Lifestyle
Diario de Viagem, Dicas de Viagem
18 set 2017, 15 comentários

A Mala do Atacama

Agora sim, o post final da série ATACAMA. Muuuuuita gente perguntando sobre a mala, o que levar, o que usar, o que é dispensável, o que é obrigatório. Enfim, hoje vou contar aqui o que realmente faz diferença para passar alguns dias no deserto.

Vamos a algumas considerações:

  • A temperatura varia muito. Fomos no final de agosto e durante o dia pode chegar a 30ºC e a noite uns 5ºC. Em alguns passeios, pode até rolar uma temperatura negativa, tipo nos Géiseres Del Tatio, teve gente que falou em -12ºC! O que isso quer dizer? Tem que levar roupa de calor calor e de frio frio.
  • O tempo é seco, bem seco. E ainda por cima tem o fator altitude, o que dificulta a respiração. Tem considerar isso na hora de montar a necessaire.
  • Lá a gente anda muito e, claro, muita terra. Tudo suja rápido.
  • A franquia de bagagem pro Chile (Brasil – Chile) é de 23kg. Complicado né?

 

Agora vamos montar a mala?

  • Blusas térmicas: pode considerar uma por dia. E pelo menos uma extra… As minhas são da Uniqlo (comprei fora, em NY e em Tokyo, são as melhores do mundo!), mas a Decathlon aqui no Brasil também vende.
  • Calça térmica: eu fiquei 4 dias e meio e usei duas calças térmicas. Levei dois tipos: legging, e calça calça mesmo, de tactel por fora e térmica por dentro. Essa última foi bem útil quando os passeios eram para lugares muito frios.
  • Meia calça térmicas: super necessário. São ótimas porque você coloca a meia calça e uma legging por cima. Daí quando começa a fazer calor, tira a meia calça e guarda na mochila. São leves e não ocupam muito espaço.
  • Meia térmica: também bem necessária, mas não precisa uma por dia… acho que umas duas só, para quando for passeio de muito frio.
  • Luvas: as comuns mesmo.
  • Gorro: nem precisa ser térmico e se não tiver, pode comprar um de lã na feirinha de San Pedro. Bom que faz um estilo né?
  • Cachecol ou golas: cachecol (de lã, grossos, ou estilo pashmina). Golas também são bem vindas.
  • Fleece: ou aquele casaco/moletom de soft… Para por por baixo da jaqueta!
  • Short de corrida: daqueles levinhos, que dá para dobrar e ficar pequenininho sabe??? Tem que pensar em trocar de roupa durante o dia, talvez até durante um passeio e as coisas para levar na mochila não podem pesar ou fazer volume!
  • Legging: VÁRIAS! Todas as que você tiver no armário hahahaha. Eu pequei e levei só duas. Passei necessidade pois achei que duas estariam ok, afinal estava levando calça jeans também. Jeans é o que menos se usa lá! É ruim para fazer os passeios, incomoda, não é nada confortável. SE FOR LEVAR, leve apenas um. O mais básico de todos. Sobre as leggings, pode ser aquelas da Zara, mais grossinhas, ou de ginástica mesmo, até o pé, para cobrir com meia, com a botinha ou com polaina. Melhor não deixar o tornozelo livre por causa do frio ou para não se machucar nos passeios. Vi várias mulheres com calça de ginástica, eu nem tinha pensado nisso. E por que levar várias? Porque suja MUITO! Acho que dá para repetir um dia só, isso se não sujar muito… Mas ó, pra foto ficar bonita, melhor levar legging sem estampa e cor neutra. Tem que pensar no álbum da viagem né?
  • Camisetas: várias também. Básicas e lisas (ou listradinhas rs). Pode levar regatas de malha também.
  • Casacos de nylon fofinho: eu levei dois e usei os dois. Um mais comprido e arrumadinho, cobrindo o bumbum e um mais curto, desses esportivos mesmo. Dá para ser só um, o curto esportivo…
  • Polainas: nossa, usei demais. Dei sorte que minha mãe tinha várias e peguei emprestadas com ela. Mas aqui entra o fator blogueira preocupada com as fotos… como a maioria das minhas roupas eram pretas, para dar uma variada, eu trocava a polaina. Faz toda a diferença! Daí pode se jogar em cores, estampas, o que for.
  • Top de ginástica: mais confortável que sutiã. Pense em atividade esportiva, muita!
  • Tênis de ginástica: Eu praticamente só usei minha botinha, mas um tênis é bom levar. E um sem muito apego, pois tudo volta muito sujo e acabado.
  • Botinha de trekking: o item MAIS NECESSÁRIO para a mala do Atacama! Gente, não sei o que seria de mim sem essa botinha. Comprei um dia antes de ir e foi a coisa mais inteligente que fiz na vida. Dá firmeza, aguenta o tranco, é segura (para não torcer o pé) e é confortável. Comprei a minha na Centauro, por R$ 300 e alguma coisa, da marca Bull Terrier e amei!
  • Biquíni: ou maiô. Tem o passeio das termas que é uma delícia. Além disso, tem as lagoas escondidas (aquelas que tem mais sal que o Mar Morto) que TEM QUE ENTRAR. É algo único. Então roupa de banho é necessária sim!
  • Lingerie confortável: daquelas sem costura, sem nada que arranhe, machuque, irrite.
  • Chinelo: sempre né? De borracha, o mais básico  mesmo.
  • Óculos de sol: um só tá ok, eu levei um Ray Ban modelo Wayfarer.
  • Boné: bom também para proteger do sol durante os trekkings.
  • Protetor solar: litros, apenas litros rs. Ok, exagerei, mas tem que usar protetor solar todo santo dia, no rosto e corpo! O sol é forte, então tem que cuidar!
  • Protetor labial: o tempo seco pode ressecar os lábios. Também tem que andar sempre com um balm labial na mochila.
  • Descongestionante/Lubrificante nasal: para ajudar na respiração e o nariz também resseca muito!
  • Bota salto baixo: tipo motorcycle boot. Eu levei aquela minha que amo, da Santa Lolla. Tipo, se for sair um dia a noite em San Pedro, para jantar, ir num barzinho e não quiser ir de tênis ou botinha de trekking, que usou o dia todo sabe?
  • Mochila: Super master necessário também. Leve uma básica, leve, de tamanho ok (nem pequena nem muito grande). De preferencia com bolsinhos nas laterais para por a garrafa de água.
  • Garrafa de água: todo passeio é bom levar uma garrafa com água, mas Ó, encha com água mineral! Jamais com água da torneira,
  • Chocolates: para dar energia durante os passeios!
  • Câmera fotográfica: eu levei câmera, Go Pro e celular (tenho um iPhone) e fiz praticamente todas as fotos de celular! E ficaram lindas… mas é bom levar uma câmera sim…
  • Carregador de celular: daqueles portáteis sabe? Eu chegava no hotel a noite e já deixava carregando pro dia seguinte. Não dá para ficar sem bateria no deserto! Tem que registrar tudo.
  • Lanterna: uma mini lanterninha é bom ter na mochila. A noite é bem escuro (usam pouca luz para manter aquela visão maravilhosa do céu), então uma lanterna pode ser necessária em algum momento.

 

Mochila (a minha é mais causal, indico uma mais esportiva!), casaco fofinho da Olympikus, botinha de trekking da Bull Terrier, polaina preta e legging Zara.

Mudando o visual com uma polaina colorida!

Camisetas de malha, várias! Usei um top de tirinhas por baixo.

Colete fofinho também é bom… mas confesso que só usei um dia.

Esse é meu casaco matelassado mais comprido e acinturado. Minha mãe que comprou pra mim no Chile, em Falabella. Essa calça, mais larguinha, é da Uniqlo e comprei em Tokyo. Por fora é de tactel e por dentro de flanela.

Gola que serve como faixa pra cabeça e esquentador de orelha também rs. Comprei na feirinha artesanal de San Pedro, coisa de R$ 20.

Roupa de banho pras termas.

E essa foi a botinha salvadora! Comprei na Centauro, achei o preço bem bom e fez lindo na viagem. Sem ela eu nada seria rs. Essa é EXATAMENTE a minha! Ah, e comprei um número maior por causa das meias mais grossas (calço 37 e comprei 38). Mega confortável, não machucou nunca em nenhum segundo. Segue o LINK

  • Bom, e aqui acaba a saga do deserto. Uma viagem linda que acredito que todo mundo deveria fazer na vida!!!! Ah, uma dica importante, se quiser ver o céu mais estrelado do mundo, escolha ir em semana de lua nova. Se tiver lua cheia (ou algo de lua), nada de estrelas no céu!
LifestyleCompras
Dicas de Viagem, Shopping Time
15 set 2017, 4 comentários

Dica de Mala BOA!

Tô devendo essa dica desde Dallas e muuuuuita gente me perguntou sobre minhas malinhas novas. Não postei antes porque as malas esgotaram no site, só de eu ter mostrado no Stories! Então de nada adiantava falar delas novamente e não ter como comprar. Mas o estoque já foi renovado e tá tudo pronto para quem quiser comprar uma mala realmente boa!

Seguinte, que eu viajo muito e isso todo mundo sabe né? Eu falo que tem duas coisas na minha vida que precisam ser fortes para aguentar minhas viagens: os bofes e as malas hahahahahaha. Daí que minhas últimas companheiras de viagem já não se aguentavam mais em pé, literalmente! Duraram bem 3 anos, mas chegou um momento que já não dava mais, eu abusei delas tadinhas… E tive que respirar fundo e ir atrás de um jogo novo de malas de viagem.

Mas o que eu procuro quando vou comprar malas? 

  • Leveza. Pra mim é MUITO importante porque como sempre levo muita coisa, preciso fugir das taxas de excesso de bagagem.
  • Rodinhas deslizantes. Sim, elas tem que escorregar lindamente pelo piso. Isso porque, novamente, como viajo com muita coisa, sempre junto as duas malas grandes em uma mão e saio empurrando. As rodas tem que ser bem boas.
  • Resistência. Meio óbvio né? Vocês já viram como tratam nossa bagagem? É um horror, sem cuidado nenhum! Então a mala tem que ser forte o suficiente para aguentar todos os trancos.
  • Que feche bem. Além do cadeado de sempre, gosto das que tem código, que seja pra dificultar um pouco caso algum curioso queira abrir. Nunca aconteceu comigo, mas vai que…
  • Tem que ter aquele zíper de extensão. Na volta sempre acabo aumentando o tamanho da mala. Sem essa opção fico tensa.
  • Divisão interna boa. Que dê para separar e organizar bem todas minhas coisas.
  • Beleza! E os aerolooks ficam como? Até nisso tenho que pensar.

Ok, feitas minhas considerações do que seria uma mala boa, fui procurar um bom custo benefício porque né? Mala é um negócio caro que a gente compra pra deixar na mão dos outros e estragar logo…

Achei esse kit na Roncato (minhas malas anteriores também eram de la) e primeiramente achei LINDAS! Quando chegaram, mais bonitas ainda ao vivo.

O modelo se chama Flight e tem em 5 cores (cinza, azul, um turquesa mara, vermelha e preta). Comprei duas grandes e uma de mão pois o valor estava compensando bem.

São rígidas, então a gente organiza dos dois lados. Parte boa, os dois lados são presos por tela ou lona com zíper. Nada sai do lugar. Além disso, tem mais compartimentos internos.

Olha que lindeza. 

Esse modelo já vem com o cadeado TSA, que é aquele que os gringos gostam porque conseguem abrir. Achei mara.

O material é polipropileno leve as quatro rodinhas são maravilhosamente deslizantes.

  • Teve muita gente que me perguntou sobre as malas na época e entrei contato com a Roncato e consegui uma surpresinha para vocês!!! Que tal um cupom com 10% de desconto????? E válido POR TODO O ANO DE 2017??? Sim sim, aproveitem! Ao fazer a compra online é só inserir o cupom FUTILISH10 que seu desconto aparecerá na hora de fechar a conta. Roncato é uma marca italiana, tem 8 lojas físicas no Brasil e o ecommerce. E os valores praticados aqui são bem parecidos com os de fora! E não é só mala não viu??? Tem bolsas, cintos, um MONTE de acessórios pra viagem, mochilas, carteiras… super vale a pena dar uma conferida no site e aproveitar o cupom de desconto. Depois me contem das suas comprinhas!
ComportamentoLifestyle
Cotidiano, Dicas de Viagem
14 set 2017, 43 comentários

BH e Suas Baladas!!!

Ok, vocês pediram e eu fiz o “esforço” de frequentar algumas baladas em BH e dar meu parecer sobre elas. Sempre amei sair a noite, SEMPRE. Amo dançar, amo me produzir, amo ver gente e conhecer pessoas. Sou dessas. Amo uma boa música, que pode ser pop, rock, eletrônica, anos 70, 80, 90… só não curto sertanejo, forró e funk. Na verdade, acho que funk até consigo passar um pouco. Um pouco.

Enfim, acho que nunca tive uma fase tão baladeira na minha vida. Como já contei aqui milhões de vezes, sempre fui muito de programas de casal, mas lá no fundo queria mesmo era estar fervendo na pista de dança rs. Bom é quando a gente encontra alguém que curte as mesmas coisas não é mesmo? Mas ok, tenho saído muito, as vezes mais do que deveria mas já tenho um panorama perfeito da noite de BH, começando na quarta feira! Aham, de quarta a domingo, se quiser sair, tenho uma dica.

Vou contar aqui dos lugares que mais tenho ido. Sei que tem vários outros mas não posso falar com propriedade pois não conheço. Citarei alguns também que sou doida para ir, mas que ainda não fui por falta de oportunidade, certeza que irei em breve!!!

Vamos lá, falarei por tópicos: melhor dia para ir, ambiente, banheiros, valor, paqueras, , vestuário feminino, melhor horário, tipo de música. Ah, e vou falar de BALADAS ok? Restaurantes não, hoje não.

Jabu Drinkeria a Céu Aberto

  • Melhor dia: Quarta feira, aliás, acho que só funciona na quarta mesmo.
  • Valor: Não paga para entrar, apenas consumação. Depende do quanto você bebe rs. Uma cerveja custa a partir de R$ 9 e um drink uns R$ 30. Uma porção, cerca de R$ 30, R$ 40
  • Ambiente: É lindo. Um bar com o teto aberto e tem uma jabuticabeira no meio!!! Decoração rústica, tem mesas e um lugar pra banda tocar.
  • Tipo de música: Rock, Pop (geralmente a banda Cash – amo – toca lá) e DJ.
  • Melhor horário: Começa cedo, é happy hour. Pode chegar umas 19 para garantir mesa, depois lota!
  • Tipo de Frequentadores: Eclético, não tem muito playboy nem muita pato. É um povo mais de “boa”, sem frescura!
  • Idade: Mais adulto, acima de 25 diria eu.
  • Vestuário Feminino: Nada de mega produção, dá para ir de calça jeans se quiser, uma regatinha e tá tudo ok.
  • Paquera: Rola. É mais pra paquerar que pra ir de que casal. Homens e mulheres meio a meio.
  • Banheiros: Ótimos! Grandes, espelhos bons, sempre tem papel e limpos.
  • Acessibilidade: É ok, uma pequena escada e rampinhas para entrar. Fácil de estacionar.
  • O que indico comer/beber: a porção de coxinha!!! Tem de frango e de costela, acho… muito boa!
  • Endereço: Av. Mario Wernek 530, Buritis
  • Site/Instagram: @jabudrinkeria

 

Major Lock

  • Melhor dia: Quarta feira, a Quarta dos Amigos. Principalmente se tiver jogo do Galo no dia rsrsrsrs.
  • Valor: Baratinho. Entrada R$ 15 até meia noite. As bebidas… cara, preciso prestar atenção nisso rs. Acho que um moscow mule sai uns R$ 20.
  • Ambiente: Pub estilo inferninho. Uma decoração nada a ver com nada, parece que tem de tudo pendurado nas paredes e teto rs. Tem até uma bandeira do Chile hahahaha. É pequeno, mas suficiente. Tem uma parte externa onde o povo fica batendo papo e fumando. Tem uma parte mais underground também, mas nunca vi funcionando. Detalhe, só fui em quartas-feira até hoje. Nos outros dias parece que dá muita meninada de faculdade. Diz ser o primeiro pub de BH, com mais de 24 anos e o Jota Quest começou tocando lá!
  • Tipo de música: Rock! Com banda, alto astral, só música boa.
  • Melhor horário: Tarde, apesar de ser na quarta feira, é bom chegar tipo 23h, meia noite.
  • Tipo de Frequentadores: Adulto, na quarta, meninada nos outros dias. Pessoal mais alternativo, do rock.
  • Idade: De 25 pra cima.
  • Vestuário Feminino: Ih, do jeito que estiver. Nada arrumado, nada glamourizado. Pense em rock de garagem, lugar escuro, muita bebida.
  • Paquera: É… rola, tem mais homem que mulher.
  • Banheiros: Pois é… um pouco precário. Mas considerando que se trata de um inferninho… Pelo menos nunca faltou papel lá. Ah, o espelho é escuro então fica meio difícil retocar a maquiagem.
  • Acessibilidade: Fácil. Tem estacionamento na porta ou pode parar na rua também, caso for de carro.
  • O que indico comer/beber: gente, tem um shot que vem num tubo de ensaio que esqueci o nome, é mara. Mas é para dar PT ok? rsrsrs Ah, o Moscow Mule de lá também é bem gostoso! Nada para comer…
  • Endereço: Rua Major Lopes 729, São Pedro
  • Site/Instagram: http://majorlock.com.br@majorlockpub

 

Secreto

  • Melhor dia: Quinta feira (só tem na quinta mesmo)
  • Valor: Se não me engano, R$ 80 pra entrar mais consumação.
  • Ambiente: Tabacaria. O povo fuma lá dentro, e muito. O lugar é pequeno, fechado, tem uns sofás, um espaço pro DJ. Já teve seu auge, hoje não é taaaanto assim.
  • Tipo de música: DJ, balada mesmo, e muito DJ bom! Uma vez surtei quando fui e era o Thiago Mansur. Foi épico.
  • Melhor horário: Tarde, bem tarde. Fica bom lá pelas 2 da manhã!!!
  • Tipo de Frequentadores: Dizem já ter sido mais bem frequentado, eu não peguei essa época. Realmente não acho que dá um povo assim mega maravilhoso, mas é bonito sim. É meio panelinha, a mesma turma sempre… Tem a foto clichê dos frequentadores, um dedo na boca fazendo “shhhhhh”, de “segredo”. Playboys and patys são assíduos. É da turma dos promoters famosos de BH.
  • Idade: Nem sei, já vi de tudo lá rs.
  • Vestuário Feminino: Piriguets feeling. Balada amiga, BH… pode se produzir, vestido curto, decote, make, cabelo pronto pra bater, glitter, fazer carão pra foto… SE BEM QUE, como sou revolts, já fui de tênis lá. E entrei, mas acho que foi por fatores externos rs.
  • Paquera: Ah, tudo escuro, um fumação danado pelos cigarros, tudo fica lindo. Pegação. Tem mais mulher que homem. E dá uns gay.
  • Banheiros: Ok, sem grandes adversidades.
  • Acessibilidade: Fácil, rua fácil de estacionar.
  • O que indico comer/beber: vish, sei não. Sempre que vou lá fico na vodka com suco de cranberry ou energético, minha bebida oficial de balada.
  • Endereço: Rua Gonçalves Dias, 926 – Savassi
  • Site/Instagram: @secreto_lounge

 

Bacco’s

  • Melhor dia: Quinta feira!!! Com certeza! Funciona outros dias também, mas quinta é quinta!
  • Valor: Depende do quanto você bebe rs. É uma casa de vinhos, com uma adega bem legal no segundo andar, onde você vai e escolhe seu vinho. Tem de tudo que é preço, mas preço de loja, bem digno! Eu escolho sempre garrafas de cerca de R$ 70, R$ 80. Tem cervejas artesanais também, se não me engano, uns R$ 18 a garrafa. Outra coisa interessante, não tem garçom. É self service. Você chega, escolhe sua bebida, passa nos freezer e escolhe seu petisco (tem carne, pão de alho…) e paga no caixa. Deixa seu petisco lá que eles fazem pra você e depois te procuram pelo bar para te entregar. O povo que trabalha lá é super gente boa!
  • Ambiente: Como falei, é uma loja de vinhos e comidas. Tem poucas mesas e como na quinta lota, fica quase todo mundo em pé na rua, bebendo e conversando.
  • Tipo de música: Ambiente
  • Melhor horário: É happy hour, se quiser pegar mesa, chegue cedo, umas 18h!!!!
  • Tipo de Frequentadores: Gente linda. Homens e mulheres. Muitos executivos que saem do trabalho e esticam lá. Muitos de roupa social (o que gosto muito hehehe).
  • Idade: Mais velho, diria mais 30! Será???
  • Vestuário Feminino: Arrumadinha, mas arrumadinha lady, não de balada. Geralmente é frio, então uma calça flare com jaqueta faz ok. Lugar de mocinha direita e de família rs. Coisas grifadas circulam a vontade por lá.
  • Paquera: Médio… nem tanto, o povo vai mais de turma depois do trabalho mesmo. Mas rola de conhece gente interessante sim! Tem mais homem que mulher, mas acho que na maioria, são comprometidos. Então… cuidado.
  • Banheiros: Um banheiro feminino na parte de baixo, e um masculino na parte de cima. Como enche muito, às vezes rola uma fila básica…
  • Acessibilidade: Fácil de chegar, difícil de parar o carro! É stress na certa. Pode ir de taxi, ubera, cabify, o que for.
  • O que indico comer/beber: O pão de alho poró!!!!!! Maravilhoso! E um vinho francês que esqueci o nome, tem um rotulo azul… dá próxima anoto o nome e atualizo aqui.
  • Endereço: Avenida Oscar Niemeyer, 1033, loja 3 – Bairro Vila da Serra – Nova Lima
  • Site/Instagram: http://www.baccos.net / @baccosgourmet

 

Steak Me

  • Melhor dia: Acho que ainda é quinta… mas tem que ver a agenda deles porque direto tem uns eventos lá!
  • Valor: baratinho, cerveja uns R$ 7 (Stella Artois) e um espetinho de R$ 7 a R$ 12 (vou confirmar os valores, mas não foge muito disso)
  • Ambiente: Espetinho! Bar de rua, com mesas altas. Mas ao lado tem mais mesas agora e um mini palco onde as vezes tem banda, dj e até karaokê!
  • Tipo de música: De tudo… rock, pop, DJ…
  • Melhor horário: também é happy hour, a partir de 18h.
  • Tipo de Frequentadores: É um Bacco’s mais relax. Se o povo engomadinho que sai do trabalho vai pro Bacco’s, os mais relax vão pro Steak Me. Esses dois lugares ficam praticamente lado a lado.
  • Idade: Adulto, de 30 pra cima, por aí!
  • Vestuário Feminino: Do jeito que estiver… Nunca vi mega produções por lá. O que acontece é que geralmente a gente passa no Bacco’s e depois vai pro Steak Me. E vice versa.
  • Paquera: Médio… mesma coisa do Baccos, apesar de aqui rolar um pouco mais troca de olhares rs…
  • Banheiros: Um banheiro pra mulher! Tem fila…
  • Acessibilidade: Mesma coisa do Bacco’s de novo. Melhor ir de taxi porque é bem difícil arrumar vaga!
  • O que indico comer/beber: espetinho de coração. Eu gosto rs. E tem um molhinho de ervas que é uma delícia!
  • Endereço: Alameda da Serra, 951, Vila da Serra, Nova Lima
  • Site / Instagram: @steakmeplease

 

Hangar 677

  • Melhor dia: Depende da festa, mas geralmente gosto mais das coisas que acontecem aos sábados lá! Já fui umas 3 sextas feira que prometi nunca mais voltar… muita meninada na sexta, mas como falei, depende da festa.
  • Valor: Depende da festa. Geralmente, uns R$ 70 a entrada mais consumação. Bebidas em torno de R$ 25 (minha vodkquinha com cranberry)
  • Ambiente: Um lugar aberto, no alto de um bairro mais afastado em BH. É espaço para show e festas eletrônicas grandes. Já teve muita festa boa e badalada lá! É da mesma turma do Secreto, a balada que falei aí pra cima. Tem uma parte fechada, onde está o bar e algumas poltronas, mas esqueça ir se quiser ficar sentada. Lá é em pé mesmo. Ah, e tem um avião lá cravado no morro.
  • Tipo de música: Depende da festa… tem de tudo, rock, pop, funk, DJ…
  • Melhor horário: As festas geralmente começam as 22h, mas é bom chegar tipo meia noite.
  • Tipo de Frequentadores: Depende da festa hahahahahahaha. Como falei, tem dias que só tem meninada, outros não. E como é da mesma turma do Secreto, geralmente tem a mesma galera.
  • Idade: Depende da festa…
  • Vestuário Feminino: Piriguets quentinha. Porque lá faz frio, mas é lugar pra sensualizar.
  • Paquera: Rola, muito. Mas tem bem mais mulher que homem. E muita mulher bonita. Então respira fundo, faça sua melhor produção e vá.
  • Banheiros: Químicos. Morro com isso, mas é o químico melhorzinho… mas mesmo assim, é químico.
  • Acessibilidade: Tem estacionamento, pago (R$20). Mas se for beber, vá de taxi porque pega um pouco de estrada pra ir. Ah, e tem morro pra subir caso for de táxi. Prepare as pernas.
  • O que indico comer/beber: Beber apenas, o que mais gostar.
  • Endereço: R. Henriqueto Cardinalli, 121, Olhos d’Água
  • Site/Instagram: @hangar677

 

Land Spirit

  • Melhor dia: Depende da festa…
  • Valor: Tipo o Hangar 677, uns R$ 70 pra entrar, claro, dependendo da festa.
  • Ambiente: Também aberto porém com um bar fechado. Fica do outro lado da BR, em frente ao Hangar, digamos. São duas casas parecidas, que oferecem festas parecidas MAS não sei explicar o porque, gosto BEM MAIS do Land. Acho o povo mais de boa, a energia melhor… não sei explicar!!!
  • Tipo de música: Depende da festa, também toca de tudo!
  • Melhor horário: As festas começam por volta de 22h, mas é bom chegar tipo meia noite.
  • Tipo de Frequentadores: Depende da festa mas como falei acima, me identifico um pouco mais com a turma da Land. Acho que é um pessoal mais velho rs.
  • Idade: Depende da festa…
  • Vestuário Feminino: Semi piriguets com frio. Também é no alto e também faz frio… se bem que no verão acho que não né?
  • Paquera: Rola. Fácil. Tem mais mulher que homem também mas da última vez que fui, impressionantemente, tinha bem mais homem que mulher. Mas isso é raridade em BH.
  • Banheiros: QUÍMICOS! E dos ruins, aqueles azuiszinhos mesmo. Detesto, não tem espelho, escuro, não dá pra fazer xixi direito. Tem um banheiro dentro do bar, mas durante as festas grandes, enfrento o químico mesmo. Tem mocinhas que dão papel na entrada…
  • Acessibilidade: Difícil de estacionar, melhor ir de taxi! E tem um morro para subir… Se estiver de salto, subir ok, na volta, com uma mega descida e ainda uns álcool na cabeça, as coisas podem se complicar.
  • O que indico comer/beber: Beber apenas, o que mais gostar.
  • Endereço: BR 356 – Km 7,5 n° 7575 Olhos D´Agua
  • Site / Instagram: @landspiritoficial

 

Lord Pub

  • Melhor dia: Depende do show! Mas fica bom de sexta a domingo.
  • Valor: A entrada é barata, acho que R$ 20. Uma cerveja long neck, uns R$ 12
  • Ambiente: Casa de show de rock. Mais escura, tem uma mesa de sinuca na entrada, e um segundo andar com um restaurante japonês. É pequeno. Ah e faz parte do Circuito do Rock de BH!
  • Tipo de música: Rock! Unica e exclusivamente rock.
  • Melhor horário: Chegar 23h, meia noite é ok.
  • Tipo de Frequentadores: Povo do rock. Homens que gostam de rock e algumas mulheres. Mais homem que mulher.
  • Idade: Tem de tudo! O rock não tem idade 🙂
  • Vestuário Feminino: Rock! Pode ir de preto, calça de couro, camiseta, coturno… nesse estilo!
  • Paquera: Rola, bastante. Mas não é o povo mais lindo de BH… é ok.
  • Banheiros: Banheiros ok, acho que tem 3 femininos, no meio da escada.
  • Acessibilidade: Dificil de parar perto e tem uma escada para subir na entrada!
  • O que indico comer/beber: o temak de lá é gigaaaaaaaaaaaaante! E delicioso. Tem uns shots diferentes também!
  • Endereço: R. Viçosa, 263 – São Pedro – BH
  • Site/Instagram: @lord_pub

 

Jack Rock Bar

  • Melhor dia: Aqui vai ser quase tudo igual ao Lord! As duas casas são dos mesmos donos, do Circuito do Rock. O melhor dia vai depender do show! Vai muito de gosto.
  • Valor: Também R$ 20. Bebidas, igual ao Lord.
  • Ambiente: É maior que o Lord, e depois da reforma ficou bem boa. Antes eu preferia o Lord, hoje prefiro o Jack!
  • Tipo de música: Rock né mores?
  • Melhor horário: A partir de 22h já pode ir… tá cedo, mas é que mais tarde dá uma fila danada.
  • Tipo de Frequentadores: Pessoas do rock.
  • Idade: Adulto!
  • Vestuário Feminino: Roqueirinha.
  • Paquera: Rola, solta.
  • Banheiros: Bons! Tem a Joan Jett na porta 🙂
  • Acessibilidade: Fica na Contorno, num morrinho, então as vezes é difícil fazer a fila de salto. Tem que ficar de ladinho…
  • O que indico comer/beber: Temak!!
  • Endereço: Avenida do Contorno, 5623 – Funcionários
  • Site/Instagram: http://www.circuitodorock.com.br / @jackrockbar

 

A Obra

  • Melhor dia: Sábado! Minha amada OBRA, tô viciada!
  • Valor: R$ 30 entrada, e minha vodkquinha com cranberry, R$ 25. Só tomo Absolut ok?
  • Ambiente: Inferninho total! Alternativo, um porão basicamente! Tem o atrativo da cerquinha da Obra… Na entrada tem uma cerquinha onde quem já pagou pra entrar vai fumar ou pegar um ar… e muitas coisas acontecem naquela cerquinha hahahaha. Morro de rir! Ah, e também tem a foto clichê, no final da escada, uma parede com aqueles marcadores de altura. Tem que ter essa foto!
  • Tipo de música: As melhores do planeta. Toca The Cure, New Order, Blondie, The Smiths, Depeche Mode, Talking Heads, Erasure e por aí vai! Diz que tem que estar bêbado o suficiente para ir Na Obra mas eu vou sã e fico bêbada lá mesmo. Danço sem parar!!!!
  • Melhor horário: 2 da manhã a coisa ferve.
  • Tipo de Frequentadores: alternativo! Um público mais cult e relax!
  • Idade: De tudo, mas diria que acima de 25, 30 anos…
  • Vestuário Feminino: Do jeito que quiser. Entra de tudo… Muita gente vai pra lá depois de alguma outra balada, de festa de casamento, de qualquer lugar! Então vai ter a galera do rock, a galera social, mulheres de vestidos de festa, tudo tudo. A noite acaba na Obra!
  • Paquera: ô. Nem falo nada. Ninguém sai ileso de lá. Só se quiser! Tem homem e mulher na mesma quantidade.
  • Banheiros: Feminino tem dois, um com a Rihanna na porta e o outro com a Rita Lee. Esse é o espírito de lá!
  • Acessibilidade: Fácil de estacionar, mas tem uma escada sinistra para entrar lá.
  • O que indico comer/beber: indico dançar! MUITOOOOO!
  • Endereço: R. Rio Grande do Norte, 1168 – Funcionários
  • Site/Instagram: http://www.aobra.com.br / @aobrabh

 

DDuck

  • Melhor dia: Vish não sei… só fui uma vez e acho que era sábado.
  • Valor: Boa pergunta, mas não é das mais cara. Tipo R$ 20 pra entrar. As bebidas são fracas, tem que pedir pra caprichar na dose!
  • Ambiente: Inferninho GLS, mas vão alguns héteros também.
  • Tipo de música: GLS! Madonna, Lady Gaga, Britney, tudo bem dançante! Pelo menos na festa que fui, tava tocando isso.
  • Melhor horário: Meia noite.
  • Tipo de Frequentadores: GLS, na verdade mais gays do que lésbicas. E cada gay gaaaaatoooo, azuis.
  • Idade: Público mais jovem, acho que de 20 pra cima.
  • Vestuário Feminino: Do jeito que estiver, ninguém vai te analisar.
  • Paquera: Bom, pra mim não rola rs. Mas pros gay… migos se joguem.
  • Banheiros: Péssimo, entra homem, entra mulher, entra de tudo.
  • Acessibilidade: Tem escadas. Dois lances grandes. Cuidado para não cair. Eu caí. Minha amiga caiu. NÃO VÃO DE CARRO! O meu foi arrombado na porta praticamente. Não só o meu aliás, quando saí tinha uns 6 carros arrombados.
  • Endereço: R. Pernambuco, 1316 – Funcionários
  • Site / Instagram: http://www.dduck.com.br/site/ / @dduckdclub

 

Zona Last

  • Melhor dia: Fui num sábado!
  • Valor: É bar, então você paga o que beber, não paga para entrar! As bebidas são baratas, uma long neck custa R$ 5.
  • Ambiente: Bar, e todo mundo fica na rua!!!! LOTADO! Ao lado tem uma parede com grafitti que delimita a linha do metrô!  É algo bem urbano, talvez algo trash, numa casa beeeeem velha! Quando a Zona Last fecha, desce todo mundo pra boate Velma.
  • Tipo de música: Quando fui tinha um DJ tocando Anitta. Ele estava com uma blusa e saia feitas de saco de lixo hahaha. É bem isso!
  • Melhor horário: Fecha 1 da manhã, então é bom chegar umas 21h….
  • Tipo de Frequentadores: De tudo, mas maioria alternativo e GLS.
  • Idade: de tudo!
  • Vestuário Feminino: Do jeito que estiver. Tem umas drag queens maravilhosas lá.
  • Paquera: Hum… pra heteros acho mais difícil.
  • Banheiros: Só tem um, pra homem e mulher.
  • Acessibilidade: Eles fecham a rua, então é bom ir de taxi ou parar pelas redondezas.
  • O que indico comer/beber: o Mojito é MARA!
  • Endereço: R. Pouso Alegre, 2952 – Horto
  • Site / Instagram: https://www.facebook.com/barzonalast/

 

Chalezinho

  • Melhor dia: Domingo. Bom na quarta tem a Jabu que falei aí pra cima, na quinta tem o Quintal do Chalé que dizem que está bombando mas nunca fui lá, mas o dia famoso mesmo é o domingo.
  • Valor:  Cara não lembro mas sei que tem entrada (não é cara) e paga consumação. Vou me informar e atualizo aqui.
  • Ambiente: A casa é linda. Toda reformada, bem cuidada, quebrou copo alguém limpa na hora. Achei chique.
  • Tipo de música: Sertanejo! Aham, domingo é sertanejo mas depois tem DJ, o que salva a noite ahahahahahahaha.
  • Melhor horário: Cedo, afinal é domingo né? Umas 21, 22h tá ok. Lá pelas 2 da manhã já está bem vazio.
  • Tipo de Frequentadores: a turma do sertanejo. Vários moços com looks a la Gustavo Lima e coisa assim.
  • Idade: Jovem, de 20 pra cima.
  • Vestuário Feminino: A mulherada vai arrumada! Pra matar mesmo.
  • Paquera: Rola e MUITO. Achei que tinha muito mais homem – e homem bonito – do que mulher.
  • Banheiros: Perfeitos. Limpos, grandes, muito espelho.
  • Acessibilidade: fácil… tem lugar para parar o carro, mas sempre é melhor ir de táxi né…
  • O que indico comer/beber: Não lembro de nada em especial, só que os drinks eram enormes!
  • Endereço: Av. Mário Werneck, 530 – Alto Buritis
  • Site / Instagram: http://www.clubechalezinho.com.br/desktop/index.php / @_clubechalezinho

 

Na Sala

  • Melhor dia: Sábado
  • Valor: Depende do dia e da festa. Geralmente, feminino até meia noite é uns R$ 60, R$ 80. Sem consumação.
  • Ambiente: A boate é linda. Ar condicionado bom, tem uma iluminação legal e a pista de dança também é bacana. Tem uns sofazinhos pra sentar.
  • Tipo de música: DJ, e dos bons. Os melhores tocam lá.
  • Melhor horário: Pode começar a chegar meia noite…
  • Tipo de Frequentadores: Coxinhas hahahaha. É uma balada mais de playboy e patricinhas.
  • Idade: Depende do dia e da festa. Mas aos sábado, acima de 20.
  • Vestuário Feminino: Pode se produzir MUITO! Brilhos, paetês, decotes.
  • Paquera: Rola. Mais mulher que homem e muita mulher linda.
  • Banheiros: Bons. São higienizados regularmente.
  • Acessibilidade: Fica no estacionamento de um shopping de decoração de BH, o Ponteio Lar.
  • O que indico comer/beber: nada em especial, só dançar mesmo.
  • Endereço: Ponteio Lar Shopping – Lj. 120D – Santa Lúcia
  • Site / Instagram: http://www.nasala.com.br / @nasala_

 

Distrital

  • Melhor dia: depende da festa… tem aos sábados, aos domingos…
  • Valor: Uns R$ 30 pra entrar mais consumação. Mas depende da festa… vai ter uma agora que o ingresso é R$ 120…
  • Ambiente: É um galpão num mercado. Grande, bacana.
  • Tipo de música: depende da festa! As vezes tem banda, outras Dj… tem que ver a programação, mas geralmente são bandas bem boas.
  • Melhor horário: As coisas lá começam mais cedo, umas 19h, mas pode chegar umas 21h.
  • Tipo de Frequentadores: Povo mais relax, tipo o mesmo povo de boate só que sem tanto glamour na produção. É bem frequentado, dá muita gente bonita.
  • Idade: Depende da festa…
  • Vestuário Feminino: Glamourzinho light. Arrumadinha, bonitinha.
  • Paquera: Rola. Acho que lá é meio a meio, homem e mulher.
  • Banheiros: Poucos pro tamanho do lugar.
  • Acessibilidade: Tem estacionamento, pago, se não me engano R$ 20.
  • O que indico comer/beber: nada em especial, apenas paciência para comprar ficha e ficar tentando pegar a bebida…
  • Endereço:  Rua Opala, s/n , Cruzeiro
  • Site /Instagram: https://www.facebook.com/ODistrital / @distrital

 

Festas e baladas itinerantes:

Mandarin – festa dos ricos topzera. Vem gente até de fora de MG em seus jatinhos particulares. Tentei ir na última mas os quase 600 reais do ingresso me desanimaram. Deixei pra última hora também né… confiei na minha carteirada de blogueira mas não deu muito certo hahahaha. Poxa, ser digital influencer tem que ter suas vantagens… soube que foi maravilhosa, só gente linda e dura até o amanhecer. Uma vez por ano, num lugar bem longe! @festamandarin

Festa Junina Chevals – Pra mim a melhor! Muita comida, bebida, gente bonita. Faz bastante frio! É mais tradicional. Só acho ruim que a vodka não é Absolut, é Orloff se não me engano… E é caro, uns R$ 200 o ingresso, mas tudo liberado. @chevalsjunina

Festa Junina Secreto – Ou a festa junina da Mariângela. Bem tradicional e como juntou com a turma do Secreto, é lá no Hangar 677. Quando fui, gostei bastante das comidas… tinha até Outback! Gente bonita, e frio… bastante frio!

Festa da Insanidade – festa que começou em Tiradentes e chegou há alguns anos em BH. Acontece cerca de 3 vezes ao ano e tem bloco próprio durante o carnaval. É temática – cada festa tem um tema diferente – mas nem todo mundo vai fantasiado. A vibe é animada e os shows bem ecléticos. Já fui na do RPM e do Hanoi Hanoi, agora terá uma com o Buchecha, numa quadra de samba no meio de uma comunidade. O público é mais velho (30, 40, 50 anos) e tem os habitués que vão em todas as edições. Virou uma marca (algumas pessoas até tatuam o símbolo da festa) e tem vários seguidores fiéis. O ingresso é barato, cerca de R$ 70, sem consumação. @casadainsanidademental

Halloween do Secreto – AMO! Gasto uma grana com produção porque adoro me jogar no figurino, tem até concurso de melhor fantasia hahahaha. Como é do pessoal do Secreto, a festa é no Hangar 677. O ingresso da última vez custou R$ 100 na porta! Não gostei da banda da última vez mas o legal é ver as fantasias!

Camarim – acontece várias vezes ao ano e em diversos lugares. É uma turma mais nova, mas é uma festa bem frequentada. Muita paquera, muita gente bonita. Look piriga decente rss Os ingressos são mais caros, quase R$ 100. @festacamarim

Festa Transa – fui só em uma edição e não gostei. Mas acho que foi pelo lugar e não pela festa em si! Totalmente GLS (as melhores musicas né) a festa estava LOTADA! Barato pra entrar, R$ 35, já ouvi falar muito bem dessa festa mas acho que dei azar. Foi no mercado central de BH, estava muito quente e muito cheia. Não tinha nem como pegar bebida. Desisti e fui embora. @transafesta

Rooftops em BH – temos 3, que eu saiba. O do Hotel Encore no Luxemburgo, toda quinta feira comandado pelo DJ Leandro Rallo (bem bom), mas acho que tá cadinho ultimamente… Sempre que vou está vazio. Tem também o Downtown, feito pelo Matheus Menezes, acho que duas vezes por mês (ou uma?). Fui na primeira edição e AMEI! Ambiente lindo, vista linda e musica boa. O público não era tãaaaaao bonito, mas tava ok. Fica no hotel Dayrell no centro de BH (@downtown.bh). E tem também o rooftop do Othon Palace, mas nesse nunca fui. Um amigo me disse que tinha só gente maravilhosa. Quero ir um dia.

Downtown Rooftop!!

  • Bom, por enquanto é isso! Ainda quero muito ir na Paco Pigalle que me falaram muito bem… Se alguém tiver mais dicas de BALADAS e FESTAS em BH, deixe nos comentários!!! Quaisquer considerações sobre as festas citadas acima, também são muito bem vindas. Nem sempre minha impressão é a do outro né?