19
Nov 2014
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Dia de choradeira no Futilish!

Vamos com a Marina primeiro:

“Olá, Constanza e leitoras do Fufu! Meu problema não é amoroso, longe disso. Tenho 25 anos, casada e muito feliz no meu casamento. Mas tenho um histórico ruim com amizades, já me decepcionei muito nessa vida, mesmo sendo tão nova!

Há alguns anos, tinha uma “amiga” que mudou a minha vida e essa mudança reflete em mim até hoje, pois não consigo confiar em ninguém 100%. Quando a conheci eu já namorava meu marido… mas eu sempre percebi que ela não torcia por nós dois… ela ficava o tempo todo perguntando sobre ele, querendo saber das nossas intimidades, então eu já fui percebendo algo estranho!

Com o passar do tempo, outras coisas foram me incomodando, como o fato de TUDO o que eu comprava/usava, ela também comprava! Isso pode parecer bobo, até egoísta, mas quando acontece com frequência começa a incomodar… e foi incomodando! Chegou ao ponto de termos um desentendimento porque ela deu em cima do meu marido, então rompemos relações, nunca mais conversamos… Foi um rompimento abrupto, sem ao menos um pedido de desculpas da parte dela!

Acontece que não parou por aí. Passaram-se ANOS e ela continua me atormentando. Nós temos o mesmo círculo de amizade, então quando saímos e ela está presente ela fica me provocando, falando coisas, rindo alto para mostrar que está ótima, querendo me mostrar que é mais amiga dos meus amigos do que eu! Mas o que mais me incomoda: ela continua comprando e usando coisas que eu uso. Se eu estiver com uma roupa tal, na semana seguinte ela estará assim. Se eu comprar tal sapato, na semana seguinte ela vai comprar o mesmo! Eu não devia me irritar com isso, eu deveria simplesmente esquecer da existência dela, mas ela não deixa! E não vou me afastar dos meus amigos por causa dela! Tenho medo da inveja dela! De verdade! E não consigo superar esse passado. Olho pra ela e só tenho rancor…

Me ajudem, o que devo fazer pra esquecer o mal que essa pessoa já me fez e ainda me faz?”

Acho que você está dando muita importância pra essa pessoa. Sua vida depende em algo dela? Não, certo? Então porque deixar essa demônia te atormentar?? Energia ruim, gente pesada, inveja, credo, sai dessa Marina! Esquece que essa pessoa existe e se encontrar com ela por aí ignore profundamente! A gente só é atingida pelo que permitimos! Eu já tive “amigas” vampiras, que sugavam minha energia, criticavam tudo, zoavam, reclamavam de tudo e todos e eu simplesmente deleto da vida. Isso nem é amizade, é encosto. Deleta também, mas pra sempre. Temos que nos cercar de gente do bem, que acrescente, que queira nos ver felizes. É qualidade e não quantidade 😉

80dec175455c47344c1831af01e26e53

Agora é a vez da Fernanda:

“Olá Cony, tudo bem? Não via a hora de você deixar enviar novos casos, vamos lá; 

Sou casada a 8 anos e tenho 2 filhos. Quando conheci meu marido, ele morava com outros amigos porque todos eram do interior e vieram morar em SP, e eu morava apenas com meu irmão, que em breve iria viajar e eu iria morar sozinha. Assim meu marido resolveu vir morar comigo, e casamos porque a família dele exigiu (minha primeira burrada), eu nem tinha certeza do que queria mas aceitei (sou pisciana), quando casei eu trabalhava, tinha meu carro e estudava (parei a faculdade por conta propria), logo em seguida do casamento fui mandada embora e ele não quis mais que eu trabalhasse fora. Ele tinha uma divida, vendeu o carro dele e ficamos somente com o meu, virei dona de casa… Fui aguentando, depois de 4 anos veio minha filha e Deus quis me dar mais um filho, agora tenho 2 filhos, não tenho trabalho, não tenho nenhum bem, moro de aluguel, meu marido não me ajuda em nada, nem com as crianças, quando está em casa fica no quarto assistindo filme com a porta trancada, como ele trabalha fora eu que me vire com TUDO! Eu não sei se amo ele ou estou com ele porque não terei condições de sustentar meus filhos sozinhas e pagar escola para eles, não tenho parentes próximos, então tenho que me virar sozinha. Ele trabalha um dia sim e outro não, e na folga de fim de semana ele sai e vira a noite fora de casa. Já tentei conversar e ele diz que eu não demostro que gosto dele, mas peraí! Ele não me ajuda em nada estou sempre exausta de ter que me virar sozinha, juro não sei o que fazer, não tenho para onde ir, tenho muita força de vontade, sei que vou vencer, porque depois que somos mãe nos tornamos guerreiras. Me ajude!”

Fernanda, que vida é essa??? Já começou tudo errado com um casamento por exigência de família e que você aceitou! Segunda burrada: seu marido te proibiu de trabalhar e você novamente aceitou! Terceira coisa que não me conformo: final de semana ele sai e vira a noite fora de casa, você com dois filhos e continua aceitando?????? Esse homem te anulou e você permitiu! Primeiro passo: arrume um emprego JÁ! Põe os filhos numa creche, ou pede pra sogra cuidar, não foi a família dele que exigiu que você casasse? Conquiste seu dinheiro e tenha uma reserva caso a coisa fique mais séria (se é que tem como ficar pior…). Isso se ainda você quiser manter o casamento, caso contrário, separa e pede pensão pra ele. Eu hein! Recupera sua vida moça! Você está muito passiva!

 1856e2dedbb9760a064276b542d4f8f7

Para terminar, vamos ao desabafo da Cristina:

“Namorei seis anos, casamos em 2004 muito novos. Eu com 25 e ele com 23. Sempre foi muito bom e sempre o amei muito, em dezembro de 2007 nosso filho nasceu e com isso veio uma depressão pós parto terrível e demorada a ser diagnosticada. Eu só cuidava do meu filho, perdi o interesse por tudo em volta…trabalho, casa, marido, eu mesma.

Quando fui diagnosticada e comecei os medicamentos e terapia, tudo foi voltando ao normal, só que eu percebi que meu marido estava muito diferente, as vezes parecia muito culpado e outras vezes com raiva de mim e do mundo. Ele achou que a depressão era pura e simplesmente falta de vontade minha.

E isso foi se arrastando, em 2010 recebo um telefonema de uma mulher de outra cidade que teve um caso com ele. Confrontei e ele negou, preferi acreditar nele. Porém com o passar do tempo isso foi me incomodando e eu quase como uma hacker comecei e controlar e-mail’s, ligações, mensagens e por meio disso descobri o que a tal mulher me falara era verdade. Meu mundo caiu…e caiu ainda mais quando eu descobri que ela não tinha sido a única como ele afirmou uma vez, que foi fraco e nos momentos que não dava atenção a ele, acabou cedendo as investidas dela. Chegou a me fazer acreditar que a culpa de tudo isso era minha.

E a cada dia descobria uma coisa nova…ele sempre me traiu. Só depois de dois anos e meio tive forças para me separar, foi a coisa mais difícil que fiz na minha vida. Ficamos separados dois anos, e ele sempre querendo voltar, dizendo que tinha mudado, que estava fazendo terapia…etc

Em julho deste ano cedi porque nunca deixei de amá-lo, saí com alguns caras, mas não conseguia me interessar profundamente por ninguém, tiveram dois que queriam namoro sério mas eu sentia calafrios só de falar em compromisso.

Então…estamos juntos, mas em casas separadas e ele me diz sempre que sofreu muito com a separação e também com a culpa que sentia por ter feito tudo aquilo comigo, mas tem aquela pulga que não sai de trás da minha orelha, fico com medo de passar por tudo aquilo de novo e fico sempre me contendo para não ficar fuçando em celular, facebook e tal e quando vou conversar com ele sobre isso que sinto, ele não quer falar, diz que passado é passado e já que eu concordei em voltar que não devemos mais tocar nesse assunto.

E então…o que você a suas leitoras me dizem disso? Obrigada.”

Ai ai… complicado isso de traição… Mas é basicamente o seguinte: ou você perdoa PRA VALER e nunca mais toca no assunto mesmo e dá um jeito de esquecer toda a situação e recomeçar, ou parte pra outra, doa o que doer, custe o que custar. Tem gente que consegue continuar um relacionamento após acontecer uma caca dessas (sim, é uma grande m%#@*) e ser feliz novamente. Tem gente que continua porém vive um inferno constante desconfiando de tudo e de todos. Tem gente que continua, mas o amor morre e é uma questão de tempo até separar definitivamente. Vaso quebrado, sempre estará quebrado. Você pode colar as partes de volta, mas a “rachadura” sempre estará lá. Você pode mudar o vaso de posição, deixar a parte quebrada virada para a parede para não ver o defeito, mas você sabe que está lá e que aquele vaso perdeu o encanto… Infelizmente é assim que eu penso. Para MIM é imperdoável, ainda mais se o sujeito quis te culpar por isso. Por outro lado, tenho amigas que perdoaram e continuam felizes da vida (na verdade é uma amiga só rs), mas ela é meio zen, espírita e se prende mais a coisas da alma… Eu não sou tão evoluída assim rs. Acho um grande falta de respeito! Uma pisada de bola fora, acho que a gente pode até pensar, avaliar, espiritualizar a coisa, afinal pode acontecer dos dois lados. Ainda assim acredito que quem trai, faz consciente. Ninguém vai pra rua e OPS peguei uma fulana sem querer, foi acidente (como foi o caso do Adnet esses dias rs) Acidente é cair de uma bicicleta, beijar e dormir com outra pessoa não é acidental. E pior, ato contínuo??? Acho que fala muito do caráter da pessoa e isso não muda. Tá na sua mão, continuar e fazer da relação um inferno ou zerar tudo e começar de novo na paz e boa vontade. Mas ao mínimo sinal de nova traição (o que infelizmente eu acho que vai acontecer devido ao histórico da pessoa), sai fora na hora!

6bee10f25d9e07915aaf7db7e6f38ff0

  • Um caso de amizade, uma mulher anulada e uma traição. Hoje tá bom hein? E NADA DE MANDAR CASOS AINDA, vamos com calma. 
132 Comentários
  1. #1
    Vivi
    19.11.2014 - 18:07

    cara, vou rezar pela mulher que tem dois filhos e só. Sem vida, sem marido, sem norte!!!!

    Deus há de ajudar!

  2. #2
    Maliete
    19.11.2014 - 18:22

    Nossa concordo totalmente com a Cony, traição pra mim é o fim! mas tenho uma amiga minha que descobriu ficaram um mês separados mas quando eles voltaram ela que dita regras desde então, ele era um pai omisso e não era um cara presente, hoje parece que mudaram a criatura porque não é o mesmo ele diz que aprendeu, ficando longe do filho e da mulher que sempre esteve do lado dele, quem sabe não é o caso da Cristina né?

    Já sobre a Fernanda, a minha mãe foi igualzinha a ti, tinha tudo trabalho, estudava, tinha uma vida própria, mas dai ela conheceu meu pai, casaram e me tiveram, meu pai pediu que ela parasse de trabalhar e ela aceitou até porque sou filha única e ela queria ficar mais tempo comigo, porém foram passando-se os anos, meu pai sempre foi mão-de-vaca como se fala aqui no Sul, e sempre que queríamos comprar alguma coisa pra nós era um parto, até que minha mãe deu um basta, eles continuam casados até hoje (27 anos de casamento), conversando com a minha terapeuta, vimos que é da criação dele que fez com que ficasse assim, e que para mudar somente se ele quiser. Acho que a Fernanda tem que recomeçar a viver novamente, e sobre dar pra sogra cuidar acho super válido, e não deixar que ninguém direcionar a vida dela também é válido falar, porque quando formos velhinhos e pensarmos na nossa vida, você viveu do jeito que queria ou do jeito que os outros queriam? Eu e meu namorado estamos para se juntar e bati pé com a familia dele que não ia casar, ficam me pentelhando, mas não é o que eu quero e não vou fazer de jeito nenhum!

    Sobre a Marina concordo em número, gênero e grau com a Cony, esquece a “amiga” e segue tua vida, mostra que ela não tem importância pra ti, porque se tu te incomoda é porque tu te importa, e sinceramente “amigas” assim não valem as rugas de preocupação.

    Minha humilde opinião, espero ter ajudado de alguma forma!

    • #3
      Marina
      20.11.2014 - 16:00

      Maliete, você está certa! eu preciso esquecer essa pessoa URGENTE!
      beijos, obrigada por comentar!

  3. #4
    Isa
    19.11.2014 - 18:22

    GENTE, eu tb tinha uma amiga cobra sugadora de almas!!!! Ela era tão demonha que sempre que eu e meu atual marido saíamos com ela, acabávamos brigando por causa de comentários idiotas da pessoa! Cortei relações! Esqueci a demonha, bloqueei do facebook, da minha vida.. confesso que de vez em quando vou la no face xeretar a vida dela e pensar “HAHAHA EIKE LOSER”, mas quero perder esse hábito logo logo!

    Apaga ela da sua vida, mostra que vc é superior e ignora isso dela te copiar na roupa.. pq né.. que babaquisse, falta de personalidade, e outros adjetivos não permitidos no horário hahaha
    Sei que deve ser difícil, ainda mais tendo amigos em comum, talvez seja o caso de conversar com eles e falar que você não curte mt a vibe da criatura e que preferia ir só em momentos que ela não estivesse (mas, concordo com a Cony que isso é dar importância demais pra uma pessoa que deveria ser insignificante né?)

    • #5
      Marina
      20.11.2014 - 16:03

      Isa, ri muito com o EIKE LUSER! kkkkkkkkkkkk
      você, a Cony e as meninas estão super certas… estou me importando demais com essa pessoa… preciso esquecer a existência dela o mais rápido possível! hahahahaha
      beeijos! Adorei seu comentário!

  4. #6
    Gi
    19.11.2014 - 18:23

    Gostaria de dar uma sugestão para a Fernanda. Se ela não sente que é o momento de trabalhar fora (talvez não tenha com quem deixar os filhos), pode tentar começar algo informal, em casa mesmo. Fazer doces, vender Natura/Avon ou fazer qq outra coisa para a qual ela tenha talento pode ser um bom começo. Hj se divulga esse tipo de trabalho até pelo Facebook! Conforme ela for se estruturando, talvez tenha meios financeiros de sair desta situação. Boa sorte!

  5. #7
    FÁBIA
    19.11.2014 - 18:25

    Pra Marina: perfeita a colocação da Cony! Sai dessa, viva a sua vida, seja feliz. Se preocupar com isso pra quê?!

    Fernanda, me desculpa a sinceridade, mas você foi conivente com tudo isso que está acontecendo. De qualquer forma, não adianta focar no erro do passado. É necessário cuidar para não cometê-lo daqui pra frente… Por isso, siga fielmente os conselhos da Cony: creche pras crianças e bóra conquistar tudo aquilo que vc reclama não ter! Melhor passar apertado no começo do que viver anulada o resto da vida.

    Cristina, dureza dureza o seu caso. Não consigo acreditar numa pessoa traíra nunca mais! As pessoas mudam? Pode acontecer, mas traição pra mim não tem perdão. No seu caso tem um agravante grotesco: não foi uma traição num momento de impulso, num puteiro, foi continuo o negócio… Pensa bem heim mocinha!
    Se decidir continuar, coloca uma pedra no passado e bóraaaaa ser feliz”

  6. #8
    19.11.2014 - 18:27

    Uma tag revolucionária, Cony! Para Fernandinha amiga, vai à luta!!! Lute pela sua vida e pela dos seus filhos. Esse homem não tá nem aí pra você! Tenho certeza que você tem força pra virar a mesa! Arruma um trabalho, volta a estudar, se capacita! E como disse a Cony, separa e pede pensão! Owras! Vc merece muuuuito mais que esta ‘esmola’ de vida. Sorria e seja feliz. Encontre a força que está no seu coração. Torcendo por você! xeru

  7. #9
    Carol
    19.11.2014 - 18:28

    Depender de homem é dose. Infelizmente, a sociedade, a vida acaba nos sujeitando a muitas coisas.

    Fernanda, sai dessa! É difícil, é, mas não adianta fica parada. Que Deus a dê forças para lutar, mesmo que vc precise abrir mão de muitas coisas, de uma vida mais confortável. Vc é mulher, vc pode!

  8. #10
    Carol
    19.11.2014 - 18:32

    Marina, esqueci de comentar o seu caso, pois lembra muito a mim mesma.

    Já tive diversas “amigas” sanguessugas e, olha, não tem jeito, é inveja mesmo.

    Sempre fui desprendida das coisas, até roupas minhas já dei pros outros sem me importar, mas o pior de tudo é conviver com gente ingrata e invejosa. Copiam seu estilo – já copiaram até meu corte de cabelo, marca registrada! – e ficam de mimimi como se vc fosse a culpada!

    Larga mão e oh, finja que não existe! No fim das contas, esse tipo de gente não se olha no espelho, não enxerga as próprias falhas, e vive num mundo de faz de conta.

    Seja feliz!

    • #11
      Marina
      20.11.2014 - 16:05

      obrigada, Carol, pelo comentário…
      realmente de pessoas assim a gente tem que estar à km de distância!
      beijos!

  9. #12
    juliana p
    19.11.2014 - 18:34

    Olá Coni

    Não sei se é por aqui que manda esse fala que eu te escuto rs.. mas preciso falar para alguém que não me conheça puramente, e assim ouvir uma resposta para uma dúvida que me incomoda TANTO! Seguinte:

    Namorei por 6 anos. Seis lindos anos, com uma pessoa que gosto muito. No começo desse ano compramos o nosso apartamento, aquele momento sonho de dar o primeiro passo de gente grande (tenho 25 anos, sou super bem sucedida na carreira que sigo graças ao bom Deus, ou seja sou uma pessoa bem independente rs) enfim, voltando pro ape… Estávamos em uma crisezinha eu sem muita vontade de nada, e ele sem muita vontade de esforços. Do NADA ele começou a querer happy hours com amigos meio fora do nosso circuito (sempre tivemos nossa liberdade respeitada), pessoas solteiras de farra…. primeira vez, chegou tarde, fiquei P da vida briga e lalalala… Segunda vez, chegou tarrrrrde brigamos! terceira… quarta…. enfim foram varias e eu tive OBVIAMENTE meu PITI! Terminei tudo, mandei a %¨$#%*( rs.
    Ele nunca foi, e talvez nunca será aquele cara que te da explicações romanticas, nunca foi aquele cara que sacode e fala “EU pirei, tive uma crise e precisei ver o mundo” e dei a chance dele se explicar… ele falou que sabe que errou, mas sabe qndo seu odio ta te cegando… eu gosto MUITO dele e sei que ele é um cara bacana. Não confio mais, nao sei o que fazer….
    ME AJUDAAA rs

    • #13
      Laura
      19.11.2014 - 19:53

      Juliana, um tempo atrás vi um estudo dizendo que quem mora junto antes de casar tem mais chances de se separar, porque como as vidas se juntam muito, as pessoas insistem mais no relacionamento por pura preguiça de dar um basta, acaba casando como “passo seguinte”, quando o namoro já não vinha bem de antes, entende?

      Quanto ao seu problema: você acha que consegue perdoar MESMO? Se você voltar o namoro e ele for para, sei lá, uma despedida de solteiro, você vai ficar paranóica ou vai confiar? A maioria das pessoas que conheço volta o relacionamento só para acabar alguns meses depois, porque viu que não deu…e os que conheço que perdoaram, foi com MUITO ESFORÇO de AMBAS as partes, você acha que ele tá disposto a isso?

      São coisas que você tem que responder, pois, bem sinceramente, acho que você tá na melhor hora pra reavaliar seu relacionamento, já que ainda não tão com a vida tão entrelaçada…e mesmo se você resolver voltar, ser mais devagar, vendo se a confiança pode ser reconstruída 🙂

    • #14
      Ca
      19.11.2014 - 21:24

      Juliana. Fiquei com uma dúvida, ele saiu e vc descobriu alguma traição dele ou só desconfia? Pq se só desconfia conversa com ele. Talvez tenha sido só um momento q ele precisava ver o mundo msm. Eu tentaria conversar e entender pq ele fez isso e combinar q vc não gosta e não gostaria q acontecesse de novo. Se foi isso e não teve traição, não vejo pq terminar o namoro.

    • #15
      19.11.2014 - 23:18

      Sei não, Ju. Ele parece estar em outra sintonia. Pense muito bem antes de dar mais um passo em direção a uma união definitiva com ele. 🙁

    • #16
      Aline
      21.11.2014 - 10:52

      Juliana,
      Não sei se te ajuda, pois não sei como foi seu piti e as atitudes dele, mas meu noivo, quando só namorávamos, não estava acostumado a dar explicações para a família de onde estava ou ia com os amigos. Um dia aconteceu de ele ter saído com os amigos para um lugar que não gostei e a gente conversou e estipulamos: “é ok sair desde que avise com quem e aonde vai”. Isso é para um não ficar esperando o outro plantado e evitar brigas.
      Quando fomos morar juntos, reforçamos essa regra e tem dado certo há quase um ano.
      Homem tem mesmo essa pira de sair pra happy hour com os amigos mais do nós temos. Eu sinto falta, saio também quando quero, mas em menor frequência do que ele, até porque estou numa fase de sair do trabalho e ter mais duzentas páginas de livros para ler em casa.
      Se é só isso que te faz dar piti, converse mais e estabeleça parâmetros que possam deixá-lo suprir suas necessidades de “socialização”, mas te ajude a lidar com isso.
      Agora, se você estiver desconfiada sobre traição etc, é mais difícil ter confiança. Nesse caso, vale pensar mais um milhão de vezes antes de tentar de novo, porque essa insegurança pode te maltratar muito mais.

      Outra coisa: você disse que GOSTA MUITO dele. Você gosta muito ou AMA? Porque ficar com uma cara só porque é bom moço e você gosta, não é o suficiente, tem que amar mesmo, senão vira só colega de quarto, em vez de “marido”.

  10. #17
    Leticia
    19.11.2014 - 18:35

    MARINA:Você deixa essa mulher influenciar sua vida sem necessidade! Desapegue, mesmo que isso signifique não frequentar mais os lugares que ela esteja. Aconteceu uma coisa de amizade parecida comigo na faculdade e na verdade nossas amigas em comum sabiam o quanto me fazia mal ficar perto da dita cuja então me avisavam qdo ela ia e eu escolhia se naquele dia estava disposta a ver a cara dela ou não. Com o tempo fui capaz de deixar ela totalmente de lado. Não faço ideia do que ela faça na vida hoje e nem me importo!Siga em frente, isso depende zero dela e 100% de você.

    FERNANDA: faço coro com a Cony: emprego já! E tb tente conhecer amigos, mães de colegas dos filhos, vizinhas, quem estiver ao seu alcance! Essas pessoas podem fazer a diferença e serem um grande apoio. Resgate a sua auto-estima, sua dignidade! Arranje um emprego e saia desse relacionamento a um (porquê esse fulano não está nele, de verdade). Sei que é fácil falar e difícil fazer, mas se lembre que vc é capaz, já teve sua vida, sua independência e pode ter de novo. E quando lhe faltarem forças, se lembre que você é o maior exemplo para os seus filhos, e tenho certeza que a lição que quer passar para eles é de amor e respeito próprios. Me desculpe, mas seu marido é um babaca escroto. Que ódio.

    CRISTINA: Eu acho que traição é uma coisa muito particular, é muito dificil dizer ” perdoe” ou ” termine” sem saber direito como você e ele se sentiam e o que pensavam quando as coisas aconteceram. Por isso que se tivesse sido só aquela vez, pois mais que tenha a coisa feia dele te fazer sentir culpada, talvez fosse perdoável. Mas quando a traição é uma coisa reiterada, me desculpe mas eu acho que é só uma questão de tempo até acontecer de novo. Faz parte do caráter dele e mostra que ele não respeita a história de vocês e nem é leal a tudo que já viveram e à sua família. Parta para outra. beijos

    • #18
      Marina
      20.11.2014 - 16:08

      Leticia, muito bom isso que você falou que depende 100% de mim pra eu esquecê-la e é nisso que vou focar!
      estou fazendo isso já… quando ela sai com meus amigos eu não vou! Quando ela não vai, eu vou! e assim, sigo a vida! haha
      beijos e obrigada pelo conselho!

  11. #19
    Amanda
    19.11.2014 - 18:35

    Fernanda, pelo amooor!!!
    Seu caso é o mais complicado ao meu ver. Mas acho que tudo tem solução nessa vida. Arregaça as mangas, porque não vai ser fácil, mas não é impossível. Eu também sou pisciana, e entendo essa conduta passiva que você teve, porque no fundo, você acreditava que as coisas pudessem dar certo e que teria um final feliz! (#SQN)
    Primeiro lugar, como bem disse a Cony: por mais que você tenha dois filhos, dá para colocá-los em uma escolinha, creche ou deixar com alguém da família dele enquanto você vai batalhar uma colocação no mercado de trabalho. Aliás, você precisa disso! O trabalho enobrece, dignifica..Creio que você esteja com a estima baixa.
    Segundo: Tudo vai depender se você quer continuar esse casamento. Sinceramente, acho difícil resgatar um amor aí, se o seu marido chegou ao cúmulo de te largar sozinha e virar a noite fora de casa. (Como assim???)
    Mas isso, só você pode saber. Cada um sabe de seu sentimento e o que se passa no seu relacionamento. Difícil julgar.
    Tenho uma sugestão. Comece a trabalhar e colocar sua vida no eixo. Se sentir com o tempo que o relacionamento pode melhorar, invista. Caso contrário, dê o fora, o quanto antes. Você precisa ser amada, admirada e feliz!. Ah, e exija a pensão para as crianças.
    Sorte guerreira!!!

  12. #20
    Pri
    19.11.2014 - 18:36

    Conheço essa história da amiga … aff
    Deus deu 1 vida pra cada um cuidar da sua, mas não né?! Tem gente que não se contenta e acha que tem que viver a vida do coleguinha.
    Marina, relaxa! Deixa o tempo agir por ti, enquanto isso vai aprimorando teu autodominio e #behappy 😉

    • #21
      Marina
      20.11.2014 - 16:10

      orbigada, Pri! autodomínio é tudo! hahahaha
      beijos!

  13. #22
    Andressa
    19.11.2014 - 18:43

    Muito interessantes esses casos. Depois de ler, sempre fico pensando no quanto todo mundo tem problemas e às vezes a gente acha que situações difíceis só quem passa é a gente. Eu tenho um conselho para a Fernanda. Lendo o que ela escreveu, parece que o marido dela se vê como provedor e só. Isso não parece ser amor. Posso estar errada, afinal, julgar de fora é sempre mais fácil. Meu conselho é o seguinte: tenha uma meta. Aprendi isso desde sempre. Todos temos que ter uma meta a ser alcançada por vez. Qual é a sua meta agora? Sugiro conseguir um trabalho, como a Cony disse. Depois disso, trace outra e vá procurando um caminho de saída para essa situação que você vive. Uma vez, ouvi que quem se acomoda em algo, acaba se afogando. Faz muito sentido para mim. Tente emergir. Vai dar certo! Bjs

  14. #23
    Amanda
    19.11.2014 - 18:46

    Oh, my God! Hoje tá punk, hein? Minha sugestão é unica e vale pras três: pulem fora!! E vão ser felizes!

  15. #24
    Mayara
    19.11.2014 - 18:50

    Fernanda, desculpe, você NÃO ESTA EM UM RELACIONAMENTO. Conheço muitas mulheres que enfrentaram a vida com dois, três filhos, sem marido, sem parentes, sem ninguém.
    Você não esta sozinha. Você é sim uma guerreira e pode tudo. Já imaginou o que se passará na cabeça dos seus filhos daqui uns anos diante dessa situação?
    Se acha que a situação não pode mudar com esse homem, pode mudar sem ele. Estarei torcendo por você.

  16. #25
    Isabela
    19.11.2014 - 19:09

    MARINA: é difícil lidar com inveja mesmo… Acho que a maioria das pessoas já passou por isso, e o problema não é você, e essa sua ex-amiga, que certamente é insegura e pensa que se imitar uma pessoa aparentemente feliz e realizada (você!), ela automaticamente vai conseguir isso também. Ela precisa de terapia, e você precisa desencanar dessa moça, talvez fazendo uma terapia também, e tentando focar nas coisas boas da sua vida!

    FERNANDA: acho que voltar a trabalhar fora já seria um bom começo pra você… Se as coisas não melhorarem, e com o tempo você decidir se separar (na verdade, para mim, você pareceu decidida nesse sentido), você já vai ter uma renda! Não deixe de separar por causa dos filhos! Ele é o pai e tem obrigação legal de pagar uma pensão que permita que eles mantenham a mesma qualidade de vida, juiz nenhum vai decidir contrariamente a isso. Aliás, caso você não queira começar a trabalhar para depois separar, você também tem direito a uma pensão por algum tempo, até que possa se recolocar no mercado de trabalho. Isso não é vergonha nenhuma, você sempre foi uma mulher ativa e deixou de trabalhar por exigência dele!! Caso ainda não esteja cogitando a separação, talvez uma terapia de casal ajude, pois ele também tem reclamações do lado dele (não estou dizendo que está certo), e talvez com a ajuda de algum profissional vocês consigam se acertar. No entanto, você não disse em nenhum momento na sua mensagem “eu amo muito meu marido” ou “eu quero continuar nessa relação”, algo nesse sentido. Pelo contrário, pareceu exausta dessa situação! Com base apenas no seu relato, no seu lugar, eu arrumaria um emprego (nem que fosse pra vender churros na praia) e com o tempo pediria o divórcio.

    CRISTINA: concordo 100% com a Cony – ou perdoa pra valer, ou larga de vez. Devo dizer que acho estranho ele não querer conversar sobre o assunto, afinal, se vocês vão voltar, precisa ser tudo em pratos limpos, bem resolvido. Como você vai resolver a sua relação com esse homem se ele se recusa a conversar sobre os problemas que vocês tiveram no passado?? Conheço o caso de gente que traiu, terminou, e quando voltou, nunca mais traiu de novo. É possível. Mas tem que começar CERTO, com MUITA CONVERSA. De qualquer forma, pelo que você falou, parece que você não está conseguindo voltar a confiar nele, algo que é totalmente compreensível, mas que demonstra que você não está pronta para assumir uma relação séria com ele novamente. Relacionamento é confiança!! Eu não conseguiria voltar a confiar em um cara que aprontou tanto!!! Se você conseguir, acho que tem que seguir em frente na relação. Mas avalie se isso é mesmo possível.

    • #26
      Marina
      20.11.2014 - 16:13

      Isabela, você está super certa! o que eu preciso é desencanar dessa pessoa, viver a minha vida, como disse você, focar em coisas boas!
      obrigada pelo conselho,
      beijão

  17. #27
    Tata
    19.11.2014 - 19:26

    Cristina, meu caso é igual ao seu, com exceção de que eu estava namorando quando descobri a traição. Primeiro ele assumiu o que descobri, e só. Perdoei. Depois fui descobrindo e vi que depois de seis anos de confiança, fui enganada desde o início, foi muito duro pra mim principalmente porque nunca imaginei que aquela era a pessoa com quem eu estava, ele sempre demonstrou me amar muito, até mais do que eu a ele.
    No fim, descobri um cara super machista, que me culpou por alguns de seus atos, assim como o teu o fez. E óh, foi questão de tempo dele se interessar por outra menina no tempo que ficamos separados (e ele vindo atrás de mim). Hoje ele está com outra, porém sei que continua traindo.
    Cristina, sai dessa! Melhor estar só e livre pra um novo amor (mesmo que ele demore) do que estar com alguém que não te respeita, mente na cara dura e que você nunca mais irá confiar. É duro sim, principalmente porque nos apegamos as experiencias boas que tivemos, mas elas não vão voltar porque agora, você não confia mais.
    Desejo tudo de bom pra ti.

    • #28
      Natasha
      19.11.2014 - 20:32

      Excelente sua colocação! Sem a confiança esses bons momentos não retornam nunca mesmo!

  18. #29
    Mayra Rachel
    19.11.2014 - 19:27

    Concordo com tudooo que a Cony falou. E se precisarem de alguém para substituir a Lígia Mendes no Missão, podemos indicar a Cony! kkkkkk Acho que mulher tem que se amar antes de tudo!
    Fernanda, eu também sou casada (6anos) tenho dois filhos. Devido ao fato de nos mudarmos para uma região longe da família e com crianças pequenas, optei por não trabalhar por enquanto. Mas não trabalho entre aspas… sempre busquei ganhar um trocadinho. Daqui e dali sempre dou um jeitinho. Meu marido também teve sua fase de “assistir filme e não fazer nada”. Eu sofri, mas não deixei a situação nem passar perto da sua. Sabe o que eu fiz? Procurei uma psicóloga, faço terapia há 4 anos. Isso nos ajuda a manter a postura de superioridade. E tem muito homem que se ajoelha aos pés de uma mulher que sabe do seu valor. Sentei com meu marido e coloquei todos os meus sentimentos (e nem dei espaço para ele dizer que eu tinha culpa de algo). No final da conversa, ficou claro: ou ele me apoiava, ou eu iria buscar a separação e meus direitos de esposa e mãe.
    Você pode pedir uma pensão, não só para seus filhos, mas para vc se restabelecer profissionalmente. Tente conversar com ele e não tenha medo de nada. Confie em você, se ame… Porque desse jeito que está seu casamento atualmente, o fim será inevitável. O melhor é sentar, conversar e resolver agora…

  19. #30
    Jéssica
    19.11.2014 - 19:34

    Marina,

    Conheço uma situação parecida com a sua que aconteceu com uma pessoa próxima. O final, assim como o seu, não foi dos melhores e terminou em briga e baixaria. Meu conselho é que você consiga superar a existência dessa pessoa na face da Terra. Não dê a ela esse tipo de poder na sua vida. Pessoas invejosas são como uma praga, vivem a espera da sua derrota para finalmente se sentirem importantes, já que claramente são despidas de auto-estima. Será que você realmente superou o fim dessa amizade ou ainda nutre aquela vontade de que tudo volte ao normal e ela volte a ser legal etc? Aliás, nem se se esse período existiu na amizade de vocês.
    Pense sobre isso e não deixe que as energias negativas emanadas por esse ser do mal te impeçam de ser feliz, socializar com seus amigos e tudo mais. De todo modo, diria pra evitar contar coisas muito pessoais e vitórias perto dela, porque né, sempre bom haha
    Beijos e torço para tudo melhorar!

    • #31
      Marina
      20.11.2014 - 15:14

      Adorei seu conselho! é exatamente isso que devo fazer, me desligar totalmente desse ser do mal! hahahahahaha
      não espero mesmo que nossa amizade volte um dia às boas, isso seria impossivel! não tenho nenhum contato com ela, nem gostaria!
      obrigada,
      beijos!

      • #32
        Elaine
        21.11.2014 - 09:46

        Desapega desse ser Marina! Já fiz isso, até com uma prima! Vc vai se sentir bem melhor!

  20. #33
    Mariana
    19.11.2014 - 19:48

    Marina…
    desapegue dessa desgraça.
    e digo mais…faça novas amizades…pois gente que anda com você e com ela sabendo do que rolou entre as duas e não se posiciona a favor de uma ou de outra quer mais que o circo pegue fogo.
    minha sugestão? Recua….some um pouco desse círculo de amizades e espere para ver se não melhora.
    bju

    • #34
      Mariana
      20.11.2014 - 11:35

      Concordo totalmente com o seu comentário. Já passei por isso e vi que ninguém do círculo de amizades falava algo que pudesse fazer a “amiga” se tocar, por isso, me afastei totalmente do grupo e fiz novas amizades!

  21. #35
    Tayla
    19.11.2014 - 19:52

    Fernanda, apoio a sugestão que deram nos comentários: se vc tiver receio
    De deixar seus filhos na creche, tente um emprego autônomo. Existem várias opções na net para você começar. Procura vender algo consignado, faz um instagram e põe tudo lá. Alguma coisa para crianças, já que você tem dois filhos, deve conhecer bastante mamães. Espero que você tenha uma luz! Ah, e não tenha medo do seu marido. A impressão que tive foi essa. Levanta a cabeça e atitude! Garanto que ele vai se assustar com vc. Um casal precisa admirar um ao outro. E ninguém admira uma pessoa submissa. Eu tento me lembrar disso sempre! Um beijo querida!

  22. #36
    gabriella buzzi
    19.11.2014 - 20:03

    gente, to achando minha vida um mar de rosas perto do que eu vejo aqui! :/ força meninas!

  23. #37
    silvia hahne
    19.11.2014 - 20:24

    Antes dos comentários, eu gostaria de fazer uma reflexão sobre os casos anteriores, (não todos) em que algumas das que pediram ajuda, (não todas – rs), entraram no meio das respostas e praticamente desculparam seus homens, tipo:”não, talvez eu não tenha sido clara, ou mais específica ao narrar os acontecimentos”, ou seja, vejam o quanto é delicado mexer com os sentimentos humanos. Mesmo porque, só estamos sabendo dos fatos pelo ângulo delas e eles, por mais canalhas, que nos tenham sido apresentados, como serão realmente? O fato é que nos temos o distanciamento emocional, que elas não tem, mas já deu para perceber o quanto é difícil romper uma relação, que em muitos casos é praticamente uma doença. Eu particularmente, de todos os casos aqui apresentados, espero não estar enganada, apenas a primeira de todas, (não lembro mais seu nome) demonstrou uma real vontade em seguir em frente. Vamos ao dia de hoje.
    MARINA: A inveja, que é o mal dessa sua ex amiga, só poderá ser combatida, quando você ignorá-la, mas…verdadeiramente e se preciso for, mesmo doendo, afaste-se deste círculo de amigos, pois mais vale sua saúde em todos os sentidos, do que se deixar vampirizar por esta demente.
    FERNANDA: Aqui entra o tal fator: como você está envolvida emocionalmente com esta situação, já não vê o quanto a sua vida está parada e só dependendo das suas atitudes para que algo de concreto e produtivo aconteça. Não espere dele ou de qualquer outra pessoa a mudança, só depende da sua força; é duro, é, mas não vejo outra maneira, do que sair imediatamente dessa inércia e procurar um emprego. Tenha certeza, o que ele não está vendo em você é exatamente por você estar invisível. Apareça, tome atitude, de alguma maneira faça as coisas acontecerem, pois como está é muito sofrimento, sem perspectivas nenhuma.
    CRISTINA: Você aceitou voltar, mesmo que em moldes diferentes, como morar em casas separadas e então por que não aproveitar esse cotidiano menos íntimo é dar um crédito à ele? Pare de se torturar e se de mais uma chance, que significa não vasculhar os meios de comunicação de dispomos, sem no entanto fazer papel de tola. Fica esperta, vai que ele realmente está arrependido, mesmo porque mentira tem pernas curtas e se ele reincidir, bem…aí é outra coisa.
    Beijos – meninas e boa sorte.

    • #38
      Marina
      20.11.2014 - 16:17

      obrigada pelo conselho, Silvia!
      É exatamente o que venho fazendo… dei um tempo nos amigos, saio com eles apenas quando ela não está presente! perco algumas coisas? sim, mas ganho saúde mental e até física, como você mesma mencionou!
      beijos! 🙂

  24. #39
    Gabriela
    19.11.2014 - 20:29

    Fernandaaaaaa mulher pelo amor de Deus acorde pra vida!! Olha eu achei o seu caso o PIOR dos 3, eu ainda acho que o que o seu projeto de marido faz é mais traição do que o da Cristina, é pura maldade!! SE TRANCAR NO QUARTO? OI???
    Vc por algum acaso comprou essas criança no mercado? São filhos dele também e ele tem que ajudar.
    Sinceramente e desculpe as palavras diretas e brutas, acho que o seu caso não tem jeito, é divórcio, separaação e pelo jeito do cara, provavelmente briga na justiça pela pensão.
    Maaaaas se eu fosse vc ia fazendo tudo caladinha, primeiro as crianças na escola/creche sei lá, dai vc arruma um emprego ou vende mary kay avon sei lá, faz bolo, qualquer coisa pra incrementar sua renda, e de mansinho vc vai se livrando dele, quando vc tiver mais estruturada pede a separação, pq eu acho que se ele perceber vai fazer de tudo pra minar as suas tentativas, parece meio psico, mas é o que eu faria.
    Sério, melhor ser mãe solteira do que viver essa vida de escrava do lar com mais uma criança grande pra vc se preocupar.
    MARINA, acho que todo mundo tem uma “amiga” sanguessuga assim né? Citando Elsa, LET IT GO, a não ser que vc mate ela, não tem nada pra fazer mesmo, quem sabe ela arrumando um bofe ela pare né?
    CRISTINA, isso vai completamente de vc, eu concordo com o que ele diz, se vc resolver perdoar é pra começar de novo, se for pra jogar na cara dele todo dia é melhor não voltar, vou ser sincera, acho que ele vai fazer de novo e eu NUNCA conseguiria dormir com essa pulga atrás da orelha todo dia, mas isso sou eu né, tenho UMA AMIGA APENAS que conseguiu superar e hoje ainda está com ele, eles brigam muito ainda, mas por outros motivos que não são o chifre, o ruim é que todos os casais do grupo sabem o quanto fdp ele foi e até hoje fica climão às vezes quando o assunto é chifre. Sério, sem ser cafona, segue o seu coração.
    Beijos

    • #40
      Marina
      20.11.2014 - 16:20

      Gabriela, é isso mesmo: LET IT GO!
      e ela realmente precisa de um bofe pra largar do meu pé! hahahahahaha
      beeijos! adorei seu comentário!

  25. #41
    Marcela
    19.11.2014 - 20:44

    Queria falar pra Fernanda:

    A sua história é muito parecida com a da minha mãe, que também largou tudo porque meu pai não queria que ela trabalhasse, também não ajudava com nada (chegava a jogar as camisas no chão pra ela pegar, dizendo que estavam mal passadas) e também não se esforçava nada pelo relacionamento. Ela ficou porque tinha medo de não conseguir cuidar de mim e do meu irmão e também porque achava que por ser pai ele lutaria pelos filhos como ela sempre lutou. Ledo engano, meu pai nunca foi muito presente, apesar de estar em casa todos os dias. Ele batalhava pra trazer dinheiro, mas humilhava e destratava ela e também fazia isso com a gente, pra atingi-la. Ela aguentou por 25 anos (sendo que durante uns 10 eles nem dividiam quarto) e o dia que ela tirou ele de casa foi muito feliz pra mim, por finalmente ver ela tendo coragem de dar um basta naquela relação abusiva. A gente passou a viver com menos dinheiro, mas quer saber? Foi muito melhor! A gente tinha paz.
    Minha mãe sempre diz que devia ter tomado essa decisão muito antes porque foi muito mais difícil conviver naquele clima infernal de conflito, do que ficar com pouco dinheiro quando a separação finalmente aconteceu. Espero que você tenha coragem de retomar sua vida, independente do caminho que você decidir, e acredite: tudo vai dar certo!

    • #42
      Raquel
      21.11.2014 - 18:03

      Marcela,

      Me identifiquei muito com o seu comentário.Infelizmente minha mãe não foi tão corajosa como a sua…mas depois que eu e meu irmão saímos de casa parece que ele melhorou um pouco no tratamento dela.

      Incentivo a Fernanda também a adotar uma postura menos submissa, não permita que seus filhos convivam com você infeliz, como a Marcela disse, um ambiente com menos dinheiro mas com paz eu acredito que vale muito mais a pena.

      Tive mais recursos financeiros na minha infância sim, com certeza, mas até hoje preciso de tratamento psicológico(minha mãe nem sabe) para digerir aquelas brigas, humilhações, a responsabilidade que minha mãe depositou na gente quando dizia que não se separava para não faltar as coisas materiais….minha auto estima é péssima, tenho váááárias neuroses, isso reflete diariamente e tenho certeza que se tivéssemos vivido em um ambiente com mais paz eu seria outra pessoa.

      Fernanda, se você realmente está preocupada com os seus filhos pense nisso…ser mãe não é só prover financeiramente, cuidado com a saúde emocional dos seus filhos.

  26. #43
    Natasha
    19.11.2014 - 20:58

    Faço coro para a maioria dos comentários.

    Marina: Não permita que esse ser lhe incomode nem sequer mais uma vez. De um basta, sei que é difícil as vezes, mas uma força do seu grupo de amigos também cairia bem. é como uma das meninas falou aqui em cima, seja clara com eles sobre a situação de vocês duas e o melhor seria evitar vê-la nesses momentos. Sei la, eu até daria um tempo sumida (não que ela mereça tanto esforço, mas se ta dificil..), e ela é quem iria se incomodar de não ver você durante um tempo. Ficar naquela expectativa de ver o efeito que causa em você. E durante esse breve sumiço, vá se policiando, colocando na sua cabeça que da próxima vez que se encontrarem ela não passará de uma mera desconhecida. E aos poucos, quando você menos esperar, não vai nem reparar que a dita cuja tava la.

    Fernanda: Poxa, fiquei sentida com a sua historia. Eu sei também que pode não ser fácil do dia para a noite arrumar um emprego, ainda mais depois de um certo tempo parada. Mas isto não é para desanimá-la, lembre-se que é difícil para todo mundo, e o que precisamos é correr atrás, ter disciplina e tentar. Seria importante que as crianças ficassem na creche sim, pois além do trabalho você precisa de um tempo para si mesma. E para pensar na situação de forma clara. Pelo que li, não senti de você carinho em relação a ele, mas somente a permanência ao lado dele por necessidade. E se decidir pela separação, é o que já comentaram aqui, não somente seus filhos, mas você também tem direito a uma pensão por um período, até conseguir manter-se sozinha. Pois afinal de conta, dedica todos estes anos a cuidar da sua casa e dos seus filhos. Você verá que tão logo conseguir realizar alguma atividade que te proporcione uma renda, tudo muda. Vai levantar sua auto estima! Todas estamos torcendo para que você mude essa situação. Tente uma conversa franca, nem que seja a última vez e parta para a mudança na sua vida!!!!!!! Um abraço, espero que breve escreva para Cony contando boas noticias!

    Cristina: Olha é muito difícil eu opinar numa situação dessas. Traição é sempre polêmico.. mas traiu uma, duas, três, a falta de respeito foi tamanha que até uma das amantes ligou para você! Ao mesmo tempo que isso é absurdo, serviu para abrir seus olhos (devemos reconhecer). Se você o ama e está disposta realmente a esquecer tudo (o que eu não acredito que seja fácil, ainda mais para nós mulheres), vá em frente. Você também tem todo o direito de tentar mais uma vez. Tanto pode ser um sucesso, como você poderá sair decepcionada mais uma vez. Estar em dúvida se deve voltar para ele ou não, é completamente normal. O que você não pode é viver amargurada com isso. E se decidir que não, que não o quer novamente, também faça isso de coração aberto. Pois remoer não irá te acrescentar em nada. Por esse mundão afora tem muita gente de caráter e que vale o investimento! Acho que encarar de uma forma mais leve, do tipo: “que se não deu, é porque não era para ser, mas seja por qual motivo for, você tinha que passar por essa experiência..” nos ajuda a encarar com mais facilidade a situação.

    Beijo para todas!

    • #44
      Marina
      20.11.2014 - 16:22

      Natasha, muito bom seu comentário!
      ando fazendo isso mesmo, dei um tempo nos amigos e agora só saio com eles quando ela não está presente! e tá me fazendo muito bem!
      beijos!

      • #45
        Iraci
        25.11.2014 - 15:12

        Marina, você já parou pra perguntar se ela fala de você nesses dias que você falta as reuniões?
        Porque, sinceramente, concordo com os comentários de que se os seus amigos são coniventes com essas atitudes eles não são tão bons amigos assim.

  27. #46
    Juliana
    19.11.2014 - 21:00

    Cristina: Não existe relacionamento sem confiança e respeito. Esses dois são mais importante até que o amor. Só amar não basta, e não sei até onde vale a pena viver uma vida de eterna desconfiança para estar ao lado de que se ama. Busque o amor próprio em primeiro lugar, porque depois que você aprende a se amar, não permite que ninguém te faça sofre. Boa sorte e que você consiga ser muito feliz!

  28. #47
    Carol
    19.11.2014 - 21:02

    vou escrever uma coisa aqui que talvez gere polêmica, masss vamos lá: acho que muitas mulheres cobram muito e tendem a achar que alguém tem que ter culpa no relacionamento (lembrando que casos extremos de mal caratismo não entra aqui). Mas problemas todos nós passamos, psicológicos, de saúde, etc e nem sempre percebemos o quanto isso afeta as pessoas que estão a nossa volta…o difícil de um relacionamento é justamente isso, ambas passarem por uma fase difícil e superar, até pq cada pessoa é de um jeito, uns se fecham no ostracismo, outros descontam suas frustrações, enfim…então às vezes a merda ocorre não por culpa, mau caratismo, mas sim pq a ocasião fez o ladrão aliado ao tipo de ser de cada um….a meu ver a depender da traição carnal não é o fim do mundo, há outros tipos como o caso da Fernanda que sem aparente motivo plausível, compreensível a pessoa prejudica a outra….acho que falta muita compreensão nos relacionamentos….em geral as pessoas tendem a apontar o dedo e nao veem o que podem ter contribuído para aquilo (repito tirando os casos de mau caratismo, será que vc tbm nao magoou?)….por ex o caso da amizade, a menina parece se ater tanto a roupa e coisas que menina imita, gente, a vida, os problemas são muito mais que isso! acho legal o debate, mas aqui a gente só vê um lado da história e geralmente a visão das críticas é sempre complacente…lembro de um dos primeiros casos, senao o primeiro, do cara que tava atarefado no trabalho, numa fase tensa e sumiu e o ultimo do cara que nao era realizado profissionalmente…gente isso em regra causas serios problemas no ser humano, ainda mais homem que tem aquela visao antropologica de ser o provedor e tal, sei que ninguem é obrigado a aturar falta de atenção, infelicidade alheia…mas conselho de um amigo da minha mãe que está no 5 casamento “se soubesse, nao teria separado da 1″….entao se o problema no relacionamento nao envolve violencia, caso de abandono e afins, vale uma compreensao, uma paciencia a mais, ainda mais se há amor….senao sempre o problema será o outro…

  29. #48
    Gabriela
    19.11.2014 - 21:03

    Devo ser doida mas não consigo compreender essa coisa de casalzinho de comprar tudo junto, apto, carro, sei lá mas o quê. Se eu não puder ter a coisa sozinha, prefiro nem ter. Prefiro demorar a ter e conseguir total independência. Não quero ficar refém. Só casei quando tinha condições (Eu)independente de qualquer ajuda de qualquer pessoa. Casei com separação de bens, cada um tem e faz o que quiser com suas coisas. Aí a pessoa já não tem condições de se manter sozinha e ainda vai e tem filhos, para ficar presa à situação? Marido não é pai. E família de terceiro (marido, namorado, noivo, é terceiro, dá licença, nada de falar que a família do outro é sua família, pois não é, pode ser dos seus filhos, se tiver filhos) vai decidir o que a pessoa deve fazer da vida? Nem escuto, aliás canso de deixar família falando sozinho quando acho que abusam. Quando me casei, somente no civil, pois não tenho e não sigo religião, minha sogra “armou” uma benção com um padre lá que ela conhecia e eu disse: Não vou! e ponto final. A velha ainda me amaldiçoou e disse que ia dar tudo errado. E eu, com o perdão da palavra, CAGUEI. E estou casada há 11 anos. Fora 9 de namoro. Nem sei que palpite dar. Está faltando decisão no pessoal. Boa sorte para todo mundo.

    • #49
      19.11.2014 - 22:54

      Adoro ver os depoimentos e comentários da mulherada aqui. É uma oportunidade de conhecer experiências e modos de agir diferentes. Gostei da postura da Gabriela.

    • #50
      Fran
      20.11.2014 - 01:17

      Oi Gabriela, penso que nem tu, sabe que trabalho pra caralho pra não depender de ngm, não gosto de família metendo o bedelho onde não foi chamada ou palpitando simplesmente pq quer… imagina se a pessoa tem filhos? Vão querer dizer como educar e bla bla bla, eu corto e deu. Minha família mora no Sul e moro três estados acima, a do meu namorodo tbm é do Sul, nem vou visita-los pq é sempre uma encheção de saco e querem opinar em tudo desde a calça que tu usa a base que base no rosto, não admito. Venho de uma família de pais separados, parecido com o caso da Fernanda então nem cogito em ter filhos… um cachorrinho e tá bom. Hj ao ler teu relato me senti normal. Obrigada.

    • #51
      Carol
      28.11.2014 - 17:25

      Estou postando meio tarde…hehe. De qquer forma, concordo completamente com a Gabriela. Quando me casei, no civil apenas, nem avisamos a minha sogra, de tão pentelha que ela era. E não me arrependo.

  30. #52
    La
    19.11.2014 - 21:14

    Eu traí meu até então namorado, sei que isso foi ridículo da minha parte, e traí porque quis, falar que é acidente é uma desculpa muito da mal feita. Ele não perdoou e o relacionamento acabou, mas sabe que foi a melhor a coisa a acontecer? Porque se ele tivesse me perdoado, eu não conseguiria esquecer, e sempre ia mimá-lo ou até começar a ser submissa a ele pelo erro que cometi. Tem males que precisam ser cortados! Não fica a sofrer com as traições dele não Cristina. Dá um basta que é melhor.

  31. #53
    Ana
    19.11.2014 - 21:21

    Fernanda, meu comentário vai para você, não sei se você sabe, pelo visto não. Você pode entrar na justiça 🙂 não existe pensão alimenticia só para os filhos, mas para as esposas que foram anuladas da vida social e empregatícia pelo marido, no caso você. Essa pensão não será por muito tempo, mais ou menos dois anos, o prazo para você se estabelecer e seguir sua vida normalmente, porque isso que você vive não é o normal, não é saudável. E, além disso, você ainda teria a pensão para os seus filhos. E não, esse caso não demora na justica. O pedido é julgado muito rápido, coisa de 15 dias, só depois que o processo irá correr normalmente. E você ainda pode procurar a Defensoria Pública, em qualquer cidade possui um Defendor e ele irá lhe ajudar com isso, sem nenhum custo. E essa é uma causa que você ganha fácil, é um entendimento já certo nos tribunais. Beijos! Espero que tenha ajudado

  32. #54
    19.11.2014 - 21:35

    *Marina – Existem sim pessoas assim, mas temos que tomar cuidado para não mergulharmos no que chamo de “coitadismo”. Somos mulheres, “sensory” por natureza. E as pessoas, muitas vezes, fazem conosco o que permitimos. Se sua experiência não foi boa, mantenha o radar ligado. E outra coisa: nós temos uma tendência a querer amizades eternas. Tenho um pouco de resistência a isso. As pessoas chegam para cumprir um papel na nossa vida. E nem sempre devem permanecer…
    *Fernanda – falando em “coitadismo”…olha, claro que meter as caras na vida com dois filhos não é moleza, mas viver essa calvário eternamente? Fico imaginando que, ao escrever para o painel do Futilish, a *Fernanda pode ter dado o primeiro passo. Imagine que essa primeira fase, pós chutar o balde, é a pior…e depois são passos em direção a um leque de opções de felicidade.
    *Cristina – claro que isso é subjetivo e concordo com a Constanza que se é pra perdoar é pra perdoar. Mas eu desconheço ser humano normal que consiga a proeza. Mas, *Cristina, pra promover mudanças nessa “nova” fase, é vc que deve mudar: se ame, tenha amigos, coloque-se sempre em primeiro lugar, mas não da boca pra fora. é um efeito dominó – vc muda, fica segura e promove mudanças no outro.

  33. #55
    19.11.2014 - 21:41

    Concordo 100% com tudo o que a Cony disse sobre os 3 casos!!

  34. #56
    Paula
    19.11.2014 - 21:46

    Marina, comigo aconteceu algo bem parecido, éramos melhores amigas, nos demos bem logo de cara. Com o tempo, notava que tudo que eu contava para ela que eu queria, ela tb tentava obter, até coisas caras do tipo carro e viagens!!! Além disso, ela tentava me botar pra baixo e fazer ciúmes com outros amigos, e tb reparava que ela ficava com raiva quando eu estava com meu namorado. Essas coisas só fui reparando com o passar do tempo. Um belo dia (a essa altura eu já estava de saco cheio da criatura, mas ainda convivíamos) tivemos uma briga boba e a partir daí nunca mais falei com ela. Anos depois, o que eu descubro? Ela tinha uma paixão por mim, era apaixonada mesmo. Hoje ela é casada com outra mulher, desejo que ela seja MUITO feliz e que não me deseje mal nenhum tb. Quando uma pessoa é o obsessiva assim, pode apostar que é paixão! Muita gente falou nos comentários que é inveja, mas eu poderia apostar o que sua amiga tem é desejo reprimido. E o que você pode fazer a respeito disso? Nada! Tira essa pessoa da tua vida! Um grande beijo pra vc!

    • #57
      Marina
      20.11.2014 - 16:27

      Paula, cheguei a ter calafrios lendo seu comentário! Deus que me livre desse mal! se inveja já me faz mal, imagina se fosse paixão!
      obrigada pelo seu comentário…
      beijos! 🙂

  35. #58
    Carol
    19.11.2014 - 22:03

    ps: outra questão a se pensar que percebi em alguns casos é: antes de casar a mulher já detecta o problema, já tem o incomodo e ainda assim casa, achando que casamento muda alguém…

  36. #59
    Bruna
    19.11.2014 - 22:09

    Fernanda, acho que dos três o seu caso é o mais complexo, porém está longe de ser impossível de resolver…quer uma dica? Estude pra um concurso. Pode ficar caladinha e ir se preparando em casa, sem ele saber. Saiba que eu consegui passar estudando por um material pelo qual paguei 86 reais apenas. E existe muita coisa grátis por aí. Muita mesmo! Aí VC aproveita e escolhe um lugar bem longe pra viver uma nova vida longe desse traste! Ah, e não ache que é impossível, em 3 meses apenas consegui minha aprovação! Tire forças nem que seja da raiva que VC deve ter guardada aí dentro de VC e compre a sua carta de alforria!!!

    • #60
      Aline
      21.11.2014 - 11:03

      O conselho da Bruna é ótimo! Também consegui passar num concurso com uma apostila de R$ 35,00 (em 2003). É difícil estudar, principalmente com filhos pequenos, mas é melhor do que se sentir impotente.

  37. #61
    19.11.2014 - 22:16

    O primeiro caso, da amizade, é bem comum até. Eu também já tive uma amiga vampira e com o tempo me afastei dela. Mas até hoje sinto uma “raivinha” dela, é difícil aceitar que num momento a pessoa é sua amiga-irmã-gêmea e no outro que ela foi somente uma vampira que se aproveitou do que vc podia oferecer. Mas o negócio é esquecer mesmo. O último caso, da traição, penso que se ela quis voltar, é pra superar e não tocar mais no assunto também. Mas sempre se pode mudar de ideias de anseios e de vontades na vida, se for uma coisa que esteja te deixando muito angustiada e triste, cai fora. Agora, o segundo caso, o mais complicado p mim. Tentar se separar assim da noite para o dia, na situação dela, é muito complicado. Ela fez escolhas erradas, mas o estrago já está feito. Se eu estivesse no lugar dela, tentaria recomeçar minha vida sim, voltando a trabalhar e cuidando mais de mim. Mas não me pressionaria a fazer isso de uma vez, porq talvez não conseguisse tão rápido a resolver a situação e ficaria ainda mais frustrada. Melhor dar um passo de cada vez, do que dar saltos e depois ter que voltar atrás. Boa sorte a todas!
    http://www.amorreal.pe.hu

    • #62
      Marina
      20.11.2014 - 16:30

      Alice, é essa “raivinha” que sinto dela que PRECISO esquecer, sabe?
      obrigada pelo comentário…
      beijos

  38. #63
    Francine
    19.11.2014 - 22:18

    FERNANDA, nunca comentei aqui mas me sinto obrigada: sai dessa, amiga, enquanto tem tempo! Esse tipo de comportamento que teu marido te da acaba destruindo pouco a pouco tudo que tu tem por dentro. Entendo perfeitamente o tamanho da coragem necessária para sair, com nada, e comecar uma “vida” diferente, trabalhando e se impondo o respeito que deveria ter existido desde o inicio.
    Nao sou muito apegada a nenhuma religião, mas vou pensar coisas positivas pra ti!

  39. #64
    Stephane
    19.11.2014 - 22:19

    Conita!!! Por favor, quando reabrir as “inscrições” não faça por apenas um dia!. Preciso muitoooo de opiniões. .. rsrs… namoro há 7 anos e meio e preciso decidir minha vida…. kkkk… um beijo ara a bloger must forever e para as leitoras.

  40. #65
    Liza
    19.11.2014 - 22:25

    A melhor parte dessa coluna são suas resposta, de uma coerência impressionante, fora isso, estou um choque com o segundo caso, de queixo caído, 2014, imagina a quantidade de mulheres q se sujeitam a “levar” a vida que as mulheres eram obrigadas a “levar” a 50, 60 anos atrás, muito triste.

  41. #66
    Cristina
    19.11.2014 - 22:58

    É muito ouvir alguém de fora falar sobre esses problemas, faz a gente ter outra perspectiva. É uma situação muito delicada, mas querem saber de algo engraçado (humor negro)… Eu pedi para a Cony não divulgar meu nome, então ela me deu o nome de Cristina, que é o nome da mulher que me ligou contando do caso deles….affff
    O fato que me incomoda demais é essa necessidade de ficar bisbilhotando as coisas dele, não quero ficar paranóica, queria uma vida normal com ele e nosso filho. Será que vai ser sempre assim?

    • #67
      Constanza
      19.11.2014 - 23:05

      Ahhhh não acredito kkkkk que infeliz coincidência!!!!!

    • #68
      Yasmin
      20.11.2014 - 13:26

      Não acreditoooooooo, que coincidência ruim!
      Então, acho que depende de você. Você consegue confiar nele 100% hoje? Se a resposta for não, da maneira que eu penso vc não deveria continuar com ele… Pra mim, confiança é a base de tudo. Acho que a partir do momento em que meu namorado me disser que vai num jantar do escritório e eu desconfiar, a coisa não vai mais funcionar. Mas claro, cada um sabe da situação e eu entendo que você deve pensar no filho, mas pensa que é melhor ser criado com pais separados do que com pais que brigam.

      Beijo e boa sorte!

  42. #69
    Carol
    19.11.2014 - 23:17

    Marina, por que você tem medo de uma pessoa assim? É você que dá força a ela, pelo visto. Eu, no seu lugar, impedia que ela te visse, te encontrasse, soubesse de sua vida. Bloqueie ela de tudo seu! Evite por um tempo sair com a turma toda, já que ela vai estar junto. Saia cada vez com um e outro, separadamente. Some da vida dela, já que ela não some da sua. Dessa forma, nunca mais a encontrando, ignorá-la será algo natural.

    • #70
      Marina
      20.11.2014 - 16:33

      você está certa, Carol! percebi mesmo que eu estou dando forças pra ela e eu me sinto mal porque eu admito isso!
      já estou fazendo isso de sair com meus amigos só quando ela não está e tem melhorado muito!
      nem comentei isso no email pra Cony, mas depois que eu vi uma curtida dela sem querer numa foto do meu instagram (já que ela não me segue) eu bloqueei ela! hahahaha
      beijos! obrigada pelos conselhos!

  43. #71
    B.
    19.11.2014 - 23:19

    Coni, sempre pensei como você sobre traição, até que… trai.
    Sim, trai. Amo meu noivo, mas encasquetei que queria um fulano e só sosseguei quando trai. Foi bom? foi maravilhoso! Se me arrependi? Não. Se faria de novo? Não. Amo meu noivo e quanto a isso nada mudou. Desde então tenho outra visão sobre a traição. Não penso mais que é falta de caráter… sinto (sendo muito sincera com você) que você pode amar uma pessoa profundamente e desejar estar com outra só naquele determinado momento.Enfim, é minha visão. Um beijo

    • #72
      Adriana
      20.11.2014 - 02:45

      Caramba! Odeio traição, nunca trai meu conjugê, mas ao ler o seu relato, não é que eu consegui te entender? Traição é uma escolha e, cabe à pessoa, saber se vai conseguir conviver com isso…cabuloso hem?!

      • #73
        ctj
        22.11.2014 - 12:28

        Cara!!te entendo muito!!muito mesmo!! aconteceu comigo..e tb não acho q isso seja falta de caráter!não querendo justificar meu erro(pq eu tb encasquetei q queria um fulano e fui..não dá p julgar tudo como falta de carater! somos humanos, feitos de emoçoes, desejos, sensações,momentos..e na vida não fazemos só o certo!não que isso seja um hábito na minha vida..não mesmo! mas naquele momento eu queria muito estar c aquela pessoa, mas nunca cogitei largar o meu casamento!foi um risco que corri?sim!mas acho melhor arrepender por ter feito do que não ter feito! e na realidade, não arrependi não!naquele momento era o q eu queria!

    • #74
      Adriana
      20.11.2014 - 02:46

      Ops, cônjuge.

    • #75
      mia
      23.11.2014 - 17:39

      Mas qual o critério pra ser falta de caráter ou não?
      O fato de vc não se arrepender? Essa traição é uma coisa de que vc se envergonharia se alguém descobrisse? Se a situação fosse contrária (teu noivo te traísse) vc ainda acharia que não é falta de caráter?
      (Sem julgamentos, só fiquei curiosa a respeito desse depoimento, gosto de saber como a galera pensa e de debates saudáveis. Abraços).

  44. #76
    Aline
    20.11.2014 - 00:34

    Nossa, não consigo nem terminar de ler as histórias, pois fico indignada. Como essas pessoas aceitam determinadas situações? Como não escolhem mudar de vida? Que medo é esse de largar amigos e parceiros que não prestam? Que falta de amor próprio!

    • #77
      Adriana (FL)
      20.11.2014 - 02:38

      Amiga, esse não é um espaço pra gente ficar julgando as meninas, mas para dar opiniões de outra perspectiva, que com certeza, se elas tivessem tido, não estariam dividindo seus problemas conosco aqui.

  45. #78
    Amanda
    20.11.2014 - 00:43

    Por que voltar/continuar com que já te fez tão mal??? O mundo está cheio de oportunidades!!! Ficar com quem não gosta da gente é falta de amor próprio!!! Ame-se em primeiro lugar, sempre!!!

  46. #79
    Lola
    20.11.2014 - 03:23

    Não ia comentar porque vários dos comentários acima já refletem minha opinião e não queria ficar repetitiva. Mas quando vi isso aqui não me controlei: “Fui aguentando, depois de 4 anos veio minha filha e Deus quis me dar mais um filho….”
    Gente, como assim ” deus quis me dar mais um filho??” Concepção imaculada, é?
    Poxa, já dava de ver que o marido era machista por te “proibir” de trabalhar, você já tava se matando pra cuidar de tudo, já tinha um baby e a situação já tava ruim, porque não se preveniu pra não ter outro? Ai ai ai!!!
    Enfim, taí meu desabafo e como disseram, começa com Mary Kay, Avon, Natura e vai aos poucos se reerguendo, entra na justiça, ganha seus direitos e das crianças e segue em frente! Minha avó mais de 35 anos atrás se virou sozinha, sem emprego pra terminar de criar uns 7 filhos que ainda eram crianças/adolescentes, então com força de vontade você consegue gata!
    Boa sorte!

    • #80
      Layana
      21.11.2014 - 16:55

      A pessoa já tá na fossa, aí vem uma dizer coisas super legais “como assim, concepção imaculada”
      Conheço gente com formação superior que engravidou sem querer sim, e dentro de um casamento. Trocas de anticoncepcional, flutuações hormonais muito loucas, muita coisa pode acontecer.
      Julgar quem está numa posição frágil é que não deveria acontecer.

  47. #81
    Bethania
    20.11.2014 - 07:38

    Cristina: arruma um emprego! Você vai ver, novos ares, novas pessoas, sua cabeça ocupada com outras coisas, se ele quiser fazer parte disso, tente, mas se ele ficar na mesma ou pior, diga adeus e vá ser feliz esse homem não te merece!
    Fernanda: já sou menos radical do que a cony, em tema de traição cada um que sabe da sua história, pode ter certeza, acontece com muita gente, cabe VOCÊ analisar se ele mudou, evoluiu e se você tambem mudou-evoluiu! Não queira mais aquele relacionamento, a partir de agora tem que ser outro! Um sentimento maior do que a traição, o ódio, é amor, é sério, ele cura tudo! Boa sorte!

  48. #82
    Bethania
    20.11.2014 - 07:39

    Ai comentei tudo virado! Mas vocês entenderam né?! Hehehehehe!

  49. #83
    Luiza
    20.11.2014 - 09:38

    Pra Fernanda: Tente estudar em casa pra concurso público, 1 horinha por dia, 2 horinhas, o que for possível. Comece visando um que não seja tão disputado. Assim, quando passar na prova, vai servir de mega impulso pra sua auto estima. Com as crianças em casa, sem nenhum tempo sozinha, é bem mais complicado, mas existem as videoaulas (que podem facilitar um aprendizado mais dinâmico). Concursada, vc tem um emprego que vai te dar a estabilidade e força de se reerguer, seja com ou sem marido, e aí vc pode pensar com calma se quer seguir alguma carreira específica e correr atrás. É uma sugestão que tem potencial 🙂 um beijo e boa sorte!

  50. #84
    Ana Karina
    20.11.2014 - 10:14

    Fernanda:Essa ideia de começar como autônoma vendendo Avon/Natura/Mary Kay é muito boa,ou se você tem com quem deixar as crianças procure um emprego,essa época de Natal é muito boa para isso,você pode começar com um temporário para dar uma desenferrujada,isso vai dar um Up na sua auto-estima. Em relação aos casos anteriores,as garotas podiam voltar aqui para dar um feedback,para sabermos no que a coluna ajudou,se houve alguma mudança etc

  51. #85
    Helena
    20.11.2014 - 10:21

    Traição é um negócio complicado. Final do ano passado (mais precisamente no natal) fui mexer no celular do meu namorado, e como dizem por aí, quem procura acha. Vi umas mensagens que ele tinha esquecido de apagar no whats com outra guria que eu sempre tive ciúmes (ele era instrutor de academia e ela malhava lá). Mensagens bem nojentas, que nem vou reproduzir aqui. Enfim, perdi meu chão, me senti totalmente enganada. Sempre que ele falava da tal guria, eu demonstrava ciúmes, e ele dizia “Nada a ver, o namorado dela malha lá também, bla, bla, bla”. Mas eu sempre amei muito ele. Continuei o namoro, perdoei e hoje estamos morando juntos. Mas eu aprendi que perdoar não é a mesma coisa que esquecer. E perdoar e continuar o relacionamento foi uma escolha minha. Então mesmo que às vezes eu fique desconfiada, eu fique pensando besteira, ou até mesmo relembrando o que aconteceu, eu me acalmo e penso: “Ok, isso foi escolha minha, eu amo ele e eu tenho a minha consciência limpa”. Não é nem um pouco fácil, quando nós brigamos é difícil me segurar pra não ficar jogando coisas na cara dele, mas são escolhas.
    Cristina, eu acho que se tu escolheu voltar pra ele, tens que aceitar a tua escolha. Tu teve os teus motivos pra achar que valia a pena voltar, então acredita nisso. Se não der certo, ao menos tu tentou. As pessoas falam que traição é imperdoável até que elas se encontrem numa situação dessas.
    Maaaas, lembra também que só amor não põe a mesa. Se tu sentir que ama ele, mas que tu não consegue deixar o que aconteceu de lado, não tem que ficar te torturando num relacionamento que só te faz mal né.

  52. #86
    Indiara
    20.11.2014 - 10:27

    Nunca comentei esta tag, mas preciso expor minha opinião.
    A respeito do primeiro caso, da Marina. Eu tenho pavor dessas historinhas de “ai, a fulaninha morre de inveja de mim, me vê com uma roupa e compra, adora demonstrar que está feliz quando está na minha frente”……….eu só acho que se você se importa com isso, o problema é com você, e não com ela. Existe inveja? sim, existe! Existem pessoas mal caráter, que desejam coisas ruins para os outros? sim, existem… Quando se trata de relações pessoas existem muitos sentimentos ruins, mas você só será atingida se se permitir! Então, pra mim, o maio problema não é a pessoa que você descreveu como sendo um “ser horrível” e sim você, que gasta seu tempo e seus sentimentos se importando com isso.
    Acho que você precisa arrumar coisas mais importantes com as quais se preocupar.
    A respeito do segundo caso, da Fernanda. Esse caso sim é sério, envolve relacionamento, filhos, falta de perspectiva profissional, ou seja, a vida total de uma pessoa. Na minha concepção de relacionamento, o que você vive não é uma relação, e sim um inferno. Mas se você vive uma relação destas é porque você permitiu, ninguém vive aquilo que não quer. Certo, agora você viu que isto não faz bem para você e quer mudar né? O primeiro passo é você quem vai dar, só nós somos responsáveis pelas mudanças que queremos ter na nossa vida.
    Agora você tem que pensar no que você quer para sua vida e para a vida dos seus filhos, e ir atras, lutar. Volte a estudar, existem varios projetos do governo no ambito educacional que podem servir para você. Coloque os filhos em uma escolhinha e tente passar o minimo de carga negativa para as crianças, que são muito sensiveis e absorvem tudo que ocorre no meio que vivem. Tente se inserir no mercado de trabalho novamente. Isso tudo não vai ocorrer da noite para o dia, mas só vai acontecer se você for atras e der o primeira passo. Desejo muita força de vontade e amor próprio para você.
    Em relação ao terceiro caso, da Cristina, não tenho uma opinião formada. Mas desejo que você faça o que seu coração mandar e o que fizer você feliz. Mas analise se a sua felicidade realmente é verdadeira, ou uma felicidade “cômoda”. Boa sorte!

  53. #87
    20.11.2014 - 10:40

    Essa para a Marina: você tem um problema, certo? Mas junto com seu problema, vem os amigos, dos quais não quer abrir mão. A sua ex amiga vem dentro de um pacote revestido pela “casta de maldades”, se não deseja se afastar dos amigos, infelizmente terá que administrar a inveja (admiração ruim) que ela tem de você, como já foi dito por alguém, ignore-a, a ponto dela se sentir constrangida. Se você vê que ela se veste como você é porque tem desperdiçado seu tempo, sua atenção, reparando nela, ignorá-la significa, não lançar um único olhar em direção da pessoa, aí você não a vê, ela não está ali, portanto não a incomodará, provavelmente ela sentirá falta do seu olhar, da sua atenção, da sua pessoa, e sentirá o quão valiosa era a amizade que perdeu, refletirá sobre a situação e o resto fica nas mãos de DEUS! Aguarde e verá…
    ***parafraseando a Ligia Guerra***
    “tudo que vira um rótulo, empobrece a leitura da situação”

  54. #88
    Bruna Costa
    20.11.2014 - 11:10

    MARINA:
    sei bem o que vc tá passando.
    Tinha uma amiga da minha sala da facul e éramos unha e carne (inclusive foi ela quem me indicou o fufu! Pelo menos uma coisa boa haha).
    O problema é que ela sempre demonstrou alguns problemas. Sempre ficava comparando nós duas, dizendo que era melhor pq tinha notas melhores (detalhes, ela só fazia a faculdade. Eu fazia DUAS faculs ao mesmo tempo, ingles, frances, aula de canto, piano, etc).
    O pior era a questão de dinheiro. Não sou rica, mas tenho uma situaçao melhor, moro na zona sul. Já ela tinha um pai servidor publico e a mae vendedora em loja e era mais simples. Super tranquilo. A casa dela era pequena, mas eu achava linda. Amava ir lá e adorava a familia dela. Ela já viajou com minha familia pra buzios e nao gastou um tostao. E ela sempre ficava falando coisas tipo: nao tenho dinheiro sobrando igual vc pra tomar essa vacina cara de hpv (quando sugeri ela de tomar, há anos atrás) e vários outros comentarios.
    Ela disse que nao tinha inveja, mas tinha raiva de mim, pq eu ia vestida igual mulamba pra aula pra FINGIR DE POBRE!!! É mole? Eu ia mal arrumada mesmo. Saia de casa as sete e voltava onze e meia, estudando o dia todo. Qual o pique pra me arrumar?
    O ápice foi quando ela ficou com meu ex peguete, dan ossa sala. Tivemos um rolo gigante de meeeses, gostei dele muito e tal e ela acompanhou tudo. Menos de um ano depois que acabou tudo, eles começaram a ficar e namoram até hoje.
    Enfim, depois que formamos, bloquei ela de tudo também.

    Mas passo o que vc passa. Não consigo me desvincular totalmente. Graças a Deus nao vejo ela mais, mas estou emocionalmente ligada. Quero ficar cada vez mais bonita, gostosa e bem sucedida pra poder encontrar com ela depois e mostrar como to melhor sabe?
    Longe de mim desejar mal à ela! Jamais. Desejo o bem.
    Mas desejo que eu fique melhor.
    E isso exige muito de mim. Me suga muito. Piora minha ansiedade, que já é patologico, e me faz ser mais perfeccionista ainda. Acabo é adoecendo.
    Resultado: é pior pra mim.
    Tenho trabalho esses sentimentos de raiva e mágoa na terapia e isso tem me ajudado muito.
    E me apegando a Deus: se ela saiu da minha vida, foi o melhor pra mim.

    Tenta trabalhar esse seu lado espiritual e psicologico.

    Alem disso, acho que deveria reunir seu grupo de amigos e expor o que está rolando, sem dar muito detalhe, pra nao forçar o grupo a escolher entre uma e outra. Só fala que rolou desentendimentos que vc não quer falar e que nao quer conviver com ela.
    Ai um dia eles saem com vc e um dia saem com ela.

    Boa sorte pra nós!

    Beijinhos

    • #89
      Marina
      20.11.2014 - 15:36

      Bruna, é incrível como nutrimos os mesmos sentimentos! sinto a mesma coisa! não desejo que ela morra, que se dê mal na vida! mas desejo que quando a encontrar por aí eu esteja melhor!
      Não faço terapia, mas acho que realmente seria uma boa pra mim nesse momento!
      Sobre conversar com meus amigos, já fiz! alguns deram razão a ela, ficaram ao lado dela… outros ficaram isentos!
      mas é isso, boa sorte pra nós… e que um dia consigamos esquecer essas “vampiras” (como muitas meninas comentaram) e tocamos nossas vidas sem magoas e ressentimentos!
      beijão!

    • #90
      Aline
      21.11.2014 - 11:14

      Bruna e Marina,
      Tive amigas vampiras e consegui me libertar apenas quando cortei laços definitivos, sumi do grupo de amigos em comum por um tempo. Isso me fez bem.

      Mas o que quero contar é que duas amigas minhas brigaram feio, sendo um delas a vampira. Tomei um partido e me afastei da vampira. Ela não tinha me feito um mal irreparável, mas o que ela fez com outras pessoas me fez parar de confiar nela.

      Então, a conversa com as amigas em comum pode dar certo sim. Quem é amigo de verdade entende e nos dá apoio.

      P.S.: um pouco dessa competição de querer estar melhor sempre fica, mas vai se tornando tão leve que vira motivo de piada interna e não motivo de incômodo.

  55. #91
    Marô
    20.11.2014 - 11:33

    Ok, vamos lá!

    Caso 1: me identifiquei em parte com a sua historia e digo “em parte” pq achei q vc dá mta moral pra essa fulana e na boa, eu seguramente deixaria de ir nos lugares que sei onde ela vai estar e promoveria encontros onde ela não pudesse ir, como, na minha casa, por exemplo. Entendo q ela te magoou, mas, fazer o q, a vida é assim, as vezes magoamos e vice versa, tente não lembrar dela, vc é tão ligada à ela quanto ela à vc. Mude isso.

    Caso 2: olha, as coisas já começaram tortas, mas, sempre é tempo de ajeitar. Simples e direta: comece a procurar emprego diariamente, peça indicação de amigos etc, se esforce, faxine, cuide idosos, crianças etc, mas, faça alguma coisa urgente até que o emprego q vc goste apareça. As crianças ele por lei vai ter q ajudar a sustentar, então, trate de achar algum lugar onde possa morar com elas, pq sinceramente, acho q esse casamento já era. E FICA A DICA p mulherada: não façam filho em relacionamentos recentes, em relacionamentos meia boca ou onde há mto problema e se cuidem, pq ter filho bem criado é superrrrrrr caro, nem todo mundo deveria ter dois ou mais, ainda mais jovens.

    Caso 3: olha, esse relacionamento seu me parece falido e vc insiste em levar. Tá om medo de não achar outro? Ele é tão irresistível e tem mesmo tantos atributos assim para ser amado? Vc ama ele mais do que se respeita? Acha mesmo que ele não vai te trair? Por favor, encare os fatos. Gostar demasiadamente de alguém nunca dá certo se nos tira o amor próprio. E outra, vc diz q durante um tempão ficou gostando dele mesmo separada… devias ficar mais tempo separada e tratar de esquecer, entrar em outros relacionamentos, dar chance a um novo amor, boas surpresas, enfim, esse caso é a insistência q sempre falo e q não leva a nada – exceto a perda de tempo, da juventude e das novas oportunidades. Ninguém é insuperável, por favor, pense nisso.

    Bjx!!

    • #92
      Marina
      20.11.2014 - 15:37

      obrigada, Marô! você tem toda a razão sobre o meu caso! vendo pelos olhos de vocês percebi que realmente estou me importando demais com essa pessoa!
      beijão!

  56. #93
    Cris
    20.11.2014 - 11:40

    Acho que a história da Marina precisa ser vista de uma forma mais ampla. Pra mim existe uma dependência mútua aí.
    Pouco importa quem me copia, afinal, em matéria de moda, todas copiamos: um blog, uma revista, uma vitrine , enfim.
    Como uma sabe tanto da outra? É pq a “vítima” também xereta o “algoz”!
    A inveja da outra pode alimentar a vaidade, mesmo que de forma inconsciente.
    Não estou julgando, Marina, apenas acho que vale um pensamento maior sobre o que acontece. Será que isso tudo vale tão a pena mesmo?
    Não é abrir mão de suas amizades mas, será que ter amigos vale esse preço tão alto, que é ser aborrecida?

    Tive uma amiga que DEU EM CIMA do meu marido. Eu estava GRÁVIDA na época. Amiga boa, de confiança, de infância. Já tínhamos nos ajudado muito na vida!
    Por conhecê-la bem, sabia que não era o meu marido, e sim a minha situação . Tudo aconteceu pra ela no âmbito profissional, mas, desde que perdeu um bom namorado por ataques de conservadorismo, nunca mais tinha dado sorte no amor.

    Ela queria estar na situação de CASADA, GESTAÇÃO, CONSTRUÇÃO de família. Chegou até a perguntar se eu amava mesmo o meu marido. Sei que estava se colocando no meu lugar, sonhando em viver algo assim. Carente, invejosa, mas não maldade, vontade de destruir. Perdoei, mas fui me afastando ao poucos, até o desapego final.

    Somos colegas de face, porém, não nos vemos mais. Um cumprimento formal nas épocas de aniversário e fim de papo. Não a odeio, nem desejo mal, só a quero distante.

    Ela sabe o que fez, sei que deve se envergonhar, pois não é má pessoa, só que perdeu o clima entre nós, só isso!

    • #94
      Marina
      20.11.2014 - 15:41

      Cris, seu conselho me fez pensar mil coisas…
      obrigada pelas palavras, você está coberta de razão! estou “dando corda” pra ela! alimentando isso que ela continua fazendo!
      sua experiencia me fez enxergar minha situação com outros olhos!
      obrigada, mais uma vez!
      beijos!

  57. #95
    camila
    20.11.2014 - 11:50

    Nossa, coração é uma terra que só nós habitamos e sabemos o que se passa, e também só nós, unicamente nós, permitimos o sentimento dentro dele..Fernanda, por favor não entenda como critica, mas não podemos reclamar do que permitimos…um dia escutei isso de uma tia, na hora fiquei muito danada da vida, mas depois de pensar, vi que era a mais pura verdade, não podemos permitir o que não traz a nossa felicidade…não permita viver a vida que não seja a sua, a escolhida por voce…abraços!!!

  58. #96
    Cris
    20.11.2014 - 11:53

    Já para a Fernanda, precisamos entender também sob a ótica de quem tem filhos. Tudo isso é super fácil de entender: desapega, vai à luta, briga por pensão…

    Digo a vcs que também penso assim, mas penso AQUI DA MINHA VIDA, pós graduada, concursada, casa própria. Realidade beeeeeem diferente da dela.

    Acreditem, quando se tem filhos, tende-se a tolerar muita coisa ( mulheres e homens também!).
    Há medo, insegurança, temor pelo bem-estar dos pequenos. O amor de mãe é avassalador, tenho certeza de que, a maioria, daria a vida por um filho.

    Acho importante que a Fernanda, primeiro, tome consciência de que o que acontece com ela é grave, injusto e que não deve se conformar!

    É claro que ela não tem forças, AINDA, para reagir, por isso deve começar pelas beiradas: isso mesmo de Avon, Natura, uns focinhos e comidinhas pra fora.

    Uma graninha, mesmo que curtinha, vale a pena! Pode pagar uma babá para meio expediente, creche para os meninos. Depois faz uma capacitação, SENAC, SESC, SEBRAE.

    Então, com BALA NA AGULHA, mais fortalecida, pula fora, ou prossegue com auto estima reforçada!

    Um abraço de urso, querida! Te desejo perseverança para conseguir tudo de bom nessa vida, vc merece!

  59. #97
    Cris
    20.11.2014 - 12:05

    Quanto à traição, uma coisa é fato: se não perdoar de coração, melhor não insistir.
    O tempo vai passar e, ao menor aborrecimento, tudo vem à tona… O novo e velho, numa avalanche de ressentimentos. Não vai ser bom pra ninguém!

  60. #98
    Lu
    20.11.2014 - 13:31

    Gurias, não me entendam mal, mas é um alívio saber que muitas de nós também possuem problemas com os quais não conseguem lidar.

    Passei muito tempo da minha vida achando que todo mundo era mega feliz, mega lindo, mega produzido e só eu me vestia mal, maquiava mal, sofria com relacionamentos amorosos, no trabalho e com amigas…

    Então, comecei terapia, o que tá me ajudando muito, mas pra mim está sendo algo lento e gradual (porém ouvi dizer que a cura é demorada kkk).

    Desde que resolvi mudar, tenho procurado ler sobre auto ajuda (minha terapeuta não gosta, maaaas), virei seguidora da Gisela Rao e do Vigilantes da Auto Estima, passei a confiar na Cony e em suas dicas de estilo e maquiagem, comecei a viver um pouco (antes passava em casa vendo filmes e na internet).

    Fora que aquele post sobre sair da zona de conforto continua nos meus favoritos, volto lá sempre!

    Acredito que melhorei bastante, mas estou longe de ser o que quero ser e também estou me aceitando melhor e que consequentemente melhora auto estima e também a nossa coragem pra fazer!

    Em relação a história da Marina, tenho algo parecido: o meu namorado tem uma amiga de muitos anos, inclusive que ele já ficou (affff), e eu passava o tempo todo me preocupando com ela, me preocupando que ela me imitava, usava as mesmas roupas que eu, tirava as fotos nas mesmas poses (me julguem!! #vergonha)…

    Sempre reclamava para todos dela, até que um dia, uma guria que eu mal conhecida me disse “será que tu não dá importância demais pra ela na tua vida?” e “esquece ela, deixa ela fazer o que quiser e faz também” e “ela deve falar o mesmo de ti, esqueçam-se”.

    Sério, quando ouvi isso fiquei com vergonha e foi como se eu fosse iluminada. Parei de falar nela e me preocupar… sabe o que aconteceu? nada, ela continuou a vida, eu a minha e pouco me importa se ela me imita. Inclusive ela até se afastou do meu namorado (Oba!!).

    Enfim, boa sorte gurias! Estamos todas na luta!

    • #99
      Marina
      20.11.2014 - 15:44

      Lu, é exatamente isso que tenho que fazer: me desvincular!
      obrigada pelo conselho!
      beijos!

  61. #100
    Adriana
    20.11.2014 - 13:37

    Fernanda! Vivi algo igual!

    Fiz direito na facul e casei grávida no nono ano, terminei a faculdade e fui ser dona de casa. Muito longe de minhca cidade. Com uma crianca e longe de casa, sem dinheiro e sem emprego!!! Sem dinheiro nem para ligar para minha mae, sou de joao pessoa (Paraíba)e fui morar em Goias! Meu marido comecou a trabalhar e ganhar super bem e me humilhava muito!

    O que eu fiz? Me separei, voltei com uma filha em baixo do braço para a casa da mamae, morei de favor, comecei a advogar, comecei aestudar para concursos, hoje estou no TRE no nordeste, casei novamente com um homem maravilhoso! Vivo viajando, meu trabalho é federal, estou tranquila bem casada e feliz da vida! Graças a Deus!

    RECOMECE! NÃO TENHA MEDO, É BEM DIFICIL MAS VALE A PENA! OS FILHOS NAO SAO DESCULPA, até porque você pode ter pensão do pai deles!

  62. #101
    Ana Paula Furtado
    20.11.2014 - 13:50

    Nossa, MARINA! Só li o seu caso, porque tô passando pela mesma coisa! Uma ex-amiga que faz parte do mesmo grupo e que mesmo não tendo a menor importância na minha vida me incomoda, porque fica o todo querendo me atingir. Fala mal de mim, do meu noivo e do nosso relacionamento pra todo o grupo. Ainda bem que (ainda) não conseguiu afastar ninguém de mim. É triste ter que lidar com gente assim, mas mais triste ainda é SER assim. Ódio é um veneno que essas pessoas bebem querendo que a gente morra! Deixa ela pra lá, é o que tô tentando fazer no meu caso!

    • #102
      Marina
      20.11.2014 - 15:45

      Ana Paula, isso mesmo! lendo todos os comentarios percebi que preciso tirar ela da minha vida, da minha mente e o rancor que sinto dela do meu coração!
      boa sorte pra nós!
      beijos!

  63. #103
    Ana Paula
    20.11.2014 - 13:50

    Ja tive “amigas” assim. Teve uma surreal que quase me fez perder o emprego. Vivia em dilemas pessoais e profissionais, me pedia conselhos, mas depois ficava com raiva pq a minha vida era melhor do que a dela. DELETEI da minha vida, eu hein, tinha jeito de psicopata. Hoje nao tenho amigas,triste mas é verdade, odeio qdo me procuram só qdo convém.

    • #104
      Marina
      20.11.2014 - 15:47

      Ana Paula, morri com o psicopata! hahahahahaha
      mas obrigada pelo conselho! é exatamente isso que vou tentar (ao menos) fazer: esquecer esse ser!
      beijos!

  64. #105
    Adriana
    20.11.2014 - 14:14

    CRISTINA: meu bem, você não ama esse homem! Você voltou com ele por medo de ficar sozinha! Me desculpe, mas como amar algiém que não te respeita? Você tem que se amar e se respeitar primeiro!
    Acredito que em casas separadas, é mais fácil ainda para ele te trair e acredito que trair é uma conduta, um desvio de caráter ainda mais tão tão reiteradamente quanto o teu marido fez contigo!
    Acredito piamente que só entendemos o que é uma reação baseada no respeito, quando saímos de uma em que não o temos, e entramos em outra com base no respeito e acredite: são como água e óleo!
    A diferença é gritante! Existem sim, muitos homens maravilhosos e dispostos a ter um relacionamento respeitoso. Se dê uma chance! Se este homem quisesse mesmo você, largaria mão de facebook e outras redes sociais só para te provar o quanto mudou! Se ele não fez isso, está cômodo para ele e só vejo desgaste da sua parte!
    Pense bem e veja se é isto que quer para você, até porque os anos passam e a cada ano mais velha, se torna mais difícil reconstruir a vida! Penso assim! Beijão!

  65. #106
    Luciana
    20.11.2014 - 14:16

    dica pra vida: não tapemos o sol com a peneira!!!!!!!!!!!

  66. #107
    Fernanda
    20.11.2014 - 14:17

    Amo essa tag, Cony!!! Amo ficar lendo os comentários e amo mais ainda quando rola um feedback!
    Tive que vir comentar para a Fernanda falando um pouco da vida dos meus pais. Fernanda, minha mãe casou depois de 10 anos de namoro, mudaram de cidade e começaram do zero em um lugar que não tinham ninguém, só um ao outro. Meu pai começou o negócio dele e minha mãe logo engravidou. Eu nasci, no outro ano meu irmão nasceu e ela passou a viver pra cuidar da gente. Chegou a ter um carro dela, mas não dirigia porque tinha o meu pai pra fazer tudo. Quando fiz dez anos, meu pai morreu e minha mãe não sabia dirigir, mal sabia pagar uma conta no banco, quiçá administrar as lojas que ele tinha deixado. Ela ficou completamente perdida! A essa altura, já tínhamos parentes morando na mesma cidade e eles tinham feito um círculo de amizades muito bom, que deram a ela muito apoio nesse momento, mas ainda assim, perdemos TUDO, com exceção da casa, que por sermos menores, não poderia ser vendida… Já passaram mais de 20 anos, minha mãe também já faleceu e eu meu irmão estamos muito bem, obrigada! Então, espero que a historia dos meus pais lhe ajude no sentido que você vai sim conseguir vencer sem ele! Provavelmente não vai ser fácil, mas você precisa tentar! Por você e por seus filhos! Boa sorte!

  67. #108
    Si
    20.11.2014 - 14:52

    Eu me separei este ano depois de um relacionamento de 13,5 anos(quer dizer, ele se separou de mim), tenho um filho tbm e passada a minha fase turbulenta, e agora lendo estes relatos,passei a me questionar, sobre o quanto uma pessoa ama a outra para se sujeitar a manter uma relação, e o quanto há de medo da solidão, ou do que os outros vão falar. Quanto compensa manter um relacionamento com uma pessoa que não se importa só para que a sociedade veja que o casal está “unido” e passando pelas intempéries juntos, se dentro das paredes de casa não é nada disso?? Dá para ser feliz, com ou sem filhos, vivendo longe destes “trastes” que se intitulam homens, recomeçar a vida. Lógico que não dá para chutar o balde de uma hora para outra, principalmente para a que tem filhos, mas planejando a nova fase as coisas acontecem. Vão aparecer dificuldades no caminho? Com certeza, mas no final as coisas se ajeitam e muitas coisas boas surgirão. De repente até um novo amor melhor que o anterior.
    Bora viver uma vida nova Fernanda!!!

    Quanto à Marina, olha, eu acredito em energias, acho que além de se afastar, reze muito por você e por ela, peça sabedoria a Deus, e que você fique livre desse mal. Procure ficar longe dela e evite que elq saiba detalhes da sua vida ou dos seus planos. O vestir é o de menos, significa q no fundo ela admira seu bom gosto e não tem personalidade própria! E parabéns aos amigos q vcs tem em comum, que estão acompanhando isso e não tomam partido… Palmas para eles!! #sqn

    E sobre a traição: perdoar não é nada fácil e é um grande ato de amor, porque de fato tem que passar uma borracha por cima do que aconteceu, sem mágoas e cobranças… Se isso não está acontecendo na sua vida será que vc o perdoou??? Enquanto o passado te atormentar, você não vai conseguir viver plenamente seu relacionamento e vocês vão acabar incorrendo em desentendimentos por causa desse fantasma…. Pense bem se vale a pena!

    • #109
      Marina
      20.11.2014 - 15:50

      Si, você tem toda razão!
      estou bem decepcionada com os meus amigos, pois eles realmente sabem de toda a história e não fazem nada! mas a situação só vai mudar quando eu mudar, quando eu deixar de me importar e é nisso que estou empenhada, a esquecer essa pessoa, excluí-da da minha vida!
      obrigada pelo conselho!
      beijos

  68. #110
    Ana Paula Silva
    20.11.2014 - 15:09

    Fernanda, relacionamento não é isso! Seu marido pensa somente nele e não na família dele! Como ele é com os filhos, pois não acredito que ele seja bom pai se trancando no quarto e ver filme como se lá fora não tivesse 2 filhos que necessitam da atenção do pai! E com vc fazer essas coisas horrorosas, sair fds sem vc, sem a família, passar a noite na rua? Eu não consigo engolir isso mesmo…umas cervejas com amigos de vez em quando, com horário, tudo bem…isso vale pro casal…todos temos amigos né? Mais passar a noite na rua…isso é sacanagem, é querer levar vida de solteiro! Siga os conselhos da Cony, arrume um emprego já! Crianças na creche e mostre pra ele que vc pode sozinha…se ele não melhorar, separe e pede pensão!

    Bjos.

  69. #111
    Amanda
    20.11.2014 - 15:32

    Para mim, perdoar alguém é cancelar a dívida. E isso se aplica aos três casos. Já passei por um caso muiot semelhante no ensino médio e depois de um tempo enchi o saco e deixei pra lá. Percebi que a pessoa que me ‘imitava’ não me odiava, mas estava sem farol para seguir e me admirava de certa forma. Todo mundo faz isso, sinta-se feliz e pare de besteira.
    O segundo caso é o mais complicado, minha mãe passa por isso com o meu padrasto e já tentei ajuda-la de diversas formas porém ela não aceitou. A sua vida e a vida dos seus filhos irá depender de você e só de você, tome essa responsabilidade nas mãos e decida o que fazer.
    E o terceiro caso volta com a frase que perdoar é cancelar a dívida. Se você perdoou, cancelou o que ele te fez mal, não digo esquecer, mas não cobrar aquilo. Eu sempre tento acreditar que as pessoas mudam, mas alguns casos me lembrarm mto House que diz: people dont change.
    E para as três e alguns comentários que li carregados de ódio (eu sei que dá ódio do marido que trai e tal), CANCELEM ESSA DÍVIDA! Não devemos carregar o peso de erros do passado, todo mundo tem um motivo – seja ele suficiente ou não. E parem de odiar tanto todo mundo.

  70. #112
    Marina
    20.11.2014 - 15:56

    Cony, super obrigada pelo conselho!
    já respondi alguns comentários e vendo pelos olhos de vocês pude perceber que realmente estou dando uma importância que essa pessoa não precisa! alguém comentou isso e agora consigo enxergar o obvio: sou eu mesma que estou alimentando essa inveja… porque eu mostro a ela que isso me atinge e assim ela vai continuar fazendo!
    Agradeço a cada conselho… teve um comentario que disse que isso é uma idiotice, frescura! escrevi pra você, Cony, porque isso realmente me faz mal e precisava ouvir opiniões! Agora já sei o caminho: terapia pra esquecer essa louca e assim quem sabe ela não me esquece! 😉
    beijos!

  71. #113
    Fernanda*
    20.11.2014 - 16:25

    Olá amigas, sou a Fernanda*, quero agradecer imensamente cada uma de vocês que se dedicaram a escrever para me dar uma luz, lendo todos os comentários, cheguei a seguinte conclusão, ano que vem meus dois filhos estarão estudando no período da tarde, e neste período vou trabalhar, vou me estruturar e fazer uma poupança, vou conversar com meu marido vou falar e apontar tudo que esta acontecendo e se neste período de eu me estruturar se não houver mudança da parte dele em relação ao convívio familiar eu vou procurar um lugar para morar com meus filhos, não tinha pensado em concurso publico, vou procurar saber mais a respeito, espero em breve voltar aqui com ótimas noticias, um grande beijo a todas!

    Cony, muito obrigada pelo tempo dedicado a mim :), fiquei mega feliz, estou me sentido mega segura, uma observação .. kkk a pessoa que me apresentou meu marido chama Fernanda … kkk que é uma querida, feliz coincidência. bjo grande!

    • #114
      Constanza
      20.11.2014 - 18:23

      Nossa, to vidente nos nomes kkkk

    • #115
      Cristiane
      24.11.2014 - 13:42

      Fernanda, se decidir separar, quem tem que sair de casa é ele, não você com as crianças. Se tiver que tomar essa decisão procure um advogado para te orientar..a prioridade é sempre a segurança e bem estar dos filhos.

  72. #116
    Cristina
    20.11.2014 - 16:41

    Meninas, obrigada pelos comentários.
    Eu não tenho medo de ficar sozinha, eu me divorciei e ficamos 2 anos separados. Tive um relacionamento com outra pessoa por quase um ano, mas ele queria uma coisa mais séria (que eu fosse morar junto com ele) e aí que me bateu o panico, porque não conseguia me imaginar com outro homem dentro de casa, aí percebi que ainda amava o meu ex marido, depois disso ainda relutei muito em voltar com ele. Sou uma pessoa totalmente diferente hoje, fiz novas amizades, estou indo na academia, saio com minhas amigas.
    Uma pessoa me disse uma vez que é possível perdoar, mas que esquecer o que foi feito não…aí que me bate a dúvida.
    Estamos em casas separadas justamente para ponderar se é viável ficarmos juntos.
    Mais uma vez muito obrigada pelos sinceros comentários.

  73. #117
    Natália
    20.11.2014 - 17:54

    Marina: Já tive duas experiências assim com “amigas”. Entendo o tanto que é complicado, mas eu me posicionei perante meus outros amigos: NÃO VOU ONDE A FULANA VAI! Ponto final!
    Pra você não ficar colocando as pessoas em uma posição difícil, a minha dica é: seja você aquela que combina os encontros! Foi o que eu fiz. Eu marcava a reunião na minha casa ou em outro lugar e ninguém estava autorizado a comentar ou convidar a fulana. Era um momento meu com os meus amigos que me são muito queridos, não é o momento para ela estar junto. Não queria compartilhar a minha vida com ela, quanto menos ela souber sobre mim, melhor. Meus amigos perceberam que a presença dela realmente me fechava, eu não conseguia ser eu mesma. Hoje todo mundo aceitou e quando ela quer sair com a galera, ninguém me acha também, acho ótimo!

    Cristina: traição é FODA! rs Passei por isso em um namoro e foi péssimo, acabou com nós dois. Descoberta a traição, eu terminei tudo, ele ficou no meu pé, pedindo insistentemente por uma segunda chance.
    Voltamos e eu fiquei mega desconfiada.
    Direto, quando saíamos junto, ele deixava o celular comigo e eu dava um jeito de ir ao banheiro com a bolsa para revirar as mensagens e emails dele. Eu me sentia péssima toda hora: por desconfiar, por mexer nas coisas dele, por sempre imaginar mil coisas.
    Brigávamos TODA SANTA HORA! Se ele atrasasse, se não respondesse, se não ligasse, se não.., se não.. Eu estava sempre imaginando.
    A minha fuga disso foi no trabalho. Me ATOLEI ATÉ O PESCOÇO de coisas para fazer, para nunca ter muito tempo livre.
    A confiança voltou! Eu parei de fantasiar, ele se tornou muito mais presente e esse quesito, depois de uns 3 meses, não era mais problema.
    Maaas…para mim a volta, desde o começo, não foi igual. A sensação é de que não éramos mais o mesmo casal, para mim o nosso vínculo se quebrou.
    Não era só uma questão de confiança, mas de sentimento de união. Eu não sentia que éramos mais um casal como antes, não sentia que estar junto era legítimo mais. Não sei se estou conseguindo explicar, mas eu nunca estava muito feliz junto.
    Espero do fundo do coração que vocês possam se reconciliar. Eu acho que com o tempo, a confiança volta, mas é necessário uma vigília constante da sua parte, pq dá vontade mesmo de revirar as coisas da pessoa toda hora kkkkk
    Boa sorte! Mil beijos =**

  74. #118
    Marilyn
    20.11.2014 - 23:48

    Posso dar uma sugestão? Tem um programa da Mica Rocha (não lembro a emissora, só sei que é a cabo), chamado SOS Pé na Bunda, agora também tem canal no Youtube. É um programa que tem por objetivo ajudar pessoas que (obviamente) levaram um pé na bunda, mas também passa mensagens muito interessantes pra todo tipo de problema, sabe? Os que assisti até agora foram muito interessantes, mostram que nossos problemas não são os únicos, e TUDO tem solução, só depende da maneira como a gente encara.

  75. #119
    camila
    20.11.2014 - 23:54

    Marina, vivi algo parecidíssimo, assista https://www.youtube.com/watch?v=bSpDnVd1mQ4, vai te livrar de vez!

  76. #120
    Bru
    21.11.2014 - 00:33

    Cony, sei que não é o lugar certo mas queria muito que pudesse me indicar um produto para tirar aquelas manchinhas do calcanhar sabe? Minhas sandálias, mesmo as que não machucam, acabam deixando meu calcanhar manchado, e como vce é a blogueira mais real que eu conheço, acredito que vai ser a única a talvez assumir que, por usar principalmente muito salto, tb já tenha sofrido com isso…

    bjos

    • #121
      Constanza
      21.11.2014 - 11:13

      Menina, tem uns produtos da footner que estou AMANDO! Vou fazer post em breve mas se for em alguma farmacia, dá uma olhadinha na linha deles. Bjsss

  77. #122
    Marília
    21.11.2014 - 08:49

    Hoje tá punk, mas nada impossível. É só uma questão de escolha, e em todos os casos.

    MARINA: Olha, todos nós temos casos de “amigas” que mais tiram nossa paz do que tudo. Pra mim, amigo é aquele que torce, que vibra e mais ainda, que curte a sua felicidade. Se você está feliz, ele agradece a Deus e continua orando por você pra essa felicidade permanecer. Amigo que é amigo te admira, mas num ponto tal que te ajude, e não atrapalhe.

    Então…a ESCOLHA é sua: sai dessa, abre uma breja, vai relaxar com seu maridón, e esquece essa nojenta. Fica arranjando problema pra você não, filha. Coisa ruim a gente ignora, e olha…o desprezo é a melhor das armas. Vai por mim.

    FERNANDA: olha, eu já passei por algo parecido. Acho que todo mundo já cometeu seu pecado de submissão em algum momento da sua vida (só a Cony que duvido, porque é muito diva pra isso) e eu pequei ao me submeter às vontades do meu ex. Nossa, e fazia com tanto prazer que nem via o quanto estava me anulando, me colocando em segundo plano.

    Tem até uma história engraçada:
    Eu sempre pensei em nome pra filho homem, né? Não sei bem porque, mas não tenho nome de menina definido. Aí ele veio uma vez, a gente estava conversando sobre filhos e tal, e ele veio com uma sugestão: o nome do pai dele…e eu parei…pensei…e falei: “Ah não, eu quero esse nome tal”. Sabe o que ele respondeu?
    “Querida…você vai estar lá toda aberta, com anestesia, desacordada…quem você acha que vai registrar a criança? Então…quem escolhe o nome sou eu!”

    Gente…e olha que só fui perceber essa idiotice depooooooois que a gente terminou, porque olha…achei a maior graça na hora, imagine!!!!!! Tchonga demais! Auahuahuahuahauhauhauahuhauhauahauhaua!!!

    Então, o que quero dizer com isso tudo? A gente quando ama tende a se submeter um pouco às vontades do outro…em certo ponto isso é até saudável. Mas se anular em totalidade só faz a gente sofrer, principalmente quando a gente não vê retorno.
    Então…a ESCOLHA é sua de sair dessa. Faça cursos pela internet, estude, especialize-se, faça cursos, se esforce para ter de volta aquilo que você deixou escapar pelas suas mãos. Mas oh…não se culpe por isso. Olhe pra frente, e sempre! Força e sucesso!

    CRISTINA: mais uma vez me encaixo nisso (gente, eu sou toda errada…auahuahuahauhauhauah). Já perdoei uma traição, que inclusive soube porque ele deixou o email dele aberto, e acabei vendo. Perdoei e esqueci completamente, sabe? Mesmo. Até que de repente, não mais que de repente…eis que sou largada às vésperas do casamento.
    Tem um ditado bem antigo, que corrobora bem a opinião da Cony. Quem trai uma, trai dez. Hoje, depois de ter passado por tudo o que passei, acredito nisso também.
    Além de tudo, homem é o bicho mais covarde do mundo quando ele tá errado (calma, calma…temos exceções, mas a regra…é clara e certinha): ele não assume o erro, e coloca a culpa no mundo todo, mas não nele. E essa é a pior parte. Mexer com seus sentimentos pra ele não sair como o errado da história.
    Sacanagem, e das brabas.

    A ESCOLHA é sua de tentar sem olhar pra trás…mas se já tem pulga morando atrás da sua orelha…venhamos e convenhamos: seu coração já te deu a resposta, não é verdade? :/

    Espero ter ajudado de alguma forma, e que as escolhas sejam feitas para a felicidade de todas.

    Fufu é o canal, gente… Ai ai…amo isso aqui! 🙂

  78. #123
    Fernanda
    21.11.2014 - 10:25

    Assino embaixo de tudo o que a Cony falou !!
    beijos

  79. #124
    21.11.2014 - 11:29

    Tenso esse último caso… Concordo com você Cony, até hoje para mim é imperdoável. É impossível confiar em uma pessoa porque isso é o caráter e caráter não muda.

    Força meninas! Beijos

    http://www.estiloadois.com.br

  80. #125
    Paulinha
    21.11.2014 - 11:59

    Marina, ja tive uma “amiga” assim, tudo que eu tinha ela queria, roupas, viagens e até as notas na escola (tínhamos 15 anos nessa época). Eu recebi ela como amiga de braços abertos, ela brigava com a mae dela e ia dormir lá em casa, até café da manhã antes da escola ela tomava lá em casa, eu ficava com dó pq a mãe dela não dava muita atenção pra ela…até o dia q arrumei meu primeiro namoradinho e a safada foi lá e inventou pra ele que eu fiquei com outro e créu nele! fiquei com ódio…ele me pediu perdão, voltamos mas logo em seguida terminamos de vez. depois disso nunca mais falei com a safada…foi coisa de menina, besteira de adolescente, mas depois disso comecei a perceber q ela era esse tipo de gente invejosa, pois aprontou com outras colegas nossas tb.

    Fernanda, estamos no século 21 e pode parar de deixar seu marido controlar sua vida… procure um trabalho, coloque as crianças na escola e viva sua vida. Acho q antes de tudo vc deve colocar as cartas na mesa pra ele e deixar claro q a vida a 2 é muito mais q morar sob o mesmo teto. Tenha seu dinheirinho e se ele nao mudar vá ser feliz com suas crianças , entra na justiça pra reaver seu tempo perdido e contar coma pensão ate vc se estabilizar.

    Cristina, concordo com a maioria dos comentários…ou perdoa e esquece ou tchau. Eu acho q nao perdoaria, sempre ficaria com esse medo de acontecer de novo, acho q confiança qd se perde é raro reaver….tudo q eu mais prezo em um relacionamento é o respeito e a confiança, acho q base de um relacionamento tranquilo! se vc o ama a ponto de perdoar, abra seu coração e seja feliz sem mágoas!!!

  81. #126
    Mariana
    21.11.2014 - 22:33

    Olha.. em relação a Marina… sai dessa… vc já se separou, que é o mais difícil..
    uma traição que acontece como parece ter acontecido com o seu marido, que na verdade foram várias, não acontece por acaso.. tem gente que é assim, que mesmo que goste do que tem em um relacionamento nunca vai deixar passar a oportunidade de ficar com outra pessoa, e isso por N motivos… se ele é assim, provavelmente não vai mudar… você não tem que tolerar isso…e se vc ficar com ele provavelmente vai ficar louca tentando fiscalizar a vida dele pra tentar evitar uma nova traição.. isso não é vida… não é o seu papel ficar em cima pra fazer esse relacionamento dar certo… e se você não esquecer do fundo do coração não adianta, pq vc não vai estar inteira vivendo esse casamento… será que vale a pena?
    eu não sou das que acha que traição é imperdoável em todos os casos.. as vezes acontece disso ser reflexo de um problema sério, e funciona como um baque o suficiente pra fazer o relacionamento mudar pra melhor… mas acho que isso é exceção.. não é o caso de um cara que traiu simplesmente pq apareceu a oportunidade… muito fácil pra ele agora querer a vida dele de volta e exigir que você esqueça tudo…
    espero que vc tenha força pra manter sua escolha, qualquer que seja ela…

  82. #127
    Juliana
    22.11.2014 - 20:59

    Marina, não deixa de acreditar que existem amigos verdadeiros! Sei que você vai conseguir esquecer essa falsa amiga, mas não esquece que tem muita gente boa e legal no mundo sim!
    Acho que uma coisa importante das amizades é não esperarmos nada um do outro. Assim ambas as partes aproveitam o que de melhor o outro pode dar, e podemos amar as pessoas pelo que elas são!
    Claro que não to falando dessa lambisgóia, pq ela passou dos limites, mas falo das amizades em geral.
    Tem uma musica do Marcelo Jeneci que eu adoro: “sempre tem gente pra chamas de NÓS, sejam milhares, centenas, ou dois”.
    um abraço!!

  83. #128
    Jucimara
    23.11.2014 - 19:00

    Caso 1

    Marina, concordo com a Cony, sua vida não depende dela, então, segue em frente! Quanto mais ela percebe que te atinge, e ao que parece ela é meio que diabólica, mais ela sente prazer em te incomodar e te fazer mal, então, simplesmente ignore-a. Sério, quando ela descobrir que não tem mais plateia para assisti-la, ela vai parar de te encher. Sabe aquele negocio “você não existe e não faz mais parte mesmo da minha vida”? Isso dói tanto quando a pessoa nota, e nela vai doer também. Infelizmente falsos amigos estão ai e nós vamos esbarrar neles, mas não deixe que isso te impeça de conhecer alguém legal que pode te surpreender. Faça disso um aprendizado e não um carma. 😉

    Caso 2

    Fernanda, você não pode se anular e viver uma vida que não te satisfaz. Tenha uma conversa franca com o seu marido, e se mesmo assim não funcionar, vai ser feliz. A vida é unica! Não deixa para correr atras do prejuízo quando você estiver mais velha, porque pode ser que ai você não tenha mesmo mais forças para buscar a sua felicidade e desista. A vida é sua e só você pode ditar as suas regras.

    Caso 3

    Cristina, eu também não sou um ser evoluído que perdoa traição. Mas se você realmente estiver querendo passar por cima disso tudo e ser feliz com ele, você terá que passar uma borracha em toda a burrada que ele fez. Agora, se você acha que não vai conseguir, segue em frente. Nós precisamos de alguém que seja o complemento da nossa felicidade, e não somente o motivo dela. Nós devemos ser completos com nós mesmos, entendeu? Pense o que você REALMENTE quer. Não tenha medo de nadar contra a corrente, quem sabe você não pode se surpreender?

    Bjux meninas e felicidades a todas.

  84. #129
    Michele
    24.11.2014 - 01:07

    Cony,
    Deixa eu jogar uma lenha na fogueira aqui…
    Sou casada, tenho dois filhos e sou dona de casa. Totalmente fora dos padrões das meninas daqui do blog que trabalham, tem a sua graninha e não se vêem dependente do marido. Não me acho melhor nem pior do que ninguém aqui, apenas passei a pensar diferente.
    Ficar em casa cuidando de filho não é uma prisão, trabalho doméstico não é a pior coisa do mundo.
    Nossa, as mulheres conquistaram tanta coisa com o feminismo, que agora parece que vivemos na ditadura da independência. Por que? E se eu não quiser ser independente? E se eu quiser cuidar dos meus filhos, querer estar lá por eles e pra eles? É errado isso?
    Agora estimular a menina a se separar por causa que o marido não ajuda nos afazeres domésticos é demais. Se ela fosse traída, se o cara não a sustentasse, se a agredisse eu até concordaria, mas por causa de algo tão simples.
    Se o seu marido não te ajudar te incomoda tanto assim, contrate uma pessoa para te ajudar e deixe claro que é a parte dele que ela vai fazer mas não estrague seu casamento por isso, é como dar tiro de canhão em um mosquito.
    E Fernanda, tenha prazer em ver a sua casa limpa e organizada. Se você trabalhasse fora não iria fazer o seu melhor? Então pega essa energia e gaste na organização da casa. Tem vários grupos na net para te ajudar como o FLY Ladies e instagram’s como o @donadecasaeusou e @aprendanacozinha para te inspirar.
    Se quiser ter a sua graninha mas como um extra, faça um trabalho paralelo como vendas, informática ou artesanato (por que não?). Há também como cuidar de festas e decorações. Trabalho sempre como um extra e nunca ocupando o tempo familiar.
    Cuidar do jardim e esperar as borboletas também vale para as casadas: não deixe a peteca cair, cuide de você. Uma unha e a depil em dia não vai arrasar com o orçamento mensal, afinal você trabalhou e merece cuidar de você.
    Se mesmo assim você ainda pensar diferente, coloque na balança. O meu marido não é o cara mais organizado do mundo, mas me ajuda quando preciso: cuida dos nosso filhos, não me dá trabalho com alimentação e ainda é super generoso (seja com dinheiro, seja com tempo). Ele também não é perfeito, mas é o melhor companheiro pra mim.
    Eu também pensava assim como você, que queria voltar a trabalhar, ter meu dinheiro, ser alguém bem sucedido na carreira. Mas meu marido me mostrou que eu não era a “escrava” da casa e sim me vitimizava pra isso. Todo mundo tem opção, é só pensar diferente. Divorcie-se da sua história (e não do seu marido) e seja feliz!!!

  85. #130
    Isabel
    24.11.2014 - 10:19

    Aqui no Sul um comentário que diz tudo sobre traição: “Cachorro comedor de pinto só matando!”.

  86. #131
    Fabiola
    24.11.2014 - 16:24

    Meu comentário não é especificamente para alguém, é genérico. Muitas vezes quando leio as histórias, percebo que a resposta está escrita ali, a pessoa já sabe, mas parece que precisa ouvir. Nós temos um “eu superior”, uma consciência maior que nos responde, mas às vezes dói tanto saber que temos que tomar uma atitude que vamos deixando e quem sabe alguém pode me responder outra coisa que doa menos! Eu acho que a vida sempre nos dá sinais. Sim! ela vai nos mostrando que a gente está no caminho errado ou que estamos agindo contra o que acreditamos e, muitas vezes, ficamos doente por causa desse desequilíbrio. Pode reparar que quando acontece uma me$@#da dessas, depois que a poeira baixa, a gente pensa e diz: “é mesmo, bem que em tal situação eu senti tal coisa….”. Sejam amizades ou relacionamentos amorosos. Reparem nos sinais. Já ouviram falar que o universo conspira a nosso favor? pois é, prestem atenção nos sinais. Ele sempre te traiu? e o que fez ele mudar? ele teve motivo pra mudar? ele se arrependeu de ter feito ou se arrependeu por ter sido descoberto? A gente permite que sejamos enganadas, permite que as coisas continuem acontecendo porque continuamos nos comportando como sempre nos comportamos. É isso.

  87. #132
    Sara
    25.11.2014 - 10:21

    Fernanda, li a sua resposta e te dou o maior apoio na sua decisão de começar a trabalhar e melhorar o seu casamento. You can do it!

    Cristina, eu tenho vivido uma fase na vida em que a frase “nada é acaso” tem gritado, aparecido com luzinhas piscando, holofotes e tudo o mais. A Cony ter te dado sem saber logo o nome da dita cuja que te ligou para falar da traição não foi por acaso, com certeza aquele momento doeu muito, machucou e ainda não foi curado. Acredito que só quando você tiver superado vai poder ser feliz com um homem, seja o seu ex/atual ou outro. Recorra a sua fé e à terapia se fôr preciso, perdoe e siga em frente. Bjs.

    Marina, acrescento a tudo que foi dito que com certeza a sua ex-amiga não está nada bem, ou não seria assim, invejosa, não teria dado em cima do seu marido. Tem uma palavra da Bíblia que manda fazer o bem a quem nos faz mal, então não te digo para voltar a ser amiguinha dela, mas reze por ela e não fale mal dela para os outros amigos, até porque eles não querem tomar partido, não adianta forçar.

Comente