Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
01 jun 2018, 60 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Atrasadínea 🙂

Vamos começar diferente? Recebi um mail que encheu meu coraçãozinho de luz, amor e orgulho:

Agradecimento ao Chora

“Oi Cony, sempre quis escrever meu Chora, até que os Choras daqui me ajudaram a entender problemas tão maiores e que eu tinha e não conseguia enxergar. Vou contar um pouquinho pra situar:

Namorei e me casei com meu primeiro namorado, quase 6 anos de relacionamento entre as duas fases, briguei com tudo e com todos para me casar (minha família não queria, minhas amigas tinham o pé atrás), enfrentei tantos obstáculos que nem sei, lutei muito porque acreditava no amor, e que ele era o cara da minha vida, e com isso nunca percebi o tanto de coisas que acontecia, estava fechada no meu mundo de ilusões, do casamento perfeito (tentava inúmeras vezes passar esta imagem para as pessoas que nos cercavam, hoje acho que para não dar o braço a torcer) por mais que eu soubesse que existiam vários problemas e o quanto eu chorava sozinha em casa.

Sempre acompanhei o blog (que diga-se de passagem é o melhor, o único que não perdeu nem um tiquinho da essência, e o único que vale a pena) e comecei a ler os Choras e isso me acendeu um alerta do que vinha acontecendo. Eu tinha um relacionamento extremamente abusivo e não conseguia enxergar isso antes, ele nunca encostou o dedo em mim, mas me maltratava nos detalhes, no que falava, se eu estava gordinha, era o primeiro a gritar aos 7 ventos que eu estava acima do peso (e isso me doía tanto), tudo reclamava, não me tratava com carinho, me tratava mal na frente dos amigos dele (que inclusive hoje falam que sempre avisaram ele que ele iria me perder), não me deixava sair, inclusive fazia de tudo para que isso não acontecesse, reclamava que as minhas amigas iam em casa, “abusava” da minha condição financeira, sempre me colocava pra baixo, inventava mil historias, quando eu desconfiava de alguma coisa logo dava um jeito de virar toda a história ao contrário e era eu a errada novamente.

Cada Chora que eu lia, mais força e percepção eu tinha, até que um dia eu descobri uma (das várias) traições (e para variar ele tentou reverter a situação e começou até a cogitar que eu é quem estava traindo, coisa que nunca fiz), enfim eu fui pra cima, esclareci as coisas pra mim, e percebi que eu não merecia nem um pedaço daquilo tudo, eu estava de saco cheio a muito tempo, e consegui, me divorciei do embuste, me livrei, sofri muito no começo, juro que não é fácil mesmo quando acontece todas essas coisas, afinal, ninguém casa para se separar, fiz terapia para ajudar também.

Aprendi muito com tudo isso, sou uma nova mulher. Hoje namoro um cara muito bacana, que soma muito ao meu lado, que me bota pra cima, me faz ser a melhor versão de eu mesma, e um relacionamento que me faz bem, e claro que hoje em dia eu não aceito qualquer coisa, migalha pra mim não serve. E o embuste? Vive achando um jeito de falar que ainda me ama, que está com saudades, que ele apagaria tudo isso que aconteceu e se casaria de novo comigo (ACREDITA? MAIS UMA VEZ TENTANDO VIRAR A HISTÓRIA).

Enfim, quero agradecer por ter esse espaço, graças aos Choras, eu percebi, eu consegui. Se hoje sou feliz com certeza tem um dedinho deste blog, seu e das leitoras. Parabéns por todos esses anos de blog, sempre sigo daqui torcendo por você e pelo seu sucesso.

E para as leitoras do blog deixo meu recado: MENINAS NÃO ACEITEM MENOS DO QUE VOCÊS MERECEM, NINGUÉM MERECE MIGALHAS EM RELACIONAMENTO. EXISTE UM MUNDO INTEIRO LA FORA, O CARA QUE ESTA COM VOCÊ HOJE E QUE TE FAZ MAL NÃO É O ÚNICO HOMEM DO MUNDO, E VOCÊ NÃO MERECE SOFRER, SEJAM FELIZES, BUSQUEM O AMOR DENTRO DE VOCÊS, SE AMEM, E AI CONSEGUIRÃO AMAR ALGUÉM QUE VALE A PENA. TODOS TERÃO DEFEITOS, MAS UMA HORA O DEFEITO DELE VAI ENCAIXAR COM O SEU E AI TUDO FICARÁ BEM, MAS TENHA AO SEU LADO ALGUÉM QUE TE MEREÇA, QUE TE FAÇA FELIZ DE VERDADE.

Um beijo Cony, muito obrigada por tudo que já me ajudou, de looks ao melhor momento da minha vida.”

MUSIQUINHA DA VITÓRIA NO ÚLTIMO VOLUME! É isso aí gente! Tanta gente bacana no mundo e vai ficar com embuste que te maltrata, não te apoia, te põe pra baixo?? Não tem que ter medo de ficar sozinha não! Tem que ter medo é de jogar a vida fora e ter o que não merece. Parabéns miga, fez certinho e certeza que você agora sabe o que é ser feliz! E claro, nada disso seria possível sem a ajuda de vocês, minhas leitoras! As mais inteligentes, sensatas, cultas e solidárias da Internet (cês não sabem o orgulho que tenho das frequentadoras do Fufu, muito amor…)

Agora vamos falar com as migas que estão chorosas?

Chora 01 – Senhora dos Anéis

Olá Cony, tenho 32 anos e escrevo porque não tenho coragem de falar sobre isso em terapia e nem com amigas por vergonha.  Há 3 anos terminei um relacionamento de quase 7 anos, onde estava prestes a noivar, com alianças compradas e planos para o casamento. Algo que eu esperava nesse antigo relacionamento era ser pedida em casamento, passar por todas aquelas fases, aquela coisa tradicional. Acontece que a vida não é um conto de fadas e nem tudo é como a gente sonha. Tinha tanta vontade de noivar e usar a tal da aliança de ouro que escolhi a dedo, que até propus usarmos antes do noivado e meu ex não quis.  Não entendi o motivo, mas isso me machucou de uma forma que eu chorei incontrolavelmente de frustração, não deixei ele ver, mas fiquei bem chateada, me senti rejeitada e enrolada. Já era uma relação desgastada, alguns meses depois diversos motivos tiraram a minha vontade de continuar, inclusive porque me vi num relacionamento abusivo. O tempo passou e curei o coração, hoje namoro um cara maravilhoso há pouco mais de 1 ano, uma relação muito feliz e equilibrada. Sentimos vontade de ter uma vida juntos, mas ainda não planejamos nada sério. Também não usamos aliança, meu namorado sente que não há necessidade de usar nem aquela de prata de namoro, porém, eu gostaria muito e já falei isso a ele algumas vezes de forma sutil, porque não acho certo pressiona-lo para ele fazer apenas a minha vontade.  Meu namorado já me disse que um dia a gente vai usar, mas ele é um pouco procrastinador e fico incomodada. Já me disseram que se isso é tão importante, eu mesma posso comprar para a gente usar. Mas claramente isso não é o que eu desejo, espero dele essa atitude. Não julgo mulheres que fazem isso, mas sonho em ser surpreendida ou que a ele sinta vontade também. Parece bobo, mas ficaria muito feliz pelo significado para o casal, também sempre tive essa vontade e não gosto da aproximação de caras inconvenientes por achar que sou solteira. Ultimamente tenho pensado bastante nisso e sinto uma frustração grande, porque acho que já fui clara o bastante com ele e temo ficar ruminando, procurando defeitos e isso azedar a minha relação. Sei que nos dias de hoje para algumas pessoas isso não faz diferença alguma. Mas preciso de conselhos seu e das suas leitoras de como lidar com isso.

Miga vou te falar uma coisa que talvez possa te ajudar: aliança de namoro é a coisa mais cafona que existe. Desculpe quem usa, mas acho TER RÍ VEL até para adolescentes imagina para uma mulher de 32 anos. Ainda bem que seu namorado não quer. Outra coisa, não jogue tantas expectativas, valores, sentimentos em uma mísera aliança. Meu pai é o cara mais apaixonado do mundo pela minha mãe – dá presente de dia dos namorados até hoje para ela – e não usa aliança (usava mas não usa mais, não sei direito o motivo, acho que era porque mexia em máquinas no trabalho e perdeu o costume). Além disso, não é porque você vai usar aliança que os caras vão parar de chegar em você… falo por experiência própria, já fui noiva duas vezes. Às vezes até piora o assédio. Sério mesmo, não dê tamanha importância a isso e deixe rolar. Valorize o tratamento dele com você, o amor, as palavras. Um namoro seu já acabou por causa disso, vai fazer o mesmo com essa nova relação??? E homem é assim, quanto MAIS você pede algo, MAIS bode ele vai tomar daquilo. Ele já sabe que você quer muito e que isso para você é muito importante, então o recado está dado. Pare de pedir e deixe acontecer! 

 

 

Chora 02 – Duvidosa

Oii Cony! Sou leitora do blog há anos e vim pedir ajuda hoje! Hehe Bom, tenho 25 anos, moro sozinha e me sustento (bem mais ou menos, faço mestrado e vivo da bolsa que ganho). Namorei 1 ano com o R., 29 anos, um cara maravilhoso que mora há 130 km de distancia da minha cidade. Nos conhecemos em uma festa, numa fase que eu não esperava me relacionar com ninguém, passei por um episódio depressivo, estava em tratamento e querendo me conectar mais comigo mesma. Mas enfim, as coisas foram fluindo, ele não tinha preguiça de vir até minha cidade, estava sempre me convidando pra algo e me tratava muito bem. Decidi me permiti aproveitar o momento e começamos a namorar. Foi o relacionamento mais maduro que já tive, o primeiro com um envolvimento maior da familia. O problema é que nunca tive aquela paixão louca por ele, sabe? E isso começou a me incomodar… Não quero estar num relacionamento apenas pq é confortável, eu gostaria de me sentir apaixonada. O R. já fazia planos de futuro, de morarmos juntos daqui algum tempo, e tudo isso foi me deixando ainda mais confusa. Faz 2 semanas que decidi terminar, ele disse que me ama e que não gostaria que acabássemos mas que respeita minha decisão.  Foi muito difícil terminar sem ter um motivo “concreto” (ex traição, brigas) e me sinto angustiada, aquele medo de estar fazendo besteira e estar deixando uma pessoa super bacana escapar. Algumas amigas falaram que o amor vai sendo construído com o tempo, que nem sempre começa com essa paixão no inicio… Mas 1 ano depois eu já não deveria ter essa certeza?  Não estava achando justo comigo nem com ele ir levando com a barriga algo que me trazia duvidas.  O problema é que terminar também não me trouxe certeza de nada e ainda to pensando se não fiz burrada. Me ajudem?

Acho válido seu questionamento sabia? Mas é o que suas amigas falaram… amor se constrói. E como é seu primeiro relacionamento maduro, talvez no próximo você perceba que amava ele sim, mas não soube diferenciar. Paixão é fugaz, vem rápido, some rápido também… depois fica o amor, o respeito, o carinho. Quando você está apaixonada, você se encanta pelo físico (boca, olhos, braços), faz projeções da pessoa, se apaixona por alguém que VOCÊ projetou. Quando ama, você se encanta por quem a pessoa realmente é, pela beleza interior, pelos valores, personalidade, o que cá entre nós, tem MUITO mais valor do que os pontos “apaixonantes”. Eu particularmente não acredito em ordem para essas coisas… Você pode muito bem primeiro amar alguém e depois se apaixonar. Ou se apaixonar e amar depois. Ou amar e ser apaixonada ao mesmo tempo (êeeee mundão). Me conta, já tentou amar ele? Já tentou retribuir? Já parou para olhar com carinho para ele??? Fia, achar alguém que ame noix com as loucuras que a gente tem não é fácil não… Mas pode ser também que você não queira namorar ninguém no momento e isso é super “entendível”. Talvez você precise mais tempo para se reconectar com você mesma e o problema não é a falta de amor, paixão etc e tal, o problema é que você quer ficar com você e ponto final. Pense direito e não romantize muito os relacionamentos. Nem todos tem paixões fulminantes, nem todos tem amor… O que é mais importante pra você? Amor? Paixão??? Pense, pense…

Chora 03 – Vestibulanda

Oi Cony! Sempre leio seu blog e adoro os choras!!! É muito bom e reconfortante saber que há no mundo pessoas com problemas as vezes parecidos com os seus e que ninguém tem uma vida perfeita né? A vida é feita de altos e baixos mesmo!

Pois bem!  Nem sei muito bem porque decidi escrever esse chora, mas é o seguinte: tenho uma família maravilhosa e amorosa, meus pais e minha irmã são tudo para mim. Sou casada a quase dois anos com o amor da minha vida, estamos planejando engravidar esse ano e no fim do ano completarei 34 anos de vida! Ok, vida com muitos motivos para agradecer, graças a Deus – e valorizo tudo isso, pode ter certeza!!! Mas… o sonho da minha vida sempre foi ter uma carreira profissional. Sempre quis “ser alguém na vida”, mas não sei se me auto saboto ou se erro tolamente nas minhas escolhas, porque não consigo. Cursei duas faculdades e não me encontrei em nenhuma delas, trabalho como auxiliar administrativa há 9 anos na mesma empresa, a qual não tem plano de carreira então do mesmo jeito que entrei, sairei. O problema é que acabei me acomodando porque para os padrões atuais ganho até bem. Mas me sinto totalmente insatisfeita!!! Penso, procuro algumas coisas mas me sinto como que parada no tempo, como se o trem da minha vida profissional já tivesse passado… na verdade nem eu mesma sei o que quero profissionalmente falando, um foco sabe?! Sou uma excelente funcionária, muito organizada, tenho consciência do meu valor nesse sentido. Mas estou completamente perdida em o que fazer…é como se fosse uma vestibulanda eterna,rs O pior é que nem me sinto no direito de reclamar, porque as outras áreas da minha vida são maravilhosas… e agora que estou planejando engravidar (penso que não posso demorar muito né…), fico ainda mais preocupada com essa área “profissional”. Enfim… me dá uma luz? Um beijo com carinho a você e a todas as conselheiras do chora! 🙂

É… ninguém tá satisfeito com a vida mesmo rs. Primeira coisa: você tem que descobrir do que gosta! A grosso modo mesmo: “ah gosto de maquiagem, gosto de cozinhar, gosto de decorar a casa, gosto de crianças, gosto de mexer com plantas”… Enfim, procurar o que gosta e qual seu dom! Todo mundo é bom em alguma coisa. Ó, eu SEMPRE gostei de ler e de escrever, desde criança. Sempre, mas se me perguntassem isso quando estava saindo da escola, eu não saberia responder, mais fui deixando fluir até o ponto que hoje faço o que amo e NUNCA NA VIDA quis ser blogueira. Na verdade na minha época nem existia isso, mas quando a gente é bom em alguma coisa (e geralmente somos bons em coisas que gostamos de fazer) tem que focar nisso, na humildade, aos poucos e a vida vai te direcionando, mostrando e abrindo caminhos. Por exemplo: você gosta de cozinhar. Vá fazer cursos de gastronomia então! Depois as coisas aparecem: trabalho em restaurante, uma empresa própria de quentinhas, um blog de receitas… isso tudo são exemplos ok? “Ah mas vou engravidar”. Gravidez não é doença, tem gravidas super ativas e depois que o bebe nascer você pode INTERROMPER seu trabalho por um tempo, mas não CANCELAR o que faz. Fosse assim mulher nenhuma trabalharia né? Tira a buzanfa da cadeira e vai atrás do que REALMENTE GOSTA de fazer. Com certeza tem algo aí que você não está percebendo.

 

  • Caixa de emails cheia = Choras fechados. Vamos resolver mais essa leva de casos e depois abro novamente ok?
  • AHHHHH TENHO NOVIDADES! Muita gente me pede um livro né? Pois bem, semana que vem começo o projeto dele!!! Que tal hein??? Me mandem mensagens de apoio porque quero ter certeza que será lido hahahaha. Vou dormir juntinho de vocês, na cabeceira da cama 🙂
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
60 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Paula01/06/18 • 14h54

    Querida Senhora dos Anéis, concordo com a Cony sobre as alianças serem um tanto cafonas e de fato, um anel no dedo não significa um mundo perfeito, mas como é muito importante para você, vou te dar um conselho: homens são seres extremamente visuais e eles sentem a necessidade de acharem que possuem domínio da situação. Então faça assim, passe uma semana o minando com carinhos, massagens, saídas que ele gostaria de fazer, e durante esse tempo deixe revistas abertas na página de alianças pelos lugares que ele passar, comente que fulana de tal comprou um anel muito bonito, dê dicas sutis. Nada escancarado, como se fosse coincidência. Certeza que ele cairá nessa! Relato de caso viu? Beijos e nos sorte!

  2. Josiane01/06/18 • 14h57

    Cony, super lerei o seu livro! Que chique!!!
    Para o chora 02, da duvidosa:
    Amiga, quando conheci meu marido, passei por essa mesma dúvida, e tentei terminar também sem motivo. Sorte a minha que “ele não deixou” (quando me viu terminando e morrendo de chorar, me abraçou e disse, vamos deixar isso pra lá?). Agradeço por isso todos os dias… estamos juntos a 14 anos, sendo 8 de casados, construindo uma vida juntos, uma familia linda e uma filhota que é tudo de bom. É exatamente o que a Cony falou… paixão ou amor? Eu prefiro o amor, e não tenho dúvidas de que sempre o amei e que parte da minha vontade de tentar terminar lá no inicio do namoro era medo do que eu estava realmente sentindo.

  3. Cecilia01/06/18 • 15h05

    Querida senhora dos anéis,
    Tenho 7 a menos que você e você não tivesse dito a sua idade poderia dizer facilmente que esse chora era de uma adolescente. Se preocupe no que vocês vivem, no sentimento que vocês compartilham, das coisas boas do seu relacionamento, um anel não diz nada mas nada da vida amorosa de ninguém, é algo mais pros outros do que pra vocês porque não adianta de nada usar um anel mas aprontar mundos e fundos por aí e outra coisa, anel não vai diminuir assédio de ninguém ok? Não fique colocando problemas onde não existem.

  4. Antonela01/06/18 • 15h06

    Sobre o chora 1: Cony, eu te amo!!!! Vc escreveu exatamente o que pensei quando estava lendo o post. Aliança de compromisso é brega e apenas isso. Não quer dizer mais nada. Moça, foca em como o boy te trata, não precisa ficar afirmando pros outros que tem uma relação séria mostrando uma aliança não.

    • Constanza01/06/18 • 15h07

      ❤️❤️❤️

  5. Tayline01/06/18 • 15h07

    Gente! Esse blog é o melhor! Reconhecimento é você ver que seu trabalho melhora a vida das pessoas! Deus te abençoe muito Cony!

  6. Ste01/06/18 • 15h11

    Para a Duvidosa: Eu terminei um namoro de 5 anos (sim!) pelo mesmo motivo que você. Eu gostava dele e da família dele, mas não amava ele loucamente. Não era empolgada para passar o resto da minha vida com ele. E, para mim, isso foi motivo suficiente para terminar. Todo mundo me dizia para não terminar, porque ele tinha uma carreira, me amava e nunca me traiu. Avisavam também que todos os homens hoje em dia não prestam, e que ser solteira hoje em dia é uma furada. Mas eu sabia que merecia mais do que aquela vida morna, e terminei.
    Foi a melhor decisão que eu já tomei. Alguns meses depois, conheci o meu atual namorado. E descobri o que é amor de verdade. Estou com ele há um ano e meio, e o amor só cresce. Ele é uma pessoa que eu admiro demais e amo conviver, e nós já pensamos em casamento. Com ele, eu sinto algo que nunca antes senti na vida: certeza absoluta. E ele diz o mesmo. E é bom demais. Busca isso para você, você não merece um namorico mais ou menos. A gente só vive uma vez. Não estou dizendo que o meu namoro vai durar para sempre – pode ser que um dia termine sim. Mas vou ser eternamente grata por viver o amor que eu vivo hoje, na intensidade em que vivo hoje. Essa é que precisa ser a sensação.

  7. Bel01/06/18 • 15h21

    Chora 2. Pois eu ja acho que vc fez super certo!! Ja passei por isso. O cara me tratava super bem, todo certinho e tal, queria casar mas eu nao sentia esse amor.. E foi a melhor coisa que eu fiz. A gente nao tem que ficar com alguem so pq o cara é legal com a gente, etc..a gente tem que sentir que é a pessoa!! Hoje sou casada e amo apaixonadamente meu marido e sem duvida alguma, eu sempre soube que era ele.. MUITO diferente do que sentia com o ex.. Vc ficar com alguem sem amar.. nao da! Sua vida vai ser sempre morna, vai sempre faltar alguma coisa. Seu coração tem que sentir que é a pessoa.

  8. Ana Paula01/06/18 • 15h30

    Cony, simplesmente adoro seus conselhos. Super maduros e ponderados. Já estou a espera do livro! Beijos

  9. Renata Castro01/06/18 • 15h56

    Cony, adoro seus conselhos!! Tenho certeza que seu livro será um sucesso!! Você merece!! Bjos

  10. Mari Ramos01/06/18 • 16h12

    Já to ansiosa pro lançamento desse livro. Será onde aqui em BH?
    Imaginando uma terça-feira à noite com vinhos… hahaha

  11. Letícia01/06/18 • 16h24

    Chora 01: Cony está certíssima! Anel de namoro, compromisso ou sei lá o que é cafona pra caramba! Brega de doer. E no seu caso parece que a única coisa que importa é a aliança, você fica cega e não vê mais nada na frente. De fato, parece o relato de uma adolescente. Foca no seu relacionamento, no cara legal que você tem do lado e pronto. Você ficar insistindo tanto assim vai ficar chato, o cara vai começar a te achar uma mala.

    Chora 02: suas amigas e a Cony estão certas… o amor é uma construção. Eu, particularmente, não acredito em amor em à primeira vista. Pra mim à primeira vista pode ser tudo, paixão, desejo, tesão, mas amor, não. Amor vem com o tempo. E nem sempre é aquela coisa arrebatadora que vemos nos filmes…pode ser uma coisa mais tranquila também, mas nem por isso menos forte ou desinteressante.No meu primeiro namoro sério eu já conhecia o cara há uns 2 anos antes de começar a namorar e éramos amigos. Aí com 2 semanas de namoro eu comecei a achar que não gostava muito dele e pensei em terminar. 2 semanas de namoro! Aí caí na real e vi que 2 semanas era muito pouco pra ter certeza de alguma coisa. Foi a melhor coisa que eu fiz, porque o com o tempo o sentimento só cresceu.

  12. Simone01/06/18 • 19h01

    Querida vestibulanda, o que a Cony falou faz um super sentido porque temos mesmo que descobrir qual nosso talento, o que nos move, no que somos muito boas e o que nos faz feliz. Porém, esse exercício pode ser difícil, então sugiro que você busque ajuda com um coach ou com um psicólogo que faça orientação vocacional ou de carreira. Esses profissionais podem te auxiliar com técnicas e ferramentas específicas que podem encurtar seu caminho de auto conhecimento 🙂

  13. Duvidosa01/06/18 • 20h10

    Cony e meninas que comentaram, muito obrigada pelas respostas! Então, eu concordo sim que o amor seja algo construído e que vem com o tempo. Mas poxa, namoramos 1 ano (com direito a viagens e férias em que ficamos 3 semanas “morando juntos”) e essa dúvida do que eu sentia por ele continuava 🙁 GOSTO MUITO dele mas queria poder dizer que amo ele, que vejo um futuro juntos, e no momento não consigo ver isso.
    Coincidentemente, agora que meu chora foi publicado ele veio falar comigo. Disse que ainda não aceita bem esse nosso término (fez 1 mês agora) e que gostaria de conversar. Bem difícil ver uma pessoa tão disposta, que demostra tanto amor e carinho e não sentir que correspondo da mesma forma. Sinto até uma certa culpa por isso. Vou ler tudo de novo e pensar com muito carinho o que faço heheh. Obrigada, meninas!

  14. Thaisa01/06/18 • 20h10

    Vestibulanda:

    Você trabalha há muitos anos na mesma empresa, deve ser um ambiente que você gosta e onde é respeitada pela sua trajetória. Tem alguma posição na empresa que te interesse, além da que você hoje ocupa?

    Observe se há alguma posição que você possa ocupar; por já trabalhar na empresa, seria de acesso mais fácil, além de uma mudança menos brusca, mais confortável de fazer.

    Por outro lado, também como funcionária antiga e conhecedora de tudo, você pode ver, dentro de seu campo de interesses e das possibilidades, se há algo em que você possa inovar no cargo que hoje ocupa para torná-lo mais interessante pra você! Por exemplo, será que não há uma tarefa nova que você possa executar dentro da sua função? Um projeto novo a ser desenvolvido?

    Boa sorte

  15. Elinor01/06/18 • 21h18

    Senhora dos anéis(amei!): também sou do time que acha aliança de namoro uma coisa brega, mas isso não importa, é questão de gosto. Acho que vc deveria se concentrar em entender pq essa “obsessão” pela tal aliança, como alguém disse nos comentários, será que não é uma coisa mais pra se afirmar perante os outros? Sei lá, as pessoas têm formas diferentes de demonstrar carinho, talvez um anel não se encaixe bem no jeito do seu namorado mostrar que gosta de você.
    Duvidosa: sei lá, vc deu um ano de chance pra essa relação, diria que fez bem em terminar (claro, é difícil julgar sem conhecer).
    Vestibulanda: estamos no mesmo barco profissional! Eu passei por uma fase de total desânimo com minha carreira, nos últimos anos comecei a procurar esse caminho que a cony sugeriu. Ainda não troquei de área, mas fiz alguns progressos em descobrir o que gosto e que rumo posso tomar. Vc mencionou que fez duas faculdades, é essencial investir em educação, mas ao mesmo tempo, são anos de comprometimento, sem se ter certeza do que quer fica puxado. Minha sugestão seria vc buscar cursos curtos, tipo cursos técnicos, ou até esses cursos mais casuais, tipo uma aula de culinária de um dia, corte e costura express, arranjo de flores, decoração, etc, cursos mais despretensiosos, mas que de repente possam te dar uma luz, sabe? Eu estou pensando em fazer isso por enquanto, em vez de me jogar em uma segunda faculdade. Boa sorte pra nós!

  16. Tati02/06/18 • 07h16

    Hahah rindo muito com o conselho da moça do primeiro comentário. Me senti lendo as revistas Claudia da minha mãe em 1990 e poucos. Miga senhora dos anéis, não faz isso não! Homem não é burro e ainda vai te achar uma mala por ser tão insistente.

  17. Roxane02/06/18 • 08h46

    Cony, sou sua leitora silenciosa, mas muito presente. Acompanho sua trajetória há anos, e… que notícia linda essa do livro!!! Aguardando ansiosamente pelo meu exemplar!

  18. Fernanda02/06/18 • 10h15

    Olá Senhora dos Anéis.
    Estou casada há 10 anos, juntos há 16 anos. Sou um pouco mais velha que você (tenho 36 anos).
    E há quase um ano não usamos mais aliança de casamento. Perdemos totalmente o hábito. Eu fui a primeira a para de usar, faço crossfit e ficava com medo de me machucar usando a aliança. Nisso, era todo dia tirando e colocando a aliança, até que decidi para de usar.

    Ele foi pelo mesmo caminho, tirava para treinar, para surfar… viu que era mais fácil ficar sem.

    E o que isso abalou o nosso relacionamento? ABSOLUTAMENTE NADA.

    Antes disso não teve aliança de namoro (que convenhamos é de gosto bem duvidosos mesmo, né), nem aliança de noivado.

    Sentimentos, companheirismo e amor não precisa de certificado, que é o que uma aliança faz.

    Seja feliz, apenas

    Beijos

  19. Rita Cavalcanti02/06/18 • 10h23

    Com certeza comprarei o livro e ficarei na fila para o autografo! Rsrs
    Acho o blog, suas redes socias um máximo! Se joga no projeto do livro, tenho certeza que vai ser incrível!

  20. Carol02/06/18 • 10h30

    Queria deixar o meu comentário para a Duvidosa:

    vou ter que discordar da Cony dessa vez. Vc já deu a oportunidade desse amor começar a aparecer: 1 ano! Se não apareceu nesse tempo, e olha que o início é sempre a melhor parte, parta pra outra. O boy não precisa ser um lixo pra vc não querer mais. Inclusive que bom que ele é um cara bacana, ótimo! Mas sem amor, borboletas no estômago (pelo menos no início) e esse “algo a mais” que vc mesma sente que falta não dá!
    Força amiga, simplesmente ele não é a pessoa pra vc. Abra o seu coração e os seus caminhos que o tal ainda chega!

    um beijo!