11
Dec 2014
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Hoje temos de tudo, de super heroínas a mocinhas confusas…

Primeiro a Juliana!

¨Olá! Me chamo Juliana e quero muito uma visão de fora de tudo que vou contar pra tentar achar soluções, porque não venho me saindo muito bem nessa tarefa. Tenho 19 anos e nasci numa família complexa… Quando meus pais se conheceram meu pai já tinha três filhos pequenos e cuidava deles sozinho, e ainda durante o namoro minha mãe começou a cuidar deles. Daí nessa confusão eu apareci! Por complicações no casamento, por ter ido morar longe da sua família e pelos encargos de madrasta, minha mãe ficou muito carente. Então mesmo pequena me tornei mãe da minha mãe. Do tipo ajuizada, que dá bronca, que dá colo, ou seja, assumi responsabilidades de adulto ao invés de ser criança. Eu sabia de todos os problemas da minha família, desde conjugais até financeiros, e pior, me culpava por eles.

Fui crescendo sempre tentando não ser mais um problema pros meus pais e me afoguei nos estudos. Com 11 anos decidi fazer faculdade em outra cidade só para tentar fugir dos problemas que eu não conseguia resolver, e que eu nem sabia que não eram meus. Tive sucesso no colégio, sempre tirava ótimas notas, mas ao mesmo tempo eu me fechava. Acabei ficando muito ansiosa, o que começou a atrapalhar nos resultados do colégio, que eu via como única fuga.

Já no 2º ano do ensino médio conheci meu melhor amigo e futuro namorado, super atensioso e carinhoso comigo, que virou minha rota de fuga express. Só do lado dele me permitia ser eu mesma, só no mundo dele existia uma Juliana de verdade, e ao mesmo tempo que me permitia ser feliz em tempos difíceis, eu criava uma dependência mesmo sem querer. Sim, a gente se completava em tudo, viramos inseparáveis, não existindo mais um sem o outro. Mas dá um desconto,  meu primeiro relacionamento sério, claro que eu ia cometer erros…

Lembra da ansiedade que eu falei, pois é, ela me deu uma bela gastrite nervosa depois que não consegui passar de primeira no vestibular. Eu ia parar todo dia na urgência do hospital morrendo de dor. Todo dia tomando fortes analgésicos, até que percebi que estava me viciando e resovi viajar, parar o cursinho e dar um tempo pra mim.

Quando voltei, tudo foi se encaixando, tentei um outro curso na faculdade e então descobri que estava  grávida. Isso, no pré-vestibular! E eu mal tinha perdido a virgindade… Sorte e despreparo de iniciante! Mesmo tendo apenas 17 anos, sempre tive um instinto maternal forte, então não foi muito complicado na minha cabeça,  eu só tinha que ser forte! Só…

Espera que é só o começo!

Fui refazer o Enem com 6 meses de gestação, mas tava lá,  firme e forte pelo sonho de fazer o curso que queria. E então passei em medicina na federal da minha cidade! Na mesma sala do meu namorado! Sim passamos juntos! O que facilitava a vida por um lado mas aumentava a dependência. Mas até aí eu não me importava, tinha certeza que ele era o homem da minha vida. Não por ser um príncipe encantado, mas porque queria construir uma relação, porque aceitei o desafio de reconquistá-lo a cada dia!

Só que situações “extremas” acabam intensificando conflitos. A loja dos meus pais acabou de ir a falência. Meus pais estão se separando. Estou amando meu curso, mas não consigo me dedicar a única coisa que ainda consigo fazer por mim. Não tenho tempo de me dedicar a maternidade; e como eu queria ficar com minha pequena! Não consigo mais cuidar de mim, me sinto fraca, sem tempo nem cabeça pra fazer algo ‘dispensável’.

Aí nessa confusão toda entra meu relacionamento. Sempre me dediquei muito. Ele representa um templo onde eu podia descansar da correria da minha vida. Claro que cometi erros, mas sempre percebia, me desculpava e tentava melhorar. Me sacrificava sem pensar duas vezes! Só que com o aumento de conflitos (convivência + paternidade + faculdade) ele foi se afastando. Sem ele perdi o chão e fiquei muito carente. Além disso a gente não fazia mais sexo. Ele dizia que não gostava (oi?) que preferiria ficar quieto. Mas aí descobri muuita pornografia nas coisas dele, principalmente das atrizes preferidas (oi?) dele.

Claro que imaginei que o problema estava em mim e não no sexo… Estou acima do peso, mas não tinha grandes problemas na minha auto estima até aí. Me achava bonita sem nóias, tenho o corpo grande e proporcional, coxão,  peitão… Mas nada perto das siliconadas que ele colecionava… Ele apagou tudo, mas continuava assistindo on line e me rejeitando, mesmo eu querendo agradá-lo.

E, depois dee terminar várias vezes comigo, agora ele terminou sério.

Mas aí tem outra coisa, eu não consigo estudar na minha casa (é dificil concentrar com uma pequenininha me me chamando o tempo todo, por mais que nossos pais nos ajude), então a casa dele era meu refúgio. Então das vezes que a gente terminou eu continuava estudando na casa dele, porque viro a noite estudando e ele me dava esse suporte. Com meus pais separados não tenho mais casa fixa, e preciso da ajuda dele mais do que nunca. Não tô conseguindo manter o ritmo da faculdade e com todo esse estressse as dores da gastrite estão voltando.

Tenho muito medo de tudo piorar ainda mais, não conseguir lidar nada bem nas últimas separações e o momento em que aconteceu essa última achei covardia… Ou devo achar bom por logo um ponto final nisso tudo?

Não sei como posso equilibrar tantas responsabilidades, cobranças familiares e ainda cuidar de mim… Tenho todo apoio quanto a minha filha, mas quase nenhum sobra pra mim. Não queria que ninguém criasse minha filha , eu quero com todas minhas forças ficar bem para educá-la e poder cuidar de mim também. Mas nem sei por onde recomeçar. Já pedi ajuda pros meus pais, mas por ter sido sempre tão independente eles não sabem lidar comigo direito. Me sinto como uma criança, que está perdida e sozinha. Mas quero me tornar finalmente uma mulher no comando da minha vida. O que faço?¨

Menina só sei de uma coisa… você com 19 anos e essa bagagem toda me fez sentir uma titica… Juro que fiquei cansada com sua história mas esse cansaço é de me imaginar em seu lugar. De onde arruma tanta força? Já te considero uma vencedora afinal amadureceu muito cedo, foi mãe muito nova e ainda faz uma ótima faculdade numa federal. Não tem como querer que tudo se encaixe nesse panorama. Seus pais tem os problemas dele e você os seus. Será que seu marido não ficou de lado nesse turbilhão de problemas? E você? Cadê você nisso tudo? E depois que formar será uma daquelas mulheres tão dedicada à carreira (a impressão que tive de você) que continuará sem tempo pra nada e nem pra ninguém. Pare um pouco, pense na sua vida, respire! Não carregue tantas responsabilidades que não são suas… Complicado viu?

14c045427c4ca667c037d716f057715cAgora vamos com a Isabela.

¨Sabe quando você esta pronta para dar um passo adiante na sua relação, mas a outra pessoa ainda não se sente preparada?

Tenho 28 anos e quando era criança sempre sonhei viver uma linda estória de amor daquelas de filme. O tempo foi passando, a maturidade foi chegando e eu encontrei meu namorado em abril de 2008 que definitivamente não é nenhum príncipe, mas me fez feliz ao longo desses 6 anos que passamos juntos.

Enfim, o problema é que eu não aguento mais morar com meus pais, mas não tenho grana suficiente para bancar um ap sozinha. Aliado a isso tem o meu sonho de casar, ter minha casinha, meu maridinho para mimar, filhos etc. ahhh como eu sonho com isso! Sonho demais!! Já meu namorado quer… trabalhar, construir carreira, se fortalecer na empresa e depois se sobrar tempo pensar em constituir família.

Casamento é uma palavra que ele não quer ouvir nem nos seus piores pesadelos e, sinceramente, já desisti de ter uma festa digna de princesa com ele. Nos últimos meses tenho me dedicado exclusivamente a convence-lo a alugar um apartamento para morarmos juntos pq sei que isso é o máximo que posso ter com ele em um curto/médio prazo, mas já estou exausta. Já perguntei para ele se ele quer isso mesmo e ele diz que tá afim, mas não embarca no projeto sabe? Eu tenho que ficar o tempo inteiro cobrando dele para fazer uma planilha de simulação de gastos, para olhar os imóveis que eu selecionei, tenho que cobrar insistentemente cada passo. Parece que ele só faz alguma coisa pq eu estou pedindo. Se depender da iniciativa dele pode esperar dormindo.

Eu tenho que ficar me rastejando, implorando. Queria estar fazendo isso junto com ele, queria que ele embarcasse na ideia, mas tudo isso só está servindo para eu pensar e repensar o nosso relacionamento.

Nós sempre fomos muito diferentes um do outro, mas sinto que a gente tem andado cada vez mais em compassos diferentes. Eu conheço cada defeito do meu namorado e eu o aceitei com cada um deles, eu me sacrifiquei muito por ele e pelo nosso relacionamento e não me arrependo pq vivemos momentos incríveis, mas gostaria que ele se sacrificasse um pouco por mim também para tentar me fazer feliz e fazer o nosso relacionamento dar certo, mas ele é um pouco egoísta e dentre todos os defeitos dele esse é o que mais me incomoda.

Quando estamos juntos é bom, adoro a companhia dele, mas basta ele me deixar em casa para minha cabeça começar a se questionar se vale a pena, não sei se eu estou disposta a continuar me dando tanto a uma pessoa que não retribui.  Eu ainda amo muito meu namorado, mas sinto que meu sentimento não é mais tão intenso quanto costumava ser. Tenho repensado tanto nossa relação e isso tem me angustiado muito e arrancado várias lagrimas dos meu olhinhos. Tenho medo de terminar com ele e depois me arrepender, tenho medo de ficar sozinha, tenho preguiça de recomeçar…¨

Isabela, desculpa, mas quem está sendo egoísta?? Ele quer focar na carreira dele e você quer casar. Por que ele teria que abrir mão dos desejos dele – tão plausíveis – em prol dos seus? E você ainda se humilha, implora pra formar um lar com ele mesmo sabendo da sua resistência? Será que você não está querendo fugir da casa dos pais e se amparar em outra pessoa? Já pensou em tentar ser sozinha, resolver o que te incomoda e não depender de ninguém??? Ou você corre atrás e dá um jeito de conseguir alugar um apto por conta própria ou ature seus pais por mais um tempo ou termine esse namoro e procure alguém com os mesmos desejos seus. Sonhos são lindos, mas nem sempre acontecem da forma que a gente quer. E sonho é individual, se não for o mesmo do seu parceiro, não o obrigue a nada. E pela sua última frase vejo uma mulher acomodada com a situação e esperando que alguém apareça para te salvar. E uma coisa te garanto, isso não vai acontecer. Então força na peruca, menos sonhos e mais realidade, a gente vai adaptando tudo.

b0436954e53c6d0a8bfa9423184911ab

Para terminar, a Luana!

¨Olá Cony e Fufu People! Meu chororô é um clássico dilema amoroso. Sempre fui bastante calma, nunca tive relacionamentos longos.  Mas estou apaixonada!! O dilema entra ai.. rs . Estou apaixonada não por um, mais por dois ! Vou explicar!

Um deles é meu melhor amigo. Nossa história começou quando eu estava de mudança para fora do pais  e uma amiga querida em comum me passou o email dele para me ajudar nas coisas práticas, já que ela estaria ocupada. Passamos a nos falar com frequência e ele me ajudou em tudo que pode, até que finalmente quando cheguei nos conhecemos pessoalmente. Desde o inicio nos identificamos e ficamos amigos . A convivência foi crescendo e não passávamos um dia sem estar juntos ou ao menos sem se falar, tinhamos praticamente vida de namorados sem ser namorados. Até que um dia ele teve que voltar para o Brasil e eu fiquei. A despedida foi bem deprê rolou toda aquela cena e para minha surpresa um beijo de despedida.Desde então nunca mais tocamos no assunto. Curti uma boa fossa pós partida dele  …  até tentei conhecer outros caras em vão mas  na realidade nunca esqueci o dito cujo . Tem um ano que voltei para o Brasil mas moramos em estados diferentes, por isso fica complicado de ter o contato que gostaríamos . Confesso que já tentei falar com ele sobre nós mas me falta coragem e um medo enorme de levar um grande fora.

Paralelo a isso estava na festa de uma amiga e fui apresentada a um amigo dela . Ela inclusive já tinha falado dele para mim e vice versa mas confesso que nunca dei muita importância. Conversamos na festa depois nos adicionamos nas redes sociais, ele sempre muito simpático e cavalheiro. Até que, recentemente precisei de uma ajuda em um projeto de trabalho e então o nome dele veio em mente (gente juro! just Business). Por conta disso tivemos que nos falar com mais frequência, ele deixou o escritório dele um dia todo para ir até o meu e trabalharmos (achei fofo isso!) rs. No  final deu tudo certo com o projeto e passamos um dia super bacana trabalhando juntos. Quando ele foi embora me deu um vazio,uma sensação estranha de como a gente nunca mais fosse se encontrar, ou que aquele dia tinha sido tão especial que jamais iria se repetir! Nunca tinha encontrado alguém tão parecido comigo e com que rolasse uma química tão bacana!  Desde então não paro de pensar nele! Para completar tem mil meninas (ele só anda no meio de gente linda)  dando em cima e para completar uma ex  rondando. E tem eu! quietinha na minha” só observando” e vendo no que vai dar.  Confesso gente, fico insegura diante disso, achando que “ah, mas ele nunca vai me dar bola….”.  E essa é minha história. Duas pessoas muito queridas, importantes para mim mas tô perdidona! Cony, queria muito saber o que você e as meninas fariam no meu lugar!¨

Sinceramente? Eu daria uma acalmada (ia falar vergonha na cara mas achei que seria forte rs) e pensaria seriamente a respeito dessa “apaixonite¨ dupla. Será que ela existe mesmo? Será que voce realmente está apaixonada pelos dois ou só encantada porque foram gentis com você? Porque paixão, paixão mesmo, do jeito que eu conheço, não dá espaço pra dúvidas e nem dá pra dividir. Acredito que você só está empolgada e pior, se ficar com um vai ficar pensando no que seria com o outro. Organiza sua cabeça aí e veja realmente a intensidade e a realidade dos seus sentimentos.

  • E esses foram os choros de hoje! E NOVIDADE! ESTÁ ABERTA A TEMPORADA PARA NOVOS DESABAFOS! Envie seu problema, sua dúvida, sua questão e até mesmo algo que você superou e quer mostrar como exemplo (farei o Chora versão feliz de vez em quando) para constanza@futilish.com com o assunto COLUNA DO CORAÇÃO. E por favor, sejam resumidas e diretas ok?
92 Comentários
  1. #1
    Cristiane
    11.12.2014 - 14:34

    Isabela, estude na biblioteca! Vc pode precisar do pai da sua filha para muita coisa, mas para isso não!
    Sei bem esse sentimento de querer aproveitar a infância da sua filha, mas pense bem..vc pode até trancar o curso, pegar menos matérias, mas pelo amor de Deus, não abandone a faculdade!
    Seus pais são adultos, eles resolverão os próprios problemas..foque em vc e sua filha..Fazendo faculdade de medicina e sendo mãe não sobra muito tempo mesmo, mas vc tem muita garra e vai se sair bem, acredite em vc.
    E sobre alguém criar sua filha…bom esse é um dos maiores dilemas da mulher moderna…infelizmente não dá para ser independente, trabalhar e não ter ajuda de alguém, babá, família ou creche.

    • #2
      Cristiane
      11.12.2014 - 17:37

      Troquei os nomes! Foi para a Juliana!rs

  2. #3
    Bruna Costa
    11.12.2014 - 14:41

    JULIANA

    Ei Juliana! Como a Cony disse, só de ouvir sua história já deu uma canseira hahaha Mas quero tentar te ajudar. Guardada as devidas proporções (MESMO! Minha histórian em chega aos pés da sua), eu passo por algo parecido: a fase de ter que me encontrar no meio da confusão.

    Sou uma pessoa EXTREMAMENTE ansiosa. Tipo, MUITO. É patológico, não tem cura. Tenho que viver com ela e aprender a controla-la pra não pirar ou adoecer. Além disso, sou extremamente perfeccionista e cobro muito de mim. Me preocupo muito com o que os outros vão pensar, com as expectativas que as pessoas tem de mim (são muitas) e que não posso decepcioná-las.

    Bom, tenho 24 anos agora. Quando fiz vestibular, decidi fazer duas faculdades ao mesmo tempo. Passei nas duas (duas públicas, vestibulares dificílimos) e fiz as duas. Formei em uma em dezembro de 2012 e to formando na outra agora.
    Só quem faz duas faculdades ao mesmo tempo sabe o que é isso. Nem compara com trabalhar e estudar. É um desgaste IMENSO! (especialmente em federal, onde mtas vezes vc ta lá cansada esperando a aula e o professor nem aparece).
    Até ai tudo bem.
    A questão é o resto.
    Além das duas faculdades, fiz estágio, aula de canto, piano, aula de ingles pra tirar o CAE, simulado de ingles em horario fora da aula, frances, atividade física e, claro, a terapia pra aguentar tudo isso!!
    Eu AMO musica e linguas e achava que tava fazendo o que eu gostava.
    Mas não era bem assim.
    Tudo isso exigiu MUITO de mim. Comecei a ficar doente! (nao tenho gastrite, mas refluxo. Além de enxaqueca, problema na coluna, e um outro problema mais sério que prefiro nao dizer).
    Sempre me senti sufocada sabe? Tinha certeza que teria que aguentar tudo isso. Se eu desistisse, estaria fraquejando. Minha qualidade de vida sempre foi pessima!!
    Até que esse ano tava estudando pra OAB loucamente (recuperando o tempo perdido, pq uma das faculs ficou pras coxas neh). Estudei loucamente e passei. Quando acabou, tirei uns dias de ferias do trabalho pra descansar e aproveitar, copa do mundo e tal, ia pra salvador com meu namorado.
    Qq aconteceu? Adoeci. Tive três semanas de enjoo, dor de barriga, vomito. Perdi três quilos (que eu tinha custado a ganhar!). Tudo isso pq? Cansaço!! Estresse!! Eu estava esgotada.
    Foi ai que eu percebi que não poderia levar a vida mais assim.
    Percebi que por mais q eu amasse linguas, fazer aulas de frances nesse momento tava me desgastando muito!! Então comecei a abrir mão das coisas…Mesmo das coisas que eu gosto. Pq ai eu poderia terminar minha faculdade com tempo pra mim! Pela primeira vez!
    E é isso que eu quero. To formando agora, trabalho oito horas e quero estudar pra concurso. Mas quero fazer isso com qualidade de vida!! Cansei de adoecer e ficar doente por me cobrar tanto!

    E é isso que vc precisa fazer! Filtrar o que está valendo a pena na sua vida ou não!
    A coisa que mais vale a penan a sua vida agora é sua filha!! Ela e prioridade! E logo ela já vai ter idade pra ir pra escolhinha, ai já vai ser uma preocupação a menos.
    Por que não tranca a faculdade um semestre? Por mais que vc ame o curso, vc tem que focar agora! Igual eu fiz com meu francês.
    Um semestre de faculdade são só quatro meses. Passa rapido e vc pode se organizar. E eu te falo: formei com 22 anos na primeira faculdade. Muito nova!! um intercambio, um ano de cursinho, não é nada na nossa vida!

    Quanto aos seus pais, acho que é hora de vc dar um basta e viver sua propria vida. Tenho uma amiga que tem uma familia complicadissima!! A mae nunca deixou ela fazer nada e sempre se fazia de vitima. Quando ela resolveu sair fora e fazer mestrado aqui em Minas, o irmao dela suicidou. Agora ela nao consegue sair mesmo de lá. E nao vive a propria vida, tadinha.
    Tenta filtrar isso tb! Claro que nao é abandonar seus pais, mas vc pode decidir até que ponto os problemas deles vao interferir em vc.

    E, por ultimo, seu amor.
    Vc já sabe que foi errada em ser tão dependente. Mas acontece. Primeiro namoro e tal. Mas eu entendo ele.
    Quando eu tavan essa fase louca de duas faculdades, eu tinha um namorado e jogava tudo pra cima dele. Eu era super pessimista e reclamona. Reclamava de tudo!! Odiava tudo, tava sempre estrassada e cansada. Até que um dia ele disse que meu pessimismo tava passando pra ele. Que meus problemas estavam virando dele e que ele nao tava conseguindo mais ser feliz. OPA! Isso foi um clique pra mim. E aposto que isso que aconteceu com ele. Vc cheia de problemas, sempre reclamando. Isso deve ter afetado ele de alguma forma. Por mais que possamos dividir nossos problemas com nossos companheiros, nao podemos fazer isso de um jeito que torne a vida deles ruim.
    Acho que é possivel que vcs voltem, mas, sinceramente, acho que isso deveria ser a ultima das suas preocupaçoes.
    Voltar pra ele com essas problemaiadas nao adiantaria de nada!
    Se resolva primeiro!! Se descubra primeiro! E, depois, peça desculpas e volte pra ele. (ou não!! Ou seja feliz sozinha! Ou conheça outra pessoa!)

    Um ultimo conselho: faça terapia. Tem me ajudado bastante.

    Boa sorte! =)

    • #4
      lais
      12.12.2014 - 10:37

      Fiz duas faculdades – tambem na Federal, Direito e Economia – estágio, fazia atividade física, tinha vida social, tinha namorado, depois casei,cuidei da casa, do marido, tirei oab, e oh..sem problema algum! jamais compararia isso a vida dela!
      Menina Juliana, respire fundo! nada é por acaso, voce precisa de você! nem que voce tenha que trancar um semestre, se organize, combine com seu ex horarios para ficar com a filha e nao se cobre tanto! ninguem sabe do dia de amanha! Deus fez Seus planos e Ele nao dá fardo sem saber se voce pode carregar!
      assim como Cony disse, voce me fez pensar o tanto que sou uma titica! entao vai Guerreira! seja a heroina que sua vida precisa! paguei pau pra voce! Força! beijos e estou torcendo!

  3. #5
    Angelita T.
    11.12.2014 - 14:45

    Cony amada! Não precisa nem aceitar meu coment, mas que coisa mais CHATA essa barrinha do FHits com os blogs rolando embaixo do blog, hein! Difícil ate de se concentrar pra ler o texto, credo!!
    Não rolou isso aí não!! Dá muita agonia!!!
    Bjss

    • #6
      Constanza
      11.12.2014 - 16:22

      Já mandei mail pedindo pra melhorar!

      • #7
        Adriana
        13.12.2014 - 03:00

        Valeu Conita, ajudou muito tirar aquilo…que “gastura”!

    • #8
      Emanuelly
      12.12.2014 - 09:02

      auhauahauha, gente, eu não quis ser a chata mas também me incomodou, viu? chama muita atenção, dá até uma noia o trem passando nessa velocidade! kkkkk. ainda bem que hoje já não tá! =] valeu, cony!

  4. #9
    Nayara
    11.12.2014 - 14:57

    Bom, meu comentário vai pra Isabela!

    Eu estou com meu agora marido há 07 anos (casamos mês passados). Apesar de termos ficado noivos com 1 ano de namoro, ele somente me “assumiu” mesmo em fevereiro desse ano. Digo assumir no sentido de sair da casa dos pais e morarmos juntos.

    Nós dois já há um tempo tinhamos condições financeiras de sair da casa dos pais. Todavia, ele inventava mil e uma desculpas para continuar morando com os pais (carência da mãe, economizar dinheiro, blablabla).
    E eu sempre tive o desejo de sair de casa, construir meu apezinho, enfim.

    Bom, a minha alternativa foi fazer tudo sozinha. Eu sempre esperava por ele, pra fazer cotações, pra olhar apto, pra ver isso e aquilo. Ai eu pensei “eu tenho pernas e posso fazer isso sozinha”. Mesmo que sobrasse 10 reais no final do mês, era eu que queria aquilo.

    Quando eu tomei a frente de tudo e ele viu que eu iria alugar um apto, com ele ou sem ele, ele veio atrás.
    Se ele nao vier, paciência, pelo menos você está onde você quer estar. Faz isso por você, nao espere por ele!

  5. #10
    Laura
    11.12.2014 - 14:59

    Queria falar com a JULIANA!

    Juliana, tem momentos na vida que parece que vem tudo de uma vez feito uma bola de neve mesmo, mas nessas horas a gente tem que parar pra ver o que se pode resolver e o que tem que desapegar.

    Eu diria, primeiro, pra você desapegar do seu ex-namorado, por mais difícil que seja. O relacionamento se desgastou e não adianta culpar ninguém…vocês ainda vão manter contato, de repente vocês conseguem se resolver quando a vida tiver mais tranquila, mas no momento, acho que melhor tentar deixar isso de lado. Converse com ele para ver como vai ficar o horário da filha de vocês, organize isso, veja os momentos que você vai ter livre, para poder organizar seus estudos e outros momentos sociais.

    Quanto aos estudos, procure uma biblioteca (a biblioteca central da federal que eu fiz era muito boa e passava muito tempo aberta) ou algo, para encontrar um ambiente mais tranquilo para poder estudar. Sinceramente, se você se sentir sobrecarregada demais, olha a questão de trancamento de período, mas aí depende de você ver o que é melhor pra você.

    Por último, a maior ajuda que seus pais (além de ajudar com sua filha) podem te dar é não arrastar você para o centro da separação deles. É difícil entender que o relacionamento de seus pais é só deles e que você não tem responsabilidade nenhuma nisso…você pode apoiar eles, mas não pode assumir o papel de “chefe do lar” – infelizmente, é outro problema que não se pode resolver.

    Eu senti muito por você lendo seu relato, sei bem que vida familiar pode ser conturbada…mas o único conselho que posso te dar é esse: divida as coisas que não estão se encaixando na sua vida e veja o que é possível de se fazer (e foque nelas) e o que não é, pra poder seguir em frente com sua vida.

    Você é muito nova, tem que focar no seu futuro (aliás, parabéns pela aprovação, é um curso muito bonito e que exige dedicação), assim como no da sua filha agora 🙂

    Espero que dê tudo certo pra você!

    Quanto às outras, concordo 100% com o que foi dito pela Cony kkkk aliás, se eu fosse a Luana, investia no concorrido que mora perto…eu não acho que você está amando ambos, apenas vê ambos como bons partidos pra você (uma “crush”), então investe no que aparentemente vai dar um retorno melhor :P.

  6. #11
    Larissa
    11.12.2014 - 15:01

    Isabela, parece que fui eu quem escreveu este seu depoimento, mas a diferença é que esta seria eu antes de terminar meu relacionamento de 5 anos, na qual eu me sentia dessa exata maneira. Concordo com o que a Cony disse, sonhos são individuais. Eu pensava da mesma maneira que você, mas agora depois de terminada percebo que estava vivendo em prol do meu relacionamento, colocando meus sonhos nas mãos de uma pessoa, estava acomodada. Eu não tive coragem de terminar meu namoro “apenas” porque ele não queria dar um passo a mais, mas terminamos porque ele me traiu. E hoje sei que não devemos empurrar com a barriga um relacionamento, pois a consequência é esta, traições, brigas, desgaste. Mas logo que terminei meu namoro senti como se eu não tivesse mais objetivo algum na vida, pois vivia em prol do meu relacionamento. Mas agora, depois de 3 meses, penso diferente. Viva para você, se ame em primeiro lugar, tente conquistar seus sonhos por conta própria, não se apoie em ninguém, principalmente em homem, pois uma hora você tem seu namorado e na outra hora já não tem.
    Só mais uma coisa, hoje em dia ELE quer voltar, quer casar, morar juntos, tudo que antes eu queria e ele se esquivava. Ele me perdeu e agora está disposto a fazer tudo isso, sem eu pedir. Agora não sei se quero, pois o difícil é logo que termina, mas depois de um tempo vc enxerga mais claramente os erros do relacionamento e percebe que não estava tão bom assim.
    Então um conselho, pare e pense o que quer. Não estenda essa situação na qual você não está satisfeita. Lembre de fazer por onde, de também lutar pelo seu sonho, mas sem depender do seu namorado.

  7. #12
    Ju
    11.12.2014 - 15:01

    Para a Juliana – Ju eu acho que você deve esquecer o pai da sua filha, tentar focar nos estudos, terminar a faculdade e contar sim com a ajuda de quem puder te ajudar em relação a sua filha! Ninguém pode ser tão independente que consiga fazer tudo sozinho! Estou lendo um livro, chama simplesmente acontece e tem tudo a ver com sua história! Fique firme e vida que segue! Um dia você pode encontrar outro grande amor!

    Luana, entendo perfeitamente a situação, já estive em algo parecido, porém acabei traindo meu namorado e gostando do outro! E não conseguia me decidir por nenhum, moral da história o oficial descobriu e no fim fiquei sem ninguém! Essa história de poliamor é perigosa! E é sempre aquela coisa, quem tudo quer nada tem! Boa sorte na escolha

    Isabela: sabe aquela história que opostos se atraem? Então ela é mentira! Eu mesma já passei por isso e chegou num ponto que a separação era inevitável! Outra coisa, conquiste sua independência financeira, não fique dependendo de um homem para sair da casa dos seus pais! Sai da casa dos meus aos 19 anos para a faculdade e nunca voltei (mas como sinto saudades do conforto do meu lar) porém faz 5 anos que sou independente e tenho a mesma idade que você e passei muito aperto e necessidade e hoje estou comprando um apartamento só meu. Simples mas meu! Não deposite suas expectativas no outro e procure alguém com ideias parecidas com as suas!!!

  8. #13
    Danny
    11.12.2014 - 15:03

    Juliana, menina que carga é essa. Não consigo visualizar uma solução pro seu caso que não seja te desejar boa sorte e que procure Deus. Você precisa acalmar seu coração e, isso com Deus na frente!
    Isabela, infelizmente o sonho do casamento só se torna realidade quando os dois estão a fim, pelo que percebi o foco dele é outro e vc nao pode forçar ele abrir mão do que ele quer, se coloque no lugar dele, imagine vc com sonhos profissionais interrompidos? O arrependimento dele pode durar a vida toda! Então ou vc aceita isso, ou procura alguem com os mesmos ideais que vc.
    Luana, escolhe o que ta mais perto, namorar a distancia é dose!

  9. #14
    Mariana
    11.12.2014 - 15:03

    Concordo com a Cony no caso da Isabela. Pelo que está escrito parece que ela não se preocupa com seu futuro profissional para poder ter sua independência financeira e assim poder ter sua própria casa. Ela vê o namorado como a fulga que ela precisa para sair da casa dos pais.

    • #15
      regina marcondes
      11.12.2014 - 16:15

      Concordo. Isso parece coisa de quem tem 60 anos hoje… que casou pra fugir do domínio dos pais…

      Amiga, “fulga” não existe tá?

  10. #16
    carol
    11.12.2014 - 15:06

    esse negócio passando aqui embaixo na tela tá parecendo que estou lendo dentro do carro ou do õnibus!!! me dando até enjôo!!

  11. #17
    Marô
    11.12.2014 - 15:07

    Oi, meninas!
    Caso 1: vamos esquecer certas coisas do passado e olhar p frente com objetividade. Não pare nunca de estudar e aceite que até o final dessa faculdade vai ter que abrir mão de alguns momentos com sua filha, normal, muitas mães fazem isso, mas, legal que tá nesse curso, parabéns, força e não largue essa faculdade. Sobre o ex… muita dependência, namoro não é isso e, não é comum que os carinhas que namoram desde cedo casem tão novos, isso era de se prever. Relacionamentos começam e as vezes terminam, aceite, seja orgulhosa e recupere sua força em vc mesma, filha e estudos. O fato de ter engravidado complica como vc tá dizendo mesmo, se cuide numa próxima, mas, conheço uma mulher bem como vc, hj com mais de 30 anos, historia parecida, inclusive médica. Criou a filha quase sozinha, fez medicina e casou e hoje tem um bb e vive feliz com a nova família. Não foque nos problemas da sua família, foque em novas soluções pra vc! A dor do fim do relacionamento passa, viu e eles são assim mesmo, deixam clao quando não querem mais, agora, queira vc dar um novo rumo na sua jovem vida, vou torcer por ti e tenho certeza que vai ter sucesso! Bjo guria!

    Caso 2: Acho que vc tá forçando a barra e isso é humilhante, ele não quer, não insista, não tente convencer, seja mais orgulhosa do que isso. Quando conheci meu marido ele tinha uns papos assim, de querer primeiro terminar o pós e etc. Foi aí que eu disse logo nos primeiros meses de namoro QUERIDO, VAMOS TER DE TERMINAR, QUERO CASAR, QUERIA QUE FOSSE COM VC, MAS SE VC NÃO QUER, QUE PENA, ADOREI TE CONHECER. Meses depois eu ganhei um anel de ouro branco com diamante. Tradução: pare de pedir, pedir é pra quem precisa, pra quem é pouco. Vc se acha pouca coisa? Não, né, então, dê seu recado e pare de ser permissiva e esperar, cobrar, aguardar… faça por onde e troque o cara se for preciso, chega de “tentar”, que horror. Levei muito pé na bunda, até o dia que parei de levar, hj tenho o que eu queria e como queria justamente pq fui corajosa e não perdi meses ou anos com caras que não davam sinal de luz p casamento já q eu queria formar minha família. É isso, dar menos e exigir mais, egoísmo em poucas doses faz vc ser mais respeitada, pode fazer o teste! E casar só p sair de casa acho estranho, viu. Pensa mais qual a motivação deveria ser. Bjão!

    Caso 3: eu esqueceria o fulano que mora longe e o fulano que ajudou, pelo simples fato q se alguém deles ESTIVER REALMENTE AFIM DE VC vai ir atrás de vc e dizer, propor algo de verdade. Parecem casos meio fantasiosos, pouco concretos. Eu ficaria com a segunda opção do cara q ajudou, mas, se ele não foi atrás de vc, vc pode com muita, muita sutileza, mandar um email dizendo que agradece a ajuda dele, que ele é muito gentil e deu, curta e educada e dando a letra da admiração que tens por ele E, ele é homem… vai fazer o resto do movimento se achar q ele tá afim de vc, pode ter certeza. Se não, vamos deixar essa dupla p trás e focar num só novinho em folha p conhecer? Bj.

    Bjx e meninas: não insistam, ou o cara quer ou não quer. Minha dica de sempre é: orgulho e olhar p frente, pro melhor que há de vir. Não olhem p trás, não procurem ex, não se humilhem, quando passar o momento a lembrança da rejeição às humilhações vai ser ainda pior. Deixem a coisa ser espontanea, mas não tenham medo de peitar, de dizer o que querem. Façam o teste e surpreendam em vez de chorar na frente deles. Beijo!

  12. #18
    Carla
    11.12.2014 - 15:15

    sobre JULIANA:
    Jesus do céu Juliana. Li esse post no trabalho e me emocionei do começo ao fim com a sua história. Não por dó. Em nenhum momento senti dó, pq vc pra é sinonimo de VITORIA.
    Que menina forte, cara. Que exemplo. Que guerreira!!!
    Logo de cara te digo uma coisa, NUNCA, JAMAIS desista da sua faculdade. Ser médica é um dom para poucos. Vc passou no vestibular por puro esforço e mérito. Continue a sua faculdade.
    Todo mundo tem problemas, se formos nos preocupar com os problemas de todos os familiares não daremos conta mesmo. Se preocupe com sua filhota, com sua facul, e com seu amado. O resto? deixe que o povo se vire, aprendam a se cuidar.
    Quanto ao seu amado: vcs são muito novos, facul e filho são duas responsabilidades enormes e vcs tem que dá conta disso, realmente não é fácil. As vezes é tanta coisa na cabeça, tanto estudo, criança, cansaço que ele tenha deixado o sexo de lado. Tenha calma, o amor necessita de calma.
    Boa sorte, muita sorte. Não desista nunca, vc é uma guerreira vitoriosa. Beijos carinhosos.

  13. #19
    FatimaX
    11.12.2014 - 15:23

    oi Cony essa vai pra Juliana,
    Tua história é comoventee e vc tão novinha…
    Vc já pensou em trancar sua faculdade por 1 ou até 2 períodos pra ficar mais com seu bebe e quem sabe durante esse tempo arrumar um emprego meio expediente?..tenta vai?..mas não largue sua faculdade. Tenta focar nela e na sua filha que serão as que lhe trarão grandes alegrias no futuro…acredite!
    bjo e boa sorte.

  14. #20
    Camila Damazo
    11.12.2014 - 15:35

    Conyy, hoje vc estava brava ahahahahhaahah
    Te achei muito explosiva com as meninas apesar de que eu iria responder igual ou pior.
    =*

    • #21
      Constanza
      11.12.2014 - 15:53

      Hahahah mas hj achei mt mimo, fora o primeiro caso 😉

  15. #22
    Bruna
    11.12.2014 - 15:47

    Cony, a coluna de hoje foi bem distinta!rs. Juliana, também estudo medicina, e mesmo ñ tendo filhos sei como é difícil conciliar com família, amigos e namorado. Acho que vc precisa respirar um pouco e

  16. #23
    Bruna
    11.12.2014 - 15:51

    Continuação: rever suas prioridades. O curso ñ vai bem se vc ñ estiver bem consigo mesma. Se o namoro acabou de vez, melhor se conformar e seguir em frente. E seus pais vão acabar se resolvendo do jeito deles, o que vc pode fazer por eles é dar apoio, sem tomar partido de nenhum dos dois.

    Isabela, quando um ñ quer, dois ñ brigam (ou casam). Ñ é justo com seu namorado ir morar contigo só pra te agradar. Já pensou que porcaria dividir o teto com alguém que ñ está tão a fim assim? Acho melhor vc batalhar por um salário meljor e ir morar sozinh

  17. #24
    Mirelle
    11.12.2014 - 15:56

    Meu Deeeeeus Cony… que dose de realidade na Isabela! Serviu pra mim. Again. Obrigada pela seção MA-RA-VI-LHO-SA 🙂

  18. #25
    Fernanda
    11.12.2014 - 16:01

    Luana: Não é paixão mesmo, é no máximo uma “crush”, que podemos ter por vários ao mesmo tempo. Imagina se um cara diz pra vc que tá apaixonado por vc e por outra, vc não ia mandar ele pra merda na mesma hora? Eu deixaria as coisas rolarem, ou até quem sabe tenta os dois (rs), porque é muito improvável que os dois casos tenham futuro. Se um der certo, vai em frente, se nenhum, paciência.

    Juliana: Você está passando por uma fase terrível, mas tem tudo pra passar daqui a um tempo. Vc vai conhecer outra pessoa, vai acabar a faculdade, sua filha vai crescer um pouco mais.. enfim, se vc não se afundar em depressão ou neurose, vai dar tudo certo mais tarde. Então “continue a nadar”. E outra, os problemas da sua família são da sua família e vc não tem culpa de nada. Acho que racionalmente vc sabe disso, mas mudar isso em sua cabeça talvez só com terapia, afinal vc se culpava dos problemas mesmo quando tinha só 11 anos, e que criança de 11 anos pode ser culpada dos problemas conjugais e financeiros dos pais? Please.

  19. #26
    Bruna
    11.12.2014 - 16:02

    Cony, a coluna de hoje foi bem diversa!rs. Juliana, tambm eéstudo medicina, e mesmo ñ tendo filhos, sei como é difícil conciliar com família, amigos e namorado. Acho que vc precisa respirar um pouco e rever suas prioridades. O curso ñ vai bem se vc ñ estiver bem consigo mesma. Se o namoro acabou de vez, melhor se conformar e seguir em frente. E seus pais vão acabar se resolvendo do jeito deles, o que vc pode fazer por eles é dar apoio, sem tomar partido de nenhum dos dois.

    Isabela, quando um ñ quer, dois ñ brigam (ou casam). Ñ é justo com seu namorado ir morar contigo só pra te agradar. Já pensou que porcaria dividir o mesmo teto com alguém que ñ está tão a fim assim? Acho melhor vc batalhar por um salário melhor e ir morar sozinha, ou dividir o aluguel com uma amiga. Também me pareceu que está bem acomodada com seu namoro, e acho que deveria repensar a respeito.

    Luana, lendo tua história, acho que está confundindo gentileza com paixão. Quando ficamos carentes, é fácil achar que tem algo a mais quando recebemos a atenção de alguém. Concordo com a Cony, vc precisa sossegar um pouco.

  20. #27
    Amanda R.
    11.12.2014 - 16:10

    Juliana, você quer abraçar o mundo amiga! E olha, isso infelizmente não da e ainda vai te fazer muito mal, porque concordo com a Cony, quando você se formar você com certeza vai querer ser uma super profissional e isso vai ser mais um peso! Não da pra ser super profissional, super mãe, super mulher, super mãe da mãe, super tudo! Enfim, reveja sua vida, cade você nisso tudo, suas necessidades e desejos, pensa um pouco em você! E olha eu também sempre me envolvi muito com os problemas dos meus pais e isso não faz bem, a vida deles é uma e a minha vida (apesar de morar com eles ainda) é outra.

    Isabela, primeira coisa, quer sair da casa dos pais, mas não tem grana, então não jogue isso no seu namorado, porque não tenta dividir apto com uma amiga, prima, tia, sei lá, mas com outra pessoa? Segundo, não é o primeiro caso de bofe que foge do assunto casamento que vejo aqui kkkk… Claro se ele ainda não ta preparado para assumir os compromissos de uma casa (que não incluem só a palavra amor, mas também a palavra dinheiro), ele esta no direito dele, mas observe se ele não faz planos, se não junta dinheiro… Enfim casar não é coisa simples, ele não tem dinheiro, você também não, não é só juntar as escovas de dente e ser feliz forever, casar é complicado, não podem assumir o compromisso de dividir todas as contas de uma casa, então, esperem! Não é porque ele não quer casar agora que ele não te ama, mas fique de olho nos detalhes, nos planos que ele faz, se esses planos te incluem e etc. E terceiro, ta se humilhando pra que? Não faz a louca do casamento, sério, não faz isso! Alias isso serve pra qualquer mulher, NÃO FAÇA A LOUCA DO CASAMENTO!

    Luana kkkkkkkkkkkkkkkk tenho uma amiga igualzinha você! Gentileza gera paixonite e ela fica maluquinha, logo aparece outro bofe e ela muda de paixonite, acho até engraçado! Quanto ao falar com o primeiro bofe sobre vocês, se ele nunca tocou no assunto, deixa pra lá! Assiste o filme: Ele não está tão afim de você, e entenda que se o bofe não falou nada e não veio atrás até hoje é porque ele não ta afim de você, só foi legal e é isso ai! Outra coisa… você ta carente? Porque sei la né, as vezes a gente ta solteira, um tempo sem ninguém, você morou um tempo fora longe dos amigos e da família, as vezes acaba ficando assim sem perceber…

  21. #28
    Juju
    11.12.2014 - 16:10

    Para Juliana- Terapia Urgentemente!!! Acho que ela acostumou-se a colocar no lugar da garota sofredora, e se vc Constanza cansou só de ler imagina o ex dela.

    Para Isabela- sonhos a dois devem ser planejados e idealizados pelos dois, acho que se vc conseguir o q quer (morar Junto) vai acabar criando uma situação de raiva mutua, ele por estar numa situação forçada e vc por não se sentir correspondida. Se o sonho for maior, pé na bunda do rapaz!!

    E por fim, para Luana, acredito que o que lhe falta é um pouco mais de experiência, como assim já estar apaixonada sem ter rolado nada? ??? E homem é mto racional, esse amigo de outro estado não vai querer se envolver com vc!!! Tente curtir os momentos as dois sem criar mtas expectativas…

  22. #29
    11.12.2014 - 16:21

    Gente, que tenso a vida da Juliana! Não sei como ela aguentou e aguenta passar por isso tudo! Parece que ela já tem 40 anos! Sinceramente não sei como ajudar, uma criança pequena demanda muita atenção e uma faculdade de medicina ainda mais! Vixiii..> Boa sorte, flor!

    http://www.estiloadois.com.br

  23. #30
    Isabela
    11.12.2014 - 16:23

    JULIANA, sou médica, e faculdade de medicina não é também esse bicho de 7 cabeças que vc está pintando! Tenho diversos amigos que fizeram a faculdade federal casados, separados, com filhos pequenos, dificuldades financeiras, trabalhando de noite, em outros Estados, e estão aí, bem de vida! Dedique-se, mas sobra tempo sim pra família. E deixa sau filha um pouco com o pai pra vc poder se dedicar aos estudos, afinal, vc não fez o filho sozinha! No final, vc será uma profissional independente com dinheiro suficiente para não depender de ninguém…

    ISABELA, minha xará, sério, parte pra outra! Vc vai ver que vale a pena estar com alguém que tem os mesmos planos! E tente sua independência financeira, pq depender de homem não está com nada!

    LUANA, quantos anos vc tem?! Adolescente?! Isso é paixonite aguda…daqui a pouco passa…

    • #31
      Larissa Maya
      11.12.2014 - 16:56

      Isso aí, Isabela, conseguiu falar de forma mais sutil o que eu queria dizer! Pq não tenho essa delicadeza, já ia soltar logo umas grosseiras pra tanto dramalhão! Rs

  24. #32
    Dani
    11.12.2014 - 16:30

    Juliana = não largue a faculdade. Essa profissão vai ajudar muito vc e sua filhota.
    Isabela = vc pareceu um pouco acomodada. Esperar a decisão do outro para atingir os seus objetivos, não dá. Levanta, conquiste seus sonhos.
    Luana = vc não está apaixonada por dois. Vc quer muito estar mas acho que está fantasiando um pouco.

  25. #33
    regina marcondes
    11.12.2014 - 16:33

    Sabe, eu não consigo engolir essas moças que ficam esperando o cara querer casar. Aí quando chegam no limite vão lá e colocam o cara na parede, até o cara ceder. Vocês acham mesmo que o cara tá feliz? Mesmo com um anel no dedo? Na verdade eu não entendo essa neura de casamento com festa, pompa, papel passado nos dias de hoje. Não sou casada com meu companheiro, moramos juntos, dividimos contas e responsabilidades, nunca quis casar e meu “casamento” é muito mais sério e respeitoso do que muitos casais que convivo.

    Tenho uma colega que o namorado terminou com ela. Aí quando ele quis voltar ela disse: Só se a gente casar. O cara foi e casou. É sério que ela acha que o cara tá feliz? Na boa, isso vai acabar em chifre, sabe?

    Não acho que um cara deva ser pressionado e colocado na parede. Nós mulheres sabemos direitinho quando o cara quer ou não alguma coisa. E este seu caso ele já disse que quer focar na carreira.

    Conheço outro casal que a menina não queria ter filhos pois estava estudando pra concurso. Ele queria naquele momento. Resultado: ele não esperou. Foi lá, casou com outra, que ficou grávida em menos de 6 meses. Isso é amor? Não acho, mas o cara foi atrás do que ele queria e viu que com essa menina não ia rolar. Ele não quis esperar. Foi escroto? Foi! Mas ele devia esperar? Não sei, talvez.

    Filha, esse cara não vai casar com você, sério mesmo. A não ser que seja coagido a. E você quer que seja assim? “meu marido casou comigo porque eu pressionei”. E você quer casar, quer festa e eu acho que você tem esse direito. Tem mesmo, é seu sonho, você não deveria abrir mão dele, mas você tem que entender que não é o sonho dele e você não deveria obrigá-lo. Não é mais legal quando o cara te pede em casamento? Fica parecendo que ele realmente quer aquilo né? Quando ele procura e faz uma surpresinha… Um cara ser pressionado a casar eu acho horrível. Eu me sentiria um lixo. Fico imaginando ele com os amigos: “po aquela chata me obrigou a casar” sabe? Enfim, boa sorte pra você.

    Quanto a menina da faculdade, minha mãe engravidou de mim com 17 anos, trancou 1 ano de faculdade pra se ajustar. Ela fazia psicologia numa federal. Depois disso ela e meu pai se ajeitaram, tiveram um pouco de ajuda da minha avó, que já era aposentada, mas era nova ainda, tinha 54 anos, e eles foram levando, os dois na faculdade. Depois de 4 anos veio minha irmã, minha mãe estava acabando a faculdade, e ela me levava junto pras aulas, pois nem sempre tinha com quem me deixar. Então assim, é dificil, é! Mas você me parece uma menina forte, e pode ter certeza que você vai olhar pra trás depois e pensar: eu consegui. Eu sei porque a minha mãe fala isso até hoje, que foi dureza, mas ela conseguiu porque além de ser nova, ter mais pique etc, era o que ela queria. Meus pais são muito guerreiros.

    A outra que tá apaixonada me parece aquelas comédias românticas em que um cara fala “oi” e a mulher já gama. Acho que você não tá apaixonada não, você tá é carente. Qual o problema de mandar um email pro amigo que tá longe? O máximo que você vai ganhar é um “não” e isso você já tem. Vai atrás do “sim”. Eu tenho uma amiga assim, sai pra night, beija um cara e já tá gamada achando que é o príncipe encantado. Menos galera.

    Boa sorte pra todas e desculpe o jeito ríspido, mas é que tem horas que parece que eu to falando com uma irmã mais nova que merece um esporro…. Beijos

  26. #34
    Mileide
    11.12.2014 - 16:35

    JULIANA, que história a sua!!! Parabéns pela sua aprovação numa faculdade tão concorrida como a de medicina numa federal. Acho que vc tem que se valorizar e não interrompa sua faculdade!! O mais difícil vc já fez, que foi conseguir a aprovação. Continue a faculdade e quando precisar estudar de madrugada, coloca a filha para dormir e estuda em casa dele. Acho que com o final do seu relacionamento não rola ficar indo à casa do ex. Porém, sendo ele o pai da sua filha, realmente vcs terão que se dividir nos cuidados com ela, para que não fique mais pesado para vc!! Tbm acho que vc não deve se preocupar agora com a situação dos seus pais, já que não tem mta coisa q vc possa fazer. Talvez ao terminar seus estudos, vc possa ajudá-los financeiramente, mas agora fica difícil né… Tbm sou mãe e percebo que essa falta de interesse sexual em algum dos parceiros é muito recorrente, acontece muito. Não se culpe. Se ele acabou, deve ter uma razão. Não se culpe, com certeza vc se esforçou. Vc vai conseguir arrumar outro parceiro, mas primeiro tem que ficar bem sozinha, sem precisar de outra pessoa para te fazer feliz. O final de um relacionamento é muito triste, mas passa. Tudo passa. Se agarre à sua faculdade e à sua filha, que são os maiores investimentos que vc pode ter!!! Boa sorte e felicidades!!!

  27. #35
    Larissa Maya
    11.12.2014 - 16:54

    Não sei se sou eu que estou rabugenta com meus próprios problemas, mas achei os desabafos de hoje super mimimi’s!

    Tinha escrito um comentário super grosseiro sobre esses desabafos, pq achei mta dramatização adolescente, mas apaguei, pq acho q é minha TPM hahaha…

    • #36
      Larissa Maya
      11.12.2014 - 17:00

      Dei uma lida nos comentários e vi que não fui só eu que achei mimimi e fiquei com vontade de falar verdades… Então resumindo o comentário q eu tinha apagado:

      1- Depressiva que gosta de aumentar os dramas pra justificar sua depressão e pra q sintam pena dela
      2- Egoísta que quer q o namorado se curve as vontades dela pq não é capaz de correr atrás do q quer sozinha
      3- Se não tiver de 15 anos pra baixo, é uma pessoa inexperiente e imatura, q tem mto o q aprender sobre AMOR ainda!

      Next.

      • #37
        11.12.2014 - 18:42

        Eu acho no mínimo desrespeitoso chamar alguém de depressiva pra que alguém sinta pena dela… Depressão é doença e a própria Cony já falou disso aqui!

        No mais, tirando a primeira história, de uma menina realmente forte e guerreira, porque quando se trata de filhos, acredito que mudam-se todas as prioridades, o resto tá todo mundo com ‘fogo no rabo’, como diria a minha avó… hahah

      • #38
        Emanuelly
        12.12.2014 - 09:11

        Larissa Maya, nem toda merd# que a gente pensa, precisa falar. Se não tem nada pra contribuir, fica quietinha. Desrespeito demais, principalmente com a primeira garota.

    • #39
      Fernanda
      12.12.2014 - 13:45

      Que grosseria!!! Para que menosprezar os problemas alheios?
      Se não tem nada de bom para acrescentar, melhor não falar nada mesmo!!

    • #40
      Poliana Máximo
      15.12.2014 - 18:17

      Nossa, bem se ver que o pior problema aqui é o seu. A ideia da coluna não é menosprezar o problema de NINGUÉM! Você está sendo indelicada, para dizer o MÍNIMO!

      Acho que todos os problemas são válidos. Uma faculdade é difícil, em período integral mais ainda! Sou mãe, também tive minha filha na faculdade, em época de OAB e TCC e sei o quando a pressão dificulta. Tive a sorte de ter todo o apoio do meu marido e da minha família. Mas mãe é mãe e se cobra sempre! Então ter babá, colocar na creche, deixar com os avós, isso não é abrir mão dos filhos. Ao contrário, ela vai te admirar tanto quanto já te admiro ao crescer e conhecer sua história Juliana!

      Larissa, não te condeno viu! É ruim encontrar a pessoa que se ama mas não ter o mesmo caminho para ver o futuro. Eu se fosse você teria um papo sincero. Não acho que você dependa de ninguém e nem queira se colocar nessa condição, só é uma pessoa querendo construir família com alguém que se gosta. Infelizmente, não é ele.

  28. #41
    Emanuelly
    11.12.2014 - 16:55

    Juliana, primeira coisa: não largue seu curso, pelamordedeus!!! Essa coisa de responsabilidade muito cedo eu vivi isso e só percebi isso depois de alguns anos de terapia! Só lá que a psicóloga abriu meus olhos pro que eu vivi (minha mãe é bipolar, eu cuidava dela nas crises de depressão – de dar comidinha na boca e tudo – e nas brigas com meu pai também, isso desde muito pequena). Enfim, se for possível, faça terapia, vai te ajudar muito a perceber o que é e não é sua responsabilidade, diferenciar seus problemas dos dos outros. Conseguindo balancear direitinho dá tempo fazer tudo: faculdade + filha + possível relacionamento.

    Isabela, concordo com a Cony, mas acho que se casar é tão importante pra você e pra ele não é, é melhor sair fora logo, tá perdendo tempo. É a mesma coisa quanto a filhos, que discutimos em outro post: quando um quer e outro não, é estresse e separação garantidos.

  29. #42
    Lívia
    11.12.2014 - 17:00

    Juliana, fique firme! Seja forte e persistente, e no final tudo dará certo. Tenho uma amiga que viveu uma situação parecida com a sua: engravidou na época do vestibular e ela e o namorado passaram muitos altos e baixo até ambos terminarem a faculdade. Mas no final deu tudo certo: com a profissão estabelecida, eles se casaram e a filha até entregou as alianças. Hoje estão super bem, mais de 13 anos após todas as dificuldades! Tenha fé, você é forte e vai dar tudo certo!

  30. #43
    Angela
    11.12.2014 - 17:27

    Olá!

    Caso 1: Sempre achamos tempo para aquilo que temos vontade, deixe sua filha cada dia com uma pessoa, seja organizada e você vai ver que conseguira tempo para os estudos e para a saude, e nunca desista de seus objetivos, força você consegue, ainda mais quando somos mãe, nos tornamos guerreiras.

    Caso 2: Quer realizar seus sonhos?! Vá em busca deles, tudo tem seu tempo, não fique esperando os outros, quer sair da casa dos pais? saia e arque com suas despesas, caso ele seja o homem da sua vida você sabera esperar o momento para ficarem juntos para sempre, quantas pessoas moram juntos sem casamento dos sonhos e são felizes. Acho que você esta reclamando de barriga cheia, só acho.

    Caso 3: Paixonite aguda, daqui a pouco aparece um terceiro .. kkk

  31. #44
    Nai
    11.12.2014 - 17:54

    Isabela, vou ser sincera com você. Eu passo EXATAMENTE a mesma coisa que vc (coincidindo até no tempo de namoro) só que AO CONTRÁRIO!!!!
    Meu namorado quer casar, constituir família em um futuro bem próximo…e eu quero focar em mim, na minha carreira, viajar muito e etc… E no caso dele não é pressa de sair de casa, é vontade mesmo de TER UMA FAMÍLIA de propaganda de margarina…(vai lá saber pq logo eu fui escolhida para fazer parte disso, não é bem o meu perfil agora, sabe? Quem sabe bem mais pra frente).

    Enfim, é muito legal estar com ele, ele é um doce,atencioso, carinhoso….Mas nos últimos tempos tem planejado um futuro próximo completamente diferente do que eu estou vivendo.

    Não sei a sua idade e nem a dele…mas eu tenho 23 anos, e ele 25. Me acho nova para isso, mesmo que nós 2 já tenhamos uma carreira legal e uma graninha que daria para viver sem passar sufoco. Não vejo essa possibilidade por mais uns bons 10 anos. Sou egoísta sim! Mas sei que ultimamente estou sendo um pouco injusta com ele, visto que o mesmo tem andado me pressionando um pouco quanto a isso, e eu fugindo….Então estou planejando uma conversa séria, para tomarmos uma decisão.

    Ou seja, se não é isso que ele quer amiga, não adianta insistir!!! Eu amo muito o meu namorado, sério mesmo, mas não posso “anular” meus sonhos nem por ele e nem por ninguém. E vc também não pode fazer isso com si mesma de forma alguma. E menos ainda impôr uma coisa que ESTÁ NA CARA que ele não quer….Tudo que é feito por “obrigação”ou insistência do outro é muito chato! O legal é fazer a nossa vontade garota…..VAI SER FELIZ! Seja sozinha ou com outra pessoa que queira levar o mesmo estilo de vida que vc.

    É muito chato ferir as pessoas e deixar grandes amores pelo caminho, mas faz parte. A gente não muda a cabeça de ninguém, ou vc aceita a situação, ou procure mudar!!!! Não espere que ele mude, pode demorar muito mais tempo do que vc está disposta a esperar….

    Por que não propõe uma conversa franca???

  32. #45
    silvia hahne
    11.12.2014 - 18:15

    JULIANA: Sabe seu relato é tão longo, tão prolixo…que fiquei cansada. Desculpe, mas me parece que o seu problema é esse mesmo, (pelo menos é assim que eu vejo) muito detalhe, pouca concisão.
    Você já se deu conta que desde muito nova, passou à assumir responsabilidades que não deveriam jamais serem suas? Parece mesmo, que no fundo você gosta em ser assim, ou seja, a que resolve, a que dá as cartas, a forte, só que a coisa chegou num tal ponto, que agora bateu o cansaço e você não está sabendo mais como resolver.
    Meu Deus, 19 anos, idade em que deveria só estar construindo uma vida, uma estrada e tão cheia de conflitos, nos quais você mesmo se colocou.
    Antes de mais nada, pare e pense com calma, tentando resolver cada coisa que te incomoda por vez e isso, não querendo ser a palmatória do mundo; pela discrição dos que te cercam, eles não tem a mesma visão que você tem da vida, independente da idade que tenham e portanto, (é o que me parece) não espere deles, (pais e marido) soluções, que só podem vir de você, pois lamentavelmente é como e desde sempre, você se colocou diante deles, a que resolve.
    Desculpe mais uma vez, mas à mim me irrita, quando vejo pessoas, assumindo posicionamentos e atitudes, que não lhe diziam respeito.
    Beijos e boa sorte.
    #
    ISABELA: Aqui não dá para dizer nada, a Cony disse tudo com precisão cirúrgica. Boa sorte.
    #
    LUANA: Pelo que eu entendi, nenhum desses dois “príncipes” está tentando namorá-la. Acho que você está carente afetiva, (mal que assola o mundo atual) portanto gentilezas, estão lhe parecendo um possível romance.
    Vejamos o caso do “príncipe” que você conheceu durante sua viagem: ele lhe deu um beijo de despedida significativo, mas já se passou um ano do seu retorno e…nada? Esqueça!
    O “príncipe” do escritório então, é roubada, o homem já tem muita história no pessoal. Esqueça!
    Sim, hoje estou dura, mas é melhor um bom choque de realidade, do que ficar perdendo tempo, com historinhas que não levaram à nada.
    Boa sorte e olhe em volta, talvez o romance que você vá viver, esteja mais perto do que você imagina.
    Beijos

  33. #46
    Gabriela
    11.12.2014 - 18:18

    Gente pq as mulheres estão tão noiadas em casar ein? Estão minando relacionamento legais por pura loucura.
    Eu sou a favor de casamento, estou noiva YEEEY, mas não fiquei pedindo nem dando indiretas, pq sou romântica e pensava que se fosse para acontecer eu queria surpresa e romance, e ele me pediu em casamento na Orla Bardot em Búzios e eu nem esperava.
    Gente deixem de agonia, vivam suas vidas, vão atrás dos seus sonhos e da sua independência, SOZINHAS, sejam felizes sozinhas antes de querer dividir a vida com alguém, é mais fácil assim!! As coisas caminham naturalmente quando vc tira o quesito independência e dinheiro do relacionamento.
    Beijos em todas
    E amiga Juliana, barra!!! Mas persista nos seus estudos, não DESISTA!!! Deixe o boy pro lado e persevere no seu sucesso profissional para cuidar da sua filha também, estude na biblioteca, no estac do campus, no banheiro do shopping, em qualquer lugar.. E daqui a pouco sua filhota vai pra creche e sua vida fica mais “tranquila”.

  34. #47
    Raquel
    11.12.2014 - 18:48

    Cony!!! Preguiiiiiiiça dessas histórias loooooooongas!!! Essa tag está grande demais!!! Nem leio…

    • #48
      luana G.
      11.12.2014 - 21:10

      As histórias realmente estão muito longas. Acho que o pessoal devia tentar ir direto ao problema, contando só o necessário para entendê-lo.

    • #49
      Isa
      12.12.2014 - 09:16

      Concordo!!
      O primeiro caso zzzzzzzzzzzzz

  35. #50
    Gabriela
    11.12.2014 - 19:55

    Poxa, para a primeira história: dependendo da faculdade tem até creche dentro. E não adianta, vai acabar tendo que deixar a filha em creche/com babá etc. Não vai dar para levar uma criança para dentro da sala de anatomia, para o plantão, para outros ambientes insalubres. E terminar a faculdade é essencial para garantir uma futura condição melhor de vida para a mãe e para a filha. E se o pai está na mesma condição, também não vai adiantar tentar deixar a criança com ele.

  36. #51
    Marina
    11.12.2014 - 20:01

    JULIANA:

    Estou indo pro último ano da faculdade de medicina e acho que tenho alguns conselhor pra te dar, embora eu não seja mãe. Primeiro de tudo queria te dizer pra não se iludir: a faculdade aperta um pouco no final, tem os estágios por fora da faculdade, e ainda temos que estudar (MUITO) pra passar numa boa residência. Acredito que agora você tenha que fazer uma escolha: se tranca a faculdade pra estar mais presente na infancia da sua filha, ou se segue seus estudos, sabendo que isso implica em pedir ajuda dos pais/baba/ex pra cuidar da pequena. E saiba que essa segunda opção não faz de você uma mãe pior. Digo isso porque minha mãe sempre trabalhou muito, e sei que era tudo pra me dar uma vida melhor.
    Enfim, é uma decisão que ninguém pode tomar por você, boa sorte!

  37. #52
    Fulana
    11.12.2014 - 20:03

    o segundo caso parece até o meu, tenho pavor de casamento e meu namorado também quer um canto mas quer me levar junto. foi até bom seu ponto de vista sobre a família pq acho que é isso o que ocorre também. o terceiro caso, é possível sim se apaixonar por duas pessoas, experiência própria, acho que isso é muito amor em uma pessoa só e a ideia de que ele deve ser compartilhado. Enfim, tem muita coisa por trás dessa simples ideia. Tem gente faltando amor, outras com amor de sobra!

  38. #53
    Maria
    11.12.2014 - 20:18

    Que mulherada que viu filme da Disney em excesso hein!? Gente, nós podemos contar nos dedos quantos príncipes ainda existem hoje, e a galera querendo príncipe, casamento de princesa, ser mimada pelo marido… e Isabela: até a Kate pra virar princesa teve que correr atrás da vida dela pra chegar perto do William, e se você for ver, hoje as princesas e rainhas mais respeitadas do mundo são mulheres independentes e figuras altamente influentes. E você lá é princesa pra querer príncipe? Cuida da sua vida mulher, quanto mais independente você for, mais interessante você é. Homem odeia coitadismo!

  39. #54
    Sabrina
    11.12.2014 - 21:22

    Juliana = como assim perguntar se deve achar bom por um ponto final num relacionamento que nem sexo tem mais? Acho que já acabou há tempos, ne.
    Isabela = se o cara casar assim na marra o risco de dar errado é grande, hein, procure ser independente que é mais lucro.
    Luana = me parece amor platônico de menina virgem.

  40. #55
    Carol
    11.12.2014 - 22:53

    Juliana,

    Sei exatamente o que está passando e vou te dizer que isso nunca vai acabar! Então o que você pode fazer é simplesmente reorganizar sua vida.
    Primeiro: aceite o fim do relacionamento. Pelo que vc descreveu ele estava sendo uma muleta para vc se apoiar.
    Segundo: vc precisa construir uma nova forma de se relacionar com seu ex já que ele é pai da sua filha.
    Terceiro: conte com a ajuda de quem for possível para se dedicar aos estudos. Reserve os tempos livres para cuidar da sua filha, procure dividir essa responsabilidade com o pai.

    Sendo mãe de duas crianças e trabalhando em período integral vejo que o que importa é a qualidade, o exemplo, a educação que vc vai deixar como legado da sua filha. Enfim, como muitas já falaram não se pode fazer mil coisas ao mesmo tempo, então foque no que é prioridade para vc: seus estudos e sua filha. A relação dos seus pais não é problema seu, mas deles. E se possível procure ajuda profissional. Há faculdades de medicina que proporcionam ajuda psicológica gratuita aos alunos.
    Com o fim do semestre e as férias, vc terá tempo de se organizar para o próximo ano. Cogite a hipótese de fazer o curso em mais tempo para conseguir ficar com a sua filha.

    Boa sorte!

  41. #56
    11.12.2014 - 23:30

    Juliana, antes de qualquer coisa queria te dar os parabéns! Faço faculdade de medicina e mal consigo dar conta, fico imaginando como você consegue conciliar tudo!

    Mas, o que eu gostaria de dizer para ti, é para priorizar. Você não pode abrir mão de sua filha, então, te diria para trancar a faculdade por um semestre – por mais doloroso que isso seja e eu sei que é – e resolva sua situação com seu marido. Decida se quer ficar ou não com ele e dedique-se à sua filha. Após esse tempo, acho que voltar, com as coisas mais esclarecidas, seja mais fácil.
    Agora para as coisas não desandarem novamente, acho essencial você abrir mão da culpa que sente pelos problemas dos seus pais. Sempre sofri muito com isso – e também por isso saí de casa com 17 anos para fazer faculdade – e, acredite, depois que me libertei e deixei eles viverem a vida deles, fui muito mais feliz!
    Era isso que queria falar por cima.

    Se quiser conversar mais, estou aberta porque me identifiquei demais com a sua situação. Qualquer coisa, só me procurar nas redes sociais.
    Beijão.

    Blog Coisa e tal
    Facebook | Twitter | Instagram

  42. #57
    Michele
    12.12.2014 - 00:40

    Juliana,
    Tem uma frase que eu amo da Simone de Beauvoir que é: Uma mulher não nasce mulher, se torna mulher.
    Ser mulher é crescer quando precisar crescer, mesmo que a idade cronológica não indique isso. Ser mulher é focar nas prioridades. Ser mulher é deixar quem falar quem é de falar e pedir ajuda a quem pode ajudar. Na maioria das vezes você vai sentir que está descobrindo um santo para cobrir outro e é assim mesmo quando se tem que matar um leão por dia.
    Eu sinto que há mais gente querendo criticar (não estou falando das meninas dos comentários e sim familiares, amigos) do que te ajudando. Elimine essas pessoas do seu convívio. Seus pais por mais problemáticos que sejam, são sua família e te querem bem.
    Tudo passa, faculdade passa, dor de amor passa e você estará trabalhando, ganhando seu dinheiro, arrumando sua vida. Só tem que ver esse período como difícil e logo logo as coisas vão se arrumar.

  43. #58
    Tay
    12.12.2014 - 00:55

    Sabe aquela sensação de cair a ficha? Tive ao ler o segundo caso, da Isabela. Meu caso é que tem um cara que conheço há uns quatro anos e de um ano e pouco pra cá, já ficamos juntos algumas vezes. Não chegou a virar namoro, mas teve certa duração. Ele é uma pessoa super do bem, divertido, responsável, humano, bonito, etc. A questão está no fato de que entre ele e eu rola a diferença de 9 anos – ele 29 e eu 20. Ano passado quando terminamos, foi porque ele tava super na vibe de casar – no máximo com dois anos de namoro. Na época eu ainda nem tinha começado a faculdade, então descartei de cara. Este ano, porém, ele estava menos neurótico, mais tranquilo.. E eu super disposta a fazer dar certo (a ponto de conseguir me imaginar casando em 4 anos talvez). Porém ainda assim, tínhamos nossas diferenças. Eu penso em viajar, fazer intercâmbio, fazer mestrado e depois um doutorado em outro lugar, etc (meu curso é minha prioridade). E ele, claro, não iria ‘aceitar’ isso. Quando ele decidiu por fim, falou sobre as diferenças. E agora lendo o caso, percebi que eu só tava ignorando essas coisas, pensando que iria dar certo, porque a paixão tava falando mais alto. Agora vejo que NÃO! As coisas só iriam se agravar e um término quando o relacionamento estivesse mais estável seria muito mais doloroso. Ainda rola aquela saudade da vida de casal, a carência, a insegurança e o medo de não achar ninguém.. Mas nada como a sensação de ‘foi melhor assim’. Porque foi mesmo!!! Só um desabafo mesmo! BJS 🙂

  44. #59
    Jessica
    12.12.2014 - 02:13

    Juliana, desconheço uma mulher nos dias atuais que cuide 100% ou até 50% do tempo do seus filhos. Não se iluda achando que quando vc for médica vc vai estar em casa com eles ( no futuro) e por isso vc precisa de ajudar de babá de tia de avó. Toda milher acontece isso, a não ser que ela seja desempregada, e os filhos se criam, evoluem e amadurecem.
    Infelizmente, para ser bom médico você abre mão de muitas coisas , incluindo família por um tempo, e até sua saúde. Mas uma hora você recupera tudo isso.

    Isabela. Se tu nao pode se bancar imagina, quando tu voltar para casa dos teus pais com um baby depois da separação? Porque se o cara não quer casar é porque não quer mesmo. Vai estudar e crescer na vida, homem não da nada a ngm nao!!!

    Luana, tu estás mto carente e está vivendo de fantasias. Se quer ficar com o boy , fica. Viva sua vida, paquere e swduza, nao gaste seu tempo vivendo de ilusões. Corra a atrás do que você quer.

  45. #60
    Carol
    12.12.2014 - 02:47

    Juliana, você é uma vitoriosa. Até a forma de você se expressar demonstra maturidade.
    Mas entendi o seguinte: você, desde cedo, assumiu um papel que não é seu. Claro que foi sua mãe que fez isso, mas hoje você PODE escolher. E a vida sempre bagunça quando os papéis se invertem. Então pare um pouco, respire e organize sua vida, colocando você e todo mundo no seu lugar: 1)Pare de ser a mãe de sua mãe: deixe ela “crescer” e isso é um ato de amor. E se ela não se toca que é mãe, chame-a para o lugar dela de avó. 2) Seu relacionamento terminou, mas ele ainda é pai. Ele também precisa se preocupar em cuidar da filha de vocês e ele também tem os pais dele(avós paternos) para ajudá-lo nessa tarefa. Não assuma sozinha. Não é entregar para os outros cuidar, mas você não pode fazer tudo ao mesmo tempo. Se há momentos em que você precisa parar para estudar, então peça ajuda, sim. 3) Você sempre foi a mãe de todo mundo, mas agora você SÓ deve ser a mãe de sua filha mesmo. E isso já é muito. Faça o seu melhor e tenha o cuidado de não repetir o roteiro de sua mãe: por carência, transformar sua filha em sua mãe no futuro. Acho difícil, mas cabe o alerta. 4) Não foi por acidente que você escolheu medicina, pensando tanto em cuidar dos outros. Mas você cuida de você? Parece que não… Pois devia. Você só tem 19 anos. Não sinta culpa em se dar prioridade. Se dedique aos seus estudos, que vale muito a pena! Tenta relaxar e dar um escape na sua ansiedade. No momento certo outro cara legal vai aparecer, mas agora se preocupe em ficar bem! Cuide de você para cuidar até melhor de sua filha! Vai dar tudo certo, porque você parece ser muito guerreira!

  46. #61
    Mariana
    12.12.2014 - 05:58

    Cony! Muito boa essa sessão! Lembro daquele programa de TV Marcia, quem se identifica? hahaha brincadeira! Adoro seu blog =)

    Beijos,

  47. #62
    Marília
    12.12.2014 - 09:20

    Gente…mais um episódio do CQETE!!! ADOOOOORO!
    Nesse eu percebo que a gente já viu muitos problemas por aqui, cabeludíssimos por sinal, e acabamos por ter um pouco menos de paciência com os demais. Normal. Mas bem…temos que lembrar que só quem sabe o calor da panela é quem tá na cozinha., né?
    Por outro lado, de mimimi o mundo tá cheio, e precisamos mesmo de choque de realidade em alguns momentos. Amigo faz isso também – dá aquela chamada, puxada de orelha, tapa na cara pra acordar…
    Então…se não sabe brincar, não desce pro play, né? 
    Caso por caso, missão CQETE. Let`s go!
    JULIANA: Menina do céu, que história tensa e complicada. Você é uma menina mulherão, que teve que começar cedo a amadurecer, e isso faz de você uma pessoa muito diferenciada das demais. Como uma amiga minha diz, virei `titica` perto dessa história. Meus problemas, uff…ridículos.
    Eu já fui bem parecida com você, no sentido de querer sempre resolver os problemas da minha família, e eu me dei mal, muito mal, com isso. Sabe por quê? Por que na lista de prioridades da vida, nosso nome tem que estar em primeiro lugar. É OBRIGATÓRIO pra quem quer ser feliz, cara. O nome disso não é egoísmo, é AMOR PRÓPRIO. Então, numa boa, esquece os problemas da sua mãe, do seu pai, e lembre-se dos seus problemas, suas tarefas, sua vida. A única pessoa que depende de você é sua pequena, e isso já é muito. Tem um ditado popular “quem tem filho barbado é gato”—entende o que quero dizer? Seus pais são grandinhos e sabem se virar. Se não sabem, eles vão aprender, assim como você aprendeu.
    Cuide de você, da sua vida, dos seus estudos e peça ajuda a quem TEM QUE estar ali pra você nesse momento, mesmo que não estejam mais juntos: o PAI da sua filha. Ele tem responsabilidade e DEVE honrar isso. Então, se você precisa estudar ele precisa te ajudar também.
    Eu nem acho que posso te ajudar, assim, o tanto que gostaria…mas posso rezar por você. Eu não sei bem o que dizer mas se eu pudesse atravessar essa rede, eu ia até aí te dar um abraço bem apertado pra te dizer: Te admiro, e torço muito pra que a vida te dê de volta esse esforço que você vem fazendo pra ser feliz. Garota, você vai loooonge. Acredite. Você já é mais forte do que imagina. Eu admiro sua coragem e sua força, e desejo que você consiga resolver esses problemas todos, se torne uma ótima profissional, e seja muito feliz com sua pequena, e com ou sem o pai da sua filha. 
    ISABELA: Olha, eu SEMPRE digo que o grande causador dos problemas de relacionamentos é o Walt Disney. Auhauahuahuahauhauhauahuahauha! Gente, sério!!!! A gente fica idealizando um relacionamento, cara, e é dos filmes da Disney que a gente tira isso! Ou então é daqueles milhões de relacionamento fakes do Facebook — tudo é lindo, amor da minha vida, foto com váááários sorrisos…humpf. Como minha vó dizia: Por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento. Auhauahuahuahuahuahau!
    Filhota…rastejar pra ter amor, pra ter atenção…não é bom pra ninguém. Como a Cony disse, relacionamento em que os sonhos são os mesmos, ou pelo menos parecidos, ou condizem de alguma forma, tem tudo pra dar certo. Não que sonhos diferentes sejam motivo pra relacionamento dar errado, mas a falta de um diálogo firme sobre, sim. Então, DIALOGUE. Fale o que te incomoda. E a partir daí você vai ver se, de fato, você tem um problema ou não.
    Ah, e pedir ao cara pra abrir mão de ser feliz profissionalmente pra poder ser feliz é o mesmo que pedir a você pra abrir mão de ter sua família de margarina pra poder ser feliz.
    Acha justo? Não né? Então… 

    LUANA: Na moral…sossega essa periquita, amada. Auahuahuahuhaua! Pelo amoooor.
    E olha, pelo seu relato, eu te achei muito carente…e pessoas carentes tem uma tendência a idealizar coisas. Digo isso porque já passei uma fase assim. Meus amigos do trabalho (só homens, delícia) não podiam nem botar a mão no meu braço, cara, tipo, chamando a atenção, que eu já ficava toda nervosa. Olha que ridículo! Auahuahuah!
    Mas é isso. Resolva as suas carências. Você vai ver que colocando sua cabeça no lugar, você resolve rapidinho essa parada.

    Cony, obrigada pelo espaço de sempre! Sucesso e beijo grande! 

  48. #63
    Isa
    12.12.2014 - 09:23

    Os 3 casos de hoje: muito mimimi… Texto longoooo zzzzzz.
    – No primeiro, vejo aquele tipo de pessoa que sente necessidade de abraçar o problema dos outros e não consegue resolver nem os próprios…
    – no segundo, egoísmo! doida pra sair de casa acha que casamento vai resolver a vida.
    – no terceiro… sem comentários, né?? Me senti com 12 anos lendo a revista Capricho.

    • #64
      Beatriz
      12.12.2014 - 12:56

      Jesus!!
      Rápida, simples e DIRETA rsrs

  49. #65
    Karla
    12.12.2014 - 10:06

    Juliana, estude na biblioteca e cuide da sua filha que são mais importantes. Seus pais são adultos podem resolver seus problemas.
    E quanto ao namorado, let it go. Uma coisa a menos para você se preocupar.
    Isabela se não pode bancar um AP sozinha vá morar com as amigas. Foi isso que eu fiz, foi ótimo, amadureci e me diverti muito nesse tempo.
    Luana por que tanta dúvida? Você nem sabe se algum deles vai te querer! Investe nos dois (ou melhor, investe em vários) e veja no que dá.

  50. #66
    Kaa
    12.12.2014 - 10:57

    Juliana:

    Parabéns! Vc escolheu uma das carreiras mais bem remuneradas, menina! Se vc gosta (e pelo q diz, sim!) terá muito sucesso pela frente!
    O problema é que para se dedicar aos estudos, vc precisa de paz, não só no ambiente de estudo mas na mente tbm!
    Já conversou com o seu amado a fim de descobrir o motivo REAL da separação?! …pq sexo não foi! Isso é importante pros homens, mas não tanto quanto o amor e a família. Se ele estiver triste, se sentindo esquecido, deslocado, é sinal que existe amor ainda e vcs precisam lutar pelo relacionamento. Vc só precisa dar + atenção à ele. (E tente esquecer o problema dos seus pais pq isso só irá te sobrecarregar)
    Se o amor acabou… lamento… mas vc precisará de um tempo de luto e vê-lo todas as semanas nas aulas só vai trazer sofrimento e prejudicar seu rendimento nas notas. Então nesse caso, aconselho tentar trancar o semestre ou algumas cadeiras. Não sei como funciona no caso de adesão pelo Enem…

    O + importante agora é sua filha! Mesmo que tenha pouco tempo para passar com ela, passe tempo de QUALIDADE com ela. Que sejam só duas horas/dia, mas duas horas de atenção, carinho, brincadeiras, ensinamentos de moral e valores, exemplo de alimentação saudável (avós comumente mimam d+ com doçuras e frituras)…(isso vai fazer bem pra sua gastrite e auto-estima tbm).
    Tenho a sensação de que sua filha pode acabar se culpando pela separação de vcs ou por vc não ter tempo para estudar, então tente deixar bem claro pra ela que ela é a melhor coisa que te aconteceu e assim evitará que ela sofra psicologicamente tbm…

    Juliana vc teve que amadurecer racionalmente muito rápido para ajudar sua mãe. Mas emocionalmente… não teve tempo (vc é nova, verá que pelos 30 se sentirá + forte) nem ambiente proprício para isso porque dá pra notar que seus pais não foram um bom exemplo de vida conjugal… Depois que as prioridades de vida forem atendidas, sugiro buscar ler livros sobre relacionamento, como a cabeça do homem funciona (Homens são de marte e mulheres são vênus é ótimo pra isso), sobre sexualidade, enfim… auto-ajuda, sabe?! A gente sempre aprende um bocado! #éprecisosaberviver

    Espero ter ajudado!
    Um 2015 muito feliz pra você que não sabe ainda o quanto a vida pode ser maravilhosa!
    Beijos

  51. #67
    Luciana
    12.12.2014 - 11:13

    Juliana de Deus… Estou chorando no meu trabalho, em cima dos processos que eu deveria estar lendo… Me emocionei tanto com você!!! Vamos ver se consigo ajudá-la… Vamos começar separando as coisas! Existe uma mãe, uma esposa e uma profissional. Seu parceiro deixou de ser seu parceiro mas continuará exercendo o papel de pai e dividindo essa responsabilidade com você. Divida isso com ele, vc se sentirá melhor. Saiba que quanto à sua filhinha, mais importante que a quantidade de tempo que você passa com ela é a QUALIDADE DESSE TEMPO. Senão todas as profissionais teriam filhos traumatizados e isso NÃO ACONTECE. Então zele pela qualidade do tempo que você dedica a ela, separe por dia um tempo sagrado, seja quanto for, e dedique-se de corpo e alma, brinque com ela, faça-a sorrir! Só tem 20 minutos por dia? OK!Faça com que sejam lindos 20 minutos e verás sua culpa diminuir. Todas nós, mães profissionais carreamos essa culpa inevitável, mas se vc souber deixar na cabecinha dela lindas lembranças ela não vai ter traumas da sua falta de tempo, e sim sentirá orgulho da profissional que você se tornará. Tenho 1 hora por dia para meu filho mais novo e 1 hora para minha filha, mas são lindos momentos, brinco sem parar. Quanto ao seu namorado, desista dele, o amor esfriou, acontece muito… é um relacionamento longo, que já passou por muita coisa, isso é comum, mas não me parece que vale a pena investir… se eu fosse você desistia dele como companheiro e continuava alimentando apenas a relação amigável e civilizada necessária para que sua filha fique bem em meio à separação. E no mais minha cara, mãos à obra, você é uma guerreira e tem uma linda carreira pela frente!!!! Faça sua estrela brilhar, e sim, ela vai brilhar! Chorando…

  52. #68
    12.12.2014 - 11:19

    O nome da coluna é chora que eu te escuto, de modo que as pessoas devem estar abertas a escutar o problema do outro. Tem histórias que são puro mimimi? Tem, mas isso não é motivo para comentários agressivos. A gente vive reclamando da postura do outro mas na hora de se comportar adequadamente faz ouvido de mercador, né? Mais empatia, minha gente!

    Juliana: tranca a faculdade por um período. Relaxa, curte a sua filha, elege suas prioridades e depois decide o que é melhor. Ficar bem que antes é imprescindível para que as coisas possam melhorar depois. 😉

    Isabela: a Cony falou tudo.

    Luana: Isso é paixonite, mulher. Tenta com os dois e vê no que dá, o que não vale é ficar nessa de amor platônico (duplo!).

    Beijos

  53. #69
    Michele
    12.12.2014 - 11:19

    JULIANA: Primeiramente parabéns pela sua aprovação e esforço!
    Desde cedo você buscou responsabilidades que não eram suas… mas é passado! Tens que viver o presente, pensar em você, na sua filha! Se valorizar!
    E NÃO interrompa sua faculdade! O mais difícil você já fez que foi conseguir a aprovação, passar toda a gravidez, vivenciar o período que sua bebê era novinha.
    Não é justo que você tenha que interromper seu sonho enquanto o pai da criança continua o dele.
    Falando em pai da criança…. Jamais se culpe pela ausência de sexo… Obviamente o problema é ele e não você!
    Em resumo esqueça os problemas do passado, esqueça os problemas dos seus pais! Pense em soluções para administrar seu tempo entre estudos e sua filha, que são as prioridades no momento!
    Não estude mais na casa do seu ex. Estude na biblioteca da faculdade! Sei que você disse que ele era seu porto seguro, mas infelizmente você não pode mais contar com ele como companheiro… dói no começo, mas depois passa e a sensação é de alívio e você ficará ainda mais forte! Outros homens surgirão… sempre surgem!
    Deixe sua filha com os avós, peça ao pai da criança para pagar uma babá ou creche. Pois ele também tem participação na criação da filha.
    E, infelizmente a mulher moderna tem que abrir mão no convívio integral com os filhos pequenos se ela quiser uma boa carreira que traga reconhecimento e independência.
    Boa sorte! Sei que você já demonstrou grande força até o momento, então continue firme e serás recompensada! Abraço!

  54. #70
    12.12.2014 - 11:25

    Juliana: Menina, como você é guerreira, hein! Parabéns! Mas vou te dar um conselho que meio que vai de encontro a toda essa força que você mostrou na sua história: permita-se ser frágil. Vá a um psicólogo e a um psiquiatra para tentar apaziguar sua gastrite nervosa. Peça ajuda para seus pais, seus amigos, chore, sofra, dramatize, enfim… Seja uma menina de 19 anos! Tenho certeza de que essa fase não irá demorar muito e você logo voltará ainda mais forte, querida!
    Realmente acho que a sua história com seu ex acabou e que era algo que vinha se arrastando. Ponha isso na sua cabeça e desvincule sua vida à dele totalmente! Nada de achar que pode procurar ele pra “estudar” na casa dele! Isso só fará mal a você…
    Garra, fé e foco! Vai dar tudo certo! Beijos!

    Isabela: Acho que a Cony já disse tudo! Tenho certeza de que você deve ter levado um susto com a resposta dela, mas acho necessário esse choque de realidade! rs Você está se vitimizando (pelo seu e-mail, não sei se é a realidade) com relação a escolhas que fez e que seu namorado faz também! Então é como as meninas falaram: quer casar? sai dessa! Sei que não é fácil, então boa sorte! Beijo!

    Luana: Baby, também concordo com a Cony e com as meninas. Paixão não é assim, e esse segundo garoto não é importante na sua vida, lamento dizer… Você tem dois paquerinhas que provavelmente não vão dar em nada ou já teria dado. Sorry! Mas bem, quem nunca teve fase carente, né? Mas tenta suprir isso com família, amigos, não homens, senão a chance de você se dar mal é ENORME! Se cuida! Beijo

    Conyyy, tenho uma idéiaaaa pro Chora versão feliz! Conta sua história! Lembro que você postou uma versão emoji dela no Insta uma vez! Aproveita pra contar pra gente, sua linda! Acho o máximo você e seu boy! Beijos!!

    • #71
      Constanza
      12.12.2014 - 18:02

      Tenho vergonha rsrsrs mas é uma boa ideia, não posso negar rs

      • #72
        14.12.2014 - 13:25

        Hahahaha
        Tô aqui torcendo pra vc crie coragem :)) beijoss

  55. #73
    12.12.2014 - 11:27

    O 1º caso me cansou, desculpe. Eu apenas acho que vc deve parar de tentar resolver o problema dos seus pais (eles são adultos e sabem o que fazer). Liberta desse ex tb!

    o 3º caso me lembrou a minha 7ª série… hahaha. Brincadeiras a parte, acho que é só um momento mesmo.. logo passa.

    o 2º caso me deu raiva. Menina, para de ficar se rastejando. Se o cara não quer casar agora, não adianta vc ficar esperniando! Pq tb não adianta nada ele casar com vc sendo que ele não quer… é um passo pra não dar certo.

    bjsss

  56. #74
    Luciana
    12.12.2014 - 11:30

    Luana, duas paixões mas nada de concreto… Vai pra prática mulher… Estão me parecendo paixonites platônicas…
    Isabela. Você não vai conseguir chutar o pau da barraca e terminar de repente e conviver com a dúvida se poderia ter dado certo, ok? Então siga com a relação, mas pare de pressionar o rapaz. Homem é como sabonete, se vc pressiona ele escapa. Foque em você, tente realizar-se por seu mérito, e não atraves de um casamento. Sei que é seu sonho, e coisa e tal e tal e coisa… Mas não é pressionando que vc vai realizá-lo… Você está minando a sua relação. Se eu fosse vc focava na profissão, que é algo que está ao seu alcance controlar. Percebe que vc não tem como controlar a vontade dele de casar ou não? Concentre-se no que vc pode controlar. Sua profissão! Gatinhas, agora vou trabalhar pq não tá fácil pra ninguém. Bjus kiridas…

  57. #75
    Camila
    12.12.2014 - 11:52

    Gente, vamos combinar de PARAR de casar pra sair de casa? Vai alugar um apto com uma amiga, ser independente, ter o gosto de tomar suas decisões e a responsabilidade de comprar seu papel higiênico. É TÃO bom e vc não precisa de homem para isso!!! Eu saí de casa com 22 anos, tinha acabado de me formar e ganhava uns dois mil reais. Ainda assim consegui morar em SP capital, dividindo um apto alugado (simples, mas fofo e super bem localizado) com uma amiga mto querida e esses 6 anos que passei nesse apto foram os mais felizes da minha vida. Dava tudo errado, o dinheiro era super curto, o trabalho mega cansativo, mas era bom DEMAIS. Vejo muita mulher sentada em casa, sonhando em montar a casa perfeita, com o marido perfeito, tendo a vida perfeita e deixando a vida passar esperando por isso. Trabalho e coragem. Esse é o segredo. Já estamos quase em 2015, o mundo graças a Deus mudou, nós podemos ser donas das nossas escolhas, sonhos e desafios. Vá viver sua vida, viva o seu sonho e ai vc vai ver, o homem certo vai aparecer e embarcar no seu sonho tb simplesmente pq ele não vai conseguir ficar longe de vc. CORAGEM MULHERADA! E isso vale pras 3.

  58. #76
    Suelen
    12.12.2014 - 12:07

    Amo essa coluna!

    Concordo com a Cony quando diz que a coluna de hoje tem muito mimo, rs.

    Vou começar pelo caso um, da Juliana. Não sei se é pq eu não sei esperar os problemas se resolverem, por mais difíceis que sejam, ou pelas minhas experiências da vida. Mas eu acredito que tudo tem jeito e tudo passa. E para isso a gente tem que ir em frente com garra. Não tô querendo diminuir, juro.

    Com relação a sua família Juliana, pelo que você contou, apesar de “você ser um pouco mãe da sua mãe”, seus pais sempre te deram apoio, né? Por que eles, no mínimo, bancaram seus estudos fora da cidade e quando você não passou no vestibular, eles bancaram sua viagem para fora, né? Por que isso não ficou claro para mim. (Tô lendo o blog escondidinha no trabalho, rs). Então sei lá, já acho um sinal de que eles estão dispostos a te compreender e ajudar, mesmo que financeiramente para você pagar uma babá para seu filhinho.

    E assim, desencana do pai do seu baby. Sério, que idiota. Não que ele seja obrigado a ficar com você, mas deveria te dar apoio, pq o filho tb é dele. Deixa isso claro pra esse garoto, vocês dois fazem medicina. Vocês dois tem obrigação com a criança. O tempo com ela precisa ser dividido para que os dois tenham tempo de estudar, se dedicar. E POR FAVOR, NÃO LARGA A FACULDADE!!!!

    Olha, não tenho filho, mas imagino o quanto é difícil tudo isso. Mas, por favor, não desanima. Não desiste de você, da sua faculdade e, muito menos, do seu baby. Eu sei que para quem fala de fora é mais fácil, mas na boa você deve se considerar uma vencedora por lidar com tudo isso ao mesmo tempo e pourrãm, por ter passado em medicina em uma federal. Parabéns, sua linda. Siga em frenteeeeee que sua vida será mais linda ainda e muito feliz.

    Para caso dois só tenho uma frase: preguiça de quem quer casar e quer obrigar o outro a isso. Peloamor, fia!

    Para o caso três: te entendo! IAUHAUIHAUIAH é paixão SIM, mas é paixonite cara. É fogo de palha, e sério, vai passar. Mas aconselho que você aproveite o menino 2, o que largou o trabalho para te ajudar, tb achei fofo. Já que ele é tão parecido com você e teve uma sintonia tão boa, pq não arriscar? Vai que, né.. afinal, se você não se interessar por quem foi gentil com você, vai se interessar por quem? IAHUIAHAIAH só não vai se interessar por todo mundo que abrir a porta de um elevador, que te dê lugar no ônibus, né?

    Beijos

  59. #77
    Natália
    12.12.2014 - 13:04

    Oi Julianaaa!!

    Me senti na sua pele, porque passei pela mesma coisa e na mesma idade!

    Engravidei aos 17, em Setembro/2003, no último ano do colégio. Não esperava, não queria, detestava crianças, maternidade zero, estava com meu intercâmbio para o Canadá pago, e pronta para embarcar em dezembro antes das festas! Então imaginou o tranco né.

    Quando contei para meus pais a primeira coisa que escutei foi: “Você não vai casar, e não vai parar de estudar nunca!”

    Como minha vida não podia parar, prestei vestibular para engenharia de produção gravidíssima (vagas remanescentes de uma ótima faculdade particular, super puxada). Passei… comecei a faculdade, sofri um preconceito gigantesco das pessoas. Me olhavam tão torto que cheguei a chorar no banheiro sozinha várias vezes. Sai de licença maternidade em maio, voltei a assistir as aulas em agosto, minha filha não tinha nem 2 meses completos. E foi assim. Nos primeiros meses eu ficava o dia inteiro me dividindo em cuidar da minha filha, tirar leite para deixar para ela mamar a noite (porque não queria que ela desmamasse) e estudar.

    Meu ex-namorado, terminou comigo quando ela tinha 40 dias. Eu sofri, chorei, me achei feia, me achei gorda, mas parei e pensei: “Hey… a vida não acaba por conta de homem não”, segui meu caminho do jeito que deu. E pensa que a família dele ou ele ajudaram em alguma coisa? NUNCA. Nem um pacote de fralda, nem visitar a menina, nenhum tipo de ajuda, se abstiveram por completo. Já chegaram a mandar presente pelo correio morando na mesma cidade que eu. Hoje deve fazer uns 2 anos que ninguém nem liga pra saber se estamos vivas.

    Como meus pais sempre trabalharam o dia todo, eu não tinha ninguém para ficar com minha pequena para que eu pudesse estudar durante o dia, então eu estudava nos fins de semana e nos horários de sono dela.

    Fiquei nesse esquema até ela completar 1 aninho, aí coloquei ela na escolinha e eu fui trabalhar para pagar as despesas dela, já que não queria terceirizar mais isso para os meus pais que já me davam todo o suporte financeiro (faculdade, fralda, comida, água, luz, casa). Eles me ajudaram demais, muito mesmo! Minha mãe então só faltava me “garrar” pelos cabelos para não me deixar desistir.

    Daí era assim… Como eu trabalhava próximo de casa, via minha filha na hora do almoço e antes de ir para a faculdade porque buscava-a na escolinha. Isso totalizava umas 2 horas por dia no máximo, porque quando chegava em casa ela já estava dormindo

    Repeti o primeiro ano, peguei DPs, abandonei matérias, mas fui seguindo em frente. Tinham dias que eu não via minha filha… mas sempre compensava, e quando eu estava com ela, ela era o foco. Passávamos tempo de qualidade juntas! Ela não me ama menos por conta disso, pelo contrário, mesmo com 10 anos é um grude só com a mamãe…

    Seis meses depois que terminei a primeira faculdade, comecei a segunda. Mais 3 anos trabalhando, estudando e criando filha… fora o namorado. Conheci meu atual marido na primeira faculdade, começamos a namorar, terminamos os estudos, levamos o segundo curso. Estamos juntos há 09 anos e casados há 4 meses!

    Pensa comigo, mesmo que você não estudasse e só trabalhasse teria esse pensamento. eu tenho até hoje. Achando que não curto o suficiente, que poderia aproveitar mais, ser melhor! Mas isso é mal de quem se cobra muito, o que é o meu caso e pelo visto o seu também.

    Fique tranquila… isso vai passar!
    1. Não desista do seu curso.
    2. Nem pense que seu ex é sua única opção, porque não é. homens são covardes de berço, nós mulheres é que somos fortes.
    3. Aproveite sua filha mas não se anule. Você não precisa desistir dos seus sonho por causa disso. Pelo contrário ela vai te admirar muito por toda sua garra.
    4. Não se cobre demais… é você que está fazendo isso não os outros. Todo mundo já te acha uma guerreira, tenho certeza disso!

    **Cony querida, se quiser passar meu e-mail para ela pode viu! Claro, se ela quiser. assim conseguimos conversar melhor. Sei lá… quem sabe posso ajudá-la de verdade.

    Beijos

  60. #78
    Aline
    12.12.2014 - 13:30

    – no terceiro… sem comentários, né?? Me senti com 12 anos lendo a revista Capricho.

    morriiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    pensei mesma coisa!!!

  61. #79
    Luciana
    12.12.2014 - 15:05

    Só digo uma coisa: vaaaaaaaaalha… Sem mais…

  62. #80
    Júlia
    12.12.2014 - 16:54

    Lendo o caso da Isabela eu só conseguia pensar em como seria o relato se fosse o namorado dela escrevendo! Na minha opinião seria algo do tipo “minha namorada ficou louca, quer sair da casa dos pais a todo custo e pra isso está colocando uma responsabilidade em mim que eu não quero ter nesse momento!”. Sério… Concordo com a Cony sobre o egoísmo. Ou a Isabela se vira por ela mesma, ou então larga o namorado e vá procurar outro que embarque nesse desespero dela.

  63. #81
    Vanessa
    12.12.2014 - 21:21

    Meu comentário vai para a JULIANA! Juliana, você é uma pessoa extremamente forte, só precisa se encontrar no meio dessa história… e acho que você precisa de um tempo pra você, pra se redescobrir, se sentir, se amar… a quanto tempo vc tem se deixado sempre em segundo plano em função do namorado, dos seus pais, da faculdade, da maternidade?
    Faço medicina tbm, estou indo pro último ano e pode acreditar que toda essa bagagem de vida ainda vai te ajudar muito durante o curso!
    Fica firme, força você já tem!
    =)

  64. #82
    Lidiani
    12.12.2014 - 22:18

    Cony por mais que suas respostas pareçam ríspidas nos casos acima, acredito que as vezes é melhor um choque de realidade, amigos servem pra isso também e como as meninas vêem em você e no blog um espaço pra desabafar entre amigos, imagino que entendam sua forma direta de se dirigir a elas. Só não acho bacana os comentários agressivos menosprezando as histórias, principalmente da Juliana. Parece “mimimi” pelo fato do texto ser longo, mas entendo perfeitamente o que ela passa e não é tão fácil quanto pensam se desvincular de uma responsabilidade adquirida na infância (mesmo SEM QUERER), pois sei exatamente o que é tornar-se o esteio da família quando na realidade (e naturalmente) o apoio teria que vir dos pais para os filhos. Também tenho depressão e minha mãe também tinha e posso garantir, não é falta do que fazer e muito menos querer atenção se fazendo de vítima, pelo contrário! A coisa mais cruel do mundo é você ser saudável fisicamente e limitado emocionalmente, psicologicamente… é uma dor e um sofrimento que não desejo a ninguém. Feliz de quem nunca passou por isso!!!
    Sucesso sempre!

  65. #83
    Io
    12.12.2014 - 23:58

    Juliana, percebi que você tenta agarrar tudo de uma só vez, tenta talvez diminuir o ritmo. Eu sou muito ansiosa e sofri muito com isso, até que procurei uma psiquiatra e ela me ensinou tudo sobre ansiedade, fiz tratamento, é pra sempre, mas vale a pena, pelo menos agora que você não consegue se controlar muito. E seus amigos? madrinha da sua filha? É nessas horas que eles entram, imagino que pra você deva ser difícil pedir ajuda para seus pais, imagina para amigos, mas eu me sentiria ofendida se uma amiga estivesse passando por tanto problema e eu não ajudasse, mesmo que seja apenas cuidando de sua filha. Você tem de fazer uma rotina e se adaptar. Você tem todo o direito do mundo de surtar, chorar, perguntar pq meu deus, mas tudo um dia se ajeita, pode ter certeza.

  66. #84
    Fernanda
    13.12.2014 - 20:18

    Juliana, pare de choramingar e se fazer de coitada! Seu ex e nem seus pais tem obrigação em te ajudar. Seus problemas são seus problemas e enquanto achar que precisa de outras pessoas para soluciona-los, continuará tendo gastrites e sendo a vítima da história. Otimize seu tempo e conseguirá fazer a maior parte das suas coisas. Comece primeiro desligando esse computador!

  67. #85
    Camila
    14.12.2014 - 04:17

    To com a impressao q mta gente ai atras da tela do computador ficou se sentindo mto poderosa e cheia de sabedoria criticando (quase sempre com criticas vazias) a maneira q outras pessoas se sentem enquanto estao passando por um problema q, pelo menos agora e na cabeca delas, eh REAL independente da gravidade. Pega leve gente. Se nao tiver conselho bom nao precisa tbm acabar com a pessoa. Existem jeitos melhores pra sermos sinceras e diretas.

  68. #86
    Ana Paula
    15.12.2014 - 10:11

    Juliana.

    Nem quis mais ler os outros post depois que li o seu. Moça PARABÉNS viu, voce é uma guerreira.
    O que vem ao meu coração para lhe dizer é: FIQUE FORTE. Voce ja venceu barreiras muito grandes: saiu de casa; passou pra medicina, teve um bebê, se separou. Olha voce tá pronta pra vida garota.
    Chame seu ex para lhe ajudar com a bebê, contratem uma babá e tenha um tempinho pra voce. Jaja sua pequena cresce, vc termina seu curso e vc verá o quanto valeu a pena.
    FIQUE FORTE.

    Bjs

    Ana Paula

  69. #87
    alessandra
    15.12.2014 - 12:34

    Juliana,
    Seja você a heroína da sua própria história. O seu ex não vai deixar de ser pai, então se ele não ajuda, inclusive financeiramente, terá que ajudar (sei lá como, já que vocês dois estudam).
    Você precisa tomar as rédeas da sua vida, por você e pal bebê. O seu passado tem que servir pra vc crescer e parar de usar muletas emocionais. Corre atras disso, vc vai amadurecer muito!

    Isabela,
    Nossa, desculpa, mas imagino como deve ser CHATO pro seu namorado vc pentelhando na orelha dele. Credo. Se vc quer sair de casa, esforce-se para isso. Casar não é brincar de casinha e vc está querendo isso pelos motivos errados. Precisa amadurecer muito ainda nesses seus 28 anos…

  70. #88
    Nayane
    15.12.2014 - 14:50

    Amo a coluna, mas não vou opinar em nada porque os 3 casos me deram preguiça ZzzzZZZzzzZ

    Bjj ^^

  71. #89
    Vitória Maciel
    15.12.2014 - 15:26

    Será que eu sou a única mulher desse planeta que tem tudo pra casar e não quer? hahahaha na verdade, meu namorado é mais velho, tem 27 enquanto eu tenho 20. Ele já tem emprego fixo, é dono de uma loja de tatuagem e trabalha na área, mora sozinho e ja ta so esperando a mulher perfeita dizer que aceita casar com ele e ter lindos filhos, que no caso ele acredita que seja eu hahaha eu amo demais ele, é o homem da minha vida, mas so tenho 20 e estou no estágio ainda, termino a faculdade no ano que vem e ele quer que a gente case o quanto antes. Enfim, to fazendo o papel do homem hahaha mas nunca mandei minha história porque a gente conversa e se entende, mesmo me pressionando, ele aceita que eu preciso amadurecer um pouco mais pra casar e principalmente ter minha dependência financeira, ne! Bom, é isso. Meninas, não se desesperem para casar não, pelo amor de Deus!!! Tudo chega no seu tempo 🙂

  72. #90
    lia lima
    15.12.2014 - 22:17

    Sou mãe e esse papel vem em primeiro lugar na minha vida.
    Eu trancaria a faculdade ate passar a fase mais dependente da criança. Fase que ele precisa do contato com a mãe ate mesmo para crescer confiante e seguro. Tudo pode esperar um pouco mas seu filho não.

  73. #91
    16.12.2014 - 12:12

    Juliana, por

  74. #92
    16.12.2014 - 12:13

    Juliana, parabéns, você tem uma bela trajetória! Por que você não procura uma psicoterapia? Irá te ajudar muito! Beijos e coragem!

Comente