ComportamentoComportamento
Chora Que Eu Te Escuto
18 jun 2020, 56 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Pulei uma quarta, porque pelamor né? Tô contanto a quarentena pela quantidade de Choras que publico rsrs. Vamos lá:

Chora 01 – Brisa

Oii, Cony, tudo bem?
Queria compartilhar um pouquinho o que estou sentindo e ouvir se possível o que você teria para me dizer sobre.
Eu estava saindo com um carinha há 2 meses e meio e desde o início foi tudo muito bacana, mas eu sempre sofri de ansiedade em relação a ele, nos víamos bastante, dormíamos juntos as vezes de 2 a 3x por semana, nos falávamos todos os dias e depois da quarentena continuamos nos vendo, mas por alguma razão paramos de nos ver, ele falava comigo vez ou outra, era gentil, mas quando eu sugeria de nos vermos, ele nunca dizia não, mas era sempre seguido de uma desculpa: “vou ao dentista hoje, mas de repente podemos nos ver mais tarde” e aí o mais tarde nunca vinha e eu ficava esperando uma resposta. Vez ou outra ele falava comigo no whatsapp ou compartilhava algo no instagram e eu ficava super empolgada, mas ao mesmo tempo indecisa, já que ele dizia que estava com saudades, mas quando eu novamente falava sobre a possibilidade de nos vermos, vinha novamente uma desculpa. Até que em um FDS, aconteceu a mesma coisa, ele deu uma sumidinha e no domingo a noite, me enviou uma música que por sinal muito linda do cold play haha. Ele tem um ótimo gosto para música, é um cara interessante, fizemos várias coisas legais juntos, fui a vários lugares que não conhecia e eu estava encantada (tudo antes da quarentena, claro), mas depois conseguíamos nos divertir na casa dele, enfim. Sei que com a música, eu enviei um áudio no dia seguinte dizendo que tinha adorado o fato de ele compartilhar, agradeci por isso, mas questionei se ele tinha algo a dizer sobre a música, pois o comportamento dele estava sendo tão ambivalente que eu não estava mais conseguindo interpretar, disse também que estava curtindo muito tudo que tinha rolado entre a gente, que era uma vibe muito legal, mas só queria que ele fosse transparente comigo, e aí mandei um beijo. Acho que minha respiração estava um pouco ofegante pois estava muito ansiosa, mas tentei falar em um tom amável, soltei o “não quero que pareça cobrança”, e aí ele nunca mais me respondeu. Eu estou sofrendo tanto com isso, é a primeira vez que isso acontece comigo, pois ele ouviu o áudio e simplesmente me ignorou. Está doendo, me sinto rejeitada. Sinto tanto arrependimento por ter enviado aquele áudio, sinto vontade de pedir que ele me responda, mas não quero forçar a barra com ele. Eu já fui casada e me separei há quase 4 anos e posso dizer pra você que parece que estou sentindo a mesma dor da separação e sabe por que? Quando me separei, tomei a decisão de sair de casa, meu ex não me amava mais, me tratava com bastante indiferença, mas quando eu fiz isso a dor foi tamanha, me pareceu maior do que estar naquela relação. Eu sinto que não banco as decisões que eu tomo, mas ao mesmo tempo eu sofro tanto durante aquilo, mas o após é sempre muito pior.O Guilherme, o cara da história, eu nunca senti segurança, sofri todos os dias, consecutivamente 2 meses e meio de pura ansiedade e indecisão, tudo coisa minha, mas foram momentos incríveis dos quais eu parava de curtir no exato momento que saía da casa dele. Só sei que agora perdi o apetite, choro todos os dias, penso nele o dia inteiro e tenho noites mal dormidas. Meu Deus e eu me sinto péssima por sentir tudo isso por uma pessoa que eu conheci por tão pouco tempo e que infelizmente ignorou tudo que falei. Eu sinto que assustei ele com esse áudio, penso que ele pode estar me achando louca e tudo isso está me perturbando muito. Não estou conseguindo elaborar tudo isso. 
Espero que possa me responder e agradeço imensamente sua atenção.

MULIÉEEEER DO CÉU PELAMORDEDEUS não vá atrás dele. Você criou expectativa, normal, e se ferrou. Ele não quer nada com você. No primeiro momento que ele começou com desculpas pra não te ver, você já tinha que ter cortado e sumido. JAMAIS MENDIGUE ATENÇÃO! Você era apenas um dos pratinhos dele e mandar música, dar mini esperanças de encontro, são táticas pra te manter na área! Falo isso porque EU já fiz isso e aprendi a fazer exatamente com amigos homens! E tenho até siricutico quando escuto coisas como “Eu sinto que assustei ele com esse áudio, penso que ele pode estar me achando louca” e lá é moleque de assustar com áudio de mulher carente? Te achar louca? Ele simplesmente viu que você tava querendo algo a mais e não teve a DECÊNCIA de te responder nem que fosse pra cortar a relação de vez. E APOSTO que quando algum pratinho dele cair e faltar alguém, ele vai te procurar de novo. Só não caia nessa tá?

Chora 02 – Névoa

Cony! Você é linda, muito especial por dar oportunidade pra gente chorar as pitangas, obrigada!!!
Meu chora é diferente dos que já vi.
Na verdade eu sei que as respostas para o meu chora devem ser: Tenha paciência!
E o que pergunto para vocês é: Como conseguir ter e manter a paciência?
Estou desempregada há mais de um ano e já tive ofertas de trabalho, porém todas com salários muito baixos, e por isso decidi estudar para concurso, e aguentar as pontas sendo sustentada pelo marido e pai, temporariamente, para estudar. Eu odeio ser sustentada, sempre trabalhei.
Tenho estudado todos os dias, o ritmo na quarentena diminuiu (família em casa), e eu sei que preciso esperar. Eu fazia uns serviços informais como maquiadora, algo que não atrapalhava estudar. Mas agora em quarentena não aparece cliente, e é melhor assim para o isolamento.
Tá difícil: Não gosto de ser sustentada, mas não quero ganhar um salário de fome e por isso não aceito qualquer emprego, continuo odiando ser sustentada e escolhi estudar para ter um salário melhor. Já virou a cabeça pra baixo?
E eu sinto muita falta do trabalho. Eu amo trabalhar! Me sinto completa, útil! Eu topei um trabalho temporário de vendedora maquiadora da Sephora (Sem o mínimo de experiência) e foi uma delícia!!! Porém não quero isso para a minha vida, trabalhar em pé, atendendo nem sempre pessoas boas… Temporário é bom, mas pra vida não! Eu não quero vender, quero comprar, rsrsrs
Estou tendo oportunidade de estudar para conseguir algo melhor, mas estou com medo de dar errado, tenho medo de estar perdendo tempo… Mas seja o que for, estou me preparando, só que a ansiedade está me matando.

Medita fia, toma remedinhos pra ansiedade (orientada por um médico, claro) e saiba que toda fase é momentânea. A quarentena vai passar, você vai estudar, vai passar e vai ter seu emprego. Apenas mire bem no seu objetivo e não desista até conseguir!

Chora 03 – Orvalho

Olá Cony, depois de anos lendo o Chora, resolvi enviar o meu, para ouvir opiniões de quem está de fora. Meu pai é alcoolatra desde sempre, desde as minhas primeiras lembranças da infância, é assim que lembro dele: completamente embriagado, sempre, em dias uteis, não era só aos fins de semana. Ele e minha mãe separaram eu ainda era pequena. Existe uma negação no comportamento dele: ele não admite estar doente, durante esses mais de 30 anos, meus avós já pagaram tratamento particular pra ele varias vezes, ele começa o tratamento com um unico objetivo: provar aos outros que ele não bebe! Ele volta cada vez pior, perde todos os empregos, não tem a menor responsabilidade, deixa de tomar os remédios para beber, mas quando falamos com ele sobre, ele jura que não é alcoolatra, ele diz que bebe como uma pessoa qualquer, para relaxar. Mas com isso ele já destruiu festa de aniversário minha, formatura e meu noivado (em todos os eventos ele já chega completamente bêbado). Minha turma da faculdade não foi grande, a cerimonia de formatura foi breve, mas pra mim foi interminável, as pessoas pensavam que eu estava chorando de emoção, mas era tristeza, raiva, vergonha e inveja de quem tem pai sem vício. No culto e na colação ele já chegou completamente embriagado, não tirei uma foto após as cerimônias, pq nos 2 dias eu tirei o traje e saí correndo. Ele não tem ideia das sequelas emocionais que deixou em mim, ano passado, priorizei minha saude mental e cortei laços com ele, mesmo morando ali pertinho, não quero saber, não quero notícias dele, não visito, não respondo msg nem ligo de volta. Acontece que minha família me cobra e me acusa, mas eu não aguento mais… Cony, todos os dias me pergunto: Será que estou tão errada assim?

Você não tem que se culpar por fazer o que é melhor pra você. Eu acho que você está certa, se ele não quer ajuda e já te fez passar por momentos tão ruins a ponto de te marcar pra sempre, nada mais justo que você não queira mais dar oportunidade pra isso acontecer na sua vida. Se não adianta conversar com ele, o que fazer? Agora me conta uma coisa, em momentos de sobriedade, você consegue manter uma conversa com ele? Falar o quanto é triste por eles ser alcoolatra e mostrar o tanto que ele te fez mal? Sinceramente não sei muito bem como te aconselhar, pois não sei como realmente é um acoolatra mas não acho que você esteja errada de forma alguma por querer se blindar.

  • Choras por enquanto fechados ok? Em breve faço a chamada novamente!
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
56 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Priscila18/06/20 • 18h22

    Cony tava inspiradíssima nas frases finais!

  2. Thais18/06/20 • 18h35

    Amiga do Chora 1, a resposta já foi dada. Esquece, deleta o contato e parte pra outra.

  3. Paula Cunha18/06/20 • 18h44

    Névoa,
    Boa noite!

    Quando li seu relato… lembrei de amigas minhas na mesma situação…
    quem foi para o ALANON ( grupo para familiares de alcoólatras ) acho q escreve assim, sentiu-se melhor e encontrou um conforto e compreensão!
    O grupo dos familiares… e para doentes tratados ou não!

    Espero ter ajudado,
    Abraço

    • MARCIA AGUIAR21/06/20 • 01h31

      Pensei em dar a mesma sugestão para Névoa. Ainda que o alcoólatra não queira se tratar nem frequentar o AA, é importante a família se tratar. O alcoolismo é uma doença, e toda a família adoece junto com o alcoólatra. O ALANON pode ser de grande ajuda para os membros da família.

  4. Karime18/06/20 • 19h04

    Desculpa pela extensão do texto, é quase um chora, mas sempre li todos e nunca respondia, mas esse de hoje me tocou pelo que vou descrever abaixo.
    Chora 3, vivi uma situação muito parecida com a sua, e só quem passa sabe das dores, vergonhas, cobranças e etc por parte da família e sociedade. Meus pais se separaram tem 20 e poucos anos, tenho 32 hoje, porém ele sempre foi super pai enquanto morava em casa, bebia, mas o alcoolismo de fato veio uns anos depois. Tinha vergonha e não queria que ele fosse pra eventos meu por medo, minha formatura pedi pra alguém ficar grudado nele, e ele vivia de bicos. Durante os últimos 8 anos, já trabalhando comecei a pagar um plano de saúde pra ele, e foi a melhor decisão da minha vida. Acontece que nos últimos 4 anos os problemas se agravaram cada vez mais, algumas internações por contas de quedas pela rua, cenas que prefiro nem lembrar (PS: ele morava na casa da minha avó falecida, com os irmãos). Há 8 meses depois de muitas tentativas e sem ele saber, o levamos ( eu e minha irmã) para uma clínica psiquiátrica e decidimos que seria a última oportunidade dele, nesse meio tempo coloquei ele em um asilo, com cuidadores 24hrs por dia, remédios, e consegui voltar a dar uma vida digna pra ele, no início foi sofrido pq precisei ressignificar meu sentimento por ele, aconteceram muitos problemas de doença e cirurgias com ele no início do ano, e quando tudo estava bem, ele triste por termos tirado a liberdade dele, mas dado um carinho que nem sabia que tinha mais, veio a pandemia. E ontem 17/06 ele faleceu de COVID depois de 3 semanas internado. Fácil ctz não foi, mas vejo que no momento certo fui tocada e tive 8 meses pra ver uma nova pessoa nele e em mim. Sempre tive muito apoio da minha família materna, terapia e precisei abdicar de muitos sonhos por conta dele nos últimos meses, mas vejo que tudo valeu a pena. A pessoa que ele foi, pesou na minha decisão, então acho que cada um sabe até onde consegue tolerar e cuidar, amor tb pode ser uma forma de proteção. Faça o que seu coração mandar, só você sabe tudo que passou, e passa até hoje. E se posso da um conselho, busca uma terapia, só através dela consegui entender a doença e aceitar muitas coisas.

    • Karine18/06/20 • 22h12

      Que mensagem linda…. Senti uma filha sofrendo mas com a sensação de dever comprido … Parabéns, vc vai colher muitos frutos dessa linda atitude com relação a seu pai…

    • Mariana24/06/20 • 18h31

      Sinto muito pelo seu pai. Mas que bom que nos últimos vidas de vida você conseguiu ressignificar o que sentia por ele. Espero que você esteja melhor. Estou na torcida.

  5. Filha de alcoolatra18/06/20 • 19h15

    Impossível eu não escrever para o caso 3. Nasci e me criei convivendo com um pai alcoólatra. Que dizia que ia morrer bebendo, que odiava a si mesmo, que ia sumir, q ia se matar (e eu ficava completamente transtornada com essas ameaças, desde o 5 anos). Comecei a passar em psicólogo muito cedo, era extremamente nervosa, assustada, tinha sérios problemas. Quando ele ficava ameaçando ir embora e q ia sumir (e eu sempre fui mto apegada, o amo demais) eu mentia na escola que estava doente só p ir pra casa e me certificar de que ele estava lá. Lembro que quando era criança eu chorava, gritava me perguntando o porquê Deus tinha me dado um pai alcoólatra. Tanta gente no mundo e tinha que ser logo o meu pai. Na escola fazia de TUDO pra ngm descobrir q ele era assim. Eu era esforçada, dedicada e isso meio que me fazia encobrir o que vivia em casa. Minha mãe vivia com raiva de tudo e de todos, não trabalhava e éramos pequenos, ela devia se sentir presa naquela vida. Bom, cresci, veio a adolescência e eu comecei a piorar com relação a ele. Virei codependente, achava q era responsabilidade minha salvá-lo. Meu pai saia bêbado dirigindo e eu chorava, berrava, com de medo dele morrer ou matar alguém. Quando saíamos juntos eu dizia q preferia morrer junto com ele do que ficar sozinha, sem ele. Mas isso pq meu pai é um cara que admiro muito, eu nao gosto dele apenas como pai, gosto como pessoa, como amigo!!! Tenho orgulho de ter muitas qualidades q ele possui. Queria cuidar de tudo da vida dele e cuidava! Pois ele já estava completamente desorientado. Era eu quem ia no banco resolver as coisas, eu quem fazia td para vê-lo bem. Nessa época estudava para o vestibular. CONTINUA NOS COMENTS…

  6. Juliana Morais18/06/20 • 19h17

    Para o caso 2: Eu estou na mesma situação que você, estudando e sendo sustentada pelo marido. Eu sei que às vezes a ansiedade bate mesmo, mas tenta mudar seu cronograma de estudos, sonhar e planejar coisas com seu emprego dos sonhos, pense a longo prazo. Esses empregos que pagam pouco vão te trazer uma felicidade momentânea e ainda vão atrapalhar seus estudos. A sua hora vai chegar, e você vai agradecer pelo suporte da sua família. Vai valer a pena!

  7. Filha18/06/20 • 19h29

    Chora 3!!
    Oie! Eu entendo você. Meu pai também era alcoólatra (faleceu tem 3 anos) e isso me fazia sofrer muito. Passei a vida evitando que ele estivesse em eventos assim. Nos meus 15 anos, convidei por obrigação. Acho que ele foi e depois minhas tias levaram embora. Na formatura, morri de medo na colação e não convidei para festa, pois queria curtir. Eu não me arrependo, pois fiz o que dei conta e ele fez o que deu. Já perdoei (terapia), mas nunca fomos próximos e tudo bem.

    Fico triste, pois meu tio é igual. Bebe até cair na frente dos meus primos (eu nunca aceitei isso, brigava com meu pai, ia embora e convivia bem menos). Num almoço que uma tia (irmã deles) ofereceu para minhas amigas, meu tio bebeu e foi desagradável, eu morri de vergonha.

    Então, meu conselho é: ninguém é obrigada a conviver com quem fez/faz mal mesmo que seja pai. Sua família precisa entender isso. Se te fizer bem, escreva uma carta para ele dizendo como se sente. Acho que eu gostaria de ter explicado isso para o meui quando estava vivo. Eu queria falar com meu tio para não fazer isso com os filhos, mas minha psicanalista falou que não serviria de nada.

    Fique bem! Cuide de você! Faça terapia!

    • 18/06/20 • 21h39

      Caso 1: Amiga, super te entendo! Também estava com um crush parecido com o seu caso, até o mesmo tempo! Ele começou a ficar dessa forma, mais distante… até que agora no dia dos namorados eu entendi o motivo! Ele assumiu um relacionamento com uma menina no Instagram! Estávamos combinando de tomar um vinho na mesma semana! Foi um baque, mas deixei de seguir, removi dos meus contatos e não quero nem noticias! Não é fácil, mas invista em outros contatinhos, cuide de vc e do seu emocional! Bjs.

  8. Ju18/06/20 • 19h37

    Chora 2: já passei por isso de estudar pra concurso. Já estudei muito, reprovei varias vezes mas depois de anos fui aprovada. Vale a pena? Ô se vale! Mas exige sacrifícios. Pense bem no que você quer: a aprovação sempre vem pra quem estuda e não desiste mas pode demorar. Você está disposta a ficar sendo sustentada enquanto isso? A ficar sem trabalhar? Muitas pessoas dariam tudo pra estar no seu lugar, se dedicando apenas aos estudos. Mas você precisa pensar se VOCÊ aguentar viver assim por um tempo (que você não sabe quanto tempo será…pode ser 1 ano, 3 anos, 5 anos).
    Pelo seu relato você me pareceu ansiosa, imediatista e exigente…nenhum emprego estava bom pra você. Claro que não devemos aceitar menos do que merecemos mas se vc quer tanto trabalhar…

    • May19/06/20 • 00h22

      Pensei o mesmo. Só pensa assim porque tem quem banque e está achando essa situação muito cômoda. Quem realmente quer/precisa trabalhar não usa frases como “não aceito qualquer emprego, continuo odiando ser sustentada e escolhi estudar para ter um salário melhor” ou “Porém não quero isso para a minha vida, trabalhar em pé, atendendo nem sempre pessoas boas…”. Na vida muitas vezes é preciso dar um (ou vários) passo(s) para trás antes de dar um para a frente. Mais humildade vai bem. Corra atrás do seu sonho sim, mas caia na real antes.

  9. Ticia18/06/20 • 19h44

    Brisa,
    Esse cara não merece teu sofrimento. Sequer teve a consideração de te dar uma satisfação. Porque tem homens sim que abrem o jogo e te dão a opção de ficar, te deixando consciente de que não querem nada sério.
    Essa dor que você está sentindo é porque está revivendo os sentimentos da separação, o luto, a rejeição… Experimenta pensar que não é por ele, afinal vcs conviveram por pouco tempo. Acontece muito de a gente projetar em novos relacionamentos o que já vivemos no passado.
    Ahh, e tem a quarentena tb que está mexendo com o emocional de todo mundo e amplia as dores.
    Espero que fique bem, vai passar…

  10. Filha de alcoolatra18/06/20 • 19h49

    Meu pai tbm NUNCA admitiu que tem uma doença. Inclusive essa é uma característica muito forte nesse meio. Nunca ouvi da boca dele que ele era doente. Muito pelo contrário, odeia tocar no assunto. Na verdade, ele sempre viveu um ciclo. Beber muito, ficar num estado deplorável por dias, voltar a trabalhar (ele é autonomo), continuar bebendo para se manter vivo, beber muito, enfim. Mas numa dessas, em 2016 ele já estava há 15 dias bebendo sem parar, o dia inteiro, saindo de madrugava para beber, sem comer e eu enlouquecendo junto. No final desse tempo, ele nao tinha mais forças para levantar da cama, vi meu pai entrar em coma alcoolico se nao fizesse nada. O internamos numa clinica, sofri demais, ele ligava pedindo p EU tirá-lo de lá e eu chorava todo dia. Não aceitou o tratamento, saiu com 3 meses. Mas saiu até gordinho, pois estava só o osso. Desde então ele comprou uma casa no nordeste, na cidade onde nasceu e foi embora. Isso já tem 3 anos. Nos vemos qdo vou lá ou quando ele vem pra cá (só passa 7 dias quando vem). Tem épocas que nos falamos TODOS OS DIAS, tem épocas que ele passa 2 meses sumido qdo está em crise. Resumindo, minha mãe arrumou um emprego há 8 anos, o que mudou a vida dela, eu entrei na faculdade e tbm arrumei emprego, nao dependo mais dele há um bom tempo, meu irmão tem muita mágoa mas toda vez q tento amenizar isso dá briga. Estou na terapia há 3 anos e SOMENTE ISSO me fez mudar completamente a relação q tinha com meu pai e perceber q eu era TÃO DOENTE quanto ele. Lembro de uma vez que viajei para onde ele mora mas no meu último dia lá ele ficou bebado, caiu, se machucou e eu precisava vir embora, voo marcado. Eu cheguei em casa destroçada, chorava dizendo q eu nao podia ter deixado ele naquela situação, como se a culpa fosse minha. Hoje digo q mudei completamente nossa relação. Morro de amor pelo meu pai, mas entendi que toda vez que ele nega a própria doença, escolhe viver assim. É uma escolha dele que não posso mudar. Sobre família, no começo a família de onde ele mora queria q ele voltasse pra cá, mas nem ele um dia quis voltar!!! Sei que é difícil lidar com alguém assim, mas nós vivemos mais de 20 anos em função desse doença maldita que destrói tudo. Nem vou falar dos prejuízos financeiros, isso é notório, nem das brigas, sentimento de humilhação, vergonha, raiva, ódio. Sobre destruir aniversários, eu nunca tinha tido um aniversario pois minha mãe dizia que meu pai ia estragar tudo. Quando fiz 21 anos, juntei dinheiro e fiz minha festa, meu sonho realizado!!!! Hoje tenho 23 anos e mesmo com a terapia, desenvolvi traumas que nunca serao esquecidos. Tenho pavor de qualquer tipo de vicio, pavor de irresponsabilidades. Desculpem pelos textos, mas precisava contar isso para o caso 3, você não está só!!! E se quiser conversar, pode falar comigo. Não sei como é a relação entre vcs, mas se der, diria para se afastar sem abandoná-lo. E não se apegue aos comentarios da familia. A verdade é que essa rotina, essa vida, cansa. Cansa a pessoa (acredite) e quem está ao redor. Por fim, SEJA FELIZ!!!! Essa é apenas uma parte da sua história, uma história que terá um desfecho diferente.

  11. Camila18/06/20 • 20h29

    Miga 1: Esse homi deu mil sinais de que não está tão afim assim. “Tenho dentista” é o pior… quem tá afim cancela até a mãe pra ver o crush. Encerra esse sofrimento aí, ele não tá merecendo sua empolgação. Até porque me parece que o sofrimento tá tão pesado porque você tá revivendo sentimentos da sua separação. Pensa em como vai ser bom ficar com alguém na mesma vibe que você e dá aleluia que esse aí foi embora.

    Miga 2: depender de alguém por enquanto é a única opção que você tem. Não olhe pra isso como uma prisão, olhe como liberdade, já que não tem nada nas suas mãos além do que você já está fazendo. Não tem mil outras opções pra você analisar e sofrer, se entrega pra essa aí com generosidade e energia boa. Fale com seu marido e pais que fica feliz com o apoio deles, compra um material escolar bonito, tira essa nuvem de braveza que dá pra escutar até pela escrita.

    Miga 3: conversa com as pessoas que te cobram sobre o sentimento que seu pai te produz. Certeza que se a pessoa tem boa intenção vai compreender o mal que ele te faz e não vai encher o saco.

  12. Filha de mãe alcoolatra18/06/20 • 20h39

    Todo mundo costuma falar de pai alcoólatra… mas é quando o problema é a mãe?
    E eu, sendo filha única e “sem pai” fico sem saber o que fazer.
    Lembro que eu devia ter uns 14 anos quando minha mãe começou a beber. Antes bebia socialmente… depois passou a tomar latinhas e mais latinhas de cerveja todos os dias. Hoje, bebe quase 1 litro de cachaça todos os dias.
    Ela trabalha e pra quem tá “de fora” está tudo normal. Ela só bebe quando chega e em casa. Mas todos os dias!
    Eu, trabalho o dia todo, chego em casa e nem conversamos! Pq, ou ela está caindo de bebada ou já “caiu e tá desmaiada”
    Minha mãe é uma pessoa muito boa! Sempre fez e ainda faz de tudo pra mim… mas tá se matando na bebida e me matando junto!
    Moramos nos duas e não tem um dia que eu queira voltar pra casa! Agora mesmo to a quase 1h no estacionamento do prédio, sem querer voltar pra realidade que me aguarda!
    Com a quarentena as coisas pioraram, já que ela não tá trabalhando! Já expliquei como me sinto em relação ao vício! Já tentei fazê-la entender que ela é doente! Já briguei! Esperniei! Ficamos sem conversar!
    Já perdi as contas de quantas vezes cheguei em casa e ela tava caída no chão do quarto! Suja!
    Me envergonho dela! Queria morrer pra não ter que lidar com isso e a cada dia Me sinto pior! Meus sentimentos por ela Sao “loucos”!
    Enquanto desejo ir embora pra não passar por isso, sei que deixá-la só vai fazer piorar! Ela só tem a mim!
    Ela tem uma péssima relação com a família e uma história de vida muito triste! Mas nada justifica!
    Ela não aceita ajuda pq não aceita estar doente!
    Ela me mata a cada dia… e eu só desejo que ela consiga! Pq eu não aguento mais!

    • FIQUE BEM!19/06/20 • 15h49

      Moça, fique bem!
      O alcoolismo está sempre me margeando. Todos os meus tios pelo lado paterno foram ou são alcoolatras (alguns morreram em decorrência do vício), pelo lado materno tios e tia alcoolatras (um tio faleceu em decorrência do vício), primos de ambos os lados com dependências químicas e de álcool.
      Mas, em casa nunca sofri com esta doença… mas, já vi muito desenrolar ruim por causa dela.
      Você precisa de atendimento psicológico URGENTE, sua mãe também deveria ter atendimento.
      Pense na possibilidade de uma internação, talvez seja o momento.
      Você precisa estar forte, precisa se cuidar. Sua mãe precisa de você, mas, você precisa respeitar os seus limites, e pelo visto você já ultrapassou todos eles. Procure ajuda médica e psicológica para ambas. Ela está doente e você também!
      Suas palavras são MUITO doloridas e aparentemente você está a beira de cometer uma besteira… não desista dela, mas não desista de você mesma!
      Fiquei muito tocada com esta frase:
      “Queria morrer pra não ter que lidar com isso e a cada dia Me sinto pior!”
      Nada no universo merece que você desista de você mesma! Nada pode ser maior que o seu amor por você mesma, pelo seu respeito por você mesma!

      Busque ajuda!

      Desejo do fundo do coração que as coisas fiquem bem.
      Fique bem! Cuide-se!

    • Bel19/06/20 • 16h12

      Desculpas, nao tenho ideia de como seja isso.. Mas pense em voce, na sua vida, voce nao tem culpa de tudo isso.. Infelizmente eh muito dificil mudar as outras pessoas, mas voce pode mudar voce.. como voce se sente em relacao a essa situacao.. Seja forte, voce merece ser feliz! Agora na quarentena tem muitas pessoas oferecendo terapia online com um preco acessivel (40 reais), se quiser te passo a informacao.
      Muita forca e sorte na sua jornada!
      P.S. Desculpas a falta de acentuacao, meu teclado nao esta funcionando bem.
      Beijos

    • Dani19/06/20 • 22h34

      Poxa vida, espero que vocês fiquem bem!
      Você já falou para sua mãe o que está sentindo? Que você está querendo morrer por causa do alcoolismo dela? Talvez isso dê o estímulo que ela precisa para parar de beber!
      Procurem o alcoólicos anônimos juntas, se abram uma para a outra, procurem terapia e um psiquiatra para tratar o alcoolismo ou o CAPS-AD (CAPS álcool e drogas). Sua mãe também deve ter alguns traumas dentro dela, coitada!

  13. Mine18/06/20 • 20h49

    Caso 1: Provavelmente tem algo por trás dessa sua ansiedade toda por causa desse cara, mas você não contou dos seus relacionamentos anteriores, sua vida em outras áreas, etc. Mas não tá valendo a pena, não. E nunca esqueça, quando um cara está interessado ele move o MUNDO para ver, conversar, agradar, estar presente na vida de uma mulher. Falo isso tanto por observar quanto por experiência própria. As pessoas que namorei, que queriam namorar comigo, faziam de tudo para se mostrar presente, mesmo que fosse a distancia, vc vê claramente que a pessoa está gostando da sua companhia e tem planos. Mas cuida de você, aproveita você, satisfaça suas vontades primeiro, se dê todo o amor, carinho e zelo do muuuundo.
    Caso 2: Assim… Vou te dar uma opinião minha, se você está nessa loucura de arrumar um emprego por todos os benefícios q ele nos propõe (sabemos q independência financeira muda completamente a vida de uma mulher), talvez deveria aceitar algum. Mas isso só vc poderá analisar. Não sei se é formada, para quais vagas está se candidatando, mas pense que você pode começar ganhando menos, mas tem garra para subir de cargo, fazer cursos, se aperfeiçoar. Falo isso pois muitas vezes essa busca pelo emprego que atenda todos os seus requisitos e pague o salário q espera pode demorar bastante e pelo visto vc está bem disposta a trabalhar, conquistar seu lugar. No mais, continue estudando para o concurso dos sonhos, mesmo que vá devagarzinho, continue estudando. Estudar SEMPRE vale a pena, principalmente p pessoas que estão sedentas pela vitória como você =)

  14. Taisa18/06/20 • 20h56

    1. Deixa q eu resumo: Ele nunca esteve afim de você.

    2. Respira fundo e lento.

    3. Não está nada errada. A sua saúde é mais importante do q a de alguém q escolheu nao se cuidar. Fica firme e toca o barco!

  15. Lola18/06/20 • 21h00

    Para a moça do CHORA 2: HUMILDADE! Para agora e para quando alcançar seu objetivo: HUMILDADE!

  16. Nandi Felix Trindade18/06/20 • 21h10

    meu pai é alcoólatra, em momentos de sobriedade ele simplesmente ignora qlq abordagem sobre o tema. como adicto ele nao assume/aceita q é doente e q precisa de ajuda. ele é uma pessoa boa, mas deixa marcas negativas por onde passa. eu nao sei numerar todas as vezes q chorei, por vergonha, medo, decepção, tristeza de td que presenciava. sempre tive medo de me envolver com caras q bebiam, pq nunca quis isso dentro da minha casa, qlq cervejinha q um crush tomava eu caía fora, é sério… pense o tamanho do meu medo de reviver o q vivi??. por acaso do destino, ou das orações da minha mãe, meu marido tem alergia a bebida, qlq uma, ele fica vermelho, cheio de bolota na cara, e escolhe não beber nada, pra nao sofrer com a tal alergia.. hj meu pai tem quase 60 anos, continua bebendo diariamente, já está com a 5a esposa depois da minha mãe, ngn da conta não, é phoda.. eu mantenho contato, mas tbém me mantenho afastada, pra me manter bem da cabeça….

  17. 18/06/20 • 21h47

    Caso 3: Meu pai é alcoólatra e também nunca aceitou se cuidar! Te entendo totalmente pois já tive vários constrangimentos ao longo da vida por causa dele. Fiz constelação familiar pra entender o meu papel na relação com ele e parar de tomar um lugar que não é meu!!! Ele não trabalha e depende financeiramente de mim e da minha irmã. Faço hoje o que dou conta e já acho que faço muito e faço por mim, pra dormir tranquila e não por ele. Ele está internado em uma casa de repouso pq quase morreu desnutrido pq só bebia e não se cuidava. Quase fui denunciada pela assistente social pelas condições que ele foi internado na UPA da última vez. Tento pensar a todo momento que foi uma escolha dele! Não posso parar a minha vida! Eu pago as despesas, visito semanalmente mas não convido pra comemorações, nem trago pra minha casa. Ele está lá porque ele quis essa vida, não eu!

    • Laís23/06/20 • 22h33

      Era isso que eu ia comentar, a constelação familiar pode ajudar muitos os familiares nesse processo todo, de como você se encaixa, das culpas… enfim. Minha mãe é consteladora e sei o quanto esse processo pode aliviar e ajudar. Pra quem quiser se informar melhor, o insta dela é @edda_eva
      Quem quiser pode falr comigo tb. Mt força pra vocês

  18. Marina18/06/20 • 22h32

    Sobre o caso 1, tá claro que o cara curtiu enquanto queria curtir e você se apaixonou. Todo mundo já passou por isso, bloqueia em todas as redes sociais, exclui o número, tira ele da sua vida. Senão você sempre vai estar disponível para ele, isso vai fazer mais mal do que bem, ele vai te procurar quando estiver necessitado, você vai achar tudo perfeito, ele vai sumir e você vai ficar triste de novo. Não aceite migalhas num relacionamento.

  19. Natália18/06/20 • 22h36

    Cony, meninas! Sou a concurseira. Obrigada pelas palavras! Era tudo que eu precisava ler hoje! Achava que meu chora nunca seria publicado. É bom saber que é apenas ansiedade MESMO e que eu vou passar… É bom lembrar de que muitos gostariam de estar no meu lugar se dedicando apenas aos estudos. Às vezes é muito ruim não poder se arrumar, ver gente, ser útil, isso faz tanta falta! Mas sei que demora e não posso desistir.
    Nessa quarentena estou especialmente ansiosa rsrsrs… Já estou tomando remedinhos e chazinhos de camomila 🙂
    Agora o chora é: Quando vai ter prova e como pelamordedeus???? Como ficam os concursos com essa pandemia??
    Enfim, respira, espera, respira, espera…

    • Natália19/06/20 • 14h40

      Concurso é um projeto de vida, não só sua, mas em comum com a família. Veja a pandemia como uma oportunidade de botar todos os seus resumos em dia e, quando sair o edital, já estar com tudo pronto e só ficar fazendo milhões de questões pra ficar afiada! Outra dica é não deixar de enxergar outros editais. Não tire o foco do concurso que você deseja, mas faça todos as outras provas que o conteúdo permita e não foque tanto em salário, mas na sua estabilidade, no salário certinho, no final de semana garantido, nas férias planejadas com antecedência, além disso você estará fazendo um trabalho relevante para a sociedade em geral, prestando serviços necessários, dando informações corretas, agilizando a vida as pessoas. Existe muito mais no funcionalismo público do que salário. Seja humilde e faça outras provas. Maior parte dos servidores já passaram por vários órgãos. Só se acomoda quem se deixa acomodar. Ah, uma outra moça disse aí que esperou 1 ano… pois eu esperei 4 longos anos e, mesmo assim, acho que valeu muito a pena.

    • Fernanda19/06/20 • 16h59

      Querida, eu sou concursada (defensora pública) e sei como é esse perrengue. Tá difícil pra todo mundo estudar e manter a rotina. Fique feliz pelos avanços de cada dia e esqueça os dias que não renderam como você queria. No mais, não esqueça que o processo todo tem muito ensinamento e muito valor. Ir atrás de um sonho é um privilégio para poucos e depois vc vai colher e vai comprar as coisas, ter mais liberdade e se sentir realizada. Passar em concurso é difícil porque é muito bom e muita gente quer. Eu sempre tive ajuda da fé também… confiava que meu caminho estava guiado por Deus e Ele me tirava a ansiedade. Então sugiro não descuidar da parte espiritual tb. Força!

    • Marcia Aguiar21/06/20 • 01h38

      Segura a ansiedade, se der faça terapia, e lembre-se o quão privilegiada você é por não ter que aceitar qualquer salário meia boca, pois tem ajuda de seu pai e marido para se dedicar aos estudos.
      Boa sorte nos concursos!

  20. Mine18/06/20 • 22h42

    Caso 1:
    Você está bem ansiosa por causa dessa situação e não é uma ansiedade boa, gostosa e correspondida. Não sei sua história, seu histórico de relacionamentos, em que momento sua vida está, mas essa ansiedade não está e nem vai te fazer bem, principalmente por uma pessoa que não vem demostrando interesse. Sei q vc já deve ter escutado isso, mas reforço, quando um homem quer, ele faz de TUDO para estar presente, conversar, ligar, mandar mensagem, saber da sua vida. Vi isso com os outros e comigo mesma em todos os namoros. Eles demonstravam que queriam estar comigo, não tinha empecilho no mundo, muito pelo contrário, davam jeito em tudo para ver, fazer planos, enfim. Trate o motivo dessa ansiedade. É expectativa? é medo de uma nova frustração? é paixonite? é medo de ser rejeitada? O que está por trás disso? Pois correspondida vc não está sendo.

  21. Mine18/06/20 • 22h50

    Caso 2: Olha, vou dar minha opinião. Você parece estar completamente desesperada para arrumar um emprego. E concordo que a independência feminina é capaz de mudar vidas! Meu Deus, como isso tem o poder de nos transformar. Ter uma rotina, novos amigos, um ofício, um salaaaaaaaaario, satisfazer nossas vontades, realizar sonhos, etc. Eu não sei se você é formada, para quais vagas está se candidatando, mas gostaria de falar uma coisa. Se está com tanta vontade de trabalhar, mas tanta, por que não repensar e aceitar um emprego, mesmo que pague menos? Claro, essa decisão só vc pode tomar. Digo isso pois tenho receio de vc ficar esperando o emprego que atenda todos os seus requisitos, que ofereça o salário que está disposta a ganhar e esse emprego não apareça tao cedo. Pense que você pode começar com um salário baixo e ir ganhando seu espaço, se desenvolvendo, fazendo cursos, se atualizando naquela área. Isso é só uma sugestão. Outra coisa, continue estudando mesmo qdo arrumar algo, se passar num concurso é realmente uma meta. Estude, mesmo pouco, mas continue. Estudar é a melhor coisa que uma pessoa pode fazer, nunca é perdido, nunca. Não tenha medo de abrir o leque, enxergar novas possibilidades, se movimentar, se aperfeiçoar para ganhar seu espaço. Vc tem sede de vitória, garra e está doida p trabalhar. Mulher, tu já venceu!!!

  22. Caren Gonçalves da Silva18/06/20 • 22h55

    Para o Caso 02
    A Cony está certíssima, como sempre! Rsrsrs
    Eu estou em uma situação muito parecida.
    Sou advogada há quase 3 anos, sempre trabalhei e me virei sozinha. Esse ano eu vi que não conseguia trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Sai dos escritório que trabalhava, estou largando ainda os clientes e de quebra “me juntei” com meu namorado com a intenção de estudar pois em casa é muito difícil. Tenho irmãos e sobrinho, sem contar que meu pai pensa que se estou estudando estou disponível, sabe. O meu namorado acredita em mim e meus pais também me apoiam nesse sonho, apesar de as vezes não entender que é algo que demora e é difícil pra caraleosss hahahah
    Dependo financeiramente do meu namorado e dos meus pais. Estou nessa faz 4 meses e tô indo bem até, eles me ajudam no que eu preciso e acabo ganhando bastante coisa sem pedir, pq eles sabem que não tenho renda.
    Tenho um dinheirinho guardado pras emergências, mas nem quero usar.
    A vida de concurseiro é muito sofrida e difícil, só quem passa que sabe.
    Nosso sonho é maior e um dia chega, pode acreditar.
    Procurei ajuda com a questão da ansiedade, estou tomando remédio e vou iniciar a terapia (após o corona), quem sabe tu procura alguém também que possa te ajudar.
    Fica bem e só foca nos teus sonhos. Esse dia vai chegar.
    Boa sorte e bons estudos

  23. Priscila19/06/20 • 06h27

    Só quero dizer que estou chorando com o caso 3.
    Vi isso com meu pai e agora com meu irmão.
    Sofro muito com isso e tenho um verdadeiro nó com uma grande mistura de sentimentos, medo do futuro, de karma que tudo isso acarreta.
    E como isso impacta na vida da família

  24. Sandra Sinara19/06/20 • 06h30

    Bom dia!
    A respeito do caso 3, gostaria de dizer o seguinte:
    Há alguns anos, frequento, como voluntária, reuniões do AA Alcoólicos Anônimos. E isso foi fundamental para que compreendesse o contexto dessa dependência.
    Infelizmente, pode não parecer, mas o sofrimento do alcoolatra é indescritível e, pior, ele adoece cerca de 40 pessoas à sua volta.
    Compreendo seu sofrimento, mas comece tratando a você mesma, busque um grupo de apoio. Dentro do AA, existe o Alanon. Tenho certeza de que será uma porta para tentar cuidar de si e de seu pai.
    Assista a uma reunião do AA, não precisa de nada, não paga nada, não será obrigada a dizer nada. Apenas ouça os relatos, permita-se ser acolhida.
    Nestes tempos de isolamento, até reuniões virtuais existem.
    É tudo muito difícil, mas amor e solidariedade ajudam a sobreviver e, como tenho visto, a resgatar vidas.
    Fique com Deus e que alcance serenidade!

  25. Larissa19/06/20 • 08h26

    Chora 01:
    Parece eu me lendo há alguns meses atrás. Também sou divorciada e percebi que todo relacionamento novo que eu entrava, eu me sentia exatamente como você descreveu: pura ansiedade. Ficava criando mil situações na minha cabeça, quando eu não estava com a pessoa me sentia super mal; se eu mandasse uma mensagem e o carinha não respondesse, eu me arrependia de ter mandando e ficava horas (ou dias) pensando e matutando cada detalhe da mensagem. Enfim, é péssimo. E na maioria das vezes, a pessoa nem era tão bacana assim pra tanta preocupação. Carência pura e falta de amor próprio. O que funcionou para mim, foi fazer Constelação Familiar. Descobri que essa carência toda vem de mais de 15 anos atrás, da época do divórcio dos meus pais. Essa carência inclusive me fez ficar anos em um casamento que eu não estava mais feliz há tempos. Após a Constelação, a ansiedade foi praticamente embora e eu percebi que estou mais racional, consigo perceber claramente quando eu tenho realmente sentimentos por alguém ou quando é a carência querendo chegar (e aí eu já corto pela raiz). E mesmo se rola sentimento, eu não deixo mais ninguém me tratar menos do que mereço. Amor próprio é tudo 🙂

    Chora 2:
    Passei por isso também. Tinha um emprego péssimo onde eu dava o sangue por um salário super merreca. Decidi sair para estudar para concursos. Eu era casada na época e meu (ex) marido concordou em me sustentar enquanto eu me dedicava. Mas antes de eu parar de trabalhar, eu juntei um dinheiro para não ter que ficar pedindo tudo para ele, pra manter um pouquinho da independência. É complicado, cansativo, ansiedade vai a mil, exige muita disciplina, uma rotina de estudos bem definida. Eu ouvia muitas críticas de familiares (meus e dele), você precisa abrir mão de muita coisa. Aí você percebe que só o estudo não é tudo, é necessário um controle emocional e psicológico muito forte para fazer as provas (e um pouco de sorte também, haha). Ás vezes é frustante mesmo. E mesmo quando você passa, ainda podem se passar anos para a convocação (existem concursos com até 4 anos de validade). Enfim, é um período de extrema dedicação, mas no final vale MUITO a pena. Eu fiquei assim por um ano até ser convocada. Ser funcionária pública é muito bom, os benefícios são maravilhosos, além da estabilidade. Então, se é realmente o que você quer, força na peruca!

  26. Bru19/06/20 • 09h27

    Chora 1 – nunca ache que vc é o problema. Apenas não rolou e o cara (babaca do caramba e covarde) não quis falar que não estava rolando. O problema desse tipo de cara é que eles mantém várias mulheres por perto para se satisfazer quando quiserem. Não entre mais em contato com ele. Tenho certeza que qdo vc estiver plena e maravilhosa ele irá procurar e é vc que irá ignorar.

  27. Bru19/06/20 • 09h34

    Chora 2 – estudar para concurso: todos passam, é só não parar e abdicar da sua vida por esse tempo. E geralmente é em torno de 3 anos. Vc que tem que decidir se quer fazer algo que gosta e ganha pouco ou fazer algo que não gosta e ganha melhor (no caso, o concurso).

  28. Vanessa19/06/20 • 09h49

    Chora 1: Esse cara tem outra (ou outras), tanto que some o fim de semana todo (hora de ficar com a namorada) e só dá notícias domingo à noite (que já não está com ela e não dá mais pra te encontrar). Te usou, muitos fazem isso e muitos ainda vão fazer (com você e com todas). Ao mínimo sinal de que não quer nada sério ou de que não te valoriza como você merece, suma você da vida dele, antes que ele suma da sua. Se valorize, não fique com quem não te merece. Não corra atrás de macho, eles é que têm que correr atrás de você. Antes só do que mal acompanhada, com certeza absoluta. Paz não tem preço. Homem que tira sua paz, que te traz angústia, ansiedade, preocupação não merece estar com você. Cuide de você, se conheça melhor, faça terapia, aprenda a ser feliz sozinha, aí naturalmente vai aparecer alguém que te mereça e que você merece. Boníssima sorte!!!

  29. Natália19/06/20 • 10h11

    Chora 1: Moça, Cony está certíssima. Esse rapaz curtiu você por um tempo e depois resolveu andar com a vida dele atrás de outras. Sei o quanto é dolorido, já sofri muito por não entender como eu poderia sentir tanto a falta da alguém, querer tanto estar perto, junto, ouvir a voz e essa pessoa não estar nem aí. Pois é, acontece e muito! Mas é preciso tem mais amor próprio e parar de ficar indo atrás de quem te dá migalhas e só manda mensagem para garantir que você esteja ali no radar. Mensagem domingo à noite? Pode ter CERTEZA que ele passou sexta, sábado e domingo mandando mensagem para quem ele está interessado DE VERDADE! Não, ele não se assustou com a sua mensagem. Ele só teve certeza de que apesar das sumidas, ignoradas e mensagens meia-boca você ainda está afim. Ele ESCOLHEU te ignorar, pq ele quer te manter ali ao alcance, caso o plano A dele dê errado. Não seja o plano B de ninguém! Ele não tá sumido, ele está sumido pra você! Bloqueie ele de tudo e bola pra frente!

    Caso 2: Já estudei pra concurso e é muito dolorido mesmo se ver dependendo de parentes, apostando muito do seu tempo e energia num futuro incerto. Acho que primeiro é preciso botar os pés na realidade: quanto tempo as pessoas andam demorando pra passar no concurso que é a sua meta?
    Você está conseguindo estudar bem, rever seus resumos? Seu material está alinhado com a banca? Como está seu índice de acertos em questões? Assinou algum site e questões? Eu estudava tudo de novo se não acertasse, pelo menos, 80% das questões. Fazia mais de 30 questões todos os dias. Criava vários mnemônicos. Refazia a mesma questão várias vezes. Você está tirando nota para ter redação corrigida? Nem adianta estar nessa agonia toda se você ainda não está tirando notas competitivas…
    Pare, repense mais quanto tempo você consegue ficar apenas estudando. Converse com seu pai e marido, veja mais quanto tempo eles conseguem manter você. Mas o principal é você decidir que quer isso! DECIDA com a sua cabeça e coração, dê tudo de você no que você decidir! Pois se a sua energia não estiver ali, não vai render fruto nenhum.

  30. Iza19/06/20 • 10h19

    Brisa, miga, eu acho que você também ta fantasiando o quanto era bom com ele, você mesma disse que enquanto estavam juntos “eu nunca senti segurança, sofri todos os dias, consecutivamente 2 meses e meio de pura ansiedade e indecisão,” Para de romantizar o que era bom, e OUÇA MAIS A SUA INTUIÇÃO.
    Mandar mensagem cobrando satisfação não tem nada de mais, se o cara some por causa disso, é pq ele ja era um banana e ia sumir de qualquer jeito! LIVRAMENTO AMIGA.

    Névoa, Assuma a decisão que você tomou para você mesmo, tem que se bancar e ser responsável pelas escolhas, não da pra ter tudo, ou você quer passar no concurso, e assumir que precisa ser sustentada por um tempo pra isso E TA TUDO BEM, ou você que trabalhar.. Não pra da ter tudo. Assuma suas escolhas e banque elas enquanto elas durarem sem ficar se martirizando por isso.

    Orválho, procure terapia e se fortalecer.. independente do motivo, ninguém é obrigado a conviver com quem nos faz mal. Claro que quando é família é mais difícil, nesse ponto a terapia pode te ajudar. Quanto aos seus outros parentes, discuta sobre eles também na terapia… como bem disse a foto da Cony, familia é quem te apoia…se eles são capazes de ser compreensivos com seu pai, tenho certeza que com dialogo serão também com vc, caso voce queira tentar. Boa sorte

  31. Milena Idelecia Ferreira19/06/20 • 10h29

    Só para comentar que os conselhos para o caso 3 estão fantásticos.
    Graças a Deus, meu pai não tem esse vício e nenhum outro, mas com certeza para quem passa por isso está sendo reconfortante ler/saber que não está só.
    Mais uma vez Cony você presta um serviço de utilidade pública, abrindo espaço para essa troca tão rica de conhecimento e empatia.

  32. Joana19/06/20 • 13h23

    Brisa, vim comentar o seu caso. Tenho uma história um pouco parecida com a sua. Também já fui casada e me separei há cerca de 3 anos. Há um tempo resolvi instalar um app de relacionamento, falei com alguns carinhas, nenhum muito interessante. Mas teve um, sim, bastante interessante. Nos falamos várias vezes (por mensagem – ele me convidou para sair, mas ainda não nos vimos por causa da quarentena). Enfim, só sei que meio que me apaixonei pelo dito cujo, sem nunca ter visto na vida, vê se pode um negócio desses. E agora estamos há cerca de uma semana sem se falar (!). Estávamos naquela de uma vez um manda mensagem, aí na outra vez o outro manda, e assim vai. Não acho nada demais a gente entrar em contato com os boys quando temos vontade, mas acho que tem que ter um equilíbrio, sabe? Eu fui a última a mandar mensagem há uns dias, ele me respondeu, falamos, tudo bonitinho. Mas agora mais nenhum sinal de vida… O que quero dizer é que criamos expectativas mesmo, esperamos as coisas das outras pessoas. Eu ainda não descobri uma forma de não criar nenhuma expectativa, ainda mais sobre alguém em quem estamos interessados, mas o que aprendi foi que devemos focar em nós mesmas. O que eu estou fazendo por mim? Aprendi a meditar, estou ouvindo muito mais músicas, fiz uma lista nova no Spotify que está me deixando super pra cima, estou fazendo exercício todos os dias, e por aí vai. Não podemos deixar que nenhum carinha, e nem ninguém, “controle” a nossa vida. Ainda mais eu e você que já passamos por uma separação e sabemos o quanto dói. Já passamos por muita coisa!!! E superamos! Sobrevivemos! Pense que o melhor ainda está por vir :))))

  33. Debora Parreira da Silva19/06/20 • 15h28

    Chora 3- Você não está errada, mas você precisa começar a falar para todos como é que você se sente sobre isso. Não conheço sua vida, mas olha o que vc diz, “Ele não tem ideia das sequelas emocionais que deixou em mim”, “Minha turma da faculdade… formatura… as pessoas pensavam que eu estava chorando de emoção, mas era tristeza”.
    Porque está guardando isso só para você???? FALE. Comece falando para a sua familia que te cobra, explica como você se sente, seja honesta. Seu pai não consegue ser honesto e falar que ele bebe. Comece vc a ser honesta com os seus sentimentos e falar para as pessoas inclusive para ele como é que você se sente em relação a isso.

    • Orvalho19/06/20 • 20h30

      Débora, todos já sabem o que sinto, como me sinto. Esse assunto não é tabu na família, falamos bastante sobre isso, até buscando novos meios de ajudá-lo. Depois da minha formatura, quando começaram a perguntar pelas fotos, eu disse a todos os familiares que apesar de ter assinado um contrato com uma empresa, não tirei as fotos que estavam incluídas no meu pacote e narrei detalhadamente tudo que ele fez, todo o transtorno que ele causou no evento. Assim como sabem dos dias pais na escola que ele nunca foi pq na hora estava bêbado, das vezes que eu sai pra buscar ele dormindo nas calcadas dos bares e tantos outros acontecimentos. Na hora os familiares dizem me entender, dizem palavras bonitas, depois voltam a cobrar que eu não me afaste e não desista dele, ou seja, não entendem, só dizem da boca pra fora! Os conselhos aqui foram muito válidos, a partir deles busquei ajuda e já começo tratamento na próxima semana…

  34. Leitora do Fufu19/06/20 • 16h31

    Esse chora 1 parece o meu caso, essa parte até arrepiou “…mas foram momentos incríveis dos quais eu parava de curtir no exato momento que saía da casa dele”.
    Tem uma pessoa que eu falo com ele todos os dias sem falta já tem mais de dois anos, ele é incrível e nós combinamos em absolutamente tudo e temos gostos idênticos. No começo ele vinha na minha casa toda semana, falava o que sentia. Depois passou um tempo e apesar de continuarmos nos falando todos os dias ele começou a falar menos sobre o que sentia até que ficou completamente calado sobre esse tema. E ele também fazia isso de falar que iriamos nos ver e depois não aparecia e nem dava satisfação. Eu ficava muito chateada pq eu realmente ficava esperando por ele. E mesmo assim eu continuei falando dos meus sentimentos a ele sem ter nenhuma resposta. E eu sofria muito, muito mesmo, chorava todos os dias por esse silencio e também ficava me culpando por achar que eu tinha “assustado” ele.
    Foi ficando tão chata e triste essa situação que eu parei de chama-lo para vir e também não falo mais nada sobre o que sinto pra ele. E seguimos assim, nos falando todos os dias, ele me manda áudio, foto, vídeo, me conta o que está fazendo, pra onde tá indo, da onde tá vindo, conversamos por vídeo e as vezes nos vemos, o que é incrível sempre e ai eu sinto, mesmo sem ele dizer nada, que de alguma forma é reciproco o que sentimos.
    Por causa disso eu acabei me fechando pra outros caras, mas no fim do ano passado eu me propus a me abrir pra outros caras… Viajei 2x, e apesar de ter ido receptiva não fiquei e também não conheci absolutamente ninguém e ai começou essa pandemia que inviabiliza qualquer interação social. Eu sinceramente não sei mais o que vai ser dessa história.

    • Constanza19/06/20 • 17h40

      Se ele quisesse estar com voce, ele estaria. Não perca tempo onde não te cabe.

      • Marcia Aguiar21/06/20 • 01h40

        Homem quando quer estar com uma mulher faz o que tiver que fazer pra isso acontecer. Desmarca compromissos, viaja quilômetros, dá um jeito. Tempo é questão de prioridade.

  35. Thaís19/06/20 • 18h31

    Pra Brisa, já diria Marília Mendonça:
    “Pra você isso é amor
    Mas pra ele isso não passa de um plano B
    Se não pegar ninguém da lista, liga pra você
    Te usa e joga fora
    Para de insistir, chega de se iludir
    O que ‘cê ‘tá passando, eu já passei e eu sobrevivi
    Se ele não te quer, supera
    Ele ‘tá fazendo de tapete o seu coração
    Promete pra mim que dessa vez você vai falar não
    De mulher pra mulher, supera”

  36. Manu19/06/20 • 19h01

    Orvalho, situação parecida com a minha. Minha mãe é bipolar e se recusa a tomar medicação desde sempre. Minha infância e adolescência foram TERRÍVEIS mas depois de adulta cortei relações e sigo minha vida com bastaaaaante saúde mental. A grande vantagem de envelhecer é poder tomar decisões como essa, priorizar a gente mesma ao invés de qualquer outra pessoa. Não ceda à pressão, só você sabe o estrago que ele fez na sua vida. Eu faço terapia e recomendo demais.

  37. Lu19/06/20 • 20h03

    Caso 1- existe um livro que chama ‘ele simplesmente não está a fim de você’. Toda mulher deveria ler aquele livro, pq muitas vezes não queremos enxergar o óbvio. Se ele estivesse a fim, te ligaria, sairia com vc e te daria atenção. Quando um homem quer, nao eh uma mensagem que vai o afastar. Sinta-se feliz , pq ele estava brincando c vc. Vc eh uma mulher incrível, pessoas vão e vem, se vc ficar insistindo em uma relação meia boca, não vai enxergar k monte de gatinhos disponíveis por aí.

    Caso 3 – minha mãe não eh uma pessoa legal e eu decidi ter uma relação distante dela. E sofri muita pressão da família, mas ninguém passou o que eu passei. Eh fácil para quem está de fora te julgar, difícil eh ser vc. Difícil eh passar o que vc passou. O alcoolismo em uma doença que mata todos ao redor. Se preserve.

  38. Ale20/06/20 • 22h54

    Cresci em um lar em os dois eram alcoólatras. Vergonha e medo eram rotina. Pedia a deus para nunca ficar doente ou precisar deles em um final de semana. Eles nem lembravam que nos existimos. A coisa foi piorando e de alcoólatra de final de semana minha mae evoluiu para todos os dias. Ai vieram as brigas. Eu precisava esconder objetos por medo.

  39. Ale20/06/20 • 23h04

    Cresci em um lar em os dois eram alcoólatras. Vergonha e medo eram rotina. Pedia a deus para nunca ficar doente ou precisar deles em um final de semana. Eles nem lembravam que nos existimos. A coisa foi piorando e de alcoólatra de final de semana minha mae evoluiu para todos os dias. Ai vieram as brigas. Eu precisava esconder objetos por medo do pior. Nao namorei pq tinha medo e vergonha de envolver uma pessoa naquela bagunça. Nunca tive filho pq nao queria expor a criança àquilo. Eu odiava final de semana. Literalmente adoecia pq sabia que teria que ver aquela cena degradante.
    Hoje tenho pavor de barulho. Gritaria. Para terem nocao da extensão dos danos ODEIO ouvir batida na porta. Mesmo em filmes ou na tv. Eu associo a quando alguem ia no meu quarto para que eu pudesse resgatar um deles da briga ou de estarei jogado na sarjeta.

    Tenho ansiedade depressão e mesmo detestando terceirizar essa responsabilidade sei que muito disso veio desse convivio doentio.
    Meus pais se sepraram ha uns 5 anos. E minha mae parou de beber. Meu pai segue e hoje eu tenho muita raiva dele. E pra acabar considero ele um pai narcisista. Sempre me diminuindo. Me acusando de abandono que eu sou racista nao gosto de pobre que nao gosto de ninguém.
    Cheguei ao ponto de nem queree sair de cas apq os vizinhos me hostilizavam dos “maus tratos” que eu fazia com ele.

    Sai da casa dele tem dois anos. Altamente depressiva com sindrome de pânico e pensamentos suicidas. Agravados apos um ano de desemprego.
    Cheguei morta na casa de ninha mae e ate hoje tento me reeguer. Me permitir rir. Sair com amigos.

    Ufa falei mais que nos anos de terapia.

  40. Babi21/06/20 • 23h53

    Caso 2: ele simplesmente não quer um relacionamento com vc. Não foi nada que vc disse ou fez, ele simplesmente não está disponível. Tive um caso assim ano passado, em que o cara sempre dizia que não queria relacionamento sério nem cobrança, mas ao mesmo tempo me apresentou para os amigos e os pais, nos víamos no mínimo 3 dias por semana e eu tinha até roupa na casa dele. Ficamos 4 meses juntos até que em um conversa falei que queria uma definição e ele concordou em namorar cmg. Achei que tudo estava ganho, ficamos 1 mês juntos como namorados e na primeira conversa que tivemos onde eu questinei que ele marcou uma viagem para outro país de férias e nem me contou (fiquei sabendo por amigos em uma janta) ele me disse que eu estava cobrando ele e terminou cmg. Chorei mto, fiquei destruída e passei meses me culpando por ter cobrado ele. Me fechei para outro homens, fui atrás dele ficamos uma vez mas ele não queria ter algo sério que só curtir. Basicamente no seu caso ele não quer namorar, te deu sinais claros disso e sua intuição já sabia. Essa dor que vc esta sentindo é a dor da rejeição. Dois meses realmente é mto pouco. Minha história aconteceu ano passado e dps disso ele já teve outros dois relacionamentos que ficava com a menina mas na hora do namoro ele fugia. Então a única coisa que eu te digo é: não se culpe, o problema não foi a mensagem que vc mandou. Isso que vc esta sentindo é a dor da rejeição, mas vai passar eu juro. Vc merece alguém que queira estar com vc de verdade e sinceramente não é esse cara.

    • Babi21/06/20 • 23h54

      Ops, a mensagem era pata caso 1