Moda
Alternativa Fashion
14 mar 2019, 1 comentário

Alternativa Fashion!

Adoro quando vocês me mandam esses achados!

A Lu descobriu uma super alternativa para o mocassim da Arezzo que todo mundo está desejando:

“Oi Cony! Adoro o Alternativa Fashion, mas é a primeira vez q mando alguma coisa.
Comprei aquele mocassim da Arezzo, mas o caramelo, irmão do seu de onça. Achei carinho e mto desconfortável; o de onça é mais macio, mas eu já tinha um parecido.
Ontem andando numa loja chamada Studio Z achei um beeem parecido é muitíssimo mais barato e confortável! Ok, não são idênticos, nem a qualidade é a mesma, mas achei que pelo preço estava bem bonito. Não sei se tem em outros estados essa loja, mas vende online. Luciana”

Arezzo, R$ 299 LINK Já acabou quase toda a numeração de todas as cores…

 

Studio Z (não conhecia essa loja!), R$ 69 o preto e R$ 79  o caramelo LINK

Vamos às minhas considerações! Realmente é uma bela alternativa fashion! São sapatos MUITO parecidos, e com preços MUITO diferentes. Porém o da Arezzo é de couro e achei a ferragem mais rica, o que faz toda a diferença. Mas obviamente para passar de um calçado de 300 reais para um de 70, muita coisa tem que ser barateada. É uma ótima alternativa para quem morre de amores pelo primo rico, mas não tá podendo pagar tanto! Arrasou com a dica Lu!

  • Achou uma Alternativa Fashion por aí? Mande para constanza@futilish.com e coloque no assunto ALTERNATIVA FASHION! Os produtos tem que ser BEM parecidos viu?
Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
13 mar 2019, 23 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!!!

Venham Choronas, o que se passa?

Chora 01 – Adriana

“Cony, sigo seu blog desde o início e relutei muito e escrever minha história.

Aos 19 anos engravidei de um namorado (pouco tempo de namoro e 8 anos de diferença de idade). Por questões religiosas nos casamos na igreja católica, tivemos nosso filho e éramos o casal perfeito.

Honestamente eu não queria ter me casado tão nova, mas quando ví minha mãe já estava com a festa de casamento pronta para mais de 200 convidados.

Nosso filho é especial (tipo autismo bem leve) e todas as terapias, mudanças de escola, adaptações e consultas nos transformaram (eu e o meu marido) em uma dupla perfeita. Tudo relacionado ao nosso filho a gente fazia. O casamento mesmo nunca existiu. Engravidei sem querer, tinha pânico de ter outro filho (enquanto estava na faculdade e só dava despesas pra família e marido), então pra evitar eu me entupia de anticoncepcional que acabava com qualquer disposição para ter relação. Em uma consulta com a ginecologista descobri que não podia tomar anticoncepcional. Eu informei o fato pra ele e ele disse que “tudo bem a gente nem fazia nada mesmo”. Com medo de engravidar, passei a evitar o sexo cada vez mais. Ficamos assim por 10 anos. Um casal de amigos que cria o filho. Então nosso filho cresceu, eu arrumei um trabalho bom e quis ter outro filho. Ele não demonstrou nenhum interesse nesse projeto e assim tudo foi indo embora. Pra você ter ideia, ele era apático. Era um abandono afetivo. uma vez esqueci minha aliança no box de Crossfit e ele disse apenas que problema era meu e que se perdesse eu que comprasse outra com meu dinheiro. Foram vários episódios que mostravam que não éramos um casal e sim uma dupla.

Eu emagreci, coloquei prótese fiz de tudo e nada. Não éramos um casal e pronto. Não brigávamos mas não tínhamos sentimento algum.

Um dia ele me chamou pra conversar e nós optamos pelo divórcio. (nem a viagem à Disney deu jeito).

Meses depois ele já morava com outra e tudo bem (apesar de hoje em dia ser o pai mais ausente do mundo – uma pena porque ele era um ótimo pai). Eu acidentalmente conheci um rapaz maravilhoso (no grupo de corrida), legal e que me idolatra. Ele trata meu filho super bem, cuida de mim, me “endeusa” e eu gosto dele, mas não estou preparada pra mais, tanto que nem apresentei ele pra minha família. (pra evitar falatório pois o divórcio é recente e todo mundo lá em casa falou do meu ex ter assumido uma relação tão cedo.).

Estou me mudando de apto e não darei chave pra ele, não por falta de confiança, é porque eu quero meu espaço com meu filho. 

Antes ele me via sempre, hoje eu estipulei que final de semana ele dorme lá em casa, eu precisava desse tempo exclusivo com meu filho. Trabalho o dia todo e quero chegar em casa sem preocupação.

Nossa relação é boa, o sexo é ótimo (não tenho parâmetros porque no casamento não tinha, mas considero bem bom), nós temos intimidade, as coisas fluem.

Eu e esse rapaz somos de planetas diferentes, criações diferentes, religiões diferentes e classe social diferente. Nós brigamos porque ele sempre leva tudo ao pé da letra e não tem a “finesse” de disfarçar, deixar pra conversar depois, abstrair e só internalizar o que vale a pena. Ele é mais “matuto” e demonstra nas feições o que não gosta e já brigamos demais por isso.

 Ele tem se esforçado para se “refinar” e transitar no meu mundo (ele é técnico de TI e eu estou incentivando  fazer faculdade), mas hoje não posso oferecer mais que o que já dou. Um namoro escondido. Tenho medo de estar embromando e acabando com a vida dele, perdendo meu tempo e o dele ou ainda sendo relapsa com alguém que pode ser o amor da vida.

E agora? O que eu faço?”

Minha amiga, antes de mais nada, permita-se viver o novo, sentir emoções, se apaixonar. Durante muitos anos você se privou disso e entendo que foi algo que estava fora do seu controle e era o que tinha que ser feito. Digamos que você viveu uma etapa “neutra” na sua vida. Neutra de emoções, de sentimentos, de carinhos, isso claro, voltado para você porque imagino que seu filho tenha te dado muitas alegrias e felicidades. Pois bem, chegou sua hora e não coloque muitos obstáculos para ser feliz. Você está com carta branca para viver tudo o que não viveu e para receber o amor que não viveu nos últimos anos. Acho ótimo você impor regras para os novos relacionamentos, super concordo com você que não dá para botar dentro de casa qualquer pessoa, por causa do seu filho e por você mesmo. Talvez seja a hora só de curtir e namorar. E não se preocupe que seu ex arrumou outra rápido e que você não pode fazer o mesmo, pode sim, você pode tudo, o que quiser, o que te fizer bem e feliz! Sobre o rapaz que você está “namorando escondido” acho importante você avaliar bem se é isso mesmo que quer! O fato de você mencionar que são de mundos completamente diferentes não é um sinal muito bom… muita gente acha que é relevável, mas EU na minha experiência, acho que complica bem e prefiro sempre me relacionar com perfis parecidos ao meu (cultura, criação, valores, classe social, etc). Em um parágrafo você diz que briga com ele constantemente e te garanto, um namoro saudável não é assim. Isso NÃO É normal. E mais uma coisa, quando se tem muita dúvida sobre algo, melhor abrir caminho para o novo. Pensa direito nesse namoro, se é isso mesmo, se os prós são maiores que os contras, mas de longe, lendo você dizer que tem brigas constantes, que esconde o namoro, que acha que está perdendo tempo e que não está preparada para mais, pra mim já soa como resposta.

Chora 02 – Isabel

“Oiiii Cony, queria muito compartilhar com você um Chora antigoooo (01/06/2016 – você me deu o codinome de Isabel) que virou um Sorria incrível. 

Para começar, sabe essas coisas de Universo? O meu chora foi publicado justamente no dia do meu aniversário!!! 

Não sei se você se lembra, mas em resumo: eu tinha um casamento de fachada, meu marido tinha atração por homens e eu mantinha um relacionamento com um rapaz da empresa que era noivo. Eu estava apaixonada por ele, mas com receio de separar e acabar expondo meu esposo, que é uma pessoa maravilhosa. E esse Chora virou um Sorria graças a um comentário de uma de suas leitoras. 

Em um dos comentários, uma menina (sabiamente) disse algo mais ou menos assim: “ela se relacionando com um cara que é noivo e ninguém se importando com a noiva do cara.” 

Cony do céu, me deu um clique e um peso no coração, afinal minha vida estava intoxicando muito mais pessoas do que poderia imaginar.

Refleti dias e dias e fiz uma lista do que deveria fazer: Terminei com esse rapaz, sofri horrores, ele também sofreu muito. Pediu para sair da empresa, terminou com a noiva (mas não me procurou e nem eu procurei ele depois)mudou de país e se casou com uma outra moça. E parece estar super feliz. Depois decidi dar um fim também no meu casamento e honestamente foi muitoooo mais dolorido do que podia imaginar, principalmente pelas nossas meninas. Vê-Las sofrendo naquele momento me fez querer voltar atrás só para elas não passarem por isso. Mas de alguma forma fui forte e segui com essa decisão. Meu ex marido nunca assumiu nenhum relacionamento e não toco nesse assunto com ele. 

Depois de todas as decisões difíceis, decidi mudar de país também. Apliquei para uma vaga nos EUA, passei (nem sei como, mas passei), não pensei duas vezes, vendi tudo o que tinha no Brasil, peguei minhas meninas e estamos morando fora há quase um ano. E nãooo tive experiência melhor na minha vida do que ter e dar oportunidade para minhas meninas estar em outro lugar, outra cultura.

Estamos amando e me descobri com uma força que nem imaginava que podia ter. E lógico que a história tinha que ter um amor no final (me julguem kkkkk).

Há uns 6 meses, o meu primeiro namorado da vida me adicionou no IG, começamos a conversar, passamos o Natal no Brasil e encontrei ele pessoalmente. Nem preciso falar do quão incrível foi. Todos os meus traumas de falta de desejo, problemas de assumir alguém e relacionamento foram “quebrados” com ele.

Estamos levando as coisas com calma, ele veio passar uns dias comigo também e logo volta ao Brasil. Mas hoje afirmo que não tenho receio de ter um relacionamento à distância, acho que a é a maturidade que  traz essa paz. Se vai dar certo não sei, né? Mas hoje sinto que as coisas estão certas, ninguém escondido ou mentindo.

E é isso minha amiga Cony.

Não precisa publicar se achar que está muito extenso. Mas queria compartilhar o quão seu blog e suas leitoras mudaram o rumo da minha vida. E olha que nem foi um comentário de apoio, mas sim um comentário de tapa na cara.  🤣

Beijo grande, “Isabel””

MULHER ESTOU TODA ARREPIADAAAAA! Meu Deus! MEO DEOS! Nessas horas vejo o quanto o Chora é sério e importante! Claro que lembro do seu caso, foi um dos Choras que mais me marcou e você não tem ideia do quanto estou feliz pelo rumo que sua vida tomou. Do fundo do meu coração, te desejo muitas alegrias, muitas borboletas na barriga, muita felicidade, sucesso e MUITA VIDA! Parabéns por ter sido humilde e ter escutado com carinho os conselhos. PARABÉNS!

Chora 03 – Alessandra

“Ei Cony! Vou nem falar que amo seu blog desde sempre (sério, uns 7, 8 anos seguindo!) e que ele é o melhor porque todas dizem né? Rs

Enfim, meu chora é o seguinte: há pouco mais de um ano atrás eu fui diagnosticada com Alopécia Androgenética, que nada mais é do que calvície. No dia foi um super baque, chorei muuuuito, morrendo de medo de ficar careca. Sei que parece fútil e graças a Deus não é nenhum problema de saúde maior, mas é algo que mexe muito com a minha auto estima e que eu tenho muita dúvida ainda. Eu já testei vários remédios que me passaram, mas não me adaptei com nenhum, e também não senti segurança em nenhuma das dermatos que passei (essas consultas de plano de saúde que mal te olham ou escutam o que você já testou/curtiu/pode pagar). Enfim, o que eu queria com esse chora é saber se outras leitoras tem esse problema, quais tratamentos estão dando certo para elas, se alguma aqui de BH tem uma Tricologista pra indicar, como fazem pra não desesperar quando vêem o cabelo mais ralinho, enfim: dicas de como conviver com a alopecia e manter meu cabelinho amado na cabeça. Muito obrigada pelo espaço e um grande beijo pra todas!”

Gata não sei te ajudar porque não conheço nenhum tricologista pra te indicar, mas tenho CERTEZA que as meninas vão dar conselhos e indicações valiosas para seu caso. Boa sorte!

  • Choras FECHADOS! Já lotamos a caixa de mail novamente! Quando liberar, aviso aqui 🙂
Lifestyle
Dicas de Viagem
12 mar 2019, 55 comentários

A Mala do Atacama!

AÊEEEEEE, chegou o post mais esperado da viagem! Fiz a ousadia de viajar durante 15 dias ente o Atacama, Uyuni, Bolivia, Cusco e Lima com uma mísera mala de 10kg. Achei que eu não conseguiria, afinal, pra uma viagem de final de semana eu costumo levar uma mala pequena lotada. Mas desta vez a proposta era outra… se tratava de uma viagem roots, sem luxos, sem mimos, leve e prática e a mala tinha que ser nesse estilo.

Como contei no post do Atacama (LINK), fomos de Sky Airlines de Santiago para Calama e pode levar uma mala de até 10kg na mão, só que mesmo assim preferi despachar, pagando bem pouquinho. Não queria o perrengue de carregar nada. E não levei bolsa, fui de mochila a viagem toda.

Montar a mala foi um desafio, em vários momentos quis desistir e ir de malona mesmo mas a insistência da minha mãe (“vai caber tudo sim!”) e o desafio do Leo (“duvido que você vai conseguir viajar só com uma mala pequena”) me deram forças para ir adiante com meu projeto.

FORÇA GUERREIRA! E consegui.

Aeroporto de Santiago, indo! E já usando as peças mais volumosas e pesadas.

Vou listar aqui as peças que levei e farei observações com o que NÃO usei e o que FEZ FALTA. Daí sim, vocês terão a mala perfeita para 15 dias de mochilão pela America do Sul, pegando praia, frio, deserto e neve! Loucura!

Vem ver:

Peças de Calor que LEVEI

  • Camisetas de malha de várias cores (levei branca, listrada, laranja, vermelha, cinza) FALTOU uma preta e deveria ter escolhido ou laranja ou vermelha porque nas fotos parece que é a mesma. Uma escolha mais inteligente seria ter levado uma verde, azul, amarela… Todas são da Rice And Beans (LINK), que tem a melhor malha e nem amassa! Além disso tem o comprimento perfeito pra usar com legging, o decote é ótimo e ainda dá para usar de dois jeitos.
  • Regatas: levei duas pretas (uma regata normal e uma cavadona, pra aparecer o top rendado mesmo), uma branca e uma verde. Não usei nem a verde e nem a branca e usei MUITO as pretas.
  • Uma blusinha preta, decotada, de tecido plano caso fossemos jantar em algum lugar mais chique. Escolhi o modelo mais errado possível, uma cachecour (essas de amarrar) que não ficou bem com quase nada que usei. Fora que amassou muito e perdeu todo o encanto de blusa chique. Recomendo uma blusa mais básica, sem detalhes, e sem dificuldades de vestir! Usei, mas não ficou bom.
  • Short jeans. Levei um só e senti falta de mais um, mas é que eu amo short jeans.
  • Short preto de alfaiataria. É ok, faz bonito, mas um de brim mais despojado teria me atendido mais. Pensei no de alfaiataria caso tivesse alguma saída mais chique durante a viagem, mas não teve e ele não funcionou bem nos outros dias.
  • Biquini! Levei um e um maiô. Só usei o biquini!
  • SENTI MUITA FALTA de um vestidinho leve e solto. Teve dias de muito calor e eu não aguentava mais usar o short jeans.

Valle de La Luna, San Pedro de Atacama. Camiseta de malha, legging, botinha.

Lagunas Rojas, Atacama. Regatão cavado, top de renda, legging, botinha, casacão, boné e lenço no pescoço pra dar o style.

Travessia do Uyuni. Legging, blusa de gola alta, polainas para dar um toque diferente na roupa e fleece da Decathlon colorido! E a botinha, claro!

Peças de Frio

  • Legging. Ok que não é uma peça de frio, mas também não é de caloooor né? Por isso deixei ela aqui. Levei duas, uma grossinha da Zara (material tipo malha, algodão) e uma de ginástica da Live. Gente, a da Live foi MARAVILHOSA! É uma de cintura alta, ela aperta tudo sem machucar ou marcar, super confortável, não esquenta, e é preta pretinha, ficou mara! E levei ela no susto porque era a única preta inteira e sem detalhes que eu tinha (de malhar). Depois dessa viagem quero dela de TODAS as cores mas não achei ainda… As duas foram essenciais, TEM QUE levar duas para intercalar, mas a da Live foi a melhor justamente por ser mais confortável. Segue o LINK.
  • Calça jeans, levei uma só e usei super pouco. Desnecessária. Conforto é a palavra chave e por mais que estejamos acostumadas a usar jeans, com o corpo suado, ou com um pouco de desconforto que tiver, fica bem ruim.
  • Roupas térmicas: fiz a festa na Decathlon chilena mas tinha as mesmas coisas que tem aqui no Brasil. Reconheci vários brasileiros usando as mesmas roupas hahahaha. Levei duas blusas térmicas (mas poderia ter sido só uma), uma calça térmica fininha (comprei na Uniqlo), meia calça termica (mas foi desnessária), luvas (usei uma vez só), gorro térmico (nem usei). SENTI FALTA de um cachecol! Segurei a onda com blusa de gola alta mas se tivesse um cachecol seria melhor. Acabei comprando um quase no final da viagem, em Machu Picchu porque queria fazer fotos coloridas.
  • Uma blusa preta de manga comprida e gola alta, da Intimissimi. Usei MUITO! Poderia ter levado uma off white também.
  • Uma blusa listrada de manga 3/4  e justa da Zara. Usei uma vez só, acho que teria usado mais se fosse mais soltinha e larguinha.
  • Uma jaqueta de couro preta (usei só pra fazer style mesmo, porque não é muito funcional, mas fica mara nas fotos)
  • Uma jaqueta dessas fofinhas com capuz pro frio (usei MUITOOOO praticamente todos os dias). A minha cobre o bumbum e isso é bem importante porque como quase sempre estava de legging, não é bacana buzanfa de fora. Comprei meu casaco no Chile.
  • Jaqueta jeans, também não é muito funcional mas servia para amarrar na cintura.
  • Tricô, levei vários fininhos (um preto, um verde e um amarelo) e só usei UM! Um mais grosso, porém mais certinho no corpo e comprimindo. Acho bacana looks despojados com coisas amarradas na cintura, por varias vezes usei o tricô e as jaquetas para esse truque. Uma dica importante é levar blusas e tricôs COMPRIDOS, que além de ficar mais bonito esteticamente em produções despojadas, são mais funcionais.
  • Maxi cardigã de malha. Levei um cinza da Rice and Beans e senti falta do listrado! Para fotos fica lindo e é só colocar uma regata preta e legging por baixo que fica arrumado, leve e confortável.
  • Levei um tricozão, grande, pesado e NÃO USEI! Na verdade usei uma vez só de raiva porque ele estava ocupando espaço e não se encaixava com nada.
  • Também levei mais um casaco de frio preto, que além de ter levado errado (era um da minha mae, achei que era meu), nem quis usar porque não foi necessário. Um bom casaco preto impermeável tá ótimo!

Dia dos gêiseres e o dia mais frio. Legging, calça térmica, casacão e tricozão (que usei só por causa da gola) e botinha.

Atacama. Short jeans, botinha, regatão, top de renda, e jaqueta amarrada.

Fronteira da Bolívia. Legging, tenis Vans, tricô da AMARO na cintura, camiseta da Rice And beans, jaqueta de couro.

Sapatos

  • Botinha de trekking, TEM QUE LEVAR! TEM TEM TEM, sem dúvida alguma! Usei praticamente TODOS os dias e valeu cada caro centavo. Eu tenho uma aqui no Brasil que comprei justamente para ir ao Atacama em 2016, mas desta vez como não sabia se iria ou não pro deserto, não levei a bota pro Chile mas lá tive que comprar outra. Comprei na Lippi, uma marca chilena de outdoor e paguei cerca de R$ 300, o que nem é tãaaao caro assim. A minha é essa DAQUI. Ok que é um tipo de sapato que a gente usa bem pouco, mas juro que não sei como seria a viagem sem ela. Tênis normal, NÃO DÁ CONTA.
  • Tenis levei um só, um Vans e deu pro gasto quando não era passeio em terreno bruto, tipo saidinha a noite ou bater perna em Lima. Tem gente que acha que ele machuca, mas pra mim ele é ok. Mas daí fica a critério de vocês levar um tênis mais estilosinho e confortável. Necessário também.
  • Um chinelo, tem que levar ne?
  • Levei uma sapatilha QUE NÃO USEI! Sapato de cidade não rola mesmo! Salto nem pensar. Talvez deveria ter levado mais um tênis estilo, um Converse, algo assim.
  • Levei uma rasteira também que NÃO USEI. Tem que ser tênis gente.

Copacabana, Bolívia. O único tricô que usei (da AMARO, segue LINK). Legging, botinha de novo. 

Cusco. Base toda preta, maxi cardigã Rice And Beans, tenis Vans e lenço no pescoço.

Toda de preto com jaqueta de couro para bater perna em Cusco.

Acessórios transformadores de look:

  • Lenço, levei um da Zara colorido que usei no cabelo, na mochila e como cinto.
  • Polainas! Minha mãe tinha algumas e levei duas estampadas para mudar a cara da legging.
  • Boné. Levei um jeans de 1820 que nem lembro onde comprei!
  • Óculos: levei dois, um espelhado Prada e um preto Wayfarer da Ray Ban. Usei muito mais o Ray Ban, mais esportivo e combinava mais com os looks roots.

Machu Picchu. Camiseta vermelha e polaina e cachecol coloridos que comprei lá para deixar o look mais andino e bonito pra foto.

Lima, batendo perna. Calor. Short jeans, tenis vans e a blusa de tecido que me deu ódio. Desta vez usei o lenço no cabelo. Nos outros dias, usei o lenço amarrado na mochila.

Lingerie

  • 2 sutiãs confortáveis e sem renda (prefiro, acho mais gostoso de usar rs)
  • 1 top de renda que usei MUITO (poderia ter levado mais um!)
  • 7 calcinhas (fui lavando durante a viagem)
  • 3 pares de meia, mas poderia ter sido uns 7 pares. Usei todos os dias e tinha que lavar direto.
  • 1 pijaminha CONFORTÁVEL, velhinho, gostoso. Levei um que minha mãe me deu e não achei muito confortável. Acabei dormindo de camiseta praticamente todos os dias.

Tive que comprar:

  • Capa de chuva, compramos em Cusco!
  • Cachecol e polainas coloridos, também em Cusco, para a foto clássica de Machu Picchu. Era quase o final da viagem e tava enjoada das minhas roupas.
  • SENTI FALTA de uma POCHETE. As vezes íamos dar voltinha curta e a minha mochila era grande ou pesada. Uma pochete estilosinha seria o ideal (estilosa mas esportiva). Quis comprar, mas achei todas feias.

É bom levar:

  • Protetor solar facial e corporal
  • Toalhas de microfibra
  • Balm Labial
  • Fluidificante e descongestionante nasal (tipo Rinosoro ou Sorine)
  • Remedios pra dor de cabeça, dor no corpo e gripe
  • Álcool em gel para higienizar as mãos
  • Lencinhos umedecidos
  • Lenços de papel (desses pacotinhos pequenos ou papel higiênico mesmo)
  • Produtos de higiene pessoal, tudo em embalagens Travel Size.
  • Barrinhas de cereal e chocolates
  • Bateria extra para celular

Maquiagem (levei uma mini necessaire e foi mais que suficiente):

  • Uma base
  • Lapis de olho (levei marrom e preto)
  • Um blush (levei um tipo bronze)
  • 2 batons (um nude e um vermelho, mas só usei o nude)
  • Um corretivo
  • Pó compacto (levei um blot da MAC)
  • Preenchedor de sobrancelhas
  • Delineador (no meu caso, que sou viciada né?)
  • Os respectivos pinceis

Acessórios:

  • Levei uma mini bolsinha mas fiquei praticamente a viagem toda com o mesmo brinco, pequeno e discreto.

Lavamos roupas duas vezes, uma em San Pedro de Atacama, no hostel que ficamos 4 noites e uma em Cusco, onde ficamos 5 noites. Nos lugares onde passaríamos mais tempo, fizemos essa limpeza das roupas rs. Calcinha, eu lavei todos os dias no chuveiro mesmo.

Eu não levei MAS PODERIA TER SIDO UTIL, um look de jantar arrumadinho. Acabou que não fomos em nenhum lugar mais fino a noite, mas como ficávamos na rua o dia todo, nem daria para trocar de roupa. Isso vai de cada um, se for rooooooots mesmo, a gente vai comer em qualquer lugar com a roupa do dia, se rolar descanso, hotel e tal, vale a pena um look mais arrumadinho.

  • É isso! Acho que ficou bem completo mas obviamente devo ter esquecido de alguma coisa… A medida que for lembrando, arrumo aqui ok?
  • Arrasei, sim ou sim???