Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
12 ago 2020, 160 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Parei de contar as quartas feiras. Vamos lá de novo:

Chora 01 – Vert

Oi Cony, sigo o seu blog há anos, prai desde 2013, e adoro!

O meu choro é sobre meus sogros. Eles não são más pessoas, mas passam a vida convidando para ir lá em casa. Domingo, feriado, dia 1 de janeiro, natal, carnaval, festa junina, chegando de viagem, quando eu só quero ir para casa e sentir o conforto de ter chegado… Todos os dias livres do ano basicamente. Acontece que meu namorado quer sempre ir lá e eu não. Prefiro passar meu tempo de outras formas, tipo almoçar fora, praia, ficar em casa sem nenhum compromisso com ninguém entende?

Isso sempre nos traz problemas, principalmente em épocas festivas e feriados, no ultimo mês cheguei ao meu limite e disse ao meu namorado (moramos juntos há 2 anos, e estamos juntos há 12 anos) que não queria mais ter o domingo determinado para ir na casa deles e sugeri outro dia, tipo sábado a noite, depois de uma puta discussão ele aceitou porque eu basicamente disse que não iria ceder mais… Agora estamos vendo se no futuro isso vai continuando nos trazendo problemas como casal. 

Meus sogros e namorado são pessoas bem conservadoras e não tem essa de não aparecer no final de semana, por isso ir de 15 em 15 dias simplesmente não é opção… Mas me sinto bem presa junto deles, é como se não pudesse dar minha opinião, é como se eu não gosto de alguma coisa que eles gostam de fazer esta errado… por exemplo, no dia 1 de janeiro eles fizeram almoço e ficam pro jantar e nem saímos durante o dia inteiro, para mim é péssimo ficar um dia inteiro a mesa conversando e jogando jogos, prefiro sair, mas não tem essa abertura e estou farta… parece que sempre tem que ter uma desculpa ou compromisso para não ir, por exemplo, se vamos almoçar lá, meu namorado não aceita que simplesmente eu quero ir para casa ao final do almoço ou da tarde, ele quer ficar e pronto. Isso me faz mas não sei se sou egoísta ou se tenho meu direito. Meu maior medo é que isso faça com que nosso relacionamento chegue ao fim um dia.

Enquanto família mais alargada, tios e primos eles são bem diferentes da minha família, parecem não se sentir a vontade entre eles e quando alguém fala que vai embora mais cedo parece ser olhado com admiração… tudo isso para mim é bem estranho e incomodo apesar de já conviver com eles há anos, mas não tem nada que possa fazer…

Me ajudem meninas, esse assunto de sogros precisa deixar de ser tabu! Beijo

Menina que texto confuso. Franzi a testa várias vezes pra entender direito… Você tem que ir pra casa dos sogros ou eles que vão pra sua casa??? De toda maneira, você tem que fazer o que te deixa a vontade e que não force sua natureza. Se seu namorado vai lá almoçar todo domingo, você pode ir como também pode NÃO ir, ou ir e voltar antes, fazer suas coisas, sair com suas amigas, ficar em casa a tôa. Pra que se amarrar nos compromissos do boy assim? Precisa disso não viu?

Chora 02 – Adidas

Casamento nunca foi um sonho mas sempre pensei que se um dia acontecesse deveria ter uma pequena cerimônia religiosa e eu e o amado adotaríamos um nome de casal. Enfim, conheci alguém que a princípio me pressionou muito para nos casarmos. Quase terminei o relacionamento por causa disso, mas no final das contas nos casamos após 5 meses de namoro. Eu já o tinha namorado há 13 anos atrás então na verdade foi um reencontro. A questão é que eu acho lindo quando um assume o sobrenome do outro e forma um nome de casal e eu compartilhei isso com ele, mas ele não quis por dizer que dava trabalho. Só isso! Por que daria trabalho. No final das contas ele concordou em alterarmos os nomes após o casamento civil o que não aconteceu, ele simplesmente esqueceu e mesmo eu tendo falado disso várias vezes ele não moveu uma palha pra fazer isso por mim, mesmo tendo prometido. Ele sempre me diz coisas do tipo “Você é tudo pra mim”, “Faço tudo por você”, mas são palavras vazias quando na prática ele não foi capaz de me dar essa prova de amor. Hoje estamos com quase dois meses de casados e eu carrego essa mágoa enorme. Já tivemos sérias brigas por conta disso. Eu tive que engolir que não alteramos o nome e pronto, mas a cada dia que passa fica mais difícil fingir que está tudo bem, principalmente porque eu faço tudo para agradá-lo. Já conversei com ele sobre o assunto, mas ele simplesmente “se faz de besta” e deixa pra lá pq dá trabalho. Enfim, ele não se incomoda com meu incômodo e eu sinto como se nem estivesse casada, afinal, no nome é como se ainda fôssemos solteiros. Não me sinto dele e nem como se ele fosse meu, não me entendam mal, não quero ter posse sobre ele, jamais, na verdade sou uma mulher independente, mas essa questão do nome foi um sonho frustrado. Ele prometeu mas não fez, e agora todas as vezes que ele diz que me ama automaticamente vem na minha mente “mentiroso”, “falso”, isso está me destruindo e matando o meu sentimento por ele. É como se fosse um gatilho mental, ele diz que me ama e eu apenas não acredito mais. Penso seriamente em me divorciar, agora nem quero mais mudar de nome, pois nada que é conquistado através de brigas e ofensas vale a pena. Eu só quero recuperar minha paz de espírito. Me arrependo de ter casado, estava melhor sozinha. Não consigo ver com clareza essa situação, o que acham?

Ah mulher vou concordar com ele. Acho que dá trabalho mesmo, eu nem cogitei em mudar, sequer dei essa opção… acho isso tão pequeno frente as maneiras de demonstrar o amor, o carinho e o respeito que pelo jeito ele super demonstra pra você. Acho que você está superdimensionando algo, menosprezando um relacionamento inteiro e pedir prova de amor desse jeito… Que triste se arrepender de ter casado porque ele não quis mudar o nome… pensa assim não, a gente tem que abrir mão de algumas coisas também. Nem sempre tudo vai ser do jeitinho que você quer e tá tudo bem!! Mas se mudar o nome tem esse peso tão grande assim pra você – e juro que eu não vejo nada demais em não ter o nome do outro – e ter conversado com ele não adiantou e nem vai superar isso, não amargue mais o casamento e volte pra solteirice. Também me incomoda um pouco o seu relato no início, que casou forçada, que não queria… enfim, será que você o ama mesmo?

Chora 03 – Nike

Cony, adoro seu blog, estou passando por um momento muito delicado e já não sei o que fazer. Me casei há 8 meses, tenho uma filha de 26 anos e meu marido um filho de 21, ambos moram conosco.O problema é o filho dele, não quer saber de estudar, trabalhar, passa a noite acordado e dorme durante o dia. Logo que mudamos ele compartilhava o banheiro com
minha filha, foi tanto stress pela falta de higiene e desorganização dele que dei um banheiro menor para minha filha usar e acabar com o aborrecimento. Depois ele pegou minha chave de casa e escritório, fiquei louca procurando e la vem ele dizendo que pegou enganado. Fez a
mesma coisa com meu carregador de celular, comprei outro depois ele disse que tinha pego enganado. Certo dia comeu minha marmita que estava na geladeira , sendo que tinha comida em outros potes. Mudou a senha da internet, ficamos 5 dias sem conexão, até que descobrimos que ele tinha mudado pra ficar mais rápida só pra ele. Outro dia vi uma mensagem dele para o pai dizendo que era melhor quando morava so os dois. Tambem teve
um episodio que o pai descobriu que ele estava pegando o carro dele para dar rolê a noite, não falou nada pra não se aborrecer. A gota d´água essa semana foi ele colocar vários cabides de roupa na tela de proteção da sacada do prédio, o pai reclamou ele tirou… e colocou na tela da janela do quarto dele.Fiquei muito brava! O pai recolheu tudo e nem falou nada com ele, disse que não queria se aborrecer. Ele poderia mandar o filho morar com a mãe ou no antigo apto dele que esta alugado, mas fica inerte…As vezes acho que eu deveria relevar essas coisas pra evitar brigas. Mas não consigo. Todas as brigas em casa é pela teimosia e folga dele, to pensando em desistir de tudo e voltar para minha casa. Me ajudem, por favor.

Moça, como assim mandar o rapaz pra casa da mãe dele ou outro lugar pra você ficar numa boa? Pensa que aí é a casa dele, que antes morava ele e o pai e agora moram mais duas mulheres “estranhas” com ele. É compreensível sim que ele esteja dando certo trabalho… Acho que tá faltando é diálogo… você ja sentou com ele pra conversar, com carinho, respeito, educação, inserir a nova família na cabeça dele, fazer ele entender que as coisas mudaram, que agora vocês 4 são uma nova família, que tem que viver em paz, tranquilidade, com harmonia, que você gosta dele como se fosse um filho seu? Porque assim sim ele te tratará com o mesmo carinho e respeito! Não é brigando, discutido, querendo que ele saia da própria casa que vocês vão resolver isso. Se o caso ficar muito insustentável, terapia familiar aí! É realmente muita mudança pra um rapaz absorver (e homens demoram bem mais que mulheres em amadurecer, e vamos lá saber como era essa relação de pai e filho antes)… ele pode estar se sentindo invadido também. Conversem, conversem MUITO.

  • Choras ABERTOS! Pode mandar seu caso, sua angústia, seu problema, seu desabafo para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO! Seu anonimato está garantido!

Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
160 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Debora12/08/20 • 18h10

    Caso 2 Adidas- acho que está faltando maturidade da tua parte. Concordo com a opinião da Cony!

    • Francine Passos13/08/20 • 09h38

      (Chora 3)
      Juro que eu li umas 3 vezes no começo para entender de quem era a casa… uai, com certeza vc já sabia que o filho dele já era assim, não era novidade para vc. Desculpa se, mas vc quem foi morar lá. Não vou dizer que o “rapaizinho” está certo com as atitudes. Mas isso a vida ensina ele, não vc. A casa é dele gata… quem chegou lá foi vc, uai com sua filha ainda. Volta para sua casa e seja feliz e semn stress. Não que ele tenha vencido a guerra, mas você que parece que está em tentando mostrar quem pode mais. Pára com isso mulher.

      • carla13/08/20 • 15h58

        gente Faltou dizer que compramos um apto juntos e fomos morar nesse apto.

  2. Juliana Gama12/08/20 • 18h18

    Chora 02: desculpa, mas te achei chata e mimada. Tudo bem que ele prometeu alterar o nome, mas minha filha, achar que ele é mentiroso quando diz que te ama porque não alterou o nome é um pouco demais. Quantos anos você tem? Ele tá certo quando diz que dá trabalho. Você precisa simplesmente alterar TODOS os seus documentos, seus cadastros e tudo mais. Vou te contar uma coisa: quando meus pais se casaram, há 35 anos, minha mãe não queria alterar o nome mas fez por insistência do meu pai (acrescentou o nome do meu pai). Depois do divórcio, essa alteração de nome deu problema até pra minha mãe se aposentar! Isso porque ela foi aprovada em 2 concursos públicos, um com nome de solteira e outro já com nome de casada. Pra depois comprovar que era a mesma pessoa foram uns bons meses.
    Sério, não meça seu casamento nem o sentimento do seu marido só pelo fato dele não ter alterado o nome. Eu entendo que ele prometeu e que é seu sonho, mas eu acho que a Cony está certíssima quando diz que você está superdimensionando essa alteração e subestimando seu relacionamento por causa de um nome.

    • Tatiana12/08/20 • 21h54

      Cony sempre sensata nas respostas, concordo com tudo! Quem manda chora também tem q estar preparado para puxão de orelha!

    • Fernanda13/08/20 • 16h15

      Amiga, não sei se vc já casou, mas é maior desculpa esfarrapada essa de que dá trabalho mudar nome. Você pode fazer isso à medida em que seus documentos forem vencendo, e vc teria o mesmo trabalho!! Fui mudando meus documentos aos poucos, mas até hj alguns estão com nome de solteira (ex: carteira de trabalho, conta no banco) e nunca tive absolutamente nenhum problema por isso mesmo tendo 9 anos de casada!!! Tenho passaporte com um nome e visto com outro e nunca me foi nem questionado isso!!! Enfim, vai do casal essa decisão de mudar o nome, mas dizer que “dá trabalho” é muita cara de pau, é o menor dos “trabalhos” que uma pessoa vai ter num casamento.

      • Constanza13/08/20 • 16h15

        Vai nessa rsrs

      • Roberta13/08/20 • 17h36

        Pensei exatamente a mesma coisa, não tive qualquer trabalho quando mudei de nome, só troquei os documentos quando venceu e alguns ainda tem o nome de solteiro! Sou casada a 10 anos.

        • Dani14/08/20 • 04h25

          Pra quem diz que “não dá problema” a mudança de nome, só digo: espere a época de se aposentar (ou o divórcio, caso aconteça algum dia). Nome é algo que a gente recebe de pai e mãe, não pra pegar da família dos outros rs

      • Ana13/08/20 • 18h17

        Tb acho muita cara de pau. Falasse logo que não queria mudar e pronto. Ninguém casava enganado. Se o sonho da moça era bobagem para o cara, já jogava a real e ela decidia se estava afim de abrir mão disso ou não.

      • Juliana Morais13/08/20 • 18h27

        Sabe que eu também não tive problemas para trocar os documentos? Fiz aos poucos e deu tudo certo. Organizar o casamento deu muuuuito mais perrengue do que trocar os documentos. Eu até evitei essa troca de nome com preguiça dessa burocracia, mas no final foi tranquilo.

      • Juliana13/08/20 • 21h58

        Amiga, que tanto documento é esse que você tem com data de validade? Até onde eu sei, só carteira de motorista e passaporte tem validade. RG, CPF, carteira de trabalho, título de eleitor não tem validade. Carteiras profissionais, como OAB e CRM também não. Não fazer as devidas alterações pode dar problema, afinal, aquela pessoa com nome de solteira não é mais você. Mas enfim, cada um com seu cada um.

        • Juliana13/08/20 • 22h04

          Ainda lembrei de outra coisa. Sabe esses programas da TV a cabo que se passam em aeroporto? Área restrita e tal? Tem a versão que é gravada no Brasil e eu já vi uma mulher que quase não embarcou com o filho de menor de idade pro exterior por causa da divergência de nome. Os documentos da criança estavam com nome de solteira da mãe e o.passaporte dela tinha nome de casada.

        • Tati14/08/20 • 18h00

          O RG tbm tem data de validade, sabia? Fui aprender quando trabalhei em cartório, mil anos atrás. 10 anos ou caso a foto não te identifique mais 🙂

      • Marcela14/08/20 • 08h53

        Também mudei meus DOCs e foi MUITO tranquilo. E nem esperei vencer, casei e mudei tudo, em menos de uma semana estava tudo resolvido. É tradição juntar os nomes ao se casar, pensando em iniciar uma familia. Como tudo que é tradição, para alguns uma bobagem, para outros, algo importante.

  3. Susana12/08/20 • 18h54

    Cony sempre madura nas respostas!!

    Caso 2 – que tempestade em copo d’água! Resumindo toda o amor e história de uma casal a um sobrenome. Pfvr. E sim… dá um trabalho absurdo mesmo.
    Já pensou que ao mesmo tempo vc nao ta respeitando a vontade dele tbm?
    Se ele é tão bom marido, pq se apegar a algo tão pequeno e com um mínimo de significado?
    Como a Cony falou talvez o problema seja outro e vc esteja transferindo…

    Caso 3 – assino embaixo de tudo que a Cony disse. Antes de tudo vc tem que vê-lo e tratá-lo como seu próprio filho. Mas pelo visto tá muito longe disso. Impensável pra mim querer que o rapaz saia de casa…

    • Débora12/08/20 • 21h37

      Caso 3 – fiquei aqui pensando… eu tenho um filho de 16 anos e meu noivo uma filha de 11. É quase a mesma diferença. Fiquei pensando quando nos casarmos, se meu noivo quisesse que meu filho fosse morar com o pai ou eu que a filha dele fosse morar com a mãe. Que pensamento ruim, querer despachar o menino e vcs ficarem pq simplesmente não sabem dividir um espaço. Eu ia ficar muito chateada com meu noivo se ele cogitasse algo desse tipo em relação ao meu filho. Claro que ele precisa aprender a conviver com vcs, mas, vcs com ele tb.
      Você precisa, na verdade, é conversar com ele e aconselhar o pai dele a conversar tb e não se livrarem uns dos outros.

  4. Gabriela12/08/20 • 18h56

    Caso 2 – Acrescentar o nome nao muda nada na sua vida e te daria uma trabalheira danada. Acho que isso tudo e tempestade em copo d’agua, nao e motivo para cogitar uma separacao…
    Se a vontade de um sobrenome em comum e tao grande, troca o nome nas redes sociais, usa o nome familiar qdo der, tipo em reserva de restaurante, etc…

  5. Mariana Romeros12/08/20 • 18h57

    Chora 1 – Vert. Guria, para conservadores, a família é o centro de qualquer relação. O contato entre pais e filhos é exatamente o que mantém o amor, e os valores familiares sólidos o suficiente para serem passados de geração em geração. Você é jovem, ainda tem o ímpeto de acreditar que uma tarde com os sogros é perda de tempo. Acontece que o tempo passa, envelhecemos, temos filhos. Os filhos crescem, saem de casa, e preferem ir para a balada com os amigos do que jantar conosco. Daí as pessoas partem, e quem fica, sente falta de não ter aproveitado todos os momentos com os pais, com os avós, com os filhos. O tempo não volta. Se você está há tanto tempo com o seu namorado, já sabia antes mesmo de morarem juntos, que a família dele faz questão de estar por perto, e que ele faz questão de estar perto da família. Será que é correto, após 12 anos, pedir ao amado que mude os valores dele, conviva menos com a família, somente porque te incomoda fazer parte disso? Como disse a Cony, faça um combinado com o rapaz, faça suas coisas enquanto ele vai visitar a família. Veja como fica a relação. Talvez vocês até descubram que possuem valores incompatíveis, partindo cada um para o seu canto. Ou então, você perceba que esses momentos em família são preciosos e muito saudáveis, e não somente um ritual que precisa ser cumprido por uma simples questão de educação.

    • Joana13/08/20 • 08h08

      Obrigada por todas as respostas meninas. Peço desculpas se não fui muito clara, quis dizer que eles sempre convidam para ir na casa deles e não na nossa. Outra questão é que eu sou super a favor de ele ir na casa dos pais, eu sempre apoio e ele vai todas as semanas lá.

      • Kelly13/08/20 • 14h57

        Olá! Passei por uma situação bem parecida, mas meus sogros são de outra cidade, o que pode parecer mais fácil, mas não é porque toda verba que sobrava era pra visitar os pais e quando não íamos pelo menos uma vez por mês tinha reclamação por parte da família dele. E olha que eles vinham em casa e passavam o fim de semana conosco. Eu super fui favorável a ele ir pra casa dos pais sem mim, mas ele não gosta e com isso passou a ir menos visita-los, o que o deixava triste. A situação piorou quando tivemos um filho. Mesmo não viajando por conta da criança não ter as vacinas, eles vinham quase toda semana pra nossa casa. O pior é que eu estava cansada, passando pelo puerpério, sem ajuda e no fim de semana, quando poderia dar uma descansada, pois meu esposo poderia ficar um tempinho a mais com o bebê, eles vinham e aí eu tinha que cozinhar, lavar pra nós e pra eles. Depois de uma discussão bem séria, na qual eu expliquei e deixei bem claro de que eu não sustentava mais a situação, ele enfim cedeu. Concordou em viajarmos menos para a cidade dos pais e começamos a passar uns feriados em casa, só nós, por exemplo. Mas o fato é que ele só entendeu meu lado e mudou depois que eu fui MUITO clara e direta na forma como estava me sentindo. Não sirvo de exemplo pra ninguém, mas conversa franca e mostrar-me cansada de viver aquela situação foi o que resolveu em casa. Boa sorte!

        • Joana14/08/20 • 20h35

          Kelly obrigada. E bem parecida situação. Não tenho filhos mas em épocas de muito estresse como no final de ano eles convidam de mais e meu namorado sempre quer ir e se eu falo que não quero ele fica triste, não entende, diz que só penso em mim etc. só que mês passado cheguei no meu limite. Com pandemia e a quarentena eu vi o quanto eu gostava de ficar em casa sem ter compromisso Marcado com eles e tive uma conversa muito séria com ele explicando como me sentia e falando que não ia mais continuar naquela situação. Ele cedeu e estamos indo bem há 2 meses já. Com o tempo vou ver se minha vontade é respeitada ou não. Só na base do diálogo…

  6. Esther12/08/20 • 19h04

    O meu pitaco vai no caso 2 tb, Adidas… Tô sentindo que essa sua frustração vai MUITO além de uma alteração de sobrenome que não aconteceu, hein?… Isso JAMAIS teria um peso tão grande a ponto de te fazer cogitar separação. Pra mim, o arrependimento foi por ter cedido à pressão e ter se casado. Respira fundo, lembra do que te une à ele pra início de conversa e abafa essa voz da sua cabeça que diz que ele não te ama pq não quis mudar o nome. Vc ficar alimentando essa idéia só te afasta dele ainda mais.

    • Keila13/08/20 • 14h07

      Adidas, esse sobrenome do seu marido deve ser muito forte. Será que você casou só para herdar o sobrenome dele? Tá parecendo…
      Ele tá certinho em não mudar. Imagina o trabalho na hora da separação ?
      Deus o livrou!!!!!

      • Lana13/08/20 • 19h50

        Menina, pensei nisso agora tb! Deve ser forte! uma coisa assim tipo Kardashian… aí eu tb ia fazer questão kkkkkkk

  7. Juliana Morais12/08/20 • 19h12

    Chora 1: Resolva essa questão antes que piore, você precisa conseguir falar não. Eu no seu caso ia preferir ir para a casa deles pq fica mais facil pra ir embora, ja que eles vão para sua casa sem hora pra ir embora. Eu faço visitas rápidas aos pais e sogros depois que casei, pq realmente não tenho paciência para aqueles dilemas dos dia a dia que tinha quando estava na casa dos pais, uma reclamação de alguma coisa, fala mal de alguém… Combinamos almoços sábado ou domingo e quando não quero ir, falo que não posso. Sinto que minha mãe as vezes fica chateada, pq gostaria de passar mais tempo comigo, mas eu saí de casa para ter o meu espaço né, se fosse bom eu estava la ainda. Amo meus pais, mas quero voltar pra casa o mais rápido possível hahahaha falo que tenho roupa para lavar e beijos.

    • Marina12/08/20 • 21h24

      Lendo sua opinião, por um momento achei que eu tinha comentado e não lembrava kkkkkk

    • Joana13/08/20 • 08h09

      Sou sou como vc, também prefiro visitas rápidas. Desculpem se me expressei mal, eles convidam para ir na casa deles, e não na nossa. Nos últimos meses está indo tudo certo pois alteramos um pouco a rotina e meu namorado (é como se fosse marido) está aceitando muito melhor pois compreendeu meu ponto de vista.
      obrigada

  8. Camila12/08/20 • 19h13

    Caso 1 – Amiga, você não é obrigada a nada nessa vida. Vai anular sua vida, seus momentos com suas amigas, seus passeios pra fazer uma vontade que não é sua? Vai ficar vivendo sua vida com base no que seus sogros querem e acham correto? Almoçar na casa deles vez ou outra, por ser companheira do seu marido é normal; as vezes temos que abrir mão de algo pelo outro. Mas caso queira não ir, ou sair mais cedo, não incomode com os olhares ou falatório, tenho certeza que vai sobreviver. Se seu marido não gostar, daí cabe muito diálogo… diga que vai acompanhá-lo as vezes e que gostaria que ele também te acompanhasse nos seus programas.

    Caso 2 – Tudo bem que ter o sobrenome do marido pode ser algo muito importante pra você, mas se não tê-lo te faz colocar em dúvida seu amor por ele, minha amiga… tem algo muito errado aí. Ou você nunca o amou, ou não amava o suficiente para ter casado.

    Caso 3 – Diálogo… diálogo. Poderia ser o contrário. Já pensou se fosse sua filha dando trabalho e seu marido se incomodasse, saísse de casa, etc.? Você iria ficar ofendida ou preferiria conversar e tentar resolver?

    • Joana13/08/20 • 08h10

      Caso 1 – Brigada, é isso que irei fazer mesmo 🙂

  9. Lana12/08/20 • 19h16

    Chora 1: Que confuso… mas acho que entendi o cerne da questão. Isso não é conservadorismo, seus sogros não são conservadores, são grudentos mesmo. Devem ter algum grau de síndrome do ninho vazio, sei lá. Se isso te incomoda muito talvez vc deva pensar em seguir um outro caminho, pq eu acho que isso não vai mudar. Ou se mudar, a família dele provavelmente vai te responsabilizar e aí clima não vai ficar legal.

    Chora 2: amada? existe realmente amor aí? ou vc só casou pra satisfazer um desejo? Dá o maior trabalho pra mudar os documentos todos… eu teria é preguiça kkkkkk

    Chora 3: acho que ele não faz essas coisas por acaso, ele faz realmente pra te incomodar, te tirar do sério, e pelo visto está conseguindo.

    • carla13/08/20 • 15h56

      LANA, com certeza ..ele faz provocações

      • Lana13/08/20 • 19h41

        Pois é, mulher!! Ele tá te fazendo perder a razão. Eu não acho que seja o caso de tratar ele como uma criança, ele é um adulto. Um adulto muito folgado e com uma maturidade de adolescente, mas é um adulto. Não é sua função educar esse marmanjo. Eu se fosse você faria uma reunião. Juntava todo mundo na mesa e falava a real. Perguntava qual era a dele. Daria um momento pra todos os membros da família falarem e juntos vcs poderiam estabelecer regras pra uma convivência mais sadia.

        • Constanza13/08/20 • 20h25

          Tá doida? Ele vai aprontar ainda mais. Acho q o caminho eh uma conversa amigável e com respeito.

  10. Juliana Morais12/08/20 • 19h23

    Chora 2: Acho que seu marido nunca quis mudar de nome e só topou essa para se livrar logo do assunto, mas isso não quer dizer que ele não te ama. Não coloca esse peso todo nessa troca de nome. Se é importante pra vc, troca só o seu ou conversem mais uma vez, e se ajustem. Quando eu casei, até 3 dias antes do civil eu tinha certeza absoluta que não iria mudar de nome por mil motivos, chegou no cartório e eu mudei. E não fez diferença viu?! Espero que se resolvam <3

  11. Bruna12/08/20 • 19h24

    Caso 1 – moça, essa cisma com o sobrenome mais parece uma necessidade de atender uma convenção social (mostrar que é casada) do que de fato um empecilho na vida como casal. Se você chega a colocar em cheque a decisão de casar baseada somente nisso, realmente deve se separar, por que não parece que o relacionamento sobreviva quando problemas reais surgirem. E nem parece haver tanto amor aí. Desculpe a franqueza, mas acho que é necessário te “dar uma situada”. Boa sorte!

  12. Bruna12/08/20 • 19h28

    Caso 2 – moça, essa cisma com o sobrenome mais parece uma necessidade de atender uma convenção social (mostrar que é casada) do que de fato um empecilho na vida como casal. Se você chega a colocar em cheque a decisão de casar baseada somente nisso, realmente deve se separar, por que não parece que o relacionamento sobreviva quando problemas reais surgirem. E nem parece haver tanto amor aí. Desculpe a franqueza, mas acho que é necessário te “dar uma situada”. Boa sorte!

  13. Sarah12/08/20 • 19h42

    Eita que quando não tem problema o povo arruma !!!
    Chora 01: não vai e pronto! Nasceu colada? Se ele ficar chateado, vai ter dois trabalhos de chatear e deschatear. Não é porque moram juntos que tem que fazer tudo junto. Que prisão!
    Chora 2: seu marido nasceu com um nome pra que querer mudar o nome das pessoas??? É o nome dele, nada mais seu do que seu próprio nome!!! Nasci com um nome e, se meu marido exigisse isso de mim ia se frustrar tbm, isso não é coisa que se exija. É pessoal e facultativo, lembrando que o ano é 2020 e ninguém precisa ser passado para o nome de ninguém. Isso é uma fantasia pra você mas, aparentemente, tem zero de importância pra ele. Não é prova de amor mudar o nome, mas é prova de chatisse exigir isso de alguém.
    Chora 03: Seu marido pode estar só ali equilibrando pratos entre você e o filho vivendo numa tensão por ver que vocês dois estão infelizes com a mudança. E se ele só não falou com o filho pq esta vendo o lado dele também?Você casou com um homem com filho (assim como ele) não dá pra fingir que o menino não existe e mandar ele morar em outro lugar. O filho chegou primeiro, ele estava ali antes de você. É uma adaptação, ele também está se adaptando com a sua filha e imagina – ele pensando em mandar ela morar com o pai pra sumir da vida de vocês (embora ela deva ser um alecrim dourado sem defeitos)

    • Constanza12/08/20 • 19h47

      Concordo demaaaaaais!

      • Aline12/08/20 • 23h25

        Chora 1: Eu acho bom alguém que valorize a família e a tenha presente- se ela não for maldosa ou algo assim, mesmo que às vezes seja cansativo… tem que avaliar se é uma exigência você estar sempre junto e se, pra você, isso é viável.

        Chora 2: gente, eu achei a história chata…não pelo impasse de mudar ou não o nome, mas pela falta com a palavra. Acho que se houve comprometimento, deveria ser cumprido. Ou, ao menos, se mudou de ideia, deveria colocar isso de forma literal, clara, não ficar enrolando. Mas, é bem típico de homem fugir da impositividade, do conflito…algumas outras coisas, no entanto, me parecem mais relevantes na história: é impensável casar por insistência, a reação parece desproporcional, até um pouco mesquinha, e o amor precisa de mais serenidade, flexibilidade e compreensão. Também não entendi como não dar muita importância ao casamento, mas tanto peso ao nome…parece mais um formalismo ou ritual. É bom repensar o porque de tamanha comoção, talvez seja alguma transferência de outra coisa que realmente seja maior.

        Chora 3: não é ok despachar o filho. Estar com alguém com filho é abraçar o filho na sua vida. Filho é pra sempre. Mas, sinceramente, o pai precisa se impor aí. Ele é a figura de autoridade. Ela que não é a mãe não vai ser e o garoto não é nenhuma criança. O pai precisa parar de o tempo todo não querer dor de cabeça e colocar os devidos freios no rapaz que não é nenhuma criança e já deveria ser educado…21 anos né.

        • Aninha14/08/20 • 16h23

          Caso 2… primeiro a moça desdenhou do próprio casamento, disse qie casou por pressão do noivo após somente 5 meses de namoro. De repente, surta porque tem o sonho de dividir sobrenome com seu eleito rs…. Mas vamos lá. Eu concordo com quem diz que não dá tanto trabalho assim, eu adotei o sobrenome do marido. Tirei um RG novo rapidinho no Poupatempo, que já vem com CPF. A Cnh vou mudar ano que vem, no vencimento. Já alterei o nome no banco, pois um dia tive que ir resolver outros assuntos com a gerente e levei uma cópia da certidão, zero trabalho….
          Por outro lado, tbm concordo que é um motivo muito banal pra pensar em divórcio, pra medir se o marido te ama. Pra mim,o problema está no comecinho do seu relato, casou cedo demais, sem ter convicção sobre o que estava fazendo.

    • Bruna12/08/20 • 19h58

      Concordei com tudo e não poderia ter escrito melhor e mais claro!

    • Joana13/08/20 • 08h12

      Gostei da sua resposta, Vc é prática, pena que na realidade isso é um pouco mais dificil, mas acho que já nos acertamos bem melhor. Agora é deixar o tempo passar e ver como será daqui para frente.

    • Fran14/08/20 • 00h23

      Melhores comentários para os três casos.
      O caso 2 fiquei tão abismada que ia comentar, mas deu até preguiça…

  14. Tati12/08/20 • 19h47

    Chora 01: vcs estão juntos há 12 anos e sempre foi assim? acho que por parte deles não vai mudar, o que cabe é vc conviver com eles no seu limite. Um almoço ou jantar no final de semana e voltar pq precisa trabalhar, estudar, cuidar da casa ou qualquer outra coisa.

    Chora 02- que exagero! achar que tudo o que ele fala pq disse que iria mudar o nome e não o fez é demais. eu super concordo com ele, não mudei nem mudaria o meu nome pela burocracia que é. sem falar que acho super ultrapassado e os dois com sobrenome igual acaba parecendo irmãos e não um casal se apegue nas outras demonstrações do sentimento que ele dá.

    Chora 03- achei super complicada essa situação. o enteado já é um adulto e deveria entender a responsabilidade com os pertences e com a casa. mas tb não acho que mandá-lo morar com a mãe é a primeira opção, afinal vcs todos agora são uma família. acredito que manter o diálogo, e não ignorar essas situações para ninguém se aborrecer, seria a melhor opção.

    • Joana13/08/20 • 08h13

      Obrigada, o problema é que no domingo não tem o que estudar, trabalhar etc, e se dou alguma desculpa meu namorado (é como se fosse marido) leva a mal mesmo, ele acha que nao gosto dos pais dele…

      • BRU13/08/20 • 13h52

        Como assim não domingo não tem o que estudar, trabalhar? Vc não estuda assuntos do seu interesse? Não procura se aprimorar no que trabalha por conta própria, até para depois ter outras oportunidades? Não tem armário, gaveta etc para organizar? Não tem roupas para organizar? Não tem amigas para encontrar? Sua família? A sua vida é em função do seu namorado?

      • Natália13/08/20 • 18h00

        Moça do caso 2: não precisa ter desculpa nenhuma. Apenas pontue que esse é o seu jeito, as pessoas são diferentes e que isso não tem nada a ver com desgostar deles. E queria aproveitar pra dar uma dica, já que você diz que não tem desculpa, não tem o que estudar no domingo: estude Português. Várias pessoas pontuaram como está confuso seu relato. É porque está muito mal escrito.

      • Raquel14/08/20 • 14h14

        Quando a pandemia passar, começa a marcar compromissos no domingo a tarde, tipo ir no cinema, no teatro, algum aniversário… começa a procurar! algo com horário pra vocês terem almoçar e depois sair. Vai aos poucos pra ele ir acostumando. Hehehe
        Porque na verdade, tu tem que fazer o teu namorado desapegar um pouco desse horário… não os sogros. Se teu namorado escolher te acompanhar nesses eventos, pronto! Heheh

        • Joana14/08/20 • 20h41

          É exatamente isso que eu estou fazendo e está dando super certo! Muito obrigada! Beijo

  15. Roberta12/08/20 • 19h53

    Os 3 choras revelam mulheres imaturas e egoístas:
    1) não quer estar sempre com seus sogros? Seu companheiro pode ir sozinho e você curtir a sua vida, sempre fiz isso e sempre deu certo, sempre coloco a felicidade em primeiro lugar, a minha e a dele, se ele quer ficar com a família e eu não, vou fazer outra coisa e tudo bem. O que importa é que ambos estamos felizes e fazendo o que gostamos!

    2) que besteira, e o que que o nome de alguém tem a ver com o amor que ele sente, eu tenho o nome do meu marido e nem parece meu, pois não nasci naquela família, esse sobrenome não é meu de fato, só uso o meu mesmo, esse é o meu nome de verdade, é de onde eu vim!! Você fala que foi obrigada a casar?? Oi?? Está parecendo que o seu sonho era casar e provar pro mundo que casou e tem um novo sobrenome!

    3) Porque você não manda a sua filha embora ou morar com o Pai?? Quanto egoísmo?! Quer se casar e se livrar da vida do seu companheiro, até mesmo do filho dele! Olha quanta futilidade você falou que o menino fez! Muito triste seu relato!

  16. Bruna12/08/20 • 19h55

    Caso 1 – acredito que seja possível negociar a sua presença ou permanência nos eventos de família, já que a do seu namorado é indispensável pra ele e pros familiares. Se vc não gosta tanto, há que se respeitar sua vontade tbm (tanto da parte dele quanto da família dele). Se um ceder de um lado e o outro de outro, vocês acharão o equilíbrio.

  17. Suzy12/08/20 • 19h55

    Vert, Chora 01: Ninguém deve fazer o que não agrada, então, você não tem que ir à casa dos seus sogros quando não sente vontade. Um casal é formado por duas partes e ambas precisam ter sua individualidade, ele pode ir à casa dos pais dele sozinho. Me chamou atenção em seu relato, vc dizer “meu namorado não aceita que eu simplesmente quero ir pra casa depois do almoço.” Reflete comigo: Como assim ele não aceita? Você percebe que está fazendo coisas contra sua vontade e talvez até perdendo sua essência? O que mais ele não aceita? Você acha que vale pagar o preço de viver a vida ao lado de alguém que não aceita que você tem vontades diferente da dele? Eu vejo muita incompreensão e falta de respeito da parte dele. Faltar com respeito não é só agressão verbal, isso acontece diariamente. Conversa com ele e expõe tudo isso…

    Adidas, Chora 02: Enquanto lia seu chora, me desculpe, mas eu só pensava: Será que ela tem quantos anos?
    Amor está nos gestos diários, não em um nome atrelado ao seu. Eu posso fazer uma lista de casais que conheço que alteraram o nome e vivem uma total falta de consideração e respeito com o outro, que protagonizaram uma série de traições, que vivem de aparência, ou nem isso, alguns brigam e fazer baixaria em público, um caos. O sobrenome do outro não levou até eles amor, respeito, consideração, nada disso! Eu não consegui compreender como um sobrenome pode te afetar tanto, a ponto de você repensar se vale à pena continuar casada. Acho que você está gastando energia com pouca coisa. Imagina se ele traisse, se te manipulasse, se dilapidasse seu salário/patrimônio? Aí sim seria motivo pra vc perder sua paz e repensar o casamento. Mas por causa de um sobrenome?

    Nike, Chora 03. Amiga, já cogitou a hipótese de ele estar querendo chamar atenção? E está conseguindo! Se coloca no lugar dele: era só ele e o pai, como vc mesma relatou. Agora chegou vocês duas! Casa nova, rotina nova, tudo novo… A gente não empacota nossos conflitos e manda embora não, nem abre a porta e foge deles. Está faltando diálogo entre todos vocês. Sentar com ele e conversar, dizer que você não é inimiga, que não vai ocupar o espaço de ninguém, que não vai tomar o pai dele da vida dele, que vocês são uma família e você está disposta a fazer o possível para a boa convivência e a depender, irem todos pra terapia. O que será que ele abriga dentro dele, para se comportar assim? Quais angústias ele deve carregar? Ele pode estar precisando de ajuda…
    Namorei um rapaz anos atrás, que a filha dele sempre dizia “meu pai é meu, não seu”, ela morava com ele e era criança ainda, mesmo assim, entre uma conversa e outra, ela entendeu que não éramos inimigas, ele ia continuar sendo pai dela, só dela, eu não queria um pai. Partindo do ponto de que vocês não são inimigos, é hora do diálogo…

    • Joana13/08/20 • 08h15

      Obrigada pela ajuda! Sim, ele não aceita, mas eu me impus e já disse que na proxima vez que isso aconteça eu vou dar um passeio, tomar um café e volto depois porque não sou obrigada a ficar a tarde toda em casa. Cada um com suas pernas. Obvio que isso pode trazer mau ambiente mas eu sei que tenho razão. Dessa forma eu não incomodo ninguém e ninguem me incomoda… Beijo

  18. Raquel12/08/20 • 19h59

    Vert – Eu e meu marido sempre tivemos isso de “quando um vai, o outro acompanha” e tantas vezes me incomodei por isso, até que combinamos de não ir se o outro não quiser, porque a gente prefere ficar juntos. Já meu irmão sempre foi “um vai, se o outro QUISER, acompanha”. Vejo que é tão mais leve assim.

    Adidas- Discordo da Cony, a questão que te incomoda não é a mudança de nome (pelo que senti), mas foi que tu cedeu fazendo a cerimônia, porque era importante pra ele e quando foi a vez dele… Eu tb sou assim, sempre cedo e fico chateada se a outra parte não faz o mesmo. Super te entendo! Ou tu trabalha isso em ti (pra não te incomodar mais), ou tenta conversar com ele (mais uma vez), ou cai fora… ficar remoendo isso só vai te machucar.

    Nike – Te entendo tb! Principalmente depois que temos filhos, é complicado se relacionar!!! Tenha muito cuidado quando conversar com seu marido sobre isso. Mas, sinceramente, acho que isso nunca vai mudar. Minha tia é casada há anos e ambos tinham filhos já e a filha do marido dela tem quase 40 anos, filho, marido, casa… e ele continua a bancando… ela é super inconveniente e sabe… enfim, bem complicado!!!

    • Joana13/08/20 • 08h16

      caso 1- Obrigada, exatamente, quando o outro se quiser vai, é tão mais leve… Também tenho amigos assim e vejo como existem bem menos problemas nessa questão.

    • Ana13/08/20 • 16h26

      Concordo demais com vc, principalmente em relação ao Chora 2. Acho que não podemos minimizar o sonho da moça, o que não é importante para mim, pode ser para o outro. E tb acho que a questão não é exatamente o sobrenome, mas o fato dele ter feito um compromisso com ela e não ter cumprido. Pô, se não ia mudar, prometeu pq então? E ainda se faz de sonso depois? Seja pelo menos honesto! Na minha opinião, vale uma conversa franca para botar os pingos nos “is” e seguir em frente sem ficar remoendo essa mágoa…

      • Raquel14/08/20 • 14h09

        Simmmm, Ana!
        Não é questão se da trabalho ou não, se eu faria ou não… é o acordo que eles fizeram!!! E acredito que ela quer um conselho, não um julgamento.

  19. Roberta12/08/20 • 20h00

    O dia que não tiver mais seus Pais vai sentir tanta falta, vai se arrepender de ter mentido que ia lavar a roupa!

  20. Raquel12/08/20 • 20h08

    P.S.: Adidas – Eu casei e não quis mudar o nome hehe mas entendi a tua frustração.
    Dá um baita trabalho, muda mil documentos… mas e casar(fazer festa) tb dá, né?!

  21. Ana12/08/20 • 20h41

    Impressionadíssimo com a quantidade de problemas inventados!
    Essa do nome heim… parece uma criança dizendo “quero… ah! Agora não quero!” É com o nome, é com o casamento…
    a do filho do Marido então…
    que bando de mulher mimada achando q o mundo tem rodar nas vontades dela! melhorem e amadureçam!

    • Bru13/08/20 • 00h35

      Ótimo comentário!

  22. Natália12/08/20 • 21h01

    Desculpa a franqueza, mas quanto chora de gente mimada! Mais leveza e diálogo nesses relacionamentos aí minha gente!
    Chora 2: moça se você acha que mudar seu nome num casamento é o mais importante reflita que talvez você realmente não esteja pronta para casar e todo esse gatilho aí que você citou pode ser só uma forma de você extravasar essa situação que você não queria desde o inicio. No mais da trabalho para colocar nome do outro e especialmente trabalho para tirar se precisar.

  23. angélica12/08/20 • 21h14

    chora 1 – credo ir todos fds para a casa dos sogros! adoro relação em família, mas tem tanta coisa mais interessante para fazer nos fds. conversem e conversem, alguém tem q ceder. aqui em casa eu vira e mexe vou nos meus pais dia de semana a noite, fico só eu e eles, dou atenção e tchau, a noite tô em casa com meu marido. meu marido a mesma coisa, mtas vezes sai para almoçar com o pai, passa lá a noite numa terça ociosa e assim vai (um ñ precisa levar o outro o q é ótimo tbm). não tem q se prender em ngm não, corda esse cordão umbilical.

    chora 2 – acho q vc tá dramatizando mesmo, parece q vc tá incomoda com outras coisas e isso foi a gota d’água. poréééém, como a Cony mesmo falou “isso é um detalhe”, “coisa pequena”, logo se é tão sem importância, porq não fazer isso por vc? já q ele qr te ver feliz ele deveria ter sim aberto mão. explica isso para ele, fala q para ele é insignificante, mas q p vc não.

    chora 3 – cada vez eu penso mais e mais em uma coisa: filhos com mais de 20 ano devem sair da casa dos pais asap!
    tem q dar liberdade para os pais q estão cansados, pagar seus boletos para crescer, deve ser horrível msm viver em uma casa com “estranhos”, por mais q entendo a dinâmica da nova família é meio bizarro. um cara de 21 anos e uma moça de 26 já devem ter sua independência e não dar mais trabalho para pais em relação a banheiro, internet ou cabide (kkk ñ entendi essa do cabide ainda rs)

    • Joana13/08/20 • 08h18

      Chora 1 – Essa é exatamente a minha forma de pensar… Eu super incentivo ele a ir na casa dos pais, não necessariamente comigo, e ele vai, mas no final de semana sempre quer ir na casa dos pais ao domingo, o que é um grude. Estou nessa luta de cortar o cordão… Vamos ver no que dá.

  24. Paula12/08/20 • 21h14

    1 – nao quer ir não vá, simples assim ! (Eu só iria qd estivesse afim)
    2 – século retrasado vibes.
    3 – que menino mal educado, faltou pulso firme do seu marido. Agora p consertar resta terapia de família, pq p você sozinha tentar inserir/recuperar anos de defasagem educacional fica muito pesado. Escolhas de vida e suas consequências…

  25. Paola12/08/20 • 21h32

    Chora 1: Eu acho super importante priorizar a família, pra mim também vem antes de qualquer outra coisa, se ora vc esta sendo em demasia, é só ir embora antes. Mas se sinta privilegiada, seu marido curte passar o tempo livre dele em família, não é no botequim, jogando fut com os brothers, “pescando”, te dando perdido…
    Chora 2: Me parece que vc se arrependeu de casar e ta caçando uma desculpa pra separar.
    Chora 3: Ele tem 21 anos mas não tem ainda maturidade, e isso só vai mudar através de muito dialogo. Mas o dialogo tem que partir de você que no caso deveria ser o exemplo mas esta sendo tão imatura quanto ele. Não seja como a madrasta da Cinderella, seja melhor. Por ele, por você e por sua família.

  26. Anna12/08/20 • 21h33

    Achei a Cony cirúrgica nos comentários!
    Chora 1 – Que agonia essa prisão imaginária! Me deu taquicardia só em pensar ir pra um lugar que não quero. Respeitar o espaço do outro é fundamental! Se ele quer ir, que vá sozinho!
    Chora 2 – Pretendo me casar no ano que vem e é nunca que vou passar por esse stress de mudar todos os meus documentos. Não sei se é seu caso, mas me parece algo mais para os outros do que para o casal. Fiquei preocupada também com seu tom raivoso, é claro que vc não está nada bem nesse relacionamento. Mas reflita se vc está frustrada pq ele não se submeteu a uma imposição sua ou se realmente não gosta dele. Em 13 anos viramos outras pessoas.
    Chora 3 – Na parte dos cabides eu tive que rir pq é exatamente o que eu faço aqui em casa kkkkkkk Já pendurei até calcinha! Acho que uma conversa com ele A SÓS, sem o pai e sua filha, poderia ajudar. É colocar na balança o que te faz mais feliz, controlar seu território ou dormir e acordar ao lado do seu marido.

    • Joana13/08/20 • 08h20

      chora 1 – Obrigada pela ajuda! É exatamente isso que dá mesmo: taquicardia. Tenho a certeza que com dialogo, vou conseguir mudar a situação ao longo do tempo, até porque eu sempre incentivo ele a ir na casa dos pais e ele vai toda semana sozinho. Os pais são grudentos.

      • Anna15/08/20 • 13h40

        Oi, Joana, que gracinha vc ter respondido! Não sei se conhece o assunto, mas estou louca para ler algum livro sobre comunicação não violenta. Quem sabe te ajude! Espero que dê tudo certo para vcs. Beijos

  27. Gisela12/08/20 • 21h36

    Estes Choras de hoje parecem apenas falta de conversa e, principalmente, de decisão por parte dessas moças.

    Chora 02 – Adidas: é sério esse seu relato? Meodeos… q mimimi. Obrigar alguém a trocar de nome… eu, hein. Coitado desse cara.

  28. Mari12/08/20 • 21h42

    Caso 2 – Adidas:
    Como advogada posso lhe dizer que a mudança de nome não simplesmente “dá trabalho” e sim causa SÉRIOS TRANSTORNOS NA VIDA CIVIL DE UMA PESSOA.
    Seu companheiro está coberto de razão! Além de ser algo totalmente ultrapassado, a mudança de nome está longe de ser uma prova de amor.
    De verdade, repense sua opinião e atitudes acerca. Definitivamente não vale a pena!

    • Juliana13/08/20 • 09h38

      Concordo totalmente! Acho que dá muito trabalho e problemas em caso de separação também. E pode dar problema para os filhos também.

  29. Danielle Freitas12/08/20 • 21h46

    Caso 2, tem outro motivo pra vc estar cogitando o divorcio não tem?
    Pq ohh conta comigo: certidão de nascimento, carteira de identidade, carteira de motorista, CPF, titilo de eleitor, contas do banco, carteirinha do plano de saude, cartões de credito, passaporte … agendar horário em todas essas repartições públicas e ainda pagar as taxas, pra provar que te ama? eu desistia só de imaginar a musiquinha de espera do cartão de crédito.

  30. Vivi12/08/20 • 21h55

    Chora 1: de repente seria o caso de avaliar se vale a pena ceder nesse assunto, reflita se seu namorado tbm não faz concessões por vc. Se, em vista do que ele faz por vc, perceber que vale a pena ceder e visitar a sogra quinzenalmente (pô, o intervalo das visitas é super OK, inclusive) mas te aborrece mesmo assim, veja formad de passar o tempo lá… Leva o notebook e faz um curso on-line depois do almoço. Ou leva um livro, baixa filme… agora, se não for possível ceder, melhor repensar seu relacionamento pq pessoas conservadoras (como vc disse que eles são) não vão mudar, e vc vai continuar contrariada com isso

    Chora 2: vc está frustrada pq cedeu em algo importante pra vc mas não recebeu a recíproca. Miga, essa é a vida. Se vc concordou em casar e se arrependeu só pq não teve nada em troca, vc é egoísta (aceitar isso pode ajudar a superar essa raiva que está sentindo). Ou simplesmente não ama esse rapaz, vai saber…

    Chora 3: lembre-se que pra todos os efeitos, vc é a intrusa. Então não tente se livrar do problema pq pro menino, o problema é VC! Paciência e diálogo, e se esforçar para se adaptar a ele (e não o contrário, já que ele sempre esteve com o pai e vc que chegou depois)

    • Joana13/08/20 • 08h23

      chora 1 – Obrigada! Essa questão de ir de 15 em 15 dias para mim estava otimo! mas para meu namorado é impensável, ele não aceita e nem os pais, perguntam porque, e ai o que dizer? A forma que encontrei foi deixar de ir todo domingo ao almoço e ir sabado a noite, o encontro é mais curto e geralmente mais agradável porque jantamos em restaurante e assim alteramos também o ambiente.
      Se eu fico no celular, notebook, livro, ele leva a mal, diz que não estou participando ou que é falta de respeito. Nesse nivel mesmo.

      • BRU13/08/20 • 13h57

        Fia …reveja se quer passar o resto da sua vida com essa pessoa. E depois eu analisei: e vcs dois não viajam, não saem? Não digo agora que está meio estranho o mundo, mas peloque falou essa situação sempre foi assim…

  31. Érika12/08/20 • 21h58

    1. Não vá para casa dos seus sogros, ora. Você é obrigada a ir?
    2. Dá trabalho mesmo, concordo com ele.
    3. Concordo com a Cony, vc casa com o cara e agora quer despejar o filho dele?????

    • Joana13/08/20 • 08h24

      chora 1- Oi Érika, problema é o seguinte: não tenho desculpa para dar 🙁

      • Raiza13/08/20 • 14h17

        Érica, mas precisa arranjar desculpa?
        Não dá pra falar simplesmente “Hoje não vou, quero curtir minha casinha, fazer minhas coisas. Vai você tranquilo e nos vemos no fim do dia.”?

  32. Silvia12/08/20 • 22h16

    Concordo com todos os conselhos da Cony.
    Chora 1: já passei por isso no meu primeiro casamento e era um inferno… eu não tinha fim de semana. No meu segundo casamento não tem essa palhaçada… visitamos a família uma vez ao mês e nem sempre ambos comparecem juntos. Temos q respeitar o espaço do outro.
    Chora 2: pelo amor de Deus!!! Quanto machismo, minha filha. O teu boy te liberar desse encargo deveria ser motivo de alegria e não de reclamação. Cruzes!

    • Joana13/08/20 • 08h26

      Chora 1 – Brigada por vc me entender, realmente chega a ser sufocante! Por isso dei um basta há 2 meses e falei que nao iria almoçar todo domingo e queria ir noutro dia (isso porque não dá para nao ir)
      Eles sempre foram assim e eu sempre tive de ir, meio por obrigadação mesmo, mas acho que será uma situação que vai se alterar com o passar dos anos, pois minha sogra não vai almoçar na casa da sogra todo domingo entende? Ou seja acho que isso tende a terminar daqui a uns anos talvez.

      • Fernanda13/08/20 • 23h27

        Joana, sinto lhe dizer que a situação só tende a piorar. Quando tiver filhos será muito pior. Meus sogros são assim também, super codependentes, não se prepararam para viver a vida como um casal, querem sempre os filhos por perto, a ponto de sentar na cama que dormimos quando passamos um fds em sua casa e ficar fazendo massagem nos pés do meu marido)=/. Converse com seu namorado e exponha seu lado: você cede indo de vez em quando e ele cede não te obrigando a ir sempre.
        Mas sei bem o inferno é. Força amiga, você conseguirá se desgrudar deles!

        • Joana14/08/20 • 20h52

          Nossa Fernanda, fico super feliz de ver que você é outras meninas aqui entendem o meu lado e já passaram pela mesma situação!
          Chega a ser sufocante mas eu tenho pensamento positivo e acredito que com mudança de hábitos, rotina e diálogo, a situação vai mudar para melhor sim. Nada e impossível e sei que leva tempo mas todos podemos respeitar o espaço uns dos outros.
          É estranho isso porque meus sogros até se dão bem juntos, mas nesse caso são grudentos. Só tenho esperança que isso passe porque por exemplo eu não vejo minha sogra almoçando na casa da sogra dela entende? E observo casais mais velhos e vejo isso entende? Então acho que tende a mudar com foco força e fé se Deus quiser! Obrigada

  33. Dri12/08/20 • 23h40

    Gente, numa boa?? Serve para os três casos de hoje: casamento é decisão, e pronto! Duas pessoas decidem que vão construir algo juntas e obviamente irão abrir mão de coisas e vontades TB.
    Acho incrivel como os três casos tem em comum o fato de desistir da relação por tão pouco! Caso 1: vc não é obrigada a ir nos seus sogros todos os finds, não vá, agradeça e diga q tem compromisso! Sou casada a quase dez anos e vou qdo dá ou qdo estou afim, e meu marido e filho vao qdo quiser! Caso 2: não quero ser grosseira, então vou dizer que acho o motivo da sua chateação uma futilidade…ninguém é mais ou menos casado porque tem o nome, ou casou no papel, repito, casamento é decisão! Caso 3: seu enteado é um pé no saco mimado, mas ele já existia qdo vc resolveu casar, e vc deveria estar chateada com o seu marido, afinal ele que teria q colocar limites no filho dele, e ainda sim volto a repetir, sua decisão de querer estar casada tem que ser maior do que o enjoo de conviver com seu enteado. A vida não é como queremos, vamos escolher melhor quais brigas iremos comprar…

    • Iza14/08/20 • 15h47

      Amei!
      Casamento é decisão, e pegar pacote completo!

  34. Fernanda12/08/20 • 23h52

    Gente caso 3:

    São 4 adultos convivendo! Os filhos já estão fazendo faculdade? Trabalham fora?

    Sua filha tem 26 anos, ela quer mesmo morar com essa “nova família”? Essa situação de dividir banheiro é delicada pq são dois adultos que estão sendo tratados como adolescentes. Cabe a vc e seu marido conversarem com a família e verem os objetivos dos filhos, em conjunto. O filho do seu marido pode estar confuso sobre essa nova estrutura familiar. ALINHAMENTO é a palavra! Resolva em vez de empurrar o problema. Caso vc veja que os filhos não vão conviver juntos na mesma casa (não são obrigados né?), pense nas possibilidades de cada um seguir a sua vida! Dê liberdade de escolha para eles.

    • Fernanda14/08/20 • 10h32

      Eu acho mais bizarro a filha de 26 anos ainda morar com a mãe…pelo amor de Deus gente! São 4 adultos convivendo…coloque cada um responsável por uma coisa. Se o filho ama tanto jogar e usar a internet, a conta da internet é dele. Se ele não pagar…foda-se, fica sem! Sobre a questão do filho pegar o carro do pai…o que a esposa tem a ver com isso? O carro não é dela! E o marido não chamar a atenção do filho…você não percebeu essa dinâmica familiar durante o namoro?
      Desculpa, mas algumas coisas você terá que relevar se não a convivência será insuportável! E filho é filho! Esposa e marido podem ser trocados!

      • Constanza14/08/20 • 11h12

        Concordo muito com vc

  35. Fernanda13/08/20 • 00h09

    caso 2: Que sorte a sua. Se este é o grande problema de seu relacionamento você é privilegiada. A vida a dois é maravilhosa, mas problemas fazem parte. E aprender a ceder é a chave do relacionamento. Ok, é importante para você, ele prometeu, mas já pensou em relevar e ser feliz ? E sim, mudar todos os documentos é um trabalho insano. Sério que você ainda nem se deu ao trabalho de pesquisar e comprovar ?
    Desculpa, mas como a maioria das pessoas te achei totalmente ultrapassada e chata.

  36. Larissa13/08/20 • 00h10

    Chora 2
    Acho muito imaturo isso de prova de amor. Se meu marido me pedisse pra mudar o nome com esse argumento eu jamais o faria. Eu não tenho intenção nenhuma de mudar meu nome, isso é importante pra minha identidade. Isso não deve ser imposto a ninguém

    Chora 3
    Parece coisa de criança mimada quando chega um irmão e ele quer atenção. Acho que falta diálogo
    Você ia aceitar se o seu marido quisesse que sua filha se mudasse ?

  37. Bru13/08/20 • 00h14

    Chora 1. Não entendi nada. Na verdade só entendi que vc faz o que o namorado quer. Viva tbm a sua vida; ocupe-se com as suas coisas.
    Chora 2. Casou forçada? Prova de amor parA mudar nome? Cara, não sei como esse homem aguenta tanta bobeira. Kkkk. Desculpe.

  38. Bru13/08/20 • 00h18

    Chora 3. Já vi esse filme. Tem droga na jogada…

  39. Morgana13/08/20 • 03h30

    Eu to CHOCADA com a imaturidade do caso 2! Cony, você foi fofa e eu não esperava hahaha. Mulher do caso: o “sonho frustrado” é seu e essa frustração vem justamente de uma expectativa bizarra sobre algo arcaico e sim, muito trabalhoso! Imagina mudar seu nome, seus documentos, por uma pessoa que só porque não teve as vontades aceitas quer pedir o DIVÓRCIO DE UM CASAMENTO??? Toda vez que algo não sair do jeito que você espera o assunto divórcio virá a tona? Ele nem sabe disso mas só torna a fala dele mais correta ainda. Fora que ele não é seu e você é dele, gente do céu, vocês não são mercadoria um do outro.
    Pra mim você não queria estar casada e está tentando achar uma justificativa pra sair dessa. Se quiser se divorciar, se divorcie sem medo e vá ser feliz gata, mas achei que você mandou mal nesse relato. Pra mim, que te conheço só por ele, deu a impressão de você ser mimada.

    • Constanza13/08/20 • 12h30

      Eu editei o comentário pq nao tava tão fofa assim rsrs

  40. Morgana13/08/20 • 03h49

    CASO 1: Também tive muita dificuldade de entender o que você escreveu, parece que ficou faltando uns pedaços. Mas pelo que eu pesquei parece que seus sogros são caseiros (não entendi se na sua casa ou na deles haha), seu namorado gosta disso e você não. Então a única coisa a ser feita é: parar de ir na casa deles sempre ou pedir pro seu namorado parar de marcar coisas na sua casa sempre. É só conversar amada, vai de 15 em 15 dias só ou vai e volta mais cedo, mas não fica infeliz atoa não, isso vai acabar minando seu relacionamento…

    Caso 3: falando como uma mulher cuja mãe namora com um cara que tem filho que se viessem morar aqui em casa ou nós na casa deles seria o caos devido à incompatibilidade de hábitos: acho que você está olhando só pro seu próprio umbigo. Desculpa a sinceridade, mas você já tentou parar pra reler seu relato e ver que sua opinião, seu desconforto e o conforto da sua filha estão vindo na sua cabeça antes de lidar com os sentimentos do seu enteado? Não to justificando todas as atitudes dele, mas poxa, me parece até pela sua descrição que existem três grupinhos na casa: você e seu marido, você e sua filha e ele sozinho. E no meio disso seu marido tentando equilibrar sua raiva pelo filho dele, suas reclamações e as frustrações dele por estar vivendo com duas pessoas que ele nunca conviveu e com quem agora divide um teto. Senta pra conversar, vocês todos são adultos, combinem regras pra casa porque combinado não sai caro e dá um tempo até vocês todos se adaptarem. São pessoas que não moravam juntas que já tem seus hábitos e que agora precisam encontrar um novo ritmo. Imagina se fosse o oposto, você vive com sua filha e se dá bem com ela, seu marido e o filho vão morar com vocês e eles implicam com ela, tudo o que ela faz vira motivo pra raiva deles. Você simplesmente iria virar pra sua filha e mandaria ela morar com o pai ou sozinha em outra casa porque eles estão incomodados? Você realmente se sentiria bem de “escolher” seu marido em detrimento da sua filha?

  41. Jessica13/08/20 • 08h39

    Nike, rapaz de 21 anos não é criança não. Inclusive faltou ao seu esposo da educação e limites, tanto eh que ele nem reclama com o marmanjo. Quem mora com os pais e é sustentado tem que seguir as ordens dos pais.
    Já que o pai não toma conta do filho. Converse vc como um adulto normal e Dívida tarefas De casa.

  42. roxane13/08/20 • 09h05

    Menina do Caso 2
    Eu te entendo. Acredito que, mais do que o fato de ele não ter adotado o mesmo sobrenome, o que mais te entristece e incomoda é o descaso dele com o que é importante para vc e, principalmente, a “artimanha” dele de concordar em fazer e, na hora H, dizer que “esqueceu”. Como vc, eu também acredito que dizer que ama, qqr um pode dizer. Eu ouço do meu marido “eu te amo” com mais frequência do que o normal, entretanto, TODAS as vezes em que ele teve oportunidade de me provar esse “amor”, em atitudes, mesmo que com atitudes simples e fáceis, ele FALHOU. Nessas situações, SEMPRE prevalecerm a vontade dele e/ou o direito dele de dizer “não quero/não posso/não sou obrigado/não vou”. Onde está o amor tão proclamado? Não existe, na minha opinião. É preciso ter o mínimo de concordância entre o que se diz e o que se faz.

    • Ana13/08/20 • 16h36

      Exatamente. Acho que a questão do sobrenome acabou abafando a principal questão do caso.

  43. Gi13/08/20 • 09h10

    1. Seu namoro não vai dar certo.
    Vc está certa.
    (Se pra ele é importante ir ele vai encontrar uma esposa q sempre vá e q seja feliz assim, e vc não é.)

    2. Seu casamento não vai dar certo.
    Vc é egoísta.
    (Vai doer pra ele pq ele te ama mas vc não o ama.)

    3. Seu casamento não vai dar certo.
    Vc é MÁ drasta.
    (Coitado do menino q teve q dividir espaço com a piriguete q o pai estava pegando, q se entocou na casa deles com uma filha)

    **as histórias tem vários lados, quem está certo?

    • carla13/08/20 • 16h38

      Gi. não sou pequete, namoramos por alguns anos! e não fui morar na casa deles.! Eu comprei o apto com o pai dele.(50% para cada) e não é menino nao! èéum homem (adulto) de 21 anos OK… ele que é um folgado, so quer sombra e agua fresca.

      • Raquel14/08/20 • 14h02

        Carla,
        E antes de vocês mudarem, quando namoravam, não dava pra perceber como o moço era? Difícil a situação! O que acho que eu tentaria fazer no seu lugar, seria tentar se incomodar menos e ir resolvendo os problemas por partes, sabe? O problema do banheiro foi resolvido? Agora é a internet? Talvez cada um ter a sua… Te entendo super! Mas acho que tu pode tentar ver de fora a situação e tomar decisões melhores ao invés de desejar que ele não esteja aí. Conversar com teu marido e explicar como tu se sente, pedir a opinião dele… mostrar que tu está se esforçando para melhorar a situação. Afinal, teu casamento é importante pra ti.

    • Olivia19/08/20 • 21h01

      mas gente hahahaha

      acho que um casamento envolve ceder né? de ambos os lados.

      E se isso for feito, com maturidade e respeito, DÁ CERTO SIM.

  44. sheila13/08/20 • 10h09

    Ô dozinho do marmanjo de quase 30 anos na cara, que come a comida dela, suja todo o banheiro, tira a internet de todo mundo só pra ele, não trabalha e não estuda. Que dó, quase chorei! E essa aqui foi de matar: “homens demoram bem mais que mulheres em amadurecer”. Vamos perpetuar essa ideia de que os homens são eternas crianças e as mulheres têm que compreendê-los e aceitá-los, enquanto se exige totalmente o oposto delas, que desde os 15 anos “já são mocinhas”. Isso aí, parabéns! Muito decepcionada com esse seu posicionamento machista, Cony. Ninguém é perfeito e a gente aprende muito ao longo da vida, então espero sinceramente que você desconstrua essa crença mitológica de que o homem amadurece depois da mulher, que o homem é coitadinho, que do homem deve ser exigido menos. Isso é muito 1900 e lá vai bolinha e não combina em nada com o restante do que você mostra aqui no blog. Desculpe a sinceridade, mas se você pode, nós leitoras também podemos.

    • Constanza13/08/20 • 12h36

      Leia os comentários e não milite errado. Tem q ter bom senso gata, isso eh sinal de inteligência e não jogar pedra só pq eh homem. Volte e leia tudo, umas 10 vezes pelo menos até entender o mote da questão. E não precisa fazer fake pra comentar do contra não tá? Qdo se faz fake a opinião perde totalmente a credibilidade e vira apenas um ataque de entusiasta apaixonado. CriançasZzzzzz

      • carla13/08/20 • 15h47

        Cony, faltou dizer que nos compramos o apto juntos. deixei minha casa e ele a dele.e fomos morar no novo apto, não fui morar na casa dele.
        SHEILA é isso mesmo o cara passa a noite na rua, não quer estudar ,trabalhar mto menos e ainda leva as peguetes pra dentro de casa.Pra transar ela ja amadureceu ne. Concorcordo mtooo

        • Constanza13/08/20 • 16h02

          Não importa, vc está querendo se desfazer do filho da cara. Como muitas disseram, e com razão, e se seu marido quisesse se desfazer da sua filha? Não iria gostar né?

          • carla13/08/20 • 16h48

            Cony! Minha filha dei educação e limites! Não estou querendo me desfazer de ninguem. Quero apenas resolver a questao da melhor forma pra todos.

          • Constanza13/08/20 • 18h17

            Sim mas dizer que pensa em mandar ele pra mãe não pegou bem entende? Acho q falta diálogo aí. Bjs

          • carla14/08/20 • 10h47

            Cony, tanto o pai quanto a mãe tem as mesmas responsabilidades para com os filhos. O pai é omisso e não tem pulso firme com a educação dele.Acho que esta na hora da mãe sair da zona de conforto e fazer alguma coisa pelo filho dela, assumir a responsabilidade tbem.Qual o problema dele ir morar com a mae?Pode ser positivo, ela pode ajudá-lo a se desenvolver emocionalmente, profissionalmente, academicamente, voltando a estudar.Experimentar viver com a mãe pode ser bom para ele, pois ele só tem a visão de mund oda perspectiva de um homem.Ele precisa ter essa experiencia para ter um parâmetro de comportamento, maturidade e responsabilidade.

          • Constanza14/08/20 • 11h14

            Vc esta se metendo numa criação que não é sua… não eh seu papel aí o que o pai vai fazer com o filho DELE. Vai caçar mais encrenca! E agora c a mãe dele. Depois não reclame. Mas enfim, já dei minha opinião e as meninas tb. Boa sorte!

        • Jessica13/08/20 • 20h17

          Isso são limites que seu esposo E a mãe do rapaz não colocaram.
          No máximo, você só vai poder proibir a entrada de estranhos e dividir tarefas. Já tá bom de cada um arrumar suas coisas e seus banheiros!
          Se você quiser ser uma boadrasta vai precisar fazer o que os pais dele estão cansados: ajudar esse rapaz a tomar um rumo na vida, escolher uma profissão e um curso.
          Papai não vai existir pra sempre pra bancar marmanjo!

        • Roberta14/08/20 • 12h38

          Carla, acredito que somente o Pai, o menino e a mãe devem decidir o que é melhor pra ele (filho), e não você! O que parece é que você se casou e quer se livrar do filho do seu esposo a qualquer custo, se metendo em um lugar que não te diz respeito, pense nisso! Bjos e

  45. Natalia13/08/20 • 10h57

    Chora 1: Moça, seu relato ficou confuso mesmo, sua escrita não está clara. De qualquer jeito, entendi o contexto geral, você gosta dos encontros, mas não acha que devem durar eternamente. Sou do seu time, visito minha família e do meu marido aos domingos e fico algumas horas e não o dia inteiro nesse compromisso. Amo ficar em casa e também amo sair e passear em outros locais. Bem, se a família dele e ele acham que isso é o normal, que isso é o programa a ser feito, então você que tem de desapegar. Não acho que precise mentir e inventar que tem algum outra coisa pra fazer para sair desses encontros. Apenas diga que você vai pra casa e pronto. Eles tem o jeito deles e você tem o seu jeito. Acredito que mentir é pior, pq uma hora eles descobrem que você mentiu inúmeras vezes apenas para ir embora e o sentimento geral vai ser que você não gosta dos seus sogros.

  46. Natalia13/08/20 • 11h05

    Chora 1: Moça, seu relato ficou confuso mesmo, sua escrita não está clara. De qualquer jeito, entendi o contexto geral: você gosta dos encontros, mas não acha que devem durar eternamente. Sou do seu time, visito minha família e do meu marido aos domingos e fico algumas horas e não o dia inteiro nesse compromisso. Amo ficar em casa e também amo sair e passear em outros locais. Bem, se a família dele e ele acham que isso é o normal, que esse é o grande programa a ser feito, então você que tem de desapegar. Não acho que precise mentir e inventar que tem alguma outra coisa pra fazer para sair desses encontros. Apenas diga que você vai pra casa e pronto. Eles tem o jeito deles e você tem o seu jeito. Acredito que mentir é pior, pq uma hora eles descobrem que você mentiu inúmeras vezes apenas para ir embora e o sentimento geral vai ser que você não gosta dos seus sogros. Conversas francas são sempre a melhor saída. Mas aponto que eles não vão mudar! Pense bem se isso é um peso no seu relacionamento, pois imagino que se vocês tiverem filhos, a convivência vai se estreitar ainda mais! Dificilmente seus sogros vão aceitar bem vocês irem embora e levar a criança apenas pra ficar em casa. Isso tem que ser colocado por você desde já, para eles te conhecerem de verdade e começarem a aceitar esse seu jeito.

  47. Natalia13/08/20 • 11h17

    Chora 2: Moça, estou meio descrente de que você pense em se separar apenas por conta disso. Nome é algo muito pessoal. Você sonhar com uma coisa pra você, é uma coisa. Se seu sonho é que a outra pessoa mude o nome dela, é totalmente diferente! Não achei legal ele prometer, mas eu não mudaria meu nome pq é o sonho de outra pessoa! Chega a ser absurdo, sério! Sonhe você com o seu nome… eu, hein?! Se você faz tanta questão, coloque você o nome dele, como várias milhares de mulheres fazem e pronto. Isso não se exige de ninguém! Se você fosse meu marido, eu não iria aguentar essas cobranças descabidas e brigas. Se você não tem apego ao seu nome isso é coisa sua. Fora que é trabalheira msm!

  48. Natalia13/08/20 • 11h38

    Chora 3: Esse seu enteado é folgado mesmo! Estou passada como tem vários cometários chamando um homem de 21 anos de menino. Ele é HOMEM FEITO! Deveria estar estudando duro, trabalhando duro. O mínimo que se espera é que ele esteja ativamente procurando um emprego – que não vai acontecer jogando vídeo-game. Esse cara teve uma educação dentro de casa precária: não sabe deixar um banheiro organizado, deixa todo mundo sem internet pra poder jogar vídeo-game, pendura roupas na janela pela preguiça de usar o varal, pega o carro sem avisar! Sério, também ficaria p* da vida de conviver com um HOMEM que se comporta como se fosse criança/ adolescente revoltadinho pegando as coisas dos outros por birra! Ele é um HOMEM muito do cínico! O pai tem que repreender ele sim! Não acho que a saída é a expulsão do cara de casa, mas ele precisa ser chamado a atenção sim! Não pode pegar as coisas dos outros sem avisar ou sem autorização, não é aceitável deixar banheiro bagunçado (mesmo que seja só dele) – tem que voltar umas casas na vida e educar esse HOMEM de novo. Tomei das dores da leitora…rs Converse com seu marido, ele precisa voltar a educar o filho – isso não tem de vir de você, mas se imponha quando for com você e mostre o que com você não é aceitável!

    • Liliane13/08/20 • 13h17

      Concordo com seu comentário! Menino folgado que já era pra estar morando sozinho há muito tempo. Daqui a pouco vira um marmanjo de mais de 30 anos morando com o pai. Péssimo!
      E pra moça do caso:
      Apesar da falta de educação, acho que você não deve fazer o papel de mãe. EUUU, no seu lugar, já teria feito minhas malas e vazado há muito tempo. Isso não atrapalharia a relação com seu marido, e ainda te traria paz. E seu marido e a mãe do filho que se virem pra educar um homem feito.
      Ninguém tem obrigação de aturar desrespeito do outro.

      • Constanza13/08/20 • 16h00

        E a filha dela com 26 não? Seletiva hein?

        • carla13/08/20 • 16h16

          a minha filha trabalha e não fica com picuinhas. ou fazendo chantagem emocional

          • Liliane14/08/20 • 17h34

            Ah, e agora que li seu comentário falando que vocês compraram o apartamento juntos! Aí a situação ainda piora, porque você não vai sair da sua casa por causa de marmanjão folgado neh?
            Minha sugestão: ou ele passa a trabalhar e contribuir com as despesas ou o pai dele que arque com um lugar pra ele morar!

        • Vanessa13/08/20 • 21h00

          A filha não atrapalha, pq é a filha dela. Engraçado né…

        • Liliane14/08/20 • 17h30

          Nao toquei no assunto da filha dela, pq ela nao pediu opinião. Mas como acabei de comentar de novo la em cima: homem ou mulher, fez 18, tem q sair de casa! não faço distinção de gênero.

    • vera13/08/20 • 16h13

      verdade! o pessoal ta falando aqui como se fosse uma criança. é um marmanjo de 21 anos. ja passou a hora de trabalhar e ajudar o pai.

      • Constanza13/08/20 • 16h16

        Com certeza, mas isso não quer dizer que a nova namorada do pai possa despachar ele.

  49. Liliane13/08/20 • 13h25

    Chora 2: Nunca entendi o porque de um termos tido uma lei obrigando a mulher a colocar o nome do marido, depois não entendi porque mesmo tornando isso opcional, ainda é algo cogitável. Mas o pior pra mim é a pessoa querer divorciar pq não houve esse acréscimo de nomes!!!! MEU DEUS!
    É como se fosse: nossa tô muito magoada com ele porque ele não quis docinho no casamento, por isso não me ama!
    Tenha dó!
    Coisa mais antiga e machista essa coisa de nome!
    Se as pessoas entendessem o quanto relacionamento são coisas sérias e que dão trabalho para ser mantido, não haveria esse tipo de mi mi mi.

    Sinceramente, pra mim você não gosta dele e nem de estar casada. Se gostasse, faria de tudo pra não terminar.

  50. Raiza13/08/20 • 14h06

    Caso 02:

    Achei seu marido super certo. Você desde o início falando que foi pressionada a casar, agora falando em divórcio por conta de uma coisa tão pequena, chamando seu marido de falso e mentiroso quando diz que te ama só por causa do nome. Ele não deve se sentir seguro com você. Vai que ele aceitasse, mudam todos os documentos, e você por outra besteira qualquer resolve divorciar, ter que mudar tudo de novo.

    Outra coisa que fiquei curiosa foi, você fala no relato que queria escolher um nome de casal e ele disse que daria trabalho. Não teria porque ele dizer isso, se fosse vc que teria trabalho de mudar tudo ao pegar o sobrenome dele. Você queria que ele pegasse o seu sobrenome? Ou que os dois mudassem pra ficar igual?

  51. Thais13/08/20 • 14h32

    Chora 1 – Vert
    A gente precisa normalizar o “não”. Você não precisa criar desculpas pra não ir na casa dos sogros todo final de semana, inventar compromisso e mentir. A gente tem que aprender a falar “não to afim, eu nao quero” e pronto. Não tem problema nenhum em querer ficar em casa, passear, dormir a tarde e tal. isso não é pedir muito!! Se coloque em primeiro lugar.. Vou deixar um texto que eu gosto bastante como dica:
    https://medium.com/@joicebruxel/voc%C3%AA-precisa-aprender-a-dizer-n%C3%A3o-3b9d0eb4b6bf

  52. Flavinha13/08/20 • 14h32

    Ultimamente nem tenho mais comentado pq a Cony tem falado tudo e nem precisa acrescentar mais nada 🙂
    Chora 2: Sim, colocar sobrenome de marido é uma bobagem sem tamanho. Dá trabalho pra por. E pra tirar depois, caso vc se separe, é um SACO. Eu ja me separei ha anos e até agora não consegui tirar o sobrenome de tudo e olha que eu fui atrás, pq não queria carregar mais o sobrenome dele. E fora as coisas que NÃO dá pra tirar o sobrenome (por exemplo logins usados na empresa)

  53. Taina13/08/20 • 14h38

    Chora 2, uma coisa que eu nao entendi foi porque nao fizeram isso no casamento civil se ele tinha concordado. Assim, eu casei ha uns anos mas mesmo assim eu lembro claramente que no momneto que preenche os papeis tem uma pergunta se alguem vai mudar de nome, e na hora do casamento e na certidao esta escrito se alguem mudou ou, no meu caso, “ambos continuam com mesmo nome” ou algo assim. Ou seja, se era pra fazer era naquele momento, depois disso realmente ‘e completamente sem sentido.
    Mas enfim, voltando ao assunto da relacao. Muita gente caiu em voce nos comentarios e eu vou dizer uma unica coisa: para uma relacao dar certo temos que saber o que buscamos em alguem e o que nao aceitamos. Por exemplo, eu sou uma pessoa extremamente ligada a animais, tive animais minha vida toda, trabalho em ONG de animais, quero ter um monte. Poderia casar com alguem que nao quer ter? Nao! E isso faz com que a pessoa que nao queira ter ‘e errada ou eu sou errada? Nao! Nos so queremos coisas diferentes. Outro exemplo: eu sempre quis continuar trabalhando, independente do estado civil. Minha carreira ‘e um dos meus maiores orgulhos. Mas conheco amigas que o sonho era ser mae e estar em casa com os filhos. Eu estou errada? Ou elas estao? Nao! O importante ‘e que eu casei com alguem que queria tambem que a mulher fosse feliz na carreira e a minha amiga casou com alguem que queria que a mulher ficasse em casa. Moca, nao existe certo ou errado se nao faz mal a ninguem. Mas voce tem que saber o que ‘e indispensavel pra voce e o que ‘e besteira.
    Sabe aquela historia: temos que ser felizes sozinhos antes de ser feliz com alguem? ‘E isso! Temos que nos conhecer pra saber com quem seremos felizes!
    Pensa bem amiga, pensa bem em o que importa pra voce.

  54. Marina13/08/20 • 15h07

    Chora 3: Você já parou para pensar que está parecendo a madrasta má da cinderela? Que você chegou na casa do cara, com uma bagagem que é sua filha e quer que o menino mude a vida dele ou vá embora para te agradar? Onde já se viu querer que um homem escolha uma mulher ao invés de um filho?
    E se ele sugerir que sua filha vá morar com o pai ou alugar um espaço para ela? Você vai curtir?

    • Constanza13/08/20 • 16h00

      Exatamente

      • Paula14/08/20 • 12h31

        Eu nao entendi porque a pessoa do chora 3 mandou um chora…se quando ouviu sugestoes que nao eram as que esperava, so rebateu ao inves de (ao menos aparentemente) refletir sobre o que lhe foi sugerido….Nao existe isso de “ja eh um marmanjo e tem que ajudar o pai”. Se o pai nao ta incomodado em banca-lo e a dinamica sempre foi essa, quem fez a escolha errada em entrar nesse jogo, foi ela…Agora eh assumir as consequencias e tentar reverter de maneira positiva e nao fugindo do problema (vai pra casa da mae e deixa a gente aqui). Complicado….

        • Constanza14/08/20 • 13h30

          Sim, algumas pessoas só aceitam a opiniao e o conselho que seja favorável a elas… fazer o que?

        • Bianca15/08/20 • 23h54

          O problema é que virou linchamento coletivo…a pessoa expõe o problema e tem que aceitar as críticas, porém nesse caso acho que as opiniões estão passando um pouco do limite.

    • Marcia Aguiar13/08/20 • 23h29

      Segundo a própria relatou nos comentários acima, ela não se mudou pra a casa do marido (eles se casaram, não são apenas namorados). Eles compraram um apartamento juntos, ou seja, ninguém invadiu a casa de ninguém. É uma nova estrutura familiar que pode ou não dar certo. Ao meu ver, pelo que foi relatado, falta um posicionamento firme do pai. O rapaz está agindo como se fosse um adolescente mimado e inconveniente. Ele já é bem grandinho pra ficar fazendo manha do tipo “era melhor quando éramos só nós dois”. Se não trabalha, depende financeiramente do pai, portanto tem que se adequar às regras da casa (desde que o pai as estabeleça), sempre mantendo a boa convivência.

  55. BRUNA13/08/20 • 15h40

    Adidas – caso 2 – Fique sabendo que burocracias para mudar o nome levam muuuuuito mais que 2 meses. Se em 2 meses de casamento vc já está pensando em terminar por causa de mudar nome melhor divorciar mesmo. Nessa pandemia isso vai levar um ano, se um sobrenome tem todo esse poder sobre sua paz divorcia, ou procura terapia…

  56. Mara13/08/20 • 20h19

    Gente, acho que faltou certas informações no relato do chora 03 – Nike. E se formou uma ideia pré-concebida errada do caso. Parece que o apto foi comprado em conjunto (50/50). Imagine se fosse você nessa situação?

    Uma casa nova, com uma família nova, precisa de uma dinâmica nova também. Mas está tendo atritos pelos hábitos antigos e a quebra da convivência (Pai e filho). O rapaz tem idade para votar, dirigir e beber, já é um adulto, e precisa se responsabilizar pelos seus atos. Tudo o que foi dito que ele fez, na minha opinião, foi de caso pensado e querendo ter o resultado de irritar, prejudicar, e se impor na dinâmica nova da casa (internet que ELE trocou a senha, marmita que ELE comeu, somente porque quis).

    A família nova também é do rapaz, por isso acho meio drástico mandar ele embora. Por outro lado, ele não é o seu filho. você não é responsável por ele. Converse, muito francamente com o seu marido, o filho dele precisa de ajuda para entender o que mudou e começar ser mais maduro e responsável. Acho que o rapaz já tinha questões a serem resolvidas antes disso tudo, afinal, se ele não trabalha e não estuda é por que, na cabeça dele, ele ache que não precisa. Talvez uma terapia familiar ou algo parecido.

    E se eu puder aconselhar, eu diria para a Nike se impor também. Sem brigar, humilhar e xingar. Mas seja assertiva, a casa é sua também, o casamento é seu, proteja o que é seu, finque o pé. Na imaturidade do rapaz ele pode achar fará VOCÊ ir embora.

  57. Juliana13/08/20 • 20h31

    Nossa, pedir pro filho do marido ir embora pq atrapalha a vida da dondoca é BIZARRO! Mesmo que seja apto comprado pelos dois, que atitude mais egoista a sua. Aposto que sua filha não é essa santa toda e com 26 anos na asa da mãe não tem como defender. Você está errada no seu posicionamento sim, concordo com quem falou que se fosse o contrário você não iria gostar nada.

    • Luiza14/08/20 • 12h26

      O “melhor” do relato é ela falando que um cara de 21 anos é grandinho demais para ainda morar com o pai e a filha dela de 26 (5 anos de diferença) é perfeitamente normal morar com ela. Quanta hipocrisia, gente! É aquela idéia machista e ridícula que um homem tem que sair da casa dos pais com 18 e a mulher só sai da casa dos pais “para viver com o marido”.

      • Constanza14/08/20 • 13h26

        Pois é…

      • Liliane14/08/20 • 17h24

        Na minha opinião, AMBOS, homem ou mulher devem sair da barra da saia dos pais assim que atingirem maioridade.

    • Dani14/08/20 • 12h40

      Dondoca? Parece até que ela tá reclamando sem razão. Imagina VOCÊ convivendo com um marmanjo de 21 anos que passa o dia dormindo, assistindo tv, bagunçando o banheiro, enquanto traz as peguetes pra casa de noite? Ia achar tranquilo?? Super normal uma pessoa mudar a senha do wifi só pra ele? Sinceramente… Não sei que idade vcs tem mas eu com 21 anos tava ralando igual uma condenada pra correr atrás do meu futuro, e já sabia muito bem que nada na vida é de graça!

      • Constanza14/08/20 • 13h29

        Isso é de criaçao e ele foi criado assim. Se ta certo ou errado, não somos nos que temos que mudar isso, mas sim o pai e a mae DELE e pelo jeito o pai não se incomoda…. entao… não será a nova esposa do pai que vai se meter pra mudar isso entende? Antes de casar, teria que por na balança isso tb, e não querer despachar o cara pra mae. E quem garante que a filha dela tb não implica c ele? vai saber…

  58. ERIKA13/08/20 • 21h02

    Joana, vc precisa de desculpa?
    Eu hein, que estranho esse relacionamento.
    Fia de Deus, vc não nasceu grudada nele não. Você vive em função dele então?

    • Joana14/08/20 • 20h17

      Oi Erika. Eu não vivo em função dele mas por uma questão cultural não sei se daqui de Portugal mas acredito que não, que seja algo que vai de família para família, esse questão de o casal ir junto a casa dos pais/ sogros existe.
      A questão é que esse é o único ponto negativo na nossa relação por isso eu coloquei a questão aqui no chora, para saber se eu realmente era egoista ou não. Como temos uma boa relação tirando esse motivo, eu não quero terminar tudo por isso entende? Não faz sentido. Então resolvi na base do diálogo mesmo e bati o pé. E agora com os comentários que recebi aqui sei que estou certa.

  59. Iara13/08/20 • 23h29

    Pelo relato, entendi ela quer que ele tb mude o nome dele, acrescentando o nome dela!
    Porque se fosse só ela acrescer o dele estaria ok, o trabalho de trocar documentos seria dela.

  60. Dani14/08/20 • 02h46

    Gente, acho que a moça do caso 1 é estrangeira, por isso o português está esquisito!

    • Joana14/08/20 • 20h12

      Dani acertou! Sou portuguesa e peço desculpas se a mensagem ficou confusa! Meninas desculpem nosso português é um pouco diferente mas eu entendo tudo o que vocês escrevem! Tirando isso agradeço muito todos os comentários! Vocês me ajudaram muito.

      • Dani15/08/20 • 13h08

        Então o nosso português que é estranho, porque o seu que é o original hehehe!
        Minha família é dessas que se encontra todo fim de semana, mas com os tios e avó. Mas tudo bem se alguém não for.
        O problema de os seus sogros ficarem insistindo é se seu namorido for “filhinho da mamãe e do papai” e seus sogros acharem que têm direito de se intrometerem na vida de vocês.

  61. Kelly14/08/20 • 09h04

    Amei o conselho da Cony para o Chora 3 – super sensato…de vez em quando é bom calçar o sapato do outro.

  62. Iza14/08/20 • 15h38

    Caso 1 – Gente, desde quando a gente é obrigado a fazer coisas que não quer? eu hein… achei falta de flexbilidade e de dialogo, e pra mim, sem isso, relacionamento não sobrevive…sinto muito;;

    Caso 2- pra mim nome não quer dizer nada, casei e não peguei o dele nem ele mudou justamente por causa da burocracia. Mas uma coisa me chamou atenção, você tem apenas 2 meses de casada e já diz que arrependeu de ter se casado… será que é só isso mesmo? será que não tem algo mais profundo aí nessa história e essa é a briga de fachada? Você falou que não queria casar, que namorou 5 meses e casou pq ele insistiu, e agora com 2 meses de casada arrependeu. Acho que você nunca quis casar e agora ta querendo uma desculpa para separar.. se for isso, melhor separar mesmo.

    Caso 3 – Concordo com QUASE tudo que Cony falou, a primeira parte do texto toda, só não concordo que homens amadurecem mais devagar.. O Homem tem 21 anos e ta na hora de conversar com ele sim, como família de pessoas adultas que todos são… parem de tratar ele como adolescente. Mas realmente, tem que ter uma conversa honesta e com carinho, afinal, você escolheu essa família para você. Acho também que terapia familiar possa ajudar

  63. 14/08/20 • 16h06

    Chora 01: Vi que vc comenta os comentários e que disse que o seu namorado é quem te obriga a ir. Ele tem que entender seu lado e te ver como uma pessoa que tem os próprios gostos e vontades. Não tem nada mais chato do que a gente querer ficar sossegada em casa e ter a obrigação de ir visitar alguém. Eu sou uma pessoa super ligada aos meus pais, mas jamais obrigo meu marido a fazer o que ele não quer. Por exemplo, por diversas vezes fui almoçar com meus pais, aos domingos, e ele não foi junto simplesmente pq queria ficar em casa tranquilo. E tudo bem.

    Chora 02: Eu preciso concordar com o rapaz. Esse negócio de trocar de nome dá um baita trabalho sim. Claro que ninguém casa pensando em divorciar, mas é sempre uma possibilidade. Trabalho com contabilidade e já perdi a conta de quantas vezes tivemos problemas com documentação de mulheres que tinham um cadastro em um órgão com nome de solteira, aí casou, não atualizou e no fim, acabou complicando (e atrasando) muitas coisas. Pessoalmente, sou contra isso de pegar nome de marido/esposa. Quando me casei, não quis nome de marido pq sei o transtorno (renovar toda a documentação, alterar contrato de empresa) e também pq acho que eu nem iria me reconhecer. O fato de não ter sobrenome do cônjuge não te torna menos casada.

    Chora 03: Tenho um caso bem parecido com esse na família do marido e vejo como é dificil. Talvez seja falta de conversa, mas tbm pode ser que falte um pouco de bom senso…. no meu caso familiar, o menino é bem sem noção e mal educado, já foi conversado com carinho, com respeito e com amor, e nada resolveu. A mãe passa a mão na cabeça. Nesse caso do chora 3, eu sinceramente acho que o pai tem que ter pulso firme, pq querendo ou não, 21 anos já é um homem feito, tem que saber viver em sociedade.

    • Joana14/08/20 • 20h24

      Sou a menina do chora 1, concordo com você. Eu mesma sempre digo para ele: olha meus pais convidaram para x, o que você acha? Quer ir? Se eu vejo que ele não quer eu digo logo: mas olha se você não quiser ir tudo bem, eu vou e você fica ou vamos outro dia, não tem problema. Aí sempre que discutimos isso eu digo a ele: eu te deixo livre para decidir e nunca te obrigo a ir ok? Então faça o mesmo comigo. Sempre digo a ele, quanto mais eu me sinto obrigada a ir menos eu gosto. Claro que isso gera discussões mas eu tenho de ser sincera, não guardo sentimentos! No último mês bati o pé mesmo e disse que não iria mais almoçar na casa dos pais dele todos os Domingos, que podíamos ir outro dia mas domingo queria fazer o que me apetecer! Até agora ele está respeitando e estamos jantando com os pais dele sábado à noite durante 2 fins de semana seguidos e almoçando no terceiro e espero que continue assim. Ele vai na casa dos pais durante a semana sempre e eu super incentivo. Até a minha mãe diz que meus sogros são chatos sempre convidando. Na minha família não tem essa coisa rígida, e tudo bem flexível…

  64. Renata14/08/20 • 22h37

    Chora 3: Não entendi pq a Nike foi tão atacada nos comentários. Poucas foram as que se solidarizaram com ela. Concordo com uma leitora q disse q acabaram partindo de uma premissa de errada de que ela invadiu a casa do marido.
    Claro que a solução não é tentar a mudança do garoto, afinal relacionamentos que se iniciam com filhos de outras relações, a ideia é construir uma nova família a partir de duas famílias que se unem. E a galera nos comentários só focou nisso! Que o garoto é um pé no saco, imaturo e sem limites ninguém reparou?? E na hora do desespero, quem nunca desejou que uma pessoa sumisse pro problema terminar? Mas claro que a razão precisa voltar para recobrarmos a consciência e concluir que este não é o caminho. O pai parece ser apegado ao filho e propor isso certamente traria instabilidade ao casamento. Se eu estivesse no seu lugar, explicaria pro meu marido que vc quer muito construir uma nova família vcs 4, mas que o filho está com atitudes que precisam ser freadas. Que amor não é passar a mão na cabeça. Além disso, um jovem com 21 anos que não estuda nem trabalha deve estar enfrentando problemas internos que precisam muito de um pulso familiar para guia-lo. Concordo com o que disseram que ele deve trazer problemas próprios de antes dessa nova estrutura familiar e que essas atitudes não são apenas implicância, certamente refletem outros problemas pessoais que ele enfrenta. Realmente casamento é comprar “brigas” que não são nossas, mas temos sempre o direito de perceber que determinada “briga” nos custa muito caro. Minha mãe se casou com meu padrasto quando tinha 11 anos e eu fiquei com meu pai. Eu nunca me senti à vontade no novo lar da minha mãe e nunca me senti parte da nova família que ela construiu. Eu nunca dei trabalho, meu padrasto briga com todo mundo mas de mim nunca disse um ai, eu sinto que ele gosta de mim e respeita, mas sei que ele não me ama como filha. Pra mim foi muito triste não me sentir a vontade na casa da minha própria mãe, mas desde cedo eu entendi que, embora o ideal fosse eles terem construído uma nova família comigo, raros são os casos que esse novo arranjo familiar de fato funciona, que os filhos de outro casamento realmente se sentem amados. De qualquer forma, não acho que o garoto está certo, imagino o quanto ele está tumultuando sua relação, mas a única solução é vc conversar com seu marido com todo carinho do mundo como esse comportamento te entristece e prejudica ao próprio filho dele também. Sobre filhos de 21 e 26 anos ainda morarem com os pais não vejo problema algum, atualmente os filhos estão saindo mais tarde de casa mesmo. Não estamos falando de filhos com 40 anos que ainda moram com os pais. Mas mesmo assim, isso depende muito das partes envolvidas, certamente tem muitos pais e filhos que amam essa dinâmica de morar a vida toda com seus filhos e está tudo certo nisso também (pra mim não estaria nem enquanto filha nem enquanto mãe, mas cada um é cada um). Eu sei que não é fácil lidar com isso, eu enquanto esposa estaria muito irritada também pq a decisão de construir essa nova família deve ser dos 4 envolvidos e fazer todos criarem essa nova consciência envolverá muita conversa, paciência, terapia e carinho. Desejo a vc toda a sorte do mundo pra q vcs consigam se entender e que em breve haja muita harmonia no lar para todos os integrantes dessa nova família

  65. Maira17/08/20 • 11h09

    Eita atrás de eita esses Choras…rs

    Vert…seu caso é fácil de resolver e pelos comentários, já vi que você conseguiu se impor…é bem por aí mesmo, não tem essa de que você tem que ir e ponto final…vá quando sentir vontade, os pais são dele e não seu, então quem tem que estar presente é ele…meu marido também tem o hábito de almoçar com a mãe pelo menos uns 2 ou 3 domingos no mês, sempre o acompanhava até que cansei…ele vai sozinho e eu vou quando estou afim..não tem stress e ele super entendeu…sem drama.

    Adidas…eu sou uma das que não quis mudar o sobrenome…dá um trabalhão do cão sim e numa boa, escolha melhor as suas lutas lindona, não estrague o seu casamento por causa disso, querer acabar com um casamento só por causa disso? Pra mim, parece que o seu problema é muito maior e não foi descrito no seu chora.

    Nike…só não entendi uma coisa…você não conhecia o comportamento do filho do seu marido antes de se casar? Tá certo que o cara é um folgado sem noção, mas vou discordar de vc…não é jogando o problema pra outra pessoa resolver que ele vai deixar de existir entende? Cabe aos pais educarem os filhos, o que parece que não foi feito nas suas respostas…quero te enganar não, mas me parece que essa guerra você já perdeu…seu marido não toma atitude, o filho não vai mudar e quem vai continuar descontente? Você…a vida mudou pros quatro…casa nova, família nova, cada um com as suas manias e defeitos, uns toleráveis e outros não…todo mundo aí tá descontente, infeliz e cansado, posso imaginar o inferno que é viver dessa forma. A solução pra mim, é sentar os quatro e conversar numa boa, sem acusações, cobranças…são 4 lados da história…se depois dessa conversa nada resolver, converse com o seu marido a sós e decidam o que é melhor para o casal…boa sorte e fiquem bem.

  66. Thaís18/08/20 • 12h31

    Amo o blog, vim aqui ver os vários posts que perdi devido à correria. Infelizmente cometi o erro de ler os comentários e estou PERPLEXA com as respostas ao último chora!

    Primeiramente: a “Nike” e a filha não são 2 intrusas que chegaram invadindo a casa do cara. A casa em questão é da autora, ela pagou metade do valor, a casa é tão dela quanto do marido. Ela tem todo o direito de impôr regras! E ao marmanjo só cabe RESPEITAR, é assim que se faz quando não se paga as próprias contas. Estamos falando de um adulto que não faz nada de útil na vida, não contribui em nada e constantemente causa transtorno por puro egoísmo e falta de noção. Não quer viver civilizadamente, com um mínimo de respeito por quem bancou metade da casa? Vaza, já tem idade pra virar gente, tomar rumo na vida e providenciar o próprio teto sob o qual ele poderá ser porco, ficar com toda internet pra si e fazer o que quiser.

    Não entendi pessoas questionando por que é errado o marmanjo de 21 anos estar lá, mas quanto à filha de 26 anos da autora, tudo bem. Muito simples: ele é um incômodo e ela não. Qual a dificuldade em entender esse ponto? A filha trabalha, sabe conviver com outras pessoas, não enche o saco. Já o filho folgado do marido é o oposto.

    Já não tinha gostado da resposta da Cony, mas discordar faz parte, não é saudável concordar 100% com tudo que outra pessoa diz. Vou seguir acompanhando o blog, acho o conteúdo excelente e não vejo problema nenhum em discordar com uma coisa ou outra. Mas a chuva de comentários julgando a mulher me deixou chocada!

    • Mari Dias19/08/20 • 09h43

      Esse seu comentário lavou minha alma. Concordo totalmente.

    • Raysa Soares19/08/20 • 10h12

      Eu percebi que o pessoal é muito Maria vai com as outras quando se trata dos comentários da Cony, se a resposta tem um tom mais “feminista’ as respostas todas seguem essa linha, se é machista igual a resposta do chora 3, advinha? Os comentarios vão só ladeira abaixo, até de piriguete a ESPOSA e não namorada, foi chamada aqui. Super decepcionada, mas como vc disse, nunca vamos concordar com tudo e que bom, mas que o pessoal poderia dar uma segurada na santa inquisição aqui nos comentários, poderia. É uma chuva de mulher querendo se mostrar melhor que as outras que até reclamação sobre o português da moça, que depois descobrimos nem ser brasileira, teve.

  67. Sara20/08/20 • 18h35

    Chora 1: Fico feliz porque você encontrou uma solução e contou para a gente.

    Chora 2: Acho que o problema começou porque você casou sem ter certeza, só porque ele insistiu, e ainda por cima ele não fez o que prometeu e era importante para você. Eu não quero trocar de nome mas o certo seria ele ter dito isso e não ter dito que ia trocar e depois não fazer nada. O fato é que você precisa pensar se queria ter casado com ele ou se casou obrigada mesmo, se foi obrigada, melhor separar, até a Igreja Católica anula casamento que não é pela livre vontade dos dois porque considera que não houve um casamento de verdade.

    Chora 3: Chocada com todas que foram agressivas com a moça. Eu fui lendo o relato e ficando com raiva do rapaz e do pai que não coloca limites porque não quer ter problema. Filho adulto mimado e mal educado! Lamento que você não tenha visto isso antes de se casar, mas agora que compraram o apt. juntos acho que você vai ter que resolver a situação, se não der você se separa e como em todo caso de separação fica com a metade do valor do apt.
    Mandar o folgado embora não é solução porque duvido muito que o pai aceite e você vai ficar parecendo a megera. Acho que ou esse rapaz sempre foi assim ou ele está chateado com o casamento e está fazendo birra, querendo criar briga. Nesse caso diálogo e simpatia podem ajudar, ele pode acabar gostando de você e aceitando o casamento.
    De qualquer maneira você precisa conversar com o seu marido sobre o quanto esta situação está te incomodando e pedir a ajuda dele para achar uma solução. Coragem!