01
May 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Bom dia flor do dia!! Choradeira atrasada mas teremos um domingo de muitos conselhos. Dei um filtrada em alguns casos, vários parecidos com tudo o que a gente já tem discutido por aqui. Vamos ler com carinho e absorver os conselhos para não ficarmos repetitivas?

Caso 01 – Thássia

¨Oi Cony! Antes de chorar não posso deixar de dizer o quanto o seu bom gosto influencia nas minhas escolhas! Se tem um blog que olho toda vez que estou em dúvida sobre moda, é o seu! Me identifico haha Não sou de escrever no blog e nem acho que o meu chora seja dramático, mas to precisando de umas dicas de alguém que não convive comigo.

A história é meio longa mas vou resumir.  Minha vida mudou horrores de um ano pra cá.

Casei em 2013. Ele nunca foi uma pessoa muito fácil de lidar mas a gente se dava muito bem juntos. Quando casamos veio o grande problema do nosso casamento que era o fato dele não se dar nem um pouco bem com os meus pais e não se esforçar pra ter um mínimo de boa convivência (antes de casarmos ele até fazia um esforço mas depois…). Todo mês brigávamos por causa disso. Isso me incomodava muito, sou filha única, super apegada aos meus pais e sempre sonhei com um marido que se desse bem com eles. Enfim… mesmo com isso fomos levando bem o casamento porque nós dois nos dávamos muito bem quando estávamos sozinhos.

Ano passado fui para os EUA, fiquei 4 meses morando por lá como parte do meu trabalho. Ia pedir o visto de dependente pra ele mas ele achou melhor não ir. Fui sozinha. Durante o primeiro mês não foi fácil… me sentia sozinha, não conhecia ninguém, não saía nem nada. Quase sempre que queria conversar e pedia para o meu marido entrar no Skype, ele nunca queria. Ou era tarde, ou tava com preguiça, ou não tava a fim… até que chegou ao cúmulo um dia de falar que não ia falar comigo porque queria jogar video game. Fiquei super chateada. E talvez isso tenha me levado a repensar toda minha vida e meu casamento. No segundo mês fiz alguns amigos nos EUA (entre europeus, brasileiros e americanos), começamos a sair e começou uma amizade muito boa entre a gente. Foi aí que fui percebendo que eu ficava muito mais a vontade com eles do que com meu marido… que eu conseguia ser eu mesma, fazer as coisas que eu queria fazer e não ser julgada o tempo todo. Enfim… ficando longe descobri que as coisas não estavam legais e que não era isso que eu queria pra minha vida. Mesmo lá dos EUA fui falando com meu marido e ele percebeu que as coisas não estavam boas.

Sou uma pessoa decidida no quesito amor… quando resolvo que não amo mais, não há o que me faça voltar atrás. E foi isso que aconteceu… quando voltei dos EUA tentei por mais um mês salvar o casamento (por insistência do meu marido… e achei que valia a tentativa já que não era um simples namoro e sim um casamento), mas nada feito… já não via ele como marido e não deu outra… logo depois nos divorciamos.

Nesse tempo que fiquei nos EUA fiz algumas amizades, como já falei, mas com uma dessas pessoas em especial era um pouco diferente… não que rolasse alguma coisa mas a gente sempre conversava muito quando saíamos e sempre estávamos juntos. Inclusive ele foi uma das pessoas que me disse pra pensar bem se eu queria o divórcio mesmo, já que era um casamento e não um simples namoro. Ele acompanhou meus pensamentos sobre minha vida enquanto estávamos nos EUA e quando voltei ainda conversávamos bastante sobre tudo. Quando decidi que queria o divórcio mesmo a conversa começou a mudar um pouco. Ele ainda estava nos EUA e eu no Brasil mas nos aproximamos tanto durante esse período que nos apaixonamos apesar da longa distância e de nós dois sabermos que seria bem difícil. Esqueci de falar… ele é europeu. Decidimos começar a namorar mesmo longe e sem ter acontecido nada… até que um pouco antes de ele voltar pra Europa ele veio para o Brasil… Foi tudo lindo, maravilhoso e perfeito… Nessa primeira vez ele já fez questão de conhecer meus pais e pra minha felicidade geral ele amou meus pais e meus pais amaram ele. Logo depois ele voltou pra Europa… e no final do ano foi minha vez de ir pra lá e conhecer a família dele. De novo foi tudo lindo e maravilhoso e eu não poderia pedir alguém mais perfeito pra minha vida do que ele… Somos completamente apaixonados um pelo outro…  nos falamos toda noite por Skype, vemos filme, conversamos o dia inteiro por mensagem… E nós dois temos certeza absoluta que queremos ficar o resto da vida juntos… não existe outra opção pra gente haha

Ele de novo está morando nos EUA e eu no Brasil… Não estou empregada no momento e ele quer que eu vá morar nos EUA com ele, porque essa distância está matando a gente haha Mas aí me vem uma dúvida… não quanto ao amor que sinto por ele mas a dúvida profissional mesmo… Tenho 28 anos (ele tem 24)… Ele está empregado na área dele, eu acabei de terminar meu doutorado e sem perspectiva de emprego por aqui. Mas ir morar com ele nos EUA implica, em pelo menos no começo, viver somente com o dinheiro que ele ganha. Além disso… corre o risco de eu acabar não conseguindo emprego na minha área por lá (que me dedico há mais de 10 anos entre graduação, mestrado e doutorado). E isso me incomoda… tanto o fato de viver com o dinheiro dele (mesmo quando eu estava casada não tinha essa de pedir dinheiro pro marido… tinha o meu e me virava muito bem), tanto o fato de acabar não trabalhando com o que eu gosto. Todo mundo que me conhece fala que eu to tão feliz com ele (como nunca estive) e que não deveria ligar pra essas coisas… que uma hora vou achar alguma coisa e tal… Mas mesmo assim me incomoda. Aí eu penso… to sendo exagerada? Deveria seguir o coração e ir de uma vez e ir ajeitando as coisas aos poucos? To precisando de opiniões…¨

Fia, não se pode ter tudo! Sinto que você quer um amor perfeito, uma carreira perfeita, uma vida cor de rosa em todos os sentidos. Olha só, você já foi bem corajosa de terminar seu casamento porque viu que não era isso o que queria. Era algo que JÁ existia e você se desfez. Agora tem um namoro fofo, com um cara bacana e não quer se jogar por algo que você ainda NÃO tem! Pare de criar obstáculos na sua vida e suposições! Pense positivo, vai que encontra algo na sua área? Mas e se não encontrar a principio, qual o problema em começar a trabalhar em algo diferente? As coisas se acertam, se ajustam, mas para isso a gente tem que permitir. Vai pros USA sim, a coisa aqui tá feia, você tem tudo na mão. Aproveite essa oportunidade.

7dc9a458701e89392d5709d9da5de54a

Caso 2 – Camila

¨Oi Cony! Antes de qualquer coisa quero dizer que adoro seu blog e que ele é o unico remanescente na minha listinha de visitação diária! Adoro você e teu jeito sincero de ser, agora vamos ao meu chora?

Então, sou casada a 12 anos, e tenho uma filha de 9 anos! Mas minha relação acabou abalada a 7 anos atrás quando meu marido teve um caso virtual com minha melhor amiga, ela estava morando em outro Estado, os dois também eram amigos, e eu acabei descobrindo mensagens com declarações de amor e planos de vida a dois!

Pelo que descobri e os dois juraram de pés juntos eles nunca chegaram a concretizar a traição física, mas as mensagens tinham juras de amor, ele dizia que gostava dela e em algumas ela o fazia a comparar a mim e claro dizer que ela era melhor!

Na época eu vivia exclusivamente para ele e meu filho não trabalhava e o deixei, mas ele foi atrás eu estava desemparada, não tenho família, somente um irmão vivo que mora na Noruega, minha filha tinha 2 anos, e eu acabei voltando pra casa.

Acontece que eu nunca mais me senti a mesma, me sinto sempre como uma segunda opção, aquela que ele não teve coragem de deixar sabe? Hoje 7 anos depois estou em vias de me formar na faculdade e começar no mercado de trabalho, faço alguns freelas ainda não sou completamente independente dele, mas estou caminhando pra isso. Vivemos bem, ele me trata bem, temos uma boa vida sem brigas, estável financeiramente e eu nunca mais procurei saber se ele me traia ou não!

Acontece que a dois anos eu conheci alguém, uma pessoa que mexeu comigo, ele não tem o mesmo sucesso financeiro que meu marido, mas estamos por assim dizer apaixonados e desde que me senti de novo prioridade na vida de alguém o desejo de me separar vem crescendo. Essa relação ainda não se concretizou -tb é virtual- e eu sei que ela pode não dar certo, mas só o fato de perceber que eu posso ser amada por quem sou, e não me sentir como segunda opção me deixou tão feliz que eu nem consigo explicar o bem que isso fez a minha auto estima.

Acontece que falando com algumas amigas próximas, todas me acharam louca de deixar um casamento aparentemente feliz e estável, e me arriscar por isso! Mesmo que pra ficar sozinha e tentar a vida, meu marido ganha muito bem, temos uma vida boa, e ao me separar, mesmo sabendo que ele manteria o padrão de vida da nossa filha, as coisas seriam muito complicadas pra mim.

O meu chora é: Será que vale a pena arriscar uma vida mais aventureira e apertada, mas que me dá chance de ser amada e de amar plenamente de novo?! Ou isso é ilusão? E eu devo focar em tentar compreender meu marido e investir mais na relação? Deixando claro que nesses 7 anos pós o ocorrido, eu fui uma esposa exemplar, sempre dando apoio nos projetos dele, cuidando e sendo sempre amorosa e ele não é um marido ruim é um homem compreensivo, bom pai, mas que nunca mais conseguiu me fazer me sentir realmente amada, os e-mails e mensagens em que ele falava como ela era mais bonita, independente e mais admirável que eu, não me saem da cabeça.

Dispenso julgamento de quem vai dizer que estou casada por dinheiro, afinal sabemos que milhares de casamentos por ai se mantém apenas por estabilidade financeira e não por amor, quero opiniões realistas, se fossem vocês, o que fariam?

Como que um erro desencadeia o outro né? Imagino o quanto o caso do seu marido com sua melhor amiga te abalou e deve martelar na sua cabeça até hoje. Sinceramente, acho que eu teria terminado tudo ali, pra valer! Pense bem, você tem uma filha e estava desamparada naquele momento, por isso voltou. Hoje, você ainda quer sair desse relacionamento e o que está te dando mais força é uma outra pessoa que você conheceu. Ou seja, o que você quer está muito claro: sair desse casamento. O que está pegando é: sair desamparada ou não. Você não tem que pensar em arriscar uma nova vida que te de chance de ser amada e de amar novamente. Está indo um passo a frente, se é que estou conseguindo me explicar. A primeira coisa que você tem que fazer é sair desse casamento de aparências. Sim, é o que é. Desculpa mas não confio no seu marido. Um cara que te traiu com sua melhor amiga (eu não acredito na historia que ficou só no virtual não) que te comparou a ela, e que está super confortável porque sabe que você é totalmente dependente dele, se acha no direito de fazer o que quiser e que você sempre estará lá. Você não está feliz. Me explica: ele te trai de forma cruel e você continua com ele e ainda por cima é uma esposa exemplar etc e tal? Cadê amor próprio? Pare de mendigar conforto e vida boa. Sendo BEM realista, vai viver. Você já está procurando sua independência financeira e sabe que vai conseguir. Você poderia muito bem continuar num casamento apenas pela estabilidade financeira, trair seu marido e viver uma vida toda errada e cheia de falhas. É isso o que você quer? Consegue lidar com isso? Vai saber trair e não ser descoberta? Consegue dormir com um homem e pensar no outro? O que é mais importante pra você: suas contas pagas ou sua vida plena? Pense nisso. Não tenha medo, não jogue sua felicidade na mão de ninguém… Tenho uma amiga, 42 anos, ficou casada muitos anos, casamento ruim, sempre reclamava, 2 filhos pequenos. Se virava como podia para ganhar um dinheirinho. Um belo dia ela resolveu que faria um curso de algo que sempre quis na vida. Fez o curso, começou a trabalhar como freela, tomou coragem e se separou do marido. E hoje está namorando um gato, mega feliz, LINDA (parece que rejuvenesceu horrores) e trabalhando MUITO. Tudo é questão de coragem e de saber que a gente merece o melhor sim! Reencontre seu amor próprio! 

223ab30f2eabdea9c20fddd0f2312e8c

Caso 3 – Lala

Estou morrendo de vergonha de publicar minha história. Até já fiz terapia para abordar este assunto, mas nunca tive coragem de falar sobre isso com a psicóloga. Tenho muitas amigas, mas também não tenho nem coragem e nem vontade de falar com elas sobre isso. Enfim, vou recorrer a este super espaço aqui no blog para ver se você e as meninas podem me ajudar.

Tenho 29 anos, sou casada com meu marido há 3 anos e meio. Antes de casar, namoramos por 6 anos. Ele é super bacana, companheiro, alegre, divertido. Enfim, eu o amo e não quero trocá-lo por ninguém e também não tenho atração por ninguém além dele. Nosso casamento é ótimo, passamos por algumas dificuldades mas agora está tudo perfeito e resolvido, na medida do possível. Tudo perfeito tirando o fato de que minha vontade de sexo é ZERO. Digo zero pra não dizer negativa. Atualmente transamos em torno de uma vez por semana, normalmente sábado ou domingo, o que pra mim é mais que suficiente e muitas vezes o faço só por ele, pois eu poderia ficar sem numa boa. Ele até me cobra que gostaria que transássemos mais vezes, mas não tenho vontade nenhuma. Hoje ele me procura e às vezes o enrolo e deixo para o dia seguinte. E tudo acontece meio no automático e em no máximo meia hora está resolvido. As preliminares normalmente são apressadas, pois eu tenho “preguiça”, digamos assim. E eu nunca consegui atingir o orgasmo somente com a penetração, sempre preciso me masturbar para conseguir chegar lá, mas acredito não ter problema com isso. Masturbando-me eu consigo gozar e normalmente gozo duas vezes. Durante o ato eu gosto, mas tenho um pouco de preguiça de fazer. Não sei bem explicar.

Vou contar um pouco sobre meu passado. Comecei a namorar com 15 anos um rapaz que conheci numa festinha. Foi com ele que perdi a virgindade aos 16. Nessa época eu até era mais “animada” nesse quesito, mais despudorada, só que ele não gozava enquanto eu não gozasse. E como nessa época eu era totalmente inexperiente, não sabia que podia me tocar para chegar lá. Enfim, ele sempre demorava muito e quando eu falava que não conseguia ele ficava insistindo. Logo comecei a fingir o orgasmo para terminar mais rápido. Terminamos depois de muitas sacanagens da parte dele (=traições) e logo em seguida conheci quem seria meu segundo namorado, um rapaz da faculdade. Com ele o sexo era vergonhoso, além de ele ser péssimo, minha vontade também quase inexistia. Foi no começo deste namoro que comecei a tomar pílula.

Depois de dois anos, conheci meu terceiro namorado, que viraria meu marido. No começo o sexo era ótimo, transávamos várias vezes durante o final de semana, pois durante a semana era difícil nos encontrarmos. Eu era mais animada e mais safada. Fazia coisas que hoje me envergonho até. Mas daí a preguiça foi batendo e hoje estamos na situação que contei no começo.

Eu sou muito envergonhada com meu corpo, apesar de ser magra e ter o corpo em dia. Aliás, não só com o corpo, tenho vergonha de falar sobre sexo também. Tenho vergonha que meu marido me veja nua e às vezes vou me trocar no banheiro. Não sei se é só vergonha ou também medo que ele sinta vontade de transar ao me ver de lingerie. Tenho várias lingeries bonitas, calcinhas fio dental, camisolinhas sexy, mas quase nunca uso e algumas nunca usei, por medo ou preguiça de que ao me ver usando ele queira fazer sexo.

Atualmente trabalho todos os dias, chego em casa cansada mas não preciso fazer tarefas domésticas pois tenho diarista. Também não tenho filhos. Enfim, somos só nos dois. Às vezes penso ser a pílula, pois a tomo desde os 18 anos. Tenho vontade de parar de tomar, mas sofria muito de cólicas, de chegar a desmaiar ou vomitar ou ficar gemendo no colégio/faculdade até meu pai chegar pra me buscar. E com a pílula melhorou 99%. Hoje quase não tenho cólica e meu fluxo é mínimo, em dois dias termina e quase não suja o absorvente. Também nunca comentei essa falta de libido com meu gineco, talvez precise fazer algum teste hormonal.

Realmente gostaria de ser mais fogosa, de ter mais atitude (pois sempre é ele quem toma a atitude), de usar lingerie sexy e deixar que ele veja, mas não sei como proceder. É como se algo me barrasse. O que faço?

O que você faz? Vai no sei gineco e fale sobre isso. É a pílula, CERTEZA! Pare de tomar se possível, além de ser um veneno e uma bomba relógio, ela está tirando toda sua libido. Fale com ele sobre tomar testosterona também para dar um up na vida sexual. Faça um teste e depois me conte. Ah, e use sua lingeries baphonicas sim, sem medo!

decb1a16201b5c4316cd34b235acc61a

  • Acho que teremos apenas mais um Chora e liberarei os mails ok? Andei lendo e tem muita coisa repetida… Em breve avisarei!!
78 Comentários
  1. #1
    Anônima
    01.05.2016 - 12:47

    Para o caso 3!!! SOU IGUAL!!
    E não é certeza de que é a pílula não. Não é só isso. Parei de tomar faz uns 6 meses e o desejo por sexo é igual a zero, então deve ser algo mais profundo.
    Eu sou casada a 11 anos, e atualmente tenho me questionado se sou assexuada…kkk pq as vezes ficamos mais de um mês sem fazer sexo.
    Amiga, pensei em procurar uma sexóloga, tu não pensou tb? Acho que o caminho é esse. Procure uma terapeuta ou psicóloga. Cheque tb teus hormônios. Os meus estão ok, então deve ser algo a ser tratado com terapia. É foda essa situação te entendo perfeitamente. As vezes da vontade de se separar só pra deixar o outro livre pra poder curtir um sexo.
    Procure ajuda terapêutica pq não é só pílula. CERTEZA.

    • #2
      Anônima 2
      03.05.2016 - 09:35

      Olha, eu também acho que não é a Pilula não. Tomo a uns 2 anos só e senti a queda do desejo sexual também.
      As vezes é a convivência, eu reclamo que meu marido virou meu amigo sabe?! A gente convive muito juntos, desabafa TUDO e isso não é saudável para relação.
      Claro que todo casamento tem que ter amizade, mas manter um distanciamento dos problemas para se tratarem como MARIDO e MULHER é importante também.
      Procure também avaliar a relação e ver se já não virou amizade.

  2. #3
    Paula
    01.05.2016 - 13:16

    Caso 3, nao tenha vergonha gata, fale com seu gineco, pode ser a pílula mas pode nao ser, parei a pilula e to usando DIU e minha libido diminui na verdade, mas fale com o gineco, tem várias opcoes hormonais e outras naturais para isso. E outra fale com seu MARIDO, veste a lingerie toma uma taça de vinho, é normal ter preguiça de sexo de vez em qndo, mas não é saudavel pra relação dos dois isso ser a regra.

  3. #4
    01.05.2016 - 13:20

    Para a Thássia: parabéns! Você foi muito corajosa em terminar seu casamento após perceber que não estava legal, imagino o quanto deve ser difícil fazer isso! E vai pros USA, com certeza! Se joga por lá no que tiver e seja feliz!

    Para Camila: pra mim, é visível a sua infelicidade! Imagino passar 7 anos ao lado de uma pessoa com quem não se sente confortável. Meu conselho é que termine esse relacionamento, sim. As dificuldade existirão e virão, com certeza, mas certeza também que tu saberá passar por cima delas. Sei que depois vai olhar pra trás e vai querer ter encerrado esse período da vida antes! Não vale a pena manter um casamento por conforto, se a gente não se sente bem dentro dele. Boa sorte!

    Para a Lala: Lala, acho que parar de tomar a pílula é um teste muito válido pra ti. São muitos os relatos de pessoas que pararam e voltaram a ter libido. Sobre as cólicas, por vezes, elas são mais fortes na adolescência mesmo e, depois com a maturação hormonal, diminuem. Se, mesmo assim, elas forem muito fortes, vale pensar no DIU de cobre. Além disso, tente a terapia de novo e tente conversar com a psicóloga para se libertar dessas amarras quanto a teu corpo. Acho importante para uma relação haver essa liberdade de conhecer o outro pelado, sem pudores.

    Beijos, meninas!

    BLOG COISA E TAL

  4. #5
    Rafaela
    01.05.2016 - 13:25

    Lalá, vá ao seu ginecologista, fale da pílula e peça um exame de taxa hormonal. Em especial a testosterona livre e testosterona, pode ser que você tenha uma deficiência ou não produza o hormônio. Este hormônio está diretamente ligado a libido e a falta dele pode acarretar até mesmo em depressão.

    Qualquer coisa, me fale que reconversões melhor contigo sobre o assunto, ok? 🙂

  5. #6
    Ana Carolina
    01.05.2016 - 13:37

    Caso 3 (Lala): Menina, eu passo por exatamente a mesma coisa. Estou namorando há 2 anos e meio e já cheguei ao ponto de libido negativa. Eu ia encontrar com meu namorado e já sentia aflição de saber que ele iria querer transar (isso uma vez por semana, no fim de semana). E olha que eu sou apaixonada por ele. Enfim, procurei a ginecologista, falando que queria parar de tomar anticoncepcional, e ela me sugeriu a troca de anticoncepcional e um gel de testosterona. Usei por uns dois meses, e até melhorou um pouco minha libido, mas nada muito excepcional. Entretanto, eu resolvi parar com os hormônios, pois eu tenho um estilo de vida bem natureba, e cortei tudo, anticoncepcional e gel. Melhorou ainda mais. Não tá como no início do namoro, aquele fogaréu que nunca acaba rs, mas minha libido está voltando aos poucos. Eu tenho certeza de que o que te atrapalha é o anticoncepcional; esse trem castra a gente, sério. Te aconselho a ir ao gineco e tentar outras opções, como DIU ou método sintotermal. Mas cuidado com o gineco que vc for: eles geralmente vao te recomendar a troca de anticoncepcional. Não adianta: todos são malignos pro desejo sexual feminino. rs Espero ter ajudado.

  6. #7
    Fabia
    01.05.2016 - 13:40

    Cony, adorei as homenagem às amigas blogueiras ao dar nomes aos casos.

    Thassia: vá ser feliz menina! Se eu tivesse uma oportunidade como a sua não pensaria duas vezes. Super oportunidade. O Brasa está uma mierd*… Se entrega! A vida tá falando pra vc, mas vc não tá querendo ouvir. Vá. Se não der certo vc volta, mas pelo menos tentou.

    Camila: a Cony falou muito bem sobre o seu caso. Na duvide opte sempre por aquilo que te faz feliz.

    Lalá: médico e terapeuta sexual já!

  7. #8
    Cibelle
    01.05.2016 - 13:59

    Thássia, concordo completamente com Cony! Se joga, mulher!! Vai embora ser feliz nos EUA. Vai que lá apareça algo na sua área? Vai que NÃO apareça, mas vc se identifique com outra profissão? Eu, às vezes, sou como vc, sofro por antecedência, mas tô tentando mudar, viver o presente, afinal, é só o que temos de vdd. Go and enjoy it!
    Camila, pelo pouco que conheço de vc, seria interessante vc ir a um psicólogo. Acho a sua autoestima tá mt baixa. Isso até me leva a questionar se, de fato, vc gosta msm desse cara novo ou se é apenas o fato de se sentir desejada. Concordo com a Cony sobre o fato de teu marido ter ficado só na traição virtual: acho mt difícil. Sei lá! Ele fez planos de vida a 2 com uma pessoa com quem ele SÓ conversava? Não creio. Acho q vc tem q seguir com sua vida, pedir o divórcio se não tá feliz e se não tem mais confiança na relação. Ao mesmo tempo, acho q vc não deveria pular direto em outro relacionamento. Fica sozinha com sua filha, aprende a se virar sem seu marido, ganha teu dinheiro e depois vc parte pra um novo relacionamento, já se sentindo segur e feliz SOZINHA.
    Lala, não sei se teu problema é só a pílula. Acho q vc tá mt acomodada. Eu tb tomo a pílula há mt tempo e estou em um relacionamento longo. Houve um tempo em que eu andava meio preguiçosa (não como vc, vc tá demais msm hahahaha), mas mudamos a rotina e funcionou mt. Tb acho que vc precisa gostar do seu corpo. Seu marido te ama, gosta de vc como vc é, te deseja (tanto q ele quer mais sexo), e vc msm disse q tá td em dia. Não entra na neura de se comparar com revista, não, que é td mentira, td photoshop. E vai no gineco, não custa verificar se tá td certo ou se é a pílula.

  8. #9
    Amanda
    01.05.2016 - 14:19

    Cony, acho engraçado as meninas dizerem que seu blog é o único sobrevivente da listinha de blogs. Pra mim sobrou o seu e o da Ana (hojevouassimoff).
    Quanto aos choras: O 1 caso eu diria, vai pros EUA, e lá você testa, pois ainda é jovem e se der tudo errado, ainda pode voltar e tentar sua carreira aqui.
    O 2 caso, eu só separaria se tivesse certeza, pois o marido pode ter se arrependido. Dinheiro não é tudo, mas ela também tem uma filha com ele, então, é muito complicado criar uma filha sem o pai. Ela não falou que não o ama mais, mas que se sente em segundo plano. Se ele se arrependeu, gata, continue. Só separe se você sentir que é isso mesmo que quer, independente do outro cara, pois tudo o que é proibido, é mais gostoso, talvez por ser virtual, seja tão bom… será que na real será bom assim? Se, independente do cara, é ficar se livrar do casamento o que você quer, independentemente de ficar com o outro ou não, vá em frente, e boa sorte.
    No caso 3 não sei opinar, não acho que seja somente a pílula, mas acho importante falar com o médico e terapeuta e expor a sua situação.
    Boa sorte às 3.
    E Cony, fala pras meninas contarem o DESFECHO DOS CHORAS!!! Fico morrendo de curiosidade para saber o desenrolar das histórias!!!

  9. #10
    Lia
    01.05.2016 - 14:24

    Thassia
    Vai pros EUA. Eu recomendo só que tome algumas precauções, tenha um dinheiro guardado que seja suficiente pra voltar e combine um código de segurança com seus familiares que possa usar em caso de problemas. Já que atualmente vc não está empregada o maior risco que corre e ficar presa a ele se a relação não der certo, mas tomando algumas precauções que garantam que você consiga voltar pra casa, se necessário, sem depender de ajuda financeira dele vai lhe deixar muito mais segura pra dar esse passo.

    Camila
    Não aconselho a deixar seu marido por outra pessoa, aconselho a deixar seu marido se não o amar e não for feliz no casamento.
    Se o único fator pra terminar for essa terceira pessoa cuidado. Muitas vezes o relacionamento que ainda não existe é mil vezes melhor do que o relacionamento real. Será que você ter se apaixonado com ele estando casada não vai ficar na consciência dele e atrapalhar o futuro relacionamento de vocês?

  10. #11
    Gabriela Ferreira
    01.05.2016 - 14:31

    Bom, em relação ao caso 2 você tem sido muito corajosa, por aguentar este fardo da traição.
    A traição em si é difícil, mas o que acarreta dela é a falta de confiança. O relacionamento para quem foi traído, nunca mais será o mesmo.
    E cada um enfrenta de formas diferentes, algumas perdoam, seguem em frente…outras perdoam, mas não conseguem seguir em frente…ficam com aquilo martelando na mente.
    Eu acredito que a partir do momento em que, houve o desrespeito da traição, a mulher deve repensar o relacionamento, pois NUNCA mais será o mesmo.
    A comodidade de uma vida boa para a mulher dependente do companheiro, ainda é um fato na sociedade, busque sua independência.

  11. #12
    Mari
    01.05.2016 - 15:09

    Thassia,
    Vou te contar um pouquinho a minha história. Quem sabe não te inspira?
    Conheci meu namorido em Londres em 2009 e nos apaixonamos muito rápido um pelo outro. Ele, europeu também. Como eu tinha que voltar ao Brasil obrigatoriamente no meio daquele mesmo ano, passamos um período bem difícil, sem saber o que fazer com aquele sentimento que tínhamos um pelo outro. O que fizemos? Ele decidiu largar o emprego dele por lá (ok que não era nada muito sério) e ir tentar morar comigo no Brasil. Depois de 4 meses que me conhecia. Ele, que não tinha visto, que não falava uma palavra de português, arrumou emprego bem rápido e ali ficou por 5 anos.
    Entretanto, ele não se adaptou muito bem à minha cidade (apesar de amar o Brasil). Em 2014, surgiu a oportunidade dele fazer um curso muito bom para a carreira profissional dele na Europa, e coincidentemente surgiu uma oportunidade profissional na mesma época para mim nos Estados Unidos. Foi difícil, mas passamos 1 ano separados (só nos vimos 1 semana durante esse período), porque sabíamos que era bom para ambas as partes. Quando o curso dele na Europa acabou, ele recebeu uma proposta de emprego na África. Isso mesmo! Na África! Pensamos bem, e eu decidi que largaria o meu trabalho e iria com ele, na cara e na coragem. Afinal, ele já tinha morado no Brasil por 5 anos por minha causa (mesmo sem gostar da minha cidade), e eu também não estava no emprego dos meus sonhos.. Não estava disposta também em ficar mais tempo separada dele. Estou aqui ja há 1 ano e meio, aprendendo uma nova língua. Onde estou e difícil encontrar trabalho, portanto estou só estudando mesmo.. Ou seja, somos dois, com salário de um. Mas te falo que foi a melhor decisão que tomei na vida. Agora estamos tentando tomar um novo rumo na nossa vida, afinal eu não posso ficar sem trabalho o resto da vida. Mas um novo rumo juntos, afinal ficar separados de novo não está nos nossos planos… Acho que o amor e um relacionamento saudável é assim: se for preciso um tempo separados, ok. Mas que os dois saibam ceder em um momento em prol do outro. Estamos juntos há quase 8 anos e cada vez mais “apaixonados”…

    Beijos e boa sorte!

  12. #13
    Natália
    01.05.2016 - 16:13

    Super me identifico com o caso 3! Já cheguei ao ponto de chorar durante o sexo, porque não rola vontade, por mais que eu queira! é um inferno… Resolvi parar com a pílula há 2 semanas, mas ainda sem efeito! Dedos cruzados para que seja isso.

    • #14
      Jéssica Diane
      03.05.2016 - 11:17

      Chorar?? Nossa Natalia…que triste 🙁

  13. #15
    Iraci
    01.05.2016 - 17:29

    Caso 3: É importantissimo conversar com o ginecologista. Minha médica vivia falando que eu não podia de jeito nenhum ficar sem tomar anticoncepcional e me fez por quase um ano tomar pilula continua. E eu pensava que era por uma inflamação que tinha no colo do utero e depois me toquei que ela era simplesmente mais preocupada com o fato de eu engravidar do que eu. Minha libido foi a zero, precisava usar gel lubrificante de tão seca que ficava. Odiava o fato de pensar em transar so de imaginar o desconforto que isso gerava pq parecia que eu estava sendo cortada por dentro.
    Fiz exames de hormonios e tudo estava ok. Mudei de cidade e parei por conta propria a pilula e tudo ficou 100% de novo.
    Sem contar que fiz varios tratamentos pra refluxo e o meu gastro percebeu que o problema vinha do anticoncepcional tambem.
    Isso é uma droga maldita!!!

  14. #16
    Zi
    01.05.2016 - 17:32

    Thassia, vai fundo. Você não contou exatamente qual é a sua carreira, mas olha, hoje em dia todo mercado tem suas opções pro mundo moderno. Você pode trabalhar online, você pode encontrar um nicho inexplorado em outro país, você pode fazer um curso de adaptação para atuar diretamente em sua área por lá, enfim, qualquer que seja o campo de conhecimento em que você atue, deve ter um jeito. Dá até pra você tentar um doutorado sanduíche por lá, com bolsa, ou algum intercâmbio de trabalho… Pesquise e se jogue, mulher! E em último caso, dá pra você se encontrar em outra profissão… pense nessa carreira da mesma forma que você pensou o seu casamento. Você investiu tempo, construiu coisas, angariou experiências e conhecimento, mas às vezes não era para ser, às vezes tem algo muito melhor esperando por você lá fora. Você pode ser uma profissional muito mais realizada e completa em outro país que valorize capacidade e trabalho duro de verdade… e está desperdiçando esta oportunidade. Estamos na torcida.

    Camila, pode ser que essa sua atração por outra pessoa seja justamente um sintoma de que seu casamento não está bem. É comum quando você está infeliz num relacionamento idealizar em outra pessoa tudo o que queria do próprio parceiro, colocar suas expectativas e esperanças num terceiro. Então, honestamente, se você está infeliz, termine, mas não embarque em um novo relacionamento com tanta ansiedade, porque essa outra pessoa pode não ser a sua tábua da salvação (às vezes é, como no caso 1, mas Às vezes não é, e você pode se decepcionar horrores, se culpar e depois dá-lhe terapia para resolver isso dentro da sua cabecinha).
    Dito isso, eu acho que você não é obrigada a perdoar traição, você tentou, e por mais que a sociedade espere isso da gente, é seu direito não aceitar este tipo de coisa. Quantos anos mais você vai viver assim, castrada, por assim dizer, mutilada e sem poder viver plenamente? Investe em você, na sua carreira, hoje em dia tá cheio de gente que faz bicos para garantir uma renda, e vai viver a sua vida. Você não merece passar o resto da vida se comparando e se sentindo inferior/diminuída por conta de uma deslealdade do seu parceiro. Ok?

    Lala, acho que vale a pena também uma terapia para você trabalhar também suas inseguranças. Porque não adianta parar de tomar a pílula e viver encanada depois. Mas como disseram aqui já, procure um bom profissional, que não fique te enfiando remédio; cuide melhor da sua alimentação, faça atividades físicas, especialmente alguma coisa que te alivie do stress. o/

  15. #17
    Carol
    01.05.2016 - 18:15

    GEnte! CAso 3, “tamo junto”! E no meu caso não é a pílula (não tomo tem mais de ano). O que fazer? Vontade 0… lembro que com outros namorados eu era toda fogosa, mas com meu marido a coisa tá quase parando (no começo era bom, eu acho). Só cumpro tabela, por assim dizer, mas vontade, iniciativa? QUe nada…

    • #18
      Karina
      03.05.2016 - 12:25

      Mais uma para engrossar o coro… Não tomo pílula há mais de um ano, e não tenho vontade de fazer nada. Meu esposo é ótimo, maravilhoso mesmo. Ajuda em casa, leva pra jantar, traz presente, elogia… mas não adianta. Me sinto mal por ele, que se sente culpado, cheguei até a pensar que ele estava com depressão (pois ele engordou bastante desde que nos conhecemos, há 12 anos), mas não é culpa dele. Mas não sei o que fazer. Fui em várias médicas, todas falam que é coisa da minha cabeça, que vai passar, que é stress, mas não consigo lidar com isso. Quando namorávamos, tudo ia bem! Não me conformo com o que pode ter acontecido para que eu ficasse assim, assexuada. Por favor Cony, você que tem acesso a médicas, blogueiras, clínicas chiques e tudo o mais, faz um post com esse tema, garanto que vai ajudar muitas meninas! A maioria nem fala sobre isso pois tem vergonha… é mesmo triste assumir que algo está errado, e não sabemos o que é! O que tenho em comum com o caso 3 é que sou super encanada com o corpo (pois sou “fofinha”). O problema é que sempre fui assim e antigamente as coisas fluiam… 🙁

    • #19
      Paty
      03.05.2016 - 15:09

      Nunca tomava pilula, por conta de fibradenoma nas mamas. Quando me casei, comecei a tomar a mais fraca que encontrei. Minha libido foi a zero. Tinha preguiça e não queria saber de sexo. Transava por obrigação. Parei com a pilula e comecei a tomar DHEA, após fazer 46 exames com um nutrólogo. Comecei a leitura de livros eróticos para ajudar. Minha libido melhorou tanto que ficava excitada 24 hs por dia, achei até que estava com problema rs. Mas sempre fui assim, mais quente. A pílula me prejudicou muito. Ocorre que em certas mulheres a pilula tira toda a libido. Acredito que a rotina do casamento tb ajude a deixar tudo sem graça. Como já passei por isso, precisava compartilhar!

  16. #20
    Mariana
    01.05.2016 - 19:27

    Camila, dependendo da situação você também pode ter direito à pensão!
    Salvo engano (não atuo na área cível), quando a esposa fica por conta dos filhos e do marido, sem estudar ou perceber renda fixa, ela tem direito à pensão sim! Procure um advogado e peça mais informações!

  17. #21
    Mila
    01.05.2016 - 20:47

    Hoje meu “conselho” vai pro caso da Lalá!
    Sofro (literalmente esta é a palavra) de endometriose, e por consequência disso tomo um anticoncepcional que (além de ser caro pra burro, hahaha) no meu caso, deixou a libido negativa. Tenho pouco tempo de casada e isso tem me incomodado bastante! Mas a partir do momento que reconhecemos que isso é ruim para nós e para o outro também, temos que tomar alguma providência. Não digo apenas parar de tomar a pílula e procurar outro método, mas também nos esforçarmos um pouco mais, usar SIM aquela lingerie bacana que além de tudo nos faz sentir ainda mais lindas, conversar sobre e sair da nossa zona de conforto, preguiça e tudo mais!
    Enfim, converse já com seu médico e exponha isso, isso não é saudável e não podemos ser escravas disso e perder tantos momentos bons com quem escolhemos amar!
    Acho que esse comentário serviu mais pra mim mesma do que pra Lalá, rs!
    Beijos meninas!

  18. #22
    Gabi
    01.05.2016 - 22:05

    Thassia, vim conversar porque me identifiquei muito com você. Já mandei um chora – sorria, no caso – aqui contando que depois de causar muito nessa vida encontrei o amor da vida e casamos. Só que ele é americano, morando no Brasil há um tempo e cansando aqui, querendo mudar. No começo eu fiquei muito firme que não iria pra lugar nenhum, que minha casa e minha família é aqui e daqui não saio. Mas aos poucos fomos aprofundando as coisas, e aqui estou, de mudança marcada para a Europa em julho. Hoje sou gerente jurídica numa multinacional, sei que pra entrar no mercado de trabalho vai ser super tenso porque nem falo a língua do lugar, meu diploma não vale, etc. Chegar a gerente então, rs… vai demorar anos, se um dia chegar lá. E eu sou super feminista, pago minhas contas há anos, tive mega crise de ir “depender de marido”. Mas passou. Depois de muita conversa com ele (e várias outras com a terapeuta, rs) entendi que não vou depender dele. É parceria. Estou fazendo uma escolha, que ele vai me ajudar a bancar, e o dia que as coisas começarem a funcionar pra mim vão reverter em ganho pra gente. Parei de me cobrar e ele sempre faz questão de dizer que não é que ele vai me bancar, que o dinheiro é nosso e pronto. Comece a pensar com carinho desse jeito, vai colocando a parceria na cabeça, e aos poucos você vai não só digerindo, como se sentindo confortável com isso. Eu não fui ainda, não posso dizer que é a fórmula do sucesso, mas estou feliz e em paz. Desejo que você se sinta assim também. Beijos

  19. #23
    Bruna
    02.05.2016 - 09:01

    Não concordo que é a pílula com certeza. É algo muito mais profundo. Passo por situação parecida há anos e já tentei de tudo. As vezes é bem desesperador.
    Eu estou melhorando aos poucos, graças a Deus. Fui em sexologo, psicologo, fisioterapeuta. Tudo isso me ajudou, mas nao resolveu.
    Tirei pilula varias vezes tb e nao resolveu.

    Começar a encarar o sexo com mais naturalidade que tem me ajudado muito. Arrumei uma amiga que não tem papas na lingua e comecei a ser assim tb, pelo menos com ela. Falar besteiras explicitas, sem medo de ser julgada e sem me julgar! Parece bobagem, mas faz diferença.
    Além disso, tive um one-night-stand
    No começo foi estranho, me senti estranha. Mas tá tudo servindo para me mostrar que sexo é algo natural e nao precisamos nos sentir culpadas.

    Ainda sinto dor e nao sinto prazer 100%, mas já estou bem melhor.
    Me sentia assexuada, um vegetal. Agora já estou mais feliz.

    Se quiser conversar, pede meu e-mail para a Cony ou deixa eu e-mail aqui.
    Eu me abro com medicos e psicologos. Mas nao consigo me abrir com amigas, pq as pessoas não entendem e tal. Sofro calada.
    Ficarei feliz em te ouvir e conversar 🙂 As vezes podemos nos ajudar juntas.

    Mas a verdade é: a maior parte das pessoas não sao realizadas sexualmente como parecem ser. A maior parte tem problemas, mas ninguem fala.

  20. #24
    Mila
    02.05.2016 - 09:04

    Lalá:
    Meu caso era igual ao seu, mas ao contrário!
    Meu EX (sim, terminei, não só por isso, mas grande parte) só queria 1x por semana e olhe lá.
    Eu queria 3x pra mais.
    Foi complicado, me sentia indesejável, feia, enfim.
    Imagino como esses maridos e namorados se sentem, visto que passei pelo mesmo.
    Desculpe a sinceridade, mas era bom procurar um tratamento ou então procurar alguém com o mesmo ritmo que o seu. Parece cruel, mas é a verdade, existem pessoas de todos os tipos, tem que achar alguém com o seu.
    Não tem coisa pior q vc estar doido p “namorar” e seu companheiro não querer quase nunca. Entendo perfeitamente que nem todos os dias estamos com cabeça pra isso, nem eu quero todo todo dia, mas não querer nunca…
    P.S.: Tomo pílula há 08 anos, então pode ser q o problema não seja esse.

  21. #25
    CLARISSA
    02.05.2016 - 09:40

    Guriaasss::: Thássia- vai pros EUA, lá tu cava alguma coisa, ainda mais com doutorado! na pior das hipóteses volta muito mais interessante e arejada!
    Camila: larga desse cara! Ele arrasou tua auto-estima, faz um pezinho de meia e rapa fora!Eu sei que tu acha que ele vai continuar bancando a tua menina igual, mas a realidade mostra que não é beeem assim… Faz uma poupancinha antes de se mandar… E acha um emprego, não tá fácil, essa crise toda, não dá pra sair sem um estofo! Os tempos tão difíceis e tu tens uma filha pra criar… Te arma antes de sair, mas saia!
    Lalá; sexo se resolve fazendo! Faça!! se vc precisa de estímulo maior compra um vibrador.. Redesperta a tua libido! Sexo é uma espiral, quanto mais se faz, mais se quer… Essa preguiça ta com cara de depressão… já foi ver isso? tem outras pistas… a vergonha, etc… fala com um psiquiatra… outra, se tu tens um assunto que não consegues abordar na terapia, e um assunto tão relevante quanto sexo, amiga, troca de terapeuta… bjooo

  22. #26
    Monique
    02.05.2016 - 09:50

    Caso 3: Cony, com certeza não é só a pílula. A menina tem vergonha até de FALAR em sexo, fica com vergonha só de lembrar das “safadezas” que fazia no passado. Pra mim está claro que o problema está na cabeça dela e o buraco é mais embaixo. Ela criou uma aversão ao sexo a ponto de se esconder do marido “com medo” de ele querer transar. Ela sequer menciona o problema com a psicologa, então acho que a situação vai muito além da pílula.
    Lala, tente mesmo ir ao ginecologista e fazer os exames que as meninas acima sugeriram e, se for o caso, dê um tempo na pílula para testar. Mas você precisa perder a vergonha e o pudor, sugiro que você tome coragem e fale sobre isso com sua terapeuta, ela com certeza vai cavar fundo para descobrir o que gerou essa aversão em você.
    beijos

  23. #27
    Carolina
    02.05.2016 - 10:14

    Caso 01 – Thássia
    Mulherrrrrrrrr vai agora encontrar esse “homi”, a vida é uma só, vai viver então, as coisas acontecem aos poucos, você vai se acertar na sua área profissional, só questão de tempo.

    Caso 2 – Camila
    Largue esse marido já, você não perdoou ele, vive com esse rancor, essa amargura no peito, e posso falar? Com toda razão! Mas não largue pelo outro, reflita se você seria feliz sem nenhum dos dois, se divorcie por você!

    Caso 3 – Lala
    Passo pelo mesmo drama, também não busquei ajuda profissional ainda… No meu caso acho que é pq meu namorado já não me atrai mais… Assunto pra um chora também… kkkkk. Mas vai ver isso sim, se te atormenta se livre desse problema!

  24. #28
    Lu
    02.05.2016 - 11:09

    Me sinto exatamente como a moça do caso 3. Amo meu marido, acho nossa vida a dois ótima, mas a vontade de fazer sexo tá zero. Tenho 29 anos e tomo anticoncepcional desde os 18… Depois dos relatos que li aqui, vou marcar uma consulta com ginecologista para ver o que pode ser… Tenho lido muito sobre o DIU e talvez possa ser uma boa alternativa!
    Cony, conta mais sobre como tem sido sua adaptação com o DIU. Já faz uns meses desde o último post, né?
    E obrigada por essa seção! Você não ajuda apenas as meninas que mandam as histórias, mas centenas de outras que passam por situações parecidas. <3

    • #29
      Julia
      02.05.2016 - 11:37

      amiga, se joga na vida sem pilula! rs… mas sério, pede exames de sangue, pra ver a testosterona etc… isso influencia DEMAIS na libido!

  25. #30
    Julia
    02.05.2016 - 11:33

    Concordo com tudo que você falou, Cony! Foram os 3 casos mais fáceis de resolver rsrs.

    Sobre o caso 3: sou uma nova adepta da vida sem pilula, depois de 8 anos tomando, agora estou quase há 1 ano sem. A questão da pílula nunca foi um problema pra mim, pra chegar nos “finalmentes”, sempre consegui, só na penetração mesmo, sem ajuda nenhuma rs. Até me considero uma privilegiada pelo tanto de mulheres que escuto falar que nunca chegaram lá ou chegaram pouquissimas vezes… mas enfim… depois que eu parei de tomar, SÉRIO, é uma coisa inexplicável kkkkkkk eu achei que tinha virado ninfomaniaca no primeiro mês! A questão da testosterona influencia DEMAIS na libido. Lala precisa sim conversar com o gineco, e se abrir na terapia, porque isso tá muito ligado com o psicológico também!

  26. #31
    Priscila Lima
    02.05.2016 - 11:42

    Lala, procure um endocrinologista, é o especialista para o seu problema. Voce pode estar com as taxas de estrogenios baixas. Boa sorte.

  27. #32
    Jéssica Diane
    02.05.2016 - 11:52

    Acho meio perigoso AFIRMAR que o problema do caso 3 seja a pilula assim, categoricamente…PODE SER que sim, mas não tem como ter certeza. Pode ser psicologico, pode ser que ela seja preguiçosa mesmo e deveria se esforçar…não tem como saber assim sem ela ir atrás e investigar né? É o que eu acho.

    BEijos *__*

  28. #33
    Jéssica Diane
    02.05.2016 - 11:58

    Continuando o meu comentário sobre o caso 3. Eu tbm sou casada e tomo pilula e um bom tempo. Não acho que me atrapalhe não, eu percebo que quanto mais se faz sexo, mais se quer fazer….quanto menos se faz, menos se quer também, e tipo uma bola de neve. As vzs a vontade não vem mais magicamente, a gente tem que se esforçar pra ter um momento bom. Ela fala que “na hora” ela gosta…derrepente vai dela tentar coisas novas, e se esforçar pra ter momentos legais, ate ficar mais natural de novo…

  29. #34
    G.
    02.05.2016 - 14:01

    Nossa…li tantas meninas se identificando com o caso 3… O que está acontecendo com a mulherada?? Pq nos sentimos assim?
    Juro que já me senti assim por muito tempo, sou casada há quase 15 anos… Já fiquei MESES sem transar e sabe como isso mudou? Com um pouquinho de esforço meu.
    Mesmo que eu não estivesse a fim, colocava uma camisola mais bonitinha e me insinuava… Não tomava a iniciativa, por assim dizer… Mas se meu marido se animasse eu tentava me animar também. Com isso as coisas foram melhorando muito!
    Se você gosta de transar e tem prazer, vá tentando mudar sua atitude as poucos, assista filmes pornôs (tem site especializados para mulheres!), visite sites sobre o assunto, pense sobre o assunto.. Adoro o site “Casal sem vergonha”, eles tratam de vários assuntos, pode ajudar!
    Isso me ajudou muito!!!
    Outra coisa, sobre seu corpo… Amiga, aprendi uma dica pra vida: Quando a calcinha está no chão é lá que a vergonha tem que ficar! Se joga!

    Beijos e boa sorte!

  30. #35
    Naira
    02.05.2016 - 14:01

    Thássia, Camila e Lalá…. Os nomes estão cada vez melhores! kkkk

    Quando li Thássia, depois Camila, chutei q o terceiro seria Lalá! Acertei, uhul! =P

  31. #36
    Si
    02.05.2016 - 14:14

    Caso 3. A Cony foi certeira! É o anticoncepcional. Ele é péssimo pra gente, é um veneno q vendem como doce. Vá ao ginecologista e tente parar. Diversas amigas, casadas e solteiras, pararam de tomar e perceberam uma mudança absurda na libido. Converse com seu marido sobre parar de tomar pílula, usem camisinha e começe uma pesquisa sobre o método de controle de fertilidade. Vc e seu marido só tem a ganhar.
    Acho legal também vc propor fazer uns exercícios de toque com seu marido. De luzes acesas e pouca roupa comecem a passar a mão um no outro prestando atenção no toque, nas sensações, no aspecto da pele, pra se conhecer mesmo e pra vc ver q seu corpo não tem problema nenhum.

  32. #37
    Mary
    02.05.2016 - 14:20

    Caso 1 – Menina, queria eu ter oportunidade de me desbancar pros EUA agora! Vai correndo! rsrsrs

    Caso 2 – Olha, acho que você tem que pensar mais em você mesma. Você está encarando essa decisão como uma escolha entre os dois homens, quando o que você tem que escolher é o que você quer para a sua vida: aparência ou liberdade. No meu ponto de vista, a vida aventureira e quebrada (como vc disse) é válida independente de estar acompanhada ou não, porque com seu marido atual não está bom e isso não vai mudar. O novo relacionamento pode dar certo ou não, e eu não estou dizendo pra vc não aproveitar isso, mas apenas pra não encarar como algo 100% certo que vai resolver todos os seus problemas. Todo relacionamento tem seus altos e baixos, não se esqueça. Acho que você deve considerar essa escolha como ela realmente é, em relação à sua vida, e não apenas a outro homem.

    Caso 3 – Olha, não sou casada, mas namoro há quase 5 anos e há uns meses estava exatamente como você. Preguiça total, vontade zero. Por alguns outros motivos parei de tomar a pílula e mudou muito, a vontade voltou ao normal. Eu também tinha cólicas terríveis antes (me identifiquei demais com a parte de ficar esperando o pai ir buscar rs) e hoje em dia, mesmo sem o remédio, não sinto mais nada. Por isso acho que você deve tentar cortar a pílula inicialmente, mas acho válida também uma nova ida à terapia, dessa vez abrindo o jogo. O que é pior: a vergonha de se abrir com a psicóloga ou uma crise no seu casamento (que pode acabar acontecendo)? É horrível se sentir rejeitada(o) e isso não acontece só quando você diz não pra seu marido, mas também quando faz as coisas sem vontade (ele já deve ter percebido isso). Corre atrás de resolver isso logo pra usar essas lingeries!!

  33. #38
    fabiane
    02.05.2016 - 14:38

    tbm tenho a libido baixa, casei a dois meses
    ele me cobra muito, mas sei que homem é diferente da mulher

    a minha estratégia esta sendo assim: fiquei com um mínimo de vontade de transar, vou la e falo pra ele kkkk que me atende prontamente…

    e assim até que estou conseguindo fazer duas vezes por semana

    lógico que vc PRECISA se sentir linda e isso cabe a um terapeuta te ajudar

    e seu marido tbm né, tem que fazer valer…te elogiar, falar umas sacanagens no ouvido é sempre bom

    (tomo anticoncepcional)

  34. #39
    Si
    02.05.2016 - 14:46

    Comecei a ler os comentários e acabaram falando de assexualidade. Eu me considero assexual, mas sei disso desde a adolescência. Acredito q em uma mulher adulta q já teve vida sexual não só ativa, mas ‘animada’, não seja caso de assexualidade. Ainda voto na pílula, mas acho q ajuda pscológica é bem vinda pra qualquer problema na vida, até quando não se tem problema.

  35. #40
    Mariana
    02.05.2016 - 14:48

    Estou passando por uma fase de baixa libido quase igual ao caso 3, com a diferença que até quero, mas o corpo não responde…
    Pra quem tem muitos problemas com menstruação (fluxo bizarro, cólicas insuportáveis, vômitos, mais de dez dias de duração), é muito complicado simplesmente decidir parar com o anticoncepcional. Quando comecei a tomar, ganhei uma qualidade de vida nesse aspecto que simplesmente desconhecia… Há quase oito meses coloquei diu de mirena na expectativa de me livrar de alguns problemas do anticoncepcional. Por exemplo, não tenho mais dores de cabeça; porém, não mudou nada no aspecto da libido.
    Mas é difícil considerar parar com o contraceptivo, pois isso representaria um terço da minha vida (dez dias no mês, pelo menos) em absoluto sofrimento, e eu tenho horror a ficar menstruada por causa disso. Difícil…. Eu não sei o que fazer também…

    • #41
      Mary
      02.05.2016 - 17:14

      Xará, eu também tinha essas cólicas terríveis e sofridas, passei uns 6 anos tomando pílula direto e agora que parei de tomar não sinto mais nada, a qualidade de vida permaneceu! Por isso acho que vale a tentativa ou pelo menos uma conversa com a gineco

  36. #42
    Danusa
    02.05.2016 - 15:38

    Camila, só gostaria de ponderar algumas coisas, porém, antes de tudo, queria dizer que achei você uma mulher muito honrada por ter aguentado esse tranco e continuado com dignidade. Não acho que você voltou pra casa só porque não tava trabalhando, não. Muitas mulheres poderiam ter saído de casa, exigido pensão na hora e feito um escândalo pra família inteira. Acho que você segurou a onda porque tem um conjunto de valores admirável.

    1) Você não entrou em muitos detalhes, mas pelo que entendi você saiu de casa e seu marido foi atrás de você e de seus filhos. Acho que você está enxergando só a cachorrada que ele e essa amiga da onça fizeram, mas veja por outro lado: o seu marido voltou atrás. Naquele momento, ele levou em consideração a mulher que você é e o amor que gerou uma família. Como assim você é segunda opção? Você foi e continuou sendo a primeira opção, sim, ainda que por um momento ele tenha dado esse mole absurdo.
    2) Cuide de você, do visual mesmo. Faça academia, se embeleze, emagreça se for o caso de emagrecer. Você vai se sentir tão bem! Quando a gente se sente bem é mais fácil (i) acreditar que o outro se sente atraído por nós e (ii) lidar com algumas situações do cotidiano, principalmente no que se refere a atitudes do outro.
    3) Entendo a gravidade da cachorrada dele, e não consigo nem pensar no que eu faria na sua situação, mas considere a sua vida depois disso, e as atitudes dele com você e sua família. Pelo seu e-mail, não vi queixas da sua parte sobre o comportamento dele depois disso.
    4) Perdoar é um exercício dificílimo, mas muito nobre. Por que você ainda se prende a esse fato, se já se passaram tantos anos desse momento tão difícil pra vocês? Mais uma vez, não estou desdenhando, mas tentando fazer você pensar sob outro ponto de vista.
    5) Como algumas meninas já disseram aqui e em outros Choras, casinho fora do casamento parece a melhor coisa do mundo, mas é só na convivência diária que as verdades aparecem. Pensa comigo, Camilinha: agora que você está vivendo isso, parece que esse cara é muito melhor que seu marido, né? Mais atraente, mais romântico, mais mais mais… Você está vivendo uma situação parecida com a que o seu marido viveu: o terrível erro de acreditar que o da rua é melhor que o de casa, simplesmente porque ainda não teve a oportunidade de conhecer seus defeitos mais medonhos. Agora que você está numa situação parecida, procure enxergar com os olhos do coração como o seu marido acabou sendo levado a dizer o que disse, a agir como agiu. Não tô falando que alguém colocou uma arma na cabeça dele, não, tô dizendo que às vezes somos levados a fazer coisas que fogem totalmente daquilo que somos em essência. E a essência de vocês, pelo que você abordou brevemente, parece ser a de uma família feliz.
    6) Por último, vou dizer o que pode ser o mais polêmico: pense nos seus filhos, mulher. Claro que seus filhos querem ver a mãe feliz, e a primeira opção que você tem é se separar e ficar com esse cara que apareceu. Mas, que criança prefere os pais separados? Se não é uma realidade de agressões, depressão, sei lá, se é um ambiente feliz, é óbvio que será sempre melhor para eles ver os pais caminhando juntos.
    7) A pensão ele poderia estar pagando desde sete anos atrás, mas não é isso que mais importa. O dinheiro que sustenta a casa é o dinheiro de vocês. Continue seus estudos, sim, mas por realização, pra ter assunto, pra ver gente, pra se sentir produtiva, não pra “se livrar” do seu marido.
    Boa sorte aí.
    Beijos,

    • #43
      Manuella
      03.05.2016 - 08:34

      Danusa, não concordo com a sua conclusão, mas achei o seu ponto de vista MARAVILHOSO e MUITO, MUITO, MUITO sensato!! Você se dedicou a escrever um comentário giga, mas que aborda tudo o que a Camila deveria ponderar antes de tomar a decisão dela.
      Acho que a melhor parte dos “Chora” é essa. A discussão saudável que o tema propõe.

      Beijosss

    • #44
      Soraia
      03.05.2016 - 12:53

      Que comentário fantástico. Tamanha empatia capaz de fazer você escrever um comentário desses mostra que a humanidade tem jeito 😉

      • #45
        Andressa
        03.05.2016 - 22:05

        Pensei a mesma coisa, Soraia. A humanidade talvez tenha jeito. Não concordo com as ideias da Danusa, mas foi muito bom ler um ponto de vista diferente. Serve para repensar o nosso e mudar ou ter mais certeza. Muito legal!

  37. #46
    Maria
    02.05.2016 - 15:58

    Com relação ao 3º caso (tá parecendo “Casos de Família” kkkkk), eu acho que hoje em dia temos muitas distrações aplicativos, redes sociais, e acabamos que na hora do sexo temos preguiça de parar e nos dedicar.
    Eu me sentia assim tb, preguiçosa, preferia dormir, assistir tv, acessar redes sociais a fazer sexo, e olha que sou apaixonada por meu marido.
    No final de janeiro/2016, parei com a pílula, e já notei grandes mudanças, entre elas aumento da libido e lubrificação.
    Além do que arrumei uma inspiração, achei um insta de uma mulher que já é mãe, e que se “dedica” a ter momentos agradáveis (sexo) com o marido, foi ai que caiu a minha ficha, poxa, se ela que é mãe, arruma um tempinho, um jeitinho, e demonstra toda essa vontade, eu vou tentar resgatar esse meu lado tb.
    E foi isso o que eu fiz, deixei a vergonha de lado, e passei a pesquisar mais sobre sexo, ver imagens, ler contos, isso tem me ajudado muito… Com o tempo passamos a ter vergonha de certas coisas que faziamos no começo do namoro, e acabamos virando “puritanas” demais, e isso não é bom.
    Sexo no casamento é importante e deve ser resgatado, regado e cuidado com carinho, faz bem para nós e para nossos namorados/maridos tb.

    • #47
      Kelly
      17.05.2016 - 11:43

      Pode deixar o instagran dessa mulher? Pode Cony?

  38. #48
    Vivi
    02.05.2016 - 17:15

    Camila:
    Eu tinha um casamento horrível e conheci um cara pela internet. Me apaixonei loucamente. Quando estava para me separar, uma amiga do trabalho, bem mais velha e experiente, me disse: “você está se afogando num casamento ruim, mas cuidado para esse seu casinho não virar sua tábua de salvação. Se não tivesse conhecido ele, você se separaria mesmo assim?”
    Isso me fez refletir. Não aposte suas fichas nesse relacionamento virtual, até porque, no fim das contas, você vai agir mais ou menos como o seu marido fez anos atrás. E talvez se sinta mal por isso e não consiga realmente ser feliz. Vai ser um novo fantasma. Aliás, já fez para te ajudar a lidar com o fantasma da traição, e superar esse assunto? Sem esse fardo te atormentando, talvez você consiga decidir com mais clareza.
    E se no fim das contas você decidir se separar (como eu fiz) vai ter a certeza de que decidiu por você, e não pelo amor virtual.
    Beijos!

  39. #49
    Raquel
    02.05.2016 - 17:47

    Estou impressionada com a quantidade de mulheres que se identificaram com o caso 3. E apesar de preocupante, me deu um certo alívio saber que não sou a única.
    Acho sim que o anticoncepcional possa piorar sim, pode não ser o único vilão da história, mas ajuda a piorar a situação.
    Eu tomei muito pouco na minha vida, porque ele me deixa morna! Então prefiro viver assim, entre 15 dias de TPM, 5 de M, e 10 felizinha. É aí que rola um sexo com vontade. rsrs…
    Filme porno me ajuda também, aqueles bem light, que passam nos Telecines no fds de madrugada.
    Preguiça é foda, mas você tem que cuidar disso, antes que tenha filho e aí a preguiça vem mesmo por exaustão.
    Pensar em sexo também ajuda (é que eu esqueço, mas qdo estou focada sei q ajuda).
    Também tenho esse negócio de não usar algo bacana porque se não ele vai querer transar.
    Ah q bosta, to tentando ajudar, mas é o sujo falando do mal lavado. To no mesmo barco querida. Preciso de ajuda tanto quanto você.
    Cheguei a fazer terapia sexual, odiei! A louca disse que eu não era apaixonada pelo meu marido, pois se eu fosse ele saberia ligar meu “botão”, isso me gerou um baita transtorno matrimonial, Infelizmente, tem coisas que dependendo de quem fala tem um certo peso para mim.
    Mas isso passou. Hoje sei que amo muito meu marido. Sei também que a gente tem ajustes pra fazer. E que talvez isso cause um pouco de insatisfação de um modo geral.
    Infelizmente, a gente não consegue separar as coisas como os homens. Ta tudo interligado na nossa mente.
    Pra mim às vezes é muito frustrante, porque tenho o péssimo hábito de fantasiar uma família Doriana que não existe, aí posso ficar sem desejo.
    São tantas coisas… a cabeça da gente é muito doida.
    Então bora procurar um terapeuta. Mas tem q ser o/a terapeuta. Vai procurando até achar o profissional certo.
    Hoje eu encontrei, minha terapeuta é fantástica!
    Boa sorte! Espero que consiga viver este desafio o mais em paz possível.

    • #50
      Constanza
      02.05.2016 - 18:32

      Acho que vale um post ne? Tb to chocada com a quantidade de mulheres sem libido!

      • #51
        Lu
        02.05.2016 - 23:57

        Cony, abre um grupo secreto para a gente!

        • #52
          Ju
          03.05.2016 - 11:56

          Aí… super vale post e/ou grupo secreto! Se rolar me coloca!!

      • #53
        Bruna
        04.05.2016 - 13:56

        Vale muito a pena, Cony
        É oq eu disse acima
        A gente convive com o problema e se fecha, não conta para ninguem
        Aí achamos que é só a gente (ainda mais vendo as amigas se vangloriarem dos casos sexuais)
        Mas todos os profissionais que me ajudam falam que a maior parte das mulheres tem algum problema e que dificilmente é essa mil maravilhas.
        Acho que é um tema que podia ser abordado sim. Muita gente ia se identificar e talvez conseguir se abrir.
        às vezes até fazer um encontro sobre isso.

      • #54
        Raquel
        05.05.2016 - 13:34

        Vale um post sim!
        Ontem foi dia de terapia e comentei com ela sobre o caso e tantas identificações.
        Ela disse uma coisa interessante e lamentável também; que nossa sociedade estimula a sexualidade nos meninos desde muito pequenos, mas as meninas não são estimuladas, pelo contrário. São muitas vezes bem “castradas”.
        Outra vez também falei sobre o assunto com um psiquiatra e ele fez uma comparação interessante com a educação dada a uma menina das Europa… nós quando meninas se sentamos de pernas abertas, logo chamam nossa atenção para fechar as pernas e sentar direito; e segundo ele, isso não acontece lá, então elas não criam esse tipo de bloqueio.
        Enfim… é papo pra mais de metro!
        Espero pelo post! 🙂
        Bjs

  40. #55
    Larissa
    02.05.2016 - 18:26

    Apenas gostaria de dizer que achei o comentário da Danusa muito sensato!

  41. #56
    Daniela
    02.05.2016 - 22:20

    Também sofro de baixo libido. Assim como a Lalá, sinto preguiça de transar. Moro com o namorado há 5 anos e nos primeiros anos não era assim, fazíamos sexo todos os dias. Eu achava que conseguia disfarçar super bem a falta de libido, até que o namorado me chamou pra conversar. Ele achava que estava sendo traído. Abri o jogo e lembrei que a Cony já havia comentado sobre o anticoncepcional no blog e procurei a gineco. Essa semana vou colocar o DIU Mirena, torçam por mim.

  42. #57
    Ananda
    02.05.2016 - 23:11

    Cony, vale post mesmo esse caso da libido. Também me identifiquei, fico pensando em tirar a pílula mas não tive coragem pelo medo de engravidar, e também pelos motivos que as meninas falaram (cólicas fortes, fluxo menstrual intenso e de muitos dias, etc). Mas realmente senti muita diferença desde que comecei com o remédio, acho que até consigo associá-lo com o momento em que passei a sentir dor na hora do sexo. Complicado 🙁

  43. #58
    Milena
    03.05.2016 - 03:31

    Me identifiquei tanto com o caso 3 que nao sei nem por onde comecar. Sou solteira, mas vivi um relacionamento onde fingi cada um dos orgasmos que tive.

    Tenho 21 anos, tomo Roacutan (30 mg/dia) ha 3 meses e tenho Implanon. O resultado disso e libido ZERO e secura maior que um deserto.

    Odeio o feeling dos lubrificantes e acho desconfortavel sugerir o uso na hora do sexo. Se eu parar com o Implanon, volto a ter fluxos de 15 dias por mes. O anticoncepcional oral combinado desencadeou uma alimentacao compulsiva que durou 4 anos (agora estou, aos poucos, reorganizando meu corpo e meus habitos depois de chegar a comer escondida no banheiro e comida do lixo).

    Fico sem vontade de conhecer homens novos porque tenho medo de ficar seca na hora e estragar tudo.

    Nao conheci nenhuma gineco que me ajudasse – ou receitam um ACO, ou dizem pra usar lubrificante.

  44. #59
    Maiara
    03.05.2016 - 10:38

    Estou chocada com a quantidade de mulheres com baixa libido!
    E eu achava que era só comigo… heheh
    Até comentei com meu noivo sobre esse post.
    Ele já reclamou várias vezes por eu não ter vontade, iniciativa…
    Tomo anticoncepcional desde os 18 anos que foi quando comecei minha vida sexual, então não sei como seria minha vida sem.
    Estou pensando seriamente em parar de tomar anticoncepcional e colocar DIU.
    Só tenho um pouquinho de medo das cólicas e menstruação.
    Mas acho que se não resolver 100% mas melhorar um pouco já está ótimo!

  45. #60
    Jéssica Diane
    03.05.2016 - 11:19

    Gente….to CHOCADA MESMO com a falta de líbido das leitoras…de verdade!!! Faz um post CONY! Não passo por isso, tomo pilula a bastante tempo, sou casada…..TO COM MEDO DE FICAR ASSIM rsrs

    • #61
      Constanza
      03.05.2016 - 11:40

      Farei! Tambem estou chocada com a quantidade de relatos!

      • #62
        Jéssica Diane
        03.05.2016 - 13:58

        Vou acompanhar! Mulheres, nós merecemos ser felizes, e isso inclui sentir prazer!!! Não se contentem, por favor!

        Cony, seu blog é item de utilidade pública!

  46. #63
    Francisca Gonçalves
    03.05.2016 - 12:08

    Oi Cony amo o Chora já falei issso aqui…isso da falta de libido é real, conheço muitos e muitos casos, até de separação pq o marido acha que a esposa não quer sexo pq já ta fazendo com outro” absurdo” e falta de comunicação e baixa confiança…mas isso é real, muitas garotas e mulheres sofrendo com isso. Não acho que seja só o Anti, mas vale um mega post, inclusive conte- nos um pouco sobre sua experiência de tomar testosterona, se todas podem tomar..esse tipo de dúvidas que sempre aparecem por aqui. No mais abraço a todas as leitoras do FUFU e “tamo” juntas.

  47. #64
    Aline
    03.05.2016 - 13:39

    sobre o último caso, eu tenho mesmo problema e meu fluxo mentrual também era mínimo, até que fiz exames de sangue e descobri que tenho hipotireoidismo, o que afeta a libido e também o fluxo menstrual, entre muitos outros sintomas, tanto que pessoas com esse problema são chamadas até de preguiçosas pois o organismo todo trabalha devagar, agora estou tratando e estou muito melhor, vale investigar!

  48. #65
    Ana Cândida
    03.05.2016 - 15:02

    Como me tranquilizo em ler tantos comentários de pessoas na mesma situação que eu. Tenho 27 anos, namoro há 09 anos, tomo anticoncepcional de baixa taxa hormonal desde os 17 anos. Minha libido é muito muito baixa. Não me excito para ter relações com meu namorado. Às vezes tenho sonhos em que me sinto excitada, mas não sei o que é ter essa sensação na realidade.

  49. #66
    Sou a Lala!
    03.05.2016 - 16:40

    Oi meninas, aqui é a Lala!
    Também fiquei muito impressionada com a quantidade de mulheres com baixa libido. É muito intrigante. Este mês vou no gineco fazer os exames de rotina e vou levantar essa questão e pedir exames de hormônios. E estarei aguardando ansiosamente o post da Cony a respeito deste assunto!
    Muito obrigada a todas as meninas que comentaram sobre o assunto! Fico muito feliz em ter um espaço assim para compartilhar nossas histórias! E um grande parabéns à Cony, por nos proporcionar este espaço maravilhoso! Cony = melhor pessoa!

  50. #67
    Mariza
    03.05.2016 - 18:20

    Caso 3: pra mim foi a pílula. Parei de tomar e a libido voltou. Na época fingia que estava dormindo para não transar…rs

  51. #68
    Camila
    03.05.2016 - 18:31

    Acho o feminismo uma boa ferramenta pra pensar essas questões da libido. Para nós mulheres a sexualidade é ainda cerceada por inúmeras determinações sociais. Por mais que a gente se ache muito descolada, esse elefante muitas vezes está presente no quarto. Ter me aprofundado em discussões feministas me ajudaram muito com um empoderamento e segurança diante do meu corpo e desejo. Hoje existem, inclusive, muitos grupos secretos no Facebook pra falar sobre isso, Cony que está pensando em fazer post dá uma pesquisada.

    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/05/1766587-grupos-secretos-em-rede-social-viram-comunidades-de-apoio-entre-mulheres.shtml

  52. #69
    Ana
    03.05.2016 - 21:53

    Esse caso 3 é bem sério mesmo. Digo isso porque passei pela mesma coisa. Vou contar como melhorou. Eu sou casada há 4 anos. Tenho 29 anos e desde os 19 eu tomo anticoncepcional. Sei dos benefícios do medicamento, mas eu sempre fui muito quente, digamos assim, e com o tempo a libido foi acabando sem mais nem menos. Eu não tenho filhos, tenho uma situação econômica ok, minha profissão vai bem e meu marido me procura com regularidade. Ou seja: não tenho uma vida estressante ao ponto disso acabar com minha libido. Resolvi testar mesmo: parei de tomar. Não melhora logo nos primeiros meses. Demora um pouco, mas a libido vai voltando sim. Só para vocês terem ideia da minha situação anterior, eu não conseguia ficar lubrificada não so pela falta de libido, mas por medo de me frustrar mesmo, pois as vezes eu queria transar e já sabia que não ia ficar lubrificada, então eu ficava nervosa e não conseguia… Eu fiz assim: primeiro parei de tomar e não vi grandes efeitos. Tive paciência. Minha ginecologista me recomendou passar um pouquinho de lubrificante antes de transar só para eu me sentir menos pressionada a ficar com lubrificação caso meu corpo não respondesse bem as preliminares. Passei um tempo fazendo isso e já ia fazer sexo mais tranquila. Fui notando que com o tempo não precisava mais disso porque eu já estava ficando ok. Dai por diante foi muito fácil! Sempre visto uma camisola legal, lingerie bonita, mas para mim mesmo. Me sinto bem assim e isso ajuda a me sentir desejada. Meu conselho é: tente qualquer coisa, sem pudor. Vá a ginecologista e também tente descobrir métodos que te façam se sentir bem. Acho que algumas coisas não têm receita pronta. Só o que tem fórmula pronta é esse remédio maldito (sim, atcp é um remédio).

    • #70
      fabiane
      06.05.2016 - 11:04

      legal seu comentário

      um dia eu vou parar tbm com o anti

  53. #71
    Larissa
    03.05.2016 - 22:35

    Sobre o caso 3: Sofro com o mesmo problema desde que iniciei a vida sexual e confesso que já DESISTI de ser normal….. Sou casada há cinco anos, amo meu marido, não tomo pílula, já fiz terapia, acupuntura, terapias alternativas e nada funcionou….. Vou levando a vida, ” fazendo por obrigacao”, fugindo à vezes e tentando ser feliz. Ansiosa pelo post….

  54. #72
    Tb sou "Lala"
    03.05.2016 - 22:58

    Cony, por favor faz o post! Minha libido é zero, só fazemos amor uma vez por semana – se eu pudesse tirava a sexta-feira do calendário! Não sinto nada e torço pra ele acabar logo: fico olhando para os cristais do lustre. Me sinto como se fosse assexuada. E tive uma DR com meu marido neste fim de semana: ele disse que queria uma mulher que fosse “wild” e ainda me cobrou do porquê eu ainda não ter ido ao médico pra resolver meu problema de inapetência sexual.

  55. #73
    Yasminni
    04.05.2016 - 08:40

    Camila, eu esperaria terminar a faculdade e encontrar um trabalho. voce tem base financeira pra sair de casa com sua filha? pois se não tiverem onde ficar ele pode tentar a guarda e conseguir.também concordo com a amiga que disse que voce pode não estar apaixonada e sim lisongeada por estar se sentindo amada. eu acho que se voce á esta infeliz deve sair sim do casamento, mas eu sairia mais estruturada. Tem coisas na vida que se quebram mesmo, mas voce ja parou pra pensar que ele pode ter mudado mesmo?

    Thassia, se joga!!!! tenta ir com uma reserva de segurança e o codigo de segurança que a amiga disse acima.

    Lala, corta o AC, entra pra um grupo de meninas de sexo (no facebook tem vários), acho que vai te ajudar a desmitificar várias coisas e te despudorar!

  56. #74
    Karen
    04.05.2016 - 17:30

    kk.. to com vcs do caso 3.. me identifico demais, já achei q era assexuada até.. Tomo pílula faz 12 anos, estou com 28 agora.. quero parar, mas tenho medo de engravidar… mas tb não quero usar diu, tem alguma outra solução?
    comecei a tomar bem nova por causa dos ovários policísticos, espinhas, ficava menstruada por mias de 10 dias.. e se eu parar e tudo isso voltar.. ai que indecisão..

  57. #75
    Fabia
    04.05.2016 - 21:14

    Como fui uma das primeiras a comentar esse post resolvi votar para ver os demais comentários e tô impressionada com a quantidade de leitoras que se identificaram com o caso 03.
    Que triste gente.
    Cheguei a pensar que o problema pode ser que as mulheres com baixa libido não se conhecem, não conhecem seu corpo.
    Enfim, vamos pensar em algo para ajuda-las Cony.

  58. #76
    camelia
    06.05.2016 - 09:31

    Camila. Caso 2.
    Nao se separe.Vc pode ter duvidas agora mas vc ama seu marido e ele te ama tb. Oq ele falou pra sua amiga eh coisa d momento nao eh real. Vc vai notar isso qdo tiver seu caso. Se vcs ainda estao juntos vale a pena e vcs ten filho junto entao vale o esforço.
    Tenha um caso com esse rapaz, vc vai ver q eh soh desejo e isso da e passa e certeza q ele nao quer nada serio entao um casinho nao faz mal.
    Dinheiro eh importante sim e depois q separa ele vai secando aos poucos nao importa qto ame a filha. Em meia hora aparece uma periguete pra cadar com ele, curtir a vida, mais nova mais magra enquanto vc vai estar solteira, sem grana, mais velha e sem um companheiro, só uns caras q só qquerem casinho.
    #prontofalei
    Mulheres maduras tomam decisoes maduras.

  59. #77
    Ma
    06.05.2016 - 18:02

    Oi Cony! Antes de tudo, amo seu blog.!! Acompanho você há muito tempo, mas nunca comentei em nada, mas dessa vez me identifiquei muito com a história da Lalá e tive que participar! Tenho 25 anos, sou casada há 9 meses e namorei por 10 anos!! No começo do namoro, antes de perder a virgindade, eu sentia muita vontade e me excitava com facilidade. Logo depois da primeira tentativa algo desandou. Não sentia nem vontade e nem prazer. Achava que isso passaria, mas se estendeu por uns 5 anos!!! Meu namorado (hoje esposo) sempre tentou me entender, conversamos bastante, até brinco que ele é meu analista. Mas apesar de compreensivo, brigávamos sempre por esse motivo, aliás esse sempre foi o único motivo das brigas até hoje. Cheguei a ir para uma psicóloga, por insistência dele, mas não senti confiança nela e nunca contei o real motivo das consultas. Segundo meu esposo, o que tenho foi muita influência da minha criação, o que me tornou reprimida e vendo o sexo como algo “errado”. Realmente, eu sempre fui muito certinha, sempre liguei muito para o que os outros iriam pensar de mim, principalmente minha mãe. Nunca tinha me masturbado até então, e nunca pensava em sexo. Então meu esposo sempre me estimulou bastante, o que acho que surtiu algum efeito, pois depois de uns 5 anos sem sentir nenhum prazer, consegui finalmente ter um orgasmo. Foi muito estranho e emocionante ao mesmo tempo, pois eu não sabia o que estava sentindo. Inicialmente só sentia prazer sem a penetração, mas depois isso também se ajeitou. Hoje em dia, tenho até mais do que um orgasmo numa relação, entretanto, ainda sou meio travada. Sempre ele que me procura, eu ainda não tomo a iniciativa. Os filmes tem me ajudado a se excitar. Mas posso dizer que já melhorou uns 80% comparado a antes. Acredito que o mais difícil já consegui! É muito importante que você não leve a culpa toda sozinha, sem contar nada para seu parceiro. O meu foi muito importante para me ajudar a melhorar. Nunca menti pra ele e nunca fingi que estava gostando, sempre abri o jogo. Foi interessante saber que não sou a única a me sentir assim.
    Mas um fato importante é que sempre tomei anticoncepcional pois tinha muito medo de engravidar, ele também pode ter influenciado, ainda não tive coragem de parar para fazer o teste.

  60. #78
    Agatha
    14.05.2016 - 13:09

    Com relação ao caso 3, acho que desejo sexual está muito ligado com a sua cabeça, seus desejos. No meu caso, totalmente.
    Você pensa em sexo ?
    Você fala sacanagens de leve para seu marido?
    Você admira seu marido no conjunto?
    Você tentar criar um clima intimista, vinho ?
    Também acho outra coisa- quantidade não quer dizer absolutamente nada. As vezes pra um casal, ter relações 3 vezes na semana é o ideal, pra outro ter uma está ok.
    As pessoas ficam tão apegadas a padrões de felicidade que esquecem de viver.
    Sexo é só uma parte do casamento. Importante, é. Mas a relação em seu conjunto que deve ser avaliada.

Comente