09
Mar 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Feliz Dia da Mulher migas!!! Um tico atrasada mas… todo dia é nosso dia! Hoje o CQETE está um pouco tenso, principalmente pelo último caso e peço a ajuda de vocês. Por favor sejam solidárias e sem julgamentos, confio em vocês hein!

ERRATA – Desisti de publicar o último caso, e troquei o Chora. Quem quiser saber o motivo, pode ver nos Stories do Instagram.

Chora 01 – Dercy

Oi Cony, meu Chora foge um pouco do que tenho lido aqui na coluna.

Sempre fui uma criança com poucos amigos, brigona (metia a porrada e tudo), melhorei um pouco nesse sentido mas na essência sou a mesma, puro estresse.

Tenho 20 anos e NÃO tenho amigos, me afastei de todos durante a adolescência, os achava muito “pra frente”, as meninas só falando em sexo, só saindo pra balada e eu achava tudo um saco. Depois dessas amigas de infância que não fazem mais parte da minha vida, fiz diversos colegas, pessoas com quem conversava, ria, desabafava, mas que acabava perdendo contato em algum momento (pois saíram da turma, do colégio, nos formamos etc). Hoje tenho esse mesmo tipo de coleguismo na faculdade, os adoro mas não é como se eu contasse com eles pra nada. Sinto falta disso e não sei o que fazer, não consigo me conectar ou me aproximar de ninguém, tô sempre brigando com as pessoas (brigas que duram poucos minutos) e eventualmente fico com ranço. SIM, sei que o problema SOU EU, só não sei o que fazer.

Outra problema, que talvez seja até mais preocupante, NUNCA me relacionei com ninguém. Nunca consegui beijar ninguém, o máximo foi um selinho aos 12 anos. Nessa idade sofri muita pressão daquelas amigas que só falavam em sexo e acabei me fechando ainda mais, tanto pra elas quanto pros garotos. Tenho dificuldade em ficar com o rosto perto do de alguém, só de um boy chegar pra falar perto já fico nervosa. Não sou lésbica, sinto atração por desconhecidos na rua haha

Faz uns 5 anos que não me apaixono por ninguém, ZERO interesse, não acho nenhum boy que conheço atraente e não vou a lugares em que estejam (festas, bares) pois não curto o ambiente de tumulto e azaração (já tentei ir nas festas da facu mas é um porre. Então… só fico a fim de boys desconhecidos que passam no meu lado e esse lado da minha vida morre aí.

Fico o dia todo (estou de férias) em frente ao PC assistindo mil séries E AMO!!!! Não tenho a menor vontade de sair, já pensei que pudesse ser depressão, mas poxa, sinto tanto prazer em ficar no quarto vendo minhas sériesinhas que não sei se descarto essa opção kkk As séries acabam suprindo minhas necessidades sociais e românticas.

BUT, ao mesmo tempo fico preocupada com essas minhas características, enquanto vivo assim me sinto bem, porém se paro pra pensar no que estou vivendo me pergunto se pra sempre vou permanecer nesse estado imutável, pois fora ter entrado na faculdade, parece que estou no mesmo lugar que estava aos 15 anos de idade. Não evolui? Não cresci? Tem algo de errado comigo?

Uia tenso, mas parabéns pelo portugues, tudo muito bem escrito e explicado rsrsrsrs Além disso, parabéns pela consciência e conseguir enxergar que realmente tem alguma coisa errada com você! Na verdade nem sei falar se é errado, mas é algo diferente. Já pensou que você pode ser uma nerd? Olha o que a Wikipedia diz:

Nerd é um conceito sociológico moderno que por vezes é descrito como uma tribo urbana, muito embora possua características gerais mais imprecisas do que a maioria delas, e embora também não preceda à autoidentificação. Em termos gerais, o nerd é uma pessoa vista como excessivamente intelectual, obsessiva por assuntos que a maioria das pessoas não se interessa, e com falta de habilidades sociais fora do meio nerd. Tal pessoa pode gastar quantidades excessivas de tempo em atividades impopulares, pouco conhecidas ou não, que geralmente são altamente técnicas, abstratas ou relacionadas a tópicos de ficção ou fantasia, com exclusão de atividades mais comuns. Além disso, muitos chamados nerds são descritos como sendo tímidos, excêntricos, pedantes. Atualmente o termo nerd vem sendo usado por determinados grupos relacionados a interesses específicos como forma de se identificarem.

Como você diz, é uma viciada em séries em trocou sua vida “normal” por isso! Deixa eu te contar um caso? Conheço uma moça que era VICIADA em Lost, aquela série. mas viciada MESMO. Ela participava de grupos na internet para discutir a série e um belo dia ela encontrou um cara que era igual ela, participava também desses grupos e tinham os mesmos gostos. Preciso contar o final da historia? Eles se casaram e são felizes até hoje. Fora isso, acho que uma terapia iria bem, mas pense que talvez você só esteja frequentando a turma errada.

Chora 02 – Aracy

Olá Cony! Estou em um relacionamento há 2 anos, uma pessoa trabalhadora, educada, minha família o adora e eu o amo. Nos damos muito bem e somos felizes.  Mas… Ele mora em uma cidade bem pequena do interior e eu moro em uma cidade ao lado, só que muito maior. Por ele morar em uma cidade pequena ele tem ‘manias de gente que mora em cidade pequena’. Não tem o que fazer a noite? Eles vão pra praça, ficam sentados em algum barzinho (daqueles bem butequinho mesmo), os amigos se reúnem na calçada para conversar e etc… Isso me incomoda e muito! Todos os dias, seg-sexta ele tem a mesma rotina: chega do trabalho, toma banho, come alguma coisa, vai pro Bar, depois na casa de algum amigo e volta pra casa todos os dias depois das 23. Ele fica o tempo todo comigo no whatsapp mas mesmo assim me sinto no direito de ficar brava, nervosa e por vezes faço a doida. Conversamos inumeras vezes e expliquei que o problema não é ele sair em si, o problema é ele sair todos os dias e ainda voltar tarde. E o que ele diz? Que cidade pequena é assim, que eu quero prende-lo dentro de casa, que não tem motivo pro meu show porque ele não esta fazendo nada de mais e que a vida dele sempre foi essa e que eu tenho que entender que somos diferentes e moramos em lugares com ‘manias’ diferentes. Expliquei que ele pode sair, mas não todos os dias e ele não aceita! Ele disse que vai sair sim e não vai ficar preso dentro de casa. Eu chego do trabalho e quero minha casa, minha cama. Mas já que falar com ele não adiantou, resolvi agir. Todos os dias invento alguma coisa: digo pra ele que fui fazer caminhada, que vou ao shopping passear e vivo na casa de qualquer amiga, TUDO IMAGINÁRIO pois na verdade estou em casa vendo netflix.  A que ponto meu relacionamento chegou! Tenho que inventar coisas pro namorado entender que sair todos os dias não é legal! Ele está odiando a ideia e eu estou adorando que ele odeie rsrs… Estou muito errada?

Amiga, muda pra cidade dele então ou vai visitar ele duas vezes por semana pra ver se esta tudo ok! Tá errada tamanha desconfiança, tá errado inventar histórias para “dar o troco”, tá errado estar com uma pessoa que você não gosta da forma como ela vive! Você diz que é um cara trabalhador, educado, sua família ama ele, se dão bem, são felizes… Agora o cara gostar de ir pra PRACINHA todo dia depois do trabalho é errado só porque você não faz o mesmo na sua cidade?? Ou seja, se você fizesse o mesmo estaria tudo ok? Quem tem que entender que sair todos os dias não é legal é ele, se ele for mudar isso, será por ele. Ninguém muda por ninguém, e se mudar, a essência continua lá e um dia virá a tona. Deixa ele ser do jeito que ele é, e você se pergunte se vai aceitar ou não. Mudar os outros a força é ativar uma bomba relógio e pode por a perder muita coisa boa. E quanto mais você falar para ele não sair, MAIS ele vai querer sair. Pense se o que te incomoda são as saídas, até então, inofensivas dele ou se realmente você desconfia de algo mais e aí sim ter motivos reais pro seu show.

Chora 03 – Elke

Oi Cony, boa tarde td bem?

Serei mais uma a dizer que amo seu blog, você já me ajudou muito. Quando tive depressão pós-parto em 2013  li seu blog inteiro todas as matérias. Eu sempre escrevo meu choras e deleto.

Bom hoje decide ir até o final. Meu choras é de relacionamento. Fui casada há 10 anos não tive filhos, engravidei mas tive um aborto espontâneo. No final está relação foi bem tumultuada traição da parte do meu ex, roubo e o pior ao perder o meu bebe ouvi a seguinte frase: Enquanto você chorava no hospital, eu comemorava pq não queria você como mãe do meu filho. Nem precisa dizer que desci 1000 degrau entrei em depressão, emagreci horrores, descobri que tinha um problema de saúde e minha change de engravidar era 25%.  Sempre quis ter uma família, sempre quis ter filhos e isso doía muitooo.

Fui até o fundo do poço. Com apoio da minha família e amigos me reergui.  Depois de um tempo conheci alguns rapazes legais e outros não tão legais. Quando estava no MBA conheci um cara, ele parecia ser ótimo. Tranquilo, engraçado, perto dele a vida parecia leve.  Um belo dia transamos sem camisinha e engravidei. Só fui descobri com 8 semanas pq para mim estava apenas atrasada com os n’s exames, remédios que estava tomando.  Uma médica disse que não conseguiria segurar, mas um médico disse que o jogo só termina quando o juiz apita e naquele momento ele não tinha apitado.

Lutei, lutei muito aqui fora para ter meu filho e meu filho lutou muito na minha barriga para continuar lá juntos vencemos a batalha. Neste meio tempo fui morar com o pai do meu filho estava gravida. Com pouco tempo descobri a outra face dele: imaturo pediu demissão quando eu estava com 5 meses de gravidez e o cara engraçado se tornou uma cara estupido e arrogante.

Quando meu filho nasceu tive depressão pós-parto e ele tratava como frescura, começou a me agredir verbalmente. Me sentia um lixo de pessoa.  Com o passar do tempo se tornou agressivo. Uma vez quebrou o vidro da janela do meu apartamento (onde moramos) porque não queria que eu fosse comprar um inalador na farmácia para o meu filho que estava resfriado. Fiz BO, mas não fui adiante. Lembro que o policial me disse assim: Você escolheu ele para ter um filho não foi, então agora quer que a polícia resolva seu problema. Me senti sozinha e acuada.

Bem, o tempo passou novas cenas vieram e apreendi a lidar com estas situações. Ele não quebrou mais nada, mas as agressões verbais continuaram. Quando meu filho fez 1ano e 4 meses pedi para ele ir embora não aguentava mais. Só que fiquei com dó ele chorava no hall do elevador e meu filho na sala quando o pai ia embora. Pensei: Que mãe que eu sou.

Deixei ele voltar com a condição de fazer terapia. Ele arrumou um emprego fora de São Paulo e nunca fez. Neste meio tempo fiz ele fazer faculdade, que ele dizia ter, mas não tinha. Ele se desenvolveu muito profissionalmente hoje ganha muito bem.

Tivemos momentos felizes, mas o jeito que ele me trata e trata as pessoas que ele não gosta ou as pessoas que amo que não conheci direito (exemplo um garçom) não me agrada. Meus pais não gostam de irem na minha casa quando ele está lá. Infelizmente ele não trata meus pais com carinho. Meus pais são bem humildes e ele não gosta disso, gosta de status.

A gota d’agua que me fez escrever foi recente na festa do meu filho. Ele é um cara que sempre fala que meus planos não darão certo, não me incentiva e diz que sou feia. Eu me acho uma mulher bonita e interessante. Sou bem sucedida no meu trabalho e só não estou melhor financeiramente dividimos as contas comum do meu filho e de casa (alimentação, luz e etc) 50% para cada um sendo que ele ganha o dobro que eu ganho. Além disso ele mora na minha casa, mas eu pago o apartamento sozinha. Digo isso pq ele quis comprar um carro junto e vive jogando na minha cara que não tenho dinheiro para comprar. Eu pago a parcela do carro tb.

Bem, no aniversário do meu filho ele disse que eu estava feia (vou te mandar a foto para ouvir sua opinião), além disso nem se deu o trabalho de virar e comprimentar meus pais. Comprimento de lado, achei aquilo desrepeitoso pq eu trato a família dele com respeito. Eu achei que eu estava parecendo uma princesa e que meu pais e irmãos mereciam mais respeito. Eu morro de dó dos meus pais sabe. Quando ele me disse aquilo e eu vi meus pais tristes me senti muito mal pelos meus pais e por mim tb estar com alguém assim. Além disso ele quer criar nosso filho como que homem não chora, meu filho tem 5 anos e tem medo de dar qualquer opinião, por mais simples que apareça. Exemplo está frio. Ele não diz que está frio, ele simplesmente passa frio.

Ai quando cheguei em casa comecei a pensar se vale a pena continuar com alguém que não me admira?  Vale a pena ficar com alguém que não tem os mesmo valores? Vale a pena ficar com alguém que não cria o filho para ele poder escolher e disser o que pensa de foram a ser um ser humano bom? Vale a pena ficar com alguém que não trata meus pais bem? Só que quando penso no meu filho de não ter um pai por perto desisto? Devo tentar mais? Já se passaram 5 anos.

Não amiga, nao tente mais! Não perca mais tempo! Relacionamento totalmente abusivo! Ele já se mostrou violento, grosso, não é um bom exemplo para o seu filho, trata mal seus pais! Semana passada postei sobre o ciclo do relacionamento abusivo, e cabe hoje o mesmo recado. Um cara que te põe pra baixo, te critica, não te incentiva e te faz sentir uma inutil, NÃO É UM CARA BOM! Relacionamento NÃO É ASSIM, ISSO NÃO É NORMAL! Força! Não espere mais, não espere outro arranque de raiva dele, não permita mais ser humilhada, não permita que seu filho cresça com medos, com insegurança, NÃO PERMITA QUE ELE SEJA O MODELO DE HOMEM PARA SEU FILHO! Por favor, pense em você e no seu filho, vocês não merecem isso.

  • Tô triste. Pela primeira vez em 9 anos de blog me senti censurada e impossibilitada de ajudar uma pessoa. Minto, já teve um caso antes, mas o que eu iria publicar hoje me tocou muito mais. Um problema mais comum do que imaginamos, pesado, com alta carga emocional, psicológica, com muito julgamento da sociedade e que NÓS MULHERES temos que lidar, muitas vezes sozinhas, caladas, assustadas, sem apoio e na clandestinidade. Estou realmente triste e me sinto amarrada, pensarei em como ajudar de uma maneira que não me comprometa e nem comprometa a quem esta passando por isso. Obrigada a todas que me mandaram Direct no Instagram, vocês realmente são demais e me senti confortada. Me comprometo repassar esse conforto e esse abraço “virtual” a quem precisa. 
59 Comentários
  1. #1
    Tamires
    09.03.2018 - 15:37

    Alguém pode fazer um resumo do caso que não foi publica e o porque?? Eu não tenho instagram, fiquei aqui na curiosidade :/

    • #2
      Ca
      12.03.2018 - 11:56

      Era sobre aborto. E como aborto é crime, ela não pôde publicar.

  2. #3
    Camila
    09.03.2018 - 16:12

    Realmente é muita hipocrisia não poder relatar o caso para discutir sobre algo que ocorre todos os dias com as mulheres desse Brasil.
    Sobre o caso da Elke: Primeiro que seria bom você analisar bem esse perfil de rapazes com quem você se relaciona.Tem uma repetição. Estou falando para que não ocorra novamente. É muita agressividade. Fiquei mal por você.
    Sobre o relacionamento atual,eu achei curioso porque você foi listando as atitudes horríveis que ele tem com você e com as pessoas que você ama. Não tem uma que se salva. E no final você ainda pergunta se deve ficar com ele. Você sabe a resposta. Coitado do seu filhinho! Meninos também sofrem muito com pais assim. Se ele tiver um afastamento do pai é porque teve sorte. Desejo coragem para você romper esse ciclo terrível! Você parece ser bem insegura, mas faça isso por seu filho. Procure terapia, se necessário.

    • #4
      Taiza
      10.03.2018 - 22:18

      Também achei que tem um padrão nos relacionamentos da Elke. Precisa ver sim o que está acontecendo, dois raios caindo na mesma árvore.

  3. #5
    Juli
    09.03.2018 - 16:23

    Caso 1 talvez você seja nerd mesmo. Mas isso não é ruim, ninguém é obrigada a ter amizades com que não tem vontade. Porém amizades são fundamentais, somos primatas humanos são sociáveis. Entre na internet, no facebokk, faça contatos com novas pessoas, você vai achar pessoas parecidas com você e com coisas em comum. Quem sabe um relacionamento com Alguém seja de amizade ou íntimo ou amoroso que também seja mais tímido e reservado. Mas é bom conhecer gente diferente da sua personalidade, é um grande exercício para a sociabilidade. Tente puxar assunto com pessoas que conhece, va nadar em um clube, faça um esporte em grupo, faça trilhas, vá em excursões conheça pessoas.
    Caso seja muito difícil tentar sozinha também é legal buscar uma terapia para ajudar nas habilidades sociais. Às vezes a pessoa pode ser uma personalidade tímida, esquizóide, solitária e precisa de dicas de um Terapeuta que é um conselheiro ou psicólogo. A vida está aiz tanta coisa linda para sentir e viver, tanto gente legal para dar risadas juntos e pessoas não tão legais para saber quem vale a pena ou não. A vida está ai, você tem saúde e é jovem então agora é hora de viver e ser feliz. Assistir series é bom mas nao pode ser a única atividade. Boa sorte.

  4. #6
    Helisa
    09.03.2018 - 16:29

    miga do Chora 3:
    Você graças a Deus ainda tem auto estima. Pega essa força mulher, ta escrito em cada palavra sua que você sabe que não merece isso. Pense que seu filho jamais ia querer que você fique com um embuste desse por causa dele… Pior que crescer sem pai é crescer pra seguir o exemplo de um ser humano deplorável. Bota esse homem pra fora e segue sua vida. Vai ver como sua vida vai melhorar em mil por cento. Você merece tranquilidade e felicidade plena <3

  5. #7
    Juli
    09.03.2018 - 16:30

    Caso 2: difícil situação. A pessoa está em outra cidade e não vai ficar em casa na solidão vai para praça sim. O conselho da Cony foi perfeito! Também acho que você deve visitar o rapaz maia vezes. Quem sabe se encontrem toda quarta e todo final de semana. Ninguém muda. O que ele pode fazer futuramente é diminuir o tempo na praça conforme ele VA amadurecendo. Se você se mudar para lá pode propor novas atividades. Agora se a pessoa só quer ficar na praça com os amigos, é uma pessoas extremamente social, e não está disposto a mudar e você não está feliz borq trocar de namorado. Ou os dois cedem um pouco e de comum acordo e que ninguém seja prejudicado e sem egoismo. Porque não dá livros para ele então, um pacote de netfix para ele, um kit marceneiro para fazer hobbies, vai uma vez por semana lá dançar com ele numa escola de tango e música.

    • #8
      moc
      14.03.2018 - 11:24

      Pois é, pensei que o rapaz anda meio desocupado tbm..
      aliás, fiquei pensando.. quem consegue ir todo dia pra pracinha hoje em dia com tanta coisa que temos pra fazer? he eh.. desde uma academia (se não tiver academia dá pra correr), fazer um curso EAD
      Enfim, mas acho que o tópico ali pode ser ciúme sim, daí seria o enfoque da Cony, de tirar a prova real e desencanar de vez..
      Mas pode ser que a maneira de ver a vida de vcs dois possa ser muito diferente tbm, talvez o rapaz seja muito acomodado ou despreocupado, ocioso demais e isso esteja incomodando.. que ele precisa de um foco..
      Enfim, fato é que não dá pra continuar nesse esconde esconde chato e desnecessário

  6. #9
    Samanta
    09.03.2018 - 16:52

    Aracy, desculpa, mas qual o problema de sair todo dia?
    Você diz que não pode, mas porque não pode? Quem te disse que não pode?
    Me lembrou muito minha mãe que falava que dia de semana não era pra ficar na internet, ou em casa de amiga, (insira aqui outra coisa que sua mãe falava que não podia), simplesmente porque não podia, sem nenhuma justificativa.
    AGORA se você acha que ele tá aprontando alguma, beleza, roda as tamancas aí.
    Caso contrário você só discorda do que ele faz no tempo livre dele, como se ele estivesse ‘errado’ em gostar do que ele gosta.
    Ah, e mentir pra ele não é legal, né?

    • #10
      isla wolff
      15.03.2018 - 17:13

      Então amiga, concordo exatamente com a tua opinião, que problema há da pessoa ter a individualidade dela e gastar a mesma consigo?

      Meu namorado é uma pessoa extremamente sociável e eu, nem tanto. Vivemos em cidades diferentes, a mais de 45min de distância. Meu perfil é de uma pessoa que adora rotina, não curto sair na semana com frequência pois atrapalha meu rendimento no dia seguinte no trabalho. Ele não, quanto mais sair melhor, é amigos, churrascos, futebol e eu acredito, que ele, como uma pessoa adulta, sabia dos limites de um relacionamento, seja crescido o suficiente para saber dos seus próprios compromissos e horários.
      Não me sinto pressionada a estar sempre junta dele na semana, nem ele na pressão de me convidar e tal, tá ótimo!
      Cada um tem que saber que as pessoas são diferentes e funcionam diferente também. Somos indivíduos antes de sermos casal.
      Cada um tem que saber o que funciona pra si 😉 pegue leve, fará bem até pra você, procurar uma atividade que goste, um tempo pra si. Eu adoro caminhar com meus cães, ir a academia, ler um bom livro, ..enfim!

      beiiijos <3

  7. #11
    Catarina
    09.03.2018 - 16:57

    Gente, não tenho Instagram. Alguém me explica o que houve?

  8. #12
    Tha
    09.03.2018 - 17:41

    1- Querida Darcy, por favor procure terapia. Você pode ser nerd, curtir séries e tudo mais é ainda assim, viver. Você está vivendo a vida através de ficção. Você gosta do que acontece nas séries e filmes, mas não consegue lidar com isso na sua vida, porquê? A terapia pode te ajudar. Quem sabe é um misto de insegurança com arrogância. Vale refletir. Idealize menos, pessoas e relacionamentos, não são como em séries e filmes. Tenha mais empatia e humildade, julgue menos, espere menos das pessoas e claro, procure grupos de pessoas que curtem o mesmo que você. Acho que a Cony acertou nisso! Procure fazer algum trabalho social, acho que isso pode te ajudar também. espero que você seja feliz, você é muito nova e tem o mundo a sua espera.

    2- Aracy, entendo você, ainda mais se vc tiver planos de casar com ele. Todo dia em buteco e bar, dá não. Mas oh, pq você não deixa de mentir, pq não é legal, e arruma algo para fazer a noite. Aula de dança, curso de idioma, uma especialização. Aproveita mulher para crescer! E incentiva ele TB!

  9. #13
    Adriana Masson
    09.03.2018 - 18:52

    Cony…amo seu blog e amo a sua humanidade…gente de verdade…com um coração enorme!!!
    Obrigada pelo espaço que você dá às suas leitoras. Muitas são como eu: nem sei há quantos anos acompanho o Futilish. E é muito bom ver o blog e vc crescerem tanto. Parabéns!!!
    Quanto ao Chora que vc não pode publicar, leve o meu abraço e o conforto para essa mulher que está sofrendo. Precisamos construir mais pontes e menos muros.
    Beijos!!!

  10. #14
    Re
    09.03.2018 - 19:14

    Puxa, não tenho Instagram… 🙁

  11. #15
    Beatriz
    09.03.2018 - 20:24

    Cony faça um post sobre o assunto, não é necessário expor opinião para evitar discussões, coloque apenas dados estatísticos pra q a gnt possa nos comentários confortar essa moça.
    Sendo sincera hj aos 37 anos tenho o sonho de ser mãe, jamais abortaria, até pq sou evangélica, mas qdo era mais nova era mto nítido na minha cabeça q se eu engravidasse faria um aborto… graças a Deus nunca aconteceu, me prevenia ao extremo, mas era uma coisa mto bem resolvida pra mim. Não sei se era imaturidade da pouca idade, mas a verdade é q eu sabia q não tinha condições de ser uma boa mãe, eu queria aproveitar minha vida e um filho naquela época seria um peso, sim, só tenho coragem de dizer isso no anonimato, espero q o tribunal das leitoras não venha aqui me crucificar, mas o medo q eu tinha era de me ressentir por ter q deixar de fazer coisas e acabar passando isso pro bebê, egoista e imatura?! Sim!! Mas eu era assim, fazer o q…
    Não aconteceu cmg mas, aconteceu com uma pessoa próxima, q ao terminar com um embuste descobriu q estava grávida, ela contou pra mãe e disse q queria abortar, o cara era uma roubada tão grande q a mãe apoiou a escolha da filha. Ainda conheço essa pessoa, não sei se ela se arrepende, é um assunto q morreu, mas vejo q se ela tivesse tido esse filho teria uma ligação com esse cara até hj, não sei o qto isso poderia prejudicar a vida dela q seguiu em frente.
    Em outro caso conheço outra pessoa q teve o filho do ex embuste, a criança é uma benção mas ela tem sérios problemas com ele, vive amedrontada, é um problema permanente e grave.
    Sei q escrevi demais, mas o q eu quero dizer é q não podemos julgar as escolhas dos outros, ngm sabe o q cada um sente!!! A moça já fez o aborto, não vale mais dar opiniões do q ela deveria fazer pq já foi feito, o q eu quero dizer é q ela tem q seguir em paz!!
    Ore, peça perdão a Deus e siga em frente!! Não se culpe mais, somos filhas de um Deus misericordioso e perdoador!! Deus odeia o pecado mas ama o pecador!!
    Peça perdão a Deus, receba, mas principalmente se perdoe!!! Não tem como voltar atrás.

    • #16
      Tati de Porto Alegre
      20.03.2018 - 15:08

      Julgada bem inteligente pela leitora aqui 🙂
      O tema é delicado, sim, mas estamos num momento arriscadíssimo em que política e vida privada andam sendo misturadas sem bom senso. Sabemos que o aborto faz parte do universo feminino e sabemos todas as estatísticas e tal… Mas ainda temos muito problema em oferecer apoio a quem toma essa decisão, visto ser ilegal atualmente em nosso país. Não concordo que deva ser ilegal, não concordo que outras pessoas opinem nessa decisão além da mãe (sim, sei que também posso ser julgada, já que excluí o pai da jogada, mas defendo que a gravidez e o aborto acontessem no corpo da mãe apenas). Afinal… O aborto do pai é legalizado, não é?
      Perdi o stories, estava em viagem e sem conexão, tanto que só estou lendo essa postagem dias depois da publicação, mas queria ter participado da discussão e ajudado a Cony a ajudar a leitora de alguma forma que a protegesse de julgamentos – afinal, não sabemos nem se os casos aqui publicados não são histórias hipotéticas de mulheres que questionam sua vida e mandam uma versão das suas opções para receber conselhos…
      O chora é importante, Cony, parabéns.

  12. #17
    Raissa
    09.03.2018 - 20:53

    Aracy, Entendo completamente o seu ponto de vista, mas não concordo. O que te incomoda na real é o fato do boy sair à noite ou ele estar vivendo a própria vida sem você? Existem diferenças, e são gritantes. Uma coisa é você se incomodar que ele saia sem você uma vez ou outra, mas você está se incomodando com um costume corriqueiro do interior e com certeza já conheceu ele assim… achou que só por que agora ele namora, ia se trancar dentro de casa e viver pra bater papo no WhatsApp contigo? Pense bem… você também deveria estar fazendo alguma coisa… caso realmente não goste, não faça ninguém se encaixar nos seus costumes! Isso vai minando o relacionamento aos poucos. Agora, se você desconfia de alguma coisa, da a louca! rs

  13. #18
    Jessica
    09.03.2018 - 20:59

    Dercy:
    Menina, sempre existe alguém com quem conversar sobre séries! Mas é falto que existe algo errado em não querer se aproximar tanto das pessoas! Você não estaria com medo de frustrar suas expectativas para com elas? A vida é isso mesmo e tem que ser vivida, a gente não pode passar a vida trancada em casa não!

    Aracy:
    Quem já se viu está todo dia no meio da rua e falando ao celular? Tem alguma coisa errada nisso! Estudar que é bom, nada! Dêum gelo nele ! Você está perdendo seu tempo em ficar pastoreando a vida dele , deixando de investir na sua e criando caramilhola na cabeça ! como diziam nossas avós: mente vazia oficina do diabo!

    Elke:
    Não é fácil ser mãe solteira! Mas pelo visto seu marido faz mais mal do que bem a seu filho! Você já disse que a contribuição dele em casa é irrisória, portanto você tem condições de se manter sozinha, e se brincar melhor do que com ele em casa! Ja percebeu o quanto ele é desagradável e não faz questão de tratar bem a todos os que vc mais ama: seus pais, seus filho e VOCÊ! Pare de querer criar esse embuste e pagar penitências ao lado dele! Aceite que VOCE merece ser feliz e bem tratada, e nada menos que isso! Tome esse carro é mande ele ir embora!

  14. #19
    Lari
    09.03.2018 - 21:51

    Caso 1: Dercy amiga, estamos juntas. Passo exatamente pela mesma situação que você mas sou 8 anos mais velha. O pior é que recentemente conheci um cara com quem gostaria de ter um relacionamento mas não consigo levar adiante. Sinto o mesmo nervosismo que você relatou. Estou o enrolando por meses e me sinto mal por isso. Realmente não sei mais o que fazer para conseguir me conectar com as pessoas.

    • #20
      Jaqueline
      12.03.2018 - 18:50

      Com todo respeito, a você e a Dercy. Mas será que não se trata de uma fobia social? Pesquisem a respeito e tirem suas conclusões. Isso é sério, e compromete muito a qualidade de vida. Beijos!

  15. #21
    Melissa Hills
    09.03.2018 - 21:57

    Se o post censurado era sobre aborto, e foi censurado para proteger a leitora, estou de acordo. Pedras iriam ser jogadas,julgamentos feitos, dedos apontados. Mas ao mesmo tempo existe a necessidade de que precisamos falar sobre isso.Não é uma questão de religião, moral, nada disso. É uma questão de saúde pública, ponto final. Enquanto pedras forem jogadas e dedos forem apontados, essa questão não será resolvida.

  16. #22
    Jessica
    10.03.2018 - 10:27

    Cony, você fez certíssimo em não publicar o caso, pois iria aparecer a patrulha da hipocrisia para massacrar a moça!
    Sobre caso “oculto”:
    Infelizmente é um assunto tabu devido à importância e gravidade do assunto! Devido a convicções pessoais não acho correto o aborto, pois uma mulher bem instruída conhece e tem acesso a diversos métodos contraceptivos, que em teoria, tem falha mínima! Entendo que a mulher empoderada tem direito de escolher como viver sua liberdade sexual!
    Mas a vida não é tudo preto no branco!
    Infelizmente, os homens não tem o menor senso de responsabilidade e a maioria joga toda a responsabilidade para a mulher, seja ela casada ou não! Seja na educação dos filhos , seja nas medidas preventivas!
    Entendo que essa moça, assim como tantas outras conhecidas, que realizou esse ato porque se sentiu desamparada, sozinha, insegura, oprimida por ser julgada pela sociedade como uma “mulher perdida”, que seria uma luta muito grande criar um filho sozinha! Independente do que tenha lhe levado a fazer isso, entenda que foi o necessário a ser feito, e que sirva de aprendizado para isso não se repita! Se fosse para você ter esse filho mesmo, ele iria nascer de todo jeito; pois conheço uma pessoa que tentou abortar 3 vezes e não consegiu! Você não é pior que ninguém! Muitas mulheres com pouca ou muita condição financeira criam forças e cuidam de sua familia aos trancos e barrancos, quando chegar a sua hora de ser mãe, ela virá, aí iras perceber quanta força você tem e quantas pessoas vão lhe amparar!

    • #23
      helo
      10.03.2018 - 23:59

      Maravilha de comentário! respeito e empatia. Cada um sabe das suas dores.

  17. #24
    Julia
    10.03.2018 - 10:38

    1. Vc é feliz assim não tem nada de errado. Vc não é todo mundo!
    2. Deixa o cara ser feliz meudeus
    3. Tu não vai deixar ele. Pq na gravidez tu sabia q tava errado, ao ir morar junto já sabia, ao fazer BO já sabia, 1 ano e 4 meses depois sabe q tá errado. Daqui a 10 anos vai continuar errado.
    A tua dúvida no fundo é: Eu não sei se quero desistir da família de margarina, ainda q maquiado. Eu não sei se vou ser mais infeliz sem ele, pq vc já está acostumada com o nível de infelicidade q vive com ele. Tu não sabe se é mais humilhante alguém q te xingue ou uma sociedade q te olhe torto pq não tá casada. Eu não sei se meu orgulho prefere alguém q precise de status do q assumir minha família humilde.
    Faça as perguntas mais honestas pro seu íntimo e talvez as respostas sejam mais sinceras e te ajudem a entender teu verdadeiro eu.

    • #25
      Andrea
      10.03.2018 - 14:17

      Excelente resposta para o caso 3

      A nossa eterna mania de colocar a culpa da nossa infelicidade nos outros e não assumir os proprios erros e fracassos.
      As respostas das leitoras são realmente uma grande ajuda para nossa reflexão e amadurecimento!

  18. #26
    Ana
    10.03.2018 - 11:57

    Sobre a resposta da Beatriz #11
    Se a pessoa sabe que o cara é um “embuste”, por que se envolver com uma pessoa assim? ainda ter relação sem se prevenir sabendo que pode acabar engravidando? Acho que o correto seria primeiramente evitar relacionamento sem futuro para não ter problemas futuros. E também conheço pessoas que tiveram gravidez ada planejadas, e hoje amam os filhos mais que tudo.
    O problema é essa geração pega e não se apega, que acabam gerando gravidez indesejadas e acham que a solução para tudo seria legalizar o aborto.
    Ah e não tenho religião antes que me chamem fanática religiosa ou mente fechada.
    E meu recado para as mulheres é, SE ENVOLVAM COM HOMENS DE VERDADE E PRIMEIRAMENTE SE AMEM PRIMEIRO, E QUANDO ESTIVEREM EM UM RELACIONAMENTO SE PERGUNTEM SE ELE SERIA UM BOM PAI

    • #27
      Beatriz
      10.03.2018 - 14:16

      Então Ana eu não sei pq ela se envolveu com um embuste, tb não sei se ela não se prevenia ou se a camisinha estourou ou algo do tipo, o q eu sei é q a pessoa na época tinha apenas 18 anos, mas vejo q vc pra julgar alguém q nunca viu deve saber muito!! Muito mesmo!! Então se não for pedir demais, por favor nos de a honra de dividir toda essa sabedoria e nos ensine como identificar rapidamente um embuste, principalmente pras leitoras novas (com idade entre 18 anos), pq vou ser sincera, com 37 anos encontrei um cara especial e estou noiva, mas admito q antes dele comprei mto gato por lebre, me envolvi com embuste acreditando ser príncipe e, principalmente como já disse, uma gravidez indesejada não aconteceu cmg, mas poderia ter acontecido vez q nenhum método anticoncepcional é 100% seguro (exceto a abstinência).

      • #28
        Rosangela
        12.03.2018 - 14:06

        Beatriz #23
        Perfeita sua resposta para Ana #22.

    • #29
      helo
      10.03.2018 - 23:56

      muito simples né? se fosse tão obvio não haveria tantos relacionamentos abusivos e feminicídios. Não jogue a responsabilidade em uma só pessoa, especialmente quando se trata de método contraceptivo. A sua realidade não se aplica a todo mundo então não julgue e seja empática. Outra coisa, aborto não é método contraceptivo, uma pessoa que passa por uma situação dessas não vai fazer isso novamente. Quantas estão em relacionamentos abusivos e não percebem? ai largam e o cara persegue, mata. Tem quem feche os olhos, ok, mas nem por isso podemos generalizar.

    • #30
      Vanessa
      11.03.2018 - 11:34

      Ana, num relacionamento abusivo, a pessoa não se dá conta que é monstruoso. Para quem está de fora é fácil julgar, mas só quem passa sabe.
      Cada um sente de um jeito. Respeite ou, se não é para ajudar, não atrapalha.
      Sobre “geração pega e não se apega, que acabam gerando gravidez indesejada e acham que a solução para tudo seria legalizar o aborto”, por favor, pare. Você relacionou coisas distintas sem a menor coerência.
      “Geração pega e não se apega” traduz a mulher com mais liberdade sexual sim, fica com quer, transa com quer, não necessariamente para casar ou namorar anos. Ainda bem por isso!
      Isso nada tem relação com “gerar gravidez indesejadas”, aqui tem-se a ausência de métodos contraceptivos, o que não é uma consequência do “geração pega e não se apega”.
      E simplificar a legalização do aborto com os argumentos pífios acima é o ápice da ignorância. Aborto, como já dito, é questão de saúde pública (pesquisa um pouquinho sobre os dados de quantas mulheres pobres morrem, por exemplo). É ainda desrespeito à vontade da mulher sobre seu corpo e sua vida. Vivemos num país laico (religião nenhuma deve impor limites legais) e cientificamente falando, aborto, a depender de quando feito, não é interrupção de vida.
      E outra, a legalização não seria irresponsável, de maneira a tornar-se mais um método contraceptivo, sugiro neste ponto também um pouco mais de pesquisa. Há limites – nenhum direito é pleno e absoluto.

      Por fim, registro a minha história: namorei quase 10 anos, casei e com 2 semanas de casada engravidei. Não foi planejada, por ordem médica havia parado de tomar pílula há 2 meses e no ato tinha acabado a camisinha, “confiei” na tabelinha e no “gozar fora” do marido (kkkk), mas engravidei. Não queria, mas na verdade não pensei em nada, nem em tirar, nem em prosseguir, simplesmente bloqueei por uns 2 meses. Meu marido e família e amigos empolgadíssimos, MUITO mesmo e eu meio que atônita, fingi estar feliz, mas estava em pânico com a mudança drástica. Enfim, não abortei, amo minha filha de uma forma que nunca imaginei que existisse, é realmente um amor sem igual que me transformou, MAS a tarefa de ser mãe é pesada demais, te tira a autonomia, seu tempo, seu dinheiro, é uma mudança GIGANTE (só quem é mãe consegue mensurar). Eu imaginava que ia ser difícil, mas é MUITO SUPER ULTRA mais difícil do que se pensa.
      Enfim, na minha opinião, gerar e formar um filho não deveria ser uma imposição por razões sociais/morais/religiosas, principalmente pela magnitude da questão. Inclusive, o que se vê (hoje sendo mãe tenho mais contato e sensibilidade em perceber) são diversas mães que “amam” os filhos por obrigação, “criam” por obrigação e o resultado é desastroso.

    • #31
      Ana Banana
      12.03.2018 - 09:17

      Em que mundo voce vive? Voce fala como se tudo fosse tão simples, como se todas aspessoas fossem robos e tivessem uma programação para não se aproximarem/apaixonarem por embustes… fazer escolhas erradas faz parte da humanidade!

    • #32
      Leitora do Fufu
      12.03.2018 - 13:15

      Nossa, conta ai então como faz pra identificar um “embuste”.
      E outra, acidentes acontecem. Tem gente que não pode tomar anticoncepcional, as vezes o preservativo escapa, as vezes estoura… enfim, muita coisa pode acontecer.
      Não saia apontando o dedo na cara dos outros quando vc não conhece a realidade do outro.

  19. #33
    Fran
    10.03.2018 - 14:22

    Chora 2: atualmente moro em “cidade grande”, mas sou natural do interior e até os 17 anos vivi em uma cidade com 12 mil habitantes, saí de lá para fazer faculdade e nunca mais voltei. Esse tipo de comportamento é super normal. Até hj sinto falta de ir na casa das amigas e ficar até altas horas batendo papo na calçada. Volto pra lá durante as férias, fico por algumas semanas e sempre vamos aos “botecos”, bares bem simples só pra relaxar e dar risada e nada acontece (tenho um relacionamento estável há seis anos e ele nunca ligou).
    Defendo a ideia de que se for pra ser fdp e te trair, ele fará isso em qualquer lugar e a qualquer momento.

    E pra Ana #18: nem sempre o cara se revela um embuste logo no início e não sabemos a trajetória do relacionamento alheio pra fazer esse tipo de julgamento e dar “conselho” como esse. Me desculpe, mas vc não ajudou em nada. Esse tipo de comentário só faz com que mulheres em situações problemáticas se sintam ainda piores.

  20. #34
    Alessandra
    10.03.2018 - 14:38

    Por alguns comentários que já li, acho que seria muito proveitoso discutir sobre o aborto e todas as questões a ele relacionadas. E acho que é muito fácil apontar o dedo e dizer que se a mulher sabia disso ou daquilo não deveria ter engravidado. Primeiro que essa responsabilidade não é só dá mulher e segundo ninguém sabe o que se passou. Cada caso é um caso. E biologia e amor não é matemática. Temos sim que discutir esse assunto pq concordo que é questão de saúde pública. Beijos

  21. #35
    Ana
    10.03.2018 - 21:19

    Realmente o aborto e um tema que precisa ser debatido com memos juizo de valores, moralismo e questoes religiosas! Engravidei sem planejar, em um momento de mudança profissional… Apesar de ser casada e bem sucedida profissionalmente perdi o sono durante 1 Semana pensando em todas as mudanças que aconteceriam! Quando penso nesses sentimentos que vivi me solidarizo mto com as mulheres que optam pelo aborto! Sinceramente o que tranquilizou meu coracao foi a conclusao de que engravidar naquele momento nao foi planejado… Porem seguir a gestacao e ter meu filho foi uma decicao minha! Ter um filho e uma transformacao na vida da mulher e a cabe a ela definir o momento de escrever essa nova historia com leveza, amor e autonomia!

  22. #36
    Taiza
    10.03.2018 - 22:16

    Gostaria de dizer para a Elke: saia deste relacionamento. Eu acho que este ser que divide a casa contigo já minou a sua auto estima, a sua coragem, a ponto de você muitas vezes pensar que seu filho está feliz e seguro com um pai desses por perto. Acredite, vocês dois estarão melhor longe dele, terão uma vida muito mais saudável e seu filho não terá de crescer vendo a mãe ser humilhada, maltratada e se sentindo triste todos os dias. Não pense em nenhum momento que ter um pai desses por perto é tão importante ou incrível assim. Ele não está ajudando em nada, apenas traz para dentro de casa toda a negatividade que existe no mundo. Seu filho claro irá chorar ao ver o pai sair de casa, uma separação não é fácil nunca, ainda mais com criança envolvida. Mas pense, vocês dois lutaram tanto, você e seu filho, e eu tenho certeza que era outra vida que você tinha em mente pra ele. Você parece ser uma mulher muito bacana só de falar a forma que gostaria de criar seu filho. Ele é uma criança, vai chorar, mas depois vai entender. E, quando crescer, com certeza se orgulhará muito da mulher forte que não aceitou ser tratada como lixo. Te desejo sorte, porque a força vocÊ já tem.

  23. #37
    Taiza
    10.03.2018 - 22:24

    Caso 01: Olha, o mundo é grande e vasto, impossível que não exista na face da Terra um ser que te interesse. Você pode se sentir feliz assim, mas saiba que está na contramão de tudo o que faz parte de ser um ser humano. A gente gosta de andar em bando, rindo e falando alto, comendo com mais gente, brigando e fazendo as pazes, nos apegando e depois vindo chorar aqui porque se apegou demais e se frustrou haha!
    Eu acho que é muito bom usufruir da própria companhia (eu sou o extremo oposto, não posso ficar sozinha por muitos dias que já me sinto deprimida. Não quer dizer que eu não goste de ficar comigo mesma, mas sim que prefiro um equilíbrio, sair e ver gente, ver movimento. Então, se vc curte ficar sozinha, ponto pra você. Mas ficar SEMPRE sozinha, não acho que seja normal, ainda mais na sua idade,e acho que no fundo vocÊ sente isso, tanto que escreveu pro Chora. Eu acho que existe algo no seu subconsciente, um medo de se frustrar, medo de se apegar demais, ou alguma outra coisa que bloqueou a sua sociabilidade. Ficar só assistindo série não é normal, por mais prazer que te traga. Busca terapia, eu acho que vai te ajudar.

  24. #38
    Débora
    11.03.2018 - 10:42

    Caso 3- Como a Cony já disse, caia fora dessa o quanto antes! Uma pessoa que não respeita vc já não merece estar com vc. E no caso ele não respeita a ninguém. Se vc tem alguma dúvida, reflita se vc quer que o seu filho seja como ele. Acho que não, né!? Mas é isso oq provavelmente irá acontecer se ele continuar com vcs. Caia fora sem voltas! Ele já teve chance de mostrar interesse em mudar. Bote ele pra dora e explique ao seu filho que é melhor assim. Se preciso for peça apoio de amigos e familiares, certeza que vc sairá disso melhor do que vc imagina! Beijos e se cuide!

  25. #39
    la
    11.03.2018 - 22:17

    ELKE – passei por um relacionamento muito semelhante ao seu, porém meu caso já está mais a frente, não estou mais com o pai da criança. Quanto ao que as meninas falam acima que deveriamos ver com quem estavamos se metendo, é porque não estiveram na nossa pele,apenas ignore. vou te dar as dicas que daria a você e a mim no passado:

    1 – eu, você e essas meninas sabemos o que vc passa, mas a sociedade não, a sociedade especialmente machista, parentes e amigos vão ficar do lado dele, você pode acabar sendo a “malvada”, a que engravidou de propósito, a que é uma péssima mãe ou mulher. Então cuidado com isso.Não deixe isso te abalar. Fique atento a quem são essas pessoas e prive ela de acessos a informações pessoais suas em redes sociais, etc.

    2 – Não termine o relacionamento abruptamente, guarde tudo que vc tiver de provas contra ele, da agressividade, das verbais também, ande com o celular na gravação, tire print das conversas, fotos de estilo de vida, contas, status de relacionamentos, viagens tudo tudo, extrato bancário, e-mails; não apenas recente, mas inclusive antigos até mais antigos que tiver.

    3 – você vai precisar do item 2 na justiça, para definição de guarda e pensão. Cuidado muitos pais usam a criança como forma de atingir a mãe, não devolvem no horário para ela ficar desesperada, não aparecem paga pegar, aparecem em horários impróprios e indefinidos, não ajudam no custeio, etc. Muitas vezes apenas para ver a mulher de humilhando ou se sentir superior. Então defina bem a guarda com horários e dias bem definidos e inclusive registre tudo, tudo…quando entregou, horário, etc; Enfim, vc terá um longo problema na justiça. Se vc acha que ele pode fazer alguma maldade para seu filho, essa é a hora de vc registrar, gerar provas, caso contrário na teoria a regra é guarda compartilhada. Mas na verdade na maioria das vezes acaba em unilateral, porque nessa hora eles fogem mesmo.

    4 – entre em grupos de mãe solteira nas redes sociais, tem baboseira claro, mas tem muito mãe que dá a mão e ajuda.

    5 – apesar do stress, do sufoco e depois de algumas lágrimas, foi a melhor coisa que fiz na minha vida, terminar esse relacionamento

    6 – não caia em lágrimas de crocodilo e nem em falsas promessa, como ele já faz a muito tempo com vc. Apenas termine e vire a cara, evite contato verbal direto, ligações, principalmente no começo. É uma forma deles nos manipular a voltar. Conversa? apenas como mãe e pai e ainda tudo registrado.

    7- boa sorte e você não está sozinha, muitas travam essa batalha.

    Passei por tudo que vc falou, agressões verbais, humilhações (..eu tenho vergonha de andar com vc…vc é feia!) vc nunca é boa em nada … mentiras e depois lagrimas, tratar mal familiares e amigos, sempre os inferiorizando (… nosssa sua mãe é isso..(mentira), nossa sua mãe cozinha mal(mentira), …nossa minha casa é bem melhor!(mentira).. aquela amiga sua é estranha (mentira)… não gosto daquele amigo seu… seus amigos são chatos! ) sabe porque? quer te afastar das pessoas que pode te tirar dessas, te ajudar, é uma tática deles. te desincentiva a tudo (trabalho, estudos…) sempre com o tom de que vc não será capaz, que não dará certo e te digo mais se depender dele vai fazer não dar mesmo. Não ajuda com o filho, não ajuda com os custos… enfim a lista é grande.

    Boa sorte guerreira!

  26. #40
    Carolina
    11.03.2018 - 23:04

    Cony, escreve um livro logo!!!

  27. #41
    Amanda P.
    12.03.2018 - 01:04

    Cony, muito triste você não poder ter postado sobre o caso! Mas concordo que talvez faria mal para a moça, talvez algumas pessoas pudessem vir a julga-lá. Desejo luz e paz para ela! Fiquei curiosa quanto ao outro caso Que não pode publicar, era algum assunto relacionado a aborto tbm?

    No mais, tenho apenas uma opinião sobre o último chora. Querida, afaste-se deste homem. Ele faz mal á você e ao seu filho. Não permita que seu filho sogra deste jeito, cresça com uma pessoa cerceando seus sentimentos. Nenhuma criança merece isso! E você não merece um homem que te humilha e te diminui…toda mulher merece se sentir importante, valorizada. Tenha força!

  28. #42
    Ana Banana
    12.03.2018 - 09:19

    CASO 1: voce por acaso já foi ao psicólogo e relatou isso? Por qe há alguns distúrbios que são caracterizados por dificuldade de socialização

  29. #43
    Lara
    12.03.2018 - 09:42

    Sobre o chora censurado… as pessoas precisam entender que ser a favor da legalização do aborto não significa ser a favor do ato em si. Inclusive em países onde é legalizado, as taxas diminuíram ou se mantiveram baixas, não aumentaram como muitos pensam, justamente porque se conversa sobre o assunto

    • #44
      Leitora do Fufu
      12.03.2018 - 13:19

      Exato. Eu não faria um aborto, mas sou a favor de que a mulher tenha a opção de fazer um com segurança se ela achar que é melhor assim.

  30. #45
    Amanda
    12.03.2018 - 09:48

    Que triste o terceiro caso, eu fico apavorada de ver quantas mulheres passam por isso. Amiga, você mesmo disse que o apartamento é seu e que tem condições de se sustentar, e mesmo que não tivesse garanto que sua família te apaoiaria. Pense no seu filho, olha o exemplo que esse homem está dando para a criança. Força!!

  31. #46
    Érika
    12.03.2018 - 10:18

    Se a Aracy está errada por que então o cara agora tá todo puto porque ela está saindo também? Vocês pescaram essa? Ou seja, ele sabe que, se ela sai todos os dias e fica até tarde na rua, coisas podem acontecer, mesmo que seja “sem querer”, sem planejar nada. Veja bem, se você fica exposto, a chance de acontecer algo é maior, isso é fato. Eu já passei por isso, só que pior que a Aracy. Eu e meu ex marido já tínhamos filho e eu estava grávida do segundo quando ele foi trabalhar em outra cidade próxima. Daí, quase todo dia era festa na casa de alguém, saída na praça com os amigos, bebendo aqui e ali, e eu, como uma louca, trabalhando e cuidando dos filhos sozinha para ele. Como na época estava subempregada, não fui burra e não me separei. Mas nunca consegui engolir aquilo, por mais que ele disesse que nunca me traiu. O fato é que nunca acreditei que não, pois eram muitas oportunidades. Uns anos depois, passei num concurso, ganhando melhor e meti o pé na bunda dele. Aconselho a você a fazer o mesmo Aracy.

  32. #47
    Marina Costa
    12.03.2018 - 11:29

    1. Dercy: não há problema algum em você não querer se relacionar ou preferir programas solitários. Acho que você dever ter mais atenção ao incomodo que você sente diante da aproximação das pessoas. Procure um psicólogo, conversar é sempre bacana!

    2. Aracy: realmente tentar mudar alguém à força não funciona! Mas talvez valha apena tentar entender melhor essa rotina. Talvez você consiga mostrar que existem momentos ainda mais legais que ir ao bar todos os dias.

    3. Elke: Pula fora desse relacionamento amiga!! Você é muito mais que isso e sua vida e principalmente a do seu pequeno serão muito melhores sozinhos. Um pai ruim não faz falta alguma! Seu filho não merece aprender com essa pessoa horrível e o amor de mãe e filho vai ajudá-los a superar esse momento. Acredite que você pode ser feliz!! Nada disso é demagogia, conheço bem essa situação. E se precisar, a gente tá aqui pra te apoiar 😉

    Quanto ao caso oculto, precisamos muito debater esse assunto e principalmente deixar de lado nossos julgamentos e convicções para enxergar essas mulheres que estão diante de nós desesperadas e clamando ajuda.

  33. #48
    Michele
    12.03.2018 - 11:42

    Não consegui ver os stories, alguém pode me contar?? Se foi realmente pelo que li aqui (aborto), se essa moça estiver lendo aqui, não se culpe ou se julgue por ter feito! Só vc sabe as razões que teve para fazer isso, mesmo que eu seja a favor do aborto, não significa que vou sair por ai abortando ou fazendo propagando sobre isso. TODAS NÓS sabemos ou imaginamos o quanto tomar essa decisão deve ser DIFÍCIL! Ngm DESEJA abortar! A questão é que o aborto se tornou uma questão de saúde pública! Não vivemos mais nos tempos medievais pra usar religião, moral ou alienação como argumento. Cada um tem suas ideologias, ISSO É INDISCUTÍVEL. Se vc é contra o aborto, não aborte. Mas não jogue pedras em quem faz isso sem saber os reais motivos. Força Menina, vc não esta sozinha! Espero um dia viver em uma sociedade menos hipócrita! Com menos julgamentos e mais união! Com menos ódio e mais AMOR!

  34. #49
    Maisa
    12.03.2018 - 12:17

    Aracy, super te entendo e também não curto esse tipo de atitude, que ao meu ver o cara quer namorar, mas continuar a ter alguns hábitos da vida de solteiro. Uma vez ou outra é super normal querer sair com os amigos, mesmo porque tanto nós quanto eles temos de manter nossa individualidade, ter um tempo pra sair com os amigos e tal, mas TODO SANTO DIA, pra mim é demais.
    Falo isso porque meu marido era assim no começo do nosso namoro e custei a fazê-lo entender o meu ponto de vista. E olha que moramos na mesma cidade. hehe
    Mas como a Cony disse, ninguém muda o outro. A pessoa só muda por si mesmo. Então, no caso, você tem de avaliar se é algo que você vai aguentar. Imagina se vocês se casam e ele continua assim… Se você está achando ruim no namoro, imagina casada.
    Por isso acho que o melhor é expor sua opinião de forma clara e vocês conversarem e tentar chegar num meio termo que seja bom para os dois. E se nada mudar, quem tem de reconsiderar é você.
    Boa sorte!

  35. #50
    Olívia
    12.03.2018 - 13:26

    Tenho 30 anos e estou grávida pela primeira vez, afinal, eu planejei e foi com o homem que eu escolhi, que amo e admiro.

    Mas me peguei pensando, se eu tivesse tido uma gravidez indesejada com um dos inúmeros caras que já sai, que foi só uma saída, era só sexo, nada mais.
    Será que existiria essa felicidade? Bem provável que não! Sempre me cuidei, mas que poderia ter acontecido, há sim, poderia.

    Portanto acho que o tema aborto merece ainda muitos debates abertos, sem preconceitos e com mais empatia.

  36. #51
    Isabela
    12.03.2018 - 15:05

    Chora 1: Dercy, super te entendo. Não sou estressada, mas sou bem na minha, AMO MAIS QUE TUDO na vida ficar em casa, fazer minhas coisas sozinha e tal… Nunca tive muitos amigos na escola ou na faculdade, sempre foram colegas e quando eu saí perdi o contato com todo mundo. Também não sou baladeira, gosto mesmo é de ficar em casa lendo, cozinhando e vendo série. Acontece que o mundo meio que te força a ser “normal” (no sentido de ficarem falando pra vc sair e “se divertir”, pegar pessoas desconhecidas na night, etc – nunca entenderam que eu não me divirto com night e acho meio estranho beijar alguém que eu não conheço xD). MAS não tema, não é o fim do mundo ^^ Como a Cony disse, vc tem que achar o seu grupo (que não necessariamente estará na escola ou na faculdade). Eu achei o meu há alguns anos frequentando um grupo de fãs de Tolkien e Senhor dos Anéis…fazemos eventos mensais tipo grupo de leitura, discutimos a série, fazemos maratona, festas temáticas, picnics, enfim…E olha, é divertido A BEÇA, amo sair e frequentar esses eventos, fiz vários amigos, conheci meu namorado (estamos juntos há quase 3 anos), acabei até gostando de ir pra night (mas era uma night no pub irlandês com gente tocando violino, instrumentos medievais e tal ahhaha). E meio que esses eventos foram a porta de entrada para conhecer pessoas de outros grupos tb, que eu me identificava e podia realmente encontrá-los e me divertir.

    Enfim, acho que vale a pena procurar um grupo que te interesse e atualmente, com redes sociais, isso fica ainda mais acessível. Procurar um psicólogo pode ser uma boa também, só para compartilhar o que você sente, conversar,…isso é sempre bom. Bom, espero que tenha ajudado e fique bem!

  37. #52
    Fabi
    12.03.2018 - 16:28

    Chora 3- Sugiro que você leia o livro “É assim que acaba” da Colleen Hoover.
    Não só a ela, mas todas as leitoras, todas as mulheres deveriam ler esse livro… ele abre as nossas mentes!

  38. #53
    Mari
    12.03.2018 - 17:04

    Sobre o Chora 1:

    É clichê dizer isso, mas você não precisa mudar quem você é para agradar aos outros. Agora, se existem padrões de comportamento que você gostaria de mudar, então tente mudar! Tenho 26 e quando era mais jovem também me surpreendia o fato de eu ter vontade de fazer coisas que eu achava que não condiziam com a minha personalidade. A gente passa a adolescência tentando se entender e quando acha que consegue, aos 20 e poucos anos, nossa cabeça dá voltas, nosso entorno muda e nós mudamos junto, naturalmente. Se você não gostava de falar sobre sexo, talvez com amigas de confiança consiga. Ou apareça um boy maravilhoso que queira participar dessa descoberta com você. Se você não gosta das festas da faculdade, talvez precise encontrar outras festas, outra galera, outras músicas. Vi um pessoal nos comentários dizendo pra você fazer o que gosta e ficar em casa vendo séries mesmo, mas pelo seu texto, vi que você tem uma vontade de viver experiências que sua vida atual não está te proporcionando. Só digo isso, amiga: ninguém vai viver sua vida por você. Se você quer fazer novos amigos ou encontrar um parceiro, tem que dar a cara a tapa, ir atrás, frequentar novos lugares (também podem ser lugares virtuais) e falar com as pessoas. Você tem que se expor. Pra encontrar pessoas que vibram na mesma frequência que você, primeiro você tem que mostrar pro mundo que você existe! E também, você não precisa ter uma turma ou andar em bando. Se o nível de intimidade que você gosta é menor, tudo bem. Tudo bem ter só 2 ou 3 amigos próximos. Tudo bem não gostar de sair toda semana. Mas pensa bem se você não preferiria ter companhia pra ver suas séries?

    Outra coisa. Pelo seu texto, não consegui entender muito bem essa questão de brigar com as pessoas. Você não precisa estar na companhia de pessoas que você não gosta, mas é importante tratar os outros com respeito. Ainda mais seus colegas de faculdade, que serão seus colegas de profissão. Como li por aí, o mundo dá voltas e O BIFE VIRA. Se você pode ter uma relação amigável, mas distante, de coleguismo, pra que você vai querer fazer inimigos, fia? Tenta não ofender os outros. Se for muito difícil, terapia. Prejudica o bolso, mas melhora todo o resto.

  39. #54
    Margarida
    12.03.2018 - 17:13

    SOBRE O CHORA CENSURADO – Meninas, eu, como advogada, queria aproveitar a oportunidade para levantar uma reflexão. Uma questão é ser a favor ou contra o aborto do ponto de vista moral, religioso.
    Outro ponto é ser a favor ou contra criminalizar o aborto.
    São coisas bem diferentes. Antes de tomar partido em qualquer dos casos, sabemos dos FATOS: para a maioria das religiões é pecado. Milhares de mulheres fazem e morrem. Custa muito dinheiro ao SUS. Essas mulheres tem que passar por um júri? Essas mulheres devem ficar presas com assassinas e ladras, e ocupar ‘vagas’ na prisão?

  40. #55
    Marina
    12.03.2018 - 17:47

    Para o caso 1: sobre essa irritabilidade, eu acho que você deveria averiguar. Eu fui uma criança muito irritada e agressiva na infancia e isso me atrapalhou muito. Hoje faço tratamento psiquiátrico e psicológico e me ajuda demais.

  41. #56
    Izabela "Grambela" Ribeiro
    13.03.2018 - 11:36

    Dercy, acho que se vc realmente quer entender porque você se isola assim (mesmo estando aparentemente feliz) terapia pode te ajudar muito! E as vezes até a aceitar que você é assim mesmo e que não tem nada com isso!

    Aracy, concordo com a Cony, você está querendo que o cara siga o que VOCÊ acha certo. Se você gosta dele deve aceita-lo como ele é ou então, se o conflito de valores for muito diferente, partir pra outra. Pra mim, só sair ou não sair não chega a ser conflito de valor, mas ai cada um sabe os seus. O que não dá é ficar nesse “joguinho” de inventar coisas só pra fazer ciuminho. Não sei quantos anos vocês tem, mas achei imaturo.

    Elke, veja o que a Cony falou, isso é relacionamento abusivo d+. Basta você ler seu relato. As vezes criar um filho sem pai por perto é melhor do que criar um filho com a influencia errada todo dia por perto! Força amiga, e sai dessa!

    Para o chora da Cony, vi seus stories e mandei até umas coisas lá. Sei que é foda e imagino o quanto é dificil não poder falar de um assunto que várias mulheres sofrem por aí,
    Pra quem for de BH, há um grupo de apoio a mulheres, que, com uma psicologa, trata vários assuntos, pode ser uma saída pra ter com quem compartilhar de maneira segura. Chama GAMAS, é toda segunda no Centro Cultural SESIMINAS as 20h e cobra apenas uma taxa simbolica para participar, só procurar #gamasbh no Instagram

  42. #57
    Juliana
    16.03.2018 - 06:28

    Sobre o caso 3. Nossa, quando li a parte dos pais meus olhos encheram d´agua. É realmente de partir o coracao ver ou ate mesmo pensar em alguem humilhando ou destratando nossos pais. Quando estamos com alguem que nao compartilha os mesmos valores, a mesma base eh realmente impossivel a convivencia, ainda mais criar um filho junto. Sem duvida, é a hora de tomar coragem e larger esse cara porque obviamente ele nao vai mudar e esse tipo de tratamento com os pais eh realmente alg inaceitavel..como conviver com alguém assim? Sai for a gata, nunca é tarde para comecar uma nova vida, conhecer um novo amor ou simplesmente ter a paz de espírito que voce merece, seja sozinha ou com um novo alguem. O que nao dá eh viver assim!!! Beijos e Boa sorte!!

  43. #58
    kamila
    17.03.2018 - 20:19

    infelizmente Julia #23 falou tdo sobre o caso da Elke…queria muito pagar língua e ver um chora da volta por cima dela esse ano ainda… Elke, se não for por vc, que seja por seu filho, ele não precisava estar passando por isso a a tanto tempo, mas daqui a pouco pode ser tarde. Nos surpeenda!!! Força!

  44. #59
    Heloísa
    18.03.2018 - 23:08

    Essa resposta é pra Elke, menina a minha mãe foi mãe solteira, eu fui criada por ela e pelos meus avós maternos, nunca me faltou nada, principalmente amor, o meu pai nunca fez questão de ser pai, tinha uma vida financeira muito melhor que a minha mãe, mas ela nunca pediu dinheiro ou pensão pra ele, pois desde o início ele sinalizou que não queria ser pai, ela decidiu seguir com a gravidez. Eu só fui questionar essa falta do meu pai quando fiquei adolescente, e fiquei curiosa pra conhecê-lo melhor e conviver com ele, então minha mãe entrou em contato então passamos a nos aproximar, mas já percebi o quanto nós éramos diferentes, os seus valores me pareceram muito superficiais, minha família é humilde, muito correta, não se importa com status, e exibição. Já ele era totalmente o oposto, o melhor da aproximação com o meu pai, foi conviver mais com os meus tios e tias e meu avô. Mas o que quero dizer é que hoje tenho mais de 30 anos, me considero bem resolvida emocionante e financeiramente, sigo a vida sem grandes traumas e agradeço a minha mãe por ter decidido me criar sozinha, pois eu tenho certeza absoluta que eu sou uma pessoa melhor por não ter convivido com meu pai, talvez isso possa parecer triste, mas não é, pelo menos não pra mim.
    Já para ela foi muito difícil não ter ajuda de alguém pra me educar, pois eu era muito rebelde, kkk. E justamente por isso a ADMIRO tanto, ela nunca se deixou ser mal tratada por nenhum homem, nem por ninguém. O pai é muuuito importante, mas (falando como filha que cresceu longe do pai) é mais importante para um filho é ter uma família com relacionamentos saudáveis e com respeito. Pensa no que você está apresentando pro seu filho, acho que ele é nenhuma criança merece viver com alguém assim. Seja forte e siga em frente, pois você merece ser feliz.

Comente