LifestyleLifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
16 jun 2019, 15 comentários

Mi casa, su casa – Mesa Posta

Olá Fufulândia!

Geralmente os assuntos que inspiram meus posts são dúvidas que vocês deeixam nos comentários ou coisas que acontecem no dia-dia do escritório. Essa semana foi um pouco diferente: Veio do Instagram.

Eu já sigo, puramente por gostar do tema, alguns perfis de louçaria (@casademineira), organização (@menina.organizada). Contudo o dia dos namorados exibiu uma explosão de pessoas investindo em um jantar íntimo, em casa mesmo e com esse comportamento muita gente se empenhou em arrumar a mesa de um jeito especial para a noite.

E eu, cancerianinho achei muito fofo… Porém, transtornado que sou, acabei percebendo muitos erros de composição de mesas, então pensei: Vamos falar dos itens (iniciais) para mesa posta e umas regrinhas de etiqueta?

Eu já fiz dois cursos (online) com a Juliana Santiago (@vidadecasada), uma mineira que fala tudo sobre etiqueta e como receber de forma adequada. Achei de grande valia então é um perfil que vale a pena seguir e caso tenha interesse conhecer os cursos. (Não é #publi, infelizmente, hahaha).

Não vou ficar aqui de falatório, cuspindo regras de etiqueta, mas temos que entender a composição formal completa para poder fazer a versão mais simples. Então cata essa ilustração do Vamos Receber:

Não abandone essa matéria. Vou ser o menos xiita possível. Essa composição – autoexplicativa – é uma mesa completíssima, super formal, com 4 cursos (entrada, prato, prato principal, sobremesa) couvert, lugar marcado…

E desejo que todos sejamos ricos o suficiente para oferecer isso para quem amamos, mas também que tenhamos um coração simples e que não façamos uma mesa tão imponente que oprima os convidados. Gosto de mesa com viadagem, gosto. Entretanto, numa versão mais moderna. Veja as mesas que me agradam:

Acredito que possamos nos esforçar um mínimo, para nos presentear com uma mesa caprichada:

E isso é um auto-puxão de orelha, porque eu não sei quantas vezes na vida eu comi direto na panela, sentado no sofá por pura preguiça de arrumar a mesa e me tratar como um humano.

Voltando aos stories do dia dos mozão,  que eu mais vi errado: Posição de talheres. Colher e faca sempre à direita e garfo sempre à esquerda. E o fio de corte da faca sempre virado para dentro, em direção ao prato. Também vi copos do lado erradíneo, os copos devem estar à direita, acima da faca.

Como aprendi no curso, a mesa comunica para o comenssal (quando da vyda eu imaginei usar esse termo: nunca) o que vem pela frente.

Se você se senta e tem: uma colher de sopa, uma faca de mesa e uma colher de sobremesa, já sabemos que teremos algo como sopa, creme ou consomé, um prato principal e uma sobremesa. Então é bem simples a partir do momento que aprendemos a disposição das coisas, a montar uma mesa simplificada, pois a mesa só vai ter os acessórios que vamos usar. Logo, o primeiro passo da mesa posta, é o cardápio.

Não se sintam intimidadas pelas mesas que vemos na internet. A maioria das fotos maravilhosas é pensada para vender produtos. Logo acima, na imagem que tem o bolo, os talheres estão ali só para preencher espaço e colocar desejo nas pessoas, porque para servir bolo, só de usaria UM garfo, e na foto temos dois garfos, uma faca e uma colher, sem contar que o prato que está ali é um prato raso, não de sobremesa e o sousplat continua na mesa… mas o sousplat deve sair depois do ultimo prato salgado… logo… tuderrado, é só para vender mais e mais produtos.

Agora vamos falar dos itens para iniciar seu acervo de mesa posta?

Primeiro de tudo temos que entender que toalha sempre será usada para eventos mais formais, ou em mesas grandes, largas onde a toalha vai preencher vazios e poderão ser admiradas. Toalhas mais naturais como linhos, algodões são indicadas para o dia, logo, reserve rendas, cetim e bordados para a noite.

Jogos americanos: em mesas formais e casuais, nos mais diferentes materiais, formatos e cores, especialmente em mesas mais estreitas.

Nunca, jamais, sob hipótese alguma, nem que a sua mãe mande, use toalha e jogo americano juntos. As vezes vemos toalha com um trilho por cima, porém é com função de adicionar cor.

Com o eu já defendi AQUI, sou a favor de você ter 2 jogos de jantar, que se complementem e dupliquem a sua capacidade de receber. A quantidade adequada para ter de pratos é a quantidade de lugares que tem disponível + 2 por exemplo, se na sua casa você tem uma mesa de 6 lugares, eu indico ter 8 pratos, quando algum quebrar você não fica com a mesa faltando um lugar. A ideia do post que linkei , se investir em 2 jogos é a dica que fará você ter diversidade.

Convenhamos que as arrumações que vemos tem louças especiais, limões sicilianos, arabescos azuis, abacaxis, borboletas… é infinita a variedade de louças já criadas, se falarmos das temáticas, como páscoa e natal então, danou-se. Mas como estamos tratando de um início de carreira, vamos ser sensatos e começar com louças brancas e vidros incolores. Uma verdadeira artista é a Priscila do Blog Anfitriã, que exalta sempre e me ensinou a versatilidade da louça branca e do vidro:

A partir do momento que temos esses itens, especialmente o branco é possível ir variando a decoração com jogos americanos, flores e guardanapos. É a “base” neutra que não necessariamente precisa mudar tão cedo.

Como vocês vão querer saber, eu gosto muito das opções de louças da Porto Brasil, e da Scalla. Não são exatamente baratas, contudo também estão anos luz de serem as mais caras. Algo que me agrada muito é que ambas marcas tem muitas coleções que tem o mesmo formato/tamanho com estampas diferentes, então são especialmente fáceis de misturar e deixar sua mesa posta com o dobro de lugares. Para não entupir vocês de fotos aqui, deixei nas marcas que sugeri o link direto para as linhas deles que eu acho mais versáteis, para quem quiser dar uma olhadinha.

Talheres… ah esses monstrinhos! Porque tão caros meu Senhor?

Os talheres que acredito que menos pessoas tiveram contato na vida, são os de peixe, a faca não tem fio, mas tem um desenho para partir o peixe delicadamente, e o garfo tem a covinha central mais longa… que deve ser só para a gente reconhecer ele mesmo, HAHAHA

Eu não vou dizer para vocês terem todo esse exército de talheres não. O mínimo de talheres que precisamos são:

Garfo, faca, colher de mesa; Garfo, faca colher de sobremesa e Colher de chá.

Descobri que na França mesmo que a sobremesa precise ser cortada, como um folhado por exemplo, JAMAIS se corta com faca. É sempre com a colher e o garfo. Então você me pergunta: Porque colocou na lista a faca de sobremesa?

SA-LA-DA!

Esquecemos que, caso façamos um prato de entrada e um principal separados precisaremos de duas facas e 2 garfos.

Infelizmente a maioria desses faqueiros gourmetizados da internet não oferecem as opções mínimas de dignidade. Então levem em consideração na hora de escolher a variedade que tem do modelo que te agrada. Eu optei por colocar na minha lista de casamento (imaginária) um super clean, para durar eternamente, o modelo Berna da Wolff.

Um adendo: Em mesas muito estreitas, menos de 90cm de largura, pode-se optar por deixar os talheres de sobremesa junto com os da refeição, lembrando sempre da ordem, de fora para dentro.

E chegamos aos copos. Inicialmente, eu diria para você comprar um copo de água/suco, e o que você tem costume de servir na sua casa. Seja cerveja, vinhos, espumante. Como essa ideia é inicial, tem que se adequar a sua rotina. E já vou dar a dica que de o copo de água ou suco é o primeiro item de “base” da nossa mesa posta, no qual vale a pena ir colorindo.

Guardanapos.

Há quem defenda com unhas e dentes que eles devem ser sempre de tecido, sou do time que acha que eles podem ser de papel, desde que sejam daqueles especiais, grandões, quase como os de tecido. A única referência que eu encontrei para mostrar aqui é a Relevo Guardanapos. De qualquer forma, os de tecido são lindos, trazem requinte para a mesa posta e pelo menos o branco eu defendo que você tenha.

Vamos recapitular rapidinho o que seria nosso básico, para isso vou simular para que tem mesa de 06 lugares.

01 Toalha de mesa;

06 jogos americanos;

08 pratos Rasos;

08 pratos Fundos;

08 pratos de sobremesa,

08 bowls de sopa/sobremesa;

08 xícaras de chá com píres;

08 xícaras de café com píres;

06 Garfos de mesa;

06 facas de mesa;

06 colheres de mesa;

06 garfos de sobremesa;

06 facas de sobremesa;

06 colheres de sobremesa;

06 colheres de chá;

06 copos de água/suco

06 taças do que você costuma servir… No meu caso seriam 06 de vinho branco, 06 de vinho tinto e 06 de espumante.

Então de básico, chega né? Se vocês quiserem, deixem nos comentários que eu sigo e falo dos sousplats, bandejas, suportes de talheres, porta guardanapos e todas as frescurinhas adicionais que amamos.

 

 

Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
02 jun 2019, 3 comentários

Mi casa, su casa – Mais estilos.

Olá Fufu! Estava pensando em postar mais estilos, e olhando os posts aqui vi que falamos de estilos lááááá em 2015. Assim como um idioma, uma cidade, a moda e a arte, a decoração e a arquitetura também são “vivos” e vão evoluindo junto com nosso comportamento e momentos históricos.

Hoje venci o friozinho aqui da fronteira e selecionei três estilos bem americanos para mostrar para vocês. Um que eu descobri recentemente e dois que não entraram na seleção inicial porque não eram comuns (nem fáceis de reproduzir) por aqui, porém que tem sido mais vistos ultimamente. Preparou-se? Então #vemkotio

Tradicional americano.

Esse estilo povoa a maioria dos programas que assistimos. É um estilo que se adequa a qualquer faixa etária e que agrada uma ampla gama de pessoas. É cheio de diretrizes e separei algumas das mais marcantes para ajudar quem tem interesse em viver um american dream, american style.

De forma geral a marcação de linhas desse estilo é vertical, ou seja, estantes, cristaleiras, molduras e papéis de parede reforçam essas marcações de linhas verticais. Curvas gentis e suaves estão presentes nos estofados, acessórios e tapeçaria.

Em comparação a outros estilos as cores nesse são bem amplas, porém nunca são monocromáticas. Os tons geralmente são médios indo até os escuros, frequentemente tendo como base com estamparias florais de onde quase que por regra saem as paletas de cores que priorizam os tons claros nas paredes e os mais escuros no piso, estofados e tapeçaria.

Nesse estilo sempre teremos rodapés, molduras e roda teto pintados em branco brilhoso. As paredes precisam exibir ao menos uma moldura estilo lambri na altura média de 70 até 110cm do chão. Os tetos serão brancos e podem exibir detalhes de vigas aparentes.

A disposição de mobiliário, bem diferente de como fazmos no Brasil, começa do centro e vai se espalhando obrigatoriamente em pares em simetria absoluta. Mesmo luminárias, espelhos, quadros, porcelanas, vasos e livros decorativos serão sempre dispostos em pares.

Tudo é funcional, porém esteticamente bonito, logo peças meramente decorativas não tem vez nessa vertente tão popular dentre os estilos que vamos ver hoje.

Hamptons

A região famosona próxima a Nova Iorque é tão influente que tem um estilo de decoração com seu nome. É para essa região que os multi milho-nários escapam para relaxar e descansar em suas mansões incríveis. Não existe nada tão emblemático quando o Hamptons no Brasil, porém se fosse indicar um local com o mesmo potencial, seria Jurerê em Floripa, nossa ilha da magia.

Contudo estamos aqui para falar dos estilos e esse tem uma base que super se encaixa com o gosto e o clima brasileiro. Pelo menos na minha opinião. A base dessa decoracção é: Piso de madeira e paredes brancas. Não consigo imaginar algo mais comum no nosso Brasilzão. Adoro também que aqui e ali vemos uma ou outra peça em ferro, mantas de lã…

Sobre essa base, camadas e mais camadas de texturas naturais. Tapetes de sisal, sofás de linho, almofadas de algodão, pufes de pêlos e cadeiras em couro… bastante madeira aparende nos móveis e cores muito sutis e naturais, como os beges, azuis e verdes.  Luminárias cromadas, revestimentos cerâmicos e peças em inox também trazem o estilo para uma linguagem atual.

Como esse estilo surgiu numa região de “veraneio” com ar de refúgio do stress, uma das características marcantes é que o mobiliário é generoso e convidativo, são sofás e poltronas grandes, em materiais aconchegantes. Enormes mesas e ilhas de cozinha para cercar-se de gente e compartilhar momentos bons.

Mesmo quando vamos para o exterior, o Hamptons não tem medo das cores clarinhas e de exibir grandes estofados. Coisa de gente ryca e phyna, claramente.

Vocês não acharam que eu iria falar apenas desses estilos tranquilinhos né? por favor me respeitem que eu agora vou falar de um que é um show de ryqueza e opulência.

Hollywood Regency.

Esse estilo surgiu e foi muito comum nas décadas de 1930 e 1940, a era de ouro do cinema de Hollywood, daí o nome. É um estilo que se baseia em grandes contrastes de cores, detalhes em vidro e metalizados cheio de alusão os materiais nobres. O toque sensual da tapeçaria como peles, veludos e shantung são explícitos e a liberdade de expressão também são venerados dessa vertente que se caracteriza pela opulência e conforto.

Para um resultado perfeito é preciso uma base neutra e que dê ênfase a detalhes arquitetônicos do cômodo. Podem sem molduras, divisórias, lareiras, janelas com esquadrias ou formatos diferenciados, mas a arquitetura deve ser celebrada.

A paleta de cores deve ser diminuta. Variações de azul contrastando com preto e branco, como na foto acima é um belo exemplo.

Itens luxuosos com grande apelo decorativo devem ser exibidos de forma dramática.

Iluminação é um ponto onde conseguimos exagerar incluindo metálico e enriquecer o resultado do brilho que quanto mais iluminado, mais reluz.

Para essa atmosfera de opulência, sua peça preferida deve estar inserida em um grande contraste, transformando-a no apelo estético mais importante no ambiente.

Vamos nos lembrar que esse no mio de tantos estilos esse é inspirado no cinema, logo ele deve ter um pouco de exagero, pois é oriundo de espaço criados para serem cenográficos.

Espelhos, móveis com estruturas metálicas, mobiliário em acrílico e tapetes contrastantes com o piso e os estofados também elevam o resultado da decoração quando elegemos esse estilo.

Perceberam que esse último estilo é bem comum em lojas de artigos de luxo e exclusividade? Não? Vou mostrar algumas para ver se eu tô viajando na maionese… me contem nos comentários se eu estiver errado.

E por hoje é só Fufulândia. Obrigado pelo carinho de sempre, titio ama vocês.

#Bença!

LifestyleLifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
19 maio 2019, 13 comentários

Mi Casa Su Casa – O que é alto padrão?

Olá Fufúzada de luxo!

Essa semana eu me peguei falando que o empreendimento X não comportava um grande investimento em interiores, porque era incoerente com o padrão do condomínio. Mas o que é que na realidade faz com que um imóvel seja ou não de luxo, ou de “alto padrão” (que é o termo mais usado em Terra Brasilis)?

Por aqui no nosso país atrelamos inclusive o tamanho na modalidade de luxo, porém a verdade é que podemos ter um barraco de 100 metros, e um mini apartamento com 25 metros sendo de alto padrão.

Obviamente o tipo de acabamento interfere no padrão dos imóveis, isso pode variar até de região. Um piso de mármore não será considerado tão maravilhoso numa região gélida como a Islândia, assim como um carpet divino não será considerado legal numa região litorânea. Então é preciso se adequar ao local ao querer oferecer luxo.

Vamos pensar desde o início? Um terreno com uma vista deslumbrante, ou numa região privilegiada de uma cidade, já é um indício de que teremos um imóvel de luxo. Depois o tamanho da edificação – ou da unidade no caso de apartamentos – interfere. Eu não consigo ser xiita nesse quesito, para mim (opinião pessoal agora) é impossível um espaço menor de 50 metros quadrados oferecer conforto para um casal. Então mesmo que o contruam maçiço em ouro, no topo da Torre Eiffel… não vai atender o (meu) mínimo de dignidade humana.

Isso posto, vamos falar das coisas que valorizam e elevam a categoria de um cantinho: Materiais naturais: Pedras, madeiras, tecidos de algodão, sedas, couros. Quando é um projeto residencial, a casa como um todo deve ser fluída, jardins, fachadas, interiores devem se complementar.

Junto com os materiais de luxo empregados, precisamos incluir nos ambientes itens exclusivos, personalizados e prazeres. Estes pequenos (ou grandes) prazeres geralmente são tecnológicos:

Aquecimento de piso, controles dos mais variados itens através da voz, sistema de câmeras e no caso das grandes mansões, espaços como spas, cinemas, salas de banho e de outros usos específicos, como estúdios de música e etc. são os que transformarão espaços em ambientes de Alto Padrão.

Eu aproveitei esse post para mostrar para vocês meu segundo escritório de arquitetura preferido no mundo, SAOTA Architects, que fica em Cape Town, mas trabalha no mundo inteiro. Clicando AQUI, vai direcionar para a página com os projetos residenciais deles, que eu considero como alguns dos mais lindos do mundo. Lembrando que EU, sou apaixonado pela arquitetura contemporânea, então talvez para você não seja lindo como é pra mim. Mas olha, tenho vontade de habitar essa casa:

Contudo, tô aqui, orçando os granito da cozinha né mores? Porque a gente pode encaixar os sonhos na carteira e ser feliz.

Meus pequenos luxos eu já contei para vocês: Boa comida, uma cozinha super equipada, muita coisa da Le Creuset… e para você, o que é o luxo que você quer na sua casa?

#Bença!