Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
25 mar 2020, 53 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Vamos para as choronas da Quarentena.

Chora 01 – Orquídea

“Cony, Sou leitora bem antiga e hoje em dia seu blog é o único que ainda acompanho. Toda semana eu abro esperando ler o Chora e já pensei em mandar a minha história milhares de vezes, mas ela é tão longa e confusa, que sempre desisto. Meu problema não é com homens, mas com a minha mãe.Vou tentar ser o mais sucinta possível, porque tenho que contar desde sempre.Meus pais se casaram muito jovens, minha mãe com 16 e meu pai com 22, porque minha mãe engravidou. Nisso vieram mais 2 filhos. Meu pai trabalhava muito e sempre foi fisicamente muito ausente. Minha mãe vivia ressentida e desde que me conheço por gente eles brigam o tempo todo. Durante boa parte da minha vida convivi com muitos xingamentos, berros, objetos quebrados (que ela arremessava). Meu pai era sempre o “passivo” das brigas, porém sei que tudo acontecia porque ele permitia (e indiretamente causava). A cada ano as brigas iam se intensificando, meu pai saia de casa, eles ameaçavam separar, mas acabavam voltando ao que era antes. Rolava roupas rasgadas, coisas jogadas na rua, ameaças de morte, berros que o quarteirão inteiro escutava. A vizinhança toda sempre soube a situação dos meus pais. Há 13 anos, minha mãe descobriu um caso que meu pai teve. Meu pai novamente saiu de casa, mas após algum tempo acabou voltando. Minha mãe passava o tempo todo reclamando e dizendo como era infeliz, mas a cada tentativa de separação, arrumava uma desculpa para aceitá-lo de volta (detalhe: minha mãe é uma mulher bonita, com uma profissão legal, mas um histórico pessoal e familiar bem pesado de depressão). Nisso, virou uma zona: minha mãe passou a ter alguns “paqueras” – homens com quem ela conversava, trocava mensagens, mas se a acusasse de traição, ela se ofendia e dizia que era uma mulher de família e nada se comparava ao que meu pai fez. Numa dessas, meu pai descobriu, partiu pra agressão física e ainda destruiu TODAS as roupas dela. E eu lá, separando a briga e impedindo que algo pior acontecesse. Mesmo assim eles voltaram. Fast foward para 2017 – eles separaram. Divorciaram no papel. Minha mãe arrumou um amante – que ela nega a todo custo, diz que foi só após separar (assumiu no mesmo mês!) que era um amigo do meu pai desde a adolescência (eu e meu irmão não aceitamos e nos recusamos a conviver). Se diz eternamente em depressão, praticamente não trabalha e só fica bem quando está na cidade do namorado visitando. Mas onde eu quero chegar? Em todo esse período, minha mãe descontou todos os problemas dela em mim. Ela acha um completo absurdo eu ainda me relacionar com o meu pai (ele é um bom pai, apesar de ter sido um marido ruim). Me xinga, me ofende (sou fria, egoísta, entre outras coisas piores), nunca está disponível para me ajudar, critica meu marido e meu casamento, minha forma de criar minha filha , diz que ele ainda vai me fazer muito infeliz, fala mal de todas as pessoas possíveis (minha sogra, minha cunhada…). Ela se tornou uma pessoa maldosa, amarga, invejosa, desagradável, reclama de tudo e de todos. Sempre foi, mas com os anos isso se tornou muito pior. Porém, ela é minha mãe, eu a amo e sinto falta dela. Me sinto orfã de mãe viva. Tenho uma filha maravilhosa de 1 ano e 10 meses e nunca tenho ajuda dela pra nada. E ela é minha vizinha!! A última justificativa para as ofensas foi que eu resolvi fazer o Natal para a família na minha casa e ela disse que não vai pois eu roubei o Natal que era dela, que é a matriarca e deveria resolver esse tipo de coisa (detalhe que o Natal seria em outro local, não na casa dela, e sugeri que fosse na minha). Sei que a resposta é: se afaste. Mas como? Como deixar de amar, de sentir falta? Desculpe o texto enorme, não consegui resumir mais (e tem tão mais!!). “

Ai que complicado hein… Percebe-se o quanto sua mãe é uma mulher triste e amarga, mas eu entendo sabia? Ficar grávida aos 16 anos, perder a juventude e você diz que ela é bonita e tem uma boa profissão, ou seja, parece ser uma mulher que batalhou pela carreira dela. Está claro que ela sente raiva do seu pai pelo “peso” tão cedo na vida dela, que provavelmente a fez adiar sonhos e agora desconta nos outros. Ela é uma mulher doente (ainda mais que você conta que a família dela tem vários casos de depressão) e é magoada pela vida e não com você. Veja que o problema não é com você e sim com ela! Ajude-a a se ajudar, ir numa terapia, tomar medicação, porque com certeza a cabeça dela não está boa. Mas lembre-se sempre, o problema não é com você, ela é uma pessoa DOENTE.

Chora 02 – Girassol

“Te acompanho a muito tempo e sou leitora fiel do fufu. Amo listras e onça rica, graças a você!
Meu chora é com a intenção de aproveitar esse anonimato para ter um bate papo real sobre: Corpo.
Segue um breve resumo sobre meu biotipo e minha história com o meu corpo: Nunca tive sobrepeso. Já tive a fase de estar com um pouquinho mais de gordura, mas nada demais. Quando entrei na adolescência, formei corpo rápido, menstruei aos 11 anos, e desde então tive bumbum e coxas com ‘mais estoque de gordura’.Nessa fase, também ganhei muitas estrias no bumbum, acho que por crescer rápido, e umas celulites. Sempre morri de vergonha. Já fiquei anos sem usar short, ir a praia por vergonha de colocar biquíni, deixei de fazer passeio de escola, entre vários outros episódios ao longo da vida.
Lá pelos 15, entrei numa academia. Nessa época eu achava que se eu malhasse as estrias iriam sumir (guria inocente). Frequentei mais ou menos, depois veio o período de vestibular, faculdade e fiquei 5 anos sedentária. Nessa época foi a que estive mais cheinha
. Há uns 6 anos atrás, por influência de amigas que fiz num novo trabalho, voltei pra academia e começamos a fazer dieta. Desde então, nunca mais parei. Mas quando digo nunca mais parei, é no sentido de estar sempre tentando. Uma semana dedicada na academia e alimentação, uma semana sem academia, uma semana comendo besteiras e por aí vai.
Hoje tenho 28 anos, 1,57(por aí) e 51kg (por aí). Sigo fazendo meus treinos, até que este ano fui bem assídua. Já na dieta, não posso dizer o mesmo. Já fui na nutricionista, mas não sigo direitinho o plano alimentar. Não sou de comer muita quantidade. Sou do doce e acabo beliscando um docinho aqui outro ali, todo dia.Enfim o verão chegou e todo ano passo pela mesma angústia. Moro no litoral, próximo a praia, minha família e meus amigos frequentam, eu tenho vontade de estar com eles, mas não me sinto confortável no meu corpo. Tenho vergonha das estrias, das celulites, da barriga não estar sequinha.As vezes penso que estou sendo uma ridícula por pensar assim, pois tenho um corpo saudável e não deveria me privar de viver momentos por conta disso. Mas no fim, essa minha cobrança fala mais forte. Te escrevo hoje e me sinto frustada. Ano passado sei que tive o mesmo sentimento, e prometi pra mim que ia me dedicar e chegar no verão com o meu ‘corpo perfeito’ e mais uma vez falhei.

Não falo disso com ninguém próximo, pois das vezes que já ‘desabafei’ coisas nesse sentido, escuto que sou doida, que estou magra e blablabla. Por isso, queria ouvir a opinião das meninas aqui. Vocês estão bem o corpo de vocês? Tem esse mesmo sentimento que eu? Eu estou exagerando? Também se privam de certas roupas e lugares por conta do corpo? 
Esses dias vi uma moça no instagram falando sobre emagrecimento, dieta, corpo e tal, e ela dizia que pra conquistar a gente não basta querer, tem que querer muito, tem que se dedicar muito, tem que abrir mão de muito. Fiquei pensando sobre, pois eu sempre quero, mas na hora de comer meu sorvete, eu esqueço do plano, esqueço da celulite e por aí vai. Logo eu não quero muito, né?
Sei que aqui no chora lidamos com muitos problemas realmente sérios e entendo se o meu tema não for publicado.”

Minha filha, eu falo que “no próximo ano terei o corpo do sonhos” há pelo menos 20 anos hahahaha. E também escuto a mesma coisa, que estou magra e não preciso ter essa neura, mas eu me vejo pelada e não amo o que vejo não. De roupa a gente até disfarça, mas pelada… Tô sendo bem sincera e posso até ser polêmica, mas não acho que a gente tem que “engolir” essa de se amar do jeito que é. Temos todo o direito de querer mudar sim, de não gostar de algo e querer que seja diferente sim! Mas aí vem a pegadinha, o quanto a gente quer isso? Eu, assim como você, AMO COMER! Comer e beber bem para mim é o maior prazer da vida! Só que gosto mais de salgado, não sou muito chegada em doces rsrs, mas fora isso, não posso ver uma coxinha, um pão de queijo, um pastel, um cachorro quente, uma pizza. Se eu tivesse força de vontade, daria uma pausa nessa gula, mas… consigo? Já tentei inúmeras vezes, já fui em toooooodos os nutricionistas da cidade, dos mais caros aos menos caros, já fiz toooooooooooodas as dietas existentes, de low carb a GH, mas sempre volto a comer, acho um pecado passar pela vida e não comer gostoso. Daí comecei a malhar mais, malho pra comer, mas a gente sabe que a alimentação saudável é a que realmente nos emagrece. Eu tenho feito escolhas mais saudáveis na alimentação, como mais saladas, tento evitar carboidratos, mas sem sofrimento sabe? E também mooooorro de vergonha de usar biquini, não acho que fico legal e ponto final. Não adianta os outros falarem na nossa cabeça que tá tudo ok, que tá bonito, etc… Se A GENTE NÃO GOSTA DO QUE VÊ, não é a opinião do outro que vai ajudar. Teve um dia que postei uma foto antiga, quando eu estava mais magra e coloquei algo assim “#tbt de quando eu usava biquini de lacinho”. Uma moça veio me falar que eu poderia continuar usando, que não tinha nada demais em usar. Mas CARA, SE EU NÃO ME SINTO BEM USANDO, NÃO VOU USAR. Então o que fazer? Ter força de vontade para mudar o que realmente quer mudar!!!! Se você quer ir pra praia e por um biquini, vai malhar e fazer dieta! Se não quer malhar nem fazer dieta, chuta o balde e trabalha SUA cabeça pra se aceitar. A escolha tá na gente! O que é mais importante pra você, comer seu doce ou botar biquini? Os dois? Entao vai ter que achar um equilíbrio! Nem cortar todo o doce mas tambem não ficar sonhando com o corpo perfeito, porque ele não vai existir. Eu to mais ou menos nessa, meu corpo dos sonhos nunca vai existir PORQUE EU NÃO FAÇO O ESFORÇO NECESSÁRIO PRA ISSO, mas faço alguma coisa para não chutar o balde de vez, entende? Reavalie suas prioridades e saiba que se você não curte seu corpo do jeito que tá, não tem nada de errado nisso. Mas tenha consciência que ele so vai mudar se você fizer por onde. E acho mais, muitas pessoas que ficam falando em se aceitar do jeito que é, foi justamente porque tentaram mudar e não conseguiram. E novamente, isso é uma escolha TOTALMENTE INDIVIDUAL, não é porque um não conseguiu mudar que tem que tentar convencer os outros a chutar o balde também. Eu não chuto, não tenho toda a força de vontade que eu queria ter, mas não vou me abandonar tanto por questões estéticas quanto de saúde!

Chora 03 – Begônia

“Boa noite Cony, primeiramente gostaria de agradecer por todas as dicas, você é uma das poucas blogueiras que eu sinto verdade no que está falando e que muitas vezes posso comprar nas marcas que indica ($). Agora vamos lá ao Chora, é um pouco padrão, pois é sobre relacionamento. Bom, tenho 22 anos, não trabalho pois faço faculdade e isso toma todo o meu tempo, faço medicina, sou muito feliz no curso, saio, me divirto, conheço pessoas novas e legais, meus amigos falam que sou legal e bonita, ou seja, teoricamente uma pessoa normal e com uma vida boa. Porém, TODOS os caras que eu conheço e me interesso não se interessam por mim, eu até consigo ficar com eles, mas não passa de uma ficada e meia dúzia de palavras no WhatsApp. No início eu não achava ruim isso, tava feliz com minha solteirice, mas hoje eu me sinto muito sozinha, usada e parece que nunca vou achar um cara bacana, que me dê valor. Eu achei que 2020 poderia ser diferente, mas já começou com uma pessoa me enrolando. Bom, gostaria de dicas de você e de suas leitoras pq eu realmente não sei o que fazer e todos me falam que quando eu menos esperar vai aparecer alguém e isso já faz 2 anos que to nessa dos homens me fazendo de boba. Muito obrigada pela atenção, um grande beijo e que vc continue brilhando. 

Menina você é lindaaaa! Só não deve ter achado a pessoa certa ainda. Ou tem algo que você faz que afasta os caras. Voce assiste BBB? Eu nunca achei que fosse exemplificar algo com BBB aqui mas vamos lá… tem aquela menina, linda, a Gabi (que inclusive voce lembra ela – ela me mandou foto viu gente), só que ela era um grude e parecia ter a auto estima baixissima! Bom, não sei se ela estava jogando, mas o que ela fez com o cara lá dentro, dava pena. A pessoa pode ser o mais bonita que for, mas se for insegura, grudenta, perde toda a beleza. Voce é muito bonita e já demonstrou auto estima baixa ao me mandar sua foto falando que não era “tão feia assim”. Se ame primeiro, se ache linda, poderosa, mulherão, e como falei no início, ou você ainda não achou a pessoa certa, ou está repetindo um comportamento que afasta os caras. Se analise!

  • Choras ABERTOS! Ainda tenho um bocado pra responder mas podem mandar, acho que farei duas vezes por semana durante a quarentena ok? Mandem para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO!
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
53 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. IZABELA A RIBEIRO25/03/20 • 16h06

    Oi Orquidea,, concordo com o que a Cony disse, mas discordo de um ponto: não tente ajudar ela, quem não quer ser ajudado não recebe. Se ajude, faça você terapia, meditação, se cuide bem, se cuide MUITO bem! e tenho certeza que essa angustia sua vai passar, e a terapia pode te ajudar a lidar com esse luto de mae viva.

    oi Girassol, sinto muito pelo que você sente, espero que você consiga encontrar paz com seu corpo. Queria te sugerir alguns conteúdos que podem te ajudar a ressignificar essa questão : A @alexandrismos tem um perfil muito bacana e também publicou o livro “Pare de se odiar”, o perfil da @mbottan . Elas falam muito sobre beleza real e sobre essa pressão sem fim de ter o corpo ideal, e os males que essa busca (que nunca terá fim) , e os impactos que isso pode ter na nossa saúde mental – sim, sempre ela! Se cuida e fique bem!

    Begonia, o que tenho para te falar você já disse que está cansada de ouvir né? MAs você é nova, e quando for para ser alguem certo a pessoa aparecerá! Lembre-se SEMPRE que antes só, do que mal acompanhada.

    Sobre a Gabi do BBB (não é o fórum, mas #ficadica), acho um pouco delicado usar o relacionamento dela como parâmetro, visto que ela foi vítima de um relacionamento emocionalmente abusivo, que explorava as fragilidades dela. Achei importante pontuar isso aqui, porque, nesse caso específico, ela era uma vítima, e devemos tomar cuidado para não normalizar alguns tipos de abuso! A Cony e o CQETE tem um papel fundamental na conscientização das mulheres sobre relacionamentos abusivos!

    • Cristina26/03/20 • 07h54

      Gabi do BBB de agora em um relacionamento abusivo… para. Uma mulher imatura, que adora se vitimizar, problematizando uma situação que dizia ter perdoado, só vivia chorando, levava o relacionamento de uma maneira sofrida, parecia um velório. Ele bobo, banana, sem entender muito a lidar com a situação. Eu antigamente era assim qdo estava com alguém, sozinha era bem melhor!

      Engraçado qdo via esse relacionamento no BBB pensava como posso ter sido injusta na minha avaliação de outros relacionamentos, baseado no que uma amiga ou conhecida conta, baseado em um lado só. Às vezes num relacionamento amoroso, a mulher ou o homem tem comportamentos diferentes!

      • Bia26/03/20 • 14h48

        Chora 1: procure informações sobre “mães narcisistas”, é um termo usado na psicologia! Se puder, se cuide mentalmente também, não é fácil conviver com esse sentimento de culpa por algo que você não tem controle.

  2. Thais25/03/20 • 17h59

    Chora 2 – Olha, isso é normal! Ninguém é 100% feliz com o corpo, infelizmente. Querer mudar, incorporar mais hábitos saudáveis e se exercitar é legal, mas não fica obcecada com isso não.. você vai se frustar e nunca vai ficar feliz, cada hora aparece uma coisinha que você vai querer mudar! Aprenda a amar seu corpo, é uma atividade diária, não é fácil.. mas é a melhor coisa você se olhar no espelho e aceitar que seu corpo é seu templo e que nós somos lindas! A minha dica é: para agora de seguir blogueira fitness.. tem muita dica legal sim, mas a realidade delas é totalmente inalcánçavel.. elas tem nutricionista, personal trainer, cozinheira, não trabalham fora, fazem procedimentos estéticos caríssimos (e muitas vezes ate cirúrgicos que não são divulgados) e mesmo assim, posso garantir que elas não tão 100% satisfeitas com o corpo delas.. Comece a seguir gente “normal”, com rotina “normal” que voce vai ver como já vai ajudar!!

  3. TAY25/03/20 • 18h42

    É sobre o segundo chora. Eu sempre tive complexo com meu corpo, sou alta, 1,75, e tenho a pela extremamente seca. Tão seca que ela abre, logo eu sou cheia de estrias, por todo o corpo, são estrias finas, mas até na perna eu tenho, sou uma zebra, rs. Devido a isso eu nunca usei roupa que mostrasse minhas pernas. Além disso sempre tem aquela gordurinha. Mas com o passar do tempo entrei na academia, e resolvi me aceitar mais, porque para estria não tem jeito, já fiz laser de CO2 algumas vezes e faltava chorar de dor e elas continuavam lá. Não uso roupa curta na cidade que eu moro, uso no máximo midis. Mas quando eu viajo hahaha ninguém me segura, vou pra praia de biquini, ponho meu shortinho, meu vestidinho e não estou nem aí! Eu acho que muito do ideal do corpo que nós temos vem da comparação, só que nós nos comparamos com corpos irreais que estão nas redes sociais, com photoshop ou a custo de abstinência de vida, de comida e a base de modulação hormonal e medicamentos, as vezes proibidos.

    Ah Cony você é top! Está formando uma geração de mulheres arrumadas! Beijos!

    • Marcela26/03/20 • 12h08

      Tay, meu filho nasceu há 2 meses e eu fiquei cheia de estrias na barriga, apesar de ter engordado normal na gravidez. Muita estria mesmo! Grandes e rosas. Meu filho nasceu e as estrias me incomodaram muito! Fui na dermato e estou fazendo laser FOTONA. Fiz só duas sessões de 5 que vou fazer, mas já estou vendo resultado! Laser CO2 ouvi dizer que doi mesmo, hoje em dia o mais moderno que tem é esse FOTONA. Tente experimentar, doi bem pouco!

      • Tay26/03/20 • 12h29

        Marcela que ótimo que você teve um bom resultado! Mas a questão é as minhas estrias não tem a fase de ficar vermelha, ela já é diretamente branca. Quando está vermelha, a pele ainda está inflamada daí as chances delas sumirem são maiores. Mas vou buscar esse Fotona também, vou experimentando tudo! Obrigada pela dica!

        • Constanza26/03/20 • 12h43

          Tem tatuagem tb! Eles colorem da cor da pele! Da uma olhadinha

          • Paula26/03/20 • 17h07

            Cony você sofre com as sardas brancas (efeito cumulativo do sol)? Se sim, já fez algum tratamento? Poderia rolar um post sobre isso…

          • Constanza26/03/20 • 20h39

            Não… essa não kkk pelo menos uma né rsrs

          • Lyvia26/03/20 • 23h38

            Cony! Tudo bem? Sou Dermatologista e, se me permite, queria dizer que essa camuflagem de estrias é a maior furada! Com os anos a cor da tinta modifica, quando a pessoa fica bronzeada a cor da tinta sobressai… e o pior de tudo, o tratamento com laser p remoção da tinta é pouco satisfatório com grande risco de oxidação da tinta (fica escura, um horror)! Eu e outros colegas de profissão já vimos muuuuitos casos horríveis com essa “técnica”. =(

  4. Glaucia25/03/20 • 19h10

    Girassol, te entendo MIL por cento! Me sinto exatamente assim… ainda coloca no pacote que me acho feia, desinteressante e sem graça… E olha que como “normal”, não tenho muita fissura em doces e acho sim que comer e beber bem é um dos melhores prazeres da vida e não me privo disso, ainda mais que moro sozinha e nada me deixa mais em paz do que fazer uma refeição caprichada pra mim mesma no final de semana, com um bom malbec. Mas não sou padrão, tenho 1, 65 e peso 66 kg, me sinto um bonecão do posto.
    Por mais que digam que a gente precisa se aceitar e ser feliz, todos os dias somos bombardeadas com o padrão “do que é certo” mesmo que disfarçado nesse discurso de aceitação. Mas só a gente sabe como dói…
    Queria ter a fórmula mágica pra te contar mas também tô procurando por ela.
    Então o que posso te dizer é que tu não tá sozinha e que só depende de nós mudar e transitar pra aceitação. Não é fácil mas lá no fundo do meu coração, sei que não é impossível.
    Bjo!

    • Bruna26/03/20 • 09h50

      Meu sonho ser alta…sou baixinha de 1,55.
      rs…

    • Thaís26/03/20 • 18h51

      Olha q coisa, tenho 1.66 e 65 kg, agora me sinto MUITO melhor com meu corpo do que quando tinha 50kg, fui bem magra por muito tempo e não gostava… Custei pra ganhar esses quilos (a idade ajudou tbm kkkk), e me sinto muito melhor agora com 32 do que durante os 20 quando era palita…

      • Constanza26/03/20 • 20h40

        E eu q pesava 48? Hj to com 73! Tb me acho mais bonita mas queria perder 10 kilim kkkk

        • Nicolle26/03/20 • 21h24

          Oi, Begônia! Me identifiquei muito com o teu chora! Temos a mesma idade, curso medicina também e por muito tempo o teu chora era o meu. Já faço terapia há 5 anos e durante algum tempo as minhas sessões eram sobre a minha baixa autoestima e a dificuldade em encontrar alguém disposto a namorar. Nessa caminhada aprendi que o clichê “quando menos se espera, acontece!” É vdd, só que para isso, temos que estar bem com a gente mesmo! Então busque você em primeiro lugar, se ame, encontre um hobby, quando sair com os amigos da facul nao saia buscando um amor mas sim aproveite o momento e as suas amizades. Viva o hoje! E se ame! Tenho certeza que quando você estiver em uma boa sintonia, um cara legal vai aparecer pra você assim como apareceu pra mim. Não se cobre tanto, seja leve! A nossa rotina de estudos já é tão pesada e você se cobrar por conta disso só vai tornar tudo mais cansativo. Espero ter ajudado! Sinta-se abraçada

  5. Julia Akemi25/03/20 • 20h05

    Chora 1 – Concordo muito com as palavras da Cony, eu tenho uma amiga que passa por coisas semelhantes, a mãe engravidou cedo, não chegava a desprezar ou descontar as angústias na filha (diretamente), mas vira e mexe ela ficava com os ex-”s” da filha… Numa tentativa de ter de volta a juventude que foi roubada com a gravidez na adolescência. Eu acho muito que você deve propor um tratamento a sua mãe/ajuda. Mas se ela não aceitar… não force, não perca mais energia com isso, guarde as suas e vá se curar também! beijos.
    Chora 2- Acho que todo mundo tem um complexo com o corpo, eu mesmo já tive e ainda tenho alguns complexos com meu corpo, mesmo depois de ter feito cirurgia plástica.. é isso, mas, hoje em dia, amo-me mais. Eu construí em um mim a confiança que eu queria ter… é construir, não reclamar do que tenho…
    Chora 3- Menina, primeiramente, – não queria falar a mesma coisa, mas já falando- você é nova, e como a Cony disse é bem bonita!! É quase o mesmo caminho do chora 2, busque construir em você ”autoconfiança”, gostar antes -bastante- de você é o primeiro passo para atrair um BOM relacionamento. Fique em paz, curte sua juventude e belezuuura!!! Beijoss.

  6. Eduarda25/03/20 • 20h33

    1. Algumas pessoas são viciadas em drama, vitimização e sofrimento.
    Seja amiga dela aceitando essa característica dela.
    E qdo ela te ofender você joga uma “pode me ofender mãe, se isso te fizer um pouquinho feliz já me deixa feliz”

    2. Eu acho q vc esta uma gata!
    Ps: vai para praias desérticas assim da pra ficar até pelada numa boa 😉

    3. Regra: se faça de dificil, esteja indisponível, desinteressada, zoe o carinha, pisa nele, seja a superior, a demais, a incrivel.
    Isso faz qualqier homem ficar obcecado por você.

  7. Clara25/03/20 • 22h04

    Chora 1: apenas ame sua mãe, não tente entendê-la. Amá-la não significa deixar que faça qualquer coisa. Você deve honrar sua mãe, dar amor e suporte, mas não o deixar, jamais, que ela faça ou fale qualquer besteira contra vc e sua família.
    Chora 2: sou magra e cheia de celulite. Tb me sinto frustrada com isso e me sinto péssima por não ter forçar pra mudar.
    Chora 3: procure Dário leitão no Instagram. Resgate a femme fatale que há em você.:)

    • Daiane27/03/20 • 13h27

      A mãe dela é narcisista, ela deve se afastar. O narcisista não ama ninguém, mantém as pessoas por perto para fazer mal, e é isso que deixa o narcisista feliz. Só quem tem pais narcisistas sabe que o sofrimento só acaba com a distância. Pesquise sobre o tema em inglês, no Brasil esse tema não é bem aceito por endeusarem principalmente as mães, muitos filhos sofrem a vida toda porque devem “honrar” as mães, apenas por conta dessa cultura. É triste? é. Mas é ciência. Procure terapia (que trate do assunto) e SE AFASTE!

  8. Bruna26/03/20 • 08h09

    Chora 02
    Nossa, concordo demais com a Cony
    Sou magra, mas fiz um tratamento pra enxaqueca e engordei uns três quilos
    É pouco? Sim
    Na afez diferença em mim
    Pq engordo não perna e bunda, que ficam estilo panicat
    E ganhei flancos, coisas que nunca tive
    Fui na nutricionista, que me ajudou muito (não tive tb força de vontade suficiente, mas ajudou muito!)
    Sempre que falava que tinha ido no nutricionista, tinha que ficar ouvindo: nossa, pra que, vc é magra, blá-blá-blá (sendo que a nutri serve pra saúde tb né?)
    Aí tentava falar que tinha engordado três quilos e não tava feliz
    Ai falavam tanto na minha cabeça que comecei a falar que tava indo na nutricionista por causa da enxaqueca, pra eu comer melhor
    Um saco!! Só a gente sabe como nos sentimos bem
    Só tem que tomar cuidado pra não virar exagero mesmo né? Tipo, nunca ser suficiente
    Atualmente, quero perder esse flanco e as celulites
    Meu metabolismo já mudou depois dos 27 anos
    Antes, perdia fácil
    Mas to na luta
    Fico triste pq bebo pouco, como pouco doce e pouquíssimo carboidrato
    Mas não fazia muita atividade
    Aí to tentando mudar
    E beber mais água, pq não bebia nada
    Mas de toda forma: aceite-se e não ligue muito pra opinião dos outros! Boa sorte 🙂

  9. Beatriz Machado26/03/20 • 08h36

    Chora 01- Querida, não se culpe! Leia sobre mães narcisistas e entenderá tudo isso. Cuide de você para que não se repita com a sua filha!

    • Andressa26/03/20 • 12h06

      Quando eu li o chora, pensei exatamente nisso: mãe narcisista. A mãe dela tem que fazer terapia e ela, se puder, também, pra separar o que é dela e o que é da mãe dela.

  10. Juliana26/03/20 • 09h15

    Nossa, fiquei meio chocada! Quem fala pra se amar do jeito que é não é pq tentou mudar e não conseguiu não! É pq a gente entende q não tem q ser todo mundo igual e sem “defeitos”. Todo mundo tem coisas que nao gosta no corpo, mas eu nunca deixaria de fazer coisas por isso! Coloco um biquíni pra me divertir e nao pra impressionar ninguem ou pensar q to arrasando! Fora q essas cabeças neuroticas ficam achando q ta todo mundo olhando, mas a verdade é q nem ta! E quem olhou nem vai lembrar de vc no outro dia! Ebtao pra q se privar de um biquíni num lindo dia de sol???? Há muita beleza na diversidade! Muita! Se todo mundo fosse capa de revista, os “diferentes” é q seriam considerados os lindos!

    • Constanza26/03/20 • 11h46

      Tem gente que é diferente e tem que respeitar isso! Se vc se sente bem, ótimo! Mas não force os outros a sentirem bem com algo q eles não gostam. Cada um sabe de si. Tem q se amar sim, mas se acha que pode/deve mudar algo pra se aceitar mais, então mude! Não tem nada de errado em querer mudar algo, seja na vida ou no corpo.

      • Ju26/03/20 • 12h21

        Claro q todo mundo muda o tempo todo pra se sentir melhor e mais bonita, seja com um corte de cabelo ou uma cirurgia plástica e ta tudo bem. O q eu questionei foi a pessoa deixar de viver experiências por conta dessa insegurança. Um problema psicológico começa qdo atrapalha de alguma forma a vida da pessoa. E me espanta vc falar pra esse tanto de mulher q te segue é balela se amar do jeito q somos. Se eu nao puder fazer uma plástica então devo me privar da vida e de experiências? Nao, devo aceitar e viver feliz com meu defeito

        • Constanza26/03/20 • 12h28

          Novamente, se PUDER mudar, mude. Se não puder trabalhe sua cabeça pra aceitar o q não pode mudar! O q falei eh q não eh errado querer mudar. Eu não uso mais biquíni pequeno e por isso deixo de ir à praia??? Não, mas uso algo q me favoreça e me deixe a vontade!!! Veja a ilustração q postei amore. Essa militância do “tem q se aceitar de qq jeito” é muito chata! Cada um sabe de si!

          • Leilyane26/03/20 • 15h25

            Acho que o assunto é extenso e inclui uma série de problemas de saúde mental, de modo que minimizar e tentar fazer caber em poucas linhas escritas poderia ser até um pouco irresponsável da minha parte. Acredito que o que temos que ter sempre em mente é essa enorme gama de manifestações, desde a pessoa que sofre profundamente e prejudica a própria saúde até aquela em que está em paz com a própria imagem (mesmo que não agrade todo mundo), passando por quem não está satisfeito, porém sem sofrimento. Tem tantas nuances entre esses perfis que é muito mais simples apenas ouvir ao invés de dizer que este ou aquele tá certo ou tá chato. No fundo no fundo, cada um só tá contando a sua história. Não faz diferença seu peso, altura, idade, se não te machuca, vida que segue. Se te faz sofrer, procure ajuda, pq sempre dá pra melhorar.

  11. Bruna26/03/20 • 09h46

    Chora 2 – amiga, bate aqui. Estamos juntas nessa. Tbm sou magra, mas queria ter barriga trincada. Mas como ter? Eu não faço por onde e ainda me pergunto: Vale a pena? Acho que não, rs…No meu caso. Até porque não tenho mais 20 anos, 15 anos…não terei a barriga trincada, nem com plástica, rs. Já fiz lipo e acho que ajudou bem a gordura abdominal e das costas, mas ficou a flacidez. Se terei ou não coragem de fazer de novo não sei, ainda mais que agora queria fazer seios, rs. É uma coisa…kkk.
    É o que uma leitora falou também: a realidade das musas fitness é diferente da nossa. Nós não somos musas fitness, mas somos musas em muitas outras coisas.
    Tratamento estético eu acho que ajuda bastante e não precisa ser algo muuuito caro não, as vezes uma drenagem linfática já ajuda e muito.
    No mais, talvez viver a vida com equilíbrio é melhor.
    Na verdade, apenas nós reparamos em nossos corpos. As vezes estamos tão preocupadas que não vemos as coisas boas.
    Estou tentando parar com isso. Outra coisa: não se compare. Cada um é um, com suas qualidades.
    Eu costumo dizer: Nem Michael Jackson teve tudo, kkk.

    • Ju26/03/20 • 13h53

      A moça q disse q mora no litoral, morre de vontade de estar com os amigos e não vai! Como sabemos q estria e celulite é muitooooo difícil de arrumar, então prefiro ser a chata do se ame como vc é, e ir a praia sim! Se vc mesma disse q o problema está no q a gente vê e não gosta, o problema é mais de psicólogo do q de academia!

      • Constanza26/03/20 • 15h45

        Cara não é tao dificil não… minha celulite na perna melhorou DEMAIS com o spinning. Mas é aquela coisa, tem que querer e ir atras. O que não dá é ficar reclamando e não fazer nada.

  12. Bruna26/03/20 • 09h54

    chora 3 – menina…pode ser uma ótima não ter um namorado, pois fazer medicina, não é mole não. No final, vc não terá tempo para nada. Aproveite para estudar mais e melhor. E o que é beleza hoje em dia? É extremamente relativo. Seja interessante; primeiro para vc. O resto é consequência.

  13. Alexandra26/03/20 • 10h13

    Chora 2 – Completarei 50 anos em menos de 1 mês (sim ! Cinquentonas também seguem a Cony) e durante muito tempo não era bem resolvida com o meu corpo.
    Sempre fui do tipo “magrela”. Na época da adolescência, cheguei a usar calça de lã (a que usava para me aquecer antes das aulas de ballet) por baixo da calça jeans da escola. Imaginem o calor que eu sentia em pleno verão do RJ (sou carioca mas agora moro em SP). Eu dizia que não gostava de praia, nem de calor, justamente para não ir à praia e me expôr. E durante muito tempo acreditei na minha própria desculpa/mentira.
    Eu queria ter pernão, bundão, curvas. E nada … Isso era tão complicado pra mim que cheguei aos 26 anos ainda virgem. Só comecei a me aceitar melhor depois dos 35. E de alguns anos pra cá, me conformei que com o meu biotipo e genética familiar, só numa próxima encarnação terei o corpão que idealizei na adolescência.
    Peso 52 kg (e sempre fico atenta porque se me distraio, perco 2 ou 3 kg), meço 1,68 m e meu manequim varia um pouco de acordo com a marca – pode ser PP, 34, US 2. E mesmo assim, algumas vezes, ouço da vendedora que seria melhor procurar algo na seção juvenil. Dãããã.
    Nos últimos 10 anos desencanei de vez e sou felizona. Tenho tido mais carinho com meu corpo, me olho no espelho e digo a mim mesma que sou bonita, sim. E que é a minha opinião que conta. Quem convive e quem paga minhas contas sou eu.
    Você acha que já não ouvi de colegas de trabalho : “Ah ! Você é muito magra e tem as pernas muito finas para vestir saia e meia calça preta. Eu não teria coragem !” – Sentiu o veneno no comentário ?! – Pois eu simplesmente respondi : “Pois eu estou me sentindo ótima assim !”. E é verdade ! Tanto que nem lembrava mais desse comentário, só agora, escrevendo sobre esse assunto.
    Consegui desenvolver auto confiança mas foi um trabalho diário. O negócio é tirar o foco do que você não tem/é e valorizar o que temos de bom.
    Meu namorado me conheceu em um evento. Eu estava numa roda de mulheres e alguns homens. Mulheres mais novas, algumas bonitas e que ele só enxergou a mim, pela maneira como me destacava dos outros – com alegria, sorriso nos lábios, olhos brilhantes e fome de viver e ser feliz !
    Desejo que você não demore tanto quanto eu para se amar mais !!
    Beijos

    • Bruna27/03/20 • 09h10

      Que legal! Parabéns. Eu queria ser magrela…rs e alta como já disse acima. Mas, não serei; principalmente alta kkk.

    • Ju27/03/20 • 10h21

      É isso q eu falo de se amar! E por isso disse acima q me decepcionei com o comentário da Constanza q é isso é papo de gente chata. Acho q essa maturidade de se amar independente do q vê no espelho tem muito a ver com a idade sim! Hoje tenho 37, ja chorei demais por não ter peito, mas qdo queria nao pude colocar, e acho q hoje nao colocaria nem de graça. Querer melhorar é uma coisa, agora ficar de noia com seu corpo é outra coisa, e muito ruim

  14. Anna26/03/20 • 10h17

    Girassol, também tenho 1,58m e peso 52kg. Tenho estrias no bumbum e MUITA celulite e flacidez, além de pelos grossos e pretos no corpo todo (já cansei de ouvir que nasci mulher por engano e que devia até depilar tudo) e manchas de espinha nas costas. Tenho vergonha de por biquini? Tenho e muita, fico sofrendo antecipadamente imaginando o que farei e o que as pessoas vão pensar de mim. Mas sempre que supero essa vergonha para passar tempo com a minha família e amigos (praia ou piscina), é ótimo!!! Ninguém fala nada ou fica me olhando! Procuro pensar que todo mundo que está ali também tem suas limitações e estão preocupados com o que achamos deles rs. Adoro praia e piscina, me relaxa muito! A vida é curta demais para a gente perder a fase de curtir ao lado das pessoas que amamos. E outra, com o tempo nosso corpo só tende a ficar com mais “imperfeições”, então a hora de viver isso é agora! Talvez colocando um biquíni maior ou maiô vc se sinta melhor, ou deixando uma peça de roupa por perto pra colocar depois que sair da água (saia, short, saída de praia, blusa), assim vc fica menos tempo “descoberta”. Inclusive isso poderia até render um post, hein Cony? Se já tiver, perdoe a leitora dino kkk Beijinhos e fique bem!

  15. Pri Lima26/03/20 • 11h01

    Moça do Segundo Caso – Temos mais ou menos a mesma proporção, tenho 1,58 e peso 53kg (claro que a composição corporal pode ser diferente) e eu assim como vc, passo pela mesma situação… Sei que sou magra, mas a barriguinha incomoda demaaais, logo ela a parte mais difícil de tirar, precisa de alimentação, precisa de tratamento estético e muito exercício físico; Hoje eu faço pilates 1x, tennis 1x e academia 2x por semana.. consequentemente, preciso comer um pouco mais pra ter energia pra tudo isso e te digo que não vejo mudanças. então, trabalhei a cabeça, saio com pessoas que não me julgam, pessoas normais, amigos, que não estão ali pra olhar meu corpo, mas pela minha companhia.
    A gnt segue na luta e essa luta é leeeenta, mas se privar da vida não é uma opção! Encontre algum exercício que lhe agrada, do qual vc não consiga ficar 1 semana longe, trabalha a rotina (inclui como obrigação por um tempo, até ficar algo normal), tenta escolher docinhos menos calóricos (chocolate 70% por exemplo), mas principalmente, entenda que vc não usa seu corpo para trabalhar, que vc é uma pessoa normal, que vive, come, bebe e aproveita a vida e tente levar isso com leveza. um beijo

  16. izabel Soraia26/03/20 • 11h07

    Para o chora 2.
    Você pode NUNCA se aceitar plenamente, e acho que um % baixíssimo no mundo se aceita 100%, MAS VOCÊ NUNCA DEVE se podar de fazer algo por causa disso, pois você vai se arrepender MUITO NO FUTURO.
    Eu já pesei quase 100 quilos e tenho a mesma altura que você, hoje peso 79 quilos e continuo um estilo alimentar que me permitirá perder ainda mais peso, MAS EU NUNCA deixei de ir numa praia por isso, e hoje, mesmo sendo muuuuito maior que você eu uso um biquini na praia, (antes eu usava um shortinho mas é porque eu era uma crente com muitos pudores, não por vergonha do meu corpo, mas meu esposo falava oxe coloca esse biquini tão bonito e mete um shorte por cima, tira isso kkkkkkkkkkk) eu amo praia aliás. VOCÊ NÃO PRECISA SE ACEITAR PARA SER FELIZ O TEMPO TODO OK?! Eu hoje pesando bem menos me sinto muito mais saudável e muito mais bonita, não serei hipócrita, estou usando roupas diferentes, tenho mais disposição, e quando pesar menos ainda pode ser que me sinta ainda melhor, mas eu nem sei se vou estar viva, não sei de nada sobre o amanhã!!!!! porque eu iria deixar de ir numa praia, porque não usar as roupas, porque não sair?????? É só isso mesmo, não espere se aceitar, não espere estar perfeita, não espere nada, apenas faça o que tem que ser feito hoje. O resto é consequência.

  17. Michele26/03/20 • 11h36

    Caso 2
    Engraçado isso de como a gente se enxerga. Eu tenho 1,54m e peso 59kg, acumulo mais gordura no bumbum e coxas tbm. Tenho celulite e estrias nesses lugares. E eu acho meu corpo bonito, me sinto bem sem roupa e não ligo de usar biquini na frente das pessoas. É claro que eu tbm gostaria de ter o corpo mais definido e ser mais magra, mas me sinto bonita e bem na maioria das vezes. Única coisa que me preocupo é de ter uma alimentação e rotina saudável 🙂
    Na hora que li que você tem 1,57m e pesa 51kg, fiquei pensando: “nossa, gente, ela é mais magra do que eu e está se sentindo assim!” ou “Quem me dera pesar 51kg tbm!!”

    Eu tenho pouco seio e sempre tive vontade de por silicone quando era mais nova. Olhava pros meus seios quando estava com roupa decotada e me sentia infeliz. Sempre pensava: “assim que tiver dinheiro, a primeira coisa que vou fazer é colocar silicone nos seios!”. Atualmente, tenho condições financeiras de fazer a cirurgia, mas não tenho mais a mínima vontade! Conforme os anos foram passando, aprendi a aceitar meu corpo como ele é :). Eu passei a admirar/observar mais pessoas com o biotipo igual ao meu. E eu as achava bonitas e atraentes! Por que eu não seria bonita também? Comecei a pensar: Se eu sinto atração por homens que não tem o corpo perfeito tbm, por que eu deveria ser obrigada a atingir essa “perfeição”? A gente acaba se comparando muito com outras pessoas e isso, querendo ou não, nos torna infelizes com a gente mesmo, pensando: “nossa, queria ser assim!”.

    Acho que, no seu caso, vale a pena tentar exercitar o “amar o próprio corpo”! Se você já tentou mudar e não consegue se adaptar a essa rotina pra ter o corpo perfeito, por que ficar insistindo nisso se não te deixa feliz? Tenta mudar a estratégia, vai que ela funciona? 😉 Talvez começar a seguir conteúdos sobre amar o próprio corpo; remover os perfis que nos fazem nos sentir inferiores; dizer para a nutricionista que você gostaria de uma “dieta mais flexível” que permita incluir um docinho durante o dia, aquela pizza no final de semana, a massa especial num dia da semana; fazer alguma atividade física que agrade e não uma que você faz apenas pra tentar ter aquele abdômen definido…

    Vou ficando por aqui e espero que as coisas melhorem 🙂

  18. Taina26/03/20 • 12h09

    Chora 3: Amiga, voce ‘e muito nova!!!!!!!!
    Eu sei que voce esta cansada de ouvir isso, mas se eu puder te dar um conselho ‘e esse: foca na tua carreira, nas tuas amizades, no teu crescimento pessoal! Se voce gosta de viajar (bom, nao agora ne, depois), viaja o mundo, aprende mil coisas novas! Se voce nao gosta, descobre algo super legal e diferente que voce goste!
    Por que eu te digo isso? Porque imagina voce conhecer um cara com 30 anos de idade que nao sabe falar de absolutamente nada alem da carreira e a cidade onde nasceu/mora? Voce ia achar ele chato! Nao estou dizendo que voce ‘e assim, nao te conheco e voce nao disse nada para indicar no Chora. Mas o meu conselho ‘e para voce ter experiencia de vida, ter historias para contar, ser aquela pessoa que num bar conta uma historia muito engracada de quando passou o perrengue tal na viagem. Sabe o que eu estou falando?
    Isso ‘e deixar o tempo passar que alguem legal aparece que as pessoas falam! Porque o tempo realmente passa e porque voce abre seus horizontes, voce conhece mais gente, voce tem historia de vida! E quando chegar alguem legal, voce vai ser alguem muito mais legal tambem! Eu usei o exemplo de viajar porque foi o que eu fiz, mas pode ser qualquer coisa, curso de culinaria, teatro, o que voce achar legal! E eu sei que a faculdade de medicina ‘e puxada, eu falo nos descansos ou nas ferias.
    Eu tive epocas na mesma idade sua que nao passava de meia duzia de mensagens tambem. Sai da minha zona de conforto, fiz mil coisas e comecei a conhecer pessoas que podia passar uma noite inteira conversando. Entao nessa de sair da zona de conforto descobri que amo ir em restaurantes doidos e hoje sou casada e mostrei isso pro meu marido e ele tambem ama. Recentemente fomos em um restaurante comemorar aniversario de casamento e comemos ate formiga! As historias nao precisam parar depois de conhecer as pessoas!

    Espero ter ajudado!

  19. Iza26/03/20 • 14h12

    Orquídea – quero te abraçar!! Se conseguir ter um dialogo, ou achar que sua mãe pode lidar bem com uma carta de repente, sugiro que fale o quanto você a admira, que é claro que sim, pela forma como você falou do quanto ela é bonita e tem uma profissão legal. Mas que sente que por tudo que ela passou, em algum momento ela se perdeu, e como adulta e mãe que você se tornou, você gostaria que ela se cuidasse mais. A começar pela saúde mental. Mas se não der certo, não leva pro pessoal. Sua mãe com certeza agiu da forma que considerava melhor, mesmo que tenha errado inúmeras vezes, não me parece que ela tenha feito por mal, mesmo quando se tornou maldosa. Ela era uma menina ainda quando se casou e se tornou mãe. Ela pulou uma fase inteira que é extremamente importante pro amadurecimento. Tente resgatar alguma compaixão por ela, e motivá-la a se tratar. Abraço bem apertado em você.

    Girassol – Eu tenho 1,57 também, e compulsão alimentar. Já tive transtorno alimentar na adolescência, enfim, isso tudo pra te dizer que já tive fases que pesava 47 kg, 54 kg, 58 kg, hoje estou com 64 kg, lutando pra voltar pra 58 kg. Mas adivinha só? Eu nunca me achei magra! Sempre me achei cheinha, ou agora que me sinto gorda mesmo. Mas olho fotos de quando estava com 54 kg, quando tava mega focada na alimentação e academia, minhas coxas estava lindissimas, mega definidas, mas acho que tava muito magra – HOJE eu acho que tava magra, mas na época não achava. Já quando tava com 58 kg, não muito focada na alimentação (amo um docinho também), mas focada nas atividades físicas, eu tava mega feliz com o meu corpo, mas ainda me incomodava com uns pneuzinhos nas costas. Mas olha, hoje se eu conseguir voltar praquele corpo já fico feliz. Mas será que vou ficar mesmo? O que eu sei hoje, graças a psicoterapia, é que alem da compulsão alimentar, eu tenho também distorção de imagem. Então to focada mesmo em me cuidar de dentro pra fora. Automaticamente, minha alimentação ta melhor, parei de ir em nutricionistas esportivas, e passei a ir em uma comportamental. Logo, não me alimento mais pra ter resultados com os treinos, mas para não ter tantas crises de compulsão, visto que os gatilhos fogem do meu controle. To com rotina de atividade física também, mas já sei que o que eu amo mesmo fazer é dança, então to tentando procurar video-aulas durante a quarentena. Por fim, se não se sente a vontade em usar biquíni, tem varios maiôs lindos, coloca um pareô e vá a praia sim!

    Begônia – como bem disse a Cony, pode ser um padrão comportamental que você tem que passa a mensagem errada. As vezes nem é nada demais, mas que acaba passando que você não quer nada sério. Ou pode ser algo mais profundo, como o exemplo que ela deu. Se observe. Se for algo que te incomoda muito, tente uma terapia – com o intuito de se conhecer mesmo, e saber exatamente o que você quer e como demonstrar isso. Sei la, as vezes a gente se boicota pelo sub consciente, sem perceber mesmo. E as vezes só estamos com o dedo podre mesmo e sem sorte no amor. Mas quando a gente se conhece MESMO, o amor próprio é tão profundo, que isso de dedo podre deixa de existir. Se permita se apaixonar pode você mesma!!

  20. Monica26/03/20 • 14h47

    Girassol:
    Eu sou uma pessoa que sempre tive problema com o corpo. Desde novinha eu sempre fiz dieta, já estive beeeem mais magra que estou hoje e vou te falar a minha experiência com esse movimento body positive. Vou ser um pouco polêmica também, pegando o gancho da Cony haha. Não acho bonito o corpo gordo. Nunca vou julgar alguém que escolha o ter e seja feliz assim, mas pra mim é impensável perder totalmente o controle sobre o meu corpo e não caber em cadeiras de avião, não poder comprar roupa em qualquer loja que eu queira (o que já encontro dificuldade porque eu sou uma giganta, uso 46/GG na maioria das lojas), não to nem falando na questão saúde porque acho esse argumento gordofobico afinal, uma pessoa gorda pode ter mais saúde do que uma com o corpo padrão. Eu, Monica não quero isso pra mim, mas amo comer, não consigo seguir dietas, não sou fiel à academia… então como acho um equilíbrio? Uma coisa que o movimento de aceitação corporal me ajudou foi encarar meus “defeitos” com mais leveza e minhas qualidades com mais animação. To infeliz com a minha barriga? Tô. Mas amo meu rosto, a pele hidratada, o sorriso! To com celulite? Tô. Mas olha que postura incrível, que proporção corporal haha. Eu não sou magra e eu já fui muito. Mas eu me sinto muito mais linda hoje em dia justamente porque eu não me massacro todos os dias na frente de espelho ou me privo de encontros/situações nas quais meu corpo estará exposto. Na praia, uso biquini hot pants. Me sinto segura, linda, destaca minha cintura que amo e esconde a barriga que não curto. Estria? Não me importo. Celulite? Finjo que não me importo e vou ser feliz!
    Querer mudar o corpo é válido (super! Não precisa e nem deve aceitar um corpo que te faz infeliz), mas eu acho que não devemos “guardar” a felicidade pra quando formos magras ou tivermos um corpo perfeito. Se você ama comer, come sem culpa! E esse sem culpa é conseguir se libertar pra ir a praia também!

  21. Leilyane26/03/20 • 15h11

    Girassol, a dor é inevitável, o sofrimento não. Não acho que vc tenha problema com o peso, mas com a imagem corporal.
    Vamos fazer o seguinte raciocínio: se vc desejasse ter 20cm a mais, que tipo de sacrifício vc estaria disposta a fazer?
    As pessoas têm essa questão com o peso por acreditarem (de forma incorreta) que só depende de força de vontade. Algumas até acrescentam uso de substâncias diversas, procedimentos obscuros e todo tipo de invencionices ao pacote força de vontade, muitas vezes comprometendo a saúde física e mental.
    A Cony tem razão em um ponto ao dizer que quem defende coisas do tipo body positive é pq tentou e não conseguiu atingir o corpo ideal. SIM. Só que vale mais a pena sair desse processo fazendo as pazes consigo que se odiando e se sentindo fracassada, pq assim como aumentar 20cm, atingir o corpo de revista é apenas uma ilusão, mas pode custar anos de nossa vida aprender isso.

  22. Marina26/03/20 • 15h34

    Orquídea, que situação a sua. Acho que, como muitas falaram , a chave de tudo está em você entender que ela tem problema sim e que você pode tentar ajudar na medida do possível. Mas tem que saber abstrair muita coisa! É difícil isso mas possível e, no seu caso, essencial para conviver com sua mãe. Quando ela começar a falar coisas ruins, você tem que tentar se blindar do que ela fala. Ela enxerga a vida por uma ótica pessimista e amarga. Sendo assim, vai julgar tudo a partir desse ponto de vista. Ou seja, não é sobre você, é sobre ela e a forma como encara a vida!

  23. Jessica26/03/20 • 19h29

    Quanto a questões relacionadas ao corpo, acredito piamente que o bombardeio de imagens perfeitas enlouquece as pessoas “normais” que estudam, trabalham e não tem tanta grana.
    A maioria dessas pessoas fazem uso de vários tratamentos e medicamentos para estar sempre perfeito, além de fazer plásticas, inacessíveis para grande parte das mulheres.
    Botei na minha cabeça que se eu não sou modelo e nem trabalho no mercado da night, não preciso me matar pra estar sarada.
    Me esforço muito para estar sempre ativa e praticando atividades físicas, até pra controlar nossa ansiedade, sono e condicionamento físico.

  24. Jaqueline27/03/20 • 00h26

    Chora 3, ah neeeeeem, você tem 22 aninhos, não entra nessa cobrança ainda não! Pode seeer que você encontre alguém agora, mas sinceramente?! Tomara que não! Termina sua facul, começa a ganhar muito dinheiro (você VAI ganhar como médica), viaja bem muuuuito e se no meio disso tudo acontecer alguém, certeza que vai ser alguém nessa mesma vibe e que vai querer construir algo. E ah, vc disse que se sente usada, será que você não tá sendo escolhida demais ao invés de escolher?! Tipo, disponível demais já que está querendo engatar algo mais sério?! Muda essa postura (se for isso), seleciona você com quem vai ficar e quem não quiser, azar o dele! Tem muita vida pra você pela frente! Boa sorte!

  25. Renata27/03/20 • 06h26

    Chora 1 – temos uma história muito parecida, minha mãe também se casou com 16 (meu pai tinha 27), foi dona de casa por 20 anos, estudou direito, passou num concurso e agora vive de comprar roupas caras e fazar plásticas. Na minha infância ela foi uma mãe muito amorosa, mas quando cheguei na adolescência acho que ela começou a me ressentir – eu pude viver o que ela não viveu. A nossa relação desandou e sofremos muito por uns 8 anos (eu com 24, ela com 44). O “ponto de mudança” foi que eu a perdoei por todas as ofenças e agressões (apanhei muito, também foi o que ela aprendeu em casa), e tive uma conversa muito séria com ela: disse que assim como ela não tinha contato com a minha avó porque a minha avó não a entendia, eu tinha a escolha de mantê-la na minha vida ou não. Entendo que o cristianismo nos ensina a honrar pai e mãe, mas não vejo assim. Acho que todas as relações da vida são conquistadas. O seu marido não fica com vocÊ porque vocês assinaram um contrato, mas porque vocês escolhem todos os dias estar juntos. Eu disse pra minha mãe que a amo muito e que quero muito que ela permaneça na minha vida, mas que não acho que tenho uma dívida com ela. Que eu iria me esforçar pra endendê-la e respeitar os seus limites, e que esperava isso dela também. Acho que com frequência os nossos pais não nos reconhecem como adultos e que vale a pena tentar mostrar isso pra eles. Se ela entender que as suas escolhas são suas e que a opinião dela não vai sempre te fazer mudar de ideia, talvez ela pare de comentar. Até hoje (6 anos de “boa relação”, com frequência tenho que falar que ela está “invadindo o meu espaço”. Não somos amigas, mas aprendemos a nos respeitar mutuamente. Eu reconheço que ela teve uma vida muito difícil e que as vezes ela não sabe um jeito melhor de se comportar, e ela reconhece que eu só vou continuar existindo caso ela me respeite. É cansativo, mas tem funcionado.
    Chora 2 – acho que tem muita coisa a ser discutida na sua história e na resposta da Cony, mas queria questionar um outro ponto. Quem disse que tem algo errado com estrias, celulite, corpo magro, corpo gordo, etc? Por mais quantos anos o conceito de beleza vai permanecer como é? Olha as pinturas da renascença, olha pras pin-ups de algumas décadas atrás… Beleza é um conceito extremamente relativo. Saí do Brasil com 24 anos e com corpo “médio” (1,63m e 60Kg) que me deixava infeliz, ouvia de namorados que tava gorda e me sentia péssima. Cheguei na Alemanha e fui frisson – pros alemães, tão acostumados com loira, alta, magra, eu sou maravilhosa. Acho que beleza tem muito de aceitação externa e eu consigo me amar e me aceitar hoje porque a sociedade em que vivo me aceita assim. Acho que todo mundo tem que buscar uma vida saudável e equilibrada no que diz respeito a alimentação, prática de atividade física e saúde mental; mas acho que deixar de viver bons momentos em função da sua aparência já é um sinal de falta de saúde mental. Acho que você pode malhar muito e se amar por alguns meses, cansar e pro resto da vida ser frustrada por não ter conseguido manter o corpo dos sonhos. Ou pode traçar uma meta realistica: o que você consegue mudar? O peso, a alimentação, a massa muscular. Qual é o esforço que vocÊ está disposta a fazer e qual é o resultado que isso vai trazer? Metas devem ser realistas.

  26. Manu27/03/20 • 09h14

    Girassol, eu engordei um pouco antes de casar e depois de casada engordei ainda mais. Cheguei a assustadores 87kg (1,67 de altura). Então quando consegui emagrecer, passei a aceitar que nunca mais teria uma barriga lisinha, pq essa pele não sumirá nunca mais. A gordura vai, mas a flacidez fica e eu não tenho coragem de assumir uma cicatriz de abdominoplastia. Aí comecei o Crossfit e cresci um pouco. Conheci uma atleta de Crossfit chamada Caro Hobbo, que tem um corpo que eu admiro bastante. Um dia ela disse que para chegar naquele corpo, foram 2 anos (DOIS ANOS) levando marmita para todos os lugares que ela ia. Descobri que é um preço que eu não estou disposta a pagar. Sendo assim, aceitarei minha flacidez e serei feliz. Então você deve decidir se quer pagar o preço pelo seu corpo. Se não quiser, não tem jeito… vai ter que aceitar do jeito que está!! E sobre celulites, as minhas aumentam muito com farinha branca e diminuem no mesmo ritmo sem ela!!

  27. Nathalia27/03/20 • 09h17

    Me sinto confortável em palpitar apenas no caso 2 rsrs
    Uma coisa que me ajudou muuuuuuito é seguir gente com corpo “normal”, um instagram que me ajuda muito nesse sentido é o da Bela Russo @isabellarusso
    Hoje em dia está muito mais fácil me aceitar e gostar de mim, tem dias que são difíceis masssssssss o importante é não parar.

  28. Nathalia27/03/20 • 09h17

    Me sinto confortável em palpitar apenas no caso 2 rsrs
    Uma coisa que me ajudou muuuuuuito é seguir gente com corpo “normal”, um instagram que me ajuda muito nesse sentido é o da Bela Russo @isabellarusso
    Hoje em dia está muito mais fácil me aceitar e gostar de mim, tem dias que são difíceis masssssssss o importante é não parar.

  29. Dai27/03/20 • 13h44

    Chora 01 – Orquídea, vc deve procurar terapia urgente, e um(a) terapeuta que conheça e aceite o narcisismo. No meu caso, por situações muito invasivas dos meus pais (os dois são) eu estava perdendo meu casamento. A gente tem que tirar esse peso de falar as coisas ou pensar diferente dos pais, como alguém já falou aqui nos comentários, o catolicismo ensina a amar os pais. Na verdade, o amor deve existir em tudo, principalmente em você. Aprendi que a regra da vida é amar e ser amado, se você vive algo diferente disso, inclusive com pais, deve sim se afastar. O narcisista não ama ninguém, nem os filhos. Filhos de narcisistas são chamados de sobreviventes. Procure no facebook o grupo “flor de lótus”. Muitas pessoas sofrem a vida toda com o relacionamento com pai/mãe narcisista, mas por não “poderem” se afastar, sofrem a vida toda. Procure o livro “prisioneiras do espelho”, fala sobre o assunto. A gente vai lendo e entendendo tudo. Desculpa por ser longo, mas passei por isso e hoje estou longe, mas livre e feliz.

  30. Dai27/03/20 • 13h50

    Chora 2 – Girassol, tem uma nutri famosa no insta que diz que “temos que escolher nossas batalhas”. Um fato é que vc acha seu corpo inadequado para ir à praia, sua alternativas são: aceitar o seu corpo e ir à praia; torna-lo aquilo que na sua cabeça é ideal para ir à praia; esquecer a praia e aceitar que esse tipo de programa vc não se sente bem em fazer. Ninguém consegue ter tudo na vida, é impossível! Eu acho que meu corpo não é de praia, moro em Florianópolis, eu tinha as mesas opções que vc e decidi me aceitar e ser feliz na praia comendo picolé de chocolate, e posso te falar, é uma deliciaaaa hahaha meu marido me ama assim, meus amigos me conhecem assim e não tenho vergonha de ser quem eu sou! Quando vejo meus pneuzinhos s[o consigo pensar em todas as comidas deliciosas que consumi para tê-los e não me arrependo! E outra, casei tem um mês, queria emagrecer, enquanto eu estava noiada com emagrecer, não conseguia, quando desisti, consegui relaxar e cheguei onde queria. Esse peso que o assunto tem pra vc te impede de escolher o que vai te fazer bem. Faça terapia!

  31. ROBERTA30/03/20 • 15h23

    Cony, Girassol e todas as demais Fufus hahaha
    Procurem um livro chamado “O peso das dietas”, que é muito legal e explica super o porque a gente engorda fazendo qualquer tipo de dieta.
    Ele me ajudou muito a entender que não adianta ir no melhor nutricionista, não adianta buscar ter o corpo da fulana e que o que funciona pra blogueira fit, não funciona pra mim.
    Beijos