22
Feb 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Gente vou dar uma de sincerona… Li e reli vários Choras que recebi e poucos me davam vontade de publicar… A historia se repete em vários, sempre a mesma coisa… O cara que sumiu, o cara que não assume compromisso, a mulherada que não sabe se continua tentando ou não… Bom, acho que já passamos dessa fase e sabemos muito bem que QUANDO SÓ VOCÊ CORRE ATRÁS, É UM SINAL PARA CORRER PRA LONGE. Com essa frase respondi pelo menos uns 10 mails que recebi.

Vida que segue. Vamos ao que interessa.

Caso 01 – Miami

Tenho 28 anos, sou farmacêutica, trabalho há 4 anos na mesma empresa (consequentemente meu primeiro emprego), namoro também há 4 anos um cara maravilhoso (que amo de paixão).

Mas a 3 anos descobrimos que minha mãe estava com um câncer avançado de estomago, no qual os médicos lhe deram meses de vida e ela lutou bravamente por 3 anos. Minha mãe sempre foi tudo para mim, criou eu e meus irmãos sozinha (meus pais se divorciaram cedo e meu pai é ausente). Ela era uma mulher admirável, estilosa, chic, que cativava todos por onde passava. Passei os últimos 3 anos cuidando dela juntamente com meus irmãos e convivia com aquele medo de perder a pessoa mais importante da sua vida… Medo de como seria minha vida sem o verdadeiro amor da minha vida, sem minha amiga, onde iria morar (pois morávamos eu, minha irmã e ela), de como me sustentaria sem ela (tenho um bom salário comparado aos meus colegas de profissão, mas não é uma Brastemp). Além disso já estava em crise em relação a minha profissão, pois onde trabalho não vejo perspectivas de crescer e não amo o que faço no dia-a-dia.

Desde o inicio do ano eu e meu namorado já estávamos amadurecendo a ideia de morarmos juntos, nos damos bem e nos amamos muito, porém logo que começamos a olhar apartamento minha mãe foi internada novamente e faleceu… O que vivi neste ultimo mês de vida de minha mãe e como convivi com o sofrimento dela foi horrível, ninguém merece passar por isso… Mas ela me deixou o exemplo de ser forte e batalhadora, que é o que tem me dado forças para seguir em frente. Porém agora me encontro numa situação tao difícil, sem ver a luz no fim do túnel. Estou sozinha na minha casa, pois meu relacionamento com minha irmã é péssimo, ela foi a primeira a fugir de todos os problemas e não tem ajudado em nada nesse processo de Inventario. Além disso surgiram várias gastos inesperados que estão consumindo todas as economias que eu tinha.

Resumindo: perdi minha mãe, estou sozinha numa casa que tudo me faz lembrar ela, não sei se quero esse meu emprego (no qual a empresa está em uma séria crise financeira) mas preciso dele agora mais do que nunca e não consigo sair de casa pra morar com meu namorado pois não sei se terei dinheiro para bancar financiamento, despesas de casa e esses gastos com a morte da minha mãe. Estou confusa, sofrendo por não conseguir colocar um rumo em minha vida e com isso tudo não consigo nem viver o luto da minha mãe direito. Queria tomar as rédeas da minha vida e seguir em frente mas não consigo pois esse inventário e bens a serem divididos por 3 dificultam tudo (eu e meus irmãos estamos mais perdidos do que tudo, cada hora decidimos uma coisa diferente… meu irmão me ajuda mas minha irma só coloca empecilhos,foge da responsabilidade de fazer as coisas e não tem dinheiro para bancar os gastos). Meu namorado tem me apoiado ficando ao meu lado e me ajudando a seguir em frente, mas estou sofrendo tanto… Uma angústia, um vazio que nem sei explicar… Ele sempre diz que vamos resolver essa situação e cuidar da nossa vida, mas não consigo ver um fim nessa historia toda… Isso já está afetando a vida dele e me incomoda muito ele também estar travado nessa historia toda…

Queria uma luz de como conviverei com essa ausência da minha mãe? Onde irei morar? O que farei com minha vida profissional? Como conseguirei construir uma vida com meu namorado? E será que darei conta de me sustentar sozinha???

Ah minha amiga… perder uma mãe não deve ser nada fácil. Eu nem imagino essa situação e muito menos o tamanho do sofrimento. Mas a gente nasce e morre sozinha. Você está vivendo o luto, não tem jeito de fugir disso. Para não sobrecarregar seu namorado, tente procurar algo que te de algum tipo de paz, de serenidade… Religião, meditação… E outra coisa, você deve focar no seu trabalho e ser feliz nele pois será a única coisa que nunca se virará contra você e depende totalmente de você. Se não está legal no seu emprego, dê um jeito já de procurar algo que te satisfaça porque é aí que você vai por toda sua energia e foco. Além disso, será o que te trará condições financeiras de uma vida melhor. 

Caso 02 – Nova Iorque

Oi Cony, Relutei muito para escrever, mas preciso muito começar meu 2017 diferente, preciso fazer diferente, então decidi relatar meu chora pra ver se consegue me ajudar.

Tenho 26 anos, namoro desde os 20 com o mesmo cara (entre idas e vindas – o máximo de separação foi 1 mês ). Nos conhecemos no trabalho, começamos a namorar, fui para uma empresa melhor e levei ele comigo. O cara nem o ensino médio tinha, hoje ele conclui sua faculdade. No começo do namoro ele era perfeito, lindo, atencioso, amoroso, daqueles que larga tudo pra te ter por perto, mas também muito ciumento. Isso me sufocava mas sempre tentava contornar a situação, falando que ele precisava sair com os amigos, conhecer gente nova e etc. Me formei em 2015, desde então não trabalho só estudo pra concurso. E ele ta vivendo, sai depois da faculdade com os amigos, não me trata como antes, sempre seco e rude, e eu aqui louca, choro sempre, até quase entrei em depressão, emagreci 10kg em um mês, mas graças a minha família venho tentando dar a volta por cima. Não sei se essa minha obsessão é pelo fato deu não ter ninguém, amigas pra sair, lugares pra ir, conhecendo gente novas, não sei, sei que isso me mata. Não sei se ele tem outra se não esta mais interessado e cada duvida e pensamento é um luta pra controlar meu emocional. Eu sempre fui muito certa daquilo que queria, autentica, decidida, mas hoje eu não me sinto assim, tudo tenho vontade de chorar, meu estomago me sufoca (tenho gastrite emocional) nada melhora e o cara age como se pra ele esta tudo certo, normal.

Nossa ultima briga saímos praticamente nos tapas, um empurra empurra arranhei o braço dele, e estamos aonde eu nunca imaginei chegar. Eu o amo e isso não tenho duvidas, quero construir um vida com ele, mas não quero me perder assim, quero me amar acima de tudo. Realmente não sei o que faço, fiz um curso de controle emocional com um coaching 3 dias e parece que nada resolveu (tanto que meu pensamento era só nele), já tomei remédio pra ansiedade por conta própria mas nada resolveu. Me ajuda Cony por favor, não sei mais a quem recorrer, meu pais ficam num jogo cruzado pois gostam demais dele tratam como um filho mas eles sempre estiveram do meu lado. Eu sei que mereço ser feliz só não sei como dar esse pontapé.

Acho que você pode ter depressão ou o início de uma… E está muito sobrecarregada pelos estudos e pelas atitudes do seu namorado. Não se auto medique, vá num psiquiatra MESMO e tome a medicação indicada por um profissional! Isso é sério! É reação química errada na cabeça que tem que ser ajustada. O seu namoro, digo, a relação em si, é o de menos nesse caso. São suas atitudes as preocupantes, a falta de controle, se transformar em uma pessoa que você não é (a ponto de agredir fisicamente seu namorado). Procure um médico, coloque a cabeça no lugar e só aí analise calmamente o que está acontecendo na sua vida.

Caso 03 – Los Angeles

Constanza, amo o seu blog, e acho você uma pessoa sensacional ! Resolvi escrever para você, pois ando desiludida com a vida. E o pior, fui eu mesma que causei esta situação. Tenho 37 anos, as pessoas dizem que eu sou bonita, tenho graduação e pós graduação, falo 3 línguas, tenho apartamento próprio, carro, já viajei, enfim, levei uma vida normal, se não fosse por um problema: sou virgem! Sim, já sai com alguns caras, rolaram várias coisinhas (se é que me entende), mas a relação propriamente dita, ainda não. E tenho muita vergonha desta situação. Não sei como falar para um cara, hoje em dia , que sou virgem e com esta idade ! Fui uma pessoa, muito estudiosa, me relacionei com algumas pessoas, mais nada sério, e agora não sei o que o cara pode pensar, sei que posso ser julgada por esta situação, e fico com muita vergonha. Acho que o meu caso não tem solução. Muito obrigada por me escutar.

Tem solução sim e é facinho de resolver. Mulher, transe. Não entendi o motivo de não ter acontecido até hoje… você diz que tem vergonha da sua situação mas não o motivo de não ter feito sexo ainda. O que te trava? Não procure um príncipe encantado para sua primeira vez, não espere o momento perfeito, não tenha expectativas. A grosso modo, vá lá e dê. Ponto. Não pense no que o cara vai pensar! Pense em resolver sua “pendência” e pronto. Depois a gente preocupa com o restante, mas antes de mais nada você tem que quebrar essa barreira de qualquer jeito!

Caso 04 – Vegas

Meu chora é o seguinte… Namoro a 4 anos um moço bom, de família, dedicado e carinhoso. Nos damos bem, nos amamos e sempre estamos juntos. Porém, me sinto insegura com ele. Nesses 4 anos de namoro, NUNCA falamos sobre casamento, filhos, planos para o futuro… O máximo que planejamos é o que vamos fazer no final de semana. No começo ja cheguei a relar no assunto, mas vi que ele nunca deu continuidade. Tenho 25 anos e ele 27. Isso está me tornando uma pessoa ‘vazia’… Não tenho mais vontade de casar, mesmo que com outra pessoa, muito menos ter filhos. 

Outra coisa que me deixa super mal, é nossa vida sexual. Até os 7 meses de namoro foi ótima. Desde então está de mal a pior. Nossa frequencia sexual é 1x por mês e quando rola, parece que é meio forçado. Já cheguei a falar várias vezes com ele sobre isso, já falei em terminar e até a procurar ajuda médica. Ele sempre fala que não tem problema nenhum e que vai melhorar… Mas nunca melhora. Já cheguei a achar que o problema era eu, tive até que ir ao psicólogo de tanto que isso mexeu comigo. Mas hoje vejo que não sou eu o problema. Sou uma mulher bonita, ao ponto de as pessoas me pararem na rua para falar da minha beleza, de verdade, sem exageros Cony. 

Ele me trata bem, sinto que ele me ama e faz tudo por mim. Mas me vejo em um relacionamento sem futuro e sem sal. Sinto que estou perdendo meu tempo com ele, mas ao mesmo tempo, não consigo me desprender. O que você acha que estou fazendo de errado? 

Vamos por partes… Você diz assim: Nos damos bem, nos amamos e sempre estamos juntos. E logo depois reclama da freqüência sexual (uma vez por mês e meio forçado, aos 4 anos de namoro, imagina aos 10 anos? Quando casar? Tá certo não…). Outra, ele não fala em futuro. Programar apenas final de semana é para casinho, ficante, peguete, não para um namoro de 4 anos! Qual o rumo dessa relação? O que é tao bom assim que te prende nele? Não tem sexo nem tem planos. Ele é seu amigo. E outra coisa… você termina o texto dizendo que se vê em um relacionamento sem futuro e sem sal… E quando a gente começa a questionar se vale a pena, é porque já deixou de valer. Antes de tomar qualquer atitude, converse MUITO. Esgote todas as possibilidade e se nada mudar, vida pra frente nega! Você é muito nova e bonita!

  • Tem um Chora interessante? Diferente? Angustiante? Difícil de compreender? Que ninguém consegue te ajudar? Mande seu relato pra gente… constanza@futilish.com, seja direta e resumida, e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. A gente te escuta. Mas ó… nada de bofes que somem e depois aparecem ou que não sabem o que querem da vida. Esses colocamos num potinho e jogamos no mar. 
27
Jan 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

Enquanto junto dicas das leitoras, a sexta de hoje será um Chora!

Chora 01 – Absolut

Estou com um problema do tipo que dá vergonha de perguntar pras amigas, e até pro médico (já até procurei ajuda médica, porém até hoje não me deram nenhuma solução e eu fico com vergonha de ficar passando de médico em médico atrás disso pra ouvir um: nunca ouvi falar). 

Há um bom tempo, sempre que o meu namorado “beija” meus seios, ele sente um gosto estranho, ruim! Não é problema de higiene, pois muitas vezes eu acabei de tomar banho, já tentei de tudo, lavei e esfreguei de diversas maneiras, e o gosto ruim continua lá!  Também não é nenhum líquido, pois não sai nada do seio,  faço exames regularmente e aparentemente não tem nada de errado comigo! 

Já busquei várias vezes no Google e encontrei algumas perguntas de pessoas com o este mesmo problema, mas como não é em grande volume, até hoje não encontrei uma resposta/diagnóstico/solução para isso 🙁

Depois disso, minha vida sexual está indo de mal a pior, pois sempre estou insegura com relação a isso, e quando ele me beija na boca eu consigo sentir o gosto ruim e já “brocho” me sentindo péssima.

Não é coisa da minha cabeça pois já acontece há mais de 1 ano e o meu namorado já tentou comentar “sutilmente” sobre isso, e eu desconversei pois já havia notado também. Ele não fala de forma que me ofenda, mas esse pequeno problema está acabando com minha auto estima, que nunca foi muito boa!

Venho aqui como um pedido de ajuda, a você (caso já tenha ouvido falar de algo do tipo) ou para as leitoras (que sei que são muitas e pode ser que alguém já passou por isso e resolveu o problema né?) pois já não sei mais o que fazer!

Me ajudem! Qualquer luz que puderem me dar já é de grande valia, pois saber que mais alguém tem isso e tem solução me daria mais ânimo para continuar procurando um médico que consiga resolver!

Muito obrigada por tudo o que você e suas leitoras fazem por todas as pessoas que vêm aqui com pedidos muitas vezes “cabeludos” e não tem mais ninguém para ajudar!

Menina, que coisa mais estranha! Nunca ouvi falar nisso não…mas cheguei a pensar… será que não é a boca do seu namorado que tem gosto ruim? Sei lá, minha pergunta pode parecer idiota, mas é uma alternativa não? Vou deixar para as meninas lerem e se alguém souber… Ajuda a Absolut aí!

Chora 02 – Ciroc

Minha história é de amor e é a seguinte: namorei 7 anos, percebi que não o amava,  decidi terminar e fiz minha escolha muito consciente. Decidi que precisava aproveitar a vida (lembro que foi na msm época q você ficou solteira e voce me ajudou muito!), conheci caras legais, me decepcionei tb, curti viagens, vida de solteira até que 2 anos depois Quis curtir um ninho de novo (canceriana!rs). Ou seja, tudo muito bem, obrigada! Mt independente! Yes, musiquinha da vitória! Devia ter mandado um “sorria que eu te escuto” na época pra contar tudo, né?
 
Nessa época estava mudando de emprego e logo bati os olhos em um cara e disse: “é ele que procurei a vida toda”, tudo como idealizava como o cara perfeito, desde os atributos físicos e todas as características… ficamos e foi maravilhoso, não nos desgrudamos mais.
Aí começam os problemas: assim que começamos a ficar juntos, e nao era pegação de balada já que nos víamos td dia, descobri fuxicando o celular (sempre o celular né? Mas só fuxiquei pq tava com a pulga atrás da orelha) que ele tava de papo com uma ex ficante, rolou nudes e tal, mas n chegou a rolar Nd, foi super difícil pra mim porque pela primeira vez na vida estava apaixonada mesmo e veio esse balde de água fria! Mas ok, n havia um compromisso Ainda!
Nos distanciamos até que um mês depois decidi aceitar voltar. Começamos a namorar, foi lindo, assim foi por 1 ano e meio, com pedido de noivado e tudo! Famílias super unidas, propostas de vida juntas e tudo mais. Te juro, o cara mais carinhoso da vida e q me mimava a todo momento, um verdadeiro casal de comercial de margarina. Há quinze dias atras o bonitinho começa a ficar frio, desiludido com o trabalho, e um pouco distante. Fuxico o celular e descubro o que, minha gente? (N fuxico sempre, tá?rs) Tinha transado naquela semana com uma menina da academia, e enquanto estava bebendo com uns amigos ele mandou msgs pra ela dizendo q curtiu o que tinha acontecido! Lá vai eu dar bafão de novo né? Briguei, xinguei, contei pra familia. aquele auê! Aí ele tá agora desesperado pra voltar, viu a burrada q fez e diz q n sabe viver sem mim, tá arrependido e com vergonha né? E agora, o q eu faço? É a segunda vez que acontece, dei meu voto de confiança, e de novo quebro a cara. De verdade sei q ele é apaixonado por mim tbm, e uma das justificativas pra traição foi a fraqueza, e que tava sentindo incapaz de ser um bom marido, com medo, e se sentindo inferior a mim, q sou uma pessoa mais objetiva, mais madura e com metas claras.
 
Balela? Acredito? É questão de caráter e ele fará isso de novo? Dou mais uma chance pro amor depois de fazer ele comer o pão q o diabo amassou?
Ao mesmo tempo q penso que sou uma mulher independente, forte, inteligente e bonita e que n posso me permitir que outra pessoa me faça mal, outro lado me diz que são duas pessoas apaixonadas e que por um erro estão desperdiçando amor!
Me ajudem!

 

Vish, difícil dar opinião nesse caso… depende muito de você! Tem gente que perdoa traição, outras não conseguem… Só que eu acho que ele vai fazer novamente. Quem faz duas (e isso são as que você descobriu né?) faz três, quatro, cinco… E não acredite nessas justificativas por ele ter traído. Tudo balela para te comover, ainda mais te enaltecendo! Se você o ama a ponto de CONVIVER com isso (porque será sempre um fantasma caso você não consiga esquecer) vá em frente, mas se acredita que a cada briga surgirá esse assunto, melhor partir para outra ou seu relacionamento vai virar um inferno. Pense direito, pense nas qualidades dele e nos defeitos e veja o que pesa mais! Ah, e seja realista, pé no chão e não romantize seu relacionamento.

 

Chora 03 – Belvedere

Olá Constanza tudo bem?? adoro o seu blog, seus looks e suas dicas, não vou me estender muito então lá vai meu chora: meu namorado não fala que me ama! sim, assim mesmo, na lata. Namoramos a quase 2 anos, nos damos mto bem, temos nossas briguinhas mas nada sério nem grave, falamos em casamento e tudo mais, mas o “te amo” nunca saiu, Cony! acho muito estranho, tem épocas que “desapego” e tento viver bem sem isso, mas sinto falta, e sinto falta de falar também! Meu namorado sempre foi mto fechado sobre sentimentos, mas demonstra muito gostar de mim, cuida de mim, fala “gosto mto de vc” váriasss vezes, mas fica por aí. 2 vezes ano passado eu já “disse” te amo , uma por mensagem de texto no 1 ano de namoro, e a segunda no aniversario dele em um vídeo que fiz pra ele (com fotos e escritos), não foi bem FALEI COM TODAS AS LETRAS mas falei, e ele responde outras coisas mas isso não. Enfim, as vezes tenho vontade de falar na lata sabe? perguntar. mas ao mesmo tempo, eu me sinto amada realmente e prefiro deixar pra la. Eu sei que pra ex dele ele falava (não sei se falava sempre, mas tem uma postagem no twitter dele pra ela falando te amo- na época que eles estavam juntos obviamente), e pra irmã dele atualmente tbm já o ouvi falando, em contra partida, o sócio dele mandou uma mensagem de ano novo pra ele agradecendo por tudo e etc e falando te amo, ele respondeu tudo mas tbm não usou as  3 palavrinhas. Enfim, se ficou muito longo, pode resumir pra postar, mas gostaria de saber, e aí? puxo esse assunto ou toco o bonde? obrigada desde já Cony por nos disponibilizar esse espaço e à todas as leitores que puderem ajudar! um beijão!

Hum… eu acho super importante verbalizar o sentimento. Se ele fala para a irmã e falava para a ex, eu ficaria preocupada sim… Caso ele nunca tivesse se declarado para ninguém, ok, seria algo dele. MAS ele já falou que ama… então, eu perguntaria o motivo! Na boa e preparada para ouvir um ¨eu não te amo¨, ainda mais se você já falou pra ele e ele não respondeu o mesmo. Eu sei que falar ¨EU TE AMO¨ não quer dizer que a pessoa realmente ama de verdade, muitos falam só da boca para fora, mas eu entendo que isso te incomoda. Pergunta pra ele… bem de leve, bem de boa e bem preparada!

 

  • Choras abertos hein! Podem mandar para constanza@futilish.com, no assunto, colocar CHORA QUE EU TE ESCUTO. Tentem ser resumidas e de preferências, casos diferentes aos que já apareceram por aqui!
05
Jan 2017
Chora Que Eu Te Escuto!
Chora Que Eu Te Escuto

O primeiro Chora do ano! O que será que vem por aí? Será que teremos uma mudança no comportamento feminino e o amor próprio reinará?

Chora 01 – Ilhabela 

Cony, adoro seu estilo, me identifico muito (a louca das listras) e também com sua escrita e com seu jeito! Sou mineira de coração e super nos imagino amigas!! hahaha

Meu chora são alguns chorinhas juntos. Aí vai:

Depois de mais de 10 anos de relacionamento (primeiro e único até então), chegou ao fim e depois de terapias e psiquiatras (santo amiguinhos!) estou bem melhor e recuperada da fossa que estava. Já se passaram alguns meses desde a separação, ou seja, estou na seca há bastante tempo! O problema é: sou totalmente inexperiente, como disse, foi meu primeiro e único homem, e apesar de eu estar desesperadamente precisando de um P.A., sinto medo (acho que é normal) de tentar algo com alguém (tem alguns carinhas me sondando) novo, primeiro pela inexperiência, e segundo por um pouco de vergonha do meu corpo. Não é questão de peso, estou um pouquinho (pouquinho mesmo) acima do meu peso, mas isso não me incomoda (e aparentemente não incomoda os homens). O meu problema é genético: tenho excesso de pele. Por isso, apesar de nova e sem filhos (tenho 26 anos) tenho os seios bem murchinhos e caídos (piorou com a perda de muito peso!) e também o pior: meus pequenos lábios são enormes, também por excesso de pele. Meu ex nunca se importou com nenhuma dessas duas questões, mas outro homem… como será? Já estou procurando cirurgiões para corrigir os dois “probleminhas”, mas enquanto isso… estou subindo pelas paredes mas envergonhada! rs. Quero dica das leitoras para ficar mais desinibida, e saber: homem repara nisso?! Vai ter que ser na luz apagada? rs

Outra questão é: por ter ficado mais de 10 anos nesse relacionamento, perdi bastante amizades, e hoje só tenho duas amigas bem próximas: uma é casada e a outra não está na “vibe” de sair, e eu por estar há muito tempo sem sair, também estou desesperada pra sair e curtir, sou nova e independente, quero aproveitar mas não tenho companhia! Tô tentando me aproximar de algumas pessoas, reconectar à algumas amizades, conhecer boys magyas novos, enfim…  mas confesso que é mais difícil que imaginei.. dicas?

Desde já agradeço! Beijo grande!! Mais sucesso em 2017 pra você e todas as suas leitoras!

Menina, santa terapia e psiquiatra mesmo hein? Já cogita até um PA rsrsrs. Antes de mais nada, não tenha vergonha do seu corpo. Não deixe que isso atrapalhe os momentos de prazer… rsrs. É sério, mas na hora do rala e rola, homem não vai reparar nessas coisas! Se preocupe em se entregar na hora do sexo e pronto, não fique travada por esses detalhes e MUITO MENOS fale pro bofe sobre eles. Mas se é algo que muito te incomoda, faça cirurgia sim, e fique livre dessas neuras. E para conseguir mais amizades e cias para sair, conte para geral que está procurando companhia! Conte mesmo, vá atrás, quando alguém estiver comentando de uma saída, fale: ¨gente, me chama também! Tô solteira e quero me divertir!¨ Não tem nada de errado nisso viu?

Chora 02 – Juquehy

Tenho 30 anos, bacharel em direito (apenas), solteira literalmente, sou auxiliar administrativo (não recebo nem dois salários mínimos) e também estou estagnada. Pior, cada dia que passa parece que retroajo. Não tenho desejos, sonhos, objetivos, motivações. Vou vivendo por viver e as cobranças da “sociedade” são inúmeras.
É como se estivesse na terra “vegetando”. Só que apesar de ser um pouco tarde pra isso, não quero mais viver assim, mas não sei como ser diferente!

Ai miga, complicado isso. Mas SÓ VOCÊ pode se ajudar. Ninguém irá até você e por sonhos e objetivos na sua cabeça. É um árduo trabalho, você terá que respirar fundo várias vezes ao dia e pensar positivo. Se force a sair, fazer atividades ao ar livre para pegar gosto pela vida. Se cerque de pessoas animadas e do bem. Não se abale pelas cobranças da sociedade, cada pessoa tem um tempo e isso não significa NADA. Pense que você tem saúde, tem família e todos os dias acorda para fazer um novo dia. Faça-o ser lindo! Pense, só por hoje , vou ser feliz com a vida que tenho, é sua única opção no momento e dê valor às pequenas coisas. A felicidade está nas entrelinhas e não no final da frase…

Chora 03 – Maresias

Olá Constanza, acompanho seu blog há algum tempo e adoro. Mas hoje estou lhe escrevendo para desabafar sobre a situação que vivencio com meus pais, tenho 29 anos e moro com eles ainda. Meus pais são pessoas difíceis que tem o modo de pensar igual antigamente (prezam a moral e os bons costumes) onde a filha tem que namorar em casa não pode chegar tarde, eles sempre falam que vou ficar “mal falada”.
Mas de uns tempos pra cá a situação está ficando insuportável e o convívio também, eu ainda não tenho condições financeiras para sair de casa, porém não estou vivendo. Comecei a namorar faz seis meses, ele é uma pessoa maravilhosa e neste natal fui passar com a família dele em um sitio e dormi lá (meus pais sabiam que iria posar). No outro dia quando voltei pra casa meu pai acabou com a minha alegria, disse que isso que fiz com ele de posar fora foi como um tapa na cara dele, que quem faz isso é garota de programa que para dormir fora só se for mulher casada e que as pessoas vão falar mal de mim, resumindo fiquei mal, chorei e pensei até em terminar o namoro porque não acho justo fazer isso com meu namorado. Eu estava planejando ir passar as ferias na cidade dele pra comemorar um ano de namoro, ele mora em Brasilia e eu no interior de São Paulo, mas vejo que pelo jeito vai acontecer a mesma coisa ou talvez nem possa ir (minha vontade é ir mesmo assim).
Depois que me tornei adulta meus pais não aceitaram muito bem, meu pai diz que enquanto eu comer a comida que ele coloca dentro de casa eu tenho que obedecer ele, eu praticamente não saio, é só do trabalho pra casa, e com isso me tornei uma pessoa triste, pois, vejo que o tempo esta passando e não estou vivendo. Minha mãe não conversa comigo há alguns anos já, me chama de preguiçosa e vagabunda porque não sou dona de casa igual a ela, com isso hoje em dia eu que lavo minha roupa e limpo meu quarto porque ela disse pra eu me virar, convivemos como estranhos dentro de casa. Criticam o jeito de me vestir, os meu gostos nunca me elogiaram, estão sempre me cobrando e me colocando pra baixo. Eu percebo que eles são pessoas de mente fechada que não aceitam conviver com diferenças, só vivem dentro de casa não viajam, limitaram-se a viver naquele mundinho. Só que isso vai me fazer com que eu não tenho vontade de ter contato com eles mais no futuro quando for embora de lá, infelizmente. Enfim, não vejo a hora de sair de casa para poder começar a “viver” de verdade, porque eu sei que eles não irão mudar.

Seus pais parecem pessoas tristes que por algum motivo foram ¨podados¨ da vida e estão descontando em você. Já que você não tem condição de sair de casa, acho que a única alternativa é conversar com eles mesmo. Abrir o jogo, falar o quanto você está infeliz e perguntar se eles são felizes vendo você perder as coisas boas da vida na juventude. Não termine seu namoro, converse e avise que vai viajar com o namorado, não deixe de fazer suas coisas, se imponha! Porque se você não se impor, eles continuarão agindo da mesma maneira.

Chora 04 – Paraty

Cony,

Acompanho o seu blog a uns 5 anos e acompanhei a criação do “chora” e o que ele virou hoje. Dei palpite em muito depoimento e me sensibilizei com várias histórias. Hoje queria contar a minha. A minha história que de uma vira a volta e que no fim das contas tudo foi muito melhor que eu pensava.
 
Comecei a namorar aos 16 anos e durou até os 25. Meu ex estudava na mesma sala que eu no colégio e eu fiquei completamente apaixonada por ele. Na época o que ele me dizia era lei, a opinião dele era a mais importante de todas e eu me anulei completamente em função desse namoro. Ele era extremamente ciumento, achava que eu ficava olhando para os outros, fazia questão de me colocar abaixo de zero em tudo. Implicava com todas as minhas amizades, com a minha família e gostava de me diminuir. Em conversas com outras pessoas ele sempre me interrompia como se eu não estivesse ali na conversa, ou se o que dissesse não tivesse importância. Além de outros vários outros comportamentos machistas que tornariam esse e-mail mais gigante do que eu gostaria.
 
Ele é filho único e a mãe que é separada não teve outro relacionamento, então ele era mimado até dizer chega. No inicio do namoro a mãe dele sentia muito ciumes. A família inteira extramamente machista e eu achava que era só questão de tempo e paciência. De fato fui “entrando” na família, a mãe chegou a dizer que eu era como filha para ela e tudo estava lindo. Até que o assunto casamento virou pauta entre nós dois. Eu tenho uma teoria que a família dele não gosta de mulher (são extremamente machistas e tratam todas como se fossem lixo), só que eu nunca aceitei esse comportamento. Como todo mundo, eu achava que ele seria diferente um dia e etc.O assunto casamento entrou em nossa vida através dele. Começamos a juntar dinheiro, mas ele nunca que ficavamos noivos. Ele falou com meus pais, meus amigos e toda minha família. Mas a mãe e demais parentes não sabiam de nada. Isso passou a me incomodar muito e então eu pressionei ele para falar com a mãe.
 
No dia que falou com a mãe eu estava junto e a reação dela foi a pior possível. Era como se eu estivesse roubando o filho dela. Depois disso a tia dele fez alguns comentários que não gostei e ele basicamente desistiu desse assunto. Então isso passou a me incomodar amargamente. Não pelo casamento em si, mas pela falta de posicionamento dele, como a familia se portava e passei a questionar se realmente era aquilo que eu queria. Durante nosso namoro eu sempre tive que esperar o tempo dele. Ele sempre foi “atrasado” quando o assunto era comigo. Viajar sozinhos pela primeira vez foi um custo, pra ele começar a trabalhar, ele conhecer minha família.. enfim… e fui pensando nessas coisas, se eu teria paciencia para viver assim o resto da vida. Se queria a familia dele para mim (o problema é quando a pessoa nao se posiciona e deixava a mae interferir tanto). Passei a querer ter mais liberdade, sentia falta de fazer as coisas sem medo, sem achar que ia ser humilhada e colocada abaixo de zero. Passei a conhecer o feminismo, entrei para terapia e finalmente terminei. Quando fiz isso ele me humilhou novamente, me chamou de burra, falou que jamais ia conseguir alguem que nao me traisse igual ele (ele falava que eu devia agradecer todos os dias por ele ser fiel), enfim.. Mas acabou.
 
Terminei consciente do que viria, que teria dias ruins e que seria um dia de cada vez. Acontece que eu tirei um peso tão grande das costas que terminar foi um alivio entende? Não ter que ver a mãe dele passando a mao na cabeça dele para as coisas mais estupidas que ele fazia (depreciar os outros era um hobbie favorito), não conviver com o machismo, conversar com quem eu quiser, ter um milhao de amigos sem ngm colocando defeitos, rir alto, beber, sair com minhas amigas sem medo… Foi libertador e então quando eu sentia uma ponta de dor eu lembrava de tudo isso e erguia a cabeça e ia. Lembro que ele falou que eu ia ficar anos para superar ele, mas o que acontece que 20 dias após o termino conheci uma pessoa completamente diferente dele. Não me apaixonei loucamente de cara e iniciei um relacionamento muito pé no chão e sem expectativas. Começamos a namorar e quando vi estava completamente apaixonada novamente, por uma pessoa completamente diferente e exatamente aquilo que eu de fato gostaria de ter. Um namoro livre. Sem pressao, sem familia machista, ele é um doce. Faz questão de ser gentil com todo mundo, detesta fofoca, tem um milhao de amigos, gosta de sair, dos meus amigos e cuida muito de mim. Com isso fui me apaixonando, mas um paixao madura entende? E principalmente me apaixonei por mim novamente. Recuperei minha auto estima, recuperei meus amigos e fiz vários outros nesse um ano que rompi com meu ex.
 
Então, é essa a minha história. Me orgulho dela. Depois de passar por esse rompimento me sinto livre para viver de fato. Sou o que sou hoje por causa da minha história e precisei de passar por ela para chegar aqui.

 

  • CHORAS ABERTOOOOOOOOOS! Podem mandar suas angústias meninas! E o Dica da Leitora também, vamos trabalhar esse bom gosto pagando pouco?????
Página 1 de 2312345Última »