Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
26 jun 2019, 73 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Ficamos uma semana sem Chora, tá tudo bem por aí?

Chora 01 – Chiquinha

“Oi, Cony! Sou leitora há 10 anos e não sou de comentar, mas adoro o seu blog, que é único e inigualável.

Bom, meu problema é com meu marido, pra variar.

É o seguinte, tive um primeiro casamento, onde casei pra fugir de casa, tinha pai violento, falta de estrutura, maturidade. Não gostava do meu ex, não tinha nada a ver com ele e depois de muitos anos e de ter feito muita merda, criei coragem e me separei. Ah! Tivemos 1 filha.

Nesse meio tempo entre o finzinho do casamento e o divórcio, conheci meu atual marido. Sei que fiz merda, não poderia ter me envolvido tão cedo, mas eu estava tão carente e tudo parecia tão bom.

O problema, é que meu atual extremamente tímido, NERD, teve uma única namorada antes de mim, ficou 1 década sozinho literalmente. Ficou somente umas 4 vezes nesse tempo todo.

Eu sabia que ele era “semi virgem”, e que eu teria que ter paciência com ele pra ensinar muitas coisas. Ele até que se saiu bem, sempre foi muito companheiro, me busca no serviço, de ônibus, pq ele não dirige e faz todos os sacrifícios do mundo pra estar por perto e mostrar que me ama.

Combinamos em 90% das coisas e o que não combinamos, nos completa.

Casamos, tivemos 1 filha, ele já era um paizão pra minha primogênita, continua sendo incrível com ela e com a pequena.

Ajuda com o serviço doméstico, não temos problemas com quase nada.

Eu idealizei e falava que ele era minha felicidade real, aquela que eu via no FB e no IG, mas que eu não precisava postar.

Todo mundo que nos vê acha que somos abençoados, sabe? Eu tb achava que era…

Eu sempre soube que ele tinha problema com pornografia, brigamos por isso, quebrei computador, tablet, celular. Ele aceitou ficar sem cel por alguns anos, pra se livrar do vício e provar que estava limpo. Mas ele sempre deu um jeitinho e continuava vendo, isso é uma praga que não desejo a ninguém.

Na nossa última briga, há um mês mais ou menos, me senti MUITO traída. E procurando ajuda, pensando em que eu poderia fazer ou não. Recebi uma dica de um livro, ” A batalha de todo homem”, li um trecho, fiquei indignada e questionei, pois falava que todo homem trai sua mulher olhando e desejando outras. E assim ele começou jogar merda no ventilador. Falou que já desejou minha irmã, minha amiga, colegas do trabalho dele e que olha pra todo mundo na rua, que ele queria parar e não consegue, que chegou a ficar excitado no ônibus e no metrô algumas vezes. Mas ainda assim, jura de pé junto que nunca ficou ou transou com ninguém. Tb aceitou toda e qq imposição minha. Pediu perdão, assumiu que não tinha caráter, que está com vergonha, diz que quer crescer de verdade e se tornar um homem, deixar de ser apenas um macho escroto.

Faz um mês que eu não sei o que é viver, choro todos os dias, já planejei me matar algumas vezes, pode parecer exagerado, mas vc não sabe o tamanho da dor e da vergonha de ter errado 2 vezes e ainda ter arrumado outra filha.

Ele acabou com meu sonho de que existe casamento perfeito e homem fiel.

Eu não sei mais o quê fazer. Já me perguntei várias vezes se vale a pena. Já li que vc disse que quando essa dúvida surge, é pq não vale.

Estou sendo muito radical? Eu ainda sou uma boba por acreditar que ele não transou com ninguém? Devo sofrer de uma vez ou lutar pelo meu casamento?

Me ajudem por favor! Alguém já passou por isso?

Tô sendo muito infantil e exigente demais?

O que está pesando são as olhadas, acho muito pior que a pornografia, ele disse que até na minha frente olhava. Eu vi algumas vezes, mas ele não “secava”, então até achava que era nóia minha, que eu era muito ciumenta.

Me dêem uma luz :(“

 

Mulher, mas como que esse homem fala esse monte de coisas pra você, na sua cara, que desejou sua irmã, sua amiga, as colegas de trabalho e sei lá mais quem? Ah não fia, sei lá, eu acho isso muito perturbador e claro que entendo que tirou sua paz. Relacionamento é para ter PAZ, tem que ser leve, tem que ser agradável de viver e já achei pesado quando você contou que quebrou celular dele, tablet etc. Também acho estranho ele ter ficado ANOS ficando com 4 pessoas só e também acatar aos seus pedidos tão “facilmente” se é que posso dizer dessa maneira. Ele me parece uma pessoa problemática, que não vive a própria vida e fica imaginando coisas com outras pessoas e não acho isso nada saudável e normal. Não se culpe por ter errado duas vezes, a gente pode errar muito na vida mas sempre temos a chance de recomeçar e construir algo novo. Mas já te falo, não idealize nada, não procure casamento perfeito, não procure família propaganda de margarina, procure PAZ e defeitos “aceitáveis”. Acho que você tem que pensar bem o quanto está feliz e realizada nesse casamento, sem pensar que é mais um erro ou que tem mais uma filha. A vida é uma só e muito curta pra gente aceitar perrengues e conviver com equívocos por medo de tentar acertar.  O medo te limita, tenha coragem de ir atrás do que você quer!

 

 

Chora 2 – Florinda

Oi Cony, sou leitora raiz e há muito tempo penso em escrever um chora pois nunca vi meu “tema” sendo publicado.

Tenho Tricotilomania, que para quem não sabe,é caracterizada pelo impulso incontrolável de arrancar pelos, fios ou tufos de cabelo. Há pessoas que comem o cabelo ou aquela parte branquinha, acho que é bulbo capilar o nome, mas não é o meu caso.  Faço isso desde os 14 anos, hoje tenho 31. Já tomei muitos medicamentos, fiz microfisioterapia, e há três meses comecei a terapia, mas nesse quesito não tem adiantado, pois faço de forma automática e até mesmo dormindo.  Gostaria de saber se alguma leitora que passa por isso achou uma forma de amenizar ou até mesmo se curar do problema, que não seja raspando a cabeça.  Beijos!!

 

 

Eu, infelizmente. Mas não num nível muito alto como o seu… Também comecei adolescente mas nunca cheguei a ficar com buracos na cabeça como algumas pessoas ficam. Sei que meu caso é pela ansiedade, tem vez que mexo mais no cabelo, as vezes passo meses sem tirar um fio… fico naquela de procurar um fio mais grosso e arrancar sabe? Geralmente quando tô pensando em algo ou parada sem fazer nada. É horrível, eu sei, mas é muito mais comum do que se imagina. Não sei se tem alguma outra maneira de controlar isso sem que seja com medicação para ansiedade/stress/depressão e terapia. Também vou ficar de olho nos comentários!

 

 

Chora 03 – Neymara

“Oi Coni!

No Começo do ano mandei meu chora e você publicou como Neymara hahaha

E agora o desfecho dessa história que mais parece um filme.

Resolvi sair com o ex para conversa e acabamos ficando, isso se repetiu na próxima semana e eu mandei uma msg avisando que gostei e perguntei o que ele sentiu, ele disse que também tinha gostado e meio que deixamos em aberto que íamos nos encontrar outra vez.

Agora pausa dramática para a reviravolta haha

Eu havia interrompido o anticoncepcional para colocar o DIU e em uma dessas noites transamos sem camisinha, porém tomei a pílula do dia seguinte e estava tranquila.

Só que não né

A pílula não fez o efeito esperado e eu descobri que estava grávida, entrei em contato com o boy dia 1/4, dia da mentira, falei que estava grávida e que era dele, foi o dia mais tenso da vida, mas para a minha surpresa ele recebeu a notícia super bem.

Por questão de usar plano de saúde declaramos uma união estável na mesma semana e amanhã vamos ver uma casa para morarmos juntos.

Falando assim parece um desespero sem tamanho e uma loucura (as vezes eu também acho que é uma loucura) mas percebemos que o sentimento nunca tinha morrido totalmente e estamos felizes com a ideia de um bebê, apesar do susto e do compromisso que uma criança traz era algo que eu sempre quis e ele também.

Não sei você, mas eu super acredito em destino e em coisas que tinham que acontecer, e acho que nesse caso isso se aplica.

Depois de seguir um conselho do blog para explicar o que eu estava sentindo aconteceu uma reviravolta tremenda na minha vida! Estou feliz e mando foto do bebê para as leitoras depois :*”

 

Gente, temos um bebê Fufu, fruto do Chora!! Para quem não se lembra a historia da Neymara, segue o LINK. Minha filha, quando é pra ser, não tem jeito! Destino é isso, as coisas acontecem! Parabéns pelo baby e que vocês tenham serenidade e muita calma para essa nova etapa!

 

 

  • CHORAS ABERTOOOOSSS! ÊEEEEEEEEE! Podem mandar seus desabafos, suas dúvidas, suas angústias e inquietações para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Seu anonimato é garantido viu?
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
13 jun 2019, 52 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Vamos de Chora?

Chora 01 – Marta

“Oi Cony! Acompanho seu trabalho a uns 3 anos já, gosto bastante.

Meu chora é algo mais incomum, é sobre saúde… Já li algo parecido em seu blog, mas nada igual a minha situação.

Tenho 34 anos e perdi minha virgindade numa idade que é considerada tarde… aos 24. Sempre fui gordinha, e nunca chamei atenção da maioria dos caras. Sabe aquela história de esperar o cara ideal? Então, ele nunca apareceu, então resolvi transar com um amigo colorido.

O problema é que todas as vezes que tentamos (mais duas depois da primeira vez), nunca chegamos aos finalmente, porque foi uma tortura pra mim.

Achei que era um problema mental, que não estava relaxada o suficiente, essas coisas. O problema é que essa tortura persiste nas coisas mais simples até hoje. Sabe exame preventivo e ultra transvaginal? Sim, eu sei que é desconfortável pra muitas mulhere, mas no meu caso é o mesmo que estar sendo torturada… é uma mistura de ardor com dor horríveis, e é sempre humilhante pra mim, porque as ginecologistas (já fui a algumas diferentes) e as pessoas que fazem os exames sempre acham que é porque eu não relaxo. O que é frustrante, porque mesmo as médicas acham que é só um problema psicologico… mas sei o que sinto, e não é.

Em um dos ultrasons que fiz, descobri que tenho útero retrovertido, que poderia ser isso… mas não pode ser só isso, porque outras colegas que tem esse problema não sofrem tanto quanto eu.

Por esse motivo, acabei isolando minha vida amorosa… fico só nos beijos mesmo… imagina ficar com o cara e dizer a ele que ele não pode me penetrar porque não aguento a dor? não tem como né?

Gostaria de saber se alguma de suas leitoras sabem sobre o assunto/ja passaram por isso. Se existe algum profissional especialista nisso, porque as que procurei, como já disse, sempre falam: é psicológico.

Beijo pra todas.”

 

Vou deixar para as meninas que passam por alguma situação parecida ou que conhecem alguém que passe para te responder. Lembro de um Chora que publiquei há um tempo que era de uma moça que sentia MUITA dor na penetração e nem conseguia concluir a relação, e ela tinha vaginismo. Não sei te dar maiores explicações sobre isso, por isso deixo para que nos comentários possam te ajudar! Boa sorte.

 

 

Não sei se é seu caso, mas achei as queixas parecidas…

 

Chora 02 – Formiga

 

“Cony, preciso muito que alguém seja sincera comigo… estou junto com meu namorido, agora “marido” desde 2005… no começo, tudo era muito bom, depois, pirei com muitos ciúmes… comecei a fazer psicanálise e consegui ficar bem… pelo menos por um tempo… aconteceu que o namorido resolveu dar um tempo do trabalho estudando, para algo melhor… saiu do emprego fixo que tinha, com meu apoio, pois ele disse que conseguia manter nossas contas e nosso plano de saúde com a bolsa dos estudos… porém, as contas estavam feitas erradas e a verdade é que estou sustentando a casa desde então… no começo não me incomodou, mas qdo tive que deixar de fazer minhas coisas, isso começou a me irritar… o pior é que me endividei com essa situação, pois sou funcionária pública e não tive reajuste nem décimo terceiro, e não suporto deixar de comprar… estou cada vez mais cheia de coisas p pagar e não recebo quase nada dele, pq ele ajuda sempre com o mesmo valor, mas gasta muito mais… alem disso, estamos sem plano de saude e me sinto negligenciada neste aspecto pq sempre fui cuidadosa… não sei mais o que fazer… já tentei conversar, mas às vezes, ele age como adolescente, me tratando mal ou como idiota, igual faz com a mãe dele… me dê uma dica, Cony… amo ele e achei que essa seria uma etapa de vida a ser vivida e vencida juntos, como um comum acordo, mas agora, não paro de pensar que estou sustentando um homem que quer viver como adolescente e não tem nem vai ter responsabilidade com dinheiro nunca… essa parte do dinheiro me incomoda pq detesto gastar com o que não é meu, sempre fui controlada e pude me dar ao luxo das minhas compras pessoais… e agora, me sinto mal vestida e fazendo restrições que não gostaria… isso pesa, pq qq briguinha me faz pensar em como seria se eu estivesse com outra pessoa independente ou com a qual eu não precisasse sustentar… espero que tenha deixado claro, eu aceitei um período de restrição com os estudos dele… mas não esperava o endividamento dele que acarretaria no meu… o que devo fazer? O que vc faria no meu lugar? As vezes fico pensando se fui uma boba, se estou sendo usada e enganada… tenho mais de 30 anos e não quero viver como adolescente de novo… tenho medo de estar perdendo oportunidades… esse medo vem  na minha cabeça qdo penso na situação toda, de que posso estar fazendo papel de trouxa … por favor, me ajude!”

 

Me conta duas coisas antes… Antes dele largar o trabalho dele, como era? Ele bancava a parte dele, era presente “financeiramente” nas contas da casa? E outra coisa, ele realmente largou o trabalho para estudar? Ele estuda? Ou era uma desculpa para ficar em casa sem fazer nada? Situação complicada, EU no seu lugar, teria deixado bem claro que isso teria um prazo, tipo 1 ou 2 anos mantendo a casa mas depois não mais. O lance de não pagar nem plano de saúde é tenso! Isso é prioridade! Já falou pra ele que você esta deixando de fazer suas coisas e que isso tá te chateando muito? Não dá para dar muito pitaco porque não sei se o cara tá realmente se esforçando e estudando pra valer ou se vagabundou na vida, você também não contou a quanto tempo ele tá parado. Se vagabundou, fia, pula fora. Agora, se ele ta focado nos estudos, conversa com ele e põe prazo, ou entrem num acordo de cada um dar X por mês para as contas da casa, e nada além disso. Se você colocar, sei lá, tô chutando, R$ 2000 e ele R$ 2000, vão ter que se virar com isso. Pelo menos você não vai achar que tá pagando muito mais e abrindo mão de suas coisas. Eu super entendo e não julgo sua vontade de ter seu dinheiro para pagar suas coisas, seus caprichos, suas vontades. A gente trabalha pra isso também! 

 

 

Chora 03 – Cristiane

 

“Olá Constanza, primeiramente gostaria de te parabenizar pelo blog, sempre leio, mas nunca escrevi, mas espero obter uma resposta!
Bom, tenho 27 anos, sou divorciada. Isso ainda é um peso pra mim, estou exercitando para falar isso com mais naturalidade. Me separei há 2 anos e meio, tive um relacionamento que seguiu todo o “padrão”, namoro, noivado, casamento. Inclusive perdi a virgindade com o ex. Algo que tinha ou ainda tem muito valor pra mim.
Quando nos separamos eu estudava para concursos, era totalmente dependente do meu ex, financeira e emocionalmente. Já perdi o meu pai quando tinha 15 anos, mas a separação foi como se fosse a pior dor da minha vida.
Acontece que além do sofrimento pela separação, eu estava desempregada, sou advogada, mas não tinha experiência, porque assim que peguei minha OAB em 2015, fui estudar para concursos e no final de 2016 nos separamos, então fui a luta atrás de um emprego e trabalhei como auxiliar jurídico em uma empresa ganhando R$1.000,00 e fazendo um bico ou outro, fiquei 1 ano e meio lá, detestava o trabalho, mas queria uma renda e um trabalho, não conseguia mais ficar por conta de estudar, moro atualmente com minhas tias (são um casal).
Neste ano finalmente consegui um trabalho em um escritório, estou advogando, ganho um pouco mais do que ganhava nesta empresa, estou concluindo uma pós graduação e tentando voltar a estudar para os concursos. Ainda me sinto insatisfeita com a minha remuneração.
Aí, fiquei solteira durante esse período, mas nunca conheci alguém que houvesse reciprocidade. Me apaixonei por um cara, mas ele não queria nada sério e acabamos rompendo o lance “casual”. Nesse tempo de solteira, isso aconteceu umas 3x.
Hoje meu ex já possui uma família, a mulher inclusive está grávida. Soube notícias através de uma sem noção que veio querer saber como estava a minha vida e acabou me contando sobre a dele.
Talvez as coisas que eu tenha dito acima não tenham muita concordância, mas o que eu quero dizer é que ainda me sinto frustrada. Tenho receio de não conseguir encontrar alguém bacana.
Vejo sempre as pessoas dizendo que devemos nos amar pra ter alguém, amar nossa própria companhia. Mas eu queria saber, como faz isso? Eu sei que me amo e me respeito, afinal eu não aceito muita coisa, não que eu saia por aí exigindo demais, mas é que quando gosto, não consigo ter um relacionamento casual, quando vejo que a pessoa não sente o mesmo e também não consigo ter que ficar me esforçando pra gostar de alguém, mas quando gosto de maneira natural, a pessoa não gosta de volta, e aí, cá estou. =/
Acho que é isso.”

 

Não preocupa em encontrar alguém não! É a verdade mais verdadeira que existe! Quanto mais você procura, mais encrenca acha. Aprenda a curtir sua companhia, ir ao cinema sozinha, viajar sozinha (é a melhor coisa do mundo), se gostar, se cuidar, viver para você! Se olhe no espelho com carinho, repare bem em você, no que você mais gosta em você, se trate com amor, se namore! Eu fiz um post que chama Conversinha Sobre o Fim onde falo muito sobre isso. O segredo da felicidade não esta no outro, tá na gente. E a gente só vai ser feliz com alguém quando souber ser feliz sozinha. É um aprendizado, às vezes longo, às vezes doído, mas é tão bom… tente, certeza que você vera a diferença dos relacionamentos antigos com os novos.

 

 

  • Choras ainda fechados!
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
06 jun 2019, 27 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Vamos de Chora?

Chora 01 – Luana

“Namoro há dois anos com um cara ótimo: trabalha, tem um bom salário, carro, não passa dificuldades. Lutou muito para chegar onte está e cada gota de suor se transformou em sucesso na vida dele.

Me trata como uma princesa, quer casar comigo, quer ter filhos. Tudo ótimo até então.

O problema é a família. A mãe que não quer trabalhar, mas reclama que não tem dinheiro. O pai que vive no mundo da lua e o irmão que não quer estudar, entrou em depressão e ninguém sabe como ajudar.

A família mora em outra cidade e vira e mexe eles passam aperto por causa de grana. Fruto da falta de atitude da minha sogra que não quer trabalhar nem puxar a vida deles adiante e do meu sogro que se conforma com o que ganha e não luta para melhorar.

Vejo que o namorado sofre e muito com essa realidade. Sempre reclama deles e quer que eu seja o ombro amigo, a pessoa que está ao lado. Não conseguimos ajudar a família porque eles não querem. Ele ofereceu para pagar aluguel (temporariamente) para eles se mudarem para um lugar melhor e a mãe não quer.

Como proceder, Cony? Amo meu namorado, acho uma pessoa honesta, inteligente e que me ama. Mas os problemas da família aparentemente nunca irão melhorar.

Eu desisto por causa dessa família? Eu insisto e aprendo a lidar com pessoas completamente diferentes de mim? É exigir demais querer não me envolver com estes problemas que não são meus?”

 

Miga, TOOOODOOOO mundo tem problemas e o seu não é dos piores. Valorize e apoie seu namorado mas não deixe os problemas da família dele interferir na vida de vocês. Ele está fazendo o que pode, está sendo um bom filho, um bom irmão e namorado, então fique do lado dele e seja a parte “tranquila e feliz” da vida dele. Nada de desistir dele e você NÃO precisa se envolver nos problemas deles, o seu foco é seu namorado, e além dele não é da sua “alçada”.

 

 

Chora 02 – Ludmilla

“Olá Constanza, sou de Portugal e descobri o seu blog recentemente,  que me apaixonou pela espontaneidade e sinceridade.

É a primeira vez que escrevo para um blog e também é a primeira vez que partilho as minhas emoções, na esperança de que, como aconteceu noutros casos, os seus conselhos me façam tomar uma atitude e sair de vez desta confusão de sentimentos em que me encontro.
Tenho 24 anos e a o facto de ir fazer 25 este ano fez aparecer muitas questões mas a principal: O que estou a fazer com a minha vida? Estou numa fase em que sinto que nada corre como tinha planeado e o mais importante, nada me faz feliz.
Sou nutricionista mas não gosto do que faço, o emprego em que estou não me satisfaz mas não consigo ter forças para procurar outras opções e acredito que seja culpa da minha falta de amor próprio. Já pensei em estudar fora, tirar um mestrado no Reino Unido, mas nunca consigo ir em frente porque o pensamento é sempre que não vou ser capaz.
Para além disto o meu sonho sempre foi outro, ser professora do ensino básico mas o emprego em Portugal é precário e toda a gente me aconselhou a não seguir esses estudos. Já pensei tornar a estudar e seguir este meu sonho mas de alguma forma sinto que estou a deitar fora toda a minha licenciatura anterior e a desrespeitar o esforço que os meus pais fizeram para a conseguir ter.
Da minha vida pessoal não há muito para dizer porque é quase inexistente, dedico muito tempo ao trabalho e nestes últimos anos não tenho conhecido pessoas ou novos amigos o que me deixa bastante triste. Adoro os amigos que tenho mas sinto que nada evolui na minha vida e esta é só mais uma dessas situações.
Obrigada por permitir estes desabafos, um grande beijo”

 

Gata, a felicidade e a plenitude tem que partir de você! Você tem um sonho, tem uma vontade, mas não fique esperando as coisas acontecerem na sua por obra divina. A porta pode estar fechada, mas se você não se levantar para abrir a porta e sair, ela não vai abrir pela força do pensamento! Crie forças, crie vontades, crie energia! Você é super nova, mora na Europa, tem facilidade de ir e vir para outros países, conhecer gente nova, se permita fazer o que te traz leveza e alegria! E não se preocupe em tomar um rumo diferente do que os seus pais planejaram ou pagaram para você, tenha certeza que te ver feliz e realizada vale muito mais para eles. Se permita, a sua vida somente vai começar a acontecer quando você sair da sua zona de conforto.

 

 

Chora 03 – Anita

 

“Cony, acho seu blog e este quadro incríveis! O meu chora é praticamente um caso de família. Tenho 23 anos, sou formada, trabalho na minha área (não ganho como esperado, mas como gosto do que faço, seguimos) e há cerca de dois anos, tenho enfrentado uma situação muito difícil. Meus pais, casados a mais de 20 anos, começaram a se separar. Há um ano e meio mais ou menos meu pai saiu de casa e eu que fui passar uns dias com ele, acabei ficando. Meu irmão ficou com a minha mãe. Durante um tempo, eles tentaram uma amizade, até saíram algumas vezes juntos, mas minha mãe começou a se relacionar com outra pessoa e eles voltaram a brigar.  O fato é que durante todo esse tempo, quem segura tudo sou eu. Eu escuto reclamações de ambas as partes, quando minha mãe quer mandar recado pro meu pai, é comigo que ela fala, e mais reclamações e reclamações. Tanto meu pai, quanto minha mãe são pessoas MUITO difíceis de lidar, e como meu irmão quer se manter fora dessa situação, sempre sobra pra mim.
Eu e minha mãe sempre fomos muito amigas, mas agora ela acha que eu tenho um lado, que eu sempre favoreço o meu pai e o defendo, principalmente pelo fato de morar com ele, mas eu moro com ele pra ajudá-lo porque ele ficou muito mal com a separação. Eu tento ser o mais imparcial possível e em tudo que meu pai está errado, eu falo pra ele e defendo minha mãe, coisa que ela não aceita muito. O fato é que eu não aguento mais essa situação, essa briga deles, porque além disso, tem as pessoas em volta que conversam com um e outro e ficam de leva e traz. E eu não aguento mais estar no meio disso tudo. Por mais que digam que não querem me envolver, me envolvem, pq até judicialmente eu fui envolvida! Já tive que presenciar uma briga deles! Não vou negar que as vezes eu penso em sumir, em mudar de cidade, ir morar sozinha, mas eu não tenho condições, parece que esse inferno não acaba nunca e tudo tá piorando, eu sinceramente não sei mais o que fazer. Tudo isso tem afetado minha vida de diversas formas, eu mal saio, eu que nunca fui de ter muitos amigos, tenho menos ainda, fiquei muito mais estressada, terminei meu relacionamento, vejo fotos minhas de um tempo atrás e de agora, e parece outra pessoa! Sou uma pessoa muito fechada, não fico abrindo pras pessoas o que passo e não fico tendo pena de mim, busco forças de onde não tenho pra encarar um novo dia, mas parece que quando as coisas começam a melhorar, vem uma coisa nova e me desestabiliza novamente. Já decidi que direi a ambos que não quero saber de mais nada relacionado a eles porque sou filha e nada tenho a ver com o relacionamento deles, mas gostaria que tudo não me afetasse tanto. Desculpa o texto enorme, já tem meses que penso se deveria mandar esse chora ou não, se não quiser publicar, tudo bem, eu só gostaria de ser ouvida.”

 

Ô lindeza fica assim não, você não precisa ser forte o tempo todo não! Ninguém é e até é pior tentar manter tudo sob controle e absorver os problemas alheios! Você esta mais do que certa, seus pais não estão olhando pra você, estão apenas se preocupando com a briga deles e esqueceram que você é uma pessoa que sente muito pelo que esta acontecendo. Acho uma ótima ideia uma reunião com os dois, você e eles apenas, e falar NÃO TENHO NADA A VER COM A BRIGA DE VOCES, NÃO QUERO SER ESPONJA, NÃO QUERO SER LEVA E TRAZ E QUERO PAZ PRA MINHA VIDA, VOCES ESTAO ME PREJUDICANDO! Fala a real, abre o jogo, mas para os dois juntos! Puxa a orelha mesmo! Diga que ama os dois incondicionalmente mas que os problemas deles, sao problemas DELES e que você precisa de serenidade para dar um rumo na sua vida! Boa sorte, estou torcendo por você!

 

  • Choras fechados! Aguardem nova chamada!