23
May 2015
Mi Casa, Su Casa – Papel de Parede!
Mi Casa Su Casa

Bom diaaaaa! Hoje é dia do Lelo alegrar nosso sábado com suas dicas e informações super instrutivas e bem humoradas sobre decoração e arquitetura! O tema de hoje é: PAPEL DE PAREDE!

¨Então Fufushas! (E os leitores hombres también!)

Aos poucos eu vou perdendo a vergonha de parecer nojento soberbo, e vou falando um pouquinho mais.

Eu tive o privilégio de conhecer gente boa (elegante e sincera) no meu caminho, uma colega na faculdade de arquitetura que me conseguiu uma entrevista de emprego, onde eu estou faz quase sete anos trabalhando com interiores. Nesse período, pra quem achava que sabia sobre decoração, eu descobri que ainda estou engatinhando. Sou apenas um bocó com acesso a fornecedores e detalhes técnicos. Aprendi sobre mobiliário, principalmente residencial, depois corporativo e nesta última semana de maio estarei em SP dando bafão e fervendo horrores, em treinamento na área de mobiliário hospitalar. Dentre tantas coisas, como tapetes, painéis, cortinas, tecidos…

HEY essa introdução já tá muito longa e eu nem ofereci um Chai pras bonitas:

Chai

PLIM PLIM!

Então, entre as coisas que eu pude conhecer, está nosso tema de hoje: Papéis de parede.

Essa é uma das maneiras mais rápidas e práticas de tornar um ambiente de ordinário em pornografia de viver, maravilhosidade. Não é por acaso que tem coleções de papel de parede da Versace e da Porsche, dentre muitas outras possibilidades:

PAPEL Studio Porsche PAPEL Versace

Entretanto, contudo e não obstante, também não é necessariamente uma forma barata. Existem materiais de R$ 100,00 até o infinito e além. Eu conheço uns de R$ 18.000,00. Como tudo nessa vida existem as mais diversas opções, marcas AND, qualidade.

Eu me dei ao trabalho de jogar no google a busca “tipos de papel de parede” não vou falar do nível de imbecilidade de quem escreve matérias descrevendo estilos de desenho como “tipo de papel”.

Pausa pra desabafo de ódio:

Qualquer retardado sabe que um papel que tem flores é floral, que tem bolinhas e quadrados é geométrico… Sério, eu fico irado com desse tipo de desserviço à humanidade. Porque não vão doar sangue, pentear macaco, embalar criança no centro de nutrição…. dar o @ pra galinha bicar, mas não, esse povo prefere publicar coisas idiotas na internet.

Ok, Smurf Odioso pode sair do meu corpo.

Grouchy

Então vamos falar de coisa boa, vamos falar do que realmente interessa pra você não comprar um produto vagabundo que é o que mais tem no mercado. Eu não vou falar que papel de X lugar é ruim, pois mesmo alguns papéis daqueles lugares que a gente costuma dizer que nada presta, tem alguns que prestam sim.

Existem papéis com base de papel (dã!), nonwoven, papéis com tecido/pedras/cristais e os vinílicos.

Papel com base de papel é bem comum da indústria brasileira, é aquele papel que muitas vezes parece embrulho de presente (pobrin), e que quase via de regra é delaminável. Tá, você não tem obrigação a saber o que é isso, mas #vemkotio que eu explico: Quando um papel é delaminável, ele é filho do coisa ruim um produto que EU vejo  como desvantagem ele ser chato de remover. Você já deve ter visto em algum programa de TV as pessoas tirando papel de parede, ou demolindo algo e a parede ficando com aquele resto de saco de pão colado. É essa praga aí. E pra soltar aquilo, você tem que molhar, raspar, puxar os cantos, fazer a dança da descolagem, quer saber, manda a sogra fazer isso. #fikdik

Papéis Nonwoven são eco friendly, pois são formado por longas fibras naturais e sintéticas, que  permitem uma melhor “transpiração/respiração” da parede, evitando mofo, trevas e coisa e tal. É o mesmo material que se faz o filtro de café, saquinhos de chá, e se tem café no meio, é coisa linda e paradisíaca.

MAYDAY! AGORA para tudo que você tá fazendo e tatua essa informação no braço: (especialmente quem tá no aluguel : Papéis nonwoven podem ser retirados e reaplicados três vezes! Ou seja, hoje cola aqui, daqui um ano você muda e leva ele pra casa nova, e dá pra fazer isso mais uma vez ainda! Desde que utilize a cola própria, né.

Papéis com tecido / pedras / cristais os que tem a textura de tecido, geralmente são de veludo/camurça/seda e são um desbunde, não são ricos, são multimilionários, vamos catalogar eles como sheiks de Dubai. Os com pedras, tipo as famosas Micas ou os papéis com cristais incrustrados são über-especiais. Os que tem  gramatura alta, precisam de aplicação com cola sintética, e por-amor-a-qualquer-que-seja-a-entidade-que-você-acredite, das salamandras de jardim até Deus, não tente aplicar isso all by yourself. Contrate um instalador com boas referências.

Vinílicos, estes, geralmente, são os escováveis eles tem um acabamento meio plástico, meio emborrachado, e tem muitos efeitos de relevo e texturas. Grande parte dos papéis oriundos da Ásia são desse tipo. Eles não são melhores nem piores, mas são bem resistentes.

aplicador de papel de parede

Mas pra não comprar gato por lebre, vocês que entender algumas coisas. Esse selo, é utilizado meio que como padrão mundial, está geralmente expresso atrás da folha do book onde escolhemos o produto:

Propriedades 01

As duas primeiras linhas explicam a durabilidade, e a “resistência” do papel. Mas vou ser sincero as três ondinhas que indicam que o produto é lavável, ou o outro que tem a escovinha que indica que ele é escovável, não quer dizer que você pode chegar toda trabalhada no Bombril ariando o papel de parede, ou como um amigo meu bem louco que lava as paredes com a VAP, eu tenho algo pra dizer: NÃO, NÃO e NÃO!

Lembra que os europeus mais antigos não costumavam a tomar muitos banhos? Considere teu papel de parede um europeu desse tempo. Você pode sim, passar um paninho úmido, quem sabe uma esponjinha “do lado amarelo” e tirar uma mancha. Mas baby, 90% dos papéis são fixados com cola a base de água, e se molhar muito, ele vai pular da sua parede e você vai pro próximo baile à fantasia de múmia vinílica.

Quanto ao solzinho, é interessante caso o local onde você vai colocar seu papel tenha muita incidência solar ele pode desbotar… Porque né a gente mora numa país que o sol não tem dó da gente.

Propriedades 02

Aqui tem coisas interessantes, como vocês podem notar, esses selos indicam o papel ser: desprendível (e gente, esse é o papel pra quem mora num imóvel alugado. Quando você retira ele a parede fica perfeitinha de volta, não sobra o saco de pão na parede, HAHAHAHA), delaminável (é aquela desgraceira que eu expliquei acima) e os dois próximos, indicam  como o papel deve ser afixado na parede. Em alguns a pessoa passa a cola na parede, outros já vem com a cola nas costas do papel… isso é importante caso seja um projeto Do It Yourself, (DIY) ou seja, faça você mesmo, pois isso facilita a “obra” os papéis que já vem com cola precisam apenas que você borrife (aqueles borrifadores de cabelereiro servem) lindamente sua água Evian nas costas do rolo, e aplique. Quer moleza maior que essa? #sentanopudim. A maioria dos papéis mesmo você tem q preparar a cola, aplicar no papel e depois na parede. Depois eles falam dos papéis que tem relevo e a etiquetinha no fim da segunda linha quer dizer que existe tecido coordenado. Não necessariamente disponível em nossas terras tupiniquins, então não surta miga.

Propriedades 03

Aqui, a primeira linha, indica se o desenho tem encontro, se ele é um papel que tem que alinhas, ou se o desenho é desencontrado. Eles complementam a última linha.

Essa última linha tem os selos que mostram se é pra instalar em sequência ou subindo e descendo. Eu não sabia desse detalhe e tive reclamação de uma cliente porque os encontros do desenho estavam estranhos. E é uma coisa estranha mesmo, não é um defeito, não é feio, mas é esquisito. É tipo quando você para de tirar a cutícula e começa a apenas empurrar… parece que tem algo que não tá direito… A última informação é de quantos em quantos centímetros o desenho se encaixa, e isso causa “perdas” então, quanto maior esse número, mais material vc vai perder.

Querem ver como é a legenda no book? ÓIA:

No book

Então esse papel é: Muito resistente à incidência solar, lavável, desprendível, pode ser usado como uma faixa única ou com encaixe de desenho a cada 32/64 centímetros. Viram que fica fácil? Só levou 1268 palavras.

Claro que, hoje tem até papel de parede com LED que acende e forma desenhos, mas isso é uma situação ainda pouco comum, então vamos nos manter nos limites da grande maioria.

PAPEL com LED

Agora vocês vão compreender o papel e ter bons resultados. É como maquiagem, se o produto não for adequado para o efeito que você deseja, vai ficar uma bosta porcaria.

Eu acho que vale a pena comprar numa loja que já entregue com a instalação, ou pegar com eles o contato de um instalador.

Independente disso, eu peço atenção na hora da compra para o armazenamento dos papéis (e mesmo para o caso de você guardar o rolo um tempo em casa). Os rolos devem ser mantidos na horizontal (deitadinhos) pois, se deixamos ele de pé eles podem amassar as bordas e na hora de instalar o encontro ficar todo cagado estragado.

Outro tema é o tamanho. Tem papel vendido de várias formatos, os mais comuns são: por metro linear, por rolo com 5m2, rolo com 15m2… Os tamanhos mudam conforme os fabricantes. O ideal é calcular entre 10% a mais para papéis sem encontro de desenho e pelo menos 20% pra desenhos pequenos.

Se for uma parede com janelas, portas, nichos, enfim, muito recorte, vai haver mais perdas.

Agora vamos ver uns ambientes com papel de parede do bem?

PAPEL 01 PAPEL 05 PAPEL 06 Papel 04 PAPEL 03 PAPEL 02

E por fim pessoas lindas, eu quero agradecer a Mari de Mori, que é gerente comercial (além de linda, loura, simpática e inteligente) da importadora de papéis de parede com quem eu trabalho que reviu os detalhes dos aspectos dos papéis de parede pra garantir que não saísse nenhuma asneira no post.

Eu espero não ter entediado vocês. Sempre acho que a coisa ficou longa demais, que vocês vão tricotar um suéter, bater um bolo e depilar uma virilha com pinça no tempo de ler tudo que eu falo.

  • E pra próxima semana, o que será que teremos? Tenho umas ideias, mas estou em dúvida, pede aí que eu atendo! #bença

10710679_10154910630115094_4240489316816290288_n

PS: (O email de contato do Lelo para quem tiver dúvidas, informações, elogios, elogios, elogios – hahaha isso é por minha parte, ele merece 🙂 – é azuoexclusive@gmail.com!)

16
May 2015
Mi Casa, Su Casa – Tetos!
Mi Casa Su Casa

E o Lelo continua com seu sucesso TOTAL aqui no Futilish! Os dois primeiros posts foram super bacanas e esclarecedores e hoje teremos mais um assunto interessante para quem está construindo ou reformando sua casinha! Hoje o Lelo vai falar sobre TETOS!

“Olá!

Não imaginei que falar de tinta ia ser tão bem aceito. Eu até perguntei pra patroa se não estava chato demais… Técnico demais. Tanto ela quanto vocês me garantiram que não, então, muito obrigado!

Mas então, depois que a gente se jogou no chão

chao

Subiu pelas paredes

parede

Vamos morcegar até o teto!

Teto

Então coloca a fantasia de mulher/homem-aranha e #vemkotio!

Estranho falar de teto, porque até mesmo pra mim, parece meio “limitado” ou “simples”. O teto – veja bem, não estamos falando de desenho de gesso, dentre outros detalhes possíveis– estamos falando de teto. Essa coisa que fica pendurado sobre nós diariamente e que na maioria do tempo nos passa despercebido.

Vai ser gesso? Vai ser forro de madeira? De PVC? Modular? Laje + pintura? Concreto aparente? Fibra natural?

Viu que já não é mais tão simples como a música dos dedinhos da Eliana?

Um ponto a prestarmos atenção é que cada um tem que ver o que melhor se encaixa pra própria região, porque né, Terra Brasilis é grande demais pra eu dizer “esse sim, esse não”.

Gesso

Disparado na frente dos outros (tipo a seleção da Alemanha naquele jogo lá…) esse acabamento pra forro tem dois formatos: Tradicional, que são placas quadradas de mais ou menos 60×60 cm que vão se unindo e permitem diversas frescurinhas que a gente adora, como rasgos de iluminação, curvas, desníveis… Já o gesso mais moderninho é o gesso acartonado. Ele vem um placas bem maiores, a mais comum é 120×240 cm. A diferença é que apesar de mais fina, o gesso vem de-li-ci-o-sa-me-te “encoxado” entre duas camadas de papel cartão, fazendo com que ele seja mais leve inclusive, porém tão estável quanto o outro. Com suas grandes dimensões a colocação dele é muito mais rápida… porém, ele é mais limitado nas viadagens, firulas que se faz com ele.

1fa7b2c86770ad35421d946aa4bda207

Forro de Madeira

Atualmente, a não ser que estejamos indo pra um design de uma fazenda, ou algo assim, temático, dificilmente se usa um forro inteiro em madeira como antigamente… y eso me duele, porque eu acho o efeito lindo. Mas além das complicações como valor do produto, da instalação, da manutenção… ainda faz barulho né gente… madeira trabalha, faz uns barulhinhos… Daí você acha que tem uns gasparzinhos pela casa, ou bichinhos diversos.

teto madeira_1

Forro em PVC

Pensa num troço resistente, fácil de instalar, barato (aqui na região é R$ 8,90 o m2, contra R$ 55,00 do gesso) e ele se parece exatamente com as 9 dilminhas que ele custa: paupérrimo. Muito comum em imóveis de menor valor, imóveis do programa Minha Casa, Minha dívida Vida , em locais para comércio, o importante é ser bem instalado. Eu tenho que dar o braço a torcer que eu já vi um que foi pintado com um tom de “achocolatado” que ficou Ryko tipo café Havana.

cafe-havana_1

Então, vamos lembrar que tudo, quando bem colocado, pode ficar bom, menos calça saruel.

PVC

Modular

Esse tipo de teto não é comum em casas, mas você já viu ele em teatros, aeroportos, grandes bancos, ou até em magazines, eles são tipo o gesso, mas numa versão que permite movimentação de cabos, diferentes opções de iluminação, instalação simplificada de som ambiente… existem com diversas propriedades, como tratamento acústico para auditórios e cinemas… mas nada impede você de ser uma fufuléte alta-renda e ter ele no teu home-cinema, tá bom meu bem?

Modular

Laje + pintura

Basicamente presente em todos os apartamentos de classe média construídos nos últimos 25 anos, ele é bem isso aí mesmo, o povo faz a laje, amassa, pinta e você fica com um mísero bico de loooooooz solitário no meio do cômodo. Quando ela não tá torta igual a da minha sala de jantar, jogue as mãos para o céu! Eu convivo com essa coisa sobre a minha cabeça. Fazer o quê? O pé direito (distância entre piso e teto) lá do meu apto é 255cm, e eu já acho baixo. Pra poder instalar gesso, por exemplo, e trabalhar com uma iluminaçãozinha MARROMENOS teria que baixar de 15 a 20 cm… Não gente, Pé direito de 235cm + a pessoa fresca aqui não funciona…

Concreto aparente

Esse teto anda na muóda de novo… eu acho ele super estiloso e tem cara de arquitetura brasileira e a cidade de Brasília e toda a turma de arquitetos que incluem esse povinho tipo Paulo Mendes da Rocha e Oscar Niemeyer.

teto concreto

Fibra natural

Não, esse não é comum, nem é pra qualquer um, nem deve ser prático, muito mens fácil de achar. Mas Débora Aguiar, que é lusho, poder e maravilhosidade, fez uma casa na montanha e deixou a humanidade com vontade de ter um teto desse:

Fibra Natural

Eu tenho que confessar que eu sou muito atraído pela estética dela, que está super atual, mas que eu tenho um certo… bloqueio… com o excesso de béééééééérge. Então eu sempre vejo os projetos dela com um filtro mental que modifica as cores. HAHAHAHAHA

Maltratei vocês ou foi tranquilo? Posso deixar o segredo/dica pra outro dia se vocês estiverem exaustas. Não né? Meu pai me ensinou a cumprir promessas. Então vamos falar de pequenos detalhes que pra um profissional, é corriqueiro, mas que pra um humano, não é algo perceptível.

Quando eu comecei, lindamente, a (leia com voz de biXXXa má) estudar Design de Interiores, um dos tópicos que me chamou a atenção foi o “fundo permanente”.

O tal do fundinho (ui!) é composto por: Piso + Parede + Teto.

Essa tríade compõe dois terços da decoração! Tipo a relação do armário do closet, onde 66% é da mulé, Rá!

Eu não gosto do nome “fundo permanente“, porque hoje ele nem é mais tão permanente assim, tem muito revestimento de parede que pode trocar naquela madrugada de insônia, tipo papel de parede, adesivos, tinta… Mas o que acontece é que, eu quero que vocês comecem a botar um fundinho gostoso, bonito em casa. Depois, vai ser muito mais fácil ter um ninho RYKO!

Pra ilustrar, eu peguei umas imagens pra que vocês vejam o quanto o teto e a composição do fundo permanente realmente são interessantes quando olhamos pra ela com atenção.

Triade 3

triade 2 triade 1 triade 5Diversos 3Diversos 4 Diversos 03 diversos 02 diversos 01

E pra próxima semana eu vou juntar os papéis de parede e explicar porque ele é uma saída pra quem vive de aluguel.

Até lá gente, e não comportem-se!

#bença

10710679_10154910630115094_4240489316816290288_n

  • E aí? Ficaram pensando na tríade como eu fiquei? hahahaha acho que nunca mais olharei para um ambiente sem reparar parede + chão + teto rs. Muito obrigada Lelo (sim, ele é o Paraguai Pink! Ele tem um blog com dicas de compras do Paraguai, quem quiser dar uma espiada, o LINK É ESTE), estamos ansiosas esperando pelo próximo post! O email do Lelo para contato caso você queira dar um up na sua casinha (e com muito bom humor) é azuosexclusive@gmail.com.
09
May 2015
Mi Casa, Su Casa – Tintas!
Mi Casa Su Casa

Gente, foi SUCESSO a nova coluna do Futilish, a Mi Casa, Su Casa! O Lelo escreve maravilhosamente bem e faz da Arquitetura e Design de Interiores ser um assunto super divertido e leve. Fico feliz que tenham gostado, feliz pela excelente receptividade ao nosso novo colaborador e mais feliz ainda que ele vestiu a camisa e cá está novamente com mais um tema super importante para quem está construindo ou reformado sua casinha!

Hoje o Lelo vai falar sobre TINTAS e preparem-se para muito bom humor e sacadas inteligentíssimas (eu soltei altas gargalhadas quando li o post HAHAHA).

“Oi gente! Muito obrigado pelo carinho no primeiro post do Mi casa, su casa! Eu estava realmente empolgado e, com um certo receio de as pessoas me acharem meio abilolado. HAHAHA Como eu disse pra Cony essa semana, em projeto e execução de obra, temos que levar as coisas de uma forma mais descontraída, senão a gente briga.

Mas agora do fundo do meu coração peludo, eu estou muito lisonjeado com a aceitação das fufulétez.

Eu falei pra patroa que neste segundo post eu queria falar de tintas para paredes e que o próximo vai ser X e que neste terceiro post eu vou contar um segredo. E como bom canceriano que sou estou mantendo o segredo e deixando ela (quiçá vocês agora) com coceira de curiosidade.

Então pega a prancheta e #vemkotio que nós vamos entender as diferenças dos tipos de tintas:

Tinta a Óleo

Quando eu era criança pequena lá em Três Coqueiros

Pausa dramática para as pessoas encontrarem essa vila na geografia do Brasil:

unnamed (1)

Então, retomando: … quando eu era mini-humano em Three Palm trees… eu sempre ouvia Xuxa 3… digo, falar de tinta óleo, tinta óleo, tipo: “Vamos reformar e usar tinta óleo.”

Porque tinta óleo?

A tinta óleo tem acabamento fosco ou brilhante, é altamente lavável, de excelente acabamento, tem uma durabilidade enorme e pode ser utilizada tanto para o interior quanto exterior do imóvel. Como sua base é com óleos, ela tem um certo poder de impermeabilização… De leve tá? Não dá pra usar para construir uma piscina. É muito utilizada em paredes de alvenaria, gesso madeira e ferro.

Posso falar? Então, eu acho ela uma coisa meio… gosmenta, não sei eu olho para a parede e tenho impressão de que foi pintada com giz de cera. Me dá uma certa agonia e eu catalogo o efeito dela – tanto no fosco quanto no brilhante como: pobre.

Tinta Esmalte

A tinta esmalte já tem uma irmã rica! Pois ela pode ser comum ou siliconada, sintética. Tipo uma tinta que fez cirurgia plástica. Ela é indicada para quando se quer um acabamento de qualidade superior. Essas tintas supremas devem ser diluídas em aguarrás caso seja comum e as novas, que são sintéticas podem ser diluídas em água.

O detalhe dessa tinta é que, como todo produto de frescura, qualidade superior, ela tem uma série de particularidades:

  • Cheiro forte;
  • Secagem lenta;
  • Excelente resistência à luz (incidência solar);
  • Resistência à chuva;
  • Mão de obra especializada.

Devido estes detalhes próprios, acaba que na maior parte do tempo limitamos a especificação da tinta esmalte para uso em madeiras, metais e sobre azulejos.

Epóxi

Diz a lenda que essa tinta é quase a cura do câncer. Mas antes de eu fornecer minha opinião vamos aos detalhes da Épókiceee:

Mega resistente à chuva e ao sol, também não é facilmente danificada por produtos químicos. Impreterivelmente deve ser aplicada por mão de obra profissional. Ela tem propriedades de impermeabilização, e é resistente ao atrito – pode dar uns pega no seu amô – contra a parede sem medo.

Comumente empregada sobre azulejos, ela é a salvação dos banheiros vintage porque né, ninguém quer ficar nu com a mão no bolso, ou relaxar num trono que tem décadas de uso. Então essa tinta cria uma falsa impressão de que a coisa toda é novinha.

Tem sido muito usada em pisos comerciais e garagens.

Eu, particularmente, nunca vi uma tinta epóxi que não tenha vindo a óbito depois de um ano. Sério gente, solta o canto, cria bolha, dá varizes, um terror. Sabe aquela brincadeira de passar cola branca na mão e depois ir movimentando pra descolar do jeito mais improvável… esse é o comportamento dessa tinta. Só que a parede não mexe… ou não deveria pelo menos.

Tinta latex, ou PVA.

Se a luva de látex, pode te proteger da louça suja da casa da sogra você já deve imaginar que maravilha ela deve ser pra sua parede né?

Só que não. Apesar do látex proteger nosso corpinho até de DSTs, não é dessa composição que estamos falando. Essa tinta tem um valor muito atrativo, mas a durabilidade não é das maiores e, apesar de ser de rápida e fácil aplicação, a manutenção é bem delicada. Não pode ser lavada, nem limpa com produtos químicos. A frequência de limpeza deve ser baixa e apenas feita com pano úmido. Não pode ser usada em exteriores.

Solúvel em água, de acabamento fosco e aveludado, pode ser aplicada sobre paredes e outras superfícies, dentre elas gesso, fibrocimento e reboco.

Eu guardei minha queridinha para o final.

Tinta acrílica

A tinta acrílica oferece um alto padrão de acabamento. Pode ser usada em ambientes internos ou externos. Essa querida, tem um caminhão de vantagens: diluem-se e limpam-se com água, são altamente laváveis, pouco cheiro, secam rápido, e de aplicação facílima.

E eu digo isso orgulhosamente, porque a pessoa besta aqui resolveu pintar uma parede e estava tão afobado que não leu o #modusoperanti e tacou tinta na parede… Tinha umas gosmas, umas coisas estranhas…

Rendeu tão pouco no final… Daí quando eu acabei descobri que eu deveria ter diluído a tinta. Hahahahhahaahahahah muito bocó que eu sou gente! Usei a tinta grossa ser diluir dava pra triplicar os 900ml.

As tintas acrílicas tem uma extensa lista de possibilidades de acabamentos: brilho, semi brilho, fosco, acetinado… E efeitos como linho, mármore, camurça…

O fosco é meu preferido, mas para cores escuras ele é meio chatinho de limpar, tem que limpar a parede inteira senão fica perceptível o local onde “passou-se um paninho” ou seja: não dá pra fazer uma limpeza só em um pedaço.

A tinta acrílica produzida à base de resinas acrílicas e foi criada para uso externo, e ela dificilmente amarela e tem uma certa propriedade impermeabilizante, então tem sido usada em banheiros e cozinhas comumente hoje em dia.

Colorful paint splashing isolated on white

O blá blá blá de hoje foi mais chatinho, mas as diferenças entre as tintas nem sempre são esclarecidas o pintor apenas pede o que ele gosta de usar e o cliente compra. Os vendedores sempre te sugerem a mais cara, ou a que está pagando uma melhor comissão. Então é importante saber um pouquinho. Na dúvida, vai na tinta acrílica, ela seria como a calça jeans de uma produção – segura, de bom gosto e resistente.

Na verdade eu queria falar de PAREDES, mas se fosse esmiuçar isso, escreveria o novo-testamento de novo, teria que separar em livros, capítulos e versículos… então resolvi começar pelo que é mais comum.

Deixem suas sugestões que eu já estou preparando as respostas dos comentários anteriores.

#bença!

10710679_10154910630115094_4240489316816290288_n

  • Tem como não amar? Adorei o post e com certeza será de muita valia para mim e para quem mais estiver passando por esse processo chatinho de obra. Até mesmo quem não tiver nada a ver com isso, por enquanto, deve salvar bem este post, certeza que em algum momento da vida será necessário. 
  • E quem perdeu o primeiro Mi Casa, Su Casa, aqui está o LINK para se atualizar. Curtiu o trabalho do Lelo e quer fazer sua obra com bom humor e alto astral, além de muito bom gosto? Segue o email de contato  azuosexclusive@gmail.com.
Página 20 de 24« Primeira1819202122Última »