22
Sep 2017
Chora Que Eu Te Escuto
Chora Que Eu Te Escuto

Hoje é sexta mas tem choradeira!! Vem ler, analisar e aconselhar!

Chora 01 – MAC

Oi Cony, tudo bem? Eu não vou muito bem não, e o motivo é o seguinte:

Eu e meu namorado nos conhecemos há dois anos, ficamos juntos por três meses, ele quis separar, nunca se distanciou, dizia que não sabia o que queria, que não tinha certeza, etc. Onze meses depois nós voltamos, por iniciativa dele. (Aqui vou abrir um parenteses pra dizer que nesses onze meses a gente ficava as vezes, mas eu curti minha vida como pude, não fiquei sentada esperando por ele não, mas não o esqueci e por isso quis voltar quando ele se resolveu.) Bom, no começo tudo eram flores, ele nunca foi do tipo meloso, mas tinha atenção comigo, carinho e cuidado. Mas isso foi diminuindo…. Nós só nos vemos no fim de semana, então durante a semana eu esperava que a gente tivesse pelo menos 5 minutos de conversa por dia, mas nem isso… Se eu não mando mensagem, a gente não conversa, e nessa eu sinto que to mendigando amor. Ele nunca disse que me ama, pelo contrário, quando eu disse que o amo, ele disse que ainda não sentia dessa forma e assim continua (10 meses juntos). Semana passada nós acabamos brigando sobre isso e agora não sai da minha cabeça que eu preciso resolver isso logo. Na discussão ele fala que tem consciência que deveria ser mais atencioso comigo e que sabe que está me faltando, mas que está tentando e não consegue. Um tempo atrás me disse que não tem vontade de me mandar mensagem e conversar comigo porque eu já faço isso o tempo todo (mando mensagens, e mando mesmo, tento conversar, afinal eu quero mesmo atenção), mas dái eu parei de mandar e simplesmente não conversamos, ele só manda pra perguntar alguma coisa do interesse dele, coisas assim, e eu fico mais irritada ainda. Eu não me conformo com isso. Quando perguntei também se ele vê futuro na nossa relação, ele disse que só ta preocupado com o presente, que mal ta dando conta do agora, imagina o futuro. Quando perguntei se então ele queria terminar, para que pudesse quem sabe achar uma pessoa que ele ame, ele disse que quer continuar tentando comigo. Ele tem 30 anos, é uma pessoa ótima, eu o admiro muito e o amo muito também, e claro que tem qualidades, posso contar com ele para o que precisar, ainda tem cuidado comigo e quando estamos juntos ele até é carinhoso, do jeito dele, mas é. Concluindo, fico pensando se isso é um bloqueio, se o problema é comigo, se ele tá comigo porque acha que não vai achar outra pessoa (tem neura com idade). SOCORRO. kkkkkk, gente, sério, o que eu faço? Largo? Espero? Dou gelo? Alguém já passou por isso? Vale mencionar um detalhe, há um mês mais ou menos ele foi pro Peru e ficou uns 20 dias longe, e nesse período (uma semana antes de ir, enquanto estava lá, e quando voltou) ele ficou maravilhoso, melhorou muito, estava um doce, mas depois só piorou e agora ta muito pior do que antes, não faz um elogio, raramente me dá um beijo (fora do sexo). Eu to namorando mas sinto sozinha.

Cony, obrigada por abrir esse espaço pra nós, é de grande valia. Espero que vocês possam me dar uma luz.

Tem um problema sério aí sim e se chama FALTA DE AMOR PRÓPRIO. Pelamor moça… que papelão! Rastejando assim atrás do cara é claro que ele nem vai te dar bola. Antes de gostar dos outros, comece a gostar de você mesma!

Chora 02 – Vult

Conyzita, antes de começar a explicar o Chora, já vou falar: no fundo nem é em busca de conselho, sabe?? Mas depois de alguns anos me dei conta que NINGUÉM fala sobre isso abertamente, e o fato de eu lidar relativamente bem com isso não significa que todas as outras meninas tenham a mesma sorte. Então acho que uma boa parte pode ler e “OPAAA eu não sou anormal, mais gente faz o mesmo que eu” e isso pode ajudar.

Vamos lá: 

Aos 12 anos muita coisa mudou na minha vida, incluindo o fato de eu estar mudando também, né?! A criança passa a ser adolescente, a gente recebe muitas informações e nem, todo mundo lida com isso da mesma forma… Como eu lidei? Com ANSIEDADE.

Não aquela ansiedade que a gente tem esperando uma festa, uma prova… mas transtorno de ansiedade, devidamente diagnosticado e medicado. Porém, isso refletiu numa doença que poucas pessoas conhecem, chamada tricotilomania.

Quando ouvi essa palavra pela primeira vez, foi um misto de alívio (por saber que EXISTIA, que mais gente tinha isso) e susto.Essa doença consiste basicamente em arrancar os próprios cabelos. Sim, exatamente. A gente passa a ter grandes falhas no cabelo, às vezes a calvície é quase completa… e por aí dá para imagina o quanto afeta a auto estima, né?

Se tem cura, eu ainda não descobri. E olha que muitos anos se passaram e muita terapia foi feita. De repente alguma leitora conseguiu, imagina que legal eu e tantas outras sabermos disso! Serviria até como estímulo, né??

Algumas de nós usam bonés/toucas para esconder, outras optam por pentear o cabelo de forma que não apareça… eu optei por uma uma prótese (tipo peruca mesmo) que fica na parte que tento esconder… Fora isso, terapia, ansiolítico e muito foco para tentar levar a vida normalmente <3

Menina… sabe que eu já passei por isso??? Quando era adolescente eu roía unha até sangrar, depois parei e comecei a mexer no cabelo. Nunca cheguei a ter falhas, mas ficava horas e horas mexendo no cabelo e procurando algum “diferente”, tipo mais grosso e tal e arrancava. Durante anos foi assim, mas como te contei, acho que num grau menor pois nunca chegou a afetar meu cabelo em si… Ainda hoje, quando estou muito nervosa ou ansiosa, fico mexendo no cabelo. É uma mania feia sim e sei o quanto é involuntário! Até onde sei, é com terapia mesmo e ansiolíticos que se “cura” mas não sei te passar mais informações. Se alguém aqui souber (e acho que isso é mais normal do que se imagina, conheço MUITA gente que faz isso) como melhorar esse quadro – totalmente ligado a ansiedade – conta aqui!

 

 

Chora 03 – Maybelline

Oi Cony, meu problema tem uns anos e preciso de conselhos para mudar a situação, se é que é possível.

Conheci meu companheiro em meados de 2011, nos tornamos muuuuito amigos,  mas depois de uns meses ele foi viajar por uns dias, nos falamos muito enquanto ele esteve fora, coisas sobre nós sabe, flertamos, ele voltou de viagem e foi direto na minha casa de madrugada, ficamos e nunca mais nos deixamos, assim, da noite pro dia.
Nestes primeiros meses foi muita paixão, a gente não podia se ver que tinha que ter beijo, abraço, sexo, diariamente.
Estudávamos no mesmo lugar, então íamos e voltávamos juntos da faculdade, ou ele dormia na minha casa ou eu na dele.
Enfim, foi um namoro-casamento, porque nunca mais nos desgrudamos, todo dia juntos, nunca ficamos separados.
Ou seja, foi tudo muito intenso e muito rápido e sempre muito juntos, em um ano compramos nossa casa e fomos morar juntos definitivamente.
Mesmo antes de morarmos juntos, os problemas começaram a afetar no relacionamento (homem e mulher), ou seja, desde o primeiro ano juntos.
Ele chegava em casa cansado, conversava, contava sobre o dia, deitava comigo, mas não rolava nada, ele justificava que era por causa do trabalho, depois os motivos foram mudando e nossa vida sexual cada vez mais escassa, até hoje.
Ele é muito querido e muito carinhoso comigo, muito brincalhão, nos divertimos muito juntos em casa, mas geralmente ele acaba dormindo no sofá e eu vendo TV sozinha, por vezes eu até estou falando com ele, de repente ele não responde, dormiu.
Eu sempre gostei de sair, passear no shopping, caminhar na rua, fazer trilha, sair pra dançar, mas ele não gosta muito disso e eu acabo ficando com ele em casa, afinal nunca tive muitos amigos que possam fazer essas coisas comigo.
Mas o que tem me incomodado é realmente a nossa vida como homem e mulher, somos muito parceiros, nos damos bem na vida cotidiana, quase não brigamos, bem raro mesmo, mas é de segunda a segunda: sair pra  trabalhar, chegar em casa, fazer umas tarefinhas e dormir, inclusive finais de semana.
Não sei falar quando foi a última vez que transamos, afinal este evento ocorre a cada dois meses aproximadamente, quando eu começo a reclamar e então rola.
Tento partir pra cima, mas ele sempre me corta e pede que eu vá descansar.
Já tivemos mil conversas, ele concorda que tem que mudar, sabe que ele falta comigo nisso, mas no fim, não muda.
Já ocorreu de há uns dois anos um colega de trabalho se interessar por mim, muito, insistir muito, me envolvi na situação e mesmo podendo trair ele sem ele sequer desconfiar não fiz, não consegui, tinha muito desejo pelo outro, mas só de pensar no meu companheiro eu recuava e nunca fiz nada.
Eu amo ele, superamos muita, mas muitaaa coisa juntos, temos uma história de parceria e companheirismo muito legal, mas sinto falta de alguém que me chame para sair no sábado a noite, que me leve pro motel, que corresponda aos meus desejos, que sejamos mais que sócios de uma casa e de trabalho, pois hoje trabalhamos juntos também, temos nosso negócio próprio.
Como já tentei de tudo, às vezes penso que a única solução seria nos separarmos, mas só de pensar meu coração dói.
Gosto muito dele e ele faz parte da minha vida nos últimos seis anos, sem contar que seria não só o fim do relacionamento, mudaria casa, mudaria trabalho, mudaria tudo.
Tenho muita vontade de mudar, de me aventurar, de mudar de país inclusive, (tenho 26 anos e ele 29) mas tenho medo disso tudo, ele é muito conservador e eu sei que eu gostaria de ser muito aventureira, mas não consigo ser assim com ele.
Não sei o que fazer, ele me faz bem, mas existem lacunas que ele não preenche e que não tem como serem preenchidas senão por ele.
Enfim, essa é a situação, preciso de conselhos!
Obrigadinha por ler meu texto e por tanta coisa bacana que você oferece para suas leitoras!

 

Vish… O que está acontecendo com esse homem?? Acho que ele está bem cansado mesmo, como você disse, fala com ele e ele dorme… Já abriu o jogo??? Conversou abertamente sobre isso? Seja sincera e honesta com ele, pode estar acontecendo alguma coisa que ele ainda não te contou… No mais, acho que isso só vai se resolver com uma boa conversa mesmo!

 

 

  • Interessante hoje e principalmente aguardo comentários sobre a tricotilomania!!! E você? Tem alguma angústia, algum problema que não consegue conversar com ninguém? Mande para constanza@futilish.com, no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO, tente ser resumida e prometo manter sua identidade em segredo ok?? 
59 Comentários
  1. #1
    Giovanna Silva
    22.09.2017 - 15:42

    Eu me vi inteira no chora da MAC… Amiga já estive exatamente aí onde você está agora o meu relacionamento era igualzinho o seu, fui lendo e me dando uma agonia… Olha e vou te dizer, a Cony está corretíssima, se ame! Se ame muito porque é só quando começamos a nos amar que conseguimos ver a furada em que estamos. Fácil? Não mesmo mas pode apostar que você vai conseguir e só quando tiver de fora vai conseguir enxergar os absurdos e abusos dessa relação…

  2. #2
    Marcela
    22.09.2017 - 15:48

    Quero fazer um comentário para a Maybelline pq a história dela lembra muito a minha.
    Por acaso vc já cogitou do seu amado sofrer de depressão? Ele costuma ser super parceiro, sente muita necessidade de estar com vc de te agradar pra ele tentar ficar feliz?
    Acho interessante procurar um pouco sobre isso, eles são uns amores, mas tem certas coisas que eles não conseguem fazer e se a gente coloca culpa a frustração dele é ainda maior e ele fica ainda mais depressivo. Já entenda que o problema não com vc. Talvez ele até fale umas asneiras n hora da raiva, mas é pq ele está sofrendo e não consegue se abrir…

    • #3
      Nat
      25.09.2017 - 10:54

      Ia dizer o mesmo, porém a parte deprimida da relação sou eu…
      Fui diagnosticada este ano e estou em tratamento, tentando melhorar. Antes de procurar o médico vivia cansada, sem disposição para nada, sem planos, sem vontade de fazer nada, libido zero. Meu noivo tem sido super compreensivo, tanto quando estava mal quanto agora que estou em tratamento.
      Não é fácil e esse desânimo e falta de vontade de viver não são propositais nem significam que ele não gosta mais de você. A depressão nos traz uma sensação de “tanto faz”, “qualquer coisa está bom”, sufoca nossos planos e sonhos de uma maneira que a gente não consegue controlar.
      Talvez ele nem se dê conta disso, precisei de um gatilho muito forte (o falecimento do meu pai) para me dar conta de que estava mal há tempos. Conversa com ele, explica o que você sente e dê abertura para ele falar também.
      Boa sorte, paciência e força!

    • #4
      Mi
      26.09.2017 - 14:44

      Chora 03 – Ia falar exatamente isso. Me identifiquei muito com sua história, início com paixão, depois companheirismos, parceria, amor, mas sem sexo e apatia… Hoje já superamos isso, mas vejo claramente que meu marido teve uma fase depressiva misturada com cansaço extremo, principalmente relacionada à frustração profissional. Veja se não é isso, tente convencê-lo a ir num psiquiatra e/ou psicólogo.

  3. #5
    Vanessa
    22.09.2017 - 15:53

    Caso 1-MAC: Jamais deixe que um homem te trate pior do que você merece ser tratada. Não perca a oportunidade de estar disponível para quando aparecer um homem que te mereça.

  4. #6
    manu
    22.09.2017 - 15:54

    MAC, de fato, largue esse homem por que ele já te largou, viu? Infelizmente você precisa encarar a realidade. Não consigo ver nem um relacionamento aí, nem de amizade. Tá me parecendo só sexo e interesse. Termine. E reflita sobre o que você precisa em um homem, pra não entrar em outra furada. Boa sorte!

    Maybelline, já passei por isso, de ficar MESES sem sexo (sendo casada). E o marido disse isso também, que estava muito cansado, estressado com o trabalho e tal. Comigo uma boa e franca conversa resolveu. Abri o jogo, falei que não dava conta de viver assim, que casamento pra mim envolve necessariamente sexo frequente e que se ele não conseguisse, que seria melhor o divórcio. Parece frio mas, PRA MIM, não tem como fugir disso, senão entra no que você falou, virao uma sociedade, uma república. Pelo seu relato, pra você também é muito importante, por isso sugiro que converse francamente com ele, até pra ele se tocar que trabalho não é tudo na vida, precisa pensar em família, esposa, diversão etc.

    • #7
      Maísa
      25.09.2017 - 11:17

      Concordo com você no caso da Maybelline. Não tenho problemas de sexo com meu marido, mas desde a época do namoro eu falava pra ele que sexo é o termômetro de um relacionamento.
      Tente conversar com ele abertamente e exponha seu ponto de vista. Não tem nada que uma boa conversa não resolva.

  5. #8
    Iraci
    22.09.2017 - 15:56

    Caso 1: a Mica Rocha acabou de lançar um livro chamado Manual do amor Proprio, voce deveria ler. Pare de mendigar atençao e carinho de um cara que nunca nem disse que te ama. Se ele tem algum problema ele que resolva sozinho e rale pra te conseguir de volta depois, mas voce deveria seguir em frente enquanto é cedo!

    Caso 3: Muita gente coloca logo na cabeça que o marido tem outra ou blablabla quando esse tipo de coisa acontece. Nao escute!
    Que tal conversar com seu marido e tambem convence-lo de fazer um check-up?
    Meu marido uma vez, antes de começar uma super dieta, foi a um nutrologo que passou muitos exames. Com o resultado desses exames o medico ficou assustadissimo! Disse que bem sabia como ele acordava todos os dias de manha. Fez um calculo da idade do corpo dele naquelas condiçoes e ele estava com resultados de mais de 50 anos. Faltavam hormonios como cortisol, vitamina D e testosterona. O estresse, alimentaçao ruim e outras coisas podem afetar muito nossa saude e isso influencia bastante na vida sexual.
    Sobre viajar e aproveitar a vida… se voces tem um negocio proprio e condiçoes de sairem, combine com seu esposo de pelo menos 2 vezes no ano viajarem juntos ou ate mesmo separados. Ele tambem precisa de um tempo so pra ele. De força pra ele procurar sair mais com os amigos, isso pode ajuda-lo a desestressar e melhorar em casa.

  6. #9
    Lica
    22.09.2017 - 15:57

    Chora 03 – pode ser outra, mas os sintomas parecem andropausa precoce, ou simplesmente baixo nível de testosterona. se anda tão cansado imaginamos que os checkups médicos devem estar atrasados, seria bom fazer um completo incluindo hormonal, até pra descartar essa hipótese. boa sorte.

  7. #10
    Ana Paula
    22.09.2017 - 16:05

    Oi, no segundo chora sobre a tricotilomania recomendo para quem sofre com isso ou outra coisa do gênero que procure um especialista em PNL, Programação Neurolinguística.
    Consegue resolver questões de ansiedade com muito menos tempo e eficácia de 100% o que nenhuma terapia consegue.

    Beijos

  8. #11
    22.09.2017 - 16:11

    Aí, esse amor proprio… coincidentemente eu escrevi há dias sobre o assunto no meu blog pessoal (calma, quem me dera chegasse aos pés do fufu, mas é bonitinho) depois que ao conversar com uma amiga que acabara de levar um clássico pé na bunda, ela disse que queria morrer. Que não podia viver sem ele. Eu digo: parem! Parem de se culpar pelo defeito do outro, pela falta de maturidade e compromisso do outro (às vezes é mesmo imaturidade dos dois) e viva, viva muito pra rir das burradas do passado. Se tem uma coisa que homem imaturo sabe fazer é sair pela tangente ou inventar mil desculpas pra não assumir um compromisso. Caia fora! Dói e se você achar outro pode doer de novo, mas não desista! O importante é aperfeiçoar a coisa : )

  9. #12
    Andrea
    22.09.2017 - 16:16

    Maybelline, esse drama não é só seu:
    “Eu sempre gostei de sair, passear no shopping, caminhar na rua, fazer trilha, sair pra dançar, mas ele não gosta muito disso e eu acabo ficando com ele em casa, afinal nunca tive muitos amigos que possam fazer essas coisas comigo.”
    Vc descreveu a mim e ao meu companheiro!
    Já me descabelei, chorei, fiz de tudo para ele entender, mas nada faz com que ele mude essa falta de interesse em simplesmente VIVER! É muito difícil, pois desejamos algo simples, que é disfrutar a vida, com alguém que amamos… Pelas experiências que troco com outras amigas, esse parece ser um comportamento masculino, alguém por favor me ajude nessa questão tb!

    • #13
      Paty
      24.09.2017 - 12:49

      Compartilho do mesmo!! O que fazer?

    • #14
      Olivia
      25.09.2017 - 08:36

      Meu marido também, ama ficar em casa, e não gosta muito de sair.
      Eu já odeio ficar muito em casa, fico entediada muito rápido.
      Já conversamos, mas melhora um tempo e volta tudo ao normal.
      ELe é tem infinitas qualidades, e são essas que me fazem amá-lo e respeitar essa particularidade dele, pois sei que ele tb faz sacrifícios para sair comigo.
      Mas ele tomar iniciativa e tals, nunca.

    • #15
      Jéssica Diane
      27.09.2017 - 15:44

      Meu marido gosta de sair, mas eu gosto mai. A solução é sair sozinha, ue shuahsua

    • #16
      Melissa
      03.10.2017 - 10:14

      Gente, vou contar minha história pra vocês, acho que pode ajudar.

      Meu então namorado era isso aí: não gostava de nada, só queria ficar em casa, desanimado de tudo. E eu, trabalho em multinacional, estudo a noite, amo viajar, sair, comer bem… e ele nada. Depois de muita conversa, discussão e choro da minha parte, convenci ele a procurar um psicólogo que o encaminhou pra um psiquiatra e diagnosticou com distimia. É basicamente uma depressão que começou tão cedo que “virou” parte de quem a pessoa é! Ele mesmo nem se lembrava de ser diferente, ele achava que sempre foi assim.

      Infelizmente a relação já estava muit desgastada, eu precisava de mais e um tratamento para depressão (medicamentoso + terapia) demora pra fazer efeito. É preciso dedicação e um envolvimento intenso de todos que estão a volta da pessoa, e eu não tinha mais força pra continuar. Quando ele encontrou um bom psicólogo e um bom psiquiatra eu terminei.

      Sugiro que vocês não se acomodem e pensem que “homem é assim mesmo”. Não é! Procurem ajuda, terapia, o que for. Não deixem a relação desgastar como a minha desgastou.

      Terminamos, eu estou muito mais feliz hoje e por mais que gostasse dele, as minhas energias acabaram. Acho que se ele tivesse prcurado ajuda antes, se a família tivesse ajudado, talvez a história teria sido outra.

      Fiquem bem, qualquer coisa estou à disposiçao!

  10. #17
    Gabriela
    22.09.2017 - 16:19

    Para a Maybelline:
    Será que ele não está com alguma disfunção hormonal? Seria legal você conversar com ele e sugerir que ele faça um check up pra ver se está tudo ok.
    Lá em casa temos o mesmo problema, mas é invertido, eu que sempre fico cansada, com preguiça, etc… Pra mim tudo mudou depois que engravidei e tive meu primeiro filho. Não sei bem dizer se é mesmo só desgaste físico ou se a mudança hormonal no meu organismo também contribuiu para a baixa na libido. Tenho procurado não deixar tanto a peteca cair, mas nem sempre tem sido fácil! E ó, acho que não é caso para desconfiar do seu marido, pois no meu caso não tem ninguém na jogada e ainda amo muito meu marido…então investiguem para descobrir a fonte de problemas. Já tentou ver algo mais picante com ele pra ver se ele dá uma animada?
    Boa sorte!

    • #18
      Lulu
      25.09.2017 - 16:21

      Eu estou grávida no momento e sinto percebo que não tenho a mesma libido de antes, mas ainda assim tenho vontade, apenas com menos frequencia e intensidade do que quando não estava grávida. Porém, durante a gravidez, são muitas mudanças né… é lidar como aumento de peso, não se sentir tão bonita na maior parte do tempo, estar pesada, lenta desajeitada… e ultimamento o meu marido não tem tido interesse, não procura sexo, e eu tenho me sentido pior ainda com isso. Os hormônios da gravidez já nos deixam meio loucas né, então penso se está tendo alguém, por não me procurar, penso que não me ama mais pelo tanto que o meu físico está diferente, que não consegue me ver como mulher, pq agora sou mãe do filho dele… enfim, mil coisas que me deixam péssima e jogam minha auto-estima para baixo ainda… Apesar disso, estou bem emocionalmente, muito feliz com a maternidade!!! Mas se não fosse isso estaria tudo perfeito… e não estou sabendo como agir….

  11. #19
    Kaline
    22.09.2017 - 16:22

    1 ele não gostava de vc. Isso tá óbvio. Como assim ele viajou 20 dias sem vc? E voltar todo bonzinho? Já sabe né. Galhos.

    3 ele ama vc, valorize. Recomendo entrar em grupos de trilha, de bike, sem seu marido visto q vc é a aventureira e ele quer descansar. O sexo é só uma fase, calma! Assim q vc não estiver tão disponível ele vai dar uma acendida.

  12. #20
    Bia
    22.09.2017 - 16:26

    MAC: de verdade, acho que ele não gosta de você. Por algum motivo é cômodo para ele a situação. Você está sujeita a ele conhecer outra pessoa, se apaixonar e querer casar no outro dia (conheço casos assim). Ou, já parou pra pensar que ele pode ser homo e está tentando se enganar? Que, por exemplo, nessa viagem encontrou/ conheceu alguém e voltou feliz/ empolgado por isso melhorou por um tempo a relação entre vocês? Pense bem e saia disso antes que você se machuque mais. Não se deixe ser enganada!

    Maybelline: filha, que tenso! Dificilmente homens são preguiçosos para sexo. Geralmente essa é a resolução de todos os problemas: está chateado? Sexo. Está stressado? Sexo. Acho que ele precisa de ajuda, pois pode estar passando por problemas emocionais, não apenas físicos. Tente convencê-lo a ir num psicólogo, mas primeiro ele tem que enxergar que isso é um problema, principalmente pro sexo masculino.

  13. #21
    LuaM.
    22.09.2017 - 18:25

    Tbm sugiro pra Maybelline convencer o marido a investigar algum tipo de disfunção hormonal. Testosterona baixa faz isso com homens e mulheres.

  14. #22
    Jéssica
    22.09.2017 - 18:44

    MAC, já vivi uma situação muito parecida com a sua. Fiquei mais ou menos 2 anos aceitando essa indecisão do meu ex. É maldade porque eles tão pensando unicamente no umbigo deles mesmos, e querendo que a gente fique ali na estante até eles decidirem o que vai fazer ELES felizes, independentemente se vai nos machucar ou não.

    Daí pra isso por um tempo ele te trata bem, te dá uma migalha de amor pra te manter ali, mas é só porque é cômodo pra ele mesmo. Na primeira oportunidade que ele tiver, a primeira pessoa interessante que ele conhecer, ele vai te trocar, sem pensar muito. É triste mas é a verdade.

    Acho que o mais importante você já fez, que é tomar consciencia desse padrão destrutivo na sua vida, e só assim você vai poder tomar uma atitude. Se ele não te ama, se ele não te quer, vai seguir a sua vida e uma hora você vai conhecer um homem que te ame verdadeiramente e que te merece. Que vai te querer porque ele gosta de você, e não porque você tá implorando carinho.

    E eu sou prova viva, felizmente essa hora chegou pra mim!! Depois de muito choro, noites mal dormidas, medo de nunca encontrar alguem, eu conheci uma pessoa que me trata mil vezes melhor e que me ama de verdade. Não tenha medo de desapegar do que te faz mal!

    Beijos

  15. #23
    Lala
    22.09.2017 - 18:47

    Nossa, me vi muito tbem no seu comentario MAC. Estou com meu marido há qse 9 anos, 2 anos de casados e nosso início de namoro foi bem parecido c o que vc relatou! No caso do meu marido, era por um trauma enorme por causa do relacionamento anterior, eu me sentia sempre pagando algo que a ex tinha causado. Ele demorou mais de 1 ano para dizer que me amava, vivíamos de altos e baixos e eu me sentia sempre colhendo migalhas, foi um sofrimento tremendo por qse 2 anos, cheguei a tomar remédios para ansiedade e fazer uma longa terapia, td por causa do namoro. Foi um sofrimento horrível. Hj qdo me lembro de td sinto raiva de mim mesma pq n sei pq aguentava td aquilo, com ctz tinha mto baixa autoestima e o colocava em um pedestal mto alto, achava que ele era O CARA!!! Nosso namoro só foi ficar bom mesmo, sem aquelas crises todas depois de uns 3 anos de namoro e até hj me pergunto pq eu aguentei aquilo! Hj temos um casamento maravilhoso e chego a ser grata por ter suportado tanto pq sou mesmo mto feliz com ele. E ele sempre fala que o trauma dele na época e o medo de ser traído de novo eram tao grandes que ele nem percebia o que fazia.

  16. #24
    Cynthia
    22.09.2017 - 18:52

    “Nós só nos vemos no fim de semana, então durante a semana eu esperava que a gente tivesse pelo menos 5 minutos de conversa por dia, mas nem isso… Se eu não mando mensagem, a gente não conversa, e nessa eu sinto que to mendigando amor.”

    Nossa, me vi no seu relato. Estou passando por isso agora. É difícil, fico questionando tudo, até fico pensando se a falta de interesse dele em conversar por mensagem pelo menos uma vez por dia é porque meus assuntos não seriam interessantes ou outras teorias que (racionalmente) eu sei que são mirabolantes. Fico lendo e relendo as conversas, revendo minhas posturas, mas não encontro explicação para uma pessoa viver online no whatsapp e não dar nenhum “oi”. Minha solução nos últimos dias: ficar em silêncio e pretendo ir cortando o contato pessoal também, inventar desculpas para não sair etc. É triste, mas é como disse uma leitora acima: não quero perder a oportunidade de estar disponível para quando aparecer um homem me procure e me mereça.

  17. #25
    Lu
    22.09.2017 - 19:11

    MAC, acho que a Cony foi um pouco dura com você mas vou aproveitar seu texto para fazer uma reflexão… eu já me vi em situação semelhante com a sua duas vezes e por mais que me incomodava eu me recusava a pôr fim em tudo, eu questionava eles, assim como você questiona. Por sorte (e na época achei que era azar e chorei muito!) os moços logo perceberam que estavam fazendo um pouco de sacanagem, já que era claro que eu gostava deles muito mais que eles de mim. Nenhuma das duas coisas durou muito e hoje vejo que foi bom e que na verdade eles foram muito bacanas de terem sido honestos. Hoje quando eu lembro de tudo eu vejo que realmente não fazia sentido nenhum forçar a barra, eu nunca me sentiria completa e feliz com eles, pois seria sempre insegura diante do pouco que eles me ofereciam. É sim possível que ele tenha um problema para se apegar as pessoas (leia esse texto: http://www.papodehomem.com.br/nao-consigo-me-apegar-as-pessoas-or-id-56), mas pode ser que simplesmente ele não gosta tanto de você. Ele gosta, mas não o suficiente. E você não quer ficar com alguém que não goste de você o bastante não é? Então sai fora logo!!!! Se ele tem um problema, ele tem que perceber e buscar melhor. Lembre-se de você e do que te faz feliz. Se essa relacionamento não está te trazendo alegria então simplesmente não vale a pena <3

  18. #26
    Aline
    22.09.2017 - 22:27

    Gurias, sobre a tricotilomania, também sofro com isso desde os 12 anos.
    Já tenho falhas no cabelo, mas eh mais forte do que eu.
    Já fiz anis de terapia e tomo ansiolítico, mas cura não sei se tem!!!
    É óbvio que se estou mais ansiosa a vontade de arrancar cabelo aumenta…
    bjs

  19. #27
    Lia
    23.09.2017 - 01:21

    Maybelline

    O namorado de uma amiga estava com a libido beeeeem baixa e acabou descobrindo que a testosterona estava baixa, fez tratamento hormonal e melhorou. Talvez seja algo do tipo

  20. #28
    Paula
    23.09.2017 - 07:58

    Sobre o caso dos cabelos, eu tenho algo que talvez tenha a mesma origem emocional, conhecido como skin picking. Eu fico cutucando o couro cabeludo pq tenho um pouco de acne na cabeça. Fico fazendo isso descontroladamente. O meu tratamento de acne adulta (tenho 31 anos) com roacutan teve um resultado legal, mas essa acnezinha persiste empunhando pele e cabelo são oleosos demais, então não consigo acabar com esse cenário que provoca o meu skin picking. Sem considerar, é claro, a questão emocional, que não sei bem como resolver, pois já tentei várias formas de tentar parar, mas é involuntário. E às vezes sangra e meu couro cabeludo fica todo irritado e vermelho.

  21. #29
    kely
    23.09.2017 - 11:15

    Já tive TOC, sem remédios consegui reduzi-lo, mas Tenho síndrome de Tourret Desde criança, passei por alguns traumas e so aumentou é algo do qual não consigo me desvencilhar e é horrível, tenho tiques vocálicos bem altos, na rua ou próximos a amigos consigo controlar, mas quando estou em casa ou dentro do carro ou em qualquer ambiente sozinha tenho vários tiques, balanço a cabeça várias vezes seguidas que ate dói, em casa é estressante os barulhos que faço com a voz, porem perto dos outros fico tranquila e ninguem percebe, já tentei parar por conta própria mas realmente não dá, esses dias estava do lado de um amigo, e ele perguntou se eu estava soluçando nem vi que estava emitindo tiques vocálicos, as vezes nem nos dammos conta, mas é isso, vou começar um tratamento e sei que vou melhorar, tricotiomania, Sindrome de Tourret e outras sindromes decorrentes de ansiedades nem sempre sáo divulgadas ou explicadas para as pessoas, mas é algo recorrente na vida de muitas pessoas.

  22. #30
    SILVIA REGINA COELHO DA ROSA
    23.09.2017 - 13:57

    Sobre o caso 2: comecei a arrancar os cabelos na adolescência e parei sozinha depois de notar que estava ficando com falhas no cabelo. Eu ainda fico passando a mão nos cabelos mas não arranco mais. Se é um vício, não sei. Não me considero ansiosa nem nada. E não vejo como um problema. Os outros que vêem. É só ficar distraída sem nada pra fazer com as mãos que fico lá alisando e ensaiando pra arrancar os fios. Coisa doida isso.

  23. #31
    ISA
    23.09.2017 - 16:53

    Olha… sobre o primeiro caso… meninas, eu ainda não entendo como tem mulher que aceita ser muleta e step pra homem… de verdade… tenho muitas amigas nessa situação, algumas suportam até traição e não adianta. O mundo é tão vasto, tem tanta gente bacana… não se prenda a alguém que não te valoriza e não soma… ele já disse que não te ama… vc tá esperando o quê, amiga? Vai conhecer um boy magia do teu número.
    Sobre a tricotilomania, eu tb tenho. É um transtorno de ansiedade que é controlável. Eu desenvolvi aos seis anos quando minha vida mudou drasticamente, perdi (arranquei) muito cabelo. Minha mãe ficou preocupada, mas achava que era o shampoo, nunca contei sobre isso. Meu pai tb tinha “mania” de arrancar os pelos do peito. Depois de minha mãe ter ficado preocupada, me policiei e parei. De vez em quando arranco uns ou outros. Eu faço como vc, vou passando a mão e escolho pela textura, porque sei que esses costumam ter uma raiz cheinha. Eu gosto de comer a raiz, aquele pedacinho transparente que vem na ponta. Gosto de ficar passando aquela gelatininha nos lábios, brincar com o cabelo entre os dentes. Sei que isso é nojento e prejudicial, mas é um transtorno. Às vezes só percebo quando já estou no meio do processo. Mas como eu disse, é controlável. Conheço pessoas que infelizmente não consigam controlar, que ficam com falhas. Eu sou desencanada e descobri sobre essa doença sozinha, vivo contando pras pessoas porque sei que deve ser mais comum do que a gente imagina. Tenho uma amiga da facul que gosta de quebrar o cabelo no meio, tá todo quebrado e feio, mas ela não consegue parar.
    Quanto ao último caso, eu estou há mais de 10 anos com a mesma pessoa, e fico abismada de ver como a maioria dos homens casados, amigados, namorados de longa data, andam “desencanados” de sexo. Embora sejam desencanados de fazer sexo, percebo que não abrem mão de ver uma pornografia no celular ou na tv quando podem…esses assuntos surgem na nossa roda de conversa de amigas. Isso pra mim é repressão. As mulheres do século 21 são desinibidas quanto sua sexualidade, graças a Deus. Se eu pudesse, faria sexo ao menos dia sim, dia não, mas meu marido às vezes tá como o da amiga aí… e sei que é frustrante. Tenho que tomar a iniciativa a maioria das vezes, mas não abro mão do sexo não. Acho que por isso, talvez, o meu caso não seja tão grave. Mas como disse, sei que é frustrante… passa na minha cabeça falar pra ele ir fazer uma terapia, sabe? Porque pra mim, os homens é que são reprimidos sobre a sexualidade hoje. E são muito inseguros. Eles têm coragem de fantasiar barbaridades com mulheres com quem não tem afetividade, mas parece que não sabem explorar essa sexualidade ao lado de quem ama. Sei que meu marido tem medo de que eu não goste de algo e fale.Talvez tenham medo de que ao falar alguma coisa de que gostem, podemos nos decepcionar com eles e eles podem perder a segurança que tem… e aí ficam frustrados tb e nem se animam de ter o de sempre? é uma das possibilidades. E fico pensando se a alimentação e outras coisas não tem afetado a libido do homem, porque isso não é normal. Não posso reclamar da qualidade, mas a quantidade tb tem deixado um pouco a desejar. Por muito tempo sempre fui muito convencional, apesar de ativa. Hoje, estou me abrindo mais para outras possibilidades, dentro do meu próprio limite. Várias posições, assistir algo juntos e etc. Eu leio muito e esses livros de romance com pitadas hots têm me deixado um pouco mais aberta e estimulada. Uma coisa que sei que acontece muito é isso: nós queremos provar das coisas com o homem que amamos… já eles acham que isso pode ser algo sujo, impróprio de se pensar em fazer com a mulher que ele tem respeito. O sexo é sempre ensinado de maneira errada. Deturpam nossa visão sobre isso. O homem é ensinado a gostar de sexo quando isso tem a ver com sacanagem, proibido, imoral e depois não conseguem extravasar com a mulher a qual ele tem por companheira, amiga fiel, mãe dos filhos e etc.
    Você já perguntou pra ele como foi a formação dele como pessoa? A educação moral?
    Se tá frustrada com o relacionamento, mas não quer largar, e acha que tão cedo não muda, desloca tua energia pra fazer essas atividades que vc gosta e não faz. Você não precisa nem dele e nem de pessoas conhecidas pra fazer isso. Entra em grupos no face, descobre um evento que vc pode ir assistir e participar e lá vc encontrará amizades com a mesma afinidade. Sabe o que eu fiz? Fui estudar… me encontrei nos estudos, nos grupos de leitura, na dança e etc. Faça aquilo que te faz feliz, vc não vai se arrepender. Só não traia. Se não está bom, largue. Trair é um ato muito egoísta.

  24. #32
    Thereza
    23.09.2017 - 17:57

    Maybelline, tem homem q não gosta de sexo, somos levadas a pensar q homem tem obrigação de gostar.
    Trair é errado, mas combinado não saí caro, conversa com ele,fala sobre a possibilidade de um casamento aberto.

    Tenho apenas um ano de casada, nesse período tive 3 relações. Conversei com meu marido sobre casamento aberto, ele não concordou (falou q não gosta d sexo), então falei para buscar uma solução e dei o período de 2 anos para resolver.

    • #33
      manu
      25.09.2017 - 16:00

      caramba!

  25. #34
    Claudia
    23.09.2017 - 19:34

    Vult – existe cura sim e não envolve remédios. Procure um hipnoterapeuta pois ele irá lhe ajudar a encontrar a causa do trauma emocional que desencadeou essa reação. Apesar do pouco conhecimento público, a hipnoterapia é a única forma de resolver, às vezes em uma única sessão, sintomas decorrentes de traumas emocionais. Veja no site da OMNI onde vc pode encontrar um hipnoterapeuta perto de vc. Bjss

  26. #35
    Rosangela Lima
    23.09.2017 - 21:43

    Sobre o caso 1, eu só consigo lembrar de um post de um blog que conheci recentemente e ajudou muito a entender como os homens pensam.. se chama Desvendando os Homens (pode colocar link aqui?)
    https://desvendandooshomens.wordpress.com/2012/03/21/mulher-nao-corre-atras-de-homem-parte-i/

    O autor é um homem que fala sobre como funciona a cabeça dos homens em geral, ele é muito simpático, prestativo, você manda sua história e ele responde de forma sincera e bem humorada (como a Cony tb faz) e aprendi muita coisa com ele e já mostrei às amigas solteiras também.

  27. #36
    Maria Cruz
    23.09.2017 - 23:29

    Nossa, esse primeiro caso parece muito meu ex, socorro kkkkk
    Caia fora JÁ! Ele tá te fazendo de trouxa, amiga. Dê uma chance para você ser feliz de verdade é isso é longe dele!

  28. #37
    Andressa
    24.09.2017 - 00:59

    Acho que posso falar algo sobre o caso 3. Moça, algumas pessoas já sugeriram isso e eu vim aqui reforçar: marque um médico para o seu marido. Isso pode ser andropausa ou até anemia crônica. As duas coisas causam o desinteresse sexual que você está relatando. Meu marido tomou um medicamento um tempo (o conhecido Roacutan) e teve praticamente todos os efeitos colaterais que tem na bula. Ele simplesmente perdeu a vontade de fazer sexo. E antes disso a gente parecia dois coelhos (acho que conhece esse trocadilho). Imaginei mil coisas, chorei, pensei em separar… um dia bateu a dúvida e eu fui ler a bula: pá, tava lá, diminuição da libido. Conversei com ele sobre isso é só melhorou mesmo depois que passou o período de tomar. Tive que ter paciência, mas tudo se resolveu (aleluia!). Por isso que eu digo: veja se não é algo fisiológico. Se não for, vale umas idas ao psicólogo e a velha conversa franca (que, convenhamos, se seu casamento é bom mesmo, eu imagino que você já teve). Mas tenha calma. Aí não parece uma questão de desinteresse, mas de outra coisa que não foi descoberta ainda. Bjs e boa sorte!

  29. #38
    Ana
    24.09.2017 - 09:20

    MAC: desculpa amiga, mas isso não é amor. Nem ele te ama e nem vc se ama. Seria no máximo uma amizade, e olhe lá. Sei que pra quem tá vivendo a história é mais difícil enxergar certas coisas e racionalizar, mas poxa, aí tb é demais. Sai dessa pra ontem, querida!!

  30. #39
    Flávia
    24.09.2017 - 13:57

    MAC = Ele não gosta de você.

  31. #40
    Thais
    24.09.2017 - 15:33

    VULT: a tricotilomania tá associada a ansiedade, já tentou terapia cognitivo-comportamental pra dar uma ajudada? É uma das mais recomendadas pra ansiedade.
    No mais, Sofri por anos com essa merda e há 1 mês +- parei, sem terapia, com um simples aviso da minha mãe: Thaís, você vai ficar careca igual à sua avó era, lembra?
    Desde então, tosam vez que vou tOcar no cabelo, lembro da careca da minha avó e recuo a mão. Tenta pensar nisso, talvez te ajude (além da terapia)

  32. #41
    Shirley Santos
    25.09.2017 - 09:21

    Mac … a Cony falou tudo !
    1º Você tem que SE amar antes e em primeiro lugar.
    2º Quando isso acontecer, você não vai querer tão perto de você, alguém não TE ame inteira e, principalmente, saiba disso.
    3º Você não vai ter tempo de sofrer por quem não TE merece.

    Vult … Aconselho terapia de comportamento.
    Maybeline … A princípio, comece a fazer as coisas que você gosta sem ele, se isso não acordá-lo e continuar a te incomodar, é você que terá que escolher, por que eu acho que o amor voltou a ser amizade. Mas, traição não é a solução justa para nenhum dos dois ?
    Bjs e voa sorte

  33. #42
    Jéssica Diane
    25.09.2017 - 12:18

    OI Vult!

    De ansiedade (como transtorno) eu entendo rsrs. Já tive várias fases e manias, já roí unha como a Cony comentou, já tive síndrome do pânico, já tive medo de dormir sozinha (depois de adulta), medo de baratas de forma irracional, enfim… a ansiedade vai sair por algum lugar, tenho TOC (não consigo fazer nada sem fazer umas listas insanas), ENFIM, quem me vê no dia a dia, nem percebe essas coisas, mas eu posso imaginar o quanto você sofre, pq esses pensamentos obsessivos CANSAM de uma forma que é até difícil explicar, e as vezes é incapacitante, já deixei de fazer muita coisa na vida por isso. Só tomei remédios na fase aguda do pânico por 6 meses apenas. Hoje faço psicoterapia e consigo ver uma luz no fim do túnel! É o que eu indico a você, procure um BOM profissional, psicólogo, psicanalista… o que você se identificar mais, e se joga. É um caminho longo e árduo (no início da terapia eu piorei muito), mas vale muito a pena. Boa sorte!!! <3

  34. #43
    Rúbia
    25.09.2017 - 13:18

    1. Aparentemente ele não gosta o suficiente de vc, embora ache bem relativo, pois pode ser algum bloqueio que ele tenha. O que importa é: se não está sendo bom pra vc, caia fora, como diz, quando um relacionamento te faz mais chorar que rir, é hora de dizer tchau!

    3. Acontece frequentemente, as vezes é fase mesmo, o ideal é investigar a causa, pode ser apenas cansaço ou fase de relacionamento, mas tb pode ser problema físico mesmo, o que não pode é isso perdurar eternamente, pois amor sem sexo é amizade, como diz Rita Lee, rsrs

  35. #44
    Helen
    25.09.2017 - 14:05

    Caso 3: Essa questão de frequência é muito relativa. Não acho que se o casal não faz sexo com regularidade é sinal de que estão com problemas. O que importa é os dois estarem satisfeitos um com o outro. Agora se os desejos estão em níveis diferentes, acredito que a primeira coisa a ser feita é ter uma conversa franca para saber o que pode mudar de forma a contemplar o desejo de ambos. Meu lema é: quantidade não é qualidade!!! Faça quando tiver vontade e seja feliz!

  36. #45
    Raissa
    25.09.2017 - 15:00

    Eu também tenho tricotilomania desde os 7 anos, só que eu arranco os pelos da sobrancelha e cílios, o que é mais difícil ainda de esconder. Afeta muito a autoestima, as relações sociais, porque todo mundo fica perguntando o que aconteceu, e eu não consigo contar a verdade para ninguém… que eu que tiro, já evitei tantas vezes de sair de casa, de me encontrar com as pessoas por causa disso. Já fiz tratamento com psiquiatra, passei muito tempo usando diazepam, mas ainda não “achei” a cura. Tem épocas que consigo me controlar e os cílios e sobrancelha crescem, mas em outras fica impossível ter esse auto controle, e nesses momentos me isolo totalmente do convívio social.

  37. #46
    Mari
    25.09.2017 - 15:32

    MAC, me parece que o cidadão não gosta o suficiente de você e tá sendo “meio desonesto” te “usando” pra não ficar sozinho. Depois de passar algumas vezes pela situação de ser a parte mais interessada da história, acabei de viver o outro lado. Reencontrei um antigo colega de escola, educado, gentil, enfim, tem todas as qualidades que acho importante num homem. Mas, não funcionou pra mim… Saímos algumas vezes, mandou flores, inúmeros convites pra sair, abria a porta do carro, mandava msg fofas e eu nem aí. Curtia ficar com ele, mas não me balançava… Quando percebi que ele queria algo sério comigo e a recíproca não era verdadeira, sumi há alguns dias… Sei que foi errado, mas não tive de coragem de dizer que não tava a fim, ele é super bacana, mas não aconteceu… Deveria ter feito isso antes de sumir, porque agora fico com medo de me explicar e pedir desculpas e a pessoa entender com uma reaproximação.
    A gente não manda nos sentimentos, às vezes não acontece e pronto. Queria muito ter correspondido, mas simplesmente não aconteceu e não quero ficar enrolando outra pessoa, como já fizeram comigo e me parece, o cidadão está fazendo com você.

  38. #47
    Deise
    25.09.2017 - 16:22

    Para Maybelline: Eu estava numa situação parecida há anos (relacionamento de 8 anos, e eu tenho 31). Reclamava e nada mudava. Até que comecei a sonhar que ficava com outras pessoas e a coisa chegou a tal ponto que acabou acontecendo e me envolvi com outro, o que foi errado, mas me deu força p terminar o relacionamento pois percebi que não amava mais. O que achei estranho foi que nas semanas antes de terminar eu disse que não estava feliz e dei um ultimato e ele mudou totalmente, começou a fazer tudo que eu reclamava que não fazia, inclusive o sexo. Pq não fez isso antes, quando talvez ainda tivesse jeito? Mas aquilo estava me sufocando e não melhorando a situação… Resumo: o lance com o outro não deu certo (ficamos ainda, mas não vejo futuro mais), estou solteira, cheia de rolinhos e feliz. Mas isso foi pra mim, por que na verdade esta situação fez o amor ir minguando. Cada caso é um caso… Torço por você!

  39. #48
    Talita
    25.09.2017 - 20:58

    Eu tb sofro de tricotilomania. E comecei a desenvolver esse distúrbio aos 13-14 anos tb !! Eu só fui descobrir o que era, por que eu fazia isso quando estava com um pouco mais de 20 anos. fiz tratamento com psiquiatra e psicóloga (terapia cognitivo-comportamental), consegui me controlar. Hoje eu ainda arranco, com menos frequência que antes. Apesar de ter consciência do comportamento, é mais forte que eu, as vezes nem percebo quando começo a arrancar. No começo eu fiquei com falhas severas na cabeça, agora ja faz uns bons anos que não fico com falha, ou com falha bem pequena. Morro de medo de ficar careca, ate sonho com isso. Qdo vejo alguém com calvície (mesmo homem) me da arrepio ! Difícil !! Eu vou ficar aqui lendo os comentários para ver se alguém indica alguma coisa que pode me curar para sempre !! Eu confesso que até evito esse assunto pois tenho muita vergonha de falar que eu faço isso. As vezes acordo a noite pensando se vou ficar careca, mas ao mesmo tempo, não consigo parar. Quando eu percebo, ja estou arrancando !! E se não arrancando estou mexendo no cabelo ! Não fico de cabelo solto de jeito nenhum pq não paro de mexer no cabelo…Espero do fundo do coração que a gente consiga superar isso !!! Bjos

  40. #49
    Dede
    25.09.2017 - 22:51

    Maybelline: me vi totalmente na sua história. Namorei seis anos, sendo dois morando juntos. Nos dávamos super bem e nos divertíamos bastante. Mas faltava alguma coisa. Eu, sempre muito aventureira, independente, com sede de conhecimento e viver coisas novas, diferentes. Ele caseiro, nunca propunha nada, nunca surpreendia, conseguia passar o final de semana todo no sofá alternando entre TV e joguinho.
    Isso me desgastou muito, e sentia que o relacionamento estava me puxando muito pra baixo. A questão sexual também pesava, apesar da frequência ser uma vez a cada uma ou duas semanas, sempre eu que tomava a iniciativa e tudo começou a ficar muito automático.
    Desencantei total. O relacionamento não estava me fazendo feliz e me interessei por outra pessoa (não ficamos mas foi muito bom ter sentido tanta atração por alguém, depois de anos em um relacionamento com uma pessoa totalmente MORNA). Eu e meu ex decidimos terminar. Claro que foi difícil, como todo término. Mas pra mim, ficar com alguém que não tem tesão pela vida não dá. Não nasci pra isso.
    Acredito que foi uma decisão super acertada. Depois do término voltei a me colocar em primeiro lugar, e fazer o que tenho vontade. Fiz cursos, esportes, atividades ao ar livre, viagens, etc. Busquei MUITO autoconhecimento e amor próprio. Me conheço mais e sofro menos.
    Hoje, dois anos depois do término estou namorando há um ano e pouco uma pessoa que tem muito mais a ver com meu jeito, ideias e maneira de levar a vida.

  41. #50
    Natalie
    26.09.2017 - 09:06

    MAC – O cara não gosta de vc, não te ama. Vc tem que cair na real, e partir pra outra. Bem como a Cony disse, se ame mulher

  42. #51
    la
    26.09.2017 - 09:20

    vult – Já cheguei a ficar com um buraco na cabeça por causa disso. Eu ficava principalmente procurando o fio pra puxar, mas procurava tanto que o pessoal da faculdade comentava comigo, porque eu mexia tanto no cabelo, praticamente a aula toda. hoje em dia se eu arranco 1 fio é muito, eu praticamente parei, de vez em quando eu vejo que fico procurando, mas é bem pouco. Antes eu procurava até a junta do meu braço doer. O que eu fiz: quando eu vi o buraco falei..acho que isso não é normal..demorei pra perceber que era algo anormal, pesquisando descobri a trico…kkkk eu parei pra refletir quando começou e quando eu mais fazia. Eu comecei me policiar, tem que ser forte: é igual seguir dieta. Eu comecei a racionalizar a situação, quando me dava conta que estava fazendo parava na hora e ia fazer outra coisa. Eu fazia bastante de ler ou assistir algo que me distraia muito, então se eu estava arrancando ia assistir um episódio de alguma coisa que eu sabia que iria gostas, me deixar feliz e me distrair, me levar pra outra dimensão sabe? Desmembra isso da ansiedade, descubra o que começou, quando começou, quando vc faz isso, comece a ligar os pontos e começar a afastar isso de vc, com distrações e coisas positivas. foi o que fiz. Espero ter ajudado. Tem que ser forte, viu que está fazendo, para na hora, no automático e corre pra fazer outra coisa! Deixe as coisas boas se sobreporem as ruins.

    • #52
      Oi
      26.09.2017 - 14:19

      La, seu comentário me ajudou muito…faço há muitos anos…e esse ano estou nessa fase de me policiar e parar. Já melhorei muito, mas achei que não ia conseguir…mas agora vi que é possível. Minha neta é não arrancar e toda vez que começar a mexer no cabelo e perceber o que estou fazendo tenho que parar na hora.

  43. #53
    Raiza
    26.09.2017 - 12:40

    Tive tricotilomania na infância, arrancava tufos e tufos e cheguei a ter falhas. Pela falta de informação na época, meus pais brigavam mas não sabiam o que fazer, e com o tempo, passou.
    Há dois anos tive depressão e a trico voltou com força. Ano passado tive uma “recaída” na depressão e a danada tava lá também, eu sempre caçando os fios mais grossos, enrolava no dedo e deixava no cantinho da mesa do trabalho. No final do expediente, tinha uma peruca lá. Jogava fora. Trabalho com meu pai e ele via também, começou a me repreender. Minhas amigas viam mexendo no cabelo e falavam pra eu parar também. A ansiedade estava nas alturas e a depressão também, foi quando fui ao psiquiatra e à psicóloga. Fiz tratamento com ansiolíticos e conforme fui melhorando meu quadro de depressão e ansiedade, a compulsividade em arrancar os cabelos diminuíam, e hoje, depois de 1 ano de tratamento, é raríssimo eu arrancar algum fio. Continuo com minha terapia pq eu amo, mas foi essencial para me ajudar.
    Eu sei que é difícil pois você sente uma sensação de prazer ao arrancar e ver o fio na sua mão. É um ritual, analisa fio por fio e escolhe qual arracar. Por isso esse toc deve ser levado a sério, o combo da ajuda dos dois profissionais é ótimo pra melhorar e saber se controlar em momentos de ansiedade e tensão.

  44. #54
    Marcella
    26.09.2017 - 18:49

    Mac, acho que não se trata de uma questão de amor próprio. Quem se envolve numa relação em que a pessoa fica mandando sinais antagônicos o tempo todo, sabe bem que a gente fica cheia de caraminholas na cabeça sem saber em que terreno está pisando. Nem sempre é uma questão de não se dar valor, mas é de não saber que a pessoa com quem você se relaciona está jogando com você. Independente do cara gostar de você ou não, provavelmente você infla o ego dele quando o procura. Então meu conselho é: faça a mesma coisa que ele faz com você. Suma, vá cuidar da sua vida, demore dias pra responder uma mensagem, demonstre interesse em outras coisas ao invés de ficar esquentando a sua cabeça com o que ele pode ou não estar sentindo por você. Cuide dos seus planos e dos seus objetivos! Isso, com toda certeza, não só vai te beneficiar individualmente, como vai por água abaixo esse joguinho dele pra se sentir o centro das atenções. Mas claro, isso só vale a pena se o relacionamento ainda te interessar.

  45. #55
    Mari
    27.09.2017 - 01:29

    Maybelline, entendo totalmente seu marido… De uns 6 meses pra cá estou trabalhando MUITO, e às vezes até estou com vontade de sexo, mas não dá, tô sempre cansada. Em outras, não consigo nem pensar na possibilidade. Só rola em algum dia que eu pego folga e durmo, ou quando eu vejo que ele tá com muita vontade e toma a iniciativa. No meu caso é temporário, é algo que só vou fazer por um tempo. Melhorou bem depois que eu parei de tomar o anticoncepcional, mas esse certamente não é o caso do seu marido. Mas acho que vocês deviam conversar sobre sim, ainda mais você tendo essas questões de que se aventurar mais. Um beijo!

  46. #56
    Very
    28.09.2017 - 15:44

    Vult, tbm tenho tricotilomania. Mas acho que o meu caso é mais leve (acho eu), eu não tenho vontade de puxar o cabelo, como a Cony, fico somente procurando um cabelo “diferente”. Mas me atrapalha muito, as vezes tenho que ficar de cabelo preso para conseguir trabalhar, senão passou dia esticando o cabelo, é muito involuntário vc nem percebe. Os outro olham para mim como se eu fosse retardada. E sabe o que é pior?! Eu fico puxando a barba do meu noivo tbm…kkkk. Nunca busquei tratamento, pois oscila muito as vezes estou mais tranquila e outras vezes é mais intenso.

  47. #57
    Karla
    29.09.2017 - 19:38

    MAC – É fácil pra quem está de fora diagnosticar a falta de amor próprio. Infelizmente às vezes isso acontece, entregamos a nossa felicidade “na mão” de outra pessoa e se ela não cuida bem ou nem sabe lidar com isso, ficamos perdidas. Mas, meu conselho seria você realmente tentar terminar. Ele nunca ter dito que te ama é grave e você parece sentir falta disso. Você vai encontrar alguém que te ame. Acredite!

    MAYBELLINE – Sou casada há 5 anos e me identifiquei muito com seu relato. O que vejo é que a INSTITUIÇÃO casamento funciona. A parceria, o casal aos olhos dos outros, mas a parte de HOMEM E MULHER fica devendo, principalmente pela falta de desejo. Pode ser sim uma questão física, mas pode também ser comodismo dele. No meu caso, ainda não tomei uma decisão sobre o que fazer. Mas, hoje em dia eu já nem tenho mais tanta vontade de transar com ele. Sinto desejo, tesão, mas não por ele. Isso é triste. Espero que você encontre uma solução. Espero encontrar também.

  48. #58
    Adriana
    01.10.2017 - 10:40

    Sofro de tricotilomania desde criança, já tive altos e baixos com isso. Para todos que sofrem com isso aconselho a refletirem o motivo da ansiedade, muitas vezes não estamos satisfeitos com nossas vidas ou com nosso desempenho em determinada área, o transtorno vira uma válvula de escape. Nunca procurei ajuda psicológica ou psiquiátrica, porque sinceramente não acredito que a medicação vai resolver a causa do problema.
    Recentemente passei meses fazendo mochilão na Europa e reparei que durante esse tempo eu não sofri com esse transtorno, a ansiedade sumiu, acredito que por eu estar fazendo coisas novas e que me deixavam feliz. Então se você não pode mudar sua vida ou os fatores que te trazem ansiedade, tente fazer uma atividade que te faça feliz, tente se manter sempre em atividades que te façam focar no presente, certamente o quadro vai,pelo menos, melhorar muito.

  49. #59
    Gabriela
    20.11.2017 - 01:17

    Quanta história complicada!

Comente