Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
11 dez 2019, 27 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Vamos chorarrrr! Dia cinzento em BH, e por aí?

Chora 01 – Primavera

“Olá! 
Minha história é a seguinte: tenho quase 33 anos e desde os 16 me relaciono com uma pessoa que nunca me assumiu. Já namorei outros homens, mas sempre lembrando dele. Em 2015 nos reencontramos e desde então mantemos um relacionamento, mas ele é casado e tem um filho, e segundo ele a esposa o manipula por causa de dinheiro e bens, faz chantagens e tudo mais. Temos um ótimo relacionamento mas ele não consegue separar e eu não consigo sair disso. Fico muito mal às vezes. Gostaria que me ajudasse. Beijos!”

Fia, cadê amor próprio? Você se contenta sendo amante? Sendo segunda opção (ou talvez nem isso, duvido que ele traia a esposa só com você)? Que encosto na sua vida, isso não vai deixar NUNCA você achar alguém bacana pra sua vida, esse relacionamento está barrando a entrada de coisas boas e de conhecer alguém que realmente se importe com você e te trate como prioridade, coisa que você tá longe de ser pra esse homem. E outra coisa, acha justo fazer isso com a mulher dele, com o filho dele? Eu acho que tudo que vai, volta, um dia você pode ser a esposa traída viu? E você já é bem grandinha para saber que essa história de “não consigo me separar” é balela de homem safado. Se ele realmente quisesse você, já tinha separado há muito tempo. Sai dessa logo.

Um bom café tem que ser prioridade todos os dias!

Chora 02 – Verão

“Coni, lá vai meu desabafo. Rs Pensei em um milhão de formas de resolver antes, mas como não resolveu, vim pedir a sua opinião e das migles. Namoro há 4 anos com um homem maravilhoso, lindo, educado, com valores e muito respeito por mim. Amo minha sogra e meu sogro, que me tratam como filha. O problema é o CUnhado.Às vezes tenho a impressão de que ele quer a vida do namorado. Tentou na mesma profissão e não deu certo, e enxerga o meu bofe como tudo aquilo que ele gostaria de ser. E isso me incomoda, pois ele sempre dá um jeito de se intrometer: pedir dinheiro, usar roupa (até cueca), sair para jantar com a gente, cinema e até viagem. Como meu namorado se sente um pouco culpado de ter se sobressaido em relação ao irmão, ele acaba deixando espaço para não contrariá-lo. E eu fico muito brava, só que fico calada para não criar confusão com a família e com o irmão que ele tanto gosta.Sempre que programo algo mais íntimo com meu namorado ele dá um jeito de se meter no meio com alguma piriguete. Estamos prestes a nos casar e fico com medo dessa situação. Sei que a casa vai ser minha e vou poder me impor mais, só que mesmo assim não quero criar problemas na família.A questão é: como lidar com um cunhado apaixonado pelo meu noivo? Como separar as vidas de cada um sem brigar? Como fazer para ele parar de se intrometer no relacionamento? Ele nesse ano foi até na viagem de aniversário de relacionamento.HEEEEEEELLLLLLPPPPPPPPPP”

Cruzes! Que difícil porque se meter em família dos outros é a maior furada que existe. Pai, mãe, irmãos, na minha concepção são intocáveis sabe. Da mesma maneira que eu não iria gostar nada nada de ouvir reclamações a respeito da minha família, também não faço isso com a dos outros. Acho que a única coisa é conversar com seu noivo de maneira beeeeem branda mesmo. Jamais vá tirar satisfação com seu cunhado, porque aí ele vai contar pra sua sogra, e sua sogra com certeza vai ficar do lado do filho. Super entendo sua chateação com seu cunhado, acho que falando com jeitinho com seu noivo, do tanto que isso te incomoda, do quanto ele é inconveniente, que vocês precisar sair e viajar só vocês dois de vez em quando, ele vai entender… Boa sorte aí e NÃO DE PITI COM A FAMÍLIA DO BOY!

#sabedoria #frases

Chora 03 – Outono

“Cony, você é linda! Por dentro e por fora! Amo seu blog.Vou começar falando que sou uma pessoa da cabeça aberta, batalhadora e não me deixo derrubar. Sou forte, corajosa e feliz  (apesar desse chora).Fui demitida em uma situação muito difícil. Tinha acabado de ser promovida, estava muito feliz e me passaram a perna. Foram 13 anos na mesma empresa. Foi um choque. Isso me fez rever muita coisa, amadureci muito e decidi não cair.Meu pai e marido me ajudam financeiramente, mas minha independência acabou. As oportunidades que aparecem são sempre muito inviáveis e salários baixos demais.Estou estudando para concurso, não fui bem no último e decidi não desistir.De vez em quando eu desanimo, mas passa.O problema é que ultimamente tenho desanimado com mais frequência, e não somente nos estudos. Às vezes fico em uma inércia que não sei o que fazer.Então, eu cumpro minhas obrigações em casa e de mãe, não deixo de cuidar de mim (Sou louca por moda e maquiagem), mas tem sido um sacrifício muito grande todas as minhas atividades.Eu acordo na maioria das vezes bem, e o desânimo começa a bater ao decorrer do dia.Tenho enxaqueca crônica, sofro de ansiedade, tomo anti depressivos, mas de forma nenhuma eu aceito esse desânimo.Porém não está passando!Eu não consigo superar a demissão, isso me abalou MUITO e tenho vergonha de assumir para minha família que não superei.Confesso às vezes para minha família que tenho raiva, mas nada que me atrapalhe.Sei que eu errei também apesar da injustiça. Mas eu não tive como me defender, eu me dedicava tanto, trabalhava muito e ganhava pouco. Fazia muito além da minha função. Eu moro ao lado de onde trabalhava.Às vezes acho que superei, porque vejo que a situação não está boa lá. E nos últimos meses que eu estava lá, eu não estava feliz, porém, quem disse que a gente trabalha para ser feliz? O importante é que eu conseguia me manter, tinha uma função na sociedade, ajudava muita gente.E acabou em segundos, injustamente. Não dá para estender aqui contando toda a história, mas o que posso garantir é que não foi justo.Massss, é pra isso que existe demissão sem justa causa. Eu não consigo superar isso!Tenho outras amigas que também foram demitidas de lá e estou sempre consolando, aconselhando como se eu estivesse totalmente livre de dor.Eu sei que é assim e pronto, eu sei que o tempo não volta, sei que não devo desejar vingança. Mas eu não consigo.Eu fico feliz quando percebo que consigo estudar, que consigo aprender. Mas a gente não estuda só o que gosta quando se prepara para concurso. É desgastante, são muitas matérias e estou oscilando muito, hora tenho a sensação de que não vou conseguir e hora penso que estou indo bem. Mas agora o negativo tem se destacado mais.Meu coração está doendo! E eu não posso sentar e chorar. Não posso desanimar meu marido que voltou a estudar para um concurso melhor. E não posso demonstrar para minha filha que fico fraca às vezes, porque quero ser exemplo de força para ela.Também não posso mostrar ao meu pai que estou triste; ele não entende. Não sei  se vai postar meu chora, mas só de abrir esse espaço, te agradeço muito… “

OPA OPA OPA! Alerta vermelho para essa frase: “quem disse que a gente trabalha para ser feliz? ” SIIIIIIMMMMM A GENTE TRABALHA PARA SER FELIZ SIM! Se você não estava, gata, você estava no lugar errado! O trabalho consome nossos dias praticamente inteiros, a gente acorda vai trabalhar e só para a noite pra dormir… se não for prazeroso ou nos completar, TÁ ERRADO. Sei que minha opinião pode ser bem polêmica e muita gente não aceitar, mas juro que não entendo como uma pessoa pode passar ANOS da vida fazendo algo que não gosta. É infelicidade na certa e acaba descontando em outro lado. Pára de pensar que foi injustiçada, já passou, já era, não volta mais e se você tá consciência tranquila, bola pra frente! Você disse que ama moda e maquiagem, porque não empreender em algo por aí? Faz um curso de maquiagem, consultoria de imagem que tá super em alta, visagismo, se descubra em algo que te move! Se descubra! A gente tem que lutar pra ser feliz e realizada no trabalho também!

A dor passa, a saudade acalma...
  • Choras ABERTOS! Podem mandar suas angústias, problemas, decepções, dúvidas, desabafos que a gente dá um jeito por aqui! Mandem para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO!
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
27 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Daiana11/12/19 • 14h18

    Caso 1: vc tem 33 anos, perdeu os melhores anos da sua vida por causa de um homem que fez de vc um nada. Muito triste por vc. Olha, os argumentos dele é tudo mentira, vc é muito ingênua, ele te usou. Acorda pra vida.

  2. Vanessa11/12/19 • 14h31

    Chora 1 Primavera: Essa estória de que a esposa o manipula e chantageia é conversa pra boi dormir. Todo homem casado inventa uma desculpa esfarrapada dessa pra enganar a amante com promessas que não vai cumprir. Acorda! Sai dessa! Tudo passa, basta você se valorizar e se colocar em primeiro plano na sua vida. Ele está te usando. Espero que você enxergue isso o quanto antes, porque quanto mais tempo perder com ele, mais vai se arrepender e se culpar depois. Boníssima sorte!! Bjkas.

  3. Vanessa11/12/19 • 14h34

    Chora 3 Outono: Calma, se agarre em orações. Entregue sua vida a Deus. Só ele vai te tirar dessa tristeza. Continue estudando e se dedique mais às orações. Vai passar. Isso é certo! Força! Deus não nos dá fardo maior que nossa capacidade de suportar.

    • Leilyane12/12/19 • 10h10

      Chora 03 pra começar depressão é uma doença difícil pra quem tem e pra quem tá em volta, mas ter uma rede de apoio alivia muito a carga de todo mundo. Não pense que por não reclamar as pessoas que te amam não percebem o seu sofrimento. Dê a elas a oportunidade de participar da sua vida naquilo que te machuca tbm, pois é no sofrimento que a gente cresce. Se fechar só dificulta as coisas pra eles e pra vc e seu chora é o relato perfeito disso. Segundo, a gente é bom naquilo que prática! Vc percebeu quanta negatividade praticou num relato de poucas linhas? Isso não é uma crítica, apenas um alerta pra algo que talvez vc não tenha percebido. Exercitar a positividade (fé, esperança, gratidão), de forma ativa e consciente (escolha um momento do dia e pratique de fato) leva a liberação de neurotransmissores que trazem bem estar (exatamente aqueles que estão baixos na depressão). E quanto ao seu tratamento, revise a estratégia com seu médico, se a medicação não está funcionando (e isso depende do tempo de uso e dosagem) é possível fazer ajustes.

  4. Luiza11/12/19 • 14h45

    Outono, além do ponto que a Cony falou eu acho muito sério essa situação de não poder demonstrar suas fraquezas e frustrações pra ninguém.
    Como assim vc tem que ser forte o tempo todo?
    Todo mundo sofre, desmorona, uma, dua, três, dez vezes na vida!!
    Seu pai não entende?
    Seu marido não sabe?
    Então quem vai poder te ajudar?
    Acho que cabe aí uma terapia focada nesta parte ai.
    Desejo que fique tudo bem!

  5. Mila11/12/19 • 14h52

    Verão – No finalzinho do meu noivado e inicio de casamento passei por isso, mas com os pais do meu marido, em tudo quanto é lugar que íamos eles iam também, SEMPRE. Até que um dia conversei muito de boa com o marido sobre isso, ele me entendeu, eu entendi também como ele gostava de ter os pais por perto e chegamos num consenso, sem brigas, sem ofensas. Hoje, inclusive quando vamos sair eu mesma falo “amor chama seus pais pra ir com a gnt”. Você deve conversar com seu noivo e expor a situação, as vezes ele nem esteja percebendo o tanto que te incomoda e atrapalha a relação.

    Outono – Passei por isso também! Trabalhava numa empresa em que amava, nunca tive um feedback ruim, sempre fui muito elogiada e vestia a camisa da empresa, “pau pra toda obra”. Quando casei, saí de ferias, retornei, passaram 20 dias fui demitida, simples assim. Me senti injustiçada; ainda mais com menos de 2 meses de casamento. Sofri, quando entrei em depressão, mas dei a volta por cima, e digo hoje sem dúvidas, que foi a melhor coisa que me aconteceu. Empregos vão e vem, daí a pouco você está novamente trabalhando com algo que você gosta e vai ver que isso foi só uma fase. Como Cony disse, vai fazer cursos em algo que você gosta, empreender, aprender coisas novas, no fim dá tudo certo!

  6. Maria Alice11/12/19 • 14h57

    Outono, você não tem que ser forte o tempo inteiro. Isso mina sua energia. Deixa as pessoas que te querem bem te apoiar nesse momento, divida um pouco dessa carga. E sua filha também precisa saber que há momentos que a gente precisa ser carregada no colo.

    “comunicai com os santos nas suas necessidades” (Romanos 12.13)

  7. Thais11/12/19 • 15h25

    Chora 3 – Outono
    Desabafa com as pessoas que te amam. Leia o seu chora de novo, você fala que não pode conversar com a família, com o marido, com os amigos, com a filha.. poxa! Não é assim.. Essas pessoas te amam e (imagino) que estão do seu lado pro bem e pro mal. Abre o jogo e se deixe ser vulnerável pelo menos por um tempo.. pra falar o que te deixa triste! A gente não pode achar que dá conta de tudo e todos sozinho.. Tenho certeza que conversar com alguém vai te ajudar a ver com as coisas com outros olhos, te deixar mais calma e, quem sabe, até dar uma outra solução! No mais, concordo com a Cony: a vida é muito curta pra gente passar mais de um terço do dia num trabalho que odeia.. aproveita pra achar algo que você goste de fazer! Muda de área, faz um curso.. mesmo que seja nas horas vagas no começo, pra você ver se é isso mesmo que você quer! Boa sorte e SE PERMITA SER FELIZ!

  8. Yas11/12/19 • 15h42

    Chora 1: Gente, não dá p aceitar um negócio desse. Concordo com a Cony em td. Vc está perdendo tempo demais. Menina do céu, cai fora urgentemente, pra ontem. Nem que seja na base da terapia, tentando entender o que liga vc a ele e como isso pode ser cortado. Mas fuja, o quanto antes.

    Chora 2 : Não mete o boy no meio, ele parece ser um cara bem bacana. Conversa com jeitinho, sab? Mas com calma, usando paciencia, carinho. Como a familia dele e seu namorado sao super amigáveis, nao precisa surtar. Usando os métodos certos a gente consegue o q quer hahahaha

  9. Tania11/12/19 • 17h07

    Chora 03 – Outono

    Amiga, tu precisa conversar! Olha, as pessoas sao diferentes umas das outras, mas lendo o que voce escreveu voce parece muito comigo quando algo acontece. E vou te dizer, nao existe maneira de lidar com tudo isso sem por pra fora! Tu precisa ter uma amiga de confianca que tu va ligar e falar tudo que esta te incomodando e ela provavelmente so vai te ouvir. Ou teu marido ou um psicologo. Nao sei, alguem que tu se sinta a vontade pra demonstrar ” fraqueza”.
    Nao existe uma formula pronta pra se livrar de coracao partido, seja por namorado ou por emprego. Mas para algumas pessoas ajuda muito falar, colocar pra fora, nao ficar com esses pensamentos presos criando ansiedade. Pode ser que voce seja assim!

  10. Analine11/12/19 • 17h17

    Chora01 – Primavera: Tá faltando muito amor próprio aí. Como alguém se contenta 17 anos com migalhas de um homem? Se valoriza! Ainda tem mulher que cai nesse papo de “não consigo me separar”. Amiga, quando um cara quer ele pega uma muda de roupa e vaza! Por mais difícil que seja vc tem que tirar esse encosto da sua vida.
    Chora 02: esse irmão sem noção aí só faz isso pq o seu namorado permite, essa é a verdade. Pq tem pena do irmão que deve ser um baita malandro que nunca se dedicou a nada, vive trocando de mulher, total vida louca pelo que vc descreveu. Vc tem que tentar conversar, com jeito, pq é irmão né e tentar impor os seus limites tb – ir junto na viagem de aniversário… fala sério!
    Chora 03: Estudar para concurso não é fácil, exige muita superação. A parte mais difícil é a psicológica, manter o foco e não surtar com um monte de matéria, abnegação quase que total e a incerteza de não saber se um dia o resultado chega. Mas ele chega, para TODOS que se dedicarem de verdade, nunca vi ser diferente em mais de 15 anos de serviço público Tente ver como algo positivo a sua demissão, como a oportunidade de se dedicar a algo melhor agora, enquanto ainda existem concursos a serem feitos. Daqui 10 anos vá saber. Pelo que vc descreve prefere algo mais “certinho” e não tem esse perfil empreendedor que a Cony falou, isso não é para qualquer um tb, há de se ter perfil. Tenha fé que tudo vai dar certo!

    • Aline13/12/19 • 13h04

      Concordo com o que vc disse pra Outono, empreender não é pra todo mundo mesmo! Concurso é difícil mesmo amig, mas é uma fila, uma hora chega sua vez e é melhor você não sair dela. Esquece esse antigo emprego, o que passou, passou! Vc não precisa ser forte o tempo inteiro, tenho certeza que tem alguém com quem vc pode contar. Se precisar entra num fórum de concurseiros q lá tá todo mundo pra baixo tbm! Estamos juntas!

  11. Hérica11/12/19 • 19h59

    1- Não vai largar.
    2- Difícil. Também sou da opinião que a família é sagrada. Tenta falar, mas se coloque no lugar do seu noivo e trate o assunto como se seu cunhado fosse sua irmã e aborde o assunto como vc gostaria que fosse abordado no seu caso.
    3- Eu trabalho igual uma camela. Trabalho com eventos e só de maio para cá eu tive 300 eventos. Com prazos e verbas apertadas e num alto stress. E posso te falar quando eu chego em casa e sento no meu sofá eu solto um sorriso de alegria e satisfação. Eu AMO o que eu faço. Eu sou feliz no meu trabalho. Eu sou realizada com isso.
    Se vc não era feliz no seu antigo trabalho, agradeça que teve a oportunidade de sair e agora sim fazer algo que te deixe feliz.
    Seja feliz agora
    Seja feliz com o que vc tem.
    Seja feliz todo dia.
    Acima de tudo procure algo que te faça feliz.
    Boa sorte
    Bjuss

  12. Giovana11/12/19 • 20h41

    Caso 1: Amiga, olhe no espelho e grite bem alto: EU SOU UMA AMANTE! Depois disso, olhe bem pra dentro de si e veja se é isso que você merece ser…esse projeto mal acabado de homem não merece mulher nenhuma, a não ser alguma que seja exatamente com ele! Caia fora e se dê a chance de conhecer alguém bacana e honesto! Mesmo que ele largue a familia e fique com você…você confia nele??? PENSE!

    Caso 2: Converse sobre a situação com o noivo e peça para que ele corte a presença do irmão em ocasiões que pertencem somente a vocês…diálogo sempre! Converse logo, senão seu cunhado vai ter um quarto na sua casa!

    Caso 3: Entendo sua frustração, mas seu discurso já está todo errado! Como a Cony já disse, como não trabalhamos para sermos felizes se passamos a maior parte do nosso dia no trabalho? Não seja a pessoa que trabalha a semana toda esperando o final de semana, que reclama das segundas-feiras e que passa o ano esperando as férias chegarem! Outra coisa: Como assim, não quer mostrar fraqueza para sua filha, porque quer que ela seja forte??? Ensinar os filhos a serem fortes não é escondendo as fraquezas não! É mostrando que a frustração existe, mas que somos inteiramente capazes de lidar com elas! Dias ruins existem, mas a gente supera! Não crie a utopia da mulher-maravilha na cabecinha da sua filha! Tenho 35 anos e fui criada dessa forma: mulher tem que dar conta de tudo… da casa, dos filhos, marido, da aparência, do trabalho, dos amigos, funcionários…mas ninguém ensinou a gente que está tudo bem um dia não ser tão bom e a gente chorar por isso…
    Chore, desabafe…mas no dia seguinte, lute!!! Quem vence na vida não é o mais forte, é o mais estável! <3
    Bola pra frente garota! Existem taaaaantas possibilidades nessa vida!!! BOA SORTE!

  13. Iris11/12/19 • 21h22

    Chora 3: estudar pra concurso é muito desgastante mesmo e é normal a gente ter essa sensação de que não vai dar certo. Mas dá certo sim, como tudo na vida, se a gente persistir uma hora dá certo. E não fica triste pq foi mal na primeira prova, é assim mesmo, tenho amigos que levaram 5 anos pra passar pra carreira que queriam e hj estão super realizados. Sempre que esse pensamento negativo vier lembre-se que é só um sentimento e bola pra frente.

    • Thayna Nascimento13/12/19 • 18h09

      Chora 3 Amiga, vc está com o orgulho ferido. É normal. Passar anos se dedicando a uma empresa, dando o melhor, ser promovida e depois demitida, deve ser uma barra. E tmb o fato de ser independente, como vc disse. Isso tem um peso grande pra qualquer pessoa. Sofra seu luto, não vejo nada demais em desejar que a empresa se dane, não podemos ser hipócritas com nossos sentimentos. Sinta raiva, dor, sinta tudo agora. Mas se reerga. Quando essa nuvem sair da sua cabeça, vá a luta. Pode tentar nessa área em que estava, vc tem experiência. Ou pode arriscar coisas novas como a Cony maravilhosamente sugeriu. Sobre o concurso, não force seus limites. Vc disse que toma antidepressivos, será que eles não te dão mais desanimo? Veja com seu médico. Pensa em coisas que pode fazer pra dar aquele pique. Um esporte, musculação, dança. Enfim, vc vai ficar bem!!! Bjo

  14. Luana11/12/19 • 22h06

    Sobre o chora 3… Querida, vc viveu lá por 13 anos era uma emprego e não um concurso. Isso acontece e está tudo bem. A vida tem ciclos e as vezes as coisas acabam. Eu acredito que quando estamos infelizes em alguma situação o universo, Deus, as energias ajudam a promover uma mudança. Vc não sabe a história toda… não sabe o que vem por aí. Só sabe até está ponto. Maaas se ficar presa a isto não se abrirá para as infinitas possibilidades de ser feliz e trabalhar com algo que realmente te satisfaça. Percebi muitas crenças limitantes e negativas na sua fala. Leia este conto do link, vai te ajudar a ter outra perspectiva. http://www.nasrudin.com.br/ensinamentos/o-cavalo-branco.htm

  15. Thais11/12/19 • 22h59

    Chora 3: Passei por uma demissão e fiz muita terapia! Segundo o que aprendi lá, o trauma, se não tratado, permanece e causa o que você vem sentindo até hoje. A sensação é terrível, estive igual a você, mas enfrentei tudo em terapia e consegui seguir! Procura uma terapia focada em traumas… ou direciona seu terapeuta a tratar disso de forma mais focada! Enfrenta esse trauma de vez, com ajuda profissional, e não precise mais encarar ele na sua vida dessa forma tão negativa!!
    O tipo de terapia que fiz foi “EMDR”. Muitas pessoas fazem pelo Brasil, mas sei que várias outras técnicas tb funcionam!!

  16. Luciana campos12/12/19 • 07h48

    caso 3: assista á palestra da assistente social Brené brown no netflix: “O poder da coragem’. Ela estuda vulnerabilidade, vergonha, culpa, há mais de 20 anos. Pode te ajudar!

  17. Izabela12/12/19 • 09h09

    Primavera, miga, concordo com a Cony, sem tirar nem por.. não vou falar nem para vc fugir que é cilada, pq cilada a gente avisa no começo e tem muitos anos da sua vida que vc ta nessa droga de relacionamento ai. Sai desse embuste, se precisar, procure ajuda terapeutica para lidar com o fim do “relacionamento” e vá se permitir ser feliz por completo, do jeito que toda mulher merece.

    Verão, tente ter uma conversa calma com seu noivo, mas sem chilique! Nada de brigar com a família como a Cony disse, mas ó, você culpou o seu cunhado o tempo todo, só queria falar que se ele vai, é porque tem abertura, então tanto ele quanto seu noivo tem parcela de responsabilidade nesse relacionamento deles.

    Outono, além do alerta vermelho que a Cony destacou (que eu concordo com ela) eu vi outras coisas.. você ja disse que toma remédios e tudo mais, mas voce já pensou e procurar por terapia ? Esse desanimo cronico que você retratou pode ser já sinal de que alguma coisa não vai bem.

    Outra coisa, que pensei, será que o que te faltando nessa história não é se permitir sofrer pelo emprego perdido? pelo seu relato parece que você fez força para parecer bem desde o começo, e acabou abafando a tristeza e agora ela está crescendo ai dentro. Você criou uma fachada pros outros, seus pais, seu marido e sua filha mas olha, tudo bem estar mal, e pedir ajuda viu? Talvez se você se permitir por esse sentimento para fora e conversar sobre ele com as pessoas que te amam a angustia no seu peito alivie. Põe pra fora amiga! Não remoi isso sozinha mais não, você tem uma familia que te ama! Aposto que eles irão de apoiar!

  18. Eu já fui a Outono12/12/19 • 13h14

    Outono, eu te super te entendo pois já estive na sua situação, entretanto, concordo muito com a Cony! Se liberte desse encosto enquanto é tempo! Você tem uma vida pra viver, tem várias coisas, lugares e pessoas a conhecer. Como me entitulei, já vivi essa situação, amava muito esse cara, tinhámos uma quimica inexplicável e só com terapia que eu fui entender que eu vivo em um ciclo vicioso de autosabotagem e não me sentir merecedora de algo melhor em minha vida! No meu caso, quando fui me dando conta do que eu vivia e que eu jamais seria a “titular”, fui me livrando dele, mas não foi algo que eu me libertei aos poucos, a “relação” foi minando conforme eu ia assumindo as rédeas de minha vida, que eu era uma mulher livre, independente, que eu poderia fazer mil coisas legais e que ele era uma âncora em minha vida. E diariamente eu relembro que eu mereço o melhor do mundo, que a vida flui em abundância pra mim. Hoje estou noiva de um cara muito bacana, decente, com casamento marcado, tudo o que eu nunca imaginei que pudesse viver. Se liberte dele, o processo é complicado e se for o caso, se você puder, trate isso em terapia, principalmente pra você se encontrar e lidar com o caminho que você quer traçar pra sua vida!
    Bjs

  19. eu já fui a Primavera12/12/19 • 13h22

    Primavera, eu te super te entendo pois já estive na sua situação, entretanto, concordo muito com a Cony! Se liberte desse encosto enquanto é tempo! Você tem uma vida pra viver, tem várias coisas, lugares e pessoas a conhecer. Como me entitulei, já vivi essa situação, amava muito esse cara, tinhámos uma quimica inexplicável e só com terapia que eu fui entender que eu vivo em um ciclo vicioso de autosabotagem e não me sentir merecedora de algo melhor em minha vida! No meu caso, quando fui me dando conta do que eu vivia e que eu jamais seria a “titular”, fui me livrando dele, mas não foi algo que eu me libertei aos poucos, a “relação” foi minando conforme eu ia assumindo as rédeas de minha vida, que eu era uma mulher livre, independente, que eu poderia fazer mil coisas legais e que ele era uma âncora em minha vida. E diariamente eu relembro que eu mereço o melhor do mundo, que a vida flui em abundância pra mim. Hoje estou noiva de um cara muito bacana, decente, com casamento marcado, tudo o que eu nunca imaginei que pudesse viver. Se liberte dele, o processo é complicado e se for o caso, se você puder, trate isso em terapia, principalmente pra você se encontrar e lidar com o caminho que você quer traçar pra sua vida!
    Bjs

  20. Thais12/12/19 • 16h55

    01- Se livra imediatamente desse embuste. Essa de falar que a mulher é louca, que não consegue se separar é clássico do cara que trai. Vc merece viver um relacionamento de verdade.

    02- Já passei por isso com um primo de um namorado. Dava para perceber que ele tinha inveja, queria viver a vida do primo “que se deu bem” e, pra piorar, ele tentava nos separar discretamente. Nunca falei nada porque eles eram muito próximos e eu achava que iria parecer a louca se falasse mal do “primo querido”. O namoro acabou por outros motivos. No teu, caso, que está prestes a casar e pretende passar o resto da vida com o noivo, sugiro aos poucos ir falando: “vamos só nós dois hoje”, etc mas não falar mal do seu cunhado jamais.

    03- Amiga, não sou profissional da área, mas vejo sinais de depressão. Procure ajuda, não sinta medo de ser julgada, principalmente por quem te ama e quer teu bem. Vc vai dar a volta por cima, mas precisa de ajuda agora.

  21. Ana12/12/19 • 18h18

    Para o Chora 3.

    Moça eu concordo com tudo o que a Cony falou em relação ao trabalho (a gente trabalha para ser feliz tbm), mas o que quero comentar é sobre o fato de vc achar que não pode demonstrar “fraqueza”, nem para sua familia. Amiga, vc pode, sim! Vc é humana e não a mulher maravilha, vc sofre, se decepciona, entristece e fraqueja, e isso nao é um demerito. Vc nao precisa ser exemplo de força inabalável para ninguém, nem mesmo sua filha. Se permita demonstrar suas fraquezas. Acho que o fato de vc guardar tudo isso para vc é que está te desmotivando e te deixando para baixo. Se abra com seu esposo, faça uma terapia se achar necessário (acho q seria super valido). Supere esta demissão e supere esta necessidade de se “esconder” atrás de uma “máscara” de mulher forte e inabalável o tempo todo.

  22. Layse12/12/19 • 18h20

    Chora 1 – nem vou falar muito, mas eu não tenho dó nenhuma de vc. Tenho dó da coitada da mulher dele que tá sendo traída. Você só ta sendo canalha mesmo. Acorda e muda de vida, por favor!

    Chora 3 – Acalma o coração. Você não precisa ser forte o tempo inteiro, viu. Você é humana, e todos nós passamos por momentos difíceis na vida. Você disse que toma antidepressivos e tal então já deve estar fazendo algum acompanhamento psicológico (espero né, não tome esses medicamentos sem orientação médica pelo amor de Deus..rs), mas acho que vc poderia focar mais nessa terapia, pois vc precisa virar a página. Guardar no coração o que foi bom desses anos que trabalhou lá e esquecer o resto, ser feliz daqui em diante!
    E outra coisa, conversa com seu marido e desabafa com ele sim! Vcs são casados, aliança na felicidade e na tristeza, na saúde e na doença. Ele precisa ouvir de vc como vc está, vc não precisa carregar essa carga sozinha. E a sua filha precisa ver que vc é humana tambem! Não acho que precise desabafar com ela, pq dependendo da idade ela nem tem estrutura psicológica pra isso, mas vc pode ensinar muito mais a ela nos momentos difíceis do que nos momentos bons, ensinar que ela tbm passará por fases difíceis na vida, em que ficamos pra baixo, triste, desanimadas, mas que se formos persistentes conseguimos vencer!
    Fica bem! Que Deus te abençoe e vc consiga superar isso logo!

    • Ariana14/12/19 • 14h53

      Chora 1 – melhor comentário, penso o mesmo.

  23. Thayna Nascimento13/12/19 • 18h05

    Chora 2. Amiga, vc está com o orgulho ferido. É normal. Passar anos se dedicando a uma empresa, dando o melhor, ser promovida e depois demitida, deve ser uma barra. E tmb o fato de ser independente, como vc disse. Isso tem um peso grande pra qualquer pessoa. Sofra seu luto, não vejo nada demais em desejar que a empresa se dane, não podemos ser hipócritas com nossos sentimentos. Sinta raiva, dor, sinta tudo agora. Mas se reerga. Quando essa nuvem sair da sua cabeça, vá a luta. Pode tentar nessa área em que estava, vc tem experiência. Ou pode arriscar coisas novas como a Cony maravilhosamente sugeriu. Sobre o concurso, não force seus limites. Vc disse que toma antidepressivos, será que eles não te dão mais desanimo? Veja com seu médico. Pensa em coisas que pode fazer pra dar aquele pique. Um esporte, musculação, dança. Enfim, vc vai ficar bem!!! Bjo