04
May 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Gente, tô com tantas ideias pro Chora… ain vai ser TÃO LEGAL! Mas enquanto as novidades não aparecem, vamos de choradeira?

Chora 01 – Aperol

Cony, eu sabia que esse dia chegaria! Acompanho o blog tem muito tempo e sempre leio os choras pensando que um dia alguma das minhas angustias também estaria ali. esse dia chegou!

Tenho 29 anos, estou chegando aos 30 e tenho um forte sentimento de que não tenho valor algum.

Na infância, convivi com um pai extremamente abusivo, no sentido psicológico (graças a Deus nunca físico nem sexual), que tratava a mim e a minha mãe como sua propriedade, nos humilhando e tirando de nós o valor de ser mulher. Eles se separaram na minha adolescência e até hoje eu e ela temos sequelas, mas graças a terapia já não nos culpamos pelas atitudes dele, nem por não manter contato algum com ele hoje. Contei isso rapidamente, pois já sei que é daí que vem esse sentimento. O que acontece é que, depois disso, sinto que não consigo fazer nada na vida dar certo. Vivi um casamento também abusivo, pois casei muito cedo, na ânsia de sair de casa, diga-se de passagem. Comecei uma faculdade que amava e larguei pois meu ex marido me convenceu que eu não era boa o bastante para essa profissão, acabei me formando no curso mais genérico que existe: administração (odiava), fui trabalhar em áreas que não tem nada a ver comigo. Consegui me separar, depois de muita briga, muita ameaça e muita agressão. Trabalhei por anos numa mesma empresa, da onde fui dispensada em 2014, quando estava em um quadro terrível de depressão. Nessa época, já namorando (com meu atual marido), quase acabei com um relacionamento extremamente saudável por achar que eu não estava a altura dele. Nunca me senti merecedora da minha vida. Já pensei em acabar com ela. Já pensei em sumir e começar de volta.

Quando aconteceu de sair dessa empresa (odiava o trabalho, odiava o ambiente, mas ganhava bem) minha família e meu então namorado me incentivaram a procurar algo que me fizesse feliz profissionalmente. Comecei a estudar sobre moda e hoje tenho a “carreira dos sonhos”, Trabalho com styling e consultoria de estilo, amo muito o que faço, devolvo a autoestima pra tanta gente! Hoje estou casada, tenho a família que sempre sonhei, moro em uma casa linda (do meu marido), tenho uma vida “confortável” no sentido material, tenho apoio, incentivo, ranto dele quanto da minha família, mas como o mercado em que atuo está muito ruim, me sinto novamente inútil, por não contribuir com nada do que tenho. Resumindo, hoje sou sustentada pelo meu marido, sonho pra muita gente, mas um calvário para mim. O pior é que eu trabalho muito duro pra minha carreira dar certo, e tenho consciência de que talvez não dê mesmo, estamos em crise e é um serviço elitizado. Mas quando tomo atitude de procurar um emprego, todos me desencorajam, pois viveram comigo a depressão e o burnout do ultimo emprego. Não me sinto merecedora do que tenho, não me sinto capaz de fazer algo para merecer e a questão do “não valor” tem voltado com tudo. Não me sinto merecedora nem de sofrer por isso. Não me sinto merecedora nem de ganhar espaço e conselhos no chora (talvez esse email nem seja enviado), mas não consigo falar desses sentimentos com ninguém. Não tenho mais força pra aguentar sozinha essa situação e mesmo com tanta gente boa ao meu redor, não tenho coragem de “incomodá-los” com os meus problemas. Talvez você ou as meninas possam me ajudar .

Juro que me senti mal lendo o seu depoimento e vou te falar porque: você tem uma carga negativa TÃO grande que tenho certeza que é ela que te amarra ao fundo do poço. Observe quantas vezes você disse a palavra NÃO. Se fosse para desenhar sua situação, seria você se afogando numa poça água, pedindo ajuda sendo que só é necessário olhar pra cima e se levantar. Difícil? É sim, mas pare e pense: você tem uma família que te apoia, um marido que está sempre com você, trabalha com o que gosta. Tem crise no país? Tem, mas tem pra todo mundo. A gente atrai o que vibra e se você continuar nessa de ficar lamentando, achando que não merece nada, que é uma inútil e incapaz é isso que terá da vida de volta. Volte pra terapia urgente, você mesma está se afundando! (repare como começou o seu texto: eu sabia esse dia (de chorar) um dia chegaria. Quem mira no ruim, no fracasso, sempre terá isso de volta.)

 

 

Chora 02 – Gin

Oi Cony tudo bem?? Primeiro quero dizer que sou sua fã acompanho seu blog a anos. Sempre leio os choras e isso tem me dado forças.

Então, tenho 24 anos e tenho uma filha de 3 anos ( que é a minha razão de viver) acabei de sair de um relacionamento de 7 anos, 3 anos de namoro e 4 anos de “casamento”. Engravidei aos 20 anos o que nos levou ao morar juntos. Até ai tudo Ok! Eis que com o passar dos meses morando juntos e eu ainda grávida eu descobri que ele usava drogas. Surtei, pirei e minha filha nasceu prematura de 8 meses (graças a Deus não precisou de UTI). Ele pediu perdão e jurou que nunca mais ia chegar perto daquelas porcarias, ledo engano!
Como nunca cheguei perto desse tipo de coisa eu não sabia identificar cheiros, sintomas e tals. Demorei, burriei.
Tem um mês que eu descobri que ele nunca parou, achei nas coisas dele. Avancei nele, e joguei as porcarias no vaso e dei descarga, porque poxa ele tinha prometido, tinhamos uma bebê em casa. E mandei ele embora. E o ele fez?? Me bateu.
Foi a gota!! Registrei Maria da Penha e tudo, foi uma das situações mais humilhantes da minha vida, mas agora estou LIVRE daquele embuste.
 
Mas ainda não acabou, como estou carente kkkkk ne rendi ao Tinder só que as conversas não “vingam” os carinhas ate pedem Whatsapp, mas o único que virou contatinho some no fim de semana e eu briguei com ele kkkk porque segundo minhas amigas ainda estou com cabeça de casada. Cony, ajuda arrumar uns contatinhos kkkkk

Gente não estou crendo nesse Chora. Parece escrito por duas pessoas diferentes. A primeira uma mulher que sofreu violência física de um drogado e com uma bebê de 3 anos. Grave, preocupante, triste! E depois fala de Tinder e sua preocupação são os contatinhos??? Não sei nem o que falar, não que você não deva ter seus contatinhos mas fiquei confusa rs. Acho que o mais importante no momento, já que se trata de uma separação recente e traumática, é o bem estar da sua filha e sua segurança.

Chora 03 – Vodka

Olá Cony, sempre fui leitora do blog, acho que desde de 2009 ou 2010.
Mas confesso que fiquei 1 ano e meio sem entrar! E quando entrei hoje resolvi escrever minha história! hahaha Eu tenho 35 anos e sou de BH, formada e independente!
Tive um relacionamento de 7 anos no qual foram 3,5 de namoro e 3,5 de casamento, sempre conturbados e cheio de brigas! Até minha terapeuta me dizer que eu estava em um relacionamento abusivo. E foi aí que minha ficha caiu, na verdade já havia começado a cair pois quando procurei minha terapeuta novamente parecia que era isso que eu esperava escutar.
Me casei em 2014 e no final de 2016 fomos morar nos USA  pq ele visitou o país em 2014 e voltou dizendo que queria se mudar pra lá, me convenceu no início de 2016 e nos mudamos em novembro de 2016. Lá não houve companheirismo e eu não me adaptei e o relacionamento que já estava ruim terminou!  Eu me torturava querendo tomar uma atitude e não conseguia, até que um dia consegui.
Procurei terapia e advogado e com muita dificuldade consegui me separar, voltei pro Brasil em novembro de 2017 e em janeiro já estava oficialmente separada.
Hoje vivo a melhor fase da minha vida, me sinto livre e dona de mim e madura o suficiente para lidar com todas as coisas da vida, foi um processo desde quando eu estava me relacionando com o meu ex, mas eu nunca consegui colocar em prática tudo que a vida estava me ensinando. Hoje moro com duas amigas e sou independente e faço o que quero da minha vida. Mas aí bate aquela vontade de ter alguém né?
 
Conheci um cara logo que voltei pro Brasil, bacana e do tipo que toda mulher sonha, mas eu ainda não estava preparada e terminei com ele. Depois de algumas saídas conheci um cara que super bateu em tudo, mas aí ele não estava na mesma frequência que eu! (coisas da vida). E eu saí fora outra vez, sem ele me dar um fora nem nada, ele me procurava, mas não era nada sério.
 
Agora conheci um cara bem do jeito que eu queria (fiz meta para isso), ele tem demonstrado interesse, é bacana, mas terminou um namoro de 1 ano há 1 mês.
Eu estou deixando me levar com muito empurrão do meu subconsciente, mas confesso estou morrennndo de medo de sofrer, ele é um cara sincero e me disse que ainda gosta da ex. Mas tem feito planos e nos falamos todos os dias, mas já pensei em saí fora também por medo de sofrer novamente. Sinto que estou me auto sabotando. Sei que preciso arriscar uma hora, mas sinto que deixo o medo de paralisar!

 

Hum, normal. Terminar é normal. Recomeçar é normal. Se apaixonar é normal. Levar pé na bunda é normal. Apenas te aconselho a prestar atenção aos sinais no inicio de qualquer relacionamento, e um cara afirmar que ainda gosta da ex namorada é um sinal em neon de 2 metros de altura e 5 de largura. Mantenha ele por perto e observe, mas não se prenda a esse.

 

 

FEEDBACK DO CHORA

Recebi um feedback! Vocês sempre perguntam se alguém manda um mail falando o que fez depois dos conselhos e tal, e recebi esta resposta da Barcelona (este chora AQUI):

Cony, eu não sei como vc vai entender isso, pq posso parecer um pouco doida hehe Mas eu estou extremamente grata por vc ter publicado, respondido e dado a oportunidade de outras pessoas opinarem sobre meu chora. Na verdade, eu chorei mesmo! Haha Vc não tem ideia de como foi bom e muito importante pra mim ler essas mensagens, sobre não me sentir um ser estranho perante a sociedade, e de conseguir repensar bastante sobre minhas paranóias e coisas que já escutei por aí… Eu finalmente comecei a me sentir em paz com minha situação… Os comentários me ajudaram tanto! Eu nunca soube de outras mulheres que já passaram por isso, e nossa! Que bom que vc existe! Que seu blog existe, suas leitoras…! Sou eternamente grata.
Eu vi seu stories e não entendi o caso da polêmica, mas não importa, o que eu li hoje já foi o suficiente para repensar nos meus ideais, na minha vida e o q eu quero para ela, e isso é muito importante!
Se for possível, gostaria de pedir pra vc agradecer nos stories ou blog, as leitoras que deixam comentários no chora. Elas fazem muita diferença, assim como vc. Peço isso pq n tenho como fazer… Gostaria de dar um abraço em cada uma hehe
Nunca comentei sobre os casos, mas a partir de hoje, se puder contribuir com alguma coisa, com certeza vou comentar, quero poder ajudar assim como fui ajudada.
Muuuuuuito mais sucesso pra vc! Vc merece tudo de bom!
Beijos da Barcelona 🙂

 

  • CHORAS ABERTOS! Podem mandar seus casos, suas angustias, suas tristezas, suas preocupações para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. A melhor terapia em grupo da internet e com os conselhos mais sábios das minhas leitoras 🙂