Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
10 mar 2019, 5 comentários

Mi casa, su casa – Multiuso

Fufubelíssimas, feliz dia das princesas atrasado… #8m

Fufubonitos, cuidem bem das suas mulé.

Mas vamos começar que me enrolando desde o cabeçário a coisa complica.

Recentemente conversamos sobre “downsizing” aquele tendência a dar uma “enxugada” no tamanho de nossas casas e/ou coisas que temos. Se você não leu e tem interesse #vemkotio e clica AQUI. Mas não é imprescindível para o papo de hoje.

Recentemente fomos contratados para ajudar um casal que está fazendo um processo de donwsizing bem lindo. Claro que nesse momento eles precisam de assessoria para poder seguir fazendo o que faziam na casa de antes num espaço menor.

Quando descobrimos que teríamos que em um cômodo apenas oferecer: Home theater, escritório e quarto de hóspedes eu pensei em como esse tema seria legal.

Nossa cliente, uma mulher elegantérrima, suave como uma bailarina e educada como poucas pessoas no mundo, ainda vai ter um espaço para os instrumentos musicais na versão dela, quando estiver pronto pedirei autorização para fotografar. MAS trazendo para a realidade da grande maioria das pessoas, eu utilizei uma medida média padrão para aquele terceiro quartinho que temos nas plantas de casas e apartamentos da atualidade.

Fiz um cômodo de 250 x 280 cm, janelinha centralizada na parede, portinha no canto… ou seja, nem fiz maracutaia para facilitar minha vida. Aproveitando que tem muitas pessoas que estão estudando design de interiores/ arquitetura e vem até aqui ler minhas matérias vou aproveitar também para falar de duas formas de representação de desenho/imagens:

Perspectiva:

Ortogonal:

A imagem é do mesmo cômodo, mas em perpectiva temos uma visão melhor do que tem no ambiente, na visão ortogonal compreendememos melhor as circulações, as diferentes profundidades de mesa, estante, gaveteiros… então é muito legal quando oferecemos aos clientes essas duas imagens e explicamos a importância de cada uma.

Nessa proposta, temos uma escrivaninha e uma estante com 90cm de largura, uma cadeira confotável para passar um tempo trabalhandinho em casa, porém com um formato e tecido mais voltado para a estética de poltrona, não cadeira de escritório.

O home ficou com 190cm, e comporta bem uma TV de até 55 polegadas. gavetas para ajudar na organização de documentos, subwoofer no chão – conforme mandam os fabricantes – e aquele tapete redondo felpudo que dá um truque lindo sem comprometer os alinhamentos.

Luminárias no painel da tv, e de mesa na escrivaninha dão um charme sem pesar na estética nem no orçamento.

Já entre o móvel do home e o painel de TV, fiz uma sugestão de tampo basculante revestido em vidro com tratamento fosco, escondendo a fiação. para cima do painel o mesmo vidro pode ser colado diretamente na parede e podemos usar a espessura do painel para apoiar quadros.

Do outro lado, temos um sofá cama conciso, porém eficiente, com 200cm de largura. Caso opte por um daqueles estensíveis, atente-se para as medidas, pois ficará quase impossível de usá-lo para um casal dormir.

Optei por uma pintura diferente na parede, com efeito de listras horizontais, que trazem a ilusão de um espaço mais amplo. não quis usar quadros, moldura ou decorações pois na frente já tem bastante coisas.

Agora vou aproveitar para exemplificar algo que não é percebido, mas que traz uma certa ordem subconsciente e que quando não se contrata um profissional muitas vezes não acontece.

Veja essa imagem em perspectiva:

É assim que veremos esse ambiente ao entrar nele. E apesar de tem muita coisa (cortina, arandelas, quadros, livros, decorações, vídeo game, computador…)  você enxerga uma certa “organização”. Tô certo?

Agora vamos entender porque isso não “agride” os olhos da gente. Para isso vamos ver isso tudo de forma ortogonal:

Atente-se comigo que a altura final da cortina (destaquei com essa linha fininha amarela do lado esquerdo)acompanha a altura da instalação do painel onde vai o televisor, que é o mesmo alinhamento da parte superior da mesa de trabalho.

Também temos a mesma proporção entre a altura das duas gavetas(infelizmente o print do ortogonal cortou, mas acreditem em mim) e do vidro entre as gavetas e o painel. São esses pequenos cuidados que conferem uma harmonia no ambiente pronto que muitas as vezes não sabemos apontar, mas que de forma implícita afetam nosso bem estar.

Propositalmente eu não alinhei a altura final do painel da TV com a prateleira da estante, pois ele já está com 90cm de altura e muitas marcenarias/lojas de planejados trabalham com essa limitação técnica. Especialmente se for um MFD com “estampa” de madeira. No caso do MDF com uma cor lisa poderia ter subido mas queria que fosse perceptível a diferença de alinhar ou não.

Em espaços de multiuso, também é interessante pesquisar sobre diferentes produtos com a mesma função. Nesse caso o sofá cama quando em função cama existe de duas formas:

Alguns produtos você deita o encosto e forma uma cama de casal, como esse da Essência Móveis:

Outros estendem a parte do assento e formam uma cama mais compridinha:

Esse chega dói meu coração, porque essas almofada estranha essas asinhas que ele abriu pros lados só me trazem vontade de dizer palavrões.

Descobri até um modelo de canto, que gira e junta os dois assentos para formar a cama, mas que não caberia nesse projeto de medidas mais populares:

Como é na sua casa? Tem um espaço multiuso? Precisa de um? Conta pra mim nos comentários.

#Bença!

Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
24 fev 2019, 8 comentários

Mi casa, su casa – Dicas para cozinha nova.

Mazôe Fufulândia!

Acordei meio pirigótico querendo descer a marreta em tudo, então acredito que falar para quem tomou essa coragem é uma boa pauta pro domingão. Vamos falar dos pequenos detalhes que fazem uma cozinha funcional e segura?

Então trepa na wrekking ball e #vemkotio !

Já expliquei sobre os melhores formatos de cozinha AQUI e também esmiucei os pormenores dos eletrodomésticos e utilidades AQUI e precisou de uma parte dois disponível AQUI.

Claro que a cozinha vai depender muito do uso que terá, mas as dicas que darei aqui são muito mais de planejamento, por exemplo, caso você vá utilizar um fogão ou cooktop a gás, e o botijão não esteja na cozinha ( ou no seu prédio a alimentação de GLP seja encanada, é necessário que tenhamos um registro para fechar perto do eletro. Isso é questão de segurança, não é um opcional. Em prédios ele é obrigatório e os bombeiros podem multar caso esteja obstruído.

Na Nest aproveitamos que a pia sempre tá meio ali de namorico com o fogão, e já colocamos o porta pano de prato entre eles e deixamos o registro de gás no fundo dele.

Como ele não tem prateleiras, raramente tem portas, fica super fácil de acessar em caso de viagem ou de uma emergência. É só fechar e seguir a vyda tranquilamente.

Algo que sempre dá uma treta é o esgoto. No Brasil usa-se como padrão, 50 a 55cm de altura para o ponto de esgoto da parede. Uma solução ok, para quem terá uma pia com uma cuba com profundidade padrão (16- 20 cm) e com portas de giro na frente:

Essa imagem está com uma porta aberta e a outra fechada, então vejam que precisaríamos mover a prateleira da pia para baixo para encaixar o sifão no ponto de esgoto ( a bolinha cinza ). Para mobiliário com portas, 60cm do chão evita esse transtorno. Agora vamos ver caso o móvel fosse com gavetões, que estão na moda:

Sentiram o problema? Nessa altura o esgoto atrapalha o funcionamento do gavetão debaixo ( o de cima tem um recorte para a parte hidráulica, você do superior utiliza apenass as laterais. Tem foto minha dentro dos gavetões de casa.

Afinal, o mínimo que eu poderia fazer era consertar o vazamento do esgoto, né? Era a válvula da pia mal encaixada na verdade. Aproveitando, não tem muita coisa sobre mim no Instagram, a rede que mais odeio, mas eu divido ideias com as quais eu me identifico por lá, é @tiolelofoz caso queira seguir o titio.

Por outro lado, caso a gente suba muito o esgoto ele fica atrás da cuba e fica impossível fazer manutenção. Uma dica extra muito boa é: Deixe esse móvel (onde estão todos os pontos hidráulicos) sem fundo, assim você pode fazer a manutenção sem ter que tirar o granito e desmontal o mobiliário. É só abrir as portas (ou retirar as gavetas) e trabalhar. Outra coisa a se levar em consideração é o uso de triturador ou de cubas com mais profundidade. NEsses casos nem perca seu dinheirinho comprando gavetões, vai de porta mesmo:

Lava louças, a.k.a. “amor da vida” também tem suas peculiaridades. Precisamos saber do modelo antes de preparar os móveis pois os tamanhos variam muito, inclusive em altura, sendo que algumas precisam de uma base de 15cm de altura, e outras não. Logo, muita calma nessa hora. Temos que selecionar certinho para não ter que fazer gambiarras depois.

Sobre conhecer os detalhes do uso desse eletro, nossos clientes tem elogiado muito a Electrolux, que tem ozonizador, spray para lavagem posterior e é bem econômica. São apenas 19 litros de água para lavar a louça de 14 pessoas!

Refrigeradores… esse em específico precisa de poucos carinhos. caso seja colocado numa torre, é necessário ter 5 cm de afastamento de cada lado, e 10cm em cima. Assim ele ventila lindamente e não gasta energia elétrica desnecessária.

E por favor gente, esqueçam aquela marca que virou sinônimo de excelência. Atualmente se você fizer uma pesquisa sobre eficiência, economia energética e praticidade, você vai vê-la cair para uma das últimas marcas na comparação. Eu comprei a Panasonic e aqui em casa e estamos amando. Samsung e Electrolux são opções que também focaram na pesquisa de eficiência e de baixo consumo. O gasto de 39kwa mensais contra 54 kwa daquela outra chega ser risível.

Fornos! Sim forno elétrico é legal, muito mais constante e seguro que o de GLP, mas se você ainda tiverem apego com o gás, tem muitos disponíveis. Lembrando que para  embutir eles TEM QUE seguir as instruções do fabricante. Se for investir em um modelo assim, coloca ele numa torre, não deixa ele baixinho não. Olha isso:

Lindo né? Mas tá tuderrado. Eu que já li manual técnico de muitos fornos sei que a maioria exige uma folguinha na lateral e grelhas acima ( porque o calor sobe ) e abaixo, como aparece nesse 3D, que cozinha teu dedão.

Eu tenho PAVOR de forno embutido abaixo do cooktop por motivos de: ele solta bafo em você. Então evite, ou compre logo um fogão tradicional que dissipa o calor de maneira diferente, não nas suas partes íntimas.

Coifa! Ensinei como usar a coifa direitinho, tá no link lá no começo deste texto. minha dica pra ela é: compre uma com uma vazão alta e seja feliz. Eu evito as de vidro pela praticidade na limpeza, e também gosto de deixaar para furar o gesso (caso seja de ilha) depois da cozinha montada. frequentemente precisamos ajustar alguns centímetros e nem todas tem essa “rebolância”.

Sobre ilhas, não esqueça de algo muito importante: Deixe tomadas da lateral. Se ela tiver menos de 180cm de um lado basta, se tiver mais que isso, deixe de ambos os lados. Existe aquela “torre de tomadas”  chiquérrima, caríssima, linda mas que não é melhor que uma boa e velha tomada na lateral. Eu ainda tenho impressão que essas de torre, no caso de um derramamento de meleca, vão ser um castigo para limpar.

Um detalhe é que para colocar a tomada na lateral precisamos de 8cm, então tem que ter esse espacinho livre nas laterais do móvel. Caso o cooktop esteja na ilha: Normas de segurança dos bombeiros de SC: Ponto elétrico e de gás no mínimo 40 cm de distância. Eu gosto sempre de deixar uma barreira entre eles, qualquer toco de mdf ajuda 🙂

Faltou algo? Tem alguma dúvida? Deixa nos comentários que eu respondo.

#Bença!

Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
10 fev 2019, 14 comentários

Mi departamento, su departamento – Reunião de condomínio.(Não foge!)

Fufulândia! Tudo certo por aí?

Ainda que existam reuniões também em condomínios horizontais, achei que brincar com o título do Mi Casa seria uma bromita bem engraçadita.

Como você sabe, o que acontece na minha vida profissional e pessoal acaba rendendo alguns posts aqui e esse caso não é diferente. Minha mãe tem tanto medo do que eu posso falar pros vizinhos que eu sou solenemente proibido de entrar no grupo de uatizápi ou de participar das reuniões de condomínio. Que são aqueles eventos sociais lindos:

Cobri o cofrinho do moço com amor porque quero respeitar as pessoas que podem estar lendo essa matéria enquanto fazem um lanchinho.

Porém, aqui no condomínio está rolando uma treta feia sobre alteração em uma unidade, e eu achei relevante comentar sobre isso.

Contextualizando: Os prédios aqui, contruídos na década de 90 foram eregidos em um sistema construtivo de “Blocos estruturais” ou, comumente chamado de “Alvenaria estrutural” onde todas as paredes tem a função de suportar o peso de tudo que vem por cima delas.

Visualmente, são aqueles prédios ou casas que você vê sendo construídos inteiramente de bloquinhos cinza. Diz a lenda que eles não tem colunas e vigas, mas na prática a cada tanto espaço existem blocos que são “recheados” com ferragem e concreto, igualzinho uma coluna, e também temos as canaletas (abaixo tem imagem) sobre todas as paredes, que recebem ferragem e concreto, gerando viginhas. Claro que essas duas coisas são “reforços” não estrutura propriamente dita.

O modo mais utilizado em Terra Brasilis, é a “alvenaria convencional”, onde vemos antes aquele “esqueletinho” com colunas e vigas cinza, e aqueles cabelinhos de ferros espetados pra cima na obra… e que depois são fechados com tijolinhos laranja… as cores porem variar, é só para você terem uma visão global do que estou dizendo.

Em tempos de estrutura em aço e paredes de drywall, falar disso pode parecer meio “atrasado” mas a verdade é que aquele apartamento incrível, com uma cozinha de tamanho decente, numa localização especial que você tanto deseja pode ter sido construído assim e vai melar a sua chance de fazer dele um apartamento modernão, é bom perguntar antes de comprar.

O sistema de blocos estruturais é mais rápido, cerca de 15% mais barato gera de 20 a 30% menos de entulho e ainda é amplamente utilizado, especialmente em cidades mais do interior. Ele tem limitações, pois não permite grandes portas e janelas e muito menos aquelas fachadas inteiriças em vidro de prédios – geralmente comerciais. E as medidas deles são regradas pelo tamanho dos blocos:

Os blocos de vedação são como os tijolinhos laranja, só servem para ” fechar” a parede, não para segurar o peso do que está acima. Nenhum destes blocos deve ser cortado, por isso os formatos dos ambientes são bem limitados.

Voltando para a realidade: Eis que um vizinho quer reformar a unidade dele e modernizar o local. Super concordo! Afinal se a construção é dos 90 o projeto é anterior e desde 1985 o comportamento das pessoas mudou e a forma que vivemos e interagimos definitivamente é outra. Temos paredes enormes aqui onde não tem nenhuma tomada. NENHUMA! Nem do outro lado para poder puxar.

Eu mesmo, quando adquiri esse imóvel, contratei um arquiteto que veio aqui e me mostrou onde e quanto eu poderia abrir numa parede entre a cozinha e a sala. Estamos falando de 2001, quando eu era um feto que estudava Letras Português / Inglês e Literaturas. Depois de uns 3 ou 4 anos uma síndica pediu um laudo, eu tava paupérrimo na época e não pude fazer, então fechei o burakin e depois quando comecei arquitetura falei com um engenheiro e ele liberou a abertura novamente. Meu erro foi não registrar isso no órgão devido lá em 2005/2006.

O vizinho contratou um escritório de arquitetura que sugeriu retirar 4 paredes completamente no apartamento. Então quando eu soube, perguntei: OK, como está o laudo do engenheiro?

Pois é, não tinha laudo. E a convivência virou um circo. O condomínio que proibir a obra, o menino quer o apto renovado, meu buraco (da cozinha) virou pauta, descobrimos uma outra unidade que retirou uma parede praticamente inteira sem autorização, sem laudo, só no amor do coração do pedreiro mesmo… e o pior, o antigo morador revendeu o apartamento e o atual morador nem sabia do problema todo no qual estava enfiado.

O fato é que vivendo em um condomínio, estamos fadados a algumas regras. E algumas eu gostaria de deixar expressas aqui:

1º Nenhuma convenção de condomínio se sobrepões a leis municipais, estaduais ou federais. Por exemplo: Proibir animais. Não existe isso. Dentro do seu apartamento, ou do seu pátio, se você tiver espaço, autorização do Ibama e manter tudo limpo você pode ter um zoológico inteiro.

2º Você tem SIM que notificar seu síndico previamente de alterações que serão feitas no seu imóvel, e caso ele pedir, liberar a entrada para fiscalização.

3º Os condônimos não tem direito de votar “sim ou não” ou proibir alterações dentro da sua unidade, desde que esteja amparado por um projeto registrado nos devido órgãos públicos competentes. Contudo podem pedir uma análise de um outro técnico.

4º Não pode haver mudanças que afetem a parte externa de um prédio.

Digo isso porque tiveram algumas pessoas insolentes que sugeriram que invés de fazer a obra, o rapaz mudasse de prédio. Até onde eu lembro, o ditado diz “os incomodados que se retirarem.”

Teve gente que foi além e disse que não entendia porque fazer a reforma, porque o projeto nem ficou bonito.

Não, um imóvel não necessariamente precisa se manter pela eternidade exatamente como foi concebido. Entretanto precisamos nos atentar a segurança de todos. Por isso alterações precisam se notificadas. Lembram de um prédio de alto padrão que desabou tempos atrás? (não estou falando do incêndio de 2018) o laudo final foi que houveram TANTAS mudanças internas que a estrutura “colapsou”. Adoro esse termo muito de engenheiro para um bom e verdadeiro: foi pra chóm!

Então mesmo que seja uma mudancinha, o síndico precisa receber um laudo e todas as alterações precisam ser levadas em consideração na hora de uma nova mudança. O último andar é sempre o que menos influencia na estrutura, especialmente ao retirar paredes, contudo, ainda assim precisa de um laudo.

O mundo vai ser bem mais fácil quando aprendermos a seguir os caminhos corretos. Eu incluso, já peguei os projetos estruturais – ainda desenhados a mão, tudo escritinho em caligrafia técnica, uma fotura. E pedi para o engenheiro que trabalha com a gente na Nest preparar meu laudo. E oremos para o engenheiro prévio estar certo.

Caso haja alguma intervenção no edificio que você mora, fiquem atentos a pequenas trincas, rachaduras e etc. Pois são sintomas de que algo está errado. Aqui nunca aconteceu nada.

Em 2018 fizemos várias obras em prédios, novos e antigos e aprendi muito sobre os percalços de fazer mudanças. Teve cliente que quis banheira onde não havia. Teve uma porta que pedimos para arrastar 40 centímetros que atrasou a obra 50 dias por causa do laudo.

Tem um prédio aqui que fez um estudo com engenheiro e tem locais específicos por onde a tubulação de ar split pode passar. Nicho para Shampoo no banheiro? De jeito nenhum.

Sabe aquelas facilidades de usar “piso sobre piso”? Pode afetar muito a quantia de peso sobre uma estrutura. Então #vemkotio e fiquem de olho nas movimentações nos prédios de vocês.

Super beijo, #Bença!