Lifestyle
Bem Estar, Decoração, Mi Casa Su Casa
13 jan 2019, 57 comentários

Mi casa, Su casa – Downsizing, Uma tendência a copiar?

Fufus do meu corazón, tudo bem com vocês?

O assunto de hoje é controverso para os parâmetros de sucesso e de “plano evolutivo” que costumamos ser seguir aqui em Terra Brasilis.

Porém desde 2012 eu comecei a ouvir/ler mundo afora o termo “downsizing” que ao pé da letra seria “diminuindo o tamanho” porém o sentido dele aplicado aos imóveis seria mais correto traduzir como “enxugando espaço”.

Essa vertente é muito mais forte dentre casais ou pessoas que já tem filhos adultos e que já saíram de casa, mas eu acredito que possa ajudar até mesmo quem mora de aluguel.

Esse movimento comum em países com custo de vida alto  (Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos por exemplo) inicialmente era tido como uma forma de economia. Entretanto, esse novo estilo de vida mostrou-se eficiente em mais perspectivas da vida do que apenas a monetária.

Então vamos falar das vantagens de se diminuir o imóvel:

Aumento de fluxo de dinheiro: Diminuindo o valor do aluguel, ou do financiamento e de contas  como luz, água, manutenção, limpeza que são proporcionais a metragem.

Mais tempo livre: Diminuindo os afazeres domésticos, sobra mais tempo para cuidar de si.

Redução de consumo: menos espaço para coisas, menos coisas para entulhar energias, menos lixo e consumo.

Redução do stress: se você tem menos coisas para se preocupar ou tomar conta, o nível de preocupação e stress também diminui.

Como vocês vão perceber, o “Downsizing” está intimamente ligado a qualidade de vida, não apenas com sair de uma casa de 800 metros para uma de 200. Ou de um apartamento de 150 para um de 60m2. Não simplesmente tamanho, é uma mudança de comportamento.

O que se busca nesse movimento, especialmente quando falamos de pessoas que já estejam na faixa de 55 anos para cima é viver em um lugar onde não hajam escadas, desníveis ou outros desafios de acessibilidade.

Imóveis que estejam próximos a locais que você gosta e de necessidade, como família, lojas, restaurantes, farmácias, hospitais, bancos… Eliminando trabalhos diretamente ligados a grandes imóveis, como calçadas, jardins, ambientes com pouco uso.

Viver em uma casa onde você passa a chave e Tchau!

Pode ser um apartamento, pode ser um condomínio fechado, uma sobre loja. O importante é que seu endereço te deixe tranquilo caso decida fazer uma viagem seja ela longa ou um convite de última hora para um feriado curtinho.

Outro fator que em todos os sites que eu pesquisei para falar aqui com fufulândia repetem é:

Não faça uma mudança para um espaço menor sem programação. Pense a longo prazo.

Se você já formou suas crianças e está numa época da vida mais madura, verifique se você realmente precisa continuar onde está.

Precisa mesmo de sala disso e daquilo, escritório, 2 ou 3 quartos a mais que são ocupados quase nunca?

Se você ainda está no aluguel, será que dar uma enxugada no espaço, ou morar 10 minutos mais afastado não vai gerar uma economia grande de dinheiro?

Tudo tem que ser muito bem programado.

Me perdoe quem vive numa casa com 3 ou mais suítes, mas se elas todas não estão ocupadas, grande parte da sua vida e dinheiro está sendo desperdiçada.

Atualmente ninguém mais precisa de uma sala de estar, uma sala de TV, um escritório e um quarto de hóspedes. Tudo isso pode ser um único ambiente e não se perde conforto, beleza ou status por isso.

Garagem para 3 carros, em uma casa para duas pessoas?

Claro que existem desvantagens, e eu não vou fazer a Kátia Cega e pular esses pontos, vamos falar disso também.

Menos coisas: Se não tem espaço para guardar, vai ser necessário se desfazer de algumas coisas.

Sem quarto de hóspedes: Receber uma galera para uma fsta pode ser um desafio.

Restrições de privacidade: Sabe aquela hora que tudo que você precisa é chegar em casa, se jogar no sofá e ligar a tv no teu programa preferido para ficar em paz? Em um espaço menor, provavelmente mais integrado, você provavelmente terá que interagir com quem estiver na cozinha.

Menor prestígio: Brasileiro adora uma aparência, uma fofoca e mesmo que a maioria viva um estilo que vida que não condiz com seus rendimentos, ir para uma casa menor vai passar impressão de que você “regrediu” aos olhos de quem não entende uma vida mais concisa. Tá preparado para isso?

Eu não estou falando para vender tudo e morar num studio de 30 m2 com seu mozão, 3 gatos, 2 cachorros e 2 filhos. Estou incitando a conversa sobre ter menos espaço, menos coisas e, consequentemente, mais tempo, mais recursos e maior qualidade de vida.

Um casal que os filhos já sairam de casa, podem viver perfeitamente bem em um espaço com uma suíte e um quarto extra por exemplo.

 

Ou um casal com dois filhos pode viver sem medo de ser feliz em uma casa com uma suite e dois dormitórios.

O movimento busca cortar excessos, e evitar gastos de energia desnecessários. Ou seja, nada de lugar para a sogra.

Nada de churrasqueira completa gigante + cozinha completa cheia de equipamentos.

Nada de sala de tv + escritório + dormitório de hóspedes todos separadinhos…

Já tinha ouvido falar dessa vertente?

Conta para mim nos comentários.

#Bença!

 

Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
57 comentários em “Mi casa, Su casa – Downsizing, Uma tendência a copiar?”
  1. Silvia13/01/19 • 17h54

    ADOREI o post!! Também estou nessa vibe de reduzir, racionalizar, simplificar e viver com menos. Apoio completamente.

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h18

      Obrigado por ler o Fufu e por participar Silvia!
      Vamos todos ser mais racionais, acho que é a hora disso.
      Bêjo!

  2. Sam13/01/19 • 21h42

    Lelo, amei o artigo! Vou construir e quero uma casa PEQUENA, pois, além do gasto desnecessário que uma casa grande gera, cuidaremos sozinhos de nosso ninho! Mas como é difícil colocar isso na cabeça das pessoas, em especial dos arquitetos/engenheiros! Para além, é muito difícil encontrar referências de casas pequenas e charmosas, com boas sacadas, boas escolhas para aproveitamento de espaço (está aí um bom assunto para falar :D). Grande abraço de uma admiradora de seu trabalho.

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h17

      Mas Sam, ME CON-TRA-TA!
      se eu te mostrar a casa que fizemos com 86m2 com cozinha, closet, churrasqueira e quarto de hóspedes no escritório, você vai cair de amores!
      Beijo enorme =)

  3. Debora13/01/19 • 23h34

    Meu querido! Porque alimentastes as minhocas na minha cabeça! Como eu queria convencer o marido a dar uma reviravolra destas!

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h16

      Veja bem Débora, eu alimentei, mas você já tinha as minhocas aí contigo, então eu ão sou exclusivamente culpado.
      Pense, analise, desenha no chão com fita crepe. Tenho certeza que você convence teu homi.
      Super beijo!

  4. Flavinha14/01/19 • 08h53

    Não tinha pensado num rótulo pra isso, mas gosto e sou a favor.
    Eu sou pessoa que tenho pavor de guardar coisas, pra mim se estão guardadas não estão sendo usadas, então não devem estar ali. Eu tenho em casa o estritamente necessário e uns 4 ou 5 itens que guardo por razões sentimentais. Nada mais. Eu mando tudo embora.
    Porém eu já devo ter comentado aqui sobre a questão das plantas novas dos aptos. Eu não sei onde os arquitetos andam com a cabeça pra projetar um quarto que o espaço para o armário caberia somente as roupas de um bebê, quizá de um casal. Ninguém pensa que uma pessoa tem roupas, sapatos, roupa de cama, banho, malas e documentos pra guardar?
    Eu moro num apto de 1 dormitório mas em prédio antigo. Meu quarto é grande, tem um guarda roupa com 7 portas, até o teto, e mesmo no meu estilo de vida frugal, se tivesse que dividir com alguém não daria.

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h14

      Flavinha, vamos fazer um prédio nosso, sem exageros, com uma manutenção legal, uma lavanderia comunitária e sem frescura!
      Vamos ficar famosos.
      Beijo, obrigado pelo carinho de sempre.

      • Flavinha16/01/19 • 07h29

        hahahah Bora tio!! s2

        • luciana17/01/19 • 09h52

          olá, sou arquiteta e tenho que dizer no lugar de “onde o arquiteto está com a cabeça” existe também o onde o mercado imobiliário está. Acontece que o cliente neste caso, que é a incorporadora/construtora tem seu programa de necessidades e exigências. Claro que ao longo dos anos nós nos submetemos ao mercado e é uma situação de difícil reversão, porém não somo os únicos culpados. Inclusive quem compra esses espaços tem sua parcela. Inclusive tem um livro “Arquitetura e mercado imobiliário” que é bem legal.

          • Tio Lelo17/01/19 • 23h19

            Exatamente Luciana,
            O mercado é “moldado” pelas incorporadoras que criam um formato que os faça lucrar mais e o consumidor final começa a se adaptar pois todo o empreendimento fica “igual”.
            Não sei se você acompanha o blog a mais tempo, mas eu sempre tô aqui implorando pra ninguém comprar os apartamentos indignos que estão sendo lançados ultimamente.
            A culpa não recái apenas sobre o pessoal da arquitetura, é muito bom pontuar isso.
            Beijo!

          • Flavia18/01/19 • 12h07

            Então a culpa seria das incorporadoras e os arquitetos tem que se adaptar às solicitações deles. Não tinha pensado por esse lado.
            Provavelmente quem acaba escolhendo um imóvel nesses moldes novos é pq pensa que vai economizar com reforma, pq um apto antigo sempre vai precisar, tem a questão “facilidade” de pagamento e talvez tb a questão “fresh” de um prédio novinho e tal.
            Ai fazem aquele apto com a varanda que ocupa uns 40% da planta, não tem uma área de serviço digna pra lavar e estender roupa e vc acaba vendo aqueles prédios lindos, duplex, com varal de piso na varanda e roupa estendida por toda parte.
            Ridículo.

  5. Izabela Grambela Ribeiro14/01/19 • 09h27

    Tava pensando nisso esses dias, em como meus pais tão morando numa casa gigante e ficam sozinhos lá, tem sala enorme, escritório, sala de tv, uma suíte para cada filho + um suite de hospedes, e area de lazer. Na pratica usam cozinha e churrasqueira, que são integradas, sala de tv e o quarto só…

    Mas tem muito disso, trabalharam horrores para ter uma casa que cabia todo mundo, não sei se aceitariam trocar por coisa menor, pela impressão de regressão.. vamos ver!

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h13

      Izabela, com já mencionei nos comentários acima, especialmente quando falamos de gerações passadas, é quase impossível fazê-los se desapegar de algo que eles batalharam para ter e que representa uma conquista.
      O que já comentei também acima, e que creio que também cabe no seu caso, seria subdividir o imóvel para alugar ou então, oxigenar essas energias alugando essas suites tudo no Air BnB.
      Imagina aí, 80-120 reais por noite, para prover 1 roupa de cama e 1 jogo de toalhas… jogando o mínimo 80 reais por dia, 3 suites por 15 noites… são 3600 dinheiros entrando lindo no orçamento da familia.
      CLARO QUE, a barreira de ter “estranhos em casa” é serviço seu trabalhar na cabeça deles, mas o aplicativo é super seguro.

  6. Ana Luiza14/01/19 • 13h04

    Meus pais moram numa casa gigante, onde moravam 5 adultos (eu, meus pais, meu irmão e minha avó). Meu irmão e eu já saímos de casa faz tempo, minha avó faleceu, e eles continuam naquela casa enorme que tem um super custo de manutenção, falando que vão aproveitar bem a casa quando vierem os netos (que estão cada vez mais longe de chegar kkk). Enfim, entendo o lado deles do apego, das lembranças, e do conforto que uma casa grande trás. Mas confesso que me irrita aquele tanto de comodo cheio de coisa que não é usada kkk

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h07

      Mas Ana. precisamos aceitar. A casa da minha vó tem TANTO cacareco que me dá desespero.
      Porém até as poeiras sobre as bonecas mal limpas já tem um lugar no coração deles… e olha, que os bisnetos deles já estão na faixa dos 8 anos.
      O que eu posso sugerir para você é o mesmo que eu disse acima, pensem em subdvidir a casa, e ter além de uma renda extra, compania para eles. Mesmo que não precisem de renda, ter mais gente perto – sem a intimidade de familia – faz muito bem. Pondere com seu irmão, converse com eles… as vezes alugar por noite no Air BnB já faz a casa voltar a ter mais vida.
      Beijón!

  7. Pri14/01/19 • 13h31

    Moro nos EUA ha 13 anos e confirmo que esta e’ uma tendencia muito alta. Eu e meu marido moramos numa casa de 3 quartos e 3 banheiros e chegamos a conclusao de que nao precisamos de todo esse espaco. Nossa prioridade e’ aposentar cedo entao focamos em juntar/economizar o maximo que podemos mas mantendo um padrao de vida bom (frequentamos restaurantes, viajamos muito, etc). Nao temos filhos ( e nem planejamos) e comecamos a alugar nosso basement para Aibnb. Ate o momento ja juntamos mais de $4,000 (R$16,000). Todo dinheiro vai para uma conta separada. Enfim, esse e’ um tema que muito nos interessa e sempre conversamos e ajudamos nossos amigos a repensarem o estilo de vida que levam. Estamos pagando as mensalidades da casa a mais todo mes e o plano e’ quita-la em 4 anos e alugar. Queremos viajar de RV por um tempo, morar em outros paises, e viver com o $ dos alugueis (temos 2 outras casas simples que reformamos sozinhos). Nao dirigimos carros chiques e nao vemos a hora de nem precisar deles. Alem de economia, ter menos coisas e’ uma questao ambiental. Mas isso e’ papo para outro post…:-)

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h03

      O que falar sobre a Pri que eu conheco faz 1 comentário e já amo tanto?
      Menina me adota! Fala co maridão, porque vocês são o tipo de pessoa que o planeta precisa. Parabéns pela estratégia financeira, pela inteligência emocional e por compartilhar conosco.
      eu comeceu tarde a pensar nas coisas que poderia fazer para ter uma renda futura e agora estou correndo atrás do preju.
      beijo enorme!

  8. Maria Celia14/01/19 • 13h38

    Tenho pensado muito nisto……na minha idade e com tantas viagens estou pensando em diminuir espaço e fechar uma unica porta qdo viajar…problemas : amo meu jardim, o que fazer das tantas coisas lindas que acumulei ( só tapetes persas tenho 3 e amo ainda)…adoro onde moro (Ilhabela SP) e por aqui não existe nada pequeno. Mas achei muito importante tudo o que você disse.bjs

    • Tio Lelo15/01/19 • 23h00

      Maria Celia, realmente esse é um grande entrave. Quase todos os sites e depoimento falavam do apego emocional, porque afinal são casas que apesar de não serem mais perfeitas pro estilo de vida das pessoas hoje, fazem parte de etapas importantes da vida e que tem apelo emocional muito forte.
      Dependendo da configuração do seu imóvel você pode subdividí-lo e alugar uma parte assim vc tem rendimentos, menos trabalho e ainda tem quem cuide do jardim e da casa enquanto vc viaja plena pelo mundo.
      Considere isso.
      Beijo grande, obrigado por ler o Futilish =)

  9. Juliane14/01/19 • 14h53

    Eu não sei se essa moda pega por aqui, porque honestamente a maioria dos apartamentos brasileiros já são minúsculos. Claro que quem tem muito dinheiro ou mora em áreas com o custo de vida menor não, mas aí também não há muita vantagem no downsize de qualquer maneira.
    Eu moro fora há um tempo e mesmo em cidades super caras os apartamentos “pequenos” daqui acabam sendo mais espaçosos que os apartamentos medianos no Brasil, porque já são planejados com móveis menores, menos coisas duplicadas (ter tanque e pia no mesmo cômodo é totalmente redundante depois que você se acostuma) e muito mais lugar pra quardar as coisas sem precisar atravancar tudo com mais móveis (boiler Room e coat closet na entrada, por exemplo, por que no Brasil nunca tem uma portinha pra guardar as vassouras?).

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h57

      Hey Juliane! Mas é exatamente isso. Essas maldições de “terraço gourmet” é só para ter 2 pias, 2 faqueiros 2 jogos de louças… e na hora de guardar a vassoura e a tábua de passar querem fazer uma gaveta insolente de 160cm ao longo da cozinha, porque a lavanderia mal cabe uma máquina de lavar roupas. Essa otimização de espaço não deixa de ser um downsizing. Apesar de associarmos com a metragem propriamente.
      Beijão!

  10. Paula14/01/19 • 21h21

    Oi, Tio!! Adoro o site e raramente comento… Mas esse texto foi tão oportuno pra mim! Estou vivendo exatamente esse momento, só não sabia o termo exato. Há poucos dias mudei pra um apartamento com cerca de metade do tamanho do que eu morava e realmente foi um processo interessante de desapego. Eu tinha três armários grandes, um de livros e dois de roupas. Na hora de separar o que realmente iria ser levado pro novo espaço bateu uma reflexão (e um desespero!). Fiquei impressionada com o quanto de coisa tinha e também de quanto dinheiro desperdiçado… Ainda estou me adaptando, mas penso que é uma mudança sem volta, ou seja, o processo de valorizar melhor o que se tem e como se gasta nosso suado dinheirinho.

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h53

      Paula, eu sei bem do que está falando.
      Já tem uns dois anos que eu passei a pensar melhor nas minhas escolhas. Ponderar sobre comprar mais coisas de um preço menor, ou menos peças de uma qualidade maior.
      Desde alimentação, passando por vestuário e até coisas para casa (fogão, panelas, batedeira) e todas as recaídas que tive – tipo a reforma do banheiro – foram arrependimentos imensos.
      Tenho certeza que sua vida ficará menos complicada e mais feliz.
      Beijo imenso!

  11. Gabriela Mello Escobar15/01/19 • 12h23

    Moro em um bairro novo e planejado. A maioria das casas são para familias de 3/4 pessoas. 99% tem uma suite e dois dormitorios no andar superior. Algumas configurações ainda tem um quarto no terreo, para atender idosos.
    Saímos de uma casa de 240 para uma de 160. Mas acho que 180 seria o número magico! Sinto falta de um pouco de espaço. Principalmente, o escritorio fechado. Atualmente temos uma bancada embaixo da escada de uns 2,20. Nela está a cafeteira, computador e impressora, mais espaço de armazenamento, uma torre de gavetas e duas portas de correr. Armazenamento não é o problema, mas gostava de fechar a porta e esconder a bagunça quando necessário 🙂

    Ps: as imagens das plantas estão trocadas

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h41

      Hey Gabriela!
      Que bom que seu bairro já tem uma consciência de espaço.. aqui em Foz tem alguns também, mas são poucos.
      Já já você encontra uma saída eficiente pro teu escritório… e me indica que o meu tbm é um caos HAHAHAH

      Beijo grande!

  12. Alesandra15/01/19 • 13h25

    Esse post foi um alívio para o meu <3. Moro numa casa bem pequena e ainda tive que dividir parte dela com o meu ateliê, mas estamos bem, só somos eu e o boy e esta tudo certo. Agora estamos construindo nosso segundo lar, que terá 144m², mas tem algumas pessoas da minha família que ficam comparando a minha obra com a do meu irmão, a dele tem mais de 300m². Mas eu não tenho a menor vontade de uma casa enorme cheia de espaços quase inúteis. E esse texto só veio me deixar ainda mais segura das minhas escolhas.

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h34

      Conta pras pessoas que você é tendencia Aleh!
      O mais importante é isso mesmo, você ter o que você deseja. Cada indivíduo tem seus desejos e luxos.
      As vezes para seu irmão 300m2 ainda não vai comportar tudo que ele quer, e talvez 144m2 para vc e teu mozy vai sobrar.
      Felicidade e realização pessoal não é uma receita de bolo, cada um tem seu jeitinho especial
      Super beijo!

  13. Carol15/01/19 • 15h08

    Nesse sentido de downsizing o projeto da casa nova não terá mais piscina, nem jardim grande, nem closet imenso, nem banheira no quarto, nem quarto de visita que depois acabaria se tornando um depósito.
    Ser minimalista acaba nos tornando libertador pois foca no que realmente eu quero na minha casa que é um living room amplo para a família e reduzir o tempo e dinheiro de manter piscina e jardim em casa e destinar para viagens que me permitirão conhecer o mundo.

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h30

      Que delícia Carol, deixa eu ser teu amigo!

      Beeeeijo!

  14. Aline15/01/19 • 18h50

    Super concordo. Pena que pensamos muito no status :/

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h29

      Poiz[e ALine, e não é só no Brésil menina! Quase todos os sites que eu consultei pontuava isso do “status”.
      Obrigado por ler o Fufu
      Beijo!

  15. Carol15/01/19 • 21h14

    Nossa esse blog morreu e esqueceram de apagar a luz!! Mortíssimo, mal atualiza…

    • Tio Lelo15/01/19 • 22h27

      Oi Carol, Turupom? Feliz 2019.
      Então, o blog não está tendo posts pois a Cony está de Férias, sabe? Apesar do Bozonaro trazer todo comportamento e intelecto medieval a tona, ainda podemos relaxar e curtir um tempo em paz. A Cony tem feito toda uma cobertura no instagram, para não deixar as Fufu órfãs. Ja passeamos pelo Chile, Bolívia e Peru, e agora estamos no Chile novamente. Então não se preocupa que eu passo aqui regar as plantas quase todos os dias e quando a patroa voltar o blog vai estar tão maravilhoso quanto sempre.
      Beijos de luz.

      • Dani17/01/19 • 00h05

        Hahahahahaha amei! Que espírito sem luz

        • Tio Lelo17/01/19 • 08h40

          hehehe

  16. Sueli16/01/19 • 00h36

    Um casal amigo abriu mão de uma casa grande com tudo piscina, jardim, para morar em um apartamento “pequeno”. A mudança veio após visitar a filha que estava morando na Espanha e viajando a Europa. Viram que mantinham uma estrutura enorme, mal aproveitada e o desperdício de grana era alto. Optaram por carimbar o passaporte pelo mundo afora. Rejuvenesceram, estão felizes. Os antigos amigos, muito julgaram, se afastaram, mas vieram outros e segue a vida. Ter visto isso me fez rever minhas escolhas e me fez muito bem. Um cheiro!

    • Tio Lelo16/01/19 • 01h04

      Hey Sueli, que história motivante!
      É tão bom saber que as pessoas estão acrescentando vivências em suas vidas, não apenas coisas.
      Garanto que não foi fácil para eles! Que bom que enfrentaram as inseguranças e o receio de como seriam vistos pelos antigos “amigos”
      Vem pra Foz com eles, vamos aproveitar!
      Beijo Peixinho!

  17. Fany Lajter17/01/19 • 02h13

    Já estava com saudades dos seus posts. Lelo vc parece que leu meus pensamentos ou o meu trauma.Moro num ape antigo em Copacabana de 200 metros e já tem anos que brigo com o marido justamente pelo fato do ape estar enorme só para nós dois( filhos todos casados).Estou doida para trocar por 2 menores e alugar um e o marido não concirda.Fora o fato do desperdício ainda temos um condomínio que não deixa colocar na fachada ar condicionado. ( cozinhando no Rio com 40 graus). Ja estava me achando doida querendo mudar para um menor. Agora vi que é tendência é como achei , tem lógica. Vou fazer o marido ler esse post. Quem sabe… bjks

    • Tio Lelo17/01/19 • 08h39

      Fany meu amô,
      Obrigado pelo carinho, e por lembrar de mim. AMAY receber sua msg no final do ano, significou muito.
      Sobre o apto, que tal fazer uma mudança nos planos? Convence ele a comprar um menor, não a se desfazer desse…
      DAE vc muda para uma temporada com ele pra lá… e qdo ele perceber, já descobriu que pode viver num espaço mais enxuto.
      aí vc aluga o grande, ou troca por 2 menores e fica com 3 hehehehehe

      • Fany Lajter17/01/19 • 10h27

        Lelo, sua ideia é ainda melhor que a minha!Mas, lido com um marido avesso a mudanças! Lembra do quarto que vira sala de TV maravilhoso que vc projetou para mim no Tem Jeito Décor, não saiu, justo por isso, não muda nada!!!! 🙁

  18. Michele17/01/19 • 11h58

    Lelo,

    Eu não entendo muito disso, mas eu acredito que a metragem quadrada deve estar relacionada ao numero de pessoas, muito é exagero e desperdício e pouco é um problema. Hoje moro em 60 m2 com dois filhos. Eu quase arranco os cabelos fora. Não mudo justamente pela maldita localização. Eu sempre escuto que filhos vão crescer e que o apartamento é ok, mas uso metade da minha sala em um escritório para o marido, eu uso a cozinha para trabalhar e tenho crianças pequenas com esses brinquedos enormes. A cozinha e de sofrer!!!
    Quando nos mudamos erámos somente os dois com um closet/escritório no outro quarto. Eu gostaria de não ter caído. Veio a crise e marido teve q trabalhar em casa, eu tenho outra profissão…a verdade é que para mim, o ideal era um apartamento de 110 m2. Mas pensando que era exagero e pelo preço optamos por esse.
    A vida dá muitas voltas, muitas coisas acontecem e nem sentimos. espaço a mais não é o problema. Problema são os projetos malfeitos que vemos por aí. A minha cozinha tem 1,20m de profundidade…imagina!!!
    Um grande beijo e aguardamos layouts mais condizentes com a vida do brasileiro. Arquitetos antes de projetar, morem em apartamento pequenos e mal dividos. Aí vocês vão sentir na pele o problema.

    • Tio Lelo17/01/19 • 23h32

      Hey Michele, você está corretíssima!
      Também acho que a metragem deve estar adequada a quantidade de moradores, e digo mais: Você é ninja do bem estar. Na minha opinião 50m2 é o número ideal para um casal, então 110m2 para uma familia de 4 pessoas é um número perfeito.
      Sinceramente, eu quero MUITO que teu marido e você tenham um futuro maravilhoso e que possam não se desfazer desse apto, mas comprar um outro, de 110m2 que comporte melhor sua familia. Aí, quanto as criança voarem do ninho, vocês voltam para esse de 60 para viverem tranquilos os dois.
      =)
      PS: Cozinha de 120 é de cair o bico da teta. Eu tenho um primo que é engenheiro e trabalha para essas grandes corporações que só visam em: metragem mínima e maior lucro (cozinha é mais caro para construir, pois tem revestimento, fiação especial, encanamento…) e eu consegui fazer ele entender que 190cm é o mínimo de largura, mas que o ideal é 210cm assim podemos aproveitar as duas laterais para mobiliário.
      Beijo grande, obrigado por participar!

  19. Anelise17/01/19 • 18h07

    Pois é….mas comigo isso não rolou…quando casei 20 anos atrás fui morar numa casa bem pequena….sem corredor, um banheiro só, cozinha compacta, muito bonita e tal mas eu simplesmente detestava percorrer a casa toda em poucos passos. Resultado: vendi a casa, peguei mais uns trocados guardados e fiz outra bem maior….e nao me arrependo sabe…gosto da sensação de amplitude da casa, das minha janelas enormes na sala e no escritório….acho que se eu tivesse mais terreno ela até seria maior….mas espero sinceramente que pessoas como eu sejam em número cada vez menor pois sei o quanto casas grandes com todo seu consumo de energia e produção de lixo são nefastos para o meio ambiente isso sem contar o gasto familiar….enfim…..são tempos de diminuir consumo mesmo….isso é o certo.

    • Tio Lelo17/01/19 • 23h24

      Anelise meu amô!
      Como eu pontuei, não é para as pessoas perderem a dignidade. Ninguém merece um banheiro só, ou ficar trombando nos móveis.
      O movimento do downsizing está ligado com o excesso, ambientes que antes eram úteis, mas com o passar do tempo ficam fechados e sem uso.
      Tipo um casal de velhinhos numa com mais 4 suítes vazias… ou uma sala de estar que ninguém usa, um escritório sem uso e um home theater com pouco uso… compilar isso tudo num ambiente só.

      Beijo grande, obrigado por ler o Futilish

      :*

  20. Marluce lima19/01/19 • 19h36

    Amei o texto , início do ano momento de refletir , planejar . Eu me identifiquei , mas meu marido não está pronto ele acha que que se sentira retrocedendo porque já passou privações , somos um casal sem filhos e moramos em uma casa imensa .

    • Tio Lelo22/01/19 • 12h17

      Hey Marluce!
      Devagar a gente vai fazendo as pessoas pensarem melhor.
      Eu sou super contra se “desfazer” de um imóvel. Eles são conquistas importantes na vida da gente.
      Vale a pena pensar em adquirir um novo local menor, que seja do tamanho das coisas que vocês precisam…
      Vendo dessa forma, um novo investimento, talvez seja mais fácil.
      Beijo, obrigado por participar =)

  21. 20/01/19 • 19h02

    Adorei o post! Sempre morei em casa e meu esposo tb, mas quando casamos compramos um ap pequeno e não troco por nada! Exatamente o espaço q precisamos. Naquele documentário “Minimalismo” eles falam sobre o quanto de espaço das casas americanas é subutilizado. Menos espaço p mim significa menos tempo limpando, decorando e menos tralha acumulada.

    • Tio Lelo22/01/19 • 12h19

      Rê! E com certeza o tempo (e dinheiro) que vocês economizam se transformam em bons momentos!
      Obrigado por ler o Fufu, beijão!

  22. Leila20/01/19 • 22h58

    Confesso que eu queria era um apartamento maior, com mais espaço. Ano passado troquei um apartamento com 3 quartos para um de 2 por causa da localização e por se num prédio novo, mas olha como eu sinto falta de mais um cômodo….

    • Tio Lelo22/01/19 • 12h22

      Hey Leila!
      provavelmente para o seu dia dia, você precisa de mais um cômodo…
      Não tenho como saber se é necessidade, ou um pouco de “costume”. Mas se já faz um ano, provavelmente voc~e necessita mesmo de mais enpaço.
      Vale a pena exercitar de transformar algum espaço em multiuso, e ver se você fica mais feliz.
      :*

  23. Luana21/01/19 • 10h04

    Foi exatamente o que aconteceu com os meus pais. Só não sabia que esse movimento tinha nome. Adorei a abordagem do assuntos

    • Tio Lelo22/01/19 • 12h19

      Obrigado pelo carinho e por participar comentando Luana.
      Bêjo!

  24. Claudia21/01/19 • 22h20

    Nunca tinha ouvido falar, mas já prático sem saber!!! Moro muiiiiito feliz com meu marido e 2 filhos em um apto com 1 suite, 1 quarto pros 2 meninos e 1 quarto q serve de escritorio/hospedes! Fiz uma reforma q integrou cozinha/ sala de jantar/ estar e estpu amando! Amo meu apto e realmente acho q nao preciso de mais espaço! Acho q precisamos é sair mais de dentro das nossas casas! Tenho a sorte de morar em uma cidade ( Brasília) com muitos parques e segura! Amei saber q essa onda existe!

    • Tio Lelo22/01/19 • 12h24

      Ô Cláudia, Brasília também mora no meu coração! Minha primeira obra executada fica aí =D
      Que bom que vocês já acharam o ponto de equilíbrio, eu ainda tô exercitando por aqui, mas logo eu consigo.
      super beijo!

  25. Denise24/01/19 • 15h20

    Pois então, somos um casal que viaja muito e já na casa dos 60, mas que mergulha, faz trekking, etc e tal, ou seja, procuramos praticidade.
    Moramos em um apartamento grande, só o living tem quase 100 metros quadrados, e muitas vezes pensamos em mudar para algo menor, mas daí…
    As opções em prédios novos vem com quartos apertadinhos, montes de ofertas de áreas comuns que forçam uma convivência nem sempre desejada com vizinhos (espaço gourmert, cinemateca, etc), que só fazem aumentar o condomínio, enfim, estamos com dificuldade de associar conforto com downzinsing. Difícil abrir mão de tudo de uma vez.
    Beijinho

    • Tio Lelo04/02/19 • 13h32

      Hey Denise, quando eu crescer quero ser como vocês!
      No máximo eu tenho feito corridas e nem passamos dos 10km. Fiz curso de mergulho quando era xóvem, mas isso é uma história com mais de 20 anos atualmente, HAAHAHHA
      Eu sei o quanto você está sofrendo viu! Não sei onde vocês moram porém, é provável que encontrem algo em planta legal.
      O que eu posso sugerir, já que vocês gostam de receber e não tem interesse em usar áreas comuns do condomínio – também me identifico com isso – é pensar em um apartamento Garden, onde podem estender as recepções para o ar livre.
      E olha, não se desfaz do apartamentão não hein!
      Bora fazer dinheiro com ele para mergulha mais…
      Super beijo!