Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
01 ago 2018, 115 comentários

Chora Que Eu Te Escuto

Quarta é dia de Chora!

Chora 01 – Esmeralda

“Cony!!! Não tenho como não dizer o quanto amo seu blog, a sua elegância e a forma descomplicada que você escreve e se comunica conosco. Já aderindo a toda essa descomplicação vou direto ao meu chora.

Tenho 28 e a 4 meses namoro um cara de 30, nosso namoro é ótimo, nos damos super bem. Meu namorado é mara, super paciente, consciente, trabalhador, me trata super bem e eu gosto cada dia mais dele. Acontece que um tempo atrás numa das nossas conversas ele me contou que usa maconha, eu tentei não surtar e agi com naturalidade, mas não consegui esconder muito que isso me incomodou bastante. Ele conversou comigo me disse que tenho uma visão errada, que as coisas são mais simples e menos complicadas do que parecem ser, disse que nem de longe é um viciado e que maconha é algo comum que ele usa casualmente (tipo  2 a 3 vezes na semana) quando quer da uma relaxada depois de um dia estressante.

Nunca mais falamos sobre, mas, até hoje penso nisso e já pensei até em terminar com ele por esse motivo, posso estar sendo careta demais nesse mundo tão moderno, mas isso não fez parte da minha criação, nunca tive qualquer envolvimento com drogas e fico pensando: Será que estou exagerando e fazendo tempestade em copo d’água? Será que fumar um baseado é tão normal assim? Será que isso não pode evoluir pra outras drogas? Ele nunca fumou perto de mim, mas é inevitável não pensar como num futuro juntos isso funcionaria? Como seria exemplo para os filhos se fosse o caso? Penso se devo acabar logo com isso, já que estamos no começo ou  se deixo rolar e ignoro esse fato e  deixo pra me preocupar com isso lá na frente. Não gostaria de pedir pra ele escolher ou o baseado ou nossa relação, gostaria que se fosse o caso isso fosse uma decisão dele, ele tem 30 anos não é mais adolescente, sabe o que quer da vida, sabe os malefícios que existe em qualquer droga. Enfim, estou me importando demais ou realmente é algo que deve ser pensado e decido nesse momento?”

Nussa, como responder isso sem causar algum tipo polêmica? Antes de mais nada EU NAO USO DROGAS ok, mas a patrulha é tão grande que qualquer coisa que eu falar aqui serei julgada. Então, te responderei por mail, mas deixo o espaço para quem quiser se manifestar.

 

 

Chora 02 – Ametista

Oi Cony, Te sigo a mtos e mtos anos mas sou aquela leitora que não interage por vergonha kkkkkk, mas consumo quase tudo que vc posta (nao tudo porque o bolso não aguentaria) mas mesmo com milhares de blogueiras novas sigo confiando em vc!
Enfim vamos ao chora.
Já escrevi uma vez mas nao foi publicado porque era um assunto meio comum, mas dessa vez estou passando por algo mto delicado, que acho que ja foi abordado, mas não encontrei o relato. Bom meu problema é com a minha mãe, ela é uma mãe toxica, eu descobri isso lendo alguns textos porque eu nao conseguia entender porque minha mãe era assim, ela sempre foi uma excelente mae, presente, participativa e amorosa, mas de uns tempos pra ca em determinados momentos ela demonstra inveja de mim, me boicota, nao me elogia nunca, e principalmente tudo que eu conto pra ela em desabafos quando estou triste ela usa contra mim em momentos de briga, se eu conto que briguei com o meu namorado ela em uma briga fala que ele ligou pra ela pra falar mal de mim, mas é mentira, se me desentendo com uma amiga e conto pra ela, ela depois usa isso pra dizer que nem minhas amigas me aguentam. Mas a ultima e pior coisa que ela fez que esta me atormentando foi a seguinte, eu namoro a 8 anos, a familia do meu namorado me trata como filha e nos damos mto mto bem, porem meu namorado esta passando por problemas em casa, os pais dele estão com o casamento estremecido, o pai dele tem uma amante que todos nos sabemos, mas ele não sai de casa e ela também não o expulsa de casa, alem disso o meu cunhado irmão do meu namorado é gay, a maioria das pessoas sabem e super aceitam e apoiam mas os pais nao sabem. Eis que essa semana chegou uma carta anonima na casa do meu namorado endereçada a mae dele, por sorte o irmão dele que recebeu a carta na portaria e abriu, na carta falava dessa amante do pai dele, que minha sogra tinha fama de troxa e corna, que ela era ridicularizada no trabalho ( os pais deles trabalham juntos em um orgao publico, e a amante tb), que todos sabiam menos ela. Na carta falava coisas absurdas, sobre esse assunto, falava sobre o irmao dele (meu cunhado) que ele era homossexual e que todos sabiam menos ela e o marido dela, porque o marido dela é homofóbico, enfim absurdoooos que nem consigo escrever. Acontece que quem mandou a carta anônima foi minha mae, eu custei acreditar, mas ela foi tão burra que imprimiu a carta em um papel de rascunho onde atras estava um extrato de inss com o nome completo dela. Fora isso a melhor amiga da minha mãe trabalha no mesmo lugar que meus sogros, na mesma sala que meu sogro (dai que vieram as infos). Alem de tudo nos somos do sul e moramos no mato grosso e a carta foi toda escrita com vocabulário do sul que só ela usa, como se não bastasse eu procurei no computador dela e achei o arquivo da carta! Meu namorado me chamou pra contar isso porque ele e o irmão pegaram antes a carta (graças a deus) e não sabiam o que fazer, convenci eles a não mostrar a carta e à destruímos, mas eu estou sem chão, alguém pelo amor de deus ja passou por isso? Alguém tem uma mae assim? Eu não sei porque ela fez isso, não sei se foi pra acabar com o meu namoro, não sei se ela tem inveja porque eu me dou bem com a familia dele, não sei mesmo, eu cobrei dela e ela jura que não foi ela, mas não tem como não ser!

 

Eu ri mas sei que é errado rsrsrs. MENINA COMO ASSIM ELA IMPRIMIU A CARTA COM O NOME DELA ATRÁS? HAHAHAHAHAHAHAHAHA, ai ai ai. Não tem como ela negar né fia. Peça desculpas pro seu namorado e cunhado (que vergonha gzuis) fale que você sente muito, que ela está passando por uma fase difícil e dá uma dura nela! Tá muito louca essa senhora!!! Mas fala firme, seja forte e mostre o tanto que ela está fora da casinha e o quanto pode te prejudicar. Eu hein.

 

 

Chora 03 – Opala

Boa tarde, Cony!! Resolvi mandar meu chora para ver se você ou suas queridas leitoras conseguem me dar uma luz.

Tenho 32 anos, sou formada e tenho um emprego que me faz feliz!

Conheci meu atual marido faz 8 anos e começamos um namoro à distância. Nos víamos umas 3 vezes por ano, porque ele morava em outro Continente, e ficamos 3 anos nessa situação. Conseguíamos lidar bem com a distância, nunca fomos ciumentos, confiávamos muito um no outro e quando estávamos junto aproveitávamos muito para matar a saudade! Quando ele voltou a morar no Brasil, logo noivamos e 2 anos depois casamos! Nós nos damos MUITO bem, nos amamos muito, nunca brigamos, ele é extremamente carinhoso comigo, nós gostamos da companhia um do outro, adoramos fazer programas juntos, mas também amamos receber nossos amigos em casa e eu sou muito feliz no meu casamento! Acontece que faz pouco mais de um ano que ele recebeu uma proposta de emprego irrecusável, maaaasss longe daqui. Na época, nós conversamos bastante e decidimos juntos que aquilo seria bom para ele e, principalmente, para o nosso futuro, mas que de início não valeria a pena abrir mão de tudo o que havíamos construído aqui e nem da minha carreira. O combinado é que ele iria primeiro para sentir se iria gostar do novo estilo de vida da cidade e do emprego novo para que depois eu fosse também. Sofro muito com a distância, muito mais do que na época do namoro, mesmo nos vendo com mais frequência, mas agora que está chegando a hora de tomar a decisão definitiva, estou ficando angustiada.

Eu sempre trabalhei e tive minha independência financeira e para o lugar onde eu vou, não existe a chance de trabalhar na minha área. Eu teria que começar do zero, pensar em alguma coisa nova para fazer, me reinventar. Acontece que eu estou muito insegura e não tenho a menor ideia do que fazer da minha vida, porque desde que me formei, eu me especializei em uma coisa e foi isso que eu fiz desde então. Fico muito mal de ter que abrir mão da minha carreira que tanto sofri para construir, do meu salário, mas ao mesmo tempo sofro por pensar que eu posso estar desperdiçando um relacionamento com o amor da minha vida. Não tenho a menor vocação para ser dona de casa, então está fora de cogitação ser sustentada pelo marido, mas cada vez que penso no assunto, me vejo chorando por não saber o que fazer. O que vocês fariam no meu lugar? Arriscariam ou ficariam no lugar seguro?

Obrigada por pelo menos ler meu chora! Admiro muito seu trabalho!

Respira fundo e vai, que a vida vai te dar o caminho! Senti que vocês realmente se dao bem, se amam e se respeitam. Vai, casamento é parceria, companheirismo, é abrir mão, ceder. É sua vez de ceder e acho que tudo dará certo sim. Não fica fritando no que vai fazer, vai, organiza sua casa, sua nova vida e depois avalie o terreno e veja o que pode fazer. Parada você não ficar afinal não ter perfil de pessoa acomodada. Vai dar certo, não pense muito!

  • Gente, caixa de mail lotada, Choras suspensos ok? Não mandem mais. Depois aviso quando liberar! Beijos
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
25 jul 2018, 35 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Choradeiras do dia:

Chora 01 – Bibi

“Oi Cony! Sei que já deve estar cansada de ouvir isso mas acho você o máximo! Nem acompanho mais blogs, porém no seu estou aqui firme e forte. Bem, meu chora é o seguinte… Tenho 26 anos e namoro há 4 anos um cara muito bacana, porém a família não é tão bacana assim. Sempre fui uma pessoa muito educada, independente e diga-se de passagem com muita noção de espaço e de como me comportar. Sempre notei que a família era desequilibrada, pequenos problemas geram quase que uma guerra entre eles e justamente por isso sempre frequentei a casa dos pais dele, mas com uma certa distância para não me enfiarem no meio do caos que eles próprios criam. Meu namorado tem um irmão gêmeo e sempre foram muito unidos, fizeram o mesmo curso, têm a mesma roda de amizades e por aí vai… Há alguns anos, quando estávamos no início do nosso relacionamento eles foram de intercâmbio e ele aprontou bastante por lá. Descobri em um dia que o irmão publicou na minha linha do tempo uma mensagem dizendo que meu namorado estava me traindo com outra. Enfim, na época fiquei chateada, mas não dei tanta importância, ele era imaturo, primeiro namoro, início de relacionamento e se eu fosse de intercâmbio também ia querer aproveitar. O tempo passou, desculpei meu namorado e meu cunhado, mas quanto ao meu cunhado, desde sempre nunca nos batemos muito bem. Mesmo eu tentando ser agradável com ele sempre percebi uma barreira em relação a mim, enquanto meus sogros e o restante da família só faltavam me colocar no céu, de tanto que gostavam de mim. Este ano meu cunhado começou a namorar uma menina bastante complicada, não gosto de exagerar mas ela é insuportável. Acho que tudo que eu dizer aqui ainda vai ser pouco para a falta de noção da pessoa. Meu sogro não gosta que namoradas durmam em sua casa e por isso sempre respeitei, ela na primeira vez que foi na casa deles já dormiu e mandou o recado que não era pra ninguém palpitar no relacionamento deles e que ela iria continuar dormindo lá sim. Enfim, falta de noção e de educação total. No primeiro mês de namoro deles ele a traiu com outra pessoa e um belo dia, ela viu a mensagem dessa outra no celular dele. Ele para se safar, disse que o irmão, no caso meu namorado, usou o celular dele para conversar com essa menina e que ele que traiu. A menina foi perguntar para minha sogra se ela sabia disso e ela erroneamente tentando acobertar o filho, colocou o outro numa cilada e confirmou que foi meu namorado mesmo que me traiu. A menina quis me procurar para contar, mas minha sogra não permitiu, fez um drama, chantageou e coisa e tal e pensaram que o assunto havia morrido. Porém, nós descobrimos e obviamente ficamos p… da vida. Um belo dia minha sogra me liga chorando e me contando essa história, pedindo desculpa e ao mesmo tempo dizendo que isso iria virar um caos na família e que ela não daria conta, iria se matar, fez drama e mais drama. Meu namorado me provou que não foi ele com as mensagens que o irmão enviou para ele pedindo desculpas e tentando se justificar e eu já tinha um feeling que não havia sido ele mesmo. Estamos numa fase ótima, tranquila, madura e não acho que ele seria capaz disso, porque realmente gosta muito de mim e vice versa.Acontece que desde que ela e meu cunhado começaram a namorar ela tenta nos provocar de uma forma inexplicável. Manda indiretas a todo tempo, fala uma asneira atrás da outra, na frente dos meus sogros tenta ser um amorzinho enquanto por trás ela tira todo mundo do sério, tanto que até os amigos afastaram do meu cunhado porque não aguentam conviver com a dita cuja. Desde que essa história veio à tona eu exigi que falassem a verdade e contassem tudo para ela, porque penso que as vezes ela é provocativa com meu namorado porque pensa que tem um carta na manga contra ele e mal sabe ela que estamos aguentando calados toda essa história para livrar a cara do namorado dela e para não prejudicar o relacionamento deles. Sempre que esse assunto surge na família é briga sem fim, porque nos sentimos de certo modo injustiçados pelo meu cunhado e minha sogra, que só fala do valor do perdão para gente mas que querendo ou não ´´salvou´´ um relacionamento que mal começou e colocou o nosso em xeque. Imagina se eu não acreditasse nessa história toda e realmente pensasse que meu namorado que havia me traido? Desde então minha sogra já parou no hospital porque tomou remédios durante uma briga sobre o assunto e eu e meu namorado com medo das atitudes loucas deles ficamos calados, quietos e sofrendo por dentro. Não sei mais o que fazer, essa mentira está me fazendo mal e não suportamos mais essa menina nos tirando do sério.Ao mesmo tempo acho que sente uma certa inveja de mim e pensa que temos que competir entre a gente pelo primeiro lugar na família. Ela não tem trabalho, tem uma família toda desestruturada e eu graças a Deus tenho uma ótima família, sou muito bem sucedida na Arquitetura e sinto que ela dá plantão na minha vida, já virou até piada quanto posto alguma coisa no meu perfil pessoal ou do meu escritório, ela é sempre a primeira a ver, acho que não faz nada da vida além disso. Enfim, preciso de ajuda! Ocultei muitos detalhes porque meu texto já está gigante mas a situação está séria e tirando minha paz! Help me! O que vocês fariam? Grande beijo e obrigada!”

Miga, primeiro cuidado com o que você fala. Pelo que senti no seu relato, pra você toda família é maluca, desestruturada e só a sua que salva né? Enfim, é só um ponto para você pensar. Quanto à mentira e a concunhada maluca, se estivesse me enchendo MUITO a paciência, eu contava tudo, saía correndo pra montanhas e ficava do alto vendo o circo pegar fogo. Chega né? Tem uma hora que cansa. Mas se for para sermos adultas, maduras e pregarmos a paz mundial, engole o choro e faz cara de egípcia pra essa pessoa. Seu boy não te traiu, você já sabe disso, então nada mais deve importar. E outra, você tá dando muita atenção pra essa moça. O que não damos atenção, não nos atinge.
Chora 02 – Babi

“Oiiii Cony!!!

Bom…..eu e meu namorado estamos juntos a quase 3 anos….no começo do relacionamento ele realmente demonstrou ser uma pessoa incrível sabe, diferente de todos os outros namorados que tive. Não demorou muito pra ele mostrar quem ele realmente era…..passou o tempo e ele começou a se mostrar uma pessoa grosseira…até ai tudo bem, sempre fui compreensível e entendia que ele não estava feliz no emprego dele e etc. e acabava descontando em mim….no começo as conversas resolviam o problema, mas ele é uma pessoa muito fechada e aos poucos as conversas já não resolviam mais nada, ele só jogava a culpa de tudo encima de mim e sempre achava que estava certo. Então comecei a frequentar a casa dele e vi que ele trata a mãe dele SUPER mal…..muito mais grosso do que ele é comigo, até tentei conversar com ele sobre isso, mas ele não gosta que me meto na relação dos dois….enfim, eu pensava “contando que isso não me atinja” MAS atingiu….. Acontece que já faz 7 meses que estamos morando juntos porque eu consegui um emprego na cidade dele, ou seja, moro com ele e com a mãe dele, nós duas nos damos muito bem, mas acho que faltou na criação dele impor limites sabe, agora ele já tem 28 anos e não adianta mais querer impor nada porque ele é uma pessoa muito teimosa e não aceita a opinião de ninguém. Bom, apesar dos pesares, ele nunca foi um namorado “ruim”, mas como estou morando na casa dele agora cada vez que a gente briga ele me fala “se não ta bom assim então procura outro lugar pra morar” e isso me deixa extremamente magoada, porque eu só vim procurar emprego nessa bendita cidade por causa dele. Eu tenho a minha casa em outra cidade e tenho até amigas aqui que me acolheriam, mas o problema é que eu não tenho um meio de transporte pra vir até o meu trabalho sabe e também não tenho dinheiro sobrando pra pegar onibus e essas coisas…..o que eu faço? Já conversei com ele MUITAS vezes e não adianta. Quando brigamos simplesmente ignoramos um ao outro até que ele vem e finge que nada aconteceu. Help Conyy!!!”

Tá certinho, vai barrigando essa humilhação dele te por pra fora da casa dele, agüentando tudo e se justificando por falta de dinheiro pra passagem. Jura que sua paz e seu amor proprio valem só isso? Você tem CASA própria, e já sondou até amigas pra te acolher, jura que o problema é a falta do meio de transporte? Miga se valorize mais, por favor. Que homem é esse que te ameaça por pra fora da casa dele e você abaixa a cabeça. Você não depende dele pra nada. Se respeite! Dá próxima vai embora mesmo.

Chora 03 – Bubu

“Cony, nem vou falar muito o quanto adoro seu blog, o quanto você me ajudou e ajuda, seja com dicas, auto estima etc. Nunca me imaginei enviando um chora, mas lendo os conselhos das leitoras, criei coragem pra enviar o meu.

É o seguinte, conheço meu namorado a quase quatro anos. Na época eu tinha um outro relacionamento e ele também. Faz dois anos que ele terminou com a ex dele e mais ou menos dois anos também que eu terminei com o meu ex.

Tivemos outras pessoas, vivemos outras aventuras e decidimos ficar juntos de verdade a uns 8 meses.Ele é um cara muito bom, procura sempre me entender, mas bastante ansioso.

Eu não ganho mal, moro com meu filho de 7 anos (que ele adora e se dão super bem), consigo manter minha casa sozinha (sem luxos, mas me viro muito bem). Ele tem um salário um pouco menor que o meu, é recém formado em direito, está naquela fase complicada de montar escritório, abrir sociedade, enfim.

Ele dorme na minha casa nos finais de semana e alguns dias na semana. O fato é que ele não me ajuda em nada! NADA. Nunca me levou pra jantar e pagou a conta, sempre dividimos tudo! Nas compras de mercado, eu sempre pago tudo. Óbvio que eu não quero um cara que me sustente, que me dê o mundo (meu ex sempre foi assim e não foi suficiente pra continuarmos juntos), mas o mínimo de ajuda sabe? Comprar uma coisa diferente no mercado, pagar uma conta, não sei..ele dorme na minha casa, come o que eu compro.

É dificil escrever esse chora porque eu sempre fui criada pra ser independente, pra trabalhar, pagar as minhas contas, ter o meu carro, sustentar o meu filho. Eu sai de casa pra estudar em outro estado com 17 anos!

Penso que é um pouco a criação dele, tudo que ele conquistou foi por mérito próprio, a mãe dele nunca esteve tão presente, nunca auxiliou em nada, talvez isso tenha deixado ele um pouco individualista. E dentro da casa dele, ele nunca pagou uma conta de energia, nunca ajudou em mercado, não teve uma crianção e, consequentemente, uma aproximação boa com a mãe.

Eu sei que financeiramente pra ele não esta fácil, ele esta pagando um carro mais caro, não sobra muita coisa mesmo, e o escritório ainda não da o retorno esperado, ele reclama de dinheiro e eu entendo. Mas, por exemplo, esses dias ele vendeu um aparelho de som dele, tirou 900 reais com a venda, no mesmo dia que caiu o dinheiro eu precisei ir ao mercado comprar o que faltava pra fazer a janta (que eu nem faria se não fosse por ele, já que meu filho esta de férias na casa dos meus pais) e ele não ajudou com um real, paguei sozinha, só mais tarde ele me disse que tinha caído o dinheiro.

Ele é muito ansioso, é do tipo de pessoa que não fica seguro sem uma poupança, por isso nem estranhei tanto quando ele disse que ia pegar o dinheiro desta venda, guardar pra pagar o cartão de crédito e o restante ia guardar pra pagar os impostos do carro do ANO QUE VEM. Gente, eu não quero que ele pegue o dinheiro e me leve pra jantar fora, pague um restaurante caro…mas ajudar com o mercado, pagar um lanche pra comer já que estava tarde e eu teria que fazer a janta ainda.

As vezes eu passo numa loja de doce, compro um pote de paçoca, de balas, que eu sei que ele também gosta sabe? Já cheguei a comprar pizza, voucher de churrascaria pra gente não passar o final de semana sem fazer nada. Mas nunca tive isso dele, ele nunca apareceu em casa com um doce, um bombom, nada.

Até presentes de natal por exemplo, ou páscoa, mesmo eu dando pra ele, ele não me deu…depois de um tempo, quando eu dei uma questionada, ele disse que não teve essa criação, não esta acostumado, que prefere me ajudar com outras coisas no dia a dia (ele pagava gasolina no meu carro quando o dele estava na oficina e comprou um filtro mais caro lá pra minha casa porque eu estava sem) e eu fico sem saber o que responder. Eu já falei pra ele que não espero joias, roupas caras, mas sei lá, um chocolate, um bombom, só pra mostrar que lembrou, que se importa. No dia dos namorados eu não comprei nada pra ele (já estava meio frustrada com essas datas) e ele me deu uma caixa de bombom de uma marca mais famosa e só…mas não é nem pelo presente em si, só fiquei pensando que ele tinha comprado meio que por obrigação, porque eu falei isso antes.

Sei que ele é só um namorado, por mais que nos conheçamos a anos, ele não é meu marido, nem quero exigir isso dele. Apesar de saber que ele gosta muito de mim, apesar de me sentir amada, isso tem me incomodado bastante.

É um assunto difícil de conversar diretamente, eu já dei indiretas, ele aceitou bem e por mais que ele perceba que eu fico mal com essas coisas, não mudou muito.

As vezes quando toquei no assunto da individualidade dele, e do egoísmo, ele disse que também me via assim as vezes, que eu também tinha atitudes que o incomodavam.

Preciso de um conselho, não sei o que fazer, só sei que estou incomodada, e nada bem, porque não sei o que pensar dessa situação. Se estou querendo demais, se estou mal acostumada, enfim.”

Miga sabe o que você vai fazer? DAR A REAL PRA ELE. Eu acho que é falta de bom senso mesmo e ele nem se tocou que tem que te ajudar com algumas coisas SIM. Não tem nada de errado em você querer isso, é mais que compreensível! Como falei, é questão de bom senso. Quando vamos jantar na casa de alguém, não levamos algo? Não perguntamos se precisa de alguma coisa? Pois numa relação é a mesma coisa! Se ele dorme na sua casa, come da sua comida, é ÓBVIO que ele tem que ter o mínimo de inteligência, educação e gentileza de retribuir de alguma maneira. Não deixe isso ir se acumulando pois o tempo vai passando, o relacionamento vai se concretizar ainda mais e láaaa na frente isso se tornará um BAITA problema, fora que você sempre terá esse nó na garganta e esse sentimento guardado. Já conversa com ele. Ele pagar a gasolina do seu carro quando ele usou NAO É GENTILEZA, É OBRIGAÇÃO. Trocar o filtro é o mínimo! Não se apegue a isso. Já me relacionei com gente assim e sei o quanto incomoda e frustra. Tem que ter mais companheirismo sim, bom senso, cuidado, gratidão. Ou ele é muito sonso e não sabe ser casal (e ter bom senso na vida) ou ele é aproveitador. No primeiro caso, dá pra consertar. No segundo, pule fora.

 

  • Choras abertos hein! Mande suas angústias, seus desabafos, suas tristezas para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Sejam resumidas e diretas ao ponto. “Boy lixo”, “amo fulano mas quero o sicrano também”, “o que fazer se ele não ligar no dia seguinte” somente serão publicados se for algo MUITO inédito.
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
18 jul 2018, 93 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Quarta feira é dia de Chora!

Chora 01 – Globo

Olá, Cony!

Tenho pressa em tomar uma decisão, resolvi contar essa fase da minha história e ver se existe alguma saída.

Agradeço por esse espaço, mas meu caso envolve decisão. E como já dizia Sartre “estamos condenados às liberdade”, e isso envolve fazer escolhas.. Escolhas nunca são fáceis, por diferentes razões… 

Para as poucas pessoas que abri o caso, ninguém consegue opinar, nem eu. Será um caso sem solução?

Bom, meu caso é o seguinte: tenho 41 anos, meu namorado 22. Estamos juntos há 2 anos. Preciso decidir ser mãe ou não. Ele quer muito, por ele repensei essa ideia que já havia descartado por nunca ganhar bem, não confiar totalmente no pulso firme das pessoas com quem me relacionei e por ser responsável- levantando a bandeira de que filho não é para os outros criarem (avós por exemplo) e eu trabalhava em dois empregos na época. Por essas questões sempre adiei a maternidade. Mas hoje, com o relógio biológico nos minutos extras do segundo tempo, to me questionando e não tenho muito tempo mais para isso. Detalhe, fiz todos os exames e estão tudo ok, mas a médica falou que pela idade ainda tenho sorte de estar tudo ok, mas que isso não durará mto tempo, que preciso decidir em 1 ano no máximo. E quanto antes melhor… 7 meses já se passam depois papo.

A situação a ser analisada: Eu: formada, mestre, prof de faculdade particular(educação) e desempregada! Há uns 3 anos tentando recolocação sem sucesso, embora a busca seja frenética em diferentes áreas tb. Tenho uma renda de aproximadamente 3 salários por conta de aluguel.  Ele: trabalha com os pais em oficina mecânica, mas sem registro, faz curso de computação nos final de semana. 

Nossas famílias possuem status econômico-social diferente, eu nunca liguei pra isso. Namoro pessoas com as quais me encanta a alma. (devo ser inocente ou trouxa?)

Sai de São Paulo para tentar a vida em Curitiba, moro sozinha num ap pequeno e sem lavanderia. As vz ele tá aqui, outras vezes eu vou pra cidade dele. Conheci ele e os pais aqui,  pq ele a família estavam de mudança da cidade dele (interior do PR) para viver na capital a trabalho.  

Nossas famílias pensam diferente: A dele dá total apoio, não tem preconceitos com nossa diferença de idade(não aparentamos fisicamente quase diferença) e apoiam a vinda do filho/neto, dizendo que unidos damos jeito. Não sabem o status social-econômico da minha família, pq nunca falo dessas coisas e tampouco eles perguntam. Oferecem a casa deles da cidade do interior(1h30 da capital) para o nosso começo ser lá, já que estão na capital sem usufruto da casa no interior. E outro detalhe: meu namorado quer muito ser pai. Não gostaria de morar de favor, mas aceitaria por um tempo essa condição pelo filho. 

A minha família e dele nunca se conheceram, pois somos de cidades diferentes. Meus pais sabem, mas não apoiam muito. São bem mais racionais e pé no chão. Vislumbram problemas futuros com mta desenvoltura hehehe. Não demonstraram total apoio, percebo isso pq nem falam “Traz o rapaz pra gente conhecer” (acho que se envergonham). E o rapaz super querendo conhecer minha famila e segundo ele conversar com meu pai (acho digno! Mas tb acho q nao preciso disso, já to bem grandinha). Por eles (meus pais) deveria nunca ter nada com “esse rapaz”, que é mto novo, e por isso nao tem estabilidade emocional e financeira. Só mostraram as dificuldades que eu enfrentaria. Tipo eu ficar velha e ele me deixar..  que eu deveria fazer um curso e seguir minha carreira. Sim, é uma opção também. Mas lá na frente gostaria de ter criado um filho, esse desafio, creio eu, nos traz aprendizagens e motivações para uma vida com algum sentido.

Sei q na hora H minha familia nao me abandonaria. EU podia ter aparecido grávida e só dar a noticia, mas quis compartilhar a situação pela amizade que temos e por sempre ser responsável.  Mas fazer isso seria a rebeldia que nunca apareceu na adolescência hehehe. Com essa situação esclarecida aos meus pais, faltou meu pai surtar. Nem quis saber do rapaz que queria ir pessoalmente conversar com ele. Tentou tirar essa ideia da minha cabeça, dizendo q eu poderia fazer o curso que eu quisesse que ele pagava. É o que eles querem ou o que eu quero? Não me senti ouvida, sei lá. Sempre fui boa filha, responsável, sempre trabalhei apesar desses 3 anos sem emprego., além do mais sempre fui cuidada no aspecto de nao me faltar nada material qdo realmente precisei. Meu plano de saúde é meu pai quem paga, pq ele sabe que nunca tive nos empregos por onde passei. Sou mto grata, e reconheço que meu pai foi um homem batalhador e honesto durante uma vida,  talvez por isso tenha uma visão mais dura da vida, no entanto um homem de fibra.  Apesar de ser muito grata em ter a familia que tenho, me sinto diferente deles, sou mais branda para analisar a vida, as pessoas e suas reais necessidades. Minha mãe apoia um pouco mais, ela ama ser mãe, somos 5 irmaos. Mas fica dividida pelo meu pai. 

Resumindo a minha família: uma situação financeira bem melhor, porém o apoio foi bem menor (o meu tempo biológico foi ignorado). Ao final falaram o q vc decidir tá ok, vc sabe q vai ter nossa ajuda, as com aquela cara de não admiração.. não senti que foi de coração mesmo.. Saí dessa conversa que durou alguns dias, em uma de minhas visitas a eles, com a sensação de ser um fracasso e alguém não admirado. MInha irmã mais velha disse “eu nao teria filho com esse rapaz nem a pau”. Faz congelamento de óvulo, adota.. e pensa em fazer um curso… como se isso fosse barato. Saí praticamente abandonando essa ideia..

 Tento entendê-los com um pouco da maturidade que a vida me proporcionou, pois cada um pensa de um jeito e tento respeitar, mas não foi a reação que eu gostaria: a de me sentir ouvida de verdade realmente dentro das minha necessidades do momento. E assim foi sempre, nunca quis dar trabalho pra eles.  E para meu namorado não conto metade do que foi dito, falo que meu pai sugeriu a gente colocar nas costas o que  se  pode carregar…e omito um pouco a dureza.  No fundo eu gostaria da estar com eles e contar com o apoio deles, em quem confio mais, apesar de nossas diferenças.

Eu e meu namorado nos damos bem, hj vivemos um lindo amor, mas eu smp tenho pé atrás com relacionamentos, pois não temos como prever futuro, se vai dar certo, se algum de nós perderá o encanto.. eu vivo intensamente o tempo que durar, já que nada é pra sempre mesmo. Sou do lema “eterno enquanto dure”. Mas dar ou não certo futuramente, não me preocupa tanto qto me arrepender de não ter sido mãe um dia por esperar a pessoa ou a situação ideal na vida. Isso nunca chegou pra mim.

Se não der certo futuramente o namoro, sei que manteria uma relação amistosa e cuidadosa com ele, respeitando os seus direitos como pai. Hj não posso cobrar muito dele financeiramente pela idade, mas o apoio emocional e afetivo ele proporciona.

Se não fosse a questão financeira, eu já teria decidido ser mãe. 

Se puderem, aos mais experientes, me deem uma luz, podem ser duros e construtivos. Estou aberta para reflexão, sem medo algum. 

Agradeço por me ouvirem/lerem.

Se precisar de maiores detalhes estou à disposição.

Tô com medo de ser muito dura com você mas vamos lá… Você QUER SER MÃE ou QUER DAR UM FILHO PRO SEU NAMORADO? Uma coisa é você querer por você, e pouco importa quem é o pai (tipo, importa, mas não seria tão relevante) outra coisa é você não ter certeza e só estar com essa ideia por que seu namorado quer muito um filho. Se for pelo primeiro motivo, vá em frente, o tempo tá curto mesmo e é agora ou nunca. Agora, se for por causa do segundo motivo, acredito que o combo idade/situação financeira do seu namorado pesam muito sim. E entendo sua família sabia? Você tem 41 anos, desempregada, seu pai AINDA PAGA seu plano de saúde… na cabeça deles, você ainda é dependente! Imagina o cenário: você com 41 anos, dependente dos pais e um filho mais dependente ainda? Claro que eles ficam com medo, claro que eles querem que você estude mais, que você se mantenha sozinha, que você seja realizada profissionalmente e independente. Não exija apoio total da sua família, eles vêem você de uma forma diferente da que você se vê. Você diz que na hora H sua família não te abandonaria. AMIGA PARA DE CONTAR COM ESSA OPÇÃO. É justamente por você pensar assim que eles não te apoiam da forma que você gostaria. “Ah, ela sabe que a gente vai estar aqui então vamos aconselhar com o que é melhor pra nossa família”. Para uma decisão dessas, conte apenas com você e com o pai do seu filho. Você diz já estar bem grandinha mas em várias partes do texto te achei imatura. Viver a vida intensamente e de forma branda é lindo e libertador, DESDE QUE SE TENHA CONDIÇÕES E INDEPENDÊNCIA PARA ISSO. E outra coisa, você diz:” Se não fosse a questão financeira, eu já teria decidido ser mãe.” ou seja, você não tem o desejo real de ser mãe. Pense bem.

Chora 02 – SBT

Oi Cony, bom dia.

Vamos lá… Será a primeira vez que tentarei escrever tudo o que se passa na minha vida… Tenho 33 anos, sou casada há quase 5 anos e estou com meu marido há 9 anos já. Mas eu chora não é referente ao casamento, por mais que envolva o maridão. O chora tem a ver com meu peso! Sou alta, tenho 1,70m e sempre (diga-se até começar a namorar) fui magra, tão magra que meu apelido era Magrinha/Magrela, comecei a namorar com 24 anos e pesava 66 kg. Em um ano fui parar nos 78 kg e ali fiquei… Nunca mais saí da casa dos 70 e todos… Casei com 74 kg e no primeiro ano de casada cheguei aos 82 kg, acredite se quiser, e ainda não foi o mais alto que cheguei, mas calma, vamos por parte. Eu não cozinho quase nada, amo hambúrguer, não como nada de legume e verdura, como só salada e mesmo assim é difícil. 

Depois de casada tudo piorou, porque sair da casa dos pais, significa ter que pensar em todas as refeições do seu dia e isso para mim não rolou, eu chego do trabalho cansada e quero comer (sem esforço), tomar banho e dormir. Já fiz dois tratamentos para emagrecer, o primeiro saí dos 82 e fui pra 74 em 45 dias, mas nada é tão simples assim. Quando a ‘dieta’ acabou voltei ao peso em 4 meses. Aí se foram mais dois anos até que bati a casa dos 88 kg e lá fui eu procurar outro médico e outro tratamento e borá lá, mais 9 meses e perdi 13 kg. Tava ótimo! Tava me sentindo eu de novo, mas não tava satisfeita ainda, queria voltar aos 69/70 kg porque quero engravidar, mas ao me ver mais magra e bonita e a cada elogio que ganhava do marido e de todo mundo, eu ia me achando no direito de comer as gostosuras da vida e pimba, quando me vejo estou novamente com 89 kg. E to perdida! Não sei por onde começar, pois quando vejo que estou enorme, que não entro nas minhas roupas o que eu faço? Como mais.

Vamos a alguns detalhes. Eu malho, sempre malhei, faço musculação e Crossfit, então tenho uma boa massa magra no corpo, tenho perna e bunda bonitas, mas com 89kg nem isso salva. Não consigo fazer dieta, tanto pelo paladar que não como nada, quanto pelo mental que me boicota. Eu tenho noção que estou ferindo só a mim mesma e que só eu posso mudar isso mas ao mesmo tempo sei que sou fraca e que sempre vou falhar…

PS: Já pensei em terapia mas infelizmente não cabe no meu orçamento…. 

 

Não adianta fazer tratamentos milagrosos para emagrecer. Eu já fiz vários e nenhum deu certo. O negocio é reeducação alimentar MESMO, força de vontade, disciplina. Acho que o que precisa mais que tudo, é força de vontade. Não vou me comparar porque eu não sou gorda, mas gostaria de perder uns 10 kg, porém o que não me deixa emagrecer é justamente o auto boicote. Eu como o que quero e quando me dá vontade. Tem que ter uma disciplina descomunal e eu não tenho, inclusive queria dicas de como manter o foco quando o assunto é emagrecimento. Tento fazer boas escolhas, mas isso não é o suficiente. Nem sei como te aconselhar, vou aguardar o comentário das leitoras que já conseguiram perder peso sem tratamentos milagrosos e remédios.

 

 

Chora 03 – Band

Meu chora nem é assim pra chorar tanto… Esse espaço é muito importante pra meninas que passam por assuntos muito mais pesados e graves, mas acho uma colocação válida, afinal, toda troca de experiências e conselhos nesse nosso universo feminino é válida!

Meu chora é mais para pedir um conselho, um olhar de fora. Como namorar um menino mais baixo e não se sentir estranha? Ele bate no peito e assume a altura, é homem o suficiente pra andar ao meu lado sem se incomodar. Mas eu ainda não consigo me “soltar” com relação a isso! Acho uma besteira, entendo que seja um padrão imposto por nossa sociedade machista, que sempre gritou que homens devem ser mais altos e mais fortes para proteger sua mulher. 

Me sinto sim protegida ao lado dele, mas ainda não consigo me livrar dessa sensação estranha de me “diminuir”. Salto então, é uma barreira ainda mais difícil de transpor! Ajuda eu!!!!

Eita, outro caso que pra mim é difícil de aconselhar pois eu também sempre gostei dos altos rs. Mas acho que é costume… tá cheioooo de casais por aí que as mulheres são mais altas que os homens e tá tudo certo. Tenta desencanar e não preocupar com isso!

 

  • Choras abertos hein!!! Podem mandar suas angústias, seus perrengues, suas dúvidas para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Gente, por favor, sejam resumidas, com detalhes importantes e diretas. Textão desanima e as vezes nem leio. Beijos!