08
Jul 2018
Mi casa, su casa – Já pra cama!
Bem Estar, Decoração, Mi Casa Su Casa

E a semana maravilhosa de festas foi coroada com um evento belíssimo de nossa patroa.

Cony, muita saúde, muita paz, muito sucesso e amor sem fim pra você, ontem, hoje e sempre!

Durante as últimas semanas teve muita cama e cabeceira em discussão e escolhas no ninho, então vamos falar desse lugar pra onde a gente sempre tem vontade de voltar?

Atualmente, 95% das pessoas tem as famosas “cama box” que são um colchãozão gigante, ou camadas de caixas com um colchão superior.

Não vou entrar no mérito do tipo de colchão… da firmeza, de molas disso ou daquilo. Isso é absolutamente pessoal e cada corpo tem suas necessidades e gostos.

Vamos aos tamanhos padrão:

Solteiro: 88 x 188

Solteiro King: 98 x 198

Viúvo: 128 x 188

Casal: 138 x 188

Queen: 158 x 198

King: 193-198 x 198-203

Garanto que aí do outro lado tem Fufu pensando: Solteiro King?

Esse colchão surgiu porque o tamanho comum de 88 x 188 já não comporta nossos adolescentes. Como os humanos têm crescido em média de altura, começa a ser desconfortável um ser de 175 de altura dormir em 188 de comprimento de colchão.

A tal da cama de viúva/o que vira e mexe alguém sugere geralmente é vendida somente por pedido e eu evito ao máximo usar pois ela não comporta 2 pessoas com conforto e a indústria têxtil não produz nada com essa medida específica. Então fica aquela cama com um lençol frouxo, parecendo meia velha, terrível. Prefiro colocar como uma cama de 138 que é conhecida como “casal normal”.

Essa “casal normal” é minha cama preferida para dormitórios de crianças, adolescentes e hóspedes. Ela fica bonita quando arrumada, cabe em todos os dormitórios do Brasil – mesmo os mais apertadinhos – serve para quando você precisa acomodar mais uma pessoa pra dormir e, caso sua cria esteja precisando de cuidados você pode colocar para dormir juntinho na cama, Deus te livre que precise porém, se precisar, você pode até passar a noite ali.

Se o seu imóvel é pequeno, a cama de 138 também é uma aposta acertada  para o dormitório do casal. Apesar de que eu sempre prefiro a Queen, com 158 x 198, acho que ela  permite maior conforto tanto para dormir, quanto para ficar acordado.

Já a King… que varia entre 193×198 até 198×203 é válida se você tem bastante espaço. E por espaço eu tô falando em proporção. Para isso vamos entender um pouco de espaços para a circulação:

Um espaço mínimo nas laterais da cama é de 60cm, sendo que o IDEAL é 80cm, entretanto na vida real a gente vê clientes optando por ter 50cm de cada lado, para poder ter a cama de 158cm de largura. Acho sofrido, mas também é perfeitamente aceitável.

Agora, voltando para as King Size se você vai ter uma cama com 2 metros de largura, não me faça passar vergonha e tenha PELO MENOS um metro livre dos lados. Se é para ostentar com uma cama generosa, que se tenha também espaço para correr com as teta solta em volta gritando: “Você não me pega u-hulll”.

Ah, mas eu pre-ci-so de uma cama bem grande porque meu filho dorme com a gente.

Não pessoa, o que você precisa é salvar essa criança de uma vida comandada pelos pais e fazer ela dormir no lugar dela e aprender a ser independente. E ainda aproveite para transar muito (e sempre) e salvar o casamento do banho maria.

Qualquer que seja o tamanho da cama que você escolher, ela deve ser adequada ao espaço. Nem demais, nem de menos. E um item importantíssimo para o sucesso ou desastre total do quarto é a cabeceira.

E aí nós temos que fazer uma pergunta muito importante: Vamos verticalizar ou horizontalizar o sentido dessa peça?

Se o quarto é estreito, eu sugiro horizontalizar, ou seja, fazer uma cabeceira mais baixa, e mais larga (loooonga), assim damos a impressão de um espaço maior:

Já, para um espaço mais baixo, demarcar linhas verticais ajuda na sensação de um teto mais distante:

Se já se o espaço tem medidas proporcionais e agradáveis, a cabeceira pode ser em qualquer um dos sentidos, ou até mesmo  uma combinação dos dois:

Algo que tem aparecido muito ultimamente, são as cabeceiras sobrepostas. Sim, uma na frente da outra:

Muitas vezes são painéis de madeira ou estofados recobrindo toda ou grande parte da parede, e junto a este revestimento, a cabeceira propriamente dita.

Como eu sei que bastante gente aproveita as dicas de medidas, vamos a mais algumas:

As camas estão subindo freneticamente, já falei aqui antes. Contudo medidas para uma cabeceira baixa – para fazer mais larga e horizontalizar o quarto – seria entre 35 e 55cm acima do seu colchão.

Para uma cabeceira alta, o mínimo é ela acabar a 140cm do chão, daí pra cima vai depender de quão alto é o pé direito do seu quarto.

Sobre materiais, a moda de hoje praticamente te obriga a ter uma cabeceira estofada. O único cuidado que eu peço que se tenha é pensar na manutenção do tecido, pois a cabeceira pega pó e gordura corporal constantemente. Eu ando amando as estofadas mais lisas, adornadas com tachas. Os cuidados para uma cabeceira rica são:

Tachas bem juntinhas;

Desenho bem definido;

Tecido encorpado;

Espessura entre 7 e 12cm:

Caso você esteja se perguntando o por quê:

Tecidos muito molinhos deformam nas costuras e criam rugas, taxas muito espaçadas dão impressão de economia porca, e a cabeceira finiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha traz uma sentimento de falta de estrutura:

O que eu tenho gostado muito, é a combinação de um painel de madeira com uma cabeceira estofada na frente:

Aliás, meus parabéns para arquiteta Manoela Py (Não conheço, mas a foto veio com o crédito) por esse projeto onde ela resolveu o problema de ter ar condicionado na parede da cabeceira de uma forma magistral.

Evite sempre ar condicionado sobre a cama. Todos sabemos que eles entopem e cospem água e/ou gelo.

E você, em alguma preferência? Conta nos comentários.

#bença!

 

 

01
Jul 2018
Tem Jeito Decor 46 – De Lelo para mulher, Marisaaaaaaaa
Decoração, Mi Casa Su Casa

Título mais tosco da história da internet, desculpem-me.

Eu fiz tudo bonitinho, preparei o projeto quarta, quinta e sexta… pegay até opinião das meninas do escritório tudo…

Como esse fds eu ia para casa da vózinha pensei: sábado tenho o dia todinho para escrever.

Cheguei em suíno-city (Toledo-Pr) a internet deles estava pifada. Técnico só segunda feira…

#MimLaskay.

Agora estou aqui correndo atrás do prejuízo. 18:37 para postar as 19h.

#vemkotio!

“Oieee

Lelo, amo seus posts e seu bom gosto, por isso resolvi pedir help também!!!!
Preciso dar um jeito na sala de estar e hall!
A cozinha, mesa de jantar e de estar são integradas.
A cozinha e mesa de jantar estão indo, ainda faltam algumas coisas, mas já existem…
Já a “parte” da sala de estar e hall estão “pelados”…
Tenho vontade de pôr tanta coisa (papel de parede, espelhos…) e também de deixar bem clean… Rs
Não sei o que fazer… Te mandei foto da planta, como acabei mudando a posição da ilha, acabou sobrando um espaço a mais na sala.
O engenheiro que cuidou da obra me sugeriu fazer um móvel “passando” da parede onde hoje está o oratório, de modo a “velar” um pouco a visão da porta da rua pra dentro (mas isso é algo que não me incomoda, porque como a casa é alta, não dá pra ver muita coisa).
Tinha duas poltronas da sala, mas eram de linho e meus gatos (que são uns aparecidos e quiseram sair nas fotos, assim como as doguinhas) estragaram tudo…
Isso é outro problema, preciso que seja tudo a prova de gatos e cachorros… Penso em trocar de sofá (prefiro sem chaise e não retrátil), poltronas (?), gosto de tapetes geométricos…
Preciso de um lugar pra tv e quero manter meu oratório budista (mas de forma a integra-lo no ambiente, pensei em pintar de branco… não sei…). “
Meu bem, que casa agradável! Incrível mesmo. E eu AMAY a cor das paredes. Fico tão feliz que aos poucos os brasileiros e brasileiras estejam perdendo o medo da cor e a fixação pelo branco gelo, branco neve… O único branco que tá liberado é o Branco Gatinho, por causa do nome.
Muito obrigado por ter mandado a planta, ajuda tanto que vocês não tem ideia do quanto!
Eu fiz uma proposta que ao mesmo tempo que é simples, é bem ousada. E o que eu identifiquei pelas fotos é que você tem um espaço amplo, que tem uma configuração integrada, mas que ao mobiliar você transformou em pequenos ambientes. Essa parede onde hoje está o móvel com o televisor, entre a porta da área íntima e o jardim de inverno tem mais de 6 metros! Tem gente – aquelas pessoas que não me escutam – que vivem em espaços deste tamanho.E, ao olhar pro seu, parece que não cabe nada, só a TV em um móvel conciso.
Essa porta – linda – que você escolheu para o corredor, ocupa mais do que o dobro que o vão real exige, e isso prejudicou bastante a possibilidade de se ter um móvel condizente com a grandiosidade da sua sala. Então vamos fazer o que?
Ezatamentchy!
Vamos colocar a TV no outro lado de lá, num móvel que vai incorporar Estar e Jantar lindamente, e ainda abrigar uma incrível lareira etílica toda trabalhada na riqueza de um mármore travertino e criar um espaço bem gostoso no hall já amparando e dando a verdadeira importância para o seu altar budista nele.
Antes que eu me esqueça, eu girei a mesa de jantar no mesmo ângulo que a parede, por motivos de: melhora a circulação e deixa a mesa em maior evidência.
Sim, sua casa é praticamente um clube: Comporta 20 pessoas sentadas nesse espaço sem ter que pedir um banquinho emprestado pra nenhum outro ambiente e sem usar nenhum dos três seat garden que eu propus para efeito de lindeza mesmo.
Mas como diria meu amigo Jack (o estripador) vamos por partes.
No Hall eu coloquei duas poltronas generosas, com uma pegada mais clássica. Assim aquela fofoca gostosa pode acontecer ali longe da muvuca de gente na mesa, se você estiver aguardando uma carona ou um uber pode ficar aqui sentadinha confortavelmente olhando pela janela, abrigada de sol, vento, chuva e/ou paparazis.
Usei painéis de revestimento para trazer o aconchego da madeira, e espelhos que trarão luz e refinamento para o espaço. Ao que me consta, ao realizar suas orações os budistas acendem incensos, tocam um sininho (dependendo da vertente que faça parte) então o grande aparador na entrada além de servir de apoio para chaves, carteiras, bolsas em dias de festa, também te ampara nestes momentos de concentração. Cortinas leves providenciam uma textura que falta sobre a vidraça que você tem. Elas tem mais função de proteger o mobiliário da incidência direta do sol do que de privacidade.
Na passagem para os dormitórios mantive a linguagem de painéis e espelho, mas dessa vez enaltecendo quadros. Que não precisam ser roxos, claramente. Mas vocês sabem do meu amor ao roxo.
Na parte de estar é que realmente vamos ter trabalho:
Acredito que poltronas leves, ou com costas bem decoradas sejam a opção mais acertada para essa visão de quem chega na sua casa. Na parede atrás do sofá, sem chaise, não retrátil, não reclinável (Não gosto deles em sala de estar MESMO) um papel de parede com um movimento bonito, para decorar sem sofrer com a presença do trilho da porta.  Percebeu na imagem acima como a mesa  acompanhando a parede em diagonal parece melhor resolvida?
O móvel do home é de uma exuberância que só sua casa permite. Centralizei o aparelho de TV com o sofá, e a lareira etílica de 120cm também. O nicho para a Lareira precisa de 60cm de altura e tem que ser em pedra, então já aproveitamos e “abraçamos” os gaveteiros do lado esquerdo com o mármore e dispomos os aparelhos todos naquele canto. No painel da parede indico o uso de uma cor neutra, porém mais moderna, como o grafite, para deixar a ambientação mais contemporânea. Uma boa forma de deixar seu home aconchegante é fazer iluminação com fita de led em todo o perímetro desse painel de tv, mas mantenha as duas arandelas clássicas para não ter um painel gigantesco vazio. Como sobre esse móvel eu complementei com uma prateleira loooooooooonga (usei a mesma textura de madeira do hall), evidenciando a amplitude do local não acho que nicho ou prateleira no painel deixariam o resultando tão elegante.
 Veja que, mesmo com 3 mesas de centro em diferentes níveis, formatos e materiais, todas as propostas seguem tons terrosos mais neutros, com uma pegada de itens naturais,  com pequenas interferências de cinzas. 
O televisor nesta outra parede também permite que quem está cozinhando interaja com quem estiver assistindo um jogo por exemplo.  Por isso os pufes baixos são ideais e no dia que você e seu bem quiserem esticar as canelinhas podem ser alocados junto ao sofá e se transformar em chaises.
Algo de total importância, caso você queira executar algo parecido com o que está descrito aqui, e prestar atenção nos fluxos. Manter espaços confortáveis de passagem através de todos os assentos e ambientes.
O que vocês acham Fufus? Um dos pontos altos da minha semana é vir aqui ler tudo que vocês acham e descobrir muitas outras visões e possibilidades que encontramos nos comentários.
Participa, é facinho! Aproveitem também para distribuir um pouco de amor na semana mas festiva do ano.
03/07 aniversário do Lelo – eu  mesmo – e  07/07 aniversário da patroa mais diva que o sistema solar já teve a chance de conceber.
Eu estou abandonando o Instagram pessoal, quem me quiser eu continuo pelo SnapChat @Tiolelofoz
20:17 atrasei! Ainda assim, prefiro escrever tudinho, do que mandar o horário.
#Bença!
17
Jun 2018
Mi casa, su casa – Qual e quando?
Decoração, Mi Casa Su Casa

Olá Fufulétes.

Tenho algo para contar sobre o domingo passado. Eu participei da minha primeira corrida. Sim, o gordinho aqui foi sacudir as banhas publicamente por 8 kilometros.

E eu, apesar de correr com certa frequência, não ashay que seria tão difícil. Acabei não tendo fôlego para correr os 8km, mas concluí a prova, então vamos ficar feliz em participar.

Fomos em três (Paulo, Alex e euzin segurando a barriga pra foto), e não se animem com a medalha, é só de participação mesmo, HAHAHAH.

Let´s talk business now.

Recebi uma pergunta MUITO interessante de uma Fufu por email, e resolvi postar para vocês. Quer saber qual e quando contratar um profissional para construir? #vemkotio :

“Lelo, bom dia.

Li uma publicação sua no Futilish e gostei muito do modo como vc trabalha.

Tenho a impressão de que vc pensa no cliente em primeiro lugar e não apenas nos $$$

Gostaria de te perguntar qual é o profissional mais indicado para acompanhar uma obra de uma casa? Engenheiro civil, arquiteto?

Talvez eu esteja colocando o carro na frente dos bois, uma vez que nem tenho terreno ainda.

Então, vou aumentar minha pergunta: existe algum profissional que dê assessoria desde a compra de um terreno, passando pelo projeto e também o acompanhamento da obra?

Há possibilidade de contratar um profissional de longe e dar certo?

Sou de uma capital e pretendo morar numa cidade menor, no interior.

Dá certo contratar alguém que não seja de minha cidade ou imediações?

Agradeço muito se puder responder.

Se não puder, agradeço do mesmo jeito.

Abraços,

Liliam”

 

Eu fico muito feliz quando vocês leitoras mandam e-mail para gente, principalmente quando é por terem se identificado com a maneira que eu optei por trabalhar.

Realmente, aqui no escritório, tanto eu quanto as sócias procuramos nos despir de desejos próprios e durante as reuniões e entendermos os desejos dos nossos clientes. Isso acontece porque no final das contas acreditamos que somos ferramentas para transformas o seu desejo em realidade. A casa será sua e tem que ter sua cara, tem que funcionar para você, e obviamente, facilitamos as coisas com a nossa experiência.

Estar pensando no profissional desde antes de adquirir um terreno, falando sério agora: Isso faz de você uma dádiva. Essa preocupação fará diferença no resultado, pode ter certeza.

Agora vamos por partes:

No caso de compra de um terreno, eu optaria pela consultoria de um arquiteto. A partir do que você deseja, ele saberá te dizer qual a posição da testada (frente) do terreno que será mais adequada para a construção que você fará.

Exemplificando:

Supomos que você tem crianças, quer uma casa em um condomínio fechado (questões de segurança) mas você gosta de nos finais de semana ficar até um pouco mais tarde na cama. Eu indicaria um terreno com frente para o leste, porque quando os vizinhos forem chamar seus pequenos para brincar você pode dar uma espiada na janela e ver o que está acontecendo sem ter que fazer cosplay de dona Florinda andando pela casa para liberar o alvará do pimpolho para ir pro futebol só com um joínha da janela mesmo.

Ou numa outra cena – afinal não sei nada sobre você – Você preza por silêncio nos quartos, prefere que toda a área de lazer e serviços/ garagens afastada do seu ninho de amô: eu sugeriria um terreno com frente para o oeste.

Então entender a maneira que sua família vive e aproveita a casa influencia diretamente na “divisão” dos setores.

Quando somos contratados para desenvolver um projeto arquitetônico começamos a partir de um “fluxograma” e “setorização” para depois começarmos a pensar em tamanho de um ambiente propriamente, ou a composição de uma fachada.

Sobre o profissional,  eu sempre vou puxar sardinha para o arquiteto, afinal é o que a gente estudou e vive todos os dias. Não que o engenheiro seja menos importante, ou menos capacitado. A verdade é que as faculdades tem grandes diferenças e as atribuições de atividade são praticamente as mesmas.

O profissional de arquitetura estuda e volta-se mais para o usuário e para a questões funcionais e estéticas da construção. O profissional de engenharia aprende mais sobre a construção, as otimizações de materiais e de técnicas construtivas. É uma guerra longa dentre esses dois. Mas na prática eu vejo que as construções mais eficientes são idealizadas por um arquiteto (projeto arquitetônico), depois vão para um engenheiro fazer toda a parte de estrutura, hidráulica e elétrica/lógica (chamados de projetos complementares) e todos eles precisam ser compatibilizados.

Sobre quem contratar, a certeza que eu tenho é que, mesmo que você opte por um profissional de fora para idealizar seu projeto, você tenha um local para executar a obra.

Construir pode ser vendido como uma ciência exata – porque o projeto é exato – mas o pedreiro não é. E sempre vai haver algo que precisará ao longo do processo ser revisto e adaptado. Seria melhor se fosse a mesma pessoa, pois quem idealiza uma casa ou um comércio tem uma visão global que talvez outro não compreenda. Uma linha de janela, uma abertura meio polêmica, uma passagem que talvez fosse melhor pelo outro lado… tudo tem um por quê, e só o pai da ideia vai poder ponderar os prós e os contras.

Agora a dica infalível é: analise o portfólio do profissional que você pensa em contratar. Peça para ele mostrar as obras que ele gostou de criar, que são do estilo que ele aprecia. Todo profissional é preparado para fazer: Clássico, moderno, contemporâneo, brutalista, futurista… uma infinidade de estilos, que a gente aprende todos na faculdade (de arquitetura, não de engenharia #treta) a partir do material que ELE gostou de produzir é muito mais fácil selecionar o que faz o que VOCÊ deseja. Aí o processo é mais natural, porque vocês já tem afinidade de estilo.

 

Caso você opte por fazer o projeto de interiores (revestimentos, gesso, iluminação, mobiliário) nem todos os escritórios oferecem, por isso criamos a NEST, pois interiores é possível ser feito a distância tranquilamente. MESMO assim (jogando contra mim) eu digo que: caso o profissional que eleger ofereça essa parte, dê preferência para ele, pela visão global que ele tem. Mas peça um BELO desconto, pois ele também já tem 40% do trabalho desenhado.

Você Fufu que me lê, tem alguma dúvida? Deixa nos comentários, ou manda um email que assim que possivel, eu respondo.

#Bença!

Página 1 de 3812345Última »