20
Dec 2017
Chora Que Eu Te Escuto de Natal!
Chora Que Eu Te Escuto

Direeeeeeeto do Chile! Sim, cá estou eu para mais um Natal com papi, mami e Nero! Muito amor né?? Natal pra mim é com a família, não tem jeito! No Reveillon a gente pira, mas no Natal viro moça de família rsrsrs.

Vamos chorar??? O penúltimo do ano hein!

Chora 01 – Melchiora

“Olá Constanza!! tubo bem? Meu chora é um desabafo, uma necessidade de partilhar o que estou passando para me sentir aliviada. Tenho 30 anos, meu namorado (ex agora né) tem 28 e terminou um namoro de quase dois anos, nós namorávamos à distancia, ele em Brasilia e eu no interior paulista, nos víamos um fim de semana por mês. Apesar da distância era tudo lindo, já fazíamos planos de viver juntos, ele vivia dizendo que não via a hora de morarmos sob o mesmo teto. Só que em junho fui pra lá passar férias, e passeando em um shopping com ele esqueci meu celular no banheiro (acho que foi intervenção divina isso ter acontecido, não sou louca kkkk). Ai fomos embora já que não encontramos, na casa dele ele deixou o celular dele comigo pra ligar no meu e o notebook pra eu rastreá-lo. Só que entrei no whatsapp (nunca tinha sequer olhado nada no celular dele, nem pegava) e vi uma conversa iniciada em abril com uma garota que ele ficou há uns anos atras, conversa de safadeza, ela dizendo que viu ele primeiro que sonhou com ele, e ele entrou na onda deu corda e ela falando pra ele ir la na casa dela e ele respondeu que só não iria porque alguém poderia ver e contar pra mim. Fiquei arrasada, maaaaaas com o notebook ali entrei no face, e tcharam mais mensagens, ele enviou um “bom dia princesa <3” só que essa ignorou, uma outra que ele estava conversando e ele deu o whatsapp dele porque era melhor pra conversar. Confrontei ele sobre as mensagens ele olhou na minha cara não falou nada, fui pro quarto chorar. Depois de um tempão ele foi lá, mas não pediu desculpa nem nada, falei um monte surtei. Ele disse que o “bom dia princesa” era costume que ele tinha e que parou, parou ate de me chamar assim, mas me chamava assim todo dia. Resumindo ele despertou a fera da insegurança dentro de mim, o ciumes a desconfiança fizeram presentes. Mas eu perdoei sem ele se quiser pedir perdão, e ainda tive que ir atras pra conversar, porque ele disse que só iria conversar se fosse pra voltar. Voltamos empurrei cinco meses com a barriga o namoro, mesmo amando muito ele, desconfiava de tudo, de saída com amigos e etc. Vivíamos tento atritos, ele falava que eu não confiava nele que achava que ele me traia. Aí mês passado, entrei no instagram de uma ex dele, e vi que ele curtia todas as fotos dela, menos as que ela estava com homem, daí surtei de novo, falei um monte que era pra ele pegar as curtidas dele e ir atras dela. Daí foi o estopim pra ele terminar, porque não queria ficar com uma pessoa que não confiava nele, que achava que ele traia. Fiquei mal, ele diz que ficou também, só que ficou tão mal que fez dois dias de festa na piscina com amigos do antigo trabalho pra se despedir. Resumindo não importa o que ele fizesse eu sempre seria errada, e ainda por cima me humilhei pra voltar ele não quis, ai foi que acordei e desencanei, fiquei mal, emagreci, mas estou me reerguendo. Pode parecer bobo, mas quando se faz planos com alguém e esse alguém também quer os mesmo planos e isso acaba assim é horrível. P.S. ele me bloqueou no whatsapp, face e instagram, porque eu disse que não queria saber de ex nas redes sociais dele porque ele não sabe usar com respeito. E foi pra mais longe ainda, foi trabalhar em Rondônia.”

Homens, ah homens… Maldita testosterona! Bem vinda a vida real miga. Foi fuçar, achou né? E ó, não se sinta a mulher mais desafortunada da face da terra não, te garanto que uns 90% das mulheres que forem bisbilhotar a vida do parceiro, vão achar alguma coisa. Pode ser uma grande bobagem essa troca de mensagens, pode ser que não. Só acho que não vale um mega drama se não tiver nada confirmando uma traição. Porém a atitude dele de te bloquear em tudo é o que mais me deixa desconfortável. Totalmente desnecessário isso né? Aí já achei ele bem imaturo e talvez realmente não valha esse sofrimento todo. Dá um tempo, vai respirar, vai se curtir, tira essa angústia do teu peito e tente ficar em paz com você mesma. Saiba que você fez o possível para essa relação dar certo, e se ele não deu o valor necessário, que fique em Rondônia pra sempre, bem longe de você.

Chora 02 – Baltazara

“Bem, tenho 35 anos, um bom emprego, moro sozinha há bastante tempo e longe da minha família. Aliás, sempre fui bem desprendida da família, falo com minha mãe todos os dias mas a gente se vê a cada dois meses mais ou menos. Além disso, sou uma pessoa bem fechada e tenho poucos amigos, não sei muito bem como cultivar relações duradouras, exceto namoros… Porém sou farreira e nada caseira nos meus períodos de solteirice.

Namoro há 10 meses e ele é o oposto de mim. Pra começar, ele mora com os pais e ainda depende financeiramente deles (menos do que ele imagina), ele tem um negócio próprio mas o pai dele é superprotetor e colocou na cabeça do menino que o “mundo lá fora” é um bicho de sete cabeças e ele fracassará assim que sair de casa, e o mantém assim, dando literalmente tudo, casa, estudo, carros bons, viagens… Enfim, faz o possível para mostrar o quanto pode ser cara a independencia. Só isso é mais do que suficiente para ter muitas divergências com este senhor… O boy é muito esforçado apesar dessa criação esquisita, trabalha, estuda e tem muita vontade de casar e sair de casa, não o fez ainda por medo do mundo aqui fora. E o pai acabou criando esse cenário e envolvendo a familia toda, mãe e irmãos, sendo assim todo mundo tem essa mentalidade de um ovo. Pra completar a dependencia (que pra mim chega ser um abuso psicologico) ele e extremamente apegado aos pais e a gente acaba tendo um monte de compromissos familiares com os pais dele e eu odeio isso. Saí da balada pra casa da sogra literalmente. E rola uma chantagem emocional forte quando declinamos algum convite ou passamos o fds todo na minha casa, por exemplo (o almoço de domingo TEM QUE SER com os sogros). Não sei como abordar isso sem parecer uma bruxa mas me incomoda ficar mais com a familia dele do que com a minha e me incomoda ainda mais participar desse cenário abusivo por parte do pai dele. Os papos de domingo à mesa são um terror, eles são extremamente conservadores e preconceituosos.  O boy é diferente, pelo menos por enquanto, e ele admira muito a minha independencia e se espelha em mim em mutas decisões que toma. Consegue enxergar nos irmãos as atitudes que eu reprovo mas isso não se aplica ao pai, ele endeusa o pai. Não sei como lidar com isso. Apesar de toda essa confusão com a familia dele, nos damos bem em tudo e somos muito apaixonados.  Alguém passa por isso? Alguém já mudou uma situação assim?

Pai é pai, do mesmo jeito que mãe é mãe e isso é sagrado. Não adianta gastar energia com os sogros. Se for pra gastar com alguém que seja com seu bofe, é ele que tem que mudar esse jeito dele. Eu não aguentaria isso não, ainda mais sendo toda independetezona. Você quer um companheiro ou um filho? EU daria um susto e terminaria o namoro, pra ele tomar uma decisão. Aliás, qual a idade desse moço? Porque o maior defeito aí não é a educação que ele recebe dos pais e sim a forma que ele acata isso! Me parece um meninão, sem atitude, sem coragem, covardão e fraco. É esse tipo de homem que você quer? E já que você se incomoda de ficar mais com a família dele do que com a sua, se incomoda com o cenário abusivo do pai dele (como você mesma diz), porque permite isso? Tá todo mundo aí abaixando a cabeça pro pai do cara e reclamando nas costas. Ai gente, assumam uma postura! Quero ver se esse namorado te ama mesmo esse tanto e tem esses planos todos com você. Eu me posicionaria e daria um ultimato. 

Chora 03 – Gaspara

“Oi, Cony! Sou sua fã! Vou tentar resumir o meu choro… rs! Tenho 35 anos, sou casada há quase 9 anos, depois de 7 de namoro, reconheço que na época que casamos eu queria muito mais do que ele, meio que forcei uma barra mesmo, pois já era independente, concursada, formada, sentia que queria ter o meu espaço, sair da casa dos meus pais e tal e ele já estava me enrolando há muito tempo… na época ele tinha acabado a primeira faculdade mas continuava no mesmo emprego de antes, enfim… sempre fui o homem da relação, digamos assim, ganho mais do que ele e tenho mais pulso para decidir as coisas também, isso gera um monte de problemas, inclusive com relação a família dele (ele deixa a mãe e irmã dele interferirem muito, conta tudo sobre a nossa vida pra elas, isso atrapalha muito!), apesar de todos os pesares, fomos tocando a relação, meu sonho sempre foi ser mãe, mas até pra isso ele deixava a decisão na minha mão (sei que no fim a decisão é nossa mesmo, mas ele nunca deixava claro que esse também era um sonho dele, não pedia, quando conversávamos a respeito a resposta era você que sabe…), fui adiando pensando que ele pudesse se empolgar mais com a ideia até que eu determinei que seria a hora e foi, minha filha tem 1 ano e 5 meses, é a luz da minha vida, pode parecer clichê, mas é sério, nunca imaginei amar tanto alguém assim um dia… estou muito feliz e ela preenche o meu coração… tanto que eu não sei se o nosso relacionamento tem mais sentido… ele se tornou um ótimo pai, participa em partes (acho que poderia participar mais, mas é muito machista para reconhecer isso), porém desde a minha gravidez a gente foi se distanciando com relação ao sexo… primeiro porque ele ficou com aquelas impressões que o bebê poderia sentir alguma coisa, bem machista mesmo, apesar dele ter ido na maioria das minhas consultas de pré-natal e o meu obstetra ter conversado claramente a respeito disso, inclusive ele respondeu no consultório quando o médico perguntou como estava o sexo “está tudo bem”, depois que a minha filha nasceu veio a correria com um recém-nascido em casa e nada… e até agora NADA! É sério, quase 2 anos sem sexo, a gente até tentou logo depois que ela nasceu, mas ele foi muito bruto, eu não estava lubrificada o suficiente e foi um fiasco… eu não sei até que ponto eu tenho que me preocupar porque para ele está tudo normal, sinceramente eu não sinto falta, ainda estou amamentando, não sei se são os hormônios ainda… conversei com meu ginecologista e ele disse que a gente tem que entender que a vida depois que tem filho muda mesmo, que às vezes tem que relaxar pra relação acontecer, tomar uma bebidinha, mas eu acho que ele não entendeu que é zero sexo mesmo. Claro que tem outras coisas que vão nos afastando também, o fato dele não ajudar com as coisas em casa, ele está terminando a segunda faculdade, estava com problemas no emprego (o mesmo lá do início) e agora está desempregado, enfim… nossa relação não é a mesma há muitos anos, meio que se tornou amigos dividindo o mesmo teto, sempre que conversamos, nunca chegamos a conclusão nenhuma, só gera troca de acusações e mais sofrimento, mas é estranho, não consigo conviver com isso, com a correria do dia-a-dia a gente vai deixando pra lá, não tenho com quem conversar direito, minha mãe que era a minha melhor amiga já cumpriu sua missão nessa vida e não posso mais contar com ela pra isso, morro de vergonha das minhas amigas pra conversar sobre esse assunto, conto com ajuda das suas leitoras, o que eu devo fazer? Fico com muito medo de uma separação agora por causa da minha filha e a influência negativa que ela poderia ter tendo contato mais frequente com a minha sogra e minha cunhada, elas são do tipo que querem tudo do jeito delas, querem controlar tudo e criticam todos, não quero minha filha nesse meio, até porque sei que elas vão querer tomar a frente dos cuidados quando a menina estiver com ele… enfim, me ajude, Cony!!”

Gzuis, dois anos sem fuck fuck???? Que mundo é este gente, cada vez mais vejo reclamações nesse sentido! Olha, acho que o que falta no seu casamento é um ajuste, uma conversa de verdade, vocês estão deixando o tempo passar e os problemas se acumularem. Já tentou terapia de casal? Pelo que você relatou, não vejo sentido numa separação, ainda não. Vocês agora são uma família, problemas surgem, filhos com certeza mudam a relação (não posso me aprofundar nesse assunto pois não sou casada e nem mãe), mas casamento é feito para durar, é um laço formado para não se desfazer. O que vejo hoje em dia é que ao sinal de um problema, muitos casais desistem e nem tentam remediar isso, vivemos numa era do descarte, onde as pessoas preferem tentar o novo, ter emoção novamente, até que apareçam novos problemas e daí começar tuuuuudo de novo. Obvio que existem casos e casos, mas no seu, acho que é questão de ajuste mesmo. Tenta uma terapia de casal, alguém que intermedie essa conversa de vocês para que não seja em vão e sem sentido. Boa sorte!

  • Continuo recebendo Choras hein! Mande o seu logo porque a caixa já está enchendo e logo fecho novamente. Envie sua angústia, problema, desabafo para constanza@futilish.com, no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO, e seja resumida porém informativa rs. Estamos aqui para palpitar e conversar sobre tudo!
39 Comentários
  1. #1
    Iraci
    20.12.2017 - 14:29

    Caso 2: quantos anos esse cara tem mesmo? Uns 20? Pq se ele tem a mesma idade que você e ainda vive essa vida, o menor problema é o sogro, né? Acho que o sogro pode ser ruim como for, mas tá pegando a culpa que não tem pelo filho ser um folgado que ama depender dos pais e não gastar o proprio dinheiro. Cai fora, fia.

    Caso 3: Cony, amei seu posicionamento?
    So fico com medo do marido ser tao machista a ponto de não topar a terapia, mas esa com certeza é e melhor solução.

    • #2
      Gaspara
      26.12.2017 - 15:37

      Juro que vou tentar, já tentei uma vez no passado, mas ele é bem preconceituoso, acha que só faz terapia quem é maluco…

  2. #3
    manu
    20.12.2017 - 15:06

    pra última:

    essa parte aqui realmente tá bem frequente: “meio que se tornou amigos dividindo o mesmo teto”. eu mesma já passei por isso no meu casamento mas conversei, nos esforçamos e hoje está tudo bem. nunca fiquei 2 anos sem sexo mas fiquei alguns meses. foi péssimo, sempre digo nos conselhos que dou que PRA MIM casamento envolve obrigatoriamente sexo.

    acho que vale a pena conversar e os dois se esforçarem pra manter o relacionamento (físico e afetivo), com no mínimo um dia (ou parte dele) dedicado a vocês, nem que seja pra ficar jogando conversa fora deitados na cama. pra isso tem que deixar a filha com a sogra, abra a mente.

  3. #4
    Flavia Cardoso
    20.12.2017 - 15:48

    Caso 3 – Amiiiiga, tanto homem que abandona a família quando os filhos nascem, e o seu tá aí, contigo. Já tentou se colocar no lugar dele? Imagina se fosse você que estivesse desempregada e o seu marido ganhasse bem, como seria? Talvez vc esteja precisando ver ele com outros olhos. E pelo que entendi, a decisâo de não rolar sexo também é sua. Acho que você deveria analisar com carinho sua relação. 50% é responsabilidade sua também! Bjo

  4. #5
    sah
    20.12.2017 - 15:56

    caso 3: Concordo com a Cony. Se você ama o seu marido, tente reavivar seu casamento! Uma terapia ou conversa bem séria, em que ambos estejam dispostos a rever suas atitudes e fazer valer a união. Também sou casada, tenho um bebê de poucos meses e, desde que engravidei, também tive problemas no casamento com relação a interferências de sogra. Aquela coisa de primeiro neto e ela querer dominar tudo. Volta e meia eu brigo com meu esposo porque eu me posiciono. Quando não surte efeito, eu falo diretamente com ela. Poxa vida. Engolir sapo não dá. E quanto à relação de vocês, no pós parto realmente diminui a lubrificação e as primeiras vezes doem, mas se você já voltou a menstruar, o corpo começa a melhorar nesse quesito, os hormônios voltam a se regular, sua libido devia ter voltado, assim como a do seu esposo (que deve estar pensando no desemprego e se sentindo mal por isso). Por isso, conversem! Muitas DRs pra alinhar a vida de vocês como casal e como pais da sua gatinha! Espero que consigam com muito amor e respeito sempre! <3

  5. #6
    Ananda
    20.12.2017 - 16:03

    Chora 1: Acho que verdade que há males que vem para o bem, pareceu que o cara na verdde é um safado, se jogando pra todas as mulheres das redes sociais, e outra, sempre achei que namoro a distancia nunca dão certo, se de perto muitos já não estão dando imagino a distancia rsrs, confiança, conversa, é olho no olho, é no dia a dia. Se cuida, vai se distrair, uma hora dessas esquece o que aconteceu e encontra um cara bacana, perto de ti.

    Chora 2: Esse rapaz tem que idade? que coisa hein!?, me pareceu muito imaturo, não tem voz na familia, não tem vontade própria? você toda independente, decidida, acho que falta uma conversa decisiva também.

    Chora 3: Tenho ficado chocada tambem com os choras sobre sexo, quase 2 anos sem nada? falta muuuita conversa aí. Nunca vai ter vontade, se não tem um estimulo, se não tem criatividade, coloca a nenem pra dormir, e faz um jantarzinho, conversa sobre isso, abre um vinho, com uma roupa gostosinha, cheirosinha como a Cony diz, começa a fazer de costume, numa sexta, num sábado a noite, pra ir voltando a normalizar a vida do casal. Fala que voce quer melhor isso de vocês. Casamento é isso, esfria, esquenta, mas a verdade é que se vale a pena, se tem amor, respeito, cumplicidade, tem que tentar!
    Boa sorte p mulherada!! Coragem e força!!!
    Feliz Natal que tem que ser em familia mesmo e quem não tem familia perto p passar, vai pra casa da melhor amiga, ou chama amigos que não tenham com quem passar o Natal, Reveillon também né!! é isso pessoal. Coooony felicidades, boas festas, curta, descansa e volta pro novo ano ainda mais revigorada!! casa de mãe que é uma delicia, sempre bom pra isso ne?

    • #7
      Constanza
      20.12.2017 - 16:16

      Obrigada Ananda! Um ótimo natal pra vc tb!

  6. #8
    Regiane Henriques
    20.12.2017 - 16:17

    Para a amiga do caso 3: eu também passei por esse desajuste sexual quando engravidei (no meu caso era recomendação médica) e depois que o meu filho nasceu, as coisas não voltaram ao normal logo de cara. Eu tomava anticoncepcional sem interrupção enquanto amamentei, então a vontade era quase zero. Troquei de pílula quando parei de amamentar e a situação não melhorou muito. Não fiquei anos sem sexo pq me esforçava pra fazer mesmo sem vontade. Mas quando resolvi parar com a pílula, vi uma luz no fim do túnel. A situação não ficou 100% mas pelo menos melhorou muitíssimo em relação ao que estava. A frequência diminuiu, é verdade, mas a qualidade compensa. Acho que vale a pena conversar com seu médico, caso vc esteja usando pílulas e tentar uma solução alternativa. Acho valido também a terapia de casal, como a Cony sugeriu. Não desista do seu casamento, invista pra tentar melhorar. Boa sorte!

  7. #9
    Bruna Gabrielle
    20.12.2017 - 17:01

    Chora 2 – Eu vivi exatamente a mesma situação, mas exatamente mesmo! lia e consigo ver meu ex, e eu não aguentei conviver com esse abuso psicológico que de fato é e muito. Apesar de concordar com a Cony sobre “pai é pai, como mãe e mãe”, mãe e pai tambem erram e eu não sou do tipo que engole só porque são pais. Enquanto ele ver o pai dessa forma, ele poderá ser assim com voce o dia que estiver só vocês dois. E aí o ciclo não acaba. Ou ele desvencilha dessa imagem do pai ou eu duvido que voce aguente muito tempo e tambem não acho que vale a pena aguentar. Entre voce chorar ou ele, melhor ele. Se queira bem, voce ja tem seus problemas familiares etc, não abrace uma carga que não é sua.
    Beijo.

  8. #10
    Nana
    20.12.2017 - 17:40

    Para o caso 3: As meninas aí já falaram bastante coisa, vou tentar ajudar com coisas não citadas que fiz.
    Vocês conseguem deixar a bebê com alguém e dar uma saidinha? Ajuda bastante.
    Qdo amamentava tb senti a lubrificação prejudicada… usei KY.
    Tentar apimentar um pouco, mandar mensaginha provocante, umas pornografias se curtirem pra sair do limbo.

  9. #11
    Mari
    20.12.2017 - 18:42

    Meodeos, finalmente mais alguém que também fala “fuck fuck”!!! I love you, Cony!!!! Boas festas, e um ano excelente pra todos nós!!!

  10. #12
    Grazi
    20.12.2017 - 21:28

    Caso 2 – Voce disse que não é apegada com família, mas ele é, e não existe nada de errado nisso. Você não vê problemas em passar dois meses longe da sua família, e pra ele é necessário passar o domingo com os pais. Voce ja parou pra pensar que talvez ele goste dos pais, da compania deles, do ambiente familiar dele? Desculpa mas te achei bem errada nesse ponto. Não vejo mal nenhum em querer passar o almoço de domingo com os pais dele. Talvez por voce nao ser proxima dos seus pais, soe estranho alguem que goste da presença destes, mas não acho legal querer afastar ele da família…
    Quanto a morar sozinho, sera que talvez ele simplesmente não queira sair da casa dos pais e da vida boa, e usa essa superproteção como desculpa para não ter que andar com os próprios pés?
    Agora sinceramente, se o caso for outro, e ele tem ”medo” de sair debaixo das asas dos pais… Sera que vale a pena insistir em alguem tão diferente que voce? Pra mim se equipara à um chora de algumas semanas atras, de uma moça questionando sobre diferenças sociais e economicas… Se voces tem criaçoes e modos de vida tão diferentes, uma hora isso vai se intensificar né?

    • #13
      Ju
      27.12.2017 - 13:20

      Concordo totaaaaal

    • #14
      Luiza
      12.01.2018 - 19:36

      Não acho errado o pensamento dela não. Também não tenho saco para esse tipo de “evento”. Só não entendo porque ela fica omissa e VAI. Não acho que o boy ficaria chateado se você fosse com uma frequência menor, explica pra ele que esse tipo de almoço não é muito a sua praia e marca algo SÓ pros dois todo domingo após o almoço. Bem melhor.

  11. #15
    Taiza
    20.12.2017 - 22:34

    Melchiora, só te digo uma coisa: relacionamento os dois tem de querer, tem de haver confiança e ele quebrou essa regra. Agradeça por ele ter saído da sua vida, você vai se reerguer e encontrar alguém com os mesmos objetivos que você. Esse cara não estava na sua vibe, pode ter certeza. Melhor ter achado hoje pelas redes sociais do que no futuro, ou daqui a dez anos depois que tivesse perdido tempo precioso da sua vida. Não vai atrás desse cafa não, sua vida é muito preciosa pra desperdiças atrás de quem não merece.

    Baltazara: tudo tem o lado bom, o lado bom no caso dele que eu imaginei por aquilo que vc descreveu é que eles cultivam uma família unida. Algumas famílias são assim, mais do que outras. Não é errado, mas você tem que ver se você vai aguentar isso por muito tempo, eu não gostaria de ter essa rotina tão presente na casa dos sogros, mas pelo menos ele está mostrando isso desde já. Você não poderá alegar que não foi informada, né? Por você ser independente, acho que pode não dar certo ou pelo menos te fazer estressar um tanto que eu não sei se vai valer a pena. Por outro lado pode dar certo, mas você é que vai ser sempre a ponta firme da casa, ele provavlemente não terá muita voz.

    Chora 03: “ele deixa a mãe e irmã dele interferirem muito, conta tudo sobre a nossa vida pra elas, isso atrapalha muito” e assim descobrimos porque é que vc perdeu o tesão por ele. Desculpa mas sogra e cunhada interferindo não tem como dar certo mesmo. Cada um no seu quadrado, por favor! Analisando assim eu diria que está com um problema sério nesse casamento, tanto você sabe que não é normal que se sente envergonhada de falar com suas amigas sobre isso. A rotina de vocês parece bem puxada, acho que seria bom dar um break e tentar reaviver o casamento, ou então vejam o melhor rumo pra cada um…

  12. #16
    Taiza
    20.12.2017 - 22:36

    Ainda para o chora 03… não vi admiração por ele no seu relato, vi a família dele interferindo nas coisas, o cara não ajuda em casa e nem contribui, vocês não transam há dois anos. Faça as contas, não sei o que ele está fazendo aí…

  13. #17
    Priscila
    20.12.2017 - 22:48

    Caso 1: seu ex usou a estratégia de pegar as suas palavras e reverte-la a favor dele e fazer com que você tenha sentimento de culpa. E ele quem deu mancada e te bloqueou nas redes sociais para que você não tenha acesso (sendo que pelas m#$&s feitas, você que deveria ter bloqueado-o). Amiga, segue seu jogo, você é maior que isso.

    Caso 2: Pai e mãe são sagrados e isso deveria valer para sogros, afinal eles são as pessoas sagradas do amor de nossa vida. Dito isso, concordo com tudo que a Cony disse.

    Caso 3: lendo o que você escreveu, parece que não ter sexo não está incomodando, não vi em nenhum momento quais foram os esforços de sua parte. Seu marido pode estar se sentindo diminuído por todo o histórico.

  14. #18
    Melchiora
    21.12.2017 - 08:46

    Obrigado pelos comentários! Hoje já estou bem melhor 🙂 apesar de ter feito a burrada de ter pedido para conversarmos pessoalmente, ate porque ele tinha terminado por whatsapp. Iriamos ate voltar, mas no dia seguinte a conversa começou a me tratar igual um zero a esquerda, me desprezando, dizendo que a prioridade são familia e amigos, que namoro acaba. Me esnobou geral, mudou totalmente virou outra pessoa. E eu ainda perdi tempo conversando com um babaca desse. Até bloqueei para nao conversar com ele mais e deu super certo, não sinto um pingo de vontade. Depois que o relacionamento termina surgem pessoas pra dizer as coisas né, me disseram que ele já fez isso em outros relacionamentos de jogar a culpa de não dar certo no outro e que só pensa nele. Tô fora de gente assim!!

  15. #19
    Juliana Rocha
    21.12.2017 - 09:47

    Sobre o caso 3:

    Amiga estamos no mesmo barco!

    Meu filho tem 1 ano e 8 meses, na gravidez foi 0 sexo, as coisas só foram melhorar por agora, desmamei meu filho, comecei a tomar umas bebidinhas, sair para dançar coisa que AMO fazer.
    Mas até isso tudo acontecer imaginava que a unica solução era a separação, e eu tinha muito medo de como isso iria interferir na vida do meu filho.

    Mas amiga, tenta se curtir um pouco, mude o visual, reserve um tempo para você porque isso é sagrado, você vai ver como as coisas vão melhorar;

  16. #20
    Ale
    21.12.2017 - 11:20

    Sobre o caso dois eu vivo algo parecido. Tenho 41 anos, solteira. Meu pai sempre me fez sentir culpa: se trabalhava até mais tarde ele ligava mandando eu pra casa. Se saio tem que ser de dia e ainda assim ele fala, fala, fala que parece que estou indo me rodar bolsinha ou para o meio da guerra. Comprei um apartamento e durante a reforma fiquei desempregada, isso tem 7 meses, ele me trata de tal forma que me sinto incapaz. Morro de medo de me mudar! Detalhe pago minhas contas e todo meu consumo sozinha mesmo desempregada. Então mudar não me faria gastar mais! Faco terapia e ainda assim não consigo me desvencilhar da culpa é viver minha vida!

    Estou uma bomba relógio por viver essa relação abusiva. E tenho consciência que não eh apenas preocupação é posse, desejo de manter o outro no controle. Mesmo ele sabendo o quanto sou infeliz na casa dele.

    • #21
      Baltazara
      21.12.2017 - 16:47

      Poxa, parece que ouvi meu namorado falando 🙁
      Esse abuso psicologico é muito triste e eu me solidarizo a vc, amiga… Meu namorado também faz terapia e ajuda muito. Força e que vc possa se sentir feliz e segura muito em breve.
      Beijos.

    • #22
      Dayenne
      27.12.2017 - 12:37

      Já vivi isso, mas sou mais nova, estou em análise faz 3 anos e superei praticamente 100%. Estou morando sozinha aos 27 anos. De longe ele ainda tenta controlar, e descobri que o nome disso é Complexo de Édipo. Essa relacionamento é extremamente doentio. Se cuida menina, arruma forças e saia do ninho pra sua vida andar!
      Conheço um homem que passa por isso e agora ele está com 40, não consegue ter um relacionamento, a vida dele não anda.

  17. #23
    Lívia Santiago
    21.12.2017 - 12:04

    Sobre a Melchiora: eu não acho que a gente tem que ficar fuçando, acho isso uó. Mas uma conversa dessa, que o homem tá dando corda, pra mim é traição sim. A traição pra mim começa na atitude, porque ninguem fica com outra pessoa porque tropeçou e caiu em cima. Eu não faria isso, ficar dando corda pra ex peguete, e tenho certeza que qualquer homem surtaria se visse a parceira fazendo isso, e essa conversa de que era só conversa e que não partiria pra ação não iria colar. Então amiga, tudo bem que você acabou se sujeitando pra correr atrás dele, mas até pela atitude dele de não pedir desculpas isso foi livramento. Coisas melhores virão, aproveita a fase solteira pra se conhecer melhor, pra ver o quanto é bom ser feliz solteira também. Tenho certeza que a sua plenitude sozinha vai atrair pessoas maravilhosas pra sua vida!

  18. #24
    Lívia Santiago
    21.12.2017 - 12:22

    Baltazara, eu já namorei um cara assim, que tinha essa família que queria ocupar todo nosso tempo livre, e pra eles eu tinha que ir em TUDO, simplesmente desconsideravam que eu tinha vida e família próprias. Eu simplesmente parei de ir sempre, ia só se eu não tivesse outra coisa pra fazer (descansar entrava nessa lista de afazeres). Ele reclamou AND repassou a reclamação doa familiares de que eu estava faltando em alguns eventos. Aí explodi, sabe? Falei que eu não era um anexo dele, que eu tinha minha família pra visitar também, e que não sabia que tinha lista de presença com frequência mínima nos eventos. Ali ele entendeu meu lado, e como ele se resolveu com a família pra “explicar” foi problema dele.

    Eu nunca tive experiência com homem dependente assim da família, mas sinceramente eu tenho a sua idade e não teria paciência pra isso. Pode ser a diferença de idade entre vocês pesando nesse sentido também. Eu tenho que admirar o homem que está comigo, e mão tem como eu admirar um cara que nem é capaz de questionar a própria condição de vida (nem faz contas pra saber se sua independência é viável ou não). Tem sentimento envolvido, então pesa bem o que vale pra você.

  19. #25
    Danielle
    21.12.2017 - 13:14

    “mas casamento é feito para durar, é um laço formado para não se desfazer. O que vejo hoje em dia é que ao sinal de um problema, muitos casais desistem e nem tentam remediar isso, vivemos numa era do descarte, onde as pessoas preferem tentar o novo, ter emoção novamente, até que apareçam novos problemas e daí começar tuuuuudo de novo”

    Achei lindo Cony!!! Eu sempre digo isso, hoje na hora da luta, da dificuldade se pula fora..
    Amei suas palavras!
    Feliz Natal, curta seus paizinhos e um ótimo 2018,cheio de sucessos!!
    Beijos =**

  20. #26
    Olivia
    21.12.2017 - 14:36

    Caso 2: Tive um namorado assim, noivei e tudo mais e via que ele não saia da cola dos pais. Resultado= TERMINEI GOSTOSO! Digo gostoso, pq foi uma delícia terminar com ele, a melhor escolha da minha vida! Uma liberdade! Ele era muito molão, dependência total dos pais.

    Caso 3: Minha cunhada tem queixas muito parecidas com a sua, acho que falta de sexo depois do baby é até normal. Acho que as palavras da Cony foram perfeitas, tb ñ vejo motivos para separação, faltam apenas se acertarem.

  21. #27
    Melissa
    21.12.2017 - 14:51

    Nem terminei de ler os comentários, mas preciso falar pro chora 2. Vivi uma situação bem parecida com a sua e te falo que vc pode estar vendo as coisas pelo lado “errado”, pelo menos foi o que eu vivi.

    Quando a gente gosta muito de alguém, acaba atribuindo as falhas da pessoa para outros. “Ele tá esquisito porque o trabalho tá ruim”. “Ele não cresce na empresa porque o chefe é difícil”, “Ele não é independente porque o pai é controlador”, “Ele não se impõe porque a mãe não deixa”. E assim, acabamos tirando a responsabilidade da pessoa que amamos. Claro que essas coisas influenciam, mas é só isso. Somos todos adultos, agentes da nossa própria vida, responsáveis pelos nossos atos! Acho que cabe você refletir até que ponto essa “falta de postura” dele é mesmo culpa do pai, da família, da casa ou é o jeito dele mesmo.

    Eu passei ANOS justificando a (falta de) atitude de um ex com o contexto familiar. “Porque ele teve uma infância difícil”, “porque o pai é ausente”, “porque comparam muito ele com o irmão” e, gente, nada disso é justificativa. Tudo isso tem solução! Terapia, por exemplo. Um esforço diário pra se colocar nas situações. Não é fácil, mas tem solução!

    Tenta pensar no que realmente é influência da família e no que é a natureza dele. Você mesma, provavelmente tem suas questões familiares (todo mundo tem!) ou de trabalho (um chefe difícil, uma equipe competitiva, um colega que puxa o tapete) e nem por isso você deixou isso interferir no seu sucesso profissional, porque é a sua natureza!

    Enfim, desculpe o textão, espero que dê tudo certo! Beijos!

    • #28
      Baltazara
      21.12.2017 - 16:51

      Me arrepiei com seu conselho… É difícil mesmo enxergar que a pessoa que a gente ama tem falhas graves, é mais fácil procurar motivos e ficar tentando salvar o “princeso do castelo”. Obrigada, de coração. <3

  22. #29
    Bel
    21.12.2017 - 15:23

    Caso 1: Tenha a certeza que esse fim é o melhor p vc!! Passei por isso inumeras vezes. A gente começa a achar que a errada somos nós por mexer nas coisas, mas pelamor, ne?!! Totalmente errada essa idéia.
    O cara que quer mesmo ficar com vc nao vai ficar de papo, dando brecha, alimentando outras relações a toa.. Nao tem essa. Vc vai achar uma pessoa que quer REALMENTE ficar COM VC.
    O cara faz merda e a louca e ciumenta é vc?? Ah nao.
    Nao merece nem que vc fique triste, sabia? Tem é que ficar feliz por ter saido dessa.
    Mais p frente vc vai se perguntar como ficou com uma pessoa assim. Relação que a gente tem que ficar o tempo todo desconfiada, nao vale. Relação é para trazer paz.

  23. #30
    Baltazara
    21.12.2017 - 16:56

    Meninas, obrigada por todos os conselhos e toques.
    Vcs são muito amor! <3

  24. #31
    Bruna Lima
    22.12.2017 - 10:40

    Caso 3: Olha que engraçado, há uns 10 anos atrás, conversando com um casal de amigos (ele ginecologista e ela psicologa) eles me disseram que chegaria um tempo que o sexo não seria tão importante, que com a inevitável evolução do ser humano por outras áreas e outras consciências, o sexo perderia o papel de item número 1 em um relacionamento (seria ainda importante, mas desceria na lista de prioridades). Essa minha amiga ainda disse que por meio de estudos, muitos pesquisadores estavam concluindo que a humanidade estava caminhando para diminuir seus traços “animalescos”, e partir para uma nova etapa de evolução. Hoje em dia, aqui nos Choras e em meu circulo de amizades é o que mais escuto e leio: falta de sexo, falta de interesse em sexo, algumas pessoas reclamando que querem mais, outras dizendo que estão ótimas sem, sem problemas. Acho que isso sempre existiu, mas noto que de uns tempos para cá, essa tendencia está muito forte. Li em uma reportagem uma vez, não lembro onde, que a mídia acaba nos forçando, relacionando tudo a sexo e lascívia, e as pessoas que não tem tanto interesse, acabam achando que estão erradas, que tem alguma coisa errada com elas e seus relacionamentos, pois não estão encaixadas no padrão: tem que transar sempre, tem que ter fogo sempre. Tem também o homem nesses novos tempos, sinto que eles estão em processo de adaptação diante da mulher moderna, independente, caiu a figura do patriarcado, os homens não sabem mais qual seu “papel” na sociedade, estão um pouco perdidos, confusos. Sei lá, muitas novidades nesse século XXI, coisas para pensar e refletir…

    • #32
      Isa
      22.12.2017 - 14:25

      Interessante, Bruna! Li a respeito disso um tempo atrás! E o artigo que li falava que as mudanças já estão começando! Hoje muitos casais escolhem não ter filhos… Não tem mais aquela necessidade de procriar, e o numero cresce cada vez mais! O instinto materno e paterno estão diminuindo na população! Enfim, vou pesquisar mais sobre o assunto!

    • #33
      Gaspara
      26.12.2017 - 15:47

      Muito interessante, Bruna! Já ouvi falar sobre isso, a gente sofre tanta pressão de todos os lados que é difícil, sempre parece que tem algo errado com a gente… vale a reflexão! Obrigada!

  25. #34
    Isa
    22.12.2017 - 14:26

    Se o meu namorado pedir pra eu escolher entre ele ou minha família… nem penso duas vezes! Ele RODA na hora!

  26. #35
    Juju
    22.12.2017 - 23:20

    Caso 1: livramento moça. Não sou de fuçar, mas se cair no meu colo olharia também.
    Tem muito homem eterno sedutor, e esse tipo de cara magoa a parceira.

    Caso 2: meu ex era assim, horas e dias na casa da família e zero de tempo a sós.
    Eu tolerava e achava normal, até que o irmão dele casou e a minha cunhada fez questão de morar em outra cidade. Aí um dia conversamos e ela disse ” só assim para esse povo desgrudar um pouco”.
    Ali caiu minha ficha.Nosso namoro terminou por vários motivos, mas HOJE eu namoraria cara grudadinho na família.

    Caso 3:
    Vou falar uma coisa meio triste, mas vamos lá: você sustenta a casa, filho, faculdade do cara etc etc …
    Será que inconscientemente ele te enxerga muito mais como uma mãe do que mulher? E será que você também não sente falta de sexo pq está tão sobrecarregada e isso te afasta da sua libido?

    Não estou chamando ele de encostado , mesmo pq com esse nosso desemprego está ruim para todo, mas vocês precisam de terapia para mexer nisso mais profundamente.
    Eu sou do time que acha sexo fundamental e não quero um casamento sem. Obvio que com filhos pode diminuir a frequência, mas não dois anos sem…

  27. #36
    Juju
    22.12.2017 - 23:21

    Ops , eu NÃO namoraria cara grudadinho na família.

  28. #37
    Vanessa
    23.12.2017 - 04:33

    Caso 3 – Como algumas meninas já falaram, a falta de sexo é “culpa” dos dois. A solução é conversa. Sou casada, tenho filho pequeno (3 anos) e a vida sexual no começo é mais difícil, mas sempre demos um jeito e hoje é bem normal já! Sexo é vontade, estímulo – conversa sobre sexo, manda mensagem, se sinta bonita, preparem um momento para vocês dois, nem que seja um vinho e um filme só. Como uma menina comentou: separa um dia na semana , faz esse momento, nos primeiros não necessariamente precisa rolar o sexo. Compra um lubrificante. Eu particularmente acho q sexo é sim essencial num relacionamento e não pelo ou para o homem , mas por mim, mulher também tem vontade e necessidade, só que os meios de “instigação ” e até a cultura mesmo tornam o prazer feminino mais difícil.Mas se permita gostar, conhecer novos prazeres com seu marido!
    Ah! Uma coisa que me incomoda é o q você disse sobre ele não ajudar com as coisas em casa ( não financeiramente , mas com a mão na massa mesmo) – no meu caso isso pesaria muito . Os dois trabalham , os dois têm que dividir as tarefas com a casa E com o filho – não tem essa de tarefa de mulher e tal… Mas aí também cabe conversa e diarista. Haha
    Boa sorte!!

  29. #38
    Lívia Rapaci
    23.12.2017 - 19:54

    Para o chora 3: amiga, alguma coisa está muito errada aí. Eu tenho 3 filhos, 8, 5 e 3 anos, e nunca faltou sexo. Nem durante a gravidez e nem depois, com as crianças pequenas. O “antes” é super importante: beijo na boca, um abraço, um elogio, e isso pode acontecer a qualquer hora! Não precisa de filho dormindo! Hoje que meus filhos são maiorzinho, coloco todos para dormir às 9h (ou as vezes coloco as crianças no sofá para um filminhos) porque depois , todos os dias, fico um tempinho com o meu marido. Contamos como foi o dia, tem beijo, tem abraço, e sempre faço um esforço pra não estar “largada” quando ele chega do trabalho. Com o tempo ele acabou fazendo o mesmo: chega em casa e toma banho, já passa o perfume que eu gosto, faz isso só pra me agradar. Temos 8 anos de casados e parece um namoro…. O segredo é cultivar todos os dias! Espero que melhore pra você! Um beijo pra você Cony

  30. #39
    Gaspara
    26.12.2017 - 15:43

    Obrigada pelo presente de Natal, Cony! Pelo menos agora vejo uma luz no fim do túnel, vou tentar a terapia… também acho que casamento foi feito para durar, não tenho a intenção de desfazer, ainda mais agora com a nossa princesa tão pequenininha… a amamentação e o anticoncepcional de uso frequente com certeza estão matando a minha libido, vou tentar colocar as dicas em prática! Gratidão a todas que comentaram!

Comente