Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
28 out 2021, 13 comentários

Chora Que Eu Te Escuto

Longas férias do Chora hein? Mas tenho recebido poucos casos e então dei uma segurada no restinho que tinha guardado. Não deixem o Chora morrer! Mandem seus desabafos, dúvidas, angústias para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Vejamos o que temos pra hoje!

Chora 01 – Chuva

Oi Cony, sou leitora dino e apesar de não interagir super leio seu blog (única news q eu assino) e acompanho seu trabalho bem de pertinho pq vejo em vc uma mulher que podia ser minha amiga. Seu estilo de vida é parecido com o meu, acho suas dicas ótimas, bem pé no chão, e adoro seus conselhos no Chora, sempre têm tudo a ver com o que eu diria então resolvi escrever e saber sua opinião numa coisa q ta me afligindo. Tenho um namorado 15 anos mais velho q eu amo e que me ama. Nos conhecemos há mais 20 anos e desde lá gostamos muito um do outro (nos amamos mesmo esse tempo inteiro) mas não conseguimos engrenar nada por conta de outros motivos. Pra dar um overview sobre ele, entendo q a diferença de idade pareça “muito” para algumas, considerando q eu to na casa dos 40, ele é um homem suuuuuper interessante, jovial, cabeça aberta, trabalha, faz doutorado, tudo super azeitado no sexo, enfim, não tem coisa ruim ou ponto negativo q mereça realce. Mas ele é um cara q qdo a gente diverge ele amarra a cara, fica o dia inteiro sem me procurar. Do meu lado, eu admito q sou uma pimenta ardida. Não sei se pq fico muito ligada nas questões feministas, em não me deixar oprimir pelo “patriarcado” (mt longe de ser uma “feminazi” mas sou ligada) e pq acredito na igualdade entre os sexos, aquele lance de dir iguais etc, eu não fico calada qdo não gosto de alguma coisa. Falo q não gostei. Poucos minutos depois q eu desabafo eu já esqueço, fico de boa, e.. procuro ele pq penso no tudo q caminhamos pra conseguirmos ficar juntos enqto ele, por sua vez, tá lá pistola lá “curtindo o bode”. Resultado, não conseguimos nos entender “rápido” nesses momentos. Ele acha q eu “começo” a confusão e eu acho q ele estende além do necessário.   Eu o amo de verdade, sei q ele tb me ama mas nessa hora, enqto estou procurando e ele diz q precisa de tempo pra “digerir” eu juro q penso em largar ele. Chutar o balde, fico recapitulando  pra mim mesma q não vou morrer por estar sozinha, q minha vida é muito boa, q tenho meus interesses, q vou viajar, procurar as amigas, essas coisas. Mas eu quero ser feliz com ele. Ele fez muitos movimentos reais pra possibilitar q a gente namorasse agora, e eu fiquei um tempão sozinha “esperando” q ele percebesse isso (q eu tava livre, q ele podia ‘vir”), valorizo esse relacionamento como nunca valorizei nenhum outro, sobretudo valorizo ele, mas não sei como lidar, não sei como mudar isso. Por conta da pandemia eu parei a analise e to aqui precisando de uma luz imparcial pra tentar me desviar desses momentos ruins e fazer isso tudo fluir melhor. O q vc acha, hein? “

Gata, quando um não quer, dois não briga. Se você gosta dele, ele é bom pra você e o problema é a pirraça, deixa ele pirraçar sozinho. Deixa falar, brigar, mesmo que você não concorde com uma palavra que ele fale no momento da discussão, deixa entrar por um ouvido e sair pelo outro! O stress não vale a pena… Mesmo porque você esquece tudo rápido, então pra que dar corda! Pensa nisso! Pelo seu relato tem muito mais prós do que contras… abstrai as sandices que ele possa te dizer e vai ser feliz.

Chora 02 – Brisa

“Cony, obrigada por esse espaço! Meu chora: sou uma pessoa feliz, sou bonita, inteligente e independente. Porém eu sofro muito por ciúmes. Mas não é um ciúmes normal, do tipo que desconfia, ciúmes do marido com as amigas dele, ciúmes dele ir para um bar sozinho etc. Eu me sinto mal até se ele seguir uma atriz bonita no Instagram, por exemplo. Não aguento pensar que ele está admirando outras mulheres, não aceito que ele assista pornografia, não consigo lidar com as ex, não me sinto bem se ele convive com mulheres que já ficou, sinto ciúmes das experiências sexuais dele antes de mim, fico o tempo todo imaginando que ele tem um monte de contatinhos, milhões de situações que me fazem mal. Não sei nem se posso chamar isso de ciúmes. Possessividade talvez. Mas me faz MUITO mal, me deixa ansiosa, sinto dor de cabeça, não consigo me concentrar em nada, tenho insônia, enfim, fico doente por isso. No início do relacionamento sou super alegre, amiga, sexo maravilhosa, super moderna, uma ótima companhia. Depois que me apaixono, acontece isso. Não aguento mais. Já fui até ao psiquiatra porque não é normal, eu sofro muito e prefiro não me apaixonar. Já fiz terapia também. Às vezes fico tranquila e depois começa tudo de novo. E eu sou adulta, tenho boleto pra pagar, emprego pra focar, filha pra cuidar. Não posso me dar ao luxo de ficar sofrendo por isso.Eu sou assim há anos e nada resolve.Eu já fiz de tudo que você puder imaginar, mas nunca encontrei uma forma de ficar em paz. São anos assim, fazendo terapia por anos, trocando de terapeuta, investigando infância, tomando remédios, mas não muda. Alguma leitora passa por isso? Pra você ter noção, eu soube que meu ex transou com outra mulher e passei mal. Mas é meu ex, não tenho nada com ele!!! Não consigo entender.”

Menina, eu ia indicar terapia, mas se você já fez, nem sei mais o que pode tentar. Vou te contar meu caso. Eu namorei uma pessoa por 15 anos e era extremamente ciumenta. Lembro que na época passava uma novela com a Giulia Gam que era a louca do ciúmes e eu me achava tipo ela. Nunca esqueci o nome do grupo que ela frequentava – MADA – Mulheres que Amam Demais Anonimas, e não é que ele existe mesmo e até tem site? Vou deixar o link AQUI pra vocês. Então, eu era master ciumenta, igual você, tinha ciúmes até da Rihanna hahahaha, sério, de chorar de raiva porque meu ex achava ela linda. Mas depois eu entendi porque eu era assim. Minha vida, era a vida dele. Eu vivia em função dele, dos horários dele, os meus amigos eram os amigos DELE, só fazia coisas com ele. Ficava sem chão se um dia, por exemplo, ele tivesse um compromisso sem mim. Eu ficava sem lugar, sem saber o que fazer naquele momento sozinha. Em um dos términos (porque era uma relação cheia de altos e baixos) eu fui morar nos USA e lá fiz amigos, comecei uma vida só minha, não sabia o que ele estava fazendo (não tinha nem whatsapp nem insta naquela época, então a gente ficava off mesmo), trabalhei igual burro de carga, vi que eu tinha vida própria, que era interessante sendo apenas eu e que era super capaz de viver sozinha. Quando voltei – e voltamos o namoro – eu tava com outra cabeça, já não tinha ciumes doentio e adivinha? Ele que começou a ter ciúmes, muito, de mim. Se meu relato em algum momento puder te ajudar, acho que se você se der conta que é uma pessoa com vida própria, que tem seu passado também, com amigos separados da turma dele, se você fizer a SUA rotina, cuidar da SUAS coisas, priorizar a SUA VIDA já é meio caminho andado! Foque em VOCÊ e seja segura de você mesma!

  • E aí? Ja mandou seu Chora? Estamos esperando hein!!
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
13 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto”
  1. Susy28/10/21 • 19h29

    Para Brisa – Chora 02.
    Me identifiquei em partes com seu relato: Estou solteira há quase 05 anos, mas em todos os relacionamentos tive ciumes como você descreveu, sendo o último, o pior de todos – então percebi que a questão não estava no outro e sim, em mim. Eu não conseguia trabalhar direito, pensando se ele tb estava trabalhando ou estava com outra pessoa no horário de trabalho, eu dava jeitos de sair mais cedo do trabalho pra procurar por ele, se ele dizia que estava em um lugar, eu passava pra conferir se estava mesmo, olhava extrato do cartão de crédito, pra ver onde ele esteve, quando ele atendia ligação do trabalho, eu achava que era conversa em código combinando alguma coisa escondido de mim. Sabe aquela música “eu não te dou sossego, eu não me deixo em paz”, da Ana Carolina? Era isso. Eu passava mal, como você relatou: dores de cabeça, tremores, coração acelerado, boca seca.
    Eu conferia tudo e não encontrava indício de nada (não deixava transparecer – ele nunca percebeu que eu ia procurá-lo, que eu passava na porta dos locais onde ele dizia que estava), eu ficava em paz? Não! Eu achava que tinha alguma coisa que eu não estava percebendo, que tava passando despercebido e repassava tudo mentalmente, até passar mal.
    Ainda estando com ele, comecei a ir à uma psicóloga, terminamos o relacionamento por outros motivos, mudei de cidade por causa do trabalho e com isso, parei a terapia. Ano passado, solteira, voltei a terapia aqui onde estou morando (agora online por causa da pandemia), percebi que as raízes desse comportamento, em mim, são muito profundas, a gente guarda questões que nem lembra e elas se cristalizam de um modo, que dá muito trabalho trazer à superfície, tratar e “curar”. Tenho 1 ano e meio de terapia e na minha perspectiva, sem previsão de alta, tenho certeza de que se eu começar um relacionamento hoje, o ciume ainda vai me incomodar. Você já buscou terapia e mesmo assim, sugiro buscar novamente, talvez com outro profissional, busca referência, vê se no seu circulo tem alguém que faz terapia e está satisfeito, para te indicar um profissional competente. Eu não vejo outro modo a não ser buscar a raiz do problema e “cortar o mal pela raiz”. Desejo de verdade que você encontre uma saída e fique bem! Receba meu abraço!

  2. Sam28/10/21 • 20h58

    Oba! Voltaram os choras! Tchururu 🙂

    Chuva: Certa feita uma amiga disse ao presenciar uma discussão tola minha com meu ex: “É MELHOR SER FELIZ OU TER RAZÃO?” Faça sua escolha e seja feliz. Eu sou “brigona” mas é impressionante como na maioria das vezes vale MUITO à pena ser feliz e só buscar “ter razão” quando realmente isso for relevante.

  3. Sam28/10/21 • 21h07

    Chora 02:
    Adorei o conselho da Cony. Nossa, quando fui lendo seu relato na hora eu lembrei da novela tb e do grupo MADA. Deve ser muito angustiante sofrer assim pois vc não dá paz a outra pessoa e não consegue ter paz tb. Olha, sei q há quem critique, mas eu sugiro que vc busque uma excelente profissional e faça uma constelação presencial (sem bonecos). Olhe, eu já fiz e foi inexplicável, maravilhoso, positivo. Também tenho amigas que conseguiram se curar de dores, de tristezas, de amarguras que não foram curadas por outros meios (nem terapia, nem esoterismo), mas vc precisa procurar uma profissional experiente e, se aceita uma sugestão, não esteja acompanhada por pessoas conhecidas. Boa sorte, torço muito por vc.

  4. Juliana28/10/21 • 22h15

    Eu também vivi isso por um bom tempo, com meu marido. Nos conhecemos quando eu tinha 20anos e ele 26. Eu era stalker real, conferia extrato do cartão, ligava altas horas da noite etc… relacionamentos de altos e baixos e indas e vindas. Até nosso último e maior término, onde ficamos separados por 9 meses. Quando voltamos, foi outro relacionamento. O que mudou? Nós mudamos. Eu amadureci e adquiri autoconfiança, ele percebeu que tinha que me valorizar e o quanto gostava de mim. Eu era ciumenta também porque ele não me transmitia segurança e não era confiável na época. Ambos imaturos. Voltamos e já estamos juntos novamente a 11 anos. A ciumenta aqui nunca mais voltou, sabe porquê? Porque me amo sempre, em primeiro lugar. Realmente acredito que tenha que trabalhar seu interior. Tenha convicção de que pode ser feliz sozinha. Que você se basta. Que se ele pisar na bola, quem perde é ele. Você é fantástica, se ame.

  5. Monica29/10/21 • 00h09

    Para o caso 1- Vivia exatamente isso, sabe o que eu fiz?? Simplesmente larguei pra lá e o melhor, tratei de ficar bem com isso!!
    No começo eu queria esclarecer logo, achava uma bobeira ele ficar de “bico”. Hoje, fique o tempo q quiser, eu vou me distrair com outras coisas. Depois de meses, o tempo do “bico” encurtou…impressionante!! Mas não foi rápido não…alguns meses!! Tô nem aí…acho ridículo, mas espero ele cansar!!

    Caso 2- não tenho esse ciúmes todo não , mas eu sentia isso, com pessoas nada a ver tb!! Irmã , amigas…acho que na minha família, todos são bem possessivos!! Tive q curar isso na marra, as vezes ainda sinto, mas trato de mudar o pensamento, me convencer q estou exagerando e vou melhorando.
    Ou seja , um exercício diário

  6. Brisa29/10/21 • 00h22

    Brisa: Às vezes o cara não nos dá a segurança que merecemos e ficamos loucas, o ciúme é só uma parte da loucura. Isso é relacionamento abusivo. Mas se o cara é legal, não da motivos para a desconfiança, miga, procura um psicólogo. Se não deu com um profissional, procura outro, nem que tenha q ir em dez profissionais, uma hora vai dar certo. Com certeza esse comportamento nasceu em algum momento por algum motivo, ouso a dizer q na infância. Qdo temos questões q nos sufocam, temos q tratar. Eu também tenho as minhas e passei por muitos terapeutas até acertar. Os problemas mentais tem q ser tratados com o mesmo carinho q tratamos nosso corpo físico! Boa sorte!

  7. Lu Procópio29/10/21 • 00h25

    Chora 02 – o que eu tenho a dizer: ciúme não impede a outra pessoa de fazer o que ela quer quando você não está vendo. Só te torna uma pessoa chata…
    Me desculpe pela sinceridade, mas já fui ciumenta, era insuportável e hoje tenho pavor disso!
    Foca nisso: ciúme = chatice > deixa as outras pessoas mais interessantes que você!

  8. Amanda29/10/21 • 06h42

    1. Se conhecem a 20 anos mas nunca engrenaram e tu acha q é por briguinha kkkkkkkk evidente q não é isso.
    Isso é desculpa.
    Dica: se 20 anos não foram suficientes para namorarem de verdade, outros 20 é q não serão. Dê adeus e se liberte! Ele está te enrolando (consigo ouvir vc dizer q vc tb enrola ele, q as circunstâncias, bla bla bla kkkkk Não, vc quer namorar mas ele não quer e ele inventa desculpas e faz vc acreditar nisso. Quando 2 querem, 2 namoram, casam, moram juntos; Quando só 1 quer 2 apenas se pegam.

    Tire a história de comédia romântica americana, de amor impossível da sua cabeça e veja com verdade os FATOS.

    2. Insegurança e baixa auto estima. Medo de perder.
    Dica: delete e bloqueie ex e amigos de ex das suas redes sociais e quando conhecer alguém não adcione assim evitará alguns sofrimentos desnecessários, não tenha conversas como: vc acha essa cantora atriz amiga bonita, etcs. E sempre q começar a pensar q ele está de contatinho, etc, vá fazer algo q ocupe sua mente ativamente, ler um livro ou meditação não funcionarão para vc, faça algo ativo. Sempre q o pensamento vier se negue a pensar nisso e imediatamente faça outra coisa para desviar a atenção. O nosso cérebro faz apenas uma coisa por vez. Faça repetidamente e logo notará os gatilhos e corte o q der da sua vida para evita-los. Viverá em paz e terá um relacionamento feliz.

  9. Paula29/10/21 • 11h12

    Para o chora 1: Como a Cony comentou, se você é uma pessoa que esquece fácil, deixa o que ele fala, entrar por um ouvido e sair pelo outro. Melhor coisa é sermos leves. A vida já é tão complicada, cada dia é um desafio diferente. Deixe seu namoro ser leve, já que vocês se amam tanto. Não podemos querer que o outro seja como somos, cada um tem seu jeitinho. E se você sabe que o jeitinho dele é se fechar após a briga, deixe ele ter o tempo dele. Só evite brigar tanto! Não seja a chata militante o tempo todo, temos que escolher as batalhas que devemos lutar a fim de termos paz de espírito. Não to dizendo para não seguir seus ideais, só não precisa ficar “cagando regra” o tempo todo, se outro já te conhece, sabe o que é importante para você.

    Para o chora 2: menina, eu já estive do outro lado ciúmes doentio e posso dizer como é horrível a pessoa em quem você confia duvidar de você a todo momento. Meu ex-namorado era extremamente ciumento comigo, a ponto de me ligar de madrugada chorando, me implorando para dizer que eu não tinha feito nada quando saía com minhas amigas (saída tranquila, tipo restaurante, casa de amigas). Tinha ciúmes até do meu ginecologista!!! Aquilo foi minando nosso namoro, eu fui murchando como uma flor fora da água. A minha alegria de viver foi se esvaindo conforme nosso namoro perdurava. O dia que eu terminei com ele foi libertador. Não queira proporcionar ao outro esta terrível insegurança. Sei que é algo mais forte que você, mas procure se libertar disso, pois ao mesmo tempo que faz mal para você, também faz mal ao outro. Sou zero ciumenta, mas já fiz terapia por outros motivos e também já fiz constelação familiar e vou te dizer que se até agora com a terapia não resolveu, dificilmente vai te curar. Pode auxiliar, mas não curar. Então, procure fazer uma Constelação Familiar, pois às vezes, este seu comportamento não vem de você, mas de algo da sua família, da sua mãe ou até de antepassados e pode ter um viés muito diferente do que imaginamos.

  10. Roberta29/10/21 • 13h17

    Chora 02: Eu estou a 17 anos com meu marido e também já fui igualzinha você e foi a pior época da minha vida, eu não tinha paz e em momento algum me sentia feliz! Eu não fiz terapia, mas reconheci que aquilo ia acabar com o meu relacionamento e com a minha vida e então um dia ele terminou comigo e eu percebi que precisava mudar urgente ou ia perder ele de vez, e fui mudando aos poucos, toda vez que percebia que estava sentindo aquilo de novo, eu parava, rezava, pedia pra Deus me ajudar a tirar aquilo do meu coração e aos poucos fui mudando, fui me amando mais, gostando de viver sem ele, de fazer as coisas sem ele e me ajudou muito, hoje sou outra pessoa e quando percebo que vou ter uma recaída penso de novo no que vivi e passa! O segredo é gostar de você e também gostar de verdade do seu parceiro para aceitar que ele pode ter uma vida sem você e mesmo assim Te Amar!

  11. Marcela Andrade29/10/21 • 14h49

    Chora 1: Isso se chama convivência.
    Se vc pensa em deixá-lo por causa disso, vc não vai viver com ninguém na sua vida.
    Cada pessoa tem um jeito de lidar com as situações. Passa a abstrair o que não te interessa, nem vale a pena o desconforto.

  12. Lia01/11/21 • 17h51

    Caso 1:
    Pra que começar uma briga por uma coisa que você vai esquecer em 5 minutos?
    Se o seu parceiro te trata bem, te respeita e não tolhe a sua independência pra que ficar “se posicionando”?
    Relacionamento não é twitter, relaxa

  13. Helena Souza e Silva Campos de Oliveira05/11/21 • 12h44

    Chora 1: Meu marido é assim… brigo ou falo algo, peço desculpas e tá tudo bem, já ele amarra um bode gigante e fica dias sem conversar, mas aprendi que cada um é de um jeito, cada um reage a sua maneira, cada um interpreta a seu modo e às vezes, quando me coloco no lugar dele e vejo o que pensou e como as expectativas foram atingidas negativamente, faço o “mea culpa”. Se gosto disso? Não, claro que não, mas tenho que respeitar que ele não é igual a mim e tentar me policiar em alguns momentos ou escolher as brigas que vou querer enfrentar. Mas o amor e a vontade de estar junto são maiores e vamos aprendendo as lições juntos, se não juntos, eu aprendo e tô no lucro!!