos, fico tão pouco à vontade pra olhar, paquerar, seduzir – tudo o que fazia antes de conhecer o maledeto. Tudo antes de me sentir preterida, humilhada, e dolorosamente olhar pra mim e minar minha auto estima com vários dizeres: “Ah, ela tem peitão e eu não tenho”, ou “Ah, ela tem um corpão e eu tô gordinha, por isso que aconteceu”, ou “Ela deve ser sinistrona na cama”, ou “Ela é loira e eu sou pretinha, claro que ele ia escolhê-la”, ou qualquer outra bomba atômica pra minha auto estima.

Eu tento pensar que talvez ele não estivesse feliz, e tudo bem, estamos fadados a isso. Pode acontecer! Não sou perfeita, e talvez não estivesse mesmo fazendo ele feliz. Ela certamente tem algo que eu não podia oferecer. E tudo bem. E certamente ele tinha que procurar a própria felicidade, mas precisava ser desse jeito, me humilhando tanto, a ponto de estragar o meu coração? Sinto isso mesmo. Algo estragado dentro de mim. E não consigo melhorar isso.

Fui tão honesta, tão puro e sincero o meu sentimento, que minha pergunta é: Por que isso aconteceu comigo? Por que tive que ver meus pais sofrerem tanto? Me pergunto o que fiz pra merecer isso, e na boa, sem querer me vitimizar na história (existe esse verbo?) mas fico vendo a vida passar, sem muita perspectiva, e minha cabeça sabe o que tenho que fazer. Sim, no meio desse turbilhão emotivo, me tornei uma pessoa crítica – principalmente sobre mim. Sei que tenho que me permitir, abrir meu coração, conhecer outras pessoas… como li uma vez num livro, onde um dos personagens fala que o outro precisa sair, e o outro diz que não e então ele fala: “Não são estranhos…são apenas amigos que você ainda não conheceu.”

Sei que tem alguém aí fora, mas não consigo me livrar dessa síndrome da princesa da Disney, esperando o cara que vai me fazer esquecer isso tudo. EU SEI que sou eu que tenho que esquecer antes, mas não sei como começar.

Por isso escrevi.

Porque quero começar. De verdade. Juro mesmo, do fundo do meu coração. Tô cansada de chorar por isso, de sentir medo e de não me permitir…mas não sei o que fazer.

Me ajuda?¨

Adriana, estou sem palavras. Estou triste com sua tristeza e sinceramente acho que um abraço seria mais eficaz do que qualquer coisa que eu conseguir falar aqui. Você precisa de carinho, de colo, de amigas, de elogios, de gente que te faça sorrir. Grandíssimo FDP esse cara e provavelmente um dia também decepcionará a outra mas sabe de uma coisa? Isso não te pertence mais. O que acontece na vida dele agora, é problema dele e de quem o cerca. Você tem uma ferida grande, uma tristeza, uma mágoa e precisa virar a página. Foi feio? Foi. Foi humilhante? Sim, foi… O pior para mim é o sofrimento causado aos seus pais, pois com nossos pais não se brinca. E sabe como você vai deixa-los felizes? Sendo feliz. Se realizando, se divertindo, aproveitando a vida. Você não fez nada para merecer isso, quem um dia sofrerá as conseqüências será ele, mas novamente, esse não é ponto. O foco é você, seu bem estar, sua volta por cima. Passe por cima dos seus medos, se desafie, veja que você consegue ir muito além do que pensa. Não espere nada de ninguém, não pense que o primeiro que aparecer será o homem da sua vida, apenas se divirta. As coisas acontecem aos poucos, e quando você menos esperar, estará inteira novamente mas VOCÊ TEM QUE SE PERMITIR! Pare de ficar se vitimizando. Passou, já tem anos, já está na hora de levantar essa cabeça e seguir em frente. Não se compare com ninguém, todos somos únicos e não é um par de peitos grandes ou kgs na balança que vão te fazer mais ou menos mulher que outras. Não espere o cara aparecer, nada cai do céu. Dê uma chance para sua vida e saia atrás do que acredita. Se precisar de terapia, faça. Mas faça já. Te vejo muuuuuuuito magoada e com uma tristeza enorme e isso pode afastar as pessoas. Não deixe isso te consumir!

boas-coisas-acontecem

Ufa… que dificil o caso da Adriana né?? Mas o da Janaína está tão punk quanto…

“Oi Conita! Esses dias estava passando por uma situação muito mal, então vi teu post e resolvi lhe escrever, deixa me apresentar então.

Meu nome é *Janaína, tenho 22 anos e moro com meus pais. Sou adotada e tenho uma irmã que é filha deles. Minha mãe não me trata como filha, dá tudo do bom e do melhor pra ela e pra mim nada. No momento sou estagiária e o dinheiro que eu ganho tenho que separar para passagem da faculdade, do trabalho (pois não dão vale transporte) e pago algumas contas. Resultado: sobra nenhuma agulha e as vezes que peço alguma coisa pra minha mãe ela fala que eu tenho dinheiro. Há muita distinção entre nós, a minha irmã ganha curso de inglês, viagens, cirurgia plástica, academia, aparelhos eletrônicos caros etc; e quando chega a minha vez minha mãe diz que não tem dinheiro. Estou precisando de um armário para colocar minhas roupas e ela simplesmente me deu um armário antigo do meu avô todo manchado e eu nada. Poxa sou uma filha ótima, dou ótimos rendimentos, trabalho, estudo à noite, nunca fiquei de gandaia e nem na rua altas horas com amigas ou garotos, não fumo, não bebo, não uso drogas. Enfim, quando falo para o meu pai ele não faz nada, minha irmã gasta uma nota no cartão dele e ele não fala nada, até meu namorado nota a diferença de como ela é tratada. Eu estou surrando Cony, me ajuda a superar isso, o que eu tenho que fazer para essa distinção acabar ou não rs. Desculpa pelo desabafo. E obrigada por tudo, sou fã do seu trabalho e adoro quando chega sexta pelo post dos achados das leitoras. Sou uma leitora assídua, porém não costumo comentar, agora já me conheces. Beijos Te Adoro e sucesso querida.”

Jana Jana, que situação complicada menina! Não entendo isso de pais adotarem e tratarem os filhos diferentes. Filho é filho, e acho até que deveria ter um cuidado especial com o filho adotado justamente para ele em NENHUM MOMENTO se sentir diferente dos outros, ou alguém fora da família. A única coisa que posso te aconselhar é que você chame seus pais para uma franca conversa e fale tudo o que está sentindo. Não sei se sempre foi assim ou se aconteceu algo para isso ocorrer mas tente conversar com eles. Seja clara em relação aos seus sentimentos, mas fale tudo com muita calma e tranquilidade. Boa sorte tá?

4a2b7fd92c3ac2c62dd7328cd814008a

Agora vamos para uma história feliz e de superação? Adorei o mail da Dani, acho que serve de incentivo para muitas mulheres!

“Oi Cony, boa tarde tudo bem?? Te adoro muito, seu blog e vc como pessoa!

O que vou contar hoje já é uma história do coração superada, mas se servir, ficarei feliz e pode divulgar meu nome, não tem problema.

Eu tenho 31 anos e duas filhas lindas que amo muito. Meu relacionamento acabou em 2011 e o Futilish e você me ajudaram muito. Fiquei anos em um uma relação e acabou e quando acabou me senti perdida, sem chão, sem saber como recomeçar, me sentindo mal, sofri horrores.

Mas com o tempo (o tempo ajuda muito), fui  me reerguendo, recomecei a sair, aos poucos, e com o querido tempo aprendi a me amar sozinha. Comecei a fazer programas sozinha, cinema, jantar, fui reencontrando amigas… Já gostava de treinar, mas intensifiquei ainda mais a malhação e aprendi a me amar, sem ser dependente de alguém. Curtia minha vida com minhas filhas etc…

Mas lá no fundinho da cabeça sempre batia aquele pensamento: um dia quero um namorado, quero curtir tudo que não curti nessa vida, porque até hoje só tinha cuidado de criança e casa kkkkk e pensava também: quem vai querer namorar uma mulher com 2 filhas?? Eu mesma tinha esse tipo de preconceito comigo mesma ainda mais pelo fato de morar numa cidade pequena e os homens ou melhor, moleques só se aproximavam sabe pra que né? Sei que sou grandona, chamo atenção e isso me entristecia muito. Mas como disse, aprendi ser feliz sozinha, comigo mesma, com meus programas e não admitiria ninguém mais me fazendo mal!

Porém, num lindo dia de verão, conheci meu atual namorado na academia, onde sempre treinei e nunca tive olhos pra ninguém. Entrou um aluno novo e desde o momento que o vi, sabia que era o amor da minha vida…

Sempre digo que já era feliz, pois tinha aprendido ser feliz sozinha, sem um companheiro, porém, hj sou mais feliz porque ele me complementa!!!

Hj sou mais madura, mulher, vivo feliz numa relação saudável e se hj sou o que sou, foi graças a esses dois anos sozinha, sem relacionamentos e em um auto conhecimento incrível! Sofrer é ruim demais, porém quando saímos disso… saímos fortes e com uma vontade imensa de ser feliz!! Meu conselho é: tentem fazer programas que gostem, coisas que nunca fizeram antes, cuidem da sua aparência e sejam felizes com vocês mesmas!! Tudo tem hora certa!! Creio muito nisso!! Bjoss”

Dani você não imagina como fico feliz ao ler casos como o seu! Eu também ficaria aterrorizada, ainda mais pelo fato de ter duas filhas, mas você foi sábia e paciente e está mais linda do que nunca. E sim pessoas, ela tem UM CORPÃO que pelamordedeus! Você está certíssima, a gente nunca pode se abandonar! Amor próprio é tudo, por isso bato tanto na tecla da vaidade. Gente, se amar e gostar do que a gente vê no espelho é maravilhoso e te dá força e segurança para peitar qualquer situação! Beijos e obrigada!

5511198fadfd17c790f724b684c767fe

  • Hoje o Chora que Eu Te Escuto está bem eclético: um caso de amor, um de família e uma linda história de superação. Falta pouco para eu liberar o segundo chamado para emails hein!!! 
  • Agora é com vocês! Como ajudariam a Adriana e a Janaína?
115 Comentários
  1. #1
    Thaís
    08.11.2014 - 14:05

    Cony, parabéns pela iniciativa!! Olha, fiquei com um nó na garganta ao ler o caso da Adriana, acho que ela pode (deve) se inspirar na Dani, é um BELO exemplo de superação. Eu tbm bato na tecla da vaidade, se cuide muito, se ame muito, que qdo vc perceber, já vai estar achando que era/é muito para aquele idiota!

    • #2
      elenice
      10.11.2014 - 09:17

      tbm concordo, ja levei muitas rasteiras da vida, sempre tive dedo pobre p relacionamentos, pois somente aos 30 anos encontrei um homem, leal, honesto e fiel, mas vejo vejo com bons olhos o que aconteceu comigo, pois hj dou valor na pessoa q esta ao meu lado, entao Adriana, cabeça erguida, pois vc se livrou de uma mala sem alça q iria te fazer sofrer a vida toda,e por experiencia propria vai aparecer alguem a sua altura…

  2. #3
    Jade
    08.11.2014 - 14:29

    Não sei se é ingenuidade minha, mas será que esses homens não sentem remorso por causar mal para uma pessoa que conviveram durante tanto tempo?
    Não só para a outra pessoa, mas para a familia que também deve ter sofrido junto. Deus me livre.
    Adriana, o que começa na safadeza termina na safadeza!
    Beijos, fique bem!!

  3. #4
    Mariana
    08.11.2014 - 14:47

    Janaina*
    Nao sou adotiva, mas um dia perguntei porque eu ganhava menos coisas que minhas irmãs. Coloquei que não era justo, porque eu tirava notas boas, trabalhava, comprava minhas coisas sozinha, etc, A resposta foi que eu não ganhava porque eu não conseguia e, que pode ter certeza é muito dói muito para o pai/mãe sempre ter que dar te tudo para os filhos porque um dia vão faltar. Conversa com a sua mãe flor!

    • #5
      MaH
      10.11.2014 - 17:00

      Li em algum comentário uma menina que diz que sentia a mesma coisa e ao conversar com os pais, percebeu que ganhava menos porque era capaz de conseguir sozinha tudo aquilo… E me identifiquei tanto! Na verdade não eu, porque graças a Deus, apesar de todos os meus problemas familiares, meus pais sempre souberam dividir o amor entre os 3 filhos e eu nunca me senti preterida em nenhum momento. Mas vivo isso com meu marido… Ele é trabalhador pra caramba, tem uma vida boa, porém com muito esforço! Já o irmão, sempre foi preguiçoso e não gosta de trabalhar… A mãe passou a vida toda dando absolutamente tudo pro irmão e nada pro meu marido. Mas conseguimos enxergar que é justamente isso – ela acha que o irmão do meu marido é incapaz de conseguir sozinho, o que definitivamente não acontece com meu marido! Então, tente conversar com os seus pais, talvez a sua visão das coisas seja um pouco diferente da deles. E pense, apesar de tudo, você foi escolhida por eles e com certeza eles tem muito amor por vc!

  4. #6
    Mariana
    08.11.2014 - 14:49

    Correção eu não ganhava porque eu conseguia

  5. #7
    Fernanda
    08.11.2014 - 14:49

    Ai Jesus que difícil… Bom. Adriana me desculpe, mas esse cara é um baita FDP mesmo. Será que não foi melhor assim? Já pensou depois de anos de casada, todos os dias dedicados para aquela pessoa e descobrir uma coisa dessas? Não encare mais isso como uma desilusão. Afinal já se passaram anos e essa fase já deveria ter passado também. Está na hora de encarar isso como experiência e crescer como mulher. Faça programas de mulherzinha. Vá ao salão, faça as unhas , o cabelo, fique cheirosa, vá ao shopping, cinema, saia com as amigas, pessoas de alto astral, faça um curso, volte a estudar ( você sempre conhece alguém interessante) e quando alguém tocar no assunto nem deixe continuar e dê um beijinho no ombro amiga! Você vai ver que aos poucos as coisas vão melhorando e você vai sair dessa poderosa! Caso embarque em outro relacionamento, coloque você como prioridade sempre. Não abandone seus programas de mulherzinha. Todos precisam de um dia seu. Daí você pensa: ah, mas aí ele também terá um dia dele… Ótimo! Eu penso da seguinte forma. Quem ama cuida. Não aprisiona. Passarinho bem tratado,quando solto sempre volta. E se não voltar ele tem muito mais a perder do que eu!

    Janaina querida! O seu problema é punk mesmo! Eu penso como a Cony. Converse com eles. Seja franca. Mostre como você se sente e como gostaria que fosse (é importante mostrar o caminho). Diga que não se trata dos investimentos que eles fazem na sua irmã. Mas sim na diferença de tratamento e que você gostaria de ter as mesmas oportunidades que ela. Boa sorte!

  6. #8
    Luiza
    08.11.2014 - 14:58

    Janaina, preciso te responder.

    Veja bem, PRECISO responder porque eu realmente posso imaginar o que você sente. Eu não sou adotada, mas eu fui uma filha aleatória para meu pai e para minha mãe tambem, ele e minha mãe não foram casados nem nada. Só que minha mãe cuida de mim, e ele simplesmente não dá a minima para mim. Ele me dá apenas a pensão determinada judicialmente que não é grande coisa. Para vc ter noção só fui conhecer meus irmãos aos 15 anos, e não conheço quase ninguem da familia. Fui e sou completamente ignorada. Minha mãe ganha pouco e ele muito. No entanto, ele dá muito mais para meus irmãos, até os do primeiro casamento dele, do que pra mim. Sendo que eu sou super estudiosa, faço faculdade federal (já não dou essa despesa), estagio, não bebo nem nada, sempre fui super tranquila.

    Seus pais te escolheram, escolheram te adotar, é realmente absurdo que agora façam isso. Nosso caso é diferente nesse aspecto, eu não fui nem um pouco desejada ao contrário de você.

    No entanto eu sei exatamente como é se sentir injustiçada, quando um dos pais trata os filhos com total desigualdade. Dói, muito. Você fica se perguntando o porque, e achando até que não é amável. Mas eu acredito em você, você pode não ser perfeita mas não tem nada de errado com você. Algumas pessoas realmente são assim.

    E eu sofri muito, desde criança.
    Sei que a Cony te deu o conselho de conversar, e apoio. Mas imagino que você a essa altura já tenha conversado. Se não conversou, converse. Eu já tentei mil conversas, e como nada mudou resolvi ACEITAR. E me esforçar mais ainda pra ter minha INDEPENDENCIA. Entendi que eu tinha que tomar mesmo as rédeas da minha vida porque eu não tinha ninguém pra segurar minha onda quando eu precisasse. Como te falei minha mãe ganha pouco, e eu ainda tenho que me preocupar com o futuro dela também.

    Sinceramente, aceitar foi LIBERTADOR, porque você sai do papel de vitima, e se coloca em ação para melhorar sua própria vida, ao invés de sofrer a cada vez que acontece alguma demonstração da diferença com que você é tratada. Eu amo meu pai, mas é o jeito dele, e eu já tentei por muitos anos e não consegui mudar, então só me resta aceitar.

    Espero ter ajudado. Fique bem.

    • #9
      Malani
      09.11.2014 - 18:31

      Muito bem colocado! Aceitar e se libertar é o que vai abrir caminhos!

    • #10
      Nathi
      10.11.2014 - 16:43

      Janaína, já passei por uma situação semelhante à sua e a da Luíza e o que ela disse sobre aceitar e superar é bem verdade.

      No meu caso, além de claramente ser a filha mais preterida era também maltratada.

      Não tive nenhum contato com a família do meu pai até os meus 12 anos, quando minha mãe perdeu minha guardar e fui delicadamente obrigada a ir morar com ele.

      Só pra vocês terem noção do que eu passei: quando tinha alguma reunião de família, ou não me avisavam do evento ou diziam claramente que eu não iria. Levavam minhas irmãs e eu tinha que ficar em casa sozinha.

      Se eles chegassem em casa e eu estivesse na sala assistindo televisão, meu pai logo soltava um “quando os gatos saem os ratos fazem a festa”.

      Muitas foram as vezes em que minha chave “sumia” e eu ficava trancada fora de casa até alguém ter a boa vontade de abrir a porta pra mim.

      Teve uma vez, pasmem, que eu estava jantando, tiraram o prato de comida da minha frente e jogaram tudo no lixo.

      Não conversei. Não valia a pena. Conversa nenhuma poderia resgatar ou criar um amor entre pai e filha.

      Ele não estava nem aí pra mim. Por mais que eu me esforçasse em mostrar que eu era uma boa filha, comportada, respeitosa, que tirava boas notas na escola, que não bebia ou se envolvia com baderneiros. Nada adiantava.

      Quanto mais eu corria atrás de carinho e atenção, mais era humilhada.

      A reviravolta aconteceu assim que terminei o ensino médio.
      Comecei a trabalhar e consegui uma bolsa em uma universidade particular de renome. Encarei a faculdade sozinha, bancando todas as minhas despesas e ralando muito.

      Estou cursando o 10° semestre do curso de Direito, já passei na OAB, estou trabalhando em um escritório como estagiária e serei contratada assim que pegar a carteira profissional (em março!!).

      Hoje, quando participo de alguma reunião em família, meu pai enche o peito pra falar pros meus tios que agora temos uma advogada na família. Hahaha!

      Gente, o mundo dá voltas! E como dá.

      Aconselho você a tentar se superar cada vez mais, a buscar sua total independência, mostrar a seus pais que quem está perdendo são eles.

      Dói ser preterida? Sim, muito. Mas, como algumas leitoras disseram aqui nos comentários, essa situação vai te tornar uma pessoa bem mais independente e sucedida que a sua irmã.

      Eu sofri muito. Chorei muito, muito, muito nessa minha vida. Mas usei todas as situações difíceis a meu favor, usei-as como combustível para alcançar todos os meus sonhos.

      E, por fim, perdoe seus pais. Não sei o que leva eles a te tratarem assim, mas libere o perdão e não guarde mágoas. Sentimentos ruins te corroem por dentro e não causam nem cócegas nos outros. A única prejudicada é você!

      Fica bem!

      Beijos!

  7. #11
    Maira
    08.11.2014 - 15:38

    Eita que essa tag é tudo de bom…rs

    Já tinha lido os outros depoimentos mas sempre deixei pra depois pra comentar e quando voltava aqui, já era…mas vamos lá…de repente com o meu depoimento (e das outras meninas), essas garotas lindonas consigam dar a volta por cima.

    Então; vou começar pela Adriana.

    Dri lindona, quando a gente está vendo tudo de uma outra perspectiva é muito mais fácil dar pitaco na vida alheia, mas de repente com esses tais pitacos, a pessoa envolvida consiga tirar alguma coisa legal.

    Olha; já fui traída e sei que é de partir o coração, é uma dor que parece que vai durar eternamente. Na verdade quando estamos num relacionamento a gente sempre acaba esperando muito do outro e apostamos todas as fichas, o que lógico é até compressível, ainda mais na sua situação; afinal, já estava com tudo praticamente pronto pra casar. Ele foi uma tremendo FDP? Foiiiiiiiiiiiiiii, e foi um daqueles bem grandes viu, o que ele fez é imperdoável e inexplicável, mas inexplicável Dri é como você tem deixado a vida passar por você.

    Menina do céu, acorda pra vida, saia desse “buraco” que você entrou e tome a sua vida de volta, quem vive de passado é museu, até quando você vai deixar que a vida passe por você e você a veja só de camarote? Sacode a poeira e levanta mulher, dê uma chance pra você e para as pessoas, tá cheio de gente legal aí fora, retorne as suas antigas amizades, saia mais, viaje, conheça pessoas, dê chance das pessoas chegarem até você, e se de repente essa pessoa não valer a pena, não desanime. Viver “sozinha” não é o fim do mundo, fim do mundo é viver “sozinha” num relacionamento e se contentar com isso.

    Queira mais pra sua vida e tente visualizá-la futuramente, levanta, sacode a poeira, a vida tá aí fora e ela passa a jato mulher, o ano já tá praticamente no fim e você ainda tá remoendo uma história de anos atrás. Que esse FDP seja feliz com as escolhas dele, mas desejo que você também seja feliz com as suas escolhas, aliás; muitoooooooooooooo feliz.

    Janaínaaaaaaaaaaaa, mulher do céu, fiquei muito triste com o seu depoimento porque já passei por isso e eu sofria muito em ser sempre a deixada de lado, tá certo que o meu caso é menos complicado porque eu não fui adotada, mas foi um lance que me magoava pra caramba.

    Vou resumir a minha história só pra você entender…então, meus pais se separaram e eu era bem novinha, tão novinha que nem lembro a minha idade. Minha mãe por falta de condições financeiras de se manter e nos manter no Brasil, foi embora pros EUA pra nos dar uma vida melhor e lá ela ficou por 14 anos e durante esse tempo eu sempre fui a deixada de lado, tenho mais dois irmão e a mais nova. Teve uma época que eu já maiorzinha, tomei conta da grana que ela mandava pra despesas da casa e outras contas, sempre que ela pedia alguma coisa, era com grosseria, sempre reclamava da maneira que eu conduzia as coisas e o tratamento com os meus irmãos era diferente. Um dia resolvi dar o grito da liberdade, mandei uma carta pra ela (nessa época ainda se mandava cartas…rs), e nessa carta coloquei pra fora tudo o que me magoava, a maneira que eu queria ser tratada e o que eu pensava a respeito dela.

    Tô te contando isso Janaína, porque essa foi a melhor coisa que fiz, senti que tirei um peso dos meus ombros, pq fui honesta comigo mesma e com a minha mãe. Assim que ela recebeu a carta, ela me ligou aos prantos pedindo perdão pela maneira como me tratou e disse que nunca fez por mal e que não sabia que eu me sentia daquela maneira.

    Então; sente, abra o seu coração, converse com a sua mãe abertamente, mostre a ela como ela tem agido com você e de como você quer ser tratada, deixe que ela exponha a opinião dela, de repente ela também nem tem a intenção de te tratar dessa maneira e o faz, sem perceber, mas não guarde pra você esse problema que a tem deixado tão infeliz.

    Dani…só uma palavra pra você mulher…PARABÉNS!!!!!!!!!!!!

    Então é isso meninas, desculpe pelo texto longo, mas espero de coração que vocês consigam resolver esses problemas e brigadaaaaaaaaaaaaa Cony por abrir a sua “casa” pra gente dar pitaco na vida dos outros…rs

    Bjocas

  8. #12
    Isabela
    08.11.2014 - 15:42

    Janaina, sei como é! Sou a primeira filha do meu pai, fui fruto de uma aventura que ele teve enquanto estava casado (só aí já da pra imaginar…). Ele vive uma vida de rei, e as outras filhas também, pra mim só sobra a pensão que minha mãe buscou na justiça pra mim. Infelizmente a unica coisa que posso te dizer é estude e se torne independente ( eu estou fazendo isso). Se conseguir não guardar magoas deles melhor ainda, eu infelizmente guardo do meu pai.

  9. #13
    Carol
    08.11.2014 - 16:46

    Adriana: já passei por algo parecido (só não teve um noivado) e foi uma traição que todo mundo ficou sabendo, e ele se casou com a menina 3 meses depois e colocou no Orkut. Na época eu não procurei uma terapia e me arrependo. Faz muito bem e vale a pena! Eu sofri demais e senti essa pena dos outros, o que é horrível… O que me fez acordar pra vida, foi ter contado essa história, uns 6 meses depois, pra uma pessoa e ela me disse: “E daí? Por que você ainda não superou?”. E, então, ela me contou que ela descobriu que o ex-marido estava com outra, enquanto sentia as dores do parto, pq ele estava sumido na noite. E aí uma mulher atendeu o celular e contou a história deles. E ela concluiu, me dizendo que essas coisas, simplesmente, ACONTECEM e que ela tocou o barco e estava feliz! Não gostei de ouvir na hora, achei que ela devia ser insensível, mas depois agradeci. E fui ser feliz tb!
    É como a Luiza falou acima: A gente tem que aceitar. É duro, mas depois que eu aceitei que eu passei por isso, eu desencanei. Não dá pra ficar pensando: por que aconteceu justamente comigo??? Aconteceu! O cara é um FDP! Você não tem culpa dele ser um mau caráter. O mais importante é você SE PERDOAR por ter gostado dele.
    E agradeça por vocês não terem casado, pq ele não ia se tornar outra pessoa. Eu acho que você foi, de certa forma, “salva” de ainda estar com esse canalha. E se ele deu várias pistas que não prestava e você não queria notar? Aí, seu anjo da guarda teve que tirar ele do seu caminho dessa forma, mesmo! O meu ex, mesmo, era super grosso e me tratava mal, não sei pq não terminei antes! Aliás, eu sei: porque eu não me amava.
    Confesso que não é assim fácil, não é de um dia para outro: mas decidi que eu precisava cuidar de mim e isso se faz todos os dias!
    Mas minha vontade de te escrever (espero que você leia) é que existe o risco de se manter no mesmo padrão de relacionamento (depois, na terapia descobri isso). Cuide de você e procure uma terapia, sim! Beijos, garota!

  10. #14
    Paula
    08.11.2014 - 17:02

    Adriana,

    Não se sinta humilhada ou diminuída. Seu único erro, foi confiar em alguém que não merecia… Você não fez nada de errado! Este homem é que tem motivo para sentir vergonha de tamanha ausência de caráter.

    Espero que você consiga virar a pagina.

  11. #15
    Carol Vilella
    08.11.2014 - 17:07

    tbm sou adotiva, só que mto mimada por toda família. li o post e lembrei da minha prima que não é tratada como igual, e as comparações entre nós. aliás nem todos estão prontos para adotar. se a conversa com seus pais não adiantar, siga sua vida, entenda que a distinção não é normal mas que pode acontecer, não se culpe, e leve pra vc que cada um dá um tipo de amor, leve sua vida e busque ser feliz, muitas relações não mudam, não espere muito e siga em frente e busque o que te faz bem. converse com sua irmã pra ver como ela pensa em relação a isso e se apóie em quem te ama. bjs

  12. #16
    Beatriz
    08.11.2014 - 17:08

    Adriana, passei por uma situação parecida quanto à traição… não estava casando, mas todo mundo ficou sabendo. Fui a uma festa com meu ex (namorávamos há 2 anos) e lá mesmo ele ficou com outra pessoa. Eu só soube meses depois, mas poderia ter visto, pq TODO MUNDO viu. Sofri pra caramba, chorei muito, em vários dias eu acordava e voltava a dormir pq só tinha vontade de ficar em casa e chorar, chorar, chorar. Não aguentava ir pra faculdade e ver esses olhares de pena. Mas na verdade esses olhares deveriam ser pra ele! Do mesmo jeito que você, eu não perdi nada… tente pensar nisso: no que você se livrou, no quanto foi bom esse FDP ter saído da sua vida. Sei que ficamos com traumas, mas o tempo vai tirando isso do foco de atenção e nos presenteando com pessoas legais. Pense mais em você e em se sentir bem consigo mesma! Beijos

  13. #17
    Kaa
    08.11.2014 - 17:23

    Um abraço bem fofo para a Adriana e para a Janaína!
    Agradeço por me fazerem perceber que meus problemas nem são tão grandes assim…

    Adriana se quiser meu conselho, que parece bobagem mas é bem sério: antes de dormir quando estiver relaxada, reze ao nosso Pai pedindo um novo amor com as características que deseja, de coração. Depois agradeça e acredite… quando menos esperar ele irá te encontrar! #fé #poderdosubconsciente #osegredo

    Janaína, espero que sua história de vida não abale sua auto-confiança, mas por experiência própria (não sou adotada, mas sou a filha que minha mãe menos gosta) depois dos seus 30 anos você vai olhar pros seus irmãos e perceber que no fim vc foi a + bem preparada pra viver pq foi forçada a amadurecer cedo com seus desafios. Espero de coração que daqui para frente a vida só lhe dê momentos, coisas e pessoas maravilhosas porque vc merece ser muito feliz!

    Beijos gurias!!

    • #18
      Mari
      08.11.2014 - 22:15

      Oi, Kaa!!!

      Meu comentário vai diretamente pra você… não para as meninas que contaram suas histórias lá no post.

      Menina, como você pode dizer que vc é a filha que sua mãe menos gosta? Não fale uma coisa dessa… tenho trinta anos e já aprendi tantas coisas nessa vida.

      Teve uma época (na verdade várias épocas ao longo da minha vida) que acreditei que eu fosse a filha que minha mãe menos gostava. Sou a mais velha de três filhos. E o mais engraçado é que sempre fui a mais mimada de todos. Eu estudei nas melhores escolas (quando eu terminei o ensino fundamental sai de uma escola particular e fui para uma federal, que era tão boa quanto as particulares) enquanto meus irmãos estudaram em escolas públicas, porque a medida que fomos crescendo o padrão de vida da nossa família foi caindo. Sempre ganhei roupas lindas, caras, porque era/sou muito enjoada pra essas coisas. Ou seja, fui muito mimada na infância e na adolescência. Mas sempre tinha a sensação de que, apesar de ter tudo que eu queria, algo estava errada. Pensava em mil motivos para aquela sensação e sempre chegava a conclusão que o problema era eu. Sou fruto de uma gravidez não planejada (minha mãe engravidou de mim antes de casar) e achava que esse podia ser um dos motivos. Achava que meus irmãos eram mais amados, mais desejados, mais entendidos pelos meus pais.

      Segui pensando isso por muitos anos. E sofria muito.

      Até que um dia, depois de muita terapia, cheguei a conclusão que não, eu não tenho um problema, e não, meus pais também não gostam mais dos meus irmãos que de mim. Eles gostam igualmente de nós três. Mas existe sim algo diferente. Eles se doam a cada um de nós de acordo com o que precisamos, de acordo com o que demandamos deles.

      Meu irmão teve vários problemas de saúde ao longo da vida, em algumas épocas minha mãe só tinha olhos para ele. Minha irmã e eu nos sentíamos preteridas. Mas não era isso, minha mãe só dava mais atenção a quem precisava mais dela.

      Hoje é minha irmã caçula quem precisa mais do apoio dos meus pais. Então é a ela que eles dão mais atenção.

      Um dia me queixei que minha mãe pouco me procurava. A resposta dela foi: “minha filha, eu não te ligo tanto porque sei que você está bem e está feliz, agora seus irmãos estão precisando de mim. Você nunca me deu preocupações, por isso eu imagino que você não precisa de mim.”

      Menina, nesse dia, nesse telefonema, minha ficha caiu!!! Eu sou independente, não financeiramente ainda, mas minha mãe julga que não preciso tanto dela, por isso a “falta de atenção” que sempre achei que existia por parte dela.

      Uma coisa que aprendi, e que espero que você também aprenda ao observar a dinâmica da sua família: cada um dos filhos tem os pais que necessita. Sem mais.

      Quando a gente aprende que a parte mais complicada de um problema é a forma como lidamos com ele tudo fica muito mais leve e mais fácil.

      Tente entender sua mãe e os motivos dela.

      Beijos, Mari.

      • #19
        Kaa
        09.11.2014 - 12:18

        Ohhh…. Obrigada por tanto carinho e atenção na tua resposta Mari, mas meu caso infelizmente é diferente. Talvez uma terapia me ajude a esclarecer, mas por enquanto só tomo antidepressivo mesmo.

        Minha mãe é sem noção mesmo. Não me respeita, não valoriza nada que eu faço, e só me trata bem quando precisa de mim. Atenção ela até dá, mas no mal sentido… só pra encher o saco exagerando que to muito branca (pego sol, só o suficiente pra vit D), to muito magra (58kg), ou comendo muito doce (glicose tá ok), ou com pouca roupa, ou to escuro e devia ligar uma luz, ou tinha que estar dormindo… e flor, juro que nada disso eu mereço pois cuido bem da minha saúde. Penso que ela só quer mesmo é se meter na vida dos filhos pq não tem + o que fazer. É… ela faz isso com meus irmãos tbm, mas mimou demais eles e hoje até sinto pena deles por isso, já que não sabem se virar tão bem.
        Como mãe machista, eu que tinha que ajudar ela no serviço, eu que não podia ficar brincando na rua depois que escurecia porque “o que que os vizinhos vão pensar de uma menina ficar de noite na rua?” como ela dizia ¬¬

        Hoje moro a 2000km de distância dela e foi a melhor coisa que já fiz! Mas sofro ao lembrar que antes de me mudar via ela apenas feliz de que ia se livrar de mim. Nem ela nem meu pai sequer encheram os olhos d’água quando parti. Ela nunca se mostra feliz quando aviso que vou viajar para visitá-los. Nunca, nunca escutei palavras carinhosas dela pra mim, só de desprezo (até palavrões), já pros meus irmãos…
        Ela até já disse uma vez que se soubesse antes que ter cachorro era tão bom, teria tido 3 cachorros ao invés de 3 filhos! Sério… eu ouvi ela dizendo isso.
        …O pior é que teve 3 filhos maravilhosos pq nunca demos trabalho pra ela. Não fomos exemplaaaares, sabe, apenas normais, queridos… Mas sempre os filhos dos outros eram muito melhores que nós. Vivia chamando a gente de trouxa, que os “outros faziam a nossa cabeça” …sim pq parece que não éramos capazes de ter autonomia. Enfim, somos carentes, sobreviventes, mas por sorte, muito diferentes deles! (Meu pai tbm é assim… frio, sem noção, distante, só se metia pra brigar com a gente).

        O que me consola é lembrar que no tempo em que eles eram crianças sofreram até + com os pais deles. Pelos relatos, naquela época, naquela região, era comum crianças apanharem mesmo sem motivo e faziam-se filhos para ajudar no trabalho da lavoura pq ter empregado custava caro. Complicado hein?!

        Ainda bem que hoje em dia a vida familiar melhorou muito, né?! Pq ninguém merece pagar pelo que não fez…

        Bjo a todas que leram tudo o que escrevi! (rs)

  14. #20
    lella d.
    08.11.2014 - 17:39

    Qdo li a história da Adriana, pensei “parece com o que vivi ou melhor estou vivendo”. Adriana eu namorei 9 anos e tb estava vendo apto, casamento, qdo do nada ele terminou. Digo do nada pq estavamos bem, sem brigas! Sempre nos demos bem! Quase morri pq eu nao entendia o motivo do fim. Quinze dias depois descobri q ele estava viajando com outra, no mesmo hotel q a gente ficava, indo nos mesmos restaurantes q ia comigo! Foi um baque! Fora q depois descobri coisas horríveis sobre ele q tenho ate vergonha de falar! E isso foi um choque pra minha família tb! Faz 7 meses q issoaconteceu! Nos tres primeiros meses fiquei mto mal! Nao tinha amigos pq nossos amigos eram casados! O q fiz? Abri meu face e procurei as conhecidas solteiras e retomei o contato. Comecei a sair e vou te falar, nao era facil! A primeira vez q sai nao sabia onde por a mao! E tinha dias q chegava em casa e chorava pq td parecia um vazio! Mas nao deixei de sair! Comecei a me dedicar na academia! Estou magra e td mundo fala q estou mais bonita! E até consegui um novo emprego! Mas nao me deixei abater! Doia mto! Mas procurei terapia, religiao, família!!! Nao estou 100% ainda mas estou bem! E estou feliz! Entao o q tenho pra te falar Adriana é se dedique a vc! Nao é facil! Procure ajuda sim! A terapia e a religião me ajudaram mto a entender que nao era eu o problema e sim ele q nao tinha carater! Bom espero ter te ajudado dividindo um pouco da minha história!

  15. #21
    Adriana
    08.11.2014 - 18:01

    Adriana, deseje tudo de bom e de melhor para o teu ex, para que um dia ele tenha a consciencia do mal que causou e tenha MUITA vergonha. Agradeca tambem a ele a oportunidade de tornar o melhor individuo para a pessoa mais importante do seu mundo: VOCE. Nao perca tempo ou energia desejando o mal, nem para ele, nem para a familia dele… faca uma oracao desejando apenas energias boas. Uma hora a vergonha e os maus pensamentos vao te abandonar, deixando espaco para voce ser quem voce desejar ser.
    Assim, voce atraira’ novas pessoas, com novas energias e alterando em algum grau o seu foco de vida.
    Te desejo muita forca, pois mudar nossos padroes de pensamento e’ muito dificil. Tambem, muita paz nessa caminhada.
    Nao se preocupe com seus pais, eles sofrem porque voce sofre. Eles vao te acompanhar na alegria que vira…
    “A dor e’ para todos, o sofrimento e’ opcional’
    Muita luz
    Perdao pela falta de acentos, meu teclado pirou.

  16. #22
    dani
    08.11.2014 - 18:20

    janaina
    acho que infelizmente vc nao tem como fugir de uma boa e sincera conversa. pode ser que as coisas mudem, mas pode ser que continue na mesma.
    acho importante vc ter essa conversa com eles, pois querendo ou nao sao seus pais né? mas independente de qualquer coisa se esforce.. se empenhe mais do que qualquer pessoa, estude, batalhe e ganhe sua independência!
    pela sua estória vi que vc estuda, estagia e provavelmente se formará em breve!! trabalhe, conquiste seu espaço no mercado de trabalho e vá tocar sua vida ser independente
    força e espero ter ajudado =)

  17. #23
    dani
    08.11.2014 - 18:32

    adriana
    Imagino como vc se sentiu e ainda se sente, mas nao se feche para o amor pq um fdp te magoou.
    a vida é tao cheia de possibilidades e cada pessoa é diferente! tvz alguém te magoe novamente por motivos diferentes, mas assim é a vida! nao tenha medo de errar pq é errando que se acerta!
    tente passar um tempo sozinha, curtindo a vida, se dedicando a você, fazendo o que gosta e conhecendo pessoas novas sem compromisso que qndo chegar a hora o seu príncipe vai aparecer.
    bola p frente e vamos la conhecer gente nova!!!

  18. #24
    dani
    08.11.2014 - 18:38

    cony
    estou num relacionamento ha 5 anos mas ele tem andado tao ruim.
    essa coluna ta me inspirando tanto que acho que em breve vc terá mais uma estoria para contar ai no chora que eu te escuto
    me acho tao fraca… mas leio tantos conselhos e exemplos de mulheres fortes que estou começando a achar que tvz eu possa ser assim…
    vamos ver como as coisas caminham rsrs

  19. #25
    Cristiane
    08.11.2014 - 18:53

    Já assistiu As vantagens de ser invisível?
    Nesse filme aprendi uma frase que me acompanha dia após dia:
    “ACEITAMOS O AMOR QUE ACREDITAMOS MERECER”.

    Muitas vezes temos pistas de que o amor subiu no telhado, mas nos recusamos a perceber, ou até mesmo reconhecer que aquilo pode acontecer conosco.
    Não sei se o que aconteceu com seu ex foi falta de coragem, personalidade ou o que quer que seja mas, acredite, foi melhor que acontecesse antes de terem casado.

    Já pensou, uma vida juntos, casa, documentos trocados, fotos, planos, filhos, uma coleção de momentos para, depois, descer tudo pelo ralo e vc fazer a inevitável pergunta: – meu Deus, será que tudo o que eu vivi foi uma farsa?

    Viva o luto mas, se considera que já perdeu tempo demais com isso tudo, não é demérito algum procurar ajuda. A Psicoterapia está aí para nos ajudar a resolver questões emocionais que não damos conta sozinhos.

    Você pode e MERECE tudo de bom que a vida pode oferecer, basta acreditar no seu valor.Não se envergonhe de nada, a pessoa desleal foi ele.

    Fique bem e um abraço de ursa!

  20. #26
    Sara
    08.11.2014 - 19:14

    Minha solidariedade. No caso das duas primeiras meninas eu vejo a mesma coisa: não se sentir amada e achar que tem culpa por isso. Não, ninguém tem culpa por ter um namorado que não respeita os sentimentos dos outros ou pais que fazem diferença entre os filhos, o problema, neste caso, está nos outros mesmo. E eu sei que é duro amar e não ser amada, ou não se sentir amada, mas tudo tem cura. Acho que é bom para a auto-estima tirar a culpa dos ombros e ver que não tem nada errado com vocês. Seguir em frente é difícil e a gente não consegue sozinha – oração.
    E parabéns para a Dani. Obrigada por partilhar a sua história com a gente.
    Beijos, meninas.

  21. #27
    Wellyda
    08.11.2014 - 19:24

    Adriana, acho que não consigo ter a dimensão do quanto você sofreu por causa daquele idiota… mas olhe em volta. Se perceba. O tempo passou e tudo mudou. Sim, no início as pessoas deveriam ter demonstrado pena de você, mas hoje isso não deve mais ser uma verdade. Se continua acontecendo é por sua postura frente ao que aconteceu. Meu concelho pra você? ATITUDE amiga! Aja! A gente só é sendo! O negócio é ser. Fazer. E isso é verdade pra tudo. Se perceba. Quando você se sente mais feliz? Provavelmente não é quando passa o sábado a noite jogada no sofá assistindo o zorra. Faça o que te faz bem. Faça coisas diferentes. Tenha um hobby. No início vai ser difícil, você ja está acomodada nessa posição. Você vai se sentir estranha, ansiosa, com medo. Vai fraquejar algumas vezes e a tristeza vai aparecer. Mas mesmo triste vá, não fuja, não se prive, lembra do que eu disse? VOCÊ SÓ VAI SER FELIZ SENDO! Cuide de você e não se preocupe com o que você acha que os outros estão pensando de você. Quem realmente importa vai ficar feliz por sua mudança de atitude.

  22. #28
    Liza
    08.11.2014 - 19:43

    Adriana,
    22 anos, que tal se mudar?
    Isso foi em 2002, meu salário na época era de R$808,00 bruto, R$632,00 líquido, lembro bem de todos os holerites iguaizinhos… morava com minha irmã e um dia cansei, aluguei uma casa por R$550,00 / mês. Tinha R$7mil no banco, comprei o que deu e hj, aos 36 vejo que foi a melhor coisa que fiz na vida, se não está bom pra vc, muda… é complicado vivermos na espera de que os outros mudem, às vezes nós é que temos que mudar, no seu caso literalmente.

    • #29
      Liza
      09.11.2014 - 16:00

      Na verdade a resposta era para a Janaina, pra Adriana a Cony já disse tudo.

  23. #30
    janaina zorzato
    08.11.2014 - 19:43

    puxa…nem sei o que dizer para minha xará…quem sabe reunir a família toda, e botar as cartas na mesa? dizer como vc se sente e tal, vai que…boa sorte!

  24. #31
    silvia hahne
    08.11.2014 - 19:57

    Adriana:as palavras da Cony foram perfeitas, praticamente nada à acrescentar, mas o que eu acho é que o teu luto está muito longo e lamentavelmente a vida passa muito rápida; pense no que você está perdendo. Veja como sorte o que você teve por tudo ter acontecido antes de um passo tão cheio de amarras, como o matrimônio.A vida está aí na sua frente, não se perca em tristezas, pois ninguém merece, mas ninguém mesmo é tão importante assim para lhe causar tanta dor.Beijos e um forte abraço.
    Janaina:a única coisa que você pode fazer neste momento é mesmo uma boa e esclarecedora conversa com teus pais e inclusive sua irmã. Não é compreensível a atitudes deles, portanto só uma conversa franca vai lhe trazer paz. Não fuja ao diálogo, pois esse seu sofrimento só tende à piorar, caso você adie esse confronto. Boa sorte e fé, pois a vida só está começando para você…22 anos é tempo de alegria, muita alegria. Beijos

  25. #32
    Rah
    08.11.2014 - 20:10

    Meu conselho vai diretamente para a Adriana!

    Também passei por um caso similar ao seu, de romper uma relação próxima ao casamento, só que no caso ainda tinha o agravante de já estarmos morando juntos. Além da traição ainda enfrentei um problema muito complicado que foi o alcoolismo que o rapaz sofria. Além de terminar comigo, na véspera de uma prova importante pra minha carreira, ele ainda arrumava uma namorada por semana praticamente. Mas claro, colocando tudo no Facebook e no Instagram cada passo que eles davam. Ele também foi meu primeiro namorado, meu primeiro tudo sabe? E por muito tempo eu fiquei exatamente assim como você, me vitimizando, me questionando, me comparando, até que depois de um tempo eu percebi que o problema de toda essa situação não era meu e sim dele!

    Você assim como eu não cometeu erro algum, confiar, amar NUNCA poderão ser considerados erros. O problema não está em você e sim nele, uma pessoa que não consegue valorizar e reconhecer um sentimento bom é que tem sérios problemas, eu diria até desvios de caráter. Não transfira os problemas dos outros pra você, isso é muita crueldade. Tudo de bom que a gente faz na vida não se perde, creia sempre nisso. O bem atrai o bem, nem que seja por outras mãos. Não deixe que más experiências e a falta de humanidade de outras pessoas acabem com o que você tem de bom em si e no seu coração.

    Atualmente eu me considero uma pessoa sorte, poxa, como se diz aqui no Nordeste pulamos uma “fogueira”! Já pensou? Estar casada com uma pessoa desse tipo? Antes descobrir agora do que mais tarde não concorda? Se considere abençoada por ter visto isso a tempo!

    Se você estiver realmente disposta a esquecer tudo isso e ser feliz como merece, tudo vai passar. TUDO passa. Hoje considero o meu término como a melhor coisa que aconteceu na minha vida, acabei passando no concurso que fiz na época, demorei um ano para me relacionar de novo mas atualmente estou com uma pessoa maravilhosa há dois anos e fazendo mestrado na Europa, algo que eu nunca sonhei fazer e só depois desse período de auto-conhecimento que me permiti dar um salto desse.

    Dê um tempo pra você, olhe para você, sem comparações, aproveite esse tempo pra se conhecer melhor, mas sem ficar remoendo o passado. O tempo pode ser generoso se a gente souber aproveita-lo e tenho certeza que você conseguirá se quiser!

    Fica com Deus querida!

  26. #33
    Ju
    08.11.2014 - 20:11

    Adriana, acho que todas nós já passamos pela traição…
    Eu não estava casada nem nada, mas descobrir que o ex, a quem carinhosamente chamo de traste, namorava comigo e mais SETE mulheres ao mesmo tempo, também não foi legal.
    E sim, o problema é dele. Todoooo dele, tadinho! Sofri, chorei, também passei por essa fase de me achar a mais incompetente das mulheres, até a ficha cair que é a outra pessoa que tem problema, é super inseguro, não tem caráter. A vida tem que seguir. Você tem direito de ser feliz tanto quanto ele aparenta estar sendo. Mas tem que realmente levantar e correr atras da sua felicidade, porque ela não vai cair no seu colo não!

    Janaína, o namo passa por situação parecida… E o que funcionou pra ele foi deixar pra lá… Os pais são separados e a irmã é a xodozinho do papai, tem tudo na mão. Mas várias vezes ela mesma já disse que preferia ter sido criada como o irmão, porque ele teve que correr mais atrás das coisas, é batalhador, estudioso, enquanto ela terminou o segundo grau com supletivo (nada contra com quem precise, gente! Minha mãe tb terminou o ensino assim. Mas precisou de parar de estudar pra trabalhar, o que não é o caso da minha cunhada, cuja única obrigação era essa, rs), custa a arrumar um emprego razoável, é mimada… Mesmo sendo triste, talvez você será melhor preparada pra vida!

  27. #34
    Ana
    08.11.2014 - 22:06

    Adriana, sou psicologa e lido com muitos problemas diariamente, nem por isso deixo de sofrer pelos meus tbm. Meu noivo terminou comigo ha um mês tbm, sem traiçôes, mas uma crueldade psicologica incrivel… me culpou por tudo de errado que acontecia entre a gente, fez uma lista dos meus defeitos e disse que gostava cada vez menos de mim. Isso tudo por telefone. Fiquei sem reação e só conseguis chorar, o que o deixava bem nervoso. Pediu para desligar e que conversaríamos quando estivéssemos mais calmos… Nunca mais me atendeu. Ainda estou na fase de me culpar, revisitando cada frase e cada ato para saber onde errei. Me devastando a cada pensamento sobre o que poderia ter feito diferente. Auto estima ta um lixo. Mas como profissional eu te falo, se ja se passaram anos desde o acontecido e vc ainda não melhorou, talvez o tempo “normal” de luto já tenha passado e vc precise de uma ajuda profissional. Não menospreze a ajuda de um psicologo/psiquiatra…. tudo que disseram é importante: academia, amigos, se cuidar, planejar novas coisas. Mas vc pode estar doente e aí fazer tudo isso é bem difícil. Marque um horario com um profissional. Beijo e sorte!

  28. #35
    Marô
    08.11.2014 - 22:09

    Olá, meninas!

    CASO 1: moça, assim como eu fiz, te sugiro procurar – já devias ter procurado – um psicólogo. Acho meio patológico (não leve a mal o termo, não tenho outro p definir como entendi a situação) o fato de tanto tempo ter se passado e vc ainda sentir a emoção vívida. Sei como é e por isso te digo: é possível mudar esse sentimento, mas, não acho q sozinha e com dicas de amigas seja possível. No meu caso, precisei de profissional e consegui. Vc conseguirá, não é questão de conselho, de amiga, de força de vontade. Quando somos dilaceradas de forma “hard” um profissional é o canal.

    CASO 2: sou filha de uma pessoa com três irmãs, tenho amigas com irmãos e meu marido tem dois irmãos e dentre outros q conheço, é raro se ver tratamento idêntico para com os filhos. Uma vez ví entrevista de um psiquiatra que falou algo q eu sempre pensei cá com meus botões: “é óbvio que se gosta de cada um de forma diferente, de acordo com a sua identificação etc”. Palavras dele e concordo, acho q sempre existe um preferido p grande maioria dos pais. Porém… ter lá sua preferencia secreta (?) jamais deveria ser pretexto para tratar os filhos de forma diferença, pois isso soa injusto e acarreta traumas que devem machucar muito. Tive um relacionamento com uma pessoa que era assim, adotado e preterido. Ele sofria, mas, na idade adulta se afastou um pouco da família e as coisas melhoraram. Difícil dizer, mas, acho que eu chamaria pai e mãe para sentar e discutir a relação. Enumeraria os exemplos das diferenças de tratamento e perguntaria na bucha se estão se dando conta de como esse tratamento está sendo diferente. Mas, tenha argumentos, ou vão achar que é só ciúmes. Tenha dados reais. Não sei se eles mudarão de atitude, mas, eu tentaria. Peça p eles analisarem a si como pais, não critique, apenas entenda p depois, se for o caso, pensar se tem como encarar a vida independente.
    CASO 3: muito legal essa superação, só me preocupei com a parte “quando ví o fulano saquei que era o amor da minha vida”… hum, menos, tá. Amor da tua vida é tu, tuas filhas e por hora esse fulano. Jamais coloque toda sua segurança na mão de outrem, jamais.
    Bjão!

  29. #36
    Melissa
    08.11.2014 - 22:20

    Janaína, eu sei o quê vc está passando, pois também passei por isso. Agora tenho 25 anos e minha independência! Trabalhei duro, poupei muito e espero quitar o apartamento onde vivo. Foi a única solução que encontrei, já que meus pais nunca me trataram do mesmo jeito que a minha irmã. Independência é a palavra-chave. Boa sorte! E para a Adriana, esse karma não é seu, é do seu ex ! Faça amigos, viagens, se abra para a vida! Beijos para todas !!!! Mel.

  30. #37
    Raissa
    08.11.2014 - 22:33

    Adriana,o próprio depoimento de Dani já serve muuuito pra ti!
    E olha,eu aproveito e leio todos os comentários,as meninas são ótimas aqui,é tanta positividade,me sinto muito bem lendo e acredito que é um grande aprendizado,independente de você ter vivido uma história parecida ou não! 🙂

  31. #38
    Raquel
    08.11.2014 - 23:22

    Adriana, eu nunca passei por nada tão pesado, já fui traída, mas não nesse nível, então nem posso dizer que imagino como você se sente. Mas todo mundo já ouviu de alguém que passou por uma situação como a sua.
    Olha, do fundo do meu coração, peço que dê uma chance pra você. Você já sofreu, já se puniu pensando se a culpa foi sua (e não, não foi), é hora de se dar uma chance. Independente de ser gordinha, de não ter peito, de não ser um furacão na cama, todo mundo é assim! No dia a dia, somos todas normais, mas não é isso que torna uma mulher especial, até porque isso tudo passa, acaba. Você tem qualidades, é sensivel, é doce. Algum homem vai ver isso, vai gostar de você, até mesmo do que você vê como defeito.
    Eu, quando terminei meu ultimo namoro, achei que iria morrer sozinha. Cara, foi a melhor coisa da minha vida! Encontrei um cara perfeito, incrivel e que está comigo pra tudo. Pode ter certeza, existe um cara perfeito pra você e não ter casado, ainda que tenha sido absurdamente doloroso (e ele vai pagar, gente ruim assim paga), vai se mostrar como algo bom. Imagina casar, gastar mais tempo da sua vida com alguém sem carater como ele? Se prender, ter um filho com um monstro desse?
    Te desejo força! Se ame, cuide de você, ame cada pedacinho seu e se dê uma chance. Foi horrivel, mas passou. Vá atrás de ser feliz, que a vida é muito curta pra gente pensar no que passou.
    Beijos e força!

  32. #39
    Amanda
    08.11.2014 - 23:46

    Adriana, sei que mto tempo já se passou mas não se prenda à esse ponto. Acredito de verdade que cada pessoa tem o seu tempo: tem gente que supera em um mês e tem gente que precisa de anos… Vc chegou na fase em que cansou de sofrer e chorar, achei ótimo! O próximo passo é seguir as dicas das nossas amigas: se cuidar, sair, conhecer gente nova. Tb tenho a tendência de ficar remoendo as coisas por um período maior que a maioria das pessoas, mas isso vai passar e quando passar vai valer a pena. Força!

  33. #40
    09.11.2014 - 00:01

    Adri,
    Você está pondo muito poder nas mãos do ex. Essa história de “já deviam estar rindo de mim, falando de mim, judiando dos meus sentimentos” é bobagem, tire isso da sua cabeça. Ele provavelmente só estava pensando nele mesmo o tempo todo. Um tipo assim sem consideração como ele não pára para ficar rindo de ninguém, só pensa do próprio umbigo.
    Do resto dos casos, as meninas e a Cony já falaram tudo!
    Beijos para as três lindas do “Chora” de hoje. <3

  34. #41
    Marina
    09.11.2014 - 00:07

    Adriana, como várias meninas falaram, acho importantíssimo procurar um psicólogo. Em alguns momentos da minha vida, por mais que eu soubesse o que fazer na teoria, ou ouvisse os mesmos conselhos de todas as amigas, não conseguia organizar a “casa” e de fato seguir em frente. Aí entrou minha psicóloga, que me ajudou a modificar certos padrões de pensamento (tipo: o que ela tem que eu não tenho? em que eu errei?) e ver as coisas sob outra perspectiva.

    Entendo que a dor que sofreu é imensa, mas você precisa sair desse ciclo em que continua se vitimizando, e se sente mal por fazer isso, enquanto a vida passa na sua frente. Não dá pra deixar esse cara tomar esse tempo de você. Acho que o primeiro passo foi tomado, que é reconhecer a situação e querer mudá-la. Acho muito que você tem toda a força pra isso. Minha sugestão é que você faça planos concretos, crie objetivos e desafios. Parece algo vago, mas pra mim sempre funcionou. Que tal uma viagem? estudar uma lingua nova? se mudar? aprender a tocar um instrumento, ou a dançar? ser voluntária em algo? ou que tal melhorar a auto estima, de repente fazer academia, ou mudar o cabelo? Ao realizar pequenas conquistas é que vamos nos sentindo felizes, e aprendemos a nos amar. Falo tudo isso por experiência própria. Quando tive uma grande decepção é que percebi que tinha que focar em mim: comecei a academia, aprendi alemão e a tocar piano (que era um sonho desde pequena), fui ao cinema mesmo que sozinha, fui a shows de bandas que curtia, comecei a estudar para concurso, coloquei silicone, enfim, identifiquei e corri atrás de coisas que me fariam feliz, e conheci pessoas maravilhosas nesse caminho. Você tem que ver quais são essas coisas pra você! Não tem erro, ninguém morre de amor ou de desilusão. Você, na realidade, se livrou da furada que seria passar a vida com esse cara, que de certo não tem caráter. Não se cobre melhorar logo, ou arrumar alguém, mas sim se esforce pra controlar a sua vida novamente! E, por favor, não fique de olho no que o tal cara faz ou não em redes sociais, hein! Acredito em você, e já estou no aguardo da resposta cheia de planos!!

  35. #42
    Carol
    09.11.2014 - 01:20

    Segue link com informação científica pra quem ainda fica pensando em “ex”: “Retomar namoro com ex é cilada”

    http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/retomar-o-namoro-com-o-ex-e-uma-ma-ideia-diz-a-ciencia/?utm_source=redesabril_jovem&utm_medium=facebook&utm_campaign=redesabril_super

  36. #43
    Van
    09.11.2014 - 02:30

    Janaína,
    Vou te responder como filha, como mãe e como tia adotiva…
    Assim como a Mari comentou acima (direcionado para a Kah) é bem verdade que as mães cuidam dos filhos de acordo com a necessidade de cada um. Venho de uma família grande, com muitos irmãos, e agora depois de adultos nas nossas conversas sempre retorna o assunto de quem era o preferido… e o fato é que todos se sentem como os “menos amados”, ninguém concorda quando o outro diz que a mãe ou o pai mimavam ele…
    Se você é bem resolvida, independente (até mesmo por se forçar à isso, diante da diferença que sente no tratamento dado à vocês), pode ser que sua mãe não perceba que está em falta com você, simplesmente pq vc parece bem aos olhos dela…
    Um outro ponto que existe, é a culpa… você não menciona se sua irmã é mais velha ou mais nova, mas pode acontecer também da sua mãe estar tentando “compensá-la” por ter que dividir a atenção contigo… talvez até de forma inconsciente…
    E por último, como tia do coração de adolescentes, vejo o quanto minha irmã se esforça para equilibrar o amor, a atenção e a educação dos filhos adotivos e do filho de sangue… cada um tem seus problemas, suas necessidades em diferentes áreas, às vezes tudo ao mesmo tempo, e ela acaba socorrendo primeiro as causas mais urgentes… e novamente, quem está um pouco melhor, fica pra depois…
    Talvez por sua irmã não correr atrás das coisas por conta própria e você sim, sua mãe fique tentando suprir as necessidades dela (não que isso seja o correto) e acabe não percebendo o quanto é injusta contigo…
    Enfim, o que eu queria te passar é que você precisa deixar claro pra ela como se sente, mas sem se colocar no papel de vítima…
    Mostre cada uma das situações que te marcaram de forma mais forte, diga que você se sente deixada de lado, que continua esperando chegar a “sua vez”, mas o faça com carinho…
    Quando você diz que ela não te trata como filha, dói ao ler… eu acho que vocês tem como consertar essa relação, sim… com muita conversa, e até mesmo com uma terapia de família…
    Depois volta contar pra gente como foi…
    Boa sorte, fique bem 🙂

  37. #44
    Suzy
    09.11.2014 - 04:43

    Adriana: meu conselho é chega disso!!! Ja foi, aconteceu, acabou, foi melhor ter acontecido antes do casamento doq depois… Coisas ruims acontecem para todos e cabe a nós superarmos… Esquece isso e seja feliz! Pare de ficar analisando/remoendo… Confie que a justiça do universo cuidara dele… Para seus pais o melhor q vc pode fazer é ser feliz pq é isso q eles querem… E realmente nao importa o por que aconteceu, oq vc poderia ter feito ou deixado de fazer, isso tudo é passado… Eu acho q vc nao deixou isso pra tras pq qdo agente ama alguem a gente nunca deixa de amar 100%, primeiro amor ainda… Mas vc nao precisa esquecer tudo… O amor q vc sentiu, a felicidade q ele despertou em vc… isso é seu… Voce nao precisa esquecer isso… Simplesmente perdoe, deixe a magoa ir embora e busque sua felicidade…
    Eu tive amores q me magoaram… E eu nunca consegui esquecer meu primeiro amor… Mas tudo bem, nosso coracao é grande e cabe muuuito mais dentro dele… Eu posso nunca ter esquecido meu primeiro amor, mas o amor que tenho pelo meu marido (estou casada ha 6anos) é diferente e muuuito maior…. Qdo meu relacionamento com meu primeiro amor terminou eu achei q nunca fosse amar alguem assim, e eu estava certa pq cada amor q a gente sente é diferente… Bom, resumindo, descarte oq foi ruim, guarde oq foi bom, e seja feliz!!!!

    Janaina: não sou adotada e sempre recebi um tratamento diferente dos meus irmao, sempre exigiram mais de mim e me deram menos coisas. Com o tempo eu percebi q faziam isso pois julgavam q eu era capaz de conseguir mais coisas sozinha. Eu acho isso super errado e até hoje tenho magoas disso. Quando questionei meus pais eles confirmaram oq eu ja tinha percebido. Apesar de eu ainda ter magoas hoje vejo que prefiro estar no meu lugar (sendo mais cobrada, ganhando menos coisas) doq no lugar dos meus irmao q cresceram com uma auto estima baixa, se sentindo inferiores a mim. (Por exemplo: se eu tirasse uma nota seis eu ganhava uma bronca, mas eles comemoravam qdo meu irmao conseguia passar de ano na escola, e ficavam super felizes com qq nota acima de cinco vinda dele). Hoje eu sou totalmente indepedente e eles ainda moram com meus pais.
    Eu acho que voce precisa conversar com eles. Mas tenha em mente q existe varios motivos para o tratamento diferente alem do fato de vc ser adotada. E se for como no meu caso saiba q meus irmaos q sempre ganharam mais coisas tem magoa/ciumes de mim pq eu sempre fui a mais inteligente e consegui mais coisas sozinha. Eu nao via isso no começo e ocorriam muitas brigas entre nós pq eu tinha inveja/ciumes deles e eles tinham o mesmo de mim. Boa sorte!

  38. #45
    Jessica
    09.11.2014 - 05:05

    Adriana, acho que depois de tanto tempo vc deve considerar buscar ajuda profissional… Às vezes não conseguimos lidar sozinhas com nossos problemas, principalmente quando eles nos marcam tão profundamente. Conversar com alguém especializado vai te mostrar um caminho diferente, vai te dar alguns “exercícios”, e em breve vc vai estar melhor. Eu super te entendo quando vc diz que quer mudar, mas não tem forças, é difícil se abrir depois de passar por uma situação assim. Considere de verdade essa possibilidade da terapia, acho que vai ser bom pra vc.

    Janaina, eu entendo sua situação. Não sou adotada, mas vejo que em algumas pequenas ações meus pais tratam minha irmã diferente de mim, meu namorado tb percebe. Eram coisas simples, mas no último mês eles tomaram uma atitude que me magoou muito… E eu não conversei, e nem vou conversar com eles. Eu sei que é FODA, mas conversar não é uma opção. Meus pais ficariam arrasados, e eu os amo muito pra causar tamanha dor a eles. Então a minha opção é crescer cada vez mais, e conquistar minhas coisas sozinha. Refletindo um pouco, acho que essa distinção deles vem porque eu sempre fui mais independente… Sempre tomei decisões sozinha, sempre fui corajosa em enfrentar o desconhecido, comecei a ganhar meu dinheiro cedo, sai de casa pra morar com meu namorado, enquanto minha irmã é bem mais frágil e insegura. Então eu entendo meus pais, embora não concorde com a super proteção. É muito chato ver alguém ganhando as coisas tão fácil e vc lutando horrores pra conseguir, mas quando vc consegue, a vitória é muito mais especial. Meu conselho pra vc então é: use esse seu sentimento como motivação para vc ser cada vez melhor! Lute pelos seus objetivos que logo logo vc sai de casa, ganha sua independência, e vive sua vida mais tranqüilamente.

    Beijos!

  39. #46
    Luciana Bataglia Mesquita
    09.11.2014 - 09:22

    ADRIANA,

    Me sensibilizei muito com o seu caso, pois também trabalho com o meu ex marido. Somos professores e ele me traiu com uma aluna (na época, com 14 anos. Hoje 15); enquanto eu me tratava para engravidar.
    Logo quando aconteceu, recordo que mandei um e-mail pra Cony, ela me respondia direto, com conselhos maravilhosos. Engordei, fui pros 80 kg tendo 1,56 de altura. Eu só usava camisetonas, morria de vergonha de todos e sofri demais com os olhares de dó.
    A Cony nem tá sabendo, mas voltei a pesar 51 kg, graças a Deus sem cirurgia, só com o meu amor próprio de volta. Não fiquei flácida e nem com estrias, coisa de Deus mesmo. E ele continua me vendo, agora magra, sempre de salto, com carro novo (pq aluguei o ap e resolvi voltar pra minha mãe, principalmente devido a terapias e remedios, portanto me livrei de muitas contas); não vivo sem maquiagem, sem ir ao salão, saio e divulgo que estou vivendo. Saldo de abril (divórcio) até hoje:

    Peguei mais aulas em outro lugar, uma escola num bairro carente da cidade, onde ensino as crianças (eu nunca havia trabalhado com crianças, ainda mais carentes, por serem de um local mais simples) com todo amor, ganho beijos, pulseirinhas de elástico todos os dias!Achei que seria difícil, mas encontrei amor naqueles olhinhos. Eles se surpreendem a cada coisa que entendem de Língua Portuguesa “mooooooooooooooooooooossa, fessora, ninguém nunca explicou assim!”
    Eu estudei para nunca precisar chegar a lidar com os pequenos, mas foi uma grande terapia.

    Continuo a noite no outro local, com ele. Hoje em dia, precisei trocar o meu celular, pois ele não me deixava em paz. Agora liga pra minha mãe. O trato com toda educação do mundo, e jamais vou desarrumada.

    Mas sei tanto o que vc está sentindo… A parte de ter filhos com outra não senti, mas imagine só, uma garotinha de 14 anos…. Me senti um lixo, chorava sem parar. Alguns dias, precisei de atestado, pois ficava medicada pra dormir o dia todo. Não por perder ele, mas pela humilhação que enfrentaria quando voltasse pro trabalho.

    Sei que nossas histórias não são idênticas, mas gostaria de ajudar de alguma forma. Quando li seu relato, senti toda sua dor cortando o peito, aquele buraco que dói, arde, sangra. Sufoca e impede que a gente até engula a comida. Eu sei qual a dor deste buraco. Sei qual a dor de cabeça de tanto chorar e sei como são estes bichinhos do olhar de dó nos comendo por debaixo da pele. Dói. Dói muito.

    Estarei rezando por vc, pra que tenha forças e para reencontrar seu amor próprio.

    Não estou totalmente curada, faz pouco tempo. Mas sei que se vc precisar, posso estar aqui (em Londrina) pra ajudar mesmo que com palavras.

    Fica bem, muita força.

    Beijos,

    Lu

    • #47
      Constanza
      09.11.2014 - 09:34

      Luuuuu sua LINDA! Que bom saber notícias suas!!!! E melhor ainda saber o quanto está bem e feliz! Torço muuuuuito por vc!

    • #48
      Ana Egiglio
      10.11.2014 - 10:53

      Luciana,

      Parabéns pela força, você é muito guerreira!

      Agora me tira uma dúvida que me deixou curiosa..

      A escola não tomou nenhuma providência, ao saber que o professor teve um caso com uma aluna menor de idade?

      Muitos beijos 🙂

  40. #49
    Manu
    09.11.2014 - 09:38

    Adriana, leia o relato da Dani mil vezes e se encha de força para superar isso! Senti sua dor daqui, mas ó, só vc pode mudar isso, viu? Vai pra rua, seja linda e a vida vai sorrir pra vc. Estou na torcida.

  41. #50
    Denise
    09.11.2014 - 10:56

    Nossa, chorei com a história da Luciana 🙁

  42. #51
    Aline
    09.11.2014 - 12:09

    Adriana, vc já fez/faz terapia? Quando passei por um trauma muito grande, fui indicada para uma terapia alternativa chamada EMDR pq a psicóloga achava q meu caso não se resolveria apenas com terapia convencional. A MELHOR COISA QUE FIZ NA VIDA! Muitos amigos começaram a dizer q eu estava bem melhor, mas não sabiam pq… até acharam q era homem na parada, rs! E se vc tem alguma crença, se apegue a ela. A fé ajuda muito a seguir neste processo de superação 😉

  43. #52
    Camila
    09.11.2014 - 13:09

    Adriana:

    Terminei um relacionamento há um mês, sei que não é fácil, mas…

    Não espere o Príncipe Encantado, não espere NADA, viva. Apenas viva e as coisas vão acontecendo naturalmente.

    E entenda uma coisa: o problema não era você. Nunca foi. A falta de caráter é dele.

    Nem tudo são perdas, algumas coisas são livramento. =)

  44. #53
    Paula
    09.11.2014 - 13:23

    Adriana, para vc a solução é: NAO SE CULPE! Não faça comparações! Lealdade e honestidade são presentes caros. Não espere isso de pessoas baratas! Mulheres lindas são traídas todos os dias, até atrizes famosas, isso nao quer dizer q fizeram algo errado, apenas q estavam com alguém sem caráter. Se houve algum erro seu, foi somente o de ter escolhido a pessoa errada, encare como uma lição e pronto. Ah, e tem uma coisa muito positiva nisso tudo: Vc não casou! Isso é ótimo! Imagina se tivesse casado ou tido filhos? Isso infelizmente acontecem com muitas mulheres, q se sentem presas na situação, mas vc está livre e não entregou sua juventude para esse crápula! Que bom né? Talvez o ambiente se trabalho não está te deixando esquecer, se achar q é isso e for possível, mude de emprego, busque novos ares e seja feliz!

  45. #54
    Michele
    09.11.2014 - 13:36

    Cony, hoje eu falo com a Janaína.
    Janaína,
    Eu sei o que você está sentindo…sou a caçula de quatro mulheres e temporã. Sou filha biológica mesmo mas queria te mostrar que isso não é o problema, a verdade é que filhos cabem no coração da mãe, mas não da mesma maneira.
    Por ser a caçula e a mais nova, as minhas irmãs fazem bullying comigo o tempo todo. Com cinco anos falava com a lingua presa e todos tiravam sarro da minha cara. Na adolescência era chamada de “curtinha”, de lerda etc, pois não sou como elas rápidas no agir, no pensar.
    O que aconteceu é que eu me revoltei com tudo e fazia tudo para ser rápida, moderna, independente. Passei uns dez anos só brigando com a minha família para mostrar a forma que eu via o mundo. Fiz faculdade e na época que estagiava ouvia minhas irmãs falando que eu ia dar em cada, que não trabalhar e iria ficar na aba da minha mãe pra sempre. Isso dói muito.
    Hoje tenho a minha casa e meus filhos e agora estou curando esse ressentimento. Uma irmã faz terapia e me pediu perdão pelo que fazia comigo, a mais velha me trata como se fosse uma adolescente com filho ( tenho 34 anos) e a mais nova hoje em dia é uma grande amiga.
    O que te aconselho é o seguinte: pratique o perdão. As pessoas nunca vão ver a forma como você vê o mundo, e a vingança é um sentimento que absorve você. Não caia nessa!!!
    Hoje eu vejo que aquela revolta me fez ser uma pessoa triste, sem alegria. Eu não curti a adolescência, a época da faculdade e todas aquelas coisas. Vivia resmungando com amigos, saindo para me divertir mas voltava para casa e os problemas continuavam.
    Agora a minha vida é maravilhosa, tenho um marido que não critica o meu jeito, me diz que as mulheres da minha família são muito controladoras e agradece todo tempo eu não ser como elas.
    Eu tenho fé que o dinheiro chegará na hora certa, que o armário antigo você poderá fazer uma reforma nele e ficar bem mais estiloso que um comprado pronto.
    Tire esse rancor do seu coração e ame a sua irmã, mesmo achando que eles dão mais atenção a ela do que a ti. Não compare as relações entre mãe-filha e ela não tem culpa de você achar que ela é a beneficiada.
    O tempo passa para todo mundo e a lição que hoje eu tiro da minha vida é que serei uma mãe mais atenciosa com meus pequenos e aquele jeitinho mais “devagar” meu é lindo pois eu largo tudo para passear e brincar com meus filhotes. O estresse não toma conta mais da minha vida, hoje eu sou leve. E desejo isso a ti também, seja leve!!

    • #55
      Leiloka
      09.11.2014 - 15:05

      Nossa, Michele, minha história é bem parecida com a sua… também tenho duas irmãs mais velhas bem vaquinhas… também ouvi muito que fiz uma péssima escolha de carreira, que me encostava nos pais e que seria um fracasso. ouvi que era feia, gorda e solteirona. hoje em dia, que superei tudo e estou feliz, ficam me chaleirando, se fazendo de amiguinhas, não consegui praticar o perdão não… talvez um dia.
      beijos

  46. #56
    Carol
    09.11.2014 - 14:45

    Adriana, eu acredito que o lado mais perverso de uma traição seja a capacidade de abalar a confiança e a autoestima do traído,seja homem ou mulher. A resposta as suas perguntas é muita simples: a culpa não foi sua. Você não foi responsável pela traição do seu noivo. Ele simplesmente se comportou como um cretino.Além de infiel, ele foi desleal e leviano, desrespeitou seus sentimentos e de sua família. Ninguém é obrigado a estar com o outro, as pessoas namoram, casam porque assim querem. Ele deveria ter conversado com você antes de embarcar num outro relacionamento. Mas, ele não o fez. Você precisa lidar com isto e seguir em frente. Acreditar que há homens melhores neste mundo, que nem todos se comportam desta forma baixa. Dê-se esta chance. Sua história me fez lembrar deste samba:
    “Acreditar…….eu não
    Recomeçar…….jamais
    A vida foi………em frente
    E você simplesmente
    Não viu que ficou pra trás
    ……. .Não sei se você me enganou
    Pois quando você tropeçou
    Não viu o tempo que passou
    …Não viu que ele me carregava
    E a saudade lhe entregava
    O aval da imensa dor
    E eu que agora moro nos braços da paz
    Ignoro o passado que hoje você me trás
    E eu que agora……moro nos braços da paz
    Ignoro o passado que hoje você me trás”.

  47. #57
    maise
    09.11.2014 - 14:46

    Adriana, assim que que li sua carta pensei que responderia pra voce, mas depois que li o depoimento da Janaina acho que minha resposta vai servir para as duas. Tenho certeza que aqui vai sair muito conselho legal e bacana, alias todos, mas quero propor algo diferente,quero propor este cara aqui

    http://www.sriprembaba.org/pt-br/satsang/091111

    Por coincidencia, hoje e aniversario dele e vai term uma palestra pela internet as 4 da tarde horario do Brasil. No site dele tem varias palestras, videos, informacoes do trabalho dele. Creio que sou bem mais velha e posso ser mae de muitas de voces, por isto mesmo me sinto a vontade para indicar este Guru pra voces, so de ler as mensagens dele ja e muita coisa, se der pra conhecer entao…Com sua ajuda no caminho do autoconhecimento e espiritualidade pude entender meu coracao partido e comecar a juntar os caquinhos.O trabalho dele se chama Awaken Love ou Caminho do coracao, tudo a ver com sua coluna Conyta, voce e antenada mesmo hein menina? Cony esta autorizada a dar meu email para quem quiser converser mais comigo. Bjo grande meninas!
    maiseborges@hotmail.com

  48. #58
    Leiloka
    09.11.2014 - 14:52

    Olá Adriana, permita-me um conselho, digamos, técnico: me parece que você entrou num processo depressivo depois do que aconteceu. Isso é totalmente compreensível, aconteceram situações terríveis que podem ter disparado o gatilho da depressão; a recuperação não é tão fácil, sugiro que você procure ajuda especializada, uma psicóloga.
    Faça isso por você! A depressão é uma verdadeira doença, que pode ser desencadeada por momentos tristes da vida, tudo o que você sofreu foi uma perda brutal, é muito difícil superar. Mas não é impossível!!! Como já tem alguns anos, acho que você precisa muito de ajuda profissional, pois ainda não conseguiu digerir o problema.
    Com certeza vai sair do buraco, te garanto.
    beijos

  49. #59
    ana luisa
    09.11.2014 - 14:59

    Cony querida, eu tô adorando essa tag desde o início, quando você simplesmente desabafava e a gente do outro lado te dava a força que você precisou. É lindo ver como você floresceu e constatar que, como pra mim e pra muita gente, a dor te fez crescer e se tornar uma pessoa melhor. Tudo isso transparece no seu sucesso e na sua história.
    O conselho que posso dar pra todos os casos que já li, de sofrimento ou mesmo de superação, é procurar uma terapia. Digo por experiência própria, acho que não é bom marketing das clínicas terapêuticas não, acho que todo mundo um dia deveria experimentar.
    Quem me vê hoje, bem casada, bem resolvida com meu corpo e com duas filhas lindas, não imagina o meu background… sofri abuso sexual na adolescência e, sem terapia, na raça mesmo, reconquistei minha segurança e confiança no sexo oposto, até conhecer um lobo em pele de cordeiro aos 25 anos. Tive uma relação doentia com esse monstro, que conseguiu em apenas 8 meses minar minha auto estima, meus sonhos e tudo que pra mim tinha sido tão difícil reerguer. Cheguei a ter pensamentos de morte, cheguei abaixo do fundo do poço e foi quando minha terapeuta apareceu na minha vida. Ela não me tirou de lá. Ela me ajudou a achar o caminho.
    Tem gente que tenta um psicólogo e se decepciona, desiste na primeira tentativa, isso é bem normal acontecer, pois são diversas as linhas que eles podem seguir ou simplesmente o santo pode não bater. Tive sorte nisso, minha terapeuta, da linha bioenergética, é tudo de bom! E depois de anos de alta, a reencontrei via skype, já que agora vivo do outro lado do oceano e ela em São Paulo. E não é porque hoje estou bem que não necessito desse acompanhamento. Agora ela me ajuda a ser mãe e entender essa dinâmica de família e tudo mais, é incrível as conclusões que chego sobre problemas simples da vida.
    Desejo muita sorte às meninas sofridas. E sempre levei comigo o lema de que até na dor há algo bom, é o fato que ela acaba. Acaba mesmo, confiem!!!
    Ah, e existem terapeutas que fazem preço amigo, simbólico mesmo, é só se informar porque as vezes a gente já resiste a idéia só porque é caro…
    Beijos cheios de carinho e força pra vocês e pra Conyta 🙂

  50. #60
    Leiloka
    09.11.2014 - 15:00

    Janaína, sejamos francas, que merda, hein menina???
    Acho que é normal que os pais tratem de maneira diferente os filhos, porque cada filho tem sua necessidade, mas o que não pode é deixar um de lado, se sentindo inferior. Será que eles sabem o que estão fazendo? Às vezes a gente faz tanta coisa sem ter noção do resultado…
    Acho que a sua saída é conversar, como várias meninas sugeriram.
    Se não funcionar, terá que trabalhar isso em você, aceitar e superar.
    Não deixe que os outros estraguem a sua vida, mesmo que eles sejam seus pais. Construa sua vida, custe o que custar, mesmo que tenha que começar do zero.
    beijos

  51. #61
    Luciana Bataglia Mesquita
    09.11.2014 - 15:18

    Conyyyyy! Preciso te escrever, mas vc anda tão ocupada!

    Tô dando aula em local carente, mas amei, adorei, ganho muito carinho. E o mocinho tá atrás de mim como se eu fosse doce. hahahah!

    Perdi a vontade de reatar, alias; perdi a vontade de conversar e tudo. Sabe aquela cara que só a gente sabe fazer e abrir um sorrisinho tipo “cale-se, idiota!” que só a gente sabe fazer? Ando assim com ele na sala dos professores.

    Perdi 29 kg. To de paquerinha com um advogatinho hahahaha! =P

    Eu nõ paro de ler aqui, mas vc anda corrida, eu tenhO milhões de coisas pra corrigir todos os dias, o cotidiano pega, né?

    E vc tá maravilhosa, tá de parabéns, pelas viagens, trabalhos e pelas bolsaaaaaaaaaaaaas! VC ME MAAAAAAAAAATA! =)

    DENISE, não chore pela história. Estou super bem e ele se deu conta do que aconteceu. A menina anda humilhada no colégio, tem dias que chego a ter pena dela. O mundo dá voltas, as vezes mais devagar, as vezes mais rápidas. Mas tudo que se faz de ruim pra alguém, vai voltar. Lembro-me na época do divórcio, que escrevi um texto no facebook, pois a guriazinha é mórmon, e não teve nem amor aos ensinamentos da religião dela, pra destruir minha casa. O que escrevi dizia isto:

    “Sei que errei, que perdi a paciência, perdi a razão.
    Mas mantive a índole. Coisa que se mantém apesar de que você seja mórmon, ateu, testemunha de Jeová, umbandista, kardescista. Pode pregar seu credo aos quatro cantos; se não houve boa índole, nada mais valerá.
    Quero também expor que construir a própria felicidade, sobre o sofrimento do próximo não é real. Felicidade se busca e se conquista. No dia a dia, no perdão e em cada sorriso. Sem destruir um lar, sem fazer alguém perder a esperança.
    O amor real nasce puro.
    E não há sofrimento que não se cure sorrindo.”

    ADRIANA, leia isto acima também. Creio que pode te consolar ao menos um pouquinho.

    Beijos, meninas. Muito gostoso interagir com vcs.

    • #62
      Constanza
      09.11.2014 - 16:45

      To corrida mesmo 🙁 respondo qse tudo em pensamento rs

  52. #63
    Simone
    09.11.2014 - 17:28

    Conytaaaaa!!!
    Que seção maravilhosa! Estou bem corrida,mas sempre com a leitura em dia aqui do Fufu e te acompanhando pelo Instagram e Face.
    Se eu pudesse encontrar a Adriana, daria um belo abraço. E diria pra cada vez mais ela se fazer interessante para ela mesma. Com a estima em dia, as pessoas se interessam cada vez mais por nós. Gente que está bem atrai coisas do bem, inclusive pessoas. O mundo é tão gigante e com certeza podemos achar algo que nos mova e de quebra que nos traga felicidade. A própria história da Dani é um grande incentivo.

    Para a Janaína, é tirar toda essa dor do peito e dizer tudo o que sente. Pôr os pingos nos is, realmente.

    Beijos <3

  53. #64
    Lisa
    09.11.2014 - 17:55

    Oi Adriana. Eu passei por uma experiencia muito semelhante a sua, e superei!
    Nos conhecemos na faculdade, foram 7 anos entre relacionamento e noivado, eu fui aquela que sempre esteve ao lado dele nos momentos mais dificeis, na pobreza… quando mal tinhamos dinheiro para ir num restaurante. Na primeira oportunidade que ele se deu bem, com um emprego bom, enquanto eu ainda estava na luta, comecou a me trair com uma 10 anos mais jovem que morava na cidade vizinha onde ele trabalhava, tinha vida dupla, perfil de orkut (naquele tempo) com status de solteiro, quando viajava para trabalhar na outra cidade era tido como solteiro, tirava a alianca, pelo visto so eu nao sabia que tinhamos acabado, porque cada vez que ele voltava de viagem era muito apaixonado, ciumento, amoroso. Na verdade acredito que por um tempo ele manteve o relacionamento com as duas. Mas a mentira tem perna curta e a verdade veio a mim. Terminei, foi duro, eu o amava de verdade, mas minha dignidade era mais importante. Foram poucos meses de sofrimento muito intenso, ate que comecei a me recuperar, apesar de ele ainda ter passado 6 meses me atazanando, ligando, mandando mensagens. Era tao fdp que achava que eu ia me submeter a ficar com ele depois de tudo que ele me fez. Eu senti o mesmo que voce, vergonha, embaraco pelo que as outras pessoas iam pensar de mim, ja que ele ainda foi tao covarde de sair dizendo a todo mundo que ele terminou porque eu era ciumenta, e porque eu nao deixava ele ajudar financeiramente a familia dele (inverdades nivel hard), teria sido menos covarde da parte dele assumir que terminou comigo porque queria ficar com outra, e nao ainda por cima depois de me chicotear, colocar a culpa em mim e eu sair de vila. Mas nunca me senti culpada, pois EU sabia a verdade.
    Eu segui minha vida, me reaproximei dos meus amigos verdadeiros, encontrei novos amigos, busquei conforto em grupos da igreja, na minha familia, e apos 7 meses eu estava muito bem, obrigada, porem nao curada ainda. Neste momento conheci um homem de verdade por quem me apaixonei de verdade, a pessoa mais maravilhosa que ja existiu na minha vida, que com toda a sua docura e amor me ajudou a curar meu coracao. Estou casada com ele ha 2 anos, temos uma filhinha, moramos no exterior, consegui um bom emprego. Enfim, parece que depois desse termino dolorido, minha vida progrediu, cortei a amarra que nao me deixava evoluir, crescer, ser feliz. Tenha forca, se ame e siga em frente, porque o tempo cura tudo, e quando menos voce esperar voce vai ser feliz por voce mesma, e de bonus encontrar uma pessoa especial, a pessoa certa pra voce, e toda a dor que voce viveu significara nada na sua vida. Nessa vida sempre iramos nos deparar com problemas, momentos de sofrimento, mas cabe apenas a NOS Fazer disso um trauma ou uma experiencia necessaria para o nosso crescimento, evolucao e amadurecimento. Boa sorte, fique com Deus e que um dia voce possa vir ate nos contar a sua historia de superacao. Beijo, Lisa

  54. #65
    daniela borghi
    09.11.2014 - 18:22

    Q orgulhooooo Cony!!!! minha história publicadaaaa!! to tão feliz!! Eu sou a Daniii kkkkkk
    Pq amo o blog e vc!! nos ajuda muito sempre e me sinto hj bem, superada, gosto de partilhar dos pensamentos e experiências boas!!

    Pra moça q disse “menos” pelo meu comentário do amor da minha vida, olha…eu em primeiro lugar amo minhas filhas mais q tudo e me amo!! sempre!! pra depois amar ele…e sim hj ele é o amor da minha vida…acho q não devemos ter medo nem vergonha de amar, mas nunca amar mais do que a si mesmo !!

    Deixei de sofrer qdo me amei de verdade!!

    Bjus lindonas!! Bjus Cony, love you!!

  55. #66
    Melina
    09.11.2014 - 19:10

    Adriana,
    Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!
    Tb passei por uma situação semelhante há 5 anos e estou ótima, com um namorado fofo!
    Acredite: TUDO PASSA! Mas precisamos curar verdadeiramente as feridas.
    E não se engane achando que a sua vida está ruim e que a dele são só flores: os perrengues não são publicados no facebook.
    Ele pode não te amar nem ter tido consideração, mas vc precisa ter por vc mesma! Seus pais, amigos e familiares te amam e ficarão felizes com sua superação.
    Vambora, querida! A vida continua!

  56. #67
    MEL
    09.11.2014 - 19:30

    ADRIANA,

    Voce precisa se cuidar urgentemente. Lembre-se: o tempo nao volta! Voce esta perdendo anos preciosos da sua vida, alem dos anos que perdeu ao lado desse traste, por pena de si mesma, por vergonha dos outros, por se comparar, por pensar no olhar de pena das pessoas..Está tuuudo errado! Comece pensando o seguinte, se voce morrer amanha, o que vai acontecer? Esse pessoal ai dos olhares de pena, comentarão por 1 dia ou 2 (no maximo), e logo esquecerão que vc existiu (inclusive seu ex e a nova mulher dele). E ai, vale a pena perder a vida por essas pessoas??? Quanto aos seus pais (essas pessoas sim, importam), alguem ai ja disse, que o que voce pode fazer por eles, é ser feliz! É isso que todos os pais querem!!..Depois, nao se compare querida!! Ha mulheres lindas, infelizes no amor, e há mulheres comuns, completamente felizes!!! Voce nao foi traída porque ela é melhor em qualquer aspecto. Voce foi traída porque ele nao vale nada, apenas isso. Nao se culpe! E lembre-se, homens e mulheres LINDOS RICOS E INTERESSANTES tb ja foram traídos, é so lembrar de casos como da Grazi Massafera, Jennifer Aniston, etc ETC ETC ETC ETC ETC (ETC QUE NUNCA ACABA, POIS O TEMPO TODO PESSOAS SÃO TRAIDAS NO MUNDO TODO, isso é comum, é banal (embora nao devesse ser).
    Segue em frente, seja mais voce, saiba do seu valor!
    Pode ser que voce encontre alguem legal, pode ser que nao! Isso vale pra voce, pra mim, pra Cony…Mas e dai? A vida nao gira em torno de “ser feliz no amor, ou nao ser, eis a questão”.
    Há muita coisa alem disso!
    Tenho uma sugestão: porque voce nao começa fazendo uma viagem bem legal? Com alguma prima, irma, amiga? Ou sozinha, porque nao?
    Saia da sua zona de conforto (pois essa sua zona de conforto ja está desconfortavel).
    E vou te dizer mais uma coisa, voce diz que quer sair dessa, mas no fundooo, la no fundo, voce nao quer!!! Voce acha que deveria sair, que deveria querer, mas no fundo, voce quer ficar remoendo!!! Basta ver as comparações que voce ainda faz, depois de anos!
    Esquece essa historia, ria dela, imagine-se naquelas comedias romanticas!!!
    Nao pense no quanto machucou.
    Pense que passou, assim como tudo passa!!!
    E voce sobreviveu.
    Agora trate de viver, pois sobreviver nao basta!!

    Beijos

  57. #68
    janaina zorzato
    09.11.2014 - 19:37

    Adriana, querida, em primeiro lugar, saiba que o problema é com ELE e não contigo. Também fui descaradamente traída por um ex que também traía a mulher dele,anterior à mim. Chutei ele para longe e segui minha vida. Recentemente, fiquei sabendo que ele trai e muito, a atual dele, portanto, traição é tipo uma doença incurável. Segue em frente, faz o teu melhor, talvez uma terapia e verás que ainda vias rir disso tudo, assim como eu rio muito hoje em dia! beijos

  58. #69
    09.11.2014 - 20:18

    E a vontade que eu tenho de te mandar a minha história ( apesar de vc já saber ) só pra tomar um monte de esporro das meninas…e quem sabe assim eu tomo vergonha na cara?

    • #70
      Constanza
      09.11.2014 - 20:28

      MANDA! Por favor. Adoraria te dar esporro de novo kkkk sério, manda.

  59. #71
    Thaís
    09.11.2014 - 20:30

    Adriana que tal se inspirar no depoimento da Dani? Se ame primeiro, fique linda,saia de casa, para as pessoas te notarem… A felicidade não baterá na sua porta. Bju depois volte e conte para gente.

  60. #72
    Filosofando
    09.11.2014 - 20:48

    Para ambas : Não é o que fazem com você, é o que você faz com o que fazem com você.
    Beijinhos!

  61. #73
    mayara
    09.11.2014 - 21:27

    EU to passada em ver que eu teria acho q dezenas de excelentes amigas só vendo as opiniões expressas nesse grupo, quanta gente sensata!!!!!!!! Adriana eu sinto muito MESMO!!!! fiquei curiosa para saber se vc ainda trabalha na mesma empresa (acho q a distancia dessas 600 pessoas piedosas te faria bem) e se vc ainda mora na mesma cidade, essas coisas… pq fia, acho q uma repaginada ambiental te faria muiiiiiito bem!! e amor próprio, muito!!!! beijos

    e ah, admiro mto quem deseja felicidades pra ele… eu achei ele um DESGRAÇADO DESALMADO, que merece seu desprezo, embora vc deva entregar a ele apenas sua indiferença!! torço MUITO por vc, e te peço por favoooor que seja uma pessoa pra cima, bom humor muda TUDO!!!! ou sou uma completa retardada, e me sinto mto feliz por levar a vida com leveza… beijos minha flor

  62. #74
    Mari
    09.11.2014 - 22:25

    Li todos os comentários pq me identifiquei demais com as histórias.

    Adriana, minha história foi além da sua: namorei por 5 anos, noivei e fiquei casada por 3. Reformamos apartamento, fomos juntos ao médico para planejar a gravidez, comemoramos o aniversário dele como ele queria, os pais derem um sinal para comprar um ap do nosso lado, tirei férias para reformar o banheiro e limpar a casa e descobri a traição com uma aluna (tinha foto dela pelada e ele falando mal de mim, pq eu estava limpando o banheiro). Em 23 dias eu estava divorciada. Isso já tem 1 ano e 4 meses. Dói? Absurdamente! Vc se questiona, questiona a vida, questiona Deus e tudo o que aparecer. As meninas deram ótimos conselhos. E te dou um que valeu para mim: aprenda. Aprenda com tudo isso, mesmo que isso revire sua cabeça. Se torne outra pessoa: melhor, mais bonita, mais inteligente. Deixe tudo aquilo para trás. Hj, apesar de ainda estar me reerguendo (pq divórcio traz tb problemas financeiros) eu agradeço por tudo o que aconteceu. Eu aprendi que nunca mais deixarei ninguém conduzir minha vida e muito menos deixar de me amar e querer o melhor pra mim. Aprendi que tenho que viver para mim e por mim. Fazer coisa sozinha não é problema, o problema é ser solitária com alguém do seu lado. E eu me sentia assim: solitária, destruída. Procure ajuda: psicólogo ajuda a mostrar o seu caminho, a clarear os pensamentos. Se cuide, se ame, se ajude. Fique com a sua família, procure uma religião. Quando eu procurei ajuda, ouvi uma frase que me ajudou e ainda ajuda: o que aconteceu, aconteceu e isso significa que vc não tinha o entendimento suficiente no momento para ver o que estava de errado. Hj, pelo seu depoimento, o entendimento está chegando. Agarre e reviva. Saia desse buraco e vá viver. Não dê a ele esse presente: de ver vc destruída. VC não merece isso e nem deve passar por isso. Acabou e agora só vc pode ter as rédeas da sua vida. Vá em frente, mesmo que isso doa. Mas lembre-se: o tempo é mercúrio-cromo.

    Janaina: boa sorte! Converse e ao mesmo tempo busque sua independência. Viva, pq vc tem muita coisa pela frente e vc será que tudo isso tb será um aprendizado.

    Dani: parabéns pela sua força!

    Grande beijo a todas.

  63. #75
    Camila
    09.11.2014 - 22:43

    Adriana, já falaram muito por aqui, mas eu também já passei por história semelhante. Justamente por vc ver todo mundo dizer isso nos comentários, é que deve passar pra frente essa história! Todas nós passamos por isso em algum determinado momento da vida. Um ex meu terminou comigo do nada, e depois fui saber que a razão foi sua colega de trabalho. Aquilo me deixou no pior estado possível, sem querer comer, sem conseguir respirar, dormir.

    Vou te dizer, já fazem quase 2 anos que tudo ocorreu e hoje eu namoro outra pessoa, mas não, não “sarei” por completo. Sou muito ciumenta hoje em dia, me comparo com todas as mulheres, sou insegura, fico com aquela sensação de “não posso ser feita de trouxa de novo” – coisas q nunca havia sido/pensado na minha vida. Mas estou sarando aos poucos sabe? E o que me salvou foi realmente fazer terapia: posso dizer que hoje sou outra pessoa, muito melhor que antes! Além de tratar esse problema acabei tratando outros q nem pensava, me descobri outra pessoa, mais consciente de mim. Enfim, fica meu conselho. Boa sorte!

  64. #76
    Priscila
    09.11.2014 - 22:49

    ADRIANA,

    Ao ler o seu desabafo, não consegui não comentar, já que estou passando por uma situação parecida. Terminei um namoro de 7 anos há 8 meses e junto com ele, foi-se aquele sonho de casamento. Estava de casamento marcado, em igreja tradicional católica, vestido e essas coisas… enfim, o que sei é que dói muito, dói demais, é uma dor sem fim… achei que não suportaria… foi quando a minha mãe ligou para a terapeuta dela, pedindo que ela me atendesse. Fui por amor à minha mãe e foi a melhor coisa que eu fiz. Uma vez que a gente verbaliza o sofrimento, a gente consegue perceber que ele não é tão monstruoso assim, a gente percebe que o sofrimento acaba nos fortalecendo. E uma terapeuta, por ser imparcial, consegue nos ajudar a enxergar várias coisas que não enxergávamos antes. Comecei a perceber que, antes de depositar a minha felicidade em alguém, eu preciso ser feliz comigo mesma. Eu sei que é difícil, pois eu faço um esforço danado para cuidar de mim mesma, mas não abro mão de cuidar do meu cabelo, das minhas unhas, faço academia, trabalho muito, enfim… a vida continuou, está continuando. Tenho lido alguns livros que ajudam a aumentar a minha fé, afinal, temos que acreditar que Deus, a transcedência, uma energia, anjos, enfim, temos que acreditar que há algo além de nós energizando positivamente nossas vidas. Tento sempre pensar que o mal que se abateu sobre mim vai ser transformado em coisas boas, já está sendo transformado em coisas boas. Tenho aprendido que os meus sonhos, aquilo que move o ser humano, não pode estar vinculado a uma pessoa que não enxergou o meu valor, ou que simplesmente não gostava verdadeiramente de mim. Adriana, NÃO se culpe! Quando eu contava para as pessoas que terminei, todo mundo dizia: “Ahhh, com todas as qualidades que você tem, logo você arruma outro!” Aí eu me perguntava por que meu ex não enxergou todas essas qualidades? Ou será que meus amigos estão mentindo? Rsrsrsrs! Enfim, brincadeiras à parte, eu consigo sim enxergar em mim muitas qualidades mesmo, mas isso não é suficiente para alguém gostar verdadeiramente de mim… o amor simplesmente acontece, ou não. E se ele não aconteceu verdadeiramente para nós com essas pessoas com as quais relacionamos, não significa que não acontecerá com outros. Depois de 8 meses eu começo a acreditar que as coisas, em algum momento, irão dar certo. Até voltei a sonhar em me casar sim.Faça planos. Tenho pensado no quanto a vida é curta e o quanto precisamos ser felizes nesse curto espaço de tempo. Faça planos que você possa alcançar sozinha, e, quando surgir alguém bacana, ele vai encontrar uma pessoa inteira. É assim que tenho tentado… é assim que tenho conseguido forças para seguir em frente. Que tenhamos coragem sempre!

    Constanza, adorei isso no blog. Você é uma fofa! De uma sensibilidade incrível!Afinal, nada adianta uma aparência legal, se o coração estiver mal.

    Beijos,
    Pri

  65. #77
    Raquel
    09.11.2014 - 23:00

    Janaína, menina, que situação!!
    Tentei me colocar no seu lugar, acho que eu surtaria tendo que viver com essas pessoas… pelo que você falou seus pais tem condição financeira boa né? Se pagaram cirurgia plástica pra sua irmã… e você tem que bancar sua passagem até para a Faculdade?? Isso é um absurdo, totalmente revoltante!!! Procurei saber e existe um artigo que não pode haver discriminação entre filhos adotados e legítimos, é o Artigo 227, no parágrafo 6º da Constituição.

    Desculpa a revolta, mas eu não ia deixar barato isso não…

    Bjs e boa sorte!

  66. #78
    Debora
    09.11.2014 - 23:01

    Oi Adriana,

    Muitas meninas deixaram comentários ótimos de inspiração e motivação para vc. Mas pelo que eu percebi nas suas palavras vc já está bem ciente de td isso e já deve ter ouvido de varias pessoas bons conselhos.

    Meu recado para vc então será mais pratico. Comece separando um dia da semana para vc! Acenda umas velas perfumadas no banheiro, tome um banho relaxante, faça uma esfoliançao no corpo, passe um creme hidratante no cabelo e uma máscara no rosto, enquanto isso escute uma música ou assiste um programa q goste. Faça as unhas, se maquie! Tente fazer algum exercício, vale uns abdominais ou alongamentos em casa mesmo, quando a gente se exercita o organismo libera um hormonio que nos faz sentir bem.

    Essa mudança vai começar de fora para dentro, mas tirando esse tempo para cuidar do seu corpo vai fazer com que vc se sinta mais feliz e confiante a cada vez que se olhar no espelho. As pessoas ao redor tbm vao reparar.

    Vc nunca vai esquecer o que te aconteceu, mas a intencidade vai diminuir. Hj vc só é quem vc é por td q já te aconteceu na vida, bom ou ruim.

    Espero ter ajudado 😉
    bjbj

  67. #79
    Gabriela Marinho
    10.11.2014 - 05:19

    Gente tá mt babado essa tag!!
    Adriana mulher pelo amor de Deus, o problema era ele.. Passei por algo parecio e não existe vergonha nenhuma em procurar ajuda profissional, apesar de eu ter percebido na terapia que a resposta já estava em mim mesma, eu só precisava botar em prática: AME-SE PRIMEIRO, parece clichê, mas o dia que vc se sentir a vontade em si mesma, livre, feliz, vc vai entender o que eu digo… Entenda quem vc é e se ame, hoje eu percebo que sou feliz com meu noivo pq eu já era feliz antes dele, hj eu sou MAIS AINDA, ele me complementa, me faz transbordar de amor e felicidade, pq o meu pote já estava quase cheio, o seu tá parecendo quase vazio mulher!!
    O que me ajudou bastante também foi me ocupar, o que até ajudou a me emagrecer uns 10kgs tbm, pratique esportes, veja filmes, seriados, conheça pessoas novas, VIAJE! O tempo te dá uma perspectiva tão melhor das coisas quando vc usa os percalços pra crescer… Sério, sem querer soar frozen, mas LET IT GO desse cara, nem queima neurônio com quem não merece. A vida é curta demais para não ser vivida.

  68. #80
    Camila
    10.11.2014 - 07:39

    ADRIANA,

    Eu namorava há 3 anos e estava noiva quando ele engravidou uma menina de outro estado em uma viagem que fez, depois disso descobri que não foi a primeira traição, ele me traia muito e nunca desconfiei. Depois da gravidez terminei com ele e doeu muito, meu mundo desabou, era muito novinha e ele foi meu primeiro namorado sério. Nosso namoro nunca foi um mar de rosas e estava longe de ser uma relação saudável e hoje agradeço a Deus por essa criança, pois se não fosse ela provavelmente estaria casada hoje e vivendo em uma montanha russa que era o nosso relacionamento e vendo a cada dia o mau caráter que ele era. Hoje não sei como namorei 3 anos com esse babaca kkkk acho ele um imbecil, e corre atrás de mim até hoje. Aprendi a colocar meus sentimentos em PRIMEIRO lugar, e me amar primeiro, a me respeitar e a não aceitar aquilo que me fere. Hoje namoro a 1 ano, e tenho um relacionamento saudável com alguém que tem caráter e princípios além de beeeeeeeeeeeeemmmmm mais gato kkkkkk Amo muito meu namorado atual, mas não duvide que se um dia ele pisar na bola e me ferir estou pronta para virar as costas e seguir minha vida sempre em frente.
    Emfim….HÁ MALES QUE VEM PARA O BEM!!! creia nisso e não alimente esperanças de que um dia ele vai sofrer e se arrepender pelo mau que causou, tem pessoas que simplesmente não tem caráter.

    Boa sorte e SE CUIDE.

    bEIJOS

  69. #81
    Ozzy
    10.11.2014 - 09:14

    Eu tenho uma sugestão, além da terapia (que eu acho super importante), para dar a volta por cima após uma desilusão amorosa: faça caridade. Procure um hospital, um asilo, uma creche. Ver problemas reais, pessoas lutando contra doenças graves, contra miséria, abandono, ajuda a limitar o problema pelo que estamos passando.
    Quando eu ouso pensar “por que comigo”, “eu não mereço isso”… eu penso em pessoas com doenças terminais, pessoas com doenças degenerativas, deficientes que enfrentam dificuldades para fazer o básico por causa de algumas limitações, etc.
    Ver que tem muita coisa pior e as vezes sem “jeito” ajuda muito.
    E a partir do momento que você delimita o seu sofrimento, ele passa a se tornar cada vez menor e sem importância.

  70. #82
    Mariana
    10.11.2014 - 09:22

    Adriana: lhe contarei a minha história – que foi BEM parecida com a sua.
    Namorava há 3 anos com um cara que eu era apaixonada! Também falávamos em casamento – ainda não estávamos nos preparativos – mas era uma coisa que ia rolar logo logo. Bom, no dia do aniversário do meu pai, que seria a noite, ele me LIGA com uma voz horrível, dizendo que queria conversar. Veja, em nenhum momento nós brigamos nem nada – ao contrário – no dia anterior combinamos de comprar juntos do presente do meu pai. Bom, resumindo, ele me disse POR TELEFONE que queria terminar. Fiquei tão chocada que não consegui nem chorar. Disse que ele era um covarde. Aí ele aparece na minha casa chorando, dizendo na verdade que queria dar um tempo. OK, aceitei. Imagina a minha família INTEIRA a noite perguntando onde ele estava?!?!? Ficamos um mês sem se falar até que eu perdi a paciência e entrei em contato. No jantar ele disse que pensou muito e que queria voltar comigo. UFA que alívio né? No dia seguinte, a minha “cunhada”: namorada do irmão dele (que eu mal conhecia!!!!!!) arranjou meu telefone e disse: “Mari, sei que não somos íntimas, mas gosto de vc e não quero que seja feita de boba – o XXX está com outra e faz tempo, estão falando em casar – pode olhar o ORKUT dela que é esse aqui” (era a época do Orkut ainda).
    Adriana, meu mundo caiu. Me senti enganada, suja, puta da vida. Não tenho palavras para descrever, por isso que eu sei o que vc está passando. Seis meses depois eles casaram e tiveram uma filha. Todos souberam, principalmente porque ele é irmão de uma amiga de infância minha. Fiquei mais arrasada ainda. Perdi 10 kilos, não queria falar com ninguém. Até que um dia, eu levantei da cama e disse CHEGA. CHEGA dessa vida de coitada. Sei o que é sentir olhar de pena. Sei o que é sentir estragada. Mas digo com tranquilidade – não sofra mais – tem que vir de dentro isso. Um dia vc vai olhar com indiferença para tudo isso e pensar no tempo que perdeu sofrendo. Não busque mais saber da vida dele – isso só piora as coisas. Não se compare “a outra” – o cara que é FDP e não vc que tem defeitos.
    Fique tranquila que passa. Para isso, chame suas amigas para sair e tome um porre daqueles (é bom e resolve), ouça músicas motivacionais no último volume como se não houvesse amanhã, paquere gatinhos sem que isso leve a algum relacionamento – faz bem pro ego e para alma.
    E vc vai ver, assim que vc estiver se sentindo segura, bonita e bem com vc mesmo, o príncipe encantado VAI aparecer e fazer vc até esquecer o nome do desinfeliz. Como aconteceu comigo.
    Hoje estou noiva de um cara maravilhoso – de caráter, companheiro, que me respeita e posso falar, dou graças a Deus que tudo aconteceu. Me tornou mais forte, mais bem resolvida e abriu caminho para eu conhecer o verdadeiro amor da minha vida.
    Fique tranquila minha amiga: a vida é muito curta para sofrer por quem não nos respeita.
    Fique com Deus.
    um beijo.

    • #83
      Constanza
      10.11.2014 - 09:59

      Nem sei o que falar… obrigada pelo depoimento…

  71. #84
    Camila
    10.11.2014 - 09:44

    Adriana,

    Querida, deixa eu te falar uma coisa. Provavelmente você já ouviu isso, mas mesmo assim vou dizer: APENAS PARE de procurar o defeito, a culpa, o problema EM VOCÊ. O errado na história toda FOI ELE, amiga. Mude essa perspectiva. Essa é a raiz do seu problema. E não digo que o errado foi ele por mudar de ideia e ir procurar a felicidade dele em outro lugar não… o erro foi A FORMA como ele fez. Digo isso tudo porque já me acabei toda com o término de um relacionamento que eu adorava mas que acabou com a minha auto estima. Bem assim, um belo dia o sujeito mudou de ideia e esqueceu de me avisar. E ainda foi um ogro e me tratou pior que a uma estranha. Mas enfim. O ponto é: sofri horrores tentando entender onde EU tinha errado, até que um dia eu acordei com uma vozinha na minha orelha dizendo “e quem foi que disse que VOCÊ errou, gata?! O babaca FOI ELE!” e fez-se a luz! rs
    Finalmente saí do ciclo de auto-flagelação em que eu tinha me enfiado, e finalmente fui aos poucos voltando à vida. Vire a página, gata. O que você precisa e merece é alguém que goste de você como você é. Mesmo que demore. Todas merecemos isso! É o mais básico! E não deveríamos aceitar menos.
    Então sacode a poeira! Entra na academia, faz uma massagem, muda o corte do cabelo! Faça algo que deixe você se valorizar mais! Porque ninguém valoriza a gente enquanto a gente mesma mão faz isso, amiga. O processo começa com a gente. Força aí, e lembre que tudo acontece por uma razão. Algum dia você vai olhar pra trás e será capaz de rir disso tudo, e de ver que realmente não era isso que era pra ser.
    Espero ter ajudado… Beijocas.

  72. #85
    Gabriela
    10.11.2014 - 09:47

    Cony e Adriana…

    Olha mocinha (Cony) parabéns, você está se saindo muitissimo bem! Confesso que quando você lançou a ideia fiquei receosa, pensei que viria cheia dos “faça isso, faça aquilo”, mas não! Você analisa muito bem a coisa e é muito sutil e diretiva ao mesmo tempo, parabéns de novo!

    Se eu pudesse resumir em uma frase o seu conselho para a Adriana eu diria que a frase seria quando você disse: SE DESAFIE.

    È uma frase tão pequena, mas só os que tentaram e persistiram conhecem o seu poder.

    Estamos acostumados a nos manter na rotina, mesmo que seja uma porcaria de rotina. Toda mudança gera medo. Sou psicóloga e sempre estudamos em psicanálise sobre o movimento da terapia. A coisa mais comum é darmos dois passos pra frente e um para trás. Normal, ok. Não precisa se punir por fazer uma bobagem aqui e alí, o importante é continuar caminhando, mesmo que um passo por vez.

    Adri,
    Você não vai conseguir explicar, mas sempre vai sentir que existe uma força maior que te prende a ficar onde está. a repetir o que está fazendo. Tem um gozo inconsciente nisso aí. São anos de repetição e gozo nesse sofrimento e você precisa sair dessa zona de conforto. Sim, até sofrimento causa conforto pq é um sofrimento conhecido, o que a gente tem medo mesmo é do desconhecido.

    Se eu pudesse contribuir com alguma coisa, eu sugeriria imprimir todos os comentários que de alguma forma te tocaram e levava sempre com você, volta e meia dava uma lida e se reabastecia de forças.

    Beijos nas duas.

  73. #86
    10.11.2014 - 10:10

    Cony, bom dia. Leio seu blog há muito muito tempo… no mínimo uns 4 anos hahaha E hoje te considero quase amiga. Pois as vezes leio aqui o que preciso.
    Enfim, li todos os comentários e tenho uma história sobre o caso da Adriana. Sei o quanto ela deve estar sofrendo e já sofri igual ou quase igual, mais por menos tempo.
    Namorei por 6 anos, ele foi meu primeiro tudo mesmo, doei minha vida por ele, sim, doei, pois ele me fez afastar de TODAS as minhas amigas, prima, se ele me pedia para andar de tenis eu só andava de tenis. Ele sempre morou em uma distância de quase 2 horas de mim e na maioria das vezes eu ia atras. No nosso terceiro ano de namoro, época de orkut ele foi morar a 500 km, tiveram varios problemas nessa cidade, ele brigou com algumas pessoas, eu recebia recados no orkut que ele me traia, etc. E eu sempre fiquei do lado dele, ele falava que não traia e eu acreditava. E foi assim mais tres anos.
    Chegou um ponto que apenas eu ligava, apenas eu ia atras dele, sou formada em publicidade, ele quis montar um negocio proprio e eu fiz toda campanha de lançamento, logo, etc… Meus pais brigavam comigo, pois eu não tinha uma vida minha, até que um dia discutimos e ele disse q estava passando mal, dei uns minutos e liguei novamente e o celular atendeu sozinho no bolso. Fiquei durante 40 minutos ouvindo ele me trair, sorrisinhos com voz feminina, passada de mão, declarações. Enfim, foi um rebuliço, depois eu falei e ele mesmo assim NUNCA assumiu a traição, dizia que eu que não confiava nele, me humilhou em palavras que prefiro não dizer. Enfim, fiquei solteira, sem amigas, todos olhando para mim com pena. Comecei sair com minha prima, que foi o meu maior ponto de virada. Chorava em bar, balada. Um dia fui viajar, 3 meses depois do térmico, e tinha a senha do facebook da empresa dele. Entrei, sofrendo ainda, com um buraco, e vi uma conversa dele com palavras que prefiro não reproduzir, dizendo a um amigo que seria pai, o amigo questionou se eu estava grávida e a resposta dele foi: Não, agora estou com uma mulher de verdade e ela que está grávida, estou com ela há 8 meses.
    Esse foi o ponto crucial para a mudança, eu não admitia ter me doado tanto para ler q não era uma mulher de verdade. E a partir disso primeiramente queria provar para ele que era mentira. Depois percebi que o que importava era provar isso para mim, sofri, mais dei os pontos no meu coração, fui tratando e cicatrizando e fui feliz, mudei cor de cabelo, corte, viajei um monte, nada melhor do que isso. MUDE, as vzs é bom mudar de fora para dentro.
    Hoje me considero muito muito muito feliz, comigo e com todos, estou amando novamente e sei o quantooo esse aprendizado ajudou na minha relação atual. Desejo ao meu ex muita felicidade e agradeço a ele por ter me machucado e eu ter cicatrizado sozinha.
    Adriana, MUDE, se queira bem, não pense no que os outros pensam, pense apenas em VOCÊ, nada no mundo é mais improtante que isso. Jogue fora tudo que lembra ele. RENOVE>
    Desculpa o texto longo. beijos

    • #87
      Constanza
      10.11.2014 - 10:54

      Gente, como podem existir tantos fdp assim por aí? Graças a Deus que a cada caso tem um final de que agora estao com caras legais, senao ia me jogar da ponte agora kkkk

  74. #88
    Isa
    10.11.2014 - 10:10

    Adriana: terapia URGENTE! Sério! Isso já tem MUITO tempo e vc ainda não está bem… já era pra ter passado!! Vc tem que aprender a se amar novamente, a olhar pra você, a parar de sentir pena de si mesma! Vai, garota, não perde tempo não. A vida passa muito rápido pra perder tempo com quem não vale a pena.

  75. #89
    Bruna Costa
    10.11.2014 - 10:19

    ADRIANA:

    muito tenso seu caso. Nem imagino a dor que vc sentiu e ainda sente. O pior é acara de pena das pessoas né, igual vc falou.
    Mas fiquei na duvida: vcs continuam trabalhando na mesma empresa?

    O que eu tenho pra te falar é: PARA de se comparar com a mulher que ele tá agora!! Vc não parou pra perceber que a questão não é ela, é ele?
    Ele que foi o babaca da historia! Podia ter te trocado pela mais feia do mundo (e ai vc iria falar “nao acredito que ela me trocou por essa feia. Sou tão ruim assim?”)
    É normal pensarmos nisso e nos compararmos na época, mas agora que já faz tempo, tenta reconhecer que o problema é ele.
    Tenho uma ex paixaozinha ai que nunca vou conseguir superar 100%. Ele aprontou todas comigo e dizia que nunca iria namorar.
    Hoje ele namora uma menina PÉSSIMA.Ela é bem feia. Dói né, claro. Eu penso: “que menina feia, sou mais bonita. QUero ir gostosa na festa pra ela ver”. Mas não fico me comparando. Pq EU, mais do que ninguem, sei o que ele perdeu!!! E o problema sempre foi ele. Ele é o babaca. Entao tenta se reerguer!
    Te aconselho dar uma viajada. É sempre bom nessas situações. Se já viajou, vá de novo. Pq claramente ainda não superou.
    E vá fazer o que vc gosta. Se ta achando ruim de estar gordinha, va na academia e faça dieta. Mas se isso nao te incomoda e pensou nisso só pq ele terminou com vc, larga pra lá e curte vc mesma gordinha!!! Tenho CERTEZA que vc é uma pessoa maravilhosa!!
    E lembra do clichê (que é verdade!): tempo.
    A cicatriz vai ficar em vc SEMPRE, mas a dor, um dia, acaba!! Tenha fé em Deus e calma!

  76. #90
    10.11.2014 - 10:25

    Oi, meninas!
    Adriana: vc passou por uma situação extremamente triste. Já fui traída e sei como dói. Mas penso que é hora de seguir em frente, não? Todo mundo precisa de um tempo para o luto, mas ele tem prazo pra durar. Acho que vc já sofreu o bastante. Procure ajuda, saia com as amigas, vá no psicólogo, viaje, vá pra academia, faça aulas de dança… enfim, dê um jeito de se divertir! O melhor jeito de se vingar desse FDP é dar a volta por cima e mostrar que mesmo ele tendo sido um baita cretino, ele acabou te fazendo um favor! Pq pense como teria sido pior se vcs tivessem se casado e depois vc tivesse descoberto a traição. Enfim, acho que vc deve se reerguer HOJE, pare com esses pensamentos ruins, sacode a poeira e segue a vida!
    Janaina: conversar é sempre bom. Nem sempre dá certo, mas não custa nada tentar! E se não adiantar, acho que o jeito será vc se conformar e seguir em frente. Infelizmente a gente não pode obrigar ninguém a amar a gente, mesmo que sejam os nossos pais. É triste, mas é verdade.

  77. #91
    daniela borghi
    10.11.2014 - 10:56

    gente, cada depoimento emocionante!!
    Eu não tinha dado meu conselho ainda, mas vou dizer:
    Adriana…faz uma viagem, se inscreve num curso, vai p academia, começa se cuidar como se não houvesse amanhã!!
    A vida é muito curta p ficar sofrendo…
    com o tempo tudo se ajeita, mas começa se cuidar…
    tudo isso vai passar, pode ter certeza!!
    um beijo, fica com Deus!

  78. #92
    10.11.2014 - 10:57

    Olá Meninas!
    Adriana, sei que deve ter lido muita coisa parecida nos comentários acima, mas vou te contar minha história (de forma resumida e com foco na superação).

    Eu namorava um cara da faculdade, e tinha uma amiga, muuuuitissimo amiga, que era amiga em comum, mas era mais minha do que dele.
    Um belo dia eu descobri que os dois estavam juntos. Soltei os cachorros em cima dos dois. Muitas pessoas dizem que eu deveria ter deixado pra lá, mas eu não fiz, porque eu sei que sentiria como se não tivesse colocado um ponto final.
    Ela, a vagaba, tinha um namorado na época, um fofo, eu gostava muito dele como pessoa, dedicado, inteligente, foi pra minas estudar Bioquímica na federal e voltou porque não aguentou ficar longe dela; E a Vaca terminou com ele pra ficar com o carinha, e o carinha terminou comigo depois que já estava com ela.
    A faculdade inteira ficou sabendo, eu fiquei arrasada, um caco por dentro, mas quando ia pra facu, sem vontade nenhuma, inicio de semestre, com os dois na minha turma, vc acha que eu ia o trapo?! Que nada, como sou orgulhosa que só vendo, me arrumava no ultimo, o máximo que podia, chegava sorrindo… mas chegava em casa chorando. Chorava o dia inteiro, e a noite inteira após a facu.
    Eu disse a ele, quando ela arrumar um mais nerd que você, melhor que você e com mais chances de ficar Rico que você, ela te troca, assim como trocou o ex. Não pensa que você é o tal pra ela porque você não é.
    Eu disse a ela que tudo o que vai, volta, que é karma (não acredito muito nessas coisas mas tem horas que não tem como não acreditar).

    ( e no fim ela terminou com ele ok?! Ele entrou em depressão de novo e ela sofreu um bocado, porque ele vivia atras dela, ligava direto e a xingava de tudo quanto é nome, e eu rindo feliz da vida. Não costumo desejar o mal pros outros, mas achei bem feito, pra ele ver como é ruim.)

    Eu chorei, eu fiquei mal, eu fiquei como você, por uns 2 anos. Eu olhava o face dos dois, eu ouvia as pessoas comentarem, nossa, foi horrível. Eu sei o que é essa sensação de todos te olharem e dos olhares de pena.

    O que eu posso te dizer, de tudo isso:

    Sabe porque você ainda sofre?! Porque você o amava, de verdade, apesar de ele não merecer, mas vou te dizer o seguinte, demora E MUITO pra passar, é uma dor que deixa rastros mesmo, é um sentimento que só quem passa sabe como é, mas vou te dizer uma coisa, amor próprio é fundamental! Você tem todo o direito e razão de ter medo de se relacionar novamente, eu também tinha! Mas dai, um belo dia, toquei o Fod*-se geral. ~Ia pra balada, Não pra “piriguetar”, pois nunca fui de ficar saindo muito, mas dançar a noite inteira e ficar com os pés doidos no outro dia e com a sensação de noite boa. Pra ficar toda arrumada e receber cantadas, pra receber números de telefone no guardanapo, porque estava carente e sentia que assim, eu não era um lixo, que não era totalmente desprezada e que alguém ainda podia se interessar por mim. Depois percebi que isso não me levaria a lugar nenhum, então comecei a me amar. Como?! Cuidando de mim, ficando bonita pra mim, me mimando e etc. Deixei meu ego lá em cima, mas não pra mostrar para as pessoas, isso foi pura e unicamente pra mim.
    Dri, quando você se ama não importa o resto. O resto vem.
    Quando comecei a me amar de verdade, conheci meu noivo, e até hoje quando me arrumo é primeiro pra mim, depois pra ele.

    Meu conselho é, procure um psicólogo, eles sempre ajudam E MUITO, se ame, se valorize, não faça burradas achando que vai se sentir melhor porque não vai. Tudo de bom que for fazer, faça por você. Atitudes e pensamentos bons, atraem coisas boas.

    PS: Eu a vi depois de muuuuito tempo. Uns dias atrás, eu estava no carro e ela passou, a vontade de dar na cara dela surgiu novamente, mas dai eu pensei “isso não vai me agregar nada, estou aqui com o meu digníssimo… não vale a pena interromper minha companhia tão boa e tudo pra dar um cisco de atenção pra essa vadia.”

    Só estou te contando esse ultimo acontecimento pra te mostrar, que por mais que não, no fundo do nosso ♥, fica a mágoa agarradinha… cabe a você identificar o que vale a pena ou não receber atenção. Bloqueie ele, parentes, amigos e todos que estiverem ligados aos dois nas redes, mesmo que vocês não tenham “amizade” nas redes, bloqueie, isso vai ajudar bastante a não curiar. Não adianta porque sempre procuramos. Faça isso e procure ajuda de um profissional por você. As vezes precisamos aprender a nos amar.

  79. #93
    10.11.2014 - 11:24

    Tantos comentários bacanas que já disseram tudo o que eu queria dizer.
    Adriana, posso te dar um abraço??

    http://www.estiloadois.com.br

  80. #94
    Anna Camila
    10.11.2014 - 11:57

    Muuuito chocada com todas essas histórias!
    Não tenho conselho pra dar, é mais uma dica…
    Conheci pelo Instagram a @brigadeirodealface, sei que ela também tem um blog de mesmo nome e escreve textos de auto estima lindos e emocionantes! Ela escreve sobre a relação mulheres X comida, mas muito sobre o poder da mulher!
    Adriana, principalmente, acho que vale a pena ler os posts dela! Tire o foco desse babaca que te fez sofrer! Acredite que você é linda e especial e ÚNICA!!! E só isso já é motivo para você tentar ser feliz! Vá atrás de descobrir esse seu poder!
    Tem muitas mulheres aqui torcendo por você!
    SEJA FELIZ!!!!!

  81. #95
    Thaís Fernandes
    10.11.2014 - 12:06

    Nossa!!
    Cá estou com o coração na boca!
    Tantos depoimentos, tanto apoio nos comentários… Fico pensando como nós mulheres sofremos… Passamos por cada uma. Fiquei com os olhos cheios de lágrimas ao ler a Adriana. Acho que um dia ele terá o que merece. E concordo com o que disseram sobre ajuda profissional. Temos que colocar pra fora! Nos encontrar no meio dessa desilusão…
    Torço muito por todas vocês! Por todas nós!
    Um enorme beijo, Cony!

  82. #96
    Amanda R.
    10.11.2014 - 12:54

    Nossa muito punk o caso da Adriana, mas Coni disse tudoooooooo que eu diria também! E ah, Adriana, procure fazer uma terapia, vai ser ótimo, vai te transformar, acredite!

    A história da Jana, também não consigo entender isso de adotar e tratar a pessoa com diferença, mas essa é uma questão muitooo complicada, acho que temos que ter muito cuidado com o que falamos aqui porque não sabemos ao certo, quando ela foi adotada, em que momento da vida dos pais e muito menos o pq dessa diferença. Enfim, Jana, você já falou com eles sobre fazer uma terapia? As vezes uma terapia familiar pode ajudar e muito a entender o pq disso tudo… enfim, não quero me aprofundar pq acho que essas questões familiares são muito mais complicadas que questões sobre relacionamentos… Mas Jana, apesar de qualquer diferença, continue sua vida firme e forte, logo logo você terá um emprego melhor e se Deus quiser não dependerá de mais ninguém! Você vai vencer muito ainda, acredite!

    E por fim, infinitas palmas para a Dani! Clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap clap!

  83. #97
    Aline
    10.11.2014 - 13:07

    Adriana,
    Você já viu quantas mulheres aqui nos comentários já tiveram sofrimentos marcantes, cada caso com sua especificidade.
    Também tive o meu caso traumatizante, não foi igual ao seu, mas minha primeira reação foi como a sua.
    Então, meus conselhos/observações são:
    1) tire a zica desse relacionamento que ainda está impregnada em você! Tem um milhão de jeitos pra isso! Faça algo que você sempre gostou ou que sempre quis fazer e ele não aprovava ou curtia. Tome coragem e faça uma viagem com companhias leves e divertidas (amizades recentes e inesperadas podem ser úteis nessas horas, pois trazem energia nova). Viajar sempre abre nossos horizontes. Cuide-se com maquiagem, academia, sem projetos “verão” malucos, só se preocupe com o cuidado diário consigo mesma. Matricule-se em algum curso desejado. Saia sozinha ou com amigas. Ou faça terapia, se estiver aberta a isso (eu acredito que terapia não é algo que a gente faz forçada, senão a gente paga e se fecha para o terapeuta, daí nem adianta).
    2)Só porque ele casou e teve filhas, não quer dizer que ele “venceu” ou que ele é “respeitável” (pelo contrário). Nem a mulher dele é melhor ou mais “isso ou aquilo” do que você. Mulher tem essa mania de competir mentalmente com as outras. E, competindo, muitas vezes a gente se vê mudando e abrindo mão de coisas importantes pra ter um cara qualquer ao nosso lado. NÃO HÁ VENCEDORES OU PERDEDORES! Você só irá encontrar o cara que vai te amar de verdade, se você aceitar e superar isso! Essa história vai fazer parte de você sempre, mas vai te fortalecer e melhorar seus relacionamentos futuros, desde que você se redescubra e use todo esse sofrimento para procurar a alegria. Saber tudo o que você não quer que aconteça de novo com você te dá força para procurar o que te faz feliz.
    3) Seguindo os conselhos pra sair do luto, não espere ficar feliz do dia para a noite! Você terá momentos muito felizes e muito tristes, mas a cada dia perceberá que os momentos tristes estão ficando cada vez mais curtos e mais raros.
    4) Nenhum príncipe irá te salvar do luto! Só depois que você tornar essa história um verdadeiro passado é que conseguirá encontrar alguém à sua altura. Você estará mais forte e encontrará alguém também mais forte.
    Meu noivo e eu vivemos coisas diferentes nos nossos passados antes de nos conhecermos, cada um de nós teve seus trauminhas e fantasmas e superamos tudo antes de nos conhecermos. Isso nos deixou mais fortes e nos permite viver um relacionamento saudável.
    5) O primeiro passo para sair desse luto é o mais difícil, mas pense que todos os passos depois desse serão muito mais fáceis e prazerosos!
    6) Acredito que tem cara que não presta e nunca vai prestar, mas a maioria dos caras, mesmo os mais bonzinhos, já foi sacaninha com uma mulher que não amava. No entanto, quando há sentimento verdadeiro, os homens se entregam. Então, não projete seu passado nos homens que conhecer daqui pra frente, mas use sua história para fortalecer sua intuição e só permitir a aproximação de quem tem boas intenções e bons sentimentos. Nem todos os caras são terríveis quanto o seu ex, mas também nem todos são bonzinhos.
    7) Desapegue da “figura histórica” do “primeiro amor”, o maior amor que interessa é sempre o último!
    8) E olha quanta amiga em potencial aqui nos comentários! Não que suas amigas atuais não sejam suficientes, mas tem hora que novas pessoas nos permitem enxergar o novo! Sempre bom balancear o velho com o novo, para que sejamos a melhor versão de nós mesmos!

    Espero ter boas notícias suas em um post aqui no Fufu daqui a umas semanas!

    Quanto à Janaína, não tenho conselho melhor do que os conselhos já escritos aqui nos comentários.

    E que delícia a história da Dani, hein?!

  84. #98
    Amanda
    10.11.2014 - 13:21

    Adriana – querida, a vida é tão curta! ontem estava lendo sobre o Christopher Reeve, que fazia o Super Man, ele foi casado com a sua esposa por 12 anos, ele morreu em 2004 e ela, de câncer em 2006. Um história linda mas que já não mais existe… os dois já não estão mais aqui e tudo é história. Acredito muito em uma vida com Cristo, mas estou falando dessa vida de agora, a vida passa logo e a cada dia você está perdendo de viver por algo que já passou há ANOS.
    Minha querida, acho que a melhor coisa a fazer é buscar a tua felicidade, o que você gosta de fazer? Quais são os seus sonhos? Pintar? Viajar? Escrever? Vá atrás, cuide de você e certamente alguém aparecerá. Acho que a melhor resposta para isso é ser feliz, esqueça essa história, isso não faz mais parte de você, a vida dele é dele, e ele está sendo feliz, seja também, peça a Deus que lhe ajude na parte espiritual e também procure ajuda profissional, que vai te ajudar naparte das emoções. Eu mesma já passei por algo parecido, mas estou tão mais feliz hoje! Aproveite e se fortaleça e sorria para a vida. O seu luto já acabou! Grande beijo e que Deus te abençõe!

  85. #99
    Mandy
    10.11.2014 - 13:32

    Janaína: é o seguinte: eu sempre fui a filha menos querida. Verdade. Sofri muito com isso, até esse ano, sabe? E tenho
    37, mas quer saber? Me libertei. Pedi a Deus que me curasse de tudo isso, eu sempre tentei ser boa filha, mas nunca fui reconhecida. Agradeço tudo que minha mãe fez por mim e ajudo ela todo mês com grana, como gratidão. Agradeça a seus pais por tudo o que fizeram por você e não espere reconhecimento, às vezes ele não vem. Faça por eles o que puder, eles te adotaram e pelo email te deram boa educação. Ou seja, você é o que é hoje por ajuda deles. Agradeça o que recebeu de bom e faça a sua parte. Não se torture pelo que lhe falta. Busque. Um dia sua independência chega, como a minha chegou. Um dia você terá sua casa, seus filhos e pronto. Não viverá nessa para sempre! Tudo passa! Espero ter ajudado!

  86. #100
    Amanda
    10.11.2014 - 14:27

    Adriana, sei que você deve estar ouvindo muitos conselhos como “dê a volta por cima”, mas sei que é difícil dar o primeiro passo, né? Já vi algumas leitoras darem esse mesmo conselho, mas insisto: procure uma terapia. Claro que não é um milagre, não é uma solução imediata, mas com certeza te fará parar e refletir sobre sua vida, seus anseios, sua auto-estima (que está muito abalada), e assim te ajudar a se redescobrir. Como você disse, já aconteceu há muitos anos e você precisa se livrar desse fardo para ser feliz de novo. Muitas vezes não conseguimos por nós mesmas, por isso a terapia pode te ajudar.

    Fora isso, invista em você mesma para se amar sem se comparar. Identifique o que te deixa descontente e junte suas forças para reverter isso, seja ir a uma academia, seja um novo corte de cabelo… Por experiência própria, mudar o que não te agrada muito, por mais bobo que isso pareça para os outros, é capaz de te reconstruir. Amar a si mesma é o primeiro passo para você se desamarrar desse passado!

    Digo isso porque acredito que são possíveis primeiros passos. Claro que não temos motivação pra grandes viradas se estamos tristes. Mas tenho certeza de que são atitudes como essas que em pouco tempo te farão ter coragem de tomar atitudes ainda maiores, como voltar a ter relacionamentos sem medo.

  87. #101
    Isabela Rissio
    10.11.2014 - 15:43

    Adriana e Janaína: TERAPIA JÁ! Acho que os casos de vocês são mais profundos e que seria legal vocês receberem ajuda profissional. Caso estejam sem condições financeiras, deem uma olhada nas faculdades de psicologia das cidades de onde moram, eles geralmente oferecem serviços gratuitos de psicoterapia.

    Eu já fiz terapia em 2 períodos da minha vida, e é impressionante o que você aprende sobre si mesma e sobre a sua forma de se relacionar com os outros! Vale muito a pena, e vocês parecem estar precisando muito dessa ajuda!

    Um abração pra cada uma, e melhoras!!

  88. #102
    Regiane Henriques
    10.11.2014 - 16:09

    Gente, é muito comentário e fiz apenas uma “leitura dinâmica”, então não sei se alguém já disse isso, mas eu queria dizer pra Adriana o seguinte:
    como a Cony disse num comentário, tem muito fdp no mundo mesmo, e eu tb já passei por isso. Fui traída pelo meu primeiro namorado, depois de 6 anos e meio de namoro, que me contou por telefone que tinha engravidado outra.(resumo do resumo). Mas o que me chamou a atenção foi vc ter falado que ele foi o seu primeiro em tudo. E falo por experiência própria: tudo que passei com esse cara, coisas boas e ruins, eu achava que era assim mesmo, sofrer era normal, todo homem é assim, e tal.. Sabe como é: “pra quem só conhece martelo, o mundo inteiro é prego”. Mas depois que superei o luto, conheci outra pessoa (meu atual marido)e pude perceber que nada daquilo era normal, que existem homens diferentes e dignos, que vão fazer vc se sentir amada e respeitada. Então o que eu tenho pra te dizer é: se permita ter a chance de descobrir que tem um mundo muito diferente desse sofrimento que vc passou. Não tenha medo, se joga em busca da sua felicidade. Cuide de vc, do seu “jardim”, pois aí vc atrairá as borboletas. Boa sorte e seja feliz!

    • #103
      Constanza
      10.11.2014 - 16:15

      AMEI isso : pra quem só conhece martelo, o mundo inteiro é prego!

  89. #104
    Bia
    10.11.2014 - 19:11

    Adriana, eu sei que a sua situação foi muito sofrida e que esse tipo de ferida demora a fechar, mas duas coisas:
    1)Jura que você tem a ousaria de pensar que o problema é contigo? O comportamento desse homem mostra que a pessoa problemática da relação era ele! E se comparar com ela… Bom, nenhuma mulher deveria se submeter à condição de ser “a outra”, de ser cúmplice de tamanha sacanagem. Se valorize, mulher!
    2)Só um novo amor vai curar isso. Eu saí de um relacionamento longo e problemático, achando que nunca mais ia ser feliz na vida, e logo em seguida comecei a me relacionar com o meu atual namorado,e isso já tem 5 anos! Ele foi a melhor coisa que me aconteceu, fico feliz por não ter me fechado, a gente nunca sabe quando a felicidade vai bater na nossa porta. Ela pode já ter batido na sua e você deixou pra lá. Segue a sua vida, faz um esforcinho pra se abrir, esse homem não merece a sua tristeza!

  90. #105
    Paulinha
    10.11.2014 - 22:04

    Adriana, tb tive uma história que me magoou por muito tempo…eu namorava um carinha ha 2 anos e numa dessas esfriadas do namoro, o traí. Eu estava morando em outra cidade e simplesmente fiquei encantada com esse novo paquera. Me mudei novamente e ficamos perto de novo, mas o namoro ja estava gelado e eu super ligada no paquera de outro estado. Não tinha coragem de terminar pois meu namorado na época era muito apaixonado e simplesmente nao tinha nenhum motivo pra terminar. Fui cozinhando até termos 1 briguinha besta e consegui me “libertar” e assim assumir o relacionamento com o paquera. Sim, traí, fui uma otária, mas aconteceu, eu gostei do menino e queria viver esse novo romance…ele la e eu cá…apostei todas as minhas fichas e namoramos por 1 ano…foi um namoro lindoooo, cheio de surpresas, viagens, mas depois de 1 ano esfriou…do nada! nao da minha parte, mas da dele, q era 4 anos mais novo q eu..pensei q era so uma fase, mas não, ele terminou comigo dizendo q gostava de mim apenas como amigo. Comecei a desconfiar q tinha outra na jogada e pensei “to levando o mesmo que fiz com meu ex”. Fiquei 2 semanas arrasada, sofrendo, emagreci e nao parava de pensar no dia q ele me ligaria para voltarmos….e nada! pra completar descobri pelo instagram que ele realmente estava com outra e haviam fotos no insta dela com ele na época q ainda namorávamos, foi um baque e eu fiquei um lixo!!! depois de 2 semanas sofrendo igual a maria do bairro reencontrei um gatinho num bar e acabei ficando com ele, depois dessa ficada eu ja era outra, saimos mais vezes e eu estava com a auto estima nas alturas. hoje estamos namorando ha 1 ano e confesso que foram 2 semanas sofriiiiiiiiidas, mas valeu cada lágrima pra hoje eu ver que existe sim um recomeço e ó..a gente so esquece um qd encontra outro, de preferência mais gato, mais alto e mais tudo de bom como é o meu!!! claro q seu caso tiveram proporções bem maiores, mas te falo q tudo na vida passa…bola pra frente, saia com suas amigas, fique linda e arrase!!!!

  91. #106
    Raquel Oliver
    11.11.2014 - 00:59

    Bom, uma coisa de cada vez…
    Começo pelo caso da Adriana, porque é o mais familiar pra mim.
    Passei por uma história muito parecida, mudaram algumas coisas, mas o que senti foi muito parecido. Era perdidamente apaixonada por um cara que demonstrava ser apaixonado por mim também, até que em um mês ele casou. Ele casou e eu fiquei, estraçalhada e presa nessa história por 4 anos. Que acabaram neste ano, quando fiz tudo o que vou te contar. E superei mesmo, vejam vocês: eu soube que ele se separou (ele não foi canalha comigo, nos amávamos – ele mesmo confessou depois que amava a mim, e não a esposa – mas nunca ficamos juntos), e eu simplesmente não fui atrás, não quis saber. Essa história não é mais minha.
    Mas não vou mentir, não foi fácil – e olha que sou psicóloga! Fazer terapia foi fundamental pra perceber que era hora de deixar aquela história ir embora, mesmo sem um final, sem aquela conversa definitiva que imaginei tantas vezes. E o engraçado foi que minha terapeuta não chegou a dizer que eu devia deixar aquela história pra trás, fui eu que percebi que arrastar aquele passado não fazia mais sentido. Me parece que você está começando a ter essa percepção, então te recomendo MUITO a terapia – mesmo que você não mexa diretamente neste assunto, vai ajudar a arrumar os outros (especialmente a vencer a insegurança em relação aos homens, porque agora parece que todos são canalhas que vão te fazer mal, e é difícil mesmo pra quem passou por uma porrada tão grande que não, eles não são – não todos).
    Outra coisa: parece que você tá mais presa ao sentimento do que às lembranças dele. O que pode ajudar muito nesse caso é fazer um “ritual funerário”: pegue tudo o que representa este sentimento e as lembranças que você carrega (se não tiver mais nada, desenhe ou escreva tudo o que sente) e queime. Queime sem dó e enquanto você vê tudo o que simboliza essa memória, mentalize: “”eu te liberto e ME liberto”. Sim, porque quem te prende é você mesma, e você mesma pode se libertar. Sopre as cinzas pra bem longe e lembre-se sempre que você já se libertou.
    E de verdade, Adriana, deixe-o pra lá. Porque você não pode mudar o passado nem as pessoas, mas pode mudar como VOCÊ reage, o que você sente pelas pessoas. Acredito que tudo na vida tem um retorno, e geralmente a gente nem precisa botar a mão pra que esse retorno aconteça. E quando esse retorno chegar (se você tiver se libertado mesmo), nem vai fazer diferença na sua vida. Você estará ocupada demais sendo feliz!
    E vai, Adriana. Vai ser difícil, possivelmente terá recaídas (é possível, e não quer dizer fracasso, aceite, seja sincera e siga em frente), mas se libertar é tão maravilhoso; além disso, tem alguém que está por aí, esperando cada dia pela sua libertação pra ser feliz também. Tô na torcida por você e olha, palavra de quem conseguiu atravessar essa jornada: vem porque aqui nada é perfeito, mas a vista é maravilhosa! Um beijo enorme!

  92. #107
    Mariana
    11.11.2014 - 10:58

    Janaina, eu talvez seja a parte contrária. Eu sou a irmã, mas na minha casa a coisa rola diferente, meus pais tratam nós duas bem iguais.

    Minha mãe sabe ser umas das pessoas mais cruéis com ambas as filhas e ao mesmo tempo a mais mãe mais pegajosa. Sabe o que a menina acima falou de meter o bedelho e que a filha dos outros é melhor, ixiii a gente passou por isso e passo, mas com 30 anos eu relevo bem.

    Mas minha dica talvez não seja a melhor, uma terapia e a outra que tal se juntar a sua irmã ? A minha é a melhor coisa que tenho brigamos, discutimos e tudo que irmãs fazem , mas nos unimos sempre.

    Ah e quanto eles darem as coisas para ela faz o seguinte converse e conte a verdade.

    Boa sorte ….

  93. #108
    Lua
    11.11.2014 - 11:04

    O meu comentário vai para a Janaína, a minha história não é muito parecida com a sua, mas talvez ajude alguém com questões familiares… Minha mãe me deixou pra ser criada por meus avós. Ela nos visitava uma vez por mês para deixar dinheiro, e esse momento que ela passava conosco era pra falar mal de tudo que fazíamos, dizia que eu era feia, me beliscava quando eu andava e arrastava os pés no chão rsrsrs, dizia que eu nunca seria nada na vida e por aí vai. Nunca recebi nenhum afeto dela.Sempre fui uma pessoa calma, obediente e sempre tirava notas boas na escola. Sempre achei o problema estava em mim, que se eu fosse bonita e inteligente ela não me trataria assim. Sofri por anos com isso. Sempre me colocava pra baixo, não me achava capaz de conseguir nada na vida.
    Só depois da terapia consegui perceber que o problema era ela, a loucura dela. Ela fez a mesma coisa com meus irmãos, aí fica mais claro ainda que o problema é com ela. Estou sendo curada aos poucos das feridas deixadas por todos esses anos. Consegui provar pra ela, e pra mim mesma, que conseguiria muitas coisas que achava que não era capaz. Cursei faculdade pública, passei em um bom concurso, isso tudo era muito importante eu conseguir, conheci um homem, que hoje é meu marido, que me trata muito, muito bem ( ela entrou no meu casamento com pose de quem era a mãe do ano, ri muito daquela “fantasia” que ela estava vestido, mas deixei ela com a consciência dela…)
    Ela descobriu uma doença grave e incurável e ficou internada por 2 meses. Quem ficou cuidando ela todo esse período? Eu! Ela disse sequer um obrigada? Não! Fiz a minha parte como filha, ajudei quando ela precisou. Hoje ela se aproxima de mim quando quer algum presente… Hoje não busco aprovação dela ou nenhum reconhecimento. Só tento seguir a minha vida, fazer o que é bom pra mim, sem achar que preciso do carinho, amor e aprovação dela. Eu preciso é cuidar de mim em primeiro lugar. Dou afeto pra quem retribui!

  94. #109
    Ana
    11.11.2014 - 11:18

    Bom dia. Gostaria de falar com a Janaina.
    Sei o que você passa. Passei minha vida toda por algo bem parecido. Sou filha legítima mas nunca tive o amor da minha mãe. Sou a mais velha de 5 filhos, inclusive uma adotada. Mesmo assim, sempre fui tratada de forma pior que os outros, inclusive que a adotada. Minha mãe casou grávida e me acusa de ter acabado com a vida dela, porque se ela não tivesse engravidado, poderia ter seguido uma carreira ao invés de casar.
    Minha mãe já me disse diversos absurdos. Quando eu meu pai ficou desempregado, eu assumi quase todas as dívidas em casa. E ela me acusou de querer comprar meu pai com dinheiro. Ao contrário dos meus irmãos, sempre fui responsável, sempre avisei onde estava, sempre ajudei financeiramente a familia, me formei e pós-graduei, consegui um bom emprego, mas nada fazia diferença pra minha mãe.
    Eu briguei muito pra conseguir o amor da minha mãe à força. Só piorei as coisas. Quando me divorciei, minha mãe conseguiu me afastar de toda família. Ela não aceitou o meu divórcio e quando me casei novamente, ela convenceu meus irmãos a não irem no meu casamento.
    Fiz terapia, chorei, perguntei, conversei. Pra minha mãe, era um alívio não me ter mais em casa.
    Enfim, resolvi viver a minha vida. Graças a Deus, tenho minha casa, meu marido, minha cachorrinha, meus amigos. Às vezes minha mãe me liga. Às vezes eu atendo. o importante é que eu segui minha vida e peço a Deus que me ajude a perdoar a minha mãe, porque guardar mágoas é pior pra mim que pra ela.
    Posso dizer que está tudo superado? Não. Eu me sinto incapaz de compreender porque minha mãe não gosta de mim. Mas sou feliz. A família do meu marido é muito boa para mim, e acabei adotando a família dele. Sei que Deus tem um plano pra tudo. Sou muito responsável, sou independente, determinada, corro atrás das coisas que eu quero. Acho que não nasci pra ter vida fácil. Acho que são esses desafios que me movem. Acho que ter que me esforçar tanto pra agradar a minha mãe só me fez ser uma pessoa mais determinada e correr com mais afinco atrás dos meus sonhos. Acho que minha mãe não vai mudar e temos convivido muito pouco. Mas agora eu criei outros laços com outras pessoas e eu sou uma pessoa boa. Eu sou uma pessoa legal, que ajuda os outros e tenho muitos amigos. Quer saber? Quem perdeu foi ela.

  95. #110
    A Adriana, da história
    11.11.2014 - 12:51

    Meu relato vai aqui para todas. De verdade, todas, que gastaram um tempinho que fosse pra poder ler minha história, e falar algo pra eu ficar melhor.

    Saibam que esse esforço coletivo me enche de esperança, no mundo e nas pessoas. Um mundo desses, algumas vezes tão cruel, pode se mostrar lindo e colorido por um meio considerado tão frio… a internet.

    Meninas, eu chorei muito, lendo cada relato, cada recado, cada levantada de bola, cada chamada pra realidade, cada abraço que de fato senti quando passei meus olhos sobre o Fufu.
    Fiquei muito receosa de contar essa história, talvez fosse um medão mesmo de não ser muito bem compreendida.

    Escrevo pra dizer que li e entendi cada palavra.
    Que recebi com o coração cada uma delas, escritas pra me fazer sentir bem, pra eu melhorar, pra eu seguir, pra eu ser feliz.
    Me emociono muito mesmo, de verdade, e agradeço a Deus por ter tido a iniciativa de escrever e poder receber as palavras dEle através de vocês.

    Sim, eu assumo que vivo um momento depressivo, apesar de sorrir pro porteiro, pra minha mãe no telefone, de falar besteiras com algumas amigas, e quando alguém me pergunta “E aí, como você está?”, eu digo sempre “Pô…tô bem pra caramba!”.
    O anonimato me faz ser verdadeira com o que sinto, e isso me preocupou, porque não posso ter vergonha de sentir dor, de estar triste, de chorar por algo tão sério.

    Como uma das flores desse jardim me indicou, peguei um pedacinho de cada comentário, e escrevi em post its – eles estão em volta do meu espelho, e me fazem um bem danado.

    Estou com vontade de melhorar.
    E de verdade.
    Estou começando devagar, mas quero mesmo vir aqui, mandar um email pra Cony, e dizer: “Viu? Deu certo! Estou beeeem melhor agora!” .
    E vou sorrir muito, e sempre, quando me lembrar desse dia.

    Zilhões de vezes: obrigada! Pela acolhida, pelo carinho, pelas palavras. Vai dar tudo certo!

    Um beijo grande, um abraço bem apertado, e esperem por boas notícias!

    Elas virão, tenho fé! 

    Pra Cony em especial:

    Eu me pego pensando em que tipo de legado eu vou deixar, um dia, pra humanidade. Deixar filho, árvore plantada ou livro escrito…sei lá…eu acho muito clichê.
    Até porque seu filho vai morrer (como 2 mais 2 são quatro, e se esse é o final pra você, logo…é só somar!), árvore pode ser derrubada, ou morrer… e livro pode queimar, rolar por aí, esquecido em algum porão, onde ninguém bota a mão nele.

    Mas onde você entra nessa história, chilena?
    Talvez você nem pense nisso, mas o que você tá fazendo aqui, abrindo esse espaço pra outras pessoas se abrirem, se unirem…Cony, esse seu legado vai ficar pra sempre.
    Sim, porque certamente o que fica é o amor e o quanto mostramos amor ao que fazemos ou a quem está aqui conosco nessa jornada.

    E o amor que você tem mostrado, mesmo de longe, do outro lado da tela, fica mesmo eternizado na memória da gente.
    É um carinho que nunca vai morrer, porque Cony, pode parecer louco, mas eu, aqui, nesse dia, em que tenho mais esperança na vida do que tinha há 2 anos atrás… nunca, mesmo, vou esquecer disso.
    E nunca vou esquecer do Fufu.
    E nunca vou esquecer das flores desse jardim.

    E nunca, nunca mesmo, vou esquecer de você.

    Obrigada, Cony, por demonstrar seu amor do outro lado, e me fazer ter uma parte sua na minha história.

    Vou lembrar pra sempre de você.
    Receba meu beijo e meu abraço.

    Muito obrigada Cony.

    Muito, muito obrigada.

    • #111
      Constanza
      11.11.2014 - 12:58

      Poxa Adriana… tive que ler aos poucos pq a vista embaçava toda hora… Quero muito que vc fique bem, de verdade! Fico muito feliz e orgulhosa de cada comentario que foi deixado aqui para te ajudar, eu sou apenas uma ponte, apenas facilito esse caminho que as vezes a gente nem enxerga. Muito obrigada por confiar na gente e volte, volte para contar que está melhor do que nunca!

  96. #112
    Júlia Daher
    11.11.2014 - 16:08

    Hoje não dei pitaco em nenhum do casos, simplesmente porque não sabia o que falar! Mas li TODOS os comentários e a única coisa que posso dizer é: Que bom que ainda podemos acreditar nas pessoas, que bom que o mundo não é tão ruim, que bom ver que ainda existem pessoas como a Conyta que abriu esse espaço para nós e que bom que ainda tem pessoas que sabem o que dizer sem serem estúpidas e mostram o amor ao próximo!!

    Um beijo para todas em especial as meninas dos depoimentos!

  97. #113
    Michele
    11.11.2014 - 16:30

    Nossa esse caso da Adriana até me deixou com os olhos cheios de lágrimas pq EU passei pela mesma situação!
    Namorava um cara há 6 anos, estávamos procurando apto pra morar, ele me dizia diariamente o qto me amava, que eu era a mulher perfeita, que eu trazia uma “paz” enorme pra vida dele. Só que essa paz virou inferno num belo dia fds que ele sumiu do mapa e desligou o celular. Nenhum sinal dele. Cheguei a procura-lo no IML (juro) pq ninguém sabia do paradeiro do dito cujo. Eis que na segunda-feira, após o ocorrido, ele me liga para comunicar POR TELEFONE assim como se fosse a coisa mais NORMAL do mundo que tinha reencontrado uma ex namorada e que decidiu voltar com ela. Eu em estado de choque, por receber essa notícia e mais ainda, por receber essa notícia por telefone, só consegui pedir, quase implorar, que pelo menos nós pudéssemos nos encontrar para conversar, afinal ele não podia estar falando sério que ia jogar 6 anos de relacionamento no lixo desse jeito. E ele fez o que? Obviamente disse que não poderia me encontrar, porque nessa ele semana estaria SUPER ocupado. Gente, eu juro por tudo que eu, a partir desse momento, morri completamente pra vida, entrei em uma depressão absurda, não conseguia trabalhar, eu só chorava o dia inteiro. A sensação que você tem é de estar caindo num abismo sem fim, é uma sensação de morte eminente, só quem passa por isso sabe. O que eu não imaginava é que a situação ainda iria piorar quando no mês seguinte ele me procurou alegando estar “morrendo de saudades” e que “precisava muito me ver, nem que fosse de longe”. Pedi pra ele me encontrar na porta do meu trabalho, e ele me aparece com uma ALIANÇA DO DEDO. Ou seja, ele tinha se casado com a tal mulher um mês depois de supostamente ter assumido relacionamento com ela, mas eu imagino claro que eles já estavam juntos desde a época que ele estava comigo. Pedi pra ele sumir da minha vida, nunca mais aparecer na minha frente (coisa que ele não fez, pois mesmo com ela me procurou por mais um ano depois disso tudo). Os meses que se passaram após esse trauma foram os piores que já vivi. Mas o apoio dos meus amigos e família foram minha base e, aos poucos, fui me reerguendo. Fui estudar, me joguei de cabeça no trabalho, viajei, sai bastante, bebi demais rs. Comecei a me dedicar a alguns projetos sociais que me trouxeram de volta um sorriso no rosto. Acho que o fato de poder ser útil para alguém me trouxe de volta a autoestima e a compaixão que esse desgraçado tinha temporariamente me roubado. Eis que, após dois anos, ainda no meu processo de “tratamento pós traumático” rs, conheci ELE. Um belo dia, uma amiga que trabalhava comigo nessa ONG marcou um chopp com uns amigos e levou o irmão (que tb tinha terminado um relacionamento há pouco tempo), e no momento que olhei pra ele eu tive certeza absoluta que tinha encontrado o amor da minha vida. Estamos juntos há 5 anos, não poderia ter feito melhor escolha na vida, ele é maravilhoso, digno, dedicado a nós dois, aos nossos sonhos e ideais. Confio nele absolutamente, graças a Deus nosso relacionamento só melhora com o passar do tempo, nossa cumplicidade é notável a todos que nos rodeiam, às vezes nem eu acredito que sou merecedora desse amor todo. Eu entendo hoje porque não deu certo com aquele lá, porque algo MUITO MELHOR estava me esperando, um amor verdadeiro estava aqui prontinho, perfeito pra mim, só esperando nossos caminhos se cruzarem… E quando me diziam isso, eu não conseguia acreditar, achava que era papo de pessoas querendo me confortar. Adriana, pode ter certeza que existe uma pessoa esperando exatamente VOCÊ, pra viver uma linda história de amor. Não fique pensando que pessoas honestas não existem, não trate quem se aproxima de você com pé atrás pensando que irão fazer a mesma coisa que o outro fez, dê chances ao destino, cuide de você, não alimente sentimentos ruins no seu coração, ele precisa estar cheio de amor para receber o homem maravilhoso que você merece. Não se contente com nada inferior a isso. E pode ter certeza absoluta que quando vc menos esperar, ele vai estar aí bem na sua frente 🙂

  98. #114
    MichelleZ
    11.11.2014 - 21:06

    Nem consegui terminar de ler todos os relatos e já vim postar sobre o caso da Adriana, talvez isso sirva tbm para as outras meninas, espero de coração que sim. Tem um profissional que faz um trabalho maravilhoso de autodesenvolvimento que eu indico fortemente pra vc, querida Adriana. Todo mundo precisa se permitir ajudar e vc está de coração aberto e acho que isso já um passo para a “cura” desse sofrimento. Posso falar por experiência própria, não em relacionamento afetivo, em outras questões, que essa técnica me ajudou muito e tem me ajudado constantemente.

    Espero que isso possa te ajudar, todo mundo merece ser feliz, na vdd essa é a nossa única missão de vida, se fazer feliz.

    Sinta-se abraçada por todas nós!

    http://www.andrelimaeft.com.br/e-possivel-deletar-uma-emocao-negativa-3/

  99. #115
    Luciana Bataglia Mesquita
    13.11.2014 - 01:56

    Ana Egiglio, eu resolvi não denunciar, para não destruir a carreira dele.

    Agora, vai da família dela fazer isto ou não.

    Como o colégio é estadual e ele é um bom professor, fizeram vista grossa. Me questionaram e eu disse que não queria aquilo, que tudo iria ficar bem.

    Somos bem unidos no colégio, mas esta situação causou uma divisão entre os professores.

    Só que isto está se dissipando, sabe? E como uma boa equipe que somos, ele e eu hoje formamos uma bela dupla profissional. há dias que conversamos por horas. Hoje dei seminário e tivemos comes e bebes do país que mostramos (sou professora de Espanhol), ele foi até lá, assistiu, falei sobre a politica do lugar, sobre golpes antigos e depois ele veio me dizer que ainda, depois de tantos anos o surpreendo pelo intelecto e que ele gostaria de ministrar uma aula como eu consigo. Gostoso ouvir isto de um colega, né? Muito.

    Mas não nasce o desejo de ir com ele de mãos dadas de volta pro nosso casamento, pq sinto que sem ele eu voei.

    Decidi deixá-lo em paz com o magistério. Pois se me tirassem a sala de aula, juro que morreria. Ele me traiu e humilhou, mas eu sou um humano melhor que ele; não quero destruir ninguém durante a minha vida. Acho que hoje, o desprezo não mal educado, somente a indiferença em que trato ele, já paga por tudo que passou.

    Posso estar errada. Mas estou em paz. 🙂

    Adriana, fiquei emocionada com as palavras. Bom que está melhor.

    Cony, vc me ajudou muito na época, aceite todos estes elogios das meninas. Cada e-mail seu serviu e muito de incentivo. Se hoje eu to magra, me arrumo, recuperei a vaidade, grande parte da culpa é tua, guria. Deus lhe concedeu este dom, e vc sabe usá-lo perfeitamente.

Comente