17
Jan 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

E aê migas, tudo bem por aí? Aqui derretendo de calor! Mas vamos lá, choremos:

Chora 01 – Tribeca

Oi Cony! Gosto muito da dinâmica do seu blog, sempre acompanho e te agradeço por esse espaço que cede às suas leitoras! Parabéns.

Leio os choras e me identifico com muitos deles, já me ajudaram muito. Hoje decidi enviar o meu.

Tenho 33 anos, sou formada há 8, desde então trabalho na área, mas nunca me senti realizada, trabalho por “obrigação”. Faço cursos pra dar um “up” e pra agregar ao trabalho e currículo, mas faço por fazer. Isso me incomoda, penso em mudar de área (acho que nunca é tarde pra isso), mas penso também na atual situação do país e principalmente na opinião dos meus pais, que não aceitam isso de maneira nenhuma… Falam que eu tenho que me adaptar à essa escolha e que estaria menosprezando o que eles me ajudaram a pagar. Então tô levando.

Meus pais não se dão muito bem desde que me entendo por gente, qualquer coisa em casa é motivo de discussão pesada. Eu não posso conversar abertamente com eles sobre as coisas que me angustiam, nem sobre as minhas poucas alegrias, sobre o dia a dia, tudo que é dito é motivo de discussão, comecei a me sentir um peso lá. Apesar de não achar uma solução, já falei pra eles se separarem, já que ta ficando cada dia mais difícil. Meu pai é fechado, não conversa muito com ninguém, exceto pra brigar dentro de casa, aposentado e fica o dia inteiro em casa sem fazer nada. Minha mãe reclama o tempo todo de tudo e todos, inclusive de mim, começou a implicar até com o jeito de me vestir, depois de tantos anos (gosto de moda, leio blogs, inclusive o seu, e é o que me distrai ultimamente, mas tô perdendo o prazer em me arrumar por conta das críticas). Ela trabalha bastante e eu acabo tendo que fazer praticamente todo o serviço de casa, daí não consigo marcar um happy hour com amigos, não consigo ler um livro, ver tv, assistir um filme completo, nada, e quando eu saía em algum final de semana com amigas, no outro dia escutava tanta coisa ruim, que era pra eu ter feito isso ou aquilo, que me arrependia de ter saído e agora não saio mais. Até quando tenho compromisso na igreja em que frequentamos ela reclama depois quando volto, muitas vezes porque não deixei a janta pronta, umas coisas desnecessárias… Isso tudo não é de agora.

Certo dia surgiu um determinado assunto num programa de tv que assistíamos e aproveitei para dizer indiretamente a minha vontade e o esforço (financeiro) que estou fazendo para ter meu próprio espaço, ter minha casa, afinal já tô bem grandinha, trabalho, posso e quero isso. Mas além de ter gerado outra discussão, ela foi categórica ao me dizer que se não for pra sair de casa casada, é para eu esquecer que tenho mãe! Perdi as forças de expor o que eu penso, me calei, chorei depois…

Eu só tive um namoro sério aos 21 anos, por 2 anos, todo mundo se intrometeu, criticou, a gente se gostava, era muita pressão que hoje vejo que foi tudo desnecessário e terminamos, de la pra ca arrumava um ou outro contatinho que saía de vez em quando sem meus pais saberem, nada sério porque eu não queria, até eu me fechar de vez. E tudo isso está martelando na minha cabeça o tempo todo e eu não sei o que fazer.

Percebi que muitas amizades se afastaram de mim, porque me tornei uma pessoa amargurada, sem vontade de fazer nada, sempre com enxaqueca, reclamona… eu não era assim… reconheço isso e fico mais triste… tenho vontade de me relacionar, namorar, mas acho que preciso me resolver primeiro, não quero ser um problema nem arrumar mais um motivo de discussão ou que interfiram na relação! rsrs

Fiquei praticamente sem ter com quem conversar, desabafar, resolvi procurar ajuda médica e estou há alguns meses fazendo uso de medicamento, mas sinto que não estou melhorando. E detalhe: nem isso eu falei aos meus pais, porque eles acham que esse tipo de ajuda é coisa de gente que não tem o que fazer. Não sei o que faço mais. Eu amo minha família, queria que tudo fosse diferente, mas tudo parece tão difícil… Saio de casa, fico sem família e vou viver minha vida? Vou levando essa vida vazia até sei lá quando? Arrumo o primeiro que aparecer e caso só pra sair de casa? Obrigada, grande beijo e espero ver meu chora (e o que pensam dele) no blog!

Minha filha, sai dessa vida PELAMORDEDEUS! Já tem 33 anos, trabalha, ganha seu dinheiro, VAI PROCURAR O SEU CANTO JÁ! Se imponha, você já é uma mulher adulta que sabe o que quer! Até quanto vai ficar de “empregada” da sua mae? Porque pelo o que você descreve, é assim que ela te ve! Cade apoio para te ver feliz, realizada, independente? E isso de só sair de casa quando casar é a maior furada! E se você não casar???? Vai ficar pra sempre num casa com esse astral baixo e energia pesada? Desculpa falar assim, mas tô vendo tudo pelo o que você me contou e isso só vai te afundar numa depressão que depois pode ser bem difícil de sair. Peita essa mae! Sai de casa, se vira sozinha. Ela não vai deixar de ser sua mae nunca, só esta te ameaçando. E se virar as costas pra você por você ir atrás da sua propria vida, melhor assim. Triste mas verdadeiro. Você é nova, e tudo isso só acontece porque você está permitindo. Chega! Corre procurar seu cantinho e começar uma vida leve e só sua!

Chora 02 – Soho

Namoro há 10 anos, tenho 25 e ele tbm, sim começamos com 15 e de lá pra cá tivemos alguns términos mas estamos juntos. Nossa relação é boa, nós gostamos e sempre que da estamos juntos, porque ele tem 2 lindas padarias que não permitem ele ter VIDA. E isso me assusta e me cansa, ultimamente tenho passado os finais de semana sozinha em casa com meus pais, não que seja um problema porque adoro ficar em casa com eles, às vezes até prefiro do que sair por aí.

Mas poxa eu tenho namorado, e tenho saudades, às vezes ele consegue passar em casa depois que fecha a padaria, mas outras ele esta cansado e não vai me ver.

A gente consegue conciliar algumas saídas de vez em quando mas é difícil pra mim porque me sinto sozinha, e acho que ele deveria arranjar mais tempo, tipo “quem quer dá um jeito, quem não quer arranja uma desculpa”. Já pensei muito e sei que é trabalho, que as coisas vão melhorar e que é fase, porque no começo da primeira padaria foi tenso assim também, mas depois as coisas se ajeitaram, não 100% mas melhoraram bem, só que até passar eu fico péssima, sem contar que fico assustada com um futuro desse jeito, não quero casar para ser sozinha, se for pra isso continuo com meus pais.

E ultimamente estamos discutindo muito, somos pessoas bem diferentes, e isso tá pesando como nunca. Ele curte beber quando estamos com os amigos e tal, eu não suporto isso, odeio bebedeira, gosto de uns drinks, um vinho mas nada de exagerar sabe? Beber tranquilo, socialmente. Apesar dele não beber todos os dias, quando temos uma festa, um casamento, uma viagem com amigos ele costuma encher o caneco, e eu não consigo me controlar fico enchendo o saco. Já conversamos sobre isso,  e apesar de ter diminuído ainda acontece e ele fala “sou assim, e gosto disso”, e algumas outras vezes ele fala que vai diminuir.

Para ajudar, tenho pensado muito sobre toda essa coisa de um fazer pelo outro, e eu sei que faço bem mais por ele, sei que relação é isso, um fazer pelo outro e temos que abrir mão mesmo de algumas coisas, mas percebo que eu faço beeem mais. Às vezes ele quer ir em algum local e eu não to afim mas acabo indo para ficarmos juntos, viagens tipo carnaval e ano novo ele costuma decidir mesmo eu querendo outra coisa, ele acaba me convencendo.

Mas pra mim a gota d’água foi o feriado de 12/10 que por sinal foi niver dele, estávamos vendo uma viagem tal e aí não rolou o que ele queria, começamos ver algo do meu interesse, eu estava quase fechando hotel quando ele me liga e fala que o amigo viu uma pousada na praia e que a gente ia. Falei que não queria ir, não gosto de praia e não queria viajar com outro casal porque acho que precisávamos de um tempo nosso, já que fazia tempo que não ficamos juntos. Ficamos de conversar, mas como ele não tem tempo na vida, as únicas conversas eram por WhatsApp ou telefone, e sempre rolava discussão, não achava justo eu abrir mão mais uma vez e ir onde não quero com quem não quero. Mas ele acabou decidindo tudo e fechou a bendita pousada sem antes a gente ter uma conversa descente. Achei isso super mancada, fazer algo contra a minha vontade sem conversamos direito sobre, e isso me fez perceber o quanto ele está acostumado a eu sempre ceder, fiquei muito chateada e acabei decidindo não ir, eu não me sentia bem em ir e não fui, em nenhum momento me arrependi. A única coisa que no dia do niver dele me senti um pouco mal de não estarmos juntos, mas não fui eu que escolhi, ele preferiu ir com os amigos ao invés de ficar comigo porque sabia desde o começo que eu não queria praia. Fiz uma pequena surpresa, entrei em contato com o pessoal da pousada para deixar um recado no quarto, assim amenizava a situação e eu parabenizava ele mesmo de longe de uma forma especial.

Mas o fato é que estou incomodada com essa situação toda, a gente conversa e quando eu falo que abro mão de mais coisas, ele diz que eu só penso em mim, e que se as coisas não forem do meu jeito não tá bom, e que ele faz muito por mim, que eu não vejo o que ele faz, mas não é isso, eu vejo que eu faço muito mais mesmo, só que ele não vê porque está bem acostumado com essa situação. Tipo a decisão dele ir sozinho no feriado, ele disse que estava estressado, precisava descansar, fazer o que gosta e queria que eu fosse, mas que se eu não fosse ele ia sozinho, tentei alguns acordos mas não rolou, e não cedeu, mas la para meia noite ele me liga pra falar que aceitava as minhas condições porque me queria junto, só que eu tava tão chateada, que não queria ir, não achei justo eu ir outra vez pra onde não queria por ele. Ainda bem que não causou grandes problemas e conversávamos todos os dias. Diante de tudo isso eu tomei uma decisão, não vou mais onde não quero e não me sinto bem em ir somente para ficar com ele, sempre fiz isso, agora é a vez dele, se eu não for quero ver se ele escolhe ficar comigo ou ir sozinho. Comentei com ele sobre isso em um dia que estávamos de boa, e ele falou “mas então se vc não for em algum lugar que eu queira eu poderei ir sozinho?” Confesso que essa pergunta me matou, acho que ele ainda não entendeu o que é estar em um relacionamento, queria que ele fizesse mais por mim, estou tão cansada de tudo, não quero terminar sabe, 10 anos é uma vida, nós temos momentos bons, só queria alinhar mais as coisas, só não consigo saber como.

Para de reclamar mulher. Tá achando ruim que o bofe tá super dedicado ao negocio dele? Vai trabalhar na padaria também! Seja parceira! E outra, “quem quer dá um jeito, quem não quer arranja uma desculpa” não se aplica pois ele não esta arrumando desculpas, ele esta TRABALHANDO. Você tá muito chata, tá implicando até com a bebida do rapaz… Fia, o homem se mata de trabalhar, quando sai com os amigos, deixa ele beber um pouco! Se você não gosta de beber, ok, não atrapalhe o momento dele. Novamente, SEJA PARCEIRA! Você não ter ido com ele no tiver dele foi pesado, ele reservou tudo PARA OS DOIS e novamente você implicou. Custava ir pra praia um pouco, só pra ficar perto do seu bofe no niver dele? Parece que é ele que faz muito mais por você e não contrario. Vamos amadurecer um pouquinho? Vamos ser uma namorada parceira, gente boa, que apoia o cara? Hein? Porque pela minha bola de cristal aqui, se continuar assim, em breve você vai levar um belo pé na bunda e depois vai ficar choramingando. Valorize, esteja presente, reclame menos. Pensa que ele não te trai, não te ignora e quando tem tempo sempre considera sua presença.

Chora 03 – Nolita

Cony, querida, te acompanho desde 2011!!! Adoro seu blog, único que não abandono jamais! rs Segue meu chora. Não me lembro de ter outro desse tipo, apesar de ser sobre relacionamento homem e mulher. Meu relacionamento tem quase 7 anos, sempre estável, sem brigas. Arrisco dizer que era pra ser perfeito, não fosse o motivo do ‘Chora’.  Somos jovens, passamos a morar juntos em casa própria (yeah!) há dois meses depois de um ano planejando, temos bons empregos, o sexo não é como no início, mas vai bem, os objetivos de vida talvez estejam se tornando divergentes (tipo, ele se apaixonou pela casa, eu acho que será só por uns anos, espero um lugar melhor ainda no futuro, já que somos concurseiros. Ele diz que pensa assim, mas não sei se acredito). O caso é.. desde o início do ano, antes até de morarmos juntos, tenho notado que estou ‘desamando’ ele aos poucos, desapaixonando… Dói. Até escrever isso dói, pois não quero. Tentei ignorar por isso por um tempo, nunca falei com absolutamente ninguém. Quero continuar amando ele, quero continuar junto. Mas sem amor não dá. O resumo do meu ‘Chora’ é: é possível ‘reapaixonar/reamar’ uma pessoa de propósito? Alguém já conseguiu?  Cony, ainda que não escolha esse Chora, vc já me ajuda todo dia com o blog, tornando a rotina da semana mais leve.. obrigada, sua linda! Beijos e sucesso!

Ô minha linda, quem é que manda no coração, quem??? Mas será que não é uma fase? Tem algum motivo por aí, será que alguém despertou sua atenção, será que as mania dele estão pesando de alguma forma? Não tome nenhuma atitude, tenta esfriar a cabeça e não pensar tanto nisso. Bola uma viagem romântica, brinca de seduzir ele, pensa no quão sortuda você é de ter um cara legal a tanto tempo e morar com ele. Não “desama” não, espera um pouco, tente olhar pra ele com mais carinho…

  • Choras ainda fechados. Gente, hoje arrasei nas frases depois de cada caso hein? Nuuuuuuuuu até eu fiquei comovida com esse último.
11
Jan 2018
Chora Que Eu Te Escuto
Chora Que Eu Te Escuto

Ontem a correria foi intensa então não consegui postar o Chora! Mas hoje vai!

Foi!

Vem!

Chora 01 – Leia

Olá Cony! Apenas para constar, amo o blog, acompanho há anos! Parabéns pelo trabalho! Vamos ao chora: Sou advogada, tenho 27 anos, e um emprego relativamente estável. Olhando minha vida, eu não tenho um grande problema, um drama passível de discussão. Mas olhando com atenção, ela como um todo, parece que nada está completo sabe, está tudo “maomenos”. Quando eu era nova, tiver vários namorados, mas nos últimos anos, minha vida amorosa está mais parada que água de poço, antes eu não tinha nenhum problema com autoestima, sempre soube que não era a pessoa mais linda do mundo, mas me aceitava bem como eu era. Aconteceu que eu engordei, uns 20kg, e isso atingiu demais a forma com que me vejo. E o pior é que, eu sei que se, esse é o problema, eu preciso me regrar, cuidar minha alimentação, fazer exercícios físicos, mas eu simplesmente não consigo!!! Já comecei e parei esse novo “estilo de vida” umas 500 vezes. Outra coisa que mudou foi que, eu sempre gostei de sair, estar com pessoas, rir, mas de um tempo pra cá só consigo pensar em chegar em casa e ver netflix. Salvo engano, a última vez que tive um namorado foi há mais de 05 anos. Tentei me aventurar no tinder, até sai com uns caras, mas não adianta, não é do meu perfil essa forma de relacionamento. Moro em uma cidade pequena, e aqui todo mundo me conhece, então, por conta da minha profissão, não posso nem sair e encher a cara pra extravasar. E pra ajudar, não tenho amigos. Quer dizer, eu tenho, mas não morram na mesma cidade que eu, então não tenho parceria pra nada. Eu até tento me motivar sabe, pensar que em algum momento as coisas vão melhorar, mas isso já faz tanto tempo que estou perdendo a esperança. Ano que vem vou fazer a minha primeira viajem internacional sozinha, decidi não depender de ninguém pra nada, mas nem viajar me motiva mais. Nem vou me aprofundar no drama familiar que vivo, mas de forma resumida, moro sozinha, meus pais são separados e moram em outras cidades, mas ambos são complicados, com dramas enormes, e, aparentemente, eu sou a única pessoa capaz de solucionar os problemas deles. Enfim, tentei resumir tudo, pra vocês entenderem que, não tenho um GRANDE problema… mas nada está legal, nada está como eu pensei que estaria nessa fase da vida. Mais alguém se identifica comigo? Estou a algum tempo pensando que estou deprimida, será que estou? Devo procurar ajuda profissional? 

Miga, você está deprimida sim. Procure ajuda. Essa falta de vontade de fazer as coisas, é um sinal bem claro que tá rolando uma depressão. Realmente não existe um GRANDE problema, existem pequenas coisas te chateando mas acho que são contornáveis! Olha só: peso a mais – malhar e fazer dieta. O difícil é começar mas comece AGORA, caso contrário esses 20kg vão virar 25, 30, 40 kg a mais! Eu tô com 8 kg a mais e ontem dei o start na dieta, porque se deixar, o peso só vai aumentando. E outra, estar acima do peso diminui sua auto estima, consequentemente, tira a vontade de se arrumar, seja para sair seja para tentar um relacionamento. Lembre-se, quando a gente está bem internamente, isso transparece em atitudes positivas e as coisas/pessoas acontecem. Só nessa de começar a se cuidar já resolveu três coisas: perder peso, aumenta a auto estima, e aparece a vontade de sair e conhecer pessoas. Outra coisa, seus amigos moram em outra cidade. Miga, se organiza e vai passar os finais de semana na cidade dos seus amigos! Você tem emprego estável e se mantém sozinha, então vai visitar eles! E outro problema resolvido, numa cidade onde não te conhecem, você poderá extravasar. Tudo tá “fácil” mas tem que sair de você essa vontade de mudar as coisas. Ninguém vai entrar na sua casa do nada, pegar pela mão, te emagrecer, te levar pra sair, te namorar. A porta tá aberta sabe? Levanta e sai!!!! 

 

 

Chora 02 – Rey

Oi Cony! Segue meu chora sem enrolação. rs Então, casei aos 22 anos e hoje estamos há 7 anos juntos. É um cara por quem tenho muito respeito e amor. Nos damos bem em praticamente tudo. Ocorre que, atualmente, tem batido em mim a vontade de viver outras coisas, conhecer outras pessoas. E o pior: eu conheço caras e logo fico a fim, imaginando como seria ficar com eles, desejo de flertar, etc. Me sinto péssima sobre isso e uma culpa enorme quando olho pro meu marido lindo, que pensa que tá tudo muito bem, confia muito em mim e espera passarmos o resto da vida juntos.

Já li naquele blog que você comentou um dia desses que isso é uma velha história: aquela que casou jovem e passa uns anos bate o siricotico de querer aproveitar o que não viveu. Tenho muito medo de tomar uma decisão precipitada, mas isso já vem martelando na cabeça há alguns meses. Queria perguntar a você se isso é normal, ficar a fim de outras pessoas sendo alguém casada, se o melhor é terminar tudo e machucar meu marido, ou se tenho que tomar vergonha na cara e me controlar, aceitar minhas escolhas.

Peço orientação sua, que já foi noiva, tem experiência e sei que vai ser bem dura comigo. E das leitoras também, as casadas principalmente. Podem falar! Sejam sinceras comigo. Obrigada desde já! 

Nega, cria vergonha na cara, ajoelha e agradece por ter um marido bacana. A vida solteira é muito boa, mas achar alguém que REALMENTE vale a pena e que quer dividir o resto da vida com você, é quase raridade hoje em dia. Sim, já fui noiva mas terminei porque não dava certo. Se tivesse dado certo, estaria casada e curtindo a minha escolha. Cuidado para não concretizar esses desejos e trair seu marido. Depois dá uma merda gigante e você vai se arrepender… Acredito que é uma fase e logo vai passar, já que você reconhece as qualidades do seu bofe. Tá autorizada a flertar mentalmente por enquanto, mas não leve isso pra vida real por favor. Valorize o que tem, e acredite, ter uma aventura apenas por ter, para matar vontade e arriscar um casamento bom, é muito perigoso e com altas chances de você perder tudo o que tem de bom hoje. Vai por mim, sossega a periquita.

 

 

Chora 03 – Padmé

Oi Cony, tudo bem? Sinta todo meu carinho por você, pelo que você representa para nós, pela força e pela proximidade!

Seguinte meninas, estou com meu marido há quase 10 anos, sendo 01 de casada. O que se passa? Eu não sei se estou feliz neste relacionamento, às vezes me sinto sufocada, com tanta, mas tanta vontade de conhecer coisas novas, de ter novas experiências, conhecer pessoas novas. Aquele friozinho gostoso na barriga sabem? Já me peguei pensando: Será que tenho a síndrome do peter pan, por isso não me aqueto hahahaha, mas aí chego no meu querido “eu não sei de nada”, não sei nem ao menos se me conheço, se me perdi dentro do relacionamento e não reconheço mais, se estou acomodada. São tantos “se”.

Outro ponto que pesa na minha relação é o ranço que eu tenho da minha sogra, não faço questão nenhuma de me dar bem com ela, nem ela comigo, não temos nada em comum, meu marido sabe disso, mas finge que tá tudo certo… Minha sogra sempre tenta passar a imagem de que tomei o lugar da única mulher que existiria na vida do meu marido (ele é filho único), só de pensar em passar alguns dias com os pais dele, em especial com a mãe, eu fico extremamente irritada. Eu sei que é mãe e tudo mais, mas…. Tem dias que quero me separar. Tem dias que tenho medo. Às vezes penso que estou acomodada, outras vezes penso que seja uma fase. Gente, tô muito doida? Não tenho migues com experiência de casada para trocar figurinhas. Vamos conversar sobre essa inquietação que bate e não sabemos para onde ir? Quem mais tá perdida por aí? O que fazemos? Terapia? Yoga? Cony, obrigada!!!

Hoje é o Chora das casadas mesmo rsrsrsrs. Miga, cê casou com seu marido, não com a mãe dele. Não se dar bem com ela nem deveria ser pauta de preocupação. É totalmente contornável e normal. Ruim seria se ela morasse com vocês, mas não mora, então, engole esse sapo e bola pra frente. Agora uma coisa que aprendi depois de ter namorado praticamente a vida toda: tem que ter um tempo de loucura solteira SIM. Justamente para não ficar nessa de “eu poderia ter aproveitado mais minha vida”. Eu fiquei um ano na loucura desenfreada e prefiro nem comentar o que aprontei, chegou uma hora que cansei, que vi que tinha chegado e conhecido todos meus limites, conheci MUITAS pessoas, frequentei os mais diferentes lugares, fiz o que quis e pronto. Vivi meu lado B sabe? E isso é super necessário para todas as pessoas. Eu prefiro me arrepender das coisas que FIZ do que NÃO FIZ. Obviamente não dá para ficar nessa o tempo todo, mas é bom conhecer coisas, pessoas, situações mesmo porque ajuda a gente na escolha, a saber o que realmente queremos. ENFIM, isso tudo pra te dizer que não sei como te aconselhar porque nunca fui casada e seu caso é diferente do da menina anterior porque ela tá felizona com o marido dela. Leitoras casadas, ajudem!

  • Choras FECHADOS! E sim, ontem assisti pela primeira vez um Star Wars. Não gostei (e não me julguem rs)
20
Dec 2017
Chora Que Eu Te Escuto de Natal!
Chora Que Eu Te Escuto

Direeeeeeeto do Chile! Sim, cá estou eu para mais um Natal com papi, mami e Nero! Muito amor né?? Natal pra mim é com a família, não tem jeito! No Reveillon a gente pira, mas no Natal viro moça de família rsrsrs.

Vamos chorar??? O penúltimo do ano hein!

Chora 01 – Melchiora

“Olá Constanza!! tubo bem? Meu chora é um desabafo, uma necessidade de partilhar o que estou passando para me sentir aliviada. Tenho 30 anos, meu namorado (ex agora né) tem 28 e terminou um namoro de quase dois anos, nós namorávamos à distancia, ele em Brasilia e eu no interior paulista, nos víamos um fim de semana por mês. Apesar da distância era tudo lindo, já fazíamos planos de viver juntos, ele vivia dizendo que não via a hora de morarmos sob o mesmo teto. Só que em junho fui pra lá passar férias, e passeando em um shopping com ele esqueci meu celular no banheiro (acho que foi intervenção divina isso ter acontecido, não sou louca kkkk). Ai fomos embora já que não encontramos, na casa dele ele deixou o celular dele comigo pra ligar no meu e o notebook pra eu rastreá-lo. Só que entrei no whatsapp (nunca tinha sequer olhado nada no celular dele, nem pegava) e vi uma conversa iniciada em abril com uma garota que ele ficou há uns anos atras, conversa de safadeza, ela dizendo que viu ele primeiro que sonhou com ele, e ele entrou na onda deu corda e ela falando pra ele ir la na casa dela e ele respondeu que só não iria porque alguém poderia ver e contar pra mim. Fiquei arrasada, maaaaaas com o notebook ali entrei no face, e tcharam mais mensagens, ele enviou um “bom dia princesa <3” só que essa ignorou, uma outra que ele estava conversando e ele deu o whatsapp dele porque era melhor pra conversar. Confrontei ele sobre as mensagens ele olhou na minha cara não falou nada, fui pro quarto chorar. Depois de um tempão ele foi lá, mas não pediu desculpa nem nada, falei um monte surtei. Ele disse que o “bom dia princesa” era costume que ele tinha e que parou, parou ate de me chamar assim, mas me chamava assim todo dia. Resumindo ele despertou a fera da insegurança dentro de mim, o ciumes a desconfiança fizeram presentes. Mas eu perdoei sem ele se quiser pedir perdão, e ainda tive que ir atras pra conversar, porque ele disse que só iria conversar se fosse pra voltar. Voltamos empurrei cinco meses com a barriga o namoro, mesmo amando muito ele, desconfiava de tudo, de saída com amigos e etc. Vivíamos tento atritos, ele falava que eu não confiava nele que achava que ele me traia. Aí mês passado, entrei no instagram de uma ex dele, e vi que ele curtia todas as fotos dela, menos as que ela estava com homem, daí surtei de novo, falei um monte que era pra ele pegar as curtidas dele e ir atras dela. Daí foi o estopim pra ele terminar, porque não queria ficar com uma pessoa que não confiava nele, que achava que ele traia. Fiquei mal, ele diz que ficou também, só que ficou tão mal que fez dois dias de festa na piscina com amigos do antigo trabalho pra se despedir. Resumindo não importa o que ele fizesse eu sempre seria errada, e ainda por cima me humilhei pra voltar ele não quis, ai foi que acordei e desencanei, fiquei mal, emagreci, mas estou me reerguendo. Pode parecer bobo, mas quando se faz planos com alguém e esse alguém também quer os mesmo planos e isso acaba assim é horrível. P.S. ele me bloqueou no whatsapp, face e instagram, porque eu disse que não queria saber de ex nas redes sociais dele porque ele não sabe usar com respeito. E foi pra mais longe ainda, foi trabalhar em Rondônia.”

Homens, ah homens… Maldita testosterona! Bem vinda a vida real miga. Foi fuçar, achou né? E ó, não se sinta a mulher mais desafortunada da face da terra não, te garanto que uns 90% das mulheres que forem bisbilhotar a vida do parceiro, vão achar alguma coisa. Pode ser uma grande bobagem essa troca de mensagens, pode ser que não. Só acho que não vale um mega drama se não tiver nada confirmando uma traição. Porém a atitude dele de te bloquear em tudo é o que mais me deixa desconfortável. Totalmente desnecessário isso né? Aí já achei ele bem imaturo e talvez realmente não valha esse sofrimento todo. Dá um tempo, vai respirar, vai se curtir, tira essa angústia do teu peito e tente ficar em paz com você mesma. Saiba que você fez o possível para essa relação dar certo, e se ele não deu o valor necessário, que fique em Rondônia pra sempre, bem longe de você.

Chora 02 – Baltazara

“Bem, tenho 35 anos, um bom emprego, moro sozinha há bastante tempo e longe da minha família. Aliás, sempre fui bem desprendida da família, falo com minha mãe todos os dias mas a gente se vê a cada dois meses mais ou menos. Além disso, sou uma pessoa bem fechada e tenho poucos amigos, não sei muito bem como cultivar relações duradouras, exceto namoros… Porém sou farreira e nada caseira nos meus períodos de solteirice.

Namoro há 10 meses e ele é o oposto de mim. Pra começar, ele mora com os pais e ainda depende financeiramente deles (menos do que ele imagina), ele tem um negócio próprio mas o pai dele é superprotetor e colocou na cabeça do menino que o “mundo lá fora” é um bicho de sete cabeças e ele fracassará assim que sair de casa, e o mantém assim, dando literalmente tudo, casa, estudo, carros bons, viagens… Enfim, faz o possível para mostrar o quanto pode ser cara a independencia. Só isso é mais do que suficiente para ter muitas divergências com este senhor… O boy é muito esforçado apesar dessa criação esquisita, trabalha, estuda e tem muita vontade de casar e sair de casa, não o fez ainda por medo do mundo aqui fora. E o pai acabou criando esse cenário e envolvendo a familia toda, mãe e irmãos, sendo assim todo mundo tem essa mentalidade de um ovo. Pra completar a dependencia (que pra mim chega ser um abuso psicologico) ele e extremamente apegado aos pais e a gente acaba tendo um monte de compromissos familiares com os pais dele e eu odeio isso. Saí da balada pra casa da sogra literalmente. E rola uma chantagem emocional forte quando declinamos algum convite ou passamos o fds todo na minha casa, por exemplo (o almoço de domingo TEM QUE SER com os sogros). Não sei como abordar isso sem parecer uma bruxa mas me incomoda ficar mais com a familia dele do que com a minha e me incomoda ainda mais participar desse cenário abusivo por parte do pai dele. Os papos de domingo à mesa são um terror, eles são extremamente conservadores e preconceituosos.  O boy é diferente, pelo menos por enquanto, e ele admira muito a minha independencia e se espelha em mim em mutas decisões que toma. Consegue enxergar nos irmãos as atitudes que eu reprovo mas isso não se aplica ao pai, ele endeusa o pai. Não sei como lidar com isso. Apesar de toda essa confusão com a familia dele, nos damos bem em tudo e somos muito apaixonados.  Alguém passa por isso? Alguém já mudou uma situação assim?

Pai é pai, do mesmo jeito que mãe é mãe e isso é sagrado. Não adianta gastar energia com os sogros. Se for pra gastar com alguém que seja com seu bofe, é ele que tem que mudar esse jeito dele. Eu não aguentaria isso não, ainda mais sendo toda independetezona. Você quer um companheiro ou um filho? EU daria um susto e terminaria o namoro, pra ele tomar uma decisão. Aliás, qual a idade desse moço? Porque o maior defeito aí não é a educação que ele recebe dos pais e sim a forma que ele acata isso! Me parece um meninão, sem atitude, sem coragem, covardão e fraco. É esse tipo de homem que você quer? E já que você se incomoda de ficar mais com a família dele do que com a sua, se incomoda com o cenário abusivo do pai dele (como você mesma diz), porque permite isso? Tá todo mundo aí abaixando a cabeça pro pai do cara e reclamando nas costas. Ai gente, assumam uma postura! Quero ver se esse namorado te ama mesmo esse tanto e tem esses planos todos com você. Eu me posicionaria e daria um ultimato. 

Chora 03 – Gaspara

“Oi, Cony! Sou sua fã! Vou tentar resumir o meu choro… rs! Tenho 35 anos, sou casada há quase 9 anos, depois de 7 de namoro, reconheço que na época que casamos eu queria muito mais do que ele, meio que forcei uma barra mesmo, pois já era independente, concursada, formada, sentia que queria ter o meu espaço, sair da casa dos meus pais e tal e ele já estava me enrolando há muito tempo… na época ele tinha acabado a primeira faculdade mas continuava no mesmo emprego de antes, enfim… sempre fui o homem da relação, digamos assim, ganho mais do que ele e tenho mais pulso para decidir as coisas também, isso gera um monte de problemas, inclusive com relação a família dele (ele deixa a mãe e irmã dele interferirem muito, conta tudo sobre a nossa vida pra elas, isso atrapalha muito!), apesar de todos os pesares, fomos tocando a relação, meu sonho sempre foi ser mãe, mas até pra isso ele deixava a decisão na minha mão (sei que no fim a decisão é nossa mesmo, mas ele nunca deixava claro que esse também era um sonho dele, não pedia, quando conversávamos a respeito a resposta era você que sabe…), fui adiando pensando que ele pudesse se empolgar mais com a ideia até que eu determinei que seria a hora e foi, minha filha tem 1 ano e 5 meses, é a luz da minha vida, pode parecer clichê, mas é sério, nunca imaginei amar tanto alguém assim um dia… estou muito feliz e ela preenche o meu coração… tanto que eu não sei se o nosso relacionamento tem mais sentido… ele se tornou um ótimo pai, participa em partes (acho que poderia participar mais, mas é muito machista para reconhecer isso), porém desde a minha gravidez a gente foi se distanciando com relação ao sexo… primeiro porque ele ficou com aquelas impressões que o bebê poderia sentir alguma coisa, bem machista mesmo, apesar dele ter ido na maioria das minhas consultas de pré-natal e o meu obstetra ter conversado claramente a respeito disso, inclusive ele respondeu no consultório quando o médico perguntou como estava o sexo “está tudo bem”, depois que a minha filha nasceu veio a correria com um recém-nascido em casa e nada… e até agora NADA! É sério, quase 2 anos sem sexo, a gente até tentou logo depois que ela nasceu, mas ele foi muito bruto, eu não estava lubrificada o suficiente e foi um fiasco… eu não sei até que ponto eu tenho que me preocupar porque para ele está tudo normal, sinceramente eu não sinto falta, ainda estou amamentando, não sei se são os hormônios ainda… conversei com meu ginecologista e ele disse que a gente tem que entender que a vida depois que tem filho muda mesmo, que às vezes tem que relaxar pra relação acontecer, tomar uma bebidinha, mas eu acho que ele não entendeu que é zero sexo mesmo. Claro que tem outras coisas que vão nos afastando também, o fato dele não ajudar com as coisas em casa, ele está terminando a segunda faculdade, estava com problemas no emprego (o mesmo lá do início) e agora está desempregado, enfim… nossa relação não é a mesma há muitos anos, meio que se tornou amigos dividindo o mesmo teto, sempre que conversamos, nunca chegamos a conclusão nenhuma, só gera troca de acusações e mais sofrimento, mas é estranho, não consigo conviver com isso, com a correria do dia-a-dia a gente vai deixando pra lá, não tenho com quem conversar direito, minha mãe que era a minha melhor amiga já cumpriu sua missão nessa vida e não posso mais contar com ela pra isso, morro de vergonha das minhas amigas pra conversar sobre esse assunto, conto com ajuda das suas leitoras, o que eu devo fazer? Fico com muito medo de uma separação agora por causa da minha filha e a influência negativa que ela poderia ter tendo contato mais frequente com a minha sogra e minha cunhada, elas são do tipo que querem tudo do jeito delas, querem controlar tudo e criticam todos, não quero minha filha nesse meio, até porque sei que elas vão querer tomar a frente dos cuidados quando a menina estiver com ele… enfim, me ajude, Cony!!”

Gzuis, dois anos sem fuck fuck???? Que mundo é este gente, cada vez mais vejo reclamações nesse sentido! Olha, acho que o que falta no seu casamento é um ajuste, uma conversa de verdade, vocês estão deixando o tempo passar e os problemas se acumularem. Já tentou terapia de casal? Pelo que você relatou, não vejo sentido numa separação, ainda não. Vocês agora são uma família, problemas surgem, filhos com certeza mudam a relação (não posso me aprofundar nesse assunto pois não sou casada e nem mãe), mas casamento é feito para durar, é um laço formado para não se desfazer. O que vejo hoje em dia é que ao sinal de um problema, muitos casais desistem e nem tentam remediar isso, vivemos numa era do descarte, onde as pessoas preferem tentar o novo, ter emoção novamente, até que apareçam novos problemas e daí começar tuuuuudo de novo. Obvio que existem casos e casos, mas no seu, acho que é questão de ajuste mesmo. Tenta uma terapia de casal, alguém que intermedie essa conversa de vocês para que não seja em vão e sem sentido. Boa sorte!

  • Continuo recebendo Choras hein! Mande o seu logo porque a caixa já está enchendo e logo fecho novamente. Envie sua angústia, problema, desabafo para constanza@futilish.com, no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO, e seja resumida porém informativa rs. Estamos aqui para palpitar e conversar sobre tudo!
Página 5 de 35« Primeira34567Última »