23
May 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

AHÁAAA, quarta feira é dia de Chora!!!

o1 – Pinocchio

“Cony boa tarde! Nem é preciso falar como sou fã de vc e do Futilish… não sou nem um pouco vaidosa mas suas dicas de moda me ajudam bastante!! Vou tentar escrever o mínimo possível, mas por ser um assunto bem delicado e difícil acho que pode ficar um pouco grande… Meu chora é bem diferente de muitos que já li… envolve um transtorno que acho que poucas pessoas conhecem… Sou de uma família de classe média, meus pais sempre fizeram de tudo para que eu e meus 2 irmãos estudássemos nos melhores colégios, fizéssemos inglês e tudo mais… eu e eles fomos criados da mesma forma. Apesar disso tudo, desde pequena fui flagrada em “pequenas mentiras”, sempre bobas, como por exemplo ter falado para amiguinhos no play que eu havia viajado para fora do país sendo que meus irmãos estavam ali e sabiam que não era verdade. No início era desmascarada, mas como era bem nova meus pais conversavam comigo, brigavam e falavam que não era certo e assim ficava. Mas tudo foi piorando…

Quando mais velha comecei a mentir de maneira mais preocupante… mentia coisas enormes e até inimagináveis. Falava que meu pai tinha carro x, emprego y, seguranças… e eu lembro bem que não era para me “gabar”.. era apenas para pertencer a um grupo que eu achava que não pertencia… fui descoberta, aos 20 anos comecei a terapia, li bastante sobre MITOMANIA e descobri que é um transtorno e é o que eu tenho. Aos 24 anos “me dei alta”, apesar de saber que ainda inventava certas histórias e que a mitomania ainda estava ao meu lado… É como se eu inventasse outro mundo, uma história, que eu realmente vivo, mas que não é real… As pessoas podem me julgar, chamar de doida rs Mas é mais forte que qualquer coisa, e não é maldade… acontece quase que involuntariamente. NUNCA menti pra tirar vantagem, ganhar dinheiro ou abusar e pessoas…

Meu namorado na época pediu pra terminar, eu inventei que estava grávida… Quando vi o tamanho da burrice que tinha feito, tentei desfazer, falei que havia perdido… mas mais uma vez, aos 26 anos fui desmascarada. Mais terapia, dúvidas, culpa, vergonha, nojo de mim mesma… quando caio em mim fico pensando como e porque faço isso. O tempo foi passando e prometi não me envolver com ninguém, comecei a entender que eu tenho um auto estima muito baixa, sempre acho que os outros são melhores que eu, sempre me comparei aos meus irmãos.. Fui tentando entender o que se passava comigo… mas tudo é muito complexo…

Foi aí que conheci faz 3 anos um cara num bar, papo vai, papo vem.. ele era recém-separado, tinha filho, era mais de 10 anos mais velho… eu não queria nada sério e achei que ele também não. Grande engano… depois de 3 meses saindo, nos apaixonamos.. e aí eu fiquei algumas vezes para contar sobre a mitomania mas não consegui… Falei que tinha uma doença grave, que fazia tratamento fora do país (para que ele não pudesse procurar) e aí para alimentar essa grande mentira fui criando menores e mais desgastantes ainda e alimentando essa doença para ele… Eu o afastava da minha família, para ele não descobrir e nem a minha família… foram 2 anos assim!!! Eu já não dormia direito, não conseguia ficar na casa dos meus pais nem na dele mais de 3 dias (alternava), eu gaguejava, estava mais do que ansiosa… No final, como sempre e como eu sabia, fui desmascarada. No fundo senti um alívio! Obviamente ele não quer mais nada comigo, morávamos juntos, pensávamos em casar e eu acabei mais uma vez com tudo…

Agora, quando estou “na realidade” vejo a dimensão de tudo que menti e a gravidade de tudo além de magoar as pessoas, enganar, trair… e todas as piores palavras que podem existir. Minha família e amigos íntimos estão ao meu lado, estou fazendo terapia intensiva e psiquiatra (tomando remédios controlados), me sinto impura, um nojo… Não consigo comer, não quero me arrumar nem sair da cama. Não é porque meu namorado terminou comigo, é porque não entendo o motivo de eu fazer isso… minhas irmãs são ótimas e eu sou assim… e estou preparada para ser julgada, sei que sou mentirosa, apesar dessa palavra doer profundamente em mim… Mas queria saber se alguma leitora já passou ou é psicóloga para me ajudar a entender, indicar livros, lugares… Minhas terapeutas falam que é a auto estima, impulsividade… maseu preciso entender mais… eu só preciso me livrar disso e viver uma vida feliz, tranquila. Eu só quero acordar um dia sem pensar na palavra mentira e poder respirar sem esse peso. Obrigada pelo espaço Cony!”

 

AMEI seu caso. Sério, é diferente de tudo o que já passou por aqui e acredito que vai ajudar muita gente! Eu mesma quero entender mais sobre isso pois tenho pessoas na família que mentem muito, e é exatamente como você falou: inventam um mundo que não existe mas que para elas é a realidade! Sabia que era um transtorno, mas no inicio a gente sempre acha que a pessoa tá mentindo por mau caráter né? Imagino o quanto você sofre com isso e estou ansiosa para saber a opinião de quem já passou por isso ou de alguma profissional para te dar uma luz! Força e sorte para você, o passo mais importante que é o de reconhecer a sua doença, você já deu.

 

 

Chora 02 – Pimpolho

Oi Cony, tudo bem? Resolvi escrever hoje, porque descobri que esse meu jeito muito calada e que não acha muita graça em muita coisa eh 80% do que desencadeia as minhas crises de doença de crohn.

Explico: já jaz muitos anos q descobri q tenho essa doença, ela atinge principalmente o intestino com inflamações. Que até hoje eu vinha tomando meus remédios e tratando. De vez em quando me dava uma rebeldia e esquecia de tomar e tinha umas crises, mas nunca tive uma crise como estou tendo agora. Fui internada com obstrução intestinal devido a inflamação (quase fui operada às pressas).

O que acontece é que tentos férias marcadas pra daqui a 3 dias e to na saga de aguardar autorização do plano de saúde para fazer um tratamento venoso (e nisso vai documento pra lá, cai em exigência, peço pro médico refazer)

E hoje meu médico me falou que 80% da minha doença eh a cabeça, eh minha ansiedade. Que eu preciso rir mais e ser mais alegre. Como a gente consegue isso? Como se abrir e conseguir achar graça nas coisas? Eu não vejo muita graça em algumas piadas, pessoas animadas demais me dão nervoso, eu confesso que acordo de mal humor. To preocupada com a minha saúde, mas nesse momento, o nervosismo e ansiedade para o tratamento não me deixam olhar fora da caixa e perceber o que eu posso fazer por mim mesma, além de tomar os remédios certinhos. Um beijo

Música. Eu posso te indicar música, ouvir playlists boas, começar a achar a vida leve, bonita, gostosa. Pode não fazer sentido nenhum para algumas pessoas mas quando eu estou mal humorada, uma boa música muda meu astral. Claro que são coisas diferentes mas cada um fala do que sabe né? Espero que as leitoras saibam te dar outras dicas. Ah, e se me permite uma observação, eu procuraria uma segunda (e até uma terceira) opinião médica. Sei lá, jogar a culpa na ansiedade para uma doença e suas crises pode ser verdade, mas também pode ser “preguiça” médica (não me julguem).

Chora 03 – Carminha

Oi Cony, tudo bem? Sou fã do seu blog desde os tempos do comprei no e-bay e acho que é um dos únicos que não perdeu a essência desde então! Parabéns!

Aqui vai o chora: tenho um relacionamento de 9 anos e moramos juntos há 3. Sempre fomos super parceiros e felizes, mas logo no começo da nossa vida morando juntos tivemos um problema: apesar da situação familiar dele ser menos estável que a minha (ele sustentava a mãe, enquanto meus pais eram estáveis e eu nunca tive que ajudar em casa) ganhávamos a mesma coisa e logo que pegamos a chave do apartamento dividimos as contas igualmente. No segundo mês eu descobri que ele não pagou grande parte das contas que estavam em sua responsabilidade, pois teve problemas financeiros e ao invés de me contar e dividir o problema, ficou com vergonha de pedir ajuda ou deixar que eu pagasse e postergou pro próximo mês. Soh fiquei sabendo porque vi uma cobrança que ele jamais teria me mostrado se eu não tivesse aberto sem querer… Discutimos e ele abriu o jogo. Alem disso, tinha também 2 dividas de empréstimos e cartões de credito grandes, que nunca me contou por vergonha e eu me senti enganada de estar entrando numa vida nova, morando junto e dividindo contas com mentiras e sem saber da real situação financeira dele. Claro que com a real situação financeira dele, eu acabei me responsabilizando  por  várias contas a mais. Não veria problema algum nisso, se isso tivesse sido exposto com honestidade e fosse combinado antes de comprarmos o apartamento.
Quase terminamos, mas ele se comprometeu a mudar e dei uma chance. Nesses 3 anos morando juntos, ele acabou com todas as suas dívidas e paga em dia todas as contas que dividimos em casa. Ele começou terapia e hoje é muito grato pelo chacoalhão que tomou e que o fez arrumar sua vida financeira. Mas a questão é que a minha confiança nunca mais foi a mesma. Ele nunca mais agiu errado, e já provou que aprendeu a gerenciar suas responsabilidades, mas o fato é que mesmo assim, estou sempre questionando ele. Sempre acho que no começo, a mentira dele foi uma forma de se aproveitar de mim, me colocando numa situação que não foi a combinada inicialmente e essa desconfiança é desgastante até pra mim, porque estou sempre dando um jeito de conferir extratos, de garantir que nada está sendo escondido, e sei que não é certo. Muitas vezes sinto que o machuco, principalmente porque nesses 3 anos, minha situação financeira evoluiu muito mais que a dele, e ele está correndo atrás para ser promovido no emprego e ganhar mais também, mas mesmo assim ganhando bem menos, depois do episódio da mentira e de acabar com suas dívidas, nunca quis deixar de dividir as contas todas por igual mesmo quando eu ofereci de pagar a mais. No fundo, eu tenho medo de acordar um dia e descobrir outra grande mentira dessas, que faça o relacionamento desmoronar do nada. Descobrir tudo aquilo bem no início da nossa vida juntos me assustou demais, mas eu o amo muito e vejo mudanças concretas. Enfim, queria ouvir uma opinião sensata, de quem está de fora, para entender melhor a mim mesma. Você  passaria uma borracha de vez em tudo que aconteceu e acreditaria de olhos fechados de novo, ou acredita que quem esconde algo grande uma vez  vai mentir sempre?

Hoje é o dia da mentira aqui no blog rss. Menina, seguinte, existem MENTIRAS e MENTIRAS e acho que ele errou sim, mas não por maldade ou pra te passar a perna. Se assim fosse, em 3 anos ele já teria aprontado mais uma, falha de caráter não dá para disfarçar por muito tempo. Foi um erro dele, como você mesma disse, por vergonha de te contar e pensa bem, vocês iniciando uma vida a dois, com certeza você estava mega empolgada, feliz, e você acha que ele ira jogar um balde de agua fria nessa felicidade toda? Ele pode te feito isso para te poupar, para não te chatear, muito mais pensando em você do que qualquer outra coisa. E você diz que ele melhorou, pagou as contas, divide tudo e ainda mantém as contas por igual mesmo você ganhando mais. Fia, dá valor nesse homem. Ajuda ele, que nem passe pela sua cabeça que sua vida financeira melhorou muito e a dele não, o tempo não passa igual para todas as pessoas e nem todo mundo tem as mesmas oportunidades, mas no momento que você aceitou ser um CASAL, pense pelos dois e não individualmente. Ele errou, assumiu o erro e consertou o estrago, não deu mais sinais de errar novamente, acho que não tem sentido você questionar mais isso e voltar com o assunto. Ou você dá uma chance para ele – e tenho certeza que ele faz por merecer – ou você separa e procura outra pessoa. Ja te adianto, TODO MUNDO TEM DEFEITOS ok?

 

  • Choras abertos! Mandem seus casos, suas tristezas, suas dúvidas e angustias para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Bêjo.
16
May 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Quarta feira e tem Chora, a melhor terapia em grupo da internê!

Chora 01 – Elza

“Cony, depois de tanto tempo lendo os choras alheios e empurrando com a barriga o meu, decidi enviá-lo como um pedido de ajuda, porque realmente não sei o que fazer diante dessa situação na qual me encontro.

Namoro há quase 6 anos e desde o começo da relação temos esse problema, que foi crescendo conforme o tempo foi passando. Meu cunhado é mais novo que nós dois, namora uma menina há bastante tempo, cheguei na família e ela já estava lá.. e desde o dia que fui apresentada, sinto a inveja dela por mim. No começo ela me recebia sempre retraída, não falava direito, ficava me olhando. Depois percebi que passou a me imitar. Imitava o que eu falava, o que eu fazia. Sempre de olho em tudo. As coisas foram piorando. Eu tentava viver minha vida e ignorar o problema, mas não me sentia bem. Pra família ela é uma simpática, querida e eu acabo ficando quieta, no meu canto, com raiva de ver aquilo. Várias vezes tentei conversar com ela e meu cunhado (que me tratava bem, mas tentava defender a namorada), mas era impossível conversar com os dois, eles começavam a dar escândalo!

Eu tentava pensar que isso acontecia por imaturidade, por ela ter problemas na família dela.. só que isso foi causando problemas no meu namoro e eu já não suportava mais. Já tinha conversado com meus sogros também.. mas eles e meu namorado são do tipo que preferem evitar um confronto e fingir que estava tudo bem. Todo mundo tem defeito, o do meu namorado é esse.. ele é fraco. Não enfrenta os pais, o irmão, finge que não vê as coisas, finge que nada tá acontecendo.

Antes de mim, ela nunca teve uma relação legal com meu namorado, comparando o jeito que ela fala com os outros, ela quase não falava com ele.. Até que um dia, explodi e conversamos nós 6, nós 4 e meus sogros. Foi uma conversa boa, botei quase tudo pra fora.. não foi tudo, porque eu não queria pegar tão pesado, mas foi o suficiente pra conseguir viver e continuar namorando.

Eu e meu namorado fomos viajar pra fora do país, levamos uma lista de coisas que ela pediu. E além de ter pedido mais coisas lá, não recebemos um obrigada, não fomos bem recebidos na volta da viagem e voltou a ser uma merda. Me senti uma idiota. Sinto que depois da conversa, quem mais tentou ter uma relação boa, quem ficava puxando assunto, tentando entreter.. era eu! Me sinto cansada. Ela fica o tempo inteiro de cara amarrada pra nós dois e voltou a me imitar em tudo.

Sabe Cony, eu peço ajuda pras pessoas que já passaram por esse tipo de situação com cunhadas. Gosto de resolver as coisas e isso me faz mal.. me faz mal diariamente. Tanto pelo fato deu viver com isso dentro de mim, tanto pelo meu namoro. Cobro do meu namorado uma postura em relação a isso e quando ele tem, é reprimido pelos pais. Eles são uma família muito família. São juntos demais além da conta do que eu estava acostumada. Todos os finais de semana estão todos lá reunidos, ela está lá todo santo dia e isso tem me afastado do meu namorado..um cara que realmente amo. A minha vontade de socar a cara deles dois aumenta. Tenho medo de perder a cabeça.”

Você não está dando muita atenção pra ela não? Serei advogada do diabo ok? No início do texto você diz: “desde o dia que fui apresentada, sinto a inveja dela por mim” Logo de cara, ninguém sente inveja. No primeiro dia, ao ser apresentada, você tratou ela bem? Outra dúvida: como assim ela te imita? Nas roupas? No jeito? Para a família do seu namorado, ela é gente boa, e você sente raiva disso? Será que você não armou uma disputa com ela, inconscientemente? Você foi conversar com seu cunhado e com ela, e eles deram escândalo. Como assim? A troco de quê? Que desequilíbrio é esse? Você foi reclamar da sua concunhada para seus SOGROS, que gostam dela? Mais uma coisa, você diz que seu namorado é fraco, o que você quer dele? Que ele compre sua birra com a menina? Pensa comigo, você pôs todo mundo pra conversar sobre a “inveja” dessa menina, você disse que explodiu. Já parou para pensar na imagem que eles tem (ou fizeram) de você??? Cobrar postura do seu namorado não é adulto nem inteligente. A birra é entre vocês duas. Ela se dá bem com a família dele e ponto, isso pra ELES basta. Não se meta no relacionamento DELES com ela, não cobre atitude DELES para com ela, nem do seu namorado. Já percebeu que todo mundo está de boa, vivendo, convivendo e só você que está “rangendo os dentes”? Se você quiser falar com alguém, fale com ELA, diretamente, mas poupe os outros disso, pode queimar seu filme. Meu conselho? Faça a egípcia e curta seu bofe. O resto que se exploda. Não é da sua conta e nem vai mudar sua vida. Só se você permitir.

 

 

Chora 02 – Holly

“Oi, Cony! Já te acompanho há uns 5 ou 6 anos e adoro seu blog e seu jeito de ser. Por várias vezes pensei em enviar meu chora (diferentes situações), mas sempre tinha preguiça de relatar meus problemas. Mas não dessa vez! 

Minha história é a seguinte: namoro um cara há 3 anos e é uma relação estável, verdadeira, respeitosa e de bastante sintonia e honestidade. Éramos amigos já antes de começarmos a namorar e antes dele, estava num relacionamento de idas e vindas com um outro cara, que foi bem babaca comigo no fim da nossa relação. O que me fez pensar em mudar, iria aproveitar a vida e já não manter hábitos que não tinham mais significado pra mim.
 
Nessa, passei um ano novo com meu então amigo (atual namorado) e resolvi me entregar numa noite que rolou um super clima e deixei a pegação fluir, culminando na minha primeira vez! Sim, eu era virgem (tinha 20 anos). A ideia era aproveitar que finalmente tinha deixado acontecer e seguir curtindo, mas fui me apaixonando e acabamos namorando.
 
O problema chega agora. Nosso namoro caiu bastante na rotina. Muitas vezes não sinto desejo sexual por ele, apesar de amá-lo. E sempre penso que não quero passar toda a vida tendo experiência com um único cara. (sim, visualizo nossa relação à longo prazo). Daí que várias vezes já me peguei sentindo desejo por outros caras. Tenho muuuita vontade de transar com outras pessoas e consigo separar na minha cabeça o sentimento de tesão e o de amor. Já comentei com meu namorado sobre a possibilidade de mantermos um relacionamento aberto, pelo menos por um tempo, mas pra ele não rola. Não cogito traição pois de fato prezo muito pela honestidade que temos. Também já pensei em pedir um tempo pra ficar solteira e ver no que dá, mas sinto medo de perdê-lo.”

 

Sossega a periquita. Normal isso do namoro cair na rotina e não pense que vou te dar o aval da libertação sexual nem do relacionamento aberto. Pode ser que funcione para algumas pessoas mas eu não acredito que um namoro possa sobreviver a traições e sexo casual com terceiros. Ou termina, ou dá um jeito de apimentar a relação. Filminhos, lingerie, viagens românticas. Eu, do FUNDO DO CORAÇÃO, acho péssimo ter dado certo de cara com o primeiro cara que transou. Sério. É bom mas é ruim. Bom porque é difícil dar certo com alguém, ruim porque eu super acho que a gente tem que conhecer outras pessoas para ter o poder escolher e saber do que gosta e o que não gosta. Mas a vida é assim, cada escolha, uma renúncia. Se você o ama de verdade, peite sua escolha. Se a vontade de conhecer outros for maior e não conseguir parar de pensar nisso, termine, mas esteja ciente que seu bofe não ficará a vida toda te esperando.

 

 

Chora 03 – Moana

Oioi Cony, tudo bem? Primeiro queria chover no molhado e dizer que AMO o teu trabalho! Sou tua seguidora voraz ha anooooos e amo o jeito que tu passa o teu conteudo e a tua personalidade. Queria ser tua amiga hahahaha!

Então, vamos ao meu chora. Não vi ainda algo similar por aqui então acho pertinente e gostaria de saber a opinião:

Namoro há 2 anos um cara super bacana, recentemente resolvemos ir morar juntos e tem sido uma experiência pra um chora a parte hahaha. Mas enfim, sei que esse período inicial é complicado mesmo, nem é isso que quero falar. O que tá pegando é um assunto fora de casa: trabalho.

Eu sou uma mulher bem independente. Tenho minha própria empresa, trabalho demais e ganho bem mais que ele (detalhe: isso no salário mesmo, porque no fim ele tem algumas rendas diferentes com imóveis e tal que fazem a soma ser diferente). Amo meu trabalho, fico até tarde sempre e adoro o que eu faço! Sou super bem resolvida nesse ponto.

Já o meu namorado não é assim. A família dele tem uma empresa gigsntesca, uma das maiores indústrias do Brasil e ele trabalha lá. Ele voltou de São Paulo fazem uns 4 anos e começou a trabalhar nessa empresa em um setor que tem afinidade com a formação dele. Mas sabe quando a pessoa nunca tá “feliz”? Ele não vai pra frente no trabalho, não se dedica, vive reclamando. Como ele tem uma posição confortável – o pai dele é o presidente da empresa, ele acaba tendo umas atitudes bem estranhas e anti profissionais – já comentei com ele que demitiria ele se fosse meu funcionário haahaha. Porém sei que empresa familiar é complicado, mas pra mim ele não aproveita a oportunidade que tem.

Aí ele tem um sonho de escrever, mas também não se dedica tanto pra isso. No ano passado ele pediu demissão mas depois foi ficando, ficando. E tá lá até hoje. No início do ano ele pediu demissão de novo e o pai dele pediu pra ele ficar e ele segue lá, empurrando com a barriga. Agora essa semana ele disse pra mim que vai sair de lá. Mas a minha admiração por ele nesse aspecto tá indo pro ralo. Ele não tem resiliência, não sabe o que quer (ele tem 36 anos), não tem um plano. Só sabe reclamar. Não sei o que falar porque sou muito diferente dele nesse aspecto e sempre quando ele vai falar disso eu acabo dando razão pras outras pessoas e isso tem deixado nosso relacionamento bem conturbado. Fico me perguntando se quero viver com uma pessoa que não sabe muito bem o que quer fazer da vida e vai levando.

Ah, ele e o pai dele estão fazendo “terapia” toda semana pra tentar resolver a situação entre eles mas isso tá só piorando também.

Já disse pra ele sair, mas também fico me perguntando o que diabos ele vai fazer?? Ele tem muita grana guardada então poderia fazer qualquer coisa, mas não vejo ele tendo o perfil pra isso. Cada hora ele diz`uma coisa e isso tá me deixando LOUCAAAAAA!

Ele tem vocação pra ser playboy? Rico, quase 40ão, sem saber o que fazer… sei lá. Se não for um bon vivant, pode ser que ele esteja perdido mesmo e precise de uma terapia mais firme para descobrir o que quer. OU, fale para ele tirar um ano sabático! Um ano sem trabalhar, pensando, longe de tudo e de todos. Ele tem grana, pode fazer isso!

 

 

  • Choras abertos! Mande suas angústias, seu problema sem solução, seu desabafo para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Nós te escutamos!
04
May 2018
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Gente, tô com tantas ideias pro Chora… ain vai ser TÃO LEGAL! Mas enquanto as novidades não aparecem, vamos de choradeira?

Chora 01 – Aperol

Cony, eu sabia que esse dia chegaria! Acompanho o blog tem muito tempo e sempre leio os choras pensando que um dia alguma das minhas angustias também estaria ali. esse dia chegou!

Tenho 29 anos, estou chegando aos 30 e tenho um forte sentimento de que não tenho valor algum.

Na infância, convivi com um pai extremamente abusivo, no sentido psicológico (graças a Deus nunca físico nem sexual), que tratava a mim e a minha mãe como sua propriedade, nos humilhando e tirando de nós o valor de ser mulher. Eles se separaram na minha adolescência e até hoje eu e ela temos sequelas, mas graças a terapia já não nos culpamos pelas atitudes dele, nem por não manter contato algum com ele hoje. Contei isso rapidamente, pois já sei que é daí que vem esse sentimento. O que acontece é que, depois disso, sinto que não consigo fazer nada na vida dar certo. Vivi um casamento também abusivo, pois casei muito cedo, na ânsia de sair de casa, diga-se de passagem. Comecei uma faculdade que amava e larguei pois meu ex marido me convenceu que eu não era boa o bastante para essa profissão, acabei me formando no curso mais genérico que existe: administração (odiava), fui trabalhar em áreas que não tem nada a ver comigo. Consegui me separar, depois de muita briga, muita ameaça e muita agressão. Trabalhei por anos numa mesma empresa, da onde fui dispensada em 2014, quando estava em um quadro terrível de depressão. Nessa época, já namorando (com meu atual marido), quase acabei com um relacionamento extremamente saudável por achar que eu não estava a altura dele. Nunca me senti merecedora da minha vida. Já pensei em acabar com ela. Já pensei em sumir e começar de volta.

Quando aconteceu de sair dessa empresa (odiava o trabalho, odiava o ambiente, mas ganhava bem) minha família e meu então namorado me incentivaram a procurar algo que me fizesse feliz profissionalmente. Comecei a estudar sobre moda e hoje tenho a “carreira dos sonhos”, Trabalho com styling e consultoria de estilo, amo muito o que faço, devolvo a autoestima pra tanta gente! Hoje estou casada, tenho a família que sempre sonhei, moro em uma casa linda (do meu marido), tenho uma vida “confortável” no sentido material, tenho apoio, incentivo, ranto dele quanto da minha família, mas como o mercado em que atuo está muito ruim, me sinto novamente inútil, por não contribuir com nada do que tenho. Resumindo, hoje sou sustentada pelo meu marido, sonho pra muita gente, mas um calvário para mim. O pior é que eu trabalho muito duro pra minha carreira dar certo, e tenho consciência de que talvez não dê mesmo, estamos em crise e é um serviço elitizado. Mas quando tomo atitude de procurar um emprego, todos me desencorajam, pois viveram comigo a depressão e o burnout do ultimo emprego. Não me sinto merecedora do que tenho, não me sinto capaz de fazer algo para merecer e a questão do “não valor” tem voltado com tudo. Não me sinto merecedora nem de sofrer por isso. Não me sinto merecedora nem de ganhar espaço e conselhos no chora (talvez esse email nem seja enviado), mas não consigo falar desses sentimentos com ninguém. Não tenho mais força pra aguentar sozinha essa situação e mesmo com tanta gente boa ao meu redor, não tenho coragem de “incomodá-los” com os meus problemas. Talvez você ou as meninas possam me ajudar .

Juro que me senti mal lendo o seu depoimento e vou te falar porque: você tem uma carga negativa TÃO grande que tenho certeza que é ela que te amarra ao fundo do poço. Observe quantas vezes você disse a palavra NÃO. Se fosse para desenhar sua situação, seria você se afogando numa poça água, pedindo ajuda sendo que só é necessário olhar pra cima e se levantar. Difícil? É sim, mas pare e pense: você tem uma família que te apoia, um marido que está sempre com você, trabalha com o que gosta. Tem crise no país? Tem, mas tem pra todo mundo. A gente atrai o que vibra e se você continuar nessa de ficar lamentando, achando que não merece nada, que é uma inútil e incapaz é isso que terá da vida de volta. Volte pra terapia urgente, você mesma está se afundando! (repare como começou o seu texto: eu sabia esse dia (de chorar) um dia chegaria. Quem mira no ruim, no fracasso, sempre terá isso de volta.)

 

 

Chora 02 – Gin

Oi Cony tudo bem?? Primeiro quero dizer que sou sua fã acompanho seu blog a anos. Sempre leio os choras e isso tem me dado forças.

Então, tenho 24 anos e tenho uma filha de 3 anos ( que é a minha razão de viver) acabei de sair de um relacionamento de 7 anos, 3 anos de namoro e 4 anos de “casamento”. Engravidei aos 20 anos o que nos levou ao morar juntos. Até ai tudo Ok! Eis que com o passar dos meses morando juntos e eu ainda grávida eu descobri que ele usava drogas. Surtei, pirei e minha filha nasceu prematura de 8 meses (graças a Deus não precisou de UTI). Ele pediu perdão e jurou que nunca mais ia chegar perto daquelas porcarias, ledo engano!
Como nunca cheguei perto desse tipo de coisa eu não sabia identificar cheiros, sintomas e tals. Demorei, burriei.
Tem um mês que eu descobri que ele nunca parou, achei nas coisas dele. Avancei nele, e joguei as porcarias no vaso e dei descarga, porque poxa ele tinha prometido, tinhamos uma bebê em casa. E mandei ele embora. E o ele fez?? Me bateu.
Foi a gota!! Registrei Maria da Penha e tudo, foi uma das situações mais humilhantes da minha vida, mas agora estou LIVRE daquele embuste.
 
Mas ainda não acabou, como estou carente kkkkk ne rendi ao Tinder só que as conversas não “vingam” os carinhas ate pedem Whatsapp, mas o único que virou contatinho some no fim de semana e eu briguei com ele kkkk porque segundo minhas amigas ainda estou com cabeça de casada. Cony, ajuda arrumar uns contatinhos kkkkk

Gente não estou crendo nesse Chora. Parece escrito por duas pessoas diferentes. A primeira uma mulher que sofreu violência física de um drogado e com uma bebê de 3 anos. Grave, preocupante, triste! E depois fala de Tinder e sua preocupação são os contatinhos??? Não sei nem o que falar, não que você não deva ter seus contatinhos mas fiquei confusa rs. Acho que o mais importante no momento, já que se trata de uma separação recente e traumática, é o bem estar da sua filha e sua segurança.

Chora 03 – Vodka

Olá Cony, sempre fui leitora do blog, acho que desde de 2009 ou 2010.
Mas confesso que fiquei 1 ano e meio sem entrar! E quando entrei hoje resolvi escrever minha história! hahaha Eu tenho 35 anos e sou de BH, formada e independente!
Tive um relacionamento de 7 anos no qual foram 3,5 de namoro e 3,5 de casamento, sempre conturbados e cheio de brigas! Até minha terapeuta me dizer que eu estava em um relacionamento abusivo. E foi aí que minha ficha caiu, na verdade já havia começado a cair pois quando procurei minha terapeuta novamente parecia que era isso que eu esperava escutar.
Me casei em 2014 e no final de 2016 fomos morar nos USA  pq ele visitou o país em 2014 e voltou dizendo que queria se mudar pra lá, me convenceu no início de 2016 e nos mudamos em novembro de 2016. Lá não houve companheirismo e eu não me adaptei e o relacionamento que já estava ruim terminou!  Eu me torturava querendo tomar uma atitude e não conseguia, até que um dia consegui.
Procurei terapia e advogado e com muita dificuldade consegui me separar, voltei pro Brasil em novembro de 2017 e em janeiro já estava oficialmente separada.
Hoje vivo a melhor fase da minha vida, me sinto livre e dona de mim e madura o suficiente para lidar com todas as coisas da vida, foi um processo desde quando eu estava me relacionando com o meu ex, mas eu nunca consegui colocar em prática tudo que a vida estava me ensinando. Hoje moro com duas amigas e sou independente e faço o que quero da minha vida. Mas aí bate aquela vontade de ter alguém né?
 
Conheci um cara logo que voltei pro Brasil, bacana e do tipo que toda mulher sonha, mas eu ainda não estava preparada e terminei com ele. Depois de algumas saídas conheci um cara que super bateu em tudo, mas aí ele não estava na mesma frequência que eu! (coisas da vida). E eu saí fora outra vez, sem ele me dar um fora nem nada, ele me procurava, mas não era nada sério.
 
Agora conheci um cara bem do jeito que eu queria (fiz meta para isso), ele tem demonstrado interesse, é bacana, mas terminou um namoro de 1 ano há 1 mês.
Eu estou deixando me levar com muito empurrão do meu subconsciente, mas confesso estou morrennndo de medo de sofrer, ele é um cara sincero e me disse que ainda gosta da ex. Mas tem feito planos e nos falamos todos os dias, mas já pensei em saí fora também por medo de sofrer novamente. Sinto que estou me auto sabotando. Sei que preciso arriscar uma hora, mas sinto que deixo o medo de paralisar!

 

Hum, normal. Terminar é normal. Recomeçar é normal. Se apaixonar é normal. Levar pé na bunda é normal. Apenas te aconselho a prestar atenção aos sinais no inicio de qualquer relacionamento, e um cara afirmar que ainda gosta da ex namorada é um sinal em neon de 2 metros de altura e 5 de largura. Mantenha ele por perto e observe, mas não se prenda a esse.

 

 

FEEDBACK DO CHORA

Recebi um feedback! Vocês sempre perguntam se alguém manda um mail falando o que fez depois dos conselhos e tal, e recebi esta resposta da Barcelona (este chora AQUI):

Cony, eu não sei como vc vai entender isso, pq posso parecer um pouco doida hehe Mas eu estou extremamente grata por vc ter publicado, respondido e dado a oportunidade de outras pessoas opinarem sobre meu chora. Na verdade, eu chorei mesmo! Haha Vc não tem ideia de como foi bom e muito importante pra mim ler essas mensagens, sobre não me sentir um ser estranho perante a sociedade, e de conseguir repensar bastante sobre minhas paranóias e coisas que já escutei por aí… Eu finalmente comecei a me sentir em paz com minha situação… Os comentários me ajudaram tanto! Eu nunca soube de outras mulheres que já passaram por isso, e nossa! Que bom que vc existe! Que seu blog existe, suas leitoras…! Sou eternamente grata.
Eu vi seu stories e não entendi o caso da polêmica, mas não importa, o que eu li hoje já foi o suficiente para repensar nos meus ideais, na minha vida e o q eu quero para ela, e isso é muito importante!
Se for possível, gostaria de pedir pra vc agradecer nos stories ou blog, as leitoras que deixam comentários no chora. Elas fazem muita diferença, assim como vc. Peço isso pq n tenho como fazer… Gostaria de dar um abraço em cada uma hehe
Nunca comentei sobre os casos, mas a partir de hoje, se puder contribuir com alguma coisa, com certeza vou comentar, quero poder ajudar assim como fui ajudada.
Muuuuuuito mais sucesso pra vc! Vc merece tudo de bom!
Beijos da Barcelona 🙂

 

  • CHORAS ABERTOS! Podem mandar seus casos, suas angustias, suas tristezas, suas preocupações para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. A melhor terapia em grupo da internet e com os conselhos mais sábios das minhas leitoras 🙂
Página 1 de 3612345Última »