13
Mar 2017
Abaixa Que É Tiro!
Constanza, Fashion News, Looks, Shopping Time

Gente o que é essa coleção nova da AMARO? Que que istoooooo! Tá impossível não desejar tudo! Parceira de longa data, eu adoro falar da AMARO aqui pois é uma marca online super séria, com peças super atuais (e isso significa uma nova coleção a cada mês!), além de qualidade, entrega rápida e preço. OU SEJA, tudo o que a gente ama!!!

Este mês a AMARO trouxe o maximalismo, super tendência internacional e que casa super bem com a chegada do outono. Sabe quando a temperatura está mais amena, não faz mais tanto calor, e tem até um ventinho? Pois é, essa é a hora de usar um casaco um pouco mais leve, um tecido até mais invernal e os sapatos fechados. Acho chique, sempre fui muito mais de frio do que de calor!

Vamos ver algumas fotos da atual campanha da AMARO?

A calça jeans no comprimento do momento (e nada de torcer o nariz, a princípio a gente estranha mas eu já acostumei!) que fica perfeito com ankle boots.

Veludo molhado, uma das tendências mais fortes das passarelas internacionais!

Opa, alguém falou em bota prateada??? Hum… 

Barras desfiadas, verde militar!

E muito metalizado, ele não desiste e nem a gente quer que ele desista né? Custamos tanto para nos acostumar e agora AMAR, que vai ter que ficar por muito e muito tempo mais!

E montei meu look todo da AMARO com as peças da nova coleção!

Juro que não consigo explicar o amor por essa produção! Sabe quando você acha uma roupa bonita, mas no corpo fica MARAVILHOSA? E acho que o grande responsável por isso é esse maxi cardigã de lurex PER FEI TO! Muito, mas MUITO, lindo e que vista que ele faz!

Usei ele com um body levemente brilhoso, calça jeans rasgada, bolsa estruturada na cor da moda – verde militar – e um mocassim preto em verniz, super confortável. Aliás, já me perguntaram sobre os calçados da AMARO e sim, são confortáveis!

Detalhe do body cavado na lateral (zekzy sem ser vulgar) e de novo esse maxi cardigã que eu SUPER  acho que todo mundo deveria ter… sabe porque? Peça fácil de usar, leve e que tem uma informação de moda poderosa que deixa qualquer look simplinho com cara de street style gringo! Acreditem em mim!

Detalhe da bolsa e do sapato!

Agora pensa comigo a mistureba que fiz: transparência, brilho, decote, jeans detonado, verniz, verde militar. Falando assim, parece que nada combinada com nada mas… o resultado ficou muito bom! É gostoso arriscar!

Agora posso contar a mega novidade que falei ontem no instagram?

A AMARO lança HOJE o seu aplicativo!

Sim amigues, ninguém mais precisará chegar em casa para poder ver todas as novidades pelo computador. Agora está, literalmente, na mão! Corre baixar o app (procure por AMARO FASHION) e baixe logo para preencher seus momentos de ócio com uma boa olhada na vitrine virtual da AMARO.

Olha como ficou:

Tela inicial do aplicativo

As categorias para comprar…

A escolha da peça…

E a sacola cheia!

No app da AMARO você também vai encontrar o Guide Shop mais perto de você. O que é um Guide Shop? É um lugar onde você vê, pega e experimenta todos os produtos do portfólio atual e faz sua compra online lá mesmo, sabendo certinho o que quer e o seu tamanho. Ah, e recebe o produto no mesmo dia viu? Vida offline e online ao mesmo tempo.

É para amar de verdade e eternamente né? E só para dar um feedback a quem pergunta sobre a AMARO, várias leitoras já me mandaram mensagens contando que conheceram a loja através do Futilish e que estão super satisfeitas com as compras. Eu não dou dica ruim né…

Gostou??? Comprei aqui o look!!

03
Sep 2016
Look Kenoa!
Constanza, Fashion News

Vamos ver um look MARAVIDEUUUUSOOOO que usei no Kenoa???

Foto 23-08-16 11 33 50 Foto 23-08-16 11 36 29 Foto 23-08-16 11 34 44 Foto 23-08-16 11 39 05

  • Vestido Maracujá – Uma das marcas que mais amo e é daqui de Belo Horizonte! Pensa numa roupa com caimento perfeito e qualidade impecável? MARACUJÁ! Anotem! Quem quiser conhecer mais da marca, segue o LINK do site e o instagram @maracujaoficial
  • A flat é Arezzo e os óculos Ray Ban!
04
Jun 2016
O Dia Que Não Postei
Cotidiano

Não sei se vocês tem reparado, mas tenho postado frenéticamente no blog. Todos os dias, tento subir 2 matérias, e aos finais de semana, subo um no sábado e um no domingo, se der, dois.

Ontem estava tudo pronto para liberar o primeiro post do dia mas… não deu. Pro segundo então, nem pensei.

Vocês sabem praticamente tudo da minha vida: sabem quando viajo, para onde viajo, com quem estou, quanto termino namoro, quando namoro de novo, quando tô passando mal, quando troco de academia, quando coloco DIU, quando começo dieta, quando machuco o joelho, quando pinto o cabelo, quando compro sapato novo, tudo, tudo. Pois ontem aconteceu algo inédito na minha vida, e claro, vou contar para vocês. Fui assaltada.

¨Ah, normal.¨

Infelizmente, é normal sim. Mas sabe aquela coisa que você nunca acha que vai acontecer com você? Pois bem.

Um dia comum, eu precisava fotografar um look para um cliente novo. Montei minha produção, arrumei o cabelo, fiz minha maquiagem e fui pegar minha fotógrafa na Savassi. Ah, agora tenho assistente/fotógrafa! A Juju (Juliana) estuda Moda na Fumec e também está começando a fotografar. É a pessoa ideal a me ajudar a criar conteúdo pro blog, ajudar a me organizar e fazer algumas fotos quando eu precisasse. Enfim, peguei a Juju e fomos para a Praça da Liberdade tentar fotografar.

A Praça da Liberdade estava cheia e sem lugar para estacionar. Após dar uma voltas, pensamos: Vamos para a Praça do Papa, lá tem umas mansões com portões lindos e como o look era rycoh, iria ficar bem bonito lá.

Fomos, era cerca de 14:30, 15h. Parei o carro e deixei TUDO dentro dele, desci apenas com o look da foto, joguei a chave do carro dentro da bolsa da produção (que estava cheia de absorventes, usei isso para dar volume nela rsrsrs) e a Juju desceu apenas com a câmera. Ok.

Fotografamos, em frente a uma casa linda, com um portão maravilhoso. A praça cheia de crianças em uma excursão, tinha uns 3 ônibus estacionados. Passou patrulha policial umas 2 ou 3 vezes, tudo tranquilo. Até que de repente, um carro prata encostou, com vidros pretos beeeem escuros, e ouvi um cara dizer:

¨Onde fica a rua do perdeu tudo?¨

Não entendi e fiquei olhando pra ele, achando que estava pedindo informação. Mas não, com um revólver apontado pra Juju, ele pediu a camera e a bolsa. Ela viu as balas e o tambor girando, provavelmente o cara puxou o gatilho para assustar ainda mais. Ela entregou tudo (minha bolsa estava com ela, pois estávamos fotografando detalhes) e eles foram embora. Vi duas pessoas, o motorista e o carona com a arma. Não dava para ver se tinha gente no banco de trás. Assim que saíram, não consegui pensar em nada. Não lembro modelo do carro, roupa dele, nem lembrei de anotar placa. Nada, nada. Um dos motoristas dos ônibus de excursão viu e emprestou o celular para chamar a policia. Outra moça que estava no ponto de ônibus logo abaixo também viu e disse que eles saíram sorrindo.

Chegou polícia, BO feito, chamei o guincho para levar meu carro para casa  já que sem a chave não conseguimos abrir, ficamos mais umas 3 horas lá até resolver tudo. E eu com medo dos bandidos voltarem para pegar o carro, afinal, não tinha nada de valor dentro da bolsa, só a chave do carro.

No momento do assalto a gente pensa em sair correndo, em questionar, em pedir pra não fazer nada, mas simplesmente, fiquei estática. Se eu queria saber como seria minha reação a um assalto, pois foi essa.

No momento sinto muita raiva, mas muita mesmo. Da falta de segurança que temos, da falta de liberdade e tranquilidade, da privação do direito de ir e vir dentro da minha própria cidade. Trabalhamos muito, pagamos cada imposto, suamos para comprar nossas coisas e acontece isso. Estávamos em um ponto turístico de BH, um bairro nobre, praça cheia de crianças, 3 horas da tarde, trabalhando, e acontece isso. Sinto muito, mas muito mesmo pela Juju, que perdeu sua ferramenta de trabalho, que não é barata e que ela estava começando agora… Quanta maldade!

O dia que eu tanto esperava chegou. Sempre que alguém me contava sobre um assalto – e isso acontece praticamente todos os dias – eu pensava quando seria minha vez. Já foi. Agora penso quando será de novo. Penso ¨esse não atirou, será que o outro também não vai atirar? Será que esse de ontem atiraria na gente? Será que ele teria coragem?¨ Como viver assim???? Quantas pessoas são assaltadas a mão armada por dia? Quantas tem a ¨sorte¨ de ter apenas bens materiais roubados? E as que são mortas por capricho de bandido, vítimas que nem reagem e levam tiro????? Me aconselharam a sair com seguranças quando for fotografar, pedir pra polícia ficar do lado enquanto trabalhamos, mas me diz uma coisa… era pra ser assim??? Sério que precisamos de contratar segurança para trabalhar em paz??? A revolta e a impotência é tão grande!

E o pior, como viver com o ¨ah, é normal¨? Como viver com o ¨não vai acontecer nada com eles¨?

Estamos vivas, em casa, o que se perdeu de material a gente recupera, mas odeio a sensação de que isso não acabou. Queria que essa experiência fosse única e que não se repetisse jamais. Infelizmente, hoje não vou falar para viver a vida ao máximo como sempre falo, vou pedir para tentarmos SOBREVIVER ao máximo. É isso que temos feito, sem perceber, todos os dias quando acordamos. Não era pra ser assim.

E ontem não deu pra postar.

2bba3359715c1791329e9e9b9c3b4885

Não quero me sentir corajosa quando sair na rua, quero me sentir livre.

Página 1 de 1212345Última »