Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
07 abr 2019, 22 comentários

Mi casa, su casa- Pinto o teto?

Fufuland! Turupom por aí?

Desde 2017 temos usado alguns tetos com cor, e essa semana uma Fufu maravilhosa entrou em contato para conferir umas cores no projeto dela e eu me dei conta de que nunca tinha conversado aqui sobre isso.

Sei que MUITA gente vai odiar o tema, mas também é meu dever cívico – HAHAHA – de apresentar coisas diferentes para vocês. E vou comecar com uma imagem que ninguém vai poder reclarmar, um teto com forro em madeira:

Achou que eu ia chegar aqui com teto pintado de tinta óleo brilhoso bordô, né? Lamento desapontar você, só que é muito possível ter uma cor no teto e não ficar feio.  Outro teto na moda é o concreto aparente:

Já quebramos o gelo, e tenho certeza que todo mundo quer saber mais sobre cores e dicas. Até mesmo porque é um recurso que pode facilmente dar errado.

A cor que mais amamos empregar lá na Nest, é o azul, especialmente os azuis que lembram o céu.

Se o clássico faz você ter palpitações, os Coffered Ceillings, que são os tetos com aquelas molduras super trabalhadas, eu te digo que: colorí-los fará com que eles fiquem ainda mais emblemáticos:

Se a altura do seu imóvel não permite que faça algo tão trabalhado, uma bela moldura nas laterais, e um centro colorido deixam tudo mais interessante:

Mas vamos ver a cor do teto como um recurso. Hoje em dia temos grandes espaços integrados e aí subdividir o teto é algo que faz com que nossos ambiente parecam mais acolhedores e com toda a certeza do mundo, mais luxuosos e bem pensados:

Quando temos algum elemento arquitetônico que queremos aproveitar, também podemos tirar partido da cor, como em vigas muito baixas e lajes inclinadas:

Um cômodo que merece uma ousadia é o Home. Se no seu lar há um espaço destinado a sétima arte, por favor, deixe ele bem decorado. E algo que eu ADORO numa bela sala de cinema, é um teto preto.

O que você acha? ousadia demais? Interessante? Conta pra mim nos comentários.

Ah! A próxima matéria eu quero reviver o Tem Jeito Decor. A fufu Edméia mandou para mim um material bem legal. e vou reparar com carinho pra você, pos acho que vai ajudar muitas pessoas.

#Bença!

Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
24 mar 2019, 34 comentários

Mi Casa, Su Casa – 3D(elícias) 3D(esgraças)…

Fufu-terrestres!

Já disse algumas vezes, acredito que até por aqui, que TUDO fica bom em algum lugar.

Algumas vezes é no lixo. 😀 😀 😀

Já tem um tempão que os revestimentos com relevos, ou com a impressão que simula eles, estão bem na moda. Tava aqui na listinha de temas para conversarmos, então pega um espanador (afinal junta pó nesses negócios) e #vemkotio.

Eles surgiram nos banheiros, exibidos e sorridentes. Criando umas sombras lindas e amaciando os nossos corações para ir tomando conta da casa. De formas boas e ruins, essa segunda em muito maior profusão.

Não vou mostrar os 3D(esgraças) por motivos éticos. Também não estou podendo ser proce$$ado. Então vamos ser  humanos positivos e falar dos bons resultados.

Os principais usos são em salas, espaços gourmet e quartos. Confesso que sofri para achar imagens, não só que tivessem ambientes bonitos, mas que chegassem numa resolução boa.

Estes revestimentos podem ser de porcelanato, de pvc, de madeira, poliestireno (isopor)… Falarei de alguns.

No caso de áreas molhadas, como banheiros, é necessário que se use um produto adequado para umidade, e fazer o uso do rejunte, que “veda” as peças e proteje o mundo de infiltrações.

Quando as peças não forem expostas a umidade – vapor é umidade pessoínhas – e o modelo a ser aplicado permitir, pode se fazer a instalação de junta seca:

Junta seca são alguns modelos de revestimentos que podem ser encostados um no outro, então não vemos a linha de separação – que é onde entra o rejunte.

Do fundo do meu coração (maldoso and peludo) eu associo os percelanatos com banheiro e não consigo amar a aplicação deles em salas e quartos.

Suei os sovacos aqui, mas achei esse quarto com um porcelanato que ficou lindão. Pelo foguinho fofo, acredito que seja imagem de um catálogo da Portobello. As mesas diferentes, a cabeceira desalinhada com o painel, quadro de um lado com abajour… é TÃO dificil fazer algo assimétrico com um equilíbrio desse que olha… quase tenho fé na humanidade nessas horas.

Voltando ao tema, Vamos dar uma olhadinha nas versões conforme os materiais.

Madeira

Os produtos em madeira são bem elegantes, e também costumam ter um precito nada amiguito. Porém, temos que entender que é um material caro sempre.

Lembrando que existem também os porcelanatos, muito verrossímeis (voltar a ler tá me fazendo bem) e que na maioria das vezes tem um valor muito melhor, espia aqui:

Contudo, falando de custos, os itens em PVC geralmente são ainda mais atrativos. E também tem muitas versões lindas.

PVC

Acho que os primeiros drevestimentos com relevo que surgiram no mercado foram as pedras naturais, como as pedras filetadas. Até hoje tem algumas peças muito bonitas de pedras com os mais variados formatos e tons.

Gosto bastante das pedras naturais porque elas trazem – literalmente – uma parte da natureza para os ambientes.

Pedra

Temos ainda os revestimento cimentícios, que costumam ser usados em fachadas, por motivos de: durabilidade AND uma profusão de itens mais volumosos que ocupam espaços consideráveis.

Cimentício interno:

Externos:

Eu adoro o recurso, que pode “levantar” uma fachada sem uma mega obra, ainda que o investimento seja considerável.

E vocês, o que acham? Conta pra mim nos comentários =) Adoro comentários!

#Bença!

Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
10 mar 2019, 10 comentários

Mi casa, su casa – Multiuso

Fufubelíssimas, feliz dia das princesas atrasado… #8m

Fufubonitos, cuidem bem das suas mulé.

Mas vamos começar que me enrolando desde o cabeçário a coisa complica.

Recentemente conversamos sobre “downsizing” aquele tendência a dar uma “enxugada” no tamanho de nossas casas e/ou coisas que temos. Se você não leu e tem interesse #vemkotio e clica AQUI. Mas não é imprescindível para o papo de hoje.

Recentemente fomos contratados para ajudar um casal que está fazendo um processo de donwsizing bem lindo. Claro que nesse momento eles precisam de assessoria para poder seguir fazendo o que faziam na casa de antes num espaço menor.

Quando descobrimos que teríamos que em um cômodo apenas oferecer: Home theater, escritório e quarto de hóspedes eu pensei em como esse tema seria legal.

Nossa cliente, uma mulher elegantérrima, suave como uma bailarina e educada como poucas pessoas no mundo, ainda vai ter um espaço para os instrumentos musicais na versão dela, quando estiver pronto pedirei autorização para fotografar. MAS trazendo para a realidade da grande maioria das pessoas, eu utilizei uma medida média padrão para aquele terceiro quartinho que temos nas plantas de casas e apartamentos da atualidade.

Fiz um cômodo de 250 x 280 cm, janelinha centralizada na parede, portinha no canto… ou seja, nem fiz maracutaia para facilitar minha vida. Aproveitando que tem muitas pessoas que estão estudando design de interiores/ arquitetura e vem até aqui ler minhas matérias vou aproveitar também para falar de duas formas de representação de desenho/imagens:

Perspectiva:

Ortogonal:

A imagem é do mesmo cômodo, mas em perpectiva temos uma visão melhor do que tem no ambiente, na visão ortogonal compreendememos melhor as circulações, as diferentes profundidades de mesa, estante, gaveteiros… então é muito legal quando oferecemos aos clientes essas duas imagens e explicamos a importância de cada uma.

Nessa proposta, temos uma escrivaninha e uma estante com 90cm de largura, uma cadeira confotável para passar um tempo trabalhandinho em casa, porém com um formato e tecido mais voltado para a estética de poltrona, não cadeira de escritório.

O home ficou com 190cm, e comporta bem uma TV de até 55 polegadas. gavetas para ajudar na organização de documentos, subwoofer no chão – conforme mandam os fabricantes – e aquele tapete redondo felpudo que dá um truque lindo sem comprometer os alinhamentos.

Luminárias no painel da tv, e de mesa na escrivaninha dão um charme sem pesar na estética nem no orçamento.

Já entre o móvel do home e o painel de TV, fiz uma sugestão de tampo basculante revestido em vidro com tratamento fosco, escondendo a fiação. para cima do painel o mesmo vidro pode ser colado diretamente na parede e podemos usar a espessura do painel para apoiar quadros.

Do outro lado, temos um sofá cama conciso, porém eficiente, com 200cm de largura. Caso opte por um daqueles estensíveis, atente-se para as medidas, pois ficará quase impossível de usá-lo para um casal dormir.

Optei por uma pintura diferente na parede, com efeito de listras horizontais, que trazem a ilusão de um espaço mais amplo. não quis usar quadros, moldura ou decorações pois na frente já tem bastante coisas.

Agora vou aproveitar para exemplificar algo que não é percebido, mas que traz uma certa ordem subconsciente e que quando não se contrata um profissional muitas vezes não acontece.

Veja essa imagem em perspectiva:

É assim que veremos esse ambiente ao entrar nele. E apesar de tem muita coisa (cortina, arandelas, quadros, livros, decorações, vídeo game, computador…)  você enxerga uma certa “organização”. Tô certo?

Agora vamos entender porque isso não “agride” os olhos da gente. Para isso vamos ver isso tudo de forma ortogonal:

Atente-se comigo que a altura final da cortina (destaquei com essa linha fininha amarela do lado esquerdo)acompanha a altura da instalação do painel onde vai o televisor, que é o mesmo alinhamento da parte superior da mesa de trabalho.

Também temos a mesma proporção entre a altura das duas gavetas(infelizmente o print do ortogonal cortou, mas acreditem em mim) e do vidro entre as gavetas e o painel. São esses pequenos cuidados que conferem uma harmonia no ambiente pronto que muitas as vezes não sabemos apontar, mas que de forma implícita afetam nosso bem estar.

Propositalmente eu não alinhei a altura final do painel da TV com a prateleira da estante, pois ele já está com 90cm de altura e muitas marcenarias/lojas de planejados trabalham com essa limitação técnica. Especialmente se for um MFD com “estampa” de madeira. No caso do MDF com uma cor lisa poderia ter subido mas queria que fosse perceptível a diferença de alinhar ou não.

Em espaços de multiuso, também é interessante pesquisar sobre diferentes produtos com a mesma função. Nesse caso o sofá cama quando em função cama existe de duas formas:

Alguns produtos você deita o encosto e forma uma cama de casal, como esse da Essência Móveis:

Outros estendem a parte do assento e formam uma cama mais compridinha:

Esse chega dói meu coração, porque essas almofada estranha essas asinhas que ele abriu pros lados só me trazem vontade de dizer palavrões.

Descobri até um modelo de canto, que gira e junta os dois assentos para formar a cama, mas que não caberia nesse projeto de medidas mais populares:

Como é na sua casa? Tem um espaço multiuso? Precisa de um? Conta pra mim nos comentários.

#Bença!