09
Jun 2014
Para as Gordinhas
Como Usar, Moda

Vocês lembram da Gloss? A revista? Então, eu escrevia regularmente lá e um dia fui na Editora Abril conhecer a equipe e entre eles estava a Ju Romano. Que menina linda. Maquiagem perfeita, cabelo perfeito, look perfeito. E um detalhe que para muitas seria o fim, mas que para ela não passava de um pequeno detalhe, a Ju é gordinha.

Eu já conhecia o blog da Ju mas bem superficialmente e depois que vi essa mulher ao vivo me deu aquela vontade de saber mais sobre ela e como lidava tão bem com a imagem. E claro pensei em vocês, que sempre me pedem dicas de looks para gordinhas e eu me enrolo um bocado, afinal uma coisa é saber as coisas na teoria, mas por na prática nem sempre dá certo. Eu não sou gordinha e visualmente posso saber o que fica bem ou não em uma, mas só quem tem que se vestir todo dia, sendo plus size, tem propriedade para falar sobre o assunto.

A Ju Romano é meeeeeega estilosa e fiz uma pequena entrevista com ela, para saber mais como conseguiu se desprender

Você assumiu super bem seu corpo e tira proveito dele incrivelmente, demorou muito para aceitar seu biotipo ou nunca teve esse problema?

Demorei, sim! Sempre digo que não dá para você acordar um belo dia, depois de tanto tempo acreditando que você tem que mudar, e simplesmente se achar maravilhosa. Quando eu tinha uns 14 anos passei por uma fase super tensa, de querer emagrecer a qualquer custo, e foi realmente muito triste. Emagreci e sabe o que aconteceu? Quem não gostava de mim continuou não gostando, já quem gostava de verdade não estava nem ligando para o fato de eu estar mais magra. Ou seja, tanto esforço e tanto sofrimento para descobrir na pele que as pessoas te amam pelo o que você tem por dentro. Claro que é um processo diário de ignorar olhares maldosos e palavras afiadas, mas aceitar que você é unica e que seu corpo é seu e não vai ser igual ao de ninguém é essencial para ser feliz. O processo é diário, mas com o tempo você vai conquistando muito sua liberdade de expressão, principalmente no que diz respeito ao modo como você se veste.

Tem muita dificuldade para encontrar roupa legal?

Há tres anos eu tinha muita, hoje em dia as lojas plus size fazem muuuuita coisa bacana, com pegada de moda. E as lojas de departamento também aumentaram a grade, então é mais fácil mesmo. Claro que tem muito que eu queria encontrar e é difícil, mas a maioria encontro sim. E espero que cada vez encontre mais…

Quais sao as melhores lojas para encontrar roupas plus size?

EU amo a Rery, a Best Size, a Flaminga e a Asos. Mas tenho um roteiro de compras online no blog com 20 lojas MARAVILHOSAS para comprar plus size.

Qual peça de roupa toda gordinha deveria ter no armário? E qual não deveria ter?

Todo mundo deveria ter um vestido básico, uma calça estampada, uma camisa bonita e muitossss acessórios. Eu acho que se você tem uma camisa básica e 3 colares diferentes, pronto! Você já tem 3 camisas novas.

Tem algum truque na hora de escolher a roupa, ou o você veste o que estiver afim de usar, sem neuras?

Eu sempre visto o que eu gosto, na verdade. Acontece muito comigo de eu ver uma magrinha estilosa na rua e querer usar a roupa que ela estava usando, aí vou no meu armário e adapto minhas roupas. Acho que o maior truque é você NUNCA comprar uma peça menor que o seu tamanho. Parou de servir? Jogue fora! Porque aí tudo que estiver no seu armário é certeza de ficar bom, sabe?!

O que você diria para as meninas gordinhas, que tem dificuldade de aceitar o corpo e se restringem de muitas coisas por causa disso?

Eu diria que o corpo é o seu maior instrumento de expressão, se você fica se escondendo, acaba se fechando para muitas possibilidades na vida – em todas as questões, desde amorosas até profissionais. Se permitir usar o que quiser é se libertar. Quem liga qual é o número que você veste? São as outras pessoas que pagam suas calças? Não, não são. E se alguma pessoa te achar gorda, com roupa estranha, etc, qual é o problema?! As pessoas têm diferentes opiniões. É sempre melhor ser você mesma e desagradar algumas pessoas, mas as que você agrada faz isso de verdade, do que passar a vida tentando ser outra pessoa e nunca ninguém gostar de você sinceramente, sabe!? Você passa a vida tentando mudar para agradar as outras pessoas, quando na verdade já está rodeada de pessoas que te amam. E sinceramente, se você não está rodeada de pessoas que te amam porque você é gorda, então troque de amigos!! Não vale a pena perder tempo com pessoas que ligam mais para o que tem por fora do que por dentro…

PÁH!

Agora vejamos os looks lindos que a Ju monta? E pedi para ela falar um pouquinho sobre eles 🙂

juromanolook1

Eu sempre amei estampa de onça, me inspirava muito nos casacos antigos, antes mesmo dela virar essa febre da moda.  Então eu nunca tive problemas em usar sabe?! Agora a mistura de estampa com cores fortes é que pode causar um pouco de medo. Eu acho que a gente tem que ousar um pouco nas peças e dar pelo menos um toque de cor ou brilho.

juromanolook2

Essa calça é uma das minhas queridinhas! Eu não sei o que as pessoas têm contra calça estampada sabe?! Eu acho que essa até afina a minha perna hua hua hua. Mas meu grande truque desse look é o blazer longo, cobrindo o quadril, que você pode usar caso queira usar uma calça estampada mas ainda não tem coragem de deixar tudo “à mostra”.

juromanolook3

Sim, essa é A minha favorita!!! Eu acho que para ficar mais fácil na hora de escolher e montar um look você pode jogar toda a atenção para uma região do corpo e deixar as outras “neutras”. Usou as calças coloridas? Combine com peças lisas. Não quer aparentar mais gordinha? Invista nos saltos altos! É tudo muito simples, não precisa ficar colocando empecilhos sabe?!

juromanolook4

Ah esse look acho que é o mais comum entre as meninas que têm vergonha: tudo preto. Mas o legal é que nesse look dá pra perceber a diferença que bons acessórios fazem, né? Ele seria totalmente sem graça se não tivesse colar, anel, óculos, bolsa, etc, concorda?

juromanolook5

Confesso que até eu tinha medo de usar ankle boot. Acho que o segredo é você realmente se apaixonar por uma peça (como eu me apaixonei por essa), que aí tudo que você colocar com ela, vai agradar. Eu gosto de usá-la com leggings ou calças pretas.

juromanolook6

Eu acho saia longa a coisa mais confortável do mundo, acho que todo mundo deveria ter pelo menos 1! hahahaha Eu realmente acho que se a saia for de tons neutros ela é como uma calça preta: vai com tudo. Eu gosto muito de usar com blusinhas e com camisas mais curtas.

juromanolook7

Eu acho ótimo esse look porque ele é A prova de que as gordas podem usar as mesmas coisas que as magras. É só encontrar peças do seu tamanho e perder a vergonha. Tudo pode ficar bom na gente, inclusive um top semi cropped!

juromanolook8

As pessoas acham que gorda tem que usar só roupa escura, né!? Eu acho a maior besteira. Dizem que roupa clara engorda, mas ninguém diz que roupa clara também ilumina e deixa a pessoa muito mais bonita. Aí se eu não estiver ligando para engordar ou não, quero mesmo é ficar iluminada, alegre, sabe?! O branco é ótimo pra todo mundo, principalmente no calorão.

juromanolook9

Essa tem a saia curta e a estampa na horizontal, que dizem ser tabus. Eu não ligo e acho que quando a peça combina no look ninguém repara se você está maior ou menor.

juromanolook10

Esse é do short origami, que é o maior exemplo de que tudo pode ficar bem em gordinha desde que a peça seja do nosso tamanho. Esse é um short 48 que ficou certinho pra mim.

juromanolook11

E esse look acho que é ótimo para as leitoras que estão começando, simplesmente porque ele prova que dá para se vestir de forma alegre e bonita sem mostrar muito do corpo (caso a pessoa tenha vergonha sabe?). A saia é no joelho, a blusa é de manga e o salto é mega confortável. Tudo que uma gordinha que ainda não quer mostrar muito precisa! E mesmo assim é tudo cheio de vida.

  • Quem aí ficou fã da Ju?? E o blog dela tem MILHÕES de outros looks lindos e inspiradores, além de várias matérias super interessantes para quem é plus size!
  • Muito obrigada Ju, sua LINDA.
03
Dec 2012
Um Conhecedor de Produtos de Beleza Orientais
Novidades de Beleza

Quando me falavam em cosméticos asiáticos a única palavra que vinha na minha cabeça era Shiseido. Um tempo depois, entraram na listinha o BB Cream, a marca Missha e o sabonete líquido facial Bioré (que amo).

Eis que fuçando aqui e ali, toda vez que eu tinha alguma dúvida sobre os produtinhos da Ásia, alguém me falava: “Pergunta pro Pedro!” Foi assim que conheci o famoso Pedro, do blog East to West Skin Care. Ele é mega fã dos cosméticos orientais e super entendedor do assunto! Ele conta que seu interesse começou ao comprar um protetor solar que falavam maravilhas, da marca Sofina. E o negócio era realmente tão bom que ele começou a pesquisar mais e mais, ganhou grande experiência e acabou criando um blog que trata apenas sobre cosméticos asiáticos.

cosmeticos-orientais

E a gente fica curiosa né? Mas quem é o Pedro? Ele respondeu assim: “moro em Florianópolis, estudo e tenho um negócio próprio que não tem nada a ver com cosmético. Já li em um forum virtual gente dizendo que eu tinha 60 anos, mas na verdade to “longe” de chegar aos 25, rs”.

Como eu não sei praticamente nada sobre o assunto mas morro de curiosidade (principalmente sobre os famosos protetores solares orientais), perguntei ao Pedro se ele toparia responder algumas perguntinhas sobre o assunto e ele gentilmente aceitou 🙂

Vamos lá!

O que os produtos asiáticos tem que os ocidentais não tem? Por que tanto burburinho sobre eles?

No caso dos japoneses, protetores solares com texturas realmente agradáveis para quem procura por aqueles que deixem um toque seco na pele (mesmo!), e não que apenas aleguem deixar toque seco. Além de espalharem extraordinariamente bem não deixando sensação pegajosa. Tudo isso oferecendo alto FPS e proteção contra os UV-A e alta resistência à água e suor, tanta que muitos só saem apenas com demaquilante capaz de retirar maquiagem à prova d’água. Até hoje nunca conheci uma única pessoa que tenha comprado um protetor solar japonês e tenha voltado aos ocidentais. Obviamente, não são todos os protetores solares japoneses que proporcionam efeito matificante/seco, até porque não são todos os consumidores que desejam este efeito. Mas muitos são verdadeiramente matificantes – e não apenas alegam oferecer toque seco. Sem exagero: são espetaculares.

Os limpadores também costumam gerar “burburinho” porque são muito interessantes e existem em diversas apresentações pouco usuais no mercado ocidental. As espumas de limpeza costumam proporcionar uma espuma extremamente abundante, rica e densa. Quantidade de espuma não está relacionada, necessariamente, ao poder de limpeza do produto. Mas os consumidores costumam gostar de produtos que fazem bastante espuma… Também há, por exemplo, os limpadores em pó. Além de serem divertidos e práticos em viagens, podem causar menos danos ao meio ambiente. Já que eles não contêm água na fórmula; logo, consomem menos recursos do meio ambiente não só por não haver a presença de água na fórmula, mas também porque a não presença de água permite que as embalagens sejam menores. E claro, existem os famosos óleos demaquilantes. Quem não sabe ao certo do que se tratam estes óleos demaquilantes podem imaginar que eles, necessariamente, deixam a pele oleosa. Mas vários são vendidos especificamente para pele oleosa e podem até ressecar a pele de quem não tenha pele oleosa, de acordo com vários relatos. Escrevi uma série de artigos sobre óleos demaquilantes para o blog Stash. Nestes artigos entrei em detalhes sobre estes produtos que, geralmente, fazem parte do “double cleansing”, também explicado do que se trata: Parte IParte II e Parte III.

A variedade assustadora de produtos, de tão grande; as diversas gadgets de beleza, como aplicacores elétricos de base e as diversas embalagens extremamente sofisticadas ou no estilo “kawaii” (“fofo”), geralmente mais voltadas aos consumidores adolescentes, também chamam muito a atenção dos ocidentais.

Também não poderia deixar de dizer que uma grande parcela do “burburinho” em torno dos cosméticos asiáticas é gerada pelos próprios asiáticos, que costumam ter uma extensa e disciplinada rotina de cuidados com a pele. Uma japonesa e uma coreana usa, em média, aproximadamente 10 cosméticos de “tratamento” na pele todas as manhãs e noites – sem contar a maquiagem – (limpador, loção, serum, emulsão hidratante protetor solar etc). A “Fuzkittie”, uma moça de Taiwan, mostrou sua rotina de cuidados com a pele e isso chamou muita a atenção das ocidentais. Parecia uma maluquice, já que ela aplicava uns 15 produtos no rosto de uma vez só. Ia aplicando um por cima do outro. rs Mas é um hábito cultural. Infelizmente ela apagou a conta dela no Youtube, mas aqui no Brasil muitas pessoas assistiram ao vídeo com as rotinas dela principalmente depois que a Victoria Ceridono mostrou no Dia de Beauté.

Suposto “Anti-ruga” inovador, como este patch da Shiseido com aproximadamente 1200 microscópicas agulhas de ácido hialurônico (ou derivado do mesmo, não importa) para ser usado em casa é outra fonte de “burburinho. Comentei mais sobre o produto aqui.

Conclusão: há muita coisa não usual e interessante para nós, portanto muita costuma gerar “burburinho” quando eu ou outra pessoa mostra no Brasil.

japanese-cosmetics

As maquiagens também são boas?

Sim. Naturalmente, como em qualquer lugar do mundo, há produtos excelentes, medianos e ruins. Mas em geral, são ótimas e as empresas japonesas desenvolvem muitas tecnologias distintas para as suas bases e batons, por exemplo.

Na cultura japonesa, não é de bom tom uma mulher aparecer em público sem maquiagem. No trabalho, pode até denotar falta de profissionalismo. Para as japonesas, portanto, usar base é quase como escovar os dentes para as ocidentais. Logo, há uma variedade enorme de bases, de todos os tipos possíveis. Principalmente prometendo bastante resistência ao clima quente e úmido. Muitos brasileiros imaginam que o Japão é um país inteiramente frio. Para várias épocas do ano e regiões, isso é verdade. Por outro lado, em várias regiões do Japão – principalmente no verão – o clima do Japão é extremamente quente e úmido, sendo que boa parte das maquiagens são desenvolvidas para resistirem a climas assim.

Várias brasileiras já devem estar se animando, mas há um possível problema: é comum que as cores das bases feitas para o mercado japonês não adequadas em muitos tons de pele encontrados no Brasil. Se você for comprar “online”, no “escuro”, pode ser grande a chance de que o tom não fique bem na sua pele.

Outra característica importante a dizer é que a maioria das bases japonesas ou sul-coreanas proporcionam cobertura extremamente baixa, já que as japonesas e sul-coreanas gostam de fazer aquele tipo de maquiagem para parecer que a pessoa não está maquiada.

O investimento que as empresas japonesas fazem no desenvolvimento de maquiagem é tão grande que, como mostrei aqui, a base em pó foi inventada pelos japoneses. Quanto aos batons, recentemente os da Shiseido foram reconhecidos por pesquisadores da indústria cosmética (químicos, engenheiros químicos etc) como os mais tecnológicos do mundo, por assim dizer.

Fato curioso é que muitas ocidentais usam maquiagem japonesa e nem sabem. NARS e Bare Minerals, por exemplo, podem ser consideradas japonesas, já que são marcas da Shiseido.

Esses produtos servem para as peles e o clima do Brasil?

É tudo muito relativo. No Brasil há diversos tipos de climas. Na Ásia também, mesmo dentro de um único país. Enquanto que em determinadas épocas do ano os japoneses podem sofrer com um frio severo, em outras eles podem sofrer por um calor infernal – tão ou mais que nós brasileiros. Logo, há diversos produtos diferentes, cada um sendo mais ou menos adequado a determinadas épocas do ano.

Se você fosse indicar UM produto para quem nunca usou nada asiático e quer conhecê-los melhor, qual seria?

Pergunta extremamente difícil… rs Mas se eu fosse obrigado a escolher apenas um, o Bioré UV Perfect Face Milk SPF 50+ PA+++, porém só vai ser adequado a quem está procurando por um protetor solar extremamente matificante.

Existe alguma diferença entre os produtos japoneses e os coreanos? Um é melhor que o outro?

Pela minha experiência pessoal, sim, várias.

Texturas: os B.B. cream sul-coreanos costumam proporcionar um aspecto bastante hidratado, até meio úmido. (Porque é assim que muitos sul-coreanas gostam). Já os B.B. cream japoneses costumam proporcionar um aspecto mais mate, mais seco.

Perfume: cosméticos sul-coreanos costumam ser mais perfumados do que os japoneses.

Embalagens: as sul-coreanas costumam ser mais “cheguei”, para usar uma gíria da minha mãe. rs As japonesas, por sua vez, costumam ser mais minimalistas, seguindo a clássica elegância japonesa.

Fórmulas: as fórmulas sul-coreanas costumam ser mais extensas e contar com diversos extratos vegetais – dezenas e dezenas. Já as japonesas, mais minimalistas.

Mas atenção: estou fazendo generalizações baseadas na minha experiência pessoal. Há cosméticos sul-coreanos e japoneses de diversos tipos, nada do que respondi anteriormente pode ser considerado regra.

Não diria que, de modo geral, um é melhor que o outro. Mas – individualmente – alguém pode considerar melhor um produto japonês do que um sul-coreano ou vice-versa. Por exemplo: se gosto de um hidratante altamente perfumado, particularmente posso considerar melhor um sul-coreano do que um japonês. Mas se gosto de um hidratante menos perfumado, posso considerar o japonês melhor do que o sul-coreano. No entanto, isso seria uma preferência pessoal e seria diferente de dizer que, em geral, os cosméticos sul-coreanos são melhores do que os japoneses ou vice-versa.

coreanas-coreia-cosmeticos-maquiagens

Quais são as melhores marcas?

São muitas e muitas. Não tenho como citar todas, portanto vou citar apenas algumas: Amore Pacific, LG (sim, a mesma dos eletrônicos), Shiseido, Kao Corporation, Kanebo, Kosé Corporation etc. Algo relevante a dizer é que, assim como no ocidente várias marcas têm diversas submarcas, na Ásia também ocorre o mesmo. Por exemplo: no ocidente a L’oréal tem La Roche Posay, Garnier, Lancôme, Yves Saint Laurent, Elséve, Kérastase e dezenas de outras. Já a Amore Pacific, sul-corena, tem Laneige, Sulwhasoo, Etude House e também diversas outras.

Qual o produto asiático que você testou que mais te impressionou? Por que?

O Bioré UV Aqua Rich Watery Essence SPF 50+ PA+++. Porque não matifica minha pele, mas também não deixa absolutamente nenhuma sensação oleosa. É praticamente como se eu tivesse passando água na pele…

Mas um dos produtos que mais me impressionaram nem foi testado por mim, é este limpador da Sofina, resenhado pela Meire, do blog Salada Médica. Vejam a foto da espuma que uma pequena quantidade de produto faz, acho que vai ficar claro por que me impressionou hehe.

Sabemos que foram as coreanas que lançaram a moda dos BB Creams. Eles realmente funcionam? Como e porque?

Eu me incomodo um pouco com o marketing em torno dos B.B. Creams. B.B. Creams costumam ser hidratantes com alguns ingredientes que podem ajudar a “tratar” da pele (como derivados de vitamina C, por exemplo), um pouco de cor de base e protetor solar. Nada de errado nisso. Mas há muito tempo existem coisas similares, como os hidratantes com cor e FPS. Há quem diga que os B.B. Creams cobrem mais do que um hidratante com cor e menos do que uma base. Pode ser, mas não há definição formal para o termo. Portanto, se eu quiser, posso lançar um B.B. Cream que cubra menos que um hidratante com cor ou um que cubra mais do que uma base…

E os CC Cream? Realmente são melhores que os BB Cream? Servirão para nossa pele?

O marketing em torno do C.C. Cream alega que o C.C. proporcionaria melhor resistência e cobertura do que um B.B. Cream. Mas cada empresa chama o que quiser de C.C. Cream… Consequentemente, por si só, tal termo pode não significar nada importante. Os ingredientes usados em um C.C. Cream são basicamente os mesmos usados nos B.B. Creams…

Qual o melhor BB Cream na sua opinião, o que melhor se adapte ao nosso clima?

O “melhor” B.B. Cream vai variar de pessoa para pessoa, de acordo com diferentes preferências pessoais. Mas como sei que muitas brasileiras gostam de texturas secas e matificantes, posso sugerir alguns com estas características: Ettusais BB Mineral Cream SPF 30 PA++ (marca da Shiseido); Solanoveil BB Milk SPF 50+ PA+++; Hada Labo BB Moist Emulsion SPF 50+ PA+++; The History of Whoo Gongjinhyang Seol Brightening Sun B.B SPF 45 PA+++ (marca da LG).

Também há uma enorme quantidade de B.B. Creams com um marketing voltado ao público masculino, visto que a Coreia do Sul é o disparado o maior mercado consumidor de cosméticos masculinos do mundo – tanto em proporção quanto em quantidade total (mesmo tendo apenas por voltado de 50 milhões de habitantes).

Qual tipo de produto asiático você acha que NÃO vale a pena?

Isso é muito relativo e também vai variar de pessoa para pessoa. Mas muitas sul-coreanas gostam de cabelo bastante volumoso, o que é oposto de muitas brasileiras. Logo, pode ser que muitas brasileiras se decepcionem com vários xampus sul-coreanos, uma vez que vários podem não reduzir o volume ou até dar uma impressão de cabelo mais volumoso.

Cosméticos anti-acne também podem não valer a pena porque o governo japonês permite apenas uma quantidade muito pequena de ingredientes como o ácido salicílico, que muitas vezes é usado neste tipo de produto. Além disso, acne é uma doença. Logo, o correto é tratá-la sob orientação médica o mais cedo possível, para evitar futuras cicatrizes.

Os preços são bons?

Há cremes em diversas faixas de preços. Há desde produtos que custam por volta de uns US$ 5.00 mas que não troco por muitos de US$ 100.00 até os cremes mais caros do mundo, como o La Crème, da Clé de Peau (marca da Shiseido), que custa por volta de 13 mil dólares (isso mesmo que vocês leram, o valor não está errado) por um potinho de apenas 50g. Contando com impostos, um creme destes custaria por volta de uns cem mil reais no Brasil, caso fosse vendido aqui… Até pouco tempo, o mais caro do mundo era o Impress Granmula Cream, da também japonesa Kanebo. Escrevi um artigo comentando sobre o produto. Como mostrei no meu artigo, muitas asiáticas, mesmo em épocas de crises econômicas, acabam deixando de comprar roupas, mas evitam deixar de cuidar da pele. Soma-se a isso o fato de que muitos consumidores, sejam eles ocidentais ou orientais, infelizmente têm uma visão deturpada e não fundamentada do ponto de vista científico de que cosmético caro – necessariamente – é melhor e mais eficaz de que cosmético mais em conta e que, claro, há muita gente rica na Ásia. Países e regiões como Singapura e Hong Kong estão lotados de milionários; ou seja, dinheiro para comprar creme não costuma ser um problema para grande parte deste povo. rs A indústria cosmética aproveita tudo isso para lançar linhas e marcas absurdamente caras por lá.

Algumas destas marcas asiáticas de “super luxo” podem ser encontradas inclusive nos Estados Unidos, como a Kanebo Sensai e a Sulwhasoo, ambas sendo vendidas na Bergdorf Goodman.

Aliás, muitas marcas ocidentais estão lançando primeiramente seus cremes mais caros na Ásia e só depois no ocidente. Um exemplo é a L’oréal, que primeiramente lançou a linha Youth Liberator, da Yves Saint Laurent na Ásia. E só bem mais tarde começou a vender esta linha no ocidente. O C.C. Cream da Chanel foi outro produto caro primeiramente lançado na China e os exemplos podem continuar… Até marcas inteiras de luxo estão sendo feitas especialmente para os asiáticos, principalmente os chineses. A americana Estée Lauder, pode exemplo, está lançando na China a Osiao

Mas o mais importantes a dizer é que também há centenas de produtos excelentes por preços realmente baixos. É muito fácil encontrar uma marca excelente na Ásia por um preço absurdamente alto, mas também é muito fácil encontrar uma marca excelente por um preço extremamente “amigo” (Bioré, Hada-Labo, Innisfree, Curél etc. etc. etc.).

Também há muitas por preços médios, de Biotherm e Clinique, por exemplo, como Laneige, Sofina… E as que custam bastante, como Dior, por exemplo, mas ainda assim “compráveis” por muitos, como Astalift (da Fujifilm), O Hui (da LG), Infinity (da Kosé) e muitas outras.

Onde podemos comprar produtos orientais com facilidade e segurança?

Para produtos japoneses, sem dúvida a minha preferida é a Ichibankao, que fica no Japão mesmo. É a mais cara de todas, mas o excelente serviço compensa, na minha opinião pessoal. Até durante o último grande terremoto do Japão eles conseguiram enviar minha encomenda dentro do prazo. Além disso, caso alguma coisa não esteja no site, você pode mandar um e-mail a eles solicitando orçamento.

Também há a Adam Beauty, nunca comprei nesta loja, mas é elogiada por muitos. Como fica em Hong Kong, uma “terra” praticamente livre de impostos e burocracia, oferece preços bem baixos.

Os sites destas lojas são altamente podres, porque não são revendedores oficiais, e sim pequenas lojinhas de pessoas “comuns”, por assim dizer. Mas o importante é que são confiáveis.

Também há a Sasa, que é uma enorme rede de lojas físicas. A Sasa também não é uma revendedora oficial, e sim uma outlet, mas também é confiável.

Não tenho muita experiência com o Ebay, mas os vendedores sul-coreanos e japoneses costumam ser muito confiáveis, pelo que “escuto”.

Na verdade, a única loja online pela qual eu compro é a Ichibankao, já que eu tenho três “fornecedores” que são pessoas físicas. Dois no Japão e um na Coreia do Sul. rs Eles mandam qualquer coisa que eu encomende e compram onde eu determinar, assim tenho a oportunidade de comprar nas lojas oficiais. Uma delas é a Lotte, que é uma grande cadeia de lojas lembrando muito a Sephora. Comprar na Lotte é uma maravilha porque há praticamente todas as marcas do mundo lá, sejam ocidentais e asiáticas, e eles me enchem de amostras e brindes magníficos. haha Mas não enviam para fora da Coreia do Sul e seu site é todo em coreano. Por isso que tenho estes “revendedores” que compram onde eu determinar. Geralmente a taxa do serviço deles é de US$ 30.00 por pedido mais o frete.

No Brasil, há a Vania. A Vania também tem fornecedores na Coreia do Sul e Japão que podem comprar nas lojas oficiais que ela bem determinar e tenho uma excelente experiência de compras com ela.

Destaco que não tenho absolutamente nenhum conflito de interesse com vendedores e lojas citadas.” 

Gente, fiquei nude com reflexos dourados com tanta informação importante e curiosa! Como assim as orientais passam cerca de 10 produtos de tratamento todos os dias, além da maquiagem? E um creme que custa 13 mil doletas??? E essa espuma toda do limpador da Sofina gzuis?? Desejei várias coisas Pedro, desde o aplicador de base ao protetor solar, claro. Realmente, é tanta coisa diferente que fico até meio perdida em escolher algo, mas o protetor solar tenho CERTEZA que vou comprar em breve, vou procurar no eBay!

Muito obrigada pela entrevista! E quem quiser conhecer um pouco mais sobre os produtinhos de beleza orientais, confiram o East To West Skincare e o Twitter do Pedro @easttowestsc!

28
Jul 2011
Futilish Entrevista: Fabiana Saba
Moda

Sempre que vejo a Fabi Saba penso em duas coisas: o quanto eu amava assistir Interligado (tipo, eu torcia mesmo! hahaha) e a história de amor que ela viveu (e ainda vive né Fabi?).

Fabiana Saba é ex modelo e também foi apresentadora de televisão (na Rede TV, lembram?). Conheceu seu marido, americano, em NY (que ela frequentava desde os 15, como modelo), namorou à distância, não deu muito certo e terminou. Mas por coisas do coração, depois de mais de um ano, eles voltaram e Fabiana largou tudo no Brasil, foi morar nos USA, especificamente em Manhattan, NY, e hoje eles têm duas filhas lindas, Victoria e Rebecca. Não é coisa de filme?? De suspirar no final…

Hoje, além de super mãe, Fabi é coordenadora de eventos de uma fundação bem legal, a Brazil Child Health. A fundação ajuda famílias de crianças do Hospital da Lagoa no Rio de Janeiro e outros a saírem da miséria. A ajuda é de todo tipo: tirar documentos, assistência social, psicológica, cursos profissionalizantes e até reforma de casas! Tudo isso para que essas crianças e suas famílias tenham uma vida mais digna. Tem como não admirar Fabiana Saba??

Bom, daí que um belo dia vi que a Fabi estava no Twitter (@fabisaba) e usei meu melhor óleo de peroba e pedi uma entrevistinha pra gente! E ela é um amor de pessoa, e super gentil, topou na hora! Foquei em perguntas sobre o estilo de vida das mulheres em NY e dicas para quem ama a cidade ou pretende conhecer! Afinal, quem melhor que uma brasileira/novaiorquina para nos contar essas coisas?

Futilish entrevista, Fabiana Saba

Futilish Pergunta – Como foi sua adaptação em NY? O que você acha que NY tem que o Brasil não tem??

Fabi Responde – Eu amo NY! Já vinha pra cá desde os 15 anos a trabalho e passava meses aqui, então quando voltei pra cá de vez já estava bem adaptada. O difícil é ficar longe da familia…

FP – O que você acha que NY tem que o Brasil não tem??

FR – O que eu mas gosto de NY que não tem no Brasil é poder sair a pé com as crianças, sem medo, tranquila, isso não tem preço.

FP – E o que o Brasil tem que NY não tem??

FR – As pessoas! Ah, e as praias!!! Amo ir pro Brasil, viajar por esse país tão lindo! E adoro estar com o pessoal aí, comendo um churrasquinho, batendo papo…

FP – No Brasil, as mulheres são muito preocupadas de sua beleza, estão sempre indo ao salão para fazer unha, depilação, tratar o cabelo, fazer massagens… Em NY existe o mesmo cuidado com o corpo e a imagem?

FR – Sim e não. Aqui depende muito da pessoa. Algumas mulheres são bem desencanadas e isso é ok aqui. Mas outras estão sempre impecaveis!

FP – Você tem algum ritual de beleza? Aquilo que você faz todo santo dia e não abre mão?

FR – Eu não tenho muitos porque infelizmente sou um pouco preguiçosa com isso! Aliás agora que passei dos 30 preciso melhorar isso!
O mais importante pra mim é não dormir de maquiagem. Tento nunca fazer escova nem nada no cabelo pra sempre deixar os fios saudáveis (a não ser que tenha um evento, claro). Faço limpeza facial a cada 2 meses e passo hidratantes (de manhã um da Murad com protetor solar e a noite Bioelements). Tento não usar muita maquiagem mas se acordar com a pele sem graça passo o Tinted Moisturizer com protetor solar da Laura Mercier.

FP – Como é o ambiente em um salão novaiorquino?? Parecido com os brasileiros?

FR – Acho que todo serviço no Brasil é um pouco mais personalizado. Amo ir no salão no Brasil, vou há anos no Ricardo Cassolari do L’autre Femme e sempre me sinto super amiga de todos, converso, bato papo, enfim… Aqui também vou em um salão há anos e até converso muito com meu colorista (adoro ele também), mas é diferente!

FP – Você indica algum salão em NY?  

FR – Faço minhas luzes no Anthony & Leonard Salon com o Anthony (ele faz a Rihanna entre outras), e adoro o Maria Bonita que é brasileiro e é maravilhoso!

FP – Qual a prioridade da mulher novaiorquina ao se tratar de vaidade: roupas, maquiagem ou corpo (pele, dentes, estar sempre magras)?? Você poderia nos contar um pouco como são as novaiorquinas em geral?

FR – As novaiorquinas são muito diversas, algumas andam maquiadas, outras não, algumas parecem saídas do “Sex and The City” com a produção incrível, outras de roupa de ginástica e rabo de cavalo o dia todo. Mas uma coisa elas em comum: todas são magérrimas!!! É incrível, elas correm, fazem academia, yoga, pilates, core fusion e comem uma saladinha… São magras magras magras!!! Independente da idade. Tem umas senhoras de 80 anos com um corpo todo magro e malhado de pilates! Aff, e eu aqui gordinha… hahaha

FP – Agora sobre comprinhas, qual loja foi seu maior achado em NY? Aquela que os turistas não conhecem ou passam direto sem dar atenção…

FR – Eu amo a Scoop e gosto da Olive and Bettes.

FP – Você gosta de fast fashion?? Na sua opinião, qual a melhor loja em se tratando de fast fashion em NY?

FR – Gosto sim! Gosto da H&M bastante, aliás, tem uma perto do Briant Park que tem roupinhas de crianças também, então eu amo!

FP – E produtinhos de beleza?? Tem algum que você descobriu aí em NY e amou?? Conta pra gente!!

FR – Como disse, não uso muitas coisas. Tenho que sempre ter um gloss e tenho de quase todas as marcas… Cremes eu mudo bastante menos o Tinted Moisturizer da LM que eu uso há anos!

FP – Agora sobre passeios… qual você acha que todo turista deveria fazer, algo diferente e bem new yorker? E qual nem deveria perder tempo??

FR – Ultimamente só tenho feito passeios de crianças… hahaha… Tem um guia, o NYLocalGuides que é de umas amigas que faz updates constantes no website sobre coisas pra fazer aqui, e é só coisa bacana, sabe. Vale olhar antes de vir…

FP – E qual restaurante que você super indica??

FR -Eu adoro a comida do Philippe e Waverly Inn. (Nota da Constanza: não achei os sites exatos, e não tinha certeza dos que achei, então preferi não linkar)

FP – E tem alguma balada imperdível?

FR – Aff… faz tempo que não vou em balada… hahaha… Quando quero sair, o meu amigo Fernando Tormena que é um amigo promoter incrível aqui, sempre me dá um toque do que tá rolando quando queremos sair! Mas eu só gosto de lounges e não de balada mesmo, sabe.

FP – Para finalizar, qual conselho você daria para as meninas que amam NY, estão de viagem marcada e querem aproveitar o máximo da cidade?

FR – Fazer download do NYLocal e também ir no Twitter e Facebook e perguntar pros amigos o que está rolando na cidade aquela semana. Mas olha, também vale fazer umas coisas de turista, tipo ver uma peça na Broadway, passear no Central Parketc, porque é bom demais!

Queria agradecer à Fabiana Saba pela enorme gentileza em dividir com a gente essas dicas preciosas! E admiro ainda mais pela dedicação como mãe, esposa e seu envolvimento em causas sociais.

Beijos!

Página 1 de 212