Lifestyle
Diario de Viagem, Dicas de Viagem
29 jan 2019, 9 comentários

Praia Perto de Santiago!

Quem já foi para Santiago com certeza deve ter ido a Viña del Mar e Valparaíso né? São as cidade litorâneas mais perto da capital, coisa de hora e meia de Santiago. Aliás, essa é uma das coisas que mais me fascina lá… a facilidade de ter montanha com neve e praia, se quiser, no mesmo dia! Tudo perto e tudo lindo… Sim, sou babona com o Chile.

Mas hoje quero dar uma dica que na verdade já dei aqui antes e vou reforçar, a praia mais linda perto de Santiago: ZAPALLAR!

Fica a cerca de 200 km pro norte de Santiago, estrada maravilhosa, boa, tem uns 3 pedágios (que não são assim super baratos, tipo uns R$ 20 cada) mas compensa demais chegar nesse mini paraíso. É só alugar um carro e ser feliz! Não dá para ir sem ser de carro ok? Dá até que dá, mas vai ser trabalhoso e vai perder muito tempo.

Deixa eu falar um pouco de lá. Eu tenho historia com Zapallar… meu bisavô foi praticamente o “fundador” da cidade. Ele era o dono do empório (um mercadinho), foi dono do primeiro cinema, dono do circo… tinha várias propriedades lá quando tudo era “mato” (e mar) hahahahah, mas isso faz muuuuuito tempo. Com o passar dos anos, a cidade foi ganhando status de balneário de gente rica e meus familiares começaram a vender as terras que tinham. Minha mãe passou sua infância lá, eu passei minha infância lá. Zapallar é nossa praia de todos os verões mas realmente virou uma vila de gente muito rica e… metida. Eu acho a classe alta chilena muito classista. Se seu sobrenome não for algum muito tradicional, esquece. Eles mal vão te dar bola. Eu senti isso desde pequena, quando ia para a praia e ia brincar com alguém, as próprias crianças perguntavam: ‘mas você chama Constanza O QUÊ?’ E como sou uma Fernández da vida, sempre senti essa discriminação. Enfim, Zapallar virou reduto da classe alta – altíssima – chilena. São mansões e mais mansões lindíssimas, a cidade parece toda saída direto do Pinterest e por algum motivo é pouco divulgada para os turistas. Bom, sabemos o motivo né? Nem hotel tem lá direito, acho que tem um (Isla Seca) mas dá para alugar casas por temporada. A praia é pequena, acho que são 800 metros só e é uma baía super charmosa. E nem pense em praia como vemos aqui no Brasil. Zero música, zero ambulantes vendendo coisas (totalmente proibido), nada de cachorros na praia, e apenas um restaurante (chama Cesar) para o rycohs e fynos almoçarem por volta de 16h contando sobre sua última viagem pra Europa ou contando sobre o nascimento do 7º filho. Sim, eles tem muitos filhos e todos vão para a praia com suas babás , muitas vezes, vestidas de babás mesmo.

Mas não se assustem com essa descrição. Zapallar é lindo. Mas lindo MESMO. Tem o pôr do sol mais lindo que já vi na vida. Não tem muito o que fazer lá – sério, é bem parado, cidade pra relaxar mesmo – então vou dar um mini roteiro que dá para um dia. Ok, dois dias rs. Ah, e nem sempre esperem sol na praia. Lá é bem de lua, podem passar dias de neblina para um dia de sol. Tem que dar sorte. Não tem época para ter sol, tem que ter sorte mesmo. Janeiro e Fevereiro são os meses mais cheios por causa das férias chilenas, então se for por essa data prepare-se para uma praia cheia de adolescentes em grupos enormes (todos se conhecem, ou as famílias se conhecem de várias gerações ou os meninos estudam na mesma escola rycah de Santiago) e grupos de adultos conversando alto com mulheres magérrimas e homens de bermuda e Ray Ban.

O que fazer em Zapallar?

  • Praia, afinal é uma cidade de praia. Mas como contei, nem sempre tem sol. Pode ir de roupa, tem gente que vai até de jeans kkkk, chileno tem dessas coisas. Como é frio a noite e geralmente rola um ventinho fresco, é super normal ir para a praia de blusa de frio ou jaqueta jeans!

  • Ver o por do sol no Mar Bravo, uma pracinha (a casa da minha avó ficava um quarteirão antes de chegar lá) bem fofa para levar as crianças, ou para descer para as pedras com o mozão e admirar a natureza. Mas ó, cuidado nas pedras viu? Não chegue muito perto do mar.

  • Ir ao Chiringuito, o restaurante mais arrumadinho de Zapallar. É um tico caro, mas é o que tem por lá. Vá a noite tomar um pisco sour ou almoçar. Os chilenos ricos almoçam tarde tá? Tipo 16h.
  • Subir o Cerro de La Cruz (um monte com uma cruz no alto) e ter a vista mais maravilhosa da cidade. Também rola de ver o por do sol lá de cima. No pé do “Cerro” tem uma santinha e minha mãe (aliás toda minha família) é super devota dela.

  • Fazer o caminho Cerro de La Cruz – Mar Bravo pelas pedras. É lindo. Faça de tardinha.

  • Ir a Isla Seca, do outro lado da praia, perto do estacionamento tem um caminho, uns 20 minutos de caminhada para chegar numa ilha de pedras. Bem bonito.

  • Conhecer o cemitério de Zapallar e dar um OI para toda minha parentada que está descansando por lá rsrs. É o cemitério mais lindo que já vi na vida, não sei nem explicar, mas lá é maravilhoso. Tem um caminho na parte baixa, no fundo, bem bonito e também é lindo pro por do sol.

  • Passear a pé pela mini cidade. Coisa rápida, é bem pequena! Queria eu passear a noite com vocês por lá e contar as lendas do lugar hahahahahahahaha. São muitas e eu MORRIA de medo quando criança.

  • Se cansou de Zapallar e sua elite empresarial/bem nascidos, pode esticar e conhecer Cachagua que tá do ladinho e é um outro balneário chique, mas com pegada mais rústica e frequentado pela elite cultural ou esticar um pouco mais e chegar em Maitencillo (uns 20 minutos de carro) que é mais badalado, tem MUITOS restaurantes (vá comer empanadas de camarão com queijo no El Hoyo) e freqüentado pela elite política e intelectual.

Las Cujas – Cachagua

 

  • São lugares lindo e com certeza vocês nem vão perceber essa elitizada toda que comentei, talvez depois de ler este post possam confirmar isso quando forem lá, mas é coisas que nós “locais” sacamos e percebemos na hora. Ainda assim, vale MUITO A PENA conhecer, tenho leitoras que foram e amaram! E sabem onde vão achar dicas turísticas desses lugares? Só aqui!!!
  • Ah, o próximo post sobre a viagem já será sobre o ATACAMA!
Lifestyle
Diario de Viagem, Dicas de Viagem
23 jan 2019, 12 comentários

América do Sul – Santiago – Parte 1

Ia começar a série de posts sobre minha viagem com “Mochilão pela America do Sul” mas nem foi assim um mochilãaaaao né? Vou chegar na parte da mala de 10 kg para 15 dias por 3 países, pegando de neve a sol escaldante mas antes, deixa eu contar como está minha linda Santiago, o que fiz por lá, quais as novidades e algumas diquinhas novas.

Se alguém ainda não sabe, eu sou chilena, nasci em Santiago e vim para o Brasil quando tinha 2 anos de idade. Fui criada aqui e por isso meu português é sem sotaque rs. Minha família toda voltou pro Chile mas eu fiquei, primeiro porque gosto daqui e segundo porque meu trabalho está aqui também. Tento ir pelo menos 2 vezes por ano visitar minha família, mas em 2018 isso foi bem difícil… trabalhei demais e não consegui ir o tanto que queria. Fui dia 17 de dezembro junto com o Leo e resolvemos ficar 15 dias com meus pais e 15 dias viajando. Vou contar agora os 15 dias com meus pais, que ainda foram divididos em uma semana em Santiago e uma na praia.

Dezembro no Chile é beeeem quente, aquele calor parado e seco. Dá uma preguiça danada sair pela cidade mas queria descobrir coisas novas para contar para vocês e principalmente passeios mais baratos. O Chile tá caro! Pra mim ainda fica mais barato porque não gasto com hotel e com comida (só quando como fora de casa), mas para quem vai passear, tá bem caro. Um prato de comida num restaurante “ok” custa uns 8000 pesos, ou R$ 50. Num restaurante melhor, uns R$ 75, UM PRATO. Isso sem contar bebida, entrada e sobremesa. Ou seja, nosso dinheiro não tá valendo nada mesmo (os preços das coisas lá não tem aumentado muito, mas o Real tem se desvalorizado bastante). Eu levei nada de dinheiro e paguei quase tudo no cartão, o que não é lá uma grande ideia pois ainda tem as taxas do cartão. O ideal é levar dólares e trocar por lá! Na Av. Pedro de Valdivia Norte em Providencia tem várias casas de cambio, é só ver qual paga melhor e trocar o dim dim.

Outra dica para quando estiver em Santiago: Uber e Cabify funcionam super bem MAS prefira Cabify. Não sei explicar direito a treta mas a maioria dos chilenos recomenda Cabify por segurança e também porque tem melhores carros. Então nós só usamos Cabify! Não confio muito em taxis (dão aquelas aceleradas no taxímetro) e pra usar ônibus ou metrô tem que comprar um cartão (chama BIP) e por créditos nele. Como sempre esquecia de pegar um emprestado da minha mãe, usamos Cabify mesmo.

O primeiro passeio que eu queria fazer foi um que adiei várias vezes e desta vez não poderia deixar passar era o Templo Baha’í.

Ele foi construído em Santiago há cerca de 2 anos e é o único templo Baha’i da América do Sul. Fica em Peñalolen, em Santiago mesmo, aos pés da Cordilheira dos Andes. Eu fui de carro (emprestei do meu pai) e achei bem perto! Uns 20 minutos de Providência. De Uber ou Cabify, ficaria uns 7 mil pesos. Mas o que é um Templo Baha’i? Baha’i é uma religião independente bem recente, eles acreditam que todas as religiões levam a uma única fé, promovendo a UNIDADE. Esse templo é aberto para qualquer religião e lá é um espaço de reflexão, adoração e oração, seja qual for sua crença. Não tem um altar, não tem imagens nem nada que o “limite” a apenas uma crença ou Deus. A arquitetura do lugar é maravilhosa e tem ganhado alguns prêmios! É um lugar de silêncio, apesar de que quando fui tinha muita criançada correndo e gritando, o que não curti muito.

DICA – Ir para ver o por do sol. A vista de Santiago é incrível!

Quanto custa? NADA! É de graça! Passeio lindo, tranquilo e com uma vista de tirar o fôlego.

Tá em Santiago e ficou com fome? Vou indicar três lugares, apesar de achar que já falei deles por aqui (ou no Instagram). TEM QUE IR NA FUENTE ALEMANA. Uma sanduícheria super tradicional de Santiago que foge da rota turística. É bem insider, com sanduíches regionais e nem cardápio tem. Tá tudo escrito na parede. Você entra, senta no balcão mesmo e pede. As atendentes não são muito simpáticas, e tudo é muito rápido. Se estiver lotado, não se preocupe, logo logo aparece lugar pra sentar.

Indico o CHURRASCO ITALIANO, que é carne cortada bem fininha, com muito abacate, maionese, queijo derretido e tomate. Uma delícia! Também tem o CHACARERO, que é carne (você pode pedir com lomito – carne de porco) com vagem, ají (um tipo de pimenta) e também pode pedir com maionese. O sanduíche é MUITO BOM, vale pedir com uma cerveja e se deliciar. Custa cerca de 7000 pesos (uns 40 reais) o que não é tão barato assim, mas é uma refeição bem gostosa. Tem dois Fuente Alemana em Santiago, um no centro e um em Providência. Eu indico o de Providência, que fica na Av. Pedro de Valdivia 210. Ah, você entra, senta no balcão, pede, come, levanta e paga no caixa. Depois deixa uma gorjetinha pras meninas. Salivei só de pensar num italiano…

Outro lugar que super indico para comer comida local é o Liguria. Tem vários espalhados por Santiago, o que mais vou fica ao lado do Costanera Mall mas hoje quero indicar o novo, que fica em Lastarria. Gente, passei na porta (inaugurou tem um ano só) e entrei para ver como era, ainda mais sendo em Lastarria que é uma rua linda com uma arquitetura vintage e vibe cool. O novo Liguria é GIGANTESCO! São 3 andares e cada andar com uma decoração diferente! Lindo lindo lindo, fiquei fascinada!

O cardápio é o mesmo dos outros Ligurias, mas esse com certeza é o mais lindo. Lá você pode pedir uma Plateada (tipo de carne cozida) com purê de batatas e uma salada a la chilena bebendo um bom vinho. DOS DEUSES! Por favor, se for pra Santiago, vai nesse Liguria e depois me conta!!!! Aposto que vai amar! O endereço certinho é Merced 298.

Cardápio do Liguria!

Atravessando a rua do Liguria, está o Emporio La Rosa, que também tem outras unidades espalhadas pela cidade mas eu amo esse cantinho de Lastarria e o Parque Forestal. O La Rosa foi considerado uma das 25 melhores sorveterias do MUNDO! São vários sabores típicos do Chile e combinações completamente diferentes do que vemos por aqui. Uma indicação? Vou dar 3: chocolate com laranja (meu preferido), três leches e o de chirimoya. Ah, o de lúcuma também! O sorvete de duas bolas custa uns 3000 pesos, cerca de 18 reais.

Ainda andando pelo mesmo setor, dá para fazer mais um passeio lindo e também totalmente 0800. Que tal o Museu Nacional de Bellas Artes? Dá para ir a pé saindo do Liguria e caminhando pelo Parque Forestal que é lindo! Abre todos os dias menos segunda feira e tem várias exposições bacanas, além do prédio ser lindo e super “instagramável” rsrsrs. Ah, e nas costas do Museu tem uma obra de Botero!

  • Foi o que fiz nos meus dias na cidade, além de ir ao shopping, mas estavam muito cheios por ser época de natal e tal.
  • Shopping indico dois: Costanera e o Parque Arauco. A diferença é que o Costanera é mais central e tem HM. O Parque Arauco fica um pouco mais longe mas tem um setor só com marcas de grife e tem um pátio com restaurantes divinos!
  • O verão do Chile é seco e muito quente mas no final do dia sempre esfria um pouco, um frio de jaqueta jeans sabe? É bom levar uma blusinha.
  • Baladas: fui em dois lugares que curti! Fui no Lorenza, que é um restaurante que vira balada no estilo Bagatelle (com show, garçom dançando e etc) e no Candelária, para dançar só música boa (muita música latina, mas tem que entrar no clima né?)! Os dois ficam bem perto, em Vitacura. Minha prima disse que o melhor dia para ir ao Lorenza é as quintas feiras. Não precisa ir mega produzida ok? Lá as mulheres não se arrumam tanto como a gente pra ir pra balada. 
  • No próximo post, falarei sobre um destino litorâneo lindo e relaxante pertinho de Santiago! E depois vamos para os posts do Atacama, Uyuni, Cusco e Lima!
ConstanzaLifestyle
Diario de Viagem
15 maio 2018, 35 comentários

Brasília!

Esses últimos meses tem sido bem agitados para mim. Quem me acompanha nas redes sociais (e por aqui também), percebeu isso né? Uma semana inteira de Minas Trend, depois QG Fhits durante o SPFW, depois Brasília e depois Fortaleza. É… a simpatia da mala continua fazendo efeito rs. Se não sabe do que se trata essa simpatia que já levou muita gente pro aeroporto, clique AQUI.

Hoje quero conta o que aconteceu em Brasília… e nem sei por onde começar.

Vamos do início né? Meu cunhado mora em Brasília e nos convidou para o aniversário da filhinha dele. Ok, até aí tudo normal. Eu e Leo compramos as passagens para passar 4 dias na cidade, seria a minha primeira vez lá. Procurei hotéis parceiros e tive um rápido retorno do Meliá Brasil 21. Perfeito, tudo certo.

Falei no Stories do Instagram que iria a Brasília pela primeira vez e logo algumas leitoras pediram encontrinho. Eu não sou de fazer esse tipo de evento, não sei organizar, não tenho muito tempo para pensar nisso e imaginei reunir algumas meninas num bar para beber algo, petiscar, bater papo, enfim, uma tarde de boteco, como fazemos aqui em BH. Pedi para se adicionarem no grupo do Facebook (se chama Amigas do Futilish) e confirmar a participação no encontro para eu ter ideia de quantas pessoas mais ou menos e procurar um lugar legal.

Quase caí da cadeira quando vi mais de 70 pessoas confirmadas em poucos dias e antes do evento, mais de 100 nomes na lista! Fiquei maluca né? Pedi ajuda para a Mel (do extinto blog Deveria Estar Estudando) que mora em BSB e ela foi um anjo: reservou o lugar, conseguiu uma fotógrafa, alguns jabás e ainda foi minha assistente de palco no momento do sorteio rsrs. Mel, gratidão ETERNA!

Mas calma, antes do encontro, preciso contar da minha chegada a Brasília. A Mel foi nos buscar no aero e fez um mini tour pela cidade, de madrugada, passamos por vários lugares que eu via apenas pela televisão. Como era minha primeira vez não sabia direito os nomes e o que funcionava ali (depois até recebi uma mensagem de uma leitora dizendo que eu era influenciadora e DEVERIA saber o nome dos lugares. Miga, a gente sabe falar do que conhece, o que não conhece, aprende durante a vida tá? Parabéns para você que já nasceu sabendo. Gênia.). Enfim, como boa amante do rock nacional, logo assimilei várias músicas do Legião Urbana com o que via. Passei pela Rodoviária e imaginei João de Santo Cristo chegando. Vi as luzes e a arquitetura incrível e imaginei ele bestificado com a cidade. O parque da cidade, o ponto de encontro de Eduardo e Mônica! Ah para, foi demais!

Seguimos para o hotel, o Melia Brasil 21, super bem localizado, lindo, e o presidente do Chile tinha ficado lá na noite anterior. Imagina eu esbarrando com ele no elevador? rsrs. Quando fomos pro quarto, quase caí pra trás. Fizeram um agrado e fiquei numa suíte maravilhosa! Se não era a presidencial, era a da Rainha kkkk. Ficamos na Royal Suite The Level, com decoração de inspiração francesa (cada abajur de murano com ouro que eu tinha até medo de passar perto e derrubar), uma sala de jantar digna do núcleo rico de novela das 9, sala e varanda com uma linda vista. Só agradecimentos ao Meliá, especialmente ao Percio e a Juliana que foram impecáveis no recebimento e durante toda nossa estada.

Quando chegamos, uma garrafa de vinho – chileno, claro – docinhos e um bilhete da Ju. Amei!

Cony Rainha. Bem isso rsrsrs.

Olha minha copa gente!

No lobby, poltronas amarelas. Queria uma na minha casa rs.

Até no heliponto fui tirar foto. E que vista!

Agora vamos a parte mais emocionante da visita a Brasília. O encontrinho que virou encontrão, foi no restaurante Fausto e Manoel do Pontão (amei esse lugar! Um complexo de restaurantes beirando o lago Paranoá). Antes de ir, marquei umas fotos no hotel com a Monique (insta @damasiofotografia), e depois ela nos acompanhou até o evento. Quando chegamos no Fausto e Manoel não consegui acreditar na quantidade de pessoas que estava lá. Era MUITA gente! E fui cumprimentar uma a uma… era uma mistura de nervoso com emoção. Cara, como tenho leitoras em Brasília!

O encontro foi uma delícia, uma vibe boa, energia leve, todas as meninas entrosaram! Me dividi em pequenos grupos para conseguir conversar um pouquinho com cada turma. Brindamos e depois fiz um sorteio com alguns mimos que consegui! Tudo foi tão em cima da hora que eu queria levar presentes para todas mas não deu 🙁

Fica aqui meu agradecimento às marcas que cederam presentes, vocês fizeram o dia ainda mais incrível!!!

Oh My Lingerie @oh.mylingerie

Milla Faccin @millafaccin

Ju Ramos @juramosmakeup

Matz Store @matz.store

Maria Batom Makeup @mariabatommakeup

Agua da Ilha @aguadailhaoficial

Romênia Campos Brand @romeniacamposbrand

Uni Bijoux @unibijoux

Rice And Beans @riceandbeansbrasil

Um Meia Dois @ummeiadois

Maria Barbosa Calçados @mbcalcados

Papoularia @papoularia

Espaço Zen Spa @espacozenspa

Elaine Costa Brand @elainecosta_brand

Retro 33 Salão @retro33bsb

Mumbo Store @mumbostore

Foi INCRÍVEL!

Obrigada a todas que foram, vocês me emocionaram de verdade! Obrigada mais uma vez a Mel que me ajudou muito, a Monique pelas fotos lindas, ao Leo pela paciência (fez fotos e ainda gravou uns depoimentos… muito amor!), a Elaine pela hospitalidade, e ao Meliá por ter sido minha casa nessa inesquecível viagem.

Amei Brasilia. Quero voltar muitas vezes ainda!