04
Nov 2010
Assunto Sério
Editorial

Outubro foi rosa. Foi o mês de Prevenção ao Câncer de Mama e não queria deixar passar em branco este assunto tão importante para nós mulheres (e para homens também)!

Vocês sabem que eu não falo do que eu não entendo bem e por isso pedi para uma especialista no assunto que me ajudasse com um texto informativo e claro sobre a doença.

Quem nos ajudou foi a querida Márlova.

Márlova de Ávila Dutra Câmara nascida em Belo Horizonte, residência médica no Hospital Mater Dei – BH e Hospital Universitário de Pernambuco em Recife. Especialista em Mastologia pela sociedade brasileira de Mastologia e Assoc. Médica brasileira. Residente em Barbacena desde 2000.

Câncer de Mama

O mês de outubro foi escolhido para simbolizar o combate ao câncer de mama e muitas cidades participam desta conscientização iluminando seus monumentos e cartões de visita com a cor rosa, símbolo da mulher, da feminilidade… e nós vamos participar iluminando a nossa ALMA e abrindo nossa cabeça para o que realmente importa: saber identificar a doença.

O assunto pode parecer “pesado” para se falar mas não adianta fechar os olhos e fingir que ele não existe e pior, achar que não vai acontecer conosco. Fazer os exames preventivos também não evita o aparecimento da doença mas possibilita a cura e isso faz toda a diferença.

O que é?

Infelizmente o Câncer de Mama (CAM) é uma doença que dispensa apresentações. Seja por uma vizinha, uma colega ou um parente próximo, todos nós já tivemos contato com ele e as estatísticas confirmam essa impressão inicial: é uma das principais causas de morte entre as mulheres, sua incidência vem aumentando e cada vez mais acometendo mulheres mais jovens.

Fatores de Risco

Os homens também podem ter o CAM mas numa incidência muito menor em comparação com as mulheres.

Todas as mulheres apresentam certo risco pelo simples fato de pertencer ao sexo feminino (que é o principal fator de risco isolado) mas algumas mulheres apresentam uma tendência ainda maior do que as outras. Os fatores mais relacionados  são:

  • Idade: o risco cresce com a idade  (pico entre 54-65 anos)
  • Casos na família (parentes de 1 grau= mãe, irmã, tia, avó)
  • Primeira menstruação muito cedo (antes dos 11 anos)
  • Última menstruação muito tarde (após 52 anos)
  • Primeiro filho após 30 anos
  • Mulheres que não tiveram filhos ou amamentaram muito pouco
  • Excesso de peso, especialmente após a menopausa
  • Uso regular de álcool e cigarro, estresse e falta de atividade física
  • Mulheres que já tiveram um tumor de mama, mesmo que estejam curadas

Diagnóstico

Auto-Exame: o sinal mais freqüente de CAM é um nódulo que persiste mesmo após o término da mestruação, geralmente indolor, do tamanho de uma ervilha. Ele normalmente é duro, irregular, lembrando um pedacinho de brita

Outras formas de manifestação: secreção pelo mamilo,caroço nas axilas, feridas na pele ou mamilo.

Como examinar suas mamas? 

Diante do espelho:


 Eleve e abaixe os braços.
Observe se há alguma anormalidade na pele, alterações no formato, abaulamentos ou retrações.

Durante o banho:

 

Com a pele molhada ou ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a axila. Faça o mesmo na mama esquerda.

Deitada:

 
Coloque um travesseiro debaixo do lado esquerdo do corpo e a mão esquerda sob a cabeça. Com os dedos da mão direita, apalpe a parte interna da mama. Inverta a posição para o lado direito e apalpe da mesma forma a mama direita.

Com o braço esquerdo posicionado ao lado do corpo, apalpe a parte externa da mama esquerda com os dedos da mão direita.

O conhecimento de como é a mama por dentro já mostra porque percebemos frequentemente vários nódulos principalmente no período antes da menstruação devido ao inchaço das glândulas.

Vou contar para vocês o quê se passa imaginariamente dentro de nós e tenho certeza que depois de conhecer a verdadeira história das mamas vocês serão mais tolerantes com essas pobres coitadas…

As mamas foram feitas para produzir o leite durante a  amamentação. Por isso ela já esta apta para “trabalhar” a partir da primeira menstruação – período em que teoricamente já podemos engravidar… Lá dentro existe uma verdadeira fábrica dividida em setores. Temos mais ou menos 20 setores e cada setor coordena dezenas de sub setores produtores de leite. Todo o leite produzido é descarregado em canudinhos que vão se unindo em canudos maiores e seguem em direção ao bico por onde o leite sai. Para não dar confusão eles não usam a mesma saída. São umas 15-20 saídas independentes para cada setor da fábrica (por isso o leite sai como um chuveirinho). Cada setor tem seu gerente e às vezes eles não seguem a mesma regra de estoque de material. Então todo mês cada bolinha começa o estoque de matéria prima para a produção de leite. Elas confiam fortemente que sua hora de funcionar chegou até que chega a menstruação e ela cai na real que não foi desta vez que ela ia mostrar todo o seu potencial. Neste momento o material estocado tem que ser devolvido, daí cada setor volta a murchar. Mas alguns não obedecem e mantêm um estoque escondido, gerando aquele durinho que não passa depois da menstruação. Como dali 15 dias o processo do estoque recomeça, quem não se livrou do estoque do mês passado vai guardar o dobro de material o que leva a ficar mais gorducho que seus vizinhos. Essa trapaça pode ocorrer por uns 3 meses mas o lugar vai ficando tão grande e diferente dos outros que chama atenção do fiscal da fábrica que o obriga a devolver (o que faz a mama voltar naturalmente ao normal). Bom, trapaças à parte, os setores tem que bater metas e normalmente a turma perto das axilas são naturalmente os mais trabalhadores, sempre ganhando como funcionário do mês!

Ao toque percebemos um monte de bolinhas, todas mais ou menos do mesmo tamanho e com a mesma densidade. Podem lembrar plástico bolha, caroços de feijão “cozido” (porque estas não são duras como brita). Normalmente não se encontram bem distribuídas como no desenho abaixo, existe sempre um maior acúmulo de glândulas na região perto das axilas (por isso este local costuma ser o mais dolorido).

Através do auto exame podemos perceber bolinhas como plástico bolha. Normalmente na fase antes da menstruação as mamas naturalmente ficam mais inchadas, sensíveis, pesadas e doloridas. Isso acontece pela retenção de líquidos típica desta fase. Os nervos que passam entre as glândulas inchadas ficam espremidos causando aquela dorzinha em fisgada e a sensação de peso. Com a descida da menstruação, as mamas desincham e voltam ao normal (mas dali uns 15 dias começa tuuudo de novo como um ciclo…).

Quando procurar o médico?

Se depois da menstruação percebemos que uma determinada região permanece endurecida talvez seja bom procurar um mastologista. No exame clínico ele terá condições de avaliar se o tal durinho é so uma glândula inchada ou não. Se for necessário, ele pedirá um ultra som, que é o exame que mostra se o duro é nódulo verdadeiro ou não.

Exame Médico

Assim como fazemos o preventivo do útero com o ginecologista, devemos procurar o mastologista pelo menos uma vez ao ano para uma consulta de rotina, afim de verificar através do Exame Clínico (palpação das mamas e axilas ) a existência ou não de alterações. Dependendo do resultado deste exame e do perfil da paciente (idade, se já teve filhos, se teve parente com CAM,etc) será solicitado ou não a realização de mamografia e/ou ultra som.

Exames complementares

A Mamografia é o exame que faz o “preventivo” das mamas. As mulheres devem fazê-la mesmo quando não estão sentindo nada de anormal pois como estamos falando em “preventivo” significa q a mulher não esteja desconfiando de nada. A MMG é o único exame que consegue enxergar alterações microscópicas chamadas microcalcificações. Estas alterações se parecem com purpurina pois não são palpáveis mas aparecem como um brilho através deste exame.

O Ultra som é o exame que fazemos quando percebemos um nódulo e queremos investigá-lo ou quando queremos complementar a mamografia.

Diagnóstico

Só uma biópsia pode dar o diagnóstico de certeza de CAM. Os exames médicos, mamografia e ultra som só levantam ou descartam a suspeita. A biópsia pode tirar toda a lesão de uma vez ou apenas um pedacinho para análise.

Tratamento

Retirada da mama, quimioterapia, queda dos cabelos, mutilação… Tudo isso dá muito medo só de pensar mas vivemos num período em que o tratamento se modernizou, as terapias são menos tóxicas, as cirurgias mais conservadoras e o resultado estético final pode surpreender! As cirurgias reconstrutoras cada vez mais se aproximam de um resultado de plástica…

Existem muitos tipos de CAM e para cada um, um tipo de tratamento (por isso não podemos comparar: tem câncer que não tira a mama, que não faz quimioterapia, que não faz radioterapia, que não cai cabelo…)

Prevenção

O auto exame pode começar a ser feito a partir da primeira menstruação pois se o objetivo é o auto conhecimento nada melhor do que a menina começar cedo para criar o hábito. Nesta fase, o objetivo não é procurar doença e sim se acostumar com as bolinhas que existem dentro da mama. Antigamente, este hábito não era estimulado pois o CAM também não era muito conhecido e seu tratamento muito limitado. Hoje sabemos que a cura está relacionada com o diagnóstico precoce, quando o tumor ainda é pequeno e ainda não se espalhou.

Como na maioria das vezes é a própria mulher que descobre sua doença, é importantíssimo que conheçamos nossas mamas e suas particularidades (como nossas bolinhas naturais se comportam durante o período menstrual).

O auto exame deve ser feito uma vez ao mês, depois da menstruação ou se a mulher não menstruar, numa data fixa, por exemplo: todo dia 10.

LEMBRE-SE:

  • Se uma mulher teve CAM não significa que as outras mulheres da família também terão a doença
  • Se numa família nunca teve caso de CAM NÃO significa que as mulheres desta família não correm o risco
  • Quem tem silicone nas mamas pode e deve fazer mamografia (não explode!)
  • A maioria dos nódulos de mama são benignos
  • O CAM tem cura se o diagnóstico for precoce
  • Os maiores inimigos na luta contra o CAM são o MEDO e a DESINFORMAÇÃO

_____________________________________

Márlova, MUITO obrigada por essa aula pra gente!! Tenho certeza que todas nós vamos seguir seus conselhos e ficar bem atenta com nossas mamas, né meninas??

E para encerrar, queria deixar um lacinho para vocês…

O principal objetivo do Laço Cor-de-rosa é alertar/informar as pessoas sobre o Câncer de mama.

  • Prevenção – o ato de prevenir o câncer de mama
  • Diagnóstico – detectar o câncer de mama
  • Tratamento – meios de cura
  • Apoio