01
Oct 2017
Mi Casa, su casa – Butler´s Pantry e Joy 106D
Decoração, Editorial, Mi Casa Su Casa

Quase coloquei um amém no final do título, porque virou uma oração. HAHAHA

Cêis tão delícia? Tudo hidratada? Tudo fisicamente ativas/os? Assim que queremos a Fufulândia. Um bando de gente feliz.

Semana passada não teve post por um motivo muito nobre: FA XI NA.

Uma faxina daquelas de colar as ponta do papel de parede, de limpar as lombadas das revistas e organizar por data.

Levando em consideração que eu assinei Casa Vogue durante 10 anos (enquanto eram editadas pela Carta Editorial, porque depois da Globo Condé Nast a revista ficou uma MERDA) você pode ter uma leve noção da trabalheira que deu.

Porém a faxina vai ser melhor explicada no final do diário de obra que tá QUASE no ponto de publicar.

Ok, vou parar de devanear porque se eu não começar logo a falar do assunto do dia vou perder a audiência dos TDAH.

Falei no Instagram do Joy106D ( Já seguiu minha obra? ) sobre a “despensa do mordomo” que é muito comum lá naquele canto do mundo que eu amo: Austrália, e a Marina deixou comentário aqui pro titio falar mais. Bêxo Marina!

A tradução literal da Butler´s Pantry, como eu já usei no texto préviamente, é “despensa do mordomo” e ela tem – obviamente- uma história própria, que como a gente tá vindo da Oceania pra cá, começa assim:

” O nome PANTRY, é oriunda do francês arcaico PANETERIE que significava: panificar/pão. Nas eras medievais as comidas e utensílios eram armazenadas em cômodos específicos. Carnes eram guardadas na copa (larder), bebidas num cômodo chamado bar (buttery) e os pães na despensa (pantry).

Nota do Tio: Essas traduções são aproximadas, porque na verdade os nomes originais todos se traduziriam para português como despensa.

DAE chegamos na Butler´s Pantry, onde se guardava a prataria, os itens de cozinha mais caros e mais delicados. Como os itens eram de valor esse ambiente era mantido trancado e a chave ficava em poder do mordomo que geralmente  (pasmem) dormia nesse local pois era responsabilidade total dele proteger a prata contra roubo.

As despensas estavam desaparecidas até 2006 quando os empreendimentos começaram a voltar os olhos para o problema que as cozinhas integradas causam que é: casa inteira bagunçada só pra fazer um lanche.

Então vamos falar da Despensa moderna. No caso dos sortudos que pagam 445 dinheiros numa lava louças, na Oceania eles aconselham a ter no quartinho do mordomo:

Uma segunda lava-louças;

Um segundo refrigerador;

Uma segunda pia;

Um segundo cooktop;

Uma segunda torre de eletros.

Resumindo, é uma cozinha. A diferença é que será fechada e consideravelmente menor. Nela serão estocadas as coisas em prateleiras abertas e de profundidade menor, algo como 40 centímetros:

Para que serve?

Sabe aquele domingo, que você vai só fazer um macarrão? Faz ali dentro.

Sabe aquele peixinho frito que fede a casa toda? Faz ali dentro.

Sabe aquela reuniãozinha de amigos que você serve um aperitivo e vai acumulando louça já antes de servir o jantar, depois tem que dar um jeito na louça do jantar pra poder servir uma sobremesa/café/licor… SOCA TUDO NA DESPENSA e amanhã a faxineira arruma, ou então já sai da mesa pra lava louça. E na hora de se despedir dos convidados já está tudo limpo.

Sabe aquela receita de natal que tem ZILHARES de coisinhas pra picar, separar, pré cozer… deixa a sogra fazendo na despensa, e prepara teu peru ali do ladinho, na cozinha.

O que é importante? Que ela seja discreta e que interaja com a cozinha diretamente. No casa de uma das Butler´s Pantry mais lindas que eu já vi, está a versão do The Block Austrália 11ª Temporada do apartamento de cobertura, desenhado pelo casal Dean e Shay:

Essa é a cozinha:

E ali, lindamente oculta está a despensa:

Aqui tem um vídeo (em inglês) curtinho que mostra  como eles pensaram e decidiram todos os detalhes da cozinha:

E essa é a carinha de quem ganhou a temporada + AU$ 755.000,00

Voltando ao post, ao pesquisar por esse ambiente a gente encontra umas despensa muito gourmetizadas, que eu acho que perdem a funcionalidade.

Obviamente é legal que seja bem decorada e agradável de se ver e usar. Mas a função dela é abraçar os tapaué e não ser miss-cozinha.

A não ser que quem está me lendo aí do outro lado seja RYCAH nível Trussardi Rudge, aí é só me contratar que eu já sei o nível de despensa que vamos fazer para sua casa:

Agora eu gostaria de propor a despensa do mordomo alinhada com o nosso Brasil.

E vou até me dar o direito de chamar de Despensa Funcional.

Eu acredito que para nós, que gastamos 2000 reais numa lava louças, 5000 em um bom refrigerador podemos otimizar estes produtos.

Minha dica é que a entrada seja perto da torre de fornos e do refrigerador. Assim, esses eletrodomésticos são compartilhados pelos dois ambientes.

Caso sua familia seja grande, eu sugiro incluir um freezer, aí sim é um bom negócio:

Mas tio, quanto espaço eu preciso?

Quase nada Fufu, quase nada.

Para a brasileiríssima despensa funcional da família moderna tipinikin, eu diria que você deva equipar com:

1 cuba pequena/média;

1 cooktop 2 bocas/queimadores;

1 coifa poderosa ( alí será o canto da fritura/de fazer  o bifão de brontossauro)

1 lava louças (e deixar a cozinha sem)

Esse é o espaço de bancada que você terá pra trabalhar, dois metros.

Teremos que ter uma janelinha (legislação brasileira renovação de ar e luz natural) então eu faria ela no fundo do ambiente;

Na outra parede prateleiras com 40cm de profundidade;

Então estamos falando de 200 x 200 pra ter um MEGA espaço confortável. E isso representa muito pouco numa construção. Vou ilustrar, porque eu tô MUITO animado com isso:

Viu que simples? Pia, bancada, fogãozinho:

Se a torre de fornos e geladeira estiver ali do ladinho da porta, tá tudo dominado.

Dependendo do seu nível de transtorno, ou caso a região onde você morar é válido analisar o uso de portas na despensa. Eu acho desnecessário, mas se por exemplo for um lugar onde tem muito pó, pode ser interessante gastar um cadin mais e colocar portas em toda ou em parte desse móvel.

Dae você pensa: Ah Lelo, só tenho 150cm por 300cm aquele espaço estranho debaixo da escada, tem como fazer outro jeito?

Claro meu amô!

Pode usar a bancada em L sem problema nenhum.

Se você não costuma fazer fritura, ou se faz muito pouco – como aqui em casa – a despensa funcional pode até ser aberta também e ser usada para sujar um espaço que representa 1/4 da cozinha, simplesmente colocando uma parede divisória:

E esse formato é ótimo para apartamentos, especialmente os tipo jardim, como o JOY106D que estou mostrando para vocês em primeiríssima mão.

No caso dessa unidade a despensa não vai ser só despensa, mas também vai acomodar a lavadora de roupas.

Em cidades grandes como São Paulo é bem comum a lavanderia e a cozinha se fundirem em uma coisa só, aqui pro lado do interioRRR, ainda é estranho, confesso. Contudo funciona, que é o que buscamos.

A cozinha formal, será construída e terá acesso por essa porta ao lado do refrigerador e ambos espaços vão compartilhar destes eletrodomésticos.

Ela ficará oculta da parte social pela parede que vai amparar o estofado, assim não haverá visibilidade a partir da porta de entrada:

E quem estiver na sala, verá apenas geladeira/torre de fornos:

A área com a mesa de jantar também ficará nessa área que os clientes vão construir, essa mesa da imagem é aquela de apoio onde você deixa chave, carteira, bolsa, os boletos… é pequenininha mesmo.

Muita gente não entende planta baixa, mas para os que entendem, vou deixar aqui para vocês aproveitarem:

O post de hoje foi tenso! Muita imagem, muita conversa. Aos que não gostam de post com muito falatório me desculpe, contudo foi o necessário.

E por hoje é só pessoal. BÊJO!

Não esqueçam de aproveitar as dicas da patroa no Instagram Futilish, e euzinho no #Tiolelofoz

assilelo-1

As fotos utilizadas nos posts foram coletadas da internet e os 3D foram feitos por mim, imagens que só apareceram aqui porque eu gostei, então, parabéns pra você que fez. Respeito muito seu trabalho e os créditos são seus, se quiser que eu identifique a autoria me deixa nos comentários. Se te incomodar a divulgação aqui, mande um email e eu substituo. BEIJOS DE LOOOZ.

16
Apr 2017
Mi casa, su casa – Joy 104D – 01
Decoração, Mi Casa Su Casa

Fufuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuulezas do meu coraSSaum!

Feliz páscoa!

Que não apenas o chocolate invada a vida de vocês hoje, mas também o espírito de renovação e essa força que a ressurreição nos sugere.

E o Joy 104 D não é uma combinação de senha que vai permitir vocês a roubarem bitcoins e serem milhonárias e aposentadas prematuras – infelizmente.

Joy 104D é uma série nova que eu quero compartilhar com vocês. Pretendo que seja mensal e que ajude quem está procurando um imóvel. Agora deixem eu começar do começo, pega um travesseirinho e #vemkotio!

Era uma vez uma lourinha procurando um novo apartamento. E ela pediu ajuda para um bom tiozinho, roliço e mau humorado (eu, caso não tenham percebido a relação).

Nessa consultoria, analisamos as necessidades dela e seguimos atrás de um canto feliz. Eis que no meio do caminho, encontrei um empreendimento, Residencial Joy, que se encaixa no perfil dela, e também de um outro casal, que poderia neste novo condomínio, fazer sua primeira morada juntos.

Agora vamos falar de como se faz essa consultoria. Primeiro de tudo, precisamos ter bem claro:

  • Valor que se pretente investir;
  • Região onde se gostaria de morar;
  • Prazo para mudar;
  • Tamanho médio do imóvel;
  • Necessidades específicas.

Estes cinco pontos são filtros que vão trazer pra gente algo ideal. O principal deles, obviamente, é o valor, pois não podemos dar o passo maior que a perna. Obviamente cada cidade tem seu valor próprio quando se fala de preços de imóveis. Neste caso, tínhamos até 200 mil para encontrar o imóvel perfeito.

O segundoo filtro, localização, é de no máximo 5 minutos até a região central. E aí temos um raio de busca.

Prazo. Nossa loura precisa de um imóvel já pronto para morar. E o primeiro bloco desse conjunto já está liberado. Para nosso casal prazo não é importante – vamos deixá-los namorar mais um pouco.

Vamos falar brevemente destes imóveis. São apartamentos com cerca de 52-56 metros quadrados, dois modelos de planta diferentes disponíves:

Tipo 01

Tipo 02:

e no caso das unidades térreas, se acrescenta um jardim privativo, os chamados apartamento garden:

Tipo 01 Garden:

Tipo 02 Garden:

Esse empreendimento também tem a possibilidade de apartamentos adaptados para PNE, então cadeirantes são bem vindos e eu achei isso um ponto muito legal.

Apto Adaptado:

Talvez em grandes centros essa inclusão seja algo antigo, entretanto aqui no calcanhar do Brazeeeeel, é a primeira vez que eu vejo a própria incorporadora oferecendo unidades já adaptadas em planta.

Levando em consideração as necessidades, o tipo 01 permite transformar um dos dormiórios em closet – exigência de nossa lourinha, e o tipo dois proporciona uma grande interação com o jardim, que encantou nosso outro casal. Então com os clientes cientes e conscientes de todas as vantagens vamos falar de compra futura… já que estamos falando de comprar um imóvel que ainda não existe…

Brasileiro, nós sabemos, é uma raça lascada. Vivemos sabendo de golpes, de gente que passa os outros pra trás e por isso eu entendo o receio de muitos em adquirir algo que ainda não é palpável. Neste caso, o primeiro bloco já está disponível para morar, eu visitei o local e já tem até grama nos jardins.

Mesmo assim, usei meus contatos de alacazam e pedi “a ficha” da construtora – que é de Curitiba. E após uma breve pesquisa, vimos que é uma incorporadora sólida, de bom porte – nada ultra espetacular – mas justa e com boa reputação e histórico.

Próximo passo foi pedir o contrato previamente e analisar totalmente, principalmente cláusulas como prazos, reajustes, multas, e rescisões.

Mandei o contrato para análise de dois profissionais, um advogado e um engenheiro. Sim, esse tipo de análise parece exacerbada, contudo o custo dela é irrisório perto de uma grande dor de cabeça depois. No caso dessa região os profissionais costumam cobrar entre R$ 400,00 e R$ 600,00 por uma conferência detalhada, vale a pena verificar com um amigo da área. Se ele não fizer esse tipo de serviço, saberá quem faz.

O engenheiro fez os cálculos de juros, reajustes conforme os índices desccritos no contrato e o advogado priorizou verificar as cláusulas de reajustes, rescisões e multas.

Depois dos vereditos seguimos com as negociações.

A lourinha está analisando outras opções e o casal já assinou o contrato e efetivou a compra.

Por isso a série Joy 104D vai continuar por pelo menos mais um ano, quando será entregue as  chaves do imóvel e até lá teremos muitas coisas para aprender e vivermos juntos.

Vai ter muita parede caindo (ou nem subindo, uma das vantagens de comprar antes de construir), vai ter caça aos revestimentos, projetos, paisagismo, sonhos, dor, suor e lágrimas.

Quem embarca nessa comigo?

assilelo-1

As fotos utilizadas nos posts são coletadas na internet, e só apareceram aqui porque eu gostei, então, parabéns pra você que fez. Respeito muito seu trabalho e os créditos são seus. Se te incomodar a divulgação aqui, mande um email e eu substituo. BêXos.