28
May 2018
Traz Um Vinho Pra Mim???
Cotidiano, Rapidinhas

Ahhhh como eu escuto esse pedido… Aliás, todo mundo que vai pro Chile né? Quando a gente viaja para lugares que tem bons vinhos, uma boa parte dos dólares fica com as bebidas. É impressionante como lá fora eles são beeeem mais baratos. Tem um vinho chileno que amo, o Marques de Casa y Concha, que no Chile custa uns 60 reais e aqui mais de 100 reais! E por aí vai… então na volta, a mala vem cheia de vinhos pra gente e um ou outro pra algum amigo.

Mas deixa contar uma coisa: eu ODEIO trazer vinhos. Seja pra mim, seja pros outros. É chato, pesa, tem que ter cuidado. Geralmente trago uns 3 no máximo e na mala de mão. Enrolo uma roupa e rezo pra não quebrar mas tenho amigos que LOTAM as malas grandes, as que despacham mesmo, de vinhos. Eu não ficaria tranquila mas muita gente se arrisca e até dá certo.

DAÊ que hoje, conferindo meus emails, vi esse release da Bagaggio:

“O vinho é uma das bebidas favoritas dos brasileiros. Viagens às vinícolas nacionais e no exterior crescem, impulsionadas por quem deseja apreciar rótulos, ampliar a cultura enófila, bem como, trazer bons vinhos para degustar ou presentear. Neste momento, surge a dúvida, como transportar as garrafas sem se preocupar? Para atender esse público, a Bagaggio está lançando uma mala para vinhos que pode acondicionar até oito garrafas.

Feita em policarbonato, a mala possui abertura central e cadeado TSA. Além de alça dupla para equilibrar o peso e rodinha com giro 360º. A parte interna foi produzida com espuma especial para o transporte de vinhos, além de cintas transversais para ajuste e segurança. A mala tem o valor de R$ 799,90 e está disponível na cor preta. Pode ser comprada no e-commerce da marca ou em uma das 140 lojas físicas espalhadas pelo Brasil.

Informações técnicas:

Altura – 48cm
Largura – 35cm
Profundidade – 22
Peso – 3.770kg”

Vamos por partes:

É uma mala de mão ou de despachar? De mão (ou de bordo) já que as medidas oficiais para passar naquele maldito gabarito das cias aéreas (quem não fica tenso hein? rs) são as seguintes:

 

Cabe 8 garrafas. Mas daí esquece levar qualquer outra coisa na mala de mão né. E detalhe, quantas garrafas pode trazer? 

Por exemplo, na Latam: “As bebidas alcoólicas podem ser transportadas como (bagagem de mão quando permitido pelas Autoridades locais ou despachadas) não excedendo 70% de álcool por garrafa e que não ultrapasse 5 litros por pessoa.” Considerando que uma garrafa de vinho tem 750 ml, 5 litros corresponde a 6 garrafas e meias. Vish… Não adianta encher a mala :-(. Nas outras linhas aéreas é bom dar uma pesquisada.

  • Confesso que fiquei feliz e fiquei triste com essa mala de vinhos. Achei fofa, num primeiro instante achei que era uma mala grande, dessas de despachar e que tinha mais uma “corrida” de garrafas abaixo dessas (nem sei se tem limite de garrafas despachadas) mas mesmo quando percebi que era mala pequena fiquei tentada… sério, acabariam os problemas para trazer vinho. Mas daí… só pode trazer 6 garrafas e como viajo mais de Latam, não daria. E se a Bagaggio me permite a intromissão, que tal lançar UM COMPARTIMENTO DE MALA, para proteger vinhos??? Aí sim hein!! Faz a mala grande, a de despachar mesmo, e vende a parte um protetor de vinhos tipo esse da mala pequena, só que grande para encaixar e usar quando bem entender. Aí sim, achei top. Se fizer, a ideia foi minha e tenho testemunhas hahaha.

 

20
May 2018
O Melhor e o Pior do… Casamento Real!
Cotidiano, Gossipadas

Mas é só o que se fala na atualidade! O casamento real, Harry e Meghan, e um monte de quebra de tradições. Dei uma pesquisada mais profunda sobre a vida dela e posso dizer: o príncipe que é o sortudo. Baita mulher, fiquei fã depois do que descobri!

Antes de falar do casamento, do vestido, da maquiagem, dos convidados, vamos falar sobre quem é a noiva:

  • O nome dela é Rachel e não Meghan, aliás, Meghan é o segundo nome.
  • Ela nasceu na California, não tem nada de aristocracia na família dela
  • Ela era blogueira. Amei demais isso rs. Blogueira de lifestyle de um site que se chama The Tig mas que saiu do ar ano passado repentinamente, provavelmente porque ela estava tomando um rumo mais real rs.
  • Antes de trabalhar como atriz, era caligrafista
  • Ela é divorciada.
  • Ela é 3 anos mais velha que Harry
  • Os pais dela se separaram quando ela tinha 6 anos.
  • A mãe dela, Doria Ragland, assistente social afro americana, é psicoterapeuta
  • O pai, é diretor de fotografia de cinema
  • Uma das melhores amiga de Meghan é a tenista Serena Williams
  • É embaixadora mundial da World Vision Canada em 2016, uma instituição de caridade que trabalha para melhorar as vidas de crianças de todo o mundo.
  • É feminista, quando tinha 11 anos mandou uma carta para Hillary Clinton (que na época era a primeira dama) reclamando de um comercial de TV que ela considerou sexista
  • É ativista na luta pela adoção de cães resgatados ou abandonados, e é contra a compra de animais de canis.
  • É defensora das mulheres nas Nações Unidas
  • Dizem que a meia irma dela esta escrevendo um livro onde detona Meghan. A chama de alpinista social fútil e que fará revelações que podem acabar com o relacionamento dela com o Principe.
  • Tem mais treta na familia. O meio irmão dela já teve passagem pela policia por porte ilegal de armas
  • E mais, uma sobrinha dela é satanista e simpatizante do nazismo. Tanto que até mudou o nome dela para Hitler.

Eita. Familia e seus problemas, mas Harry tem a cabeça boa. Acredito que isso não irá atrapalhar nada.

Agora sim, vamos as fotos do casamento real.

Harry e William. Gente que loucura né? Lembro dos dois criancinhas em fotos com a mãe. Sempre achei eles uns fofos, pra casar mesmo rsrs. Harry era o mais poha louca, o mais baladeiro, o mais divertido. E agora aí, esse homão todo. Já William sempre um doce, um fofo, aquele olhar lânguido de quem sempre quer carinho. Canceriano né mores?

Lá vem ela. Tiara com mais de 100 diamantes que pertenceu a Maria de Teck, avó da Rainha Elizabeth II. Já vamos entrar em detalhes.

Um casamento real cheio de representatividade e fora dos padrões reais! A mãe da noiva, manteve suas trancinhas e estava linda e emocionada todo o tempo. Duas mulheres fortes. Acho que Diana deve estar muito feliz pela escolha do filho. 

O vestido foi criado pela estilista  Clare Waight Keller, primeira mulher a dirigir a grife Givenchy!!!

O véu de 5 metros tinha mais de 50 flores bordadas, representando os países do Commonwealth.

Meus meninos <3

Que olhar de amor de Harry para ela. META DE RELACIONAMENTO! Não aceitem nada menos que isso (o olhar né, porque príncipe de verdade tá difícil rs). Todo Chora vou postar essa foto para vocês se lembrarem de como tem que ser. 

Quase nada de make e tá bonito porque ela é bonita MAS juro, não me julguem, podia ter um make mais elaboradinho né? Depois de ler um pouco sobre a vida de Meghan, entendi que não quis cobrir as sardas pois ela se orgulha das suas descendências (afro americana por parte de mãe e irlandesa por parte de pai) inclusive tem uma frase que ela diz ter ouvido do seu pai: um rosto sem sardas é como um céu sem estrelas. Ok, mas mesmo assim, no dia a dia né… Não estou dizendo que é para cobrir as sardas, de jeito nenhum, mas faltou algo… É que eu amo maquiagem, sei lá.  

O brinco – Cartier – poderia ser maior. Eu acho. Um tico maior, li no insta da Leticia Bronstein exatamente o que me “incomodou” um pouco: o espaço entre o colo e o rosto estava ‘vazio’ demais. Não sei se é coisa de uma cultura mais exagerada em adornos como a nossa, mas achei que faltou algo aí também. Tá chique? Tá sim, sem dúvidas, mas poderia ter um grau a mais de diamantes hahaha. 

O vestido: cady de seda, modelagem totalmente minimalista, atemporal, elegante. Mais um pitaquinho se me permitem… Achei ele um pouco solto no busto e nos braços. Em alguns momentos parecia grande. Tipo, tô sendo super perfeccionista e crítica, era um casamento real mas enfim, só achei que poderia ter ficado um pouco mais certinho no corpo. Não mudaria o modelo nem nada, só apertaria um tico. 

O buquê acompanhou a simplicidade elegante do vestido. Algumas flores foram colhidas pelo próprio Harry no jardim do Palácio de Kensington e uma das flores era a preferida da sua mãe, miosótis. Que homenagem hein? Ah e teve murta também, conhecida como a erva do amor, tradição dos casamentos reais.

O vestido não tá soltinho??? 

A mãe da noiva era emoção pura! Achei FODA, se me permitem a palavra. Uma negra, divorciada, empoderada, na família real. Realmente um conto de fadas moderno!!!!

O coral também foi emocionante. O The Kingdom Choir, coral gospel que existe há mais de 20 anos, é composto por membros afrodescendentes e cantou Stand By Me. DE ARREPIAR!

AGORA VAMOS AOS CONVIDADOS?

Gente, a realeza é muito tranquila quanto a suas roupas. A Kate Middleton usou a mesma roupa – um vestido casaco de Alexander McQueen – pela 4ª vez! Mudou os acessórios, os sapatos e só. A mesma roupa ela usou no batizado da filha, depois no aniversario da Rainha Elizabeth, depois num evento na Bélgica e agora no casamento do cunhado.

Não sei se bato palma ou se torço o nariz. Do fundo do meu âmago, tenho sentimentos encontrados. Acho demais quem repete roupa, afinal não é descartável, mas em eventos tão importantes assim?? Sei lá, o que vocês acham? Repete num jantar, numa comemoração low profile, ah não sei. Não me xinguem. 

Charlottinha tava linda. Será que um dia farei o post do casamento dela? 

A outra realeza britânica: o casal Beckham. Os lindos. Victoria impecável usando cores complementares (aprendi Nara rs): roupa azul e scarpin vermelho. Se me permitem a observação (estou educada como uma princesa hoje) reparem em TODOS os sapatos das convidadas a partir de agora.

Esse não. Esse é só pra admirar mesmo.

Continuemos.

Perdi o nome da moça acima, se alguem souber me fale! Amei o look, só faltou o tradicional casquete. Nos pés, scarpin com tira no tornozelo.

Priyanka Chopra, a segunda da esquerda para a direita. Todas de midi, casquete e… scarpin.

Chiquérrima, Gina Torres. Nos pés… scarpin!!

Will e Caroline Greenwood. Nos pés… adivinhem?

Oprah!!! Quase de scarpin! Achei elegantíssimo o look monocromático dela.

Uma das melhores amiga da noiva, Serena Williams. Também de rosé e claro, scarpin.

James Blunt e Sofia Wellesley. Sapatinho fechado mais uma vez.

AMEI esse look. Tão britânico!

Joss Stone! Achei ela tão diferente! E a única pessoa de sandália era a amiga dela.

Na minha opinião, um dos casais mais elegantes. Amal e George Clooney.

Também gostei desse look. Sarah Rafferty e seu scarpin nude. 

Gente resolvida é outra coisa né? rsrsrs, até as ex namoradas foram convidadas. Chelsy Davy e…

Cressida Bonas. Olharam os sapatos né? 

Pippa Middleton, amei o vestido. Pelo pouco que vejo do sapato, acho que é Jimmy Choo.

A tia Karen Spencer (de scarpin)

E a prima Kitty Spencer! Posso falar? Acho que a mais bem vestida. Amei a combinação de verde com laranja! Ah claro, scarpin mais uma vez.

A Rainha Elizabeth II. FOFAAAAA de verde limão e roxo! Amo!

O bolo dos noivos e…

Um close na tiara de 1893, com mais de 100 diamantes. 

Após o casamento, os noivos seguiram para a festa de recepção e o look escolhido por Meghan foi um longo de crepe de seda de Stella McCartney. Olha só… tanto no casamento quanto na festa ela usou scarpin. E eu sempre falei que não curto longos com sapatos fechados, mas confesso que isso nem me incomodou. Realmente scarpin é um dos sapatos mais chiques e lá foi pura elegância. Uma sandália não cairia bem mesmo e nem sei explicar essa exceção.

  • Agora sim, o Duque e a Duquesa de Sussex. Nada mal, Sua Alteza Real Duquesa de Sussex. Sucesso.
10
Apr 2018
A Farsa no Instagram – Parte 2
Cotidiano, Shopping Time

Mas deu o que falar o primeiro post sobre A Farsa No Instagram hein? Tanto que apareceu assunto até para uma parte 2 e cá estou eu, novamente, mais armada de informação e MAIS REVOLTADA ainda com a cara de pau dos “influenciadores” que montam um perfil baseado na mentira.

Antes de mais nada, queria esclarecer uma coisa. Minha denúncia não é direcionada a ninguém especifico, não é recalque nem inveja, não preciso disso. Não mesmo… Minha denúncia tem a ver com um trabalho que eu faço (e que várias outras pessoas também fazem) HONESTAMENTE e levado MUITO a sério, mas que é desvirtuado e desvalorizado por gente de má índole que quer se dar bem em cima de um “jeitinho” para aparecer mais ou construir uma imagem forte que… não existe.

Deixa eu desenhar, vem comigo (adoro analogias rs):

Pensem em uma pessoa que acorda cedo, se arruma, vai trabalhar, chega no horário, faz seu trabalho direito, cumpre suas responsabilidades, responde seu “chefe”, faz suas tarefas da melhor maneira possível… Tenta conquistar seus clientes um a um, mostrando transparência e conquistando a confiança. Tudo isso com o intuito de garantir sua permanência no emprego, de conseguir quem sabe uma promoção, de ter seu salário conquistado para pagar suas contas e quem sabe comprar um carro, uma casa, sei lá além de obviamente entregar um produto/serviço de qualidade e que corresponderá ao que o cliente deseja, sem enganações.

Daí tem o colega de trabalho, mesmo cargo, mesma empresa, mesmo “chefe”. Ele chega atrasado mas pede para alguém “bater ponto” pra ele antes. Ou nem vai porque tá de ressaca mas diz que tá doente em casa. No trabalho, enrola, finge estar trabalhando, tem suas responsabilidades atrasadas. Mas de alguma maneira, ele forja para seu “chefe” um trabalho bem feito, só a parte de cima trabalhada, um relatório com a capa linda mas cheio de folhas em branco, mostra sua “competência” com um número grande de clientes que ele inventou (ou que enganou prometendo coisas que não consegue entregar) e o que acontece?? O chefe acha lindo, vai lá e promove a pessoa, aumenta o salário.

Injusto não?

Pois bem. As empresas/marcas são os “chefes” dessa turma de influenciadores. O relatório, é conteúdo que produzem. A competência, o retorno gerado. Os clientes, os seguidores, enganados ou conquistados. Simples assim.

Alguém está sendo enganado não é? Tanto as marcas que acreditam num trabalho que não existe, que apenas é “enfeitado”, como os seguidores, que foram forçados a acreditar que aquele serviço era bom.

Affff falei demais, mas foi só a introdução para a bomba que vou jogar agora. No último post, dei algumas dicas de como saber se a pessoa que você segue comprou seguidores ou não. Muita gente me disse que a Luisa Accorsi tinha feito um vídeo falando de um site que mostra exatamente isso: se o perfil é comprado ou não. Bom, na verdade, o tal site não vai te falar claramente, mas só de ler os dados a gente já saca na hora. O tal dedo duro dos fakes se chama Social Blade.

Ó, já aviso… Cuidado que ele vicia.

Pra começo de conversa, ele só funcionou pra mim no Chrome. A interface é bem fácil de trabalhar. Vamos lá, vem comigo desmascarar alguns fakes:

No Chrome, vá em www.socialblade.com

Escolha “investigar” Instagram

Me escolhi para mostrar pra vocês

Os printf são de janeiro, este post está esperando já tem um tempinho… Como podem ver, eu ganho e perco seguidores na mesma proporção. Em dois anos, cresci apenas 10 mil seguidores e tô investigando o motivo. Um dos motivos é provavelmente o uso de algumas # que foram proibidas pelo Instagram há um tempo e eu teria que tirá-las das minhas fotos, mas cadê coragem de checar minhas mais de 7000 fotos para procurar as tais #? Enfim, continuemos com o Social Blade.

No gráfico acima, vocês podem ver meu crescimento desde 2014. Uma curva continua em ascensão. Normal. Crescimento ORGÂNICO, zero compra de seguidores. Lá pra dezembro de 2014 uma queda de poucos seguidores, que foi aquela limpa que o Insta fez e que todo mundo perdeu alguns números. Quem tinha comprado, perdeu MUITOS, algumas contas mais de 50%, quem não tinha comprado, perdeu seguidores inativos e spammers. A revista Glamour fez uma matéria sobre a tal limpeza no Insta, segue o LINK para quem quiser ler. É bem legal.

Agora vamos ver quem compra e quem não compra seguidores? Uma das maneiras mais rápidas e fáceis é comparar perfis. Lá no Social Blade mesmo você pode fazer isso.

Comparei 3 perfis que sei que não compram seguidores: a Lu Ferreira do Chata de Galocha, a Anita Bem Criada e eu, todas de BH porque gosto de valorizar minhas colegas que fazem um trabalho lindo. Claro, a Lu tem muito mais seguidores que a gente e fica lá em cima, mas reparem no formato do gráfico: os 3 perfis são curvas em suave ascensão. Praticamente uma linha crescente sem grandes eventos.

AGORA VEM O TERROR, OLHEM O GRAFICO DE QUEM COMPRA SEGUIDORES:

 

Conseguem ver a diferença no gráfico? Enquanto um crescimento orgânico é uma curva suave e crescente, a curva de quem compra seguidores é cheia de eventos, de picos e altos e baixos!!! Por que disso? Porque cada pico, é um dia de seguidores “comprados”. Um dia compra 2mil, outro 4mil, depois perde 1mil e por aí vai.

Mais uma comparação. POVO QUE COMPRA SEGUIDORES E SE AUTODENOMINA INFLUENCIADOR, CÊS NÃO TEM VERGONHA NA CARA NÃO? Enganam as marcas vendendo um alcance que não existe e enganam os seguidores fingindo credibilidade no que postam!

Aff

Continuemos:

Gente, é bom dar uma entendida nesses números, principalmente marcas ao pesquisar influenciadores para ações: não é normal ganhar 2 mil seguidores num dia, depois perder e perder, e depois ganhar 4 mil, 5 mil seguidores em um único dia. A não ser que o perfil seja SUPER CITADO por alguma mídia de peso (o que não é fácil/comum/recorrente), isso não é um crescimento verdadeiro, ok? É fake, BEM FAKE. 

Quer mais dicas para saber se o “influenciador” tem perfil com informações falsas? Fácil, o mesmo número de curtida em todas as fotos. Sim, porque pode comprar curtidas,  comentários e seguidores.

Gente, uma BOA foto de look dá boas curtidas, uma foto de uma flor, dá menos curtidas. Uma selfie bonita, dá boas curtidas, uma foto de um produto na bancada do banheiro dá menos curtidas. Fotos espontâneas, dão boas curtidas, fotos de PUBLI dão menos curtidas. É uma coisa óbvia! Então reparem: se um perfil tem 4.000 mil curtidas em todas as fotos, seja selfie, de paisagem, de um pedaço de pão, pode saber, são curtidas compradas. O engajamento REAL é variável e vai de acordo ao exibido no Instagram.

Mais dicas para saber se estão comprando curtidas? Clica pra ver quem está curtindo as fotos. Se for aqueles meninos de boné de aba reta, perfis de sacanagem ou esquisitos, de um público nada a ver,  pode saber que tem algo estranho. E percebi que esses perfis que curtem tem geralmente 7.500 seguidores. Perfis montados e fakes. Tipo assim:

É só dar uma olhada nas curtidas e se tiver uma série desses, bingo: compra curtidas também. Podemos chamar isso de engajamento? Esse público vai comprar algo? Acho que não hein… E todos esses prints acima foram de UMA FOTO de uma blogueira com mais de 6 mil curtidas na foto. Nem precisei procurar os fakes, era um atrás do outro mesmo.

Ah, comentários repetidos da mesma pessoa chamando insistentemente de : LINDA, MUSA, DEUSA, VOCÊ ARRASA, IDOLA também indicam que tem treta aí.

Ah, pára né?

Além dessa turminha que ama comprar tudo no Instagram e enche a boca pra falar que é influenciador profissional (sim, tem gente que se denomina assim. Profissional só se for em compra de fakes né?) existe também mais uma maneira de bombar o Instagram de falso engajamento: os grupos de whatsapp. Como assim? Existem grupos de WhatsApp, cheio de “influenciadoras” que combinam de curtir e comentar as fotos das migues para aumentar o engajamento. O convite para esses grupos é mais ou menos assim:

Meu estômago chega a embrulhar. E o de vocês?

Gente, essa farsa saiu até no New York Times! Mais direcionada aos fakes do Twitter, mas no fundo é a MESMA coisa. Quem quiser ler, segue o LINK.

“Todo mundo quer ser popular online. Alguns pagam por isso.” 

Ia citar também alguns casos que recebi sobre lojas/marcas que fecharam com influenciadoras e não tiveram retorno algum. Tipo, nem copo d’agua ganharam. Várias pessoas entraram em contato comigo para me contar casos mas… deixa pra lá né? O recado está dado: para as MARCAS prestarem atenção em quem estão investindo e para VOCÊS abrirem os olhos e saber quem estão seguindo.

  • O que vai acontecer? Vão parar de comprar? Não… não vão. O Instagram vai fazer uma nova limpa e acabar de vez com essa prática? Duvido… A única coisa que eu realmente quero e me importo é com o mercado. Só quero que as marcas valorizem quem faz um trabalho limpo, de verdade e honesto. Que entendam de uma vez por todas que número de seguidores NÃO é garantia de retorno ou indica engajamento. Olhem com calma, analisem, pensem em nichos, em público de verdade e conteúdo. O resto, que continue fake, mas que não queime o trabalho de quem faz bem feito. E se fizer drama, ainda vai ter a parte 3.
Página 1 de 6512345Última »