06
Jun 2015
Mi Casa, Su Casa – Cortinas!
Mi Casa Su Casa

Chegou o momento mais esperado do sábado, o post do Lelo! Agora sobre CORTINAS!

¨Hey fufulétes, e os leitores HOMI também =D

Tivemos até comentário de um leitor no post passado, deixando seu apreço pelo Futilish, e confirmando que nem só meninas são leitores assíduos. As perguntas pipocaram e eu fiz o possível pra responder sem boicotar essa segunda parte onde falaremos de Cortcheeeenas!

Se você estava fora da órbita terrestre e não viu o post do Mi casa, Su casaPersianas, clica aí pra entender as preliminares 😉

Estive em São Paulo no final de semana e um dos prazeres de estar na civilização é tomar doses cavalares de poluição café, mas não qualquer café, é um específico, o café com doce de leite do Starbucks. Então agora vamos aproveitar esse friozinho pra compartilhar um bom porre dele:

Starbucks

Vou continuar com umas versões modernéticas e elas podem ser confeccionadas em diversos tecidos como as telas solares que permitem certa visibilidade, conforme seus diferentes fatores de aberturas. É tipo uma peneira, que podem ser mais ou menos abertas e “filtram” a passagem de luz. Atentem-se pois quanto mais escura a cor da tela, mais confortável é a visão no lado de lá, ela age como se fosse um óculos de sol, e você economiza no botox não franze a testa pra olhar a paisagem, fica super agradável.

MAS, também tem um detalhe: quando empregamos uma tela solar a regra é a seguinte: O lado escuro enxerga o claro. Ou seja, durante o dia, é mais escuro dentro do imóvel, pois o sol tá lá sambando no coro da sociedade. Mas a noite, quando você acender sua luz (de LED, temos que falar disso) todo mundo que estiver lá fora vai ver dentro de casa.

Continuo utilizando a Hunter Douglas  como exemplos e referências por motivos de afinidade, confiança AND facilidade também. Todos os modelos que falarei daqui em diante (até chegar em cortinas de tecido) podem tanto nesses tecidos solares, quanto os decorativos…. estes “decorativos” parecem um tecido mesmo, só que engomadinho. Sobre os modelos… haverá os que eu gosto menos ou mais… Agora a questão já não é mais de qualidade como a persiana suicida vertical, que tem um problema de estabilidade e longevidade, é questão de não bater o santo mesmo. E como eu acordei ácido, vamos falar da Cortina Painel:

Luxaflex

Essa cortina corre lateralmente num trilho, que pode ser de 2, 3, 4 ou 5 guias, depende da largura do vão pra cobrir, e vai se sobrepondo com um painel de tecido atrás do outro, em diversas configurações. É como uma porta de correr mesmo, e o que eu não gosto nela é que você pagou caro no seu vidro e uma parte dele sempre estará coberto por um painel ou, você vai perder um pedaço de parede (e pagar mais caro na cortina) pra poder ter seu vidro todo liberado. Ergonomicamente, tecnologicamente, ela é um produto ótimo. Mas eu tenho birrinha.

Cortina Skyline:

Skyline

Essa é nova, foi lançada mais recentemente e é vizinha magra da Painel. Ela tem mais orçamento e conseguiu um personal melhor então ela ficou BEM-MAIS esguia. E foi assim, malhando que ela passou a ter tiras mais estreitas de tecido e “come” menos vidro – ou menos parede. Mas continua “amontoando” no canto. O que é uma birra minha, mas que é uma birra besta, porque a de tecido também fica com uma baiana do carnaval carioca no canto.

Cortinas Romana

Roamana

Eu acho a Romana linda! E muita gente também. Existe uma explicação pra isso: o movimento de piscar, faz com que nosso cébru reconheça e se agrade mais de linhas horizontais, do que das verticais (será por isso a gente gosta de dormir?) Enfim, é tudo culpa do zóios e da nossa massa encefálica. A Romana é um produto super estável, requintado e mesmo quando usado com tecidos mais simples ele tem esse ar de que foi um tratamento ryko. A romana é OZADA e existe em opção para teto também. Fica bem lindo, como diz uma cliente minha. Agora, cá entre nós, ninguém fala isso pra vocês na hora de vender – a não ser eu e meus pupilos aqui na loja – o avesso dela é um circo. Tem varetas e tem cordinhas e tem acabamentos plásticos… então, caso você esteja escolhendo uma cortina pra uma casa, algo que vai ficar na fachada, opte por cores claras, pra não parecer que você amarrou um tecido no pelourinho e tá dando chibatadas nele. Veja:

Romana Avesso

Se for um apartamento, aproveite que ninguém vai perceber! (Existe uma cortina da Hunter Douglas chamada Vignette, que tem a mesma informação visual da Romana, com o avesso liso, porém, ela vive num patamar bem mais RYKO, acima da Duette… e se for assim, melhor investir na Duettcheeeee. Por isso nem #simplegay em convocá-la para minha personal seleção de modelos de window treatment procêis.

Cortina Rolô

Rolo

Sabe o scarpin preto de couro? É isso mesmo. Tudo que você precisa pra resolver qualquer look de cortina da sua vida. A bichinha é um cavalinho de batalha: vai na cozinha ou no banheiro com tela solar, vai pra sala com tecido decorativo, corre pro quarto e pro home com tecido blackout, não tem lugar onde você não seria feliz com uma Rolô. Talvez tenha: na sauna, mas dae me poupe né, que ela ia mofar por abuso de umidade.

Ela é simples, rápida e rasteira. Adoro as composições dela com xales de tecido. O nome já denuncia seu formato, é um rolinho onde o tecido sobe e libera a passagem/visibilidade. Cobre grandes dimensões e na Hunter Douglas tem um leque gigantesco de opções de tecido. Eu gosto dela pois ela é uma coadjuvante, ela faz toda a diferença no ambiente, mas ela não precise necessariamente estar toda emperequetada.

Cortina Twin

Luxaflex

A Twin é uma Rolô que tem uma Birkin, ou uma Silhouette que teve falência pessoal. É como se fosse uma rolô com dois tecidos e estes tem um formato listrado horizontal e assim a gente controla a abertura ou fechamento dessas listras sobrepondo-as ou não. O efeito é muito bonito, e além de mais intere$$ante, ela também é muito mais fácil de limpar. Lembrando que as perguntas: “Quanto custa?”, “Onde compra?” e “Como limpa?” são indicadores de #pobreza. Eu trocaria o “Onde compra?” por: “Dá pra parcelar?” mas não fui eu que defini isso.

Vráááááá! Cansaram?

Tenho boas e más notícias: A boa é que só falta falar das cortinas de tecido. A ruim é que esse é um tema SUPER extenso. Pausa pro xixi. E nada de levar o tablet-de-maçã pro banheiro, é perigoso.

Vamos ver agora, queremos uma cortina linda. Temos uma boa costureira? Ou uma loja que confeccione e entregue lindamente instalada? Ótimo! Agora vamos partir pro bê-a-bá:

As cortinas de tecido sempre serão itens que “vestem” a casa e trazem aconchego. Lá pela década de 90 usávamos um blackout, um voil (não é vual, vuau, vuá, vuár, ninguém vai voar aqui, no máximo brincar vamos de tarzã #kemnunca?) e mais um tecido decorativo AND… um bandô… #pânico

Bando

Então precisamos ter em mente que a cortina é um item decorativo sim mas que ela sempre tem uma função embutida nisso. Seja escurecer, dar privacidade ou proteger o interior do ambiente dos raios de sol, sempre queremos que ela faça algo.

A princípio, tecidos finos devem ter proporção de 3×1 pra ficarem rycos. Mas, se você usar uma proporção dessas para um tecido blackout, vai ficar pesado, tanto visual quanto fisicamente. Eu gosto de usar 2,2 ou 2,5 pra um quando uso um tecido encorpadão.

¨Péra tio! Não entendi essa coisa da proporção.¨

É o seguinte: se a sua janela/abertura tem 2 metros de largura, você vai multiplicar essa largura pela proporção que desejar. No caso da proporção 3×1 vai usar 6 metros de tecido pra fazer a cortina. Essa quantia faz você ter pregas bonitas.

Agora vamos falar das pregas (ui!). Tem muitas pregas por aí (hahaha) e todos queremos ter pregas invejáveis (tá ficando cada vez mais complicado) Mas, vejamos: aquela tradicional, é a Prega Americana, já as mais na moda no momento, são a Prega Macho e Prega Fêmea.

Agora um causo:

Estava eu lindamente atendendo um senhor, árabe daqueles que são mega religiosos a ponto da esposa usar lenço pra cobrir o cabelo, por aqui é muito comum. Eis que chegamos no quarto das filhas do casal… Como é que eu vou falar pra colocar uma prega macho no quarto das meninas!? Não sei de onde veio, mas na hora de falar saiu muito espontaneamente: Vamos fazer com prega quadrada. PÁ! Resolvido né? Assim papai não se ofende. Depois as meninas que cresçam e se resolvam com os machos.

É haram minha gente, eu vou grelhar no porcelanato do inferno. #jámeconformei

Voltando às pregas, achei na net esse croqui que mostra as principais:

Pregas

A partir disso podemos fazer variações alucinógenas quase sem limites, como colocar cristais, bordas, fitas, botões, zíper, o que sua imaginação mandar. Dá pra fazer até oferenda pra Iemanjá e pregar um barquinho.

Quando você tem a sanca e o trilho vai ficar lá no fundo, eu indico o uso de trilho com rodízios em nylon, como o Trilho Europeu (ou trilho suísso [não fui eu que registrei o nome assim com SS, não me julguem]) Eles correm de maneira mais leve, e com prega “quadrada”o efeito é esse:

macho na sanca

Muito usual hoje, é o uso de varão (em diversas cores e formatos) com argolas. Fica moderno com um “quê” romântico e eu sou muito a favor desse efeito dela com prega americana:

americana varao c argolas

Quando você for usar blackout, que invariavelmente é um tecido pesado, eu sugiro que use um belo blackout com uma trama de tecido mesmo (e não aquele antiguinho meio plástico) sozinho. Ele funciona muito bem no ilhós, por ser um formato que é mais resistente, veja o efeito ilhós:

ilhos

Agora, antes de abreviar esse post, eu vou deixar um apelo pra vocês, pessoas de bom gosto: nunca.na.sua.vida.tenha.uma.cortina.funkeira.

Mesmo que você seja funkeira, vem cá, segura na minha mão e promete pro tio que você não terá uma cortina curta (imagens chocantes, me perdoem) :

CURTA curta 2

Claro que, se for um escritório, e a cortina vir do teto até a mesa, ok… se a cortina estiver embutidinha dentro no vão da janela, ok. Mas se ela tá solta na parede e não tem um móvel fixo embaixo, não vai ser 80 cm de tecido que vai fazer você passar fome. Pelo amor de Nossa Senhora da Barra Longa, não faça isso com sua casa.

E falando em barra longa, a barra da cortina hoje é o maxi colar de ontem!

Vejam:

barra 5 barra 4 barra 3 barra 2 barra 1

Gente, esse post já tá quase parecendo a enciclopédia da Barsa. Quase 2 mil palavras e eu não quero que vocês enjoem de mim. Então, vamos dar uma pausa aqui, e num outro momento voltamos pra falar de tecidos. Pode ser?

Agora pega o cobertô e #vemkotio curtir o fds tranquilin

assilelo

  • GENTE! Que post mais MARAVILHENTO foi este??? Lelinho do céu, você está se superando a cada semana!!! Sucesso demais, mega informativo e uma de lí cia de ler! Obrigada!