Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
30 jan 2019, 76 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Quarta! Tudo normal por aqui! E por aí?

Chora 01 – Escorpiana

“Nem preciso dizer que sou sua fã, me sinto sua amiga quando leio seus posts. Adoro a forma como vc cresceu como blogueira sem se deixar mudar por causa do dinheiro, status e fama.

Quis escrever porque não tenho com quem falar, e eu tinha decido escrever para mim mesma, apenas com o intuito de desabafar e tentar me entender. Após pensar muito, acho que consigo contar essa história – Peço que nem vc e nem as leitoras me julguem, pois assim como vocês, eu também acho que está tudo errado.

Há 5 anos eu me apaixonei pelo meu chefe, e já era casada há 3. Nós nos envolvemos e não acabou bem, ainda mais convivendo todos os dias no local de trabalho.

Mas, eu saí desse emprego e fui para outro, porém no mesmo ramo, o que impedia de não nos vermos de vez em quando, e sabermos notícias um do outro.

Um dia soube que estava noivo e fiz um fake no Facebook pra contar à noiva que ele ainda me queria. Ela disse que já sabia do acontecido no passado e que havia perdoado, mas não sabia que ainda mantínhamos contato. Confesso que fiz isso por puro ciúmes, pura vaidade e não queria vê-lo com ela, pois no passado ele me disse como foi a história dos dois e eu sabia que ele havia sofrido e me senti no direito de me meter na vida dele.

Enfim eles conversaram, e ela postou várias fotos da viagem que eles fizeram ao Chile, como se fosse um recado pra mim: “Apesar de você, nós estamos juntos”.

Passou um tempo e eles romperam. Não soube como foi, mas imagino que ela nunca mais tenha conseguido confiar nele.

Volta e meia nos falávamos pelo Whatsapp, começamos com uma conversa de amigos e terminava com palavras de amor.

O carinho que tenho por ele é enorme. Pelo meu marido sinto amor, muito amor, casamos na igreja, temos uma vida linda.

Porém, eu nunca consegui me desligar dele e nem ele de mim, causa de muito choro, muita saudade, muita culpa, muitas perguntas.

Eu sei que está tudo errado.

Volta e meia eu mando uma mensagem, ou ele manda uma mensagem, e eu sinto uma ligação muito forte, mas até então ele ficou com medo e passamos um bom tempo sem nos encontrar. Eu insistia em encontrá-lo e ele dizia que não conseguia mais confiar, comparou nossa história com a lenda do escorpião, já que é meu signo.

“Era uma vez um sapo e um escorpião que estavam parados à margem de um rio.
– Você me carrega nas costas para eu poder atravessar o rio? – Perguntou o escorpião ao sapo.
– De jeito nenhum. Você é a mais traiçoeira das criaturas. Se eu te ajudar, você me mata em vez de me agradecer.
– Mas, se eu te picar com meu veneno – respondeu o escorpião com uma voz terna e doce -, morro também. Me dê uma carona. Prometo ser bom, meu amigo sapo.
O sapo concordou.
Durante a travessia do rio, porém, o sapo sentiu a picada mortal do escorpião.
– Por que você fez isso, escorpião? Agora nós dois morreremos afogados! – disse o sapo. 

E o escorpião simplesmente respondeu:
– Porque esta é a minha natureza, meu amigo sapo. E eu não posso mudá-la.”

Há 15 dias, em uma conversa rápida decidimos nos encontrar e nos encontramos, começamos tomando um café e fomos pra casa dele, como se nunca tivesse acontecido nada. Ficamos juntos, nos amamos e matamos a saudade.

Me arrependi.

Conversamos muito, são quase 06 anos de história. Ele me disse como foi o rompimento com a ex e disse que isso era o de menos. Disse que não apenas perdeu ela, mas muita gente que considerou ele um canalha, inclusive da família dele, até a mãe. Ele disse: “Você não arranhou meu braço, você arrancou ele inteiro e nunca mais o terei de volta” Disse que ficou muito traumatizado, e agora está “ficando” com uma pessoa, mas que não consegue se entregar e nem se envolver. Disse que poucas vezes conseguiu me encontrar nas mulheres com quem ficou nesses intervalos e procurou ajuda psiquiátrica e psicológica.

Disse que sabe que pra sempre vai ter carinho por mim, mesmo que a gente não se encontre.Mas que é muito bom estar junto, só que eu sou inconstante, passo da bondade para o mal em dias. E eu disse a ele que mudei muito. Ele disse: “Fica comigo, mas por favor não fode com a minha vida, nem com a sua, não me arranque o outro braço”

Disse que depois de mim, se tornou alguém anti social e precisa estar sempre fingindo sem sociável. Disse que descobriu uma pessoa autodestrutiva. Que sempre conversa com o psicólogo que apesar de ter outras mulheres disponíveis, basta que eu mande uma mensagem, após meses, que ele sempre corresponderá.

É uma fixação, eu procuro ele nos lugares e ele me procura. A gente pensa juntos um no outro. A gente sonha no mesmo dia um com o outro. A gente liga no trabalho um do outro só para ouvir a voz, sem nada pra dizer.

Depois disso, decidi não falar mais nda, bloqueei no Whatsapp, fiquei uns dias sem conseguir dormir pensando nele e em todo mal que fiz a mim, a ele e a minha família.

Não vou contar ao meu marido isso, mas sei que o que se faz, se paga. O que plantamos, colhemos.

Pensei muito : Porque fiz isso? Pra que exatamente fiz isso?

Também estou em tratamento psiquiátrico há tempos, não somente pelo que aconteceu com ele, mas pelo que vivi na infância e antes de me casar. Porém eu sou feliz. Fico estressada no trabalho, me complico na tripla jornada, mas sou feliz.

Com esse último encontro, consegui compreender que a culpa é minha. Toda ela.

Consegui compreender que o faço mal, apesar de todo carinho que tenho por ele.

 Estou fazendo mal a ele por um capricho meu, por um egoísmo idiota meu. Como estou errada! Que vergonha sinto. Além disso, como católica, perdi minha amizade com Jesus e preciso me confessar e estou com vergonha de confessar isso.

Mas eu só gostaria de aprender a deixá-lo ir. Deixá-lo ir, tiraria meu braço também.

Afinal,quantas vezes eu disse a ele que gosto demais dele?

Quem gosta, não faz mal. Preciso quebrar essa ligação, pra que ele seja feliz.

“Alguém me levou de mim
Alguém que eu não sei dizer
Alguém me levou daqui.
Alguém, esse nome estranho.
Alguém que eu não vi chegar
Alguém que eu não vi partir
Alguém, que se alguém encontrar,
Recomende que me devolva a mim.”

Bom, você queria desabafar e desabafou. Não tem muito o que dizer não. Só acho que você não deve se culpar taaaaanto pelo “mal” que fez ao seu amante, afinal, ele permitiu e ele também estava fazendo mal a outra pessoa. Acho que os dois tem culpa da situação em que se colocaram. Mas agora é bem isso que você está fazendo. Se “conserta” aí com sua terapia, devolva a lealdade e fidelidade ao seu casamento ou se isso não funcionar e continuar te atormentando, passe um tempo sozinha. Do fundo do coração, espero que não precise nunca contar isso pro seu marido e que você consiga superar e voltar para os seus trilhos. E NUNCA mais procure o outro… seja forte e não romantize essa situação, que não tem nada de romântica. Só pense no mal que está fazendo para sua vida e seu marido.

 

 

Chora 02 – Canceriana

 

“Bom… lendo seu blog, que por sinal amei, resolvi te mandar um email. (Logo eu, toda tímida)
Vivi um relacionamento por 3 anos no qual nunca foi pronunciada a palavra “casamento” e eu sou extremamente família, tenho um sonho imenso de casar, ter filhos, cuidar do marido… sou jovem, apenas 23 anos, mas nunca fui de baladas, sair com varios, sempre estive com alguém e o meu namorado há 5 meses atrás me veio apenas contar que “estou indo morar sozinho”… nossa, aquilo me deu um baque tão grande, me senti totalmente excluída dos planos, já que pelo meu sonho de casar, imaginava que ele indo morar sozinho, me levaria junto. Não suportei e terminei, pois me senti jogada para escanteio. Hoje tenho consciência que agi no impulso e depois disso, passei a sofrer demais, pois ele não quis mais voltar o relacionamento, disse que eu não o apoiei no momento de sair de casa e eu to sofrendo muito por 5 meses, faço terapia, já fui encaminhada para o psiquiatra, sinto a dor que rasga minha alma por não estarmos mais juntos. Já tive relações com outras pessoas mas não consigo levar pra frente, pois sou muito apaixonada ainda.
Me sinto mal a cada dia, e ele não some de uma vez, as vezes some, as vezes me procura dizendo sentir falta mas tem medo de voltar e eu dar outro pé na bunda.
Eu não tenho sentido vontade de fazer absolutamente nada, a terapia não tem me ajudado como eu queria, eu só tenho vontade de ficar na cama deitada, já pensei varias vezes em suicidio e pra piorar… ele está se relacionando com a ex( de antes de namorar comigo) sei que é hipocrisia da minha parte querer cobrar, pois já tive outras relações, mas não consigo me livrar dessa dor, acordo todos os dias com uma dor no peito que parece que vou infartar de tanta dor… eu quero muito melhorar, ainda tenho fé que um dia voltaremos, mas sei que isso não devo fazer pois só me machuca ainda mais.
Ele me diz que não mudei, que posso surtar e terminar a qualquer momento e por isso não consegue voltar.
Não sei se você acredita, mas fiz umas consultas com cartomantes e todas as vezes as cartas me disseram que ficaríamos juntos que bastava eu saber dar tempo ao tempo. Mas isso é bem difícil.
Já estive nessa cartomante antes do término e tudo o que ela me disse foi batata.
Eu queria muito uma ajuda pra cessar de vez essa depressao, agonia, ansiedade, vontade de sumir e dormir pra sempre…
O término é realmente uma dor que rasga nossa alma e minha alma está totalmente dilacerada. Ao ponto de já estar sentindo dores físicas sem explicação… perdi mais de 7kgs… tá muito, muito difícil.”

Não sei se você é canceriana, mas bem que poderia ser rs. Vamos lá: eu te entendo. Eu com sua idade, também teria tido a mesma reação ao saber que o namorado de 3 anos resolveu morar sozinho. Mas preciso de mais detalhes… ele te contou isso de um dia para o outro com tudo já pronto? Se assim foi, ele queria se livrar de você ou realmente não tinha a menor intenção de morar juntos no momento. OU ele foi montando esse cenário, você sabia da vontade dele e foi aos poucos? Porque se foi uma coisa decidida com calma e com tempo por parte DELE, não tem nada o que fazer e o que chorar não. As pessoas tem todo o direito de querer a experiência de morar sozinha antes de casar e nesse ponto, tô com ele! Só acho que talvez a forma dele ter te comunicado isso não foi legal, mas você não pode intervir numa decisão tão pessoal assim. Hoje eu entendo e sei bem o quanto é necessário para uma pessoa, seja homem ou mulher, ter a experiencia de morar sozinho. É maravilhoso, é descobridor, ajuda a amadurecer TANTO e também nos ajuda a nos entender tão melhor! Você deu um piti (que entendo) e ele se abraçou nisso para ter a experiencia solo, 100% solo, entendeu? Já ia morar sozinho, homem já pensa em outras coisas, você deu piti, e pronto: tudo certo para aproveitar a casa nova sozinho de tudo. Foi uma atitude errada e agora fia, respira fundo e deixa ele curtir a casa dele, a ex dele (e com certeza várias outras) e deixa ele cansar até sentir sua falta, SE ISSO ACONTECER. E sai dessa de ter esperança, de cartomante, de sinal divino… vocês estão separados e ponto final. Não fica matutando um futuro e sofrendo por algo que nem pode acontecer. Toca sua vida.

Chora 03 – Menina

“Oi Constanza , tenho 14 anos (novinha) mais não é por isso que não tenho problemas , meus pais se divorciaram ja vai fazer 3 anos , e mesmo que ja seja um assunto do passado e que eu deveria ter superado me encontro varias vezes chorando escondida com medo de ser notada e de ter que conversar sobre. Minha mãe ficou muito mal no começo e meio que eu que fui seu porto seguro e seu ponto de apoio , isso não me deu tempo pra sofrer , acabei acumulando essa dor por esses anos e nunca toquei no assunto com nenhum dos dois.
Não é só isso , esse ano mudei de turma e acabei sofrendo bullying , nunca dei muita bola pra essas coisas , mais acho que por conta das coisas que estou vivendo no momento eu comecei a prestar atenção na imagem que as pessoas tinham sobre mim. Emagreci 4kg e acho que desenvolvi uma anorexia que sempre volta em tempos de ansiedade ou de crise emocional. Além do mais ano que vem vou pro primeiro colegial e tenho medo de não ser aceita ou de não fazer novas amizades , e também tem a parte de ser adolescente e de “ter que pegar geral” nunca fui desse tipo de menina , ficava com um aqui e outro ali , mais sempre fui muito romântica , nunca aceitei essa ideia de pegar alguém e depois evaporar kkk.
É isso , como devo lidar com a separação dos meus pais mesmo isso ja estar fazendo quase 3 anos ? Oque faço com essa anorexia que acho que desenvolvi ? Quais as dicas pra viver em um mundo completamente diferente do meu (no tópico de pegar pessoas sem compromisso) ? Oque esperar do ensino médio ?
Um beijo , amo muito o blog <3″

Gatinha, seu problema é sim um problema sério e talvez muito mais do que o de várias mulheres adultas que me mandam Choras. Agora me diz uma coisa, 14 anos e tem que pegar geral? É sério isso? Eu com sua idade ainda brincava de boneca ou ficava dançando na frente da TV! Mas enfim, os tempos mudaram né. Antes de mais nada, mostra esse texto pro seu pai e pra sua mãe, ou pro que você tem mais liberdade de conversar e se abrir. O problema dos seus pais, é problema DELES, você não TEM QUE ser forte o tempo todo, pode ser fraca sim, pode pedir ajuda. Você faz terapia? Conversa com seus pais sobre isso! Na terapia você vai ter ajuda para lidar com vários desses problemas, inclusive sua suspeita de anorexia e suas duvidas com o futuro. E quando a ficar “pegando” livremente por aí, seja você, faça o que te faz sentir bem, o que você acha o certo. Não precisa ser ou fazer o que os outros fazem. Você tem um MUNDO pela frente para viver e fazer suas escolhas de acordo aos seus princípios e ninguém tem o direito de te julgar por isso! Agora vai lá, conversa com seus pais (ou algum professor que você confie, algum tio ou tia, algum adulto PRECISA saber disso) e terapia JÁ!

 

 

  • Choras abertos hein! Pode mandar seu desabafo, tristeza, decepção, seu problema, sua angústia para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO! Todas escutaremos e aconselharemos 🙂
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
76 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Nathália30/01/19 • 14h31

    Nossa, fiquei até mal com esse Chora 1.
    A moça tá mais preocupada com o amante do que com o marido desde sempre. Fiquei com pena do marido!
    Acho que para tirar toda essa culpa que você diz sentir, o principal é diminuir sofrimentos. E o maior deles (mesmo que ele não saiba) é o do seu marido.

    Acho que ele tinha que ser o primeiro eliminado da história para depois tudo ir se encaminhando.
    Se tiver que ficar sozinha… fique, se tiver que ficar com o amante… também! Mas elimine aquele que parece estar só sobrando na história e é o único que não merece.

    • Constanza30/01/19 • 14h36

      Concordo

    • Érika30/01/19 • 17h58

      Também pensei isso. Escorpiana, por que você continua casada ainda? Isso NÃO É AMOR, VOCÊ NÃO AMA ELE! Deus me livre alguém me amar desse jeito. Você é egocêntrica, só isso. Libera o seu marido e o seu amante e vá resolver os seus problemas.

      • Natália30/01/19 • 22h10

        Exato. Eu to até agora tentando entender porque ela não larga o marido e fica com o amante? Ela obviamente não ama o marido.

    • Thais31/01/19 • 16h00

      Lá pela metade do texto eu lembrei que ela era casada. O relato reflete exatamente o que o marido significa pra ela: é um “figurante” na vida.
      Sinceramente, só senti pena dele nessa história.
      Meu conselho é: separa e libera o marido dessa farsa e fica sozinha, se trata, pensa na vida…

  2. Amanda30/01/19 • 14h47

    Coitado do marido da moça do chora 1. Só senti pena dele, nessa história. Já pensou estar casado com uma pessoa há tanto tempo e ela fazer isso com você? Não é questão de julgar e sim de se colocar no lugar do outro e acho que é isso que falta para ela, se colocar no lugar marido.

  3. Pullmann (nome usado no Chora rs)30/01/19 • 14h55

    Menina, acho que você não tem que aceitar coisas pra própria vida só porque os outros fazem. Isso de pegar geral e outras coisas. Se você NÃO gosta disso, não o faça. Eu tenho 29 anos e também nunca gostei disso de “pegar geral” (também nunca tive facilidade mesmo que eu quisesse). Você tem a personalidade como a minha parece: mais quieta, mais romântica. Fique com as pessoas quando tiver vontade, você não é obrigada! E sim: pode ser que te julguem por causa disso. Meu primeiro beijo foi aos 18 anos. DEZOITO. E na época que eu tinha sua idade ficavam me zoando porque eu ainda não havia beijado ninguém. Sei que é fácil falar, mas tente não ligar pra isso… fortaleça sua autoestima desde já.

    Quanto aos outros problemas, converse com um adulto e procura terapia!! Na terapia você vai poder conversar sobre muitas coisas da sua vida, vai ajudar pra tudo. Se não tiver grana para tal, procure algum serviço de faculdade que tenha o curso de psicologia ou tbm tem clínicas com atendimento mais barato ou até gratuito mesmo. Vale a pena!

    Bjs

  4. Ana30/01/19 • 15h04

    Acabei de ler o primeiro relato e vim ansiosamente comentar, pq é tão raro “mulheres que traem” conseguirem ter alguém para compartilhar. Comento com outro nome, claro, já que quando estamos nessa situação nos sentimos únicas, “do mal”, extraterrestres. Também vivo uma situação de traição. Estou há mais de 01 ano com o “caso”, casada em um relacionamento de mais de 11 anos. Um relacionamento que sempre me consumiu por completo, meu marido sempre dependeu muito psicologica e sentimentalmente de mim, no qual passei da adolescência para a fase adulta. Há um ano conheci o que chamo de melhor experiência sexual e sentimental da minha vida. E me fez um bem fora do comum. Agora não consigo me desligar dele, mas também não consigo tomar a decisão de me separar. Gostaria que a resposta fosse simples “se afasta” “se separa”, como sempre leio aqui ou em outros locais. Falo “leio” pq essa é uma situação que eu vivo sozinha, já que ng da minha vida iria entender traição, não faz parte do entendimento/aceitação de amigas e família. Fazendo terapia, descobri que essa situação é muito mais comum do que imaginamos, com mulheres comuns, “normais”, mas que sempre passam por tudo sozinha com medo do julgamento. Enfim, também já pensei varias vezes em mandar o chora só para desabafar, para eu mesma ler, pq no fundo ( como já vi em alguns outros relatos de traição da mulher aqui ), sei que muitos comentários só falam o que nós mesmas já fazemos: julgam. Bom, meu comentário foi mais um desabafo do que uma ajuda, mas sei que só de saber que existem pessoas em situações semelhantes, sentimos um certo conforto.

    • Constanza30/01/19 • 15h45

      Esse é um dos grandes objetivos do Chora, conectar pessoas que estão passando ou já passaram por situações parecidas, independente da situação. Espero que os comentários te ajudem a tomar uma decisão tb. Bjs

    • Érika30/01/19 • 18h01

      Quanto mimimi e vitimismo. Te julgam porque você está errada, ora bolas! Assuma seu erro e tente consertá-lo.

      • Carla31/01/19 • 13h28

        Exatamente. Não quer ouvir a verdade, continue sem perguntar então. Todo mundo sabe que não deve ser fácil, mas fazer o certo nem sempre é. Sua vida, suas escolhas. Só não reclame e aceite quando a lei do retorno chegar, porque ela sempre chega!

    • Aline31/01/19 • 10h39

      Cuidado para não usar a desculpa de que “tem mais gente fazendo o mesmo” para justificar um erro. Há muitas pessoas infiéis por aí, mas não pode ser considerado normal fazer algo que machuca os outros e que, por tabela, traz sofrimento para você também.

    • Maria31/01/19 • 14h59

      É exatamente isso. Igual esse comentário, dizendo que temos que parar de vitimismo e assumir que estamos erradas. Realmente estamos e o chora da escorpiana diz que ela sabe disso também. É fácil falar quem tá de fora.
      E não estamos justificando o erro dizendo que outras pessoas também fazem. Estamos dizendo que precisamos de empatia. “Não se devem julgar os outros porque os pecam diferente de vc”

    • Thais31/01/19 • 16h05

      Acho errado trair e ponto. Entendo que vc e a moça do Chora 1 estejam sofrendo, indecisas, perdidas, ok. Merecem ser acolhidas e aconselhadas. Mas traição não é legal, seja homem ou mulher.

    • Karol31/01/19 • 22h44

      Não acho que seja julgamento, mas quem procura, acha!
      Ninguém beija ninguém por acaso
      Ninguém transa com ninguém por acaso
      e depois “ah, me envolvi”? Não tem essa.
      Se você é casado e quer respeitar o seu relacionamento, você não procura se envolver com esse tipo de situação. E mesmo que apareça, você “corta”.
      Se você não souber o que você quer da sua vida, vai ficar sempre dando asas a atitudes erradas simplesmente porque você PERMITIU.

  5. Nina30/01/19 • 15h07

    Menina, dá cá um abraço. Tirando a anorexia, passei pelo mesmo q vc. E ainda tive o desprazer da minha mãe dizer na minha cara q a culpa da separação dela, era minha. Não tenha vergonha ou receio de contar pros seus pais. A responsabilidade do q está acontecendo com vc é total deles. Não seja a forte e adulta nessa hr, vc é apenas uma criança. Eu tb me achava mt madura aos 14, hj com 31 vejo q eu precisava era de colo e assistência. Peça pra eles te ajudarem a procurar um psicologo ou algum tipo de terapia . Vc TEM q fazer. Antes eu tivesse feito com a sua idade, não estaria com a cabeça cagada como estou hj depois de adulta. E qnt aos seus amigos, tb passei igual. Tb sou romantica. Tb nao pegava geral. Qd as idiotas vinham me cobrar, eu mentia. Inventava historias de q pegava fulano e ciclano q elas nao conheciam. As histórias eram cheias de detalhes q minha mente criativa e perturbada inventava pra não me pegarem no furo. Falava q pegava alguem do curso de ingles, primo da vizinha e etc. Nunca ngm descobriu e eu passava de descolada. Pq ainda debochava falando q os meninos da escola nao serviam pra mim, pois eram mt imaturos. Mentir é certo? não. Mas bullying tb nao é. Então tá valendo. Qlq coisa, estamos aqui.

    • Constanza30/01/19 • 15h43

      Obrigada pelo seu comentario pra Menina <3

  6. Izabela30/01/19 • 15h34

    Escorpiana, concordo com o que já disseram aqui, primeiro pensa em quem você ta fazendo mal: Você, seu marido e seu amante. A diferença é que seu marido ta sem nem saber o mal que tem sido feito a ele. E se você é infeliz e confusa por tanto tempo assim, isso deve refletir no seu relacionamento. Liberte seu marido disso. Depois procure ajuda, se sua terapia nao está fazendo efeito, troque de terapia. Tente entender quais são os gatilhos que te motivam a procurar e ignorar o cara, mas lembre-se, esses joguinhos também não justos com ele. Se você o ama tanto, livre-o desse sofrimento, se não é só egoismo. Força, que deve ser mto barra!

    Canceriana, não é pq ng fala em casamento e não te chama para morar junto que a pessoa não quer casar, realmente acho que vc se precipitou! Não sei a quanto tempo vc está na terapia e nem fazendo seu tratamento psiquiátrico, mas pelo que vc descreveu parece estar com depressão e que continua precisando de ajuda. A gente precisa resolver, ou pelo menos entender, nossos conflitos internos antes de resolver os externos.

    Menina, concordo com a Cony, o problema da sua mãe é problema da sua mãe, você não precisa ser forte por ela nem aguentar por ela. Você pode ajuda-la e pedir ajuda ao mesmo tempo para você mesma! isso Não é fraqueza! Procure algum adulto da sua confiança e conte pra ele como contou para nós, ajuda é sempre bem vinda e você verá que não que te passar por isso sozinha! Quanto aos seus colegas de escola, seja você mesma! Não faça nada que você não quiser por causa deles! se eles forem seus amigos de verdade te apoiarão do jeito que você é! E se eles não forem, não se preocupe, amigos de verdade são os mais importantes na vida! Mesmo que eles não sejam tão legais como a turma da escola! Procure ajuda! Vc não está, e nem precisa estar sozinha! e Parabéns pela sua coragem!

  7. Ariana30/01/19 • 15h51

    Chora 2 – está parecendo q seu namorado se aproveitou de seu surto para ficar sozinho

    • Paula31/01/19 • 05h03

      Pensei exatamente o mesmo! Me parece ter pego ela de surpresa e agora está se fazendo de vítima do “piti” dela. Sinceramente me pareceu que ele ê um homem manipulador. Está usando os sentimentos dela como desculpa para não manter a relação fixa. E assim vai cozinhando ela, se aproveitando de sua fragilidade para usá-la quando sente vontade. O que só a fragiliza ainda mais por ela se sentir culpada (equivocadamente) e por manter a esperança dele um dia incluí-la em seus planos. Esquece. Ele quer curtir a liberdade e fazer da casa um matadouro. Ele só não confessa e ainda te culpa.
      Conselho: corre que é cilada Bino!!

  8. giovana30/01/19 • 16h20

    Chora 1: MINHA FILHA, SE DECIDE E PARE DE MIMIMI, vc ama seu marido? quer ser casada com ele? se sim, então foque na terapia, no casamento e ESQUEÇA DE UMA VEZ POR TODAS O AMANTE.
    Não quer ser mais casada, não sabe o que quer: Separe, sério, não pe fácil, mas olha só como vc está tratando seu marido… Imagina se ele souber como vai ficar? em momento nenhum no texto vc fala dele com amor e preocupação. Te achei egoísta demais.
    Sobre o amante: ta na cara que ele não te quer, fica de historinha como se ele també nao tivesse permitido a situação.
    Em resumo: se decida, se vc quer o amante joga a real e fala para ele decidir se quer ou não ficar com vc, ou caso vc decida estar com seu marido pense bem, se vai abrir o jogo com ele ou se vai ficar na sua, mas independente disso mude de atitude já, para de ser mimada e só se preocupar com vc, seus sentimentos. Seja adulta e tome as rédeas da sua vida, se vai cortar contato, corte de verdade, não fique fingindo, ademais, de romantica essa história não tem nada, é só um poço que vc cavou pra se enfiar.

    • larissa30/01/19 • 17h08

      Nossa, super sensato seu comentário. Para de se colocar de vítima e assume a m##da que vc tá fazendo. Traiu? Beleza, acontece com (quase) todo mundo. Agora ou vc tá arrependida e segue a vida com o seu marido (e não conta nada) ou então separa logo e vai viver com esse amante ou sozinha. Por que vc se acha culpada de tudo? Esse amante tá muito dramático pro meu gosto. Ele é tão culpado quanto você. Quando a gente se envolve com alguém casado a gente também é culpado ok? A não ser que não soubéssemos. Enfim, vai viver tua vida decente garota. Para de enrolar esse marido. Desculpa, mas no fundo eu torci pro seu marido ter um casinho também… só quem já foi traído sabe a decepção que é. Se decide, e logo.

    • Érika30/01/19 • 18h05

      kkkk, amei seu comentário. Mulherada mimizenta do cacete. Parecem eternas vítimas do destino. Me poupe!

      • larissa31/01/19 • 10h14

        NÉ? vamos parar de nos colocarmos de vítimas da situação… “ai, coitada de mim, não sei o que faço…”. foi vc que foi procurar a sarna pra se coçar, sério! como disse uma colega aí em cima: “deus me livre alguém me amar desse jeito”. vc nao ama seu marido e PONTO, vc quer o seu amante, quase num nível doentio…. se vc amasse seu marido, poderia até ter traído, mas teria se arrependido e parado logo ali, mas não, vc se acostumou com o caso. esse seu amante tá te levando na mão…. ele faz o quer contigo, já percebeu? e na minha opinião, lendo seu relato, ele não parece nem um pouco a fim de ficar contigo.

  9. Gabriela30/01/19 • 16h32

    Oi Menina!

    Sou mãe de uma menininha e fiquei de coração partido com seu chora!
    Vim te encorajar a dividir seus sentimentos com sua mãe e seu pai. Sem dúvidas eles te ajudarão a superar este momento. Conte logo, fiquei preocupada com a possibilidade de você estar desenvolvendo um distúrbio alimentar. Acredito que quanto mais cedo houve uma intervenção, mais rápido será a sua recuperação.
    Quanto à pressão da turma, tente não ligar! Seja você, não dê ouvidos… Eu me arrependo tanto de ter me preocupado com a opinião dos outros, era super tímida, vivia com receio do que iam pensar. Sempre amei dançar e nunca fazia com receio de me acharem sem jeito. Hoje eu só penso nos momentos que deixei de viver, que não aproveitei por causa dos outros! Por causa de pessoas que nem estão mais na minha vida, pessoas sem nenhuma importância… Agora meu lema é fazer o que ME deixa feliz. Tô nem aí pros outros! Pena ter demorado tanto a me dar conta disso.
    Pensa bem, não se deixe influenciar apenas para ficar bem com patotinha de escola.
    Te desejo tudo de bom!

  10. Lele30/01/19 • 17h25

    Escorpiana – Como mts falaram, acho que vc tem que decidir o q quer para sua vida e bancar essa decisão, se é estar casada, invista no seu casamento, busque mudar o q está errado, faça ajustes, veja o q não está legal na relação… agora se não está mais feliz no casamento, sei que não é fácil, mas nenhuma decisão importante é, termine seu casamento, se liberte e liberte o seu marido, tanto vc qnto ele merecem ser felizes e ficar presa a um casamento q não te faz mais feliz só impede que vcs encontrem essa felicidade, vc pode amar seu marido, mas não querer ser mais casada com ele e tudo bem.
    Canceriana – entendo seu sonho de casar e ter uma família, mas vc ainda é mto novinha e tem mto ainda a construir, tudo acontece no seu tempo e o que for pra ser será. Entendo o lado do seu ex-namorado, pode ser que ele esteja pronto para dar esse passo de morar sozinho, mas ainda não esteja pronto para um compromisso mais sério como morar com a namorada. Dê espaço a ele e se ele realmente gostar de você e sentir sua falta, em algum momento irá te procurar, mas não paute sua vida nessa hipótese, vá vivendo e aproveitando as oportunidades que a vida for lhe proporcionando. Outra, acho q vc deve cortar qlqr contato q tenha com ele, vc nunca vai conseguir superar se tiver um lembrete constante da existência dele (isso me lembra mto aquele filme “o amor não tira férias”). Não deposite toda sua felicidade no outro, seja você a dona do seu destino e da sua felicidade.
    Menina – acho, assim como a Cony, q vc deve conversar com seus pais, se vc não falar eles nunca vão saber e vão pensar q vc está lidando super bem com tudo, essas coisas não ditas viram uma bola de neve e podem causar um problemão lá na frente. Quanto aos colegas de colégio, faça aquilo q tem vontade, vc vai ver qndo tiver mais velha, q a escola é só uma fase da nossa vida e que se vc ficou com ciclano ou beltrano não vai fazer a menor diferença dps, quem for seu amigo de vdd vai gostar de vc do seu jeito e são esses q importam 🙂

  11. Aline Gomes30/01/19 • 17h31

    Menina,
    Seja quem você é. Certeza que quando tiver mais velha vai ficar bem feliz de ter tido a personalidade de fazer suas próprias escolhas ao invés de seguir a manada. A respeito do divórcio dos seus pais e a anorexia converse com um adulto e peça ajuda, tem coisas que é difícil para lidarmos sozinhos e precisamos de ajuda para as coisas não piorarem.

  12. ANA30/01/19 • 18h21

    Caso 2: Acho que você precipitou, até pq você é extremamente jovem pra casar e ter filhos, mas isso não vem ao caso, pq cada um sente a necessidade em um determinado tempo. O que eu queria falar mesmo, é sobre o risco de ficar esperando acontecer o que a cartomante te falou… Pq pode ser que nesse tempo surjam oportunidades maravilhosas, outras pessoas, e você recusar porque está esperando o que a cartomante disse que ia acontecer… Sai dessa miga, aprendi isso na terapia, isso se chama PENSAMENTO – SENTIMENTO – COMPORTAMENTO, o jeito que você pensa é a forma que você vai se sentir e determina como você age e consequentemente as coisas que acontecem na sua vida, então pense certo, busque por você mesma, trabalhe você, os seus projetos… E SE, ele tiver que voltar, ai ótimo, mas até lá, talvez até você mesma perceba que tem coisa melhor nesse mundão afora! Beijos

  13. Malkavian30/01/19 • 20h01

    MENINAAA, meu anjo eu sinto muito pelo que vc teve e tem que passar, mas não se ache no dever de não poder transparecer a sua dor, você é mt nova e precisa de afeto e atenção nesse tipo de situação, ainda mais que me preocupou o fato de vc estar possivelmente com anorexia nervosa. Se possivel fale com sua mãe, ou algum adulto que confie, diga como se sente, e busque ajuda terapeutica. Quanto ao bullying e ao “pegar geral”. Se você não tem vontade, não faça. Eu também passei pelo mesmo que vc, então pra q vc nao cometa os mesmos erros q eu, vou te dar um conselho: quando eu tinha sua idade, eu namorei, o fim foi terrivel etc, entao quando fiquei bem e voltei pro colegio, havia uma certa cobrança (como vc bem sabe) em relação a esses assuntos. Pois bem, por influencia de “amizades” eu ate fiquei com garotos que nao sentia nada, e nao foram boas experiências pra mim. Eu tb sou romantica como vc, e prefiro me envolver com alguem que gosto e confio, podem me chamar de antiquada, mas acho mt mais saudavel, principalmente na sua idade. Enfim, nao de ouvidos a comentarios ruins de terceiros, busque apenas sua felicidade, e se cuide, estamos com vc!

  14. Georgia30/01/19 • 20h09

    “Acabei de ler o primeiro relato e vim ansiosamente comentar, pq é tão raro ‘pessoas que roubam’ conseguirem ter alguém para compartilhar. Comento com outro nome, claro, já que quando estamos nessa situação nos sentimos únicas, ‘do mal’, extraterrestres. Também vivo em situação de crime. Estou há mais de 01 ano com roubando a empresa em que trabalho há mais de 11 anos. Esse trabalho sempre me consumiu por completo, a empresa depende muito de mim, mas a recompensa financeira não é boa o suficiente. Há um ano comecei a roubar, e me fez um bem fora do comum. Agora não consigo parar, pois o dinheiro desviado me permite ter experiências que o trabalho honesto não proporciona. Gostaria que a resposta fosse simples “para de roubar”, “procure um emprego que remunere mais”, como sempre leio aqui ou em outros locais. Falo “leio” pq essa é uma situação que eu vivo sozinha, já que ng da minha vida iria entender o roubo, não faz parte do entendimento/aceitação de amigas e família. Fazendo terapia, descobri que essa situação é muito mais comum do que imaginamos, com mulheres comuns, ‘normais’, mas que sempre passam por tudo sozinha com medo do julgamento. Enfim, também já pensei varias vezes em mandar o chora só para desabafar, para eu mesma ler, pq no fundo ( como já vi em alguns outros relatos de roubo de mulher aqui ), sei que muitos comentários só falam o que nós mesmas já fazemos: julgam. Bom, meu comentário foi mais um desabafo do que uma ajuda, mas sei que só de saber que existem pessoas em situações semelhantes, sentimos um certo conforto.”

    Para egoísmo e hedonismo há redenção – como seres humanos, estamos sujeitos aos mais graves pecados. Agora, querer dar à própria falta de moral ares de intelectualidade, complexidade emocional, pra mim já é demais.

    • Ana31/01/19 • 07h16

      Tanto esse comentário, quanto o outro em resposta direta ao meu, apenas reforçaram o que eu disse. Sem saberem nada sobre mim, sobre minha vida, sobre minhas atitudes no geral ou sobre a situação em si, as meninas apontaram o dedo para mim e falaram em “mimimi”, vitimismo, egoismo, hedonismo (!) e falta de moral! Em que parte do meu comentário falei que não considero um erro o que estou vivendo e fazendo? Em que parte disse que não sou responsavel pelo que fiz ou que sou apenas uma vítima “conduzida” ao erro? Eu disse que uma mulher que trai, ou seja, que COMETE O ERRO de se colocar nessa situação, se sente isolada e não tem com quem conversar, porque o julgamento vem antes do “ouvir”. Às vezes, nos colocamos em situações que nunca imaginávamos, erramos, e não sabemos como sair. Seja o erro que for, isso acontece. Para vocês que vieram aqui apontar o dedo, tomem cuidado, pois pode ter alguma mulher que você ama, próxima à você, que está nessa situação, sem coragem de conversar. E ela não precisa que passem a mão na cabeça dela, mas também não precisa de alguém para “chover no molhado” gritando na cara dela que ela está errada ou, muito menos, alguém que se sinta tão ilibado e superior para subir no pedestal da moral e falar que ela é sem moral e pecadora. Ela precisa de alguém que a ajude a entender o que a fez entrar nessa situação, que escute como ela se sente e que a ajude a decifrar os sentimentos para tomar uma decisão, ou apenas alguém para ouvi-la sem julgar. Por incrível que pareça, ela pode sim estar em um beco sem saída, com um complexo de sentimentos que a afasta de achar uma solução. O meu comentário foi nesse sentido, do isolamento, e não foi um auto salvo conduto, mas logo apareceram as pessoas para falarem o tradicional, o esperado. Sobre este comentário específico que estou respondendo: primeiro, me surpreende sua coragem de se definir como defensora da moral, como se estivesse em uma posição superior para definir moral e apontar o dedo para aquelas que a ferem (na sua visão). Segundo, sua comparação com o roubo é um tanto quanto superficial, uma vez que, sim, poderia ser qualquer outra atitude errada, que a pessoa poderia estar precisando de alguém para conversar e para ajudá-la a decifrar o que a fez chegar naquele ponto, e, por outro lado, se você quer falar de crime, igualando traição ao crime, aprofunde seu conhecimento sobre a criminologia para você ver o quão complexo é o entendimento do que faz as pessoas a cometerem crime, como cada caso está inserido em um contexto distinto. Terceiro, todo e qualquer ser humano, a não ser que seja um psicopata, possui uma complexidade emocional infinita, inclusive quem “comete o pecado” de trair, acredita? Quarto, não “dei ar” de intelectualidade ao assunto, essa é a única forma que sei conversar, hábito vindo da minha profissão.
      Bom, encerro por aqui, desculpe Contanza, não quis começar uma discussão aqui, longe disso, realmente tentei achar um espaço de conversa, porque estava precisando e porque vi um relato de alguém vivendo algo parecido, o que, como eu disse antes, gera certo conforto. Obrigada.

      • Aline31/01/19 • 15h49

        Ana, eu já tive uma amiga q passou por isso e conversou comigo. Não julguei, entretanto por mais que nós conversássemos muito eu percebia que no fundo ela não queria sair dali e sempre buscava uma justificativa no passado dela, no comportamento do marido etc etc… realmente é um assunto muito delicado de falar com qualquer pessoa, mas o que ficou marcante para mim a respeito dela foi a falta de força de vontade em encarar os problemas que a colocaram nessa situação.

      • Georgia31/01/19 • 17h30

        Ana, vejo que interpretei seu comentário de forma equivocada: o que me incomodou foi a tentativa de “romantizar” a traição, tratar como algo não necessariamente errado. Enfim, eu não suporto relativismo moral, pois sempre tive muitas “desculpas” na vida pra me engajar em comportamentos errados e mesmo assim optei pelo caminho mais difícil, ou seja, sei que é possível. Para ilustrar: quem passou fome e nunca deixou de ser honesto tende a ficar com raiva de quem defende bandido, rs.

        Com o seu segundo comentário, no entanto, vejo que você sabe que está errada. Isso muda tudo.

        De fato, deve ser difícil não ter amigas para conversar sobre o assunto, mas creio que vc não deveria mesmo dividir com elas a sua traição, especialmente se elas conviverem com seu marido. Parte da dor de ser traído envolve o reconhecimento social da situação, pois inevitavelmente o parceiro traído é visto como digno de pena, não bom o suficiente, etc. Creio que você fez a coisa certa ao procurar terapia e desabafar com a profissional. Espero que essa ajuda seja suficiente para que você se encontre nessa história toda.

        Por fim, entendo que gere conforto saber que outras pessoas passam pelo mesmo, mas não deixe isso te passar a impressão que a situação é sustentável… Você se engajaria nesse comportamento se seu marido fosse descobrir amanhã? Se sim, melhor se separar. Se não, deve se afastar. Qual é a outra opção, enganar seu esposo para sempre? Imagina a dor dele se descobrir (e não há como garantir que isso não acontecerá)!

        Novamente, peço desculpas por ter te interpretado erroneamente. Abraços.

    • Jessica31/01/19 • 07h23

      Geórgia,
      Se tem um ditado real é esse:
      Tudo que vem fácil vai fácil.
      Saia dessa cilada enquanto é tempo, pois vc está construindo meu castelo em areia.

    • Andréa Carla Carvalho Rodrigues31/01/19 • 12h48

      Boa! Também acho errado ficar passando a mão na cabeça de quem tá errado, aff.

    • Lele31/01/19 • 13h31

      Vc já pensou na possibilidade de ser pega? nas consequências q isso pode trazer para a sua vida? Tenho certeza que as experiências que vc diz ter com os furtos, não valem as consequências q irá sofrer, caso seja descoberta, e posso te dizer q uma hora vão perceber, é uma questão de tempo. A gnt só faz aquilo q nos permitimos fazer, persistir no erro é mto mais fácil do que tentar mudar. Se vc não consegue sozinha, procure ajuda, mas não continue no erro porque é mais fácil.

    • Leitora do Fufu31/01/19 • 15h46

      Perai… esse comentário é igual o outro acima da Ana só que mudando o cenário é isso mesmo produção?

    • Carol01/02/19 • 02h26

      Bizarra sua analogia, roubo é crime ponto, adultério nao mais, já foi…e acho que comentários como o seu provam o como ha uma mistura do que é justiça e moral. Explica muito o mundo de hoje, no qual se busca mais vingança que justica. Aconselho a jogarem no google história do adultério e pq deixou de ser crime…ah e por fim, falso silogismo disfarçado de retórica é demais pra mim…

  15. Taina30/01/19 • 20h50

    Caso 3, Menina.
    Faz tempo que evito comentar nos choras mas no seu caso eu tive que vir porque passei por tudo igualzionho!
    Hoje eu tenho 30 anos, meus pais se divorciaram quando eu era um pouco mais nova que voce e eu na época eu nao entendi que tentar ser aceita pelos demais era um reflexo disso! Tive disturbios alimentares por anos, até finalmente amadurecer e entender que quem precisa me aceitar sou eu mesma! Mas voce nao precisa passar por tudo isso, nao precisa deixar as coisas irem por anos como eu! Depois de anos eu contei pra minha mae tudo e ela me disse que se eu tivesse conversado com ela, ela teria me ajudado! Sabe, mae e pai sao pessoas normais, nao sao super herois! Nao tinha como a minha mae ter notado isso trabalhando em 2 empregos e tentando criar duas filhas sozinha! Jamais culpo ela pelo que aconteceu, eu deveria ter entendido que ela nao era uma super heroina, e ter conversado com ela! Aposto que a sua mae é assim tambem! Converse com ela como eu deveria ter conversado e cuide de voce agora, nao espere anos!
    Agora sobre pegar geral, isso sim vou te dizer que dá tempo ao tempo e seja como voce for feliz! Pegar geral nao é sinonimo de felicidade, ser magra esbelta e qualquer coisa assim tambem nao é! Quando for a hora certa, tu vai saber, e tudo que tu passou antes vai fazer sentido! Até a hora certa chegar tu tem que aprender o que te faz feliz! Nao sabe quantas amigas adultas eu tenho que nao sabem como ser feliz, entao como elas esperam saber fazer outra pessoa feliz? Voce gosta de dancar? Voce gosta de ler livros? Voce gosta de cozinhar? Nao estou falando de profissao, estou falando de saber que coisas te fazem feliz! E sabe a hora certa que eu falei? A pessoa certa vai admirar essas coisas em voce, que te fazem feliz!!! Eu sempre fui uma rata de livros, aprender novas linguas, sobre politica e economia (sou estranha, releva), e hoje meu marido brinca que casou com um partidao! É uma brincadeira, claro, ele é muito inteligente tambem, mas é isso que eu digo, tudo que eu me envergonhava quando era adolescente, a pessoa certa admira em mim!
    Desculpa que escrevi um livro, só queria que voce soubesse que tudo vai dar certo!

  16. Taisa30/01/19 • 21h33

    1. Difícil. Minha duvida, vc quer mesmo terminar com seu amante? Imagino 1 seu marido seja um bom companheiro mas o amante é aquele vício, aquele tipo de relação q a gente foge pq tem medo de perder o pode4 sobre si mesma, q tem medo de ser sugada. Vc até maneja mto bem a situação pq tua família está intocada. Eu não acho q vc vai conseguir se livrar dele de dentro de ti. Tenho q dizer q até senti uma pontinha de inveja, pra quem vive mil anos uma relação normal acaba q sente falta de uma dessas arrebatadoras q vem e destroem tudo, destroem até a gente.
    2. Ele já ia te dar um pé na bunda pra curtir a liberdade então não se martirize.
    E não destrua sua vida por cara q não vale nada. Vc é mto melhor e mais feliz sem ele (pode não parecer agora pq é um momento de transicao) Confia!
    3. Adolescência é a sua apresentação a vida. Logo, a vida é um mix de dramas emocionais.
    Dica pro colégio, se vc quiser um companheiro de vida eu diria invista naquele colega q também sofre bullying, q os pais se separaram, logo, q tb está como vc. Conheço mtos casais q começaram no colégio.

  17. Joana30/01/19 • 21h52

    Achei os comentários pouco empáticos com a escorpiana. Já estive no papel de traída, me separei do meu ex-marido, mas entendo que a situação é muito difícil e dolorida. Minha experiência como traída é que a gente sempre sabe, mas não quer enxergar. E o marido dela provavelmente percebe, mas prefere manter as coisas como estão. Eu não gosto de julgar nenhuma relação alheia, NA MINHA OPINIÃO, não existe certo e errado, existem arranjos. Achei corajoso dela compartilhar e achei duro o julgamento das pessoas. Meu ex-marido me traiu com uma amiga do trabalho dele também comprometida. Eu não acho que estejamos na posição de julgar ninguém. Agora o que resta a escorpiana é mergulhar dentro dela e descobrir o que ela quer. Mas acho que não há nenhum inocente na história, nem ela, nem o amante, nem o marido.

    • Babi31/01/19 • 14h56

      Amei! Mto sensata ❤️
      Somos seres complexos e vivemos contextos únicos, não cabe a ninguém julgar certo ou errado.

    • Analia31/01/19 • 16h58

      Como assim o fato do marido dela saber ou desconfiar do caso extraconjugal o tira do status de inocente? seu marido te traiu e a culpa foi sua??? tudo bem ter empatia com a pessoa e que realmente todos corremos o risco de passar pela mesma situação, mas o marido dela é inocente sim.

    • Érika01/02/19 • 09h24

      Meu Deus, sério que tu tá culpando o marido dela afirmando que ele sabe? Diz que não julga mas afirma categoricamente que o marido dela participa da traição? kkkkkkkkkkkkk, só Jesus na causa…

  18. Jacqueline Almeida De Souza30/01/19 • 22h51

    Escorpiana, como assim vcs tem ‘uma vida linda’ com toda essa m&&d@ que vc se meteu???? Me explica porque eu não entendi???????

  19. Jessica31/01/19 • 06h59

    Menina,
    Tenha calma, você perdeu seu Porto Seguro que era sua família de margarina, mas isso é a vida adulta. Muitas vezes as pessoas têm problemas e infelizmente não conseguem estar juntas.
    Independente do que acontecer seus Pais nunca vão deixar de te amar. Falo isso pq meus pais são separamos desde eu pequena.
    Quando a gente é adolescente a vida é assim mesmo, a gente pensa que tudo é pra sempre, coisas boas e coisas ruins, já já essa maré agitada vai se acalmar ❤️
    Tente conversar com o psicólogo do seu colégio, ele pode te ajudar, inclusive lhe orientar como pedir ajuda a sua família.

    Sobre ensino médio: meu amor são tantas matérias, tantas aulas, tantos simulados….. já já você estará mergulhada no aprendizado, fique nisso pois ele vai ser o difenrencial pra sua vida profissional.
    Pregação vai existir sim entre a galerinha, a mesma galerinha que não vai passar no enem, que vai se tornar viciado, e você pode ter certeza que vai aparecer um gatinho romântico igual a vc l! ❤️ A fase de colégio é ótima, fazemos muitos amigos, mas a fase da faculdade é expetacular! Calma que vc já chega lá!

  20. Jessica31/01/19 • 07h12

    Escorpiana,
    A gente tem vários tipos de amores, desde os amores mais carnais até os mais fraternais. Acredito que vc tenha uma sintonia muito grande na cama com seu amante e por isso mesmo ficaram tão próximos, muita gente mistura amor a esse tipo de sintonia. Mas amor, casamento não é só isso.
    Isso eh paixão e justamente por você viver uma paixão existe tanto APEGO. Quem ama de verdade não aceita fazer o outro sofrer, só quer vê-lo feliz, independente da sua felicidade, deixando até a pessoa partir.
    Você no momento não quer deixar seu casamento para ficar com ele e muito menos deixar seu amante em paz PQ VOCÊ NÃO O AMA.
    Seja gentil com você, com seu esposo,com universo, com seu amante e pare de mentir pra todos, inclusive pra si mesma, e deixe ele partir de vez e em paz.

    Caso 2:
    Canceriana, você é uma menina!!!!!!!!
    Vá curtir a vida!!!
    que homem quer casar com 23 anos? Que homem quer ter responsabilidade?
    Menina com 23 anos a gente ainda tá na faculdade, cheia de trabalhos para fazer, tcc e você preocupada com brincar de casinha?
    Pelo amor de Deus, com maturidade que você tem no momento, com essa fragilidade emocional dificilmente estaria preparada pra um relacionamento tão sério.
    Por favor, se fortaleça como pessoa, como mulher. ❤️
    Eu mesma passei dois anos longe do meu ex, badalei, e quando foi na hora certa, que EU estava preparada pra encarar um namoro de verdade, por incrível que pareça a vida nos botou juntos novamente e estamos juntos e sem intempérie no relacionamento reatado.
    Poderia estar com meu ex ou com outro cara bacana hoje, mas para o relacionamento dar certo, nós é quem precisamos estar maravilhosas!

    • Denise31/01/19 • 13h58

      Que ótimos comentários! Foram de uma sensatez que ainda vou ter!! Confesso que no primeiro a mão julgadora coçou para digitar.. parabéns pela sensatez!

  21. Taís31/01/19 • 07h28

    Escorpiana – As pessoas julgam pq vc tá errada, colega! Ninguém vai passar a mão na cabeça de quem ta traindo o marido há anos e ainda ta romantizando a história! Todo mundo que está casado está sujeito a se apaixonar por outra pessoa, até aí eu não julgo. Mas o certo teria sido você resolver sua situação com seu marido ANTES de viver esse “caso”. Me pareceu que você ta usando seu marido de “reserva” pq seu amante não quer assumir você. Vocês dois estão agindo de maneira muito covarde.

    Canceriana – Achei você bem mimada. VOCÊ tinha o sonho de casar. VOCÊ queria ir morar junto. Aí o boy quis ir morar sozinho e você fez birra e terminou com ele. Já pensou na possibilidade de ser o sonho dele ir morar sozinho um tempo? Você tem 23 anos, se acha adulta suficiente pra casar/morar junto, mas na hora que ele fez alguma coisa que não foi do seu agrado, você não agiu como adulta. Casamento é muito mais difícil que isso! Os dois tem que cederem em vaaarias coisas e ter muita conversa/paciência pra dar certo! Eu super entendo que você tá sofrendo muito agora e te aconselho a procurar outro terapeuta se o que você está indo não está te ajudando! E se esforçar pra terapia dar certo também…você tem que estar aberta pra isso, senão não adianta mesmo. Espero, de verdade, que você fique bem.

    Menina – Juro que queria poder te dar um abraço! Também acho que você deve se abrir com seus pais ou com adulto com quem você se sinta a vontade!Conta tudo…sobre a dificuldade que você está tendo pra lidar com o divórcio e sobre a anorexia! Tenho certeza que seus pais te amam demais e não devem estar cientes da dor que eles estão causando em você, pois devem ter ficado muito machucados com o divórcio também. Pai e mãe também erram, e muito! Sobre a escola: eu também nunca fui “de pegar geral” (muito menos nessa idade) e as pessoas sempre me zuavam por conta disso. Eu ficava triste, chorava em casa sozinha, mas no fim eu tinha consciência que aquele tipo de atitude (de pegar todo mundo) não tinha a ver comigo. Percebi que você sente o mesmo pelo que você escreveu..então ignora esse povo! Sobre o ensino médio: Eu sou professora de ensino médio, eu amo muito o que faço e procuro ter uma relação próxima com meus alunos e, posso te contar uma coisa? TODOS os seus colegas estão com a mesma insegurança que você, querida! Por mais que pareça que não, que tá todo mundo super seguro…é tudo mentira deles! É super comum nessa idade a gente sentir uma necessidade enorme de querer se encaixar/agradar a turma pra sentir que faz parte do grupo. Todos os seus colegas, assim você você, estão tentando se encaixar e serem aceitos. Você me pareceu uma menina mais madura do que a média dos adolescentes de 14 anos pra quem eu dou aula. Usa isso a seu favor! Tenha calma e paciência e veja que o babaca é aquele que pratica o bullying e não você, que está sofrendo! Provavelmente esses adolescentes que estão praticando o bullying são os mais inseguros e com a maior necessidade de se serem aceitos. Com isso ficam tentando chamar atenção pra outra pessoa (pra quem sofre o bullying) pra ngm notar a insegurança deles. Se isso continuar te incomodando, eu sugiro fortemente que você procure algum coordenador da sua escola e conte o que está acontecendo. Um super beijo pra você!

  22. Natália31/01/19 • 09h09

    Sempre quando os choras são de traição tem uma enxurrada de julgamentos. Eu sinceramente não acho que o mundo seja tão lindo quanto vocês acham. A traição existe e é muito mais praticada do que vocês pensam. Não estou dizendo que é certo, mas é a realidade. Trabalho com muitos homens e sei das puladas de cerca deles. Cabe à mim contar para as namoradas ou esposas? Claro que não! O que estou dizendo é que estar dentro de um relacionamento e se interessar por outra pessoa e acabar rolando acontece com homens e mulheres. Será que o ser humano é tão monogâmico assim? Será que esse nosso modo de viver é o ideal? Não sei e não sei. Acho que passados vários anos de casamento ou namoro, as pessoas acabam por buscar uma novidade. O melhor dos mundos é quando o casal consegue sair da rotina juntos, mas muitos não conseguem. Enfim, só uma reflexão.
    Pode ser que o marido dela traia ela também, o que eu não duvido. Homem nenhum para mim é santo.

  23. Geovana31/01/19 • 09h46

    Eu vi um comentário dizendo que sempre há julgamento quando o assunto é traição, e que é bom saber que existem mulheres que traem também.
    Bom, é reconfortante saber que “não sou só eu que traio, existem outras pessoas também”. Mas é que nem minha mãe falava: não é pq todo mundo faz que vc tem que fazer também kkkkkkkkkkkkkkkkkkk É óbvio que existem mulheres que traem, assim como homens também.
    Eu não sou tão ferro e fogo com traição. Eu acredito que perdoaria se fosse um “deslize num momento de crise”. Mas manter um amante e se preocupar mais com ele do que com o próprio marido é mau caratismo. As pessoas não podem ser feitas de trouxas. Ninguém merece passar por isso. Assuma seus atos, inclusive assuma que isso está errado sim, se você acredita num relacionamento monogâmico.
    Agora, se você está num relacionamento poligâmico onde todas as pessoas concordam com isso, se joga! Agora se você vive a monogamia, ter amante é uma sacanagem SIM!

  24. Isa31/01/19 • 09h55

    MENINA,
    Tenho 21 anos e meus pais se separaram quando eu tinha 17 e não foi fácil. Eu pirei muito, não conseguia processar nada do que tava acontecendo, tive ataques de pânico e nunca conseguia conversar com eles sobre o que estava acontecendo.
    A questão é que o problema é deles, o que aconteceu com eles está te afetando e você precisa contar o que está acontecendo, caso contrário você vai assumir a culpa e o “luto” de algo que não é seu.
    Terapia me ajudou muito, mas confesso que o assunto separação ainda me dói, ainda me corta e eu não consigo falar sobre isso sem chorar. É uma marca que fica mas não podemos assumir a responsabilidade pelo relacionamento deles. Precisamos seguir em frente.
    Ela vai ser pra sempre sua mãe e ele vai ser pra sempre seu pai e os dois te amam e querem te ver bem. Melhore por você, pra não crescer e ficar pirada com tudo e todos, melhore para que você não desconte nos outros sua dor, melhore por você, para que no futuro você consiga se relacionar com alguém.
    Nós, filhos, sempre somos o porto seguro da mãe e isso não vai mudar. O que vai mudar é você se impor como filha e pedir socorro. Peça socorro, não se cale por medo de magoar sua mãe, ela vai te ajudar e vai se tornar seu porto seguro.
    Eu fiquei até meus 20 anos chorando e escondendo a dor, depois de um surto, eu contei pra minha mãe e ela vem me ajudando muito, ela se tornou meu porto seguro.
    Não faça isso com você, você precisa de ajuda e o dever deles, como pais, é te ajudar.
    Não sei se você tem alguma religião, mas algo que me ajudou muito foi me aproximar de Deus.
    Deus é um pai bondoso que supre todas as nossas necessidades e eu tenho certeza que Ele vai cuidar de você como tem cuidado de mim.
    Não se cale, não assuma responsabilidades que não são suas. Peça por ajuda.
    Espero ter ajudado. Beijos, s2

  25. Natália31/01/19 • 10h55

    Caso 1:
    Moça, você está fazendo um mal terrível a este homem!
    Em nenhum momento do seu relato você se mostra disposta a se separar, então já que você não está livre e nem quer mudar seu estado civil, deixe ele seguir com a vida dele!
    Você disse que se sentiu no direito de interferir no noivado dele… Olha, ainda bem que ele não é como você para contar tudo pro seu marido.
    As decisões da vida de alguém são só dela! Vocês estavam separados, ele pediu a menina em casamento, fez planos e você destruiu tudo… Não consigo entender como alguém se acha no direito de fazer isso!
    Você não gosta dele, você é obcecada, pois não consegue trazer nada de bom pra ele a não ser tristeza e confusão. Você é uma âncora da vida desse cara! Larga mão dele!

    Caso 2:
    Seu namorado ia te dar o golpe, mas você fez isso por ele!
    Se ele sabe de toda essa vontade sua e simplesmente NUNCA falou em casamento, aí tem! Ele quis sair de casa sim e me parece um cara fraco, pq em todo esse tempo de relacionamento ele foi incapaz de dizer o que queria. Aposto que ele é aquele tipo de homem que não termina, mas faz tudo pra mulher terminar com ele.
    Ele tá de cu doce dizendo essas coisas pra você. Fala, fala, mas (pelo seu relato), vocês nem tiveram uma recaída nesse tempo… o cara não quer! Se ele tivesse alguma dúvida, vocês já tinham ficado de novo pelo menos 1x!
    Quem quer vai atrás, como você está fazendo… mas ele não quer.
    Dá um ultimato nele, “Olha, eu quero tentar voltar, já falei várias vezes. Você também quer, sim ou não?”. Se o lenga-lenga voltar, corra para as montanhas, pq esse cara tá dando as voltas dele (saindo, bebendo, transando com a ex e sei lá quem mais) e te mantendo ali no banho-maria.

    Caso 3:
    Abafar os nossos sentimentos é uma coisa muito séria. Entendo totalmente o motivo pelo qual você fez isso, mas as coisas vão se acumulando dentro de nós. Já é tempo de você lidar com isso de maneira verdadeira, se abrir para seus pais e procurar ajuda! Distúrbios alimentares são seríssimos e você corre grande risco de levar isso pra vida toda se não se tratar agora, ok?! Vai sempre se repetir quando algo sério acontecer na sua vida e fica cada vez pior. Procure ajuda profissional!

  26. Fernanda31/01/19 • 11h12

    Menina! Me identifiquei muito com seu relato e precisei vir aqui comentar. Hoje tenho 25 anos, aos 13 passei pela mesmíssima coisa. Meus pais se separaram, minha mãe ficou super mal e eu aguentei a barra em casa cuidando dela e da minha irmã mais nova. Não “lidei” com a situação, fui forte pelos outros, mas quando todos os sentimentos guardados vieram, vieram com força. O resultado foi depressão e crises de ansiedade aos 18 anos, tratada com muita terapia e acompanhamento psiquiátrico. Não espere tanto tempo para lidar com o que te faz mal, procure ajuda agora, se livre o quanto antes dos pesos que te puxam pra baixo pra viver o restante da sua adolescência e início da vida adulta de forma mais leve.
    Quando não estamos bem, isso parece se estender para todos os aspectos das nossas vidas. Como você, também sofri bullying na escola por não me enquadrar no perfil dos “populares”, de ser cool e pegar geral. Demorei pra enxergar que existiam outras pessoas na escola parecidas comigo, e provavelmente com você também, que não tão a fim de pegar geral e tem outros interesses. Quando você consegue enxergar as coisas dessa forma, bancando quem você é, fazendo atividades que sejam do seu interesse, indo a lugares que te agradam, você atrai pessoas que estão na mesma sintonia. Foi assim que conheci minhas amigas do ensino médio e meu primeiro namorado, aos 17 anos, segundo menino que beijei na vida.
    Sei que essa fase não é fácil, mas me serviu para dois aprendizados que carrego comigo até hoje e desejo que você não sofra tanto para aprende-los: viva a vida à sua maneira e não carregue responsabilidades que não te pertencem.

  27. Camila31/01/19 • 11h30

    Chora 1. Já que vc citou sua crença, senti liberdade de falar nessa linguagem com vc. Trabalho com aconselhamento familiar há 13 anos. Dar um diagnóstico com pouca informação é delicado, porém algumas coisas me parecem bem simples de serem identificadas. Além da parte psicológica que envolve sua infância e as crenças limitantes que vc adquiriu sobre relacionamento, você tem um problema de cunho ESPIRITUAL.
    Quando nos relacionamos sexualmente com alguém, fazemos uma aliança de sangue. Toda a carga espiritual da pessoa passa pra você e vice-versa. Não para por aí porque vc também se relaciona com o seu marido e acaba afetando ele, sendo assim, impossível isolar o seu casamento do seu “caso”. Fora isso vem a maldição hereditária que cada um carrega, se tornando um ciclo vicioso onde nem você entende porque fez, mas o mundo espiritual entende e se move porque essa legalidade já foi dada por pessoas da sua família ou da dele que vc talvez nem saiba a história.
    A única solução é pedir perdão para seu amante por tudo o que vc causou, sumir da vida dele é claro, se perdoar (isso desde que queira parar) e pedir perdão ao seu marido. Claro que com responsabilidade, sem citar o caso pelo menos por enquanto. Faça um jantar pra ele ou vá a algum parque e tenha um momento do perdão. Os dois se perdoam e pedem perdão por tudo até aqui, uma renovação de votos por exemplo.
    Você não citou muito o seu marido, mas também não falou em separação, o que me faz pensar que não quer.
    Amor é DECISÃO. Você decide amar seu marido todos os dias. E você decide não ceder às tentações do seu emocional ferido e dependente. O que vc sente pelo “caso” não é amor. Por mais que tente resolver no físico se separando e ficando com o outro, nunca vai se sentir em paz e realizada pois seu espiritual está amarrado às alianças erradas que fez.
    Espero ter ajudado.
    Busque ajuda ainda mais, vai precisar.

    • Carla31/01/19 • 13h38

      Você falou tudo que eu acredito e penso, mas nunca falei aqui porque com certeza seria julgada. A única coisa que discordo é de não contar para o marido. Acho que ele tem direito de saber tudo o que aconteceu e decidir se quer continuar ou não. Decidir se vai perdoar e o que exatamente estará perdoando. Vai muito além de traição, é deslealdade, e inclusive ela expôs o marido a doenças.

    • Ariana31/01/19 • 17h13

      Gostei da resposta.

  28. Sincerona mesmo31/01/19 • 11h43

    Chora 1.

    Conheço um caso parecido que pra piorar a mulher ficou grávida e não sabia qual dos dois era o pai…
    Teve o bebê e só depois que nasceu que teve a certeza da criança ser do marido, então ai sim resolveu tocar a vida…
    acho que o susto foi tanto que ela entrou nos eixos.

  29. Sinceriane31/01/19 • 14h02

    ESCORPIANA

    Independentemente da traição, julgamentos, o futuro do seu casamento etc, só queria te falar uma coisa que eu não sei se vc percebeu: esse cara aí não é apaixonado por vc não! ele gosta é que vc seja o lanchinho dele e tem aaaaaaltos lero-leros. Quanta groselha essa cara fala pra vc, hein! Isso só julgando pelo que vc mesma contou! Ele é manipulador e gosta de se vitimizar pra romantizar essa “relação impossível” de vcs. Pra completar, vc parece que não só é mto suscetível a esse blablabla como se alimenta disso! Miga, vc tá fantasiando demais essa parada aí, acorda!
    Vi algumas gurias falando pra vc se decidir se vai deixar o seu marido pra ficar com ele e olha, se vc vai deixar o seu marido eu não sei, vc que tem que decidir, mas ficar com o caso não vai rolar! Ele não vai querer e vai correr! E vc vai ficar pasma com o quanto foi enganada. To sentindo cheiro de cafajeste de loooonge!

    CANCERIANA
    Eu entendo que vc esteja sofrendo e procurando onde errou, se foi pq surtou do cara ter ido morar sozinho e tals. Mas parece mais que ele “aproveitou” essa deixa pra terminar o relacionamento. E se não fosse essa deixa seria outra! Ele pelos vistos não gosta tanto assim de vc. Desculpa que te diga. Ele às vezes te procura, mas isso não significa grande coisa nesse contexto. Se ele quisesse voltar com vc ele voltaria, não ficaria dando desculpa esfarrapada de “ai, não se se VC vai terminar de novo”. Oi?!
    Dói, dói quando a gente ama, mas às vezes não tem o que fazer. Eu sugeriria que vc tentasse ganhar um pouco mais de perspectiva na sua vida e fosse fazer as coisas que quem termina um relacionamento “tem que fazer”, tipo terapia (que bom que vc já está fazendo), novos amigos, novos programas, cursos, viagens. Enfim, se ocupar, se distrair. E realmente tirar da sua cabeça que vcs vão voltar, mesmo que a cartomante tenha te dito. Isso só vai atrapalhar o seu processo. Inclusive o processo até de voltar, se for isso mesmo que vai acontecer no futuro.
    Força pra vc!

    • Constanza31/01/19 • 18h25

      Nossa falou tudo sobre a Escorpiana. Também achei puro lero lero do cara querendo romantizar e manter ela ali… apaixonada e cheia de esperança de algo que nunca vai acontecer!

  30. Bruna31/01/19 • 14h12

    Chora 2

    Sinceramente, acho que vc se precipitou. Vc tem 23 anos. Só vinte e três!!!
    Se tivesse 28, 30, e ele não demonstrasse vontade de morar junto e fazer planos, era uma coisa.
    Mas não é o caso.
    Tb não sei como aconteceu. Se ele estava falando em morar só ou se simplesmente, um dia, apareceu falando nisso. Aí seria sacanagem, mais pelo fato de não ter compartilhado as vontades e planos com vc. Não pelo fato de não querer morar junto.

    Todo mundo condenando o menino.
    Mas quem terminou com ele foi você.
    Agora aguenta a sua decisão.
    Se ele não quiser voltar e quiser curtir a vida, não é errado.

    Vai viver sua vida. Quem sabe daqui um tempo vcs não voltam?

  31. Bruna31/01/19 • 14h19

    Menina,

    SInto muito por tudo isso.
    Sofri muitoooo bullying na escola e carrego essas marcas até hoje.
    Tenho alguns traumas.
    Mas tb sei que sou uma pessoa mais forte! (e sinceramente, estou melhor e mais bonita que muita gente que me fez mal viu).

    Se vc acha que só gordinhas sofrem bullying, eu sofri MUITO bullying por ser magra!! MAGRA!
    Era bem magrinha mesmo, na época. Me chamavam de magrela, sem bunda. Falavam que nenhum homem se interessaria por mim e outras mil coisas.
    Tenho uma carta guardada, que me mandaram, que pura maldade.
    Caso queira ver, pede meu e-mail para a Cony e te mostro.

    Teve uma vez que minha irmã foi me buscar na escola e chegamos no prédio. Chamamos o elevador e o social chegou primeiro.
    Eu disse para a gente ir no outro, pq não queria me olhar no espelho!!!!

    A verdade é que NUNCA SERÁ SUFICIENTE.
    Quem é mal, vai sempre achar algo para falar de vc.
    Não dá para falar “não liga”. É dificil. EU sofri demais.

    O que eu fiz foi:
    * Me apoiar nas minhas amigas e amigos e ser feliz com eles. Mesmo sofrendo muito, tenho as melhores memórias da época que tinha sua idade!
    * Contar com o apoio da minha mãe, que virava leoa pra me defender e jogava aquela escola abaixo.

    Então, se abra com seus pais. Ou com algum adulto que te passe confiança.
    Só não sofra isso sozinha!!

    E sobre isso de pgar geral: bobagem. Pegar geral não resolve nada nem preenche sua vida.
    Viva sua adolescência e quando se interessar por alguém, ótimo.
    Se não, não se preocupa!! Tá muito nova ainda!

  32. Andrea Duarte31/01/19 • 15h47

    Caso 1: Vc precisa querer se conhecer e entender o que pode estar causando todos esses desajustes psico-emocionais na sua vida e de quem está ao seu redor. Não adianta ajuda psicológica se vc não tiver consciencia de que você quer realmente se entender e se curar. Procure trabalhar tb não só o seu estado psicológico, más o lado espiritual. Se concentrar no seu ‘eu interior’, se olhar, tentar sentir as suas emoções, o que te faz sofrer, o que te machuca, e buscar un caminho de cura e fortalecimento espiritual. Tudo é um conjunto: corpo, alma e espirito, e se eles não estão em sintonia, não estão sendo tratados com carinho, com o devido respeito, fatalmente haverá sofrimento. Não se culpe, mas tenha consciencia de que tudo na nossa vida só acontece porque nós permitimos. Vc permitiu se envolver nessa historia, agora cabe a vc então se perdoar, e buscar un caminho que te leve a se afastar de tudo isso. Tentar entender pq vc errou só faz vc ficar parada sozinha no meio do caminho. A questão agora é buscar se fortalecer e encontrar un novo caminho que te leve à paz interior.

  33. Alessandra31/01/19 • 16h33

    ESCORPIANA
    Toda pessoa que passa pela situação que vc está passando quer ouvir algo que a conforte, que suavize a culpa, que de alguma forma passe a mão na sua cabeça um pouco. No fundo vc mesma já sabe o que fazer…vc sabe que o que vc faz é podre de todos os lados. Infelizmente não tem solução!
    Te falo isso porque tbm traí meu ex. Vivíamos muuito bem, tínhamos uma ótima vida, ótima convivência, eu amava ele de verdade, mas me permiti me envolver com outra pessoa. Sei exatamente como vc se sente e sei que é podre!
    Eu não conseguia largar do meu ex e não conseguia terminar com o “fulano”…não durou muito, mas foi suficiente pro meu ex descobrir e me largar….com tooooda razão! Isso dói mais em mim do que qualquer coisa que eu tenha feito de ruim até hoje! Não existe um dia que eu não me arrependa de ter feito isso. Foi vaidade, foi capricho, foi fogo no rabo e paguei um preço muito alto por isso. Sofri demais e fiz meu ex sofrer…ele não merecia de jeito nenhum! Eu aprendi a minha lição!
    A resposta já está em vc há muito tempo e vc sabe: é pura falta de decência! Te endireita enquanto é tempo!!!

    CANCERIANA
    Esse seu ex aproveitou a situação pra se livrar de um relacionamento que já não tava muito a fim e usa desculpas pra não voltar jogando a culpa em vc!
    Vc tem taaaaaanta vida pela frente!
    7 bilhões de pessoas no mundo (acho q é isso rs) e vc pensa que vai conseguir ser feliz SÓ SE FOR COM ELE????
    Acredite…logo passa! Agora, corta esperança, corta esse boy e segue o baile, pq quem quer ficar com vc, fica e pronto!

    MENINA
    Nem sempre é tão ruim ter pais separados. É bem melhor do que vê-los juntos em meio a brigas, confusão e infelicidade. Cada um com seus motivos.
    O que vc precisa urgeeeeente é conversar com seus pais…geralmente temos mais abertura com a mãe…e deixar eles te ajudarem. O resto se ajeita!

  34. sabrina pereira alves31/01/19 • 17h58

    Menina, somos tão inseguras com 14 anos. Uma coisa que os 30 me deram foi a certeza de que não precisamos fazer nada pra ser do grupo; pra agradar alguém. Seja você mesma. Romântica, menina, preocupada com sua família. Converse com seus pais. Seja feliz e você mesma sempre, repito. Com 14 eu nem tinha beijado ainda e isso não me fez mal nenhum. Seja feliz, seja saudável e confie seus sentimentos aos seus pais. Eles te amam e vão te ajudar.

  35. Giovanna31/01/19 • 19h01

    Menina, o q fiquei mais preocupada com o q vc falou foi com a questão da anorexia. O pessoal mandou vc procurar ajuda, mas eu sei que não é assim tão fácil, ainda mais na sua idade. Hoje eu tenho 33 anos e ainda convivo c a doença que vai e volta, mas a desenvolvi com 13 anos, e é algo muito difícil e complicado e vc não tem que conviver com isso sozinha. Tb acho, como outras já falaram, que vc tem que procurar uma terapia e dependendo até mesmo um psiquiatra. Hoje em dia tem tb as chamadas nutricionistas comportamentais, que ajuda demais tb. Tem umas que sigo no Instagram e são ótimas! @naocontocalorias @camilla_estima_nutricionista são alguns exemplos q sigo e ajudo que podem te ajudar em alguma coisa! Mas vc TEM q falar com alguém sobre isso. Não deixe isso pra depois. É uma doença séria e que mata. Boa sorte.

  36. Karol31/01/19 • 22h33

    Escorpiana: mulher, me perdoe, mas você não ama o seu marido. Você nem fala nele. Larga dele e vai viver suas loucuras, pelo visto ele não merece o chifre que levou.

  37. Mari01/02/19 • 03h27

    Menina (Chora 3) – Não posso te aconselhar a respeito da separação dos seus pais nem da sua suspeita de anorexia, sinto que não tenho conhecimento de causa pra tanto, mas o conselho da Cony e das demais meninas que comentaram aqui é super válido, leve isso para um adulto de sua confiança. Se achar que não é legal tratar disso com sua mãe ou seu pai pelo momento, procure uma tia, madrinha, avó, ou vá atrás de terapia, com certeza te ajudará muito.
    Sobre o “pegar geral”: faça o que você tem vontade, o que te faz feliz e o que você acha certo para você. Não é pq as menininhas do colégio já beijaram tantos caras e vc não que elas são melhores que você. Se vc não quer, não acha que está pronta é a sua verdade é o seu momento, isso basta. Agora não faz o menor sentido, mas lá na frente vai fazer, posso te garantir.
    Eu tenho quase 30 anos, e quando tinha sua idade ficava me sentindo meio “deslocada” por não ter ficado com ninguém enquanto minhas amigas já estavam começando a colecionar os casinhos. Dei o meu primeiro beijo aos 18 anos, já na faculdade quando eu realmente senti vontade e me senti pronta, conto nos dedos de uma mão quantos caras beijei na vida e me casei com meu primeiro namorado há pouco mais de 5 anos. E posso dizer que apesar de parecer que “vivi pouco” é a minha verdade, eu sou assim, mais tranquila e descobri que preciso de um envolvimento e sentimento para um beijo valer a pena. Sou muito feliz hoje, nunca imaginei que pudesse ser tão feliz e realizada ao lado de alguém e vejo que não fez falta alguma essa “pegação” que parece ser obrigatória na juventude. É só uma fase da vida, passa e o que vem na frente é muitooo melhor!!

  38. Leticia01/02/19 • 04h11

    Menina,
    Você não é e nem deve ser o Porto Seguro da sua mãe. Não coloque esse peso em você.
    Você tem 14 anos e você é quem precisa de um porto seguro. Ache quem ou o que pode ser seu porto seguro, ainda que isso possa vir a significar deixar sua mãe navegando só.
    Você não precisa ser forte com 14 anos, você precisa ser cuidada.
    Beijos!

  39. Tatá01/02/19 • 10h07

    “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.
    Gálatas 6:7”, e como diz outro ditado “quando você tem sementes nas mãos você sabe o que tem, mas quando elas são semeadas e frutificam você não tem noção da quantidade de frutos você vai colher”. Esse é meu pensamento para Escorpiana. Infelizmente ou felizmente essa é uma certeza da vida!

  40. Paloma***02/02/19 • 14h19

    Gostaria muito de conversar com vc, poderíamos trocar e-mails? Aquela velha história de que nunca vamos compreender uma situação até estarmos nela…

  41. Mel03/02/19 • 00h33

    Caso 2- simplesmente: se perdoe. Não fica pensando se vc errou muito ou pouco, se não errou, se foi impulsiva demais…PARE DE REMOER. Ainda que vc tenha errado, que que tem? Vc é humana, vc está em evolução e crescimento e estamos aqui pra errar mesmo, sem as pedras no caminho não há crescimento!!! Então, se PERDOEEEE!!!
    E outra, desapega! Para de pensar se ele tá com a ex, se ele tá morando sozinho, se ELE ELE ELE. Pense em vc vc vc!! Vc tem que ser o centro da sua vida, vc tem que ser seu objetivo! Vc é a mulher que vc gostaria de ser? Corra atrás dessa mulher; lute por ela; olhe no espelho e sinto orgulho de vc e da sua história! Será que quando vc terminou, vc não sentia que algo não estava bem, que isso não era o que vc queria pra sua vida?! Então? Quer saber, acho que tem grandes chances de que vc tenha feito a coisa certa!!! Confie na sua intuiçãooooo gataaaa! Só o tempo dirá, mas enquanto isso, vai atrás de ser a mulher que vc sinta orgulho de ser!

  42. Mel03/02/19 • 00h50

    Caso 1- independente de julgamentos morais acerca de traição, acho que vc tem um sério problema de personalidade, autoestima, algo do tipo; pq olha, fazer face fake pra estragar relacionamento alheio, não é de deus não! Espero que a terapia te ajude, que vc consiga crescer e evoluir como ser humano. Foque em vc, pq vc precisa! E tente não envolver outras pessoas (marido ou amante) na sua bagunça

  43. 03/02/19 • 23h48

    Menina, também sou filha de pais separados, passei por coisas bem semelhantes às tuas e depois de adulta, casada, com minha filha, percebi que o término do casamento dos meus pais não era problema meu. Hehehe. É estranho, porque nos afeta muito, mas realmente não é problema nosso, dos filhos. É algo entre eles que não está mais dando certo, deu certo durante um período e agora cada um segue seu caminho, aos filhos resta a adaptação. Não tome para si o problema dos teus pais (eles até jogam sobre nós, muitas vezes sem perceber), mas não é problema nosso. Não temos que lidar com os motivos, temos que nos adaptar à nova vida e à nova rotina. Mas ficar questionando os motivos, tentar descobrir o que houve, não nos cabe. Afinal, o relacionamento era deles, eles decidiram pelo término. É estranho pensar assim e talvez eu esteja errada. Mas foi o que eu percebi depois de adulta: era o casamento dos meus pais, eles decidiram casar, eles decidiram descasar. O que os fez tomar essas decisões é problema deles e eu não preciso lidar com isso, eu preciso é viver da melhor forma com a minha nova configuração familiar. Isso me deu uma leveza que nem sei explicar!

    Espero mesmo que tu melhores e com relação ao colégio, daqui uns anos tua vida vai tomar rumos diferentes e esse pessoal que te incomoda vai ficar tão insignificante que tu nem vais te importar mais com eles. Fica bem!

  44. vilmar Costa05/02/19 • 09h51

    Eu to Tentando entender mais porque ela não larga o marido e fica com o amante? Ela pelo jeito não ama o marido.

  45. vilmar Costa05/02/19 • 09h52

    Porque ela não larga o marido e fica com o amante? Ela pelo jeito não ama o marido.