24
May 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Vejamos as aflições de hoje:

Caso 01 – Corona

Meu marido e eu nos relacionamos há quase 11 anos, 5 de casamento. Acontece que desde sempre meu cunhado que é 10 anos mais novo que ele (hoje ele tem 28 e meu esposo 38)  nunca me engoliu por puro ciúmes e também acredito ter um pouco de inveja envolvida. Eu já tentei por inúmeras vezes mostrar que não havia motivos. Parece-me que ele tenta o tempo todo competir comigo, e eu sempre tolerando e relevando. Enfim, pra chegar no ponto onde minha paciência acabou preciso contar que há 1 ano e meio meu marido foi diagnosticado com depressão e síndrome do pânico. Ele trabalha numa instituição financeira onde as cobranças por resultados são desumanos, e como se isso já não bastasse, há tempos atrás ele sofreu um assalto dentro do trabalho e logo depois na troca do gerente geral começou a sofrer assédio moral e perseguição. Reuni a família e pedi que tivessem paciência, e tentassem não trazer mais problemas. Numa dessas conversas até liguei para o meu cunhado solicitando que o mesmo se reunisse com o meu marido para uma tarde de lazer, pois ambos estavam precisando e o meu cunhado havia recentemente terminado o relacionamento. Mas ele não perde oportunidades de tentar me atacar mesmo com todo esse meu esforço, até que um belo dia eu não aguentei mais fazer a egípcia e disse umas verdades à ele. Verdades essa que o fizeram me bloquear, ou seja, ele nem com um “bom dia” se dirige mais à minha pessoa. Isso pq ele sempre frequentou a minha casa e até passava alguns fds lá. Acontece que além de todo o transtorno na minha vida que o fato do meu marido estar com depressão me trouxe (ele se tornou agressivo, relapso, não tem mais interesse sexual, TOC’s entre outros) preciso aturar a família toda dele dando pitacos, que mesmo com a intenção de ajudar mais atrapalham que ajudam. Meu marido já tentou neutralizá-lo como pode mas não foi suficiente, acho que falta mais atitude dele, mas não me sinto confortável  e nem posso fazê-lo escolher entre a família e eu, mas por outro lado já não consigo lidar com toda a situação, ela tem sido maior que todo o lado bom que ainda existe. Já dei vários toques pra ele, e ele sempre acaba explodindo comigo. Estamos em crise, já mencionando por diversas vezes a separação. Eu ainda o amo, mas estou ficando doente. Ele só começou a frequentar terapia há 1 mês, até então estava se tratando com um neurologista, e a psicóloga só entrou quando eu dei o aviso  que nós terminaríamos de vez se ele não buscasse ajuda. Muita informação pra ele digerir, eu sei, mas por outro lado eu preciso me amar, me sentir amada e desejada e não ter que “disputar” ele com ninguém. Já não sei mais como proceder.

Menina que situaçãaaaao! Bom, se terapia ele já está fazendo, acho que você só tem que fazer a egípcia mesmo e esperar as coisas se ajeitarem. Cara, não é o cunhado que vai atrapalhar seu casamento! E outra coisa, toda historia tem 3 lados né? Como é que você está abordando a família do seu marido? Com que tom você se dirige ao seu cunhado? Tem que olhar suas atitudes também, as vezes você pode estar sendo arrogante com eles e cria essa situação. Observe!

Chora 02 – Sol

Namorei seis anos, éramos super felizes, porém no último ano deu uma esfriada, acredito que por culpa dos dois, até que há cinco meses atrás descobri umas mensagens suspeitas e terminei meu namoro. Não sei se ele me traiu, porém acredito que as coisas caminhavam para isso. Foi a primeira vez que tive uma desconfiança desse tipo. Nesse meio tempo conheci outraaaa pessoa. Um cara super legal, carinhoso. estamos juntos há quatro meses e há três meses namorando. E é aí que começam os problemas… Ele quer mostrar pra todo mundo que está comigo (fotos, festa em família, facebook…) porém, sinceramente, eu tenho um pouco de vergonha dele (sei que estou errada e me sinto péssima por isso), ele tem um coração enorme, porém tem um português ruim, não tem muitos modos sabe, ele é uma pessoa simples e minha família não…  Seria um choque para minha família e meus amigos…. Eu sei que de certa forma dei esperanças… Mas me entendam, eu namorei seis anos!!! Acabei dando corda sem querer, alimentando esperanças… Ele faz o tipo safadinho, nunca imaginei que ele estivesse a fim de namorar… Quando estou com ele me sinto muito bem, muito bem de verdade, mas ao mesmo tempo tenho vergonha de apresentá-lo. Somos muito diferentes, se namorarmos de verdade sei que vou ter que abrir mão de muitas coisas (baladas mais chiques, restaurantes melhores…) Sei que o certo seria terminar, mas não consigo por que gosto dele…. Aí isso me deixa mal… Me sinto horrível por sentir vergonha dele, ainda mais por que ele faz de tudo para me agradar… Me sinto um lixo na verdade… Mas não sei se gosto dele o suficiente para enfrentar o “preconceito” da minha família e abrir mão de fazer várias coisas que eu gosto (por que ele realmente não tem muitas condições…). Ao mesmo tempo meu ex quer voltar comigo e eu fico super balançada quando estou ele… Sinto muita falta, muita falta de verdade. Sinto falta da vida que eu tinha, de tudo que fazíamos. Mas também não consigo terminar com esse cara e voltar com meu ex… Meu dilema é esse: Volto com meu ex? Eu relamente gosto desse cara ou só estou ocupando minha cabeça? Por que eu sinto vergonha? Já fizemos várias coisas juntos, como terminar tudo sem magóa-lo? Parece que minha cabeça vai explodir… Se alguém puder me ajudar…  Nunca me senti tão mal (me sinto enganando todo mundo)…

Fia, você namorou 6 anos e emendou um namoro no outro. Você está super confusa. De verdade, acho que você deveria ficar um tempo sozinha, para saber o que realmente quer. Pode ser que não seja nenhum dos dois! E outra coisa… diferença social pesa SIM, uma hora você vai ter que lidar com isso, vai cobrar coisas deles, ficará insatisfeita. Eu sei que muitas vezes a gente tem que deixar a razão de lado e seguir o coração, mas quando as “estradas” são muito diferentes, ir pela razão é sempre a melhor escolha.

 

Chora 03 – Cristal

Tenho 50 anos e sou casada há 25, e tenho um filho adulto que já mora sozinho. Meu casamento foi muito bom no início, mas com o tempo deixou de ser um mar de rosas. Desde o namoro, meu marido me deu vários sinais que de seria machista e possessivo. Mas, você sabe, o amor nos cega, e sempre, sempre achamos que o tempo muda tudo para melhor. Só que não. O tempo, esse indecifrável tempo, muitas vezes, muda para pior. E, além disso, as pessoas mudam também. E, se não mudarem juntas, para a mesma direção, ferrou … Tive várias oportunidades para me separar. Umas histórias mal contadas aqui, uma falta de apoio e estímulo ali, umas grosserias acolá, enfim … Ainda estou aqui, antigamente por causa do filho pequeno, ele é um ÓTIMO pai. As vezes por causa da família, tanto a dele quanto a minha, ele gosta e trata muito bem a minha família. Mas, há pouco tempo, ele trouxe a mãe dele, idosa, para morar conosco, daí PQP … tudo piorou. E não é por causa dela, pois afinal deixamos de ter a liberdade que um casa, sem filhos em casa, tem. Mas, porque ELE se irrita muito com ela e, claro, com a vida limitada que passamos a ter. E desconta em quem ???  E eu, quando sou boa, eu sou boa, mas quando eu sou ruim, eu sou ótima, excelente. E eu, simplesmente cansei, não quero mais desculpas, nem promessas e nem espero que ele, afinal, mude. Não ligo mais pra ele, ignoro. Já disse que quero me separar, mas tenho pena da mãe dele. Pois, os dois, sozinhos, vão se matar ou enlouquecer um ao outro. E, eu não quero ser feliz às custas da infelicidade de outra pessoa. Eu não seria feliz plenamente, entende ? Eu sei que todas as nossas escolhas tem um preço, mas, eu não me vejo pagando tão caro. O que acham ?

Você já decidiu né? Só falta a coragem de tomar a atitude. Preste atenção nas suas palavras… você teve a chance de separar várias vezes e nunca o fez SOMENTE POR CAUSA DOS OUTROS! Ou pelo filho, ou pela família, agora pela mãe dele. Você não está pensando em você hora nenhuma! Até quando será assim? E outra coisa, sua felicidade não vai causar infelicidade dos outros, cada um é responsável pela sua própria felicidade. Pare de pensar no outros e comece a pensar em você! Tá nova, tá em tempo de retomar a vida e começar a ser feliz de verdade!

 

  • Choras fechados ok? Quando liberar eu aviso aqui!
23
May 2017
Saia Midi no Inverno!
Como Usar

Antes de mais nada, midi é COMPRIMENTO e não modelo! Geralmente quando se fala em saia midi, logo vem a cabeça uma saia plissada né? Mas não é por aí não. A midi pode ser plissada, pode ser lápis, pode ser evasê! E qualquer que seja o tipo de midi, é chique e elegante.

No inverno então… olha só essas inspirações:

Evase em 3 momentos: com ankle boot, com tênis e com sandália. 

Com bota over the knee! Coisa mais linda!

Amo saia lápis de malha ou tricô com tênis. Super descolado! Na parte de cima é só por um tricôzão e pronto, look de Pinterest!

A saia lapis em comprimento midi também pode ser estampada ou em couro. E reparem, todos os looks com tênis! Mas facilmente vai uma bota aí também!

E a vez da midi mais lembrada, a saia plissada! Acho que já passou o susto de usar ela né? Se não passou, podem dar um jeito pois a bichinha veio pra ficar!

Se tem medo das metalizadas ou estampadas, pode ser uma preta ou cinza básica. No inverno pode usar com jaqueta jeans, jaqueta de couro, maxi tricô. 

  • Considerei um inverno ameno, sem neve nem friaca nível hard. Curtem saia midi? Querem post de onde comprar?
22
May 2017
Fala Que Eu Te Escuto – Bota No Trabalho, Como Usar??
Como Usar, Fala que eu te escuto!

Dúvida da Mariah e que pode ser a dúvida de muita gente!!

Cony querida, acompanho o seu blog há anos e adoro tudo que você escreve! Foi você que me ensinou a comprar no Ebay – e sinto falta de ver suas comprinhas! Tenho uma dúvida sobre como usar e queria sua ajuda – já que vc está sempre impecável! Seguinte: sou uma pessoa bem friorenta e não vivo sem uma (ou 5 rsrsrs) botinha no inverno, mas tenho dúvidas de como usar no ambiente de trabalho mais formal. Geralmente eu uso com jean ou até legging, ou então, em dias mais sérios ir com vestido + meia calça + bota. Consegui sobreviver um tempo assim por que a empresa era extremamente informal, mas agora vou trabalhar num lugar mais quadradinho e preciso me adaptar. Minha preocupação também é de não ficar muito envelhecida (eu tenho 26 anos!). Me ajuda?”

Ajudo! E achei ótima sua pergunta porque eu também aprendi um bocado fazendo essa pesquisa!

Olha só o que achei:

Um look pode ser formal sem ser engomadinho demais sabe? E ainda mais para você, que tem apenas 26 anos e não quer se vestir de maneira careta! O detalhe da “juventude” (rsrsrs) pode ser na bolsa colorida, no lazer com padronagem diferente, na maneira de sobrepor as peças e nos acessórios. Acredito que com todos os looks acima você pode ir trabalhar num ambiente mais sério, não ficar careta e ainda usar suas botinhas. 

Se for para ser um pouco mais formal, vale usar a bota pode dentro da calça como a Jennifer Aniston (talvez uma calça de alfaiataria ficasse melhor para o look mais sério) ou então usar ankle boot preta com calça preta para dar “continuidade” ao visual. Olha esses looks com casacos que lindos!

Adorei esses! Todos com blazers o que já deixa a produção mais séria. Mas repare nos detalhes fashionistas: na primeira foto, a bota caramelo e o colar, na foto do meio, a bota de verniz, e na última foto, a calça de couro!

Para fashionizar ainda mais, a bota pode ser diferentona, pode usar uma pantacourt (achei MARA esse look!) ou um total black com blazer bem acinturado.

Ankle boot com saia também vai ao escritório! Mas SEMPRE com meia calça acompanhando a cor da bota ok?

Esses dois looks são os meus preferidos e tomara que sejam formal o suficiente para seu trabalho! Saia midi com bota é a coisa mais chique ever!

E aqui, já não tão sérios, saias plissadas, botas OTK (over the knee, ou seja, acima do joelho) e combinações mais fashionistas.

  • Várias opções hein Mariah! Espero que tenha gostado e se for replicar algum dos looks, manda foto pra gente ver!
Página 2 de 1,08812345Última »