01
Dec 2014
A Geração das Mulheres Que Não Querem Filhos
Cotidiano

Hoje o assunto é polêmico e complexo. Ou não.

2014 e cada vez mais me deparo com mulheres que não pensam em ter filhos. E eu acredito me incluir nessa categoria. Já tinha reparado em alguns comentários nos posts passados a quantidade de leitoras que falaram abertamente sobre essa decisão e, não me julguem, senti um certo alívio. Eu me encontro naquela faixa etária que é praticamente o divisor de águas entre ter ou não filhos e durante muito tempo me senti aterrorizada pela falta de vontade de ser mãe. Desde nova, desde sempre, jamais me imaginei mãe. Não tenho jeito com crianças e tenho uma vida tão corrida e agitada que não consigo imaginar a maternidade fazendo parte de minha vida. Nem o Nero consegui cuidar e como ele ficava muito tempo sozinho e em hotelzinho, os “avós” decidiram cuidar dele. Imagina uma criança? Sequer tenho tempo pra mim! O meu relógio biológico parece simplesmente não existir. E toda vez que me vi perto de ser mãe, me apavorei. Por sorte nunca fui pressionada pela minha família, muito pelo contrário, sempre tive o apoio deles em todas minhas escolhas. E atualmente me encontro em um relacionamento que me dá total liberdade de opção, o que me deixa muito tranquila.

size_810_16_9_silhoueta-de-mulher-gravida

Anos atrás eu pensava: “e se lá na frente eu me arrepender?” Acho que esse “lá na frente” já chegou umas duas vezes e nada de eu querer filhos. Hoje em dia as mulheres optam cada vez mais por adiar a gravidez ao máximo e tudo isso por vários motivos: independência financeira, querem aproveitar o máximo da vida, querem viajar, não existe mais a “obrigação” de se manter em um casamento e criar família, a vida de solteira se estende por mais tempo, vida agitada e sem horários, maior dedicação profissional, a violência nas cidades, o medo de não conseguir dar do bom e do melhor… enfim, motivos não faltam. Se antigamente os filhos chegavam na casa dos 20 anos, hoje em dia é aos 30 (arrisco falar de 35 anos pra frente) e logo vejo um baby boom de mães de primeira viagem após os 40 anos. Eu tenho VÁRIAS amigas que, na mesma situação que eu, se perguntam: cadê a vontade de ser mãe? “Não dá tempo, não quero, estou bem assim.” Como li por aí, esse desejo tem que vir de dentro para fora e não mais por uma imposição da sociedade. Ainda bem.

Infelizmente essa decisão ainda é questionada por muita gente, afinal  a “mulher nasceu com o dom de procriar e não deveria desperdiçar essa dádiva!” Certo? Acho que não. Cada um sabe o que quer e como guiar sua vida. Cada um saber o que o faz feliz e se filhos não é um desses motivos, ninguém tem nada com isso. Sempre escuto a típica frase: “E quem vai cuidar de você quando ficar velha??” e acho isso tão egoísta como a decisão de querer uma vida sem filhos, obviamente, para quem possa chamar isso de egoísmo.

Mas enfim, a idade está chegando e a decisão ainda não está 100% tomada. E SE eu me arrepender? Nada nunca está perdido. Existe a adoção, o congelamento de óvulos… E novamente a natureza é cruel com a gente. Os homens produzem milhões de espermatozóides novos todos os dias, enquanto que as mulheres já nascem com o número exato de óvulos, que envelhecem junto com a gente. E pior, são mais velhos ainda, pois a idade deles (dos óvulos) começa a contar desde que estávamos dentro das barrigas de nossa mães. Ou seja, os óvulos de quem tem 30 anos, tem 30 anos e 6 meses (outros dizem que são 9 meses a mais). Independente da idade que você mestruou pela primeira vez, seu estoque de possíveis futuros bebês já veio contadinho.

Eu respeito e admiro infinitamente quem quer ser mãe (vejo mulheres tão “maternais” que me sinto uma ET perto delas rs) e compreendo que a maternidade possa transformar a mulher. Mas também entendo perfeitamente que escolhe não ter filhos (ou adiar ao máximo) e admiro a coragem de decidir algo que, até pouco tempo atrás, não era algo a ser sequer decidido, não era uma opção.

672 Comentários
  1. #1
    Suh
    01.12.2014 - 11:37

    Cony, vc disse tudo!!! Tb ñ tenho vontade de ser mae e os outros me olham com cara de: vc eh desse mundo? Adoro crianças mas não querer ter uma. Tb tenho um “filho” da mesma raça do Nero e falo q já sou mãe. Meu amor é todo dele. Meu marido quase tem um ataque quando falo isoo, mas quem manda no meu utero sou eu!!!Obrigada por tocar nesse assunto e saber que vc compartilha do.meu pensamento “louco” como diz alguns…

    • #2
      Marcia Aguiar
      01.12.2014 - 11:48

      E gostar de criança não é a mesma coisa que querer ser mãe, é? Afinal os filhos crescem e deixam de ser crianças (teoricamente 🙂 ), mas nunca deixam de ser filhos. Por isso tem que querer mesmo ser mãe, pois é pra vida toda. Eu fico feliz com meus filhos caninos. 🙂

  2. #3
    Cristiane
    01.12.2014 - 11:38

    Eu tenho uma filha e não me arrependo, não imagino minha vida sem ela, mas realmente, depois da maternidade vc tem que abrir mão de muita coisa e vira e mexe me bate uma tristeza de não ser dona do meu tempo, de não poder fazer algumas coisas que eu amava.
    Dou o maior apoio para quem não quer ter filhos, ainda mais em um mundo com tanta gente e com recursos naturais cada vez mais escassos.

    • #4
      Cristina A.
      01.12.2014 - 12:45

      Você falou o q eu ia dizer. Tenho uma filha de 15 anos, estou com 37, que amo acima de qualquer coisa nesse mundo, me fez muito melhor como pessoa e tals.
      Me sinto desesperada nas raras possibilidades/SUSTOS de estar grávida.
      Filho faz a gente se anular demais e eu quero cuidar mais de mim. É egoísmo? pode ser, mas é o q sinto.

      • #5
        Melina Portugal
        01.12.2014 - 20:48

        Mais uma pro clube.
        Estou super feliz com minha filha e vejo o quanto ela me completa e alegra a minha vida. Mas já decidi que não quero mais(ainda não bati o martelo, mas a cada dia reforço mais a ideia).
        Já mudei toda a minha vida em função dela (até minha carreira profissional eu mudei) e agora eu acho que preciso cuidar de mi também.
        E não acho que seja egoísmo, ao contrário, acho que é muito melhor para uma criança ser criança ter uma mãe realizada e bem resolvida, e que no futuro não ira despejar sobre ela suas frustrações, o que acontece muito.

        • #6
          Melina Portugal
          01.12.2014 - 20:56

          Ah! E já ia me esquecendo! Já estou começando a sentir a pressão do “Nossa mas coitada da sua filha não vai ter um irmão?” “Ah, não um filho só é muito ruim, vai crescer mimado, não aprende a dividir.” “É bom ter mais de um filho assim quando você ficar velha os cuidados não vão ficar em cima de um só.” e por aí vai.
          Moral da história: sempre vai ter alguém pra criticar nossas escolhas.

          • #7
            Cristiane
            02.12.2014 - 15:34

            Ih, essa cobrança eu já sinto faz tempo…rs
            Mas eu tenho vontade de ter outro ..rs Já estou com saudade de ter um recém-nascido nos braços. Mas estou pesando bastante os prós e contras… Se eu pesar só com a razão, não tenho outro filho de jeito nenhum!rs

  3. #8
    Vivi
    01.12.2014 - 11:38

    Acho que seria interessante conversar com mulheres na casa dos 60, q nao tiveram filhos…
    A experiência delas seria fundamental para embasar uma melhor decisão!
    Tive filha com 17 anos, nada planejado e posso dizer que foi o melhor presente de Deus
    Tenho 27 anos, minha filha tem 10… tudo perfeito!!!
    Nosso destino ja está trilhado, as linhas estao escritas, vai de cada um viver a melhor forma a sua historia de vida!!!

    • #9
      Constanza
      01.12.2014 - 11:46

      Quem tem filhos sempre vai falar que é lindo e maravilhoso, mas quem nao tem tb pode ser tao feliz e completo quanto.

      • #10
        Fernanda
        01.12.2014 - 12:13

        Mas quem tem um dia não teve e pode comparar as duas situações, saber se vale a pena ou não. Quem não tem não pode.

      • #11
        01.12.2014 - 12:36

        Eu sou mãe de dois e não falo que é tudo maravilhoso não. Acho que sou sincera demais para admitir que tudo é cor pastel depois da maternidade, e os dois sabem disso.

        Fui mãe aos 16 e aos 21, ou seja, nova demais nas duas gestações. Talvez hoje eu pudesse curtir mais essa fase, mas acabei amadurecendo com eles e digo sinceramente: ter mais filhos não está nos meus planos. E digo mais: se não tivesse sido mãe, provavelmente não seria nunca.

        Mudei a ordem de prioridades da minha vida, e a vida que levo hoje é possível somente porque meus filhos já tem uma certa independência, o que me permite trabalhar com maior liberdade de horários e estudar.

        Uma amiga ficou chocada quando falei isso para ela, ainda mais porque ela estava grávida da primeira filha, mas é sincero. Escolheria uma vida diferente hoje se tivesse que optar, mas estou satisfeita de ter tido meus filhos mais nova. É confuso até pra mim, mas meus filhos entendem que os amo e sou feliz por ter eles.

        • #12
          Luciana
          01.12.2014 - 16:03

          nossa, tão bom ouvir certos comentários…dá um alívio de saber q não sou a única a pensar da forma como penso (tbm sou mãe). me identifiquei muito com o que vc escreveu.

        • #13
          Laira de Paula Pessoa
          01.12.2014 - 22:31

          Parabéns pela sua sinceridade. Nunca vi uma mãe falar desse jeito e não te julgo – nem teria esse direito – como um monstro.
          Não tenho a mínima vontade de ser mãe e ainda existem pessoas ao meu redor que acham isso um crime, inclusive pessoas da minha idade (18).
          Enfim, tudo de bom pra vc!!

          • #14
            Andressa
            02.12.2014 - 13:41

            Nossa! Concordo com vc. É um alívio pra mim também. Pq toda mãe fala q pe maravilhoso e que eu devia ter. Amo meus sobrinhos e quero ficar pra titia mesmo. kkk
            Mas sabe, q até eu q qro ser sincera sobre uma coisa da minha vida, diante desse tipo de pergunta sobre filhos, tenho q ter cautela p não chocar os outros. Pq desde mais nova, desde adolescente eu falo q não quero ter filhos e sempre ouvi q era muito jovem. Sou casada há 1 ano, tenho 24 e a minha certeza só aumenta. Mas e o marido q já é mais velho e se sente quase pronto pra ser pai, como lidar?

          • #15
            juliana
            30.12.2014 - 14:30

            Olha óque eu axo a maioria não querem ser mães tem muitas que até concordo mais tem outras q pelo amor de Deus né ,.tem umas que se bred pitt falase quero filhos cm vc elas sim sim para vces axam q dinheiro fale tanto assim a se soubese q dinheiro é a raíz d tdo o mal descúlpa se ofend alguém mais pensa antes d fala né beijos

        • #16
          02.12.2014 - 12:01

          Vanessa, parabéns pela sensatez! É difícil encontrar alguém que fale com sinceridade sobre a maternidade!

        • #17
          Carol
          02.12.2014 - 14:01

          Talvez se tivesse planejado e ter tido numa idade mais apropriada pensasse diferente.

      • #18
        vitoria Pinheiro
        02.12.2014 - 07:11

        Ainda bem q nossas mães não decidiram não ter filhos. A vida sem a Cony seria muito sem graça.

    • #19
      Ginger
      01.12.2014 - 15:25

      Minha tia tem 68 anos e é solteira e sem filhos. Vejo que ela é muito solitária. Vivia em função da minha avó, agora tem dois anos que a minha vó morreu, então ela foi morar com uma irmã viúva… não mudou muita coisa. Ela precisa dos sobrinhos para tudo, principalmente amor… Já levou golpe financeiro de sobrinha safada.
      Claro que ter filho não é garantia de ser cuidada e amada, mas há uma grande chance de não se sentir preterida.

      • #20
        Carol
        01.12.2014 - 18:02

        Já a minha tia é solteira com três filhos. Igualmente sempre cuidou da minha vó (que faleceu há algum tempo). Hoje continua tão sozinha quanto a sua tia e sente falta de um amor. Não creio que seres humanos tenham sido moldados para serem sós, mas filhos nem sempre ocupam esse espaço. Acho que o amor sim, de um companheiro, cúmplice, numa relação de carinho, amizade, amor e respeito.

      • #21
        Livia
        01.12.2014 - 19:26

        Olha Ginger, sinto muito pela sua tia, muito mesmo. Mas nao ter filhos nao significa necessariamente ser solitaria, acho que nesse caso pesa mais o fato dela ser solteira.
        Mas nao acho legal ter filhos apenas para nao se sentir preterida, nao sei, nao acho um bom argumento, acho que tem que ser uma coisa que vem de dentro, um sentimento e uma decisao pra vida toda e nao “pra nao ficar sozinha apos uma certa idade”. beijao =)

        • #22
          Ginger
          02.12.2014 - 13:34

          Oi Livia, eu entendo perfeitamente o que você disse e obrigada por se sensibilizar com a história. Tenho muito carinho por esta tia.
          Ninguém tem obrigação de cuidar de ninguém, mas o que eu quero dizer é que se nem a família toma conta, você acha mesmo que “alguém de fora” vai se importar com ela? As pessoas só olham para o próprio umbigo, e aqui eu incluo as pessoas que tem filhos como uma espécie de “poupança” só para serem cuidados na velhice. A minha mãe já traçou o destino desta tia. Disse que se a tia viúva morrer primeiro, a tia solteira vem morar com a gente. Quem tem que cuidar é a família mesmo. Casa de repouso no Brasil é pior do que o inferno.

    • #23
      Dani
      02.12.2014 - 13:56

      Verdade Vivi. Minha mãe tinha uma vizinha que não tinha filhos e cada vez que acontecia um problema lá em casa conosco, fosse doença ou qualquer inconveniente, ela dizia: Por isso que nao tive filhos! No entanto, após perder o seu marido, com a idade já avançada, desabafou à minha mãe: Se eu tivesse pelo menos um filho pra me visitar…

      • #24
        Ilka
        02.12.2014 - 17:35

        Aí entra a idealização, ela poderia ter um ou mais filhos e não ser visitada. Achar que tudo seria diferente se tivesse um filho é imaginação fértil, isso sim.

  4. #25
    Djeine
    01.12.2014 - 11:41

    Eu tenho um pensamento muito parecido com o seu Cony. Também fui honesta com o meu namorado naquela época (hoje é marido) e ele sempre respeitou minha “desvontade” de ser mãe.
    Me recuso a achar q sou um ET por isso.
    Eu fiz uma escolha e sou feliz com ela. E se no futuro eu mudar de ideia… Bem eu tenho direito a mudar de ideia e fazer o que me deixar mais feliz.

    • #26
      Constanza
      01.12.2014 - 11:45

      Exatamente!

    • #27
      Amanda
      01.12.2014 - 11:55

      Adorei a frase “E se no futuro eu mudar de ideia… Bem eu tenho direito a mudar de ideia e fazer o que me deixar mais feliz.”

      • #28
        Livia
        01.12.2014 - 19:28

        Tambeem estamos todas no mesmo time! =) Muito bom saber que nao estou sozinha nessa escolha!

    • #29
      Ana
      02.12.2014 - 16:10

      Cony,

      Tenho 35 anos, e sempre que alguem me pergunta quando vou ter filhos digo: No ano que vem.
      Só que este “ano que vem” ja chegou 07 vezes, e estou sempre esperando esta vontade louca de ser mãe que todos dizem que aparece. Acho que a minha se perdeu. Tenho afilhados, sobrinhos, filhos de amigos e de primos, convivo com crianças, gosto muito, mas ainda não sei se quero pra mim. Ja fui ao medico varias vezes dizendo que agora vou engravidar, mais ai, começo uma pós, mudo de casa ou de emprego, e sempre tem outra coisa que não me deixa levar o tal projeto adiante, minha médica ri cada vez que falo pra ela que agora vai.
      Mas o pior é ouvir as pessoas dizendo que ja estou passando da idade de ter filho, e eu ainda não sei se quero ter.
      Bom saber que tem mais gente pensando como eu. Que não sabe se vai ser mãe, ou se vai esperar o “ano que vem”…

      • #30
        Adriana
        20.01.2015 - 11:10

        Me vi no seu comentário. A mesma idade, a mesma “falta de vontade e tempo”. Mas ao mesmo tempo me sinto pressionada pelo relógio biológico e não consigo tomar uma decisão.

  5. #31
    Tassia
    01.12.2014 - 11:42

    Ai Cony, eu não me vejo sem meu filho!! Tenho 28 anos (aliás to fazendo hoje ebaaaa), e meu filho tem 5 anos. Fazia apenas 1 mês que namorava quando engravidei e não me arrependo. Não me vejo sem meu filho, agradeço a Deus todos os dias por me permitir ser mãe, principalmente porque meu filho é muito especial, um lindo!
    Sábado foi a formatura dele do Jardim, ele já vai para o 1º ano, e a bobona aqui chorou a cerimônia toda. Mas eu me sinto muito completa sendo mãe, não me imagino e nem gosto de me imaginar sem ele!!
    Mas cada um sabe o que é melhor pra si e o que quer pra si, então acho que acima de tudo temos que respeitar as opiniões alheias!!
    Boa sorte na sua escolha, mas te garanto, ser mãe é a melhor coisa do mundo!!
    Bjs

    • #32
      Constanza
      01.12.2014 - 11:45

      Nao ser mae tb pode ser a coisa mais maravilhosa do mundo!

      • #33
        Tassia
        01.12.2014 - 14:58

        Pois é, foi exatamente o que eu disse, cada um sabe o que é melhor pra si e o que quer pra si, então acho que acima de tudo temos que respeitar as opiniões alheias!!
        Cada um tem que curtir o que escolheu!!

      • #34
        Juliana
        03.12.2014 - 15:12

        Cony, desculpe mas vc não tem como acreditar ou achar (pq não te vejo muito convicta não) que essa decisão que vc toma HOJE, não vai impactar seu futuro. Pois vai sim, e muito. Eu vejo a mulherada dizendo q a solidão/ausência de filho é na verdade ausência de um companheiro. Gente… nada a ver! Marido tb se vai…. filhos são eternos, é um amor completamente diferente, incondicional, que só se prova qdo é mãe. Eu respeito sua opinião, mas fico triste de ver como tantas mulheres vão passar por essa vida sem sentir isso. O dom de gerar é divino, é presente de Deus. Óbvio que nem tudo são flores. Nem com filhos, nem no casamento, nem em situação nenhuma.Eu vejo vc se baseando apenas neste momento que sua vida anda agitada por causa do seu trabalho (que não vai durar pra sempre), e daqui uns 10,15 anos, qdo vc ver suas amigas celebrando o natal com os filhos, comemorando cada fase nova deles,viajando juntos, vai bater arrependimento. Pode ter certeza disso! Não tem viagem pra Miami (nem closet lotado, nem bolsa cara) que supra a ausência de filhos!! E nem adianta dizer que cachorro, gato, papagaio dá no mesmo… pelo amor!! Se eu fosse vc, aproveitaria a vida abençoada que Deus te deu (financeiramente, saúde perfeita, parceiro que te ama) e repensaria esse assunto. Filhos são presentes de Deus, que muitas mulheres lutam pra ter e não podem!!

        Repense Cony! Vc e seu namorado seriam pais incríveis e teriam filhos lindos!!! heheheh

        • #35
          Constanza
          03.12.2014 - 15:17

          Mãe Dinah, é vc? Kkkkkk pq pra falar assim do futuro alheio só pode rs. Olha eu sei meus motivos e vão MUITO além de viagens e vida agitada. É uma carga q não quero pra mim. É uma certeza que tenho desde criança (mt antes de ter vida agitada), não quero essa experiência. Não me vejo nem tenho vontade de entrar nesse barco. Simples. E religião tb não se aplica mt a minha vida, tenho crenças diferentes mas isso n discuto. Cada um se apega no que acredita né? Filhos não são eternos e minhas melhores amigas tb não querem ser mães. OU SEJA, meu natal será cheio de velhinhas divertidas contando suas peripécias pelo mundo. E se quiser, se seus filhos optarem por não passar o natal c vc e sim com a família deles, vc está convidada a se juntar a nos rsrs

          • #36
            mayara
            04.12.2014 - 00:49

            Eu penso exatamente como vc, Cony… e sou uma pessoa considerada “de personalidade forte” e que gosta de discutir qualquer assunto… mas esse de não querer ser mãe eu já enterrei! simplesmente é TERRÍVEL conversar com a maioria das pessoas que tem filhos… já escutei coisas do tipo “vc não é feliz de verdade, só q vc não sabe disso”… fazer o que…

            Só um outro comentário: queria adotar um adulto kkk sim, pq eu não quero ser mãe pq eu iria ODIAR (sim, eu admito que odiaria) perder toda minha liberdade para cuidar de um bebê… mas imaginar um ser humano de 30 anos meu amigo quando eu tiver 70 me faz sentir um pouquinho de vontade de gerar um ser humano lá pelos 40 hauiahauia
            bjs

  6. #37
    DANIELA
    01.12.2014 - 11:43

    Tô, com vc Cony. Meu noivo concorda plenamente e me apoia. Porem a pressão dos amigos e da família é gigante. É muito bacana saber que não estou sozinha nessa, e que muitas pessoas pensam da mesma forma.

  7. #38
    Miriam
    01.12.2014 - 11:43

    Penso exatamente assim. Apesar dos comentários todos que ainda ouvimos, sinto-me tranquila com essa decisão. Já tenho 35 e nem penso em filhos, morro de pânico em pensar…

  8. #39
    michelle rocha
    01.12.2014 - 11:43

    Eu já estou nos 39 e já decidi que não quero.
    Não tenho a mínima vontade de ficar prenha.
    Não tenho a mínima paciência pra cuidar.
    A sua vida MUDA COMPLETAMENTE, vocÊ tem que cuidar mais da vida do filho do que a sua própria. Não é pra mim!

    • #40
      Juliana
      01.12.2014 - 12:26

      Penso exatamente como vc.

    • #41
      Livia
      01.12.2014 - 19:30

      Arrasou! 🙂

  9. #42
    01.12.2014 - 11:44

    Ei Cony. Acompanho todos os dias seu blog e comento por aqui de vez enquando. Eu tenho 20 anos. MORRO de vontade de me casar e ter filhos. mas conheço muita gente que não tem esse instinto e vive muito bem assim. Tenho uma prima que te a idade da minha mãe e tem um corpo lindo, que dá de 10 em mim e faz inveja em muita garotinha de 20 por aí também que tomou essa decisão. Ela baba nos sobrinhos, dá tudo o que eles querem e paparica como todos so tios fazem, mas essa vida de mãe não é pra ela. Advogata, muito bem sucedida, um casamento muito feliz. Viajam bastante. Mas a minha avó sempre pede ela mais um bisnetinho. Já pensou se vem um bebê e acaba “estragando” o casamento dela? O emprego, ou o que for?

  10. #43
    Ju Santana
    01.12.2014 - 11:45

    Cony, eu fui mãe aos 28 anos, do meu então marido. Estavamos juntos há 3 anos, mas eu não queria ser mãe. O negócio veio no susto mesmo (apesar de eu ter me cuidado a vida inteira). Não bastasse, ainda vieram GÊMEAS!! Sim… hoje elas tem 8 anos e eu as amo muito, mas sou muito consciente. Falo que adoro minhas filhas mas não gosto da maternidade. A maternidade é um peso muito grande, especialmente qd vc a carrega sozinha (me separei qdo elas tinham 2 anos). Joguei todos meus sonhos no lixo e a partir de então os delas começaram a ser prioridade. Ser mãe não é esse negócio da propaganda de margarina. É ficar anos à fio sem dormir direito. Sem ter grana pra vc. Sem poder sair com liberdade (ou peso na consciência), sem poder ir ao banheiro de porta fechada. Sem poder transar qdo se tem vontade (as crianças tem q dormir primeiro), sem poder viajar sem contar tudo x2, x3, x4. E acabar não fazendo nada pq não se tem grana. É lidar com essa frustração e culpa todos os dias. Aquelas q nasceram pra isso certamente irão me criticar, mas sim, eu sinto falta dessas coisas. Coisas q jamais imaginei serem importantes. Claro que hoje eu não saberia viver sem minhas filhas, mas sou muito realista. Esse papo de “quem vai cuidar de vc” é a maior balela. A pessoa não tem obrigação de cuidar dos pais. E se quiser, guarde o $ q gastaria com um filho e contrate uma boa enfermeira no fim da vida. É um amor incondicional? É. Você precisa dele pra viver? Não. Se vc não conhecer esse amor, vc não precisa dele. Se muitas amigas minhas que nasceram pra isso levantam lebres e ficam em dúvida se fizeram a escolha certa, imagina quem não tem o dom… complicado. Haja terapia por aqui. E vá ser feliz sem filhos ou do jeito q vc achar melhor. A maioria das minhas amigas optou em não ter filhos tb.

    • #44
      Constanza
      01.12.2014 - 11:50

      É exatamente isso “Se vc não conhecer esse amor, vc não precisa dele.” Não tem como comparar quem tem e quem nao tem filhos. Cada um conhece a felicidade da forma que lhe é proporcionada…

      • #45
        Carla
        22.04.2015 - 22:43

        Concordo plenamente com as mulheres que não pretendem ter filhos. Tenho visto muita mãe sofrendo pelos seus filhos eu não desejo isso para mim não tenho vontade e nem vocação. Agradeço à Deus por não poder gerar filhos pois entrei em menopausa precoce com apenas 35 anos. Estou bem com minha vida e muito feliz assim.pretendo ainda viajar muito curtir o meu casamento isso sim é prazer pra mim;

    • #46
      01.12.2014 - 12:36

      Ju Santana, vc disse tudo, sem meias palavras!
      Tenho 3 filhos, uma no susto, um planejado e outra no susto, nos 40 minutos do segundo tempo (veio depois de laqueadura). Ter filhos é ótimo, vc se torna um ser melhor do que era, mas vc morre um pouco.
      Não consigo imaginar minha vida sem eles, amo-os incondicionalmente, precisava deles na minha vida, pois não conhecia o amor antes de ter minha primeira (tive uma infância difícil, blá, blá…).
      Hoje os três tem 3a, 5a e 13a e eu não sei o que é usar o banheiro de porta fechada e sozinha, comer quando tenho fome, dormir quanto tenho sono, sair quando estou a fim. Não tenho mais vida social, nem amigas (minhas amigas já estão casando as filhas)…
      É uma vida de doação total e absoluta.
      Estou feliz, no momento, mas já passei por situações extremamente difíceis com as crianças, mesmo tempo o apoio do marido.
      Se eu pudesse voltar no tempo e ter uma bola de cristal para ver o futuro, provavelmente optaria por nem mesmo casar, quanto mais ter filhos.
      Nasci para ser livre, mas Deus achou que não. Que nasci para ser mãe, que precisava ser amada e evoluir espiritualmente. Então, vamos em frente.
      (não falei aqui sobre as alegrias de ser mãe, pq isso tudo mundo fala aos quatro ventos, né?)
      Bjos
      http://www.alessandrafaria.com

    • #47
      Ana Cláudia Ramos
      01.12.2014 - 13:32

      Muito bacana o que vc escreveu…discurso sensato e sem ser “politicamente correto ” como o da maioria das mães por aí, que só sabem falar do lado bom de ser mãe, enquanto sabemos que não é bem assim. Eu tenho 30 anos e tenho certeza que serei feliz tendo ou não filhos! 🙂 E sobre ter alguém pra cuidar de mim, eu posso ter 10 filhos e nenhum acabar cuidando de mim quando eu envelhecer…certo?

      • #48
        elenice
        01.12.2014 - 17:51

        vc disse tdo, minha mae/pai tiveram oito filhos, e hj em dia a unica q preocupa com eles sou eu, entao filho nao e uma garantia de nao ter solidao, rs, tbm concordo, ja estou com 33 e corro leguas de casorio e filhos…

    • #49
      Nayara jaqueline
      01.12.2014 - 14:19

      Que lindo texto JU Santana.
      Adorei sua sinceridade.

    • #50
      Alessandra
      01.12.2014 - 14:29

      Ju Santana,
      Se vc não faz terapia, recomendo fazê-lo!Acho legal para nos livrarmos de alguns fantasmas que a maternidade traz.
      Eu tenho meu bebê, saio sozinha, já fiz 2 viagens internacionais sem ele, compro coisas para mim. Não sinto essa prisão toda, a terapia ajuda nisso!

      • #51
        Tassia
        01.12.2014 - 15:03

        Eu também não me privo de nada por ter filho, mesmo porque ele é super companheirinho e vai comigo e com meu marido pra tudo quanto é canto, mas também saímos sozinhos. Acho que não dá pra se privar disso, pois somos jovens e precisamos aproveitar!

        • #52
          Luciana
          01.12.2014 - 16:07

          sinceramente, e sendo extremamente realista, é IMPOSSÍVEL não se privar de NADA depois que nos tornamos mãe. com certeza no decorrer do percurso teremos que nos privar de uma coisa ou outra, ou de várias. há que se lidar com o ônus e com o bônus!

          • #53
            Alessandra
            02.12.2014 - 09:12

            Vc mesmo não sendo mãe não se PRIVA de nada, Luciana? Que sorte a sua então! Todo mundo, sendo mãe ou não, se priva de algo em algum momento da vida. Tão claro isso, moça.

      • #54
        Renata
        01.12.2014 - 15:26

        Cony, também acho que as pessoas devem ser felizes. Agora, se a ideia de quem não tem filho é egoísta, é falsa, também é falsa a ideia de que você vai se anular ou desistir de sonhos. Faz isso quem quer. Tenho dois filhos, de 4 e 7 anos, e trabalho exatamente onde quero, faço exercício físico todos os dias, corro porque amo, viajo muito (com eles, sem eles, com marido e sem marido), tenho vida social agitadíssima e sou super presente. A questão é que os dois primeiros anos são complicados pela dependência de um bebê, mas o que é isso, considerando toda a vida… Tenho amigas que deixaram seus desejos de lado para serem mães e muitas outras que não. Meus filhos respeitam meu espaço, meu sono e minhas vontades. Assim, tudo depende mais da forma de educá-los e de como você leva as coisas. Saio com eles, só com meu marido, só com minhas amigas, só com meus pais… Também não acho que é função de filho cuidar da velhice dos pais. Isso é papel da previdência e de minhas poupanças. Por isso, no meu caso, garanto que eles só acrescentaram. Sem romantismo ou mundo cor de rosa, mas impondo minhas vontades, sempre. Beijão e o que importa é ser feliz com suas escolhas.

        • #55
          01.12.2014 - 18:15

          Interessante seu comentário. Tenho 32 anos e não tenho filhos. Gosto muito da minha vida como está, mas gostaria de ser mãe também. Já estava assustada por aqui c muitas mulheres falando em ter se anulado p ser mãe. Vc apresentou um ponto de vista diferente e coerente em favor da maternidade.

        • #56
          Martha
          02.12.2014 - 04:24

          legal seu comentario Renata… Tenho dois filhos (3 anos e 2 anos) completamente não planejados… os tive nova e em um momento onde tudo “estava acontecendo” profissionalmente em minha vida… no começo foi difícil me acostumar com a ideia… mas com o tempo fui me apaixonando pelo fato de ter um filho… e isso foi muito estranho para mim, pois assim como muitas falaram aqui, também nunca gostei de crianças e nunca tinha tido vontade de ser mãe. No início abri mão de muita coisa, mas aos poucos comecei a focar no que realmente queria para mim… meus filhos acabaram me dando uma força de vontade para ir além do que normalmente iria… e digo isso tanto por mim quanto por meu marido… nossos filhos ainda são pequenos mas não deixamos nunca de fazer nada que queremos… recentemente meu marido aceitou um novo emprego, mudamos de país, aceitamos um novo desafio, e nossos filhos nunca foram empecilho… pelo contrario!
          Um ultimo comentario: ver um ser humano se desenvolver dia-a-dia e virar “gente” é uma experiência magica e extremamente gratificante 🙂

        • #57
          Juliana
          03.12.2014 - 15:20

          Perfeito!! penso exatamente dessa forma! Fico horrorizada qdo vejo essas mães listando um mundo de horrores que é ter filhos! Gente…óbvio que as coisas mudam! Mas quem disse que vc NUNCA MAIS vai no banheiro de porta fechada? Que os amigos somem? Que a vida social já era? Vcs precisam seriamente rever a educação que dão pros seus filhos, que mais me parecem um castigo do que um presente!!

          • #58
            francieli
            04.12.2014 - 18:04

            Oii. Adorei seu comentário!! tenho 26 anos e tenho 3 filhos isso mesmo 3! uma de 5 um de 3 e um de 1, levo uma vida mto agitada por conta deles, mas mesmo assim nunca me deixo de lado, trabalho fora meio periodo, faço faculdade duas vezes na semana, todo final de semana saímos, as vezes qdo estamos com vontade saímos só eu e meu marido, e transo pelo menos umas 4 x na semana meu marido morre de tesão por mim, pq sabe que me cuido me mantenho magra do jeito que sempre fui qdo era solteira, nenhum filho”estragou” meu corpo, como um monte ai fala, o povo fica gravida e como por 20 engorda 30 kilos e depois culpa os filhos…. veja meu filhos não me atrapalham em nada, pelo contrário tomo banho de porta fechada, vou a manicure vou ao cabeleireiro, tudo é questao de como educa seus filhos, o problema é a mãe q deixa as crianças super dependentes e depois reclamam q os filhos dormem na mesma cama e isso acabou com o casamento qual é, filho não é doença, isso é desculpa de mãe q não tem coragem de fazer nada da vida e culpa os filhos, e alguem pode achar que falo isso pq deve ter baba, não tenho, sou eu q faço tudo dou banho ponho dormi, ajudo na lição de casa, faço comida, poderia ter feito um monte de coisa se naõ tivesse tido eles, como não poderia….. acho q cada um sabe de sua vida e faz o que quer, o que me deixa puta da vida é virem aki falar q filho atrapalha, desculpa esfarrapada, a unica pessoa q pode atrapalhar a nossa vida somos nos mesmos!

      • #59
        Lorena
        01.12.2014 - 22:49

        Tô com vc, Alessandra! Tenho um filho de 2 anos e faço muitas coisas pra mim: viagens, saídas com marido e amigos e compro coisas pra mim. Ter filho é uma decisão importante demai. Se a mulher não tem intensão de realmente mudar a vida, de se dedicar a alguém SEM ESPERAR NADA EM TROCA, de incluir mais uma pessoa em seus planos (e não deixar de realizar o que deseja), é melhor mesmo optar por não ter filhos. Pq tê-los e se sentir frustrada por tudo que podia ter realizado deve ser horrível. Meu filho foi super e planejado e desejado e já estou na tentativa de outro.

      • #60
        flavia
        02.12.2014 - 04:26

        Acho “super certo” ter filho e deixar pros outros cuidarem.

        Acho que por isso que não tenho. Iria ficar aflita de abandoná-lo(a) aos cuidados de terceiro. Jamais me perdoaria se ele fosse estuprado, ou morto, ou sequestrado, numa dessas ausências.

        Depois a criança cresce, recorda o abandono, e odeia a mãe.

        • #61
          Renata
          02.12.2014 - 12:27

          Sinceramente, Flávia, se você acha que é abandonar um filho, deixá-lo com os avós por alguns dias para viajar com o marido, ou deixá-lo em casa enquanto você sai com suas amigas à noite, para relaxar, é melhor você nem tê-los mesmo, porque certamente ia ser uma mãe neurótica que transfere frustrações e cobranças para eles. Mãe feliz tem filho feliz. Ninguém aqui tem síndrome de abandono. Melhor você continuar assim… Já diz o diz o povo por aí que os melhores presentes que podemos dar aos nossos filhos são raízes e asas. Criar filhos independentes e seguros é um grande legado.

      • #62
        Luciana
        03.12.2014 - 09:05

        querida, releia meu comentário por favor. eu disse exatamente o oposto do que vc me escreveu. eu sou mãe, e por conta disso sei que me privo demais de muitas coisas. abs.

    • #63
      Dani
      01.12.2014 - 14:45

      Ju Santana e alessandra faria, que depoimentos fantásticos! hj em dia, na era da auto promoção, da propaganda de si mesmo, de facebook, selfies e instagrans, onde tanto aprendemos a nos promover e mentir sobre nós mesmos, fazer discurso politicamente correto sobre tudo, e ceder a todas as exigências sociais, é raro ver discursos tão cheios de honestidade e transparência.

      nada nessa vida é o mar de rosas que as pessoas pintam. o casamento não é, filhos não é, trabalho não é. quem quer muito se afirmar o tempo todo o quanto sua vida é perfeita, o marido é perfeito, filho é perfeito, trabalho é perfeito, me pergunto o quanto essa pessoa precisa SE convencer. pq isso nao existe, nada disso existe.

      então, que cada um possa escolher oq é melhor pra si. marido, filho, trabalho, beleza, magreza, dinheiro, NADA disso que nos vendem como ideal são garantia de felicidade, de forma alguma, felicidade cada um tem que saber construir pra si, e ter muita força pra nao se sentir mal com todas essas pressões sociais. e concordo, dá-lhe terapia!!! rsrs pra mim a terapia é tudo, e pago com mto mais gosto do que qualquer sapato, bolsa que sei que logo vou deixar de usar.

    • #64
      Ilka
      02.12.2014 - 00:02

      Vou usar essa frase para a vida “Se vc não conhecer esse amor, vc não precisa dele.” Porque o mais chato é quem vem te falar ‘ah, mas é o maior amor do mundo, se não tiver você não vai saber’, ok, mas eu não faço questão de saber, poxa!
      Conheço sim mães arrependidas, mas há um tabu tão grande em torno desse tema que a mãe que não afirma o tempo inteiro que a melhor coisa da sua vida é o filho é vista como um monstro, então elas se calam. Então é possível se arrepender por não ter filhos, assim como é possível se arrepender por tê-los, como em várias outras escolhas da nossa vida.
      Cony, obrigada por trazer esse assunto à tona, tenho 37 anos e nunca quis ter filhos, é bom saber que existem outras pessoas assim.

    • #65
      Eveny
      02.12.2014 - 10:18

      Minha vez de dizer: “Que sensata! Adorei seu comentário!” (Cony, 2014).

    • #66
      Clarissa
      03.12.2014 - 00:09

      Ótimo comentário!! É exatamente o que imagino: se você não conhece esse amor, não precisa dele!

    • #67
      Aline
      18.08.2015 - 22:06

      Ju, ganhou minha admiração! Tenho uma amiga com uma história bem parecida com a sua (inclusive na separação) e desde que a conheci passei a ter uma visão mais realista da maternidade.
      E como alguém falou acima, ser mãe não é simplesmente gostar de crianças pq elas crescem!
      Beijão!!

  11. #68
    Sandra
    01.12.2014 - 11:45

    Não é só quem opta por não ter filhos que é cobrado, quem opta por ter apenas um também é (“mas SÓÓÓ UM?”). Entendo quem não quer ter filhos, nós mulheres, que eu saiba, não assinamos ‘promissória para ser mãe’ quando nascemos. Optei por ter um, veio uma menina e fechei a fábrica. Ser mãe é maravilhoso, mas não ser é uma decisão válida e a felicidade está em nós, não deve ser imputada ao outro, não é ser mãe que vai fazer alguém mais ou menos feliz.

  12. #69
    Marcia Aguiar
    01.12.2014 - 11:45

    Desde criança eu sempre disse que não queria ser mãe. Nada mudou na adolescência muito menos na idade adulta. Durante muito tempo tinha gente que me olhava torto como se eu fosse Herodes. Não tenho jeito com criança. Meu negócio é bicho. Qualquer um; cães (tenho dois), gatos, passarinhos, lagarto, elefante, galinha, vaca, pombo, lagartixa, qualquer um mesmo. 🙂 Durante muito tempo fui uma raridade num mundo de mulheres parideiras. Não tenho nenhum arrependimento de não ter tido filhos, e cada vez que vejo um criança dando ataque de perereca no shopping fico feliz de não ter que passar por isso. Ah, e ter filhos não é garantia nenhuma de que você vai ter alguém pra tomar conta de você. O que mais tem por aí são filhos que dão uma banana pros pais velhos e doentes. Acho que tem muita mulher que tem filho só porque acha que é isso que esperam dela: casar e ter filhos. Por isso a gente vê tanta criança mal educada por aí, filhos de mães sem paciência e arrependidas de ter doado parte de suas vidas para um projeto que nem era sua principal escolha.

    • #70
      Constanza
      01.12.2014 - 11:48

      Concordo MUITO com vc! O que vejo de pais velhos e abandonados é de doer! Ah, e meu negócio tb é bicho. Meu sonho é um dia ter um sítio e cuidar de cachorros abandonados!

      • #71
        Marcia Aguiar
        01.12.2014 - 12:52

        Meu sonho também, Cony! Se eu ganhasse na mega-sena com certeza destinaria grande parte do dinheiro para cuidar dos animais abandonados. 😉

        • #72
          Juliana
          01.12.2014 - 19:33

          Márcia, gostei tanto do seu comentário. Isto porque também sou apaixonada por bichos, gatos principalmente. Tenho 5 gatos que fui adotando, enquanto isto só escutava as pessoas dizendo: “Quando vc vai parar de adotar estes animais e arranjar um filho pra cuidar?”

    • #73
      Luiza Moreira
      01.12.2014 - 16:12

      Cony amei o texto! Eu nunca quis ser mãe…nem criança, nem adolescente, nem adulta e nem agora que estou com 30. Não tenho extinto maternal e não acho que por sermos mulheres temos que ser mães. A decisão é muito pessoal e deve ser respeitada. Penso exatamente como você.

    • #74
      Lus
      01.12.2014 - 18:10

      aah marcia, to com vc!
      concordo plenamente. Morro de vergonha alheia quando vejo criança fazendo escândalo. Fico com dó da mãe, juro kkkk
      Não é para mim. O mundo é tão grande, tem tanta coisa para eu ver/fazer nessa vida, que não consigo me ver presa (há quem diga que dá para ter liberdade mesmo sendo mãe, mas EU não teria coragem)
      É mais egoísta não querer ter filhos ou tê-los para – como dizem alguns – cuidar de VOCÊ na velhice? acho esse argumento tão inválido…

  13. #75
    Amanda R.
    01.12.2014 - 11:46

    Cony, cada um sabe da sua vida né, você esta certinha! E outra, como você mesmo disse, a medicina esta cada vez mais evoluída, deixa a vida rolar que se um dia a vontade despertar em você, sempre será tempo! Se não rolar um filhote biológico, adote, quer atitude mais linda? Mas enquanto não se tem vontade, tempo e etc, relaxe! E se nunca tiver vontade, relaxe mais ainda que ninguém tem nada a ver com isso! 😉
    Eu não tinha muita vontade, mas de uns tempos pra ca já estou sentindo kkkkk Meu namorado quer muito ter um filho até os 35 anos dele, então ainda temos 5 anos pela frente para casar e reproduzir kkkkkkk pra mim ta bom, daqui 5 anos terei 31 anos, acho que até lá minha vontade aumenta ainda mais kkkk

  14. #76
    Paola
    01.12.2014 - 11:47

    Eu sou novinha, estou com os meus 25 anos e não me vejo mãe, ainda tem muito chão pela frente, mas estou indo pra sua amada Irlanda ficar 1 ano e depois pretendo fazer mestrado e por ai os anos vão passando. Minha irmã tem uma filinha que é o amor da minha vida, mas dá muito trabalho e não sei se vou estar preparada para toda essa responsabilidade. Fora que muda completamente a ótica da sua vida, eu nem sei de vou ter alguém do meu lado, infelizmente muita coisa ainda recai sobre apenas a mulher, não me vejo com aquele barrigão e tudo mais. Depois de um caso de primos que adotaram uma criança maior eu vi como é lindo a adoção, penso em depois dos meus 40 quem sabe adotar um criança maior (com seus 7 anos) e ter minha família. Eu sou novinha, eu sei e te, tanta coisa pra viver:)

    • #77
      Iraci
      02.12.2014 - 15:33

      Sim! Pra mim mais lindo que amor de mãe é sentir amor de mãe por quem não nasceu de você! Admiro muito mulheres que adotam filhos e os amam incondicionalmente, pois isso não é pra qualquer um. Lembrei agora do caso da menina do Chora que te escuto…

  15. #78
    Ana Chaves
    01.12.2014 - 11:47

    Fufu, oiie! bom dia 🙂
    Então, quando eu era um pouco mais novinha (tenho 23 agora), eu não entendia como uma mulher não queria ter filhos (tipo isso, julgava mesmo). Agora, de um ano e pouco pra cá, eu vejo que não é bem assim! Esse realmente é um dom, e a pessoa tem que querer muito, pois a arte de criar parece que tá mais difícil que antigamente (cidades mais perigosas, vidas mais agitadas, uma maior facilidade de viajar, etc) e eu acho que a tendência é piorar. Se ela não tiver disposição, pois essa é a palavra principal, simplismente não dá! Um filho não é um brinquedo, e ele não vai depender de você pela vida inteira. Enfim, isso tudo é uma arte. É ver o mundo do jeito que tá e ainda querer, como é o meu caso, eu não me imagino de jeito nenhum sem filhos. Cuido dos meus sobrinhos (4) sozinha, faço janta, dou janta, brinco, dou banho, ensino dever, brinco e isso tudo enche meu coração de felicidade. É de cada uma mesmo, não da para ter preconceito, e é melhor você tomar essa decisão antes do que depois que colocar alguém no mundo e não ser uma mãe por completo (como tem muitas por ai), simplismente por não ser honesta com ela mesma e não ter coragem de tomar essa decisão. Se essa for sua escolha, parabéns! Não acho que você vá se arrepender..

  16. #79
    01.12.2014 - 11:48

    Post “mulheres reais de Dove”, heim. Parabéns pela coragem. As pessoas costumam seguir um padrão imposto, e não vêm possibilidades fora dele… e aí todas as amigas começam a casar, e de repente você está sonhando com a igreja e a marcha nupcial.. depois todo mundo começa a ter filhos, e você começa a querer muito ter um. E eu não vejo nada mais equivocado do que ter um filho “porque todo mundo tem”, “porque a mulher nasceu pra ser mãe”, e afins. Filho é a decisão mais duradoura da sua vida… tem que ter se quiser e PONTO. Vida longa à liberdade de escolha 🙂

  17. #80
    Mariane
    01.12.2014 - 11:48

    Cony, tenho 26 anos e um namoro de 8 anos e todos já me perguntam quando vou casar, ai falo que daqui uns 5 anos, mas já faz uns 2 anos que é daqui a 5 anos, kkkkk. Aí já me cobram filhos também, tenho vontade sim, mas quero aproveitar ao máximo minha vida e ter estrutura pra isso e todos me olham como se fosse um ET, mas nem esquento mais. Muito bom tratar desse assunto no Blog!!!!

  18. #81
    Ana
    01.12.2014 - 11:48

    Cony, BEM VINDA AO CLUBE!!!!
    Tenho 36 anos, casada há 8 anos e optamos por não ter filhos.
    E vc. não sabe como ainda sou cobrada. Já ouvi coisas como: vc. se torna uma pessoa melhor quando tiver filhos(oi? quer dizer que sou uma pessoa ruim?), e se vc. se arrepender?, bebê não é a coisa mais fofa desse mundo?
    Já fiquei triste, aborrecida, chateada porque as pessoas simplesmente NÃO RESPEITAM MINHA OPÇÃO!
    O tempo passa e pra mim cada vez fica mais claro que eu acertei minha escolha!
    Quer ser mãe? Òtimo! Que bom pra vc!
    Não quer ser mãe? Maravilha…VAI SER FELIZ!!! Isso é o que importa!
    Nesse mundo tem quer ter coragem pra andar na contramão.

    • #82
      Lus
      01.12.2014 - 18:16

      hahahahah
      bebê é lindo? é. MAS CRESCE.
      Tenha seus filhos pra lá e me deixe ser feliz cá.

    • #83
      Marina
      13.12.2014 - 15:20

      Vc tb se torna uma pessoa melhor fazendo trabalho social e não vejo essa galera toda praticando o bem pra “evoluir”. kkkkkkkkkkkkkk

  19. #84
    Milena
    01.12.2014 - 11:48

    Tenho 20 anos e já me assusto com a minha falta de vontade de ser mãe… embora eu sempre tenha pensado em ter filhos, sempre me vem aquela pergunta na cabeça “Será?”. Não consigo enxergar a necessidade de eu ter filhos e embora eu me dê super bem com crianças, são sempre as crianças dos outros e não as nossas, certo? Também fico pensando muito em adiar – até porque acredito ser muito nova para ter algum filho – essa decisão o máximo que eu conseguir, mas mesmo assim me bate aquela insegurança e só de falar isso numa roda de amigas, são poucas que concordam comigo. A maioria me olha e fala “Ah, concordo em não ter filho agora, mas você não pensa nem mais pra frente”… E não, não penso.. Pode até ser um pouco egoísta da minha parte, mas prefiro assim do que ter um filho e acabar por negligenciá-lo futuramente.

  20. #85
    Cris
    01.12.2014 - 11:49

    Nossa…esse post trouxe um alívio pra mim.
    Estou casada há 4 anos, faço 30 em breve e essa vontade não chegou ainda.
    Me sentia uma ET…mas que bom saber que não estou sozinha.

  21. #86
    Joana
    01.12.2014 - 11:49

    Tenho 31 anos e recentemente virei mãe. Realmente, a vida muda completamente, é necessário abrir mão de muita coisa. Entendo quem não deseja ter filhos, e acredito que isso nada mais é do que um reflexo da sociedade atual, em que se privilegia a individualidade.
    Apenas aconselharia a quem não tem vontade de ser mãe a, se possível, fazer o congelamento de óvulos, porque podem mudar de ideia depois!

    • #87
      Denise
      01.12.2014 - 17:00

      Joana, acho que seu comentário ficou um pouco pretensioso… Seria o mesmo que dizer: “Entendo quem deseja ter filhos, e acredito que isso nada mais é do que um reflexo da sociedade antiga, em que as mulheres eram vistas como seres reprodutores”.
      Só pra pensar mesmo… Cada um tem um ponto de vista.

    • #88
      Aline
      18.08.2015 - 22:22

      Desculpa, mas da forma como vc colocou parece que não ter filhos é uma “modinha individualista”. Não é bem assim. Admiro muito mulheres que não desejam ser mães e assumem esta postura independente de pressão familiar ou social.
      Só para ilustrar, trabalhei com uma mulher que tem um filho de 10 anos e não disfarçava que o vê como um fardo. Diversas vezes ela já desabafou que vê a vida passar pq tem as responsabilidades da maternidade. Ela foi casada, criou a ideia de “família comercial de margarina”, mas divorciou quando o garoto tinha 3 anos. Hoje ela cuida do filho sozinha e acumula desejos que ela não consegue realizar por ser sozinha e olha que ela ganha muito bem. Até um simples happy hour do trabalho ela mal conseguia ir. Se ela tivesse assumido a postura de que não nasceu para ser mãe provavelmente sofreria um pouco por pressão da família, mas não passaria as frustrações para o coitado do garoto que não pediu para nascer.

    • #89
      Ju Albanez
      31.08.2015 - 17:16

      Olha, tenho 34 anos e já pensei em congelar óvulos por não ter interesse em ser mãe. Minha médica falou que é besteira. Em mim esses óvulos vão envelhecer, mas congelados também vão! Então eu gastaria R$15.000,00 pra nada?

  22. #90
    debora Figueiredo
    01.12.2014 - 11:50

    Acho que isso não tem muito com o que e melhor coisa do mundo …. tenho dois filhos maravilhosos e são tudo para mim!!! Mas vejo muitas mulheres que tem filhos e não tem a menor vocação para ser MÂE!!! Mulheres egoístas, que os filhos vivem com babas, mães poe acidente, as mães vivem para si, e ter filhos é abrir mão da sua liberdade e dar o melhor da gente para eles!!! SABIA ESCOLHA CONY!!! Você com a sua vocação e eu com a minha!!! SHOW!!!!

  23. #91
    Luana
    01.12.2014 - 11:50

    Oi Cony, sou dessas que não quero ser mãe. Já deixei bem claro para o meu noivo e pedi para conversarmos a respeito pois ele deseja ser pai, mas ele não quis conversar sobre isso. Homens! Aprendi que ao casar você já forma uma família ou seja filho não é obrigação é uma escolha, você não precisa ter filhos para ser uma família completa, sua família é completa assim que você se uni com mais alguém e é nisso que tenho acreditado e me apegado pois ainda ouço “mas para que casar se não quer ter filhos? a família só é completa com filhos!” Respeito quem pensa assim e gostaria que respeitassem também a minha forma de pensar pois ninguém está certo ou errado cada um vive a sua verdade. Tenho 25 anos e namoro a 11, ano que vem me casarei e já me sinto pressionada quanto a este assunto.

    • #92
      Laura
      01.12.2014 - 12:35

      Luana, se o seu noivo deseja realmente ser pai, é imprescindível conversar com ele sério, antes do casamento.

      Em um casamento, todo problema é resolvido através de concessões…agora me diga, qual o meio termo que se pode chegar se você não quer e ele quer? E, no final das contas, não é justo com nenhuma das partes.

      Muitos homens acham que, eventualmente, o relógio biológico toca e você vai querer ser mãe, por isso não ligam. Mas não é assim, né? O casamento de uma amiga acabou por isso (ele achava que se ela ficasse grávida por acidente, teria o filho…mas não é tão acidente assim se uma das partes tenta sabotar seus métodos contraceptivos), foi muito triste, enfim…mas algo que poderia ter sido evitado.

      • #93
        Luana
        01.12.2014 - 15:13

        Laura, realmente acho importantíssimo conversar a respeito, sinto que ela pensar exatamente como você disse que eu vou mudar de idéia e se não mudar? Já falei tudo o que penso a respeito e pedi para ele conversar comigo sobre mas sempre foge é complicado isso…não sei o que fazer…

  24. #94
    Priscila
    01.12.2014 - 11:50

    Acho que vou imprimir esse texto e andar com ele pra todos os lugares quando alguém me questiona sobre a minha decisão (que pode vir a mudar).
    Além disso, o que vejo muitas dizendo é que querem ter filhos pq afinal de contas: quem vai cuidar de mim na velhice, entretanto, pra vc ter filho, vc tem que ser mãe e muitos que tem filhos não são mães e pais (a avó, a tia, a vida, a escola, o mundo é quem dá educação, pq os genitores não estão muito a fim desta responsabilidade). E quem garante que esses mesmos filhos cuidarão dos pais na velhice? tantas coisas podem acontecer até chegar a tal velhice.

    Pode ser que eu mude de ideia e resolva adotar uma criança (pq eu não me imagino gestando uma criança). Mas a decisão é única e exclusivamente minha e de mais ninguém!

    Beijos!

  25. #95
    Regiane Henriques
    01.12.2014 - 11:50

    Cony, tenho uma amiga que foi fazer terapia aos 30 anos pq se sentia culpada em preferir a realização profissional do que ter um filho. Ela não estava disposta a abrir mão dos planos e de tudo que ela tinha ralado pra conseguir até então em prol de uma criança, mas se sentia culpada. Ela começou a sentir esse dilema aos 30 pq ela não tinha sequer namorado na época e pensava que se ela realmente optasse por ser mãe, tinha que primeiro arrumar um pai. Depois de anos e um ovário a menos (teve uma complicação com ovários policísticos e uma apendicite) ela conseguiu se entender com a decisão de não ter filhos. Arrumou um namorado que já tinha filhos, investiu na vida profissional e quando chegou no auge do seu sonho, um doutorado em Portugal, se descobriu grávida. Aos 43 anos. E hoje a menininha já tem um ano. E tá todo mundo feliz. Tudo isso pra dizer que, na minha opinião, o importante é vc estar em paz com suas escolhas. O que tiver que acontecer, está escrito. E se na sua historia não estiver escrito que vc será mãe, nem toda vontade do mundo realizará isso. Então relaxa. E seja feliz…

    • #96
      Constanza
      01.12.2014 - 11:55

      Tb acho, o que tiver de ser será!

    • #97
      CARLA CARVALHO
      01.12.2014 - 12:02

      Aplausos! É isso aí! Sinta-se em paz com suas escolhas, a vida já é tão difícil p gente ficar sofrendo por antecipação ne? O que tiver de ser será! O que desejo a Cony, é felicidade!

  26. #98
    Ana
    01.12.2014 - 11:51

    Cony,
    Me identifiquei completamente com vc( tanto que nunca comento nada , apesar de ler sempre, mas dessa vez resolvi comentar), também me sinto assim, acho ter filhos muita responsabilidade, exige dedicação que eu não tenho como dar agora, se no futuro eu mudar de idéia, bem tem várias opções como você mesma disse.
    Mas me sinto pressionada sim, não pelo meu marido que graças a Deus pensa como eu, mas pela sociedade mesmo, já passei dos 30 e as pessoas ficam perguntando não tem jeito né? Mas acho que só vou tomar essa decisão mesmo quando realmente achar que é a hora, e se a hora nunca vier, bom vou ser feliz do mesmo jeito!

  27. #99
    Natália Rosner
    01.12.2014 - 11:51

    Cony, realmente essa é um questionamento de várias amigas minhas!
    Eu sempre fui louca por crianças, e quando conversava com o meu então namorado (atual marido), falávamos de filhos e planejávamos o tempo para engravidar depois que nos casássemos.
    Demorei 3 anos de casada pra decidir engravidar – juro que não estava muito empolgada, mas sabia que um dia iria acontecer -, e como já era uma vontade antiga, meu marido começou a pressionar e decidi engravidar sem planejar nada! Engravidei no 2º mês que parei a pílula, e hoje minha filha tem 1 ano e 10 meses.

    Concordo que é uma decisão muito complicada, afinal, tem muitas coisas que pesam no sentido da nossa independência diminuir bastante e o relacionamento do casal mudar muito também. Porém, apesar de ser um pouco cansativo e terminar dando prioridade à minha filha do que a mim muitas vezes, tudo é esquecido na hora que ela corre pros meus braços!

    Ah, e não estou insistindo pra ninguém se convencer a ter filho a todo custo… Mas acho que deve ser muito bem pensado mesmo, para não se arrepender no futuro…!

    • #100
      Constanza
      01.12.2014 - 11:53

      Claro! Quem tem vontade, quem tem o sonho de ser mae, tem que ter filhos mesmo!

  28. #101
    CARLA CARVALHO
    01.12.2014 - 11:51

    Acho que esse tipo de escolha não cabe a ninguém se intrometer… Exceto seu futuro marido, pq ne? shauhsuausah… Mas eu tenho dó quando vejo essa convicção… a solidão na terceira idade é muito triste.. ter filhos não te garante não ficar sozinha, mas não ter… é quase garantia.. Tenho algumas tias, idosas, que optaram por não ter filho e hj se arrependem e falam conosco, as sobrinhas netas, q não cometam o mesmo “erro”. A velhice chega e então vc percebe que não tem mais ninguém que realmente tenha disposição e vontade de estar com vc, cuidar de vc… Mas como eu sempre digo, essa é uma decisão que a pessoa tem que tomar e não cabe a terceiros dar pitaco, no máximo conselho de quem já viveu essa experiência.. Eu nunca cogitei não ser mãe, e aos 19 anos uma médica, louca, sem menor noção, me disse que ou eu teria filho naquela época, eu nem namorava em casa ainda, ou nunca mais teria.. fiquei muito abalada mudei de médica e descobri que não era bem assim.. Tenho ovários policísticos, talvez eu tenha dificuldade p engravidar no futuro quando eu achar q for a hr, talvez eu nunca tenha um filho biológico, mas nem por isso vou deixar de ser mãe.. Enfim, eu aprendi a dar mto valor em família e tenho mto medo da solidão..

    • #102
      CARLA CARVALHO
      01.12.2014 - 11:58

      e tb pq eu e meu futuro marido(leia-se namorado) gostamos de criança e gostamos desse ng de estar em familia, se divertir com as crianças da familia.. a gente nasceu p ser pai e mãe, rsrs

    • #103
      Fernanda
      01.12.2014 - 12:57

      Não por isso, é só vc ser uma veinha cheia de amigos, nem que seja dentro do asilo participando de atividades, não tem nada de errado com isso. Mas realmente é bem diferente vc dar essa prioridade a si mesma quando se tem 30, 40 anos, jovem, bonita, cheia de possibilidade de “peguetes”, curtir a vida, viajar, etc, do que quando tá com 70, 80. Mentalidade bem imediatista e individualista como disseram aqui (isso de “não quero abrir mão de tempo pra mim pra dar tempo pra filho”). Mas a vida é de cada um e cada um faz o que acha que é melhor pra si, claro, isso não deveria nem ser questionado. Tbm conheço quem odeia ser mãe… e se é pra ter filho só pra dizer que tem e cumprir a “obrigação”, muito melhor não ter.

      • #104
        Marina
        13.12.2014 - 15:59

        Acho mais egoísta a pessoa ter filhos para não ficar sozinha na velhice ou como bengala emocional.
        Quanta gente não casa, não tem filho, pq acha que mulher nasceu para constituir família? E depois que casam e procriam, abandonam-se, esquecem dos amigos, abandonam sonhos profissionais… e passam a depositar todos os seus sonhos e suas carências nas crianças? Aí elas crescem e a mulher se vê perdida, pq nem sabe quem é ela mesma mais. Perdida e sozinha. E mendigando a atenção dos filhos, pq mesmo que eles sejam presentes, tem suas próprias vidas, o que a mãe deles não tem.
        Tenho 30 anos e tenho a CERTEZA que quero ter filhos e constituir família. Mas não tenho pressa. Pq, como disseram anteriormente, o(s) filho(s) virá(ão) para acrescentar. Quero primeiro me realizar profissionalmente. Quero, sim, viajar… acho que isso enriquece as pessoas, e a vivência te deixará mais sábia pra educar outro ser humano posteriormente. Também quero manter meu círculo social. Meus amigos são minha segunda família e, se souber mantê-los, me “salvarão” da solidão.
        O que estou tentando dizer é que quero ser feliz independentemente de filho, para não despejar depois nele toda a razão da minha felicidade, pq isso é muito injusto – com você e com a criança.
        E quando o tiver, serei o mais dedicada e presente possível, pq realizada, não me sentirei frustrada pelas concessões que terei que fazer. Não que outras mães que não façam a mesma opção que a minha sejam frustradas. Só me conheço bem e sei dos meus anseios como ser humano e como, para mim, é importante ter uma vida equilibrada (realizada na medida do possível, pq nada é perfeito ou conforme planejado) em todos os setores.
        Acredito que o importante é isso: vc se conhecer e saber do que pode abrir mão e do que não pode. Só assim poderá tomar decisões com mais consciência do que te faria feliz…

    • #105
      Mariana
      01.12.2014 - 13:14

      Tenha dó de filhos abandonados pelas “mães” se é que podem chamar assim. Não tenho dó de ninguem por um decisão que como vc mesmo disse só cabe a ela e seu companheiro. Ninguém sabe mais de nossas vidas e de como desejamos trilha-la que nós mesmos. Tenho muita vontade de ser mãe daqui uns 5 anos, meu marido também pensa assim mas vejo que isso mudará radicalmente nossas vidas, algumas pessoas não querem ter filhos, outras não se sentem preparadas e também acho assustador e super admissível não tê-los, ainda mais num mundo tão louco como o que vivemos. Acho que respeito acima de tudo, de idéias, posições. Seja feliz do seu jeito.

    • #106
      Ilka
      02.12.2014 - 00:26

      Eu já trabalhei em casa de repouso e ouvi de muitas senhoras vários arrependimentos, algumas formaram família e lamentavam não ter realizado sonhos, viajado, vivido intensamente, ouvi senhoras que diziam que se fosse nos dias de hoje onde podem escolher não teriam filhos, assim como há aquelas que não tiveram, mas quase nunca foi uma escolha, e sim resultado de não terem casado ou por algum problema de infertilidade.
      É bom lembrar que quem tem 70-80 anos hoje nasceu na década de 30 ou 40, uma época onde nem se pensava em não ter filhos. Embora a pílula tenha surgido nos anos 60 somos praticamente a primeira geração onde mulheres escolhem não ter filhos, pois até pouco tempo isso era considerado algo inaceitável.
      E estar sozinha na velhice não é uma questão de filho ou família, há pessoas solitárias aos 40 anos, se a pessoa não consegue ter amigos ou interesses, bem, então o problema é ela, os filhos no máximo estar próximos aturando essa pessoa.

      • #107
        Constanza
        02.12.2014 - 08:20

        Perfeito!

  29. #108
    Amanda
    01.12.2014 - 11:54

    Cony minha querida, achei esse post tão super master legal.
    Esses dias fiz um intercâmbio pra terra do tio Sam com uma turma de adolescentes (mais de 50) e percebi que essa nova geração me dá muito medo. Eles fazem o que querem, quando querem com quem querem, porque sabem que os pais irão limpar a sujeira depois. E isso vem muito dessa geração de mulheres e homens que não querem ser pais e mães e por pressão da sociedade, da família ou mesmo descuido engravidou e “dá” os filhos para babás criarem, e pra suprir a falta de atenção presenteiam com tudo o que querem.
    Claro, não dá pra generalizar, mas se não tem vontade e sente que não tem vocação, para que ter?
    Digo por mim, eu sempre senti que queria filhos (sim, mais de um), sempre sempre! E agora estou num relacionamento com alguém que realmente “me transborda”, e sempre penso nisso. Ainda sou nova e não quero para hoje, mais não vejo o meu futuro sem filhos, entende? É muito louco!
    De qualquer modo apoio a sua vontade e de todas as outras mulheres. Somos companheiras e precisamos apoiar umas às outras.
    Beijo grande.

  30. #109
    suellen
    01.12.2014 - 11:55

    Oi CONY, super respeito quem toma essa decisão, sempre achei que não ia querer mas no ultimo ano comecei a sofrer buling da natureza aahhah, muita vontade de ter filho, acho que é uma decisão muito radical mesmo,e acho que o mais importante é saber que quem manda no seu utero é vc, estou feliz da minha decisão de engravidar, mas respeito muito quem toma decisão contraria, emponderamento feminino, a gente escolhe não os outros.
    bj

  31. #110
    Mariana Andrade
    01.12.2014 - 11:58

    Oi Cony! Eu sou do grupo de mulheres que tem a maternidade totalmente aflorada. Sinto que nasci para isso, tenho dois filhos (um com 2 anos e 10 meses e uma de 5 meses) que são a prioridade da minha vida, e isso me faz muito feliz, muito mesmo. Não me imagino sem minha família desse jeitinho.
    E embora esta situação me faça muito feliz, respeito e consigo entender quem não tem esta mesma opinião. E vou além, é muito mais coerente, justo, sincero, bater no peito e assumir a decisão de não querer ter filhos do que colocá-los no mundo e terceirizar seus cuidados e educacao, algo que está cada vez mais frequente infelizmente! Pq filho muda e muito nossa vida sim!
    O ato de não ter filhos é um ato egoísta – não quero com esta frase ofender, falo em egoísmo no sentido literal, ou seja, é um ato em que a pessoa se coloca em primeiro ligar, se prioriza, o que não é um erro, é uma opção. E se assim for, realmente não da pra ter filhos, pois um filho deve ser prioridade na vida de ao menos um adulto.
    Acredito que deva ser uma decisão muito difícil de se tomar, pois quem já não ouviu o relato de alguém que nunca se viu mãe de repente se apaixonou pela maternidade?
    Enfim, o importante é ser feliz, e ter plena consciência da decisão que tomar. Tomando-a de acordo com suas prioridades e nunca por imposição da sociedade.
    Beijos.

    • #111
      Martha
      02.12.2014 - 04:38

      legal o comentario… o meu relato é bem esse, nunca me vi mãe e me apaixonei pela maternidade…. Porém, não pretendo me deixar de lado… acredito que uma boa educação para os filhos comece com os exemplos dados pelos pais… Bjo!

  32. #112
    01.12.2014 - 11:58

    Cony, estou com você. Não sou uma das que desejam ser mãe. Bjs

  33. #113
    Priscila Roxo
    01.12.2014 - 11:59

    Cony, adoro suas pautas!! Você conseguiu colocar em palavras o que sempre senti. Nunca me vi uma mãe e nunca tive vontade, desde pequena. Acho linda a maternidade, ter um filho deve ser maravilhoso, mas simplesmente não tenho vontade, como você. E em nossa situação, somos muito julgadas sim e daí? Quer filhos, engravide, não os quer, fique como está e seja feliz! Parabéns pela coragem em falar sobre o assunto! Bjs

  34. #114
    mariana ambinha
    01.12.2014 - 12:01

    Incrivel depoimento Cony! Tb acho que o desejo de ser mãe deve vir de dentro pra fora e, se isso nao eh despertado em vc, pode ter certeza que se tiver filhos, será “sem querer” ou mal pensado. Sou super a favor de fazer o que te faz feliz. Nao acho egoísta seu pensamento, muito pelo contrario, ha mulheres que tem filhos so por ter e criam de qualquer jeito, instinto maternal zero, isso sim deveria ser observado (ja que julgar nao esta no nosso poder).. beijos, adoro vc <3

  35. #115
    Adriana
    01.12.2014 - 12:02

    Oi Cony, poder escolher é ótimo, sempre me vi como mãe, tenho este desejo desde nova, mas esperei esta vontade nascer tb no meu marido, somos casados há 8 anos e há 3 anos tentamos sem sucesso ter um bb. Minha vida hoje gira em torno de tratamentos, até atividade e alimentação são voltados para isso. Me vejo em um sofrimento por querer algo, que hoje começo a questionar se seria realmente a melhor coisa do mundo para mim. Vou fazer o possível para realizar meu sonho, mas é claro se o casamento resistir a tanto tormento. Entendo sua decisão. E a minha decisão é tentar até o ultimo recurso para futuramente poder falar que fiz tudo que podia para engravidar. Mas se não for para ser mãe, quero aproveitar todas as vantagens (sim existem várias, tenho até uma lista) disto mesmo que não tenha sido por opção.

  36. #116
    Beatriz
    01.12.2014 - 12:03

    Eu sempre quis ser mãe, tenho um bebe e quero mais dois.

    Admiro demais quem assume não ter filhos. Da trabalho, cansa, tudo gira em torno deles e do bem estar deles. Depois que fui mãe, me dói ainda mais quem simplesmente coloca um filho no mundo pq ser mãe (e pai) é outra coisa! Acho muito melhor assumir não ter do que ter por ter..

  37. #117
    Fernanda
    01.12.2014 - 12:03

    Eu tmb nao tinha a minima vontade de ter filhos durante toda minha infancia e adolescencia. Tenho amigas de infancia que desde que arrumaram o primeiro namorado só falam em casar e ter filhos.
    Tenho 21 anos, nao me imagino com filho agora (namoro tem 3 anos), nao me imagino com filho daqui 5 ou 10 anos. Quando minha vida estabilizar, eu não quiser mais fazer pós, mestrado, doutorado, especializacao fora do país… aí quem sabe eu penso nisso. Mas por enquanto não me atraí nem um pouco a ideia.
    Mas como a vida muda, nós mudamos, penso sim em congelar meus óvulos assim que começar a ganhar dinheiro (de verdade, rs). Quanto mais novos os óvulos forem, melhor para usar posteriormente. E como tenho certeza que nao terei filhos (programado) antes dos 35, vou correr atrás disso para caso mude de ideia pq nessa idade já há maiores chances de mutaçoes genéticas

  38. #118
    Julia
    01.12.2014 - 12:03

    Cony parabéns pela coragem de postar claramente sua opinião sobre um assunto que as pessoas julgam de mais. Tenho 27 anos e rola uma pressão enorme que preciso acelerar um casamento pq se não vai ficar mt tarde pra ter filhos.. As pessoas não entendem que para casar precisa ter td uma estrutura e pra ter filho precisa mais ainda. Não sonho em ser mãe, mas acho q é pq não chegou o momento certo para isso. Não tenho pressa e tenho ctz q isso melhor pra mim e até para uma futura criança.

  39. #119
    Luísa
    01.12.2014 - 12:04

    Oi Cony! Acho que a escolha depende de cada um, do seu estilo de vida e do parceiro. Somos felizes por viver num tempo onde podemos escolher se queremos ou não ter filhos. Eu sempre quis ser mãe, mas vivi um relacionamento de 9 anos e nunca senti segurança para isso, até estava desistindo da ideia, mas o relacionamento acabou, outro relacionamento começou e coincidiu a vontade de um filho, que já está a caminho. Mas penso que se não estivermos seguras da escolha não adianta. Isso não deve ser uma pressão externa, deve ser algo que nos faça bem, independentemente da escolha e deveria ser respeitada.

  40. #120
    julia
    01.12.2014 - 12:04

    Cony, eu sempre tive vontade de ser mae, acho que isto é individual,deve ser uma escolha consciente e planejada.Conheco mulheres, que tiveram seus filhos e com 06 meses ja largam a crianca pra viajar..opa, nao acho que a mulher tem que abrir mao da vida dela, mas o filho vira prioridade.A maior responsabilidade que o ser humano tem na vida, e ter um filho. Se voce acha que nao esta pronta ou nao quer tal responsabilidade nao tenha filhos.

    • #121
      Mariana
      01.12.2014 - 13:05

      Concordo com você, não acho que a mulher precise se anular pra ser mãe mas durante um período a prioridade com certeza é a criança pois ela depende da mãe e vejo tantas pessoas egoístas que acham que tem o direito de viver como antes de tê-los. A vida muda totalmente, e se a pessoa não pode lidar com isso não tenha filhos. É a maior responsabilidade que se pode ter, e acredito que tudo de bom na vida exija sacrificios. Meu irmão se casou a dois anos e meio e ele e a esposa não pensam em ter filhos. Fico triste pois gostaria de mais sobrinhos,mas sei o quanto a rotina deles é corrida e cansativa, então acho muito consciente tomarem essa decisão. Acho que é um decisão única, ninguem serve de regra pra ninguem.

      • #122
        Fernanda
        01.12.2014 - 15:53

        “tudo de bom na vida exija sacrificios”. Falou tudo. Algumas pessoas veem somente o lado ruim. É como dizer que não quer fazer uma viagem ao redor do mundo porque é chato ter que fazer mala.

  41. #123
    Juliana
    01.12.2014 - 12:06

    Adorei o seu texto.
    Vc transmite uma verdade incrível em tudo que escreve. Por isso leio os seus posts diariamente, com muito prazer.
    Meu sonho é ser mãe, mas atualmente me desespero por não ter encontrado ninguém e estar bem distante de ter um filho.
    Não me vejo em uma produção independente ou adotando uma criança seu um companheiro.
    Estou em uma fase complicada. Tenho 30 anos e agora estou me redescobrindo profissionalmente, nunca trabalhei com algo que realmente eu gostasse, mas acho que agora estou tendo mais clareza onde focar.
    Sofro muito pelo tempo estar passando tão depressa. Talvez não seja pra eu ser mãe e minha missão esteja focada em outra coisa.
    Vale a reflexão.
    Bjs! Adoro vc e sinto que tenho uma amiga virtual! rs

  42. #124
    Ale Trindade
    01.12.2014 - 12:06

    Cony,
    Li uma vez q ter filhos é como fazer uma tatuagem na testa, se você não tiver preparada pra isso, passe a vez. O q é meu caso.
    Minha felicidade não depende de ninguém além de mim.
    Já te admirava por toda sua trajetória, após este post, vc mora no meu <3 e não paga aluguel!!!!!
    bjusss

  43. #125
    Flavia Bueno
    01.12.2014 - 12:09

    Gostaria de relatar a minha experiência.
    Assim como você, Cony, nunca havia “batido” aquele espírito materno em mim. Entretanto, em junho deste ano, eu, com 36 anos, descobri que estava grávida, sem nunca ter planejado. Pois é, acidentes acontecem, mesmo com mulheres pra lá de experientes, hehe! E eu, que nunca tinha tido a mínima vontade de ficar grávida, me vi chorando, sozinha (meu esposo estava no trabalho), com o teste “positivo” de gravidez na mão. E era engraçado porque nem eu entendia aquela emoção, e até hoje não consigo descrevê-la direito. Era um misto de alegria, felicidade, e, confesso, um pouco de desespero, principalmente pelo fato de não ter planejado aquela gravidez naquele momento da minha vida. Passado o susto inicial, te digo que passei a curtir tanto aquele momento, e a desejar aquele filho mais do que tudo. Encarei como um milagre divino, sabe? Onze dias depois, fui fazer um ultrassom e descobri que o embrião não estava se desenvolvendo, e que provavelmente eu teria um aborto natural. Nossa, você não imagina a tristeza que senti. Foi muito, muito triste. De fato, eu tive o aborto. Agora, passados alguns meses, o que mais quero é engravidar. Sei lá, sentir aquele gostinho de ser mãe (e foram apenas 11 dias!) foi uma coisa que mexeu muito comigo. Mudei totalmente a meu modo de pensar a respeito da maternidade.
    Enfim, estou contando minha experiência não para mudar a cabeça de ninguém. É mais um desabafo mesmo… E quero deixar claro que respeito totalmente quem não tem o desejo de colocar uma criança nesse mundo caótico. E se, algum dia, você mudar seu pensamento, é como você mesma disse: tem várias maneiras de ter o seu filho. Acho o ato da adoção, por exemplo, a coisa mais tocante do mundo, de um desprendimento total!
    Beijo! 🙂

    • #126
      Alessandra
      03.12.2014 - 20:49

      “Acho o ato da adoção, por exemplo, a coisa mais tocante do mundo, de um desprendimento total.”

      Verdade! Penso exatamente igual!
      Não há laço consanguíneo, não há obrigação civil, moral ou qualquer outra que leve alguém a adotar.
      É somente amor transbordando.

      Deixe a poeira baixar, a dor curar e você há de engravidar novamente e ter seu bebê 😉

  44. #127
    Bianca Fernandez
    01.12.2014 - 12:12

    Existe também aquela possibilidade de apenas responder que sim! As pessoas querem saber o que vc quer. Elas tem essa infinita curiosidade sobre a vida alheia, ainda mais quando, elas passaram ou passam por aquilo… Então, se lhe perguntarem se quer ser mãe, diga que sim e morreu assunto.

    Tou falando isso pq namoro a quase 9 anos e nunca, disse nunca, sequer tive uma suspeita de gravidez. Não tenho qualquer problema. Simplesmente me preveni durante todo esse tempo. Mas pessoas da família com filhas mais novas do que eu, bem mais novas do que eu, já engravidaram. E daí, passam a achar normal uma garota de 17 anos sem ter uma graduação, emprego, etc, ser mãe, enquanto vc, formada, bom emprego, com estrutura, sequer pensar em filhos ainda.

    Se vou ter? Deus é quem sabe. Tudo tem a sua hora. A hora, por ora, é investir em mim. Pois se amanhã ou depois eu resolver ter filhos, eles chegarão em um lar com boas condições de criá-los.

  45. #128
    Marcele
    01.12.2014 - 12:12

    Muitas pessoas ainda tem dificuldade de aceitar que a felicidade não está necessariamente ligada a casamento ou filhos. Tenho 27 anos e quero muito ter um filho, independente de estar casada ou não. Me sinto triste só de pensar em não conseguir, seja por motivo financeiro ou qualquer outra razão. Mas isso é um desejo unicamente meu e eu entendo perfeitamente quem pensa diferente. Sei que existem diversas formas de ser feliz e realizada, e cada pessoa deve buscar a sua.

    • #129
      Ilka
      02.12.2014 - 00:35

      Você falou tudo! A felicidade está em nós mesmas, independente de termos filhos ou não.

  46. #130
    Natalia
    01.12.2014 - 12:13

    Tenho 26 anos e moro com meus pais, namorei 6 anos, comprei apartamento e estava tudo planejado pra eu casar em 2 anos e com certeza filhos em seguida. Sempre me sentia em dúvida disso, na verdade eu queria mais é aproveitar a vida, viajar pelo mundo, sair pra dançar, coisas que eu não fazia muito nesse relacionamento, e isso me entristecia. Ele um cara maravilhoso comigo, bem sucedido… Mas eu não queria casar por agora. Resumindo… Resolvi chutar o balde, terminei tudo, relacionamento, apartamento, casamento a frente… Meus pais ficaram uma fera. Falavam que eu já estava na idade de casar, que queriam netos, que eu seria mãe velha e bla bla bla. Por fim, 6 meses depois conheci outra pessoa, estamos juntos a um ano, e sinceramente, eu penso em casar e ter filhos, mas lá para as casas dos 30 e poucos e ele tb respeita a minha opinião e concorda.

    Quero casar e ser mãe, mas sem prazo estipulado pela sociedade. Enquanto isso… Vou vivendo feliz e independente!

  47. #131
    Viviane Moreira
    01.12.2014 - 12:16

    Olha eu nunca tive essa vontade de ser mãe. Na época da faculdade eu falava aos quatro ventos que eu não queria casar e nem ter filhos, inclusive namorado estava ali por perto ouvindo o que eu sentia.
    Pois bem, uns dois anos atrás “apareceu” um mioma, eu chorei, e veio um pensamento: Parece que Deus sabe o que faz.
    Esse mioma me torna, de certa maneira, infértil. Fiz tratamento e ele continua aqui.
    Estou com 39 e ainda sem instinto materno. Quando vejo programas tipo Supernanny ou Socorro meu filho come mal, tenho em mim que eu não quero um filho meeesmo.
    O meu problema, é que meu companheiro, o da época da faculdade e qual eu nunca menti sobre o assunto, quer ter pelo menos um filho! 🙁 Diz ele que se não tiver, será mais uma de muitas frustrações em sua vida. 🙁 Ai fico eu com esse sentimento, essa sensação de ser responsável por uma frustração dele…. 🙁
    Fico jogando a culpa no mioma, se bem que no post da maldita pírula, eu soube pelo médico que se eu quisesse poderia engravidar, com mioma mesmo e tirar ele junto com o bebe, mas eu só pensei: E eu quero um bebe? Ainda não!
    E estou aqui nesse dilema…. 🙁
    E eu acho que o número de mulheres que não querem filhos só cresce e eu acho que elas devem ser respeitadas por suas decisões, d mesma forma que alguém que quis ter filho tem.
    E por isso eu digo: Parabéns Cony por sua decisão, não será menos feliz por isso.
    PS: Só lamentei por Nero, mas ainda bem que estão com os vovós corujas…. não esqueça de visitá-lo!
    Bjss
    Vi

    • #132
      Sil
      02.12.2014 - 00:11

      Não se sinta obrigada apenas porque o parceiro quer. Ele já sabia onde estava se metendo! A frustração é pura culpa dele, não sua.

  48. #133
    01.12.2014 - 12:16

    Não tenho filhos ainda, mas tenho vontade.

    Mas não minto, tenho receio da mudança de vida que isso vai me trazer. Acho que acaba um pouco a liberdade né? Mas ainda assim, quero ter filhos. Aliás, ha uns dois anos adotamos um vira latinha e já deu pra ver como a gente precisa abrir mão de certas coisas, afinal ele não é criança mas tb é um ser que depende de nós dois… E assim acabamos adaptando nossa vidinha por ele também.

    Tenho 29 anos e sou casada há pouco mais de tres anos… Só que no meu tempo! Nao aguento mais me perguntarem quando vem meu bebê hehehe

  49. #134
    Fernanda
    01.12.2014 - 12:18

    Nossa, que alívio saber que não sou a única ‘desajustada’. Me sinto um et perto das maternais, story of my life.
    Tenho o meu marido, tenho minhas gatas, tenho minha carreira. Pra mim tá tão bom assim! Foi muito sofrido chegar nessa conclusão, pq afinal quase todas minhas amigas são mães ou querem ser, então a gente se sente meio aberração, meio egoísta.

  50. #135
    Lívia
    01.12.2014 - 12:18

    É um assunto muito delicado mesmo. Ainda não me decidi com relação a ter filho ou não. Penso que colocar uma criança no mundo, nesse nosso sistema de coisas (violência, doenças, caos da natureza etc. etc.) é um ato de egoísmo, visando unicamente satisfazer quem já está aqui. Por outro lado, irracionalmente tenho o desejo de ser mãe. É um dilema constante, sem dúvidas. Morro de pavor de pensar em ter um filho e sujeitá-lo a todo o tipo de sofrimento que vivenciamos. Se eu tivesse a certeza que um filho teria uma boa vida, uma vida tranquila e feliz como a minha, não teria tantas dúvidas sobre a maternidade.
    Enfim, mais um ponto de vista no debate.

  51. #136
    Juh*
    01.12.2014 - 12:18

    Cony, vale um chora que eu te escuto?
    Eu sempre disse que o meu sonho de “mulherzinha” era casar, vestida de noiva, festão e etc. Já fiz isso e me sinto feliz e realizada! Mas ter filhos nunca esteve nos meus planos. Porém, apesar de meu marido saber disso, nós nunca chegamos a um acordo de ter ou não filhos. Hoje ele se diz pronto e ansioso para ser pai, mas eu ainda não cheguei nesse ponto. Além da pressão dele, tenho pressão da minha família, da família dele, dos amigos.. enfim, do universo. NÃO AGUENTO mais!
    Ando com o pensamento que você disse: E se eu me arrepender? Nossa, estou tão confusa…
    Eu amo crianças, tenho sobrinhos maravilhosos pelos quais sou apaixonada, mas ainda não quero abrir mão da minha liberdade pela maternidade.
    Mas é uma escolha que eu tenho que fazer e, tenho certeza, que meu marido só tem uma opção pra mim!
    Estou entre o casamento e minha vontade…. está tão difícil!

    Beijos!

    • #137
      02.12.2014 - 14:26

      Juh, mas você nunca pensou em ter filhos? Ou só não quer por enquanto?
      Nesse caso, o jeito é mesmo conversar com o marido e falar pra ele que você não está pronta ainda e que talvez nunca venha a estar… E pensar de fato nessa possibilidade. Do jeito que está, você só estará prorrogando o problema e já está sofrendo com essa pressão sem necessidade, talvez…

    • #138
      Aline
      03.12.2014 - 14:06

      Tem um livro chamado Uma prova de Amor da Emily Giffin que é muito bom, tem bastante a ver com o tema. Beijinhoss

  52. #139
    Bru
    01.12.2014 - 12:20

    Pior do que decidir não ter filhos, é ver uma mãe frustada, amargurada e descontando (mesmo que inconsciente) a sua infelicidade no filho.
    Eu sempre me imaginei sendo mãe e talvez se não for, ficarei extremamente frustada, mas eu te entendo perfeitamente. As pessoas precisam parar de julgar e saber respeitar. Eu tenho 23 anos, mas tenho váaaarias amigas com 30 desesperadas e pra falar a verdade, eu nem sei se o desejo de ser mãe é realmente delas ou se elas caíram na pilha das pessoas que as pressionam.

  53. #140
    Denize
    01.12.2014 - 12:21

    Oi Cony,
    Sempre tive essa mesma opinião, mas de uns meses pra cá me bateu uma vontade imensa de ser mãe parei com a pílula e pensei assim ” daqui uns meses engravido” e não é que no primeiro mês “Bum” baby!!!!! Fiquei assustada mas feliz, mas como tudo tem um mas tive uma gestação tubária passei por uma vídeo laparotomia perdi uma trompa e junto a vontade de ser mãe. Não sei se essa vontade voltará pois a dor é bem maior. Bjus

  54. #141
    Juliana
    01.12.2014 - 12:24

    Nossa Cony! Parece que foi eu que escrevi este post. Tenho 37 anos e sou casada há 8 anos. Eu achava que a vontade de ter filho iria chegar mas nunca chegou. Sinceramente as pessoas me olham como se eu fosse um ET. Talvez eu seja mesmo, mas o que eu quero é ser feliz. As pessoas pensam que vc só pode ser feliz se tiver filhos. E eu penso que o que faz cada pessoa feliz é algo muito individual… Adorei o post! Fiquei feliz em saber que não estou sozinha nesta…… Bjs

  55. #142
    Elaine Lobo
    01.12.2014 - 12:24

    Respeito quem pensa diferente, mas a mulher que decide não ter filhos perde a oportunidade de sentir um amor mais verdadeiro que poderia existir, de mãe pra filho. Nunca pensei em ter filhos,, mas tenho 2e tenho a certeza que foi a melhor coisa que eu fiz, sempre penso, como pude viver sem essas 2 pessoas ilhas na minha vida. Vale a pena pensar em tem pelo menos 1 filho, é algo único na vida, pode ter certeza.

    • #143
      Ilka
      02.12.2014 - 00:40

      Estava demorando para aparecer a história do amor verdadeirozzzzz.

  56. #144
    Faby
    01.12.2014 - 12:25

    Oi Cony!
    Nossa eu sou uma dessas que não querem ter filhos, eu acho q liberdade tão boa que não quero me desfazer dela, e penso: qual a necessidade de por um filho no mundo hj? Eu penso na violência, drogas, que por mais que vc eduque um filho, não garante que ele não vá se envolver com coisas ruins…. eu penso em tantas coisas, minha amiga engravidou e é mãe solteira, morre de vontade de viajar, sair, coisas que ela fazia muito antes, e hj não pode pq tem a bb… e eu sou livre! pode ser que eu ache alguém que me faça mudar de idéia, mas não tenho a menor vontade de ser mãe, só de cachorros e gatos rsrsrssrsr

  57. #145
    Anita Abranches
    01.12.2014 - 12:26

    Oiii CoNy ! Esse post é pra mim, tenho 34 anos e não sinto a mínima vontade de ter filhos , no”grupo” de amigos que tenho tem várias amigas que tem filhos e elas falam pra mim. ” Anita , vc tem jeito com crianças , elas gostam de brincar com vc !” . Eu respondo adoro pegar brincar e devolver na hora que começa a chorar . Simples assim ! Hoje não quero mas se no futuro mudar de ideia ai é outra história .
    Adoro o jeito que escreve , me sinto amiga sua . Beijos Anita .

  58. #146
    Cátia
    01.12.2014 - 12:29

    Boa Tarde Cony,

    Faça uma contagem depois e veja que time está ganhando…
    Eu sou das que não tem filhos e pasme, tomei mais ou menos a decisão, por volta dos 13 a 14 anos ! Olhei em volta e não conseguia me ver na situação. Achei que ia me arrepender e que a vontade chegaria…nunca chegou e claro, nunca me arrependi de nada. Casei, divorciei e hoje estou em outro casamento (ele tem uma filha da união) e sou feliz como nunca ! Sem filhos e sem desejo de tê-los. Ainda quero muita coisa nessa vida, mas ser mãe (uma situação linda, eu acho, para as outras…) não é uma delas.

    Fique tranquila, somos de um grupo diferente: que questiona e toma as próprias decisões.

    Bjs, Cátia

    • #147
      Fernanda
      01.12.2014 - 16:05

      Ah é pq quem tem filho fez isso pq é maria vai com as outras apenas, kkkk

    • #148
      Stephanie
      01.12.2014 - 19:42

      Desculpa, mas achei um pouco preconceituoso esse comentário. Primeiro por falar de “time” que está ganhando – sendo que isso não existe, que besteira. Mas a gota dagua é falar como se as pessoas que optam por ter filhos não pensam em si mesmas e não conseguem pensar “fora da caixinha”. Ter filho é uma decisão tão importante quanto não ter, e uma mulher que tem um filho não desistiu de si mesma, pelo contrário: ela acredita tanto em si mesma que acha que vale a pena passar seus princípios e valores para formar uma criança..

    • #149
      Luciana
      02.12.2014 - 09:40

      ahahahahahaha agora quem tem filhos não se questiona e nem toma as próprias decisões….shut up! menos vai, bem menos!

  59. #150
    Fernanda
    01.12.2014 - 12:30

    Eu sou casada, tenho uma filha de 1 aninho e sou absurdamente feliz com isso, mas não julgo ninguém, quer ter tenha, não quer ter não tenha, ter quer 5 filhos tenha, quer adotar, adote! As pessoas costumam ser muito cruéis com quem não pensa como elas. Cada um sabe de si! A vida é meio como aquele filme “Efeito Borboleta”, cada decisão tomada implica em uma mudança imensa, e nós nunca saberemos o que aconteceria se tivéssemos escolhas diferentes das que tomamos, isso mudaria tudo. Por isso não dá pra pensar em se arrepender, tem que decidir e viver aquela escolha em paz. Infelizmente o tempo é cruel com nós mulheres, temos um prazo pra engravidar. Conheço pessoas que ficam brigando umas com as outras por escolhas, exemplo: uma amiga teve uma gravidez complicada e não pode ter mais filhos, aí ela fica tentando convencer todo mundo que ter um filho só é melhor. A outra que adotou e fica criticando quem tem filho biológico. Peraí!!! A gente tem que estar feliz e em paz com nossas decisões!! E ficar criticando os outros não vai adiantar nada! Temos que ser felizes da forma que escolhermos. Bjos, Cony!

  60. #151
    Jo Campos
    01.12.2014 - 12:31

    Ai Conny!! Vc é demais! Eu já te achava parecida comigo, nos gostos, comportamento, etc… agora acho q somos irmãs gêmeas separadas na maternidade…rsrs
    Eu adoro crianças, levo jeito com elas, elas me adoram! Mas tbm não queroooo!!! E graças a Deus que tenho um namorado (quase marido – temos uma história longa, já fomos noivos, me casei, fui morar fora do Brasil, voltamos…) lindo, fofo, compreensivo que concorda e aceita minha decisão!
    Adorei que tenha abordado o assunto!!

    Obrigada!

  61. #152
    Isa
    01.12.2014 - 12:32

    eu tenho MUITAS dúvidas com isso.. não sei se quero, se não quero..

    antes de conhecer meu atual marido eu tinha uma ideia mais formada, não queria ter filhos e focar na minha carreira profissional, nem marido eu queria haha, se mais tarde eu tivesse condições e vontade, adotaria uma criança! Mas depois de namorar, agora casada.. não sei se é a pressão da sociedade (e principalmente de ambos os pais que querem netos), eu sempre me pego em dúvida quanto a isso..
    adoro a nossa vida do jeito que é, tenho um filho cão e o amo taaanto, sei que meu marido também e somos tão felizes com ele… e ele super satisfaz esse meu lado maternal na vida, não quero mais nada! haha meus pais já estão mais conformados com o “neto cão”, mas as vezes ainda me bate uma dúvida danada sobre isso.. e pelo meu marido também continuamos sem filhos!

    além disso, tenho PAVOR de parir.. hahahahaha acho lindo o parto humanizado, mas nunca faria pq quanto mais informações eu leio sobre ele, com mais pavor eu fico.. vocês que fizeram isso são corajosas demais, parabéns!!

    eu acho que vou desperdiçar essa dádiva mesmo e se um dia me arrepender (e for “tarde demais”, infelizmente o tarde demais para nós mulheres parece cada vez mais cedo), a adoção é um ato lindo gente, não é pq não nasceu do seu ventre que não pode ser seu filho.. e será amado da mesma forma <3

  62. #153
    Cinthia
    01.12.2014 - 12:36

    Essa escolha é bem complicada, por enquanto o meu instinto maternal não apareceu. Já passei dos 30, tenho uma rotina de trabalho muito agitada, gosto de ter minha liberdade, de viajar, de não ter horários pré estabelecidos fora dos compromissos de trabalho. E filhos mudariam completamente meu foco e minha rotina. Eu entendo que quem tem ou quer ter filhos vejam como certo egoismo e egocentrismo meu pensamento, mas não posso tomar uma decisão tão importante com base no que os outros ou a sociedade esperam de mim. Se tenho medo de ficar sozinha no fim da vida? Sim, claro que tenho! Mais filho não é garantia de que isso não ocorrerá e também não seria justo imputar ao coitado essa carga no ombro antes mesmo de nascer. Meu marido entende minha posição, minha família também. Se essa é uma decisão definitiva? Não sei. Talvez daqui uns 3,4,5 anos eu mude de ideia, quem sabe?! Por enquanto não me vejo mãe. Amo crianças,tenho muita empatia com elas, mais por enquanto prefiro a posição de tia.

  63. #154
    regina
    01.12.2014 - 12:44

    Ter filhos pensando na velhice? quer pensamento mais egoísta que vai totalmente contra ao verdadeiro sentido da maternida que é o altruísmo né. Os filhos são para o mundo não para suprir nossas carências afetivas, eles não são projeto de vida- o que para a maioria hoje em dia virou TER UM FILHO- eles não podem ser as realizações dos nossos sonhos,das nossas frustações. Eles tem que ser donos das suas vidas, dos seus sonhos .Muito bem escrito o post. parabéns por abordar um assunto tão polêmico.

    • #155
      Priscila
      01.12.2014 - 14:02

      Não podia concordar mais!!

  64. #156
    ki
    01.12.2014 - 12:45

    Me identifiquei! Acho, não ter filhos uma escolha individual assim como ter. Não me vejo como mãe e meu marido concorda plenamente. Somos muito felizes assim. Nunca tive vontade de ficar grávida e ainda bem conheci uma pessoa que super entendeu isso, sem me criticar e sem que eu me sinta menos mulher por isso. Acho uma tremenda falta de sensibilidade quem critica aquele que não fez a mesma escolha que ele. As coisas estão mudando e acho ótimo a mulher poder escolher isso com toda a liberdade que merece. Achei ótimo esse post Cony, mto pertinente

  65. #157
    Mariana M
    01.12.2014 - 12:46

    Tenho amigas que têm mais de 50 anos, não tem filhos, não casaram e são suuuper felizes e não se arrepedem!

  66. #158
    Juliana Rodrigues
    01.12.2014 - 12:46

    Cony, que delícia ouvir seu relato tão sincero e corajoso, e mais uma vez os comentários deixam o post com uma realidade tão próxima a todos nós. Fico feliz de ver o quanto todas nós mulheres estamos mais corajosas em assumir nossas atitudes. Sou traumatizada com um episódio da minha adolescência, estava no segundo grau e o professor perguntou em aula numa conversa informal quem não queria ter filhos. Levantei o braço como se fosse a coisa mais normal do mundo. Fui massacrada com olhares e conversas de amigas por semanas… Mas não ligava mto, pois sabia q isso poderia vir com o tempo, e óbvio eu respeitaria minha vontade se ela mudasse. Tenho 25 anos e ainda não mudou. Já encontrei o homem da minha vida, concordamos em tudo, mas advinha o maior sonho dele? Ser PAI. Aí sim esse assunto vira um problema. Acho que me enquadraria naquele grupo que se descobre plena após engravidar. Mas e o medo de não acontecer e eu passar por cima da minha vontade para satisfazer ele? De qualquer forma fiquei feliz em saber que hoje em dia já não se enxerga mais essa decisão como egoísmo e sim um respeito à própria vontade e natureza.

  67. #159
    Maria
    01.12.2014 - 12:49

    Cony, adoro seu blog e é uma leitura diária. Sou leitora fantasma, só leio. Mas hj, esse post me balançou. Acho, mil vezes, uma mulher que opta por não ter filhos ou adiar, do que mulheres (não mães) que têm seus filhos e jogam nas mãos de babás, somente tiram fotos, e ficam andando com uma pessoa de branco 24 hrs. Se vc não quer, blza. Ninguém é obrigado a ter filhos, mulher todas somos, mães não. Eu tenho uma filha, que não foi planejada, porém me descobri mãe. Não me imagino sem ela!! Mas fico possessa com mulheres quw tiveram seus filhos e não mudaram ou remanejaram suas atividades em favor da atenção aos filhotes! Enfim, adoro vc!!

  68. #160
    Marô
    01.12.2014 - 12:49

    Amei o tópico, parabéns e um beijo!
    Essas coisas acho q a gente meio q sabe desde novinha. Sempre “soube” q eu casaria tarde e seria mãe tarde. Casei aos 32 (faz pouco mais de um ano) e apesar de desejar tem UM filho, essa coisa maternal ainda está quietinha, mas, tenho vontade e sei bem de tudo quem vem com isso, as implicações financeiras, alteração total na rotina, alterações financeiras, alegrias e dificuldades, apertos financeiros hehehehe sacou? O que pega para mim é mesmo o lance de saber bem quanto custa criar um filho, esportes, idiomas etc. Criar bem e dar boas oportunidades como as que eu tive e meu marido idem. Sai muito caro e os pais muitas vezes se privam de coisas e isso acho questionável, ainda mais quando as coisas já não são fáceis e as pessoas insistem em ter dois, três ou mais, não entendo.
    Outro dia lí uma frase que achei ridícula num site de fofocas era tipo “ser mãe é viver culpada”. “Nasci pra ser mãe” e coisas assim, repetidas vezes. Oi?? Culpada de quê, de trabalhar p prover e não ficar grudada full time? E quem nasceu pra ser mãe, vivia sem sentido antes e vai viver como no dia em que os filhos derem as costas? Eu, hein!
    Não nasci “pra ser mãe”, mas, quero ser e ter essa experiência e seguir trabalhando, me cuidando e vivendo uma vida de casal – como meus pais há 35 fazem. Tudo numa boa.
    Filhos podem unir ou separar casais. Outro dia um ator disse “filhos são o elo maior entre um casal.” Oi? Vai que o moço tá casado por outros motivos, né.
    Minha ideia de ser mamãe não é pra tão cedo, não pretendo ter filho antes dos 36, 37 ou mais e se eu achar que ter filho causa um abalo nas finanças que tivermos nessa ocasião, vai ser ainda mais adiado ou quem sabe, não vai vir, mas vir para viver apertados de grana acho ridículo.
    Concordo contigo totalmente, claro que quem tem filhos sempre vai dizer que não se arrepende, que um sorriso compensa e tals, mas, acho que por isso é importante mesmo pensar isso antes de procriar e se cuidar – não existe filho “no susto” existe um inconsciente que te faz esquecer a pílula e outros métodos, quem não quer mesmo, não tem.
    Viu a Carolina Ferraz aos 46? Vai ser mamãe! Minha vó teve minhas tias com 39 e 40 anos, respectivamente. No stress.
    Importante é fazer como vc fez, falar pro parceiro, jogar limpo e ver se o cara aceita, apoia. Sper entendo essa escolha. Aí, todos ficam na paz com a decisão e vamos combinar, o estilo de vida fica melhor, isso é fato, pois, pela décima oitava vez, filho sai bem caro se vc quiser dar boas oportunidades como estudar em bos colégios, viajar etc. Depois não adiante andar de cara amarrada aí que os pimpolhos não tem culpa e merecem amor e paciência.
    Bjão!

  69. #161
    Adri
    01.12.2014 - 12:50

    Vão falar se você não tiver, vão falar se você tiver só um… e se tiver 5… uhuuuuu vão falar também…
    Eu tenho uma filha, tive aos 26, já estava casada, porém, não foi planejada. Quando ela fez 2 anos decidimos que seria só ela. Então ele fez vasectomia…
    Fomos praticamente crucificados pela família dele, minha mãe me apoiou, amo minha filha e quero fazer o impossível por ela, o impossível pra dois é bem mais complicado.
    E quando falo que minha decisão foi tomada por questões financeiras em primeiro lugar, aí que sou chamada de egoísta…
    Sua filha será sozinha, é muito egoísmo! E você? Se ela cair no mundo? Ficará sozinha…
    Não ouça as pessoas, ouça você! Decidimos que ele faria a vasectomia quando achei que estava grávida de novo, quase surtei e tive vontade de morrer. Não porque não gosto de crianças, mas porque a responsabilidade dobraria e a responsabilidade já é grande com 1. Ter ou não ter, ter 1 ou 10 é uma decisão só nossa!

  70. #162
    Marô
    01.12.2014 - 12:51

    Ah e esqueci de dizer que não entendo porque as pessoas se importam com a “pressão”. Casei há pouco mais de um ano e claro que começam a perguntar e ca-guei. Já digo que aos 40 pensarei e as pessoas se ligam e param, pq essa decisão é só minha e do marido, só.
    Bjx!!

  71. #163
    Gabriela
    01.12.2014 - 12:51

    Cony que legal!! Eu super respeito e apoio quem decide não ter filhos!! O meu sonho é ser mãe, sempre foi, eu vejo crianças e quero roubar pra mim kkkkk. Mas entendo e compreendo que é uma decisão difícil e pra vida toda, acho que se vc não estiver disposta a tudo isso, está mais que certa em não ter mesmo, se mais mulheres pensassem assim, não existiriam tantas crianças jogadas às traças, sendo “cuidadas” por babás e sem apoio paterno nenhum. Se for pra ter, tenha direito, cuide, pois é seu, se vc trabalha tudo bem, mas monte uma rede de estrutura pra criança.
    E cada uma expressa seu amor como pode, eu quero filhos, vc quer uma fazenda de cachorros, super cool, eles precisam também, e vc deixa sua marca de amor no mundo como quer e pode. Citando Lulu “toda forma de amor”.

  72. #164
    Mariana
    01.12.2014 - 12:52

    Não acredito que nada pode ser feito por uma imposição, muito menos de uma sociedade, o que tornaria apenas um caminho pre estabelecido para seguirmos, e acredito que cada um tenta escrever a sua vida a seu modo. Ser mãe não é uma obrigação para uma mulher, ser mãe não é facil, mesmo ainda não sendo vejo assim com meus sobrinhos e mesmo em casos que nao estou tão ligada. É fazer uma escolha nada egoísta, é saber que sua vida não será tão sua mais e ainda assim se sentir feliz. Creio que deve ser muito dificil a escolha de não ter filhos mas a respeito e entendo completamente apesar de não me encaixar em tais padrões. Acho ter filho pra mostrar que tem é egoista, pois conheci durante um estagio em um famoso colégio de Bh, de crianças com muito dinheiro mas que vivam sendo cuidadas por suas babás e acho ridiculo. Pra que trazer um filho ao mundo se você não é capaz de dar carinho e amor a ele? Foi um estágio que me enriqueceu muito e me fez enxergar que o principal na vida não é ter os melhores presentes, melhores viagens, mas não ter presença. Do contrario que muitos pensam que filhos de pessoas mais pobres é que se sentem sozinhos apenas pois os pais tem que trabalhar fora para manter a casa isso acontece muito mais em familias abastadas. Enfim, voltando ao assunto, ter filhos não é uma decisão fácil, é intimidador e desafiador e não se sentir a vontade pra isso é completamente compreensivo, muito melhor do que os ter e não ter tempo de ser pai e mãe. Daqui uns anos espero ter o meu, mas confesso que mudei minha mentalidade com o tempo, pois antes pensava tê-los aos 26-27 essa ideia não passa mais por minha cabeça, mas tudo pode mudar. Tenho um problema com endometriose e peço a Deus que quando decidir ter meu filho Ele me permita essa benção que um grande sonho da minha vida. bjs

  73. #165
    Vivi
    01.12.2014 - 12:53

    Cony, me identiquei muito com esse post. Sempre acompanho o blog mas nunca comento. E dessa quis comentar para, além de dar minha opinião, ser tbm um comentário contabilizador hehe

  74. #166
    Renata Garcia
    01.12.2014 - 12:55

    Acho que maternidade não define uma mulher… Nós somos a soma de várias coisas e ser mãe pode ser ou não uma delas. Quando eu era novinha, queria ter filhos, escolhia nomes, aquelas coisas. Perdi minha mãe muito cedo, aos 17, e isso fez com que minha vida fosse diferente da maioria das minhas amigas, porque acabei criando meu irmão menor, que na época tinha 09. Mais tarde não sabia se não queria filhos ou se não dava pra tê-los ($$$), até que finalmente, por volta dos 35, concluí que realmente não era minha praia. Tenho meus cachorros, minhas sobrinhas, afilhado. Acho que o instinto materno pode ser exercido de formas diversas. O que é melhor, eu acho, é que somos de uma geração que pode fazer essas escolhas, você não acha? Há 30 anos atrás, a maioria das mulheres tinha filhos porque era consequência natural.

  75. #167
    Danny
    01.12.2014 - 12:55

    Nossa Cony, super me identifiquei. Acabei de completar 26 anos mas desde sempre vejo minhas amigas falando do sonho de ser mãe, babando nos bebezinhos que veem na rua e eu..cri…cri..igual uma pedra..kkk
    Minha sogra, mãe e irmãos cobrando, o mundo cobrando, e nada da tal vontade surgir. Dizem que é pq ainda sou nova, mas não acredito que mude tanto mais pra frente. Ainda tenho a sorte do meu marido também não querer, tem um mundo inteiro pra gente descobrir!
    Me senti aliviada de saber que isso acontece mesmo, e não é só comigo.

    Beijos
    Da sua leitora fantasma, mas que não perde um post 😀

  76. #168
    01.12.2014 - 12:55

    Cony
    Estou na mesma situação que você e meu marido também não quer. Eu tenho uma vida super corrida, trabalho cerca de 11 horas por dia e em sábados e feriados tb, sem contar que é muiiiito caro criar uma criança hoje em dia. Já estou enlouquecida porque tínhamos 2 gatos e adotamos mais 2!
    Acho que se ele quisesse muito e tivéssemos uma condição financeira melhor até me estimularia um pouco, mas a verdade é que não sinto a menor falta. Tenho 6 sobrinhos (5 de uma irma! 1 de outra), curto muito todos eles e da mais nova sou até meio mãe, porque é minha afilhada e como minha irmã é minha vizinha ela fica direto lá em casa quando a mãe se atrasa e a babá em que ir embora.
    Enfim, nesses dia que eu cuido da Lais me pego feliz por ser só tia, sério, não daria conta dela 24 horas por dia!! rss
    Que bom que temos escolha e viva a diversidade!

  77. #169
    Cristina A.
    01.12.2014 - 12:55

    Cony, você está certa! Não em não ter ou ter filhos. Está certa em seguir a sua vontade. Acho uma bobagem achar que mulher só é completa se tiver filho. Mulher é completa por viver a vida como ela quiser.

    Maternidade é a responsabilidade mais linda e mais “pesada” que já assumi. Não me arrependo de jeito nenhum, mas justamente por ter criado integralmente ( no sentido de cuidar mesmo, sem ajudas) minha filha é que digo de boca cheia: maternidade não é comigo!!

    • #170
      Cristina A.
      01.12.2014 - 13:02

      A gente tem que parar de cagar regra sobre a felicidade dos outros.
      Não podemos achar que quem não tem filho é uma pessoa incompleta.
      Assim como não devemos achar que é uma perdedora/fraca quem escolhe ter filhos e ficar em casa cuidando da família.

      Escolhas!! Qualquer uma delas terão o lado bom e ruim.

  78. #171
    Mayra Leão
    01.12.2014 - 12:57

    Cony, fui mãe extremamente cedo, aos 16 anos já tinha 2 filhos. Me arrependo? Em partes sim. Abri mão completamente de mim, me anulei totalmente por muitos anos. Meus filhos são adultos hoje e não sei o que seria da minha vida sem eles. Se eu tivesse tido a opção de escolher, apenas esperaria mais. A maternidade não é o mar de rosas que pintam os filmes e comerciais, é muito mais doloroso e amargo. Sempre tive um relacionamento franco com minha filha e o desejo (ou não) de ser mãe é uma decisão apenas dela e do marido.Não cabe a ninguém julgar ou cobrar. Citando Clarisse: “Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter… calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida.”

  79. #172
    Vivian
    01.12.2014 - 12:57

    Não sei ainda se quero ser mãe. O q eu não quero mesmo é engravidar, não me vejo grávida. Me sinto um ET perto das minhas amigas, sempre q falo isso alguém me olha como se fosse de outro planeta. Talvez mais pra frente eu adote uma criança, não sei, é uma opção. Enqto a vontade de ser mão não chega vou ficando do jeito q está rsrs

  80. #173
    Amanda
    01.12.2014 - 13:02

    Cony, tenho 32 anos, sou casada há 5 anos e a pressão das famílias pra eu engravidar é grande. Pra lhe ser muito sincera, ainda tenho um grande receio em ser mãe, por diversos motivos. Amo crianças, tenho uma sobrinha linda, faço tudo por ela, compro presentes, levo pra passear, ela tem 6 anos e me diz coisas lindas de chorar…Bate aquela vontade de ter um, mas depois passa sabe! Eu queria poder viajar mais, conhecer lugares diferentes sem ter a preocupação de ter uma criança pra cuidar. Sei que enfrentarei (se eu engravidar), o dilema de ter que ir trabalhar e deixar a criança em casa na mão de babá, enfrentarei o ciumes das avós, entre outros problemas. Digo mais, já sofro por antecipação desde que me casei, porque as famílias botam expectativas em mim. Isso é horrível. A pressão é a pior coisa que existe, o assunto fica martelando na minha cabeça sabe! Tenho a impressão que não vou conseguir decidir isso sozinha. E a “cereja do bolo” deste assunto é o fator TEMPO. Esse é cruel. Embora todas digam que a medicina está evoluída e tal (está sim!), vc precisa de recursos ($$$$$) para fazer um tratamento. Não é assim tão fácil e nem da noite para o dia. É um processo caro e pode levar o tempo suficiente pra causar um frustração. (Espero que não!). De qualquer forma, desejo que vc seja feliz com a sua escolha Cony, sem a pressão de familiares ou da sociedade. Bjo grande, adoro o fufu e a TAG Chora que eu te escuto.

  81. #174
    MichelleZ
    01.12.2014 - 13:02

    Obrigada, é tudo o que posso dizer!
    Estou em um relacionamento há 13 anos e estou a 1 ano de entrar na casa dos 30. Nunca pensamos em ser pais, e isso é naturalmente o caminho que escolhemos, é muito ABORRECEDOR as pessoas simplesmente não respeitarem nossa opção e isso infelizmente se estende à nossa família. É maravilhoso ser mãe? Com ctz deve ser, mas a mulher tem que querer passar por essa experiência e não ser obrigada a isso. E tem outra também, eu vi tantas amigas engravidando pelo motivo “errado” e nunca sequer critiquei, para manter relacionamentos (acredite a maioria dessas amigas se arrependeram), pq o relógio biológico pediu, pq queriam mais atenção do parceiro, e muito poucas pq queriam passar pela experiência de ser MÃE, essas últimas são muito, muito felizes e por incrível que pareça, são as únicas que aprenderam a respeitar nossa decisão.
    Novamente obrigada por colocar esse assunto em discussão, sim, amamos crianças, mas simplesmente não queremos ser mães 🙂

  82. #175
    Lili
    01.12.2014 - 13:04

    Compartilho da sua opinião, Cony! Tenho 28 anos, sou casada há 4 e NÃO QUERO TER FILHOS!!! Não tenho dom pra isso! Se um dia eu mudar de ideia, terei, mas caso contrário, sem chance! Antes, todo mundo ainda me perguntava e tentava argumentar a favor, hoje acho que as pessoas já cansaram de falar sobre isso comigo, pq não adianta! Meu marido também não faz questão nenhuma, e ainda que fizesse, eu não mudaria de opinião. Isso é uma decisão exclusiva da mulher, já que nós é que vamos carregar na barriga, passar por todas as alterações hormonais, sofrer as dores do parto, dar de mamar etc etc, e nos preocupar pela vida inteira. Aliás, também estou no mesmo dilema que você da escolha do melhor método anticoncepcional rsrs… como está sua adaptação com o anel? tá sentindo algum efeito colateral?

    • #176
      Constanza
      01.12.2014 - 13:06

      Dor de cabeça mas espero que seja só a fase de adaptação

  83. #177
    Gheysa
    01.12.2014 - 13:12

    Oi Cony. Até pouco tempo também não queria ter filhos. Hoje tenho 31 anos e estou grávida de 4 meses e meio. Decidi ter filho por varias coisas que aconteceram na minha vida, que foram me moldando e mudei de opinião. Há três anos atrás perdi minha única irmã, vivo na casa da minha mãe, só eu e ela. Namoro há 10 anos e nunca tive vontade de casar. Nunca fui muito ligada a crianças… Com o tempo foi surgindo uma vontade de ter filho, as coisas foram ficando sem sentido e ma faltava algo, resolvi então engravidar, meu namorado não se opôs. Espero hoje o Leonoardo, que nasce em abril. Estou feliz e me adaptando a essa nova realidade, dá medo, mas gracas a Deus está tudo bem.

  84. #178
    Luciana
    01.12.2014 - 13:15

    Fui mãe aos 26, o que é relativamente cedo para a época atual. Mas era um sonho, e tinha o sonho de ser mãe jovem. Hoje ela tem 6 anos. O pai dela e eu estamos separados há um ano. Até pouco tempo eu queria ter pelo menos mais um filho, pra que ela não fosse filha única. Hoje já tenho quase certeza de que não quero mais. Estou solteira, seguindo minha vida, trabalhando e cuidando da minha filha. Ela é sim o que eu tenho de mais precioso na vida, mas sou realista e racional o suficiente para dizer que filhos nos anulam sim em muitos momentos, e agora que ela está ficando maiorzinha e eu estou retomando aos poucos minha vida, acho que não pretendo ter minha vida “roubada” novamente. Egoísmo? Talvez. Mas cada um sabe o que é melhor para si. Beijos!

  85. #179
    Mariana
    01.12.2014 - 13:16

    Acho que o problema é tentar considerar se ter filho é melhor do que não ter filho… as pessoas não conseguem trabalhar com conceitos que não sejam absolutos…
    pra quem quer muito ter filho, deve ser a realização de um sonho, e, portanto, a escolha a ser feita..
    mas pra quem não quer, não tem essa de que “é a melhor coisa do mundo” pq pra essa pessoa não vai ser mesmo…
    as pessoas sonham sonhos diferentes pras próprias vidas e tem prioridades diferentes.. daí as escolhas tem que se encaixar no que ela quer pra sí… e como vc disse no post Cony, quem bom que hoje isso é uma opção… eu sou louca pra ter filho, mas me deixa muito tranquila PODER fazer isso, e não ter que fazer..

  86. #180
    01.12.2014 - 13:19

    Acho que cada mulher deve decidir sobre seu corpo, com relação a não ter filhos, tê-los e ao aborto.
    Eu quero muito ser mãe, sempre sonhei, mas acho que se você nunca se sentiu assim, é difícil se sentir alguma hora… Vá em frente e seja feliz como escolher!

    http://www.estiloadois.com.br

  87. #181
    Kaa
    01.12.2014 - 13:26

    Já estamos tão avançados em tantos campos, mas o povo continua com aqueles papinhos do séc. XVIII, tipo: “E o namorado (a)?” “Vai casar quando?” “Quando vai encomendar um (bebe) pra ti também?” “Se tem um menino: “Agora tem que fazer uma menina!” e o inverso é verdadeiro!

    Poxa… tem tanto assunto mais legal pra se conversar, néam?! …e depois ficam de bico se a gente ignora o: “aparece lá em casa!”

    Antes só, do que engolir ‘amigos’ pé no saco! rsrs
    Bjos

    • #182
      Alessandra
      02.12.2014 - 01:30

      kkkkkkkkkkkkk

      Concordo! O pior de tudo é que todos os questionadores sempre esperam uma explicação cheia de detalhes e, da minha boca, nunca sai a tal explicação.
      Não tenho que explicar ou me justificar e deixo no vácuo sem dó.

  88. #183
    Priscila
    01.12.2014 - 13:31

    Cony! Você foi perfeita em suas colocações e a admiro mais do que nunca, por sua coragem de escrever isso! Realmente não é justo sermos criticadas como egoístas por uma decisão destas. Acho que estamos é pensando na sustentabilidade de toda a humanidade e é preciso sair do conto de fadas que o mundo é perfeito e precisamos procriar para sermos felizes.
    Um grande abraço e tudo de melhor pra você e para o Fufu.

  89. #184
    Juliana
    01.12.2014 - 13:31

    Filhos… Filhos?
    Melhor não tê-los!
    Mas se não os temos
    Como sabê-lo? Vinícius de Moraes

    Sempre que vejo um bebêzinho, aflora a vontade de ter filhos no futuro, mas ao mesmo tempo quandom piso na realidade do cotidiano e vejo o caos que está no mundo e a estupidez humana crescendo proporcionalmente ao aumento populacional, penso ser um crime botar um filho neste mundo. Posso até está sendo radical, considero radical também essa cultura enraizada que a mulher foi feita para procriar. Claro q como tudo na vida, tem os prós e contras e o ponto da questão está exatamente em se perguntar “por que ter” e “por que não ter filhos”; ou seja: autoconhecimento, pensar na sua história de vida, na sua personalidade, no seu tipo de casamento, na vontade real ou não do seu conjuge querer ser pai, na situação do meio onde você vive, pensar e repensar, analisar…não ter apenas por que a sociedade quer que você tenha, por que todo mundo tem, mas não ter por ser um papel que talvez você não queira exercer. A minha mãe babá dos filhos de uma milionária na Europa, e a mulher nunca quis ter filho, mas o marido queria e disse que ela podia ter que pagaria para alguem cuida-los, resultado? Filhos solitários, criados por babás, sem amor aos pais e vice versa, a menina quando teve catapora, a mãe nem chegou perto..enfim, filhos que tinham absolutamente TUDO, menos pais. É uma decisão que precisa ser pensada e analisada minuciosamente e MUITO pessoal, sem pitacos!!!

  90. #185
    Dany
    01.12.2014 - 13:38

    Complicado essa questão!! Cobrança de todos os lados, meu marido respondendo aos amigos que daqui um ano vamos ter filhos!! Oi???? Eu vou ser a hospedeira!! Ninguém me pergunta se estou a vontade com isso. Gente sou casada há um ano, terminei a faculdade esse ano, preciso de pelo menos, uns 5 anos pra relaxar, cuidar de mim, e quando eu falo isso, as pessoas me olham desesperadas por conta de uma opinião tão diferente. Eu tenho muita vontade de ser mãe, mas falta a coragem de parar de tomar a pílula. Por vários motivos: estabilidade financeira, viajar antes… São tantas coisas, realmente assunto polêmico!

  91. #186
    Priscila
    01.12.2014 - 13:41

    Assunto polêmico hein, dona Cony! Mas olha, sou das suas.. Tenho 31 anos, acho criança meio chato, não tenho muita paciência e meu relógio biológico tá caladinho até hoje. Antigamente, a mulherada não tinha muita opção, o negócio era seguir aquele protocolo tradicional de se casar, ter filhos, etc. Hoje em dia, TEMOS opção (ainda bem)! Ter filho não é obrigatório e, sinceramente, acho que tem muita gente por aí que nem deveria ter. “Ahhh mas quando você ficar velha, ninguém vai cuidar de você”. NADA garante que um filho cuide dos pais no futuro. Assim como casamento não garante felicidade, filhos também não garantem uma velhice feliz e completa.

  92. #187
    Marcela
    01.12.2014 - 13:43

    O post e os comentários estão ótimos! Tenho 28 anos, sou bem independente e não tenho filho nem interesse em engravidar. Meu marido idem.

    Estou casada há um ano e tô naquela bendita fase em que as pessoas vivem perguntando “MAS E AÍÍì, QUANDO VEM O BEBÊ?”, como se uma coisa levasse necessariamente à outra!!

    Casei porque eu e meu marido temos muita afinidade, nos damos bem juntos e resolvemos conviver na mesma casa, oras! E não é porque tenho condições financeiras que devo gastar com filho! Não quero! Eu prefiro viajar bastante, comprar bolsa, e não gastar com escola! A minha “melhor sensação do mundo” é isso, é acordar a hora que quiser no fds, e ir a academia ou a qualquer lugar sem tem que considerar ninguém antes. Não vejo nada errado nisso, mas já me chamaram de “dessas estranhas que não querem ter filho”!

    A pressão enche o saco e já tô no limite das respostas diplomáticas. Ainda tenho até tempo pra mudar de ideia, mas farei isso se eu quiser!

  93. #188
    Ingrid
    01.12.2014 - 13:44

    Cony,amei o seu texto, de verdade! Sou uma dessas pessoas que sempre teve vontade de ter filhos e ao mesmo tempo quero ter um tempo “pra mim” antes, sabe? e nunca considerei egoismo por parte de alguém a sua escolha de não ter filhos, pelo contrário, é perceber que seu estilo de vida não condiz com ser mãe, ou simplesmente perceber que você não quer. (oras, por que temos que tentar nos justificar por não querer ter filhos?) Acho que exige muita maturidade fazer uma decisão como essa e lidar com o que a sociedade vai falar e apresar de parecer uma escolha definitiva, nem é tanto assim, como vc mesma disse dá pra adotar se um dia seu relógio biológico apitar e você já não mais puder ter filhos. Por isso, conyzita linda, não se sinta uma ET perto das mulheres “maternais”, você tem mil outras qualidades que fazer outras mulheres se sentirem ETs perto de vc rs. Enfim, o que eu queria dizer é que cada uma é responsável por sua própria vida e só, tudo é uma opção e ninguém deve se sentir culpada ou menos mulher por escolher não ter filhos (como se filhos fossem um atestado de ser mulher, né? como ficam as trans nesse assunto?)
    Mil beijos pra vc!! <3

  94. #189
    ka almeida
    01.12.2014 - 13:44

    Oi Cony!
    Sou casada ha 4 anos e confesso que tinha muito medo da maternidade, nunca levei jeito e paciência com crianças…ate o dia que engravidei sem estar nos planos. Hoje estou com meu bebe de 3 meses e posso afirmar que sou feliz plenamente, de um jeito que nunca fui. A dedicação eh integral, mas cada segundo tem válido a pena.
    Quem sabe vc muda de idéia, porem o mais importante de tudo eh que vc seja feliz em primeiro lugar!
    Bjod

  95. #190
    Sandra Luz
    01.12.2014 - 13:45

    Ei Cony! Tudo bem?
    Tb vivo esta dúvida: me casei a 3 meses mas moramos juntos a 6 anos, e a pressão por parte de minha mãe, irmã e minha sogra está mto grande. Minha mãe diz que estou ficando velha (tenho 28) e não posso demorar muito.
    Não tenho vontade, aquele desejo que muitas mulheres tem ao ver uma criança, não tenho jeito nenhum com crianças, e tenho total consciência que ter filho hj em dia é mto mais difícil e complicado que na época de minha mãe. Pra piorar, meu marido não tem nenhum jeito com criança, zero, e pra gnt hj ter filho está fora de cogitação.
    Mas eu digo que espero um dia ter essa vontade, mas se por acaso chegar aos 35/40 anos e a vontade não aparecer, não vou ficar sofrendo.
    O mais difícil é aguentar a cobrança msm….

  96. #191
    Raquel
    01.12.2014 - 13:47

    Que bom que hoje as mulheres podem escolher! Sou mãe de um bebezinho lindo de 6 meses, e meu marido já queria ter filhos muito antes do que eu, eu resolvi esperar e ter quando fosse o tempo certo para mim, pois, por mais que o pai ajude, é sempre mais difícil para a mãe.
    Amo demais o meu filho, sinto um amor que nunca senti antes, acho que me tornei uma pessoa melhor, afinal filho é um exercício diário de paciência. Como todas as coisas, por melhores que sejam, ter filhos não é só flores, a minha vida mudou bastante sim! E confesso que não sou daquelas mães que abre mão de tudo, tem mães que acham lindo dizer que não comem e não tomam nem banho para cuidar do bebê. Eu me permito um tempo para mim mesma, pode ser egoísmo, mas sem esse tempo, fica dificil manter a sanidade, e depois de um tempo descobri que mamãe feliz = bebê feliz! Por isso, é claro que temos que abdicar muitas coisas com a maternidade, mas também temos que olhar para nós mesmas, para a relação com o bebê ser saudável. Agora, não vejo problema algum em mulheres que não queiram ter filhos, pois acredito que, se é para ter filho e não cuidar, é melhor nem ter, porque criança necessita de colo, carinho, dedicação e o nosso tempo.

  97. #192
    Isa
    01.12.2014 - 13:49

    Tenho 34 anos, namoro há 10 anos e não tenho a menor vontade de casar e muito menos de ser mãe. E eu não tenho que justificar nada pra ninguém. “por que não quer ter filhos???” Porque não. Lidem com isso.

  98. #193
    Pri
    01.12.2014 - 13:50

    Menina eu queria 2 filhos agora só quero um, rs!
    Cony essa história de não ter quem cuidar pode ser egoísta mas é real, deixa eu da um exemplo, minha mãe fez uma cirurgia no coração e eu cuidei dela por 2 meses, a gente graças a Deus tem condições e ele tinha enfermeira 24 horas, posso lhe dizer que nem se compara, elas não cuidavam direito e como estavam com minha mãe por dinheiro não faziam as coisas corretamente, e olhe que foram várias. A única que cuidava direito era eu, é egoísmo? Pode ser mais é triste demais envelhecer sem ter um filho para cuidar de você( que era o caso da senhora da enfermaria ao lado que ficava chorando de dor e as enfermeiras nem aí para ela).
    Agora claro, se você não tem o minímo de vocação não adianta, primeiro pq vc vai prejudicar seu filho, e segundo que, se vc não criar o mesmo com amor ele de todo jeito não estara ao seu lado para lhe axiliar em momentos dificeis como se vê em alguns casos…
    Beijos, adoro seu blog

  99. #194
    Io
    01.12.2014 - 13:54

    Esse post poderia ter sido escrito pela Cristina Yang de Grey’s Anatomy, hahaha.

    Pra quem sente desejo de ser mãe, tipo eu, esse assunto até soa estranho, até um pouco triste, mas acho que nos dias atuais, a mulher pode e deve sim escolher. Tenho pena de quem é mãe pelo simples fato de a sociedade a ter criado para ser assim, a vida vira um fardo, e é tão triste. Vejo mães que queriam tanto ter filhos que até acordar de noite com uma bebe chorando é uma felicidade. Se você acha que vai ser trabalhoso ter um filho, acredito que você realmente não queira ser mãe. Pra mim, que quero muito ser mãe (no tempo certo), é sinonimo de felicidade, amor, e não de frustração profissional ou deixar os meus sonhos e objetivos de lado, afinal ser mãe é um deles.
    Mas fico feliz que hoje as mulheres podem escolher não querer, não fazer, não ter. Na geração de nossas mães isso praticamente não existia.
    Todo mundo pode ter um bebe, mas poucas são mães. bjss

  100. #195
    Vivi
    01.12.2014 - 13:58

    Aliviada também! Afinal eu não sou a única ET da vez. Tenho 42 e não tenho a mínima vontade de ter filhos. Eu já estou falando que minha vez já passou… E nenhum arrependimento.

  101. #196
    Monique
    01.12.2014 - 13:59

    Penso da mesmíssima forma!
    Tenho 23 anos ainda, mas não me imagino sendo mãe.
    Infelizmente, minha família não entende e meu namorado quer muito ser pai. Eu o amo e quero viver minha vida com ele, tanto é que já estamos morando juntos, mas ser mãe não está nos meus planos, e acredito que nunca estará. Toda vez que tento conversar sobre isso, acaba com ele fazendo pouco caso do assunto e empurrando com a barriga 🙁

  102. #197
    Ana Paula Silva
    01.12.2014 - 13:59

    Filho é bom, ótimo!!! Tenho 1 menino de 4 anos e 1 no forno, com 7 meses de gestação. Ter o 2º filho foi uma decisão difícil, mais como tive medo de arrepender no futuro, decidi ter mais 1 pra fechar a fábrica!!!
    Acho que o tempo ou a falta de tempo pra se dedicar aos filhos é complicado, mais acho que tendo apoio, vai!
    Imagino como a sua vida corrida Cony influencia na sua decisão ou indecisão em ter filhos….mais acho que isso não impede. O que realmente conta é a vontade mesmo. Tem outras blogueiras(como outras profissionais de outros ramos) que tem uma vida corrida ou mais que a sua e que tem filhos, ou que estão grávidas, como por exemplo a Nati Vozza…

    Se realmente você não tem vontade de ter, ótimo, eu acho mesmo que ninguém pode ter filhos sem ter vontade, mais se vc tiver um pouquinho de vontade, uma relação legal, que o parceiro te apoie em qq decisão…tudo fica mais fácil…

    Bjos.

    • #198
      Constanza
      01.12.2014 - 14:04

      Pior q n tenho nem um pouquinho de vontade…

    • #199
      Fernanda
      01.12.2014 - 23:07

      Pessoas com vida corrida, que nao pretendem reduzir o ritmo, nao deveriam ter filhos. Meus pais são completamente viciados em trabalho e eu e meus irmãos ficavamos com duas empregadas e um motorista o dia inteiro.
      Acho horrível quem terceiriza a maternidade para empregados e esse é um dos motivos para eu repensar MIL vezes antes de por um filho no mundo. Se eu não puder buscar na escola, ir às reuniões de pais ou aos campeonatos de natação, judô, etc… prefiro não ter nenhum.
      Eu SEI que meus pais trabalham demais para me dar do bom e do melhor, mas a criança prefere a presença dos pais do que um brinquedo novo.

  103. #200
    ana paula
    01.12.2014 - 14:02

    Olá Conny!!! Super pertinente seu post,sou das alas que querem ter filhos, mas não sei quando pois tenho 30 e a carreira,viagens etc me fazem protelar…até Deus sabe onde. porém tenho amigas (muitas) que não pretendem ser mães e vejo todo esse preconceito que sorem, e sou uma defensora ávida de suas escolhas, seus direitos, sua voz e decisão sobre suas vidas, afinal quem decide o que é modelo? o que é ser “normal”?, não cabe nos dias de hoje um julgamento tão cruel apenas por não querer ter filhos, uma pessoa é tão mais do que se espera dela… afinal, estamos aqui pra ser feliz, mas feliz mesmo do jeito que melhor lhe couber e a opinião dos outros é só dos outros!!! um beijo imenso sou super fã!!!

  104. #201
    Daniella
    01.12.2014 - 14:02

    Tenho 31 e há muito tempo decidi que não quero filhos também. Sou casada há 7. A pressão da família é muito grande, principalmente da minha. Quando descobriram que eu teria uma sobrinha falavam: “quando ela nascer vc vai mudar de ideia, vc vai ver”. Aí ela nasceu, eu sou madrinha e a adoro. Pego, brinco, cuido e tudo mais. “E aí, mudou de ideia?” Não! Rs… Um tio já chegou a mandar meu marido me dar pílula de farinha. Aff. Meu marido gostaria de ter, mas já deixei bem claro que isso não vai acontecer e ou ele aceita ou vamos cada um pra um lado. Bem, o que eu acho é que já existe muita gente no mundo, e quando eu tiver vontade posso ser mãe de uma criança que talvez nunca teria uma família. Se algum dia “escapulir”, será bem-vindo(a). Mas evitarei se puder. 😉

  105. #202
    01.12.2014 - 14:04

    Ai Cony, hoje eu tinha que comentar, porque estou na mesma situação! Me sinto apedrejada somente pelos olhares alheios quando digo que não quero ser mãe! Sou casada há 6 anos e meu marido tem menos vontade ainda! Acho que não temos o dom…pior que, sou filha única e meu marido tem só um irmão solteiro (de quase 40 anos), então nossos pais esperam muito um filho da gente…por ira a gente diz que não quer, mas a verdade é que nem pensamos nisso! A verdade é que, estou com 31 anos e lutei muito pra conseguir tudo o que temos, agora eu quero viajar, comprar o que quiser, sem ter que abrir mão de nada! Sim, estou numa fase muito egoísta e maravilhosa da minha vida! Pode ser que daqui alguns anos eu mude de idéia, mas por ora, é isso: não tenho a mínima vontade de ser mãe!

    • #203
      Priscilla Câmara
      01.12.2014 - 14:20

      Gi, tô mais ou menos nessa mesma situação. Vivendo uma fase de curtir tudo que construí. Programando mil coisas e viagens. Então os planos (no meu caso quero ser mãe sim) vão sendo sempre adiados. Estou com 30 anos agora e não quero abdicar da tranquilidade financeira que adquiri para ter filhos. Estamos nos programando para liberar daqui a 2 anos. Mas a verdade é que sempre existirão novos planos a serem realizados. Então comecei a desencucar disso. Na hora que eu estiver a fim eu libero, seja daqui a 2 anos ou daqui a 5. O corpo é seu, a vida é sua. E essa decisão só cabe a você e seu esposo! É assim que estamos tentando levar nossa vida! Bjs! e boa sorte!

  106. #204
    Nayara Jaqueline
    01.12.2014 - 14:08

    Adorei o post e compartilho da sua ideia.
    Tenho 29 anos, moro com meu namorado a 12. Gosto de criança, mas longe. Não tenho paciência para birras, choros e manhas. Decidi (por hora) não ser Mãe. Amo minha independência, minha vida, meus horários livres e sem compromisso. Quero permanecer com o ‘sono dos inocentes’ e aproveitar a vida com responsabilidade, mas livre. Quero buscar meus objetivos, realizar alguns sonhos e seguir em frente.

  107. #205
    Juliane
    01.12.2014 - 14:10

    Nossa esse assunto me veio a calhar,estou há 4 anos com o meu marido e ainda estou nesta indecisão,até o cachorro da rua me pergunta quando vou ter filhos,e isso me deixa mais irritada e me faz esperar ainda mais só para não dar o gostinho para ninguém se intrometer na minha vida.Pois ao mesmo tempo que quero muito ter filhos ás vezes me dá preguiça só de ver outras mulheres cuidando de seus filhos pois são tantas responsabilidades e só de pensar em abrir mão da minha liberdade…aí que a preguiça vem de vez rsrsrs

  108. #206
    Priscilla Câmara
    01.12.2014 - 14:15

    Ai Conyta!! Lá vem tu com um post massa de novo! Tu é fera!

    Então.. Não posso dizer que faço parte do time das que não quer ser mãe. Mas faço parte do grupo que não quer ser mãe “agora”. Estou casada a 5 anos e acabei de completar 30! Estou no auge da minha independência, realizando-me na profissão e pondo em prática alguns planos e sonhos que estavam numa gaveta e por falta de verba, não tinha como acontecer!

    Diante disso tudo, a pergunta que não cala é: Quando você vai ter filhos?! E eu respondo “ano que vem”! Só que chega “ano que vem” e novos planos vão se concretizando e mais uma vez essa decisão vai sendo adiada.

    Em conversa com meu esposo decidimos liberar em 2016. Mas 2016 já tá tão pertinho né?! Que depois do post já estou pensando em adiar novamente!

    Escuto sempre que quanto mais eu adiar, menos pique terei. Minha resposta pra isso é: o que eu perder em “pique” eu terei em paciência! Acho que ela é melhor dos remédios pra aprender a lidar com toda essa nova fase de “ser mãe”!!!

    Até lá muita água ainda vai rolar! Muita coisa vai acontecer e mudar! Mas posts como o seu fazem nos sentir seguras das nossas decisões e nos ajudam a refletir sobre como encaramos nossas vidas! Que venha o futuro!!!

  109. #207
    Giorgia
    01.12.2014 - 14:17

    Cony, eu planejei ser mãe. Casei, terminei meus estudos, viajamos, saímos, dormimos, bebemos e um dia bateu a vontade de ter filhos, faltava algo na nossa vida. Tudo era bom, mas tinha um vazio e esse vazio só foi preenchido pela nossa primeira filha, aos 32 anos. Eu estava realizado em todos os aspectos da minha vida. Quando ela completou 4 aninhos, engravidei novamente, planejadíssima, pq sentíamos falta de um bebezinho em casa, aos 37 anos. Ainda estou me acostumando, mas me pergunto pq demorei tanto pra ter outro filho? É bom demais….o que eu quero dizer com isso? É que vc sente a hora, vc tem o desejo, isso é mais forte do que vc e isso deve ser respeitado. Quem não tem esse “click” tem mais é que ser feliz sem filhos e acho que pode ser possível sim. Vamos respeitar nossas vontades e ser felizes! Filhos são pra sempre, não são pra escola, pra babá ou pros avós! É difícil, dá o maior trabalho, mas tudo compensa! Recomendo! Seja feliz do jeito que vc escolher!

  110. #208
    Núbia
    01.12.2014 - 14:18

    Cons, antes de tudo, por favor, continue com esses posts sobre anti-concepcionais, não ter filhos… PLEASE!!!! Rsrsrsr… Sempre leio os comentários e gosto muito de saber que que a mulherada tá pensando/passando.
    Então, estou passando exatamente pela mesma fase… assim que casei, me imaginava mãe, casa cheia de filhos, mas foi passando o tempo e hoje fico aterrorizada só de pensar na possibilidade de estar grávida. Se hoje, sendo apenas eu e meu marido, não tenho tempo para respirar e nem grana sobrando para nada, imagina com um filho! Nem pensar… sério. Meu dia a dia é muito puxado, mal tenho tempo para cozinhar e manter a casa em ordem… cada dia que passa penso menos em ter filhos. Criança precisa de paciência, tempo, dedicação, e é tudo o que eu não tenho para dar agora.

  111. #209
    Aline
    01.12.2014 - 14:20

    Cony, você disse tudo. Compartilho completamente da sua opnião. Tenho 25 anos e participei/participo da criação dos meus irmãos mais novos, uma de 13 e outro de outro de 2 (é minha mãe tem medo de passar alguma fase da vida dela sozinha). Posso dizer que eu sei bem o que essa escolha representa na minha vida, amo a minha mãe e imagino o quão bom deve ser, você ser mãe, maaaas.. vejo todo o esforço e anulação que ela passou a vida fazendo para por como prioridade a vida dos filhos e a dela sempre ficando em segundo plano. Pode ser egoísmo eu não querer isso pra minha vida? Pode não, é. Mas cada pessoa sabe o que passa, cada pessoa tem um carga de vida que lhe permite ter ou não essa escolha. Hoje participo da criação dos meus irmãos ativamente, inclusive ajudando financeiramente minha mãe para permitir que ela viva também os sonhos dela, sei que não tenho obrigação, mas foi uma forma que encontrei de lhe trazer mais conforto na vida, mas digo, não é porque entendo o lado dela e lhe auxilio que quero isso pra mim.

  112. #210
    Alessandra
    01.12.2014 - 14:20

    OI Cony!!!

    Me senti tão acolhida e entendida com seu texto que ao final soltei até um suspiro de alivio. Concordo plenamente com vc!

  113. #211
    Alessandra
    01.12.2014 - 14:21

    Sou mãe de 1 menino de 13 meses e por mais que eu tenha querido ser mãe a vida toda, tenho meus momentos de me questionar, de pensar se não deveria ter ficado “livre” (porque sim, nossa liberdade diminui muito!), se fiz o certo.
    Ser mãe não é o conto de fadas que a maioria fala. Tem momentos difíceis, dá desespero. Tem momento que vc se anula, se sente feia, deixada de lado.
    Mas tem também aqueles momentos de sorrisos banguelas, o olho no olho (só quem é mãe passa por aquele momento em que vc sente que teu filho te reconhece pela 1a vez), tem o amor que eles sentem, as brincadeiras…O aconchego na hora de dormir.
    Eu não me arrependo e não julgo quem não quer ter filhos. A vida muda demais, de um modo ou de outro.

  114. #212
    Ana
    01.12.2014 - 14:21

    Cony,

    Embora nunca comente, seu blog é um de meus favoritos e eu não poderia deixar de lhe parabenizar por esta atitude corajosa de expor sua decisão de não ter filhos. Viu o tanto de gente que concorda? Tem um mundo de pessoas que não querem também, mas não podem falar senão serão jugadas como pessoas ruins, egoístas, fruto de um mundo individualista etc. Ainda não decidi se quero ou não, porém sempre achei uma estupidez tremenda eu não poder pensar sobre o assunto, pois ele já foi decidido pela sociedade: sou mulher, tenho que ser mãe! Se a ser mãe fosse uma decisão e não uma imposição, provavelmente teríamos um mundo melhor, com bons pais cuidando, educando e amando devidamente seus filhos. Já tenho 30 anos e ainda não me imagino abrindo mão de toda minha vida por filhos e se um dia resolver ter, será consciente de uma mudança total de vida. Acho que é muita responsabilidade e que, por isso, temos obrigação de pensar e discutir o assunto como adultos e não como conto de fadas. Você está de parabéns por abordar o assunto!

  115. #213
    Nani
    01.12.2014 - 14:26

    Tenho 30 anos, casada a 7, e a coisa que mais me perguntam é: quando o herdeiro vai chegar??? Gente, tem coisa mais irritante que isso?? Não tem. Fico puta da vida, acho super deselegante da parte interessada. Este é um assunto que diz respeito somente a mim e meu marido. Aliás este assunto é super resolvido entre nós, o herdeiro (cof cof cof) virá quando tivermos vontade que ele venha, e olha que volta e meia da vontade, mas daíííí, a vontade passa..hahaha não sei se é implicância da minha parte, ou se sou “reparadora” demais, mas todas as crianças que conheço são tão chatinhas e egocêntricas, elas me irritam, me julguem!!! Amanhã é outro dia, é possível que tudo possa mudar, mas neste momento não me sinto nada maternal!

    • #214
      Luciana
      01.12.2014 - 15:55

      ahahahaha crianças são assim mesmo, são pura natureza e desejo! e olha que tenho uma filha de 6 anos. te digo q é um exercício DIÁRIO de paciência! ontem mesmo minha mãe me disse, logo depois de eu ter perdido a paciência com a filhota e ter estressado: “se prepara, pq ela está entrando naquela fase chata” kkkkkkk mas é um amor incondicional que compensa todo o resto! 🙂

  116. #215
    Ana
    01.12.2014 - 14:31

    A maioria dos comentários são de mulheres que não querem ter filhos! Choquei!!! Não pela opção, mas pelo percentual mesmo…

    • #216
      Fernanda
      01.12.2014 - 16:37

      Nossa mas tá tão comum hoje em dia não querer ter filhos! Uns 30% de minhas amigas já disseram que não querem, uns 40% tá naquela de “quem sabe, vamos ver” e o resto é que quer. Não se sintam ets porque hoje em dia não tem nada de anormal nisso.

  117. #217
    Aline Couto
    01.12.2014 - 14:36

    Oi Cony,

    Concordo em todos os sentidos com você…também nunca senti essa tal “vontade” de ter filhos, fui muito recriminada no começo…mas com o tempo a família e os amigos acabam aceitando e respeitando nossas escolhas…adoro seu blog!!! Beijinhos!!

  118. #218
    Amanda
    01.12.2014 - 14:37

    Sempre quando eu digo que não quero ter filhos (sou solteira sem namorado) dizem que é porque não achei O CARA certo e que quando eu encontrar, meu pensamento será diferente… Pode ser que seja mesmo mas realmente não consigo me imaginar MÃE, fico tensa só de tentar imaginar. Não acho egoísmo… Pra mim egoísmo é engravidar tentando “prender” homem (o que nunca dá certo) ou colocar uma criança no mundo sem ter estruturas psicológicas, financeiras… Tenho 31 e acho que não vivi metade das coisas que quero… Ainda sonho em fazer intercâmbio pra aprender inglês… É normal?? rsrs

  119. #219
    Erika
    01.12.2014 - 14:39

    A atriz Totia Meirelles não tem filhos e fala sobre essa decisão. Achei legal ver uma mulher na casa dos 50 falando isso, já da para ter uma ideia como pode ser a vida sem filhos por opção. Também não penso em maternidade, tenho 31 e não faz parte dos meus planos a curto, médio e longo prazo (pq dos sonhos nunca fizeram, nem de boneca eu brincava). Parabéns pelo post claro e “polêmico”, pois vc não colocou apenas uma tendência e sim, a sua decisão (pelo menos por hora), foi muito corajoso da sua parte e merece o respeito de todos!

  120. #220
    Bia
    01.12.2014 - 14:44

    Nossa Cony… eu sempre fui convicta de que não queria filhos… até que aos 27 engravidei “de surpreesa”. Hoje tenho um filho lindo, hoje com 5 anos.
    Não pretendo ter mais filhos… mas te falo que a pressão da sociedade e da família para ter mais um filho é grande… Imagino que pra você que não quer.
    Chato isso… sempre vão perguntar se não vai ter filho, se não vai dar um irmão para o seu filho ou se você não tem televisão…hahaha
    Sociedade julga muito, mas viver nossa vida e pagar as contas somos só nós mesmo. Acho que todos podem ser felizes com suas escolhas, desde que sejam legítimas!!!

  121. #221
    Lili
    01.12.2014 - 14:44

    Sou mãe há dois anos e sempre quis ser, AMO, AMO meu filhote, mas respeito e acho digno uma mulher que decidi não ter filhos, pq querendo como sempre quis não é fácil, tenho momentos de querer devolver, imagino quem tem só por imposição da sociedade ou do parceiro, tá certíssima.

  122. #222
    Vivianne
    01.12.2014 - 14:44

    Eu tive um filho por acidente (a pilula falhou) com 21 anos e estou com 23, todos os planos de viagens e morar fora foram adiados , devido eu e o pai dele sermos separados (namoravamos e pelo fato dele tambem não se adaptar a paternidade nos separamos ) ser mae solteira é mais complicado ainda fico com 90% da responsabilidade sobre ele e se voltasse no tempo nao teria filho nenhum amo meu filho mais que tudo e é esse amor de mãe que te faz sacrificar a sua vida para viver a dele. Cony vc esta certissima te apoio nos temos que ter o direito sobre nossas vidas e nao viver uma imposição da sociedade.

  123. #223
    dani
    01.12.2014 - 14:54

    Eu tb penso assim, aliás, eu e meu marido pensamos assim, queremos aproveitar nosso casamento.ja são 7anos e não me imagino sem a liberdade que temos em casa, a liberdade de sair qdo queremos. Esse não é um pensamento só de quem é solteiro. Minhas amigas casadas praticamente todas pensam assim. Meus primos ja passaram dos 30 e não pensam em ter filhos tão cedo, minha cunhada só teve com 39, minha mãe tb só com 39, aproveitou bastante a vida. Minha familia é assim, tb não cobra de termos filhos. Nesse mundo cruel q estamos vivendo tenho até dó de trazer uma criança a ele.

  124. #224
    Daniele Macedo
    01.12.2014 - 14:55

    Oi Cony! Td bem?
    Como te disse no comentário do post sobre os métodos anticoncepcionais, estou grávida de 7 meses e muito feliz. Porém, tb já cheguei a pensar em não ter filhos. Eu sempre quis, como se fosse uma realização da vida, assim como muitas outras, mas não pensava em me casar tão cedo por n motivos: estudo, comprar meu imóvel, etc. Aí me casei com 30 anos e meu marido não pensava em ter filhos desde qdo namorávamos e eu acabei mudando a cabeça tb pelos motivos q ele expunha: educação nos dias de hj, violência, drogas, etc. E mesmo q se um dia mudássemos de idéia, seria mais pra frente, pois queríamos curtir o casamento e foi o q fizemos. Não me sentia culpada por optar por não ter filhos, mas sentia um medinho qdo pensava na minha velhice sim. Não q os filhos sejam garantia disso, pois vejo muitos filhos q não dão a devida importância e cuidados pros pais idosos. Mas sei lá, tinha esse medinho. Há 4 anos atrás meu marido foi tio pela 1ª vez e mudou o modo de pensar, passou a querer um filho mas nada urgente. Fizemos uma coisa de cada vez até termos certeza e melhores condições p/ isso. Engravidei meio q no susto, pois havia parado c/ a pílula a apenas 4 meses. Acabei tendo um aborto espontâneo e fiquei muito triste. Mas resolvi continuar tentando. Só então, percebi q realmente queria ser mãe. E foi exatamente como vc disse: é de dentro pra fora. Hj estou c/ 35 anos e feliz, esperando pela minha filha. Mas acho q minha ficha ainda não caiu totalmente pois tb me bate um certo medinho qdo penso nos motivos q me faziam não querer ter filhos. Mas seja o q Deus quiser.
    Bjo

  125. #225
    Isabela
    01.12.2014 - 14:59

    Que alívio ver que não estou sozinha! Sou nova, tenho 24 anos, mas desde sempre tenho a certeza de que não quero ter filhos. Várias amigas, inclusive da minha idade (!), já tem filhos e não me vejo mãe. Acho lindo criança, na casa dos outros!
    Minha mãe me cobra muito, já que sou filha única e tô “matando” o sonho dela de ser avó. Só que eu quero pensar na minha carreira, na minha estabilidade. Gosto tanto de viajar sozinha, dormir horas sem parar, ficar sozinha (sim, sou egoísta! E aí tá outro fator que faz com que não queira ter filhos).
    A maioria das pessoas, infelizmente, não entende minha decisão. =/

  126. #226
    Eliza
    01.12.2014 - 15:01

    Cony, ninguém é obrigado a ter filhos se não quiser. Não esquente com o que os outros falam.
    Eu também não sou daquela pessoa que nasceu para ser mãe. Quando engravidei, já casada e com 29 anos eu levei um susto porque eu não sabia se estava preparada, mas foi mais fácil do que eu pensava. Levo a minha filha a todos os lugares e ela já viajou a vários países. Tenho a minha mãe que me ajuda e isso é fundamental quando penso em ter outro. Claro que eu tenho uma boa condição financeira, o que ajuda muito pois não me privo de fazer ou comprar as minhas coisas por causa dela… Mas isso vai de cada um!
    Ah, minha filha tem 3 anos hoje, se chama Alicia e tem uma boneca que eu comprei no Chile que se chama Cony, em sua homenagem, rsrsrs…
    Beijos

    • #227
      Constanza
      01.12.2014 - 15:05

      Kkkkkkk adorei rsrs

  127. #228
    Manuella
    01.12.2014 - 15:01

    Cony, posso falar da minha experiência?!?! Vamos lá…
    Sempre soube que seria mãe um dia e dizia que, se não casasse, teria uma produção independente. Então, bem antes do que eu imagina (aos 22 anos) tive meu filho. Foi um susto, uma gravidez complicada, mas hoje eu vejo que ele veio na hora certa, pra me frear um pouco. Mas esse discurso lindo para por aqui!! Não sejamos hipócritas… Filho vira seu mundo de ponta cabeça. Muda suas prioridades. E posso dizer?!?! Acho uma delícia quando ele passa uns 2 dias na casa da avó ou do avô.
    Escolhi para marido um homem que já tinha uma filha e decidimos, antes de casar, pela vasectomia (comentei sobre isso no post do anticoncepcional, lembra?!). Não queremos mais filhos e a minha fase de me achar egoísta por conta disso já passou. Meu filho tá grandinho (10 anos), já se vira sozinho e NÃO, eu NÃO quero comecar td de novo. De vez em quando somos cobrados (eu não gosto de ficar comentando sobre a nossa decisão definitiva de não ter), mas simplesmente cortamos a conversa pela raíz.
    Meu marido foi pai por pressão da sociedade, peso da idade e não por convicção. O primeiro casamento dele acabou porque a relação não se sustentou depois de um filho. E hoje a relação dele com a ex esposa é sempre de cobranças em relação ao filho. É como se o filho fosse uma relação financeira (um banca e o outro toma conta). Então… se você não quer, não tenha!!
    Filho não pode ser enxergado como problema e despesa, nem como incômodo. Eles são sim “a melhor coisa do mundo”, mas pra quem sonhou com eles!! Pq vamos combinar que ninguém merece aguentar criança pirracenta, embora alguns pais se esqueçam disso!!!

    Beijosssss

  128. #229
    Daniele Macedo
    01.12.2014 - 15:03

    Cony, esqueci de acrescentar no meu comentário: eu tb era muito recriminada por não querer ter filhos. Infelizmente existe esse preconceito. Porém, não fo isso o q me fez mudar de idéia. Não sou contra quem opta por não ter filhos de jeito nenhum.
    Bjo

  129. #230
    Debora
    01.12.2014 - 15:06

    Oi Cony.
    Tenho 24 e me caso no ano que vem.
    meu noivo não se anima muito de ter filhos também por essa coisa do financeiro, independência, horários, aproveitar a vida etc.
    adoro crianças e adoraria ser mãe.
    Mas penso a história um pouco por um lado diferente. Eu adoro viajar, ganhar e gastar dinheiro, mas me preocupa um pouco como essa felicidade também nos consome, cada vez precisamos trabalhar mais, pra ter mais, comprar uma bolsa mais cara, malhar mais, ter o cabelo mais hidratado, ter as peças desejo da estação, sapatear nas inimigas. Claro que tudo isso é maravilhoso, nos faz sentir no topo da cadeia alimentar, mas também é um pouco cansativo né?! As vezes chego chamar de vazio… mas aí não estou aqui pra julgar ninguém, apenas compartilhar o que penso.
    E sabe o que me faz feliz de verdade? mais do que ir pra praia mais bonita do mundo, gastar em euros… É sentar na mesa no final de semana com a minha família. Ou na areia da praia, dividir a barraca de farofeiros. Meus pais, irmãos, primos, noivo, tios, avós. Acho que essa felicidade é a mais genuína no meu coração, e por isso quero ter uma família sempre, proporcionar essa alegria e esses mesmos valores pros meus filhos.

    • #231
      Constanza
      01.12.2014 - 15:15

      Eu sou totalmente desapegada de família. Adoro eles mas cada um no seu canto acredita?

      • #232
        Debora
        01.12.2014 - 15:25

        Acredito!! Meu noivo também é assim, não tem com a família dele essa minha coisa de querer estar agarrados… kkkkk
        Por isso nossa decisão está difícil!!
        Mas somos muito companheiros e vamos conseguir entrar em um acordo (do tipo eu começar a tomar pílula placebo e aparecer com um barrigão…hehehehe)
        Brincadeirinha!!
        Esse seu sentimento é tão verdadeiro e urgente na sociedade hoje que o direito não fala mais do casamento com filhos como uma família legítima e as outras famílias não legítimas. Um casal sem filhos, um casal homoafetivo, um pai ou uma mãe e um filho: Todos são igualmente famílias e igualmente dignos e merecedores de respeito.
        Um beijão!!

  130. #233
    Larissa
    01.12.2014 - 15:08

    Aiii eu já sou o oposto de vc Cony, sempre quis ser mãe,acho q nasci p/isso…é meu sonho de vida, mas estou com 30 anos já e começo a desesperar pq não sou casada, só namoro e ele não pensa nisso por agora 🙁
    Sofro!rsrs

  131. #234
    Juliana Afonso
    01.12.2014 - 15:09

    Meu Deus, esse post foi feito para mim. Tenho 37 anos, acabo de terminar um relacionamento de 4 anos e me sinto um Et. Mil cobranças, mil pessoas falando na cabeça e começo a ficar com medo, mas apesar de amar criança, não me vejo com uma. A frase que mais escuto é essa: ” quem vai cuidar de vc..” Sei la!!! Vou para um asilo, de preferencia animado, com muitas amigas, um baralho, uma cervejinha e muita excursão para praia….

  132. #235
    Juliana
    01.12.2014 - 15:10

    Olá Cony. Também vivo esse dilema de ter filhos ou não. Já tenho 33 anos e 3 de casada. Todos me perguntam quando virá o filho. Na verdade nunca sonhei com a maternidade e nunca me vi como mãe.Não acho justo colocar um filho no mundo só porque os outros cobram ou porque posso precisar dele no futuro. Também não penso que os filhos atrapalharão a minha vida, tenho certeza que mudará, mas atrapalhar jamais. A minha decisão é baseada somente no instinto. Tenho 10 sobrinhos que amo muito, Mas não me vejo mãe. Te entendo. Abraços.

  133. #236
    Tatiane Ferreira
    01.12.2014 - 15:12

    Cony,
    Parabéns por abordar assuntos tão diferentes com uma leveza tão característica sua. Como disse alguém num comentário de outro post: que revista feminina que nada, o futi está dando show!
    Quanto ao post de hoje, acho que a vida não vem com uma receita de felicidade, não é uma caixinha de bolo, com modo de fazer. Cada um faz suas escolhas dentro daquilo que acredita que é o melhor pra si mesmo.
    Super entendo quem é mãe, ou quer ser (eu quero muito), e super entendo quem não quer.
    O que é bom pra um pode não ser bom pro outro.
    Eu acredito que não existe uma fórmula, bem como não existe um certo ou errado: existe o que é bom pra cada pessoa.
    Bjus

  134. #237
    Paula
    01.12.2014 - 15:18

    Cony, tenho 36 anos, meu marido 40, e acabei de ter um filho por fertilização in vitro. Só acho que vale a pena comentar uma coisa, sobre um aspecto específico no meu caso: os homens tem maior validade que as mulheres pra serem pais. Talvez por isso muitos despertem pra essa vontade mais tarde, depois dos 40, quando ainda estão na flor da idade. Se a mulher também está nos 40, a conta não vai fechar, podem acontecer cobranças e até o fim do relacionamento. E tudo bem. Quando a mulher é bem mais nova que o homem, até dá pra ajustar o tempo de cada um. O congelamento de óvulos até é uma opção, mas bem mais limitada do que é divulgado. A adoção sempre é uma opção, mas meu marido não aceitaria. Então, fiz uma escolha, uma aposta, nunca achei que tinha vocação pra ser mãe e não posso falar muito ainda, meu bebê tem 24 dias….Só vi que se não fizesse agora poderia não conseguir depois.

  135. #238
    Fabiana
    01.12.2014 - 15:21

    Oi Cony, bom saber que não sou um ET, ver que tantas outras mulheres, assim como eu, não querem ter filhos. Desde muito nova, na época da adolescencia, eu já dizia que não tinha a menor intenção em ter filhos. Sou uma pessoa absolutamente desprovida de instinto maternal. Simplesmente nunca me vi sendo mãe. Por conta da minha decisão já ouvi as maiores barbaridades das bocas alheias, tais como: a mulher só se realiza por completo quando se torna mãe, pessoas que abdicam da maternidade e paternidade são egoístas, quem vai cuidar de você na velhice (como se isso não fosse um atitude absurdamente egoísta), você corre o risco de seu marido acabar te largando e fazendo filho em outra, e por aí vai… As pessoas realmente são muito intolerantes com aqueles que não seguem um padrão. Mas é bom deixar bem claro que a minha família sempre respeitou minha escolha, as barbaridades sempre foram ditas por pessoas distantes e absolutamente sem importância para mim.

    Outra coisa que me falavam era que eu iria mudar de ideia com o passar dos anos. Vieram os trinta e eu continuava firme e forte com a minha resoluçao. Hoje aos quarenta anos vejo que eu não podia estar mais certa da minha decisão.

    Meu marido e eu vivemos extremamente bem, estamos casados há anos e não sentimos o menor falta de filhos ou arrependimento por não tê-los.
    Veja Cony, eu acredito que quem toma uma decisão como essa, dificilmente se arrepende, mas se algum dia ou em algum momento isso acontecer, vai ser algo com que você vai saber lidar, assumir a escolha feita e viver a sua vida da melhor forma possível sem grandes lamúrias.

    E só pra finalizar, é incrível como ultimente tenho ouvido muito de pessoas mais idosas, das mais diversas classes sociais, homens e mulheres, que se tivessem tido a oportunidade de escolha quando eram mais jovens, talvez tivessem optado por não ter filhos.

    Enfim… o importante é ter a liberdade de escolha. E hoje, nós mulheres temos. O que é felicidade extrema para uns, pode não ser para outros.

    Bj

    • #239
      Gabriela
      02.12.2014 - 00:38

      Pois é, Fabiana!
      Já ouvi barbaridades semelhantes de solteironas virgens! E a maluca ainda completou: se você quiser eu cuido do seu (eventual) filho!!!! hahahaha, pobre (eventual) criança!!!!
      É claro que esse tipo de barbaridade, comigo, não tem perdão: mando à merda igual àquelas tirinhas da Dona Anésia.

  136. #240
    Ninucia
    01.12.2014 - 15:21

    Tenho quase 30 e não me sinto preparada pra ser mãe por n motivos. E pra falar a verdade me acho super nova ainda rs. Sei que dizem que ser mãe é maravilho e que vou amar demais essa condição se um dia tiver filho, mas ninguém ama o que não tem e não conhece.

  137. #241
    MaFe Vitoriano
    01.12.2014 - 15:23

    Cony! Fiquei aliviada com seu post.
    Tenho 37 anos e já quis muito ser mãe quando mais nova. Mas o tempo passou, a vida mudou e um filho não cabe na minha rotina.
    Minha vida é trabalhar para conhecer o mundo! Adoro viajar…
    Sem contar que ter um filho nos dias de hoje é uma puta responsabilidade. Não é como na época de nossas mães.
    Você pode até achar egoísmo da minha parte, mas acho que um filho talvez não se encaixe nessa minha rotina.
    Adotei uma gata e ela é o meu bb, meu xodó!
    Obrigada pelo blog e por ser tão verdadeira, sempre!

  138. #242
    01.12.2014 - 15:30

    Cony querida, tenho 27 anos, nunca na minha vida quis ser mãe, enfim, não sei se por ter tido uma infância conturbada, abandono materno, inexistência familiar, mas, sei que, do fundo do meu coração, como fui bem criada pela minha família adotiva, nunca quis ter filhos.
    Tenho um garoto que é uma figura, extremamente independente, nós brigamos e nos arranjamos como bons amigos, ele é muito companheiro e me faz rir, um presente, mas não que eu tenha pedido.
    Depois dele resolvi me laquear, foi aquele drama da sociedade mãããs, consegui, como bela teimosa que sou, não me arrependo e isso se tornou um dos meus maiores orgulhos, não tenho a mínima vontade de ter outros filhos, gosto e muito de crianças mas, a maternidade não tem nada haver com isso, é algo realmente que vem de dentro de você.
    Fiquei um ano correndo atrás da papelada e, provando por A mais B que realmente tinha o desejo e o direito de me laquear, esse era meu sonho, hoje vivo feliz e, querida, poder ter o direito de não sentir vergonha por não querer ser mãe é a melhor coisa do mundo.

  139. #243
    Isabela
    01.12.2014 - 15:34

    Nossa, que preguiça do povo que quer provar que ter filhos é a melhor coisa do mundo!
    Eu nunca quis ter filhos e não sou fã de crianças. Tudo me incomoda, o choro, a voz, a bagunça…
    Meu marido tem uma sobrinha de 2 anos que não consigo me apegar.
    Tenho um casal de sobrinhos gêmeos que são as únicas crianças das quais consegui gostar.
    Meu marido também nunca quis ter filhos!´
    Temos alguns casais de amigos que também não querem ter filhos. Brincamos que vamos fundar um condomínio dos sem filhos!
    A família do meu marido faz pressão emocional (a mãe dele chora, diz que tem pena de quem não tem filhos, etc), minha mãe de vez em quando pede mais um neto, fora a sociedade, mas temos certeza do que queremos ou não da nossa vida!
    E aproveitamos ela bastante, nos curtindo, viajando…
    E quando ficar velhinha, terei uma boa aposentadoria pra pagar uma casa de idosos legal rsrsrs

  140. #244
    Fran Braga
    01.12.2014 - 15:37

    Oi, Cony!!!
    Sempre por aqui, mas nunca comentando, rs.
    Mas, olha, essa pauta já faz parte das minhas próprias reflexões…
    Sou casada, sem filhos e tenho 28 anos, concordo que as mulheres como eu e vc estão cada vez pensando em ter menos filhos ou nenhum. É só repassar mentalmente a quantidade de netos da minha vó e a da minha mãe, rs. E também, pensar na quantidade de vezes que eu mesma já pensei nisso:”estou bem sem filhos”. De tanto refletir, cheguei a minha opinião: DISCORDO muito de quem não quer ter filhos. Não julgo, amigas, e ainda me pego pensando naquelas que NÃO PODEM tê-los, mas discordo de quem escolhe viver a vida na individualidade e deixa de notar que a plenitude de ser mulher pode estar passando também pela maternidade. Digo isto, não para enfatizar a maternidade simplesmente, mas porque a sociedade enfatiza a independência e o profissionalismo da mulher com se nisto, SÓ nisto, pudéssemos encontrar plenitude. O mundo cruel, a má educação que muitas crianças recebem em casa, a falta de dinheiro para dar mais do que recebemos de nossos pais, para mim não são justificativas suficientes. Uma criança precisa de paz, amor, aceitação e disciplina, não de brinquedos e roupas de marcas, ou viagens, ou cursos diversos. E isso requer muito de nós mulheres, sim. E nem sempre vai dar pra conciliar uma carreira profissional com isso, uma vez que muitos esperam que sejamos cada vez mais magras, bonitas e ricas. Mas é um privilégio e sem dúvida, um presente, poder doar sua vida a outra pessoa. Um exercício de humildade que o mundo atual não exige de nós, mas que faz parte de nós. Creio firmemente que todas nascemos com a capacidade, o talento de sermos MÃES. Mas, uma vez que fomos criadas para irmos para a faculdade, termos nosso próprio dinheiro e sermos nossas donas, se queremos ser mães, precisamos, conscientemente, escolher isso e nos dedicarmos. Ninguém é obrigada a ser, mas é necessário entender o porquê de não querer, sob pena de viver sem essa experiência divina. Se antes da revolução feminina as mulheres não podiam falar abertamente em não ter filhos, o que se vê agora muitas vezes é o contrário, mulheres que não podem pensar em amar suas famílias mais que elas mesmas, rs. Cony, querida, obrigada pelo espaço para dizer o que penso. Se não me sentisse íntima, não teria coragem de discordar do seu post no meio de tantos comentários que te apoiam. Beijos!

  141. #247
    leiloka
    01.12.2014 - 15:48

    Oi Cony, total apoio para quem não quer ser mãe!
    Ser mãe é tudo de bom e tudo de ruim ao mesmo tempo. Tem que ter aquela vontade louca de ter filhos, senão não vale a pena…
    Antes dos 30 anos, não queria ter filhos, nem mesmo casar, mas de repente achei um marido joia (rss) e me deu uma vontade louca e profunda de procriar… e os filhos vieram. Acho que tive filhos por dois motivos: vontade de constituir uma família melhor do que a minha de origem (disfuncional…) e vontade louca de ter bebês. É um grito que vem de dentro, não tem como explicar.
    ENTRETANTO, é aquela coisa: eles são maravilhosos, mas viraram minha vida de cabeça pra baixo. Eles me deram um sentido novo, de ser feliz com as pessoas que eu amo (antes eu era bem desgarrada e solitária), mas me dão muito trabalho e canseira. São três pequeninos e às vezes eu choro de cansaço… mas sou feliz assim e vesti a camisa de mãe. Penso mais neles do que em mim, compro menos roupa, mas agora faço investimentos para o futuro, viajo quando dá e pra onde posso levá-los, mas a gente se diverte, não durmo bem há anos e abandonei muitos projetos que penso em retomar daqui a uns dez anos, quando o pequeno for grande.
    Eu achava que não gostava de criança, mas quando vejo a casa cheia de amigos, me sinto bem no meio da muvuca.
    Tem muitos momentos que eu queria ser sozinha de novo… mas agora eles já estão aí e só me resta aproveitar ao máximo!
    Apoio sua decisão, porque filho é maravilhoso e uma merda ao mesmo tempo!!!! A vida passa tão rápido, temos que fazer muito bem as nossas escolhas!
    beijos

  142. #248
    fátima
    01.12.2014 - 15:48

    Acho que isso é uma opnião muito particular e faz parte da história de vida de cada um.

  143. #249
    Aura
    01.12.2014 - 15:48

    A vida e feita de escolhas e cada um deve fazer a sua. Fui mae pela primeira vez aos 24 e pela segunda vez aos 27. Hoje com 30 ainda penso em fazer mais 1. Ser mae nao e facil, nao basta so dar a luz, tem q cuidar. Saber que nao tera uma noite completa de sono pelo menos durante 2 anos, que podera ir parar as urgencias de madrugada, que pode ter que faltar ao casamento da melhor amiga porque o filho esta doente, etc etc. Mas sinceramente, dar de mamar, receber aquele carinho tao sincero todos os dias…nada se compara! Eu e meu marido saimos frequentemente, dividimos as nossas ferias metade so nos 2 e a outra metade com as criancas, e vivemos muito bem assim. Maternidade nao e so flores, mas e muuuuuito bom. Mas quem nao esta preparada para os stresses do casamento, que continue solteira. Quem nao se imagina como mae, que congele os ovulos (porque nunca se sabe o dia de amanha) e deixe os filhos para se um dia os quiser.

  144. #250
    Luciana
    01.12.2014 - 15:49

    e outra, se for pra ter filho simplesmente pelo “status” de se ter um filho, pra depois “terceirizar” sua educação e seus cuidados a uma babá ou quem quer que seja, melhor não ter mesmo! por isso deve sim ser uma decisão muito bem pensada. o que há de casais hoje em dia que “terceirizam” a educação/criação dos filhos é fora do normal…brinca com a criança 15 minutinhos e acha que já cumpriu com seu papel de pai/mãe, e empurra logo pra babá de volta…

  145. #251
    01.12.2014 - 15:52

    Parabens Cony pelo texto, pela coragem :)!!
    é por essas e outras que eu amo seu fufu!
    bj bj

  146. #252
    Rosangela
    01.12.2014 - 15:58

    Engraçado que as opiniões são interessantes, porém algumas são fabricadas pela atualidade. Essa questão de bicho ter mais valor que o ser humano, isto nada mais é do que egoísmo, pois o bicho não exige nada além de comida e um canto p/ dormir. Amo meus bichinhos, mas não me venha dizer que o valor dele é o mesmo de uma criança que aí eu vou dizer que não se conhece nada de valoração, de ética até. Um filho vc. realmente deve se doar de forma incondicional e a geração hedonista que vivemos não tem este tempo e esta disposição. Sinto pena desta geração que pensa que sapatos, bolsas, perfumes, maquiagens, viagens irão lhe bastar. Vai perder a chance de conhecer um amor verdadeiro e puro, sem interesse próprio. Espero que as próximas gerações sejam menos egoístas e mais inteligentes, com opiniões próprias e não o que a modinha agora esta ditando.

    • #253
      Constanza
      01.12.2014 - 16:14

      Modinha? oh God, volte pros anos 50.

      • #254
        dani
        01.12.2014 - 17:07

        bicho nao exige mais que comida e um canto para dormir!? OH GOD!!!! tenho pena do seu pobre animal de estimação! bichos sao sensiveis, demandam atenção e carinho e justamente por nao poder suprir essas necessidades a cony mandou o nero para a casa dos avos.
        meu cachorro e meu filho tem o mesmo valor para mim para mim eles sao irmaos!! amo os dois incondicionalmente, aliais antes de ter meu filho eu ja conhecia o “amor verdadeiro e puro, sem interesse próprio” que vc comentou pois é exatamente assim que eu me sinto em relação ao tobias (meu dog)
        algumas pessoas nao aceitam que o amor entre humanos e bichos pode ser semelhante ao amor entre humanos e eu respeito opiniões diferentes
        acho que houve uma difusão da luta pela causa animal ao longo do seculo XXI e cada vez mais pessoas se identificaram com a causa. isso nao é uma modinha e nao vai passar nunca… pelo contrario, vai ganhar cada vez mais adeptos
        egoismo é nao aceitar a opinião alheia, é julgar e censurar o outro por suas escolhas e pensamentos assim como você está fazendo

        cony…
        meu sonho tbm é ter um sitio e cuidar de caes e gatos abandonados!! um dia chegamos la 😉

        • #255
          Constanza
          01.12.2014 - 17:10

          Preferi nem me manifestar no comentário dessa pessoa. Depois falam q sabem mais sobre o amor..

          • #256
            camila brito
            01.12.2014 - 20:36

            Ahhh, também nem perco mais meu tempo tentando defender a doação de amor a outras formas de vidas, que não a humana…hoje fico até calada, pra não escutar o que não quero: bobeira!!

    • #257
      Fernanda
      01.12.2014 - 16:54

      Achei que só eu que tinha me assustado com alguns argumentos aqui pra não ter filho. Dizer que não gosta de criança, que não tem estabilidade financeira, quer prefere se dedicar à carreira, que o mundo está uma merda e não quer esse destino pra criança, acho tudo ok, compreendo. Mas nega vir dizer que prefere usar o dinheiro pra comprar bolsa, pelamor, viu. Depois acham ruim quando dizem que é egocentrismo.

    • #258
      Fabiana
      01.12.2014 - 17:17

      Modinha???? Modinha????
      Fofolete, como já disse acima tenho 40 anos e desde mais ou menos os doze anos de idade percebi que não queria ser mãe. Não é questão de egoismo, hedonismo, ou falta de amor ou de caráter, é simplesmente não ter vontade, não querer. Isso é ter direito de escolha e pessoas como você tem que respeitar.
      Preguiça de gente cheia de pré conceitos!!!

    • #259
      01.12.2014 - 17:56

      Respeito é primordial, sempre!
      Bicho exige amor, carinho, atenção, comida, água, tratamento e tudo o que um ser humano precisa, sem mais!
      Rosangela, pense no respeito a si, no amor consigo, pois só se consegue amar e respeitar o próximo, quando se ama e se respeita.
      Como disseram aí nos comentários, a maternidade é um dom, que poucas mulheres tem. Existem milhões de mães, mas o que tenho visto cada vez mais são crianças ganhando tudo e fazendo o que querem, simplesmente por que o pai ou a mãe ou ambos estão cansados de falar, de corrigir, de chamar a atenção, da rotina, do trabalho, do estresse do trânsito, das contas vencendo, da grana curta, da viagem que não fez, da trepada gostosa que não deram (por causa das crianças), fincando mais fácil não fazê-lo. Também vejo crianças amorosas, doces, calmas, mas são minorias, ou seja, cai, conforme a sua opinião, infeliz, que comida, qquer distração e um canto pra dormir bastam para se ter um filho.
      Ah, Cony, tbm não vejo tendo filhos e não acho lindo uma mulher ter que se desdobrar entre casa, marido, filho, trabalho, beleza etc.
      Auto respeito e limites, sempre! Não devemos nos acabar tentando abraçar o mundo, pois algo ficará de fora e o estrago, muitas vezes detona tudo.

    • #260
      Marcia Aguiar
      01.12.2014 - 18:03

      Ai que preguiça dessas mães que acham que são melhores do que as outras mulheres porque são mães. A modinha que eu vejo por aí são mães terceirizando a criação dos filhos, pois nenhuma mulher quer abrir mão de sua carreira (não acho que têm que abrir mão, só acho que não dá pra fazer as duas coisas bem, tipo ser workaholic e melhor mãe do mundo). O resultado é um bando de criONÇAS e aBOrrecentes mal educados, egocêntricos e sem valores básicos. Acho que se a pessoa acha a maternidade o supra-sumo da vida, good for her. Vai ter logo um penca de filhos e pronto. Mas há milhares de pessoas que não têm esse desejo e nem por isso são melhores ou piores dos que os outros. E em relação aos animais, eles são SIM tão importantes quantos os seres humanos e se eu tivesse um filho, com certeza estariam no mesmo patamar, se é que amor pode ser medido. Animais sentem dor, medo, saudade, tristeza, alegria, e são os únicos que realmente amam incondicionalmente. Sinto dizer, mas nem todos os filhos amam seus pais e vice-versa. Criança é muito fofo (pra quem gosta), mas elas crescem e podem virar adultos horrorosos, como aquela enfermeira de Goiás que matou uma yorkie indefesa na frente da filha pequena. Imagine só, um mãe! Um ser especial, quase divino, foi capaz de uma atrocidade dessas contra um ser inocente, de apenas 3 kg. Então, não venha julgar quem não nunca quis ter filhos, pois eu não julgo quem sempre quis ter. Cada um no seu quadrado.

    • #261
      Paula
      01.12.2014 - 20:16

      Ser mãe não obrigatoriamente torna você uma pessoa melhor que outra minha cara. É só dar uma olhadinha para o lado e ver a quantidade de mulheres que não estão nem aí para os seus filhos. Se quiser ver mais de perto visite um abrigo para descobrir o que muitas fazem com suas crianças. Por tanto não venha dizer que quem é mãe é menos egoísta e mais inteligente.
      E para aquelas que dizem que filhos são importantes na velhice digo uma coisa: somos indivíduos, viemos sozinhos a este mundo e sozinhos retornaremos. Não temo a solidão, quero estar sempre bem comigo mesma.

    • #262
      Ilka
      02.12.2014 - 01:22

      Modinha? Caramba, quem não quer ter filhos ouve horrores e alguém vem dizer que é modinha.

    • #263
      02.12.2014 - 11:38

      Eu tenho dó dos teus bichos e filhos, Rosângela. Porque dizer que um bichinho não exige mais que comida e um canto para dormir, pessoa rasa, hein?! Por favor, o que tu vai passar para os teus filhos?!

    • #264
      Isabela
      05.12.2014 - 14:45

      Que ridícula vc, hein?! Cada uma sabe o que faz da sua vida…

    • #265
      Mariana Tomazelli
      10.12.2014 - 19:22

      Moda, não querer ter filho ?

      Cada pessoa com pensamento arcaico que me dá medo.

      Filhos que não tenho e não sei se vou ter, te cobrarão sim :amor, mesada, viagens , bens materiais. Não é um amor puro e afins. Todos aqui tem pais e cobraram algo deles.

      Outra coisa eu não tenho todo amor por bicho, mas respeito e morro de saudades do meu antigo, mas eles necessitam de carinho também.

  147. #266
    Ligia
    01.12.2014 - 16:02

    Obrigada Cony por abordar esse assunto tão polêmico. Fiz questão de ler todos os comentários e fiquei feliz em ver que há tantas mulheres decididas e que não se importam nem um pouco com a opinião dos outros. Já faço parte do time dos vinte e tantos e namoro a 7 anos. A pressão por casamento e filhos tem sido grande principalmente por parte dos colegas de trabalho e tias mais velhas (hahahahahahahaha), mas sinceramente não me sinto nem um pouco preparada para nem dos dois.
    Porém, não vou dizer “nunca”, afinal assisto os vlogs da Flavia Calina há anos e confesso que tem dias que acho lindíssimo a maneira que ela cuida da Baby V hehehehehehehehe
    Cada um sabe o seu timing.

  148. #267
    Ana Paula Furtado
    01.12.2014 - 16:05

    Ai gente, eu fico imaginando que bosta era a vida de quem só começou a ver sentido na vida depois de ter filho. Sinceramente, dá pra ser feliz (e infeliz também!) dos dois jeitos!

    • #268
      Constanza
      01.12.2014 - 16:15

      Super penso nisso tb rs

    • #269
      Laura
      01.12.2014 - 17:59

      Eu acredito que felicidade é um estado de espírito, não depende de nada externo. Qualquer pessoa que delegar sua felicidade a outras coisas (seja ela o que for, como ter filho, casar, viajar, comprar coisas), eventualmente irá se frustrar. Essas coisas devem complementar sua vida, mas não pode existir uma fonte única que será a solução de toda sua infelicidade.

      Então, eu acredito realmente que você pode ser feliz de qualquer forma que você escolher, desde que você esteja em paz 🙂

    • #270
      Marcia Aguiar
      01.12.2014 - 18:18

      Ana Paula disse tudo! E a carga de cobrança em cima desse filho? Tipo você é a razão da minha vida. Se o filho não trouxer essa felicidade sempre, ferrou.

    • #271
      Michelle
      01.12.2014 - 18:19

      Penso a mesma coisa!
      eu tenho quase 34 anos, sou casada e não quero ter filhos!
      Acho difícil educar, tem que ter muita disposição e vontade. Eu não tenho!
      Escuto coisas absurdas quando respondo sobre os filhos que não tenho… “vc seria uma pessoa melhor” ou “vc não vai saber o que é o amor” ou para que casou?” ou ainda “qual o sentido em envelhecer sem filhos”. Me enchem tanto que sempre respondo que a mãe da Suzane Richtofen deve ter pensado que a filha cuidaria dela no futuro…Hahahaha
      As pessoas simplesmente não respeitam a nossa vontade e merecem respostas grosseiras!
      Amei seu post, Cony!
      E é bom saber que não sou uma aberração como tentam me fazer sentir!

    • #272
      Juliana
      01.12.2014 - 20:48

      Kkkkkkkkkkkkk. Morri de rir com seu comentário e assino em baixo com o que vc escreveu.

    • #273
      Gabriela
      02.12.2014 - 00:49

      Exatamente. O que a pessoa fez com a vida dela antes? nada?

    • #274
      Ilka
      02.12.2014 - 01:27

      Adorei! Às vezes eu penso isso também, a pessoa viveu 30 anos e sua vida só fez sentido depois de ter filho. Coitada, a via devia ser péssima.

    • #275
      Danielle A. Rodrigues
      02.12.2014 - 16:55

      Ana Paula…disse tudo!!! A pessoa só é feliz depois que tem filho. E antes… fez o que da vida??

  149. #276
    Carol
    01.12.2014 - 16:09

    Cony, venho há muito tempo lendo constantemente seus posts, ‘amo o DDL’, fico muito feliz em ver o seu crescimento! Mais Cony, você não imagina como me identifiquei C-O-M-P-L-E-T-A-M-E-N-T-E por esse ! Sou nova ainda, 20 anos tenho um namorado-marido há três, e sempre quando alguém toca neste assunto, eu sou a primeira a dizer, Não Quero Filhos. O meu namorado já falou “Carol, eu quero ter pelo menos um.. Vai colocando isso em sua cabeça”.. E eu fico imaginando será necessário mesmo? É uma obrigação? Uma lei da Vida que não pode ser mudada? Muitas pessoas me perguntam o pq.. Mais eu não sei.. Não vou mentir as vezes me dá uma leve pontada de ser mãe, mais quando imagino.. Prefiro não.. A minha família fala, “Quando você ira me dá um neto”, “Antes de morrer eu quero ver meu bisneto”.. Mais não tenho vontade Cony.. Acho muita responsabilidade ( Não suporto ), gosto de fazer o que quero/gosto na hora que eu achar e não fazer algo por obrigação, não gosto de me prender, de me privar, isso definitivamente não combina comigo, e também penso, para que EU vou pôr um filho nesse mundo, do jeito que está, tanta violência.. Acredita que até hoje não vi ninguém falando, “A, eu não quero ter filho”, por isso me acho meio estranha, achava ser a unica..

    Beijo Cony
    “Nem toda mulher nasce para ser mãe, e nem toda mãe é mártir. Muitas são algozes, aliás.”
    Lya Luft

  150. #277
    Amanda
    01.12.2014 - 16:12

    eu quero ter filhos sim, mas sinceramente quem tem algum pontinho de dúvida é melhor n ter! pq muda toda sua vida, tem q se doar mesmo, tem q ser dom. Se for so pelo fato de “quem vai cuidar de vc?” é melhor n ter! Depois ficar jogando a frustração das coisas que n fez na vida na criança, é horrível. pra piorar cresce uma criança c a culpa do mundo nas costas por conta dos pais! pq alias filho dá trabalho mas quem quer faz tudo na vida, minha mãe me teve muito nova, mas ela sempre quis ter filhos, e ela fez tudo na vida mesmo comigo e minha irmã… faculdade, clinica, pos… etc!

  151. #278
    Taty
    01.12.2014 - 16:13

    Adorei esse post. Sou casada há 10 anos e tenho 35 anos. Meu marido não quer ter filhos e eu também não tenho vontade de ser mãe. Já fui pressionada pelos familiares, amigos, mas não me importo com a opinião dos outros. Sou feliz! Isso é o que importa. Ter filho hoje é muito complicado, uma responsabilidade muito grande. Não estou falando só de dinheiro, mas presença, atenção, cuidados…Já fui criticada várias vezes. Não me incomodo! Ah, algumas mães que me criticaram são hipócritas, falam do prazer de serem mães, mas morrem de preguiça de cuidar do filho delas.

  152. #279
    Natália
    01.12.2014 - 16:17

    Bom… Vamos lá… vou falar disso aqui porque acredito que não vou ser tão julgada e massacrada como costuma acontecer quando toco nesse assunto.

    Tenho 28 anos e uma filha de 10 anos. Engravidei aos 17 e porra que susto que foi, ainda mais porque passei por uma situação delicadíssima de “abuso” que só depois de algum tempo fui perceber o quanto era coagida pelo meu ex-namorado. Até hoje só o meu irmão, meu atual marido e um amigão meu que na época só faltava dar na minha cara para me mostrar o quanto eu estava sendo tonta, é que sabem do “causo” todo.

    Você vai me perguntar: “Tá e aí?” Aí eu digo que mesmo aos 17 anos meu plano era viajar, trabalhar fora, sair do Brasil, morar sozinha, passear, namorar, me divertir e nem por um segundo eu quis filhos. Nunca me imaginei casada, quanto mais com filhos a tiracolo. Esse cenário nunca foi pintado na minha imaginação.E até hoje não é…

    Na minha família sou conhecida por ser aquela prima adolescente que apavorava os menores. Meus primos mais novos morriam de medo de mim, mesmo com a minha irmã que é mais nova que eu 8 anos eu era malvada, tem um primo meu que só começou a falar comigo depois de grande. Até hoje olho bebês na rua e não fico toda apaixonada, penso assim: “Coitada dessa mãe, tomara que essa criança cresça logo”.

    A verdade é que eu detesto criança dos outros… são chatas, pegajosas, choram em lugares inapropriados, são mal educadas, não querem cumprimentar, os pais passam vergonha em locais públicos e se dão bronca ou um belo puxão de orelha são condenados, recebem olhares de desaprovação de todos os lados como se eles estivessem matando a criança. Você perde o convívio social e do grupo de amigos, para de se cuidar como antes, tem que carregar um caminhão de bagagens sempre (e que não são suas), não pode andar pelada com o marido pela casa. Precisa medir tudo que fala, servir de exemplo o tempo inteiro. Gasta-se uma grana absurda com escola e esporte para a criança ainda por cima a coitada sofre bulling. É preciso tomar decisões por uma outra pessoa que depende completamente de você, quando na verdade não se tem certeza de nada. Na real, isso cansa.

    A minha sorte é que minha filha foi um amor de criança e nunca me deu esse tipo trabalho (ser mal-criada sabe?), o que para mim foi uma surpresa enorme porque eu sempre reparei tanto nos filho dos outro que morria de medo de ela ser terrível.

    Me casei a pouco mais de 3 meses e imagina o que está acontecendo? TODO mundo perguntando quando vem o próximo!
    Gente… pelo amor de Deus!

    É claro que eu amo minha filha… mas posso dizer, isso acabou com grande parte dos meus planos. Agora com ela um pouco maior que estou conseguindo realizar algumas vontades do passado. Sinto que muita coisa me escorreu entre os dedos e não havia nada que eu pudesse fazer. Uma criança demanda 100% de atenção e empenho. No meu caso, mesmo com bastante apoio da minha família, precisei ser mãe, pai e crescer ao mesmo tempo. E agora que estou recomeçando já querem me empurrar outra criança? Caramba! Se todo mundo vai falar que ter filhos é uma maravilha? Não sei, sei que eu digo que não é… dá trabalho, dá medo, você nunca sabe se está fazendo as melhores escolhas. E esse papo de “quem vai cuidar de você no futuro?”… Ué… eu mesma… e quando não der mais estou preparando uma poupança asilo. Porque quero minha filha voando e sendo feliz por aí, sem se preocupar comigo!

    A maternidade te muda? Sim. Você aprende a ser mãe em questão de segundos! Mas somos adaptáveis, seres humanos são assim. Acredito que é natural como qualquer mudança que exige muitos ajustes. Não acho que tem nada a ver com o fato da mulher ser feita para procriar. Pensa se você tivesse que mudar de país? Ia penar um pouco no começo, mas ia rolar com o tempo, muita novidade de princípio e depois piloto automático! Assim como dirigir, andar de bicicleta…

    Não queria ser mãe e não quero outro filho. Faço de tudo pela minha pequena, mas é fato que a maternidade não é para mim. Vejo amigas minhas, e percebo que elas pensam a mesma coisa só que ninguém tem coragem de dizer. Esse negócio de que a mulher não é completa se não for mãe é uma grande baboseira! Apoio muito as mulheres que não querem filhos… Se quer ser mãe seja, mas não fique pentelhando quem não quer!

    Beijos

  153. #280
    Fernanda
    01.12.2014 - 16:20

    Cony, adorei seu post, pois isso é uma assunto que me atormenta faz anos. Sou casada há 18 anos, tenho 40 anos hoje e meu marido 50. O instinto maternal nunca aflorou em mim, mas as vezes quando vejo uns bebes me dá aqueles 5 minutos de vontade, mas passa. Na verdade ainda não consegui me decidir em ter ou não. Sei que minha idade não ajuda e preciso decidir imediatamente. Passei num concurso público e serei nomeada ano que vem . Só posso engravidar após tomar posse. Então tenho que esperar uns meses ainda. Mas estou enlouquecendo com essa decisão. Meu marido assim como eu nunca fez questao. Agora com meu trabalho novo, nossa vida vai melhorar bastante e quero muito começar a curtir, viajar…já estou com 40 e só agora vou conseguir realizar o sonho da casa própria e viagens. Esse é meu medo, sei que sou egoísta, pois agora que vou conseguir viver melhor tenho medo do filho me atrapalhar. Isso me corroe. Preciso decidir mas não consigo. Queria a ajuda de voces……
    Meu email: fe-piazzon@hotmail.com

    • #281
      Laura
      01.12.2014 - 17:53

      Fernanda, eu acho que você tem que decidir com base em querer ser mãe ou não.

      A vida muda quando se tem filhos? Sim….isso quer dizer que filhos atrapalham a sua vida? NÃO. Gente que abre mão de toooda a vida por causa de filho faz isso porque quer. Agora, é de fato uma logística maior incluir seus filhos, mas você ganha em outras experiências também.

      Então assim, decida com base em: você se vê como mãe? Você se imagina criando um outro ser humano?

      Muita gente procura mil desculpas pra justificar a vontade de não ter filho e, sinceramente, acho que não tem pra quê isso. Você não tem que ter um motivo para não ter vontade de ser mãe, assim como não precisa de motivo para querer ser. A coisa é olhar para dentro de si, ver sua vontade e ficar em paz com a decisão que tomar.

  154. #282
    01.12.2014 - 16:26

    Acho que o “tarde demais” bate quando já não tem mais possibilidades mesmo, quando vc chega lá nos 50~60 anos. Não quero ser mãe agora, não tenho base psicologica e nem financeira, mas já me vejo como mãe e as vezes penso nisso. Vejo muitos exemplos na minha família de pessoas que se arrependeram muito de não ter tido filhos. Acho que os filhos são uma conseqüência da vida e do amor, a vontade vem pra todos, nem sempre traduzida em maternidade, mas em tirar um pouco o pé do freio, ter uma vida menos louca, e um cantinho quieto com uma boa companhia.

    Eu penso sempre no futuro, hoje em dia eu não me sinto sozinha, mas imagino quando todo o mundo que eu conheço estiver morto. Pode parecer idiotice, mas quero ter alguém pra cuidar quando eu estiver velinha, e acompanhar os filhinhos deles crescendo

    Acho que é a sensação de continuidade sabe? Quando eu morrer vai ter uma sementinha minha aqui, se houver um outro mundo (de onde eu possa ver) eu quero muito acompanhar e ver como ela desabrocha <3

  155. #283
    Shirley
    01.12.2014 - 16:28

    Oi Cony …
    Talvez eu seja a sua leitora mais velha (51),
    então falarei como mulher, mãe e, possível, avó.
    Desde sempre eu quis ser mãe !
    Seria um imenso castigo para mim, não se-lo. Se não tivesse me casado, possivelmente, faria uma produção independente, ou adotaria.
    Mas, quis o destino, eu acredito que foi DEUS, que não tivesse mais do que um único filho (ele tem 24 anos).
    E, me satisfaz muito porque ele é tudo : lindo, inteligente e independente. Fiz questão que educá-lo para ser assim, porque, afinal, ele não terá pai e mãe para sempre.
    Acontece que ele vai embora do país, não tem aquela paixão por crianças, muitas vezes pensa em não ter filhos, e eu não o julgo. Quer dizer, avó, talvez eu não seja.
    Acho que maternidade é realmente um dom, uns tem, outros não. E, pra mim, dom é como ter jeito pra arte, pra música, para vida sacerdotal. Cada um tem dom pra uma, ou algumas coisas, ninguém tem dom pra tudo, ninguém mesmo. E todo dom exige amor e dedicação total, irrestrita e incondicional.
    E por todos esses motivos eu não julgo quem não queira ser mãe ou pai, apenas acho que não deve empatar o companheiro que quiser ser.
    Seja clara sempre.
    E, ser mãe depois dos 40/45 … eu não acho muuuuito bom. Porque ? Cony, filho custa caro. Imagina você com seus 60 anos, já querendo parar de trabalhar, viajar … E daí, teu filho está entrando na faculdade; indo pras baladas, e você tendo que levar e buscar de madrugada.
    Você vai ter pique pra isso ?
    Pra ser mãe, tem que ter O DOM, amá-lo muito, acima de tudo e de todos, até de você mesma.
    Eu faria tudinho de novo, mas cada um é cada um, né ?
    Bjs
    Shirley
    Curitiba – PR

  156. #284
    Mariana
    01.12.2014 - 16:35

    Trabalhei num ambiente hiperconservador, onde as minhas colegas de trabalho eram todas mães e filhos eram o assnt principal. Eu ficava de fora das conversas, mas sentia um certo alívio por isso.
    Um dia me perguntaram quando eu teria filhos e eu caí na besteira de dizer que não os queria. Aí foi aquele discurso sem fim, dizendo que eu mudaria de ideia, que uma mulher sem filhos não pode ser feliz e blablabla. Daí em diante foi uma tentativa infinita de tentar me converter.
    Um dia, já bem put@ com essa intromissão toda, eu fingi que ia chorar e disse que não podia ter filhos pq havia nascido sem útero. A comoção foi tanta que nem pararam pra pensar que eu menstruava normalmente e tinha cólicas horríveis…
    Foi muito divertido, confesso.
    O bom é que o assnto passou a ser um tabu.

    Acho engraçado como somos pressionadas, enquanto os homens podem viver livres, leves e soltos. Ninguém acha que um homem não pode ser feliz se não se reproduzir.

    • #285
      Taís
      02.12.2014 - 00:35

      KKKKKKKKKKKKK, MEU DEUUUS! Esse foi o pior comentário ever! Fia, vai se tratar. Isso é falta de capacidade pra defender seu ponto de vista? Com certeza haviam outras formas de sair dessa situação sem mentir assim descaradamente.

    • #286
      Gabriela
      02.12.2014 - 00:58

      Mariana, sua solução foi drástica mas efetiva. Estou pensando em adotá-la pra ver se o povo me esquece. Pena que já xinguei tanto antes!!!

    • #287
      Ilka
      02.12.2014 - 01:35

      Você tocou em um ponto muito interessante, essa ideia de que mulher tem que ter filho para se realizar passa longe dos homens. Nunca vi alguém dizer ‘coitado, nunca vai conhecer o amor verdadeiro e incondicional, vai morrer solitário’, já uma mulher sem filhos ouve isso direto.

    • #288
      janaina zorzato
      08.12.2014 - 11:25

      Adorei Mariana!! kkkkkkkkk!! e esse papo de mulher sem filhos não é feliz, é um baita papo furado! todas as mães que conheço são estressadas, cansadas e envelhecidas, isso é ser feliz? rsrsrsrs

  157. #289
    Fabi
    01.12.2014 - 16:36

    A cada escolha, uma renúncia. Quando você opta por fazer ou não algo (ter ou não ter filhos) vai “abrir mão” de outras coisas, por algum tempo ou para sempre. Não tenho filhos, mas quero 1, pelo menos. Digo 1, em números, porque não acredito nessa coisa de querer uma quantidade exata! Só tendo 1 para saber se quer mais ou se não deveria ter tido nenhum! Esse negócio de ter mais que um pra terem irmãos, ou ter filhos para cuidar de vc na velhice pra mim tb não rola! Quem garante isso? Não estou sendo pessimista, mas realista. Às vezes inventamos umas desculpas pra nós mesmas tentando nos convencer de coisas que não queremos, mas achamos que devemos. Enfim, não dá pra prever o futuro, se vai rolar um arrependimento de ter tido ou não ter tido filhos…. Então, vá ser feliz com o que você escolheu pra você! Nossa vida é cheia de escolhas, o tempo todo. A gente sempre tem que escolher um caminho, deixando para trás outras possibilidades. Nem sempre dão tão certo quanto imaginamos, mas todas podem ser boas e felizes, só depende de nós. Beijo, e vai ser feliz!

  158. #290
    Lidiani
    01.12.2014 - 16:40

    Te admiro muito Cony, muito mesmo! Você é uma mulher real, sem frescura, que fala o que pensa, que emociona, que faz rir, moderna, inteligente, linda e nada montada, tem estilo sem parecer uma caricatura de sí mesma. Depois que lí seu comentário acima falando que sonha em ter um sítio pra cuidar de animais abandonados, parei de ler os outros pra vir aqui e expressar minha admiração!O fato de querer ter filhos ou não é algo de cada um e essas história de “quem vai cuidar de você na velhice” é balela! Meu avô teve 5 filhos (3 mulheres e dois homens), 2 filhas (as que dariam a vida por ele e minha avó) morreram jovens com 39 e 41 anos e com 21 dias apenas de diferença uma da outra (a de 41, era minha mãe). Depois de 3 anos morreu minha avó e meu avó ficou morando com meu tio caçula e a mulher dele, no ano retrasado meu avô ficou muito doente e os 3 filhos que sobraram enfiaram-no num asilo durante 1 ano e se foram duas vezes visitá-lo, foi muito!!! Acabou morrendo praticamente sozinho. Eu sou casada há quase 6 anos e estou junto com meu marido há 18 anos, tenho 33 anos e muito medo (isso mesmo, medo) de ter filhos por inúmeras razões, principalmente emocionais e as vezes sofro por não ter vontade de ser mãe, mas prefiro não ter enquanto não me sentir totalmente segura pra isso. Beijo enorme, toda felicidade do mundo e sucesso sempre!!!

  159. #291
    LAYANA
    01.12.2014 - 16:44

    Uauu, vi o post e pensei: CERTEZA QUE VAI SER MINHA CARA” , e foi !!
    Ultimamente tenho visto várias reportagens sobre o assunto, é a tal da mulher moderna!!
    Me vejo totalmente como uma grande massa da mulheres, que pensam primeiramente em construir uma carreira, ter uma estabilidade e independência financeira.
    Tenho apenas 24 anos, sou casada e já deixei bem claro que a vontade de ser mãe bateu na minha porta e foi embora. rsrs
    Acho que a vida da mulher muda muito mais que a do homem, creio que seja um STOP na vida, para tudo que vc estava fazendo que agora o lance é outro…kkk
    me identifiquei bastante com o post, PARABÉNS !!

    • #292
      Emanuelly
      01.12.2014 - 17:30

      Concordo que a vida da mulher muda mais, viu?! Acho que são RARAS as exceções, em que os pais são tão presentes quanto as mães! Com meu marido já tenho experiência com nossos filhos caninos: sempre que adoecem, que tem que correr no vet, quem leva? Eu! kkkkk. Nan, tô fora! =]

  160. #293
    Vanessa Azevedo
    01.12.2014 - 16:46

    Cony, tô lascada! tu fica escrevendo estes assuntos e rola tanta identificação que não me aguento: tenho que comentar e mais, tenho que ler os comentários das outras leitoras 😉 Tô com 25 anos e também não tenho e nem nunca tive vontade de ter filhos…Mas não me sinto mal por isso não. Cada um com suas competências!

  161. #294
    Marô
    01.12.2014 - 16:55

    KKKK Juliana Afonso, nunca me meti nos comentários alheios, mas… “quer ser minha amiga?” Kkk Olha, com filho ou sem, eu topo ir pra esse recanto de velhinhos animados que fazem excursões, pq gente… filho não “cuida” sempre de pai e mãe em velhice, filho nem sempre vai morar perto da gente… e a gente, as vzs, fica viúva na velhice, sacou? Companhia eterna é só a nossa, com ou sem filhos, nós temos que ser uma boa companhia a nós mesmas.
    Cony, tem uma coisa que está me preocupando, pois, como muita gente, estou adorando ler e preciso dizer o seguinte: ANTES QUE ESSE ASSUNTO LEVE A MULHERADA AO CHORA QUE EU TE ESCUTO, conversem MUITO com seus parceiros sobre esse importante tema de ter ou não filho. Tem coisa aí que cheira a problema e é fria quando um quer e outro não, depois não tem Procom do amor pra pedir seu tempo fétil de volta.
    Conheci uma linda fulana de 25 anos recém separada de um casamento de poucos meses recentemente. Motivo: ela queria logo um filho e o cara não curtia crianças. Perguntei: mas vcs nunca falaram sobre isso antes? Resposta: não.
    Faizfavorabreessabocaefala.
    Bjx!!

    • #295
      Constanza
      01.12.2014 - 17:05

      Super concordo! Meu ex queria muito muito ter filhos e eu me desesperava cada vez q ele tocava no assusto. E essa pressão tb foi um dos motivos do desgaste! Quando um quer é o outro não, pode saber que uma hora vai dar caca

  162. #296
    Camila
    01.12.2014 - 17:05

    Quem não tem filhos não tem o prazer de conhecer a plenitude do verdadeiro amor. (palavras de uma mulher casada e apaixonada pelo marido, de uma filha que ama a mãe, o pai e os irmãos, que sempre foi muito feliz, antes, durante, mas principalmente, depois da maternidade!!).

    • #297
      Constanza
      01.12.2014 - 17:07

      Se vc nunca tivesse comido chocolate não saberia o quanto é bom e estaria tão feliz quanto quem come todo dia!

      • #298
        Ana Paula Furtado
        01.12.2014 - 19:48

        Metáfora perfeita, Cony! E seria muito arrogante alguém dizer que só se pode ser feliz comendo chocolate, com tantos outros alimentos maravilhosos por aí, né?!

    • #299
      Marcia Aguiar
      01.12.2014 - 18:31

      Ah, Camila, me poupe dessa coisa piegas de plenitude do verdadeiro amor. Esse amor é só seu. Eu não sinto falta dele.

    • #300
      02.12.2014 - 11:45

      Acho gente com esse discurso casativa, chaaaaaata, dá uma preguiçZZZZzzzzzZz…

      Medo de ficar assim, tenho pavor de gente chata. Chego a pensar que é igual a história da piscina gelada, essa campanha toda é só pra não ficar tiritando de frio sozinha!

  163. #301
    Lili
    01.12.2014 - 17:06

    Sou mais uma do time “Não quero ter filhos”. Se um dia eu mudar de ideia, ok, mudo e pronto. Se não, ótimo também. Filho não é garantia de felicidade, nem de relacionamento cor-de-rosa, nem de ‘cuidados’ na velhice. Aliás, odeio esse papinho. Nos acusam de sermos egoístas, mas tem algo mais egoísta do que esse discurso????

    O que acho curioso (e chaaato!) nessa história toda, é essa necessidade de ficar “justificando” porque não queremos ter…. que saco! Não quero e pronto. Acabou. Pelo mesmo motivo que eu gosto de azul e uns gostam de rosa….

    Como mantenho minha posição desde muito nova, já ouvi muita coisa e enchi o saco, que parei até de responder. Hoje em dia fujo do assunto. Quando perguntam, respondo um “ahhh, tá cedo ainda”, e encerro a conversa. Menos desgastante…

    E preciso deixar meus aplausos pras meninas que deixaram seus depoimentos sinceros sobre a maternidade. Admiro demais quem tem peito de falar que nem tudo é comercial de margarina! =D

  164. #302
    Carol
    01.12.2014 - 17:08

    Cony, eu acho que quem tem dúvida sobre ter filhos, não deve ter, não. A não ser que isso mude, claro! Eu sempre quis ter e estou esperando o 2º… Não me arrependo de jeito nenhum e já penso no próximo. E nada no mundo é mais difícil que ser mãe. Não vou falar do lado bom, porque é só dele que se fala na nossa sociedade (na verdade, deveríamos nos fortalecer e sermos mais honestas umas com as outras… quem fala que são só flores não está sendo verdadeira). Não é nada fácil, às vezes é desesperador. Eu, que sempre quis muito, vivo isso. Fico imaginando como seria pra alguém que tem dúvida… Nós, mulheres, conquistamos o direito e a liberdade à escolha. Nada devia ser mais valioso que esse direito. Eu não me importo em abrir mão de tanta coisa, mas tem gente que se importa e isso é importante. É a simples questão de uma das escolhas mais importantes da nossa vida.

  165. #303
    erika
    01.12.2014 - 17:10

    Concordo com a Shirley, ter filho depois dos 40 é furada. Tenho 3, o primeiro veio aos 18 e o último aos 31, e vou te falar, aos 31 eu já tava cansada. O primeiro foi beleza. Abrimos mão de muita coisa mesmo, viagens, sonhos, e até coisas simples, como ir ao shopping ficam complicadas. Mas o papo de algumas aí também acho que tá soando irreal. Essa história de “não abro mão de nada,faço tudo, viajo sozinha, blablalba”, sorry, é coisa de quem NÃO é mãe. Suas leitoras devem ser riquíssimas kkkkk. Se tem filho, tem que cuidar, deixar avó, tio criar aí é fácil né?
    Mas devemos respeitar quem não quer ter e, se pudesse voltar no tempo, não teria tido 3 também. Um me bastava, rsrs!

    • #304
      ana paula
      16.07.2017 - 01:05

      essas mulheres que vejo comentando que não abriram mão de nada devem ser muito ricas, não precisam trabalhar e podem pagar uma baba quando precisam, tem dinheiro pra viver em salão, uma realidade bem distante da minha, pobre que tem filho ta caçando sofrer em dobro!

  166. #305
    Maria
    01.12.2014 - 17:11

    Cony,o complicado é quando vc está com um pessoa que quer muito ter um filho e vc nao quer,o relacionamento eh maravilhoso,salvo nesse ponto da maternidade,aí a pessoa fica arrasada pq nao pode continuar com uma pessoa que tem outeo estilo de vida,muito ruim,mas devenos olhar a nossa felicidade

  167. #306
    Flavia Aquila
    01.12.2014 - 17:12

    Quando me casei, aos 17, todos diziam que não ia dar certo, ou que eu estava grávida.
    Fiquei casada 9 anos sem ter filhos, eu nunca tive o menor sonho em ter, mas aos 26 senti o relógio bater, tivemos nossa primeira filha que hoje (VIVA!) faz 11 anos, decidi que antes dos 30 queria ter mais um e meu filho nasceu e hoje tem oito anos.
    Amo mais que tudo na minha vida, mas garanto que antes deles eu já era muito feliz, os filhos devem vir pra complementar sua vida, da mesma forma que egoísmo não querer tê-los tb. é egoísmo depositar neles toda a chance de felicidade. A maternidade te rouba tempo, dinheiro e paciência então só aceite se tiver mesmo certeza que quer, pq. vc. pode ter certeza que nunca mais na sua vida vc. vai estar segura e cim a cabeça tranquila kkk. beijo

  168. #307
    Mariana
    01.12.2014 - 17:15

    Oi Cony!!! Adorei o post… admiro a coragem de pessoas que assumem que não querem ter filhos! O que vejo de mães forçadas por aí… Muita gente tem filho por causa de convenção social, e acho que isso pode ser um desastre. Tanto pra mulher, que vive o resto da vida uma vida que não pediu, quanto pra criança, que muitas vezes tem muito menos carinho, afeto e dedicação do que merece!
    Sou o oposto de você, daquelas que nasceu pra ser mãe, e aguardo ansiosamente esse dia. Desde novinha planejo minha carreira para o dia que for mãe, mas não tenho pressa, estou com 25 e não pretendo ter filho antes dos 30. Quero organizar a casa pra eles antes, sabe!
    Mas entendo quem não quer ser mãe tb, é um direito de cada um, é vc quem tem que saber o que te faz feliz! Ser mãe não é segredo de felicidade, morro de medo de quebrar a cara o dia que os filhos vierem!

  169. #308
    Lorena Suhett
    01.12.2014 - 17:17

    Me vi no início do seu post. Meu objetivo de vida sempre foi a profissão. Nunca fui chegada a bebês e não me via educando uma criança, assim como tb não me via casada (eu achava que não ia casar).
    Mas aíiiiiii… eu namorei uma pessoa incrível que me fez ter vontade de dividir a vida (e o espaço físico). Ainda sim, não conseguia enxergar uma criança na minha rotina. Sempre fui muito egoísta para abrir mão das minhas coisas.
    Mas aíiiiiii… Veio uma vontadezinha (aliada à pressão da idade, confesso) e engravidei. Eu, que achava que gravidez era um fardo, curti minha barriga, meu trabalho de parto e hoje, tenho minha lindeza de 7 meses. E posso falar? Já não lembro mais como era minha vida antes!
    É claro, tudo tem seu tempo. E as coisas no seu tempo são mais gostosas. Curti a vida à 2, viajei, etc. Mas hoje curto nossa vida à 3 e quiçá à 4. 😉

  170. #309
    01.12.2014 - 17:18

    Oi Cony! assunto complicado esse… Mas eu acho que quando existe a convicção da mulher não querer ser mãe, beleza! Esquece os padrões da sociedade e seja feliz! O problema é quando você percebe que é tarde demais para decidir, pois o relógio biológico já decidiu por você… é o meu caso, pois tenho 41 anos, casada tentando engravidar desde os 36 anos… Ah… e essa história de que hoje vc pode congelar os óvulos, e deixar para ser mãe lá na frente, infelizmente não é tão simples assim como a mídia vende… Só quem passa por fertilização in vitro sabe como é difícil para uma mulher madura conseguir sucesso nesse tratamento.
    Então baby, o que eu posso dizer para as mulheres que pretendem ser mães, não esperem chegar aos 36 anos, e para aquelas que estão seguras na decisão de não ter filhos, sejam felizes assim. E pode ter certeza: com filhos ou sem filhos a felicidade existe da mesma forma! bjsss

  171. #310
    Maria
    01.12.2014 - 17:20

    Minha gente,óbvio que é uma decisão de cada um ter filho ou nao,eu inclusive estou pensando sobre isso,mas vcs acham normal quando veem um filho que não ajudaos pais pela questao da idade e consequentemente da saúde? Pode ser que eu esteja com um pensamento dos anos 20,mas o que for possivel eu quero fazer pelosmeus pais,para que eles nao passem necessidade ou sofram por carência

  172. #311
    isabela
    01.12.2014 - 17:23

    Eu sou mãe de duas liiiiindas menininhas uma de 3 e uma de 6! Amo ser mãe e sempre quis ser mãe…Inclusive demorei muito pra engravidar da primeira vez e fiz até tratamento pq era um sonho!E se não fosse mãe não seria completa! Sou muito, mas muito mais feliz mesmo depois delas! Mas criança dá um trabalhão…rs…tem que querer muito, mas muito mesmo! A gente se doa demais, mas isso não significa pra mim que é se anular como muitas disseram ai… Ser mãe pra mim veio somar e é exatamente aquela historia de “padecer no paraíso”…maravilhoso, porém exige renúncias, ainda que temporárias…O importante é ser feliz! Não importa se com ou sem filhos! Se não tem vontade não tenha! Pq a vida muda muito mesmo depois deles… No meu caso, foi pra melhor! E o legal é ter um parceiro na mesma sintonia…

  173. #312
    Emanuelly
    01.12.2014 - 17:25

    É complicado, toda mãe vai dizer que é extremamente feliz com seu filho, que não se arrepende (mtas cores, balões e arco-íris). OK.

    Assim como é OK não querer ter filhos. A maioria não entende que maternidade não é pra todas as mulheres. Acho que nunca foi uma coisa natural pra 100% delas, no entanto, pela cultura que todos conhecemos, a grande maioria segue a maré. Isso tem mudado mas ainda é um susto.

    Tenho 31 anos e não quero ter filhos. Nunca me imaginei grávida, sempre sinto uma leve náusea quando penso nisso, pra ser mais franca. Mas não descarto uma adoção futura (quem sabe, talvez).

    Não sinto necessidade de procriar, de continuar minha linhagem, de ter juniores e mini-me por aí.

  174. #313
    Cáritas
    01.12.2014 - 17:32

    Eu sempre digo que sou honesta o suficiente pra assumir que não quero me doar pra alguém e preferi dizer não à maternidade. Me casei super jovem, com 19 anos, mas a condição pra casar foi não ter filhos. Desde o início de namoro fui sincera e deixei claro que não tinha a intenção de ser mãe e que isso não iria mudar. Ele topou.
    Em janeiro faremos 17 anos de um casamento como muitos, cheio de momentos difíceis, mas também cheio de alegrias.

  175. #314
    silvia hahne
    01.12.2014 - 17:42

    Não tive filhos por escolha e coloco no passado, pois meu relógio biológico já acabou.Até hoje não tive arrependimento algum, pois sou ótima companhia para mim mesma e quanto ao futuro, “quem vai cuidar de mim?”, o investimento seguro, com o qual poderei morar em uma boa casa de repouso. Sempre achei e acho crianças muito fofas, mas…na casa dos outros, não levo jeito. Penso que filhos não são a solução para a felicidade, mas a felicidade real de quem realmente está preparada para tê-los. Beijos

  176. #315
    Ana
    01.12.2014 - 17:46

    Chocada com essas pessoas que falam que não querer ter filhos é egoísmo. É uma decisão pessoal. Como vc pode ser egoísta com alguém que nem existe?? Acho que essa geração de mulheres que não querem ter filhos nada tem a ver com egoísmo e sim com a possibilidade de novas escolhas. Hoje em dia podemos morar só, trabalhar, viajar e adiar a maternidade ou mesmo não optar por ela. E isso é maravilhoso. Ter filhos pq acha que vai ter alguém pra cuidar de vc na velhice isso sim é egoísmo! Minha mãe tem amigas mais velhas que nunca tiveram filhos e que não reclamam de solidão. E, se um dia vc quiser ter filhos e o relógio biológico não mais permitir, adote! Vc pode ser mãe com 100 anos se quiser!! |Tenho alguns amigos que foram adotados e suas mães sempre foram muito abertas com isso! E são FELIZES e suas famílias são felizes!! Chega de julgamento (como vi tantos por aqui!) nossas vidas são feitas de escolhas e todas merecem ser respeitadas! Não acho que seja mais difícil criar um filho hoje do que antigamente… Acredito que cada época tem as suas dificuldades! E no mais vamos respeitar as decisões dos outros minha gente! Quer ter filhos tenha! Não quer, não tenha! Mas pelo amor de Deus, não vamos nos julgar umas às outras. Já perceberam o tanto te motivos pelos quais as mulheres são julgadas??? O cabelo, a unha por fazer, os kilos a mais ou a menos, a carreira que avança rapidamente (aaah é pq “deu pro chefe), é a que decide não trabalhar e ficar em casa (aah é preguiçosa). A sua felicidade é sua responsabilidade! Eu não tenho decidido se quero ou não ter filhos e, enquanto eu não souber bem o que quero, farei de tudo pra evitar! Se algum dia eu quiser e a natureza não mais permitir, adotarei! Um filho não precisa sair do meu ventre pra ser MEU FILHO. Um filho pode nascer do coração também! Sempre tive isso bem claro pra mim! E no mais: respeito pelos outros sempre!! E responsabilidade sobre as suas decisões!!

    • #316
      Dani
      01.12.2014 - 18:20

      Nossa ana, se lá em cima eu já elogiei os comentários da ju e alessandra, o seu preciso aplaudir!!! concordo com cada palavrinha, não poderia dizer melhor!! perfeito!! penso como você, ainda não sei se quero ou não ter filhos, mas nao entendo como essa pode ser uma questão pra tantos julgamentos e preconceito entre as próprias mulheres…

      e filho não é só aquele que sai do ventre mesmoooo, quem nao entendeu isso ainda, tb não sei se entendeu toda a questão da maternidade…

      ainda existe muito preconceito nesse mundo, e só com respeito as decisões alheias podemos mudar um pouquinho disso viu… e a mulherada pre-ci-sa se unir mais. parar de mandar na vida da outra e cag..r regra.

  177. #317
    Vanessa
    01.12.2014 - 17:50

    Ai que dificil este assunto. Vou compartilhar um pouco da minha historia.
    Nunca quis casar e ter filhos. Acho que por ser filha de pais separados e saber das frustacoes (por mais que ela nos ame) da minha mae por ter tido filhos muito nova (22 anos), alem de querer focar na minha carreira. Sempre soube tbem que isto aconteceria naturalmente, mas nao era o meu grande objetivo na vida.
    So que aos 19 anos conheci meu marido e nos casamos quando eu tinha 26. O nosso casamento eh excelente, nos damos mto bem, curtimos mto. Ja morei na Alemanha durante um tempo sem ele (depois de casada, com o apoio dele) e atualmente moramos nos EUA pq eu fui expatriada. Viajamos mto, conquistamos muitas coisas e temos uma vida excelente.
    Desde que casei, obviamente, rola a pressao pra que eu engravide, mais da sociedade e da familia dele. A minha familia sempre me deu total apoio (apesar da minha mae agora estar louca por 1 neto).
    Quando estava com 31/32, comecei a me preparar para ser mae. So que descobri um cancer da tireoide e, com isto, a impossibilidade de engravidar por 2 anos. O fato eh que o prazo de 2 anos acabou este ano e estamos tentando desde entao. Descobrimos agora que meu marido tem baixa contagem de esperma e estamos comecando todo um tratamento (que pode levar a fertilizacao in vitro).
    Apesar de não ter o instinto maternal aflorado e achar que eu ainda tenho muitos anos pela frente, eu sinto culpada por nao ter tentado antes. Pq agora, aos 34 anos, os medicos ja tratam como “ultimos momentos”. Obvio, sabemos do avanço da medicina e de todas as possibilidades, mas eles se demonstram mto preocupados com a minha “gravidez tardia”.
    Eu acho que nunca estaremos prontas. Mesmo agora que eu quero e estou tentando, acho que nao estou pronta ainda e fico pensando se eh a hora certa. Penso no que quero fazer ainda, no que quero viver. Talvez eu enxergue a maternidade como um prisao e eu sei que esta errado, pq tem muitas maes descoladas por ai. Nao quero me tornar aquela mae monotematica que nao consegue controlar o filho (medo de pagar a lingua tbem).
    Enfim, fica o meu depoimento. Certeza, penso eu, nunca teremos.

  178. #318
    Maíra
    01.12.2014 - 17:51

    Cony, concordo e respeito sua opinião e de outras mulheres que não querem filhos.
    Sempre foi meu sonho ser mãe, desde que me conheço por gente! Meu marido também sonha em ser pai! Acho isso super importante: o parceiro estar de acordo com isso! Ninguém pode ser obrigado a viver com uma decisão da outra pessoa. Tanto uma mulher ser obrigada a ter filhos, por desejo do marido ou o marido não puder ter filho pois a esposa não quer (e esse é nosso poder, de engravidar ou não).
    Quando somos jovens agimos mais por impulso, com o passar dos anos acabamos pensando mais, pesando mais as “consequências”… Eu por exemplo, como eu disse, sempre quis ser mãe, mas hoje com 26 anos e recém-casada estou adiando, até arrumei uma filha, uma yorkshire para ir matando a vontade, pois tenho certos medos e receios que vc citou, mas a minha vontade ainda é maior que todos os medos, mas se eu tivesse me casado há 5 anos, com certeza já teria tido uns 3 filhos, não teria pensado muito…kkkkkk
    Estou me programando para ter daqui a dois anos, mas adoro a ideia que posso adiar mais se assim eu quiser, mas sei que serei mãe um dia. Hoje quero viajar e curtir mais, talvez coisas que terei que diminuir (ou não) depois com filhos!
    E não descrimino quem não quer! Respeito e apoio se precisar!

  179. #319
    fernanda
    01.12.2014 - 17:58

    Posso ser linchada pelo que vou dizer…tenho uma filha de 6 anos, amo demais, me ensina todos os dias a ser uma pessoa melhor, a ter PACIÊNCIA, rsrsrs Agora, se eu pudesse voltar no tempo, eu teria um filho novamente? A resposta é não, não teria. #prontofalei

  180. #320
    Kelly
    01.12.2014 - 18:12

    Eu ainda não me decidi, mas cada vez mais inclino por não ter também. Sei lá, acho que quero tantas coisas antes e que se tivesse um filho ele me exigiria uma dedicação que compatibiliza com meus planos. Isso na área do tempo e da grana.

    Beijos Conita 😉

  181. #321
    01.12.2014 - 18:12

    Daniela, 31 anos, sem a mínima vontade de ser mãe e FELIZ.

  182. #322
    Alice
    01.12.2014 - 18:15

    É de fato um alívio ler textos como este. Também nunca sonhei em ser mãe, sou filha única e nunca tive jeito com crianças, não tenho nem coragem de pegar um bebê de seis meses no braço, curto mesmo bicho, minba vida é tão corrida que não consigo enxergar como inserir uma criança nesse contexto, eu sei que para tudo tem um jeito, mas às custas do quê? Tenho medo de contabilizar uma dívida, impagável, de frustrações na conta de um filho. Mas como as pessoas pressionam, até minha chefe enche meu saco para que eu tenha um filho, isso me dá nos nervos, as pessoas se sentem no direito de opinar sobre algo que não lhes diz respeito, é a minha vida e a do meu marido, nós que temos que decidir…

  183. #323
    Lu
    01.12.2014 - 18:17

    Cony,

    Estava aqui lendo e pensando… Vc já percebeu como as pessoas sempre tentam convencer as outras de que as escolhas que elas tomaram são as melhores e mais acertadas? Sonho com o dia em que as nossas escolhas não incomodem mais ninguém, o dia em que cada pessoa cuide da sua vida e pronto.

    Seu blog é o melhor de todos, parabéns.

  184. #324
    Dani
    01.12.2014 - 18:17

    Cony, seu blog é de fato o meu favorito. Só aborda temas incríveis que tem tudo a ver com o que eu penso, parece que vc tem uma bola de cristal. Tenho 30 anos e não tenho filhos de sangue, mas tenho 3 cães que amo de paixão e de forma absurda. Dão um trabalho danado, mas tudo bem. Meu marido já tem 49 e também não tem filhos (com outras mulheres) e sei que ele tem vontade de ser pai, mas não me decidi ainda. A parte que não quer fala muito mais alto, porque de fato o mundo está muito LOUCO! Tenho pena de trazer alguém pra cá, acho uma loucura!A parte chata é todo mundo perguntando quando os filhos virão, isso é muito chato mesmo. Mas sabe de uma coisa… as pessoas falam: ”você não tem filhos? Não sabe o que está perdendo”. Aí nessa hora penso que estou perdendo as birras, as manhas, estou ganhando liberdade de viver minha vida sem me importar com a opinião dos outros. Que bom que você abordou esse assunto. Bjo grande!

  185. #325
    01.12.2014 - 18:23

    Oi Conny,

    Sempre leio seu site e gosto muito. Sou mãe e sempre quis ser mãe, era o meu sonho de consumo de vida!!! kkkkkk Mas suuuuper entendo quem não quer ser mãe, pq realmente tem que ter vocação. Ser mãe é se doar, desde a gravidez (já que vc engorda, se acha feia, deixa de comer besteira p não fazer mal ao baby, deixa de fazer exercícios físicos de alto impacto, etc), no parto (que seja normal ou cesária vai doer mais cedo ou mais tarde), no pós parto e resguardo, e pro resto da vida, já que nem de ir ao banheiro vc tem tempo, seja pra fazer xixi ou tomar banho!! Imagina viajar, ir ao cinema ou pra balada. Claro que a gente sempre arruma um jeito de fazer esses programas de q gostamos, mesmo sendo mãe, mas temos que nos desdobrar, ter babá ou deixar o bebê com o pai, avós, tias, padrinhos! É uma loucura, mas é MARAVILHOSO ser mãe. Porém, para quem gosta. Nem toda mulher tem a obrigação de ser mãe, nem de casar, nem de nada!! Somos livre e temos que buscar em nossos íntimos o que realmente desejamos, para sermos felizes!! Viva a liberdade de escolha!!! Faça o que seu coração manda e fique tranquila. Existem outros amores para você curtir, como os do seu namorado, pais, amigos, irmãos. Beijos!!!

  186. #326
    01.12.2014 - 18:28

    Sempre leio seu site e gosto muito. Sou mãe e sempre quis ser mãe, era o meu sonho de consumo de vida!!! kkkkkk Mas suuuuper entendo quem não quer ser mãe, pq realmente tem que ter vocação. Ser mãe é se doar, desde a gravidez (já que vc engorda, se acha feia, deixa de comer besteira p não fazer mal ao baby, deixa de fazer exercícios físicos de alto impacto, etc), no parto (que seja normal ou cesária vai doer mais cedo ou mais tarde), no pós parto e resguardo, e pro resto da vida, já que nem de ir ao banheiro vc tem tempo, seja pra fazer xixi ou tomar banho!! Imagina viajar, ir ao cinema ou pra balada. Claro que a gente sempre arruma um jeito de fazer esses programas de q gostamos, mesmo sendo mães, mas temos que nos desdobrar, ter babá ou deixar o bebê com o pai, avós, tias, padrinhos! É uma loucura, mas é MARAVILHOSO ser mãe. Porém, para quem gosta. Nem toda mulher tem a obrigação de ser mãe, nem de casar, nem de nada!! Somos livres e temos que buscar em nossos íntimos o que realmente desejamos, para sermos felizes!! Viva a liberdade de escolha!!! Faça o que seu coração manda e fique tranquila. Existem outros amores para você curtir, como os do seus pais, namorado, amigos, irmãos. Beijos!!!

  187. #327
    Jamahiriya Agio
    01.12.2014 - 18:34

    Tenho 23 anos ainda, não tenho aquela vontade louca de ser mãe ( até hj não sei nem segurar um bebê) e nem de de casar , minhas amigas estão tds loucas caçando um homem para se casar, e eu aqui nem ligando, elas simplesmente não se conformam com a minha tranquilidade, me cobram muito mais do que eu mesma, quero mesmo é ser independente e curtir a vida, conhecer lugares e pessoas, não quero nenhum filho me anulando. Tenho amigas que já são mães e casadas e por incrível que pareça são as que mais me apoiam, como minha avó teve meu tio com quase 40 anos e minha foi fértil até os 47, não tenho essa neura com relógio biológico. Desde criança sonhava em ser bem realizada e bem sucedida e nisso nunca se incluía crianças, minha mãe sempre foi meu exemplo de independência, saiu de casa cedo pq não queria se casar cedo como minhas tias que se casaram com 16 anos e nem depender de marido, acho isso loucura total, fico gelada só de pensar. Quando eu nasci minha mãe tinha 30 anos, sendo que com essa idade minhas tias já tinham 3 filhos. Respeito quem quer ter, mas ODEIO quando ficam tentando mudar a minha opinião e dizendo que eu ainda sou nova por isso penso assim e blablabla. Confesso tbm que não tenho muita paciência com crianças, adoro filho dos outros pq posso brincar com eles e devolve-los aos seus pais logo em seguida KKKK e não terei a obrigação diária de ter que cuidar deles. Maternidade é um dom e eu não o tenho, admiro quem tem, mas eu sou uma negação, melhor não ter do que ser uma mãe relapsa como muitas que conheço por ai, se um dia eu tomar a decisão de ser mãe quero ser bem mãezona mesmo sabe? Mas enquanto isso não vem, vou vivendo a minha liberdade como bem entendo sem amarras.

  188. #328
    Alice
    01.12.2014 - 18:37

    Tb ainda estou esperando a vontade suprema aparecer… mas juro que o que mais me perturba é pensar em passar “desta vida” sem viver essa experiência…

  189. #329
    Liliane Cavalli
    01.12.2014 - 18:38

    Olá Cony e todas as leitoras… Bom, acho que se eu lesse este post há dois anos atrás, super me indentificaria….Eu realmente nunca, nunca pensei em ser mãe. Não tinha o menor jeito, não era algo que queria para mim e também nunca fiquei pensando que a idade tava chegando e etc e tal. Estava casada há dez anos e levavamos uma vida que não nos permitia planejar um filho…mas quer saber o que aconteceu? O imprevisto… Engravidei, surtei, desmaiei, ri, chorei… Tenho 35 anos, meu filho está com 1 ano e cinco meses e posso te garantir que mesmo que a vontade não apareça, mesmo que nada parece ser o que realmente queremos, se acontecer algo assim, acredite, tudo se ajeita, aprendemos, nos adaptamos e acabamos por ver que o instinto maternal fica guardado dentro de cada mulher e ele aparece na hora que tem que aparecer.

  190. #330
    01.12.2014 - 18:40

    Amiga,
    Já estou achando que vou por esse post no DQF da semana que vem!
    Genial.

    Eu não morro de vontade de ter filhos hoje, mas queria ter um dia. Se o corpo permitisse/permitir queria ter com uns 45 anos.

    Eu me enquadro num outro grupo, naqueles que querem ter filho mas tem medo de não ter finanças para dar tudo do bom e do melhor. Cada dia que passa uma boa escola custa mais caro e o salário não sobre igual, sendo assim fico MUITO desperada de por uma criança no mundo e não proporcionar a ela tudo que me foi proporcionado.

    Meu namorado sonha em ter filhos e como tenho essa vontade para o futuro eu tenho essa expectativa com ele, mas cada dia que passa achamos que isso vai ser MAIS para frente e dificilmente teremos vários. Afinal, pra gente ta tudo muito caro e a gente quer viajar o mundo, levar uma vida leve, diferente da dos nossos pais que trabalharam todos os dias sem parar para dar para os filhos o melhor.

    Pra mim é controverso e por isso hoje não posso tomar nenhuma decisão.

    Quando eu era nova sonhava em ser mãe, hoje tenho real pavor disso, de qualquer forma acho que uma hora o jogo vai virar e eu vou querer muito. Tenho essa sensação. Só não acho que vai ser antes dos 35 de jeito nenhum.

    Acho que não serei julgada nesse post né?

    • #331
      Alessandra
      02.12.2014 - 09:03

      Jo,
      Eu vou mais além no seu comentário. Só tive um filho depois que cheguei num ponto da minha carreira que eu, SOZINHA, posso cuidar muito bem dele. Relacionamentos vem e vão, hj sou casada com o pai dele mas e se amanhã eu não for? Não quero depender de pensão de ninguém..
      Por mais chocante que possa parecer, eu penso assim.

  191. #332
    01.12.2014 - 18:50

    Fiquei com vontade tb de ver o que diria quem não teve pq não quis lá para os 60.
    Confesso…

  192. #333
    Paloma
    01.12.2014 - 18:59

    bom, tenho 20 anos e estou gravida, nao queria e nao quero ser mae agora.. meu remedio maldito falhou.nao me vejo mae. mais em fim… respeito totalmente a decisão de quem nao quer. a final temos o livre arbitrio.

  193. #334
    Sandra Fernandes
    01.12.2014 - 19:04

    Nao querer e nao ter filhos nao e feio e nem tao pouco e pecado, rss

    O que nao pode e impor este desejo ao parceiro, e assunto que tem que ser muito discutido e negociado com namorado, noivo e entao marido.

    Porque ja vi muitas mulheres impondo esta escolha ao parceiro e acho muito injusto.

    Tb nao tive filhos e nunca quis, mas devemos considerar os desejos do parceito

  194. #335
    Fernanda
    01.12.2014 - 19:12

    Gente, mãe é programada biologicamente para amar o filho, é instintivo, “normal”. Obvio que depois de ter você vai amar… Tem gente que se encontra com isso e tem quem não. Independente disso, que a escolha das pessoas não seja pautada no “quem vai cuidar de mim” ou coisas do gênero, que imputam responsabilidade no outro… gente… isso sim que é egoísmo! Colocar alguém no mundo com esse intuito. Pressão da sociedade, outro “wrong answer”. De qualquer forma, qualquer seja a opção, vão haver perdas e ganhos, paciência, a vida é assim. Seja feliz com sua escolha e não olhe para trás. beijossss

    • #336
      Alessandra
      02.12.2014 - 09:04

      Se mãe fosse programada para amar, nenhuma ABANDONARIA o filho no lixo, como muitas fazem.

  195. #337
    Andrea
    01.12.2014 - 19:23

    O que fazer quando você não tem a minima vontade e tem um marido que é louco pra ser pai??????

    • #338
      Maria
      01.12.2014 - 19:53

      Caso não tenham conversado antes,é melhor conversar pq.nesse caso alguém tem que ceder,só que é um assunto mto sério,vc tem que pensar se está disposta a ter um filho ou se não quer definitivamente,caso seja essa a opção,pare de se iludir e vá ser feliz sem filhos

  196. #339
    may
    01.12.2014 - 19:40

    Concordo plemamente. Quando a mulher é rica, tem dinheiro pra ter baba em tempo integral, motorista e empregada, é muito fácil ter filho mesmo sem ter vontade. Mas nós, meras mortais haha devemos pensar muito antes de tomar a decisão de pôr uma criança no mundo. A mulher jamais deve pensar que tem a obrigação de ser mãe pelo simples fato de ser mulher. A sociedade nos impõe que devemos ter não um mas vários filhos. É assim no ocidente, no oriente, em todo canto! Quantas mulheres que não levam o minimo jeito pra serem mães vcs conhecem? Eu conheço um monte. Filho não é um boneco. Vai depender dos pais por anos a fio. É uma responsabilidade muito grande. E a mulher ou o homem que não deseja gerar uma criança, não é nenhum monstro, temos que saber respeitar a vontade alheia. Eu, com 24 anos, já reparei que tias perguntam quando vou casar e ter filho, pq mulher depois de 30 ta velha pra ser mãe. E eu respondo, num tom educado de ironia:vc vai me ajudar a noite a trocar fralda, dar mamadeira, cuidar dele pra eu ir trabalhar? Pq se for assim tenho o filho agora. Aí elas ficam caladinhas. Ah fala serio, desabafo. Me revolto com isso de gente querendo impurrar filho pros outros. Se lá pros meus 50, 60 anos eu me arrepender, não vou chorar e me desesperar. Simplesmente adotou uma criança abondonada nos orfanatos, que é o que se tem aos montes. Igual a gloria Maria. Não sei a idade dela pq isso é um misterio maior do q como as pirâmides foram construídas. Ela ta aí feliz, depois dos 60 adotou duas irmãs. Penso assim. A vida é feita pra se viver de momento. Se vc ta com 30, 40, 50 etc e não quer ter um filho, não tenha vergonha da sua decisão. A vida é sua. Vc tem que viver pra si mesma e não pra fazer o que a sociedade nos impõe.

  197. #340
    Amanda
    01.12.2014 - 19:41

    Nossa, eu me senti muito aliviada agora e feliz por não estar sozinha, porque eu não tenho NENHUMA, repito NENHUMA amiga que não tenha ou não queira ter filhos. Quando falo que eu não quero, muita gente me olha escandalizada. Tenho 24 anos, todo mundo fala “ah mas você vai mudar de idéia”… Isso me irrita demais, porque é como se eu não tivesse o direito de não ter filhos… as pessoas, principalmente as mulheres precisam ter a cabeça mais aberta e respeitar a opinião dos outros. Sem contar que, sinceramente, um dos fatores de eu não querer ter filhos é o fato de o mundo já estar populado demais, ter muita violência e estar decaindo cada vez mais… PRA QUÊ colocar mais gente no mundo? Enfim, essa é a MINHA opinião e fico feliz de não ser a única. Também não tenho jeito com crianças e nem paciência, mas respeito quem goste e queira ser mãe, só que isso não é pra mim!

  198. #341
    Fernanda Nakano
    01.12.2014 - 19:42

    Vejo que o problema de alguns comentários aqui não é ter ou não filhos, e sim, ser ou não feliz. Você pode e deve ser feliz sem filhos enquanto quiser, até se isso durar a vida toda! Assim como você pode ser feliz e em determinado momento sentir o desejo maternal e ser ainda mais feliz com seus filhos. Filho não é sinônimo de felicidade. Eu me sentia a pessoa mais feliz do mundo com a minha vida, meu casamento e meus dois cachorros. Decidimos ter um filho e hoje me vejo ainda mais feliz, como nunca pude imaginar. Estou tbm muito mais cansada, claro. Mas a felicidade que eu vivia só aumentou, hoje transborda. Parece clichê, mas quem não é mãe não conhece esse sentimento, mas tbm não significa que não transborde de felicidade 😉 Por isso insisto que o importante é a sua felicidade e realização pessoal!

  199. #342
    01.12.2014 - 19:44

    Eu quero (muito) ter filhos, e, justamente por saber do quanto precisarei abrir mão, esperei o momento certo para decidir tê-los. O que me faz querer ter filhos é exatamente a tarefa de cuidar e educar, de me por em décimo lugar para colocá-los como prioridade máxima. E acho que isso faz com que entenda com perfeição a decisão de não ter filhos. Tenho amigas que não querem e procuro oferecer o máximo de apoio, porque sei o quanto são julgadas. Então, mulheres que não querem ter filhos podem se sentir compreendidas também por quem quer muito, viu?

  200. #343
    Karina
    01.12.2014 - 19:47

    Sou casada, tenho dois filhos. Quando engravidei do primeiro filho tinha 5 anos de casada. No fundo eu sabia que um dia seria mãe, mas não tinha planos, minha vida era ótima. Meu marido e eu vivíamos uma lua de mel. Pensava lá pelos 40 anos. Aos 30 me descobri grávida de dois meses. Eu já tinha aproveitado muito minha vida, nos 5 anos de casada eu já tinha morado fora do país, feito mestrado e doutorado, viajado horrores no Brasil e curtido muito o meu casamento. Fiquei com uma felicidade, como se fosse o melhor dia da minha vida. Logo eu, que não me imaginava sendo mãe… No final, meu filho escolheu o dia, eu não o teria feito sem sofrimento. Como já havia aproveitado muito, não sofro em me dedicar totalmente a eles, muito pelo contrário. Daqui a pouco eles crescem e terão sua própria vida. As pessoas cobram muito, mas é melhor não ser mãe a ser uma mãe ruim. Cada um define as suas prioridades, depois só a pessoa vai viver aquela vida. O que é bom para mim pode ser péssimo para o outro. Só acho meio triste alguém dizer que não GOSTA, que tem RAIVA de crianças. Como é que a humanidade vai lidar com isso, se não houverem mais crianças no mundo? Acima de tudo, acho que tudo na vida merece respeito. Respeito com quem não quer filhos, respeito com quem quer ter filhos e principalmente respeito com as crianças que vão ser os próximos adultos. Um abraço a todas.

  201. #344
    kAROLINE
    01.12.2014 - 19:50

    Seria ótimo se as pessoas parassem de se meter nas nossas decisões né mesmo?
    Eu apesar de ter só 24 anos me identifico muito com que vc escreveu… e sabe o que dá mais raiva? Ouvir comentários do tipo “Ain vc tem q achar o homem certo” “ain mas vc vai mudar de ideia” ai pq isso ai pq aquilo… Cansa sabe?! Emfim…algumas de minhas amigas foram mães lá pelos 20/21 anos e desde então não é o que quero p/ mim.

    Bjos Cony e boa semana!

  202. #345
    Silvia
    01.12.2014 - 19:54

    Caramaba é tanto comentário que nem deu para ler todos – estou de saída mas precisava deixar o meu recado.

    Seguinte, BALELA que homem pode ter filho quando quiser! A medicina já provou que os espermatozóides também envelhecem e que a qualidade dos mesmos decaí com os anos. Então toda aquela culpa que a gente carrega de ter filho doente pq é “velha”? Não é só nossa, é dos dois! Então não, eles não são tão infalíveis assim.

    Outra coisa, na verdade, de acordo com o meu Gineco, faz mais diferença o seu histórico familiar e os seus hormônios, do que qts anos tem o óvulo ali. Pq a verdade é que nós vamos morrer com vários ainda que nunca vão chegar a maturidade. A questão do óvulo é ser capaz de tornar o folículo um óvulo e nisso que entram os hormônios. A idade dele não chega a fazer muita diferença não. Sem falar que a maioria das mulheres hoje toma pílula ou hormônio, o que evita a ovulação, por consequência aumentaria o nosso “estoque” de folículos.

    Bem, meu objetivo aqui não foi assustar ninguém, mas lembrar que a infertilidade ou baixa fertilidade com a idade NÃO é um problema só feminino, então vamos parar de carregar mais essa culpa!

    Eu tenho 5 anos de casada, 11 1/2 de namoro, quase 33 anos e não faço ideia de qdo eu vou querer ter filhos. Me cuido, vou ao médico e converso muito com o meu marido sobre o assunto. Já ouvi de pessoas que se eu não der um filho para ele, ele vai ter com outra, vai terminar comigo e essas coisas simpáticas que as pessoas dizem. A verdade é que NINGUÉM sabe do que vai acontecer comigo amanhã – esse ano eu tinha feito grandes planos para 2015 e tive que joga-los fora – pq cismam em saber do que vai acontecer com o meu casmento? ARF! Siga a sua vida e seja feliz, se um dia a vontade bater, você vai dar seu jeito, simples! Congelar óvulos ainda é caro e um processo complexo (mto hormônio) mas se você tb tem curiosidade sobre o assunto, conversa com o seu médico. Eu conversei com o meu e ele disse que não via necessidade para isso agora. E gravidez tb é mais que um óvulo, né?

    Beijos e parabéns pelo post! É preciso ter muita coragem para falar tão abertamente desse assunto, obrigada!

  203. #346
    01.12.2014 - 19:57

    Assunto muito interessante e pertinente! Quase me identifiquei com você, exceto pelo fato de que amo crianças e me dou muito bem com elas (mas não precisam ser meu filhos para eu amar). Eu e o marido pensamos muito e seriamente em não ter filhos. Nós dois nos completamos e somos muito felizes assim. A dúvida veio e foi algumas vezes e esse ano, após 7 anos de casados, resolvemos dar uma chance à natureza e ver o que aconteceria. Se não engravidássemos, não teria problema nenhum. Conclusão: o baby resolveu vir no primeiro mês e daqui a pouco nascerá. Super respeito quem toma a decisão de não ter filhos e considero que é preciso muito mais coragem para tomar essa decisão, do que tentar ter filhos. Contei um pouquinho do meu processo nesse post: http://www.nynoblog.com/2014/07/ligeiramente-gravida.html E hoje bateu um medo danado do que vem pela frente e resolvi escrever um pouquinho nesse post: http://www.nynoblog.com/2014/12/dezembro-chegou.html

    Como escrevi lá, ainda é estranho pronunciar as palavras “meu filho” juntas, assim como me considerar mãe. Veremos o que vem pela frente. Depois te conto! Beijos!

  204. #347
    Gislaine
    01.12.2014 - 19:59

    Me identifiquei muito com a matéria. Eu tenho 35 anos e estou em cima do muro. Já fiz minha faculdade, já comprei meu apartamento, mas sou muito insegura em relação à maternidade. Se eu tiver um filho, tenho certeza que o amarei acima de tudo, mas tenho consciência que perderei a “boa vida” que tenho (acordar tarde, ficar de bobeira, sair sem restrições,blá-blá-blá). Por outro lado, sinto uma angústia muito forte, pois estou na idade que muitos consideram o limite para ser mãe. O que me impede também de tomar essa decisão é o meu relacionamento. Eu vivo em união estável há pouco mais de três anos, mas nos desentendemos demais. Tenho medo de o relacionamento terminar, e ficarmos com este elo “eterno” que é um filho. Adorei seu blog, mulheres muito inteligentes passam por aqui. Um beijo a todas as mamães e a todas as mulheres que não pretendem ser mães. O importante é saber viver!

  205. #348
    eva
    01.12.2014 - 20:07

    Cony….
    Bem , não sei se estou surpresa com este post,pois de fato ficava um pouco desconfiada do porquê você ainda não ter seus filhos ( não é nenhum julgamento , apenas uma curiosidade, por favor…não se ofenda)
    sabe,como uma leitora assídua do seu blog é quase impossível em algum momento não se sentir “íntima” e querer saber um pouco mais da vida da “amiga” que no caso é você
    Acho que o fato de muitas mulheres não querer ter filhos está um pouco associado a este boom que a internet proporcionou…
    Muitas mulheres hoje tem acesso a informaçoes sobre moda, beleza,blogs,it girls, moda fitness e tudo isto faz com que de fato o sonho de ser mãe não seja tão grande , entende?
    sou muito jovem ainda e SONHO (capslock apenas para enfatizar para você perceber o tamanho da vontade,rs) em ser mãe
    acho que hoje minha cabeça é completamente diferente da maioria daqui que está comentando
    eu penso muito em ter filhos , mas o meu pensamento é : quando tudo der certo vou ser mãe!
    vou trabalhar , estudar ,viajar para então dedicar o meu tempo depois de ter “vivido para mim ” o meu tempo completamente para o novo amor da minha vida , que será meu futuro bebê
    acho que filhos é a continuação de nossas vidas
    quero muito ver o fruto do meu futuro casamento crescendo , fazendo faculdade,namorando , passando pelas experiências da vida…
    acho que hoje a possibilidade da mulher se realizar por conta própria talvez tenha adiado a vontade de ser mãe
    não acho que as meninas que comentaram aqui não terão filhos
    acho que em algum momento a vontade vai bater , o pensamento vai mudar….bem , eu apenas acho
    sei que vai demorar muuuuuuuuuuuuuuuuito para eu ter filhos mas é algo que eu não gostaria de abrir mão ….
    Confesso que quando eu tinha 18 anos (hoje tenho 23) eu era muito rude quando ouvia que alguma mulher não queria ter filhos , mas o tempo foi passando e diante da internet eu comecei a perceber o porquê…hoje é muito fácil encontrar uma mulher feliz….e sem filhos!
    acho que realmente é uma opção de escolha e sempre de alguma forma haverá aquele debate ” ela não tem filhos , é extremamente egoista”
    ou ” Ainda bem que não tenho filhos”
    De qualquer forma acho que qualquer das opniões deve ser muito bem pensada e respeitada e aconselho as futuras Não-Mamães a guardar seus óvulos (se possível , é claro) e ir adiando a ideia….acho um pouco assustador algumas moças tão jovens já baterem o martelo sobre esta opção já que seus futuros maridos podem ter um filho como seu maior sonho
    Uma outra opção seria ter apenas um filho…
    bem…mas como disse é uma opção a ser muito pensada,acho muito válido posts como estes e o que fica nos nossos corações tendo filho ou não é a imensa vontade de ser feliz
    um grande bjo para você cony que sabe abordar de uma forma muito inteligente temas tão importante para a vida de qualquer mulher

    • #349
      Constanza
      01.12.2014 - 20:36

      Antes da internet eu já não queria filhos rs. Nunca tive vontade mesmo, na verdade tenho até certo pânico de gravidez!

    • #350
      Fabiana
      02.12.2014 - 14:00

      Nossa,quando percebi que eu nao queria ser mae, nem sonhava que algum dia haveria internet.

  206. #351
    Liza
    01.12.2014 - 20:11

    Nossa Cony, post maravilhoso, pq desculpa as mães condenam muito quem não quer ter, o que é absurdo, sinceramente, com tanta criança sem modos, sem educação, sem cultura no mundo não sei de onde vem tanto orgulho… “é maravilhoso ser mãe” mas o que estamos vendo aí não é uma juventude maravilhosa e bem criada, pais que realmente educam os filhos e os criam de verdade são poucos hj em dia e eu bato palma pra quem acha que não daria conta do recado e decide não ter… E nunca é tarde pra adotar, eu vejo gente falando de conhecidos que não tiveram filhos e se arrependeram, e a adoção? o que não falta é criança necessitada, conheço várias pessoas que adotaram e não se arrependem nem um pouco.

    E por fim ter filho não é sinônimo de cia e cuidados na velhice, trabalho em banco e o que a gente vê de filho explorando ou vivendo as custas dos pais idosos é incrível e isso me influenciou e muito… velhice deveria ser época de sossego e vou te falar a grande maioria não tem isso justamente por causa dos filhos, é cada coisa que a gente vê de dar dó… e mesmo os que não exploram, a falta de paciência é evidente.

    E é isso que vai me fazer me sentir completa? passo… dificilmente alguém vai se arrepender de ter um filho, mas eu passo mesmo. É como falaram lá em cima, que vida tinha uma pessoa que acha que tudo ganhou sentido depois que teve um filho??? a grande maioria dos meus amigos o tem filhos, mas graças a Deus nunca ouvi esse pérola de nenhum deles, todos eles aproveitaram a vida antes e depois dos filhos e nunca fizeram dos filhos a razão de toda sua existência.

  207. #352
    Jane
    01.12.2014 - 20:12

    Tenho 32 anos,e desde os 17 tenho uma certeza: ser mãe não é para mim. Não tenho a menor vontade de gerar uma criança,parir,muito menos cuidar de uma.Egoísmo?Pode ser,mas ter filhos não é sinal de altruísmo. Muitas vezes é apenas exercício de egocentrismo.
    Se vou me arrepender no futuro, não sei (e duvido muito),mas sempre poderei adotar uma criança.Agora,se tiver um filho e me arrepender,faço o quê? Nada. A solução seria viver frustrada e fingindo que levo a vida mais feliz do mundo, devido a uma escolha sem volta.Pra que arriscar minha felicidade por uma coisa que não quero?
    Há quem diga que não quer ter filhos porque prioriza a carreira. Outras dizem que é porque o mundo está superlotado. Tem a questão financeira. Medo do parto. Enfim, várias questões. Para mim,é tudo muito simples: eu não tenho a menor vontade de ter uma criança,cuidar de uma criança.Simples assim.E não me importo com os rótulos que me dão enquanto mulher que não quer filhos e assume isso,afinal,se eu tivesse, ninguém iria pra dentro da minha casa me ajudar a segurar as pontas com a criança. Quem quer ter filho,que tenha e seja feliz. Eu tô fora. E muito fora.

    • #353
      Nathaly
      01.12.2014 - 21:04

      Concordo.
      Mas uma coisa é: é triste o que a sociedade faz com a gente.
      Faz a gente se considerar egoísta por não querer ser mãe. É uma escolha, como qualquer outra, não é?
      Eu não chamo fulano de egoísta porque não quis fazer faculdade, academia ou frequentar a Igreja.

  208. #354
    Carol
    01.12.2014 - 20:18

    Cada comentário que me poupe….pra se sentir só basta educar filho errado, ser uma pessoa chata, ter o azar de ter filhos ruins e ainda, a incapacidade de fazer amizades. Sem contar ainda nas tragédias, pode morrer todo mundo e sobrar você….os argumentos em sua maioria para convencer determinada a pessoa a ter filhos são tão cheios de variantes que não são legítimos…se for assim melhor ter 20 filhos pra garantir cia até sua morte, eu hein. Pessoal, a felicidade é medida por momentos, óbvio que mães e não mães têm seus respectivos momentos de felicidades e tristezas….a melhor frase que define é “ser mãe é padecer no paraíso”. Se você tem esse desejo, essa vontade, você lidará melhor com os perrengues, se não tem e ainda for uma pessoa sem equilíbrio emocional, vai acabar descontando frustrações, mesmo que sem intenção, nos filhos…Ser mãe/pai é DOM, simples, filho se cria pro mundo….vejo também muito argumento de quem não quer ter filho no sentido de que o mundo está um caos, mas peraí, que tipo de filho vc tbm está criando ou pretende criar? Aqui vale a frase ” “Não se trata do que você vai deixar para seus filhos, mas dos filhos que você vai deixar para o mundo”. Arrependimento de atitudes que não causam mal a ninguém não existe, arrependimento vem de atitudes nefastas, medrosas etc. Se você escolheu não ser mãe, você vai viver com os prós e contras disso, sua vida se molda às suas escolhas…e o inverso também vale, se você escolheu ser mãe e seu filho na maior parte do tempo é um pentelho, em algum momento ele vai fazer algo que vai encher seu coração…o primordial é: faça suas escolhas com fundamentação idonea, o resto, faz como qualquer coisa nessa vida: pegue o limão faça limonada, caipvodka, torta etc

    • #355
      Nathaly
      01.12.2014 - 21:00

      Nossa, que legal o teu comentário!
      É como tu disse: ser pai é um dom, como tantos outros dons por aí… cantar, pintar… enfim.
      Tem uns que nascem com o dom e outros não! Infelizmente as pessoas confundem isso como obrigatoriedade. Exemplo: você não é obrigado a fazer aulas de canto, se você não nasceu com a voz!!

  209. #356
    Tati
    01.12.2014 - 20:23

    Sou que nem você, Cony, não tenho jeito com crianças e, pra ser sincera, nem gosto muito! Não sei, desde pequena, nunca tive vontade de ser mãe… Quando eu era criança, meus pais me perguntavam se eu queria ter meus próprios filhos, e eu sempre respondia que não, sem motivo mesmo, só não queria, e no começo eles achavam que era só conversa de criança, que não sabe direito o que estava falando. Hoje, que já sou mais crescida (tenho 19 anos), tenho certeza que ser mãe não está nos meus planos. Simplesmente não me vejo com filhos, não penso nem em casar (quanto a esse segundo caso, digo que não faço questão, se eu casar tudo bem, mas não é o meu sonho, assim como é o de muitas mulheres. Quero ter alguém pra compartilhar a vida, mas não necessariamente precisa ser meu marido, entende?). Só que meus pais continuam achando que quando eu estiver mais velha e todos os meus amigos estiverem engravidando, tendo filhos e etc, eu vou perceber que quero isso também. Não sei como fazer para convencê-los de que não é isso que eu quero, mas que isso não significa que minha vida será incompleta nem nada do tipo… Meus pais são bem conservadores, religiosos, querem muitos netos (tenho duas irmãs) e casamento na igreja!
    Acho lindo mulheres que tem instinto maternal, que sonham em ser mães, tenho amigas que dá pra perceber que serão mães maravilhosas, e acho que devem sim ter filhos! Em compensação, conheço mulheres que são mães e talvez não devessem ser, se é que me entende… Acho que é por isso que não podemos ceder às pressões da sociedade (e nem familiares), deve ser mãe quem realmente quer e se dedicará, sem arrependimentos, a isso! Eu não acho que seria uma mãe maravilhosa, lógico que se tiver filhos (sem querer rs) vou amá-los e cuidar bem, mas não tenho vocação e prefiro deixar isso para pessoas que realmente querem!
    Minha mãe é ótima, maravilhosa, é a pessoa que mais amo no mundo, abriu mão de muita coisa por mim e pelas minhas irmãs e sempre se dedicou muito a nós! Por isso entendo a frustração dela; ela imagina que eu não quero ser mãe pelo exemplo que ela me passou, fica triste, achando que não é uma boa mãe ou que eu vejo a vida dela e sinto que não quero o mesmo pra mim, mas não tem nada a ver com isso. São apenas vontades, escolhas diferentes da dela, assim como muitas outras que fiz.
    Fico muito chateada com o jeito que algumas pessoas encaram essa ausência de vontade de ter filhos. Muitas amigas minhas, parentes, pessoas conhecidas fazem cara feia, não aceitam, não querem nem ouvir quando digo que não quero ter filhos, como se isso fosse errado, pecado, crime… Argumentam, falando que uma dádiva divina, que não se conhece o verdadeiro amor até se ter um filho, que ter um filho muda sua vida. Não duvido de nada disso, respeito o desejo de cada um, mas simplesmente não quero! Um dos motivos pra eu e meu ex-namorado não termos dado certo é justamente esse, apesar de ser nova, já namorávamos havia algum tempo e desde o começo, quando éramos só amigos, eu falava, sem nem pensar que ele poderia vir a ser meu namorado, que ter filhos não era algo que eu queria, nem casar, e ele, pelo contrário, sonhava com isso, tinha jeito com crianças, gostava mesmo, quando íamos em algum lugar que tinha crianças, ele ficava brincando com elas, e eu ficava sem paciência em dois segundos. Ele não entendia, julgava, ficava bravo quando eu falava que não gostava mesmo, que não queria filhos. Isso que só tínhamos uns 18 anos na época, imagina se ficássemos juntos até chegar na fase dos 30! O maior medo dele era me pedir em casamento algum dia e eu falar não rs
    Enfim, é um assunto bastante delicado, e muitas pessoas parecem não entender e aceitar essa escolha né?

    • #357
      Isa
      02.12.2014 - 12:23

      Oi Tati! Precisei responder seu comentário!
      Tenho 34 anos, namoro há 9 e nunca tive sonho de casar muito menos de ter filhos!
      Meus pais são os melhores do mundo! São religiosos e conservadores e sempre me cobraram casamento na igreja e filhos! E sempre que eu dizia que não queria casar, eles ficavam muito aborrecidos comigo. Mas aí, infelizmente meu irmão mais velho faleceu há 5 anos num acidente! Passamos por todo o processo de luto e depois disso, meus pais mudaram completamente! Hoje eles falam que eu estar feliz é o que importa! Que a vida passa rápido e que podemos não estar aqui amanhã… portanto, que seu hoje seja feliz! Com ou seu casamento, com ou sem filhos… Ou seja, antes da morte do meu irmão, eles queriam o que achavam que era melhor pra eles (e pra sociedade) e hoje eles enxergam que quem tem que querer sou eu… e hoje eles simplesmente me cobram estar feliz e bem comigo mesma! Acho complicado quando os pais são religiosos como os nossos, pq a sociedade cobra mesmo… Bjo pra vc!

  210. #358
    Lúcia
    01.12.2014 - 20:23

    Tem gente que não quer ter filho por ser egoísta, por ter “Sex and the City” demais na cabeça oca, por ser ainda infantil demais, por não ter dinheiro ou por ser uma solteirona. Tem mulher que, se quiser ter filho, precisa ir no banco de esperma fazer um.

    • #359
      Constanza
      01.12.2014 - 20:28

      E tem mulher que sabe o que quer pra própria vida e não tem medo de decidir seu próprio futuro.

    • #360
      Gabriela
      02.12.2014 - 01:21

      E tem mulher que ter filho para arrumar um “serviço”, para arrumar um “marido”, para arrumar um “chifre”, enfim para arrumar o que fazer quando não sabe fazer nada bem.
      Meu, QUE IMBECILIDADE.

    • #361
      Dani
      02.12.2014 - 01:51

      Putzzzzz, que comentário mais besta! Fala sério, tem gente que simplesmente tem dificuldade em entender as coisas. Quem não quer ser mãe não deve ser criticado por isso. Infelizmente a sociedade é muito careta. Triste ver mulheres sendo caretas desse jeito…

    • #362
      Ilka
      02.12.2014 - 01:56

      Não entendi exatamente qual é o problema de ser egoísta…

    • #363
      Alessandra
      03.12.2014 - 21:03

      Nossa, Lúcia!

      Porque essa agressividade toda no seu comentário? Intolerância é algo tão perigoso, porque toda intolerância vem de algo muito mal resolvido e ao invés de procurar em si mesma o foco do problema, perde tempo fazendo comentários tolos.

      Uma mulher optar por não ter filhos te agride tanto assim para despertar toda essa ira?

    • #364
      Alessandra
      03.12.2014 - 22:31

      Lúcia, quando li seu comentário, inicialmente, achei que era uma piada do autor do blog da Cleycianne ( Diva do senhor).
      Ainda mais quando você usou a expressão “oca”.

  211. #365
    Maria
    01.12.2014 - 20:31

    Cony acompanho o blog todos os dias, mas nunca comentei. Porém, esse assunto é tão polêmico que resolvi passar a minha experiência. Tenho 34 anos e um filho de 1 aninho. Ser mãe nunca foi prioridade absoluta na minha vida e nunca tive grande afinidade com crianças ou animais. Sempre sonhei com uma carreira, em ser independente financeiramente, viajar, adquirir patrimônio. Porém imaginava que um dia teria filhos, mas nunca bateu aquela vontade de ser mãe. Conquistei a maioria dos meus sonhos, fiz viagens maravilhosas, organizei a minha vida e sem maiores pretensões resolvi engravidar. Tenho um casamento feliz, estamos juntos há 12 anos. E vou te falar que a maternidade é uma experiência INCRÍVEL, nada pode explicar como é, só vivendo para saber. Agora que sou mãe digo a todas as minhas amigas: tenham filhos, independente de ser casada ou ter marido. Claro que ter um companheiro para dividir as responsabilidades é maravilhoso, pois criança dá muito trabalho. Mas acho que nenhuma mulher devia perder a oportunidade de ser mãe. Pra mim se tornou ilógico uma mulher escolher não ter filhos.Equivale a escutar uma pessoa dizendo que não quer ter orgasmo ou contando que ganhou na loteria mas não quer o prêmio. Eu não sinto que estou abrindo mão da minha vida pela maternidade. Ser mãe é mais um dos meus papéis, assim como ser profissional, ser esposa, ser filha, ser mulher. Mas garanto, ser mãe é o meu melhor papel e o meu melhor trabalho. Me tornei ainda mais versátil e multitarefas. Eu trabalho muito, malho, sou muito vaidosa, cuido da pele, do cabelo e vou até colocar silicone em breve. Desde que meu filho nasceu já fiz 3 viagens, sendo 1 com ele. Repito que não é fácil, inclusive para o casamento. Não pode deixar o marido de lado. Mas organizando uma boa estrutura dá pra levar com certeza. As pessoas exageram um pouco e transformam em bicho de sete cabeças. Pensem bem, é INCRÍVEL, e nada substitui essa experiência!!

    • #366
      Tati
      01.12.2014 - 20:40

      É ótimo quando uma pessoa se torna mãe e se sente completa com isso! Sorte dos filhos, do marido, da família, da sociedade… Mas acho que é correto afirmar que nem todas as mulheres ficam tão satisfeitas, plenas e certas de sua escolha quanto você. Conheço pessoas que se arrependem sim de ter filhos, que não são pais presentes, que não se dedicam como poderiam, além dos inúmeros exemplos de pais que não tratam os filhos bem, pelo contrário.
      É bom ficar aberto a essa possibilidade, levar em consideração, mas eu tenho convicção de que eu não seria a melhor versão de mim mesma se tivesse filhos. Ficaria frustrada e acabaria “descontando” neles, obviamente que não os trataria mal, porém nunca seria uma mãe 100% dedicada. Simplesmente porque não tenho essa vontade, e não seria justo colocar uma criança (ou mais) no mundo por pressão de outras pessoas e não ser uma mãe incrível para ela.

    • #367
      Ilka
      02.12.2014 - 02:00

      Não entendo essa lógica ‘se foi incrível para mim vai ser incrível para você”. Cada pessoa é única, tem desejos e sonhos distintos. Que bom que você se encontrou na maternidade, mas daí a achar que todas as mulheres devem ter filhos vai uma distância imensa amiga.

  212. #368
    Paulinha
    01.12.2014 - 20:39

    Estamos em 2014!!!A vida é simples, pra que complicar? Quer ter filho tenha; não quer , não tenha. Caso se arrependa, é possível adotar (afinal, ser mãe e parir nem sempre dá na mesma).

  213. #369
    Alini
    01.12.2014 - 20:40

    Cony…você está certa!, eu tenho 34 anos 2 filhas e as amo muito, mas este mundo não está tão bom para por filhos no mundo não; escola é caro, plano de saúde é caro, sustentar esta cada vez mais caro, ainda mais no Brasil, se a gente não paga fica a merce desse maldito governo . Antigamente o povo aqui da minha terra dizia…onde come um comem dois; mentira!, hoje não come não…e além de tudo me separei e a responsabilidade do pacote ficou toda comigo!, estes caras que chegam aos 40 e trocam a gente pelas de 20…ainda bem que laquei ao 28(TE mandei o email ;)),e não me arrependo!, o que fazer com o nosso corpo tem que ser uma escolha UNICAMENTE NOSSA! Como disse eu amo minhas filhas, mas agora sozinha eu abri mão de muitas coisas na vida por elas…enfim, está feito e eu não posso mudar. MAS quem tem escolha; reflita muito!, este mundo não tá fácil não. Bj Cony.

  214. #370
    Nathaly
    01.12.2014 - 20:53

    Cony, tu não está sozinha.
    Tenho 20 anos “ainda” mas, não me vejo mãe nem daqui a mais 20.
    É uma coisa engraçada, na verdade, não é? Diversas pessoas questionando tua decisão, diversas pessoas tendo filhos na idade que tu tens e tu ali, sabendo que é “diferente”.
    Não é, gente. Ter filhos é uma mudança na vida da mulher que hoje em dia se tornou uma es-co-lha, enquanto antes, era obrigação. Essa transição na sociedade sempre vai ser polêmica. E toda essa complexidade externa e social influencia na cabeça daquelas mulheres que sabem que não querem ter filhos, mas ficam se questionando mesmo assim, porque é uma demanda social e por isso a gente fica se sentindo “estranha”…
    As pessoas tem de aprender a não tomar as coisas como “natural”, “normal” ou “necessário”. Isso não existe. Gera sofrimento para as demais e exclusão. Escolhas pessoais são embasadas na história de cada um, e cada história é uma história. Por isso, ser mãe não deveria ser dado como “natural” e sim opcional.
    É isso.

  215. #371
    jill
    01.12.2014 - 20:58

    Adorei ler o que você escreveu. Lembro que desde quando era criança falava que não queria ter filhos e todos diziam que eu iria mudar de ideia, mas agora, com quase 30 anos, não consigo sequer pensar na possibilidade de ter filhos. Mas o pior mesmo, é que moro numa cidadezinha pra lá de pequena e existe muita cobrança, minha família valoriza mais as minhas primas com filhos ainda morando e dependendo dos pais, do que eu que priorizei estudar e crescer na carreira. Por aqui, a maioria das mulheres já tão casadas e com seus filhos, e por isso é muito bom saber que tem muitas mulheres que pensam como eu. O mundo é muito maior do que apenas ser mãe.

  216. #372
    kele
    01.12.2014 - 21:11

    Nossa Cony, foi assunto de dar pano pra manga!!!! Admiro pessoas como você, pois assim são totalmente conscientes do que é ter uma criança. Amo meus filhos, mas me arrependo da maternidade ter batido na minha porta aos 26 anos. Gostaria de ter aproveitado mais a vida e curtido mais meu casamento. Acredito que ainda poderei fazer isso quando os filhos tiverem maiores. No momento, tenho que curtir a infância deles que passa muito rápido. Agora, quanto a você, aproveita bastante, pois não temos noção do que é liberdade sem filhos, só depois de tê-los é que percebemos que perdemos!!! Bjs

  217. #373
    Marilyn
    01.12.2014 - 21:36

    Cony, como me identifiquei com você! Tenho 29 anos, e nunca tive vontade de ter filhos. A pressão é enorme, até quem nem me conhece direito me “julga” quando digo que não quero ter filhos.

    Assim como não tenho vontade de ter filhos, não tenho vontade de casar na igreja. Todas as minhas amigas casaram ou sonham em casar de “véu e grinalda”, e me sinto uma alienígena em um mundo onde uma mulher só se sente completa quando casa na igreja e tem filho.

    Você também não tem esse lance de casar no religioso e tal? Acho que me sentiria melhor se soubesse que não sou a única a pensar assim rsrs.

    • #374
      Constanza
      01.12.2014 - 22:14

      Nadinha. Nem sei achar vestido de noiva uma coisa bonita…

    • #375
      Renata
      02.12.2014 - 11:06

      Marilyn, vc não é a única a pensar assim! Sou casada, mas não casei na igreja e tbm nao me vesti de noiva. Na verdade nem achava importante casar no civil ou na igreja, pra mim estar casada é mais um “estado de espírito” digamos, uma escolha mesmo, do q um pedaço de papel ou uma festa para 100/200 pessoas… Como a Cony, também não consigo achar vestido de noiva bonito… me sentiria um bolo de casamento dentro daqueles vestidos grandes e pesados! Tbm nao tenho vontade de ter filhos. Desde mto nova tinha vontade de ser mãe. Queria 4 filhos e hj não qro nenhum. Tenho uma turma de amigos que são mais velhos q eu… e todos já tem filhos e toda vez q os encontro com as crianças penso “se isso é ser mãe, se isso é ter filho, não quero isso pra mim”. Sempre digo isso ao meu marido. Eu amo minha profissão (advogada) e sei o qnto ela consome do meu tempo. O tempo q me sobra tenho q dar conta de mim msm, da casa e do marido. Somos muito felizes só nós, sem filhos. Amo dormir até cansar no sábado e tirar dias para fazer NADA nos finais de semana, simplesmente assistir filmes ou seriados o dia todo.. Não ter hora pra dormir, não ter hra pra almoçar fds, não ter hra pra sair pra jantar, poder ficar na cama o dia todo ou sair para um almoço gostoso e voltar pra ksa só a hra q cansar. Não gosto de pensar em planejar minha vida em função de uma segunda pessoa, seja ela qm for, marido, mãe, filho, cachorro, papagaio, periquito. Eu acredito plenamente que o amor por um filho deve ser algo absurdamente enorme e indescritível, mas e? Como disse a Cony, se não conheço não me faz falta. Por mais que digam que é bom ter um filho, sempre tem um “mas”… Do tipo “amo mto meu filho, mas como cansa ser mãe, mas não durmo uma noite inteira desde q ele nasceu, etc” e no fim td se justifica “pq é algo q não tem como descrever, pq minha vida faz sentido com meu filho”… Não sei.. talvez tenha traumatizado um pouco pq tenho amigas q não são boas mães e as crianças se tornam um pé no saco. Mas daí penso “e se EU não for uma boa mãe meu filho tbm vai ser um pé no saco”, mas dai vai ser MEU. Não vou poder ir pra ksa qndo cansar de uma criança fazendo birra, pq no caso é a “minha criança”. Não sei se qro me dedicar não, sinceramente. E para as pessoas que veem a ausência de vontade de ser mãe como egoísmo, não entendo qual o problema de ser egoísta… Independente de ser egoísmo, hedonismo ou o nome que se quiser dar, é melhor NÃO ter um filho em caso de dúvida, do q ter e criar o filho pelos cantos, deixando pra vó criar, pra tia trocar a fralda, pra madrinha dar banho aos finais de semana, enfim..

  218. #376
    Liza
    01.12.2014 - 21:48

    Olha Cony, não acho que seu blog seja o mais visitado do Brasil, mas seria capaz de apostar que é o que recebe mais comentários das leitoras, tá difícil ler tanto comentário rs alguns bem imbecis diga-se de passagem, mas querendo ou não, pelo menos a maioria respeita a opção de cada um.
    Sucesso!

  219. #377
    Carolina Frare
    01.12.2014 - 21:54

    Cony, vc é uma das minhas melhores amigas, mas até hoje não sei quantos anos vc tem….. Conta pra mim?

    E super concordo com vc. Tenho 34 e “cruiz credo ave maria treiz veiz” de ter filho. E sou taaaaao pressionada… Pressão do tipo “vc vai mesmo deixar teu pai morrer sem ter o prazer de ter um neto?” Puxa vida, vou, viu? :/

    Obrigada por compartilhar isso com a gente. Monte de gente se sentiu melhor, eu tb!
    Beijoca

  220. #378
    celia
    01.12.2014 - 21:57

    Cony, que polêmica né! fui mãe aos 22 e 28 anos, meus meninos tem 15 e 21 anos, eles são saudáveis, o + velho faz facul e trabalha o dia todo, o + novo só estuda por enqto, ser mãe é gratificante mas é bem difícil, é uma doação eterna. Se você não se sente a vontade com isso, simples, não tenha, será feliz igualmente, minha irmã é casada há 24 anos, optou por não ter, as pessoas acham que ela não pode ter, pode isso?? porque não imaginam alguém não querer ter, e ela é feliz tbém.

  221. #379
    Carolina Frare
    01.12.2014 - 21:58

    Só pra vc não me achar muito louca, o “vc é uma das minhas melhores amigas” foi um outro jeito de dizer “leio teu blog todos os dias, sou tua fã, vc é demais!” Kkkkkkkk
    Beijos

  222. #380
    Veronica
    01.12.2014 - 22:01

    Posso curtir 1000 vezes??? Esse assunto assombra minha vida diariamente. Tenho 32 anos, 8 anos de casada, e até hoje não bateu a menor, a minima vontade de ser mãe! Não me vejo abrindo mão de várias coisas que amo fazer para ficar “engaiolada” por causa de filho. E também penso que quem diz que só depois que tem filhos que começa a ser feliz, deve viver em função dos outros e não a propria vida. Minha mãe sempre foi assim, viveu a minha vida e a da minha irmã, e depois que nós duas casamos, ela teve que recorrer a terapia para conseguir sair da depressão por ter “perdido” as duas filhas pro mundo… Então é isso, ainda não bati o martelo sobre ter ou não filhos, mas se eu tivesse que tomar essa decisão hoje, seria não ter!!! Cony, fiquei feliz por você ter abordado esse tema que raramente a gente vê sendo discutido! Bjs lindona!

  223. #381
    Barbara
    01.12.2014 - 22:05

    Tô nesse time aí, Cony! Não me vejo como mãe de jeito nenhum!!! Estou com 27 anos e me casarei no ano que vem, mas eu e meu futuro marido não pensamos em ter filhos tãoooo cedo! Não sei se essa vontade vai surgir… já até combinamos de congelar meus óvulos caso, lá pelos 33 anos, nós ainda não tenhamos nos decidido se teremos filhos ou não. Nunca pensei que seria uma mãe “velha”, já que minha mãe me teve aos 42 e eu detestavaaa não ter uma mãe jovem, como minhas amigas tinham. Mas acho que seguirei os passos da minha mãe, isso se eu decidir ter um bebê, pq até agora essa ideia parece estar beeeem distante ou até inexistente!

  224. #382
    Adriana (FL)
    01.12.2014 - 22:09

    Bom, se alguém está computando “qual grupo está ganhando”, a minha posição é: tenho 13 anos de casada, 36 anos de idade e nenhum filho. Penso em ter filho no futuro: NÃO; Se sou feliz? MUITOOOOO!

  225. #383
    Daiane Coutinho
    01.12.2014 - 22:17

    assunto complicado hahaha!

    Tenho 25 anos e já pensei que não queria ter filhos…
    Agora ja quero, porém o tempo esta passando rapido e tenho muitooooss sonhos a frente!

    Complicado demais essa análise

  226. #384
    Izabel Soraia
    01.12.2014 - 22:40

    Fico triste ao ver com as pessoas são capazes de julgar as outras.

    Eu quero muuuito ser mãe e é claro que por esta ser a MINHA vontade as vezes é difícil entender o outro lado, mas penso, se a mulher não quer ter filho vai se realizar de outras formas.
    Mas já vi gente falando que toda mãe que fala que é feliz está mentindo, que a mulher morre um pouco, que é uma Amélia frustrada, e outras coisas de uma forma totalmente pejorativa, hj em dia a pessoa não pode nem falar que é feliz que é apedrejada, veja bem, não tem nenhuma relação com seu texto que está ótimo, é mais com relação aos comentários mesmo, não só aqui mas em outros textos semelhantes que já li.

    Mas voltaaaando kkkk, se a pessoa não sente, não tenha, e uma coisa que sempre falo, se vc for se importar com o que outros falam vai morrer infeliz, porque se tem filho falam e se não tem falam tmbm kkk então faça apenas o que tem vontade, e ficar se martirizando com o futuro, tipo, será que vou me arrepender? quem vai cuidar de mim? é bobagem, pois consome a felicidade de agora e a do futuro tmbm. 😉

    • #385
      Fran Braga
      02.12.2014 - 13:22

      Ei, querida! Concordei que as respostas nos comentários estão meio agressivas com quem deseja ser mãe, ou já é feliz sendo! Se não concorda, gente, acho mais pacífico silenciar, rs. Isso é sinal de respeito! Já que cada mulher pode ter sua opinião, né?!

  227. #386
    luana G.
    01.12.2014 - 22:49

    Vivi intensamente esse conflito do ano passado pra cá, dos 36 para os atuais 37 anos! Infelizmente esta é uma decisão que tem limite de tempo pra ser tomada. Eu se pudesse teria adiado a decisão por mais dez anos! A decisão de não ter filhos também é difícil e, como toda decisão, implica perdas, mesmo que seja de algo que agora você tem certeza que não quer. Eu tenho uma pessoa próxima que é uma profissional bem sucedida, que viajou mto, teve namorados legais e optou por não ter filhos. Hoje ela tem mais de 60 anos e me disse que se arrependeu de não ter tido filhos. Disse que qdo a vontade chegou, não dava mais. E completou “nunca ouvi ninguém dizer que se arrependeu de ter tido filhos, mas já ouvi pessoas dizerem que se arrependeram de não ter tido”. Enfim, me deu mto o que pensar. Mas, como eu disse, a decisão de não ter filhos não necessariamente é fácil e cômoda. Quanto a mim, após ler e escutar do meu médico que engravidar depois dos 35 anos não é tarefa tão fácil, deixei a escolha à cargo do destino. Resultado: engravidei poucos dias depois! Após o susto, o medo das mudanças fisicas e da própria vida, e pensar”o que foi que eu fiz?”, estou me acostumando a idéia de aprender a ser mãe! E acho que não vou me arrepender! 😉

  228. #387
    Anita
    01.12.2014 - 22:53

    Quem ta dizendo que não se privou de coisas e viagens na vida após a maternidade. é porque acaba deixando os filhos com outros. Tem muita gente que é mãe e so ve o filho na hora de dormir.

    • #388
      Luciana
      02.12.2014 - 09:48

      FATO!!! Impossível não se privar de algo, simplesmente impossível! É como comentei acima, há o ônus e o bônus. Todas as escolhas se baseiam nisso. Se perde de um lado, e se ganha de outro.

  229. #389
    Mariana
    01.12.2014 - 23:06

    Hola Cony,cómo estás? me tomo el atrevimiento de escribirte en español ya que soy uruguaya, vivo en montevideo, pido disculpas pues mi portugués es muy malo en escritura. Por primera vez en muchos años que te leo tuve ganas de comentar. El tema que tocaste me llego profundamente, lo vengo hablando muy seguido con mis amigas que no tenemos hijos. Tenemos 35 años, la edad justa y tardía para tener hijos.Estuve 7 años en pareja y hoy hace 4 estoy soltera, mi ex quería hijos y no nunca encontré el momento. Hoy no sé si seré madre ya que no tengo pareja, pero soy feliz. Tengo un trabajo que me gusta, me va bien, tengo muchas amigas solteras para viajar y salir. Mi trauma siempre fue tener familia chica y sabía que si algún día tenia hijos quería varios. Pero con los años me fui dedicando a mi carrera y entendí que puedo ser feliz sin pareja y sin hijos. Y es como me encuentro hoy, no sé que ira a pasar en el futuro pero sí sé que no voy a hacer lo imposible por tener hijos como ser madre soltera; para mi un hijo es de a dos. Veo a tantas mujeres infelices con hijos, desviviéndose por ellos, trabajo y marido; y deseando tener otra vida, en fin siendo infelices que eso me torturaría. Pensé también en congelar óvulos pero el tratamiento de tanta carga hormonal me desmotivo, ya que es riesgoso. Decidí vivir el hoy y si mañana es sin hijos también seré feliz. Gracias por el post y por los comentarios, también veo que somos muchas que pensamos que podemos ser felices sin hijos. Solamente agregaría que también se puede ser feliz soltera sin tener que estar con alguien por el solo hecho de no estar sola. Te mando un beso, Mariana

  230. #390
    Taiza
    01.12.2014 - 23:17

    Ter filhos ou não é uma decisão muito pessoal… mas admiro quem não tem filhos apenas por obrigação social. Nem todo mundo tem a disposição pra abrir mão de tanta coisa, e se é pra ter filho e terceirizar a educação ao máximo, penso que não vale a pena. Tudo o que uma criança precisa é de amor, cuidados, carinho, demanda tempo, requer abdicação. Vejo tanta gente que teve filhos sem a menor vocação, em todas as classes sociais, gente que nem sequer gosta de crianças e nem curte as diferentes fases da maternidade. E também conheci gente que já nasceu pra ser mãe, gente que não se imaginava mãe e surpreendeu a todos com o seu ‘desempenho’, enfim. Que cada uma de nós tenha a sabedoria pra decidir o que é melhor, a seu tempo.

  231. #391
    Monica
    01.12.2014 - 23:18

    Cony, adorei sua abordagem e seu texto! Sou uma das pessoas com mais jeito com criança que existe, desisti da pediatria (sou médica rs) pq não consigo ver criança doente. Mas no fundo no fundo nunca tive o desejo árduo em ser mãe, nunca me imaginei grávida (pelo contrário, sempre entrei em pânico com a possibilidade). Casei há uns anos atrás e nunca planejamos filhos, até porque eu sempre tinha um projeto na frente. O casamento acabou de uma maneira muito difícil e traumática depois de 7 anos de relação. Nesse momento eu agradeci a Deus por não ter tido filho. Não queria que uma criança minha passasse por isso também. Até porque sou filha de pais separados e isso me afetou muito!
    Hoje em dia ter filhos não continua nos meus planos. E olha que a idade passa. Tenho 38. Sou infeliz? Não! Acho que ter filhos não é a única maneira de ser feliz. Acho que para criar uma vida precisa de uma estrutura e dedicação. Será que eu vou conseguir um dia me planejar p/ ter filho? Não sei. Vejo tanta criança ser criada de qualquer jeito, com mães sem tempo e com isso sem paciência p/ educar. Acho que não sei fazer nada mal feito.
    Passei pelo mesmo que vc. Tive que deixar meu cãozinho com minha mão porque eu deixava o bichinho solitário e cuidava mal dele…
    Tenho uma sobrinha (que é minha afilhada) que supre boa parte meu lado maternal. Divido muito com os pais a educação dela, mas ela tem os pais que são responsáveis por ela em tempo integral.
    Não sei se é egoísmo meu ou perfeccionismo, ou ainda medo de criar nesse mundo difícil, não sei se iria conseguir proporcionar tudo que meus pais me deram, mas não me sinto preparada p/ ser mãe. Que bom que não sou um ET e outras pessoas partilham dessa opção.

    P.S.: tb não gosto de vestido de noiva. Suei p/ encontrar o perfeito p/ mim. Encontrei uma estilista mara e ela fez um “vestido de noite branco”, totalmente fora dos padrões km

  232. #392
    Tatiana
    01.12.2014 - 23:21

    Oi. Nem tive tempo de pensar nesse assunto. Engravidei no susto aos 17 anos. Foi muito difícil, mas segui a vida. Abri mão de muita coisa, mas me casei ( com o pai do meu filho),estudei e tenho um ótimo emprego. Hoje aos 34 anos e com um filho de 16, vivo a melhor fase da minha vida. Minhas amigas estão tendo filhos agora ( ou não) e eu viajando, cuidando do corpitcho kkk e com o meu filho e melhor amigo sempre do meu lado. Talvez se tivesse que fazer essa escolha hoje eu não teria filho. Algumas coisas na vida não podem ser muito racionais…

    • #393
      Vanessa
      02.12.2014 - 15:50

      As vezes eu penso nisto, se tivesse tido filho cedo, hoje ele ja estaria praticamente criado e eu poderia “viver minha vida”.

  233. #394
    Helena Souza
    01.12.2014 - 23:24

    Alguém falou ali em ter medo da solidão.
    Pois é. A solidão bate com ou sem filhos, assim como bate com ou sem família, com ou sem marido/esposa, etc..
    Essa questão independe da companhia, afinal, quem nunca se sentiu sozinho(a) na multidão.

    Eu nunca quis ter filhos, encontrei um comapanheiro que igualmente não quer e somos imensamente felizes. Adoro estar e ficar sozinha. Nossa companhia deve nos bastar primeiramente, o resto parece mais carência do que outra coisa.

    Não quero abrir mão da minha liberdade por nada e nem por ninguém. No entanto, algo que cabe somente á mim, já me fez perder amizades de pessoas (amigas com filhos) que se sentiram ofendidas quando eu simplesmente disse que não queria ter filhos. Acontece de tudo.

  234. #395
    Rita
    01.12.2014 - 23:27

    Obrigada Cony, por me fazer sentir menos E.T.! Estou na idade crucial, sou casada há 7 anos, sei cuidar de criança, afinal sou enfermeira pediátrica, mas ao mesmo sou egoísta demais pra abrir mão da minha vida em função de outra pessoa, mesmo que essa pessoa seja um filho. Se acontecer, será bem vindo, amado e bem cuidado, mas não é um objetivo de vida…pelo menos ainda não!

  235. #396
    Jana
    01.12.2014 - 23:33

    Cony, simplesmente AMEI o seu texto! Me sinto exatamente assim… Nunca quis ter filhos e todo mundo sempre me olhou como se eu fosse um ET por falar isso!! Mas eu realmente acho que não nasci para a maternidade, não consigo me imaginar mãe de jeito nenhum. E esse argumento “quem vai cuidar de você na velhice” é o pior de todos! Filho é pro mundo!! Cada um deve ser livre para traçar o seu próprio caminho!

  236. #397
    Ana
    01.12.2014 - 23:34

    Cony,

    Acho que estas cobrancas sociais sao mto chatas. Se vc tem um filho pressionam pelo segundo, se nao casa pressionam pra casar. Acho que cada um deve fazer aquilo que se sente feliz.
    Eu posso compartilhar a minha experiencia, eu tenho 35 anos, sou casada ha 7 anos e tenho um filho de 2 anos e meio. Posso te dizer que foi a escolha melhor da minha vida. Olha, amo caes mas nunca tive saco de cuidar…mas filho eh diferente. Olha, tinha medo da gravidez mas me cuidei e engordei pco….tudo voltou ao normal. Eu me cuido e nao foi pq tive filho que parei, continuo a mesma, no dia do parto fui maquiada, nao usei roupas medonhas de gravida e me sinto mto completa. Trabalho, cuido dele, me cuido e amo mto. Claro que jah curti mto, fiz mtas viagens….e ele nos acompanha e eh mto divertido.
    Esta historia de mulher se anular nao eh por filho nao, eh pq querem.
    bjo

  237. #398
    Sol
    01.12.2014 - 23:38

    Muito gostoso ler isso!!! E que venha no máximo a adoção!!!
    Por alguns destes e muitos outros motivos!
    Parabéns pelo texto e pela coragem de o tornar público… Não só papo entre amigas!!!

  238. #399
    Christiane
    01.12.2014 - 23:38

    Oi, Cony, sempre passo por aqui mas nunca comento. Hoje senti muita vontade de me manifestar. Tenho 36 anos, casada há 7 e não tenho filhos. Nunca senti essa vontade batendo, o tal relógio biológico enguiçou por aqui, mas levada pelas pressões da família e da sociedade, há cinco anos parei de tomar pílula, no entanto não consegui engravidar até hj. Depois de um ano sem sucesso, fomos ao médico e não conseguimos descobrir nenhuma causa específica. Aí falei pra mim mesma, bom então não era pra ser mesmo, deixei o assunto pra lá. Fui curtir a vida, viajei, fiz um mestrado. Meu marido é daqueles que quer ter, mas está tranquilo se não tiver também. Alguns anos se passaram e ainda não senti aquela vontade de ser mãe, mas sinto muito medo de me arrepender e estou cogitando fazer uma tentativa de fertilização in vitro ano que vem. Se der certo, ok, se não der, terei feito minha parte. Eu nunca digo que não quero ter filhos, porque sei que a reação das pessoas não é muito boa, não sou tão corajosa quanto você. Apenas já compartilhei esse sentimento com algumas amigas. A pressão é geral e sempre empurro com a barriga dizendo ano que vem, ano que vem, rsrs. Admiro muito você e achei esse post de uma honestidade incrível. parabéns!!

  239. #400
    Natalia
    01.12.2014 - 23:38

    Sou casada há 3 anos e ainda não tenho filhos, juntando tudo já temos 12 anos de relacionamento, o marido é tranquilo e não pressiona, não demonstra insatisfação, estamos curtindo a vida no auge da vida profissional mas nossos amigos e familiares são um saco. Depois de umas indiretas pararam de perguntar quando vem o baby? o herdeiro? acho engraçado que tem gente que quer ser mãe vive de blá blá blá aí contrata uma babá e empurra a criança nas costas da infeliz para cuidar e educar e até nos fins de semana a babá é quem cuida da criança, então pra que diabos querer ter filho para viver jogando a responsabilidade na professora, na babá e seja lá mais em que for. Ainda não passa em minha cabeça ser mãe, e dou todo apoio pra quem não quer ter filhos. É melhor do que ter só para dar satisfação a sociedade, a sociedade que se lasque pois que é que paga suas contas?

  240. #401
    Bianca
    01.12.2014 - 23:44

    Oi, Cony! Eu pensava extamente como vc. Até os 33 anos, eu tinha horror de falar em ter filhos. Eu e meu marido só queríamos saber de viajar. Até que fui na gineco e falei que queria parar de tomar pílula só com 35 anos. A gineco falou que aos 35 cai para 15% a possibilidade de ter filhos. Fiquei com medo e decidi para de tomar pílula aos 33, mesmo sem ter vontade de ser mãe. Fiquei grávida somente 10 meses depois. Tive minha filha faltando um mês para ter 35 anos. E ela é a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Ela me faz tão feliz, eu morro de rir com ela. É maravilhoso! Nunca me arrependi. Ela é minha boneca, enfeito ela toda. Respeito quem não quer. Se não quer é melhor que não tenha, mas quis contar minha história, pq eu achava que nunca teria. Mas hj posso te dizer que tomei a melhor decisão da minha vida.

  241. #402
    Beatriz
    01.12.2014 - 23:55

    Texto muito bom, comentários também. Fiquei positivamente impressionada com a quantidade de mulheres que pensam assim. Legal saber que as pessoas estão mais conscientes que cada um tem o direito de escolher o que deve fazer da vida, sem julgamentos.
    P.s: Cony, super me identifiquei com o seu pânico de gravidez, e ó, por causa da minha profissão, já acompanhei muitas gestantes no pré natal e já vi muitos partos,e o pânico só aumentou, haha. Admiro muito as mulheres guerreiras que passam por isso tudo e realmente têm a vocação para a maternidade, mas não é para mim, não!

    • #403
      Constanza
      02.12.2014 - 08:14

      E é um medo q me acompanha desde a infância acredita? Eu falava c minha mãe q se eu ficasse grávida se ela poderia carregar o bebe na barriga pra mim rsrs

  242. #404
    Marina
    01.12.2014 - 23:56

    Cony você é f**a. Que assunto complicado. Tenho 36 anos, estou casada há 7 e nunca tive vontade de ter filhos, não me sinto maternal. Sabe quando chega uma amiga ou colega de trabalho com um bebe e toda mulherada corre envolta e fica suspirando? Pois é, eu nem me mexo na cadeira, se estou no avião e tem uma criança me olhando na poltrona da frente eu abro um livro. Meu marido diz que também não quer, mas as vezes o vejo babando nos sobrinhos e brincando com outras crianças e tenho minhas dúvidas. E por outro lado acho que se engravidasse por acidente e tivesse o filho a amaria mais que tudo, acho que é inevitavel amar uma criatura que você gerou, que cresceu dentro de você. Mas tomar essa decisão racional e conscientemente….
    Para mim o grande problema é o tempo. O fato de que você tem uma janela tão pequena pra tomar uma das decisões mais relevantes da sua vida. Talvez daqui a 20 anos me bata o instinto materno… quem sabe? Mas aí já foi né? Pelo menos para filho biológico. Sem contar que quando mais se espera mais aumentam os riscos do ponto de vista genético. Nesse único sentido tenho muita inveja de ser homem….Confesso que tenho medo de me arrepender mais pra frente. Mas acho que toda decisão implica isso né, ao escolher algo você tem que deixar alguma coisa para trás. E ter filho só pelo medo de se arrepender depois… não da né? Beijo Cony!! Te adoro!

    • #405
      Constanza
      02.12.2014 - 08:16

      Claro! Se eu engravidasse e tivesse um filho minha vida seria só dele! Iria amá-lo demais! Mas por isso mesmo q não quero pois não quero parar minha vida e mt menos terceirizar a criação!

  243. #406
    Jessica
    02.12.2014 - 00:50

    Me enquadro nas mulheres que adiam a gravidez… Desde que me lembro tenho vontade de ser mãe. Namoro a 8 anos e moro junto a 1, e meu namorado tb tem vontade de ter filhos.
    Mas ainda não nos sentimos prontos financeiramente, ainda não temos casa própria, somos bem desorganizados, e ainda temos muito a crescer. Muita gente pode achar que isso é desculpa, e até é um pouco. Mas não tem coisa mais injusta do que descontar frustrações no filho. Portanto, prefiro ser egoísta agora, curtir minha juventude, dormir até tarde, viajar espontaneamente, fazer intercâmbio, tomar bons drink no fim de semana sem peso na consciência, e aí quando a decisão de engravidar vier, vai ser na hora certa.

    Quero ser uma mãe presente, diminuir o ritmo de trabalho para acompanhar o desenvolvimento da criança, ensinar lição de casa… então pra que eu possa me doar assim, preciso me sentir plena ANTES. O filho vai ser um complemento…

    Olha, sofro muita pressão pra engravidar logo… da minha sogra, até a avó do meu namorado que tem 98 anos e sempre que me vê diz que vai morrer sem ter um bisneto. Mas, né… dou uma de doida e sigo feliz!

  244. #407
    Jeane
    02.12.2014 - 00:50

    Nunca quis ser mãe e acabei engravidando aos 16 anos de um cafajeste por puro descuido. Tentei várias vezes o aborto, implorei pra Deus para a criança morrer no parto, mas nada aconteceu.
    Hoje, conheço o amor incondicional, conquistado pelos olhinhos brilhantes, pelo sorriso feliz, pelas palavras de carinho e pela criança (com 12 anos) que ve em mim uma heroína que nem mesmo eu sabia existir dentro de mim.
    Porque, mesmo com as dificuldades financeiras e afetivas (cuidei dela sozinha), fiz faculdade, trabalho, conquisto a cada dia o que sempre desejei bem antes dela aparecer na minha vida.
    Mas vem a cobrança de todo mundo: já está na hora dela ter um irmãozinho…
    Por isso tenho a certeza que tinha antes: que não nasci para ser mãe, mesmo sendo. Nem acidente, nem descuido me fará ser mãe de novo, só quero ressaltar que um filho não destrói o futuro de ninguém, e que sou egoísta meeeesmo, no meu futuro, de novidades, só terá viagens, bolsas e roupas.

  245. #408
    Alessandra
    02.12.2014 - 01:03

    Que alívio ler esse post! Não aguento pressão de gente que pensa limitadamente. Respeito quem tem filhos e não questiono essa opção, pois cada um sabe de si, suas vontades e sonhos, mas me irrita profundamente pessoas se dizendo horrorizadas com minha escolha ( minha e do meu marido também) de não termos filhos.
    Como se fosse uma obrigação. Eu adoro ter minha independência financeira, e não ter que me dedicar tempo integral a alguém.
    Eu, caso tivesse filhos, não gostaria de ter que terceirizá-los. Leia-se contratar babá, pois a mesma tem uma relação comercial com a criança e não exclusivamente afetuosa,
    por mais que trate bem, se a babá não receber salário não vai cuidar do seu filho só porque gosta dele.

    Empurrar para a avó? Nunca! Jamais! Não faria isso com minha mãe, pois ela não tem obrigação nenhuma de ter que cuidar e ajudar a “criar” neto, pois criou 2 filhas sem empurrar pra ninguém.
    O que restaria? Parar de trabalhar, cair na dependência financeira do marido e me frustar profundamente.
    Seria morrer um pouco.

    Adoro não ter que ter uma vida extremamente regrada e ter filhos implicaria diretamente nisso. Amo minha liberdade e se um dia me arrepender, a primeira opção será adoção.

  246. #409
    Alessandra
    02.12.2014 - 01:11

    Marcia Aguiar

    Já ouviu falar em pensamento gêmeo? Então, topa fazer o DNA?

    • #410
      Marcia Aguiar
      02.12.2014 - 16:13

      😉

  247. #411
    Cris
    02.12.2014 - 01:22

    Eu nunca tive vontade de ser mãe, e então um dia conversando com uma professora que estava grávida, ela me disse que também não tinha, mas que uma hora “o corpo chama”. Agora chegando perto dos 34 entendo o que ela quis dizer. Na verdade não sei se é o corpo dizendo algo, ou mais a pressão da idade, o contato com a maternidade das amigas próximas e o assunto recorrente na família. Eu queria ser decidida para o sim ou para o não, porque ficar na incerteza é angustiante.
    Minhas bisavós tiveram muitos filhos, uma teve 9, a outra 21, mas me causa uma baita estranheza pensar em ter apenas 1. Por outro lado acredito que eu seria uma boa mãe e sempre fui movida a fazer coisas pelo medo do arrependimento, mas esse não tem volta, para a decisão positiva ou negativa. Ce n’est pas facile.

    • #412
      Constanza
      02.12.2014 - 08:46

      Meu corpo não chamaaaa! Pq será? Ontem mesmo estava conversando com uma amiga q está grávida e perguntei se ela teve o click da maternidade e ela disse que sim. Eu nunca tive. Q estranho isso…

      • #413
        Marcia Aguiar
        02.12.2014 - 11:14

        Meu corpo nunca chamou! 😀 Agora então é que não vai chamar mesmo, pois fiz histerectomia e não há chance de engravidar. #graçasadeos

      • #414
        Cris
        02.12.2014 - 13:04

        Então Cony, não sei te dizer se ele chama do pescoço pra baixo ou pra cima! rs Mas acho que os fatores externos influenciam muito, e no seu caso, você começou um relacionamento há pouco tempo, tá tendo um monte de oportunidade profissional nova, viajando pra caramba etc. Penso que pra esse click acontecer, a gente precisa ter alguma pré-disposição, e no seu lugar acho que eu também não teria.

      • #415
        Aline
        03.12.2014 - 11:34

        Cony,
        Ouvi dizer uma vez que quando a gente está ovulando, ficamos mais maternais, nada mais é do que a natureza falando “não desperdice esse óvulo, fia!”. Passei a reparar no meu ciclo e faz um pouco de sentido, mas não é uma vontade de engravidar, no meu caso se manifesta como uma tolerância maior a crianças. E sempre passa em segundos!
        Acho que meu chamado maior veio aos 27 anos, quando parei de tomar anticoncepcional hormonal e virei alvo dos hormônios. Mas vontade é assim, dá e passa…
        Depois dessa fase, voltei ao normal e tenho cada vez menos vontade de ter filhos e cada vez mais certeza de que essa vontade não virá com o tempo.
        Meu noivo também não quer filhos, o que é uma benção na minha vida!
        Se as pessoas perguntam sobre quando teremos ou fazem comentários do tipo “daqui a pouco são vocês, hein?”, meu noivo já responde “curto e grosso” que não queremos filhos. Fico com tanto orgulho dele quando ele assume essa postura e me apaixono ainda mais! rs
        Porque né, todas as que comentaram aqui que não querem ter filhos já sofreram aquelas críticas chatas que dão preguiça, então, quando meu noivo assume essa postura, acaba me blindando da parte chata das conversas com as pessoas.

        Acho lindo alguém querer ter filhos e se propor a isso com todo o coração, dou apoio, converso sobre gravidez e infância, visito, dou presente. Mas é porque eu as vejo felizes tomando essa decisão e isso é o que mais importa! Eu sou a pessoa mais feliz do mundo com a minha decisão e quero muito ser tia, mas não quero ser mãe!

        • #416
          Constanza
          03.12.2014 - 11:42

          Sou IDÊNTICA a vc! Tb visito, dou presente, mimo os filhos das amigas, mas não é algo para mim… elas morrem de rir, mas me entendem rs.

  248. #417
    Juli
    02.12.2014 - 01:36

    Eu creio que não há relógio biológico e sim relógio social imposto pressionando a mulher. Eu nunca quis ter filhos e não pretendo ter.

  249. #418
    Lorenna
    02.12.2014 - 03:51

    Eu nasci para ser mãe e espero por esse dia ansiosamente, me programo para isso e estou pronta para abrir mão de tudo o que terei que abrir. Dizer que a vida de uma mãe nao tem privações chega a ser ridículo. Da mesma forma que não ter filhos garantirá uma vida de sucesso profissional e financeiro, baladas e viagens, a vida é governada por milhares de condições e não só pelo fato de ser ou não mãe. Respeito e não julgo quem não quer ser mãe. Seria ideal que tivesse filhos apenas quem realmente quer!

  250. #419
    Luciana Torres
    02.12.2014 - 08:34

    Eu já vi tanto nessa vida que tenho a seguinte opinião: se respeite acima de tudo. Ninguém vai pagar suas contas nem muito menos criar seu filho. Filho é coisa muito séria… E tem gente que reviraria o mundo pra ser mãe. Acho muito mais justo alguém que faz essa opção (mesmo que não seja pra sempre) do que aquelas pessoas “viram mães” apenas pra dar uma satisfação pra sociedade. Conheço casais lindos, se se amam, que se curtem, e que gostam de criança, apenas não querem essa resposabilidade e adoram os sobrinhos ou os filhos dos amigos.

  251. #420
    Gabriela
    02.12.2014 - 09:25

    Tenho um filho. Tive aos 19. Hoje ele está com 21 anos. Ele é meu tudo e sou muito feliz em tê-lo em minha vida, mas se não tivesse ele nessa época, hoje não teria nenhum, pois não tenho um pingo de vontade ou paciência. E não acho que seja anormal não querer filhos. Esse “anormalismo” é apenas uma convenção social, e até certo ponto machista, passada há gerações de que a mulher nasceu para ser mãe e aquele que não o quer ser não é “normal”. Mas…o que é ser normal?????

  252. #421
    Adriana
    02.12.2014 - 09:32

    Oi, Cony! É a primeira vez que comento no seu blog! Eu sempre acompanho seu blog e, pelo pouco que eu via a respeito de como era a sua vida, sério… eu pensava: como ela vai fazer quando for mãe? Hoje eu tenho 28 anos e uma filha de 1 ano e 11 meses. Não foi uma decisão que eu pensei muito não. E eu também nunca fui dessas mulheres maternais. Já senti muito preconceito em relação a essas mães maternais porque eu sou considerada uma “mãe moderna”. O fato é que hoje, sério, eu não me vejo sem a Gabi: ela é uma enorme motivação para conseguir um monte de coisas que se imagina só ir em busca quando se é solteira: independência financeira e viagens… Acho que tudo na nossa vida tem um lado positivo e negativo. É muita renúncia, é pauleira, é falta de tempo! Mas estou CRESCENDO e AMADURECENDO demais com a experiência da maternidade. Se eu estava preparada para ser mãe? Absolutamente NÃO! E, sinceramente, quem está? Umas têm mais bagagem e experiência… mas só se aprende a ser mãe sendo mãe porque os desafios são diários e cada criança e mãe são únicos… Estou APRENDENDO diariamente tantas coisas… e não é trocar fralda, dar banho ou fazer papinha. Aprender a ser criança outra vez, a viver o momento, a resgatar a alegria da vida. Aprender a educar um ser humano, colocar limites, exercitar a paciência. Não sei. Estar com a Gabi é ter uma oportunidade de perceber o que realmente importa na vida. Sei que hoje ao lado dela e, em família, tenho um dos momentos mais felizes em minha vida. Família é algo que me realiza. Apesar de ser muito difícil principalmente hoje em dia. Por outro lado, depois que fui mãe, passei a respeitar ainda mais quem opta por não ser! Porque é algo difícil e que vira a nossa vida de cabeça para baixo… Para mim, essa é a maior decisão da vida de uma pessoa. E acho sim que a mulher deve ter liberdade para dizer se quer ou não isso para a vida dela.

  253. #422
    Lidiana
    02.12.2014 - 09:33

    Oi Cony!
    Tenho 24 anos, namoro há 8 e NUNCA quis ter filhos pelo fato de que não gosto de crianças, tipo nadinha. Não tenho paciência e não os vejo como “criaturas fofinhas que irradiam felicidade e amor por onde passam”.
    Meu boy também diz que não quer, mas se um dia ele mudar de ideia, que vá procurar outra p/ satisfazer essa vontade, primeiro a minha felicidade depois a dos outros. Não julgo quem tem 1 ou 6 filhos, cada um sabe o que faz da vida, mas acho injusto, errado e estúpido isso de criticar quem pensa diferente.
    Precisa-se entender que filhos não são sinônimo de felicidade eterna, velhice tranquila ou qualquer outra coisa, se tu não os tem e se sente bem assim, então que seja. Manda essa sociedade que dita regras p/ p*ta que pariu e vá ser feliz.

  254. #423
    Júlia Daher
    02.12.2014 - 09:36

    Acho um assunto extremamente delicado e pessoal, mas achei fantástica a maneira como você escreveu e se posicionou.
    Tenho 25 anos, namoro a 3 e pensamos em nos casar em breve, mas desde os primeiros meses sempre deixei claro que nasci pra ser mãe e que não iria desistir desse sonho e ele sempre me deu total apoio!
    Mas veja bem, é uma necessidade MINHA e hoje ele compartilha comigo esse desejo.
    Moro com a minha mãe e minha avó, e 5 meses atrás uma irmã da minha avó adoeceu e precisaria morar com alguém, ela tem uma filha adotada que mora numa cidade pertinho da nossa e o que aconteceu? Essa filha simplesmente não pôde cuidar da mãe, disse que era praticamente impossível. Hoje ela mora na nossa casa e é muito bem cuidada, então não me venha com essa de que precisa de uma filho pra cuidar da gente na velhice. Ou você quer um filho pelo desejo de se tornar mãe/pai, pelo prazer que vai ter quando a criança correr pros seus braços ou investe esse dinheiro pra pagar uma enfermeira pra cuidar de vocês na velhice!
    Acho que cada pessoa tem o DIREITO, de escolher o que quer ou não pra sua própria vida e ser feliz com suas escolhas!!
    Torço por você e seja feliz com a sua decisão! Beijos

  255. #424
    Sandra
    02.12.2014 - 10:00

    Eu acho essa coisa de “quem não tem filho não conhece a felicidade plena” uma piada…e na verdade é mais egoísta do que não ter filho, imagina você ter filho e jogar nas costas dele a obrigação de te fazer feliz, ou pensar que ele terá que te cuidar na velhice??? acho que não é uma boa opção, até mesmo porque você não sabe se vão mesmo te cuidar…

    E ó, tem muitos pais que não admitem, mas com certeza se arrependem de ter filho, principalmente quando eles iniciam a fase da adolescência…

    filho não é só essa maravilha toda não…eles dão trabalho, preocupação, muitas vezes se tornam serzinhos bem cruéis…já vi muito…e hoje em dia acho que está difícil siim de criar filhos, e não acho que a questão financeira seja a pior parte, acho que a educação em si é a coisa mais complicada, desculpa, mas acho que os jovens hoje em dia estão muito mal educados, muito mimados e insubordinados…
    e não é culpa só dos pais não,é da sociedade, do mundo em geral…por isso, acho que não seguro a onda, e mesmo achando que tenha “nascido” e criada pra ser mãe não serei não!!

  256. #425
    Samara
    02.12.2014 - 10:12

    Eu ainda não tenho filhos e vou demorar para tentar. Quero aproveitar a vida sem filhos por enquanto. Mas não consigo imaginar o resto da vida sem filhos não. Sou daquelas que gosta de reunir a família em volta de uma mesa, fazer uma macarronada no domingo e uma sobremesa pra família toda. Meus encontros sociais são mais em função da minha família do que de amigos, por exemplo. Se tivesse condições acho que teria filhos biológicos, adotados, cães e gatos para povoar a casa! hehehheehhe! Então talvez para mim a decisão seja mais fácil.

    Mas uma boa parte das minhas amigas não quer ter filhos. E eu entendo isso também. Acho que vc tem que priorizar tudo aquilo que te faz melhor. E se você não está disposta a tomar para si este tipo de mudança, melhor não tomar mesmo. (ou depois vai ser como uma blogueira famosa ai, que aos 3 meses da filha ainda não tinha trocado uma unica fralda….mto bom…#sqn).

    Mas eu não aceito como argumento duas coisas: “nunca senti o click” – a maioria das mulheres que eu conheço não sentiram o click para a maternidade; na verdade, a maioria passou por uma decisão absolutamente racional ao engravidar, com planejamento e afins. Acho que,tomada a decisão, o click vem depois.
    Segundo: “minha rotina não comporta um bebe” – bem amiga…sua rotina nunca vai suportar um bebe a não ser que vc mude sua rotina. Fim. É tipo adotar um cachorro. Minha rotina mudou muito quando adotei um filho de 4 patas. Deixo de ir a lugares para poder ficar com ele, mudei até os shopping que frequento para poder levá-lo comigo, planejo meu dia para poder leva-lo para passear e no petshop tomar banho.

    Resumidamente: eu acho que nunca estamos preparadas para sermos mães, até sermos mães.

    Mas se a pessoa não quer ser mãe, ok também. Só não tome esta decisão baseada na sua vida de hoje, porque na vida tudo muda.

    • #426
      Constanza
      02.12.2014 - 10:26

      Eu tive um cachorro e minha rotina nao mudou por causa dele (mesmo que eu tentasse ficar mais com ele, nao era o suficiente). O que aconteceu? Tive que pedir pros meus pais cuidarem dele. Teria que fazer o mesmo com uma criança? Acho que nao ne. Entao nao tenho e ponto. Cada um sabe ate onde sua rotina e sua vida pode ser alterada e SE QUER tal alteração.

      • #427
        Samara
        02.12.2014 - 14:39

        Ué…mas não foi exatamente isso que eu disse?

        Se você quiser isso, você muda sua rotina. Ponto. Se, como vc disse, quiser tal alteração.

        Eu quis um cachorro. Adotei e mudei minha rotina. Tomei a decisão de ser responsável pelos cuidados com ele, e a partir disso mudei. Claro que nem se compara as mudanças de ter um filho. Mas é apenas um exemplo.

        Por isso, como eu disse anteriormente, eu entendo que quem não está preparado para este tipo de mudança, não deve fazê-lo. Mas reitero que nossa rotina jamais estará preparada para algo deste tipo, quem tem que se decidir fazer somos nós.

  257. #428
    Nina
    02.12.2014 - 10:16

    Um monte de mal resolvida nos comentários dizendo que a vida ia ficar uma merda pq iria abdicar de várias coisas em função do filho…mas é só o bofe dar um “Ai” que a tonta deixa de se vestir como quer,de ver antigos amigos,de sair pra onde gosta, beber o quanto quiser…aham, sei! mt autentica e corajosa vc! se anula prum bofe qlq mas não deixa de comprar bolsa por causa de um filho! tem que ver essa hipocrisia aí hein…aff…

    • #429
      Lucy
      02.12.2014 - 11:02

      Não é hipocrisia, é liberdade de pensamento e atitude… Cada um pode e deve pensar e ser como kiser!!! Se quiser abdicar por filho, OK… Por bofe, Ok tbm… Por ninguém, TBM OK!!!
      Toda mulher pode fazer e opinar sobre o que bem entender…
      O fato de ter ou nao filho nao (ou ter um bofe ou nao) faz uma mulher melhor q a outra, sao escolhas!!!

      • #430
        Nina
        02.12.2014 - 17:03

        Aham…hahahahaha….ai ai viu…

  258. #431
    Grazi de Caxias do Sul
    02.12.2014 - 10:24

    concordo total com a SANDRA aqui, mães podem ser seres bem egoístas também, mas eu só queria dizer que sim já quis muito ser mãe, fiz tratamentos e não deu certo, estou na fila demoradíssima da adoção, talvez um dia role, não sei, mas minha vida é ótima sem filhos, sou super ocupada, sem tempo para me coçar, mas se tiver filhos vou abrir espaço para isso, mas se não tiver filhos não me sinto menos mulher, menos humana, menos generosa que outras pessoas, odeio esses clichês sentimentais, se eu tiver filhos será uma nova parte de mim que vou conhecer senão: beleza, vida que segue, dou muito amor a quem está ao meu redor e na velhice terei cuidadoras, casas de repouso e enfim, já me preparo hoje para a velhice, sem drama!!!! bj cony

  259. #432
    andrea
    02.12.2014 - 10:25

    Adorei o post. Tenho 31 anos, 10 anos de casada e não quero ter filhos, simples assim. Eu gosto da paz e do silêncio da minha casa, viajar, meditar, fazer programas de adulto. Talvez um dia eu mude de ideia, mas isso não depende da vontade de ninguém, é muito íntimo. Não vejo minhas amigas mais felizes por serem mães, pelo contrário, acho que a vida delas só piorou. Cada um faz o que quer com sua vida, contando que respeite o outro. Sejamos todos felizes como quisermos!!! \o/

  260. #433
    van
    02.12.2014 - 10:35

    Acho mto estranho as pessoas se incomodarem tanto com a “pressão da sociedade” pra mim isso é mais uma necessidade de afirmar para si uma decisão que não tem certeza se é certa, por exemplo, eu fiquei 10 anos casada antes de ter filho, claro que todos perguntavam sobre um bebê, mas isso não me incomodava pq eu tinha certeza da minha decisão, cobrança sempre teremos, por escolher não ter filhos, os ter, ou ter só um,ou por ter 3, bobeira demais se preocupar com o que os outros pensam, importante estar segura de sua decisão. E eu penso que se a pessoa tem dúvida sobre ter filhos, melhor não ter, filho não é brincadeira, é pra vida toda. Como eu disse, fiquei 10 anos casada antes de ter filho e sem vontade, lembra que uma vez fui visitar alguém na maternidade e fui no berçario onde os recem-nascidos vão tomar banho antes de ir pro quarto, eu fiquei olhando aqueles bebês de pessoas desconhecidas e me emocionei mto, chorei de felicidade por gente que nem conhecia, daí pensei: como posso passar por essa vida sem saber o que é gerar um ser dentro de mim, sem sentir a emoção no dia do nascimento? Bem, resolvi ter filho e realmente é a maior emoção da minha vida, adorei ficar grávida, me sentia o máximo de barrigão, o dia do nascimento dela foi indescritível, ela mamando é lindo e, hj com 2 anos, digo que sou mto feliz e minha filha só veio somar. Claro que a vida muda e quem não está preparado pra mudança vai sofrer mais, eu tinha vivido mta coisa antes de engravidar, tinha viajado, estudado mto, etc…hj minhas viagens são pra lugares que ela vai aproveitar tb e eu nunca imaginei curtir, tipo fazendinha, etc, posso dizer que estou amando tb e quando quero curtir o maridão a sós tenho parentes que ela adora e que me dão algumas horinhas. mas continuo reforçando que acho que quem tem dúvidas não deveria ter filhos, morro de dó de criança criada sem amor ou com pais frustrados.

    • #434
      Alessandra
      02.12.2014 - 21:52

      Vanessa

      Estranho não é se irritar quando te pressionam a fazer algo que você não quer, estranho é as pessoas pressionarem porque tem preguiça de raciocinar que esta decisão cabe somente ao casal e a mais ninguém.

      • #435
        Alessandra
        02.12.2014 - 23:32

        *leia-se são onde está “é”

  261. #436
    Lucy
    02.12.2014 - 10:55

    Oi Cony… Se nao quiser nao precisa aprovar, mas gostaria de verdade que vc lesse.
    Fico de verdade MUITO feliz em ver uma blogueira desde universo “mulherzinha” (nao veja mal, eu amo este universo) se posicionar desta maneira. Em um mundo com tantas caras e opiniões iguais, fico muito feliz em vc pensar assim(se fosse assado tudo bem) e se posicionar… O pensamento é seu e vc tem o direito de pensar como quiser!!! Vc pode ser e fazer qlqr coisa… E com este post, pra mim, vc coloca isso mais em evidencia ate do que a opinião de nao qrer ser Mãe.
    PARABÉNS por se expressar mesmo sabendo que poderiam vir pedras…
    Tem um site feminista q talvez vc ja conheça, mas o http://www.lugardemulher.com.br que presa exatamente q qlqr mulher deve e pode ter a e ser quem ela quiser.
    Continue se expressando e se “mostrando” sim, acho que nossa geração merece e precisa…

    • #437
      Constanza
      02.12.2014 - 10:59

      Li sim e obrigada!

  262. #438
    Mariana
    02.12.2014 - 11:01

    Oi Cony! Tenho 24 anos e vou dar o primeiro grande passo na minha vida: vou morar junto com meu namorado!
    Já sou formada, tenho meu dinheiro e carreira, meu carro… e agora vou montar a minha “família”. Filhos nunca estiveram nos meus planos. Não levo muito jeito e tenho medo de colocar filho nesse mundo doido! Mas vou deixar as coisas acontecerem… o que tiver que ser será! Se eu sentir muita vontade de ser mãe, tentarei isso… Mas se não for o caso, não quero me martirizar por isso, me sentir culpada jamais!
    Acho que dá pra ser feliz sem filhos!

  263. #439
    Polliana
    02.12.2014 - 11:03

    Nossa, tão bom ver que tem mais gente nessa. Já ouvi que era um pecado eu falar que não queria ser mãe! kkkk Não quero, paciência. E por sorte meu marido já tem um filho e não quer outro. O que me deixa muuuuuuuuito mais à vontade na minha decisão. Se ele não tivesse filho ou quisesse outro não sei o que faria, pq. não tenho a mínima vontade de ser mãe. Pode ser que um dia mude, e estou aberta a isso. Mas já estou com 30 e naaaada. Acho difícil mudar. Vou preferir mimar meus sobrinhos kkkk Bjo

  264. #440
    Laiz
    02.12.2014 - 11:06

    Há casos e casos. Sei de mulheres que não engravidam por pura vaidade (em outras palavras, medo de “estragar” o corpo); Sei de uma, inclusive, que é casada, já tem mais de 40, e não gosta de crianças, porém leciona para um ‘par delas’ (irônico não?!); outra que tem dificuldades para engravidar, mas seu sonho era ser mãe e ela lutou por anos e anos, fez diversos tratamentos e há pouco tempo conseguiu, finalmente, realizar esse sonho; Sei também daquela que teve 3 filhos e os entregou para uma “Casa Abrigo”. Enfim, cada caso um caso não é mesmo?! A verdade é que todos temos o livre arbítrio de fazer nossas escolhas e decisões, e cada um sabe o que é melhor pra si. No final das contas, o objetivo é o mesmo: ser feliz, feliz!!!

  265. #441
    Letícia Bittencourt
    02.12.2014 - 11:07

    Ei, Cony adoro seu blog. Tenho 21 anos, namoro e amo tomar meu anticoncepcional porque não penso em ser mãe por agora. Mas tenho um instinto maternal muito grande, esses dias comentei com minha vó a minha vontade: após me formar na faculdade, passar em um concurso, viajar com meu futuro marido, penso sim em ter filhos mas somente com uns 30-35 anos, hoje em dia temos que ter nossa independencia. Eu estou tirando carteira, já fiz um curso técnico e ano que vem começo a faculdade, não é egoísmo é realidade filho anula e até desfaz nossos sonhos, beijos e adorei o tema.

  266. #442
    Michele
    02.12.2014 - 11:15

    Cony,
    li o seu desabafo e entendi o seu ponto de vista. Tenho uma irmã que mora nos states que pensa da mesma forma que você.
    Sinceramente acho que o importante da vida em 2014 é o direito de ESCOLHA. Quem quer ter filhos tenha, dá pra fazer tudo (ou quase tudo) com um bebê a bordo. Quem não quer ou não pensa sobre o assunto não deve ser questionado como eu vi várias meninas fazerem aqui.
    O chato da net nos dias de hoje é que todo mundo tem que ter uma bandeira pra tudo. E se eu mudar de ideia? E se tu mudares de ideia?
    Independente da escolha, a EDUCAÇÃO tem que vir em primeiro plano, eu não concordo contigo, mas aceito o seu ponto de vista e se tu mudares de ideia, há a medicina e um monte de crianças querendo uma pessoa tão bacana para ser mãe.
    O que acho errado é a pessoa ter filhos, se arrepender e deixar com pai, mãe, tio, amigo para curtir a sua vida, sem se importar com a criança. Ou a pessoa querer demais ter filhos, não conseguir ter de forma natural e não querer adotar por puro preconceito.
    Sobre cuidar na velhice, acho um estigma já batido na sociedade. Eu vou criar meus filhos para o mundo, e não para mim. Sei que vai doer mas a vida Deus dá, eu e meu marido fomos apenas o veículo para meus filhos virem ao mundo. E queremos curtir cada dia com os dois (tenho um casalzinho) até a hora de eles voarem pelo mundo.
    Aqui em Niterói tem umas velhinhas lindas de cabelo branco ( todas grisalhas) riquíssimas que se unem para tomar um café em uma cafeteria lá em Icaraí toda tarde. É uma diversão só ( minha mãe e eu já conversamos com elas, que queriam colocar a minha mãe no grupo das grisalhas). São todas maquiadas, fazem excursões juntas, cada uma tem uma história e não estão nem aí para filhos, netos etc. Estão curtindo a sua vida e não se metendo na vida dos outros.
    Beijos Cony e espero que depois desse post, ninguém mais fique perguntando se está grávida ha ha.

  267. #443
    Mah
    02.12.2014 - 11:16

    Eu não ia comentar porque li muita coisa que se aplica ao que eu penso e tudo mais…
    Mas é engraçado ver que tem tanta gente que pensa como eu rsrsrs
    Não quero ter filhos, nunca sonhei em casar na igreja de branco e tal.
    Se eu ganhasse 50 mil reais HOJE, sem duvida faria viagens! MAEHNUNCA que eu ia gastar numa noite só, pra ter gente saindo falando mal ainda hahaha

    Sobre filhos, não acho que toda mulher nasceu para ser mãe.
    Mas também acho que ser mãe é algo que você aprende com o tempo. Não acredito quer certas mulheres vieram com esse app instalado e outras não hahaha. Acredito que você instala conforme a necessidade.
    Mas a questão da VONTADE é mais séria.
    Eu não tenho vontade, meu marido não tem vontade…

    E esses dias uma colega de trabalho comentou, quando eu disse que meu marido era “antisocial” e também não queria ter filhos:
    “amiga, acho que você não está no casamento que sempre sonhou”
    OOOOOI?
    Quem é você pra saber o casamento que eu sempre sonhei?
    Meu sonho é poder sair com minhas amigas e quem mais eu quiser, seja com meu marido acompanhando ou não.
    E meu pesadelo seria um marido enchendo meu ouvido querendo ter filho, e eu tendo que negar.

    Vá de reto palpiteiros!
    Como diria o Silvio Santos, SAI PRA LÁ, SAI PRA LÁ! ha ha hi hi

    • #444
      Alessandra
      03.12.2014 - 22:25

      Mah

      Desviando um cadinho do assunto principal…

      Adoro maridos que não gostam de ir junto em tudo quanto é lugar! Ainda mais quando é um lugar que ele não tem vontade pois odeio gente com cara de bunda ao meu lado, ou então me apressando para ir embora.
      Vejo isso em alguns casais e tenho admiração pela paciência de monge de algumas amigas e amigos.

      O meu é assim e caso contrário, nosso casamento não funcionaria tão bem.
      Eu tenho necessidade de ter meu tempo com meus amigos sem ter que levar marido a tiracolo.

      Quando decidimos morar juntos, antes de nos casarmos ( se bem que é a mesma coisa, só uma bobagem de papel), eu me referia a ele como meu namorado e sempre ouvia que um dia ele iria “cortar minhas asinhas”.
      Mais um preconceito tolo de quem acha que casamento é corrente e o casal tem que viver grudado, inclusive na vida social.

  268. #445
    02.12.2014 - 11:30

    Admiro quem sabe e faz da vida o que quer, incluindo a decisão de ter ou não filhos. Mas tô vendo muito julgamento aqui tanto de quem quer ter filhos, quanto de quem não quer. Aliás, principalmente destas, que são a maioria nos comentários e que se dizem tão modernas e sem preconceitos. Que história é essa de menosprezar quem precisa de ajuda para cuidar dos filhos recorrendo à babás, avós ou creche??? Não sei se vcs notaram, mas a grande maioria das mulheres que tem filhos hoje em dia trabalha. E vcs acham o que, que elas param de trabalhar??? Se a resposta for sim, então eu vivo em outro mundo, porque onde eu vivo, as mulheres tiram a licença maternidade sim, mas depois voltam a trabalhar e a criança não vai com elas ao trabalho. Então, é óbvio que outra pessoa cuidará dela nesse período. E isso é muito natural, não é terceirizar a criação, como tem muita gente por aqui dizendo. Mas é claro que também tem muitas mães que realmente terceirizam a RESPONSABILIDADE da criação e educação por frustração, arrependimento, etc… só não me venham falar que elas são maioria, como se quando se tivesse filhos a mulher resumisse sua vida só a eles. Do mesmo jeito também tem quem faça isso, por escolha. Enfim vamos parar de colocar rótulos nas vidas dos outros.
    http://www.blogamorreal.com.br

    • #446
      02.12.2014 - 11:49

      Esqueci de mencionar que também não é coisa de outro mundo recorrer a ajuda de outros para eventuais saídas ou viagens, se a mãe quiser.

      • #447
        Renata
        02.12.2014 - 12:39

        Concordo plenamente! Muita gente recriminado quem delega funções. Gente, para fazer tudo tem que delegar mesmo. Não é porque a babá leva a criança para o inglês no meio da tarde que ela se tornará a sua mãe. Quem faz as tarefas? Conversa? Acompanha? Ensina os valores? Execução material de ordens existe em todos os setores da vida. Realmente, com tal pensamento, seriam mães bem infelizes. Para mim, repito, ser mãe não é abdicar de sua vida, sua individualidade e suas vontades. É acrescentar. Apenas isso.

      • #448
        Sthé
        02.12.2014 - 17:27

        Cris, SUPER concordo com o seu comentário!! Foi uma das coisas mais sensatas que eu li por aqui.
        Não sei se quero ser mãe ainda, mas não acho que ter filhos seja sinônimo de abdicações a vida inteira…Realmente existe um período em que a criança necessita de certa atenção, mas não é para sempre!!! E até parece que filhos são o único motivo que nos leva a abdicar de algo. Já abdiquei de tantas coisas por causa dos estudos, hoje colho os frutos de uma adolescência em que me privei de muita coisa por causa dos estudos. É uma realização, mas quantas coisas eu deixei de viver, quantas festinhas eu deixei de ir e quantos namorados eu deixei de ter.
        Trabalho numa empresa de consultoria e vejo muitas mulheres se anulando por causa do próprio trabalho…Não é abdicação também? Trabalhar é ótimo, mas no meu ramo, se você não souber dosar vai viver uma rotina de privações!
        Concordo que contratar uma babá, botar a criança numa creche, deixar com a avó não é nenhum pecado!!! Minha mãe nunca parou de trabalhar e eu fui criança de creche e nem por isso sou uma pessoa frustrada. A maior parte do meu dia era na creche, mas quando eu chegava em casa, quem me ajudava a realizar os deveres era a minha mãe E o meu pai também! Alás, perdi as contas de quantas vezes o meu pai assumiu responsabilidades tidas como “de mulher” para que a minha mãe pudesse trabalhar em paz!!! Tem muita mãe sobrecarregada porque o marido se recusa a esquentar uma mamadeira ou a ir numa reunião de pais!! A mulher tem que fazer tudo!!!
        Delegar é uma necessidade!! Não vejo mal nenhum. Entrar na creche só me ajudou a ser uma criança mais sociável e menos egoísta.

    • #449
      Sara
      02.12.2014 - 18:40

      Estou escrevendo para dizer que concordo plenamente com a Cris do comentário 417. Muita gente defendendo a liberdade de escolha e criticando quem escolhe, ou precisa, recorrer à mãe, babá ou creche. A maior parte das mães trabalham, tem vida social, ser boa mãe não é ficar grudado nos filhos. Eu tive babá (e tenho saudades dela até hoje), entrei para a creche com 1 ano e meio e não fiquei traumatizada por causa disso, na verdade todos ficam impressionados com o quanto eu e minha mãe somos ligadas, mesmo eu morando fora agora, para ver como distância física não é nada, o amor vai bem além disso (claro que um bb n pode fazer intercâmbio, mas a cada idade a sua possibilidade). Ah, e concordo com tudo que foi dito sobre a liberdade de querer ou não ser mãe, só acredito que todos temos que respeitar as opções dos outros, ninguém sabe da vida de ninguém.

    • #450
      Alessandra
      02.12.2014 - 22:19

      Cris
      Deixe a “destas” explicar claramente.

      O que postei é válido para mim e para alguns milhões de mulheres assim como outros milhões acharim um absurdo.
      Não acho justo com minha mãe deixá-la com uma criança para cuidar e fazer a mesma abdicar da rotina tranquila dela.

      Terceirizar filho não é contratar alguém pra ajudar em alguns momentos, mas sim delegar a educação e rotina integral dos mesmos a alguém e isso EU não gostaria de fazer.

      O que não serve pra mim, pra outras pessoas pode servir e viva a liberdade de escolha de cada um!

      • #451
        03.12.2014 - 10:44

        Alessandra, você personalizando a questão assim eu entendo perfeitamente. Se, PARA VOCÊ, é injusto pedir ajuda da sua mãe ou seja lá para quem for, ok! Quem sou eu para julgar a opinião e escolha de cada um? Mas você há de convir que a crítica das pessoas aqui em relação a quem escolhe/necessita procurar ajuda (e mais uma vez repito: auxílio, ajuda e não a terceirização da criação do filho, é preciso distinguir!) foi feita de forma generalizada. É nesse ponto que eu toco, se nāo queremos ser julgadas, paremos de julgar também.
        À outras que responderam meu comentário, concordo pelamente com as colocações de vocês também. Na vida, tudo é uma questão de escolha e saber lidar com as inevitáveis consequências positivas e negativas de cada uma dessas escolhas.

  269. #452
    Camila
    02.12.2014 - 11:40

    Desde que me entendo por gente quero ser mãe, não imagino minha vida daqui uns 10 anos sem filhos. Comparo minha vida com a da minha irmã que ficou grávida aos 15 e hj com 29 espera o terceiro filho. Acho que a maternidade muito cedo prejudica, não se aprende nada da vida além dos filhos. Não quero ter filho agora aos 26, vejo que a cada dia atraso mais essa decisão, mas continuo querendo MUITO ter filhos. P/ mim dps dos 30 é a idade ideal, aproveito o máximo que posso hj, td tem seu tempo. É muito chato essa “obrigação” de casar, ter marido, filhos, cachorro. Faça oq te faz feliz.
    Só acho que não ter filhos deve ser uma decisão do casal. Quando um dos lados sonha com filhos acho egoísmo decretar que não quer e ponto.

  270. #453
    Denise
    02.12.2014 - 11:43

    Que alívio esse post, Cony! Pq parece que em 2014 todo mundo resolveu ter filho. Eu até virei madrinha de uma menina… Um dia passeando num shopping com meu marido, a minha afilhada e os pais dela, dei conta que os pais nem olhavam para outras lojas que não eram infantis… para se ter uma ideia nós entramos na renner e a mãe foi direto para o departamento infantil e nem aí pras outras roupas da loja. Chorei enquanto voltava para casa, pq percebi q poderia até ter um filho e cuidar dele, dar comida, educação e tal, mas não consigo nesse momento abrir mão das minhas vontades de viajar, comprar coisas pra mim, e possivelmente passar aperto financeiro por causa de um filho (o q pra muita gente é quase um troféu e super vale a pena fazer tais “sacrifícios”). Me senti muito culpada, mas tb depois me senti tb mais livre percebendo que ainda não estava na minha hora! Eu tenho um casamento feliz, uma vida confortável, viajo pelo menos 2 vezes no ano, ainda quero me realizar profissionalmente, e não sinto agora um vazio q só um filho poderia preencher. Se não fosse a idade, os amigos e a família, talvez eu nem pensasse nesse assunto.
    Eu tenho em mente que, sim quero ter pelo menos um filho, mas sei agora q ainda não é a hora mesmo! OBS: tenho 32 anos.

  271. #454
    02.12.2014 - 11:49

    Obrigada!!! me senti incluída, pois faço parte do clube !!!

  272. #455
    02.12.2014 - 11:57

    Oi Cony, confesso que vi seu post ontem (mas estava tomando um baile do meu filho rsrsrs) e deixei pra comentar hoje.
    Eu admito que a mudança de vida com uma criança é animal! E se não tiver 100% de certeza e ainda assim engravidar, provavelmente vai fazer merda kkk.
    Olha só, eu tenho 30 anos, meu bb tem 01 ano,eu sempre quis ter UM filho (irmãos descartados).
    Confesso (lamurias e lamentações) que eu deveria ter esperado mais. A mudança foi tão drástica para nós (enquanto casal) que ainda estamos em crise .. talvez de adaptação, sei lá.
    Talvez minha maturidade aos 30 não estivesse tãaoo madura assim, pra me assumir como mãe, exemplo, expectativasr. O que ninguem comenta pq é feio pra cultura, é que filho cansa. Cansa sim!
    Abandonei 01 de minhas profissões e vivo sobrecarregada. Marido começou a cobrar umas coisas que nunca cobrou como organização da casa, faxina .. ou seja ..(não virei porca nao) que eu me torne essas blogueiras do lar, tirando selfie dos pés no veja (sem desmerecer, mas cada uma faz o que gosta e EU não gosto disso). Fui criada para o WORK e não para o HOME .. e acho que meu filho vai entender isso se eu souber aproveitar os poucos momentos que tenho com ele.
    Mas o povo fala .. ow se fala.
    Entao Cony, faça o que vc acha que sua vida se adapta, faça o que vc quer. Não me arrependo de ter meu bb lindo, mas me arrependo de não ter esperado mais.
    Abraço
    http://www.discursofeminino.com.br

    • #456
      Georgia
      03.12.2014 - 11:21

      Bota o marido para limpar a casa. oxi.

  273. #457
    Nayara Pinto
    02.12.2014 - 12:17

    Eu nunca achei que iria casar (casei), pensava que seria mãe independente (não sou), pensava que não seria mãe pq não ovulava e por causa de uma doença (hoje estou gravidinha de 7 semanas e mt feliz). Sempre achei que nada na vida devesse ser visto como um conto de fadas, doses de realidade fazem bem sempre.

    Nesse sentido ter filho pra mim sempre foi como um “peso”, mas também uma dádiva. Ficava muito mais encantada com o milagre da gestação e do nascimento do que com a criança em si. Acho f*%$ a ideia de células que se juntam dentro de você e delas surgem um ser perfeito… enfim esse é outro ponto.

    Não acho que ninguém tenha a obrigação de ser mãe ou de passar pela maternidade/gestação. Assim como ngm é obrigado a casar na igreja e de papel passado. Enfim, esse também é outro ponto.

    No entanto, vejo que as mulheres se enganam quando justificam sua não vontade de ter um filho. E se ofendem quando usado o adjetivo real.

    No fundo, somos todos seres egoístas. Que não gostam de dividir a atenção que recebemos com ngm. Nos incomodamos quando o namorado/marido/pai/qq um olha mais pra outrem que pra nós. Assim, a vontade de não querer abrir mão de algo nosso para dar a alguém (um filho nesse caso) é egoismo tbm. Isso não significa que as mães são seres supremos/superiores dotados de amor e caridade incondicional. Não são! Continuam egoístas, querem que os filhos sejam o que elas planejaram, cumpra o projeto que elas traçaram.
    Não queremos abrir mão da nossa carreira, das nossas viagens, dos nossos sonhos, disso e daquilo.

    Bom, somos chamados a nos adaptar sempre (com ou sem filhos). Quando se tem um filho, quando se casa, quando se consegue um novo emprego e outros acontecimentos somos chamados a ter novos sonhos, novas metas, novos projetos…

    Se alguém não quer ter filho, ok. É uma decisão tão pessoal que não cabe a ninguém impor sim ou não.

    Mas, achar que a vida está perdida por ter um filho é culpar quem não tem culpa. É navegar em círculos. É negar a si mesmo novas perspectivas. Como diz na minha terra: é preciso dar nome aos bois.

    Enfim, toda escolha gera uma consequência (boa ou ruim) e precisamos estar dispostos a conviver e aprender com ela (a consequência). Caso contrário, viveremos de inércia ou decretaremos infelicidade.

  274. #458
    Vanessa
    02.12.2014 - 12:23

    Algumas coisas me chamam a atenção nos comentários, em especial a agressividade e o show de clichês…As pessoas podem e devem ter opinião própria, ainda mais em um assunto que não envolve a vida de uma criança que nem nesse mundo está ainda, é ok discordar com fundamento e com elegância, e não soltando os cachorros. Se uma pessoa se sente completa e realizada tendo um filho, não significa que a vida dela era uma porcaria antes assim como uma mulher que sonha em rodar o mundo (sem filhos) não é uma desalmada sem coração.. mas as pessoas preferem acreditar nessas bobagens e se atacarem. Comparar criança com cachorro, o amor pleno/incondicional/infinito que toda mãe/mulher seria programada para ter (será mesmo?), que a mulher que não quer filhos é carreirista ou uma aberração…. Sério isso? Jura que é assim mesmo que fundamentamos essa conversa? Se é assim para mim o principio já me dá medo. Claro que é uma questão muito subjetiva, muito emocional (que aflora os ânimos) mas racionalidade vai bem também. Tem prós e contras dos dois lados, emocionalmente e racionalmente falando, e para mim a real é que não cabe a ninguém julgar a decisão do outro, o sonho do outro e muito menos o grau de realização do outro… Cada qual com a sua verdade, respeitando os demais. Bom, do meu lado eu faço parte da “coluna do meio”, nem que sim, nem que não, mas obviamente como existe a dúvida melhor ficar com não (totalmente alinhada com meu marido). Minha historia é a mesma de varias, nos trintas e pouquinhos, casada há bastante tempo, convivi muito tempo com as pessoas perguntando de filhos (inclusive porque temos estrutura para ter um filho se quiséssemos) mas com o tempo as pessoas pararam de perguntar também, não tenho um desejo latente de ser mãe mas eu e meu marido costumávamos falar de filhos no começo. Ambos somos bem racionais e conversamos muito sobre isso, temos plena consciência do impacto da decisão e como disse, na dúvida, seguimos sem filhos. E o no fim do dia o problema (ou não) é nosso e de mais ninguém, simples assim.

    • #459
      Vanessa
      02.12.2014 - 12:24

      oops.. cometi um errinho: ainda mais em um assunto que envolve a vida de uma criança que nem nesse mundo está ainda. Tem um não sobrando ali!!!!!!

  275. #460
    Renata Martins
    02.12.2014 - 12:38

    Oi Cony, tudo bem? Sei que já passam de 400 comentários mas posso usar seu post como uma terapia, uma espécie de Fala que eu te escuto? rs Sou leitora assídua do blog há MUITO mas MUITO tempo mesmo e sempre me identifiquei muito com seu jeito de escrever e lifestyle. Sou formada, pós graduada e sempre trabalhei muito! Casei há 6 anos atrás e meu casamento era meio que um namoro pois não tínhamos filho. Também nunca senti esse tal “click” da maternidade e o trabalho e minha vida de casada sempre me preencheram. Meu marido sempre me dizia que se eu estivesse realmente decidida a não ter filhos, isso não seria um problema para ele. Só que não era bem assim…no final de 2012 começou uma pressão para que tivéssemos o nosso bebê. Eu sempre achava que não era a hora, especialmente porque tivemos que mudar do RJ para SP e a minha vida profissional ficou um pouco conturbada com mudanças de lá para cá. Morando em SP arranjei um emprego, fiz amigos, amei aquela vida cosmopolita mas tivemos que voltar para o RJ. Quando voltamos em definitivo para o RJ e finalmente consegui arranjar um emprego bacana, ele começou a pressão. Eu com a eterna idéia de que não era a hora e ele insistindo que não tínhamos mais o que esperar. Resultado: engravidei após 4 meses na empresa. Meu chefe não engoliu e já começou um MEGA assédio moral durante a gravidez. Conforme a barriga ia crescendo, ele deixava de olhar para a minha cara, foi horrível! Depois da licença maternidade ele me chamou na sala, me deu uma terrível lição de moral e me demitiu. Meu baby nasceu, fiquei super feliz cuidando dele durante 1 ano até que consegui um novo emprego super bacana. Adivinhe o que aconteceu 3 meses depois? Grávida DE NOVO! Saí da empresa por vergonha e constrangimento, fora que passei mal horrores durante os primeiros meses da gestação. Hoje estou grávida de 6 meses e passo meus dias em casa cuidando do meu filho de 1 ano e 6 meses. Eu o amo? INFINITAMENTE! Eu sou feliz com essa vida? NÃO! Eu ouço todos os dias que tenho tudo, (e tenho!), mas simplesmente eu não nasci para essa vidinha de acordar desgrenhada, e dedicar 200% ao meu bebê e sentir eternamente a culpa de que não estou fazendo tudo o que poderia. Acho que na verdade eu nunca quis ser mãe, mas me deixei levar pela opinião de marido, pelas regras impostas pela sociedade, etc. É claro que eu estou no auge do turbilhão, uma criança de menos de 2 anos dá um trabalho imenso e uma barriga de 6 meses não ajuda muito, mas vamos ver se quando eles estiverem maiores a coisa melhora. Tudo isso para dizer que: SIM, as mulheres tem TODO o direito do mundo em decidir não ter filhos, porque acho que estamos aqui na Terra para ser felizes e realizados e não para simplesmente fazer o que todo mundo faz. Admiro muito essas mães que nasceram para isso, eu mesma conheço um montão dessas, mas também tenho uma admiração ainda maior por aquelas que tiveram a coragem de seguir seu caminho sem filhos. Um beijão!

    • #461
      Jessica
      02.12.2014 - 23:52

      Renata, uma vez achei que estava grávida 1 mês depois que consegui meu primeiro emprego… fiquei super mal, mas se estivesse grávida mesmo, a empresa teria que aceitar.
      Esse assédio moral tá errado, é seu direito como mulher engravidar a hora que achar melhor, e a lei tá do seu lado.

  276. #462
    tatee
    02.12.2014 - 12:43

    Tenho 31 anos e sou casada há 11.Até os 28 eu ABOMINAVA a ideia de ser mãe.Fazia faculdade, trabalhava, saia com os amigos e torrava meu dindim em maquiagem, roupas e perfumes…e achava maravilhoso eu era muito feliz, mas aí chegou um ponto em que parece que faltava algo para me completar sabe, e o instinto de mãe foi nascendo.Hoje meu bebê tem 5 meses e apesar do “filme de terror” que estão escrevendo por aqui sobre falta de liberdade, noites sem dormir etc etc posso afirmar que hoje eu sou feliz por completo, ver no meu filho um pedacinho meu e do meu marido juntos, o resultado de tanto amor, é imensurável.Então sejam felizes sem filhos ou com filhos, o importante é não julgar que quem tem filhos é infeliz e vice versa.

  277. #463
    cristina moraes
    02.12.2014 - 12:52

    Nunca tinha lido nada tão abertamente,sobre esse assunto,me identifiquei,no momento estou adiando.

  278. #464
    Paula Boueri
    02.12.2014 - 13:16

    Cony (olha a intimidade da pessoa), são muitos comentários, então me perdoa se eu compartilhar este link e ele já tiver sido compartilhado aqui. Mas se apresentaram ele no início de novembro e eu curti muito. Acho que você também vai se identificar também.

    http://lugardemulher.com.br/maternidade-voce-pode-nao-querer/?fb_action_ids=760858157332321&fb_action_types=og.likes

  279. #465
    Mara
    02.12.2014 - 13:18

    Ai ai ai essa é minha dúvida diária dos últimos tempos. Ter ou não filhos. Até os ginecologistas hoje nos cobram se não vamos mesmo ter filhos. Ainda não bati o martelo, mas estou mais pra não ter também. Gosto muito de viajar, ir ao cinema, sair pra jantar, sair pra fazer minhas coisas, dormir, etc, e vejo que com filho essa rotina muda muito. Eu dizia que queria ter filhos, até conviver mais de perto com 2 crianças. Vi como é cansativo e requer muita dedicação. Por um lado me sinto um monstro egoísta por não querer e por outro fico pensando como vai ser meu futuro sem uma família. Sem ninguém nem pra me acompanhar num exame médico rs. Complicado. Continuo na dúvida.

    • #466
      Mara
      02.12.2014 - 14:43

      Eu ainda brinco que se fosse rica não teria dúvida, teria logo e pronto. Essa gente rica que tem empregada e babá 24h não deixa de fazer nada por causa dos filhos. Continua saindo na noite, viajando pra fora (com as babás junto) e boa! E não acho que amam menos os seus filhos por causa disso. Apenas tem mais facilidade pra equilibrar a vida pessoal, social e profissional.

  280. #467
    Claudia
    02.12.2014 - 13:57

    Oi! Queria dar meu testemunho. Eu nunca quis ser mãe. Nunca mesmo. Sempre achei que não tinha nascido para isso. Queria morar em NY, viajar a toda hora, ser business woman, enfim, ser totalmente livre e desprendida, só apegada ao trabalho. Mas depois de 10 anos de casamento, com 2 cachorros e com 37 anos eu olhei um dia para a minha barriga e pensei: será? No final dos meus 37 anos a caixa da pílula acabou e eu não comecei a outra. Pensei comigo, acho que vai demorar, tenho quase 38 anos! Engravidei 2 meses depois, já com 38 anos. Fiquei super feliz e ao mesmo tempo cheia de dúvidas. Curti minha barriga, foi ótimo. Quando nasceu meu filhote, me deu um desespero e pensei: como vai ser a minha vida agora? E sabe de uma coisa? Está ótima! É uma loucura, chorei muito, vivo sem tempo, mas sou muito, mas muito mais feliz. Eu percebi que tudo se encaixa e dá certo! E olha que eu não tive babá nem ajuda de ninguém com o bebê. Só eu e meu marido e uma empregada para ajudar com os cachorros, que são nossos filhos também. Posso afirmar: quando seu filho olha dentro do seus olhos, é uma loucura! É muito amor, que faz tudo valer a pena, apesar de ser PUNK! Não escondo de ninguém, é muito difícil e desafiador, mas também é muito bom, acreditem. E hj, aos 40 anos, estou pensando no segundo…a vida muda, é verdade, mas não queria jamais voltar atrás. Para mim, mudou para melhor e me fez ser uma pessoa melhor, menos consumista e mais apegada a outros valores.

  281. #468
    Roberta Oliveira
    02.12.2014 - 14:10

    TEXTO MARAVILHOSO DA MARTHA MEDEIROS SOBRE O TEMA!!!! NÃO DEIXEM DE LER!!!!!

    “Semana passada me telefonaram de um jornal para pedir um depoimento sobre mulheres que decidiram não ter filhos. Queriam um testemunho curto e rápido.
    Sobre um tema tão intenso? Fui curta e rápida, mas agora vou me estender.Tenho duas filhas planejadas e amadas, que nunca me provocaram um segundo sequer de arrependimento. Mas nunca fui obcecada pela maternidade. Acredito que qualquer mulher pode ser feliz sem ser mãe. Existem diversas outras vias para distribuirmos nosso afeto, diversos outros interesses que preenchem uma vida: amigos, trabalho, paixões, viagens, literatura, música – até solidão, se me permitem a heresia. Conheço mulheres que se sentem íntegras e felizes sem ter tido filhos, e mulheres rabugentas que tiveram não sei por quê, já que só reclamam. Há de tudo nesta vida. Mas tenho pensado nesta questão porque, dia desses, uma amiga inteligente, realizada e linda completou 50 anos e se revelou meio abatida por certos questionamentos que chegaram com a idade – uma idade que está longe de ser das trevas, mas que é emblemática, não se pode negar. Ela nunca quis ter filhos. Escolha não, impossibilidade. Tem uma vida de sonho, mas ela anda se perguntando: não tive filhos, será que fiz bem? Ninguém tem a resposta. Mas é fácil compreender o dilema. Quando entramos nos 30, o relógio biológico exige uma decisão: ter ou não? Algumas resolvem: não. Criança dá trabalho, criança demanda muita atenção, criança é dependente, criança interfere no relacionamento do casal, criança dá despesa, criança é pra sempre. Tudo verdade, a não ser por um detalhe: crianças crescem. Crianças se transformam em adultos companheiros, crianças são quase sempre nossa versão melhorada, crianças herdarão não apenas nossos anéis, mas nossos genes, nosso jeito, nossa história, e isso é explosivo, intenso, diabólico, fenomenal. Aos 30, só pensamos na perda da liberdade, mas, aos 50, conseguimos finalmente entender que a maternidade é muito mais do que abnegação, é uma aposta no futuro. Depois dos anos palpitantes e frenéticos da juventude, chega uma hora em que deixamos de pensar apenas no lado prático da vida para valorizar as conquistas emocionais, que são as que verdadeiramente nos identificam. Não estou fazendo apologia da maternidade, sigo acreditando que todas as escolhas são legítimas. Mas optar por não ter filhos não é algo trivial. É uma experiência profunda de que abriremos mão de vivenciar. É uma emoção que transferiremos para sobrinhos sem jamais saber como seria se eles fossem gerados por nós – ou adotados, o que dá no mesmo. Vale a pena desprezar este investimento de amor? Um investimento que, diga-se, é uma pedreira muitas vezes, não é nenhum mar de rosas! Nessas horas é que faz falta uma bola de cristal. O problema é se a dúvida vier nos atazanar mais adiante. A gente nunca sabe como teria sido se… É por isso que, neste caso, compensa queimar bastante os neurônios antes de decidir. Não dá para pensar no assunto levando-se em conta apenas o momento que se está passando, mas o contexto geral de uma vida. Porque não ser mãe também é para sempre.”

  282. #470
    Ana Lucia Machado
    02.12.2014 - 14:39

    Acho válido pensar assim para quem tem uma vida como a sua, com muito glamour…quem tem a vidinha “normal” de pobre mortal , deve dar um vazio não ter filhos…eu tenho dois, não é nenhum mar de rosas, muito pelo contrário, mas minha vida de classe média trabalhadora sem eles seria muito chata…filho renova a gente!! Faz a gente ter planos, andar pra frente, mudar de casa, fazer poupança…mas isso é pra quem tem uma vida, como disse, tradicional. Se tivesse uma vida como a sua, Constanza, tb pensaria 1,2 10 mil vezes…filho faz vc renunciar a muita coisa.

    • #471
      Ilka
      02.12.2014 - 18:16

      Acho que você pode falar apenas por si mesma. Não sou blogueira e tenho uma vida de classe média normal e adoro! Não tem vazio nenhum sem filho. Se a sua vida vida foi preenchida com filhos, bom para você, mas daí a afirmar que a vida alheia é vazio vai um abismo.

      • #472
        Alessandra
        02.12.2014 - 22:02

        Concordo, Ilka.

        E discordo completamente sobre vida sem filho ser muito chata.

        Preencher vazio, e se renovar com filho? Nunca colocaria essas expectativas sobre um ser tão sem culpa de nada, justamente para não culpá-lo caso isso não ocorra. É pesado demais. Pra isso existe terapia.
        Se um dia isso acontecer, corro para o terapeuta sem pensar 2 x.

        Cada mulher difere da outra, que bom que a maternidade renovou algumas mulheres e as fez melhorar enquanto ser humano, mas afirmar que essa é a única maneira, acho bobagem.

    • #473
      Mara
      03.12.2014 - 16:15

      Vida vazia ? Oiiii ? Só se for a sua, pois a minha sem filhos e com 2 de quatro patas não é nada vazia. Pelo contrário, me falta tempo pra fazer mais coisas que gostaria. E tenho um emprego ‘normal’ de escritório. As atribuições de cuidar de uma casa, bichos, cuidar de mim, e trabalhar o dia todo já consomem muito do meu tempo. O tempinho que sobra é pra lazer e descanso, mas sem monotonia! Quisera eu ter mais tempo livre.

    • #474
      Deborah
      04.03.2017 - 22:47

      Ô, miga, fale apenas por vc.Espero que com o passar dos anos vc tenha mudado essa maneira esquisita de pensar.
      Não tenho 1/3 da vida glamourosa da Cony, mas adoro a minha vida. To cheia de planos, de coisas pra descobrir. e não, um FILHO não cabe na minha vida e nem na do meu noivo.

  283. #475
    Beta
    02.12.2014 - 14:53

    Tenho 32 anos e 2 filhas (4 e 2 anos). Mas sempre me vi como mãe.
    Não é nem um pouco fácil, a vida fica ainda mais corrida, a gente se dedica mas vive com o conflito da culpa…. é uma loucura. Maravilhosa, mas uma vida louca. Eu e meu marido nunca deixamos de sair, de viajar, de nos curtir… conciliamos tudo.
    O que eu costumo dizer é que se fizermos uma lista de prós e contras os contras de se ter filho são muito fáceis de listar e entender, mas o pró (que é um amor nunca sentido antes) é intangível. A gente só conhece vivendo.
    E por essas e por outras que eu acho que a decisão de NÃO ter um filho é MUITO mais DIFÍCIL do que a decisão de tê-los, uma vez que é isso que a sociedade espera de nós.

  284. #476
    angel
    02.12.2014 - 15:25

    Olá deixa eu te perguntar estou com dudúvida cruelas me ajude por favor gostaria de saber se posso usar um macaquinho para ser madrinha no civil?

  285. #477
    02.12.2014 - 15:50

    Nossa, bombando os comentários…rsrs
    Tenho 46 anos e nunca pensei em ser mãe. Sou jornalista, casei há 12 anos e meu marido também nunca foi fanático. Por isso, curtimos a vida e brincamos que empenhamos o “dinheiro da faculdade e do primeiro carro dos filhos” em viagens e lazer pra nós mesmos. Adoro criança e tenho grande facilidade para cuidar delas. Também sou professora e me especializei em educação infantil (super incoerente para a maioria dos que me conheceram nessa fase)e dei aulas até o último ano da faculdade de comunicação. E posso garantir que mesmo “mais madura” só me orgulho da minha decisão: assim como não nasci com aptidão para exatas, não nasci com inclinação para procriar. Pra mim a maternidade é tipo um dom: ou vc tem ou não tem. O que acontece é que a maioria das mulheres ligam o piloto automático e quando se dão conta estão trocando fraldas. Mas insisto que precisa ser uma decisão pensada. Somos muito mais que um útero. Sinto que minha decisão não é questionada, mas sim invejada. Rsss

  286. #478
    02.12.2014 - 15:58

    Cony,

    Tenho 2 filhos. E super entendo o seu momento. Tb não me imaginava grávida mais nova. Falava quando criança q não teria filhos. Até q casei (na verdade, juntei) e depois de 4 anos o marido começou a insistir. Eu tb queria uma família com filhos, mas não sabia se seria o momento. Resolvi aceitar e passei por uma grande transformação. Gosto muito de ser mãe e vejo q foi a decisão correta naquele momento (tanto q o segundo quem quis ter fui eu; marido concordou dp). Mas entendo os seus argumentos pq já me senti assim. E, se vc continuar pensando assim, tudo bem também. Pior eu acho quando a pessoa decide ter um filho pela pressão (namorado, marido, família) e dp terceiriza tudo, sem dar a atenção que uma criança precisa. Se não vai criar, para quê vai ter, não é verdade? Pq muda muito a vida sim, se vc realmente quiser se dedicar ao cuidado de outro ser humano. Mas vejo muita gente q não quer se dar ao trabalho e delega praticamente tudo à avó/babá/creche.

  287. #479
    Daniela Viggiano
    02.12.2014 - 16:08

    Engravidei aos 24 anos depois de um namoro de 6 meses.Na época cursava o 7º período de biomedicina e foi super complicado pra mim me alternar entre faculdade e bebê.Tranquei 6 meses para poder amamentar e só então voltei a estudar.O namoro/casamento com o pai dela não durou muito depois do nascimento e nos separamos quando ela tinha 5 meses.Foi a melhor coisa que fiz na minha vida dada a nossa imaturidade!!!Fiquei um bom tempo sozinha, não queria namorar ninguém e outro filho não passava pela minha cabeça…até eu conhecer meu atual marido.Ele acolheu minha filha como se fosse dele,os pais dele tbm morriam de vontade de serem avós, assim tivemos uma filhinha que hj está com 7 anos.Minhas filhas são tudo pra mim…às vezes sinto falta de um tempo só, mas essa foi a vida que escolhi e não me arrependo!

  288. #480
    Raquel
    02.12.2014 - 16:13

    Estou grávida!
    Tenho 32 anos e sou casada há 6. Sempre adiei esse momento, muita insegurança, medo de não gostar da brincadeira. E meu marido compartilhava do mesmo medo.
    Usei muito pouco anticoncepcional na minha vida (comentei no seu outro post sobre isso) e a tabelinha sempre funcionou… até agora.
    A ficha ainda não caiu totalmente. Meu maior medo é não ter nascido com esse tal “chip” materno que todos dizem que está aqui dentro. E se eu vim com defeito? E se eu não gostar dele?
    Sou muito independente e ter que cuidar de alguém vai ser uma experiência no mínimo interessante além de muito exaustiva, mas tenho fé q vou me adaptar.
    Não li todos os comentários acima, mas dos que li parece que mesmo as que “hoje fariam diferente” ainda assim gostaram da experiência.
    Sou muito racional e isso não ajuda muito… vejo o bebê como um outro ser vivo, assim como eu, e tão filho de Deus como eu. Vejo ele de igual para igual. Mas sei que terei que ensiná-lo a viver e sobreviver… uau.. que desafio!
    Mas é isso aí… por alguma razão estamos juntos nessa e não resta outra alternativa a não ser trilhar esse caminho juntos e da maneira mais harmônica possível.
    Me deseje sorte!

  289. #481
    Marcely
    02.12.2014 - 16:18

    Cada asneira nos comentários que chega a irritar!!!
    Eu n quero ter filhos e graças a Deus meu marido divide a mesma opinião que eu. Somos muito felizes e COMPLETOS SEM FILHOS e assim continuaremos. Temos uma filhotinha de 4 patas (york linda de morrer) e o amor pode n ser o mesmo q mães de humanos sentem, mas pra gente é tão incondicional quanto.
    Única coisa q tenho CURIOSIDADE, é de sentir um serzinho crescer dentro de mim, mas SÓ… Acompanhei amigas q passaram pela maternidade e tô FORA!!! N tenho paciência, não quero me anular, n quero deixar de ter tempo p mim, n quero abrir mão de poder viajar… Fora o mundo de hj, o caos, a já falta de água… E o q ainda tem por vir… Enfim…

  290. #482
    Clarissa
    02.12.2014 - 16:33

    Oi, Cony… Achei muito corajoso este teu post, tenho visto cada vez mais mulheres com estes questionamentos, falando da total ausência do tal “instinto maternal”, se sentindo pressionadas por não quererem crianças… Eu sou mãe de 2 meninas, mãe tardia, comecei com 32, só tenho um conselho para vc: congele seus óvulos, e nem pense em engravidar depois dos 40! A medicina diagnóstica evoluiu muito, porém, os riscos continuam os mesmos…
    Acho que a maternidade é uma bênção para quem tem jeito para coisa, mas pode ser um castigo para quem não tem… Que bom que agora podemos escolher em que grupo estamos. bjo

  291. #483
    Juliana
    02.12.2014 - 16:50

    Eu tb não quero ter filhos. Nunca quis, nem qd era mais novinha.
    Com a minha decisão de parar de tomar anticoncepcional, ontem finalmente fomos na consulta tão esperada com a urologista para meu marido fazer a vasectomia.
    Acreditam que ela disse q não faz em homem q não tem filhos. Que não quer fazer pq as pessoas se arrependem e dai querem filhos…
    O detalhe é q ele ja tinha consultado com essa mesma médica 10 anos atrás querendo fazer e ela não fez pq ele era muito novo. Agora 10 anos depois (ele tá com 41 anos e eu com 37) ele continua querendo fazer e continua não querendo filhos e ela não quer fazer pq ele pode se arrepender e querer filhos no futuro.
    Como assim???
    Será q ela bebeu? rss

  292. #484
    Lu
    02.12.2014 - 16:52

    Cony, muito bom esse post! Se eu fosse homem juraria que vocé é minha alma gêmea perdida! A cada dia me identifico mais com você! Eu penso exatamente igual. Sou casada, por sorte, meu marido também é super tranquilo com relação a isso. Somos muito bem realizados profissionalmente, viajamos muito, temos amigos, dois filhos de quatro patas, que volta e meia ficam em hoteizinhos ou na casa dos “avós”. Adoro criança, mas não quero ser mãe. Acho que cada um tem sua ideia de realização. Nem todo mundo quer filhos ou “precisa” de filhos para completar sua vida e ser feliz. As pessoas precisam entender que optar por não ter filhos não faz de você uma pessoa ruim, mas, julgar as pessoas que fazem escolhas diferentes da sua, faz.

  293. #485
    Angela
    02.12.2014 - 17:43

    Oi Cony! Compartilho da mesma opinião que você!
    E, lendo alguns comentários, concordei com alguns e tive muita preguiça de outros.
    Acho um absurdo a afirmação de que vc só conhece o amor verdadeiro quando se é mãe! Amo meus pais acima de qquer coisa! Tenho uma afilhada e mais um sobrinho a caminho e os amo mais do que tudo! Isso não é amor verdadeiro por acaso???
    E outra, concordei muito com a moça (não lembro o nome) que afirmou que tudo acontece como e quando deve acontecer.
    Tenho 35 anos, solteira, sem namorado e estou muito bem assim obrigada. Meus pais não me criaram para casar e ter filhos. Eles me criaram para ser feliz e fazer o q eu queira – inclusive casar e ter filhos se eu quiser.
    Lógico que ainda ouço críticas ou “cutucadas” do tipo “e quando vc vai ter um tb?” (inclusive sobre namorados) e normalmente respondo que será quando e SE eu quiser.
    Minha irmã sempre afirmou q não casaria. Casou aos 40, minha afilhada nasceu quando ela tinha 41 e agora, aos 43, dará a luz a um lindo menininho! Pronto! Aconteceu o que era para ser! E, antes q alguém critique ou pense q ela teve uma gravidez de risco… balela!!! O que importa é a tua saúde e não a sua idade! Ela teve uma gravidez mega tranquila e está super feliz! Mudou de ideia e está bem!
    Se um dia eu mudar de ideia, ok, mas por enquanto, estou bem assim. Trabalho, saio, viajo, estudo para concursos e babo muito na minha afilhada! Tb tenho um “sobrinho postiço” que amo muito!
    Não querer ter filhos não tem qualquer relação com não gostar de crianças! Conheço gente que nunca gostou de criança e mesmo assim teve filhos…
    O que as pessoas tem que aprender é a respeitar a opinião alheia. O que é bom pra vc pode não ser para mim e vice-versa e não tem qualquer problema nisso!
    Não existe uma “fórmula para felicidade”. Você faz suas escolhas e, se quiser mudar de opinião, é só mudar, oras!

  294. #486
    Fabiana
    02.12.2014 - 18:49

    Já comentei várias vezes acima, mas vai o último comentário: Tenho uma avó de quase 97 anos, isso mesmo, ela nasceu no inicio de 1918! 1918!!! E nunca, nunca mesmo ela me questinou por eu não querer ter filhos ou tentou me fazer mudar de ideia. Sempre respeitou minha decisão. Agora fico impressionada ao ler alguns comentários acima de mulhereres tão jovens e tão preconceituosas, falando tanta bobagem. Quanta intolerância. Que triste!!! Esse mundo vai mal mesmo…

    • #487
      Alessandra
      03.12.2014 - 19:38

      Fabiana

      Adorei sua avó, mesmo sem conhecê-la!

      Tenho profunda admiração por pessoas que respeitam as escolhas alheias sem julgá-las ou querer impor algo.

      Imagino uma senhora, com seus cabelinhos brancos e essa sabedoria de entender que o ser humano é livre para fazer escolhas e não precisa seguir “receita de bolo” para ser feliz.

  295. #488
    ana luisa
    02.12.2014 - 18:57

    Não quero ser repetitiva, mas com esses 4.976.899 tratados-comentários anteriores, não dar pra ler tudo! Venho pra dizer que saí do sério lembrando de um post antigo, o “10 coisas que mais odeio em restaurantes” ou algo parecido, quando uma leitora, respondendo a polêmica sobre odiar crianças em hotéis, disse que o cachorrinho dela é que era educado, ficava quietinho embaixo da mesa e não atrapalhava o almoço de ninguém. Decidi que depois dessa, não diria nada mais a respeito da comparação crianças x animais. Acontece que não dá, gente! A decisão de não ter filhos é pessoal e muito corajosa, pois bate de frente com uma exigência social que toda a mulher passa em um momento da vida. Eu sou mãe e sei o porre que foi quando já tinha mais de 30 e era a irmã solteirona, a encalhada, egoísta e por aí vai. E hoje ainda me cobram, pois tenho duas, mas “falta ter um menininho… e o terceiro, chega quando?” Foi minha e do meu marido a decisão, não nos arrependemos e sabemos de todos os percalços que a vida de pais proporciona. E também tenho um gato. O mais velho da turminha, meu filho peludo e sei todo o carinho e amor que esses seres são capazes de proporcionar. Mas aí vem a questão da comparação: gente, filhos (os biológicos) são gerados pela mulher, que passa os nove meses de uma gravidez plena ou cheia de complicações, pra ter um parto que é uma experiência das mais loucas que um ser humano pode passar. O filho vai crescer, falar, andar, ficar doente e te tirar o sono diversas vezes durante a vida, ir pra escola, começar a recusar o beijo de despedida, ficar sozinho em casa pela primeira vez, namorar, passar no vestibular, viajar com os amigos. Pronto, cresceu. Ficarei extremamente feliz se minhas filhas gozarem todas essas fases com a certeza de que dei ferramentas suficientes pra isso. Elas não são meu mundo. Mas eu abrí as portas do mundo pra elas. Voem e sejam felizes. E vem o meu gato: meu marido, na época namorado e eu, decidimos ter um bichinho e optamos pelo gato pelo nível baixo de demanda, já que não se precisa passear gatos, nem banhos constantes etc. Tiramos a sorte grande pois ele é extremamente dócil e carinhoso e tem acompanhado nossas aventuras de filhos, mudanças, países novos, com a sabedoria e placidez de um Buda. Mas ele não vai pra escola. Não me questionará sobre minha roupa ou o que escolhi pro almoço de hoje. Ele fica sozinho em casa desde pequenino e quando viajamos deixamos alguém para visita-lo e trocar a comida e água. Eu não o verei ir a universidade, ir morar sozinho ou sair com os amigos. Eu o terei até no máximo uns 18 anos (e me arrepio só de pensar). Porque ele é um gato. Fui a uma loja e o escolhi. Não assinei milhões de papéis nem enfrentei filas de adoção ou banco de esperma. Só abri a carteira e comprei um amor que sei que um dia será só lembrança. Filhos não são lembranças. São lembretes constantes de atenção e cuidado, de carinho, amor e mais atenção. Pra vida inteira. Deu pra entender a minha indignação com a comparação??? Minhas filhas não vão pro restaurante e ficam quietinhas embaixo da mesa a roer um brinquedinho. Não viajam numa caixinha dopadinhas. Uma leitora aí acima se colocou muito mal e foi apedrejada. Não quero defendê-la mas talvez ela tenha desejado dizer algo parecido. Eu quis comparar as responsabilidades e o mundo de coisas que ter um filho acarreta, e acho admirável quem decide por tê-lo como que decide o contrário.

    • #489
      Sthé
      02.12.2014 - 22:53

      Adorei seu comentário!! Por mais que um bichinho seja tudo de bom, não se compara a uma criança, que vai crescer e passar todas as fases da vida que você descreveu. Eu fiz 23 anos a pouco tempo, e senti a necessidade de ter meu próprio espaço e fui morar sozinha. Tem sido ótimo, mas a minha mãe tem tido dificuldades em se adaptar com essa nova fase, com mais esse ciclo que começa…Provavelmente ela não teria essa dificuldade se eu fosse um cachorrinho
      Obs: Que fique claro que eu adoro bicho, acho que eles são super companheiros e enchem nossa vida de alegria. Apenas acho que comparar o amor e dedicação a um animal com o de uma criança é forçar demais a barra!

      • #490
        Constanza
        03.12.2014 - 01:07

        Criança não me comove o tanto que cachorro me comove… Vejo um bebe e ok bonitinho. Vejo um
        Cachorro e fico doida querendo pegar cuidar abraçar kkkkkk

        • #491
          Marcia Aguiar
          03.12.2014 - 13:51

          Toca aqui, amiga! Eu penso do mesmo jeito. Uma vez estava na praia com uma amiga e havia um casal com um bebê lourinho e um filhote de labrador. Minha amiga disse “olha que lindo!” Eu perguntei: “o labrador?” Ela morreu de rir, pois estava falando do bebê. 😉

        • #492
          Alessandra
          03.12.2014 - 19:34

          Estou no time dos amores de 4 patas!

          Moro em apartamento, mas quando me mudar para uma casa adotarei muitos filhos caninos.
          Eu e meu marido até colocamos isso no plano financeiro que fazemos para o futuro.

      • #493
        Alessandra
        03.12.2014 - 20:21

        Nossa, Sthé.

        Será mesmo que sua mãe se adaptaria bem se o amado cachorrinho fosse viver longe dela?

        Minha mãe mora no interior do RJ e eu na capital.
        Nem sonho em trazer pra morar comigo a York que temos juntas porque sei que a dor seria imensa. Ela sofreria muito!

        E fora que iria rolar um MMA com nocaute em favor dela kkkkkk

        • #494
          Alessandra
          03.12.2014 - 21:13

          * a favor

    • #495
      Marcia Aguiar
      03.12.2014 - 13:54

      Aproveitando para dar uma dica: no próximo gato, não compre! ADOTE1 Existem milhares de gatos (e cães) nos abrigos precisando de um lar. 😉

      • #496
        Mara
        03.12.2014 - 16:08

        Eu tb sou do time que se comove mais com animais do que com crianças hehehe

  296. #497
    Aurea Santos
    02.12.2014 - 19:14

    Nossa Cony, seu post caiu como uma luva para mim e me identifiquei super! Muita gente não entende minha decisão pela “não maternidade”. Sou questionada todo dia e percebo que algumas amigas não tem mais o que falar comigo, pois o papo sempre gira em torno de filhos, fraldas, babás e papinhas rs Amo criança, amo meus sobrinhos mas não quero a obrigação de mudar minha vida. Lembrei de quando eu era criança. Eu não brincava de boneca. Eu era professora, dona de banco!!! Nos meus sonhos eu queria ser ryca e mandar em todo mundo kkk Hoje sou executiva e amo minha liberdade e sou feliz com meu marido que compartilha da mesma opinião que eu. Vou fazer 40 anos e se eu me arrepender, adotarei. Tanta criança precisa de amor. E na velhice, não quero obrigar ninguém a cuidar de mim. Casei com uma pessoa 10 anos mais nova que eu que vai trocar minha calça plástica kkk e se ele não quiser fazer isso, terei $$$ para pagar alguém. Seja feliz com sua decisão porque sou muito feliz com a minha… mesmo com tanto questionamento e preconceito!

  297. #498
    Stefany
    02.12.2014 - 19:16

    Nossa, muitos comentários… =O
    Bom, eu tenho 24 anos, e até uns 22 não tinha filhos em mente pro meu futuro. Nem casar, nem nada. E eu acho uma coisa normal, tem gente que não quer, acha que não tem o dom, tem outras prioridades… etc.. algo que deve sim ser respeitado pela sociedade.

    EU já sinto o peso contrário, quero ter filhos, mas quero uma carreira como cirurgiã, estou na faculdade de medicina, tenho que encarar uma residencia depois…. e o relógio biológico voando. isso me deixa desesperada

    UMA OBSERVAÇÃO: O BOOM DE 40 ANOS…. GENTE, ESTAMOS VENDO MUITAS CELEBRIDADES TENDO FILHOS DEPOIS DOS 40 E PARECE QUE ESTÁ TUDO OK COM ESSA PRÁTICA. BOM, DEPOIS DOS 35 ANOS AS CHANCES DE UM FILHO NASCER COM UM PROBLEMA GENÉTICO AUMENTA BASTANTE… NÃO QUERO DIZER QUE QUEM TEM MAIS DE 35 NÃO DEVA TER FILHOS, NÃO É ISSO, SÓ PRECISA TER ISSO EM MENTE E SE POSSÍVEL SE PROGRAMAR ANTES. E PARA OS HOMENS A IDADE É 40 ANOS. DEPOIS DISSO AS CHANCES AUMENTAM MUITO DE FILHOS COM DOENÇAS GENÉTICAS .

    abraços!

  298. #499
    Kelly
    02.12.2014 - 19:17

    Tenho 45 anos, sou casada há 23 e não tive filhos por opção. Não me arrependo da minha decisão. E esse argumento de “quem vai cuidar de você na velhice?” é extremamente infundado. Vejo vários pais abandonados por seus filhos. E EU vou me cuidar para ter uma boa velhice. Amo crianças, tenho sobrinhos e até onde sei eles também me amam. Minha decisão foi tomada com base na razão e não na emoção.

  299. #500
    monica
    02.12.2014 - 20:17

    Cony…vc conseguiu ler todos esses comentários? Muito bom, cada hora entro e leio um pouquinho bjs

    • #501
      Constanza
      02.12.2014 - 22:39

      To tentando. Mas não da pra ler tuuuuuuuudo não rs

  300. #502
    Karine
    02.12.2014 - 21:42

    Eu era uma das que torciam o nariz quando via alguém que não queria ser mãe, por eu ter um instinto desde sempre maternal muito forte. Era aquelas crianças que colocavam a almofada na barriga fingindo gravidez sabe? Porém, os anos foram passando e eu cá estou eu com 27 anos e só penso e ter filhos com uns 30 ou mais e logo não julgo quem não quer ter. Por que se formos parar para pensar a mulher é que passa por todos os percalços da gravidez, e depois da gravidez. O pai ajuda? Ajuda, mas ele não vai carregar o filho durante 9 meses, não vai engordar, não vai dar de mamá. O homem continua trabalhando, indo pro bar enquanto a mulher fica com o bebê. E sei que muitas vai falar ”Mas meu marido ajuda” e sim tem maridos que ajudam sim, porém a responsabilidade MAIOR é da mulher, não tem jeito.

  301. #503
    Alinne Andrade
    02.12.2014 - 21:58

    Eita Cony, tô numa encruzilhada. Ano que vem faço 35 e minha cabeça tá um turbilhão. Tenho duas sobrinhas, sempre gostei muito de criança, mas depois que elas duas nasceram minha visão e meus sentimentos mudaram muito. É um amor tão grande que eu sinto por elas que fico imaginando quando tiver o meu. Mas, ao mesmo tempo as preocupações, problemas e projetos vão me fazendo adiar essa decisão e o relógio tá correndo.

    Dá trabalho sim, eu vejo. Passo um dia inteiro com uma delas e caio morta na cama. Rs

    Não sei se vou ser mãe biológica um dia, mas tenho essa vontade sim. Se eu VENCER sempre existe a adoção e sou completamente aberta a isso. Ah, e esse ponto é polêmico também porque muita gente vê com maus olhos dizendo que vc não sabe de “onde” aquela criança veio e os problemas que ela pode te trazer. Já ouvi isso. Rola muita cara feia. E vc pode ter problemas tb com quem saiu de dentro de vc uai.

    Quanto a não ter filhos e não ter quem cuidar de você na velhice acho balela tb. Conheço várias pessoas sozinhas cheias de filhos.

    Minha mãe tem sorte, tem 63 e hj está com meu irmão. Ela se sentiu sozinha demais depois que fui embora e pra ajudar eu saí de casa e mudei pra bem longe. Teve 4 filhos! Sempre falo: “Não sei como vc não enlouqueceu.”
    Eu morava com ela antes de casar e quero ela de volta. Ela sabe que vai sempre poder contar comigo e já falei que vou sempre estar com ela e cuidar de tudo que ela precisar. Ainda roubo minha mãe de volta!

  302. #504
    Helen
    02.12.2014 - 22:26

    Aumento ainda que tardiamente o coro. Tenho 37 anos, casada há 3, e não terei filhos.
    Sequer penso, como me foi recomendado, em conservar óvulos p futuro incerto.
    Desde jovem, dizia q não queria filhos, as vezes, soltava a hipótese de adoção…
    Mas do meu ventre…nunca.
    O tempo passou, casei-me com um homem q já possui filhos, e não tem qq interesse em mais um, ou uns.
    Caso pensado ou não, p mim foi excelente.
    Lamento, mas não acho q filho é a chave para felicidade, ou solução para solidão da velhice.
    Claro que as vezes me pergunto se sou má, fria, diferente. Mas a resposta é sempre a mesma. Ter filhos por ter, p provar algo, p agradar ou por via das dúvidas, é inaceitável. Na verdade nunca fui mto afoita com crianças, e sempre fui a única da sala a não babar no recém nascido que adentra o recinto. Então, prossigo meu caminho certa da minha escolha e sozinha.

  303. #505
    Ana Lucia Machado
    02.12.2014 - 22:31

    Ilka, claro que falo por mim mesma, não sei de nada da vida de ninguém! Cada um com seu cada um, né? Mas vc tem que concordar comigo que abrir mão de uma vida de blogueira com viagens, festas e eventos é mais complicado. Ou não, depende do momento. Antes de ser mãe tive uma vida social intensa, mas de repente aquilo tudo passou a ser fútil e superficial. Depende de cada uma.
    O vazio a que me refiro é um vazio emocional, não um vazio de vida sem ter o que fazer. Compras, festas, badalação são bons até uma hora que deixam de ter sentido.
    Ter filho não é condição essencial, tem gente que não consegue engravidar e aí, vai fazer o quê? Não vai deixar de viver a vida, nem ser cidadão de segunda classe por isso. Mas ter filho faz parte da vida, senão não estaríamos aqui. É uma escolha? Sim, hoje em dia cada vez mais frequente. É melhor não ter do que criar sem amor. A maternidade me completou? Sem dúvida. Faria tudo de novo.
    Mas bom pra você também que não acha que te faz falta.

  304. #506
    Beatriz
    02.12.2014 - 22:43

    Adorei esse post. Durante muito tempo disse que não queria ter filhos, não sentia esse tal relógio biológico apitando. Avisei ao meu marido logo nas primeiras semanas de namoro, e adorava o fato dele já ter uma filha de outro relacionamento, o que tirava de mim esse peso. Depois de sete anos casados, hoje temos um bebê de 4 meses, fruto de uma gravidez super planejada, pois mudei de ideia no meio do caminho. A maternidade me faz muito feliz, amo muito o meu bebê, mas só tomei a decisão de tê-lo quando percebi que conseguiria conciliar a maternidade com outros aspectos da minha vida pessoal e profissional. Acho que era essa ideia expressa em alguns comentários acima, de que a mulher precisa abrir mão de tudo e se anular para ser mãe, repetida a exaustão por muitas pessoas da família e conhecidas, que me fazia desistir da ideia. É claro que o bebê dá um trabalhão, o ajuste à nova rotina no início é difícil. Mas tenho sorte de ter um marido que me ajuda muito nos cuidados com o bebê, o que é fundamental para conseguir conciliar essa “nova vida”de mãe com a minha vida antiga. Mas a turma da patrulha é muito chata. Estou muito feliz com o meu bebê, mas, aos 36 anos de idade, não me vejo tendo outros filhos além dele. Acho que um é o meu limite. Aí algumas pessoas que antes me enchiam a paciência porque eu dizia que não queria ter filhos agora ficam dizendo que “filho único é muito triste” etc e tal. Ou seja, não importa o que você faça, parece que quanto mais feliz você está, mais gente chata fica patrulhando sua vida.

  305. #507
    02.12.2014 - 22:51

    esse post é tão eu hahaha Ainda tenho muito tempo pra mudar de ideia mas para eu é uma certeza não querer ter filhos. Os motivos são muitos e não me vejo mudando de opinião quanto a isso. Não sofro pressão por parte da minha família e também não teria um filho pra agradar ninguém. Acho que filho deve ser uma decisão muito segura pq é uma vida que está em jogo.
    Outra coisa que não consigo aceitar é quem tem o segundo filho pra fazer companhia pro primeiro. Parece que não passa de uma obrigação dar um “irmãozinho” pro primeiro filho.
    Enfim, adorei o texto Cony, relata a situação de grande maioria das mulheres atualmente..
    Parabéns pelo teu trabalho, tornou o futilish um blog que vai muito além de futilidades e com certeza ajuda muita gente!
    Bjssss

  306. #508
    Ste
    02.12.2014 - 22:55

    Meu Deus, nunca vi esse assunto sendo discutido dessa forma, estou chocada Cony com suas opiniões pois compartilho das mesmas ideias, mas aprendi que elas não podem ser ditas em qualquer lugar, as pessoas simplesmente não me entendem, sou casada há 2 meses e estou em um relacionamento de 5 anos, nunca me imaginei sendo mãe…Tenho pavor de gravidez, tomo anticoncepcional há 5 anos ininterruptamente, não dou nem a pausa dos 7 dias. Noto que as pessoas quando querem engravidar enfatizam os lados positivos da maternidade, eu penso completamente ao contrário, só penso nos negativos… Eu e meu marido até brincamos quando vamos sair que ainda bem não temos filhos, que é menos uma pessoa para arrumar.Rs Penso demais no trabalho que uma criança dá pois para ter é importante cuidar direito. Criar de qualquer jeito ou delegar essa função é muito fácil e é o que a maioria dos pais fazem.

  307. #509
    Alessandra
    02.12.2014 - 23:07

    O preconceito velado é o pior tipo.

    Acho absurdo questionar quem teve filho assim como é absurdo questionar quem optou por não ter e começar o blá, blá, blá de que filho te faz uma pessoa melhor, que te completa ( preconceito velado)

    E vejo que o preconceito, aqui no Brasil, tem relação direta com machismo. Me espanta tanto o machismo vindo de mulheres…

    Ainda tem quem adote o velho clichê de que mulher nasceu para ter filhos, como se toda a vida e essência do sexo feminino estivesse resumida a um útero.

    Lembro que quando morava na Alemanha, nunca fui questionada por conta da escolha de não ter filhos, assim como nunca vi espanto quando uma mulher com 2 ou 3 filhos expressava a vontade de ter mais 1.

    É tão simples( ou deveria ser); umas optam por ser mãe e outras não.
    Cada um sabe o que traz felicidade, seus anseios e sonhos e as escolhas pessoais não devem ser questionadas e muito menos a sua própria deve lhe dar a impressão de superioridade (emocional, espiritual ou de qualquer outra natureza)

    Há quem seja tão preconceituoso que chega ao ponto de questionar a capacidade reprodutiva do outro, como se quem não quisesse ter filhos usasse isso como escudo por ter algum problema relacionado a fertilidade.

    Trabalhei 7 anos em uma clínica de fertilização in vitro e lhes digo que, hoje em dia, a medicina reprodutiva está muito avançada.

    • #510
      Angela
      03.12.2014 - 11:43

      Nossa Alessandra, excelente seu comentário!
      Concordo plenamente! Preconceito de qquer um dos lados é inadmissível, mas infelizmente acontece.
      Já vi um comentário aqui, por ex, falando q quem não teve filhos depois dos 30 deveria admitir q o “plano não saiu como queria” e agora fica racionalizando, inventando desculpas para si mesma.
      E quem disse que, pq não queremos ter filhos o “plano não saiu como queríamos”? Quem disse q para ser feliz tenho que casar e ter filhos? Quem disse o contrário?
      Cada um faz as suas escolhas e pronto! E se quisermos ou não mudar de ideia mais tarde, tb é problema de cada uma de nós…
      Deveria ser simples né?! rs

      • #511
        Alessandra
        03.12.2014 - 19:26

        Sim, Angela. Deveria ser simples massssss o preconceito correndo nas veias impede algumas mulheres de sair, por alguns segundos, do seu ponto de vista (convicto, imutável e cheio de argumentos que convencem a si mesma mais do que aos outros) de enxergar com amplidão.

        Esse comentário que você citou é prova disso!
        Olhar o outro com preconceito ( adoro pósconceito e odeio pré-conceito, como todos os casais que optam por não ter filhos, fossem “frustados porque no fundo queriam, mas não conseguiram”.
        Seria o mesmo que dizer que todos os casais com filhos, na realidade, não queriam, mas a gravidez não planejada aconteceu e eles fingem estar felizes. Patético isso!

        Pelo amor de Deus! Tem Pokemon que não evoluiu ainda!

        Além disso é cruel com quem tem problemas com fertilidade e a estas, eu deixo minha certeza de que vale a pena investir e ter paciência (o tempo de Deus é diferente do nosso) e que tem profissionais e profi$$ionais por aí.

        Repito que a medicina reprodutiva está muito avançada e fico na torcida para que realizem este sonho!

  308. #512
    ALEXANDRA
    02.12.2014 - 23:31

    Pena para você !! se optar por não , nao vai saber qual é o MAIOR amor do mundo !! Boa sorte na sua vida !!

    • #513
      Constanza
      03.12.2014 - 01:15

      Pena por vc que teve que ser mãe pra encontrar o “amor maior”. Eu hein. Aprenda a ser feliz e ter amor sozinha tb que sua vida será bem melhor e reduzirá MUITO o risco de decepções.

    • #514
      Alessandra
      03.12.2014 - 20:07

      Ai,Jisus!

      Sinto vergonha alheia queimando minha face!

      • #515
        Djeine
        04.12.2014 - 16:26

        Alexandra I: O maior amor do mundo é o amor próprio. Você conhece esse?

    • #516
      Alexandra (outra rs)
      04.12.2014 - 15:36

      Ai ai nossa quanto incomodo com a decisão de outra pessoa (Cony) rs…

  309. #517
    03.12.2014 - 00:03

    Uau, posso assinar embaixo? Você expressou exatamente o que penso sobre maternidade e várias vezes já me questionei se eu sou ‘normal’ porque o danado ‘desejo de ser mãe’ não aflorou em mim que já estou com 33 anos e pressinto que não irá acontecer tão cedo, ou melhor nunca. Aproveito pra dizer que adoro o seu blog, leio sempre, você me influenciou até na minha primeira viagem internacional: Chile, que amei por sinal. Beijão!!!

  310. #518
    Babi
    03.12.2014 - 00:07

    Boa noite meninas,
    então,acompanhei os comentarios… achei muito bacana como cada uma expõs seu ponto de vista respeitado o da próxima.
    No meu caso sempre quis ser mãe… casei, planejamos ela veio e posso dizer que sim ela me faz muito feliz. É uma luz na minha vida, minha companheira… mas como tudo na vida tem seu lado bom e seu lado mais dificil… não falo ruim pq penso que tudo é aprendizado e se é para nosso crescimento, não é ruim, apenas dificil. É uma forma de ver a vida depois de passar por alguns momentos dificis.
    Mas sou bem clara com minhas amigas que querem engravidar… tem que querer antes de tudo, tem que estar pronta. Poucas são as mulheres que são pegas de surpresa e encaram bem e se dão bem nessa pq realmente exige renuncia, dedicação, se colocar em segundo lugar… e eu acho muuuuito bacana qdo a pessoa fala que não é a praia dela… que curte criança mas não 24 horas em sua casa… pq a realidade é que não desliga e tem dia que da vontade sim de sair correndo, grtar na janela… enfim. Mas logo ela sorri e penso em tudo que me faz feliz com ela. E que estou aonde gostaria de estar!!!
    Tenho uma amiga que não quer engravidar e sofre muito com a pressão das pessoas… que na verdade são moralistas e muitas vezes pensam assim e por pressão da sociedade tem o filho, casam, enfim fazem coisas que não gostariam.
    É isso, muito bacana o debate, gostei.
    bjos e até o próximo

  311. #519
    vivi
    03.12.2014 - 00:13

    Olá tenho 39 anos casada a quase 20 anos e nunca tive vontade de ser mãe. Quem foi que disse que n podemoa ser felizrs só nós dois.. engravidei sem querer , mas perdi com 4meses. E sinceramente, n nme vejo como mãe, então tudo há propositos.Sigo nao querendo , egoístas, ok, sou mais e daí a decisão é minha. Sem filhos dá pra vivwr muito bem, mas aem um grande amor nao. Isso eu tenho.

  312. #520
    Fernanda Barbosa
    03.12.2014 - 00:23

    Esses posts sempre rendem horrores, kkkk! Confesso que não li todos os coments por pura falta de tempo, não de vontade.

    Como muitas também contaram, até os 25 anos mais ou menos eu também achava que não queria ter filhos. Fiquei noiva e falava sobre isso com meu noivo na época. Ele não se opunha. Até que logo após terminar meu noivado conheci meu atual marido aos 26 anos e, aos 27, nos casamos. Ainda continuava não querendo ter filhos e o fato de ele já ter sido casado e ter tido um filho desse primeiro relacionamento me deixou muito confortável.

    Após 4 anos de casados, muitas viagens, festas e vida social intensa ele começou a falar em filhos, mas sem pressão. Acho que cansou de esperar meu relógio biológico dar o ar da graça, rsss.

    Comecei a cogitar a ideia, em princípio, bem mais por ele que por mim. Não me julguem, isso é natural quando existe amor, pensar no que faria o outro feliz. Nesse caso, acho que a decisão deve ser de ambos.

    Profissionalmente estava em um momento onde meu trabalho estava sendo super reconhecido. Isso me deu muita segurança e tranquilidade para pensar na maternidade e também nas minhas prioridades. Sabia que alguns meses afastada da minha não me prejudicariam.

    Meu marido sempre deixou claro que respeitaria a decisão que eu tomasse,afinal ele já tinha um filho, mas que achava que eu não deveria abrir mão de uma experiência tão fantastica quanto essa. Eu não estava 100% segura de que não queria ter filhos, até porque meus motivos na época eram totalmente egoístas e imaturos (queria acordar tarde nos fds, ir ao salão fazer cabelo e unha, sair sem hora para voltar, não queria engordar, etc…)

    Após quase 1 ano pensando (sim, sou dessas que passam 1 ano pensando, trocando ideias, buscando informação) resolvi parar de tomar a pílula. Em menos de dois meses estava grávida. Foi uma mistura de alegria e medo. Mas depois de passado esse período, foi só alegria. Nunca me senti tão linda e paparicada na vida.

    Hoje meu filhote está com 4 anos e me considero uma pessoa melhor do que era, mais feliz, generosa e organizada. Claro que os dois primeiros anos são os mais difíceis, mas aprendi a administrar o meu tempo (coisa que antes não fazia, pois podia adiar várias tarefas) e a pedir ajuda para a família. Meu marido diz que me admira muito mais depois que fui mãe. Eu me admiro mais. O sexo é menos frequente só que mais intenso. A parceria e cumplicidade entre nós aumentou. Sou mais flexível nas minhas opiniões e decisões. Julgo menos. Sou menos egoísta.Sou menos crítica. Aprendi que não posso controlar tudo e que não sou perfeita. Mesmo com um filho, continuo tendo amigos (aliás minhas amizades aumentaram e hoje as mães dos colegas do meu filhos também fazem parte do nosso círculo). Iniciei meu doutorado. Continuo viajando sozinha com meu marido. Malho todos os dias.O que quero dizer é que no MEU CASO era um medo injustificado e egoísta o fato de não querer ser mãe. Ainda bem que pude ter essa experiência. Tanto que quero engravidar de novo.

    Respeito quem não quer, desde que seja por verdadeira convicção. Aliás, minha melhor amiga, não quer ser mãe desde os 18 anos e é feliz assim.

    No entanto, vejo muitas mulheres na casa dos 30 que ainda não encontraram um parceiro com quem valha a pena ter filhos e acabam fazendo apologia sobre as maravilhas da vida sem filhos. Aí, lá pelos 40, encontram um parceiro e resolvem fazer tratamento para engravidar. Têm todo direito a mudar de opinião, mas seria mais honesto dizer: ” sonho em ser mãe, mas ainda não encontrei um parceiro que valha a pena e não quero fazer uma produção independente. Quem sabe mudo de ideia quando isso acontecer?”

  313. #521
    Priscila Lima
    03.12.2014 - 01:47

    Nao tenho tempo de ler tudo. Mas parabenizo o texto. Ja sabes, adoro o seu blog… Também sou da geraçao No-Mo (No mothers). Beijos Conyta, Deus abençoe nossa decisao!

    • #522
      Constanza
      03.12.2014 - 08:21

      ❤️❤️❤️

  314. #523
    Priscila Lima
    03.12.2014 - 01:51

    Corrigindo: Li seu ótimo texto até o fim… Nao consigo é ler todos os comentarios! rsrs Beijos!

  315. #524
    Nath
    03.12.2014 - 01:58

    Cony, tô adorando cada vez mais seus posts com essas discussões tão atuais!! Esse foi um dos meus preferidos!

    Sempre sonhei em ser mãe, desde muito nova (tenho 26 anos atualmente), mas ainda não pude realizar [primeiro porque sou solteira, segundo porque quero ter certa estabilidade profissional pra isso e etc], mas super entendo quem não quer e pra mim foi uma surpresa [muito boa!] que tanta gente pudesse se abrir de verdade e mostrar o que sente sobre a maternidade.
    Acho que nós, mulheres, estamos no caminho certo, cada vez mais refletindo o que é melhor pra nós e não, apenas cedendo às pressões da sociedade. Quem disse que o que é melhor pra uma é melhor pra todas?
    Como alguém bem falou ali em cima, cada decisão que se toma, sempre vem acompanhada de críticas e questionamentos, então o melhor é seguir o que o coração pede e ser feliz com suas decisões! 😉

  316. #525
    Julia
    03.12.2014 - 02:59

    Você demonstra ser muito insensível para ser mãe, por isso explica o fato de não ter essa vontade. Sua vida é muito material, por isso não está acostumada com o sentimental. E filho não é nada material

    • #526
      Constanza
      03.12.2014 - 10:10

      Sim sim! Minha sensibilidade aflora para outras coisas e nao para a maternidade 😉

      • #527
        Marcia Aguiar
        03.12.2014 - 13:43

        Acho incrível como algumas mães ou futuras mães julgam as pessoas que não querem ser mães. Eu e você (e muitas outras leitoras) somos pessoas horríveis e insensíveis, Cony, porque não fazemos parte da abençoada elite parideira. hahaha!

        • #528
          Constanza
          03.12.2014 - 14:05

          Aposto q somos mais sensíveis que MUITAS mães por aí. A gente é capaz de achar o tal amor maior ser precisar de um vínculo sangüíneo

  317. #529
    Fernanda
    03.12.2014 - 09:12

    Acho chato a mulherada que já passou dos 30 ficar racionalizando e inventando n argumentos para justificar o fato de ainda não ter engravidado (seja porque ainda não tem uma carreira definida, ainda moram com os pais, uma relação estável ou relação nenhuma) e aí começam esse movimento para se livrar da pressão da sociedade “Sou moderna, sou independente e blá, blá, blá”

    Aí quando já estão biologicamente “atrasadas” mudam de ideia e resolvem gastar rios de dinheiro em tratamentos para engravidar. Ué, se eram tão convictas sobre as razões da não maternidade, pra que investir tempo e dinheiro em algo tão desgastante emcionalmente? Não era ” tão maravilhoso não ter filhos” ?!!!

    Hipocrisia na minha opinião. Assuma pelo menos pra vocês mesmas que queriam ter filhos mas que infelizmente o plano não saiu como o esperado e por isso terão que adiá-lo.

    • #530
      Constanza
      03.12.2014 - 09:59

      Eu nunca quis nem antes dos 30 e nem depois. cada caso é um caso, vc nao pode gneralizar!

      • #531
        Angela
        03.12.2014 - 11:38

        Idem Cony! Antes dos 30, na verdade, eu tinha pavor de engravidar. Hoje não chega a tanto rs, mas continuo não querendo.

    • #532
      Bruna
      07.12.2014 - 18:50

      Que vida pequena essa Fernanda deve ter…

      Pergunto-me como pessoas assim conseguem ensinar tolerância e respeito aos filhos.

      Tenho 26 anos, muito longe da natureza me privar de ser mãe, e mesmo assim afirmo que não tenho vontade de sê-lo. Isso não é hipocrisia, é auto-conhecimento e independência suficiente pra saber o que me faz feliz, e não o que uma sociedade, esta sim hipócrita, julga me ser necessário.

  318. #533
    Flavinha
    03.12.2014 - 09:22

    Eu nunca tive vontade de ter filhos, na verdade acho que não tenho nem o perfil, não tenho jeito com crianças, fora as questões “egoísticas” tipo, gosto de não ter horário, de fazer as coisas na hora que quero e bem entendo, ir na academia, de cozinhar qdo tenho vontade… Pra mim essa decisão era tão obvia que ninguém na minha família ou na do meu marido questionou ou cobrou isso. Até que um dia parei de tomar anti pq começou desregular tudo e eu vi que me sentia bem melhor sem ele. Eu e meu marido estávamos nos cuidando daqueeeele jeito, até que um dia fiz o teste, pq já não descia pra mim faz tempo mas não lembrava quanto tempo era isso pq tinha perdido onde tinha anotado. Deu positivo. Chorei muito MUITO. Fiquei em estado de choque por vários dias, não conseguia processar aquela informação. Meu marido ficou muito feliz (na verdade nunca tinha visto ele tão feliz até então) e eu sem reação. Quando descobri já estava de mais de 2 meses. Eu grávida era uma coisa tão bizarra que quando eu contei pra minha mãe ela falou “ah tá bom, ãhrã” e saiu andando. Minha cunhada começou rir e me deixou falando sozinha. E ai passaram-se os dias e eu fui entendendo melhor o que tava acontecendo e passando a ficar feliz e começar a preparar as coisas pra chegada dele. É engraçado como vc começa a se apegar… Mas então quando estava de 24 semanas tive um parto prematuro, ele ficou somente 6 horinhas com a gente e foi embora. É muito engraçado como sua cabeça muda depois que vc engravida, vc passa a fazer tudo pelo seu filho, ele vira prioridade. Quando cheguei no hospital e falaram que a unica coisa que dava pra fazer era ficar internada o máximo de tempo que desse (poderia ser meses!) deitada com os pés pra cima e a cabeça pra baixo sem poder levantar da cama nem pra ir no banheiro, aceitei sem questionar pq a unica coisa que eu queria era que meu filho ficasse bem e saudável. Hoje estou tentando engravidar novamente… vamos ver se agora vai.

    • #534
      Constanza
      03.12.2014 - 09:58

      Como as coisas mudam ne? Respeito DEMAIS pessoas que passaram pelo que vc passou, sei bem que maternidade é uma coisa mt louca e justamente por saber que abdicaria de tudo por um filho, que eu nao quero isso pra mim sabe? Pq amo demais minha vida do jeitinho que ela é, sem horarios, sem grandes responsabilidades, sem ngm me esperando ou dependendo de mim. Mas como vc, se acontecer, obviamente amarei mais que tudo, mas se nao acontecer, melhor ainda rs

  319. #535
    Paula Campos
    03.12.2014 - 09:53

    Ótimo debate! Respeito super quem não quer ser mãe!
    Tenho duas filhas, e são meu bem mais precioso! ♥
    Apenas acho que devemos respeitar a opinião dos outros… Quer ser mãe? Ótimo!! Não quer??? Ótimo tbm! A vida é de cada um para cada um vive-la da maneira que achar melhor!
    Vamos RESPEITAR mais e JULGAR menos!

    Vi esse texto da Cris Guerra e achei simplesmente maravilhoso, define bem o que é ser mãe!

    PRECISAR NÃO PRECISA MAS EU QUERO!
    Dizem: quando nasce um bebê, nasce uma mãe também. E um polvo. Um restaurante delivery. Uma máquina de chocolate prontinho. Uma mecânica de carrinhos de controle remoto. Uma médica de bonecas. Uma professora-terapeuta-cozinheira de carreira medíocre. Nasce uma fábrica de cafuné, um chafariz de soro fisiológico, um robô que desperta ao som de choro. E principalmente: nasce a fada do beijo.
    Quando nasce um bebê, nasce também o medo da morte – mães não se conformam em deixar o mundo sem encaminhar devidamente um filho.
    Não pense você que ao se tornar mãe uma mulher abandona todas as mulheres que já foi um dia. Bobagem. Ganha mais mulheres em si mesma. Com seus desejos aumentam sua audácia, sua garra, seus poderes. Se já era impossível, cuidado: ela vira muitas. Também não me venha imaginar mães como seres delicados e frágeis. Mães são fogo, ninguém segura. Se antes eram incapazes de matar um mosquito, adquirem uma fúria inédita. Montam guarda ao lado de suas crias, capazes de matar tudo o que zumbir perto delas: pernilongos, lagartas, leões, gente.
    Mães não têm tempo para o ensaio: estreiam a peça no susto. Aprendem a pilotar o avião em pleno voo. E dão o exemplo, mesmo que nunca tenham sido exemplo. Cobrem seus filhos com o cobertor que lhes falta. E, não raro, depois de fazerem o impossível, acreditam que poderiam ter feito melhor. Nunca estarão prontas para a tarefa gigantesca que é criar um filho – alguém está?
    Mente quem diz que mãe sente menos dor – pelo contrário! Ela apenas aprende a deixar sua dor para outra hora. Atira o seu choro no chão para ir acalentar o do filho. Nas horas vagas, dorme. Abastece a casa. Trabalha. Encontra os amigos. Lê – ou adormece com um livro no rosto. E, quando tem tempo pra chorar – cadê? -, passou. A mãe então aproveita que a casa está calma e vai recolher os brinquedos da sala. Como esse menino cresceu, ela pensa, a caminho do quarto do filho. Termina o dia exausta, sentada no chão da sala, acompanhada de um sorriso besta. Já os filhos, ah Filhos fazem a mãe voltar os olhos para coisas que não importavam antes. O índice de umidade do ar. Os ingredientes do suco de caixinha. O nível de sódio do macarrão sem glúten. Onde fica a Guiné-Bissau. Os rumos da agricultura orgânica. As alternativas contra o aquecimento global. Política. E até sua própria saúde. Mães são mulheres ressuscitadas. Filhos as rejuvenescem, tornando a vida delas mais perigosa – e mais urgente.
    Quando nasce um bebê, nasce uma empreiteira. Capaz de cavar a estrada quando não há caminho, só para poder indicar: É por ali, filho, naquela direção.
    Cris Guerra

  320. #536
    Taynar
    03.12.2014 - 09:55

    Nossa, Cony, eu sempre leio o seu blog, mas nunca comento (o clichê dos clichês, mas é verdade).
    Enfim, eu penso da mesma forma que você.
    Nunca gostei de me sentir pressionada a fazer nada porque os outros acham que eu devo fazer. A vida que vai mudar é a minha, não é deles.
    Então subitamente eu devo ter filhos pq tenho que ter filhos, mesmo não querendo. Ai nascem as mães filhas da puta, egoístas, egocêntricas, filhos que são largados emocionalmente, ou simplesmente, relações que só se sustentam por tem que se sustentar.
    Gente, eu acredito que crianças merecem mais do que isso. Acredito que crianças merecem pais que as idolatrem e façam tudo por ela.
    Eu não sei se serei esse tipo de pai, logo, não sei se quero ser.
    Acho que se as pessoas simplesmente aceitassem isso, teríamos tão menos problemas. O mundo já tem tantos outros.
    Acho que o que me revolta é o fato de as mulheres serem as primeiras que apontam o dedo na cara e falam “Ahh, mas você TEM que ser mãe”, tenho? Pq?
    Eu tenho que ser feliz, minha filha, e não fazer mal a ninguém, isso sim.
    Mas acho legal que cada vez mais vozes estão se levantando para discutir essa questão.
    Graças a Deus, meu namorado tem uma filhinha, então eu não sofro dessa pressão. Mas não sei como seria se ele não tivesse. Na verdade, pq eu nunca verbalizei o “NÃO QUERO” e mais do tipo “Ah, não sei”, ele nunca pressionou, mas vai saber.
    Enfim, excelente post!
    Beijos

  321. #537
    Vanessa Roriz
    03.12.2014 - 09:59

    Engraçado como três correntes se apresentaram nos comentários :

    1- Ou a mulher tem filhos e perde a vida individual
    2- Ou a mulher tem filhos e os terceiriza
    3- Ou a mulher NÃO tem filhos

    Gente…HELLO….NADA é absoluto!em qualquer decisão que vocês venham a tomar SEMPRE vão existir sacrifícios!a questão é : Qual sacrifício eu quero fazer? e não “vou ter que fazer sacrifícios?” pq esses meu bem, SEMPRE vão existir…ou então retire sua humanidade e vire um robô..

    Enfim! Eu sempre tive o sonho de ser mãe assim como meu namorado sempre teve de ser pai (Thks God!)e essa vontade só surgiu tão poderosa em mim graças a minha própria mãe…somos melhores amigas e acho tão maravilhoso isso que temos que meu maior sonho é propagar isso adiante…só que dessa vez eu do “outro lado” que no caso é sendo mãe! Sou muito ligada a família muito mais que amigos…e pra mim não importa tanto a VIAGEM em si mas sim a companhia que esteja comigo…posso estar no interior, em uma rede furreca,mas se estiver ao lado das pessoas que amo,sei que vou sorrir,vou me sentir protegida e amada…tem coisa melhor que isso?
    Ter filhos ou não é unicamente de vontade!eu tenho,se vc não tem é isso e ponto…nada de colocar culpa no trabalho,na rotina,nas viagens, no tempo ou etc e tal…Não quer,paciência!é bom que nem tenha mesmo pois será uma mãe frustrada e chata ](convenhamos,filho nenhum merece isso!)

    Bem…essa foi minha opinião!Beijoos Cony,amo seu posicionamento!sempre nos fazendo debater e refletir sobre algum assunto…seu blog corre muito além de ser de “mulherzinha” e sim um local voltado para opinar e lógico,falar de futilidades tb…a vida é isso afinal de contas…um caldeirão de besteiras e seriedades,todas postas no mesmo dilema! Bjus

    • #538
      Lilian
      03.12.2014 - 11:24

      “é bom que nem tenha mesmo pois será uma mãe frustrada e chata ](convenhamos,filho nenhum merece isso!)”

      Exatamente, Vanessa. Minha mãe falou isso na minha cabeça a vida inteira: “eu nunca quis ter filho, seu pai que quis”. Consequência: sofri a vida inteira bulling da minha própria mãe, só Deus sabe o quanto luto contra sentimentos de inferioridade e incapacidade que ela colocou na minha cabeça a vida inteira, haja terapia…
      Se você não quer ter filho, por favor: NÃO TENHA!
      Eu sou mãe, amo ser mãe, e meu filho é tudo pra mim…

  322. #539
    Rosana
    03.12.2014 - 11:04

    Depois de duas fertilizações frustradas e várias tentativas de adoção sem sucesso…Algo mudo e não tenho mais vontade de ser mãe!!Amo crianças sempre vou amar mais vejo que tudo tem uma razão.Que todas sejamos felizes com nossas escolhas.

  323. #540
    Debora
    03.12.2014 - 12:39

    Gostei do texto .Tenho 33 anos ,divorciada e sem filhos .Tenho 4 sobrinhos ainda crianças de três irmãs e os amo .Porém não tenho certeza se quero ser mãe ,pois acompanho de perto a renúncia das minhas irmãs por seus filhos .
    Conheço pessoas acima dos 50 anos que se arrependem de não terem tido filhos .Todas se arrependem ,pois já as perguntei diretamente ,como forma de saber mais as possíveis consequencias da escolha de não querer ser mãe .As pessoas que vejo comentando aqui ,tem idades semelhantes a minha ,porém acho muito mais proveitoso ouvir mais a opinião de pessoas acima dos 50,60,70 anos pois hoje ,na casa dos 30 ou 40 anos ,temos essa convicção em não ter filhos .Porém devemos ouvir mais as opiniões das pessoas que estão há décadas de idade na nossa frente pois somos passíveis de mudar de idéia daqui a alguns anos .Hoje vivemos um contexto bem diferente do que será daqui há 30 anos e isso deve ser analisado .

    Li cada comentário mas falta os comentários da “outra parte” que tem muito a nos ensinar com suas experiancias de vida .

    Felicidade a todas que optaram ou não em ser mãe !

    • #541
      Marcia Aguiar
      03.12.2014 - 13:37

      Tenho 50 anos e ZERO arrependimento de não ter tido filhos. Conheço várias mulheres como eu.

  324. #542
    GABRIELA
    03.12.2014 - 13:07

    ACHO UMA DECISAO MEIO EGOISTA. MAS RESPEITO SEU PONTO DE VISTA.

    • #543
      Marcia Aguiar
      03.12.2014 - 17:23

      Egoísta por quê??? Não entendo esse argumento. Egoísta eu seria se tivesse um filhos em desejar ser mãe e o abandonasse na mão da babá pra curtir a vida.

      • #544
        Alessandra
        03.12.2014 - 19:58

        Onde ela diz “meio” leia-se “muito” só que fica mais polido esconder o preconceito.

        Márcia

        Você, Cony, eu e tantas outras somos egoístas em relação as nossas células reprodutoras, já que não temos filhos e não é possível ser egoísta com algo que não existe, então somos em relação a nossos óvulos e assim como toda mulher que tem filho é sublime, vitaminada, crocante, iluminada.

        Pra você não ser egoísta tem que ser mãe, entendeu? Ainda que não seja sua vontade! Se vira!

        OMG! Nem vale voltar nesse círculo vicioso de preconceito que não leva a nada!

        • #545
          Marcia Aguiar
          04.12.2014 - 12:53

          ” …assim como toda mulher que tem filho é sublime, vitaminada, crocante, iluminada.”
          Crocante é muito bom, Alessandra. hahaha! 😀

  325. #546
    Laura
    03.12.2014 - 14:44

    Gente, li a maioria dos comentários e acho que já disseram MUITO mas pelo que vi meu caso é um tiquinho diferente.
    Fui mãe duas vezes de gestações não-planjeadas, sempre quis ser mãe porém depois dos 30 anos, mas acabei tendo bem antes.
    Minha decisão depois do segundo filho foi RETIRAR AS TROMPAS, ou seja evitar nova gravidez de maneira irreversível (a reversível é somente se ligar, e nao retirar as trompas). Fui muito condenada por essa decisão na época, minha mãe e minhas tias vinham com aquela “E se um dia você casar de novo e ele quiser filhos?”. Talvez eu tenha resolvido um pouco tarde, mas ao menos agora sei que sou dona do meu destino. Daqui pra frente continuarei criando meus filhos com todo o amor e conforto que eu puder proporcionar, porém sei que não terei um terceiro. E se um dia aparecer um homem que queira filhos?! Ele que “adote” os meus pra morar no coração como se fossem um pouco filhos dele tb! A maternidade é algo que, se a gente pensar, desiste. O mundo tá louco e principalmente quem cria os filhos sozinha (e olha, SEMPRE sobra pra mãe!), sabe o quanto é difícil e do tanto de coisas que temos que abrir mão. Acho que o contexto é tudo, se você tiver pessoas pra ajudar, tiver um esquema bacana pra ter o SEU espaço, maternidade pode ser legal. Eu acabei de voltar da minha primeira viagem sem meus filhos, primeira noite na vida longe deles (mais velho tem 7 anos!!) e fui chorando de remorso. Mas após 10 dias em Vegas cheguei à conclusão que posso e DEVO ter um tempo pra mim mais vezes, e quando chegar em casa sei que vão ter dois meninos (e depois homens) lindos, me esperando de braços abertos. Maternidade é um desafio, apesar de nova sempre fui super-mãe, amamentei cada um dos meus meninos por 3 anos, viajo e levo eles, prefiro estar com eles a maior parte do tempo do que sair sozinha…como TUDO na vida tem os dois lados. Porém às mulheres com dúvida, aconselho mesmo a não terem filhos…a maternidade nunca é fácil. Se tá fácil, tem alguma coisa errada! Rsrs… Beijos a todas.

  326. #547
    Aline
    03.12.2014 - 15:14

    Também não tenho vontade. Hoje tenho só 26 anos, sou casada, mas me acho uma menina, tão cheia de vida, de planos, projetos, e em nenhum momento cabe um filho. Me sinto feliz assim, e como a maioria comentou aqui, se um dia eu mudar de idéia, mudei, afinal é meu direito né?
    Mas o que eu acho pior sobre esses textos de maternidade, são aqueles que dizem que mãe é um ser imaculado, um ser santo, um ser supremo. E tem mãe que cria os filhos assim. Minha sogra é assim rs. Acha que porque foi mãe de dois é uma criatura superior.Gente, mãe é só uma mulher, igual a qualquer outra! Imagina, se uma bandida assassina vira mãe, então ela virou santa?
    Outra coisa que me emputece é aquele discurso de “amor de mãe é o único amor de verdade”. Acho esse discurso coisa de mal amada. Os amores podem ser diferentes, mas é amor, não significa que porque você não tem filhos não vai saber o que é o amor.
    Pronto falei!

  327. #548
    Melissa
    03.12.2014 - 16:30

    Adorei ler os comentários, é bom que cada uma pense de maneira individual, só a própria pessoa pode decidir se quer ou não filhos! Existe ainda esse ranço – tanto por homens como por mulheres- de achar que maternidade é obrigação e nenhuma mulher é completa e blá blá blá. Eu tenho um filho de 05 anos, o amor da minha vida, porque sempre quis ter filhos, opção minha. Mas é duro nesse mundo violento, pensar em colocar uma pessoinha nele.

  328. #549
    Ana Paula
    03.12.2014 - 16:57

    Li até o comentário 514, UFAA!!
    Cony, entrei,sai, e entrei de novo no Fufu 300 mil vezes rss.. (Toda horinha livre lia um pouquinho).
    Tb revi os comentários várias vezes… pra saber quem respondeu quem. (Curiosa ASSUMIDÍSSIMA rs.)

    Amei o tema pois me identifico DEMAIS!
    bJO! A-M-O seu Blog!

  329. #550
    roseane
    03.12.2014 - 17:49

    Concordo em tudo com o seu texto Cony, e sinto a mesma coisa, você só se esqueceu de falar mais um detalhe: o corpo que muda muito e as vezes não volta mais! pode ser bobagem mais me preocupo também com esse detalhe que diante de outros contras que li, pode ser pequeno, enfim acredito que todas nos temos uma escolha que deve ser respeitada independente de qual for, filhos não garantem que no futuro vou ter alguém, para cuidar de mim, se assim fosse não veria casos de idosos que se encontram em asilos, mesmo tendo filhos, mais que alegam que não tem tempo para cuidar de seus pais, não sei mas as vezes agente pode olhar alguém e achar que ela não é feliz pelo simples fato das escolhas delas não ser as nossas.

  330. #551
    Fernanda
    03.12.2014 - 18:00

    Faço parte desse time também. Sou casada há quase 3 anos e desde que comecei a namorar meu marido e até mesmo com outros namorados, sempre fui sincera com eles: não quero ter filhos! Não tenho a menor vontade em engravidar, em criar uma criança e vê-la se transformar em adolescente, adulto. Eu sei o trabalho que a minha mãe teve comigo e com a minha irmã. Vejo a cunhada do meu marido fazer malabarismos pra cuidar (levar a escola, médicos, dentista etc) e entreter os dois filhos pequenos (uma menina de 11 e um menino de 3) aos finais de semana. E não pense que o pai se desdobra como ela. Na na ni na não. Ela é quem faz absolutamente tudo com eles. Ao ver tudo isso, me certifico ainda mais que não nasci pra ser mãe. Não tenho a menor paciência.
    Eu não digo dessa água não beberei. A vida dá muitas voltas. Mas, hoje, eu afirmo com toda convicção que não quero ter filhos. Tenho os meus sobrinhos que amo de paixão, faço tudo por eles e me basta. Me aborreceu, começou com manha, entrego pra mãe e paz volta a reinar na mente rsrsrsrsrsrs.

  331. #552
    Camila Maffessoni
    03.12.2014 - 19:10

    Sinceramente, queria muito não ter vontade de ter filhos! E sou o contrário do que todo mundo diz aqui, admiro quem tem a “coragem” de decidir não ser mãe… Pois, como vc falou, é uma decisão que, com o passar do tempo, não tem como voltar atrás. Vejo o trabalhão que todas as pessoas que eu conheço têm com seus filhos, a vida que levam, a correria, as despesas… e mesmo assim quero ser mãe! Sabe-se lá quando isso vai acontecer comigo, nem sei se vai acontecer… Só espero não me frustar se não acontecer. Escolher não ser mãe é bem fácil, uma escolha MUITO simples. A gente vê que a maternidade dá um trabalho danado! Então não vejo nada de anormal não querer ser mãe. Acho super justo e é uma escolha sua!

  332. #553
    Alessandra
    03.12.2014 - 19:49

    Camila

    Dá pra voltar atrás sim! Adotar é ter filhos.

    Veja o exemplo do Juca Chaves e esposa, Elba Ramalho( última adoção já com mais de 50 anos) e tantos outros.

    Escolher não ser mãe, pra mim, não foi tão fácil assim como não acho fácil tomar a decisão de ter filhos e quantos.

  333. #554
    Alessandra Veiga
    03.12.2014 - 20:09

    Se um dia eu for mãe será por “missão”, não por opção. Somos mulheres livres pra escolher o que queremos pro nosso futuro. A maternidade é uma vocação. Se não for assim, vc acaba um pouco frustrada. Não tenho nenhuma vontade de ser mãe, não desejo essa responsabilidade, não combina comigo. Posso mudar de ideia daqui uns anos…por que não? Se eu mudar, tento um bebê, mas acho difícil. Não tenho nenhum jeito com crianças, não tenho paciência e, graças a Deus, meu marido também não deseja ser pai. Ufa!

  334. #555
    Lullis
    03.12.2014 - 23:02

    somos gêmeas! rs esse post gerou assunto hein? vou repostar aqui uma publicação minha feita do dia das maes de 2013 na minha rede social!
    “Para esse dia das mães meu carinho especial vai para as mulheres que fizeram a escolha de não ser mãe. Para todas elas deixo aqui minha admiração diária por essa escolha bem mais difícil do que a de ser mãe!
    Elas que decidiram pelo simples fato de não querer, de estar bem assim, de se bastar, de qq outro motivo, até mesmo o medo, quem sabe? Bem, elas sabem e elas decidiram. Baseadas em vários fundamentos acreditados por elas – e talvez, seus parceiros…. Pode? Ao que parece, não, não pode. Por quê? Porque todo mundo condena e julga.
    Bem, então parabéns a elas e que Deus abençoe TAMBÉM a todas essas mulheres que seriam mães maravilhosas, se quisessem, e que sabem, que no futuro, sozinhas ou não, terão que arcar com essa decisão: mentalmente, fisicamente e espiritualmente. A elas, que têm que lidar com olhares e com julgamentos de todos os tipos, principalmente hoje. Que essas sim, não se acovardaram ao senso comum, a imposição da sociedade ou a uma “garantia” de vida melhor. Tiveram a coragem de decidir não ser mãe, e que apesar da não terem filhos têm muito amor para dar e vender, para com os afilhados, os sobrinhos, primos e etc. E sim, elas estão CANSADAS de ouvir e de SABER que não é a mesma coisa, que amor de mãe é diferente é único, incondicional, mas essa é somente outra decisão que elas terão de arcar sozinhas… a de não conhecer amor de mãe.
    Parabéns a elas, então, mais uma vez, por tamanha coragem, de abster-se desse dom tão divino e maravilhoso como a dádiva de ser mãe!”
    beijos para todas nos! maes ou nao!

  335. #556
    Tici
    03.12.2014 - 23:04

    Acredito que seu post vai além, eu quero MUITO ser mãe, se tiver grana quero uns 4,5 rs mas o fato de uma pessoa ñ respeitar a sua decisão me faz pensar q as pessoas em geral querem q vc viva uma vida pré estabelecida de acordo com o q elas acham q é certo né!? Preguiiiiiiiiiiça de gnt q aponta o dedo, critica, julga, questiona as escolhas e o modo de viver do outro, falta de ter o q fazer…hj eu tenho uma vida q ñ é nd parecida c/a do meu círculo mais próxima de amigas e me choquei c/a forma c/q elas me julgaram, é incrível como até próximo e msm te conhecendo as pessoas te veem tão no raso, tipo não quer ser mãe é egoísta, mto pelo contrário, vc seria egoísta se gerasse um filho e isso ñ fosse seu propósito de vida!
    Como lidar c/isso? Por obrigação?
    Povo pouco evoluído espiritualmente, Deus nos livre dessa gente!
    Beijos

  336. #557
    Thainara
    04.12.2014 - 09:59

    Cada família que se forma é de uma maneira diferente. Então, acho que não adianta todo mundo vim aqui e criticar quem diz que seu momento mãe é difícil. As vezes, mesmo planejado filho custa caro, existem mulheres que querem ter filhos e mesmo assim não podem arcar com todas as custas, e claro se privarão de coisas que faziam antes. Outras mulheres não tem com quem contar: pai das crianças, mãe, irmão, tio e por ai vai. É tudo muito complicado e relativo.
    Minha mãe me teve quando adolescente e não se privou de alguns momentos, tinha minha avó que auxiliava em tudo, mas na nossa própria família existem pessoas que escolheram ter filhos e tem que viver uma vida completamente diferente da que viviam, simples e puramente por não ter apoio ou recurso suficiente para manter uma vida regada com mais um membro na família.
    Ao meu ver são questões diferentes, famílias diferentes, com recursos e oportunidades diversas, não cabendo a ninguém julgá-los por suas escolhas.
    E convenhamos, nosso país não nos permite ter escolhas, se vc tem uma gravidez indesejada é obrigada a mantê-la, não tem escolha sobre seu próprio corpo, opiniões preferem acreditar que toda mulher será mãe e todo filho será amado, e terá uma vida plena e feliz. E até mesmo a mulher que faz a escolha de escolher, é julgada eternamente por isso, mesmo se dizendo convicta e feliz com essa tal escolha.

  337. #558
    Polliana
    04.12.2014 - 15:00

    Simplesmente chocada com alguns comentários.. quem não quer ter filho é egoísta, insensível, materialista..kkkk Só rindo mesmo!

  338. #559
    Su
    04.12.2014 - 15:47

    A vida é tão cheia de surpresas, Cony… Eu nunca me incluí no grupo que desejava ardentemente ser mãe. Também me desesperava quando achava que estava grávida. Mas não fui eu quem correu atrás de um bebê e sim o bebê que me escolheu. Quando soube da existência da minha filha, nasceu não só uma mãe como um amor inexplicável, incomensurável. Hoje vejo que foi a melhor coisa que me aconteceu. Não vejo minha vida diferente. Só vivendo pra saber mesmo. Fui mãe com 31 anos. 🙂

  339. #560
    Fabiane Costa
    04.12.2014 - 16:06

    deixa a menina gente, a decisão é dela
    poxa vida, como tem gente grossa neste mundo virtual

    cony amo seu blog
    bjo

  340. #561
    Nilva Ferreira
    04.12.2014 - 16:46

    Olá Cony, não ia me expressar, mesmo porque este é um assunto um tanto quanto polêmico, não li todos os comentários, mesmo querendo, mas falta-me tempo, então não sei se alguém com a minha idade, sem filho, comentou algo, então tenho 45 anos moro com meu namorido, não casei no papel, não acredito nisso, e sempre desde que me conheço por gente nunca pensei em ser mãe, nem de casinha brincava, nunca gostei, embora adoro bonecas, até hoje, acho lindas, mas filhos nem pensar, e claro quando a minha relação começou a ficar séria, tivemos um papo reto a respeito e por sorte ele também não curte. Estamos juntos a 19 anos e não nos arrependemos por isso, não sei se daqui a 20 anos isso vai mudar, mas foi a minha opção e sou muito feliz assim, não sinto falta de nada graças a Deus, vivemos bem, somos companheiros,viajamos, gostamos das mesmas coisas, sou privilegiada, talvez, não sei, mas gosto assim. Só sinto que rola muito preconceito ainda, a família já se acostumou, mas tem muita gente que torce o nariz e já chegaram a inventar, ah! coitada, não é que ela não quer ela não pode ter filho(s)kkk, absurdo, somos saudáveis. Nos relacionamos muito bem com filhos de amigos, mas se pinta alguma viagem para fazer que tenha criança junto, não rola. Bjs fique com Deus e pense muito.

  341. #562
    Suzana
    04.12.2014 - 18:32

    Acho que já passamos da hora de respeitarmos as opiniões diferentes das nossas.
    Não sou mãe, tenho 48 anos e optei por isso. Não me arrependo em momento algum.
    A minha felicidade é da inteira responsabilidade e não de filhos ou marido.

  342. #563
    Sabrina
    04.12.2014 - 20:05

    Gostei muito do texto, não só por também não querer ter filhos, mas principalmente por acreditar que cada uma tem o direito de escolher o que melhor lhe convém sem ser criticada por isso. Eu também nunca quis ter filhos, desde sempre. A gravidez em si me amedronta e ainda mais o medo de não saber educar corretamente, a perda da minha liberdade, do meu tempo e todas as despesas financeiras. Colocar filho no mundo é muito fácil, mas ser mãe mesmo, de verdade, é uma tarefa muito difícil. Acredito que a pessoa tem realmente ter vocação pra isso.

  343. #564
    Ju
    04.12.2014 - 20:23

    Possfalá? Ser mãe é uma dádiva e não ser tbm eh… as pessoas precisam de parar de comparar casos e de se compararem! Cada um tem uma vida e a delícia de fazer dela o que bem quer!! Respeito demais a decisão de não ter, e mais, de bater no peito numa sociedade tão taxativa (nunca vi tantos comentários por aqui)!!

    Sou mãe e feliz!! falar que não tem renuncia na maternidade: MENTIRA! São renuncias doloridas por hora e felizes demais por outra! não acho que seja dom e tbm acho que AS VEZES pode ser uma escolha…Um bjo enorme!

  344. #565
    Mor
    04.12.2014 - 21:06

    Cony, eu também estou no seu time!!
    Confesso que me sentia quando mais nova a pior pessoa do mundo, pois além de não querer ser mãe nem casar na igreja eu simplesmente morria de vergonha alheia daquelas mães que o filho “que dá piti” em locais públicos. Sempre escutei frases como “vc tem que ter um filho pra cuidar de vc”, “vc só saberá o que é amor maior quando tiver um filho”, “vc será uma pessoa melhor quando tiver um filho” entre outras que eu acho de extremo mal gosto quando eu escutava. Não acho que filho é pra cuidar dos pais quando eles tiverem velhos… isso me lembra daqueles pais que moravam em sítios e só tinham 12 filhos pra trabalhar pra eles (e a maioria foi criada jogada pros lados e passando necessidades e sem o mínimo de educação). E também não me acho uma pessoa ruim por não querer ter filhos, não que eu seja a melhor pessoa do mundo, só que eu acho que por eu trabalhar, pagar minhas contas, estudar, não ter vícios me faz sim uma pessoa boa. E amor mais puro que de um bichinho, me desculpe as mães de plantão, mas não existe! Eu tenho dois cachorros que fala sério, eles demonstram amor e carinho não só pra mim, mas pra todos que eles conhecem! Infelizmente tem muitas mães por aí (não estou generalizando) que não dão educação, respeito e nem valores pros filhos, e eu sendo adulta (23 anos – prova que não estou convivendo com adolescentes/pré adolescentes) já cansei de ver filhos (com mais de 25 anos até) tratando os pais bem só porque querem um celular da moda, ir a uma festa ou viajar pra disney e quando esse pai fala que não vai dar (seja por falta de grana mesmo, ou mesmo pq o filho não está merecendo) o filho vira um monstro, xinga os pais, fala mal deles pros amigos, e até muitas das vezes AGRIDEM OS PAIS! Porém, nunca vi meus cachorros me batendo ou me tratando mal porque eu falei um “NÃO!!”.Lógico que eu também conheço filhos EXCELENTES, só que todos esses eu vejo uma mãe que nasceu com o dom de ser mãe, que prova que sempre quis ter um filho (mesmo aquelas que foram sem planejamento tinha no seu interior o dom de cuidar e amar uma criança). Acredito que umas mulheres nasceram pra ser mães (tenho amigas que tratam as outras amigas como filhas) e outras como eu não tenho esse dom, mas mesmo se acontecesse eu ia batalhar pra ser aquela boa mãe, porém acho que nós temos o direito de escolha se queremos ou não ter filhos! Acho que a felicidade vem de estado de espírito, e pode soar até meio infantil só que é só perceber que quase todos os filmes que passavam para crianças até da década de 2000 a história era basicamente a mesma: “a princesa conhecia um príncipe e eles viviam felizes para sempre”, porém hoje, até os contos de fadas as princesas não tomam como base de vida “encontrar um príncipe e ser feliz pra sempre”, tanto que nem aparecem pares amorosos, o que demonstra que essa geração está colocando exemplos pras meninas que vem aí que elas podem ser igual princesa elsa e a ruivinha do valente. Se até a Disney evoluiu, porque essas mulheres que tratam como anormal alguém que não quer ser mãe também não evolui? Quem acha que TODA mulher nasceu pra casar e ter filhos, por favor, volte pra década de 20 e nos deixe em paz!
    Beeijos Cony!!! Te adoroo!

  345. #566
    Janaina
    04.12.2014 - 22:21

    Sou dessa geração tb, pelos motivos que vc citou, exceto que eu adoro crianças, mas não quero as minhas, prefiro só ter sobrinhas mesmo.

  346. #567
    Luci*
    05.12.2014 - 00:03

    Conynha, pra ser sincera, vi a “manchete” desse texto no dia em que foi publicado, mas só despertou curiosidade e interesse hoje, depois de ler o primeiro parágrafo do “Chora”, e aqui estou. Porque minha curiosidade se aguçou tardiamente? Porque, MANO, não, esse assunto, hoje em dia, NÃO deveria gerar polêmica. Mulher precisa ser mãe pra se realizar? Chega de machismo, né, minha gente?!

    Fui mãe sem querer, durante a faculdade, de um namoro de aproximadamente um ano. Fiquei desesperada e minha vontade era tomar alguma coisa, “resolver” a questão ali mesmo, continuar preocupada com minhas festas, viagens, estudos, o sonho do mestrado no exterior. Lembro de criar dois mantras: o primeiro, que, depois que você já tá grávida, a única solução é aceitar e enfrentar, o resto é fuga, e das feias. O segundo: “ninguém se arrepende de ter flho, todo mundo (que eu conheço) que interrompeu uma gravidez se arrepende amargamente”. Eu sabia que o amor pelo bebê faria com que eu aceitasse e me adaptasse à nova circunstância.

    Hoje, minha filha tem 4 anos. Linda, inteligente, doce, obediente AND adora verduras, frutas, salada, arroz integral. Eu amo, claro. Conheci o tão debatido “amor em plenitude”, que nunca senti por meu ex. A real: tendo a opção de voltar atrás, jamais teria namorado o pai dela (com quem, aliás, não me casei por vontade própria – terminei o namoro durante a gravidez por não achar que era o homem que eu queria pra mim, mesmo contra a vontade dele, que queria se casar, e, sim, graças ao apoio de meus pais). Resumo: não teria sido mãe. Dá um PUTA trabalho. Sim, é muito, imensamente, infinitamente, gratificante. Chega a parecer mesmo divino. Mas, tô contigo na bandeira: quem não experimentou não vai sentir falta. Vai conhecer outras coisas maravilhosas e quase divinas, dentro dos próprios referenciais.

    Minha vida, hoje: um conflito. Uma eterna culpa, por ter engravidado sem querer e ter imposto à minha filha, antes de nascer, a vida de pais separados, que não é fácil pra nenhum dos três. Uma eterna divisão entre investir meu tempo em mim ou nela: trabalho, cuido e estudo para concurso, foda. Uma eterna divisão entre gastar meu dinheiro comigo ou com ela: pago a melhor escolinha ou ponho em uma barata, economizo o dinheiro pra poder parar de trabalhar por um tempo, segurar as pontas na poupança, focar nos estudos e passar logo? Uma eterna divisão sobre o que fazer com minhas férias: vou viajar com os amigos, afinal, nesse sufoco dos últimos anos eu bem que mereço espairecer, ou fico com ela durante os preciosos 30 dias do ano? Acho que não tem decisão certa ou errada, todas as causas são nobres. Mas sempre, invariavelmente, quando a decisão influência no bem-estar, na formação e na construção emocional de minha pequena, opto por ela em detrimento de mim. Porque minha crença maior, e é a mensagem com a qual vou concluir esse texto que já cresceu demaaais haha, é a de que, entre a dúvida cruel de ter ou não filhos, uma decisão que tem que ser tomada em prazo determinado (a natureza não falha), o mais importante é: não ter filhos sem estar verdadeiramente disposta/o a se doar, em especial, a doar seu tempo, essa coisinha tão rara e disputada em nossas vidas. Criança precisa de carinho, de alguém que leia uma historinha, que brinque, que leve pra andar de bicicleta e tomar banho de chuva, leve ao teatro, ao balé, ao zoológico. Criança quer mãe e pai. Avós ajudam (eu que o diga), tios, primos, amigas, babás. Mas a vontade de ser mãe para depois se deixar substituir por uma babá, uma professora e, durante as refeições ou percursos de carro, um iPad, é, na minha opinião, a única alternativa, entre ser mãe ou não, verdadeiramente egoísta.

    Beijos e felicidades! Viaje muito por mim! 😉

    • #568
      Constanza
      05.12.2014 - 00:13

      Ah para! Tava super lindo seu texto, bati palma pra cada palavra mas fiquei triste com o “viaje por mim”. Não quero isso pra vc nem pra ninguém, vou te responder assim então: aproveite esse tipo amor que não conheço. Estamos quites?

      • #569
        Luci*
        05.12.2014 - 00:30

        Fica triste não! Onde tá escrito “viaje por mim” leia “viaje por mim, por enquanto”! Tô nova, a vida tá toda lá fora e minha princesa tá cada dia mais mocinha e independente.

        Mas, sim, eu aproveito, e muito! Varo domingos lendo sobre pedagogia haha! Tô no barco, bora viver intenso e fazer direito, né?!

        Parabéns pelo blog! É o único que leio, os outros me são insuportáveis! E obrigada!

  347. #570
    Luci*
    05.12.2014 - 00:25

    Fica triste não! Onde tá escrito “viaje por mim” leia “viaje por mim, por enquanto”! Tô nova, a vida tá toda lá fora e minha princesa tá cada dia mais mocinha e independente.

    Mas, sim, eu aproveito, e muito! Varo domingos lendo sobre pedagogia haha! Tô no barco, bora viver intenso e fazer direito, né?!

    Parabéns pelo blog! É o único que leio, os outros me são insuportáveis! E obrigada!

    • #571
      Constanza
      05.12.2014 - 01:03

      Agoooooora melhorou rsrs

  348. #572
    Bruna Gabrielle
    05.12.2014 - 13:19

    Oi Cony, leio seu blog há uns anos já, mas não sou de comentar (tenho vergonha). Mas enfim, me senti tentada a opinar. Tenho 20 anos, recém-formada, em um relacionamento de 1 ano e não sou mãe, ainda. (eu desejo)
    Sou SUPER A FAVOR de ambos, Ser e não ser mãe. Para as que não querem ser mãe: Gente a vizinha, a colega da faculdade etc que fica olhando feio é porque no mínimo não teve chance de escolha e está morrendo de inveja OU foi criada de uma forma tão quadrada igual à avó que acabou sendo “pressionada” a vida toda e não consegue enxergar mais que isso. Nestes casos nem as culpo, coitadas. E concordo com: “Se vc não conhecer esse amor, vc não precisa dele.” Não se chora pela vacina que não tomou ! kkkkk .Pra quem não tem dom de ser mãe, melhor não ser mesmo. E amor todo mundo é capaz de dar, pra filho pra cachorro. Como diz Lulu Santos: “Consideramos justa toda forma de amor”. Deixa pra quem gosta mesmo e vamos ser felizes com nossos sapatos!
    Para as que são mães: Sendo tropeço ou planejado, a partir do momento que sem tem, acredito que não se vive mais sem. Acredito que tenha muito amor envolvido. NÃO SOU MÃE, NÃO SEI COMO É ESTE AMOR. MAS minha mãe se anulou anos da vida dela pra cuidar de mim e da minha irmã (até meus 9 anos pra ser mais exata), porem, sobre deixar de fazer coisas forever por causa dos filhos, vejo isso mais como comodismo e não ter coragem de assumir e precisa jogar a culpa em alguém (na ponta mais fraca, claro.. o filho). Vou falar pela minha mãe. Foi mãe nova (20a) e por desejo, ela SEMPRE fechou a porta pra ir ao banheiro, isso se chama RESPEITO E EDUCAÇÃO. Ela SEMPRE me ensinou a limpar a minha sujeira, isso se chama INDEPENDENCIA. Eu não nasci pra ficar pra sempre debaixo da saia dela. A partir do momento que ela se sentiu segura em relação a mim (sou mais velha), ela deu asas pra que te quero! . Fez faculdade, viajou, foi a congressos fora, casou de novo nas bodas, teve lua de mel (top), nos tatuamos juntas, ela foi pra MUITAS baladas comigo (ADORO!), leva trabalho pra casa, mas sabe dar atenção pro marido que tem, pra mim e pro meu dog que passeamos todo dia à noite com ele e etc etc. Sempre apoiei ela a estudar, quando ela estava na faculdade eu estava entre 10 e 12 anos e a ajudei a fazer o TCC (detalhe que eu não entendia nada), mas apoio moral já vale MUITO. Então já que você é mãe, seja memorável para seu filho, se suje com ele na lama, dê bronca quando necessário, mas também saiba dizer NÃO, agora é minha vez. A Cony não quer ser mãe, mas tenho toda certeza do mundo que ela é MUITO agradecida pela mãe que teve e pela formação que a mãe dela deu a ela. Filho é benção, sua vida é benção com ou sem filho. É tão benção que todo mundo é capaz de formar uma opinião, ter inteligência é dadiva difícil é saber usa-la. Ter filho não te faz mais mulher do que a que não teve. A vida depende do posto de vista e cada um tem o seu.

    Cony maravilhosa, continue linda para nós. E que fiquemos rycas para comprarmos muitas Chanel pelo longo da vida. Beijos no coração

  349. #573
    Salete
    05.12.2014 - 13:20

    Ah… também não ia comentar, porque nem sou fã da coluna, mas como a Luci falou, li o primeiro parágrafo do “chora” e fiquei curiosa. Na verdade esse post nem é do “chora”, mas não pensei que fosse dar tanta polêmica um assunto desses no dia de hoje. Enfim, minha opinião: acho uma grande e imensa lástima quem deposita sua felicidade na expectativa que os outros tem sobre sua vida!

    Não é sobre ser egoísta ou não; sobre ter ou não vocação para ser mãe; sobre conhecer ou não um amor incondicional. É sobre saber viver A Sua Vida de acordo com as escolhas que Você Fez e não sobre algo que decidiram ou esperam de você.

    Como algumas já comentaram aqui ninguém vive uma vida plenamente sem defeitos e sem problemas. Há inúmeros fatos e circunstâncias que vão nos causar problemas, aborrecimentos, contrariedade e infelicidade. A questão da vida e de nossas escolhas é termos jogo de cintura para driblarmos dia a dia aquilo que nos testa a capacidade de superar e enfrentar as adversidades.

    Filhos, casamento, viagens ou compras, nada disso é sinônimo de realização e felicidade suprema, mas você saber viver diante de todos os acontecimentos e responsabilidades da vida, é a grande diferença entre você ser uma PESSOA frustrada ou não.

    Que péssimo ser mãe só porque os outros lhe cobram, quando na verdade você quer outras coisas da sua vida; ou que péssimo viver uma vida de fuga, quando você gostaria de estar ligada aos filhos e marido; que péssimo as pessoas opinarem se você deve ser feliz de acordo com padrões sociais previamente definidos.

    Ai gente… chega de vivermos de acordo com as expectativas alheias. O que quero dizer é: quer ter filho, lindo. Não quer: lindo também. Decidiu por livre e espontânea vontade? Beleza! Agora seja feliz com sua escolha porque cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é!

  350. #574
    Manoela
    05.12.2014 - 14:32

    Cony amo o teu blog! Adorei o assunto e os comentários.

    Super admiro a tua postura, pois acredito que filho é uma opção e que deve ser muito bem pensada. Quando li em um comentário “se tiver ao menos um pouquinho de vontade de ter filhos tenha” eu diria NAO tenha. É preciso ter muitaaaa vontade para aguentar a mudança de vida. Digo isso por experiencia, tenho um bebe lindooo de 10 meses, sempre sonhei em ser mãe, perdi dois bebes antes disso. E mesmo assim fiquei impressionada como minha vida mudou (sou advogada).
    Começando pela gravidez que todo mundo diviniza, e eu achei horrível, enjoos os 9 meses, dor de cabeça, desconforto, barrigão. E a tal maravilhosa sensação do bebe mexer eu quase chorava pelos chutes pois doi muitoo. Depois parto, amamentar, quase virar zumbi nas madrugadas, etccc… Então digo a real para todas minhas amigas, pois o mundo da maternidade não é tão explendoroso assim.
    Amo muitoo meu filho, ADOREI SER MÃE, tanto que quando meu filho fizer 1 ano ja quero engravidar novamente. mas não acho que quem não tenha filhos não saiba o que é esse amor. Amor é amor. A diferença que vejo é que para um filho abrimos mão da nossa vida, abdicamos de muito para o melhor deles, o que eu não vejo como sacrificio, mas sim uma obrigação/responsabilidade, pois atualmente só é mãe quem quer, e se a pessoa decide ter tem que se dedicar.
    Te desejo tudo de bom, mais sucesso e muito amor.
    BJSSS (ME DÁ UM OI QUE VOU ADORAR, HAHA)

    • #575
      Constanza
      05.12.2014 - 14:40

      Oieeeeee kkkkkkkkkk

  351. #576
    Valeria
    05.12.2014 - 14:35

    Tenho 37 anos e sinceramente, ainda tenho muito o que fazer na vida, a estrada ainda é longa e tenho plena consciência que um filho não me deixaria feliz nesse momento. Adoro crianças, mas adoro acordar tarde, ficar de perna para o ar, seguir uma rotina sem me preocupar com um ser tão dependente como é um filho (pelo menos nos primeiros anos de vida). Acho lindo a maternidade, mas não sei se quero passar por isso agora, depois dos 40 eu penso nisso, se for possivel engravidar ótimo, caso não, sempre achei a adoção um dos atos de amor mais dignos do mundo. Até lá vou deixando a vida me levar e sendo feliz. E sobre cuidar na velhice já estou me organizando para pagar uma excelente clínica, eles fazem esse serviço muito bem. Até porque acho tão egoísta de uma mãe colocar esse fardo nas costas de um filho, como uma obrigação.

  352. #577
    Luciana
    05.12.2014 - 15:06

    Acho um absurdo alguém considerar egoismo uma mulher usufuir da liberdade de escolher seus caminhos. Isso não tem nada de egoísmo. Acho egoísta é ter filhos sem ter vontade, só pra dar satisfação pra sociedade, e depois não ter condições de dar a atenção que a criança precisa. Owww povo da cabeçinhaaa… Essas defensoras ferrenhas da maternidade muitas vezes são as mais hipócritas, tudo dando os filhos pra babá criar e batendo no peito pra dizer que são mães. PRONTOFALEI!!!! Fico com a verdade das mulheres que são MULHERES O suficiente para assumirem seus sentimentos!!!!

  353. #578
    camila
    05.12.2014 - 16:38

    Oi Cony, eu compreendo sua decisão até porque hoje tenho 32 anos e devido a correria do dia a dia, à carreira entre outras preocupações eu ainda não tive meu segundo filho! Não tive paciência para ler todos os comentários mas há apenas um ponto q eu não sei se foi dito e por isso resolvi te escrever. Tive meu filho aos 23 anos, de forma meio inesperada pois ainda não estava casada… não foi mil maravilhas coisa e tal, mas o q eu precisava te falar para sua reflexão é q o fato de eu ter filho me mudou como inteiro e me tornou uma pessoa completa. É super clichê isso, mas o amor q sentimos por um filho é um amor MUITO diferente e q eu jamais tinha sentido por qq outra pessoa! E eu precisava te falar isso pq tenho receio de vc se privar desse sentimento incrível e indescritível pela correria da vida! Não sou de escrever… sempre acompanho o blog, mas me senti na “obrigação” de te falar isso…rsrsrs
    Tenho receio de vc não se dar a oportunidade de vivenciar isso!!! Apesar de todas as privações, sinto q após ter filho me tornei uma pessoa melhor…evolução espiritual mesmo… é o único momento q vc realmente coloca alguém em primeiro lugar e realmente morreria por ele! Minha irmã é muito parecida comigo, vida corrida, carreira profissional a mil! O filho dela está hj com 3 anos… foi bem difícil pois após ter o filho ela teve depressão pós parto, coisa e tal, mas esses dias ela virou pra mim e falou: Só hj eu entendo o que vc sempre disse sobre um sentimento inexplicável por nossos filhos! Disse até q hj em dia tinha dó de quem não tem filho por não se proporcionar vivenciar isso! Estou te contando a minha experiência e de minha irmã para sua reflexão mesmo e para auxiliar na sua decisão! 🙂
    Bom, aproveitando o momento… gosto muito do seu blog e sempre q tenho um tempinho dou uma passadinha por aqui! XoXo

    • #579
      Constanza
      05.12.2014 - 17:16

      Nao concordo Camila. Ninguem é incompleto pq nao tem filho. Vc fala de uma experiencia que viveu, assim como eu vivi tantas outras que cabem só a mim e que me completaram de outra forma que ninguem nunca vai saber, pq é coisa de CADA UM. E como ja foi dito milhoes de vezes, a gente nao sente falta do que nao tem! Bjs!

  354. #580
    Patricia
    05.12.2014 - 20:39

    Cony,

    Parabéns pelo post! Sempre me senti da mesma maneira que você e sempre que procurei matérias sobre mulheres que não quiseram ter filhos encontrei apenas relatos de pessoas que não podiam ter filhos em vez de não optaram por tê-los!
    Pra mim é um alivio ver que muita gente pensa que nem eu. Simplesmente nunca quis ou pensei em filhos. Desde criança nunca nem brinquei com aquelas bonecas bebes.
    Hoje em dia parece que querer ter filhos loucamente é obrigatório e eu me recuso a ser carregada pelo o que os outros querem impor pra mim.
    A vida é minha e eu vou fazer o que bem entender com ela. Meu objetivo é ser muito feliz!
    Amo seu blog!

    Beijos

  355. #581
    Elizabete
    06.12.2014 - 14:08

    Amei seu texto. Muitas vezes já tentaram me fazer sentir-se estranha por não querer desesperadamente ser mãe e já ouvi muitas críticas por ser essa minha decisão. Mas eu estou bem com minha escolha.Sou casada a 07 anos, meu marido tem 4 filhos do primeiro casamento, me dou muito bem com eles.E sou feliz em ser mãe de férias. kkkk E como ele já tem filhos não existe pressão.

  356. #582
    Tatiana
    06.12.2014 - 14:15

    Lendo alguns comentários pude perceber que ainda mulheres que não querem ter filhos são rotuladas de egoístas e materialistas. Na verdade são pessoas que possuem um olhar restrito do assunto. Respeito e admiro as mulheres que são mães, mas achar que toda mulher nasceu com esse dom é hipocrisia. Filho não é como um gatinho ou um cãozinho que você cria dentro do seu apartamento, no pátio da sua casa, sem precisar “conviver com a sociedade”. Ou que basta alguns afagos e comida. Filho precisa de orientação, atenção, valores. Acho que algumas mulheres deveriam pensar mais sobre esse aspecto da maternidade. Sou professora, trabalho com jovens e fico impressionada com a atitude de algumas mães, sem nenhum preparo para ter filhos. Jovens sem referências, sem noção de valores…Lastimável. Como não me sinto preparada para criar plenamente uma pessoa, prefiro não ter filhos. É uma grande responsabilidade, não posso desejar ser mãe só pra não me sentir sozinha no futuro. Por isso, a importância de se respeitar a opinião e vontade de cada um, seja a de ser ou não mãe.

  357. #583
    juliana
    06.12.2014 - 17:35

    Eu acho que a vontade de ter filhos é uma vontade, como alguém disse, um click.
    Considero que muitos fatores pesam, principalmente sociais. As pessoas não querem os gastos de se criar um filho, como se filhos fossem investimento.
    Isso porque somos latinas. A mulher europeia que engravida não o faz esperando nada em retorno…elas não tem esses grilos ah, vou ter filhos e alguém vai cuidar de mim. Não, com dezoito anos os europeus vão morar em algum sótão de 20 metros quadrados e pronto, visitam os pais nas férias anuais…Enquanto isso os pais estão trabalhando, cozinhando, viajando, bebendo vinho e etc.
    Nós latinas não…queremos filhos para sempre, antes de te-los somos tomadas por questionamentos desse tipo, quem vai cuidar, e se eu adoecer, e se eu me separar, colocamo-nos como as únicas guardiãs da saude mental deles, da existencia deles.
    Acho que somos muito inseguras, e pensar o afeto e a maternidade como um laço, não como uma algema, tornaria as coisas mais fáceis.
    Agora, namoros intermináveis, falta de grana, falta de planejamento, uma pós atrás da outra, vida profissional, and the list goes…
    Precisamos ficar espertas, e as que querem filhos devem repensar o que esperar da maternidade. As que não querem, tb pensar o motivo. Se pender para o lado dos medos, do apego, da perda de si…valeria repensar, porque não creio que a maternidade signifique perder-se de si. Tenho 30 anos, sou solteira, namoro, e penso em ter filhos, casada ou não. Afirmo que planejei-me para isso, estudei na hora certa, sou funcionária pública, não dependo de ninguém e engravido a hora que eu quiser. Planejamento faz parte, isso é inegável, quem quer TEM que correr atras. Isso serve para tudo.

  358. #584
    erica CASTRO
    07.12.2014 - 17:35

    Lerdei pra postar minha opinião mas supermeidentifiquei com o post. Olha, sempre julguei mulheres que diziam que não queriam filhos. Achava que era recalque… que eram loucas… até que me tornei mãe. Esse sentimento de amor louco, que deixar de lado tudo que antes era importante pra qualquer coisa relacionada ao filho é uma coisa que nem todo mundo pode desejar. Sou mãe… é perfeito! Mas respeito quem decide o contrário.

  359. #585
    Clara
    07.12.2014 - 22:20

    Oi Cony!
    Adorei seu post. Adoro sua sinceridade. Não entendo porque as mulheres que desejam ser ou são mães criticam tanto as que não querem.
    Eu SEMPRE quis ser mãe, desde criança. Na verdade não ter filhos nao é uma opção pra mim. Eu sou feliz e não acho que sem um filho sou incompleta nem nada, e na verdade nem seide onde vem essa vontade toda! Simplesmente tenho! kkkk Agora, depois de casada e chegando nos 30 a vontade só aumenta. Parece que meu útero fica “vibrando” quando vejo um bebê, uma grávida ou algo similar. Chega até a ser engraçado! kkkkk
    Tudo que você escreveu eu penso exatamente ao contrário e é JUSTAMENTE por isso que eu entendo você completamente.
    A sua não-vontade de ter filho é como a minha vontade. E digo ainda que minha decisão não é baseada no que minha fámilia, amigos, mídia e internet diz. É uma decisão que, no mínimo, temos o direito de tomar sozinhas!
    Parabéns por comentar um assunto tão polêmico aqui!
    beijosss

  360. #586
    tatiana
    07.12.2014 - 22:30

    Tão bom saber que a cada dia mais mulheres assumem não querer ter filhos.
    Não tenho filhos e nunca quis ter. Sou casada e meu marido concorda e aceita o fato de que não teremos filhos. Ele diz que seremos dois velhinhos sem filhos, cuidando um do outro.
    Tenho amigas na faixa dos 50, casadas e sem filhos e outras na mesma faixa etária, mas solteiras e tb sem filhos, todas são felizes com suas escolhas, até hj nenhuma delas se disse arrependida por escolherem não terem sido mães.

  361. #587
    janaina zorzato
    08.12.2014 - 11:19

    Sou da turma que não quer e que nunca quis ter filhos. Aliás, fora meus sobrinhos, acho crianças uma coisa super sem graça e irritante. Tenho uma vida ótima, eu e meu marido ganhamos bem, e viajamos muito, temos muita liberdade e jamais abriria mão disso por um filho. Não tenho paciência com criança, até pq a maioria é bem mau educada. Acho muito triste alguém ter filhos para se sentir completa e outras bobagens do tipo, são pensamentos pequenos e medíocres. Adoro não ser mãe e tenho certeza que jamais me arrependerei de saber viver a vida do meu jetio.

    • #588
      Giovanna
      07.08.2015 - 15:14

      Me identifiquei muito com seu comentário, não desgosto de crianças, mas elas sabem ser cansativas e ás vezes chatas, só esse fato para mim, já é um bom motivo para não querer filhos…

  362. #589
    Tais
    08.12.2014 - 20:47

    Caramba… essa era minha cartinha para o fala que eu te escuto! Tenho 36 anos,sou casada há 12 e meu marido casou-se comigo sabendo da minha decisão em não ter filhos. Ele já tem um filho de 20 anos do primeiro relacionamento, mas sempre quis ser pai de uma menina. Em nossa última conversa, percebi que ainda mantém essa vontade, apesar de ter a consciência que não quero. É bastante complicado, mas sempre deixei muito claro que não quero, nunca quis e nem vou querer. Sei que lá na frente, algum dia, posso colocar o meu casamento em risco, mas decidi pagar o preço.

  363. #590
    Juliana de Paula
    09.12.2014 - 05:58

    Também e incluo nesse time! Tenho 31 anos, sou casada desde os 22 anos. Eu e meu marido temos uma condição financeira ótima, já me formei, ou seja, todas essas “obrigações” eu já fiz! hehehehe
    Já senti vontade de ser mãe, mas acho que era porque as minhas amigas todas estavam engravidando. E agora eu vejo que não quero. E tenho certeza que não engravido nem “sem querer” porque eu e meu marido cuidamos demais, cuido a pílula como adolescente.
    E que bom que tem mulheres que queiram ser mães, acho ótimo! Amo ser madrinha, mas mãe, deixo pra próxima.
    Obrigada pelo texto Cony!

  364. #591
    Gabriela
    09.12.2014 - 12:15

    Resolvi dar minha opinião também, já que li tantas opiniões com as quais não concordo.
    Sempre amei crianças e queria ter filhos. Aí ‘cresci’ e mudei, e agora acho que não quero ter filhos não. Continuo amando crianças, teria paciência para criar e cuidar, mas ué, não quero!
    Não concordo com opiniões do tipo: ‘não vai ser boa mãe não seja mesmo.’
    Pessoas que não querem ter filhos, não seriam necessariamente pais e mães ruins. É só ver que há diversas crianças que não são bem criadas com pais que as quiseram.
    E além disso, isso de ‘quem tem filho um dia não teve então sabe o que é melhor’ é balela.
    Afinal, ela não teve filho em determinada época, mas NUNCA saberá como seria a vida dela hoje em dia, sem filhos.
    Ninguém pode adivinhar como seria a vida com ou sem filhos, mas acredito que independente de qualquer decisão nesse campo, o importante é ser feliz.
    Arrependimentos todos temos, e se um dia me arrepender de não ter filhos, terei que conviver com isso (e será melhor do que me arrepender de ter!) e adoção t’aí pra isso…

    Bjos Cony!

  365. #592
    Fernanda F
    09.12.2014 - 22:42

    Amei o texto. Tenho 31 anos, sou casada ha 5 e amo tanto minha vida como esta que também não consigo imaginar que possa melhorar. Acho que a liberdade de ir e vir a hora que quiser, viajar e principalmente o silencio da minha casa no final de um dia é que me fazem não querer ter filhos. tenho 3 sobrinhos e amo eles! Brinco, participo da vida deles e tudo, mas mesmo assim ainda não sinto vontade de ter um igual na minha vida, ou ter a vida da minha Irma ou cunhada. Não consigo achar que a vida delas é mais ou menos completa que a minha.
    so sei que minha vida com meu marido é muito boa e tenho medo que possa a desandar com a chegada de um filho. (Ja vi isso acontecer algumas vezes). A pressão de todos os lados existe (pais, irmaos, sogros, amgos ) e quando falo que acho que não irei ter, as pessoas olham como se eu odiasse crianças ou que meu casamento que vai mal… Bom so sei que julgar é muito fácil, tanto de um lado como de outro e cada um sabe se si. Não tenho como prever o futuro, se irei me arrepender de não ter tido, como também não sei o que vai acontecer em outras decisões da minha vida. So tenho como controlar o presente.

  366. #593
    Yane
    11.12.2014 - 15:43

    AMEEEEEI!

  367. #594
    Nilce
    13.12.2014 - 16:09

    Pois bem…Sou mãe, amo meus filhos,daria minha vida por meus filhos, não deixo faltar nada pra eles, sou carinhosa, atenciosa e brava quando tenho que ser, mas odeio ser mãe.

  368. #595
    Lívia Santiago
    17.12.2014 - 07:45

    Achei tão corajoso da sua parte esse post! Não porque a decisão exija coragem, mas porque as pessoas (por algum motivo que não compreendo) se sentem no direito de opinar sobre o modo como devemos levar nossas vidas, e falar sobre esse assunto aqui no blog poderia ser traumático, rsrs.

    Eu sempre “quis” ter filhos. Digo entre aspas porque eu aceitava que, como mulher, era “parte do meu destino” ser mãe, até porque eu adoro crianças. Mas eu também adoro ser dona do meu tempo, e com filhos isso não existe. Também tenho pavor de passar pelo perrengue que é estar grávida e encarar toda essa transformação do corpo (me julguem, mas antes paguem minhas contas, rss).

    Até pouco tempo eu tinha certeza que não queria ser mãe. Hoje eu estou repensando, talvez porque minha sobrinha nasceu e mexeu muito comigo. Mas me sinto muito à vontade sobre esse assunto porque meu namorado/marido já falou que me apoia em qualquer decisão que eu tomar. Minha família também, surpreendentemente, apesar de serem todos muito tradicionais e eu ter tido medo de assumir a “vida em pecado” com meu namorado, e de abordar esse assunto da maternidade com eles. Foi bom pra acabar com as cobranças de “e aí, quando vem o seu casório/bebê/outro bebê?, hahaha!

  369. #596
    Elaine Ribeiro
    07.01.2015 - 19:42

    1- cada um com sua escolha
    2-Cachorro não é filho
    3-Se sua experiência na maternidade foi uma droga não divida com uma gestante …..é muita amargura fazer uma coisa dessas…
    4-Acho q se discute tanto esse assunto…pq no fundo a maioria tem vontade de ser mãe..só n tem coragem de assumir as suas responsabilidades..
    5-Cachorro é só cachorro…filho é sua continuação na Terra…

    • #597
      Constanza
      07.01.2015 - 19:48

      Cachorro é só cachorro do mesmo jeito que gente é só gente.

  370. #598
    Agatha
    10.01.2015 - 19:21

    Vejo tantos posts na Internet sobre não ter filhos, e eu enquanto mulher casada, sem filhos fico me perguntando: por que os terceiros se incomodam tanto quando um casal decide usar o livre-arbítrio e decidem em comum acordo não procriar ? Isso afetará a vida delas ? Será que elas estão preocupadas com a taxa de natalidade e uma possível quebra do sistema de previdência?
    Se a vida delas é tão plena com filhos e se sentem super seguras com essa decisão, por que não aproveitar o pouco tempo para curtir seus filhos ao invés de se preocupar com a vida alheia ?
    Tenho a impressão que pessoas bem-resolvidas não estão preocupadas com o útero alheio. Estão preocupadas em educar bem seus filhos ao invés de destilar veneno e preconceitos.
    Se uma pessoa com o mínimo de racionalidade optou por não ter filhos já considerou sua aptidão, seu estilo de vida, um futuro sem descendentes, ou seja, ele pensou todo o seu contexto de vida futuro.
    Aproveitem a vida ao invés de dar pitaco onde vc não é chamado !!

    • #599
      Constanza
      10.01.2015 - 21:25

      Palmas!

    • #600
      Gislaine
      13.04.2015 - 11:18

      Booaaa!!!

  371. #601
    Vanessa de Oliveira
    22.01.2015 - 20:01

    Oi Cony, olá meninas. Achei esse post pesquisando sobre o assunto. Hoje me.pwguei chorando e pensando sobre o assunto.
    Sou casada a pouco mais de 2 anos, e não me acostumei com olhares maldosos e julgamentos quando digo que não quero ser mãe.
    O que me conforta, é que tenho um marido maravilhoso que me apoia.
    Mas é doloroso ouvir de algumas pessoas que sou uma pessoa seca, infeliz, que eu e meu marido jamais seremos uma família.
    Fiquei muito feliz por saber que existem pessoas que pensam como eu, ou que não pensam,mas me respeitam.
    Um grande beijo a todas.

    • #602
      Agatha
      24.01.2015 - 18:29

      Para Vanessa de Oliveira,

      Só tenho uma coisa a dizer pra você- as pessoas que realmente importam na sua vida vão desejar a sua felicidade. E se sua felicidade não incluir filhos, elas terão que respeitar.
      Eu não considero amigo alguém que afronta com desrespeito minhas opções e opiniões.É muito diferente ter uma opinião divergente do outro e agir com desrespeito com outrem.
      Uma pessoa que te fala isso é um verdadeiro lixo, por que só tem coisas ruins pra oferecer- palavras de amargura.
      Ter uma opinião firme a respeito de um assunto polêmico diz muito a respeito de alguém- traduz uma pessoa decidida que não está disposta a simplesmente seguir o roteiro, ainda mais em tempos que temos mecanismos de exercer nossos direitos.
      Pode ter certeza que quem te critica no mínimo tem inveja de sua liberdade e da sua coragem de assumir suas escolhas.
      Gente pobre de espírito só merece nossa indiferença !! Aliás, um passarinho me contou com pessoas assim tem aversão a pessoas felizes e bem-resolvidas..!
      Ouvi certa ocasião que não são todas as pessoas que merecem a nossa sinceridade extrema!!!
      Seja feliz !! =)

  372. #603
    Bia
    23.01.2015 - 00:03

    Tenho 35 anos, nunca tive o desejo de ser mãe…. Af

  373. #604
    Bia
    23.01.2015 - 00:08

    Tenho 35 anos, nunca tive o desejo de ser mãe…. Afinal, respeito muito quem os tem, minhas amigas em sua grande maioria já tem 1 a 2 filhos, outras tem a mesma opinião que a minha. Eu não nasci para ser mãe, isto é fato. Não vejo indiferente que não tem esse dom.

  374. #605
    31.01.2015 - 14:01

    Estava vendo os comentários, ainda eu não sou mãe, estou com 33 anos e confesso que não penso em ser mãe, por vários motivos como vida financeira, eu acho que prefiro ser tia rs do que ser mãe.

  375. #606
    samara
    06.02.2015 - 18:27

    Gostei muito do tema, me identifiquei bastante. Eu tnho 25 anos e tbm não me vejo cuidando de bebês, tenho muito medo de engravidar, e é por isso que tomo a muito tempo as pílulas anti.. meu namorado as vezes me da indiretas sobre filhos, mas desde que o conheço eu ja tinha avisado que nao queria filhos. E minha mae, familíares, amigos e alguns conhecidos se assustam com a minha opinião e me cobram. Mas eu não nasci para agradar ninguém! Melhor é prosseguir nos estudos e metas a serem alcançadas e se um dia eu ir morar com meu namorado comprarei uns 2 cachorrinhos, pois tbm dão amor verdadeiro e incondicional.

  376. #607
    Emanuelle
    19.02.2015 - 23:04

    Tenho 29 anos, e desde pequena nunca quis ter filhos, ainda hj não sinto essa vontade, quase todas as minhas amigas tem filhos e falam como é bom, mas tb falam das dificuldades (principalmente quando ficam doentes), não fiz uma escolha definitiva, mas por enquanto não me vejo sendo mãe, nem hj nem no futuro, se algum dia bater essa vontade, ainda tenho a opção de adotar, o que acho um grande ato de amor. O que eu queria acrescentar é que acho o amor de mãe um pouco egoísta, explico: antes de sermos mães não nos preocupamos em ser uma pessoa melhor, em cuidar de outras pessoas, em ajudar alguém, o que para mim deveria ser parte dos valores de qualquer pessoa, mãe ou não, tantas falam que ser mãe é dom de Deus, porém Ele próprio deu seu filho por nós, ou vcs mães dariam os seus? entendo que o importante são nossas atitudes para com o próximo, eu me tornaria uma pessoa muito melhor se fosse fazer assistencialismo (não só doar dinheiro, participar mesmo) de alguma obra, e não apenas por ter me tornando mãe, quando falo que é egoismo, falo porque um filho é parte de nos mesmos, ou seja apenas nos preocupamos com nosso próprio eu, já pararam pra pensar que “aquele” mendigo é filho de alguém? que poderia ser o seu filho? e que ele tb precisa de atenção de todos nós (por mais que seus erros tenham o levado aquela situação). Porque apenas nos ternamos melhores após termos filhos? porque não antes? não quero desmerecer amor de mãe não, apenas não aceito esse tipo de argumento para justificar a opção pela maternidade, fale que quer ter porque acha legal, até mesmo para cuidar de vc na velhice, pois dom pra mim é quem tem a coragem de largar tudo e se dedicar a palavra de Deus, ou ao menos amar o próximo como Jesus nos amou!(o que não é fácil, e duvido que alguém aqui pratique de verdade, incluindo eu)
    Tenho todo o respeito pelas mães, sei que realmente se sacrificam, só não acho certo julgarem quem não quer ter filhos, e o que expus foi apenas para explicar isso. por fim, acho que mães ou não podemos ser felizes, pois a felicidade não depende apenas da maternidade.

  377. #608
    clipmaster
    15.03.2015 - 20:34

    É uma tendência irreversível da mulher ter menos filhos. Alguns países estão preocupados porque a taxa de natalidade está próxima de 1. Ou seja, a quantidade de idosos cresce mais rápida que o nascimento de bebês. Se esta tendência for permanente, o modo de geração de filhos terá que ser adaptado para se evitar a extinção da raça humana.

  378. #609
    Melina
    19.03.2015 - 13:20

    Olá, incrível como todas passamos pelos mesmos questionamentos…
    quando eu tinha 19 anos ouvi de uma colega de cursinho que o sonho dela, desde criança, era ser mãe. Isso me chocou de uma forma que tive que ser crítica naquele momento, como uma criança de 10 anos poderia sonhar em ser Mãe??? Hoje me arrependo por ter criticado o sonho dela, cada um é livre para sonhar, agir e pensar o que quer. Tenho 28 anos e sou casada há 5 anos e como é chato as perguntas de quando serei mãe, já criei uma resposta para essa pergunta: Só em 2020,rsrsrs e quando 2020 chegar e a vontade não vinher vou colocando prazo para 2025.Mas não me vejo Mãe, até hoje,me sinto egoísta por não querer ter um filho para cuidar,educar, mas é que ainda tenho tantos planos para pôr em ação, planos à dois ou sozinha e não à três.

  379. #610
    Lisa
    29.03.2015 - 16:32

    Existe muito pre-conceito das pessoas, meu Deus… Enfrento isso todos os dias, que saco, sinceramente, por que as pessoas apenas, não respeitam a decisão dos outros?! Tenho 32, não quero filhos, meu marido soube desde o início, e como nunca foi um sonho, para ele, tranquilo… Para nós é super resolvido, mas vamos combinar que é difícil, como as pessoas criticam, te falam coisas inacreditáveis, como li por aqui tb… Morando no interior então… Fico imaginando o que as mulheres que queriam se separar, pela década de 50/60 passaram…
    Mas é muito bom ler tantos depoimentos semelhantes ao nosso pensamento: WAL REIS(471), FERNANDA F(585), CONY(todos), e em especial AGATHA(591), bem real, se são tão realizadas, por que não cuidam de suas vidas?! A gente tem que respeitar quem tem, mas quem tem, não respeita quem não quer… ALOOUUU

    • #611
      Gislaine
      13.04.2015 - 11:16

      Concordo com vc, Lisa. Respeito em primeiro lugar!

  380. #612
    Gislaine
    13.04.2015 - 11:13

    Sou casada há 5 meses apenas, tenho 34 anos e muita dúvida sobre ser mãe… Meu marido, por enquanto, não me cobra, ao contrário, partilha comigo a dúvida. Apesar do pouco tempo de casada, já há uma cobrança e sei que é por conta da minha idade. Sei que a decisão é só minha, mas sei também que posso me arrepender mais tarde… e sei também que tem a questão do relógio biológico… Enfim, não consigo enxergar quando eu tenho que bater o martelo,se vou ou não ter um filho, simplesmente ainda não me vejo preparada e pode ser que isso nunca aconteça… Apenas quero ser respeitada em qualquer que seja minha decisão. Acredito que não ser mãe não me fará menos que a grande maioria que quer ser. Cada um tem uma missão aqui na terra, e acredito que talvez a minha não é encher a casa de filhos.

    • #613
      Lilian
      06.08.2015 - 15:26

      Tenho a mesma idade que você, também casada recentemente e com a mesma dúvida, na verdade meu coração não quer, mas a dúvida vem sei lá do que vão pensar, se meu marido vai ficar comigo mesmo eu não tendo filhos, ele fala que não casou comigo para ter filhos, mas meu intimo tem medo sabe. É tão difícil né? Mas me tremo toda em pensar em ter uma criança gritando, acordando a noite. Fazendo birra (pelo amor de Deus, me dá ate ânsia de vomito) me sinto meio monstra por isso, parece que nao gosto de crianças ,mas não é isso, é que está tão bom como tá, sem ninguem depender tanto de mim alem de eu mesma. Não to afim de mudar essa minha realidade e liberdade. Boa sorte em sua vida e em sua decisão. 😉

  381. #614
    Fausto Faria
    25.04.2015 - 10:22

    Sou homem, hetero, sem filhos, 33 anos, estabilizado profissionalmente, formado e enfim, sem vocação para ser pai. Cada ano que passa sinto menos capacitado para tal papel, não só pelo custo financeiro, hoje as boas escolas partem de 1500 reias aqui em minha cidade(BsB) como também pelo medo de coisas como separação, alienação parental e ingratidão dos filhos.
    Também gostaria de ter uma esposa em casa pra vivar só a dois ou namorada mesmo, mais hoje em dias as mulheres da minha idade ou já tiveram 1,2 filhos ou mais ou querem ter logo filhos, então fico meio sem opção de relacionamentos. Não que seja ruim, é ótimo da muita liberdade, e rola muita diversão, mas uma hora vou querer arrumar a madame pra cuidar da minha casa;

  382. #615
    Felipe
    26.04.2015 - 19:56

    Meu nome é Felipe tenho 22 anos e não tenho a menor vontade de ser pai ou mesmo me casar, depois de ver anos de brigas entre meus pais e avós não acho o casamento essa coisa tão maravilhosa como dizem. Eu penso em fazer uma vasectomia assim que tiver idade suficiente, a vida é minha odeio quando as pessoas ficam opinando, eu não acho a paternidade uma bênção, para mim só trás dor de cabeça, egoísmo? Talvez, mas é minha escolha, quando eu ficar velho pago um asilo, não vou querer que ninguém me carregue como fardo na velhice, ter filhos só para isso que é egoísmo.

  383. #616
    Raíssa
    06.05.2015 - 16:59

    Também penso como a autora do texto! Não pretendo ter nenhum! Alguns me criticam, mas eles têm que respeitar minha decisão! Pior seria se eu tivesse um filho e não desse o devido carinho ou tratamento, como vejo alguns casos na tv, de mulheres que têm filhos e abandonam ou não cuidam direito dos filhos! Pra não cuidar direito, melhor não tê-los.

  384. #617
    Cristiane Rochsy
    17.05.2015 - 22:37

    Tenho 25 e não tenho desejo de ser mãe, sinto que meu marido quer mas ele respeita minha decisão, A mãe dele me pergunta como posso viver sozinha com meu marido… Ouço tbm que vou me cansar da vida de lua de Mel e de viagens, passeios, da vida Boa e vou querer um filho pra preencher minha vida.
    Minha mãe me disse que se pudesse voltar no tempo teria escolhido não ter filhos. Eu não a julgo e nem me sinto mal, afinal eu não quero ter e tenho o apoio dela, sei que ela me ama e a compreendo. Quem quer ter que tenha, Mas é muito bom acordar todos os dias e não ter outra vida pra se preocupar senão a minha, sair quando quiser e fazer tudo dentro do meu tempo.
    Cá entre nós há enumeras vantagens em não ser mãe.

  385. #618
    17.06.2015 - 23:24

    Eu adorei o seu texto, me identifiquei.Eu estou prestes a fazer 25anos e não tenho vontade de ser mãe,estou focada em recomeçar a faculdade de biologia e dps seguir carreira, tenho varias amigas que ja sao mães ou querem ser, admiro mtu isso tenho um sobrinho de 2anos que eu amo muito, mas em geral não curto crianças, não tenho paciencia nenhuma pra cuidar de uma.Sou muito julgada e bombardeada por conta disso, acho que as pessoas se intrometem muito nas decisoes alheias, eu sei o que é melhor pra minha vida, muitas mulheres tem filhos e não sabem sequer educar, eu to de saco cheio de tanto preconceito e olhares tortos por conta da minha decisão de não ser mãe. Acho ridiculo esses mulheres de mente estagnada que acham que so pq elas se encheram de filhos todas tem que ter tbm,claro que tem mulheres que exercem a maternidade brilhantemente essas tem tdo meu respeito e admiração.Mas eu nao tenho vontade alguma de ser mãe.

  386. #619
    Luciana dias
    26.06.2015 - 13:40

    Filhos!Você vai investir tempo,sentimentos,dinheiro e como tudo na vida o retorno não é garantido.Viver ou criar expectativa de que o filho terá “obrigações”com você pode gerar decepções futuras.Todos nós sem exceções somos filhos não tivemos escolha.Más você pode sim e deve exercer o seu direito de escolher se quer ou não ser mãe ou ser pai.Tem pessoas que desejam ter filhos,outras tem por acidente,para segurar casamento,para garantir pensão,por pressão da família enfim são tantos os motivos.Filho é uma decisão pessoal e não social.Seja feliz,amiga.Tem muito juiz por aí julgando a vida do outros e torcendo para a infelicidade alheia.

  387. #620
    Lu Martins
    01.07.2015 - 21:02

    Oi, Cony! me diverti muito com os comentários, principalmente os de mente ultrapassada. Li desde o primeiro dia que postou e ainda acho graça como as pessoas querem julgar quem escolhe não ter filhos! Se, ser mãe te tornasse uma pessoa melhor, iria rever meus conceitos, mas não é isso que vejo ao meu redor. Li um texto maravilhoso, que meu marido trouxe pra eu ler..segue o link.

    http://www.brasilpost.com.br/tayna-leite/mulher-nao-nasce-para-ser_b_7705956.html

  388. #621
    Rosi
    09.07.2015 - 20:51

    Ser mãe é a pior coisa que existe na face da terra se não tem vontade, não tenha,pois você vai amargar dias terríveis. Ah se eu pudesse voltar atrás. A melhor coisa que existe é sua liberdade! E depois que você tem se você falar que se arrependeu você é um monstro… num pode, tem que dizer que é tudo perfeito! Se tiver vontade tudo bem…mas se não… Não caiam nessa!
    Eu falo mesmo e não tô nem aí pra quem me julgar.
    Sou casada e já disse até pro meu marido que a mulher que eu era não existe mais. Ele entende e nos damos super bem! E isso não quer dizer que não amamos nosso filho. Mas não queremos mais. Pronto….falei.

    • #622
      Lilian
      06.08.2015 - 15:20

      Oi Rosi, admiro vc ter a coragem de falar isso, pois muitas das minhas amigas falam o mesmo. Ainda que amem seus filhos, se pudessem voltar atras não os teria tido. Boa sorte e que vc tenha sempre uma vida feliz. bjs

    • #623
      Karina
      04.02.2016 - 22:35

      Olha Rosi vc ganhou meu carinho e meu respeito, é raro encontrar uma mulher tão sincera como você.. Parabéns pelo seu desabafo e que deus abençoe muito…

  389. #624
    carol
    25.07.2015 - 14:26

    Também não tenho vontade de ter filhos!

  390. #625
    aline
    27.07.2015 - 16:56

    Tenho pavor, só de pensar. Quem garante que vou ter um filho, vou dar tudo de mim, e ele não se tornará uma pessoa ruim? Não tomará um caminho perverso? Melhor arriscar “não ter”, do que ter. Muita gente que conheço fala que eu preciso “tentar”. Como asssim?!?!?!? E criança é objeto? É um ser humano, depois de feito, não tem volta!
    DEUZULIVE!

    Até já tive vontade, quando era mais jovem e bobinha, romântica. Hoje, aos 33 e depois de várias lições aprendidas com bastante sofrimento, desisti! Se ainda quiser ter, prefiro adotar uma criança já grandinha, pois condiz com minhas convicções. Pra quê gerar mais um indivíduo num mundo horroroso desses, quando há inúmeras crianças precisando de uma chance?

    Quero muito respeitar quem opta por ter filhos, mas intimamente, considero “uma verdadeira louca” quem os tem nos dias de hoje.

    Desculpem o desabafo.

  391. #626
    Lilian
    06.08.2015 - 15:16

    Meu Deus, eu tenho qse 35 anos, casei há 10 meses e o drama das pessoas perguntando quando teremos filhos e que já estou numa idade avançada e blá blá bla. Enfim, o fato é que perco o sono com peso na consciência de querer correr léguas de crianças, não que eu não goste delas, até gosto das engraçadinha e educadinhas, mas me tremo toda qdo vejo criança fazendo birra por nada. Fico encantada ao passar por bichos na rua, cachorros são minhas paixões, mas bebês não me chamam atenção na rua. Outro dia vi uma mulher com um nenê no carrinho na parte debaixo do carrinho um cachorro, logico que meus olhos foram direto para o cachorro e até sorri, o bebe passou despercebido. Tudo isso só confirma o quanto não tenho intenção de ter uma criança dependente de mim. Tão bom chegar em casa e poder descansar, e nos fins de semana não precisar fazer nada que eu não tenha vontade, ser livre para mim. Bom, que bom que não sou um E.T. melhor ainda poder falar e desabafar isso, pois me sentia meio monstro por não ter paixão por crianças. Uffa!!!

  392. #627
    Mari
    13.08.2015 - 22:44

    Boa noite, infelizmente tenho uma forte pressão de meu marido em termos um filho.
    Somos casados Ha 9 anos, tenho 36 anos hoje, mas venho enrolando, ou seja, nao tenho vontade de ser mãe.
    Me sinto perdida com tanta cobrança de minha familia e dele.
    Mas sou sincera, nao tenho vontade de ser mãe e nem de ter filhos.
    Tem alguem com situação igual a minha?

  393. #628
    Ju Albanez
    31.08.2015 - 12:01

    Genteeeee! Me encontrei nesses comentários!! Poxa, se não quero ter filhos o que que os outros têm a ver com isso?? Se eu posso escolher algo na minha vida a decisão é só minha e pronto! Quantas pessoas escolheram não usar drogas? ou usar? Porque filhos têm que ser uma obrigação da mulher? porquê é um dom?? E daí! Quantas estão aí parindo desenfreadamente? e o que vai mudar no mundo eu não querer parir? Filho não é garantia de felicidade nem de que terá alguém cuidando de você no futuro! Quantos aí abandonaram suas mães e pais em abrigos, hospitais ou nas ruas mesmo?? Quantos maltratam suas mães velhinhas e só querem o dinheiro delas? Não só filhos, como netos, sobrinhos, etc! Viva a liberdade! Não serei incompleta por falta de filho ou de parceiro. Parem de colocar sua felicidade nas mãos dos outros! Eu seguro as rédeas da minha vida e da minha felicidade!!!

  394. #629
    Ericka
    31.08.2015 - 19:43

    Filho = choro fraldas, sujas de merda, falta de sono, falta de sexo, chifres, banhos mal tomados, unha sem fazer, mais choro, peitos caidos, barriga caida, mais choro, dor na coluna, vida social acabada, mais choro, vida profissional destruída, mais fraldas cagadas, mais noites sem dormir, dinheiro que era pouco agora é nada. Vá se fuder, não quero isso pra mim. Não sou obrigada!

    • #630
      Karina
      04.02.2016 - 22:22

      Amei sua opinião sincera Erika, e faço das suas palavras as minhas> Eu também tenho pavor e horror só de pensar na trabalheira danada que dá ter filhos, nem em sonho ou melhor dizendo nem em pesadelo eu não quero ser mãe, ah a gente tem que abrir mão praticamente de tudo, da nossa liberdade, da nossa paz, temos que abrir mão de tudo mesmo só para se dedicar a ter filhos?È ruim hein? Eu sou híper feliz sem filhos me atazanando e quando crescem só deus sabe o que vai virar, só deus saber o que vamos ter que passar, Ah isso não é pra mim não, deus me livreee..Adorei sua sinceridade Erika.. mil bjs

  395. #631
    Carmin
    09.09.2015 - 16:11

    Isso é algo que me deixa super confusa. Eu sinceramente não tenho vontade de viver a fase da maternidade. Quando vejo esse pessoal pirando com uma barriga de grávida e todo aquela “coisa” que criam em torno disso. Sei lá, eu não me identifico com isso.
    Porém por outro lado, eu sempre imagino futuramente eu e meu marido com filhos ao redor da mesa, me imagino ensinando coisas boas, tendo momentos com esses “filhos”.
    É algo muito estranho não sei explicar. Talvez a vontade de ser mãe mesmo chegue uma hora ou não. Mas por enquanto estou pensando que não quero ter.

    • #632
      Karina
      04.02.2016 - 22:17

      Eu penso da mesma forma, também não quero ter filho não. Sei lá até agora não me atraiu a idéia de ser mãe não

  396. #633
    Deborah
    25.09.2015 - 10:19

    Gente, todas as decisões vão ter consequências negativas, nenhuma vai ser um mar de rosas. Ficar procurando garantias de que não irá se arrepender é uma perda de tempo, pq se você se arrepender vai ser uma comparação da sua realidade com uma fantasia idealizada de vida com filhos ou sem filhos. E quando abrimos espaço para essa tipo de pensamento, a idealização sempre ganha. Mas a idealização não reflete a realidade.
    No final d