Lifestyle
Bem Estar, Decoração, Mi Casa Su Casa
13 jan 2019, 57 comentários

Mi casa, Su casa – Downsizing, Uma tendência a copiar?

Fufus do meu corazón, tudo bem com vocês?

O assunto de hoje é controverso para os parâmetros de sucesso e de “plano evolutivo” que costumamos ser seguir aqui em Terra Brasilis.

Porém desde 2012 eu comecei a ouvir/ler mundo afora o termo “downsizing” que ao pé da letra seria “diminuindo o tamanho” porém o sentido dele aplicado aos imóveis seria mais correto traduzir como “enxugando espaço”.

Essa vertente é muito mais forte dentre casais ou pessoas que já tem filhos adultos e que já saíram de casa, mas eu acredito que possa ajudar até mesmo quem mora de aluguel.

Esse movimento comum em países com custo de vida alto  (Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos por exemplo) inicialmente era tido como uma forma de economia. Entretanto, esse novo estilo de vida mostrou-se eficiente em mais perspectivas da vida do que apenas a monetária.

Então vamos falar das vantagens de se diminuir o imóvel:

Aumento de fluxo de dinheiro: Diminuindo o valor do aluguel, ou do financiamento e de contas  como luz, água, manutenção, limpeza que são proporcionais a metragem.

Mais tempo livre: Diminuindo os afazeres domésticos, sobra mais tempo para cuidar de si.

Redução de consumo: menos espaço para coisas, menos coisas para entulhar energias, menos lixo e consumo.

Redução do stress: se você tem menos coisas para se preocupar ou tomar conta, o nível de preocupação e stress também diminui.

Como vocês vão perceber, o “Downsizing” está intimamente ligado a qualidade de vida, não apenas com sair de uma casa de 800 metros para uma de 200. Ou de um apartamento de 150 para um de 60m2. Não simplesmente tamanho, é uma mudança de comportamento.

O que se busca nesse movimento, especialmente quando falamos de pessoas que já estejam na faixa de 55 anos para cima é viver em um lugar onde não hajam escadas, desníveis ou outros desafios de acessibilidade.

Imóveis que estejam próximos a locais que você gosta e de necessidade, como família, lojas, restaurantes, farmácias, hospitais, bancos… Eliminando trabalhos diretamente ligados a grandes imóveis, como calçadas, jardins, ambientes com pouco uso.

Viver em uma casa onde você passa a chave e Tchau!

Pode ser um apartamento, pode ser um condomínio fechado, uma sobre loja. O importante é que seu endereço te deixe tranquilo caso decida fazer uma viagem seja ela longa ou um convite de última hora para um feriado curtinho.

Outro fator que em todos os sites que eu pesquisei para falar aqui com fufulândia repetem é:

Não faça uma mudança para um espaço menor sem programação. Pense a longo prazo.

Se você já formou suas crianças e está numa época da vida mais madura, verifique se você realmente precisa continuar onde está.

Precisa mesmo de sala disso e daquilo, escritório, 2 ou 3 quartos a mais que são ocupados quase nunca?

Se você ainda está no aluguel, será que dar uma enxugada no espaço, ou morar 10 minutos mais afastado não vai gerar uma economia grande de dinheiro?

Tudo tem que ser muito bem programado.

Me perdoe quem vive numa casa com 3 ou mais suítes, mas se elas todas não estão ocupadas, grande parte da sua vida e dinheiro está sendo desperdiçada.

Atualmente ninguém mais precisa de uma sala de estar, uma sala de TV, um escritório e um quarto de hóspedes. Tudo isso pode ser um único ambiente e não se perde conforto, beleza ou status por isso.

Garagem para 3 carros, em uma casa para duas pessoas?

Claro que existem desvantagens, e eu não vou fazer a Kátia Cega e pular esses pontos, vamos falar disso também.

Menos coisas: Se não tem espaço para guardar, vai ser necessário se desfazer de algumas coisas.

Sem quarto de hóspedes: Receber uma galera para uma fsta pode ser um desafio.

Restrições de privacidade: Sabe aquela hora que tudo que você precisa é chegar em casa, se jogar no sofá e ligar a tv no teu programa preferido para ficar em paz? Em um espaço menor, provavelmente mais integrado, você provavelmente terá que interagir com quem estiver na cozinha.

Menor prestígio: Brasileiro adora uma aparência, uma fofoca e mesmo que a maioria viva um estilo que vida que não condiz com seus rendimentos, ir para uma casa menor vai passar impressão de que você “regrediu” aos olhos de quem não entende uma vida mais concisa. Tá preparado para isso?

Eu não estou falando para vender tudo e morar num studio de 30 m2 com seu mozão, 3 gatos, 2 cachorros e 2 filhos. Estou incitando a conversa sobre ter menos espaço, menos coisas e, consequentemente, mais tempo, mais recursos e maior qualidade de vida.

Um casal que os filhos já sairam de casa, podem viver perfeitamente bem em um espaço com uma suíte e um quarto extra por exemplo.

 

Ou um casal com dois filhos pode viver sem medo de ser feliz em uma casa com uma suite e dois dormitórios.

O movimento busca cortar excessos, e evitar gastos de energia desnecessários. Ou seja, nada de lugar para a sogra.

Nada de churrasqueira completa gigante + cozinha completa cheia de equipamentos.

Nada de sala de tv + escritório + dormitório de hóspedes todos separadinhos…

Já tinha ouvido falar dessa vertente?

Conta para mim nos comentários.

#Bença!

 

LifestyleComportamento
Bem Estar, Cotidiano
06 nov 2018, 66 comentários

Cirurgia de Endometriose – Como Foi

Oieeeee, sumi né? Tive dois motivos: semana passada foi Minas Trend e a semana foi muito intensa! Todos os dias saindo cedo e chegando tarde em casa, sem tempo para escrever… Depois tive um final de semana para descansar e me preparar para a cirurgia de endometriose, que fiz ontem! Sim, estou recém operada e com algumas dores, mas ansiosa para contar como tem sido até agora e ouvir mulheres que já passaram por isso e querem me dar alguma dica.

Fiz um post sobre a doença AQUI e li cada comentário. Endometriose para mim até pouquíssimo tempo era algo totalmente desconhecido e alheio ao meu cotidiano. Nunca senti dor, cólica, NADA, mas meu fluxo menstrual é muuuuito intenso, mas tanto, TANTO, que fui checar e pimba, endometriose e endometriomas (cistos de endométrio) em ambos ovários. Fiz vários exames e todos acusavam a mesma coisa, mas graças a Deus, no meu caso, não havia grandes focos e nem aderências. A única era na trompa esquerda, afetada pelo ovário que tinha um endometrioma de quase 5 cm.

Só para lembrar, os sintomas mais comuns da endometriose são:

• Cólicas menstruais intensas e dor durante a menstruação
• Dor pré-menstrual
• Dor durante as relações sexuais
• Dor difusa ou crônica na região pélvica
• Fadiga crônica e exaustão
• Sangramento menstrual intenso ou irregular
• Alterações intestinais ou urinárias durante a menstruação
• Dificuldade para engravidar e infertilidade

Só depois de saber que tinha a doença, assimilei alguns sintomas como fadiga crônica (sempre estou cansada), o sangramento menstrual intenso e alterações intestinais durante a menstruação. Várias vezes me dá diarréia quando menstruo mas nem passava pela minha cabeça que era por causa da endometriose. Achava que era “coincidência”. Ah, e algumas vezes, dor ao fazer xixi.

Bom, fiz videolaparoscopia, 3 buraquinhos na barriga e um monte de gás carbônico para “separar” os órgãos e dar maior mobilidade ao cirurgião. O antes da cirurgia foi bem simples: comida leve um dia antes e jejum de 8 horas, inclusive de água. Internei ontem as 6:30 da manhã ainda com dúvidas se iria rolar a cirurgia ou não pois gripei durante o Minas Trend e ainda tinha um resto de tosse. Vieram 3 anestesistas conversar comigo, mas viram que dava para continuar com os planos. Tomei anestesia geral, e estava um pouco receosa de como iria acordar, mas já tomei geral antes e nunca tinha dado problema.

A cirurgia foi rápida, as 11 da manhã já estava na recuperação. Acordei com MUITO frio, mas isso é o efeito da anestesia passando. A barriga estava super inchada pelo gás e uma dor intensa no ombro. Depois soube que essa dor no ombro é comum, pois o gás sobe! Como o meu lado mais “mexido” foi o lado esquerdo, sinto dores na hora de levantar e sentar. Tudo tem que ser beeeeeem devagar.  E como ainda continuo com um restinho de tosse, na hora de tossir é um sofrimento. Dói, e dói muito.

Mas o resultado da cirurgia foi um sucesso: trompa solta e ovários sem endometriomas. Tinha poucos focos e tiraram tudo, acho que cauteriza né? Posso estar falando bobagem, mas acho que foi isso que o médico disse. Hoje me deram alta, um dia depois e tem sido “tranquilo”. Apenas o desconforto dos gases, a barriga super inchada e a dor no local da incisão do lado esquerdo.

Semana que vem tô liberada para dirigir, sair e etc. Por enquanto não posso levantar peso, tenho que tomar Luftal para eliminar os gases e ficar mais quieta. E dieta normal, posso comer de tudo. Parece que o intestino fica preso e nem quero ir, tô com medo de fazer força e doer rs.

Tenho acompanhado um grupo no Facebook que se chama Endometriose Sem Censura e tem MUITA informação bacana lá. Como é uma doença sem cura, tem que se cuidar para não deixar ela atrapalhar a vida. Tem que comer certo (nem sabia dessa parte, que tem alimentos inflamatórios e pioram o quadro), tem que fazer exercício e em alguns casos, operar. E tem gente que opera várias vezes. Enfim, tô aprendendo ainda.

  • Alguém mais aí já operou de endometriose? Conta como foi! 
LifestyleComportamento
Bem Estar, Cotidiano
23 out 2018, 11 comentários

O Achado do ANO!

Eu não cozinho. Ou melhor, cozinho, mas muuuuuito de vez em quando e tem que ter algum motivo especial. Cozinhar por cozinhar, nunca, ainda mais se for somente para mim. Posso morrer por inanição se não tiver nada pronto na geladeira ou se não sair pra comer na rua!

Assim sendo, confesso que me alimento mal. Não que eu coma porcarias, mas meus intervalos entre refeições são grandes e quando como, como muito. É um mal da modernidade de quem não tem tempo: quem trabalha em casa se esquece de se alimentar, quem trabalha fora vive comendo na rua e nem sempre as escolhas são saudáveis.

Mas é aí que entra o assunto de hoje: dá para ter comida congelada em casa, mas comida SAUDÁVEL?

Juro que eu achei que isso não existia, que tinha que rolar algum conservante ou as vezes nem isso, mas sempre associei comida congelada a comida sem sabor, sem gosto. Algo que eu comia apenas para matar a fome e não para “sentir sabor”.

Até que conheci a Liv Up e superou TODAS minhas expectativas. Eu já tinha visto algumas pessoas mostrando na internet mas sempre a união de palavras “comida” e “congelada” passava insípido pela minha cabeça.

Fui fuçar o site né? Entender direito porque nas fotos dos outros as comidas são tao bonitas… mas eu que trabalho com internet ha quase 10 anos sei bem dos truques. Vi uma infinidade de pratos e fiquei sem entender a principio mas logo que comecei a comprar para fazer o teste fui entendendo como funciona e o que é a Liv Up.

Primeiro, é uma startup (amo esse nome, acho super empreendedor e imagino um monte de jovens querendo melhorar nosso dia a dia) que surgiu justamente para oferecer refeições praticas, gostosas e saudáveis. Não é comida de dieta viu gente??? É comida COMIDA, tipo comida de casa, comida de mãe! Com produtos naturais, SEM CONSERVANTES ou qualquer tipo de aditivos.

No site, é possível escolher porções, pratos prontos, snacks, doces, salgados, uma infinidade de coisas. É super fácil, olha só:

Na página inicial do site da Liv Up, você pode escolher entre kits, pratos, porções, salgados e doces ou snacks

Ao escolher por “Pratos” por exemplo, tem as categorias para você decidir entre frango, peixes, carnes, vegetarianos e veganos ou massas.

E seguinte: a combinação dos pratos é MARAVILHOSA! Olha esses que separei pra mostrar pra vocês:

Gente VOCÊS NÃO TEM NOÇÃO da quantidade de coisa boa que tem na Liv Up! E se você não curtiu nenhum prato, pode montar o seu do jeito que quiser, pois eles vendem as porções separadas!

Depois de escolher sua comida (e encher o carrinho, tenho certeza porque é impossível escolher uma coisa só), você paga (inclusive pode usar Vale Refeição!) e escolhe o dia que quer receber na sua casa. Fica tudo agendadinho e te avisam de cada passo da sua entrega.

Ok, assim que chegar aquele monte de saquinho (até a embalagem é fofa, acredite), tudo separado por porção (a carne vem numa embalagem, o risoto em outra, os legumes em outra e por ai vai) você vai guardar no seu congelador e esperar ansiosamente o momento de se deliciar.

Cada embalagem é de uma cor e isso vai identificar se é proteína (embalagem vermelha), carboidrato (embalagem azul), vegetais (verde) ou snacks e doces (embalagem amarela). Para preparar é MUITO fácil: pode ser tanto no microondas quanto em banho maria, mas eu sempre fiz só no microondas mesmo. Você abre a embalagem uns 2 cm (tem um pontilhado nela mostrando), vê o tempo que tem que colocar no microondas (também está no saquinho) e pronto. Só esperar! Se for mais de um saquinho, é só somar os tempos.

GENTE FICA MARA! FICA IGUAL NA FOTO! Como vem tudo separadinho, você monta seu prato lindamente! E NÃO TEM GOSTO DE COMIDA CONGELADA! É impressionante. Eu e o Leo ficamos chocados com isso, como pode, gosto de comida mesmo, bonita, gostosa e o melhor… preço super justo. A média dos pratos é R$ 25! Nunca que comendo fora gastaríamos só isso.

  • Faz o teste aí e me conta. Sério, volta aqui e me fala o que achou! Para quem fizer a primeira compra na Liv Up, tenho um cupom de 10% off, o código é FUTILISH. Mas ó, só vale na primeira compra hein. Pode se jogar sem medo, não pede só um pratinho não, pede mais. VAI POR MIM! (A Liv Up atende Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Grande São Paulo). Clica aqui e faz seu pedido já! LINK
Hey leitora! Este post é um publieditorial.