Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
08 ago 2019, 92 comentários

Chora Que Eu Te Escuto

Vamos ao Chora??

Chora 01 – Elis

Oi, Cony! Gosto muito do seu blog, é um dos poucos que acompanho há anos. 

Aí vai meu chora, espero que seja publicado. 

Namoro há quase três anos um cara mais velho que eu. Conheci no trabalho. Ele tem dois filhos e é super família, faz tudo por eles. Até aí tudo bem. Para mim e no trabalho, ele diz ser separado há anos, mas vasculhando as redes sociais da ex-mulher, fico em dúvidas se eles realmente estão separados. Por ex., vi que ela foi a uma viagem com ele e os filhos, viagem essa que ele não me disse que ela tinha ido. Ele passa quase todos os fins de semana com os filhos, temos que nos encontrar durante a semana. 

No começo já terminamos por conta disso. Ele jura que é honesto e sincero, me apresenta para os amigos, mas não para a família. Ele tem um apartamento em uma cidade, que é onde ele diz que mora, os filhos e a ex estão em outra cidade, e eu, em uma terceira. 

Se fosse em outra situação, ou com outra pessoa, eu terminaria ou aconselharia a pessoa a terminar. Sou uma mulher independente, sempre fui forte. O problema é que realmente não consigo. Eu gosto muito dele, como nunca gostei de ninguém. Soma-se a isso o fato de que nesse meio tempo tive câncer. Um câncer muito agressivo. Estou em tratamento, mas uma doença dessas faz sua perspectiva mudar. Fico pensando se não devo ignorar minha cabeça e ir pelo meu coração. Não sei se ainda terei muito tempo de vida. Ele é a pessoa que mais me ajuda a lidar com a doença, sem ele seria muito difícil. Gostaria de passar meus últimos dias com ele. 

Queria sua ajuda e das leitoras para saber se, diante de meu quadro, devo seguir meu coração e ficar com ele ou minha cabeça e terminar. 

Amiga, você já está passando por muito na sua vida. Se esse homem está te fazendo bem, se está te aliviando neste momento, não se preocupe com outras coisas. Pode ser realmente que ele esteja separado (não vejo mal de viajar com a ex e os filhos, pense nas crianças, que querem ver o pai e a mãe juntos. Isso não significa que eles estejam ainda casados). Eu sempre falo para as mulheres pensarem primeiro nelas e no seu caso meu conselho não é diferente. Pense em você, se ele é a pessoa que mais te ajuda com a doença como você diz, aproveite isso. Ele já demonstra que se preocupa e te cuida e no momento o que você precisa é disso: carinho e cuidado.

Chora 02 – Gal

Oi, Cony! Antes de contar o meu chora, gostaria de dizer que amo muito seu blog e depois da Era do YouTube é o único que eu continuo lendo! Amooo!
Vamos lá…
O sexo com meu atual namorado é bem sem graça… ele não faz questão de fazer oral em mim, às vezes a gente tá se beijando e tal e ele já pede pra pegar a camisinha… não tem aquela pegação, não cria aquele clima, aquele tesao sabe? E tá bem chato ficar tentando mudar. O pior é que no início não era assim!! Ele realmente tentava (e conseguia!!) me agradar!
Sem aguentar, acabei conversando com ele sobre isso e percebi que ele ficou bravo e começou a querer discutir sobre assuntos passados. Deixei pra lá e desconversei. Mas achei que ele fosse mudar e bem… NADA!
Acontece que não aguento maissss!! Sexo é pra ser divertido para ambos! E eu sei que pra ele é bom! Até pq, eu acabo fazendo tudo que ele gosta pra ver se ele entende o recado, sabe? Pra mim é bem frustrante pq sou uma pessoa muito sexual, digamos assim… gosto de sexo, gosto que satisfazer a pessoa que tá comigo, faço os desejos, os gostos… mas a recíproca não tá sendo correspondida.
Fora isso, ele é um cara maravilhosooo, não tenho o que reclamar! Mas isso tá tão chato que perdi a vontade de ter relação com ele. Perdi mesmo. E quando a gente tem, eu acabo sempre indo no banheiro chorar depois de tão frustrada que eu me sinto!!
A gente tem tantos planos pro futuro… mas fico pensando como vou ter um futuro com uma pessoa que não me faz chegar lá? Como falei, já tentei conversar com ele e não tive sucesso, pelo contrário! Ahhh, acabei esquecendo!! Eu acabei comprando um vibrador e as vezes uso durante a relação. Ele não se incomoda, pelo contrário, mas fico sem jeito de usar todas as vezes.  A ralação em si não é ruim, mas tá faltando ELE me satisfazer, entende? Quando eu peço pra ele fazer um oral em mim, ele para quando quer e pronto, acabou. E também ficar pedindo, toda vez, algo que teoricamente é óbvio, cansa e sinceramente, é até vergonhoso…
Enfim, não sei mais o que fazer, me ajudem, por favor!!!!!

Fia, tem 3 coisas que sustentam um relacionamento: companheirismo, segurança e sexo. Sem um desses 3, o relacionamento cai. Sexo é muito importante SIM! E jamais você deve aceitar um sexo meia boca e se contentar com isso. Eu tô com você: como pensar em futuro se tem esse problema tão grave e que aparentemente sem solução? Amiga, ir pro banheiro chorar depois de transar com o homem que você está fazendo planos futuros é altamente preocupante! Você já falou com ele, já deu todas as dicas que não tá bom pra você e ele não mudou nada. Sinceramente, eu pediria um tempo, sairia da relação para pensar com calma e conhecer outros homens. Se isso é importante para você, não se acomode. Vá atrás do que te satisfaz mesmo. Imagina passar a vida inteira indo chorar depois do sexo??? Não, não aceite isso.

Chora 03 – Rita

Oi, Constanza! Tudo bem com você? Estou ensaiando meu Chora há uns bons meses e dessa vez resolvi escrever. Bem… Nunca vi uma história parecida com a minha por aqui. Mas espero que de alguma forma você e suas leitoras possam me ajudar.

Não é uma história feliz. Pelo contrário: me dói muito colocar tudo isso em palavras. Parece até coisa de novela, mas meu pai é quase milionário. Ele tem muitos imóveis, carro, dinheiro aplicado. Mas ao contrário dos pais que tentam melhorar de vida para ajudar a família e os filhos, o meu fez justamente o contrário… Acumulou tudo e escondeu tudo de nós sempre. Todos os imóveis, por exemplo, são no nome da minha vó, para que ele esteja precavido no caso de uma separação.

Passamos a vida morando (eu, ele, minha mãe e meu irmão) em um barracão de dois cômodos e só Deus sabe o que passamos. Minha mãe sempre foi dona de casa, pois ele não permitia que ela trabalhasse, e ao mesmo tempo ele próprio nunca nos sustentou mesmo tendo essas condições que citei acima. Vivíamos de doações, tanto de alimentos como de roupas e móveis. Já ficamos dois dias comendo puramente bolachas de água e sal, pois era o que tinha na nossa despensa.

Essas doações que recebíamos eram vez ou outra e só de parentes próximos, pois ninguém na cidade acreditava que vivíamos assim… Afinal, como explicar alguém que faz tantos negócios (compra carros, empresas, casas) e deixa os próprios filhos passando por privação?

Lembro do meu irmão pequenininho com vergonha de sair pois estava com as calças curtas para a idade e os tênis furados. Lembro de termos ficado mais de um ano tomando banho de balde, pois o chuveiro havia queimado e meu pai se recusava a gastar mandando arrumar. Lembro que menstruei aos 11 anos e só podia usar um absorvente por dia mesmo sangrando muito, pois um pacote era a “cota” do mês para mim e minha mãe. Também que nunca cortávamos o cabelo, porque ele nunca nos dava dinheiro. 

Lembro também com dor que muitos parentes falavam mal de nós quando íamos a um aniversário pois não éramos as crianças que brincavam… Éramos as crianças que comiam. E comíamos muito, porque não era normal termos comida em casa. Quanto mais bolo, salgadinhos, refrigerantes. Não sabíamos qual seria uma nova oportunidade para comer essas coisas deliciosas então comíamos com certo desespero.

Não estou falando isso para que tenham pena de mim. Eu não entendia todas as privações nessa época, achava que éramos pobres e que um dia as coisas mudariam. Comecei a entender depois que meu pai sentia certo prazer em nos fazer passar por essas dificuldades. Repetidas vezes ele falava que teríamos o que ele quisesse dar e que isso dependeria do bom humor dele. Que devíamos agradecer pelo que ele nos dava porque não merecíamos nem isso.

A dor das privações nem se comparam a dor das agressões físicas e dos xingamentos. Já com quatro anos ganhei meus apelidos carinhosos: “vaca” e “biscate”. Nunca me chamou pelo nome. Ele me chamou assim a vida inteira e eu creio que muito da minha insegurança vem devido a isso. Lembro de uma vez escrevi uma cartinha pro Papai Noel e coloquei que meu sonho era que meu pai me chamasse de “princesa”. Não podíamos espirrar em casa, porque ele tem agonia e nem conversar. Ficávamos sussurrando.

Ele também dava tapas no rosto do meu irmão desde que ele tinha 8 anos. Com 17 anos ele socou a minha cabeça mais de 30 vezes contra a parede  e minha mãe ficou em desespero pedindo pra ele parar.

Esses são fatos que marcaram, mas a violência e o medo eram parte da rotina na nossa casa. Eu me via cada vez mais sem alternativa e esperança pra viver. Sempre fui muito comunicativa e de muitos amigos, mas quando chegava em casa eu me sentia em cárcere. Sentia que não tinha alma dentro de mim, que não havia alegria nenhuma. Acredito muito em Deus e não tinha coragem de me matar, então orei dos 13 aos 17 anos, todos os dias, para que Ele me fizesse morrer. 

Com 17 para 18 anos, renasci: comecei a minha faculdade e era a melhor da turma. Logo consegui um emprego em uma das melhores Agências de Publicidade do estado (sou publicitária) e mudei de cidade, mesmo com muito medo de deixar minha mãe (ele bate muito mais nela quando estão sozinhos).

Encarei essa como a oportunidade da minha vida. E na primeira noite no meu novo quarto (eu dividia apartamento), chorei ao ver as paredes pintadas. Era meu sonho ter uma casa que não fosse de tijolos. Abri a geladeira e tinham frutas que a minha colega de apartamento havia comprado. Laranjas, uvas e banana. Comi também melão, que eu nunca tinha comido, e amei. Percebi que coisas que eram corriqueiras para as outras pessoas, eram preciosidades pra mim. Parecia que eu não era desse mundo e que agora tudo era novo e mais emocionante.

Hoje, passados 6 anos, sou outra pessoa. Muito mais feliz e realizada. Já sou casada e meu esposo é ótimo. Sabe de todo o meu passado e me incentiva a também cuidar da minha mãe. Ela continua casada e tem medo de se separar, mas eu tento dentro do possível melhorar a qualidade de vida dela enquanto ela não toma essa decisão.

Eu nunca mais vi ou falei com meu pai. Sempre vou ver minha mãe em horários em que ele não está. Mas aí entra o problema: ele sofreu um AVC e agora todos os parentes dele (os que falavam mal de nós nas festas), estão cobrando que eu vá ver ele e que eu dê uma mesada mensalmente para ajudá-lo a comprar remédios. 

Eu do fundo do meu coração, não sei o que sinto por ele. Já passou muito tempo e hoje tenho uma vida diferente. Só que não consigo sentir amor. Não sinto que ele é meu pai.

Pelo contrário: sempre que penso em me reaproximar já bate um certo desespero porque ele é sempre cheio de problemas. Grita e agride verbalmente por qualquer coisa e tenho medo de isso me afetar, medo de dar passos pra trás e ficar desestabilizada novamente.

Faço terapia e a profissional que me acompanha diz que é mais que legítimo que eu queira essa distância e que o ideal é eu não me envolver, mas eu fico pensando que talvez eu esteja sendo mesquinha/ruim como ele. E se tem uma coisa que eu não quero é ser como ele. Fico nessa mistura de sentimentos: se me aproximo ou não. Se vale a pena ou não.

Outro ponto é essa ajuda financeira. Meu esposo está desempregado e eu já contribuo enviando mensalmente um pouco de dinheiro para minha mãe. Então nesse momento não consigo ajudar mais. Pensei em falar com meu pai e os parentes dele para vendermos um dos carros dele (ele não pode mais dirigir) e abrir uma conta na qual minha mãe tenha acesso… Assim ela vai cuidando dele, comprando remédios que forem necessários, e teríamos uma reserva caso ele precise de uma cirurgia. Pois da última vez minha mãe pegou um empréstimo para socorrer ele (sem me falar), sendo que ele tem condições financeiras de ir ao melhor hospital do mundo, mas não abre mão do dinheiro dele nem pela própria saúde.

O que vocês acham que devo fazer? Estou perdida e gostaria muito de outros pontos de vista. Inclusive saber se eu estou sendo errada/falha em algo! 

Ele é um maldito!!! UM LIXO DE SER HUMANO. Desculpa, mas é isso! Eu acho que você não deve se reaproximar não, isso vai te abalar COM CERTEZA! Ele vai falar algo que vai te desestabilizar sim e hoje você está tão bem que super entendo esse seu medo de “andar para trás”. E ajudar financeiramente?? Cadê as riquezas dele? Cade a mãe dele que tem todos os bens no nome dela, porque ela não ajuda e tem que ser você? Vende esse carro dele sim, não tem que perguntar nada pra ninguém não, se está ao alcance de sua mãe, que ela faça isso sim. Mas gente, que homem mesquinho até com ele mesmo!!! Peguei ódio! Enfim, cuide da sua mãe, essa bichinha já passou por muita coisa ruim e agora deve estar passando mais ainda cuidado de um homem que a agrediu tanto. Cuide da SUA MÃE e de VOCÊ. Fisicamente e mentalmente. Ajude de longe, mas mantenha sua paz. Fiquei preocupada mesmo é com sua mãe.  E lembre-se sempre de uma coisa, você não é ele, você não está sendo como ele, você é uma pessoa que sofreu muito e que esta se dando a chance finalmente de ser feliz e ter uma vida decente, como sempre mereceu e ele te privou disso. Você não está errada EM HIPOTESE NENHUMA! Força, muita força pra salvar sua mãe e se manter firme e sã para lidar com isso.

 

  • Choras abertos tá? P0de mandar seu desabafo, seu problema, sua angústia para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Seu anonimato será garantido. 
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
92 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto”
  1. Érika08/08/19 • 12h52

    Rita, se tudo que você contou é verdade (sim, pode ser mentira ou ela pode estar aumentando), desejo do fundo do meu coração que o seu pai morra à mingua. Sim, sou ruim e vingativa, me julguem!
    Só tenho duas sugestões: TIRE SUA MÃE de dentro de casa e leve ela pra ficar com você, ela não merece mais passar por isso, e CORTE TOTALMENTE as relações familiares paternas. Não faz o menor sentido o que você disse, se ele tem grana, que pague para cuidar dele, ou a mãe dele que cuide!
    Vão falar de você, vão sim, mas sinceramente, FODA-SE! Se liberte, você está corretíssima.

    • Cristina08/08/19 • 18h09

      Oxe, dizer que a moça tá mentindo… tome vergonha e seja mais empática!

    • Ca09/08/19 • 10h11

      Que falta de empatia, hein moça! Pq a Rita mentiria? Afff! É por isso que muita gente tem vergonha e medo de contar uma história ruim que aconteceu na sua vida, porque sempre tem um como você que vai duvidar da veracidade da história.

  2. Érika08/08/19 • 12h53

    Ah, e complementando a mensagem anterior, ainda processava ele por abuso, porque com toda certeza era isso que ele fazia com vocês!

  3. Isa08/08/19 • 13h19

    Para o Chora 03..
    Estou te respondendo com lágrimas nos olhos. Tenho 30 anos e finalmente tive coragem de ir para terapia lidar com todos os efeitos psicológicos da péssima relação que tive com meu pai.
    Acredito que você tenha passado por uma barra muito mais pesada que a minha.. Mas entendo perfeitamente o que é a falta de amor, carinho e atenção. Meu pai sempre preferiu ostentar carros e bens de consumo do que ajudar em casa.
    Hoje fazem 13 anos que não tenho mais contato com ele.. Sai de casa aos 16, fiz vestibular e hoje sou uma pessoa muito bem sucedida.. Meus pais se separaram 6 meses depois que saí de casa, logo minha mãe teve que recomeçar a vida do zero.. Mas tudo ficou bem. Tudo deu certo.
    E depois de todo esse tempo as pessoas ainda me olham torto como se eu fosse “a filha mal agradecida” que não ajuda nem convive com o próprio pai (porque igual você, perante a “sociedade” ninguém diz que eles são monstros).
    No começo me incomodava muito, mas o tempo me mostrou que o máximo que ele contribuiu pra minha vida foram 23 cromossomos E SÓ! A pessoa que sou hoje só existe porque fui forte o suficiente para crescer com as minhas próprias pernas.
    Eu sei que não é fácil simplesmente riscar a pessoa do mapa.. Colocá-lo no fundo de uma gaveta como se não existisse também não é a melhor opção.
    Hoje o que trabalho muito na terapia é transformar todas essas sequelas em apenas cicatrizes, que estejam lá, mas não doam tanto.. Não é fácil, mas foque na sua família e nas pessoas que te querem bem.
    Espero, de coração, que toda essa situação passe logo e não tire mais a sua paz.
    Fique bem! Fique forte!

  4. Paula08/08/19 • 13h47

    Rita, sinto muito por você! Que história triste.
    É bom saber que você conseguiu dar a volta por cima e se arrancar sozinha do fundo do poço. Saiba que seu pai é um monstro, o que ele fez vocês passarem é hediondo, e que não, ele não merece NADA vindo de você. Nem sua família merece que você dê ouvidos, sinceramente. Essa gente que sabia o que vocês passavam e não fez nada pra impedir sequer pode ser chamada de “família”, eles são tão maus quanto o seu pai.
    Cuide de você, da família que você construiu com o seu marido, da sua saúde mental e da sua mãe. Seja feliz, você merece.
    Quanto ao seu pai, ele está só colhendo o que plantou. Não se envolva. Se ele não quiser vender os bens dele pra salvar a própria saúde, então que tenha o fim de vida sórdido que ele merece. Não honre um pai que não te honrou, só te violentou, te traumatizou e te privou de tudo.
    Cuide do seu coração e fique bem!

  5. Sandra08/08/19 • 13h58

    O MELHOR QUE VOCÊ PODE FAZER É ACABAR COM ESSE CIRCULO, e como faz isso??? Sendo a pessoa que você está sendo e vencendo na vida de todas as formas e caso tenha filhos quebrando isto de vez.
    Cuide do seu marido, cuide da sua saúde mental e cuide da sua mão NA MEDIDA do que pode, não se cobre tanto.
    Eu creio sempre no perdão e que temos que fazer o melhor até por quem não merece, MAS SEU PAI TEM DINHEIRO, E TEM POSSES, que parentes malditos são esses que ficam falando que você tem que fazer alguma coisa ao invés de dizerem que ele tem que vender o que tem e cuidar da saúde dele? Na verdade seu pai tem graves problemas psicológicos também, só pode.
    Dê a ideia do carro SIM e se não fizerem, paciência, a gente não pode carregar todas as dores do mundo.
    Meu pai por exemplo, é um cara INCRÍVEL, um pai amoroso, carinho e muito participativo, merece toda a minha ajuda, mas por exemplo, ele fez um negócio num carro que nenhum dos filhos achou uma boa ideia, agora está meio apertado financeiramente, oras ele é adulto, eu não posso perder minhas noites de sono com isso concorda???? Então quem dirá na sua situação.
    Receba meu abraço bem apertado, você é incrível.
    Sandra

  6. Fernanda08/08/19 • 14h32

    Eu nunca escrevo, mas precisei. Meus olhos encheram de lágrimas no ultimo depoimento. Querida, força. E muitas vibrações positivas. Sinta-se abraçada.

  7. Thais08/08/19 • 14h54

    Fiquei extremamente chocada com esse terceiro Chora! Gente, como pode alguém ser tão horrível assim? Ainda mais com os filhos… Acho que você jamais deve se reaproximar do seu pai, ajuda financeira muito menos, ele não é cheio de bens? Que a família dele ajude! Cuide de você e da sua mãe e não se sinta culpada por isso.

  8. Vanessa08/08/19 • 15h31

    Desculpe, mas ele é casado, sim, você não está querendo enxergar. Para quem superou um câncer, superar uma separação é algo ínfimo. Quanto mais você prolongar esse relacionamento, mais difícil ficará sair dele. Tenha fé e se respeite e respeite a mulher dele também. Aparecerá um homem abençoado que te mereça e que seja do jeito que você merece. Tenha certeza. Será no tempo de Deus. Bjos e boníssima sorte!

    • Camila P10/08/19 • 13h05

      Exatamente. É casado e MAU CARÁTER! Vc não gostaria de estar no lugar da esposa então não faça com ela. Sobre a experiência que passou, procure cuidar da sua saúde espiritual, conhecer as leis que regem o mundo espiritual onde nada fica impune, preocupe-se com você e tenha mais temor. Adultério atrai maldições incalculáveis!

  9. Fernanda08/08/19 • 15h33

    Oi Rita,
    Se perdoe por não querer se aproximar dessa pessoa que ao longo da sua vida não lhe deu nada mais que desprezo. Agora, porque é seu pai biológico (desculpa, mas esse homem não foi seu pai de coração), você tem que passar por cima de todos os maus tratos sofridos e ajudar? Não, não! A vida é uma mão dupla. Ele não teve a consideração em ser seu pai, não se culpe por não ter a consideração em ser filha.

    Agora uma sugestão: ele tem outros irmãos? Se sim, arrume um jeito dele passar as coisas para o nome da sua mãe. Depois que a pessoa falece surge parente até debaixo da pedra para exigir parte do dinheiro. Sei bem disso por experiência própria. E aí esse dinheiro que pode ajudar vocês, vai virar um imbróglio sem fim na justiça (como vai provar que tudo é dele se está no nome da mãe?).

    Enfim, fica bem, cuide de você e da sua mãe. Se dê muito colo, se ame muito, sua criança interna já foi muito maltratada.

    Bjos

  10. camille08/08/19 • 15h35

    Rita, você é uma VITORIOSA!!!! Relatar tudo isso e ainda ter dúvida da sua postura não é para todo mundo não!!!
    Cada episódio narrado ia ficando mais boquiaberta…. e me tocou muito não ter sentido ódio no seu relato.
    No momento você não tem condições financeiras de ajudar mais ninguém, se no futuro o lado financeiro melhorá, reavalia…. não pelos outros, mas por você.
    E tá ligada que se tudo que ele conseguiu tá no nome da mãe dele, se ele morrer antes dela, nada vai para vocês, nem para sua mãe?! Na verdade, parece que ele prefere melhorar a vida de qualquer um da família dele (que serão os herdeiros diretos) que a família construída com a sua mãe.

  11. Paula Pinheiro08/08/19 • 15h50

    Rita, eu não consegui terminar de ler seu relato, e nem consegui ler o comentário da Cony, tamanho desespero que eu fiquei.
    O seu pai não tem algum diagnóstico de transtorno bipolar ou algo do tipo? Não sou psicóloga nem médica, mas isso me pareceu muito sério.
    Vou terminar de ler seu relato, não tenho conselhos, só peço a Deus que abrande as suas dores e da sua família, assim como as suas lembranças. E que você seja capaz de recomeçar sempre, apesar de tudo.

  12. Ana B.08/08/19 • 16h01

    Rita, eu sinto muito você ter passado por tanta coisa ruim na sua infância e adolescência. Fiquei com o coração partido. Ninguém pode te julgar por querer ficar longe e se preservar. Sinta-se uma vitoriosa por ter tido forças para sair da situação e querer ser diferente dele.
    Perdi meu pai recentemente para uma leucemia. Foram dois anos muito difíceis em vários aspectos, mas principalmente o emocional. Se você se envolver nessa situação, saiba que vai ter um desgaste enorme… pense se ele vale a pena todo esse esforço depois de tudo o que te fez passar. Não julgo. E também não te julgaria se você resolvesse se envolver na situação e ser ainda mais diferente dele, mostrar que apesar de tudo o que ele fez de mal para você, seu coração é bom e ele não conseguiu arruinar sua essência.
    Não deixe sua família fazer com que você se sinta culpada. Eles não passaram pelo o que você passou.
    Seu irmão fala o que sobre isso? Ele pode te ajudar, vocês podem conversar já que os dois passaram e estão passando pelo mesmo.
    E sobre o dinheiro, não faz sentido ele ser rico e seu marido estar desempregado e alguém ainda querer que você de ajuda financeira. Não faz o menor sentido.
    Enfim, siga seu coração… não se culpe por nada.
    Boa sorte! Estarei rezando por você!

  13. Josiane08/08/19 • 16h16

    Chora 3: Puxa, que história triste… o pior é que, sem dúvidas, ela se repete por todos os cantos do país.
    Indo direto ao ponto: tem que pensar em você. Se você vai se sentir bem visitando-o, faça. Se não, nem pense no que outros vão pensar. A opinião deles não deve te interessar.
    Se ele acumulou riquezas durante a vida, pra que elas servem? Se não foi pra oferecer algo melhor pros filhos e esposa, não vai ser pra deixar pra sua vó, né? O que você e sua mãe puderem vender, venda. O que não puderem, diga pra sua avó vender, já que está no nome dela! Acho que você não deve dar dinheiro seu, enquanto ele tem dinheiro dele! Quando (e se) acabar, aí é outra história…

  14. Patrícia08/08/19 • 16h34

    Rita, sinta aqui meu abraço apertado e minhas energias e vibrações por você, sua mãe e seu irmão. Sinto muito, muito mesmo, pelo que vc passou junto da sua mãe e irmão. Desejo que a vida seja muito generosa com vcs depois de tudo isso. Não dá pra colher maçãs plantando esterco – o que seu pai está passando certamente é decorrência do que ele plantou e essa história é dele. Não se culpe, acolha genuinamente o que está sentindo em respeito a vc mesma e aos que ama. E se vc quiser fazer algo por ele, não espere nada em troca e faça de uma forma a proteger vocês, sem se expôr e abrir feridas tão doloridas. Que Deus te guarde e te proteja. Cuide de sua mãe e sigam juntas. <3

  15. Taty08/08/19 • 16h37

    Chora 1:
    Que depoimento! Olha, eu ficaria com ele sim! É dele que você mais precisa agora. E dê um voto de confiança na sua relação. Vai dar tudo certo!

  16. Ana Luiza08/08/19 • 17h21

    Eu não concordo com o conselho da Cony no caso 1, pelo simples fato de ela ter falado que eles só se veem durante a semana, fim de semana não dá. Quem fica do seu lado, em um momento tão delicado, de sexta feira à noite até segunda feira de manhã? Espero muito que você seja curada do seu câncer e possa ter uma vida boa e longa, mas imagina se algo de pior acontece e vc fica internado por um longo período? Ele vai ficar do teu lado só em dia útil? Vc quer mesmo passar o resto dos teus dias ao lado de alguém que provavelmente está mentindo pra vc, e mesmo que não estiver, alguém que não se compromete contigo o suficiente a ponto de apresentar pra família ou passar os fins de semana com você?

  17. anne08/08/19 • 17h25

    Chora 3 – Rita
    Minha querida, eu fiquei com o coração partido de ler seu relato e por isso, quero te contar um pouco da minha historia (um pouco parecida com a sua) e de repente, isto pode te dar algum alento.
    Minha mãe engravidou de mim e meu pai, que era seu namorado na época, não assumiu a criança (eu). Minha mãe me deu para uma família para cuidarem de mim, dizendo que se estruturaria e me pegaria de volta depois de algum tempo. Minha vida nesta casa era terrível, pq eu não era tratada como filha e sim, como uma agregada. Os filhos deste casal me mandavam embora, me maltratavam muito e eu ficava quieta, pq não tinha como ir embora. Minha mãe sumia meses, depois aparecia, dava algum dinheiro e ia embora. Ela não se importava comigo. Me prometia as coisas, me enchia de esperanças e sumia. Uma vez ela me prometeu uma bola (era meu sonho!), eu fiquei esperando… dai ela disse que uma criança pediu a bola e ela deu. Até hoje lembro disso. Esta coisa de sentir vontade de comer as coisas, de ter as coisas, de se sentir incluso era terrível para mim. Via meus meus primos bem arrumados e eu tinha uma única roupinha para sair. Parece bobo, mas dói. Pois bem… eu cresci e me tornei uma adulta muito bem sucedida. Dai …minha mãe e sua família começaram a me pressionar, pq queriam que eu cuidasse dela, que ela deveria ir morar comigo, que eu tinha obrigações para com ela. O fato é que ela começou a dar trabalho e a família logo pensou em empurrar o problema p mim (igual estão fazendo com vc). O que eu fiz? Ela não quis a responsabilidade de ser minha mãe quando deveria, logo, eu não tenho nenhuma responsabilidade em cuidar dela também. Simples assim. não se abale por julgamentos. Não sofra. Se ele fez da sua vida um inferno, deixe-o prestar contas com a vida e cuide de sua mãe. Um beijo e vá em frente!

    • Danoninha14/08/19 • 15h59

      Li sua história. Trabalho, na Vara de Família, e vejo muito casos. E o seu caso me tocou, não posso julgar seus sentimentos de dor e sofrimento. Só vc sabe, as feridas que carrega, pela tua história. Mas, queria te dizer, que sua mãe tentou fazer o melhor que pode por vc, ao te deixar sendo cuidada em uma família. Essa família, não foi acolhedora contigo como deveria. Se me permite, sugiro, a vc, terapia, para que acalme seu coração, e transforme essas feridas em cicatrizes, e perdoe sua mãe, cuide dela, faça o que ela não fez por vc, ou, ” o que ela não pode fazer por vc”. Não seja como ela, não se transforme no que as pessoas fizeram a vc. Copiei de um outro comentário, que achei interessante, e colei aqui, somente para reflexão, e peço, desculpa a vc se pareço faltar empatia com a tua história ou o teu sofrimento. Mas acredito, que tudo que passamos nessa vida, tenha um propósito, (não merecimento, pois no seu caso era somente uma criança, e necessitava de proteção, carinho e amor), no sentido de um evolução espiritual.
      “alimentar mais ódio e dor no coração da menina não contribui em NADA com tudo que ela passou. NADA. Se eu vejo uma pessoa agonizando na minha frente eu nao vou buscar a ficha dela e julgue se ela merece ou não a minha ajuda. O pai dela é doente, principalmente psicologicamente. Devemos ter compaixão. Mesmo que em nossa consciência terrestre seja difícil compreender um sentimento assim (lembrando que não estou dizendo que agora temos que idolatrar o cara pq ta doente. Isso nunca). Mesmo que ele não tivesse tido um AVC, o sentimento de vingança JAMAIS deve ser alimentado. Perdoe. Perdoe dentro de você e faça o que o seu coração manda. Não vire as costas. Mesmo sendo a pessoa mais podre do mundo, você so está viva porque seu pai te deu a vida. Faça o que tem que ser feito. Não porque ele merece. Mas porque és uma pessoa boa e terás sempre a consciência de que fez o que deixaria seu coração em paz”. (Autora, extrai dos comentários).

  18. Malkavian08/08/19 • 17h28

    Menina do céu, esse terceiro caso é um dos mais pesados que já vi nesse quadro. Meu bem, não é pq ele biologicamente é seu pai que ele é de fato sua família. Como a Cony mesmo disse, ele é um maldito! E você sabe disso. Olhe o tanto que ele negligenciou vocês com as condições que ele tem, eu nunca perdoaria. Você conseguiu dar a volta por cima e se estabilizar, não se aproxime dele pra que ele tente destruir com palavras más o que você construiu sozinha com sua força de vontade. Cuide da sua mãe e deixe que as más línguas falem o quanto quiserem que você está negligenciando esse homem, pq você não deve nada a eles e principalmente a ele! Você sabe o que passou e sabe que não precisa fazer isso. Espero que consiga paz de espírito plena, você e sua mãe. Força.

  19. Ana Luiza08/08/19 • 17h32

    Gal, acho que vc tá namorando meu ex! Kkkk
    Ele era exatamente assim, pra mim acabou ficando insustentável. Fui aos poucos percebendo que, além de não fazer questão de me agradar no sexo, ele também não fazia questão de me agradar em outros momentos também. E também tínhamos varios planos, momentos legais e tal, mas eu via que colocava muito mais empenho do que ele pra fazer a relação ser legal. O esforço q mais que eu fazia no sexo, os toques que eu tentava dar, eram só um reflexo de todo o resto. Presta atenção nesses outros sinais!

  20. Joana08/08/19 • 17h43

    Oi, Elis! Sinto muito pelo que está passando. Já tive vários casos de câncer em minha família e sei o quanto é duro. Mas força e fé que você vai se recuperar! Confie em Deus. Acho que nesse momento você deve se cercar das pessoas que te fazem bem. Que se preocupam com você. Que se importam com você. E querem o seu bem. Sobre o namoro, achei estranho ele não ter comentado que a ex-mulher iria junto na viagem. Como a Cony disse, não vejo problema algum em eles fazerem programas juntos já que tem 2 filhos, mas acho que tudo deve ser comunicado e o mais transparente possível, para evitar qualquer problema futuro. Vou te falar do meu caso. Comecei a namorar meu ex-namorado cerca de 1 ano depois que ele havia se separado da ex-mulher. Eu frequentava a casa dele, conhecia alguns amigos, mas fiquei anos sem conhecer a família. Acho que uns 5 anos. Nesse meio tempo ele não morava mais sozinho, me dizia que morava na casa da irmã, só que eu não conhecia essa irmã, nunca tinha ido na casa dessa irmã. Só sei que tempos depois descobri que ele não morava com irmã coisíssima nenhuma e sim tinha voltado a morar com a ex-mulher. E quando descobri ainda teve a cara de pau de dizer que os dois estavam voltando. Enfim, ainda ficamos mais um bommmm tempo juntos entre idas e vindas (!!!!!) mas hoje já não estamos mais juntos. Às vezes me cobro que deveria ter terminado tudo neste exato momento. Não me valorizei. E sofri muito depois. Pois ele voltou a me trair, inclusive com outras mulheres. Enfim, essa é a minha história. Cada história é uma história. Cada escolha, uma renuncia, como dizem. O que posso dizer é que só você pode tomar essa decisão, mais ninguém. Luz no seu coração, você vai saber tomar a melhor decisão. Bjs!!!!

  21. Cynthia08/08/19 • 17h46

    Rita,
    sem condições vc ajudar financeiramente seu pai. Primeiro pq ele tem posses (carros e imóveis) e é pra isso que deve ter guardado, já que nunca proporcionou vida confortável pra família. Segundo, vc não está em condições. Terceiro, hora de sua mãe tomar as rédeas. Interdita o marido e toma conta do dinheiro.
    Acho q vc tem ser racional e prática!

    • Gabriela08/08/19 • 21h56

      Eu ia dizer EXATAMENTE isso… interdita o maluco e toma rédea.

  22. Tati08/08/19 • 18h13

    Desculpem, mas a terceira história parece tão fantasiosa…

    • Ana Luiza08/08/19 • 18h41

      Eu achei também…

    • Tata08/08/19 • 20h23

      Também achei… Por isso não vou nem opinar.

    • Erika08/08/19 • 22h22

      Eu disse isso lá no primeiro comentário, achei meio estranha também. Me parece uma versão distorcida, algo assim.

    • Ca09/08/19 • 10h25

      Gente, vocês precisam sair da bolha de vocês! Infelizmente existe gente ruim no mundo, sinto informá-las. E histórias tão ruins ou piores do que essas. Não acontecem só nas novelas, tá?! Pratiquem a empatia e percebam que existe muitas coisas ruins que vão além das histórias das pessoas dos seus círculos de amizades. É por pessoas como vocês que tem gente que tem medo de contar suas histórias, sempre tem alguém que vai duvidar da veracidade… O mundo não é cor de rosa.

      • Tati09/08/19 • 17h20

        Juro que não me falta empatia: perdi meu filho de 22 anos assassinado, há pouco mais de um ano e meio, ele foi usuário de drogas, se envolveu com pessoas e caminhos que não o ajudaram. Dele fui mãe solteira, com um pai super ausente, vim de família muito humilde…enfim! Mas não vim contar minha história. Só achei a narrativa estranha. Isso não faz de mim uma pessoa pior ou menos empática. Ah! Diferente de você, que acha que eu posso viver numa bolha, eu evito julgar. Nunca se sabe, né?

        • Ca15/08/19 • 14h43

          Tati, você não evita julgar, tanto que está julgando a história da menina pela sua vivência!

    • Joana09/08/19 • 15h08

      Gente, mas a troco de que ela mentiria? Não entendi o raciocínio de vocês…

  23. Laura08/08/19 • 18h17

    Gente! To chocada com o depoimento da Rita! Meu Deus, esse homem é um monstro! Rita, no seu lugar eu colocaria na justiça esse indivíduo pra tirar dele o máximo dinheiro que eu conseguisse ! Se dinheiro é a única coisa q importa na vida dele, só assim ele vai conseguir imaginar o mal que fez pra vocês. E o seu irmão? Como está? Vocês têm que reclamar pelo que é de vocês por direito antes que seu pai parta dessa pra pior, pois quando sua vó falecer todos os seus tios vão cair em cima e vocês ficarão novamente sem nada. Fica bem e sinta-se abraçada.

  24. Pollyanna08/08/19 • 18h24

    To com peninha das outras meninas, pq todo mundo só quer comentar no da Rita kkkkk
    Super compreensível, esse caso foi inacreditável mesmo 🙁

    Mas sobre o 1, eu acho mesmo que ele é casado, sim. Já passei por uma situação semelhante, em que também não queria enxergar, e ficava inventando milhões de desculpas pra mim mesma. No fim, consegui terminar, e foi melhor assim.
    Mas, olha…. por mais que eu seja contra ficar com caras casados, acho que seu caso ter umas particularidades que o tornam mais delicado, não tão “preto no branco”.
    Você está passando por uma barra pesadíssima, uma dor horrível, uma sensação de insegurança absurda, um medo da morte latente. Então, se a presença dele está te fazendo bem, e está te dando forças para vencer essa doença, eu não terminaria, não. Eu esperaria me sentir mais forte, e, quando tudo passasse, aí sim, colocaria ele contra a parede: é casado? Então muito obrigada por todo o apoio na doença, mas não é isso que quero pra mim. Adeus.
    Mas, até lá… eu seguraria. Por mais que a gente tenha, sim, nossos princípios morais que nos alertam quando estamos fazendo coisas erradas, e por mais que a gente tenha que se preocupar com a (possível) esposa dele SIM (afinal, sororidade não é bonitinho só pra lacrar na internet, né, gente?), eu acho que sua saúde vem em primeiro lugar. Eu esperaria.

    Sobre o chora 2: Mulheeeeeer, se vc já deu as dicas e ele não apenas não melhorou, como ainda ficou meio boladinho querendo reviver dramas do passado, isso tá gritando o que? Imaturidade, insegurança! Sexo não é tudo, mas é mega importante sim! Ter alguém legal e companheiro ao lado, mas que não serve pra transar, então é melhor ter um amigo, não? Não subestime a importância do sexo, a tendência com o tempo é só piorar! Eu chamaria pra uma conversa séria e definitiva. Diz o peso que isso tá tendo pra vc, e se não melhorar num certo período CURTO de tempo… bora pra próxima!

  25. Raissa08/08/19 • 19h01

    Chora 3:
    Eu espero que você possa perdoá-lo, mas não precica conviver e nem aceitar o modo como ele age. Não ajude e nem visite, essa pessoa já te fez tanto mal que pra te derrubar novamente basta 10 segundos! Não fique mal pq os parentes falam mal e julgam vc, isso diz muito mais sobre eles do que vc…Se seu pai tem dinheiro, que ele banque os remédios. Agora como a Cony disse, se puder tirar sua mãe de lá, tire. Deixava ele pra trás com todas as riquezas e infelicidade dele. Vcs merecem ser felizes e viver a vida em paz!

  26. Debora08/08/19 • 19h23

    Para o terceiro caso: Não retome a relação com seu pai. Não o procure e tire sua mãe o mais rápido possível de perto desse lixo.
    Quanto a dar uma pensão mensal, sim. Se alguém “espertinho” orientá-lo, ele pode pedir isso judicialmente e sim (pasme), você é obrigada a prestar alimentos. (Isso me revolta).
    O AVC dele o incapacitou? Pergunto pq, de repente, você pode levar sua mãe a um advogado e entrar com um processo de interdição. Sua mãe explica os efeitos do AVC, comprova e explica também essa questão dele ter dinheiro. Pq aí, de quebra, já te resguarda de ter que pensionar esse FDP.
    Procure um bom advogado experiente em direito de família. E se eu fosse você estaria rezando pra essa pessoa morrer. Mas é aquilo: aqui se faz, aqui se paga. O dele tá só começando.

    Ps: quanto aos parentes do seu pai, corte todo e qualquer tipo de relação. Você não precisa deles pra absolutamente NADA.

  27. Ju08/08/19 • 19h48

    Rita, naoooooo se aproxime. Vc não tem obrigação nenhuma. Se ele quer morrer com dinheiro guardado o problema é dele.
    Parabéns por conseguir ser uma pessoa decente e feliz depois disso tudo. Vc é forte e guerreira

  28. Cristina08/08/19 • 20h07

    Caso 3: Rita
    Pensei em algumas coisas
    #1: colocar bens em nome de uma idosa! Quando ela morrer vai ter que dividir com todos filhos dela! Ele pensou/sabe disso? Sua mãe ficaria à míngua.
    #2: O Estatuto do idoso preconiza que a responsabilidade do idoso é da família (leia-se filhos) se ele tem bens eles devem ser gastos para a saúde dele! Não sei se é o caso mas dependendo do abandono da família/filhos ao idoso a promotoria de justiça pode ser acionada por denúncia por exemplo. Na ocasião vc deve mencionar esse “abandono”na infância.
    #3: Acho que seu pai ainda vai sofrer muito pois “colhemos o que plantamos”
    Cuida da sua mãe e irmão! Terapia em todo mundo!

  29. Mel Klein08/08/19 • 20h36

    Moça do chora 3, sinta-se abraçada. Espero que seu irmão tb esteja bem.

  30. Rita do Chora08/08/19 • 20h39

    Boa noite, pessoal! Tudo bem? Sou a Rita do Chora e a Constanza pode comprovar isso, pois estou comentando com o mesmo e-mail pelo qual enviei o texto.

    Quero agradecer a todos os comentários de amor. Sei que não fui a única a viver em uma família “desajustada” e receber carinho e conselhos de outras pessoas me conforta muito.

    Algumas pessoas também desacreditaram do que eu vivi e como resposta apenas digo que já esperava por essas reações.

    Gostaria de deixar claro que sou uma profissional que lida com a internet o tempo inteiro (sou publicitária, coordenadora de uma Equipe de Marketing Digital) e nunca contribuiria para esse universo tão tóxico com mais uma história inventada. Muito menos com uma tão dolorosa e difícil de contar – e de ler.

    Cresci acreditando que tudo era normal e que todas as pessoas passavam pela mesma coisa. Depois, quando tive consciência de que as coisas não eram assim, não procurei ajuda porque achei que as reações seriam exatamente essas. E tudo bem. Se expor é estar suscetível ao concordar e discordar.

    Como atualização da história, gostaria de falar que meu pai melhorou e está recuperando os movimentos. Minha mãe o ajuda diariamente a se alimentar e o leva para passear todas as manhãs.

    Um dos imóveis dele é alugado para uma farmácia, então ficou acordado que minha mãe poderá pegar o aluguel em forma de medicamentos, caso ele precise. Não houve acordo para a venda do carro.

    Estamos em contato com um advogado para nos orientar em relação aos direitos dela e o que pode ser feito. Ela não tem coragem de optar pela separação por medo, mas espero que em breve tudo se resolva.

    Eu não tenho mágoa ou rancor do meu pai. Ainda não fui falar com ele pessoalmente, mas penso em fazê-lo em algum momento. Quero que ele saiba que está perdoado e quero reafirmar para o meu coração que o que aconteceu ficou para trás.

    Mais uma vez: obrigada as que leram e me mandaram coisas tão lindas por aqui. Reescrever esse texto foi reviver memórias que eu não gosto de ter, mas foi libertador ao mesmo tempo.

    Revi minha fragilidade. Abracei aquela menininha que tinha medo do futuro e das agressões. Me curei mais um pouco enquanto isso.

    (Obrigada!)

    • Sara08/08/19 • 22h00

      Rita do chora, a não ser que seus pais sejam casados no papel com separação total de bens, sua mãe tem direito a metade do que é dele. É dona de metade. E vocês podem brigar em juízo pra provar a fraude no registro feita pra burlar os direitos dela. Muitos advogados trabalham com base em percentual no êxito da ação, não necessariamente vai te custar mundos e fundos.
      E eu realmente discordo de quem disse aqui que você tem obrigação alimentar. Para que haja obrigação de prestar alimentos/pagar despesas etc, deve haver necessidade por parte dele. Se ele tem bens e patrimônio (ainda que no nome de outros por fraude), ele não tem necessidade.
      Obrigação sentimental você não tem nenhuma.
      Enfim, como advogada, sugiro procurar um advogado de família. Vocês têm mais direitos do que imaginam nessa história.
      E melhor brigar pela parte da sua mãe agora enquanto ele ainda é vivo.

    • Bárbara08/08/19 • 22h17

      Rita, primeiramente gostaria de dizer o quão forte você é por expor tamanho sofrimento aqui no blog. Muitas vezes só o fato de conseguir falar sobre a dor já liberta. Com certeza você não merece viver em meio a tantos abusos e violências. O que eu queria ressaltar e enaltecer é a sua força de conseguir sair dessa situação e viver sua vida. Isso é uma GRANDE, IMENSURÁVEL vitória, pois inúmeras pessoas vivem relacionamentos abusivos, tanto amorosos quanto familiares e não conseguem sair desse ciclo por mais que tentem. É muito simples ler um resumo de anos de sofrimento e falar para você largar seu pai, mas o que quero te dizer é que ele não é sua responsabilidade. Não se sinta na obrigação de ser para ele quem ele não foi para você porque esse não é o seu papel. Entenda que só podemos fazer por alguém até certo ponto, até onde a outra pessoa permitiu. Às vezes, por mais dolorido que seja, temos que entender que as pessoas colhem o que plantam. E está tudo bem, você fez o que pode para viver sua vida da melhor forma possível e agora está conseguindo viver o que nunca viveu. Não se culpe e nem deixe que opiniões de outras pessoas te afetem, pois você já demonstrou o tamanho de sua resiliência. Quanto à sua mãe, acredito que inúmeras situações dificultem o afastamento dela deste relacionamento. Não é possível julgar tudo o que ela passou e ainda passa, mas é possível dar todo o apoio que ela precisar e estiver ao seu alcance. Se for possível, procure algum serviço de psicologia na sua cidade, as faculdades de psicologia geralmente possuem uma clínica gratuita e só o fato dela ter alguém com uma escuta sem julgamento pode amenizar muito o sofrimento dela. Estabeleça um limite para si mesma do que você pode fazer pela situação sem perpetuar esse sofrimento e deixar essa sensação de responsabilidade contaminar tudo o que você lutou tanto para conquistar. Desejo muita força, que você esteja cercada por uma rede de apoio maravilhosa que te ajude a resolver essa situação da melhor forma possível!

    • Carol09/08/19 • 03h20

      Quem duvida da verossimilhança da sua história é pq tem zero contato com público, pessoas, com universo alheio ao seu próprio. Digo isso pq sou defensora pública e atendimento ao público no núcleo inicial família ouvimos muitas histórias similares ou outros tantas diferentes que para alguns podem parecer fantasiosas. Quem afirma isso falta leitura, seja de leis, de jornais, de livros e principalmente contato humano. Infelizmente a omissão no cuidado c as crianças não é só do Estado, é também da família e da sociedade. Aproveito o seu caso pra alertar quantas vezes percebemos no vizinho alguma situação de negligência envolvendo criança ou adolescente e ninguém aciona ou Conselho Tutelar ou Defensoria Pública ou Ministério Público. Está na nossa Constituição que o dever de proteger menores de idade é do Estado, família e sociedade. Então, quando perceber ou presenciar situações como a do chora por favor comuniquem as instituições que mencionei. No caso da Rita uma visita in loco, uma intervenção poderia ter pelo menos amenizado a situação. Vou usar seu exemplo para empoderar crianças/adolescentes, obrigada pela coragem de compartilhar!

    • Ca09/08/19 • 10h36

      Rita, sinta-se abraçada! Desejo de coração que vc continue com essa sua força, sempre em frente e crescendo. Admiro muito quem consegue sair tão bem quanto você de situações tão ruins, mesmo que fiquem sequelas. Que todas as Ritas dêem a volta por cima!

      • Ana Banana09/08/19 • 16h58

        RITA DO CHORA,

    • Rafa09/08/19 • 15h15

      Rita do chora….. desculpe a falta de empatia de algumas, mas me alegra ver que hoje já são a minoria. Sororidade e isso….. fico feliz por vc não guardar mágoas, eu não conseguiria. Mesmo lendo seu texto não senti rancor em nenhuma das palavras. Não se aproxime novamente dele, ele não merece e você tb não! Viva em paz. E que sua mãe tenha força de sair deste relacionamento abusivo. E a realidade de muitas mulheres que não conseguem! Não tem forças!

      Sinta-se abraçada!

    • Ana Banana09/08/19 • 17h04

      RITA DO CHORA, primeiro sinta-se abraçada… parabéns por ter se tornado essa mulher que voce é hoje!
      Agora, indo um pouco na contramão do que foi dito, fico feliz que vc não guarda mágoas do seu pai. Acredito que por mais ruim que ele possa ter sido, ele teve os motivos dele. Não que isso justifique, é claro, mas pode ter sofrido privações na infancia, ter algum disturbio mental, enfim, não se torne como ele, mostre que a compaixão e o perdão são melhores que o rancor. Acho que voce pode contribuir com a situação de forma prática/administrativa, e não financeiramente. Explico: arrume um advogado, veja como passar os imoveis para sua mãe, vc, seu irmão; interdite seu pai, se possível; venda já o que pode; ajude sua mãe (leve para fazer mercado, se ela não tiver como ir, passei com ela, pra tira-la de casa um pouco); etc, esse tipo de coisa. E volte aqui com atualizações!!

    • Adriane09/08/19 • 18h05

      Menina, vc é um exemplo. Chorei muito lendo sua história, sou mãe de um bebê de 3 meses e não consigo entender como um ser humano pode tratar outro assim, ainda mais seus próprios filhos. Que você colha tudo de bom que tem plantado, que vc seu irmão e sua mãe sejam muito felizes. Daqui te envio muita energia positiva!

    • Stefanie11/08/19 • 03h29

      Te aplaudo de pé rita!

  31. Carolina08/08/19 • 20h48

    Sobre o Chora 3. Procure um advogado e peça a interdição dele, para vc ou sua mãe cuidarem da saúde dele e da saúde dela tbm. Acredito que ele não tenha condições de responder por si!

  32. Juliana08/08/19 • 21h21

    Chora 02: termina! Você já conversou com ele, já explicou e nada. Ele não vai mudar e o sexo vai ser sempre assim. Capaz até de piorar com o passar do tempo.

    Chora 3: tem mt gente achando que a história é mentira. Mentira ou não, vou comentar. Não se sinta culpada de se afastar do seu pai ou de não ajudá-lo. Eu acredito que amor é uma construção. A gente não ama nossos pais pelo simples fato de ele serem nossos pais. Tem mt gente que julga a família quando vê uma pessoa idosa sozinha, abandonada pelos familiares, mas ninguém sabe o que aquela pessoa fez durante a vida. Pode ter sido uma péssima pessoa, péssimo pai, ai querer que a família ajude e se importe é mt fácil. Eu no seu lugar mandaria a família cuidar da própria vida quando viessem falar que você deveria ajudar seu pai. Ninguém intercedeu a seu favor quando vc era criança e seu pai, nadando em dinheiro, não dava o essencial. Pelo contrário, julgavam vc e seu irmão porque vcs só comiam nas festas. Aí agora vem de graça achando que vc tem que ajudar seu pai? E pra piorar, ele tem condições financeiras, se tá ferrado é porque quer. Se afaste dessa família tóxica. Viva sua vida, ajude sua mãe como pode e siga sua vida.

  33. Aline08/08/19 • 21h41

    Rita, primeiramente sinto muitíssimo por tudo que você teve que passar e fico muito feliz que você conseguiu dar a volta por cima e é uma pessoa boa. Só pessoas boas ao menos se questionam se estão certas, se devem fazer diferente… Sobre perdoar ou não o seu pai, eu tentaria perdoar, para não permitir que o que aconteceu o passado tenha o poder de continuar ferindo você, MAS perdoar não significa esquecer. Você não é obrigada a conviver com ele.
    Sobre os parentes: “engraçado” que quando seu pai maltratava vocês não tinha um pra interferir, dar palpite… Mas agora querem falar o que você deve ou não fazer? Pq eles não aconselham sua vó a vender os bens em nome dela e ajudar seu pai?
    Tente fazer o máximo pela sua mãe, principalmente quanto aos bens em nome da sua vó. Como outra pessoa já falou, eu tentaria a interdição do seu pai, trataria de convencer a vó a passar os bens para o nome do seu pai ou melhor ainda da sua mãe. Pq se a sua vó morrer, vocês até terão direito, mas dependendo da quantidade de irmão bem menos… O que acaba prejudicando sua mãe. Você é uma pessoa boa, espero que tenha uma vida muito feliz pq você merece e não deixa ninguém te culpar por nada!

  34. Ana08/08/19 • 21h54

    Chora 3: Rita! Acorda menina! A primeira coisa que você deve fazer é contratar um advogado e entrar com um pedido na justiça para ser a representante legal do seu pai, já que ele está (ou sempre foi) incapacitado. Daí você pega os bens e etc e passa para a sua mãe, já que existem meios de provar legalmente que eles não são da sua avó! Falando em avó, cadê essa danada para ajudar o filho?
    Mas enfim, depois disso feito, eu colocaria ele em uma clínica e ajudaria minha mãe a ter um novo início de vida, já que financeiramente ela estaria ok. Esse terceiro passo é realmente muito relativo. Mas te aconselho a tomar essas duas primeiras atitudes até também pela intenção de evitar problemas legais bem maiores no futuro ou até o acúmulo de dívidas!
    Te desejo tudo de melhor! Você merece! Beijo!!
    Os: depois passa aqui para dar notícias tuas <3

    • Flavia09/08/19 • 07h17

      Perfeitas colocações também!

  35. Roberta08/08/19 • 23h03

    Caso 3: os mesmos familiares que não cuidaram e ajudaram você e sua mãe, são os que estão te culpando agora.
    Corte relacionamento com eles o quanto antes, cuide da sua mãe e venda TUDO o que for possível vender do seu pai.
    Se a sua avó não deixar, então larga esse monstro sozinho. Ele não merece um segundo da sua preocupação. Viva sua vida, siga em frente, cuide da sua mãe e vá ser feliz. Fique bem.

  36. Flávia09/08/19 • 07h14

    Rita, sinto muito pelo que você passou.
    Lamento que seu pai seja uma pessoa tão equivocada, dando valor a coisas que não importam nada, em detrimento do que realmente tem valor. Sinto pena dele por isso. Passou pela vida sem experimentar das melhores coisas da vida, que é o amor de um filho, o aconchego de uma família. Imagino que história triste ele próprio não deve ter tido quando criança pra desconhecer a alegria que é o amor. Ainda mais considerando que a mãe dele esteja viva, com o dinheiro dele, e não o ajude.
    Fico feliz que, apesar de tudo isso, você tenha dentro de você o amor que não recebeu dele. Espero que você entenda que a incapacidade de amar é uma marca lamentável dele, que nada tem a ver com você ser ou não “amável”.
    A decisão de ajudar ou não é absolutamente individual e espero que você consiga decidir por ajudar ou não seguindo só o seu coração sem culpa e sem pensar em julgamentos. Se decidir ajudar, que seja por pura caridade, sem esperar que isso sirva para ele como algum tipo de lição ou aprendizado, ou que desperte nele algum reconhecimento. Certamente não vai, porque ele já mostrou ser incapaz de sentir remorso antes. Se decidir ajudar, pense se poderia fazer isso de maneira anônima e a distância. Pode te ajudar a ver se o que você espera com isso é ter um pouquinho de reconhecimento dele. E se for, sugiro que não faça, porque provavelmente só vai aumentar a sua dor.
    E se decidir Não ajudar, que seja com a tranquilidade de quem não quer colocar mais dedos nas próprias feridas e que resolveu olhar pro lado saudável e recompensador da vida. Não há nada de errado nisso! É mais que natural que você queira se proteger e investir seu tempo, energia e dinheiro em pessoas e coisas que te fazem bem! Que Deus abençoe a sua decisão e a sua vida!

  37. Flavia09/08/19 • 07h18

    Perfeitas colocações também!

  38. Thais09/08/19 • 08h02

    Nunca escrevo, mas precisei. Sinceramente eu processaria seu pai se fosse você. E se você não sente necessidade disso, entraria com um processo de interdição para que sua mãe conseguisse cuidar dos bens/saúde dele. Como advogada, objetivsmente penso assim. Eu não me envolveria e muito menos daria ouvidos a esses parentes. Só nós sabemos a cruz que carregamos e ouvir quem não quer nossa bem mão ajuda em NADA. O ideal seria levar sua mãe para perto de você e esquecerem que ele existe, mas não podemos decidir por ela né? Vou rezar por vocês. Deus abençõe.

  39. Nat09/08/19 • 08h30

    Rita do céu…lembrei da minha orientadora na faculdade que tinha uma relação péssima assim com o pai, ele foi muito mau para ela a vida toda, lembro até hoje, no dia que ele morreu ela me escreveu dizendo que não sabia se sentia triste ou aliviada de não ter mais alguém tão ruim na vida dela.
    Sendo prática: vende o carro dele sim e dá o dinheiro na mão da sua mãe. Não precisa consultar nenhum fdp da família pra fazer isso, faz e pronto.
    Não se aproxime, ajude de longe (se quiser) em consideração à sua mãe.
    NÃO É PQ A PESSOA TEM O MESMO SANGUE QUE O NOSSO QUE SOMOS OBRIGADOS A AMAR, principalmente alguém que te tratou tão mal a vida toda.

  40. Luciana Fuertes09/08/19 • 09h05

    Que história pesada desse pai. Que ser humano doente. Triste é saber que existem outros por aí…

  41. Renata09/08/19 • 09h37

    O que eu não entendi no caso da Rita foi o fato do pai dela ser quase milionário e as pessoas estarem te pedindo ajuda financeira. Não fez muito sentido. Mas se for o caso dele esconder os bens que tem, acho que a melhor maneira seria verificar o que pode ser feito com um advogado para, de alguma forma, sua mãe ter gestão sobre esses bens.

  42. Camila09/08/19 • 10h10

    Para o terceiro chora. Concordo totalmente com a Cony! Vá ser feliz e não volte ao passado que te traz sofrimento! Não tive um bom pai, apesar de não ter sido tão ruim quanto o seu. Mas sempre foi um pai ausente, mesmo morando sob o mesmo teto, que nunca se preocupou com os filhos, seja materialmente, seja afetivamente. O pouco que fazia por nós, filhos, sempre foi alegado! Senti um alívio quando passei a não morar mais com ele. Hoje sou casada e tenho meus filhos. Não quero contato com ele.

  43. Ana09/08/19 • 11h16

    Para o chora 2: não vale a pena permanecer nessa relação.
    Eu passei exatamente por isso. Eu tinha um namorado super legal, tínhamos bons momentos, uma pessoa ótima, mas o sexo era péssimo. Chegava a me machucar e eu sempre chorava depois… Também tentei conversar, mas ele dizia que eu piorava o clima com as conversas.
    Bem, depois de um tempo, ele terminou comigo. Os motivos eu nunca soube na real, mas o relacionamento já estava bem fraquinho. No momento, chorei, achei q fosse morrer. Mas a vida é linda!!!! Entrei de cara na vida de solterisse e conheci o que é sexo de verdade! Meninaaaa, conheci uns boys tão maravilhosos!!! Acredite, sim, existem homens mais do que dispostos a te verem virando os olhos.
    Hoje, estou com outro namorado, escorpiano, que faz mil maravilhas e topa tudo que eu tenho vontade!
    Amiga! É sério! A vida é maravilhosa! Merecemos gozar muito! Arrume um parceiro que também acredite nisso!

  44. Débora09/08/19 • 11h19

    Chora 1:
    Elis, leia novamente o seu relato e veja o que você escreveu: “Se fosse em outra situação, ou com outra pessoa, eu terminaria ou aconselharia a pessoa a terminar.” E pense se na verdade esse não é o conselho que você está dando a si mesma. Faça o possível para procurar uma boa terapeuta, ela vai te ajudar muito a organizar o que você vem pensando, e com a questão da doença também. Acho que a sua cabeça e o seu coração não são tão diferentes como você imagina. Se cuide, que Deus te abençoe e te dê muita saúde!!

    Chora 2:
    Você relatou que fora esta questão, ele é um cara maravilhoso, não tem do que reclamar, então se é apenas esta a questão, converse novamente com ele, quantas vezes forem preciso, talvez procure outras formar de falar isso com ele. (ou então comece a negar, pra ver se ele se liga). Me parece que ele está precisando de ajuda nessa questão sexual, talvez ele não saiba o que fazer. Esses temas são meio delicados, mas não deixe passar, é importante resolver. Agora pensei até em terapeuta sexual, algo assim, ou no mínimo quem sabe aquela série do Netflix, SexEducation. Assista com ele como quem não quer nada. Se ele não se importar ou não fizer nada para melhorar, parte pra outra.

    Chora 3.
    Que história!!! Rita faça o que estiver ao seu alcance, o que se sentir confortável, e só. Talvez troque uma ideia com seu irmão sobre isso. Tem gente também falando para você cuidar da sua mãe, levar ela para morar com você. Eu não concordo. A sua questão não era nem essa. Não é responsabilidade sua fazer isso. Sinceramente, tem coisas que a gente não consegue fazer pelos outros. Cuide de você, da sua vida, sua nova família (marido, etc). Continue na terapia. Você e seu irmão passaram muita coisa quando eram crianças, e não sei se isso faz sentido para você, mas além do seu pai, que era adulto, ela também era adulta naquela época e fez escolhas, assim como ela faz as escolhas dela até hoje. Cada um vai trilhando seus caminhos. Siga sua vida minha querida, com fé, e novamente faça o que estiver ao seu alcance, o que se sentir confortável, e só. Se achar que gostaria de falar com ele vai e fale. Acho boa essa ideia de vender o carro, dele ter uma conta conjunta com sua mãe, mas isso é só uma ideia que você pode dar, é só uma opinião. Não é responsabilidade sua, não carregue este peso. A vida é dos dois. Outra ideia também é de incentivar a sua mãe a falar isso com ele, ou com a família dele, pedir ajuda financeira para a mãe dele, ou revezar os cuidados com ele entre a sua mãe e a sua avó. Mas acho que são só ideias, você não precisa se sentir responsável em resolver essas questões.

  45. Paula09/08/19 • 11h46

    Nossa eu fiquei muito triste lendo o ultimo chora. Estou com a Cony 100%. E digo mais
    iria procurar um advogado e ver se existe possibilidade dessa herança ir para você, seu irmão
    e sua mãe… pois vocês MERECEM, mesmo que você e seu irmão estejam bem financeiramente.

    Existe um grupo no facebook sobre família toxica, as pessoas trocam experiências sobre isso e
    talvez seria bom para você ler um pouco e conversar com pessoas que passaram pelo mesmo. Tem
    muita gente que tem pais abusivos. TRISTE DEMAIS

  46. Maria09/08/19 • 12h37

    Chora 02: Essa situação uma hora se tornará insustentável. Aconteceu o mesmo comigo e infelizmente me prendi aos outros fatos da relação, achando que se terminasse estaria disperdiçando uma pessoa incrível por um único fator, que na real não era só isso. Saiba que a forma como ele age contigo tem muito mais coisa por trás. Eu sustentei essa relação até ele me trocar por outra. Pois é, talvez essa falta de interesse até seja outra pessoa, mas mesmo se não for, vocês estão fadados ao fim. Cabe a você decidir até quando vai esse sofrimento, porque não ser desejada, se esforçar sozinha nos coloca no chão, pedindo migalhas e não merecemos isso. O mundo tem tanta gente, ele não é único, você vai encontrar caras que vão se encaixar de todas as formas. Não perca seu tempo e sua saúde mental.

  47. Mari09/08/19 • 13h42

    Rita, também tive um péssimo relacionamento com o meu pai. Não tenho uma única lembrança boa com ele, NENHUMA. Ele tinha amantes, várias vezes sumiu com todo o salário da minha mãe (era professora e recebia o salário na conta conjunta) deixando a gente sem ter o que comer em casa, dependendo da bondade alheia, agressivo. Acabou tendo AVC, ficou 10 anos doente até falecer. Quando faleceu, senti alívio… E, por muitos anos, me senti terrivelmente culpada por isso. Melhorei depois de muita terapia. Hoje não tenho nenhum sentimento ruim, mas tb não sinto nada de bom por quem nunca foi bom comigo.
    Então, faça o que é melhor para você, pra sua mãe… Deixe que ele se acerte com a vida, com as escolhas que ele fez…
    Elis, considerando as circunstâncias delicadas que você vive, eu no seu lugar manteria essa relação até estar mais fortalecida para então colocar as coisas a limpo. Se ele for mesmo casado, você está pronta pra se afastar? Ou, você se sentiria confortável com um separação envolvendo filhos? As pessoas julgam muito, mas só quem passa por uma situação dessas pra mensurar… Se não te faz mal, segue adiante…
    Gal, eu não ficaria com alguém assim… Sexo é importante sim num relacionamento! Se não tá bom (e pode ser MUITO bom! Eheheh), vida que segue! O mercado tá ruim?! Tá! Mas, relacionamento não é questão de números, não é matemática… É química!
    Fiquem bem!
    Bjos

  48. Rita09/08/19 • 13h58

    Que chora mais emocionante! Rita, concordo com tudo que a Cony falou! Muita luz e paz para vc e sua mãe!

  49. Érika09/08/19 • 14h14

    Todas falando pra Rita vender o carro mas vcs já pararam pra saber como ela vai vender se o carro estiver no nome de outra pessoa? Ou até mesmo no nome dele? Por isso, acho a melhor alternativa a interdição primeiro, comprovando os bens ocultos e pedindo a curatela.

  50. Carla09/08/19 • 16h08

    Poxa, o caso 3 realmente é muito triste. Acho que muitas meninas já comentaram. Rita, se sinta abraçada e compreendida. Desejo que supere (ainda mais) e seja feliz!

    Caso 1: Também fiquei muito mobilizada pela sua história! Pelo que você contou, parece plausível sim que ele esteja casado ainda, seria melhor se o seu ponto de apoio emocional não fosse apenas ele. Já imaginou se algo acontece na vida dele e ele some do seu convívio? (Homens, né, gente…). Continuando ou não com ele, meu conselho seria você buscar fortalecer relações com outras pessoas do seu convívio, para diminuir a dependência dele. Força, amiga!! Sinta-se abraçada.

    Caso 2: Tenho uma dica que considero MUITO BOA nesse aspecto. Existe um site chamado OMG YES. É derivado de uma pesquisa mundial sobre prazer feminino, as pesquisadoras transforam os resultados em vídeos, textos curtos, depoimentos e exercícios interativos. É bem explícito e didático (nada de pornô) e ajuda muito as mulheres a se conhecerem, exercitarem o que gostam. No meu caso, aprendi muito pra mim mesma, mas, malandra que sou, comentei com meu namorado. Como quem não quer nada disse como era curiosa essa pesquisa e diferente a forma que eles apresentavam. Ele logo se interessou , brincamos de fazer os exercícios interativos no site e aí ele pegou gosto e viu todos os vídeos. Olha… ajuda bastante, viu?! Recomento muito para autoconhecimento, relacionamento, exploração do corpo, é MUITO BOM! Ah, um detalhe: o conteúdo é pago. A primeira temporada é foca em estímulos externos, paguei 15 dólares pelo acesso. A segunda temporada ainda não vi! #Recomendo! Se não mudar, amiga, concordo com a Cony, sexo é importante e muito!!

  51. Francisca Zelma Lima Cavalcante09/08/19 • 16h08

    Rita, querida, sinta o meu abraço extremamente solidário! Infelizmente sua história é a história de muitas mulheres que tiveram a “sorte” de cair nas guarras de homens perversos e cruéis…e você é uma sobrevivente! Tenha sempre muito orgulho de você, querida! Sobre se manter distante, é o correto a fazer! Não tenha a menor dúvida disso! Jamais lhe dê a chance de lhe machucar de novo! Ele não conseguiu ser um pai pra você seu irmão; é a maldade em forma de gente, portanto, não merece sua compaixão, ainda mais que tem todas as condições materiais de bancar sua própria assistência. E ainda tem a família dele que, no mínimo, se omitiu diante da violência a que vocês foram submetidas a vida toda! Construa sua própria família e esqueça-os. Quanto à sua mãe, pobre mulher! Não consegue se desvencilhar das garras de um homem perverso, violento e cruel! Que Deus a proteja!

  52. Marcella09/08/19 • 16h30

    Chora 1: segue o baile, um dia após o outro,desencana.
    Chora 2: larga esse homem.
    Chora 3: esquece esse pai, sério, ele não merece. Quem tá de fora é fácil chantagear a filha e mandar a guria perdoar esse filho da puta.

  53. Cindy09/08/19 • 17h23

    1 – Elis, chama ele para uma conversa como diz a gurizada “de boa”, tudo bem não conhecer a família por agora, você esta passando por uma barra, nem precisa de polemica agora. Meus pais são separados, depois de muitos anos ele casou e se separou (de novo), minha mãe recebe a ex com os filhos na casa dela de boa, mas vou te falar para chegar nesse processo, nessa calmaria foi um perrengue, quando eles se separam foi o inferno na terra para nós. Mas ele não te contar as coisas aí também não dá néh, acredito que isso te magoa mais do que os finais de semana em si, então conversa. Beijusss fica bem!

    2 – Gal, fiz 22 de casada temos 2 filhos e 3 cachorros, fiaaaaa, vou te falar, as coisas boas vem, os perrengues também, a falta de grana, crises de identidade (de ambos os lados), crises no casamento, aí você coloca na equação frustração sexual, serei sincera não dá, durante os vendavais o sexo já da uma “raliada na quantidade”, mas quando rola, você tem que ver estrelas o que sobra é gozar, relaxar dormir abraçados, pensando que vai passar, não dá para chorar no banheiro… Dá mais uma conversada, mas vou te dizer uma frase de uma grande amiga minha solteira convicta “tem homem que acha que é a mulher na relação, ele é que tem ser agradado, e não dá nada em troca, só recebe.” Pede um tempo e vá ser feliz!

    3- Rita querida terminei de ler sua historia chorando… Você não tem obrigação nenhuma de conviver com ele, pela sua sanidade mental, espiritual, física e familiar… Procure um advogado… Interdita ele, ajude sua mãe no que for possível, mas se preserve, e os parentes mande todo mundo ir pra puta que pariu!

  54. Carol F.09/08/19 • 19h01

    Oi Rita…

    Seu pai é um MONSTRO e minha primeira reação é querer que ele queime no inferno por toda eternidade (que me perdoem as boas de coração, mas “perdão” e “caridade” só daqui há 300 encarnações… não, nem isso!).

    Primeiro de tudo: procure um advogado (vc e seu irmão) para orientá-los quanto às suas opções.

    Veja bem, ele transferiu tudo para sua avó, que ao que parece nunca intercedeu por voces. Então que ela arque com os custos. Se ele está hospitalizado, é a hora de acessar tudo que vcs podem e vender/transferir/embolsar. Procurem entrar com uma ação imediatamente para resguardar ao menos 50% do patrimonio (os outros 50% por ele estar vivo penso que ele pode dispor livremente), pq se ele morrer vcs ficarão a míngua por um bom tempo (terão que disputar na justiça com a sua avó). Ok, entendo que talvez não queiram o patrimônio do maldito mas mesmo que sejam para fugir de tudo, essa é a hora.

    Segundo, tirem sua mae do alcance dele. Ela já sofreu demais e claramente não tem forças para sair dessa sozinha. A hora é agora. Pode ser que isso configure abandono do lar e que prejudique sua ação, mas pela Maria da Penha ela pode ser protegida. De novo, um bom advogado saberá traçar o melhor plano de ação.

    Por ultimo. Esse ser não é humano. Compadeça-se de gatos e cachorros, crianças que passam fome e são mal faladas em festinhas de família (que família é essa meu Deus que nunca os socorreu??), de mães que apanham e sofrem por uma vida… nao por um psicopata masoquista! Encarna a Paola Bracho e vai sambar na UTI!!!!

  55. Jacqueline Almeida de Souza09/08/19 • 19h52

    I M P R E S S I O N A N T E a história da Rita! Como o ser humano ( se pode ser chamado assim o sr. progenitor dela) pode tomar tais atitudes! Será que a Rita e seu irmão são realmente filhos dele?? Como que a mãe dela suportou tudo isso durante tanto tempo? Nenhum parente nunca interferiu em favor deles??? E essa avó conivente??? Simplesmente I M P R E S S I O N A D A! I N D I G N A D A!!!!

  56. MichelleZ09/08/19 • 20h34

    Querida Rita, ouvi uma vez que há pessoas com atitudes odiáveis e isso me libertou da culpa que eu sentia em relação a minha mãe, em certo momento eu precisei dar nome para o que eu sentia em relação a ela e não era amor, era ódio. Isso me ajudou demais a superar. Não sei se você conhece um versículo bíblico que diz “honra teu pai e tua mãe que é o primeiro mandamento com promessa. E vós pais não provoqueis à ira a vossos filhos…” Bom, se você procurar o que significa “honrar” não é amar, é perceber, reconhecer o valor e cuidar. Você já reconhece que ele é seu pai e o valor que ele ocupa na sua vida. Sobre cuidar, ore sinceramente e peça direção a Deus. Não sei quais são as suas crenças, mas pesquise sobre constelação familiar, ho’oponopono e procure pela Elainne Ourives, ela tem técnicas maravilhosas para liberar perdão (que não significa retomar contato, mas sim te liberar desse fardo). Sinta-se abraçada por todas nós!

    • Ana10/08/19 • 02h05

      Vi algumas pessoas dizendo que a história 3 e fantasiosa, etc… Como assim fantasiosa? Vocês não vêem nos noticiários que todos os dias aparecerem casos de pais que mataram os próprios filhos? Se existem pessoas capaz de matar crianças indefesas não existiriam pessoas capazes de maltrata las como foi dito pela Rita? Querida, espero que Deus lhe ajude a tomar a melhor decisão.Procure orientação de um advogado especialista nesse tipo de caso para saber o que pode ser feito legalmente e evitar problemas futuros para você e sua mãe.

  57. Sueli10/08/19 • 00h06

    Rita, tomara Deus que vc tenha chegado até aqui. Eu quero apenas reiterar a importância de vc procurar um bom advogado afim de salvar a sua mãe e o que ela tem por direito. Todos vcs foram vítimas de um psicopata e possivelmente a família dele TB o é. Mas não há mal que sempre dure, Deus na sua infinita misericórdia intercedeu pela sua saúde mental e agora mais do que nunca é hora de vc agir para que a sua mãe possa viver com dignidade nesses próximos anos de vida e ter alguns bons momentos e recordações.
    Vc não deve nada a ninguém, se preserve e siga frente com a mente leve e de cabeça erguida. Que as próximas gerações da sua família sejam sempre cercadas de amor e respeito. Que Deus ilumine os seus e suas decisões. Boa sorte.

  58. Ana10/08/19 • 02h07

    Vi algumas pessoas dizendo que a história 3 e fantasiosa, etc… Como assim fantasiosa? Vocês não vêem nos noticiários que todos os dias aparecerem casos de pais que mataram os próprios filhos? Se existem pessoas capaz de matar crianças indefesas não existiriam pessoas capazes de maltrata las como foi dito pela Rita? Querida, espero que Deus lhe ajude a tomar a melhor decisão.Procure orientação de um advogado especialista nesse tipo de caso para saber o que pode ser feito legalmente e evitar problemas futuros para você e sua mãe.

  59. FLAVIA MITRE10/08/19 • 09h54

    Rita, conheço uma história muito próxima a sua, porém agora com 72 anos a esposa separou e está vivendo a vida super feliz. Os filhos tentaram várias vezes interditar, mas é necessário a coragem da sua mãe…reze para que isso aconteça o quanto antes!

  60. Nicole10/08/19 • 11h24

    Fiquei completamente tocada e abalada pelo caso 3. Querida Rita, você passou por tanto, você merece aproveitar sua paz. Procure um bom advogado para te auxiliar quanto a questão financeira de seu pai. Se ele tem tanto dinheiro e ele está precisando, deve haver alguma maneira da própria mãe dele/irmãos terem acesso e cuidarem dele. O ideal seria sua mãe largar dele de uma vez por todas e ter ela também uma chance de ser feliz. Mas, sei que falar é muuuuito fácil. Não se sinta culpada nem por 1 segundo por não querer contato com ele. A sociedade nos ensina que pais são sagrados, mas nem sempre é assim! Pais podem ser pessoas horríveis, que é o caso do seu, infelizmente. Achei ele sádico, manipulador, perverso e completamente mesquinho. Foda-se o que os outros vão falar, especialmente a família dele. Ele não merece nem um minuto de pensamento seu. Se preserve e pense somente na sua mãe e irmão que já passaram por tanto. Não tenho nenhum conselho prático, só fiquei muito emocionada com o relato e gostaria de te dar um abração. Desejo que vocês encontrem uma maneira de se livrar desse sofrimento e consigam ser muito, muito, muito felizes.

  61. Bruna11/08/19 • 00h03

    #1 : sinto muito pelo que você está passando mas essa história é muito estranha. Se no mínimo ele tivesse uma boa relação com a ex mulher , ele teria apresentado vocês duas. E bom, o que as outras mulheres já comentaram de seg a sexta ele está com vc, fds com ela.
    3 anos de relacionamento e não conhecer ngm da família ? Esquisito. Será que vc realmente conhece ele ? Na boa, eu já teria contratado um detetive particular e tirado essa desconfiança.
    Pq ele está enganando vocês duas . Talvez eles tenham se reaproximado e você tenha ficado doente e ele não quis terminar para vc não ficar mal…não estou duvidando que ele não goste de você mas tenho certeza que tem alguma coisa muito mal esclarecida. Devido a muitas histórias que leio e já conheci uma amiga que trabalhou com um cara que tinha 2 namoradas ao mesmo tempo e foi uma terceira que entrou nesse rolo que descobriu. E no meu trabalho descobri que o cara traia a mulher que tinham acabado de ter uma filhinha …com a colega do setor dele. sabe como ? Horário de almoço iam pro motel. Ou seja, que quer dar um jeito…quem não quer arruma desculpa.
    Um ficante meu dirigiu 650 km para viajarmos juntos , consequentemente ficava Perto da cidade do meus pais…isso com 1 mês que a gente se conhecia. Nunca passou pela cabeça de conhecer a cidade e opa vamos conhecer seus pais ? Como falei, tem coisa que não se encaixa e ele vive uma vida dupla.
    Sei que vai ser muito complicado mas você é forte e pra tá com uma pessoa assim egoísta eu prefiro ser sozinha pq me Basto! Força, boa sorte na sua vida, de notícias sobre sua saúde e que Deus abençoe sempre o seu caminho e com ctz ele vai te dar o livramento que vc merece.

    #2 o mana, egoísta pra caralho hein ? Se for pra ter um parceiro tem que ser parceiro mesmo, em tudo ! E sexo é importante sim e você sabe disso. Viva sua vida. Sinto muito por ter que chorar depois do sexo mas sexo tem que ser prazeroso para os dois. Espero que consiga virar essa página da sua vida, Não existe só ele de homem no mundo.

    #3 nesses casos o único conselho é procure um advogado especialista em direito familiar. De que adianta toda esse riqueza guardada ? Vai levar tudo pro caixão ? Passou a vida economizando que se ele morrer e ficar pra família dele (não vcs ) Vao gastar tudo em menos de 1 mês e eu acho é pouco! Meu deus a pessoa até na doença fica com um pensamento podre desses nem cuidar da própria saúde. Tá loco. Força!!

  62. Stefanie11/08/19 • 03h23

    Todo mundo simplesmente esqueceu da moça que esta com câncer quando leu sobre o pai negligente. Força e que você supere essa fase. Que Deus te traga sempre paz no seu coração. Perdi um namorado para o câncer e sei que tive parte fundamental durante todo o tratamento dele!

    Agora sobre o pai:
    O cara é bizarro. Bizarrissimo. Mas todos sabemos que este mundo é de expiações. Ficar aqui desejando a morte dele e alimentar mais ódio e dor no coração da menina não contribui em NADA com tudo que ela passou. NADA. Se eu vejo uma pessoa agonizando na minha frente eu nao vou buscar a ficha dela e julgue se ela merece ou não a minha ajuda. O pai dela é doente, principalmente psicologicamente. Devemos ter compaixão. Mesmo que em nossa consciência terrestre seja difícil compreender um sentimento assim (lembrando que não estou dizendo que agora temos que idolatrar o cara pq ta doente. Isso nunca). Mesmo que ele não tivesse tido um AVC, o sentimento de vingança JAMAIS deve ser alimentado. Perdoe. Perdoe dentro de você e faça o que o seu coração manda. Não vire as costas. Mesmo sendo a pessoa mais podre do mundo, você so está viva porque seu pai te deu a vida. Faça o que tem que ser feito. Não porque ele merece. Mas porque és uma pessoa boa e terás sempre a consciência de que fez o que deixaria seu coração em paz.

  63. fatima de lourdes11/08/19 • 19h21

    Gente, pelo amor de deus eu geralmente não comento os choras, mas esse terceiro caso que é do pai demônio, pelo amor de deus, tive que comentar.
    Minha amiga não tenha pena desse carrasco, ele tem o dinheiro que pôde juntar a vida inteira a custa de seu sofrimento e da sua mãe, não dê nem uma migalha de um pão seco que você não quer mais a esse monstro, se preocupe agora só com sua mãe que é uma sofredora,e ele que se vire pois se precisar de algo tem a riqueza que juntou a vida toda as custas do seu sofrimento e de sua familia,
    Se fosse eu, eu entraria na justiça para processa lo pelo abuso fisico e moral que ele fez vocês passarem toda uma vida, é o cumulo do absurdo voce sentir qualquer tipo de pena de um homem desse, se fosse eu rezaria todo dia não para morrer, mas para deus levar logo ele embora pra vê se sua mãe tem um pouco de sossego no fim da vida dela.
    Nunca vi, nem soube de nada parecido, com tanta crueldade de um pai com sua familia, graças a deus que você conseguiu dá a volta por cima.
    Se alguém cobrar alguma coisa de você diga apenas: QUER PRA TU? LEVA…

  64. fatima de lourdes11/08/19 • 19h33

    Rita eu fiquei tão revoltada com seu relato, que só quis dizer o que fazer com essa situação, e nem falei direito com você.Seja forte você agora tem sua vida e você é uma pessoa iluminada por ter passado por tudo isso e ainda pensar que tem alguma obrigação com esse homem, outra coisa que me deixou impressionada foi não sentir odio no seu relato, eu sinceramente te desejo tudo de melhor que essa vida pode te dar, sinta o meu abraço.

  65. Brenda11/08/19 • 22h17

    Para o chora 3, eu não tive avós presentes, nunca fizeram questão de procurar eu e minhas irmãs, minha avó pra mim é só uma conhecida, ajudei ela em alguns momentos, mas não de coração, sempre pensando que ela nunca esteve ali pra nada, sei que meu caso não é nada, mas enfim parei de ajudar e procurar, se eu estivesse na tua situação não me envolveria, pense em ti em primeiro lugar, ajuda tua mãe com certeza, mas não retorne para algo ou alguém que ja te machucou tanto, beijão, te desejo muita luz e força!

  66. Andréa Costa12/08/19 • 06h39

    Cony o terceiro chora está pesadíssimo…Senti até arrepios…Eu tenho um pai maravilhoso e fico tão triste de ler um relatos desse.Eu não ajudaria e não manteria contato.Que Deus permita que essa moça não sofra mais.

  67. Izabela12/08/19 • 17h23

    Não sei muito como comentar sobre o primeiro caso, e acho que pro da Rita já tem muito conselho bom, principalmente das advogadas, por aqui. Meu conselho vai para a Gal.

    Gal querida, concordo com a Cony sobre o tripé que sustenta o relacionamento! Onde já se viu o cara não estar nem aí pro seu prazer! Tenho visto muito conteúdo recentemente que trás à tona o sexo não focado na penetração… e pode ser que ler/ver mais sobre isso te ajude também… Eu tentaria conversar mais uma vez, mas se ele mostrar que não ta nem aí pra isso já pode acender um alerta ai que não sei se vale a pena fazer muitos planos pro futuro não! Da uma olhada na @vaginasemneura @lascivaluaaa e afins…

  68. Nana14/08/19 • 18h32

    Caso 2 – eu vivo isso c meu marido…. quase igual a vc. Super me identifiquei. …. é barra msm…. e o pior de tudo é não ser compreendida…

  69. Mari15/08/19 • 15h33

    Rita, procure um advogado pra ontem! Muito provavelmente o regime do casamento de seus pais é a comunhão parcial de bens. Se esse for o caso, esses bens que ele ocultou, casa, carro, dinheiro, ações e tudo o mais são 50% da sua mãe! Isso é dela por direito. Não é favor! O que ele fez é fraude. Procure um advogado bom, alguém com especialização em direito de família e sucessões. Aconselho que pesquise a faculdade em que o advogado se formou e quais especializações possui. Pesquise o nome na plataforma lattes se for preciso. É muito importante que seja um profissional ético e que possua o conhecimento técnico adequado, pois não vai ser um processo simples. Não tenha medo de negociar a remuneração do advogado. Esse processo tem potencial para ser muito lucrativo para o advogado também. Nos casos em que a parte não pode pagar muito no início, mas há chance de grande ganho financeiro, muitos advogados aceitam fazer contratos da seguinte maneira: você paga uma quantia menor no início e ao final paga o restante apenas se ganhar a casa. São os chamados honorários de êxito, ou ad exitum. É muito importante regularizar essa situação. Pense: se os bens dele estão no nome de outras pessoas, quando ele falecer você, sua mãe e seu irmão não terão herança. Pode ser que nem mesmo a casa onde sua mãe mora esteja no nome dele. Peça já a certidão da casa no registro de imóveis. Faça isso pela sua mãe! Ao menos na velhice ela merece usufruir do patrimônio que é dela e que foi negado a ela a vida toda.