Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
06 mar 2019, 33 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

E aí migues? Como foram de Carnavrau? Acreditam que eu fui pro bloquinho??? Fui em dois! Até que curti, mas preferi o bloquinho da crianças kkkk achei mais tranquilo e sem tanta confusão. No de “xóvens” fiquei meio sem graça (levei minha mãe para conhecer né) e o que tinha de pegação na rua e dorgas… além disso um povo esquisito que ficou encarando o meu namorado do nada, tipo querendo arrumar briga. Não fiquei a vontade nenhum momento e fomos embora. Mas gostei da parte de me maquiar com glitter e usar adereços brilhantes kkkk Gosto mesmo é da produção!

Mas enfim, esta semana começa agora e hoje temos Chora!

Chora 01 – Bruna

“Olá Cony! Acho que preciso dizer que acompanho seu blog e outras redes sociais a algum tempo!!! (rsrsrsrsrsr) este chora estou escrevendo a um bom tempo, escrevo um pouco e salvo, e assim vai por semanas até que tive coragem de te envia-lo! Bom vamos ao meu dilema!

 

No ano de 2016 comecei a sentir dor consideráveis na mama esquerda, fui ao médico, fiz vários exames e todos deram normal, sem alterações. E neste mesmo ano uma grande amiga descobriu um câncer de mana, em estagio bem avançado. Fiquei muito abalada com a situação dela, pois ela tinha apenas 35 anos. E eu, que sempre fui um pouco neurótica em relação a doenças,  voltei ao mastologista e fiz novos exames e no inicio de 2017 descobri um nódulo na mama, que Graças a Deus, depois de uma biopsia foi classificado como benigno. Já a minha amiga acabou falecendo de de câncer de mana aos 36 anos. Um baque para todos que a conheciam. Desde que tive este problema na mama e minha amiga faleceu eu entrei em pânico e vivo com medo de desenvolver uma doença. Qualquer dor que sinto corro para o médico. Já fiz vários exames de sangue e  ultrassons em vários lugares do corpo. Já fui a vários médico das mais diversas especialidades. Minha família e meu marido não aguentam mais que eu fale de médicos e minha ‘dores pelo corpo” para eles. Todos falam que essas dores são coisas da minha cabeça, do medo  e da ansiedade. As vezes quero apenas conversar sobre o que sinto para tentar tirar da minha cabeça esses pensamentos e medos sobre doenças, mas todos estão cansados de ouvir minha conversas sobre isso.  Já fui ao psiquiatra e estou em tratamento para sindrome do panico e ansiedade a mais de 6 meses, sinto que houve melhoras, mais ainda não consigo me livrar do medo de ter uma doença que me tira a vida. Que faça eu me afastar da minha familia. Meu dilema é:  será que eu um dia conseguirei esquecer isso  voltar a viver sem essas precupações e medos.”

 

Acho que todo mundo tem um pouco disso né? Há cerca de uma semana, uma tia minha – irmã de meu pai – faleceu de câncer. Os pais do meu pai, faleceram de câncer, meu pai teve câncer (mas graças a Deus se recuperou bem e está saudável há mais de 10 anos). Eu logo pensei: obviamente, eu também terei câncer. Comentei isso com uma amiga que também tem vários casos de câncer na família e ela me deu um tapa com luva de pelica: predisposição não é predestinação. Temos que trabalhar a cabeça para ter uma vida saudável, comer bem, fazer exercícios, não stressar para assim não desenvolver doenças. E essa minha amiga é médica. Fiquei pensando no que ela me disse e estou trabalhando nessa mudança de estilo de vida (todo mundo tá vendo eu comendo melhor, fazendo exercícios etc). E vou replicar aqui exatamente o que ela me disse: mente tranquila, boas energias, atividade física e boa alimentação. E isso vale pra TODO mundo, pra hipocondríacas e para as outras pessoas que não seu cuidam porque acham que são feitas de aço. Acho que quando a gente começa a fazer o bem pro nosso corpo e alma, esses medos irão diminuindo. “A genética é como uma arma, mas é seu ESTILO DE VIDA, que puxa o gatilho.”

 

 

Chora 02 – Anita

“Olá, Cony. Como boa tiete, vou confessar que leio seu blog há anos e que na atualidade, apesar da quantidade de conteúdo disponível, leio apenas o seu e outro blog, por questão de qualidade. Thanks!
Então, vamos ao chora. Acho que o título seria “Como perder um homem em 10 degraus”.
O meu caso é aquele da reviravolta. Conheço o rapaz que gosto desde o início da minha adolescência (tenho 30 anos) e somos amigos desde então. Nesse meio tempo, há uns 10 anos, ensaiamos de ficar, mas não levava muito a sério (não rolava química). Anos se passaram e continuamos a amizade, ele ficou com algumas amigas minhas e eu com amigos dele, mas sempre mantivemos a amizade, inclusive namorando outras pessoas. Acontece que, em 2017, terminamos nossos respectivos relacionamentos e no final desse ano acabamos ficando. Eu levei na brincadeira, inicialmente, pq era até engraçado esse flashback. Continuamos a ficar, mas sem uma constância, até que no ano seguinte, em 2018, passamos a ficar mais vezes. Foi ai que eu, achando que não tinha problema algum – afinal éramos amigos e já tinhamos ficado com outras pessoas – acabei ficando com um amigo dele (2x). O q aconteceu? Ele simplesmente se afastou de mim e ficamos 6 meses sem nos falar. Depois desse tempo, engoli meu orgulho e voltei a falar c ele coisas aleatórias, com isso nossa “amizade” voltou. Passamos a sair novamente como amigos, até que ficamos novamente. Nesse dia, tomei aquela cachaça e a parte que me lembro era: “Eu queria uma coisa séria com você aquele tempo, mas agora não quero mais”. Como estava bebada aquele dia, fingi demência e continuei. Voltamos a sair e ele sempre me visitando, chamando p sair, na amizade colorida, até que, semana passada, em mais uma noite de vinho, estava descendo as escadas do prédio e combinando um fds romântico na praia, quando o assunto de ficar com um amigo dele voltou a tona. Resumo: uma briga muito feia (nunca nem haviamos brigado) e ele esfregando na minha cara que gostava de mim, que eu não estava nem ai para ele e que agora ele que não quer mais nada sério comigo.
Cony, como eu ia adivinhar que o menino que eu não gostava (naquela época) estava afim de mim? Agora eu quero esse “omi” e ele não quer mais. É… acho que perdi o timing. Quero saber: tem solução? kkk”

 

Acho que não tem solução não. Sendo beeeeem sincera viu? Homem quando fica magoado, ainda mais envolvendo ficada com amigos, já era. Acho que ele nunca mais vai te levar a sério. Por isso gente, tem que ser esperta e ler os sinais… as vezes a gente acha que é bobeira, mas pode estar desperdiçando um grande amor por não dar valor ou atenção aos pequenos sinais. Na dúvida se o cara gosta ou não de você e se você tem algum interesse em construir uma relação, melhor ficar “pianinho” e observar. Homem não é descarado como a gente que já abre a boca e diz que tá gostando ou que quer namorar… eles são mais receosos, mais desconfiados, e mesmo que o movimento seja contra, ainda há muito machismo entre eles e esse lance de ficar com amigo SEMPRE dá problema.

 

 

Chora 03 – Neymara

“Meu chora é uma história um pouco longa. Tenho 26 anos e em breve meu chora vai completar uma década rs.
Com 17 anos conheci um cara na escola éramos amigos e ficamos, porém ele passou em uma faculdade no interior e terminamos, um ano depois nos reencontramos e começamos o namoro, foram quase 4 anos de uma montanha russa emocional, eu era extremamente ciumenta e ele um cara jovem morando em república com os amigos, enquanto eu já imaginava casar com 21 anos (bobinhaaa) ele queria festas e tudo mais e eu só queria ver uma Tv juntinho imaginando os filhos juntos, depois de uma relação bem conturbada descobri que ele me traiu e terminamos.
 Sofri horrores no começo mas depois a vida seguiu e muito bem obrigada, conheci todas as festas que eu quis, troquei de emprego, fiz algumas viagens maravilhosas (inclusive o Atacama), estreitei laços com a família e amigos e estava ou melhor estou bem feliz.
Durante esses últimos anos eu sempre tive notícias dele devido a amigos em comum, sei que ele namorou e terminou e estava morando em SP novamente.
No último ano tive um namorado, porém durou apenas 1 ano, percebi que o cara era um folgado, ciumento e principalmente que eu não gostava dele e terminei.
E depois de terapias e de conhecer a vida de vdd eu percebi que esse meu antigo ex errou óbvio, porém eu não fui a Santa que eu achava que era, percebi que errei muito na relação e queria conversar com ele.
Marcamos de tomar um café que virou um barzinho das 18h até as 00h regado a bebida e conversa, conversei muito, expliquei que já tinha perdoado o erro dele e que me sentia culpada por ter errado tanto, chegamos à conclusão que éramos jovens, imaturos e que as coisas aconteceram por não estarmos preparados para aquilo, principalmente com 19/20 anos.
Lá pelas tantas da noite falei que nunca mais gostei de ngm assim, ele disse que tbm não, que terminou com a namorada pq aquele sentimento que tivemos nunca mais aconteceu  e que ele não sabe se vai voltar a acontecer. Ele amadureceu muito nos últimos 4 anos, mora sozinho, tem uma carreira e se mostrou maduro e arrependido do que fez comigo na época.
Como já estava tarde dormi no apartamento dele, mas não rolou nada! Apenas dormi de cansaço depois de um dia de trabalho + álcool.
Realmente senti uma sensação boa de saber que a vida dele está encaminhando bem e q minha também, mas fiquei triste por os dois terem a mesma opinião sobre os relacionamentos futuros.
Agora eu não sei se é normal essa desilusão diante das outras pessoas ou se no fundo ainda existe um sentimento…. e se existe o que fazer? help me”

 

Eu acho que o que não é dito, não é entendido, então se você REALMENTE quer tentar algo com ele de novo, tem que ser bem clara na conversa. Clara e direta. Esse negocio de ficar imaginando o que poderia ter sido, PARA MIM, é perda de tempo, de energia e bloqueia novas oportunidades. Resolve logo, pensa bem se é isso mesmo o que você quer e vá atrás. Se ele falar que não quer, ótimo, vida que segue, você encerra esse capítulo e começa um novo, do zero. Mas também pode ser que ele queira algo, e é justamente por isso que você tem que estar bem certa se realmente quer ele. Depois me conta o que que deu.

 

 

  • Choras abertos! Última semana para enviar, na próxima eu fecharei de novo ok? Mandem seu relato, problema, angústia, tristeza para constanza@futilish.com e no assunto coloquem CHORA QUE EU TE ESCUTO!
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
33 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. Fran06/03/19 • 12h21

    Eu ja fui a moça do caso 1. Tinha crises de ansiedade e achava que estava infartando, corria pro hospital. Tinha dores nas pernas e achava que era trombose. Dores de cabeça viravam câncer no cérebro ou aneurisma.
    Não pense por um segundo que é “bobeira”! Procure tratamento psicológico e psiquiátrico, eu fiquei 2 anos em tratamento e hoje consigo identificar o que é uma crise de ansiedade e sei administrar a situação.
    É um tratamento demorado, tem q ter paciência, respeitar seus limites e principalmente entender os sinais que seu corpo dá.

  2. Mari06/03/19 • 12h44

    Chora 1: Continue na terapia, gata. Essa pressão de adoecer vai fazer você realmente adoecer. Seja leve!
    Na minha família também teve 3576754 casos de câncer, como a Cony deu exemplo da dela, mas a gente precisa se cuidar também. Solta essa neura.

    Chora 2: Eu acho que perdeu o timing mesmo… Mas, será que realmente não tem nada a se fazer? Chamá-lo pra bater um papo, sem bebida…

    Chora 3: Isso é lixo emocional puro! Das duas partes!
    Compra o e-book do Casal Sem Vergonha pra te ajudar… Me ajudou muito na minha separação. E terapia, claro!

    • Constanza06/03/19 • 14h07

      Lixo emocional? Como assim? Gostei disso, vou pesquisar!

      • Mari06/03/19 • 14h35

        Cony, lixo emocional são aquelas amarras do passado que fazem termos neuras de um novo relacionamento, de se entregar, de viver a vida… Segue o “Casal Sem Vergonha” no Insta. E eles têm dois livros: Mulheres boas de cama, pra ajudar a mulher a se soltar na cama e se descobrirem, e Lixo Emocional, pra vc largar mão do passado e viver a vida. Inclusive tem um exercício ótimo pra se livrar do lixo nos nossos pensamentos e ser uma pessoa mais leve.

  3. Bruna06/03/19 • 13h14

    Chora 1: ter medo de morrer te impede de viver o presente e te adoece o que, na minha opinião, temos de mais maravilhoso, a cabeça e o coração. Adorcer a mente por medo não é menos grave que outras doenças físicas e pode ser até mais simples a cura se tratado com leveza.
    Chora2: acho que o cara gosta de vc e não consegeue aceitar o fato de vc ter ficado com o amigo, pode ser insegurança, baixa autoestima, machismo, sei lá.. ele n tem motivo pra n te levar a sério, vocês não tinham um relacionamento fixo e talvez vc n tenha sido a única que ele ficava na época. Ok, ficar com um amigo é sempre pior, mas se n tinha exclusividade combinada, n se cobre assim, podia ter sido qualquer outro cara.
    Acho que uma booa conversa e bem madura podem resolver o problema.

    Chora 3: como vc conseguiu sair da casa dele sem falar e resolver tudoo?!? hauahauah
    Não viva no “Se”, mas dizer que nunca gostou de alguém como vc gostou dele e ele de você não significa que ainda se gostam o suficiente para estarem juntos. O não implícito vc já tem, eu prefiro o não certeiro pq é libertador.

  4. Daiane06/03/19 • 13h35

    Para o chora 1. Passei anos com a minha mãe tendo praticamente os mesmos sintomas que o seu, dores, doenças e sintomas que não existiam. Acontece que, ela já fazia tratamento para a síndrome do pânico, e o que estava errado era a medicação. Passou com outro médico, mudou a medicação e a vida toda mudou junto. Tente fazer terapia, meditação, exercício físico e exercício intelectual. São coisas que ajudam a aliviar tudo isso e a vida seguir melhor.

  5. Mila06/03/19 • 13h40

    Cony super antenada nas notícias.
    Morri com o último nome, Neyamara kkkkkkkkkk

    • Constanza06/03/19 • 14h05

      Hahahaha. Esse ano tá cheio das treta mkkk

    • Lari06/03/19 • 23h29

      Também morri de rir! Ahhahahahaha

  6. Paula06/03/19 • 14h41

    O chora 3 me lembrou um programa chamado Back With the Ex (Netflix).
    São 4 pessoas que não esqueceram seus ex mesmo depois de anos, e resolvem procurá-los para tentar uma 2a chance.

  7. Caroline®06/03/19 • 15h18

    Sobre a moça 2: será que ela quer um relacionamento com ele, ou tá de orgulho ferido pela indiferença do cara? Porque ela nunca o levou muito a sério, pelo que disse. E mais, ficar com amigo foi mancada. Se fosse o contrário, o cara que vc gosta, mas não tem nada certo, ficando com uma amiga sua, ninguém ia levar de boa, não.

  8. Francisca Gonçalves06/03/19 • 16h10

    Neymara kkkkkkkkkkk adorei, ri horrores!! Continuo acompanhando seu Blog diariamente. Abraços!!

  9. Para Neymara06/03/19 • 16h16

    Chora 3 – Minha história é exatamente igual a sua, com uma única diferença. Já estávamos casados no dia em que tivemos a oportunidade de conversar sobre tudo o que tinha ficado “pendente” nos últimos 10 anos. A situação foi a mesma de “a bebida entra e a verdade sai”. Falei com ele coisas que nunca imaginei ter coragem de contar. Passado esse episódio a minha cabeça embaralhou mais ainda, porque assim como você, nunca mais tinha sentido nada parecido com ninguém. Até que, numa dessas incríveis coincidências da vida, comecei a trabalhar com a esposa dele. E exatamente nesse momento, percebi que tudo tinha seguido o rumo que deveria seguir. Fui entendendo que ele não era a pessoa que eu fantasiava (no auge de todo o amor) ser. Ele é machista, não evoluiu como homem, acha que mulher tem que ser dependente e submissa e foi apenas por isso que nossa relação não deu certo. Mas só consegui enxergar estando de fora, vendo acontecer com outra pessoa.
    Escrevi tudo isso para você tentar (eu sei que é muito difícil) olhar “de fora”. Tenta ver se tudo mudou mesmo, ou quando vocês voltarem vai voltar a ser tudo igual. Tínhamos 25 anos quando tudo aconteceu e 35 quando nos reencontramos. A experiência que adquirimos nesse tempo não fez os valores mudarem…

  10. Ariana06/03/19 • 17h14

    Chora 1 – Oq eu vou falar talvez possa chocar mas vamos lá. Também tenho essa genética por parte materna AND paterna, perdi minha mãe, um tio, e tenho 3 tias que sobreviveram, então resolvi ser prática e fiz um seguro de doenças graves se eu for diagnosticada com cancer vou receber uma quantia X (eu aumento o aporte todo ano) para gastar COMO QUISER (não necessariamente com o tratamento, pois tenho plano de saúde), morrer todos vamos, e se eu ficar doente pelo menos vou chorar lá em nova york.

    • Alessandra07/03/19 • 10h18

      Menina, te ameeei kkk vou copiar

    • Silvia Hahne09/03/19 • 18h55

      Garota…o mundo está “muito” precisado rsrsrs de gente desencanada como você!!!

  11. Mariana06/03/19 • 17h42

    CHORA 1 – Peço licença pra a Cony para comentar com outro nome pois nunca compartilhei isso com ninguem. Tbm vivi algo muito parecido, o tempo todo achava que ia morrer, que estava com alguma doença muito grave e só faltava eu descobrir o que era. Na pior crise que tive (foi numa época em que soube de muitas pessoas na minha faixa de idade morrendo de doenças graves) , cheguei a pensar em como seria a vida das pessoas ao meu redor caso eu morresse, e concluí que talvez nem fosse tão ruim assim, a vida de todo mundo ia seguir. Eu tinha taquicardia, sentia dores, fazia mil exames… até que minha mãe percebeu que era psicológico e marcou terapia pra mim. Foi o que me salvou, junto com a meditação. Entendi as raízes desse meu medo constante de morrer e aprendi a identificar e administrar as crises. Persista no seu tratamento, uma hora vc vai ver que ta dando certo.

  12. renata06/03/19 • 18h00

    Cony, encararam o seu namorado porque ele estava com adereço de indio, muito provavelmente. Agora, muitas pessoas dizem que indio não é fantasia, por conta da apropriação cultural, igual se fosse com negro ou mulher.. comentario somente a titulo de informação, bjs

    • Constanza06/03/19 • 19h28

      Adereço de índio? Léo não usa fantasia de nada.

      • Karen07/03/19 • 14h16

        Numa foto sua do insta, Cony!

    • Gláucia07/03/19 • 14h36

      Eu realmente gostaria de entender a ligação kkkkk

  13. Lu07/03/19 • 00h25

    Chora 01 – BRUNA
    Vc já ouviu falar em Nosomifalia/Hipocondria? Não sei se é o seu caso, mas dê uma pesquisada depois… Continue indo ao Psiquiatra e, se possível, faça terapia tbm =) recomendo muitíssimo

  14. Alessandra07/03/19 • 10h24

    CHORA 1

    Ano passado perdi uma prima de 25 anos pelo câncer e ontem descobrimos que minha outra prima, de 36 está com câncer bem agressivo tbm. Isso me fez tremer de medo de ser a próxima.
    Parece loucura, mas sempre tive a impressão macabra de que vou ter algo do tipo…eu tento afastar esses pensamentos, mas é bem chato.
    Tento manter minha cabeça pensando que muuuuitos parentes meus morreram de câncer, mas muuuuuuitos outros não. Enquanto eu não tiver, estou no timo do não…e vida que segue!
    Vou fazer um seguro..gostei demais da ideia

    CHORA 2

    Perdeu o timing…tô achando que não dá mais não..isso sempre virá a tona

    CHORA 3

    Desapega desse passado…se não puder, pelo menos não viva na incerteza. Chega e se abre pra ver no que dá. O que não pode é ficar pensando “se isso, se aquilo, se sei lá o que”…atitude, mulher! E põe essa história pra andar

  15. Xica07/03/19 • 10h42

    Passei algo parecido pelo que a moça do Chora 1 passou há 2 anos atrás, mas no meu caso foi crise de pânico e ansiedade, eu tb achava que ia morrer, fiquei uns 6 meses assim, dias melhores e dias piores, tinha dores de cabeça, confusão mental, um lado do corpo amortecia, me dava taquicardia, pernas amoleciam e eu achava q estava com algum tumor cerebral ou que ia ter um AVC. É horrível pq fica aquela sensação mesmo que em segundo plano, que algo de mto ruim vai acontecer, eu estava sempre em alerta. Fui no médico (clínico geral), e ele chegou meio que a zombar de mim que de acordo com meus sintomas estava tudo normal “fisicamente”, então comecei a tomar florais e procurar na internet sobre ansiedade e Pânico. Aos poucos fui percebendo que eram sintomas semelhantes e a medida que identificava, comecei a relaxar e melhorar. Mas até hj as vezes volta um medinho mas eu trato de afugentar. Falando assim parece que foi tudo mto fácil, mas não foi e não é. Não cheguei a fazer tratamento, mas te indico a procurar auxílio, psiquiatra, psicólogo, não deixe que pensem que é frescura sua ou bobeira, ou exagero, pq não é. Tem tratamento e traz uma qualidade de vida enorme! bjos e boa sorte!

  16. Vivian07/03/19 • 23h06

    Gente, 2019 tá sendo Eita atrás de Eita. Tô amando a Cony antenada nos bafafås! Continue por favor.
    Sobre o caso 1: amiga isso é uma síndrome de pânico associada com hipocondria. Entendo perfeitamente sua neura, até pq é muito difícil tirar essa paranoia da cabeça, mas vc precisa viver e tirar essa corda do pescoço. Eu tenho um exemplo assim, minha família toda tem problema de rins, meu pai entrou na diálise aos 39 anos pq os rins atrofiaram por conta de uma glomerulopatia sem causa aparente. Sou obrigada a fazer exames e o médico já disse q se eu não tomar cuidado tb posso ir por esse caminho, pq é hereditário. Msm assim, sigo minha vida normal, cuido da alimentação, exercícios e faço exames anualmente, tanto eu quanto minha irmã inclusive. Então uma dica preciosa: siga sua vida, faça sua parte e tente não achar que existe uma corda te enfocando, pq isso é uma morte lenta que desgasta quando vc se entrega a uma possibilidade que talvez nunca se concretize. De coração espero que vc consiga <3

  17. Luciana08/03/19 • 07h29

    Bruna, me identifiquei muito com o seu relato, pois vivi algo similar. Estava ouvindo um podcast da Regina Gianetti que fala sobre o medo e na mesma hora lembrei do seu caso. Ela é minha orientadora de mindfullnes e vale a pena ouvir o que ela tem a dizer: https://open.spotify.com/episode/6SzhuMYiQhTcTysTQVzGcz?si=BFTYDeSMQ4q7vy_SZoFE-w
    Um grande abraço, que vc esteja bem!

  18. Luciana08/03/19 • 10h43

    Pro Chora 01 – Bruna,
    Nem consegui ler os outros choras! Te entendo tão bem!
    Minha mãe teve câncer de mama há 20 anos e ano passado teve metástase (é raro metástase depois de tanto tempo, mas ela teve) e faleceu. Em seguida, percebi um volume estranho no meu seio e fiquei desesperada! Tenho silicone e era uma deformação na beira da prótese, mas a gente fica preocupada, ansiosa…
    Vou te orientar a fazer, o que eu irei fazer, vou procurar uma médica geneticista e fazer os exames genéticos para verificar a real probabilidade de vir a ter a doença e depois dos resultados avaliar o que fazer. No meu caso, tenho 34 anos, 2 filhos e fiz laqueadura, então não será um problema se tiver indicação cirúrgica.

  19. RUBIA MESQUITA08/03/19 • 14h10

    Chora 1: Eu era uma pessoa bem medrosa, mas um dia conversando com um grande amigo, ele me falou sobre a história de Jó (bíblia) e desde então mudei muito, claro que pensamentos ruins existem, as vezes ainda sou encucada, mas melhorei infinitamente.

    “Porque aquilo que temia me sobreveio e o que receava me aconteceu” Jó 3:25

    Não quero pregar religião aqui, mas Jesus sabiamente já falava do prejuízo de andarmos ansiosos, então tb vale ler:

    “Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?”, Mt 6.27)

    No mais, o que a Cony falou: viver bem, se cuidar, ter boa alimentação, se exercitar e sempre nutrir bons pensamentos…

  20. Renata Castro08/03/19 • 14h24

    Adorei essa mensagem com os 10 hábitos diários!

  21. Luana Ferreira Lopo09/03/19 • 15h19

    Chora 1: continua o tratamento psiquiátrico/psicológico. Existem algumas doenças que causam dores terríveis e de formas variadas e são de difícil diagnóstico exatamente porque os exames voltam normais e a sociedade, inclusive médica, não compreende. Para todas elas o acompanhamento psiquiátrico é fundamental. Procura na sua cidade um reumatologista especializado em Fibromialgia – dores por todo o corpo e sem causa aparente e síndrome do pânico são alguns sintomas. Endometriose também causa essas dores, faz um check-up com gineco. E o mais importante: não abandona a terapia! Ps. como a hipocondria e o dr. google são associados nenhuma dessas doenças é fatal e podem ser controladas com medicação e terapia e ter uma vida absolutamente normal e sem dores.

  22. taiza10/03/19 • 18h15

    Minha mensagem vai pra Bruna…
    Eu já tive esse medo. No meu caso, começou e foi acentuando-se quando casei e me mudei pra outro estado. JUnto com esse medo, veio um transtorno de ansiedade horrível e também o TOC, que eu já tinha tido na adolescencia, depois ficou “adormecido” e veio com tudo na mesma época que relatei ali em cima, junto com todos os outros problemas.
    Só melhorou com terapia, e não foi em seis meses. Demora pra dar resultado, e se for combinado com psiquiatra é melhor ainda o resultado. Você está no caminho certo, apenas tenha paciência, trabalhe seu lado espiritual. Medo de morrer todo mundo que eu conheço tem, medo de ter uma doença, mas este medo que paralisa, que te faz só ficar pensando nisso, já não é normal. Sei bem e é muito doloroso, não desista. Se apegue à sua fé, faça coisas que gosta, mude o foco, e siga com o tratamento. ME ajudou bastante e hoje tenho algumas recaídas mas nada comparado ao que era antes. Beijos

  23. ana cris11/03/19 • 17h19

    chora 2 : aii cony..normalmente, ate concordo com vc, mas dessa vez achei nada a ver o que vc disse! tem isso de homem de um jeito e mulher de outro com sentimentos, nao. ACHO que ele ta fazendo joguinho com ela pq ainda ta afim, mas nao quer admitir… se eles conversarem (sem bebida e sem briga) da pra se entender SIM!

    obs: tenho 28 anos e convivo com homens bem mais novos(tipo 19 anos, hahahha) pq entrei em uma faculdade nova agora… e vou te dizer: essa geração de homens é mil vezes mais de boas com tudo(tirando exceções que conto no dedo por la). fico pensando o tanto de tempo que a minha perdeu com besteiras desse tipo..

  24. Marina12/03/19 • 14h27

    Amo ler os comentários tb, porque a gente acaba aprendendo com as diversas opiniões diferentes sobre a mesma situação. O bom tb é que são opiniões imparciais, desprovidas de qualquer sentimento ou conhecimento prévio da situação. Valeeeeeu, Cony!