18
Sep 2017
A Mala do Atacama
Diario de Viagem, Dicas de Viagem

Agora sim, o post final da série ATACAMA. Muuuuuita gente perguntando sobre a mala, o que levar, o que usar, o que é dispensável, o que é obrigatório. Enfim, hoje vou contar aqui o que realmente faz diferença para passar alguns dias no deserto.

Vamos a algumas considerações:

  • A temperatura varia muito. Fomos no final de agosto e durante o dia pode chegar a 30ºC e a noite uns 5ºC. Em alguns passeios, pode até rolar uma temperatura negativa, tipo nos Géiseres Del Tatio, teve gente que falou em -12ºC! O que isso quer dizer? Tem que levar roupa de calor calor e de frio frio.
  • O tempo é seco, bem seco. E ainda por cima tem o fator altitude, o que dificulta a respiração. Tem considerar isso na hora de montar a necessaire.
  • Lá a gente anda muito e, claro, muita terra. Tudo suja rápido.
  • A franquia de bagagem pro Chile (Brasil – Chile) é de 23kg. Complicado né?

 

Agora vamos montar a mala?

  • Blusas térmicas: pode considerar uma por dia. E pelo menos uma extra… As minhas são da Uniqlo (comprei fora, em NY e em Tokyo, são as melhores do mundo!), mas a Decathlon aqui no Brasil também vende.
  • Calça térmica: eu fiquei 4 dias e meio e usei duas calças térmicas. Levei dois tipos: legging, e calça calça mesmo, de tactel por fora e térmica por dentro. Essa última foi bem útil quando os passeios eram para lugares muito frios.
  • Meia calça térmicas: super necessário. São ótimas porque você coloca a meia calça e uma legging por cima. Daí quando começa a fazer calor, tira a meia calça e guarda na mochila. São leves e não ocupam muito espaço.
  • Meia térmica: também bem necessária, mas não precisa uma por dia… acho que umas duas só, para quando for passeio de muito frio.
  • Luvas: as comuns mesmo.
  • Gorro: nem precisa ser térmico e se não tiver, pode comprar um de lã na feirinha de San Pedro. Bom que faz um estilo né?
  • Cachecol ou golas: cachecol (de lã, grossos, ou estilo pashmina). Golas também são bem vindas.
  • Fleece: ou aquele casaco/moletom de soft… Para por por baixo da jaqueta!
  • Short de corrida: daqueles levinhos, que dá para dobrar e ficar pequenininho sabe??? Tem que pensar em trocar de roupa durante o dia, talvez até durante um passeio e as coisas para levar na mochila não podem pesar ou fazer volume!
  • Legging: VÁRIAS! Todas as que você tiver no armário hahahaha. Eu pequei e levei só duas. Passei necessidade pois achei que duas estariam ok, afinal estava levando calça jeans também. Jeans é o que menos se usa lá! É ruim para fazer os passeios, incomoda, não é nada confortável. SE FOR LEVAR, leve apenas um. O mais básico de todos. Sobre as leggings, pode ser aquelas da Zara, mais grossinhas, ou de ginástica mesmo, até o pé, para cobrir com meia, com a botinha ou com polaina. Melhor não deixar o tornozelo livre por causa do frio ou para não se machucar nos passeios. Vi várias mulheres com calça de ginástica, eu nem tinha pensado nisso. E por que levar várias? Porque suja MUITO! Acho que dá para repetir um dia só, isso se não sujar muito… Mas ó, pra foto ficar bonita, melhor levar legging sem estampa e cor neutra. Tem que pensar no álbum da viagem né?
  • Camisetas: várias também. Básicas e lisas (ou listradinhas rs). Pode levar regatas de malha também.
  • Casacos de nylon fofinho: eu levei dois e usei os dois. Um mais comprido e arrumadinho, cobrindo o bumbum e um mais curto, desses esportivos mesmo. Dá para ser só um, o curto esportivo…
  • Polainas: nossa, usei demais. Dei sorte que minha mãe tinha várias e peguei emprestadas com ela. Mas aqui entra o fator blogueira preocupada com as fotos… como a maioria das minhas roupas eram pretas, para dar uma variada, eu trocava a polaina. Faz toda a diferença! Daí pode se jogar em cores, estampas, o que for.
  • Top de ginástica: mais confortável que sutiã. Pense em atividade esportiva, muita!
  • Tênis de ginástica: Eu praticamente só usei minha botinha, mas um tênis é bom levar. E um sem muito apego, pois tudo volta muito sujo e acabado.
  • Botinha de trekking: o item MAIS NECESSÁRIO para a mala do Atacama! Gente, não sei o que seria de mim sem essa botinha. Comprei um dia antes de ir e foi a coisa mais inteligente que fiz na vida. Dá firmeza, aguenta o tranco, é segura (para não torcer o pé) e é confortável. Comprei a minha na Centauro, por R$ 300 e alguma coisa, da marca Bull Terrier e amei!
  • Biquíni: ou maiô. Tem o passeio das termas que é uma delícia. Além disso, tem as lagoas escondidas (aquelas que tem mais sal que o Mar Morto) que TEM QUE ENTRAR. É algo único. Então roupa de banho é necessária sim!
  • Lingerie confortável: daquelas sem costura, sem nada que arranhe, machuque, irrite.
  • Chinelo: sempre né? De borracha, o mais básico  mesmo.
  • Óculos de sol: um só tá ok, eu levei um Ray Ban modelo Wayfarer.
  • Boné: bom também para proteger do sol durante os trekkings.
  • Protetor solar: litros, apenas litros rs. Ok, exagerei, mas tem que usar protetor solar todo santo dia, no rosto e corpo! O sol é forte, então tem que cuidar!
  • Protetor labial: o tempo seco pode ressecar os lábios. Também tem que andar sempre com um balm labial na mochila.
  • Descongestionante/Lubrificante nasal: para ajudar na respiração e o nariz também resseca muito!
  • Bota salto baixo: tipo motorcycle boot. Eu levei aquela minha que amo, da Santa Lolla. Tipo, se for sair um dia a noite em San Pedro, para jantar, ir num barzinho e não quiser ir de tênis ou botinha de trekking, que usou o dia todo sabe?
  • Mochila: Super master necessário também. Leve uma básica, leve, de tamanho ok (nem pequena nem muito grande). De preferencia com bolsinhos nas laterais para por a garrafa de água.
  • Garrafa de água: todo passeio é bom levar uma garrafa com água, mas Ó, encha com água mineral! Jamais com água da torneira,
  • Chocolates: para dar energia durante os passeios!
  • Câmera fotográfica: eu levei câmera, Go Pro e celular (tenho um iPhone) e fiz praticamente todas as fotos de celular! E ficaram lindas… mas é bom levar uma câmera sim…
  • Carregador de celular: daqueles portáteis sabe? Eu chegava no hotel a noite e já deixava carregando pro dia seguinte. Não dá para ficar sem bateria no deserto! Tem que registrar tudo.
  • Lanterna: uma mini lanterninha é bom ter na mochila. A noite é bem escuro (usam pouca luz para manter aquela visão maravilhosa do céu), então uma lanterna pode ser necessária em algum momento.

 

Mochila (a minha é mais causal, indico uma mais esportiva!), casaco fofinho da Olympikus, botinha de trekking da Bull Terrier, polaina preta e legging Zara.

Mudando o visual com uma polaina colorida!

Camisetas de malha, várias! Usei um top de tirinhas por baixo.

Colete fofinho também é bom… mas confesso que só usei um dia.

Esse é meu casaco matelassado mais comprido e acinturado. Minha mãe que comprou pra mim no Chile, em Falabella. Essa calça, mais larguinha, é da Uniqlo e comprei em Tokyo. Por fora é de tactel e por dentro de flanela.

Gola que serve como faixa pra cabeça e esquentador de orelha também rs. Comprei na feirinha artesanal de San Pedro, coisa de R$ 20.

Roupa de banho pras termas.

E essa foi a botinha salvadora! Comprei na Centauro, achei o preço bem bom e fez lindo na viagem. Sem ela eu nada seria rs. Essa é EXATAMENTE a minha! Ah, e comprei um número maior por causa das meias mais grossas (calço 37 e comprei 38). Mega confortável, não machucou nunca em nenhum segundo. Segue o LINK

  • Bom, e aqui acaba a saga do deserto. Uma viagem linda que acredito que todo mundo deveria fazer na vida!!!! Ah, uma dica importante, se quiser ver o céu mais estrelado do mundo, escolha ir em semana de lua nova. Se tiver lua cheia (ou algo de lua), nada de estrelas no céu!
17
Sep 2017
Mi casa, su casa – Emergência! Evacuar!
Decoração, Mi Casa Su Casa

Olá minhas leitoras divinas e meus leitores maravilhosos!

Tá tudo supimpa com vocês? (Vocês ao menos sabem o que supimpa significa? #tioidoso)

O post de hoje é um post que serve para o mundo todo, menos pra Sandy.

Vou falar de defecar! Não do ato, mas do aparato:

Como vocês ficaram sabendo AQUI, tivemos um caso de banheiro suicida no meu apto, e está rolando uma reforminha que estou registrando para fazer o diário de obra pras Fufu magnificas do meu coração.

Eis que eu me encontrei, quase lindo, quase alto, quase magro e quase rico numa situação diferente: eu estava escolhendo itens de banheiro para eu mesmo comprar. Então além dos detalhes técnicos eu tinha outro fator determinante: O escorpião que habita meu bolso.

Vamos primeiro de tudo para a parte teórica da coisa.

O trono é formado por 2 ou três partes, sendo: Bacia sanitária + assento, para quem tem a descida da água por dentro da parede com a válvula tipo hidra:

OU o mais comum atualmente: Bacia sanitária + assento + caixa acoplada, para quem mora em apartamentos ou opta por esse tipo para evitar (possíveis) transtornos de manutenção.

Sabendo disso abrimos um leque imenso de opções dentro das duas variáveis, inclusive o tamanho dos investimentos.

Contudo existem alguns detalhes que eu sempre saliento para meus clientes, que ajudam na funcionalidade e manutenção. Primeiro de tudo eu sempre indico os produtos que tem o “jato plus”:

EIKE TÊNIS SUJO! Perdão gente.

O jato plus eu chamo de “turbo do cocô”, afinal é um empurrãozinho extra – fisicamente é isso mesmo que ele faz.

Especialmente hoje em dia que – ainda bem – quase todos os modelos tem a descarga “ecológica” em duas potências – geralmente 3 e 6 litros essa força extra é bem vinda.

Agora a gente segue pro design da base do sanitário. Prefira sempre o que for mais liso possível, como esse:

No máximo, caso nenhum esteja disponível ou o valor seja absursdo… que tenha o parafusinho de fora, como esse:

Estes modelos com a base reta são bem mais caros, porque vai muito mais material para fabricar e também pela dificuldade de moldá-los.

Conhecendo isso evite os modelos com parafusos aparentes porque é ali que vai enroscar cabelo. É ali que o pano da limpeza vai prender e é neste mesmo parafuso do capiroto que você vai rasgar seu dedo tentando fazer a faxina. E agora me diga, tem lugar pior pra cortar o dedo do que no vaso sanitário?

Te rogo Fufu, se puder fugir feito uma gazela do leão de algum modelo, são esses:

Já imaginou a complicação de ficar alisando esse negócio cheio de curvinhas até tirar o pó?

Lembre-se que pra fazer isso você basicamente estará com a cara dentro do cagador.

E quem SEMPRE está presente nesses modelos mais simples? Quem? Quem:

Ele mesmo! O parafuso do Fred Kruguer.

Assim, pra deixar vocês já com uma noção de preço, um bom valor para um kit de Bacia sanitária + assento + caixa acoplada é de R$ 1.000,00 parece muito? Parece, e é. Entretanto me diga: Quantas vezes você troca isso na vida? Melhor comprar um razoável né?

Foi por isso que eu pulei o mais barato e comprei o 2º menor valor, porém com uma base lisinha (mas com parafuso do mal):

Sim, é um baita salto de R$ 198,00 para R$ 449,00 dinheiros, mas é a hora que você se agarra no nojo de limpar o vaso e enfrenta o escorpião.

Eu me lembro back in 2007 quando eu fui pela primeira vez com um cliente escolher esse tipo de produto. O valor era determinante e eu encontrei um com valor bem abaixo da média e tal, e o cliente só dizia:

“_Não. Esse não. Não quero esse.”

E eu pobre que sou, insistia no mais barato. Até que o vendedor se afastou e meu cliente disse (com um tom um pouco mais alto do que o normal):

“_Não vou comprar esse! Parece que ele tá rindo de mim!”

E desde então eu sempre enxergo os sanitários arredondados de um jeito diferente.

Mas vocês acham que acabou?

Tem que escolher o assento ainda. Assento é o que a gente chama de tampa mesmo.

Olha, se os preços são absurdos com a parte cerâmica da coisa, essa parte plástica não poderia ser tão mais absurda.

Tem desde aqueles de plástico que resseca, racham e beliscam a bunda:

Tem os que tem estofadinho, tem os que tem sistema de amortecimento para não bater:

E eu queria saber o que que esses daqui fazem pra custar 300 – 650 dinheiros:

Mas fiquei com medo de perguntar e me cobrarem a resposta.

Vamos falar daqueles que – literalmente – lavam e secam nossos países baixos:

Eles surgiram na Ásia, não sei onde especificamente, mas são conhecidos como japoneses.

Já tem aqui em Terra Brasilis um assento (tampa mesmo) que podemos compatibilizar com alguns modelos, além de alguns como este da foto, que já  vem com todo o sistema prontinho. Eles só precisam de uma tomada próxima além do que já é o padrão de instalação.

Tenho dois pedidos pra vocês, o primeiro é não zoar a tampa do vaso.

E o segundo – deixa eu ser cuidadoso nesse tópico – eu gostaria que vocês evitassem os “kits de decoração para banheiro”

E eu entendo que muitas vezes a gente traz o costume da família, da avó, da mãe, das tias… e não é que eu julgue todos esses conjuntos feios – apesar de uma parte significante deles serem feios mesmo.

Eu admiro o trabalho artístico, minha mãe mesmo faz crochê e eu acho incrível a capacidade de transformar um fio, com ajuda de um ferrinho, em algo completamente diferente.

PORÉM, tem dois componentes desses conjuntos que não tem como defender:

O tapetinho que “encaixa” no vaso, e o que “reveste” a tampa do próprio cagador. A não ser que eles sejam lavados cada vez que alguém que mija-de-pé use o banheiro, não dá pra conviver com todo o xixi que respingará neles e ficarão ali, saudando os moradores com um phedô incomparável.

Por sua atenção, obrigado.

Não esqueçam de deixar nos comentários dúvidas que vocês tenham sobre qualquer assunto relacionado a construção e decoração pra eu ir fazendo as matérias.

Não deixe de seguir nossa patroa no instagram como @futilish e euzin como @Tiolelofoz no instagram e no Snapchat.

As fotos utilizadas nos posts são coletadas na internet, e só apareceram aqui porque eu gostei, então, parabéns pra você que fez. Respeito muito seu trabalho e os créditos são seus. Se te incomodar a divulgação aqui, mande um email e eu substituo. BêXos.

 

 

15
Sep 2017
O Coisinho do Celular
Rapidinhas, Shopping Time

Toda vez que faço meu look no espelho, alguém me pergunta o que é o coisinho do celular rs.

Para quem ainda não viu, separei alguns dos últimos looks que mostrei no Stories do Instagram (segue lá! @futilish)

Então, esse coisinho, que parece um anel, se chama POP SOCKET!

Vi na Best Buy em Miami e achei interessante… acabei comprando, baratinho, coisa de 9 dólares e hoje penso… COMO CONSEGUIA VIVER SEM ISSO ANTES?

É um suporte que cola na parte de trás do celular (é bom colar na capinha, mas como sou tosca, colei direto mesmo) que dá firmeza e segurança na hora de segurar o celular. Como eu VIVO com o telefone na mão e sempre deixava cair, esse negocinho foi ótimo para manter ele mais seguro e firme na mão, seja para fazer selfie, filmar, ou até para ficar com o telefone na mão mesmo.

Além da função básica de segurar o telefone, ele serve também como apoio para deitar o aparelho e ver videos, ou ainda para enrolar o fone de ouvido!

O meu é esse azul e tô doida com esse que parece um diamante.

E a maneira como o Pop Socket pode ser utilizado.

  • Ainda não vi para vender no Brasil, mas no Chile tinha! Num stand de celular no Shopping Parque Arauco, e barato, coisa de R$ 20, até mais barato que o da gringa! Ah, e no site da Pop Sockets, ainda dá para personalizar e colocar fotinho, logotipo, o que for. Podia chegar logo no Brasil né? Eu tô adorando e TODO mundo que vê o meu, fica doido querendo um. AH, e ele “afunda”, não fica o tempo todo pra fora não. É só apertar que ele afunda e fica mais baixinho. Deu pra entender? E dá para descolar, lavar e colar de novo. LINK da Best Buy e LINK da marca!
Página 7 de 1,122« Primeira56789Última »