13
Sep 2017
Largar Tudo e Viajar!
Diario de Viagem, Dicas de Viagem

Acho que esse é o sonho de muitas pessoas né? Imagina que delícia viver viajando, sem preocupação de ter que voltar para trabalhar, ou ter prazo para o fim da viagem… Apenas ir, e depois emendar com outra viagem, e depois outra, e outra…

Pois bem, teve gente com essa coragem toda que largou o emprego para viver de… VIAGENS! Essa é a história de um casal de São Paulo, Livia e Gabriel Lorenzi, que após ir pela primeira vez para a Flórida, há 7 anos, resolveu deixar os empregos de lado e com apenas R$ 1000, empreender em sites de viagens com todas as dicas que eles conseguiam reunir para ajudar os internautas viajantes.

E claro que iria dar certo né? Sempre que a gente vai viajar, a primeira coisa que faz é pesquisar na internet sobre aluguel de carro, passeios, restaurantes, baladas, descontos, hotéis, dicas insider e eles fizeram toda essa pesquisa e criaram blogs específicos para cada destino.

Hoje, são 21 blogs que formam parte do Grupo Dicas, com roteiros, pontos turísticos, dicas de planejamento para ajudar as pessoas a planejarem sua própria viagem e sempre pensando em economizar! Cada destino foi cuidadosamente desbravado por eles, e todas as dicas, reunidas nos blogs!

Olha só por onde este casal já passou:

 

Achei super organizada a forma que eles dedicaram a cada destino, facilitando bem a vida de quem quer reunir informação e planejar a viagem. Dentro de cada blog, tem dicas BEM específicas como que tipo de moeda compensa levar, onde fazer compras baratas, como economizar em restaurantes e por aí vai! Eles também tem um Instagram (@casallorenzi_dicasdeviagem) com fotos e no site do Grupo Dicas, ainda tem um comparador de aluguel de carros!

  • Então já sabem, se tem alguma viagem programada, não se esqueçam de dar aquela conferida no blog desse casal! Certeza que encontrarão dicas valiosas e que tornarão sua viagem ainda mais perfeita. E econômica, claro.
21
Aug 2017
Diário de Viagem – Atacama, Dia 1
Diario de Viagem, Dicas de Viagem

Pois é pessoas, neste exato momento me encontro no meio do deserto, literalmente. Um dos desertos mais secos do mundo, cheio de paisagens lindas e mistérios e o melhor de tudo, na minha querida terra, o Chile. Vale lembrar que o Chilito tem paisagens e lugares maravilhosos para todos os gostos… tem neve, tem mar, tem deserto, natureza pra tudo que é canto! E vinhos, e peixes e várias cositas más.

Bom, estamos no Deserto do Atacama a convite do hotel Alto Atacama, por 3 dias, eu e Joana do Futilidades. Antes de falar sobre o hotel e o que já temos feito por aqui, vou contar direitinho como foi nossa vinda, o que trouxemos, enfim, tudinho o que eu puder. Farei o post por dias, pois assim consigo escrever mais e dar mais informações ok?

Saímos do Rio de Janeiro rumo a Santiago na parte da tarde e chegamos por volta de 23h no Chile. Fomos dormir na casa dos meus pais, na verdade, passar algumas horas pois o outro voo pra Calama era bem cedo. Para chegar no deserto, tem que pegar um avião de Santiago para Calama. São duas horas de avião, bem tranquilas. E aqui já vou dar a primeira dica importante: na hora de comprar sua passagem, preste atenção se a tarifa está incluindo ou não uma bagagem despachada. No nosso caso, que viemos de Sky (a low cost da Lan) não contava com a mala, então tivemos que pagar no balcão 48 dólares para despachar a bagagem (até 23kg). E se pagar antes pela internet, é a metade do preço. Ou seja, fiquem atentos a isso para salvar algum dinheiro.

Logo que chegamos no aeroporto de Calama, o pessoal do Alto Atacama estava nos esperando. Cabe ressaltar que é bom pegar um assento na janela no avião… a paisagem quando se está chegando é de tirar o fôlego!!!

Calama fica no meio do deserto, na Segunda Região (o Chile é dividido por regiões) e é uma cidade que vive do cobre, onde a maior mina de cobre do mundo se encontra, Chuquicamata.

Do aeroporto até o hotel é cerca de uma hora e meia e novamente preparem as câmeras… é foto pra tudo que é lado. Muito lugar lindo e muita paisagem indescritível. Dessas que não dá pra contar, tem que ver, ao vivo.

O Alto Atacama fica fora da cidade de San Pedro de Atacama, onde está todo o burburinho. Justamente por se tratar de um hotel mais reservado com uma pegada lodge e SPA, é mais afastado da confusão. Mas isso não significa que você vai ficar isolada do mundo. A internet pega SUPER bem e se quiser ir pra cidade, a van te leva e te busca a hora que quiser, só tem que avisar na recepção com uns 20 minutos de antecedência. Ah, e a última van de volta para o hotel é as 23:30. Ainda não fui na cidade, mas me falaram que não é uma cidade que fica acordada até tarde, tudo fecha no máximo às duas da manhã, pois no geral, todo mundo faz passeios cedo no outro dia. Quando for lá, conto pra vocês melhor como é San Pedro.

As diárias no hotel são “All Inclusive” ou seja, comida a vontade e todos os passeios incluídos! O café da manha é buffet, bem variado, e o almoço e jantar são a la carte num restaurante bem lindo. A infra estrutura do hotel é ótima, tem várias piscinas (sim, várias), algumas são aquecidas e tem hidros também. Tem um pool bar bem legal com drinks e sucos com ingredientes da região!

 

Os quartos são ótimos, bem rústicos mas aquele rústico que atende em tudo e muito bem decorado, achei chique. Não tem ar condicionado nos quartos mas tem ventilador e aquecedor, que é o mais importante por aqui, já que a noite a temperatura cai bastante. O banheiro é muito bom também, grande, com chão aquecido (aham, até o chão é quentinho), chuveiro com jato forte e a água esquenta bem rápido. Tem secador e um negócio que seca as toalhas (bom pra lavar as calcinhas e por pra secar kkkk, seca da noite pro dia). As tomadas são 110v, tem adesivo nelas informando a voltagem. E ainda tem uma varandinha 🙂

Sobre os passeios, quando chegamos no hotel, tivemos uma pequena reunião com a Claudia, uma das guias do hotel, que montou nossa agenda de acordo com o que queríamos ver. Ela foi super solícita e quando tínhamos dúvida de algum lugar, ela nos mostrava fotos e dava a “real”, tipo se tinha que andar muito, se fazia muito frio e tal. Nossa agenda de passeios com o hotel ficou da seguinte forma:

Dia 1 – Como era apenas metade do dia, ficamos no hotel mais quietas e tranquilas. A noite marcamos o Tour Astronômico

Dia 2 – Termas de Puritama pela manhã e Valle de la Luna e Valle de la Muerte de tarde para ver o pôr do sol

Dia 3 – Quebrada de Kari pela manhã e Laguna Tebinquiche a tarde (a lagoa que dá o efeito de espelho)

Dia 4 – Geyser del Tatio

Sobre o frio… bom estamos no inverno chileno e o clima no deserto é bem maluco. De manhã e a noite faz frio, não diria que um frio mega congelante, juro que achei que seria mais, mas durante o dia faz calor! Então tem que trazer roupa de tudo o que é jeito. No último post sobre esta viagem farei uma lista com o que realmente usei e foi necessário, mas já adianto uma coisa: legging e botinha de trekking são ULTRA necessárias. Perguntei pra guia qual a melhor época para visitar o Deserto do Atacama e ela me disse que de maio a outubro é bom. No verão, por incrível que pareça, chove muito, uma chuva tropical que vem da Bolívia, e faz uma lambança danada nos caminhos, alguns até são cortados.

Sobre a altitude… sim, é alto e sim, isso tem consequências. Eu estou com uma mini dor de cabeça desde que cheguei e caminhar se torna mais difícil… falta um pouco de ar e a respiração fica meio atrapalhada. No primeiro dia é bom comer leve e não beber bebidas alcoólicas, além disso, nada de fazer passeios puxados. Tudo tem que ser bem light para poder aclimatar. Estamos no segundo dia e ainda tenho a dor de cabeça… tem que beber bastante água! Espero que essa dorzinha passe logo. Ah, não pode beber água de qualquer canto, pois tem muito minério e pode fazer mal. Se estiver em San Pedro, é recomendado beber água engarrafada, mas no Alto Atacama a água é tratada então pode beber direto da torneira.

Primeiro dia: bem quente! Mas a noite fica bem frio…

Nosso primeiro passeio foi o Tour Astronômico, e OBSERVAÇÃO, o pessoal do Alto Atacama é bem pontual. Nos atrasamos um pouco e quando fomos pra recepção o tour já tinha saído. Para nossa sorte (e gentileza do staff), nos levaram até um observatório próprio hotel e bem perto. Como durante a noite faz bastante frio, subimos bem agasalhadas, mas no final nem senti esse frio todo. Não usei luvas nem gorro, mas acho que vai muito do mês né? Acredito que em julho deve ser bem mais gelado.

Como foi? MARAVILHOSO! O céu mais estrelado que já vi na vida! E outra dica, para ver este céu, não pode ter uma gota de lua, então é bom se programar para vir na lua nova! Quando tem lua cheia por exemplo, não dá para ver nada… Lá no observatório, o guia explica um pouco sobre as estrelas, a via láctea (que é totalmente visível!) e ainda tem um telescópio para ver alguns planetas. Vimos Júpiter e Saturno com TODOS seus anéis! Gente, não dá pra explicar, é algo muito além do que podemos imaginar.

Foto da internet porque não consegui uma foto decente por nada desse mundo…

O tour é rápido, coisa de 40 minutos, uma hora… depois voltamos para o hotel e paramos no bar. Eu por um Pisco Sour com Rica Rica (uma erva do deserto), e a Joana por um chardonnay. As bebidas também estão incluídas na diária, menos as premium, mas isso eles te informam quando for escolher.

Primeiro dia de Atacama, verdade, metade de um dia e já estamos maravilhadas.

Ansiosas pelo segundo dia!

05
Aug 2016
Fazendo Check In – Campos do Jordão
Editorial

Gente, temos novidade no Futilish! Já tem um tempinho que queria reativar os posts sobre viagens e indicações de hotéis por aqui mas a falta de tempo me fazia adiar isso… Tanto é que nem acabei de contar sobre minha viagem a Machu Picchu e nem fiz post sobre São Paulo para turistas famintos (só fui lá pra comer né rs).

Daí que conversando com uma amiga que é arquiteta, especialista em hotéis, perguntei se ela não toparia escrever para nós sobre lugares bacanas para ficar, afinal, uma das partes mais importantes de uma viagem é justamente a escolha de onde dormir! E ela topou! Hoje é a estreia dela aqui no blog e logo de cara com um lugar lindo e uma pousada ainda mais linda para ficar…

HOSPEDAGEM DE ESTILO NA SUÍÇA BRASILEIRA

Neste tempinho de inverno, ainda mais frio no alto da Serra da Mantiqueira, a 1.700 metros de altitude, Campos do Jordão é um daqueles destinos charmosos e atraentes para curtir o clima serrano. Com um visual lindo, a arquitetura do lugar completa a atmosfera que dá o título de “Suíça Brasileira” à cidade.

AA_FOTO1

Vista de Campos de Jordão

Com esta fama e glamour, a cidade paulista é um dos destinos mais procurados nesta época. Nos meses de Junho e Julho, na média de uma milhão de turistas aparecem por lá. A agitação está nos bares cobiçados e gente bonita espalhados pelas vilas da cidade.

Uma destas vilas é a Capivari. A famosíssima Baden Baden, que é um dos principais símbolos de Campos do Jordão, é também o bar mais famoso de Capivari. A cervejaria oferece visita guiada, onde o turista pode conhecer mais sobre os dez tipos de cervejas artesanais produzidos na cidade.

Mas são muitos outros os atrativos de turismo gastronômico, naturais e festivais culturais que a cidade oferece.

AA_FOTO2

Noite em Campos do Jordão

AA_FOTO3

Baden Baden cervejaria

AA_FOTO4

Vilas comerciais em Campos do Jordão

aa montagem

Chocolate quente Montanhês, imperdível!

Mas Campos de Jordão é um destino não só de luxo, mas principalmente, de muito estilo. Para desfrutar de um lugar com tanto estilo, há inúmeras opções de hotéis e pousadas charmosíssimos!!

Claro que este não é, definitivamente, um destino barato.

Para curtir experiências como essa, o melhor é apostar em custo-benefício. Ou seja, escolher uma hospedagem que valha a tarifa. Isso significa não pagar caro por um lugar “caidinho”. A coisa mais frustrante é chegar em um destino, esperando ter uma experiência incrível, e começar se frustrando já ali no check in do hotel. Mas isto também não quer dizer que a solução seja pagar por um luxo fora do orçamento.

Aí entra a história dos lugares e ambientes pensados (e cuidados!) para que as pessoas se sintam bem, tenham experiências que levarão consigo, a boa surpresa, o charme e tudo aquilo de bom que queremos sentir quando nos propomos a sair de casa.

Este inclusive, é o mote desta nossa coluna. Falar de lugares legais para ir, onde a arquitetura e o design são não só o diferencial, mas, principalmente, o agente convidativo. O ambiente, a atmosfera, a decoração – seja de uma hospedagem, bar, café, restaurante, loja, ou o que for – sempre tem impacto sobre nossa experiência.

E é sobre ter essa visão, fazer essas escolhas, que gostamos de observar, contar e dar dicas.

Em Campos do Jordão um destes lugares “achados” foi a Pousada Saha.

Primeiro, muito bem localizada. Suficientemente perto para se ir caminhando aos bares e restaurantes, mas também distante o bastante para garantir o silêncio e a tranquilidade nos quartos.

Mas a Saha me chamou a atenção por sua bela arquitetura, ao estilo provençal. Ao chegar tive a sensação de uma casa, tipo chalé, como se chegássemos na casa tradicional de uma família de amigos. Um jardim singelo, com lindas (e verdadeiras) lavandas.

AA_FOTO7

Pousada Saha Campos

Os serviços personalizados e diferenciados ajudaram a tornar a experiência bem gostosa. Coisas do tipo: piquenique no jardim, passeios de bicicleta pelas ruas de Campos e um concierge à disposição para indicar os melhores restaurantes e passeios na nossa Suíça Brasileira.

AA_FOTO8

Recepção e concierge da pousada, no estilo provençal

E claro, um café da manhã delicioso e muito bem colocado, com pães caseiros e bolos deliciosos, em uma sala ampla com pé direito duplo, bem iluminada ao lado de uma bay windon para o solário.

AA_FOTO9

Sala do Café o com solário

São 5 tipos de quartos: Suíte Saha, Chalé, Suíte, Apartamento Varanda, Apartamento Sacada.

AA_FOTO10

Suíte Saha

AA_FOTO11

Chalé

AA_FOTO12

Suíte Saha

AA_FOTO13

Apartamento Sacada

AA_FOTO14

Suíte Varanda

No quarto que fiquei havia uma varanda com um pequeno jardim, com um climinha bem gostoso para tomar um vinho no final da tarde, esperando o frio acabar de cair.

A pousada possui ainda uma sala de leitura no mezanino (enquanto se espera a sonequinha da tarde do marido) e uma sala de banho com SPA para entrar no clima da estadia.

AA_FOTO15

Sala de TV e jogos

AA_FOTO16

Sala íntima e leitura no mezanino

A pousada não é grande. Mas o bom gosto está em toda decoração e instalações novinhas. Falando de instalações, o maior diferencial para uma pousada deste porte está no sistema de aquecimento central que deixa o piso de granito do banheiro sempre aquecido, assim como o aquecimento dos toalheiros. Imagine aquele frio, com uma ducha maravilhosa, pisar em um chão beemmm quentinho e toalha também quente… dão um ânimo a mais para começar a curtir a noite gelada e muito charmosa de Campos do Jordão!

Pousadinha que vale à pena colocar na lista de opções e não deixar de curtir esse passeio!

Denise Aurora, arquiteta especialista em hotéis 

www.auroraarquitetura.com/arquiteturadehoteis

email@auroraarquitetura.com

  • Lugar delícia né gente??? Eu fui para Campos apenas uma vez e quero muito voltar!
  • E quem quiser, pode enviar sua dica de viagem como também dar dica de algum hotel bacana que tenha ficado mundo afora. O importante é ter fotos bacanas e informação suficiente sobre o lugar. Enviem para constanza@futilish.com e no assunto coloquem DICA DA LEITORA TRIP, pode ser um lugar, um hotel, uma pousada, ou tudo isso junto! 
Página 1 de 1512345Última »