12
Jul 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Choras antigos, mas eu fui relapsa e deixei a tag um pouco de lado. Às vezes pesa, mas voltamos!

Chora 01 – Kate

Olá Cony,
Meu nome é Kate, tenho 25 anos, sou bonita (se eu não achar que vai me achar não é mesmo? rs), sou gerente de uma loja, ganho suficientemente bem pra viajar, ter meu carrinho, me vestir bem e ser uma parceira “colaborativa” rs
Meu chora é o seguinte: Nunca namorei! Mas o que pega não é nem o fato de eu nunca ter namorado, e sim pq eu nunca dei certo por mto tempo nem ficando com alguém! Eu sou tipo de pessoa que divide a conta, topa uma cervejinha durante a semana, não sou encanada com nada e aceito as pessoas como elas são! E TODOS os caras que eu saí simplesmente me largaram sem motivo aparente, de mtos deles eu não ouvi um simples tchau! Mtos não queriam namorar, me largavam e TCHÁ: 1 mês depois estavam namorando outra! Juro que ja pensei que esse meu jeito de querer dividir a conta, buscar o boy em casa caso ele não tenha carro e outras regalias mais me atrapalhassem de verdade! Mas poxa, é meu jeito, me sinto meio sanguessuga de sair montada na carteira do cara…
Já ouvi conselhos de amigas pra eu parar de ser trouxa, que o cara tem que bancar tudo mesmo pra se sentirem dominadores!
Eu sei que a culpa não é minha e alguém vai me aceitar do jeito que eu sou… mas é que ja fora taaantos acontecimentos como esse que as vezes bate uma deprê e aquela sensação de que vou ficar sozinha pra sempre! Me ajuda Cony, o problema está em mim ou é meu dedo podre que é vitalício?

Me identifiquei um pouco com você pois meus amigos também me acham meio “trouxa” em relacionamentos amorosos. Também sou dessas que sou super boazinha, tento agradar, topo programas que as vezes nem tô querendo só pra acompanhar, faço todos os favores que me pedem, enfim… Não sei se isso é bem um defeito mas uma amiga uma vez me disse: “homem gosta de ser o provedor, ou pelo menos pensar que é. A mulher tem que deixar ele achar que ele manda e que tem o controle da situação. Temos que ser inteligentes e seguir o jogo.” Bom, eu não sei jogar e me ferro algumas vezes rs. É coisa de essência e sei como é difícil mudar isso, falta esperteza e maldade na arte de se relacionar mas juro que tenho preguiça de tentar mudar isso e aposto que você também. Mas uma coisa é certa, quanto mais a gente se importa, menos eles valorizam, pelo menos no início! Ah outro conselho, agora da minha mãe: “com os homens, tem que ser indiferente“. Tomara que os crushs não me leiam hahahaha

Chora 02 – Tory

Oi Cony, tudo bem? Vamos então ao que interessa: Meu marido é muito frio comigo e isso me incomoda e causa brigas monstras a cada dois ou três meses, a partir das quais eu só pioro da depressão e muitas vezes me corto, o que faz ele brigar mais comigo e dizer que eu sou uma burra, uma criança, etc. A gente mora junto há 4 anos e casamos na igreja recentemente. Ele sempre foi mais sério na profissão e eu sempre entendi isso porque a profissao exige, mas na vida pessoal ele também tem muita dificuldade pra ser carinhoso e me dar atenção, acho que é porque ele é órfão de pai e mãe, mora sozinho desde os 13 anos e ficou 5 anos preso injustamente. Ele demonstra o amor dele limpando a casa no fim de semana, pedindo comida gostosa pra nós comermos junto, cozinhando pra nós, me incentivando a estudar pra ser juíza, me levando de carro pra todo lado que eu preciso por que eu não dirijo, me ajudando com minhas dietas loucas, me obrigando a ir no médico quando não quero, etc. Ocorre que isso na maior parte do tempo me basta, mas volta e meia me faz muita falta umas palavras carinhosas, uma flor, uma surpresa, um bilhetinho, uma mensagem no meio do dia, sabe coisinhas pra cultivar o relacionamento? Eu sempre fiz tudo isso, mas ultimamente não tenho feito mais, por que tudo sempre vinha só da minha parte, ele nada e eu estou cansada de ficar no vácuo. Quando eu vou tentar conversar sobre isso com ele está feita a briga, porque ele já fala que eu não reconheço nda que ele faz pra mim, que ele tá sempre errado, que eu nunca estou contente com ele, resumindo, dá um pití e não conseguimos conversar sem brigar e eu acabar chorando. Alguns dias antes do casamento quase fui embora de casa por causa de uma briga dessas.Tudo sempre acaba comigo chorando, ele se sentindo culpado e falando que ele é desse jeito e que ele faz tanto por mim, mas eu insisto em querer que ele escreva cartas e essas coisas que ele não faz. Eu amo ele, não quero deixar ele nunca, nos damos muito bem, temos os mesmos objetivos e visão de mundo, mas ele ser tão frio me incomoda muito, poxa, será que é muito pedir um carinho? Eu tenho depressão e faço acompanhamento com psiquiatra, tento ver o lado positivo das coisas e me contentar, mas é difícil. Também não quero mais ser a empática, a maleável, a que cede todas as vezes. Eu mudei muita coisa pra me adaptar a ele, dentre elas controlar meus rompantes de falta de raiva (por conta da depressão com espectro de bipolaridade) e minha mania de querer estar sempre certa. Por que ele não pode fazer o mesmo?  Agora estamos bem, mas sei que ainda virão muitas brigas sobre isso e não quero me separar por isso, mas também não aguento mais essa situação. O que eu faço? Me ajuda!

Menina, pesado isso. Dos dois lados, mas deixa eu te falar uma coisinha… nem sempre dá pra ter tudo na vida. E pelo que você nos contou, o comportamento do seu marido é completamente compreensível por tudo o que ele passou. Tenta ser compreensiva também… tudo o que ele faz para e por você é uma forma de demonstração de carinho, é a maneira que ele sabe mostrar que se importa com você. Não force as coisas, deixa acontecer naturalmente, e pensa um pouco no lado dele também… é difícil conviver com alguém com depressão, ainda mais da forma que você contou que é… Você também não deve ser fácil miga… seja leve, seja companheira. E será que você realmente resolveu sua mania de estar sempre certa e os rompantes de raiva? Pense com carinho, olhe para dentro de si mesma antes de cobrar algo dos outros.

Chora 03 – Diane

Olá Cony, nem preciso falar o quanto gosto do seu blog. Mas lá vai meu chora!
Minha mãe engravidou cedo (pra mim é muito cedo), ela tinha 19 anos e cabeça de 14. Ela namorava há 5 anos, estava apaixonada e eles “resolveram” ter um filho juntos, meu avô que tem a mente do tamanho de um amendoim fez eles casarem, não queria um filho sem pai dentro de casa. Pois bem, casaram e ficaram: 20 DIAS CASADOS! Pasmem!!! Ela quis voltar pra casa mas meu avô não deixou, então foi morar com a minha avó (meus avós eram separados).
Minha mãe ficou péssima, sofreu durante toda a gravidez, ficou frágil e “sozinha”. Nessa época ela trabalhava numa empresa e tinha um colega de trabalho legal e que gostava dela. Ela o chamou pra ser meu padrinho e começaram um relacionamento, ele me assumiu como filha, mas eu já era registrada no nome do “pai” biológico. Ele e toda família dele sempre me amaram e me deram tudo que sempre pude querer, boas escolas, plano de saúde, brinquedos, cursos, viagens, uma boa casa e amor, meu avô então… Nem posso dizer, ele morreu quando ainda era criança, mas era um amor incondicional por mim, que nem neta de “verdade” era.
Um pouco depois eles tiveram meu irmão e mesmo assim sempre tivemos tratamento igual, meu pai nunca tratou meu irmão melhor por ele ser filho biológico. Nós tínhamos tudo que o dinheiro podia comprar, mas no fundo, desde criança, sempre soube que minha mãe não era feliz, nunca foi. Ela sempre foi apaixonada pelo meu pai biológico, eles me contaram a verdade quando tinha 7 anos, mas sempre senti que já sabia disso, no começo minha mãe me “culpava” por ele não ter voltado pra ela e ela tinha um ciúme doentio por ele, quando soube que ele tinha casado de novo ela ficou louca. Eu só o vi uma vez em toda a minha vida e não lembro rosto dele, mas lembro de cada detalhe daquele dia, mesmo eu sendo muito pequena, minha mãe me levou e ele foi com a esposa. Lembro que no fim do encontro, quando estávamos indo pra casa, minha mãe brigou muito comigo, ela gritava, andava na frente na rua e eu pequena ainda, chorava copiosamente enquanto ela dizia pra eu parar, porque meu pai não ia me perguntar o motivo do choro. Durante muitos anos pensei em todas as palavras duras ditas por ela em relação a ele, em compensação, ela sempre deixava claro que eu podia procurá-lo se quisesse (muito contraditório, né?!).
Depois de adulta entendi minha mãe e a vida que ela teve, não a culpo por nada e sei todos os sacrifícios que ela fez por mim, ela ficou mais de 20 anos num casamento infeliz para que eu tivesse uma boa vida.
Hoje tenho 26 anos e meu pai biológico NUNCA me procurou, nem em aniversário, Natal, nem nada. Soube que ele tem mais duas filhas, são crianças ainda e sinceramente nunca senti vontade de ir atras dele, sempre tive pai e ele foi/é muito bom pra mim. Mas ultimamente essa curiosidade cresceu dentro de mim, eu nem sei como é o rosto dele, não tenho ou vi na vida uma foto dele, se encontrei com ele na rua, não soube quem era. Algumas pessoas, inclusive minha mãe dizem que eu pareço com ele, mas eu não sei!
Nos últimos meses me peguei procurando redes sociais e informações sobre ele, achei o facebook, mas não tem fotos e sempre penso se devo adicionar e dizer: oi, sou eu, sua filha! Gostaria de saber porque ele não me quis, porque ele gosta de ser pai das outras filhas, mas não quis ser o meu.
Do outro lado penso nos meus pais, no quanto posso magoá-los com essa atitude, será que devo ir atras desse homem? Devo mexer nessa história adormecida? Ou devo apenas agradecer por tudo que tive e seguir meu caminho?
Alguém já passou por isso?
Obrigada!

Lembro de um caso parecido aqui no Chora… Acho assim… curiosidade, claro que você deve ter. Eu também teria. MAS não faria nada por “baixo dos panos” sabe? Justamente para não magoar seu pai e sua mãe. Se realmente quiser encontrar com seu pai biológico, antes de mais nada, muita conversa em casa para explicar o porque dessa vontade. E outra coisa, não acho que você deva confrontar seu pai biológico e querer saber porque ele não te quis. Eram dois jovens, pelo visto, inconsequentes, sabe-se lá o que aconteceu e passou na cabeça dele também. As vezes ele também quer te conhecer mas pode ter culpa, vergonha, a mulher atual pode proibir, enfim… muita coisa pode estar acontecendo do lado de lá também. Se você pensa nisso todo santo dia e te perturba, vá atrás, pessoalmente (nada por redes sociais) mas sem cobranças nem nada, apenas para conhecer e ver o rosto dele. “Me falaram que eu parecia com você, queria saber se era verdade.” Assim. Leve, tranquila, em paz. 

 

  • Ai que eu tava com saudade do Chora também! Vou responder mais alguns e abro novamente para emails ok?
79 Comentários
  1. #1
    Marcela Flores
    12.07.2017 - 19:05

    Queria comentar esse segundo chora, do “marido frio”.
    Tory, por favor, leia o que você escreveu. Estou falando isso de coração. Você começou dizendo que seu marido não é carinhoso e não te dá atenção, mas logo nas frases seguintes citou vários exemplos lindos de carinho e atenção.
    A gente tem que ser esperta e entender a maneira que o amor é demostrado pelas outras pessoas. E eu sinceramente acho linda a forma dele demostrar o amor dele, nos simples gestos do dia a dia. Ele está do seu lado enfrentando essa doença dificílima que você tem, quer demostração maior do que essa. Você acha que um bilhete dizendo EU TE AMO, ia mostrar mais o amor dele, do que pedir uma comidinha para vocês ficarem juntos?
    Eu acho que você deveria voltar a demonstrar seu amor por ele da sua maneira. Se escrever bilhetes e mandar presentes é sua forma de demonstrar amor, volte a fazer isso, porque ele está demonstrando da maneira dele. Quem falou pra você que a maneira dele tem que ser igual a sua?
    Eu tenho medo que nessa sua cobrança você acabe perdendo o que você tem, que são demonstrações de amor diárias, nos mais diferentes momentos e situações. Pensa comigo: dá muito mais trabalho para ele ser seu motorista, te obrigar ir ao médico do que te telefonar de surpresa. Ou seja, o amor dele é sincero e exige esforço dele. Quer amor mais sincero que esse?
    Se você perceber isso e deixar as cobranças de lado vai ser muito mais feliz.
    Cada um é de um jeito e eu achei o jeito do seu marido amar muito lindo!!
    Boa sorte nas suas lutas, e não invente outras lutas que não existem, as que você tem já vão exigir muito de você!! Fica bem.

    • #2
      Cibele
      12.07.2017 - 21:05

      lindo seu comentário! <3 Tory, dê valor ao amor que ele está te dando, e não a esse amor idealizado de filme! parece lindo mas lindo mesmo é o que seu marido já faz por vc!

    • #3
      Ana Paula
      12.07.2017 - 21:05

      Maravilhoso Marcela!!
      Eu queria comentar também pra essa moça ler “As cinco linguagens do amor”
      Bjs!

      • #4
        Si
        13.07.2017 - 14:05

        vim pra recomendar esse livro também!

      • #5
        Lira
        14.07.2017 - 10:13

        Esse livro foi muito importante para mim e meu esposo. Descobrimos que temos linguagens diferentes de dizer “eu te amo”. Eu sou “toque físico” (A pessoa que tem a linguagem do amor “Toque Físico” como idioma principal, se sente amada através do toque físico: andar de mãos dadas, abraçar, beijar, toque no ombro, relações sexuais).
        E meu esposo é “atos de serviço”, ou seja, ele demostra o amor dele por mim me ajudando arrumar a casa por exemplo, e se sente amado quando eu sirvo ele (ele adora quando eu monto a mesa e sirvo a comida no prato dele, se sente muito amado com essa simples atitude!). E como ele já sabe que eu me sinto amada através do toque físico, toda vez que eu demonstro amor na linguagem dele, ele me retribui na minha linguagem. Tem funcionado bastante pra gente! Espero ter incentivado a descobrirem a linguagem de vcs tbm! Um abraço com carinho, 😉

    • #6
      Soraia
      13.07.2017 - 08:44

      Maravilhoso seu comentário, concordo inteiramente. Temos que aprender a linguagem de amor do outro e valorizar isto.
      Fora que é muito raro homem que genuinamente demonstre amor com palavras e surpresinhas, digo genuinamente porque tem muito cafajeste que só performa isso para fisgar.

    • #7
      Érika
      13.07.2017 - 09:35

      Eu ia comentar mas a Cony e a Marcela já disseram tudo!

    • #8
      Cacá
      13.07.2017 - 11:02

      Que lindo, Marcela, eu super concordo! E vim exatamente falar isso, que existem várias formas de amar, que o amor está mais no comportamento do que nas palavras!

  2. #9
    Cindy
    12.07.2017 - 19:05

    Tory:
    Vc está sendo dramática e mimada
    Desculpa as palavras duras mas pensa comigo: falar lindas palavras QUALQUER HOMEM fala. Mas demonstrar o amor com atitudes são poucos.
    Então o que vc prefere? Um homem que fala coisas lindas e/ou escreve bilhetinhos carinhosos a todo momento ou um homem que mostra com ATITUDES?
    Como a Cony disse, não dá pra ter tudo. Todos temos defeitos. Acho que todos devemos nos perguntar sobre quais os defeitos estamos dispostos a “aceitar”. Vc prefere um homem que te fala coisas lindas mas é um alcoólatra ou um vagabundo. Ou então que te trai a rodo??
    Ninguém é perfeito e pelo o que vc contou sobre si mesma, não deve ser fácil pra ele te ter como companheira também pq que homem (ou mesmo nós mulheres) quer uma pessoa bipolar, depressiva e com tendência a se cortar a cada rompante
    Vc está reclamando de barriga cheia. Pense bem sobre suas atitudes!

    • #10
      Ana
      12.07.2017 - 19:12

      Concordo! O cara maior companheirão e ela reclamando pq nao ganha flor!

  3. #11
    Marcela Flores
    12.07.2017 - 19:08

    Cony, desculpe os erros de concordância. É a correria!! Bjs

  4. #12
    Ana
    12.07.2017 - 19:11

    Uai meu marido é maravilhoso mas tb não é de gestos fofinhos, mas eu tb nao sou e nem sinto falta kkkk. Miga pelo que vc falou no que importa de verdade ele é bom marido! Agradeça! De homem cafajeste sacana que manda florzinha e mensagenzinha fofa o mundo tá cheio!

  5. #13
    Marcela
    12.07.2017 - 19:43

    Moça do caso 2, leia um livro que chama as 5 linguagens do amor.
    Abaixo segue parte da sinopse.

    Sobre o autor
    “Com mais de 30 anos de experiência no aconselhamento de casais, ele percebeu que cada um de nós adota uma linguagem pela qual damos e recebemos amor. Quando o casal não entende corretamente a linguagem predominante de cada um, a comunicação é afetada, impedindo que se sintam amados, aceitos e valorizados”

    • #14
      Fernanda
      12.07.2017 - 20:30

      Lembrei desse livro enquanto lia o depoimento dela… acho que seria muito proveitosa a leitura.

    • #15
      Adriana
      12.07.2017 - 20:54

      Eu ia indicar o mesmo livro.
      Boa, Marcela! 😉

    • #16
      Soraia
      13.07.2017 - 08:45

      Eu já li esse livro e lembrei na hoooora

    • #17
      Andrea
      14.07.2017 - 07:13

      Todo mundo lembrando desse livro enquanto lê o depoimento, mas pq ele realmente é muito obom!
      O autor é Gary Chapman.

  6. #18
    Thais
    12.07.2017 - 20:25

    Tory, te indico o livro “As cinco linguagens do amor” e depois que vc ler e aplicar tudo pra sua vida, sugiro que com todo o carinho, gratidão (vc vai entender lendo o livro) e humildade sugira ao seu marido que também leia. Para que assim vocês possam entender não só a si mesmos mas também um ao outro. Não se culpe se a sua linguagem de amor é através de gestos, não é superficial, é quem você é. Mas aprenda a traduzir a linguagem de amor dele para preencher este vazio. Falo por experiência própria, meu pai é exatamente como seu marido (principalmente com relação aos traumas) e eu cresci achando que ele não sabia o que é amar. Hoje sei ué meu pai é a pessoa que mais demonstra que me ama no mundo, só que na linguagem dele. Eu tive esse entendimento antes do livro, depois de muita auto análise durante noites de choro, mas posso te garantir que o livro explica de uma forma simples o que me custou anos de dor pra descobrir.

    • #19
      13.07.2017 - 09:38

      Nossa Thais! Você tirou as exatas palavras do meu teclado! 🙂
      Eu ia sugerir a mesma coisa pra Tory – o livro “As Cinco Linguagens do Amor” deveria ser lido por TODO MUNDO porque faz você compreender que apesar das pessoas demonstrarem amor de formas distintas (e muito possivelmente de uma forma que é diferente da SUA!), mesmo assim isso não deixa de ser amor!
      Tory e meninas que comentaram aqui sobre este caso: leiam este livro – só leiam!
      Beijos!

  7. #20
    Debora
    12.07.2017 - 20:30

    Kate,

    A cada palavra do seu relato eu ficava mais surpresa! Poderia ter sido escrito por mim!!!! Tirando a profissão essa é exatamente a minha história, tb sou super independente e não consigo suportar a ideia de mulheres que acham que homens precisam se sentir o provedor. Mesmo sabendo que nosso modo de pensar não agrada a maioria dos homens me recusei a baixar a cabeça. Sempre pensei que um homem que precisa se sentir provedor não era o tipo de homem que eu queria ter ao meu lado. Fui ter meu primeiro namorado aos 27 anos, antes eram casos como os seus, alguns sumiam, outros não duravam mais que meses. Tentava me mandar firme, mas aos 25 começou a me incomodar o fato de nunca ter tido um namoro sério, achava que problema era eu… Mas com toda a naturalidade um dia um deles ficou e ficou e ficou… em poucas semanas me pediu em namoro e assim foi. Hoje aos 30 anos de idade, somos casados a 1 ano (sim sou casada com o meu primeiro e unico namorado “real oficial). Fico feliz por nunca ter mudado o que eu sou e ter encontrado um homem sem pré conceitos socias. Em casa dividimos tudo igualmente. Quando saimos tb. Normalmente a cada saída um paga a conta e é revoltante, quando ele paga nenhum garçom pergunta nada… quando sou eu quem pago eles sempre perguntam se para passar o valor total ou metade kkkkkkkk

    Portanto de tempo ao tempo, não se preocupe com idade, não se prenda a isso, tudo vem em seu tempo certo. Aproveite a vida e não mude apenas para ter um namorado qualquer. Espere pelo namorado certo!

  8. #21
    Kelly
    12.07.2017 - 20:46

    Marcela,
    Eu ia justamente indicar esse livro. Nem todos demonstram seus sentimentos da mesma forma.

  9. #22
    Silvia
    12.07.2017 - 20:46

    caso 1 – kate
    Sou exatamente como vc (mulher autônoma e independente) e sempre tive relacionamentos sérios com longa duração (10 anos, 7 anos e atualmente 5 anos). Tenho 37. Então acho que o problema nada a tem a ver com esse seu comportamento. Deve ser outra coisa.
    Se vc agir como seus amigos estão te orientando, vc apenas encontrará um homem machista. E antes só do que acompanhada de um tipo destes… garanto.

    • #23
      Camilla
      13.07.2017 - 10:00

      Concordo!! Se você precisa fingir ser algo que não é e fazer joguinhos para ficar com alguém, não é para dar certo.
      Sofri muito com isso, mas hoje namoro com um cara maravilhoso e não precisei fazer nenhum joguinho.

    • #24
      Aline
      13.07.2017 - 14:12

      Concordo também, Silvia! Querer mudar a natureza só vai atrair caras errados. Demorou, mas eu aprendi o significado do ditado “antes só do que mal acompanhada” depois de muita cabeçada, de tentar ser o que não era para segurar namorado. Já fui muito de me preocupar com isso, mas hoje agradeço a Deus de não ter me livrado de certos caras.

    • #25
      Jéssica Diane
      14.07.2017 - 12:04

      Concordo!!!

    • #26
      Luciane
      14.07.2017 - 19:07

      Pensei a mesma coisa! Conheço várias mulheres super independentes, que dividem todas as contas, que não estão sozinhas e que ainda escolhem com querem ficar.

  10. #27
    Luana
    12.07.2017 - 20:46

    Kate, já passei por tudo isso e consegui ter o meu final feliz.
    Sofri muito também. Meu problema eh que ou arrumava caras sanguessuga que se aproveitavam por eu ser parceira ou tive relacionamentos que não iam pra frente por que os caras se incomodavam de eu ganhar melhor. Mas tinha outro problema mais grave: eu era legal demais. e ninguém da valor pra gente boazinha demais. Será que vc não está sendo legal demais? Ser legal não eh um defeito, mas no jogo da conquista, acaba sendo!
    Deixa o cara pagar a primeira conta, pagar o primeiro motel e deixa o cara ter um pouco de trabalho no começo , deixa ele te buscar em casa! Acho a maior bobagem, mas eles gostam disso. Depois com o tempo, vai mostrando a parceira que vc eh.
    Passei exatamente pela mesma coisa e achei meu final feliz quando passei a me valorizar mais. Deixe alguém te tratar como uma princesa e depois mostre a rainha que vc eh! Vai ser uma questão de tempo! A pessoa certa que vai valorizar a pessoa legal que vc eh vai aparecer, noomento certo!

  11. #28
    Silvia
    12.07.2017 - 20:48

    Pra todos os casos, indico constelações familiares.

    • #29
      Lia
      13.07.2017 - 12:11

      Concordo muito c vc, constelações familiares…é maravilhoso. Indico muito pq me ajudou demais.

    • #30
      Jéssica Diane
      14.07.2017 - 12:07

      Gente…. é coisa de louco, né? Maravilhoso MESMO.
      Só acho que é mais legal se a pessoa já estiver em processo de psicoterapia.

  12. #31
    Mayra
    12.07.2017 - 20:51

    Eu entendo um pouco vc, sua linguagem de amor é palavras e do seu marido servidão. Leia o livro 5 linguagem do amor vai te ajudar muito vc entender o jeito do seu esposo.

  13. #32
    Naila
    12.07.2017 - 20:56

    Marcela, já tinha ouvido falar desse livro, mas não lembrava o nome. Pelo que ouvi, o livro fala que cada pessoa tem uma linguagem predominante, e se elas não se completam, ou não se equivalem, nunca será suficiente pro outro. Então, Tory, talvez você tenha um homem perfeito, mas não perfeito para você. Quando estamos na nossa zona de conforto é difícil pensar em largar tudo, até porque gostamos da pessoa que estamos. Mas talvez a relação de vocês esteja fadada a ser sempre insuficiente para você. Vale a pena viver assim? Me faço esse questionamento todo dia e ainda não consegui encontrar uma resposta. Espero que você consiga.

    • #33
      Vanessa
      13.07.2017 - 10:01

      Acredito que o livro aconselha que todos observem a linguagem sua linguagem a do companheiro em relação ao amor, para exercitar a forma que o outro está acostumado/gosta; um exercício para solidificar as relaçãoes. Não vi conselho de desistir porque é incompatível as formas amor de um com o outro.

  14. #34
    Luiza
    12.07.2017 - 22:11

    Cony, que lindeza seus conselhos… senti tão bem em ler. Acho q essa sua paradinha foi proposital para voltar com td (alguns passados foram conturbados ne)
    Pode ser o novo ciclo tb rs. Aliás, parabéns!!! Linda demais a sua festa cheia de amigos sinceros
    Sobre o chora 1 – eu sempre fui essa menina aí rsrs.. classificoooo os boys namorarem logo depois de me abandonarem sem motivo aparente hahaha. A única vez q tentei ser diferente me dei muuuuuuito mal e sofro horrores com o término do namoro q so me fazia mal. Acho q a ideia é essa mesma. Seja vc e tenha paciência q um dia um cara legal aparece. Mas não tenha pressa. A vida de solteira é boa demais. S eja é linda e bem sucedida, curta o sucesso. Eu namornamoro hj em dia um cara o incrível. Claro q as vezes tenho q abrir mão de algumas coisas, rever ou aprender alguns conceitos… E deixo ele pagar um sorvete de vez em qd hehe

  15. #35
    Cynthia
    12.07.2017 - 23:06

    Kate:
    Menina, me identifiquei bastante com seu relato também. Temos a mesma idade e as mesmas dificuldades. Meu único namoro durou 6 meses, o que considero pouco, e mesmo assim já faz tempo (uns cinco anos). Também tive um rolo de 3 meses com um cara que conheci pelo Happn esse ano, mas já vi que não vai para frente por ele me achar muito “bobinha” (ele mesmo já disse isso rs).
    Também sou dessas que não vê problema em dividir conta, dar carona, ir para lugares mais simples, enfim, para mim o que importa é o companheirismo. Não sou daquelas também que vive cobrando mensagens, ligações etc., até porque tenho uma vida bastante ocupada e completa (amigos, família, pós-graduação etc.). Porém, vejo mesmo que mulheres mais “chatinhas” (mais impositivas, exigentes, frias) fazem mais sucesso para relacionamentos, digamos assim, mas não tem jeito, ainda não consegui mudar meu jeito relax de ser. Tem um blog que comecei a ler esses tempos chamado “Fazer Homem Valorizar”. Tem algumas dicas boas, quero colocar em prática rs. Quem sabe você tenta também e me diz se deu certo. Vou ficar acompanhando atentamente as dicas de outras leitoras aqui no post.

    Tory:
    A dica que eu ia dar outra leitora já deu aqui em cima: leia o livro “As cinco linguagens do amor”, de Gary Chapman. Se possível, também indique para o seu marido. Pelo seu relato, ambos se gostam, mas não falam a mesma “linguagem” do amor: você se sente mais reforçada com palavras de afirmação e ele através de atos de serviço. Isso é bom porque mostra que vocês sentem afeto um pelo outro e só precisam compreender mais a forma de demonstrar de cada um. Bem melhor que estar em um relacionamento sem nenhum tipo de demonstração de afeto, não acha?
    Menina, está tão difícil encontrar um boy que demonstre com atitudes, enquanto tá cheeeeeio de rapazes que escrevem “textões” nas redes sociais, enchem a namorada/esposa de flores, mas na real é tudo fachada. Aproveita para reconhecer o que ele faz por você! Abrace, beije e mostre reconhecimento por tudo o que ele faz de bom. Quem sabe ele não segue seu exemplo e passa a falar mais coisas fofas? Torcendo por você, pelo seu relacionamento e pela superação da depressão! Beijo.

  16. #36
    12.07.2017 - 23:33

    Acho que a moça do caso 2 está vendo uma realidade distorcida. Ela mesma descreveu inúmeras atitudes do marido que demonstram que ele a ama muito e mesmo assim diz que ele é frio porq não manda flor ou bilhete, coisas superficiais comparadas ao que ele faz por ela. Moça, te digo que 95% dos homens não escrevem cartas ou dizem a todo momento “eu te amo” também. Acho que vc está colocando um problema que é seu nas costas dele. Esse problema parece estar relacionado as suas expectativas talvez idealizadas demais, a sua depressão, talvez carência e baixa autoestima. Pare um pouco de focar nele e foque em si, se observe e se analise mais.

  17. #37
    Jackeline
    13.07.2017 - 02:08

    Sobre o caso 2 :
    Tory,eu entendo você até certo ponto.Namoro a 7 anos e meu namorado também é frio e nada romântico,ele foi “dado” a minha sogra quando tinha 3 meses pela mãe biológica dele,que tinha 15 anos na época.Não sei bem se isso gerou um trauma nele,porque a familia dele é maravilhosa e ele sempre foi muito mimado por todos por ser o caçula dos irmãos,mas fato é que ele acha um desperdício gastar dinheiro com flores,perda de tempo escrever cartas,nunca faz surpresas,pouquíssimas declarações nas redes sociais e sei que não vai rolar um pedido de casamento daqueles cheio de velas,pétalas de rosas e balões de coração,e eu sou uma libriana muito romântica e amo tudo isso e faço tudo isso por ele porque esse é o meu jeito de amá-lo kkkk Sinto falta de ser correspondida da mesma forma,mas vejo o amor dele por mim em coisas cotidianas como as que seu marido faz por você ,e sinceramente são essas coisas que importam e que por serem do dia a dia, passam despercebidas.Olhe seu relacionamento e seu marido com outros olhos,não existe príncipe encantado,não projete suas expectativas no seu marido,esse é o jeito dele de te amar e digo uma coisa ; isso nunca vai mudar,ele não vai passar a escrever cartas e levar buques de flores pra você,ele não é e nunca vai ser esse tipo de homem,ele faz por você o que ele pode e você está jogando um peso desnecessário nas costas dele, a Cony falou exatamente o que eu pensei : Não se pode ter tudo.
    E uma coisa que me chamou atenção foi a parte sobre você se cortar depois das brigas e ter crises de depressão por esse motivo,amiga sua idealização em cima do seu marido virou um gatilho gravíssimo para sua depressão,sei que você disse que faz tratamento com psiquiatra,mas sugiro urgentemente terapia,você pode acabar com seu relacionamento e está colocando sua vida em risco.Desculpe se pareci dura demais,espero que você fiquei bem de verdade <3

  18. #38
    Tati
    13.07.2017 - 03:05

    Caso 1:
    Amiga, acho que vc não entendeu bem o conceito de relacionamento ainda (e talvez por isso não tenha tido um até agora). Ninguém se relaciona com o outro apenas pelo que ele tem (dinheiro, beleza, formação), mas sim pelo que se é. Se fosse como vc diz, não existiriam pessoas ricas solteiras. Não te conheço, mas acredito que as suas atitudes e comportamentos são o que influenciam. Sei lá, um exemplo: ser uma pessoa instransigente não vai ser menos importante num relacionamento pq vc “tem um emprego legal”. Recomendo que vc leia o blog “manual do cafajeste” e esteja preparada para repensar várias atitudes suas com os homens, inclusive essa de que ser independente afasta os homens. Talvez em 1980 isso fosse verdade, mas hoje em dia… sei não. Procure o blog que comentei, vc ira gostar.

    • #39
      Érika
      13.07.2017 - 15:55

      Esse blog ainda existe? kkkkk Lia ele há um tempão….Ilárias as histórias.

  19. #40
    Laís
    13.07.2017 - 08:49

    Tory, minha querida!

    Você já leu o livro “5 linguagens do amor”? Nele fala que cada pessoa tem sua forma especifica de demonstrar amor e pelo seu comentário, vemos que há apenas um grande mal entendido da sua parte, por achar que ele deve demonstrar como você demonstra… Ele faz coisas lindas pra mostrar pra você o quanto a ama, enquanto você se martiriza por entender de outra forma. Leia o livro, e vai entender todos os comentários a respeito dele.

  20. #41
    A.
    13.07.2017 - 09:18

    Oi, Tory! Li seu relato e tive que vir comentar pq me identifiquei em suas palavras.
    Não posso dizer que meu namorado não é carinhoso, mas de uns tempos pra cá, essas coisinhas “românticas” estavam acontecendo pouco, algumas não acontecendo mais. Ele parou de dar flores, fazer surpresinhas, coisas assim, mas em compensação, aumentou muito a participação em coisas “práticas”, muitas delas exatamente IGUAIS às suas (juro!): me ajudando a comprar comidinhas fitness para fazer dietas, me empurrando pra estudar pra ser juíza, me acompanhando em programas que pra ele nem são tão legais, enfim, muito, muito parecido com vc. Só que eu vinha reclamando – e com ele – dessa mesma coisa, até que tivemos uma briga séria sobre isso. Conversando com minha psicóloga, ela me fez pensar sobre algumas questões que me transformaram muito, e talvez te ajudem também: primeiro, o que todas disseram, cada um tem um jeito de expressar amor, e cabe a nós definir o que é importante em nossa vida. Você está provavelmente tão bitolada nessa questão do romance, que será que realmente valoriza essas “pequenas” grandes coisas que ele faz no dia-a-dia? Isso é amor, é muito mais do que paixão, é alguém que verdadeiramente te enxerga e vê suas necessidades. Outro ponto: vc (assim como eu) está enfrentando uma depressão… Será que não está, inconscientemente, procurando nele uma “salvação”? No sentido de fazer na sua cabeça um roteiro que te traria felicidade e impor isso a ele? É muito comum que, ao passarmos por um período crítico, joguemos na pessoa mais próxima a responsabilidade pela nossa felicidade. E vc definiu a felicidade no seu casamento por essas coisinhas românticas que te fazem falta. Mas será que não as está supervalorizando, justamente por achar que só elas te farão sentir completa?
    Não sei se fui clara… Mas isso me fez ver que estava sendo injusta com ele. De fato, não estava valorizando o que ele fazia por mim. Ele poderia vir com um buquê de flores gigante no dia dos namorados, mas isso me bastaria se eu tivesse que enfrentar sozinha meus problemas? Se não tivesse apoio em todas as decisões que tomo? Se tivesse que me virar pra estudar, pra fazer dieta, pra ir atrás das minhas coisas? Como seria realmente a minha vida, do jeito que a conheço, sem a participação dele? Estamos tão acostumadas que deixamos de ver a importância disso.
    Eu cheguei nele depois dessa conversa e disse que eu estava sendo infantil, que eu sou feliz por tê-lo do jeito que é. Mas que pra mim certas coisas são importantes também nesse quesito, e se ele não podia se esforçar um pouco pra perceber isso, pra fazermos isso juntos. Bem… na semana seguinte ele apareceu com um presente no dia dos namorados, escolhido por ele, coisa que não acontecia há muito tempo.
    Tory, com amor, a gente resolve tudo. Ele te ama, não perde seu tempo com bobagens.
    Um beijo e seja feliz!

  21. #42
    tati
    13.07.2017 - 09:25

    Kate, amiga, tbm sou assim e me ferrei por isso… to numa deprê danada… a gente faz tudo pelo boy, buscava em casa, dividia conta e ate msm pagava tudo qnd n tinha dinheiro… mas fique assim nao. o melhor ainda esta por vir. bjs!

  22. #43
    Helena
    13.07.2017 - 10:11

    Diane,

    Você já pensou que sua mãe pode ter impedido/dificultado o contato com o seu pai? Seja por ciúmes, seja por paranoia ou por qualquer outra questão. Eu concordo com a Cony – vá até ele em paz… e disposta a ouvir. Não acredite totalmente naquilo que contaram para você ao longo da sua vida. A história pode ser outra!

  23. #44
    karen christina
    13.07.2017 - 10:15

    Tory, tem um livro que se chama as 5 linguagens do amor, leia so assim você intenderá a forma de amar do seu marido. peça pra ele ler também. cada um ama de uma forma diferente e as vezes não conseguimos entender.

  24. #45
    Fabiana
    13.07.2017 - 10:17

    Meninas, concordo completamente com vcs em relação ao caso 2! Tem muitos homens que dizem EU TE AMO por aí e não tem atitude para com a mulher. Ela precisa rever as atitudes dela, ele está sendo super com ela.
    Rrsrsr….No caso 1, flor, acho que sua atitude não é a errada. Mas vc deveria deixar os caras bancarem de vez em quando. Errado são esses caras por aí que demonstram estar interessados e caem fora. Dizem estar apaixonados, são carinhosos e não tem atitude nenhuma. Percebe Tory? Tenho 39 anos e tb nunca tive um relacionamento duradouro com alguém, sinto falta, tento sempre, mas nunca dá…Tá dificil hein!!! rsrs

  25. #46
    Camila
    13.07.2017 - 10:26

    O terceiro relato é muito minha história.
    A diferença é que minha mae não me culpava. Mas foi exatamente assim. Não vou atrás do meu pai, nem tenho vontade. Recebi muito amor durante minha vida, infelizmente ele não quis me dar. Sinto muita mágoa, mas algumas coisas não dependem somente da gente.

  26. #47
    Cris
    13.07.2017 - 10:47

    Eu vou na contramão!

    Não é desvalor ao que o marido faz por ela, mas é MUITO duro não se sentir amada.
    Não ouvir, não ter uma demonstração de afeto…

    Ele não faz carinho, mas lava o pátio que é uma beleza…

    Isso dói!
    Como é que vou fazer amor no fim do dia se, ao longo do dia não estabelecemos outro tipo de conexão física/emocional?

    Isso mina a pessoa por dentro.

  27. #48
    Ruane
    13.07.2017 - 10:56

    Caso 3 – Diane
    Mulher, vá atrás dessa história! Eu vivi isso. Quando resolvi ir atrás do meu pai, com ajuda de uma amigo advogado, já era tarde demais. Descobri que ele estava morto e não realizei o desejo de conhecê-lo pessoalmente; dele saber quem eu sou e se pareço com ele sim ou não.
    Minha mãe ficou grávida com 16 anos e a família impediu que os dois ficassem juntos. Então, eu cresci sem saber quem era o meu pai. Nunca tive nem padastro e hoje eu sinto falta dessa figura paterna. (tenho 28 anos).
    Então, minha querida, o melhor a fazer é conversar com os seus pais e ir atrás do seu pai biológico. Sem medo, sem aflição, sem receio. É o seu direito! Beijo :*

  28. #49
    Cacá
    13.07.2017 - 11:13

    Que saudade dos choras! *-*

    Chora 1 – Querida Kate, eu entendo o seu lado. Também sou assim, mulher independente que, às vezes, pode assustar alguns homens. Mas acho que isso é um problema mais deles do que nosso. E também não são todos, já conheci homens assim, mas também já conheci outros mais maduros que entenderam que muitas mulheres desse século já mudaram, são independentes, não precisam ser Amélia e nem cópias de suas mães. Bom, continue “procurando”, não precisa mudar seu jeito, uma hora aparece um cara bacana. Boa sorte!

    Chora 2 – Tory, também te compreendo. Meu namorado é bem diferente de mim também, incluindo na demonstração de carinho e amor. Ele também é bem fechado, tem dificuldades de demonstrar/falar algumas coisas, mas aprendi com ele que existem várias formas de amar! O amor se demonstra nas pequenas coisas do dia a dia, não precisa ficar dizendo “eu te amo” todos os dias. Ele demonstra de outras maneiras, da maneira dele, mais contida, fazendo tudo que pode por mim, tentando mostrar que se importa, etc. Então, amiga, pensa que o amor está mais nas coisas que ele faz por você e para você do que simplesmente ficar escrevendo cartinhas ou mandando flores. Então relaxa, não brigue por essas coisas, não se desgaste por isso.

  29. #50
    Samanta
    13.07.2017 - 11:51

    Kate, amiga, “tamo junto”
    Tenho quase a mesma idade, relativa estabilidade financeira, pago minhas viagens, minhas contas, tenho meu carro, tuuuudo parecido. Mas eu tive um namoro, dos 17 aos 22 que foi otimo em varios sentidos, mas que hoje eu vejo o quanto me diminuía. Resultado: Sou ainda mais independente e certa de mim, o que assusta ainda mais os homens.
    Eu não tenho conselho não, vim chorar junto, porque me recuso a ter que fazer joguinho, mesmo que seja no começo.
    A vida já é muito complicada pra eu ter que lembrar de parecer ser uma coisa que eu não sou.

    Boa sorte pra gente, mana

    • #51
      Ju
      13.07.2017 - 13:24

      O cara certo aparece no worrys meninas. Mas pensa aí todas as contas q vc já dividiu com um bando de caras q não deram certo não dariam aquela bolsa caríssima? Ou aquela viagem legal? Economiza teu rico dinheirinho. Mas se ainda assim quiser investir no boy ao invés de pagar a conta compra aquela lingerie caríssima (tá caro viu) e a sobremesa fica por tua conta kkk e tu pode exercer todo teu poder de dominação. E se não vingar pelo menos foi bom né não 🙂

  30. #52
    Daniella
    13.07.2017 - 12:37

    Sobre o chora 1 e o 3:
    1 – Kate, eu também não havia namorado ninguém até os 24. Eram só ficantes. E eu achava que tinha algo de errado em mim. Aos 24 comecei a namorar meu ex. Ficamos 7 anos juntos. Separamos e dois meses depois comecei a namorar o atual e estamos há 2 anos juntos.
    Depois de tanto tempo, fazendo uma análise, percebi que lá no passado eu “perdi” alguns namoros de uns caras que estavam afim de mim mas eu não estava nem aí pra eles (nem percebi isso na época). Então não era nada “errado comigo”. Qnd o cara queria, eu não queria. Qnd eu queria, ele não queria. Qnd é pra aparecer, aparece. Relaxa que uma hora acontece. 😉
    3 – Diane, meu pai teve um filho que ele não assumiu quando ficou sabendo da gravidez. Disse que não era dele e a mãe sumiu. Depois de muito tempo, ele tinha vontade de ir atrás mas tinha medo de atrapalhar tanto a vida da mãe quanto a vida da criança. Tinha medo de ela ter um esposo e ele não gostar da história. Tinha medo do filho achar que tinha outro pai e não saber de nada. Tinha medo do filho o rejeitar. Enfim… tinha vários medos. Estou falando só pra te dar uma ideia de que, talvez o seu pai não tenha te procurado pq ele tb tem medo do que essa aproximação pode causar na sua vida e na vida da sua mãe/sua família. E assim, ele preferiu se manter distante mesmo.
    Meu pai encontrou esse filho e no último ano apareceu mais um irmão meu (custoso demais meu pai.. rs). Esse último, meu pai não sabia da existência dele: a mãe ficou grávida e qnd foi contar descobriu que meu pai tinha ficado noivo, aí ela sumiu e ele nem sabia dessa história. Meu pai assustou demais quando meu irmão o procurou e dise que era seu filho. Ele excluiu o contato do meu irmão mas depois arrependeu e foi atrás. 😉

  31. #53
    Isa
    13.07.2017 - 12:51

    Deeeeeeus me livre namorar um cara que tenha NECESSIDADE de ser provedor… sai dessa nóia, menina! Vc é bacana, independente, tranquila… O problema não é vc, são eles! E paciência! Um dia vc encontra e pessoa certa!

    • #54
      Jéssica Diane
      14.07.2017 - 12:08

      Pensei a mesma coisa hahaha “Deus me livre” hahaha

  32. #55
    Renata
    13.07.2017 - 12:56

    Tory, leia o livro as cinco linguagens do amor, cada pessoa tem uma, e com certeza a de vocês é diferente.

    O livro é baratinho e fininho, tenho certeza que você gostar muito.

  33. #56
    Ju
    13.07.2017 - 13:30

    E menina do caso 1 para de infernizar teu marido gente boa. Vc faloy mto do q ele faz por ti e do q vc quer q ele faça Mas é o q vc faz por ele e o q ele quer q vc faça? Pq ele pode não quero bilhetinhos e ligações as vezes ele tb quer outra coisa de ti e não reclama pq não é briguento.
    E mais uma coisa não faça do outro o seu sol, seja o seu próprio sol. (do livro casamento blindado)
    Bjs e vai dar tudo certo 😉

  34. #57
    isadora
    13.07.2017 - 13:31

    Kate, me identifiquei porque também sempre fui super independente/parceira e os boys me largavam pra aparecer com outra logo depois! Até que conheci meu namorado (meu primeiro namorado, já com 21 anos) e já estamos juntos há 4 anos! Meu namorado me aceita assim e acho que esse é o principal ponto: eu teria sido muito infeliz se tivesse me “diminuído” pra caber num ideal de mulher que os outros tinham. Parece clichê mas é verdade: o que tiver que ser, será!
    Acho péssima essa coisa de “ai os homens isso” “ai os homens aquilo”…nós não temos que apagar a nossa personalidade só porque um ou outro babaca não consegue lidar com isso.

  35. #58
    Lia
    13.07.2017 - 13:32

    Kate:

    Nunca jamais em hipótese alguma faça muito esforço por um ficante. Não vá buscar em casa, não faça favores,não resolva problemas. Quando você parece muito solícita e disponível a maioria dos homens pensa que você é desesperada e apaixonadissima por ele e acaba se desinteressando. Se o cara não tem carro deixa ele dar os pulos dele, se tiver interesse em você ele da um jeito de te encontrar, se o cara te chama pra sair na semana e não no fds não vai. Não é fazer joguinho é não deixar alguém que nao tem interesse de verdade em ti te usar por comodidade.

  36. #59
    Carol
    13.07.2017 - 13:33

    Diane,

    Tenho uma história muito parecida com a sua!
    Eu nunca tive vontade de saber sobre meu pai biológico, na verdade, lembro q ele existe apenas qdo conto minha história para alguém! Mas tive uma fase em que queria saber como ele era, só que depois de refletir em tudo o que isso poderia trazer vi que era um desejo superficial, no fundo não queria arcar com as consequências de me identificar como filha.
    Acho q você tem q avaliar até que ponto vc quer conhecê-lo … se é apenas uma curiosidade ou se você quer realmente conhecê-lo e correr o risco de ter até uma convivência maior com ele!
    No meu caso era apenas uma curiosidade, passou e nunca mais voltou! 😉

  37. #60
    Ana Carolina
    13.07.2017 - 13:46

    Para Tory, a Cony tem razão. Ele já demonstra de outras formas. Algumas pessoas não conseguem falar e ficar bajulando, mas demonstram de outras formas. Você também não é perfeita, pelo que você mesma disse. E ele te apoia e entende. Ou seja, é uma troca. Releve e veja as coisas boas.

  38. #61
    Jane
    13.07.2017 - 14:46

    Tory,
    Te recomendo ler o livro AS 05 LINGUAGENS DO AMOR do Gary Chapman!! Acredite, vai mudar a forma como você enxerga seu marido. Cada um de nós tem uma forma de nos sentir amados. Cada um tem sua “linguagem”. Pelo visto a linguagem do seu marido é “Atos de Serviço”, mas essa não é a sua! Compre o livro, leia e depois nos conte! Tem pra vender no site da livraria Saraiva.

  39. #62
    Carolina Flauzino
    13.07.2017 - 15:06

    Cony, seus comentários de hoje foram muito perfeitos. Amei 🙂

  40. #63
    Helisa
    13.07.2017 - 15:11

    Vim pra comentar que passo por algo semelhante a Tory. Porém meu caso é diferente em um aspecto, eu constantemente tenho que tranquilizar meu namorado em relação a isso. As vezes ele da uma “pala” e começa a falar que não me da carinho suficiente, que eu recebo um amor pela metade e etc (eu sou bastante carinhosa e exteriorizo bastante). Esse complexo dele já causou algumas brigas, porque às vezes ele faz um auê tão grande que me deixa chateada, mas aconteceu que eu se que cada um tem seu jeito e o jeito dele é esse: faz tudo por mim mas raramente diz alguma coisa. E eu o amo assim, me apaixonei assim e não posso pedir que ele mude, afinal eu me apaixonei por essa pessoa. Às vezes é difícil, leonina que sou, as vezes gostaria de uma adulação, mas se tem uma coisa que esse relacionamento me ensinou (e bem ensinado) é que nem tudo é como a gente quer ou como a gente acha que deve ser, e que a gente deve sempre dar o melhor e nós e entender que só porque aquela pessoa não te ama como você quer, não significa que ela não te ama com tudo o que tem.
    Desejo que você entenda isso Tory, e que sua vida seja tranquila e leve, que você entenda que pode ser que seu marido esteja dando a você tudo o que ele tem. <3

  41. #64
    13.07.2017 - 15:13

    Tory. Eu entendo o seu caso porque com meu marido é exatamente a mesta situação. Com exceção que ele não teve uma história difícil como a do seu marido (muito pelo contrário) e que eu não tenho depressão…
    Entendo o que é querer que a pessoa que está ao seu lado demonstre seu amor, muitas vezes sofro por isso também e por vezes tento conversar com ele. E ele fica chateado porque sempre fala de tudo que faz pelo nosso relacionamento (mais ou menos como seu marido)…
    As pessoas são diferentes, temos que entender isso… As pessoas amam diferente. Demonstram diferente… Se você sente que ele realmente te ama, se treine para não exigir tanto dele neste aspecto de demonstração de afeto. Penso muito nisso em relação ao meu marido também, ele é maravilhoso em todos os sentidos, mas deixa a desejar neste aspecto de “atenção”, demonstração, romantismo… acho que quem tem que mudar sou eu, em relação a aceitar o jeito dele e não ficar criando expectativas…
    Afinal, sei que também tenho meus defeitos e ele nunca me julga por isso…

  42. #65
    Daiane
    13.07.2017 - 15:40

    Oi Tory

    Uma dica: leia o livro “as 5 linguagens do amor” e se conseguir peça para ele ler tbm. Vai fazer bem a vocês dois.

    Bju

  43. #66
    Estela
    13.07.2017 - 15:41

    Não preciso dizer mais nada. seus conselhos superam qualquer outro pitaco. Parabéns Cony pela delicadeza que tratou todos os assuntos, fiquei até emocionada lendo.

    • #67
      Constanza
      13.07.2017 - 16:28

      obrigada 🙂

  44. #68
    Bia
    13.07.2017 - 15:46

    Como sempre os conselhos estão ótimos, não tenho muito a acrescentar. Acho que no caso 3 ela deva sim ir atrás do pai sim, como dizem, uma história sempre tem três lados, ouça o dele. Cony, você como sempre com uma maturidade, carinho e conselhos maravilhosos. Você é muito especial, linda por fora e por dentro, com um brilho imenso. Obrigada por esse blog maravilhoso!!!

    • #69
      Constanza
      13.07.2017 - 16:27

      <3

  45. #70
    Cristina
    13.07.2017 - 16:13

    Caso Tory

    Vou também na contramão dos comentários, tudo bem que cada demonstra seu afeto à sua maneira… Mas se o jeito dele não a motiva, não faz se sentir amada… Acho que é melhor reavaliar essa relação!

    Caso Kate

    Homem não tem medo de mulher independente, as mulheres que trabalham muito, na realidade, têm pouca disponibilidade para vida social, pois o pouco tempo vago quer descansar. Vivo isso. Homem admira sim mulher independente, como falaram você deve ser boazinha demais para um começo de relação,fora sua personalidade que não dá para ser analisada. Difícil valorizar o bonzinho demais no começo, perde-se o mistério, o medo da conquista. Não mude esse lado gentil, só diminua as gentilezas!Ah, e veja também traços da sua personalidade. Seja honesta!

  46. #71
    Márcia
    13.07.2017 - 18:41

    Eu super me identifiquei com o caso da Kate. Muitas vezes me perguntei (e até perguntei para amigos também) qual era o meu problema? Hoje estou num relacionamento sério de 1 ano e meio, estou super feliz e olhando pra trás não deixaria de ser gentil e etc, mas acho que muitas vezes fui meio trouxa com quem não merecia. Tipo fazer programas que não estava tão afim, mas queria manter a pessoa perto e até coisas que eu achava que fazendo iriam me levar a um relacionamento sério. Então se eu puder dar um conselho, não deixe de ser você mesma! Mas diga mais “nãos”! Diga sim apenas para quem mostrar te merecer. O cara certo vai aparecer!

  47. #72
    Cassi Janes
    13.07.2017 - 19:24

    Pra Kate:
    Acho que nós mulheres fomos muito educadas para ceder nas situações e as vezes levamos isso para o relacionamento. Eu acho que esse ser boazinha é algumas vezes sinônimo de ceder por algo que talvez não tenhamos muita vontade de fazer. Estou tratando de analisar isso mais no meu relacionamento e tratando de me posicionar. Algumas coisas mudo, outras finco o pé e ponto. Literalmente estou aprendendo a ser um pouco má… E te digo que isso tem me dado muita paz kkkkkkk. Que os homens tratem de ser tao legais com você como você é com eles. E se não são, trate de perceber mais rápido e você meter o pé na bunda deles!

  48. #73
    Mariana
    13.07.2017 - 21:05

    Para o chora número 1, deixa eu contar meu “causo”: menina, tive vários namorados na adolescência, mas fiquei solteira dos 19 aos 25 (não vou incluir um namoro ruim de 3 meses nessa conta rsrs). Nadaaaaa ia pra frente. Sou como você, me achava bonita, trabalhadora, legal, inteligente e nada sanguessuga, pois sempre quis dividir as coisas. Os caras sumiam da minha vida, mesmo quando o sexo era bom…rsrs. Nem assim eles ficavam hahahahaha. Não era chicletes, era legal…um verdadeiro mistério o sumiço dos caras. Aí como vc contou, sempre apareciam com outras. Quando já tinha cansado de vez, tipo “dane-se, não quero nada com ngm tbm”, conheci meu namorado. Tinha tudo pra dar errado: transei na primeira noite, ele morava em outra cidade, tinha um rolo com a ex…Resumo pra vc que deu certo, pq ele foi o único homem suficientemente macho para encarar uma mulher assim rsrs. Estamos juntos até hoje e agradeço por ter demorado para encontrar alguém, pq talvez não o teria conhecido. Homem fraco infelizmente se assusta com mulheres como nós, mas não perca a fé. O que é seu está guardado!

  49. #74
    Andrea
    14.07.2017 - 07:38

    Diane, eu passei a mesma história que vc. Minha mãe me traumatizou muito em relação ao meu pai, apontando sempre os erros que ele cometeu no passado. Eles se casaram aos 17 anos pq minha mãe engravidou de mim, depois tiveram tb meu irmão mas logo depois se separaram. Meu pai nunca nos procurou depois da separação e eu passei a vida inteira sofrendo com isso. Minha mãe se casou novamente quando eu tinha 7 anos, meu padrasto era militar – machista – e não aceitava a história do meu pai dentro de casa e não podíamos conversar nada com a minha mãe sobre ele. Sofri muito com isso, pois sentia uma necessidade enorme de conhecer meu pai e entender toda verdade. Mas aos 18 anos ele me procurou e a partir daí eu fui tentando resolver essa história dentro de mim, mas descobri que meu pai realmente era uma pessoa muito difícil, e que o contato com ele não ia me ajudar em nada. Passei anos e anos tentando uma convivência familiar com ele, mas sempre acabava me decepcionando, até que em 2015 eu decidi mudar para a Espanha, e antes de vir pra cá, tive uma longa e dificil conversa com ele. Dessa conversa, o mais importante foi conseguir falar a ele que o perdoava pelo meu abandono, e que independente de tudo ele era meu pai e eu o queria com todos os defeitos que ele tinha. Em 2016 quando já estava morando aqui, ele teve um enfarto e faleceu do coração. Então o meu conselho para vc é: não deixe de fazer o que vc sente vontade. Porque essas situações deixam muitas marcas e sentimentos confusos dentro de nós, e para que possamos viver em paz, é importante conseguir ao menos tentar resolver alguns deles. Quando soube da notícia do meu pai, eu me senti em paz, pq entendi que havia tentado de alguma forma, e isso me ajudou a ter forças para passar pos isso tão longe da minha família. Siga o que seu coração deseja fazer, e vá em paz!

  50. #75
    Rafaella
    14.07.2017 - 08:40

    Pra amiga do primeiro chora… tamo juntas!
    Depois de mais de uma década em um relacionamento, fiquei solteira e tô aproveitando essa fase. Mas tô nesse limbo tb! Sou independente, não sou uma modelo mas sei me valorizar fisicamente, tenho meu carro, pego o boy em casa também, viajo, divido conta e pago motel (pra mim não é problema algum!). Mas os boys fogem, gente. Não sei se sou bem resolvida demais ou se os caras é que são super frouxos. Ou os dois! Nunca tive vida de solteira pq comecei a namorar bem cedo, então isso é novidade pra mim e tô desanimada! hahaha
    Continuemos na luta, uma hora aparece um boy legal. Amém!

  51. #76
    Rebeka
    14.07.2017 - 10:15

    Tory (caso 2), voce precisa tratar sua depressão, imagine seu marido ter que saber lidar com uma pessoa que se Corta?! Isso é muito GRAVE! Ele já teve problemas demais na vida dele p ainda ter que cuidar de você, você já é bastante adulta e precisa enxergar todo o esforço que ele faz pq ele Quer Estar com você. Essa já é uma grande prova de Amor. Reconheça todos os esforços que seu marido faz por vc e não ache q os homens são como nos filmes…
    Melhore, não faça dietas malucas, faça dietas com acompanhamento e Seja VC, carinhosa com ele pq sinceramente vc não deve ser uma pessoa fácil de se conviver. Vou rezar por vc.

  52. #77
    14.07.2017 - 11:20

    Tory, me identifiquei um pouco com o seu marido. Eu nunca tive problemas familiares, mas reconheço que sou um pouco “fria” (não sou de ficar abraçando, nem dizendo que amo e essas coisas). Meus pais e meu marido já me cobraram muito isso, já escutei várias vezes que eu não demonstro amor por não falar que amo. Concordo que não sou de ficar bajulando e “pegando” ninguém. Mas eu sou uma pessoa que tá sempre ali, perto, presente, de corpo e alma. De uns tempos pra cá pararam de me cobrar (eu tb tenho tentado ser mais fofinha), acho que entenderam que não adianta nada ficar falando da boca pra fora (como meu irmão faz) e na verdade estar sempre indiferente quando o bicho pega.
    Então, tente ser mais compreensiva e valorize seu marido, pq se ele faz tudo o que faz, é pq ele realmente te ama (eu entendo perfeitamente ele kkkkk)
    Bjss

  53. #78
    Ariana
    14.07.2017 - 15:06

    1) Kate: comigo é assim também, vou fazer 35 anos e ainda estou solteira.

    Boa sorte pra nós!

  54. #79
    Bruna
    14.07.2017 - 16:00

    Tory, sendo um pouco fria na forma de falar. Mas entenda que é só para você compreender.

    Eu costumo me “irritar” rápido, ou seja, eu no lugar dele já tinha te deixado.
    Ele cuida de você, ele continua com você doente. Você quer mais o que dele? Simples e curto assim.
    Você está irritada ou se sentindo infeliz, porque você quer e não porque ele te causa isso. Ele faz MUITO, cuide dele pra não perde-lo.

    Beijos e se cuide.

Comente