ComportamentoConstanza
Chora Que Eu Te Escuto
20 set 2019, 101 comentários

Meu Sorria!!!

A gente gosta de uma história de amor né? Muitas pessoas me pedem para eu escrever como conheci o Leo e hoje resolvi contar para vocês um pouco da nossa história, história inclusive que vocês fizeram parte! Quem aí estava na minha live de Halloween de 2017? Foi onde tudo começou hahahaha, teve até  Isabella Fiorentino na live, enfim…. vocês que já estão aqui comigo há 10 anos e sabem meus perrengues, merecem saber como surgiu o #leony que vocês tanto shipparam. E quem me conhece a menos tempo, vai saber um pouquinho de mim também!

Bom, eu tive 3 namoros sérios na vida. Sim, só 3 e isso contando o Leo. Vou falar um pouco de cada, mas bem superficialmente porque envolve outras pessoas né?

O primeiro namoro durou 15 anos, entre idas e vindas. Foi meu primeiro namorado sério e eu não imaginava minha vida sem ele, mas eu era muito nova, sabia naaaaaada da vida e tinha zero amor próprio. ZERO. Fui traída nível hard, tentei perdoar, não consegui e arrastei um relacionamento xoxo por anos até finalmente terminar. E foi ele que terminou pois eu não tinha coragem, morria de medo de ficar sozinha etc e tal. Sofri, claro, mas fiquei malzona por um mês só. Comecei a me cuidar, ouvir músicas bacanas (gente, como música me ajuda em vários momentos… incrível, foi nessa época que criei a Playlist da Felicidade e ainda está no meu Spotify, segue AQUI) e paquerar muito hahahaha. Canceriano é assim, amorzinho e fiel quando tá comprometido, mas o capeta quando tá solteiro kkkkk. Foi nessa época também que fiz o post Conversinha Sobre o Fim, que até hoje é super acessado e originou o Chora Que Eu Te Escuto.

Fiquei um ano solteira. Viajei tudo o que eu queria, comemorei meu aniversário em Londres, Paris e Dublin, tava na pilha o tempo todo! E quando apareceu o Tinder, entrei nele e logo no primeiro encontro, comecei a namorar.

O segundo namoro durou 3 anos, com um término de 2 meses bem no meio do namoro. Esse relacionamento foi o que abriu meu olhos para me ensinar o que eu queria, porque eu já estava mais velha e comecei a lapidar bem o tipo de relacionamento que desejava. Passei por algumas situações que claramente iam contra meus valores e criação e comecei a me questionar muito para saber se era realmente o que eu queria…  Daí aprendi mais uma coisa sobre mim: ter valores iguais é muito importante. Terminei. Novamente fiquei mal, sofri, chorei, achei que ia morrer, achei que nunca mais ficaria com alguém mas outra vez, mas de novo, por um mês apenas. Meu sofrimento dura um mês só hahaha. Percebi que a vida que eu queria levar e estava atribuindo o sucesso dela a outra pessoa era totalmente da minha responsabilidade e que não dependia de NINGUÉM. Vi que eu podia montar sozinha a vida que sempre quis e que se não fosse com alguém realmente bacana, iria sozinha mesmo. E assim o fiz.

Mudei para BH, montei meu apartamento do meu jeito (eu morria de medo, achava que não conseguiria viver sozinha), saía o dia que eu queria, ia onde queria, viajei horrores, tinha a vida que eu sempre sonhei e que erroneamente achava que só conseguiria se fosse com alguém ao lado para me “guiar”. Nem precisava de guia, eu não sabia que sabia o caminho sozinha. Eu estava tão EU, tão leve, tão me amando, me achando gata, independente, poderosa que não queria saber de outra coisa. Namorar nem estava mais em meus planos, eu já me bastava o suficiente para ser 100% feliz. Fora o orgulho de estar sozinha, feliz e dona da própria vida.

Daí que um dia uma moça que conheci em Macchu Picchu (numa viagem que fiz com o ex e que eu não tava muito afim de ir, olha o destino!) e que tínhamos feito amizade, me mandou uma mensagem falando que o marido dela tinha um amigo em BH que era meu número. Falei OPAAAAA, MANDA FOTO. Mentira, mas foi algo tipo “pode dar meu telefone pra ele e tal”.

Era o Leo.

Lembro quando marcamos nosso primeiro encontro, um jantar, mas não foi logo de cara não. Conversávamos pouca coisa pelo whatsapp, o papo não fluía direito, ele demorava para responder, eu também, enfim, achei que não iria dar em nada. Bom, um belo dia rolou de irmos jantar e até hoje eu tiro onda da cara dele que nosso primeiro encontro parecia entrevista de emprego hahahahaha. Ele me perguntando milhões de coisas sobre marketing digital e eu não sabia de nada, e ele achando bizarro porque eu trabalhava com internet e eu tinha que saber quem era o raio do Erico Rocha por exemplo hahahaha. Depois disso, tipo um mês, chamei ele para sair comigo e o levei numa festa de 25 anos de um bar de rock. Estava LO TA DO e lembro que fiquei tão bêbada que subi no palco para dançar com duas leitoras minhas hahahahaha. Gente, não sei como esse namoro vingou, sério, tô rindo mas é de nervoso. Enfim, eu era muito loca na minha fase solteira. Depois teve uma festa de Halloween e chamei ele para ir comigo (sim, sou de iniciativas), combinei de encontrar em casa e sairmos juntos porque eu iria fazer maquiagem com maquiadora e tal. E ele foi, e a gente estava fazendo live de maquiagem quando ele chegou e todo mundo ficou perguntando quem era Leo e aí surgiu o #LEONY. Ponto para vocês!

Enfim, falo que esse foi o dia oficial do início do namoro. Um mês depois ele foi passar Natal e Reveillon comigo no Chile (fofo, dei valor) e depois de uns 4 meses, como ele ficava muito mais na minha casa que na dele, resolvemos morar juntos. E eu me lembro claramente de falar com minhas amigas que tudo tava acontecendo tão rápido mas tão fluído que eu estava estranhando. As coisas apenas iam acontecendo naturalmente. E fui deixando.

Não sei nem explicar a paz que é nosso relacionamento. É uma coisa que eu nunca tive antes e eu nem sabia que existia. Não tem altos e baixos, não tem brigas, é tudo tão tranquilo, tão harmonioso, tão leve… E acho que pela primeira vez na vida saquei que o amor de verdade não faz sofrer, não faz chorar, não faz ter raiva, não faz pisar em ovos, não deixa dúvidas. Posso ser quem sou e sem medo algum. O amor é natural, é gostoso, é querer estar juntos, é apoiar o outro, ser companheiro, desejar sempre o bem da outra pessoa, vibrar juntos a cada vitória, segurar a onda nos dias ruins e o mais importante, tudo, TUDO é recíproco. É dos dois lados. Isso é um relacionamento feliz e saudável! Eu sinto que ele tá comigo pro que der e vier entende? E homem que é homem, que tá disposto a se relacionar, que tem certeza dos seus sentimentos, assume a mulher sem enrolação alguma.

Começamos a namorar em Novembro de 2017, uns 4 meses depois ele foi morar comigo, em Julho 2018 mudamos para um apartamento maior,  um ano depois ficamos noivos e semana passada CASAMOS! Isso tudo em menos de 2 anos. E tudo de uma maneira super fluída e natural.

E olha só… o amor só aconteceu na minha vida quando eu achei que não teria mais ninguém, não queria mais stress por causa de homem e queria curtir a vida sozinha. Foi quando entendi que a busca não está no outro, está na gente! Tudo o que eu queria em um namoro eu achei quando resolvi me “namorar”. O que esperava que os outros suprissem, eu mesma supri! Vi que eu poderia fazer o que quisesse, quando quisesse e onde quisesse sem ter que depender de ninguém. Foi quando eu fiquei em paz com essa busca e resolvi olhar para dentro de mim e viver para mim, que atrai o que realmente me faria feliz.

É o que SEMPRE FALO NOS CHORAS, não adianta sair procurando o amor loucamente. Muitas vezes, na maioria diria eu, caímos em armadilhas que a gente mesmo monta ao idealizar esse amor. Aceitamos o que aparece primeiro sem dar atenção aos sinais, sem dar atenção ao nossos próprios critérios. Daí entramos naquela loucura de tentar mudar o outro, de moldar algo que nem existe. O que sim temos que fazer é vibrar sempre positivo, estar de bem consigo mesma, estar completa, que aí tudo acontece porque é nesse momento, quando estamos conscientes de quem somos, que não aceitamos nada menos do que realmente merecemos e desejamos.

Ah e nunca estamos velhas para recomeçar viu? Se importar com idade é uma GRANDE BOBAGEM! Eu achei que estava velha quando terminei o primeiro namoro láaaa atrás e olha como as coisas mudaram, olha o tanto que vivi e aprendi e que foi NECESSÁRIO. Imagina se por medo de ficar sozinha eu tivesse me apegado ao que não me fazia bem?? Não teria jamais me conhecido como me conheci e jamais teria tido a oportunidade de experimentar um amor tranquilo. Nem saberia da existência disso. E se por coisas da vida eu tiver que recomeçar, recomeçarei sem problema algum. Agora eu sei que o caminho sou eu que traço e só deixo me acompanhar quem estiver na mesma direção, com os mesmos valores, com a mesma vibe e curtir minha cia. Porque se não for assim, vou sozinha mesmo que tá tudo certo.

  • Mostrarei tudo referente ao Casamento no Civil tá? Meu vestido, sapato, maquiagem, como fizemos, o que rolou, quem veio, tudo tudo. Mas semana que vem tá?