Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
13 mar 2019, 23 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!!!

Venham Choronas, o que se passa?

Chora 01 – Adriana

“Cony, sigo seu blog desde o início e relutei muito e escrever minha história.

Aos 19 anos engravidei de um namorado (pouco tempo de namoro e 8 anos de diferença de idade). Por questões religiosas nos casamos na igreja católica, tivemos nosso filho e éramos o casal perfeito.

Honestamente eu não queria ter me casado tão nova, mas quando ví minha mãe já estava com a festa de casamento pronta para mais de 200 convidados.

Nosso filho é especial (tipo autismo bem leve) e todas as terapias, mudanças de escola, adaptações e consultas nos transformaram (eu e o meu marido) em uma dupla perfeita. Tudo relacionado ao nosso filho a gente fazia. O casamento mesmo nunca existiu. Engravidei sem querer, tinha pânico de ter outro filho (enquanto estava na faculdade e só dava despesas pra família e marido), então pra evitar eu me entupia de anticoncepcional que acabava com qualquer disposição para ter relação. Em uma consulta com a ginecologista descobri que não podia tomar anticoncepcional. Eu informei o fato pra ele e ele disse que “tudo bem a gente nem fazia nada mesmo”. Com medo de engravidar, passei a evitar o sexo cada vez mais. Ficamos assim por 10 anos. Um casal de amigos que cria o filho. Então nosso filho cresceu, eu arrumei um trabalho bom e quis ter outro filho. Ele não demonstrou nenhum interesse nesse projeto e assim tudo foi indo embora. Pra você ter ideia, ele era apático. Era um abandono afetivo. uma vez esqueci minha aliança no box de Crossfit e ele disse apenas que problema era meu e que se perdesse eu que comprasse outra com meu dinheiro. Foram vários episódios que mostravam que não éramos um casal e sim uma dupla.

Eu emagreci, coloquei prótese fiz de tudo e nada. Não éramos um casal e pronto. Não brigávamos mas não tínhamos sentimento algum.

Um dia ele me chamou pra conversar e nós optamos pelo divórcio. (nem a viagem à Disney deu jeito).

Meses depois ele já morava com outra e tudo bem (apesar de hoje em dia ser o pai mais ausente do mundo – uma pena porque ele era um ótimo pai). Eu acidentalmente conheci um rapaz maravilhoso (no grupo de corrida), legal e que me idolatra. Ele trata meu filho super bem, cuida de mim, me “endeusa” e eu gosto dele, mas não estou preparada pra mais, tanto que nem apresentei ele pra minha família. (pra evitar falatório pois o divórcio é recente e todo mundo lá em casa falou do meu ex ter assumido uma relação tão cedo.).

Estou me mudando de apto e não darei chave pra ele, não por falta de confiança, é porque eu quero meu espaço com meu filho. 

Antes ele me via sempre, hoje eu estipulei que final de semana ele dorme lá em casa, eu precisava desse tempo exclusivo com meu filho. Trabalho o dia todo e quero chegar em casa sem preocupação.

Nossa relação é boa, o sexo é ótimo (não tenho parâmetros porque no casamento não tinha, mas considero bem bom), nós temos intimidade, as coisas fluem.

Eu e esse rapaz somos de planetas diferentes, criações diferentes, religiões diferentes e classe social diferente. Nós brigamos porque ele sempre leva tudo ao pé da letra e não tem a “finesse” de disfarçar, deixar pra conversar depois, abstrair e só internalizar o que vale a pena. Ele é mais “matuto” e demonstra nas feições o que não gosta e já brigamos demais por isso.

 Ele tem se esforçado para se “refinar” e transitar no meu mundo (ele é técnico de TI e eu estou incentivando  fazer faculdade), mas hoje não posso oferecer mais que o que já dou. Um namoro escondido. Tenho medo de estar embromando e acabando com a vida dele, perdendo meu tempo e o dele ou ainda sendo relapsa com alguém que pode ser o amor da vida.

E agora? O que eu faço?”

Minha amiga, antes de mais nada, permita-se viver o novo, sentir emoções, se apaixonar. Durante muitos anos você se privou disso e entendo que foi algo que estava fora do seu controle e era o que tinha que ser feito. Digamos que você viveu uma etapa “neutra” na sua vida. Neutra de emoções, de sentimentos, de carinhos, isso claro, voltado para você porque imagino que seu filho tenha te dado muitas alegrias e felicidades. Pois bem, chegou sua hora e não coloque muitos obstáculos para ser feliz. Você está com carta branca para viver tudo o que não viveu e para receber o amor que não viveu nos últimos anos. Acho ótimo você impor regras para os novos relacionamentos, super concordo com você que não dá para botar dentro de casa qualquer pessoa, por causa do seu filho e por você mesmo. Talvez seja a hora só de curtir e namorar. E não se preocupe que seu ex arrumou outra rápido e que você não pode fazer o mesmo, pode sim, você pode tudo, o que quiser, o que te fizer bem e feliz! Sobre o rapaz que você está “namorando escondido” acho importante você avaliar bem se é isso mesmo que quer! O fato de você mencionar que são de mundos completamente diferentes não é um sinal muito bom… muita gente acha que é relevável, mas EU na minha experiência, acho que complica bem e prefiro sempre me relacionar com perfis parecidos ao meu (cultura, criação, valores, classe social, etc). Em um parágrafo você diz que briga com ele constantemente e te garanto, um namoro saudável não é assim. Isso NÃO É normal. E mais uma coisa, quando se tem muita dúvida sobre algo, melhor abrir caminho para o novo. Pensa direito nesse namoro, se é isso mesmo, se os prós são maiores que os contras, mas de longe, lendo você dizer que tem brigas constantes, que esconde o namoro, que acha que está perdendo tempo e que não está preparada para mais, pra mim já soa como resposta.

Chora 02 – Isabel

“Oiiii Cony, queria muito compartilhar com você um Chora antigoooo (01/06/2016 – você me deu o codinome de Isabel) que virou um Sorria incrível. 

Para começar, sabe essas coisas de Universo? O meu chora foi publicado justamente no dia do meu aniversário!!! 

Não sei se você se lembra, mas em resumo: eu tinha um casamento de fachada, meu marido tinha atração por homens e eu mantinha um relacionamento com um rapaz da empresa que era noivo. Eu estava apaixonada por ele, mas com receio de separar e acabar expondo meu esposo, que é uma pessoa maravilhosa. E esse Chora virou um Sorria graças a um comentário de uma de suas leitoras. 

Em um dos comentários, uma menina (sabiamente) disse algo mais ou menos assim: “ela se relacionando com um cara que é noivo e ninguém se importando com a noiva do cara.” 

Cony do céu, me deu um clique e um peso no coração, afinal minha vida estava intoxicando muito mais pessoas do que poderia imaginar.

Refleti dias e dias e fiz uma lista do que deveria fazer: Terminei com esse rapaz, sofri horrores, ele também sofreu muito. Pediu para sair da empresa, terminou com a noiva (mas não me procurou e nem eu procurei ele depois)mudou de país e se casou com uma outra moça. E parece estar super feliz. Depois decidi dar um fim também no meu casamento e honestamente foi muitoooo mais dolorido do que podia imaginar, principalmente pelas nossas meninas. Vê-Las sofrendo naquele momento me fez querer voltar atrás só para elas não passarem por isso. Mas de alguma forma fui forte e segui com essa decisão. Meu ex marido nunca assumiu nenhum relacionamento e não toco nesse assunto com ele. 

Depois de todas as decisões difíceis, decidi mudar de país também. Apliquei para uma vaga nos EUA, passei (nem sei como, mas passei), não pensei duas vezes, vendi tudo o que tinha no Brasil, peguei minhas meninas e estamos morando fora há quase um ano. E nãooo tive experiência melhor na minha vida do que ter e dar oportunidade para minhas meninas estar em outro lugar, outra cultura.

Estamos amando e me descobri com uma força que nem imaginava que podia ter. E lógico que a história tinha que ter um amor no final (me julguem kkkkk).

Há uns 6 meses, o meu primeiro namorado da vida me adicionou no IG, começamos a conversar, passamos o Natal no Brasil e encontrei ele pessoalmente. Nem preciso falar do quão incrível foi. Todos os meus traumas de falta de desejo, problemas de assumir alguém e relacionamento foram “quebrados” com ele.

Estamos levando as coisas com calma, ele veio passar uns dias comigo também e logo volta ao Brasil. Mas hoje afirmo que não tenho receio de ter um relacionamento à distância, acho que a é a maturidade que  traz essa paz. Se vai dar certo não sei, né? Mas hoje sinto que as coisas estão certas, ninguém escondido ou mentindo.

E é isso minha amiga Cony.

Não precisa publicar se achar que está muito extenso. Mas queria compartilhar o quão seu blog e suas leitoras mudaram o rumo da minha vida. E olha que nem foi um comentário de apoio, mas sim um comentário de tapa na cara.  🤣

Beijo grande, “Isabel””

MULHER ESTOU TODA ARREPIADAAAAA! Meu Deus! MEO DEOS! Nessas horas vejo o quanto o Chora é sério e importante! Claro que lembro do seu caso, foi um dos Choras que mais me marcou e você não tem ideia do quanto estou feliz pelo rumo que sua vida tomou. Do fundo do meu coração, te desejo muitas alegrias, muitas borboletas na barriga, muita felicidade, sucesso e MUITA VIDA! Parabéns por ter sido humilde e ter escutado com carinho os conselhos. PARABÉNS!

Chora 03 – Alessandra

“Ei Cony! Vou nem falar que amo seu blog desde sempre (sério, uns 7, 8 anos seguindo!) e que ele é o melhor porque todas dizem né? Rs

Enfim, meu chora é o seguinte: há pouco mais de um ano atrás eu fui diagnosticada com Alopécia Androgenética, que nada mais é do que calvície. No dia foi um super baque, chorei muuuuito, morrendo de medo de ficar careca. Sei que parece fútil e graças a Deus não é nenhum problema de saúde maior, mas é algo que mexe muito com a minha auto estima e que eu tenho muita dúvida ainda. Eu já testei vários remédios que me passaram, mas não me adaptei com nenhum, e também não senti segurança em nenhuma das dermatos que passei (essas consultas de plano de saúde que mal te olham ou escutam o que você já testou/curtiu/pode pagar). Enfim, o que eu queria com esse chora é saber se outras leitoras tem esse problema, quais tratamentos estão dando certo para elas, se alguma aqui de BH tem uma Tricologista pra indicar, como fazem pra não desesperar quando vêem o cabelo mais ralinho, enfim: dicas de como conviver com a alopecia e manter meu cabelinho amado na cabeça. Muito obrigada pelo espaço e um grande beijo pra todas!”

Gata não sei te ajudar porque não conheço nenhum tricologista pra te indicar, mas tenho CERTEZA que as meninas vão dar conselhos e indicações valiosas para seu caso. Boa sorte!

  • Choras FECHADOS! Já lotamos a caixa de mail novamente! Quando liberar, aviso aqui 🙂
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
27 fev 2019, 76 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Eita, já é quarta de novo!

Chora 01 – Debora

“Oi Cony! Primeiramente, super parabéns! Você é uma das poucas blogueiras que continua postando conteúdo bacana, e sem perder a essencia.

Bom em resumo, eu sempre fui uma criança doente: hospitais no mínimo 2x ao mês, internamentos, remedios, remedios e mais remedios, diagnosticos não conclusivos, dores que não iam embora. E assim foi dos 3 aos 17 anos.

Hoje, com 27, consigo administrar melhor as dores e também medicamentos quando e se preciso muito. Mas acontece que há 1 ano e meio atras fui diagnosticada com doença celíaca, aquela belezura em que você não pode ingerir NADA de gluten.

Recém casada, tinha acabado de mudar de estado, então meu emocional estava uma bagunça e só piorou. O médico chegou a falar que as unicas comidas que eu iria poder consumir seriam carne, arroz, feijao, saladas e frutas. SURTEI! Eu sou aquele tipo de pessoa que faz lista dos restaurantes que quer conhecer, sai pra comer fora ao menos 2x no mes, aaaaaaaaaaaaamo massas. Consegui seguir a dieta por 2 meses, mas aí voltei a comer tudo em dobro, e desesperadamente.. fora que a tristeza se instalou em mim.

Acompanho perfis de influencers que são celíacos, que mostram alternativas de produtos e etc., mas o que mais me incomoda é: como a gente faz para ter vida social? Não vou poder mais sair com meu marido num restaurante legal? Porque é unanimidade entre os celíacos: a marmita deve andar com você, como um braço – isso devido a tal da contaminação cruzada. Como não surtar? E ainda mais isso, como eu convivo com uma pessoa em casa que nao é celíaca, sem precisar obrigá-lo a seguir a dieta comigo? Acho injusto.

 

Hoje sigo comendo alimentos com gluten, ciente de que futuramente isso pode me trazer consequencias bem ruins. Mas toda vez que tento arrumar a alimentação, entro em panico, sabendo que será para a vida toda  :(“

 

Menina nem sei como te ajudar, só ser solidária a você! Imagino mesmo que deve ser muito ruim toda essa restrição! Tenho certeza que muita gente irá te aconselhar aqui nos comentários, espero que fique bem e encontre uma maneira bacana de lidar com isso 🙂

 

 

Chora 02 – Giovana

 

“Oi Cony, acompanho seu blog e seu insta há um tempo e sempre acompanho os choras porque o relato das outras pessoas  acaba me ajudando  também.
Acabei de fazer 30 anos, trabalho cm o que gosto, ainda quero crescer muito, conhecer muitos lugares, mas sempre quis ter minha casa, casar, ter filhos…aquela coisa bem clássica mesmo. Já tiver outros relacionamentos, mas hoje namoro há 3 anos com um homem (33 anos) muito bom e que amo de verdade. Já brigamos muito no início do nosso namoro, tivemos alguns problemas por mentirinhas por parte dele, mas já conversamos muito e temos nos entendido cada dia melhor. O meu problema com isso é que eu já estou numa fase que quero meu canto (ainda moro com meus pais, nunca morei sozinha porque ainda não tenho condições financeiras), quero casar e ter filhos, mas nós nunca falamos em planos, em futuro e não sei o que ele quer para a vida dele, ele costuma ser bem fechado Já tentei falar sobre futuro brincando e nunca dá em nada; já tentei abordar ele de algumas maneiras para entender o que ele quer e sempre dá em briga. Quero evoluir e queria que fosse com ele, mas nunca sei se posso incluí-lo nos meus planos; essa coisa de eu querer dar um passo a mais (casar, ter nossa família) e ele nunca falar nada sobre o assunto tem me deixado insatisfeita e desanimada. Queria falar sobre isso com ele, mas não sei a melhor maneira de abordar, eu costumo ser um pouco nervosa, mas queria muito ter uma conversa sincera e tranquila com ele sobre isso. O que você acha? Acha que estou me precipitando e que deveria deixar as coisas acontecerem naturalmente? Ou que deveria ter uma conversa sobre o que espero?”

 

Olha, se fosse um namoro de meses, eu iria te falar para esperar, deixar fluir, mas já são 3 anos e acho que pelo menos um “direcionamento” já deveria existir sim. Não falo de marcar a data do casamento ou irem morar juntos, mas saber se ele tem os mesmos objetivos que você. Pode ser que ele não queira casar, pode ser que ele não queria ter filhos e acho justo você saber quais são as intenções dele sim! Tente nova conversa, uma conversa séria, em bom tom, fale com ele que precisa conversar algo muito importante para você e que pode ser decisivo para o futuro de ambos. Jogue aberto, sem brigar, sem pressionar, apenas pergunte pra ele como ele vê o futuro de vocês dois. Aí você poderá ou esperar mais e continuar com ele ou então sair desse relacionamento e procurar outra pessoa com os mesmos objetivos que você. E não deixe passar muito tempo para ter essa conversa, você pode estar perdendo tempo.

 

 

Chora 03 – Marina

 

“Oi, Cony! Primeiro, gostaria de parabenizá-la pelo trabalho maravilhoso que você faz. Eu me vi seguindo seu blog e amadurecendo junto, acredito que comecei a te acompanhar em 2009/2010 e hoje, com 28 anos, decidi participar também.
Meu chora é uma grande dúvida. Desde que me entendo por gente, sempre quis morar fora, sair da minha cidade de origem e “me perder para me encontrar” – frase romantizada que carrego comigo. Aos 23, fiz um intercâmbio para o Canadá. Foi maravilhoso, fiquei apaixonada, e apesar de viver apenas com bolsa de estudo, tive uma vidinha bem confortável durante um ano e pouco. Quando voltei para o Brasil, esperei meu namorado brasileiro, que também estava no Canadá, voltar. Assim que estávamos juntos novamente fomos atras do processo de imigração. Estávamos dispostos a imigrar a todo custo – de maneira legal, sempre. Contudo, apesar das tentativas e esforços, não conseguimos – até nos casamos para podermos fazer o processo em conjunto hehe.
Enfim, depois de um tempo fomos morar juntos, corremos atras da vida aqui no Brasil, eu trabalhei e banquei a casa enquanto ele estudava pra concurso. Ele passou num concurso e eu, agora, deixei o meu emprego para me dedicar para concurso também. E nos focamos em estudar muito para passar nos melhores concursos disponíveis a fim de ganharmos mais – somos bastantes esforçados e bons de prova, eu sei que conseguiríamos passar nos concursos que queríamos.
Enfim, só de bobeira fomos ver como seria nosso processo de imigração hoje em dia, e descobrimos que teríamos pontuação de sobra para sermos chamados e recebermos a residência permanente. Meu marido ficou extremamente empolgado e disposto a largar tudo para irmos com nossa poupança e etc. Ele até me incentivou a largar minha profissão atual, que não gosto, para correr atras de trabalhar como fotógrafa e ter minha empresa por lá – minha segunda graduação e pós-graduação são em fotografia, nunca trabalhei com imagens profissionalmente pois nunca tive tempo, estava sempre trabalhando muito no meu emprego que bancava nossa vida.
Parece um sonho né?
Mas, eu não estou feliz como eu deveria. Eu sei que sempre quis isso, sempre foi meu sonho. Mas, eu já havia feito planos para a vida como concursada, já queria a tranquilidade e segurança que vinham junto – e o dinheiro a mais para ajudar minha família, viajar e ter mais conforto. Imaginar perder tudo isso no Canadá, começar do zero novamente, ficar longe dos meus pais, sobrinhos e irmãos, viver um perrengue por uns anos, está me apavorando.
As vezes acho que é só medo, Cold feet – pois vivo morrendo de saudades de viver por lá. Mas, depois fico a me questionar se eu não amadureci e mudei, e este sonho não faz parte mais de mim… O fato é, eu não sei o que é. Mas estou com o coração extremamente apertado e encurralado. Eu preciso muito escutar outras pessoas, experiências de vida, similares ou não, para me dar uma luz neste meu caminho.
Enfim, perdão pelo email gigantesco e mega obrigada pelo espaço que você disponibiliza para as leitoras!!!”

 

Quando a gente é mais nova, a gente sonha. Quando a gente amadurece, temos objetivos. Sonhar é bom, é gostoso, mas eu trabalho com metas kkk Sonhos muitas vezes estão muito longe de serem realizados, estão fora de mão ou não condizem com nossa realidade (falei sobre isso NESTE post), mas objetivos a gente vai atrás e conclui. Quando conclui, passa para o seguinte. Obviamente você amadureceu e começou a trabalhar com objetivos: primeiro ter um emprego pra sustentar a casa, depois estudar pra concurso, depois passar no concurso e ter uma vida tranquila e tudo está indo pelo caminho que você decidiu com maturidade. EU, euzinha, pensaria MUITO antes de largar tudo, pois se as coisas estão se encaminhando, esperaria concluir o que está em aberto para depois avaliar. Uma coisa é morar fora quando se tem 20 anos e vive de bolsa, outra completamente diferente é ir mais madura e encarar a vida real. Se a vida aqui está boa, encaminhada e dentro dos planos, o que te faria mudar pra lá? Apenas pra matar a vontade da menina de 10 anos atras? Pense nisso. Morar fora é bom quando a gente tá lascada aqui, mas se tá tudo certo, é melhor pensar direito.

 

  • Migas, Choras abertos hein! Pode mandar seu desabafo, dúvida, angústia pra gente tentar ajudar! Mande para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. 
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
20 fev 2019, 87 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Nossa, como as quartas feiras chegam rápido!

Chora 01 – Leticia

“A tal da justiça divina! Não sei quem acredita, pois eu não acredito mais. Mas mesmo assim opiniões são sempre válidas.

Sem entrar na história completa: conheci o cara, me apaixonei. Acreditava que estávamos na mesma sintonia, tudo era perfeito. Até aparecerem as primeiras dívidas dele. Altas. Altíssimas. Coisas de 140 mil, que só descobri depois.

Enfim, ele me pediu ajuda. O fiz. Emprestei dinheiro. 15 mil. Ajudei com outras contas do dia a dia. E nossa vida continuava ok. Saídas, jantares em casa para economizar, maratonas das nossas sérias….tudo ia bem.

Até que ele começou a ficar estranho e, logo após o ano novo de 2016 para 2017 um e-mail. Dizendo que não tinha condições psicológicas de continuar. Que eu estava fazendo por ele muito mais que ele conseguia fazer por mim e blábláblá.

Dois meses depois e bum: postou foto com outra VIAJANDO!

Nos reaproximamos e ele dizia coisas horríveis sobre ela: como ela era ruim pra ele, que destruiu sua vida e sua cabeça. (hoje imagino ele falando isso pensando em mim). Destruí tanto a vida dele que quitei o ipva daquele ano e ele foi viajar com o carro e com ela.

Ele sumiu em maio de 2018 e simplesmente não consigo aceitar. Ele mentiu e inventou tantas histórias: tumor na cabeça, internação em hospital psiquiátrico (crises de pânico e afins), abuso quando era criança, morte da avó, desavenças com o pai….e eu acreditei e me deixei levar pelas emoções. Mas confesso que o abuso foi a coisa que mais mexeu com meu psicológico. Não se inventa coisas desse tipo. E como eu sei que inventou? Todo o resto sempre foi mentira.

Quando da cirurgia, ele estava em Cancún. Desde que ele sumiu descobri muita coisa, mas o que mais me dói é que depois de tanto me maltratar e fazer mal, mexer com meu psicológico a vida dele está PERFEITA! Ele nunca terminou com ela, esse ano já foram 3 viagens ao exterior, vivem rodeados de amigos (que ele metia o pau por não o ajudarem), estão todos bem e felizes.

Eu? Nunca consegui me recuperar do trauma de te me apaixonado. De ter me permitido, pela primeira é última vez, me apaixonar. Só Deus sabe o quanto isso foi difícil pra mim. Mas eu me permiti pois acreditei nele. Era tudo bom demais pra ser verdade. E não, nunca mais vi a cor do dinheiro.

Meu maior pensamento hoje é que Deus apenas o premiou, mesmo depois de tanta coisa ruim. Ele não me pagou, e está viajando. Ponto pra ele! Me deixou destruída emocionalmente. E está vivendo a vida perfeita. Ponto pra ele!

Acho que no fundo, mesmo quando a pessoa nos machuca demais, Deus ainda assim acha que ela merece ser abençoada.

Eu não digo que desejo o mal, mas ele merece sim pagar pelas maldades que fez comigo.

E a tá justiça divina? O mal que você faz hoje não irá voltar pra você amanhã. Essa é a lição que carregou comigo. Não importa quão bom você tenha sido pra alguém, aquele que te machucou e humilhou, esse sim receberá tudo de melhor da vida. E você, irá amargar eternamente a dor de ser chamada de louca, maluca….que não sabe superar um relacionamento.

PAAAARAAAAAA COM ISSOOOOOOOOOOO! Existe a lei do retorno SIM, só não será quando você quiser! Não fique a sua vida esperando ele se ferrar… pra que? Vai acontecer mas enquanto isso não ocorre, cuida de você, MOVE ON! Sai dessa! GRAÇAS A DEUS ESSE HOMEM SUMIU DA SUA VIDA, ISSO É LIVRAMENTO MINHA FILHA! Bate o joelho no chão e agradece esse embuste ter mirado em outra. E coitada da outra, vai passar pelo que você passou também! Assiste uma série no Netflix chamada Dirty John para aprender a ler sinais e não cair mais em armadilhas como essa. É muito mais comum do que se imagina. Sério, agradeça ele ter sumido.

Chora 02 – Gabi

“Constanza vou tentar resumir meu chora que é bem grande, mas também porque pode servir de alerta para outras pessoas…

Eu terminei meu último relacionamento há 5 anos – e confesso que não sentia muita falta de namorar. Eu estou estudando fora do país neste período e tinha até então aproveitado muito minha solteirice por lá. Ou seja, tinha uma vida sexual bastante intensa porque sei lá. nunca gostei muito de namorar. Sempre achei chato, bobo, não sei. Às vezes fico pensando que estou sendo imatura, ou que estou achando que essa fase vai durar pra sempre mas é o que sinto.

Acontece que recentemente fui diagnosticada com uma lesão intraepitelial de alto grau no colo do útero, que provavelmente foi consequência do vírus do HPV. Isso me deixou bastante assustada porque eu sempre me cuidei, usando preservativos, nunca gostei de pílula. Mas quando fui estudar um pouco sobre o assunto vi como é fácil contrair esse vírus (cerca de 80% das mulheres do mundo já entraram em contato com ele) e como ele pode ser danoso para as mulheres – podendo até causar câncer.

Nem preciso dizer como isso me afetou não é? Vem mil culpas na cabeça, culpa por ter sido solteira por tanto tempo, ter me achado uma irresponsável, com paranóia de poder contraído HIV também. Mil coisas. No momento encontro aguardando o resultado de um exame específico sobre o grau de gravidade do tipo do vírus que possuo, mas confesso que estou tão ansiosa que não consigo pensar em fazer qualquer outro exame como o do HIV por exemplo. Na verdade meu medo é tanto que não sei nem se quero saber o que tenho. Não sei se alguma leitora já passou por isso, mas estou muito angustiada com toda essa situação, preciso de algum conselho.”

 

Ótimo alerta! Mas não se sinta culpada… Pelo que entendi você usa preservativo né? E li que até 80% das mulheres sexualmente ativas vão contrair HPV em algum momento:

“A transmissão sexual – HPV é transmitido através do contato sexual. O câncer cervical e seus precursores são quase inexistentes em mulheres que não tiveram nenhum relacionamento sexual.

O risco está correlacionado com o número de parceiros sexuais, mas é relativamente alta (4 a 20 por cento), mesmo naquelas com apenas um parceiro. Pelo menos 75 a 80 por cento das mulheres sexualmente ativas terão adquirido uma infecção genital por HPV aos 50 anos de idade.”

Faça seu tratamento certinho, faça TODOS os exames, e sem medo. Quem já tiver passado por algo semelhante, deixe seu depoimento nos comentários!

Chora 03 – Sara

“Oi Cony, tudo bem?! Acompanho o blog tem um tempo, sempre vejo os choras e sempre tive vontade de mandar o meu chora, mas sempre tive vergonha. Agora criei coragem e vai.
Bom, tenho 26 anos, sou advogada, BUTTT tenho um problema com o meu peso. Na verdade, o problema é mais o incômodo das pessoas do que eu. Me considero uma mulher bonita, adoro me arrumar, estar sempre impecável até mesmo por conta do meu trabalho e porque sou bastante vaidosa. Mas as pessoas se incomodam demais com o meu peso, do tipo “ahh, você é tão bonita pra estar gordinha” ou “nossa, você é tão nova para estar gordinha, parece que já casou e teve filho” ou “ahhh, você parece que tem 32 anos”. Por mais que eu tente não ligar e ser superior a isso, isso me magoa e muito.
E sabe o que eu faço? Desconto tudo na comida. Vou lá e como um monte de doce. As vezes eu acordo mega animada, me amando, vibes e tals dai vem alguém com um balde de água fria e fala do meu peso. No meu local de trabalho, tive que pedir para que as brincadeiras parassem com relação ao meu peso porque isso me deixava muito triste. Na igreja, já tive que ouvir coisas do tipo “se você quiser namorar alguém bonito, bem sucedido, você tem que emagrecer e ficar gostosa, porque desse jeito ngm vai te querer”. Na minha casa, brigo sempre com meu pai porque ele faz questão de sempre falar “você está gordinha, hein?!” Olha, eu escrevendo isso me sinto uma imbecil porque não deveria ligar, mas acabo ligando e me magoando.Pra ajudar faço academia, me alimento bem, mas não consigo emagrecer. A verdade é que eu estou escrevendo pra ver se alguém me dá uma boa palavra porque de coisas negativas tenho ouvido demais. Bom é isso, espero que você possa me ajudar. Beijos!!!”

 

Óbvio que ouvir esse tipo de comentário magoa, mas me diga a verdade, você se gosta como está? Porque quem tem que se gostar é você! E pelo que entendi você tem auto estima sim, se acha bonita, se arruma, é vaidosa. É muito difícil falar sobre algo que não vivo sabe… sou bem franca, imagino o quanto deve te chatear esse bulling mas não sei a dimensão disso na sua vida. Não sei se você faz terapia, mas talvez seja uma boa! E dá uma lidinha no blog Futilidades da Joana Cannabrava e da Carla, elas tem um grupo que se chama Papo Sobre Autoestima e tem relatos bem interessantes de meninas gordinhas que amam o seu corpo, se curtem e dão um banho de alto astral. Outra coisa, se for tentar emagrecer, não conte pra ninguém que está tentando pois daí vem a pressão e vai te deixar mais ansiosa ainda. Faça do seu projeto só seu, aos poucos, no seu tempo, obviamente se isso for seu objetivo! A principal questão é: VOCÊ SE GOSTA? A saúde tá ok? Se sim, toca o foda-se pra todo mundo. Responda a altura quando alguém vier te criticar, dá resposta atravessada mesmo porque aí param! Mas se você se olha no espelho e tem algo que não curte, mude, não é errado tentar mudar o que não te agrada! A gente tem que aceitar nosso corpo sim, mas desde que a gente GOSTE dele, desde que nos sintamos bem na própria pele! Mas faça sempre por VOCÊ ok? Agrade a si mesma e a ninguém mais.

 

 

  • Choras abertos! Mande seu desabafo, sua dúvida, sua angústia, seu problema para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Se tiver que puxar orelha eu puxo, se tiver que fazer carinho, eu faço.