Moda
Fashion News
31 ago 2018, 20 comentários

Tendência – Neon

Quem viu uma da últimas aparições da Kim Kardashian? Nossa miga está cada vez mais bronzeada, mais cintura fina e o cabelo mais comprido. Outra coisa que chamou a atenção é o tanto que ela está usando neon. Primeiro foi uma peruca verde limao que combinava com um carro. Depois um vestido rosa choque e em seguida, mas dois looks verde limão.

Tipo isso. 

Do outro lado do bom gosto ao seu vestir, aparece Blake Lively, talvez confirmando a tendência da volta do neon em um look monocromático também verde.

Ficou cega aí?

Eu gosto de neon mas só uso quando tem modinha, fora isso, me acho estranha. Podem me chamar de fashion victim neste caso. Agora, nós reles mortais, como usar essa tendência no dia a dia? Vem ver:

Assim eu gosto muito! Um tricô ou moletom fluo é bem bacana! Na Zara tem!

Apesar do verde e amarelo estarem em maior evidência, eu curto neon laranja e rosa também.

As mais ousadas podem usar casacos…

E as menos ousadas que quiserem entrar na onda podem usar bolsas ou sapatos.

O que é um pontinho fosforescente no look? 

  • Tenho uma bolsa que dá para usar nessa trend e uma saia amarela que está perdida por aí. Acho que uso hein! E vocês???
EditorialBeleza
Novidades de Beleza
30 ago 2018, 3 comentários

Novidades de Beleza – Mais do Melhor Delineador do Mundo!

Ah como amo essa Kat Von D Beauty! Foi ela que fez o delineador mais maravilhoso do universo (o meu queridinho Tattoo Liner) e agora vem com duas novidades BOM BÁS TI CAS!

Se segura para não cair pra trás!

Com vocês, o Dagger Tattoo Liner e a Lash Liner!

O Dagger Tattoo Liner é um delineador com a ponta chanfrada, para um traço mais grosso e preciso. Porém, dependendo da maneira que aplicar, dá para fazer o traço fininho. Já o Lash Liner é tipo um delineador para a linha d’agua! SIMMMMM, tipo lápis de olho mas com aquela fixação que só os produtos da Kat Von D tem! Pode chorar, esfregar o olho, qualquer coisa, que a linha d’agua continuará pretinha e maquiada. Vem ver essas belezuras:

Esse é o Dagger Liner e achei MARAAAAAA e já quero óbvio! Tem um tutorial bem legal mostrando como usa ele. Veja abaixo.

 

E esse é o Dash Liner! Tô muito curiosa com esse produto… Será que GRUDA mesmo? 

 

  • Eu gosto muito de todos os produtos da Kat Von D Beauty. A fixação é perfeita e a cobertura das bases é ótima! Já estou na terceira base Lock It, e nem sei quanto Tattoo Liner já consumi. AMO e espero que em breve esses produtos estejam disponíveis na Sephora daqui! Por enquanto, só na gringa e cada um custa US$ 20. Quem for, me avisa, quero encomendar 🙂
ComportamentoEditorial
Chora Que Eu Te Escuto
29 ago 2018, 69 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Voltando a programação normal, quarta feira e temos Chora!

Chora 01 – Olivia

“Cony, estou escrevendo esse chora como um pedido de ajuda para todas as separadas/divorciadas. Tenho 27 anos e sai faz pouco tempo de um relacionamento de 10 anos, sendo 5 de casados. Acontece que, logo no início da minha vida de solteira eu “descobri” um cara muito especial. Trabalhamos juntos desde o ano passado, mas ele era comprometido e eu também, então nunca tivemos nada. Conversa vai, conversa vem, saímos, começamos a ficar e agora estamos em um quase namoro. Ele é um cara super inteligente, carinhoso, bom de cama (eu precisava de um assim rs), e dedicado. Porém, (todas já esperavam um porém) eu não estou conseguindo me adaptar ao jeito dele.  Sou do tipo que gosto de amor bandido, aquele que gruda, que você espera sexta para dormir juntos até domingo, sabe do que estou falando?! rs E ele é tranquilo, trabalhamos juntos todos os dias mas não ficamos, ele dá aula em universidade todos os dias e então só temos sexta a noite livre.  Eu entendo o lado dele, estou dando o espaço que ele precisa para rotina dele. Gosto muito do tempo que ficamos juntos, mas esse morno dele me incomoda rs. Será que estou errando por estar acostumada com aquela rotina de todo dia  com a pessoa em razão do casamento? Ainda existe esse amor chiclete por ai? O morno pode esquentar? rs Help meninas.”

Miga, você quer é namoro pegajoso, amor bandido é OUUUUUTRA coisa. Deixa o bichinho respirar. Vocês já se vêem todos os dias, o cara trabalha muito. E amor chiclete não quer dizer que é bom, muito pelo contrário, eu acho péssimo. A pessoa pode se sentir sufocada e cair fora. Relaxa você, seja leve, vai com o fluxo das coisas. Melhor construir algo sólido e aos poucos do que pirar no início e esfriar de vez.

Chora 02 – Cindy

Cony queria começar dizendo que adoro o seu blog e que você é muito maravilhosa por ter criado esse espaço pra fortalecer tantas mulheres. Acho que nunca li um chora parecido com o meu, então vamos lá:

Há dois meses terminei um relacionamento de 7 anos (importante dizer que começamos a namorar muito cedo e eu praticamente não vivi outros relacionamentos) porque encontrei uma mensagem no celular do meu namorado pra outra mulher. Era uma época muito conturbada, a mãe dele tinha acabado de descobrir um câncer e ele, que sempre teve dificuldades em falar sobre sentimentos, disse que nada aconteceu e que estava fora de si.

As primeiras semanas foram bem difíceis, porque tudo na minha vida estava ligado à ele. O dia a dia não era mais o mesmo, os programas tiveram de ser mudados e eu me acostumei a uma nova realidade. Conheci algumas pessoas, e com o tempo fui me fortalecendo um pouco mais, me acostumando a ficar sozinha novamente. O problema é que sempre fui muito próxima da mãe dele, e ela está cada vez pior de saúde (foi inclusive hospitalizada há algum tempo) e eu me sentia no dever de visitá-la. Essas visitas obviamente não fazem bem pra mim, porque vou na casa dele, vejo as coisas dele e inclusive o encontro algumas vezes.

Essa semana, depois de uma dessas visitas, ele pediu pra gente conversar. Disse que a doença da mãe o fez amadurecer muito, que ele sentia que estava perdendo as pessoas que mais amava e que tinha decidido mudar aquilo que podia. Por isso, estava me dizendo que me amava e que queria muito voltar comigo.

O problema Cony (e a razão desse chora) é que eu não sei se quero voltar. Eu gostava muito dele, amava nossa rotina, nossas viagens, o dia a dia com ele era muito bom. Ele sempre foi um namorado muito carinhoso, a gente aproveitava muito a companhia um do outro e sempre ríamos juntos. Mas desde o término sinto que, como uma forma de proteção, guardei todos os meus sentimentos em uma caixa e não sei se sinto mais o mesmo que sentia antes. Além disso não sinto que temos aquela atração sexual forte um pelo outro, sabe? E eu fico sem saber se é por causa do tempo, se o amor com os anos se transforma desse jeito, ou se eu acabei gostando dele mais como amigo do que como namorado. Além disso, não sei se é a oportunidade de eu viver outras experiências que ainda não tinha tido a oportunidade de viver.

Ele é uma pessoa muito boa, trabalhador, educado, simpático, todos que o conhecem o adoram e eu fico com muito receio de abrir mão de um relacionamento de tanto tempo com uma pessoa legal para entrar no desconhecido/incerto. Será que eu quisesse ficar com ele eu saberia? Se eu ainda fosse apaixonada por ele você acha que eu sentiria isso que estou sentindo? Eu não sei, estou bem confusa e gostaria muita da sua ajuda e das meninas. Sei inclusive que você já terminou um relacionamento de muito tempo. Como vc soube que já não dava mais? Quando teve certeza de que era aquilo que queria?

Acho que quando acontece algo muito grave ou quando é você que leva o pé na bunda é mais fácil de decidir. Eu realmente acredito que ele não tenha ficado com a mulher da mensagem e estou com o queijo e a faca na mão para decidir basicamente uma parte muito importante da minha vida e não sei o que fazer.

Bom, muito obrigada pela ajuda. Amo o futilish! Beijo grande.

Miga você está ferida. Muito ferida. E olha, EU penso que uma vez que a confiança é abalada, é muito difícil voltar a confiar. Sempre existirá a pulga atrás da orelha. “E se fizer de novo?” “O que ele está mexendo tanto no celular?” e conviver com isso é angustiante. Eu já passei por isso e não consegui superar. O meu namoro de 15 anos foi abalado por uma traição (que foi confirmada) e justamente por ele ser um cara legal, simpático, trabalhador, que todo mundo gostava, eu passei por cima e resolvi dar uma chance SÓ QUE eu não sei lidar com traição e como falei, lâmpada que apaga, não acende mais. E se acende, a gente fica achando que a qualquer hora vai dar problema de novo. Existem pessoas que conseguem perdoar e continuar, tem gente que consegue reestruturar a relação, mas sinceramente, pelo que entendi do seu relato, você não é dessas pessoas. Você nem teve a confirmação da traição e terminou. Além disso, você pensa que é uma oportunidade para saber mais da vida (e isso te garanto que você vai amar, minha melhor fase da vida foi quando terminei esse namoro) e tem dúvidas se o ama. Acho que neste momento você não deve voltar. Pense em você e tire da cabeça pensamentos de que está perdendo algo bom. Acima do bom, existe o ótimo e pode ser que você perceba que o que tem nem é tão legal assim, mas só vai saber disso se se permitir conhecer outras coisas, pessoas, se viver outras situações. A vida é uma coisa muito louca, e o que tem que ser, será. Respire, não frite sentimentos que te trazem dúvida e outra frase: quando você começa a pensar se vale a pena ou não, é porque já deixou de valer.

 

Chora 03 – Joan

“Oi Cony, tudo bem? O meu “chora” talvez seja meio polêmico porque me coloquei em uma situação complicada devido aos meus próprios erros, mas peço que me ajudem sem julgamento pois o sofrimento está grande…

Tenho 31 anos e presto serviços para um município que fica a 300km da cidade onde moro, e só vou lá de 15 em 15 dias, no resto do tempo faço a assessoria pela internet e telefone. Nesses intervalos, às vezes alguns dos meus colegas vêm a minha cidade a trabalho e me procuram pra entregar documentos ou processos e numa dessas ocasiões, aceitei o convite de um deles, de quem eu era muito amiga, pra comer alguma coisa no final do expediente. Ele era evangélico, casado, uma filha de 8 anos, muito tranquilo, 35 anos, juro que não havia da minha parte qualquer interesse. Quando conversávamos nós falávamos sempre sobre trabalho, mas nessa noite falamos sobre a vida, eu sobre meus projetos, viagens, namoros e ele sobre o casamento dele e sobre a profissão.

Daí, após eu ter bebido muitos chopps (somente eu pq ele não bebia), acabamos ficando. Fomos fracos e me senti péssima no dia seguinte, arrependida, e falei pra ele, que prometeu se afastar. No dia seguinte voltou pra cidade dele só que nunca parou de me mandar mensagens e de dizer o quanto gostava de mim e que queria ficar comigo e quanto aquela noite tinha sido especial pra ele. Ele estava casado há 9 anos e envolvido em um círculo muito restrito com a igreja, família e trabalho, levando uma vida muito monótona e sair da zona de conforto ao menos por um dia, segundo ele, foi muito libertador. Confesso que esse discurso me encantou.

Passamos a conversar sempre sobre aquela noite, sobre o que sentimos, sobre a vida e eu fui e envolvendo. Mandávamos músicas um pro outro, falávamos sobre o nosso dia. Ele chegou a compor uma música pra mim, sobre a saudade que sentia e mandou um áudio pelo whatsapp tocando violão… fui me apaixonando e ele também. Mas fiquei tão triste em estar apaixonada por um homem casado que tentei me afastar como pude. Eu não podia bloquear no whatsapp por causa do trabalho, então passei a simplesmente não responder as mensagens dele, e isso o deixou louco.

Então na vez que estive novamente na cidade dele, me procurou. Apareceu de surpresa na minha frente, e as pernas bambearam, coração acelerou. Resolvi ouvir o que ele tinha pra dizer e a proposta era que eu o esperasse. Ele não amava mais a esposa e iria se separar. Pediu tempo pra resolver tudo pra que ficássemos juntos até ele resolver tudo e disse ainda que não precisávamos ficar juntos enquanto isso.

Eu cedi. Topei esperar. Mas não consegui me manter afastada dele por muito tempo, então mesmo antes de ele contar pra esposa sobre mim e sair de casa, continuamos a nos ver. Ele vinha pra minha cidade e passava finais de semana inteiros comigo. Juntos íamos ao cinema, barzinhos, restaurantes, coisas que ele não fazia há anos por causa do meio conservador e religioso em que vivia, e ele dizia se sentir mais ele mesmo por causa disso. Quando ele era mais jovem tinha banda, era boêmio, adorava dançar, mas deixou de fazer todas essas coisas que gostava por causa da religião e do casamento. Estar comigo, uma mulher mais liberal, independente e ainda retomar o contato com as coisas que ele gostava o fazia se sentir vivo. E eu, em contrapartida, me sentia amada e desejada como há muito tempo não me sentia.

Mas mesmo assim, tive que pressioná-lo um pouco pra que ele cumprisse o que tínhamos acordado, e não demorou muito e ele cumpriu. Contou pra esposa que estava apaixonado por outra mulher e saiu de casa. Deixou tudo pra esposa e pra filha e foi morar em um quartinho, sem carro, passando aperto pra não deixá-las desamparadas e também pra poder fazer a coisa certa pra nós.

Depois disso, nos assumimos de vez. Apresentei ele pros meus pais, amigos, e toda a família. As pessoas no trabalho foram descobrindo aos poucos. Como ainda moro com meus pais, ele vinha dormir na minha casa todos os finais de semana, e muitas vezes, se ele precisava resolver algo do trabalho na minha cidade, ficava na minha casa durante a semana tbm. Estávamos vivendo um sonho, fazendo planos, fizemos até uma viagem em janeiro e em fevereiro passamos o carnaval juntinhos alternando entre folia e netflix. Temos uma sintonia incrível e o sexo é simplesmente formidável.

Mas como nem tudo são flores, numa das noites em que ele estava aqui em casa, meu pai resolveu se incomodar com a presença dele. Achou que estava demais. E realmente, nessa semana ele já estava na nossa casa há vários dias… Meu pai tinha bebido um pouco e resolveu chamar minha atenção. Quando contei pro meu namorado o que ele tinha dito, ele ficou muito ofendido. Fomos dormir em um hotel naquela noite.

A partir daí ele mudou muito comigo. Ficou frio, distante. As mensagens de bom dia pararam de chegar, as conversas pelo face time pararam de acontecer e ele não vinha mais todos os fins de semana me ver. Eu fiquei desesperada, tentando conciliar a situação entre meu pai e meu namorado. Conversei com meu pai, que se desculpou, reconheceu o exagero e disse que ele poderia voltar a frequentar nossa casa. Contei isso pra ele muito feliz, mas ele me pediu pra ter paciência. Nao queria voltar a dormir na minha casa nem tao cedo. Me disse que tinha o orgulho dele tinha sido ferido. Que o nosso namoro tinha um propósito, que era o casamento, e saber que nao era aceito pelo meu pai o deixava muito triste e propenso a repensar as escolhas dele. Disse que achava que nao se encaixava no meu mundo, pois éramos muito diferentes.

Eu fiquei arrasada, mas optei por não desistir. Dei tempo pra ele. Mesmo doendo muito não ser mais tratada com o carinho de antes, permaneci, e desse jeito se passou quase um mês. Eu tentava fazer as coisas serem como antes, mas nada adiantava, ele continuava com o comportamento frio, mas nao terminava comigo. Até que chegou a data de uma viagem que eu ja tinha marcada mesmo antes de ficarmos juntos com as minhas duas melhores amigas. Eu fui e nessa viagem pensei muito e resolvi terminar. Nao valia a pena tanta tristeza, por mais que nos dois tivéssemos lutado muito pra estar juntos, eu nao estava feliz. Terminei por telefone e fui curtir minha viagem. Sinceramente, achei que ele nem ia ligar muito.

Me enganei. Foram muitas mensagens e muitos áudios pedindo desculpas, falando da saudade. Quando cheguei de viagem, conversamos e acabei voltando, e me senti bem com a decisão pq percebi que ainda existia muito sentimento e que as palavras dele eram sinceras. Mas mesmo com aquela alegria de termos nos acertado, percebi que ele ainda estava triste. Algo o incomodava. Mas não me disse o que era.

Tempos depois, recebo uma mensagem anônima no WhatsApp. Alguém contava toda a história dele com a ex-esposa. Os sonhos, a filha que tiveram, as dificuldades que passaram juntos. Que eles se amavam e que eu interferi na felicidade deles. Que depois que ele me conheceu se tornou um homem frio e materialista, vivendo um mundo de fantasias. Deixou a esposa e a filha por mim, mas que nao tinha parado de vê-la. E que ela estava grávida dele.

Nem preciso dizer que meu mundo caiu. Mostrei a msg pra ele. Mal conseguia falar, e foi difícil fazê-lo confessar que ele tinha dormido com a ex estando comigo. E me disse que tinha chegado no ouvido dele que ela estava grávida, mas que ela tinha negado. Disse que tinha acontecido uma única vez, na época da confusão com meu pai. Que naquela época ele estava muito confuso e pensando em voltar pra família por achar que nao era aceito, mas que desistiu pq percebeu o quanto me amava. Que ia me contar, mas que não tinha tido coragem por medo de me perder. Pediu perdão. Perdoei.

Uma semana depois, ele me liga. Era verdade, ela estava grávida sim. Ele tinha visto o exame no dia anterior. E dessa vez terminei. Disse que nao queria passar por toda aquela situação, que ja tinha passado da hora de cada um ir pro seu lado e ele cuidar da família dele. Ele concordou, acrescentando que nao teria mais coragem de encarar minha família depois disso. E dessa vez eu o bloqueei no WhatsApp, telefone e em todas as redes sociais. Foda-se o trabalho.

Ficamos duas semanas sem nos falar, sem nos ver, sem qualquer tipo de contato. Até que chegou a hora de voltar à cidade onde ele mora, a trabalho. Ele tem um cargo importante e dessa vez não pude evitar o contato, tinha que falar com ele e desbloqueei. Mas esperei pra conversar sobre um processo ate o ultimo minuto. Antes disso, ele veio. Primeiro uma pergunta sobre o tal processo. Respondi. Disse que estava feliz por ter sido desbloqueado. Ignorei. Me mandou uma msg de madrugada falando sobre a saudade que estava sentindo e sobre a falta que eu fazia. Ignorei.

No dia seguinte, quando nos vimos no trabalho, o tratei com cordialidade e gentileza, mas com uma certa frieza. Isso doeu nele. Aproveitou pra mandar uma msg sobre a falta que eu fazia e o quanto era louco por mim. O quanto se arrependia daquele momento de recaída com a ex, que o fez perder a pessoa que ele tanto amava. Que nunca ia conseguir se perdoar. Conversamos um pouco, mas não cedi. Quando voltei pra minha cidade naquele mesmo dia, ele veio tbm (em outro carro). Me chamou para almoçar no dia seguinte. Eu tinha tantas coisas atravessadas na garganta pra pôr pra fora, que fui. Falei tudo o que pensava, e o principal era: vc ja provou que nao eh a pessoa certa pra mim. Vamos viver cada um do seu lado. Nao importa se vc nao voltou pra casa da sua família depois que terminamos, e nem se vc me ama. Vc fez um filho com outra mulher estando comigo. Vá resolver isso e me deixe em paz. Choramos os dois na mesa do restaurante. Mas nos acertamos. Cada um pra um lado. Ele prometeu não me procurar e nos abraçamos em despedida.

Só que ele quebrou a promessa. Naquele mesmo dia, à noite, ele me mandou tantas mensagens e eu senti tanta saudade que por fim dormimos juntos. E resolvemos ficar juntos apesar da gravidez, da traição, da distância e do sentimento dele de inadequação perante ao meu estilo de vida. Eu perdoei de coração e sei que o amo. E sei que ele me ama também. Mas tenho medo do futuro.

Fui na minha psicológa, que, já que o amo e nao quero abrir mao do relacionamento agora, me aconselhou a ir devagar, vivendo um dia após o outro, pra saber como ele vai conduzir a situação. E é isso que tenho feito. Quando estamos juntos, é maravilhoso. Nos falamos o tempo todo quando não estamos juntos temos nossos segredinhos de casal, nossos apelidos, nossas músicas. Ultimamente ele tem me passado mais segurança, mas ainda assim é difícil.

Fico pensando se ele não vai ter outra recaída. E em como vai ser quando essa criança nascer. Tem ainda o fato da distância e de não podermos estar juntos com a frequência que gostaria, pq ele ganha menos que eu então nem sempre pode vir pra minha cidade ficar comigo. Acho que ainda dá tempo de pular fora, mas o amo muito e não sei se ainda to pronta. Queria a opinião de vocês.”

Primeira regra da vida: não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com você. Sabendo que o cara era casado, a história acabaria na primeira frase. Mas ok, não rolou, você tomou outro caminho, agora vamos ver o que fazer. O que começa errado, acaba mal. Sempre achei isso e até hoje ninguém provou o contrário. O que eu acho? QUE ESSE CARA É CILADA DAS MAIS BEM ARMADAS DO MUNDO! Vamos desenhar: cara casado, joga o canto da sereia em você, você cai. Ele separa, vai praticamente morar na sua casa, seu pai fica incomodado (o que eu SUPER entendo), chama sua atenção, o cara fica ofendidinho, marrento. Transa com a ex mulher, a ENGRAVIDA, e justifica pelo episódio do seu pai. VOLTA COM A MULHER GRÁVIDA E AINDA DÁ EM CIMA DE VOCÊ! Jura que você acha que ele encerrou o casamento??? MIGA LEIA SEU RELATO, ele te manipula demais e você deixa!!!!! Sai dessa logo!!! Nunca você terá paz e nunca terá um relacionamento 100% seu! Sempre vai ter a ex, OS FILHOS INCLUSIVE UM QUE FOI FEITO ENQUANTO ESTAVA COM VOCÊ, ele é muito cheio de papo, de musiquinha, de poema mas de HOMEM mesmo, tem pouco aí. Confusão eterna na certa. Pule fora antes que ele te engravide e vão todos morar na mesma casa.

  • Choras ainda fechados!!