14
Dec 2016
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

O que temos para hoje?

Caso 01 – Simara

Olá Cony, primeiro queria dizer que AMO seu blog e que amo mais ainda o Chora, LEIO TODOOOS! rs O meu mais uma dúvida, uma incerteza. Seguinte, namoro há 14 anos, amo meu namorado e ele é A pessoa pra mim, temos um relacionamento muito bom, somos companheiros da vida mesmo. Porém, mesmo mega feliz com ele, de vez em quando eu me sinto tãão atraída por algumas pessoas, e sinto uma vontadinha de poder curtir isso sabe, jamais trairia ele, mas sinto/já senti atração bem forte por outros homens, atração física apenas, que fico me sentindo culpada sabe. Quero estar com ele pra vida toda, mas as vezes tenho vontade (não coragem, só vontade) de dar uns peguinhas em outras pessoas também. Você que também namora já passou por algo parecido ? quando isso acontece fico me sentindo a pior pessoa do mundo. Queria ouvir a experiência das outras leitoras que também tem relacionamento longo.

Normal! TODO mundo dá uma reparada em outras pessoas, sente atração. Só que aí o que fala mais alto é o respeito por quem você está. Você pode achar outras pessoas bonitas e atraentes, mas que não passe disso. Se deixar passar, aí já é falha de caráter e sinal que as coisas que não estão tão boas assim.

Caso 02 – Simaria

Olá, Cony! Tenho 30 anos e conheci um rapaz no Tinder recentemente. Conversamos durante uns 5 dias, todos os dias, sobre várias coisas (gostos pessoais, trabalho, expectativas, etc.). Desde o princípio ele mostrou que procurava um relacionamento sério. Saímos duas vezes (num sábado e num domingo) e ele foi muito respeitoso e carinhoso.

Na terça-feira, disse que queria conversar comigo pessoalmente. Nos encontramos  e ele me contou que estava passando por problemas no trabalho. Ele trabalha numa escola e estava exercendo uma função que não era a dele. Além disso, estava tendo problemas de relacionamento com a direção e equipe pedagógica. Ele foi ao médico e foi diagnosticado com depressão.  Resultado: ele foi afastado do trabalho por 45 dias. Ele também me contou que se sentia um pouco mal pois já passou dos 30 e ainda morava na casa do pai, que, segundo ele, é um pouco metódico. Aceitei tudo numa boa. Disse pra ele que era só uma fase ruim que logo iria passar e que ele tinha o meu apoio. 

Na quinta saímos para jantar. Ele parecia bem; conversamos bastante e ele até me convidou pra passar o fim de semana numa chácara no fim de semana seguinte com uns amigos dele e viajar no Reveillon com ele. Mas, no sábado, ele me contou que não estava bem por causa de problemas pessoais (mas não disse quais eram). Novamente, disse a ele que estava disposta a ouvi-lo se ele quisesse e a ajudar (dentro das minhas possibilidades). 

Desde então estamos nisso (já faz quase 2 semanas): só eu puxo assunto; ele me diz que está numa fase ruim, que está tentando melhorar; que infelizmente eu não posso ajudar; mas ele agradece o meu carinho e preocupação. Não nos vimos mais (e também nunca transamos).

Será mesmo um caso de depressão? Não sei o que fazer… Sei que depressão é um caso complicado. Não sei se estou sendo muito invasiva e indelicada tentando insistir. Se espero por não sei quanto tempo até que ele melhore. Ou se seria egoísmo da minha parte desistir dele e seguir adiante. Eu já estava começando a gostar dele… 🙁 

Enfim… é isso!

Obrigada pela disposição em nos “ouvir”!

Muito problema para pouco tempo de ¨relacionamento¨. Acho que você não precisa dessa carga agora. Fosse seu namorado, marido, ok, mas nem ficante direito é. Vá cuidar de você, procurar alguém mais disposto mas faça isso diplomaticamente. Fale que se ele precisar de algo, pode contar com você mas não fique por conta!

f6aa1b00130d49a64a62d6150951cba6

Caso 03 – Naiara

Oi Cony, meu chora é o seguinte: tenho 26 anos e nunca namorei. Tenho problemas de autoestima, tanto por conta da aparência como pela personalidade. Sou uma pessoa tímida e prefiro ficar na minha. Confesso que já me acostumei a ficar sem ninguém, saio sozinha e curto minha companhia. O problema maior é: o julgamento das outras pessoas. Minha familia e amigos me veem como um ET, sempre comentam o quanto acham estranho eu não namorar. Essa situação me constrange muito e já até inventei que tava de rolo com alguém para que parassem de me encher o saco. Parece que não é aceitável que uma mulher fique sozinha. Não sei o que fazer, o que vc acha? Bjs.

Se é algo que NÃO te atrapalha (o fato de não namorar), continue assim. Você não precisa fazer o que os outros querem, mas sim o que VOCÊ quer. Só me preocupa o problema que você tem autoestima e personalidade… trate isso, faça terapia! Não visando um namoro, mas sim melhor qualidade de vida tá?

704a9baff983cc80890c06261334a610

Caso 04 – Simone

Sou casada com o amor da minha vida, ele me chama de alma gêmea. Tenho uma filha e meu marido se tornou um paizão para ela. Realizamos o sonho da casa própria,  temos bons empregos, enfim tudo para sermos a família comercial de margarina.

Só tenho um problema, minha auto estima é nula. Quem me conhece diz que sou doida. Não sou magra,  mas tenho um corpo bom. De rosto, dizem que sou bonita. Me defino como o tipo que “dá pra andar de mãos dadas”. Sei que quando estou minimamente arrumada, chamo atenção (não,  não sou vulgar! Leio o fufu e sou phyna! rs).

Porém, conheci meu marido em um chat de sexo. Ele teve poucos relacionamentos e muuuuitas “amigas”. Ele é extremamente seletivo, bem fechado, pessoalmente não é muito fácil de se aproximar. Virtualmente é um problema,  ele se afastou do chat e das “amigas”, tento acreditar nisso, mas é viciado em pornografia. Eu tentei ser a descolada e assistir junto, mas descobri que enquanto eu saia pra trabalhar, lá estava ele de novo. Quebrei o tablet e o celular dele (não me orgulho), tivemos tantas brigas horrendas, de perder totalmente o controle e eu bater nele, que tivemos um período horripilante que ele não conseguia se excitar comigo e a pornografia tomou conta, isso durou uns 2 meses. Quando eu descobri,  perguntei o motivo, ele disse que o problema era meu corpo, que está mal acostumado com as atrizes pornô. Tempos depois ele disse que só queria que eu parasse de fazer perguntas, que  só estava chateado com a minha agressividade e que essa resposta seria um ponto final na conversa.

Adivinha o que aconteceu com a minha já inexistente auto estima?

Quando nos conhecemos, parecíamos dois coelhos, não fazíamos outra coisa. E nesse período ele não queria de jeito nenhum. Tentei de tudo, ele pedia pra eu não pressionar,  para não me humilhar. 

Vale ressaltar que eu não ando com micro saia e com mega decote porque eu não me sinto bem, por ele eu andaria de biquíni o tempo todo, “tenho” que dormir nua e ele adora me ver tomando banho.

Pra resumir estou pirando. Passo mal quando escuto o nome de qualquer mulher do passado dele, capa de playboy e etc. Me afastei de todo mundo com medo dos olhares dele.

Não sei se devo acreditar na versão da agressividade ou na do corpo. Pois não falamos as verdades quando estamos com raiva? E se ele faz tanta questão de ver o meu corpo de um jeito ou de outro, como pode perder totalmente o desejo?

Como superar tudo isso? 
Tanta briga que eu não aguento mais e imagino que isso diminua o “amor” dele a cada uma…

Preciso ouvir algo para tentar clarear as minhas idéias. Me ajude, conto com as leitoras tb.

Menina, tá muito contraditório esse caso seu. No primeiro parágrafo você fala que é casada com o amor da sua vida, de alma gêmea, de vida de comercial de margarina, mas o que segue, na minha opinião, é um show de horrores. Percebe-se que sua autoestima é sim baixa, mas achei isso o de menos (em suas devidas proporções, claro). TEM CERTEZA QUE ESSE É O HOMEM DA SUA VIDA? Pense bem, será que você não está imaginando uma vida maravilhosa que não existe? O cara gostar de pornô, ok, normal, aceitável, mas ser viciado, de comparar seu corpo com corpo de atriz pornô, de você TER QUE dormir pelada (porque pelo que entendi você faz isso por ele e não porque gosta) tá muito abusivo!!!! Primeira coisa: tratar autoestima JÁ! Por você, pela sua vida, pelo seu bem! Segunda coisa: terapia pro marido se achar que vale a pena. Pense no quanto ele é bom pra você e no quanto o vício dele pesa em sua vida. Coloque na balança, observe, analise, olhe de fora, veja o quanto te machuca. Veja se se sente segura, amada, se no final de tudo ele vai estar com você, se quando você não tiver mais um corpo legal, ele irá continuar com você. Pense MUITO, analise a fundo! A gente não veio para perder tempo nem para satisfazer o ego dos outros. A gente veio para ser feliz e ser amada, ser digna, ter reciprocidade em sentimentos e ser tratada com respeito. Defeitos todos tem, mas quando eles começam a querer mudar a sua essência, modificam sua forma de viver de maneira negativa ou de maneira que você não concorda, pare. 

17d0f6766430c14a86c47cc53bd121b2

  • Uh, tenso esse último caso hein? Choras ainda suspensos…