Comportamento
Chora Que Eu Te Escuto
25 jul 2018, 35 comentários

Chora Que Eu Te Escuto!

Choradeiras do dia:

Chora 01 – Bibi

“Oi Cony! Sei que já deve estar cansada de ouvir isso mas acho você o máximo! Nem acompanho mais blogs, porém no seu estou aqui firme e forte. Bem, meu chora é o seguinte… Tenho 26 anos e namoro há 4 anos um cara muito bacana, porém a família não é tão bacana assim. Sempre fui uma pessoa muito educada, independente e diga-se de passagem com muita noção de espaço e de como me comportar. Sempre notei que a família era desequilibrada, pequenos problemas geram quase que uma guerra entre eles e justamente por isso sempre frequentei a casa dos pais dele, mas com uma certa distância para não me enfiarem no meio do caos que eles próprios criam. Meu namorado tem um irmão gêmeo e sempre foram muito unidos, fizeram o mesmo curso, têm a mesma roda de amizades e por aí vai… Há alguns anos, quando estávamos no início do nosso relacionamento eles foram de intercâmbio e ele aprontou bastante por lá. Descobri em um dia que o irmão publicou na minha linha do tempo uma mensagem dizendo que meu namorado estava me traindo com outra. Enfim, na época fiquei chateada, mas não dei tanta importância, ele era imaturo, primeiro namoro, início de relacionamento e se eu fosse de intercâmbio também ia querer aproveitar. O tempo passou, desculpei meu namorado e meu cunhado, mas quanto ao meu cunhado, desde sempre nunca nos batemos muito bem. Mesmo eu tentando ser agradável com ele sempre percebi uma barreira em relação a mim, enquanto meus sogros e o restante da família só faltavam me colocar no céu, de tanto que gostavam de mim. Este ano meu cunhado começou a namorar uma menina bastante complicada, não gosto de exagerar mas ela é insuportável. Acho que tudo que eu dizer aqui ainda vai ser pouco para a falta de noção da pessoa. Meu sogro não gosta que namoradas durmam em sua casa e por isso sempre respeitei, ela na primeira vez que foi na casa deles já dormiu e mandou o recado que não era pra ninguém palpitar no relacionamento deles e que ela iria continuar dormindo lá sim. Enfim, falta de noção e de educação total. No primeiro mês de namoro deles ele a traiu com outra pessoa e um belo dia, ela viu a mensagem dessa outra no celular dele. Ele para se safar, disse que o irmão, no caso meu namorado, usou o celular dele para conversar com essa menina e que ele que traiu. A menina foi perguntar para minha sogra se ela sabia disso e ela erroneamente tentando acobertar o filho, colocou o outro numa cilada e confirmou que foi meu namorado mesmo que me traiu. A menina quis me procurar para contar, mas minha sogra não permitiu, fez um drama, chantageou e coisa e tal e pensaram que o assunto havia morrido. Porém, nós descobrimos e obviamente ficamos p… da vida. Um belo dia minha sogra me liga chorando e me contando essa história, pedindo desculpa e ao mesmo tempo dizendo que isso iria virar um caos na família e que ela não daria conta, iria se matar, fez drama e mais drama. Meu namorado me provou que não foi ele com as mensagens que o irmão enviou para ele pedindo desculpas e tentando se justificar e eu já tinha um feeling que não havia sido ele mesmo. Estamos numa fase ótima, tranquila, madura e não acho que ele seria capaz disso, porque realmente gosta muito de mim e vice versa.Acontece que desde que ela e meu cunhado começaram a namorar ela tenta nos provocar de uma forma inexplicável. Manda indiretas a todo tempo, fala uma asneira atrás da outra, na frente dos meus sogros tenta ser um amorzinho enquanto por trás ela tira todo mundo do sério, tanto que até os amigos afastaram do meu cunhado porque não aguentam conviver com a dita cuja. Desde que essa história veio à tona eu exigi que falassem a verdade e contassem tudo para ela, porque penso que as vezes ela é provocativa com meu namorado porque pensa que tem um carta na manga contra ele e mal sabe ela que estamos aguentando calados toda essa história para livrar a cara do namorado dela e para não prejudicar o relacionamento deles. Sempre que esse assunto surge na família é briga sem fim, porque nos sentimos de certo modo injustiçados pelo meu cunhado e minha sogra, que só fala do valor do perdão para gente mas que querendo ou não ´´salvou´´ um relacionamento que mal começou e colocou o nosso em xeque. Imagina se eu não acreditasse nessa história toda e realmente pensasse que meu namorado que havia me traido? Desde então minha sogra já parou no hospital porque tomou remédios durante uma briga sobre o assunto e eu e meu namorado com medo das atitudes loucas deles ficamos calados, quietos e sofrendo por dentro. Não sei mais o que fazer, essa mentira está me fazendo mal e não suportamos mais essa menina nos tirando do sério.Ao mesmo tempo acho que sente uma certa inveja de mim e pensa que temos que competir entre a gente pelo primeiro lugar na família. Ela não tem trabalho, tem uma família toda desestruturada e eu graças a Deus tenho uma ótima família, sou muito bem sucedida na Arquitetura e sinto que ela dá plantão na minha vida, já virou até piada quanto posto alguma coisa no meu perfil pessoal ou do meu escritório, ela é sempre a primeira a ver, acho que não faz nada da vida além disso. Enfim, preciso de ajuda! Ocultei muitos detalhes porque meu texto já está gigante mas a situação está séria e tirando minha paz! Help me! O que vocês fariam? Grande beijo e obrigada!”

Miga, primeiro cuidado com o que você fala. Pelo que senti no seu relato, pra você toda família é maluca, desestruturada e só a sua que salva né? Enfim, é só um ponto para você pensar. Quanto à mentira e a concunhada maluca, se estivesse me enchendo MUITO a paciência, eu contava tudo, saía correndo pra montanhas e ficava do alto vendo o circo pegar fogo. Chega né? Tem uma hora que cansa. Mas se for para sermos adultas, maduras e pregarmos a paz mundial, engole o choro e faz cara de egípcia pra essa pessoa. Seu boy não te traiu, você já sabe disso, então nada mais deve importar. E outra, você tá dando muita atenção pra essa moça. O que não damos atenção, não nos atinge.
Chora 02 – Babi

“Oiiii Cony!!!

Bom…..eu e meu namorado estamos juntos a quase 3 anos….no começo do relacionamento ele realmente demonstrou ser uma pessoa incrível sabe, diferente de todos os outros namorados que tive. Não demorou muito pra ele mostrar quem ele realmente era…..passou o tempo e ele começou a se mostrar uma pessoa grosseira…até ai tudo bem, sempre fui compreensível e entendia que ele não estava feliz no emprego dele e etc. e acabava descontando em mim….no começo as conversas resolviam o problema, mas ele é uma pessoa muito fechada e aos poucos as conversas já não resolviam mais nada, ele só jogava a culpa de tudo encima de mim e sempre achava que estava certo. Então comecei a frequentar a casa dele e vi que ele trata a mãe dele SUPER mal…..muito mais grosso do que ele é comigo, até tentei conversar com ele sobre isso, mas ele não gosta que me meto na relação dos dois….enfim, eu pensava “contando que isso não me atinja” MAS atingiu….. Acontece que já faz 7 meses que estamos morando juntos porque eu consegui um emprego na cidade dele, ou seja, moro com ele e com a mãe dele, nós duas nos damos muito bem, mas acho que faltou na criação dele impor limites sabe, agora ele já tem 28 anos e não adianta mais querer impor nada porque ele é uma pessoa muito teimosa e não aceita a opinião de ninguém. Bom, apesar dos pesares, ele nunca foi um namorado “ruim”, mas como estou morando na casa dele agora cada vez que a gente briga ele me fala “se não ta bom assim então procura outro lugar pra morar” e isso me deixa extremamente magoada, porque eu só vim procurar emprego nessa bendita cidade por causa dele. Eu tenho a minha casa em outra cidade e tenho até amigas aqui que me acolheriam, mas o problema é que eu não tenho um meio de transporte pra vir até o meu trabalho sabe e também não tenho dinheiro sobrando pra pegar onibus e essas coisas…..o que eu faço? Já conversei com ele MUITAS vezes e não adianta. Quando brigamos simplesmente ignoramos um ao outro até que ele vem e finge que nada aconteceu. Help Conyy!!!”

Tá certinho, vai barrigando essa humilhação dele te por pra fora da casa dele, agüentando tudo e se justificando por falta de dinheiro pra passagem. Jura que sua paz e seu amor proprio valem só isso? Você tem CASA própria, e já sondou até amigas pra te acolher, jura que o problema é a falta do meio de transporte? Miga se valorize mais, por favor. Que homem é esse que te ameaça por pra fora da casa dele e você abaixa a cabeça. Você não depende dele pra nada. Se respeite! Dá próxima vai embora mesmo.

Chora 03 – Bubu

“Cony, nem vou falar muito o quanto adoro seu blog, o quanto você me ajudou e ajuda, seja com dicas, auto estima etc. Nunca me imaginei enviando um chora, mas lendo os conselhos das leitoras, criei coragem pra enviar o meu.

É o seguinte, conheço meu namorado a quase quatro anos. Na época eu tinha um outro relacionamento e ele também. Faz dois anos que ele terminou com a ex dele e mais ou menos dois anos também que eu terminei com o meu ex.

Tivemos outras pessoas, vivemos outras aventuras e decidimos ficar juntos de verdade a uns 8 meses.Ele é um cara muito bom, procura sempre me entender, mas bastante ansioso.

Eu não ganho mal, moro com meu filho de 7 anos (que ele adora e se dão super bem), consigo manter minha casa sozinha (sem luxos, mas me viro muito bem). Ele tem um salário um pouco menor que o meu, é recém formado em direito, está naquela fase complicada de montar escritório, abrir sociedade, enfim.

Ele dorme na minha casa nos finais de semana e alguns dias na semana. O fato é que ele não me ajuda em nada! NADA. Nunca me levou pra jantar e pagou a conta, sempre dividimos tudo! Nas compras de mercado, eu sempre pago tudo. Óbvio que eu não quero um cara que me sustente, que me dê o mundo (meu ex sempre foi assim e não foi suficiente pra continuarmos juntos), mas o mínimo de ajuda sabe? Comprar uma coisa diferente no mercado, pagar uma conta, não sei..ele dorme na minha casa, come o que eu compro.

É dificil escrever esse chora porque eu sempre fui criada pra ser independente, pra trabalhar, pagar as minhas contas, ter o meu carro, sustentar o meu filho. Eu sai de casa pra estudar em outro estado com 17 anos!

Penso que é um pouco a criação dele, tudo que ele conquistou foi por mérito próprio, a mãe dele nunca esteve tão presente, nunca auxiliou em nada, talvez isso tenha deixado ele um pouco individualista. E dentro da casa dele, ele nunca pagou uma conta de energia, nunca ajudou em mercado, não teve uma crianção e, consequentemente, uma aproximação boa com a mãe.

Eu sei que financeiramente pra ele não esta fácil, ele esta pagando um carro mais caro, não sobra muita coisa mesmo, e o escritório ainda não da o retorno esperado, ele reclama de dinheiro e eu entendo. Mas, por exemplo, esses dias ele vendeu um aparelho de som dele, tirou 900 reais com a venda, no mesmo dia que caiu o dinheiro eu precisei ir ao mercado comprar o que faltava pra fazer a janta (que eu nem faria se não fosse por ele, já que meu filho esta de férias na casa dos meus pais) e ele não ajudou com um real, paguei sozinha, só mais tarde ele me disse que tinha caído o dinheiro.

Ele é muito ansioso, é do tipo de pessoa que não fica seguro sem uma poupança, por isso nem estranhei tanto quando ele disse que ia pegar o dinheiro desta venda, guardar pra pagar o cartão de crédito e o restante ia guardar pra pagar os impostos do carro do ANO QUE VEM. Gente, eu não quero que ele pegue o dinheiro e me leve pra jantar fora, pague um restaurante caro…mas ajudar com o mercado, pagar um lanche pra comer já que estava tarde e eu teria que fazer a janta ainda.

As vezes eu passo numa loja de doce, compro um pote de paçoca, de balas, que eu sei que ele também gosta sabe? Já cheguei a comprar pizza, voucher de churrascaria pra gente não passar o final de semana sem fazer nada. Mas nunca tive isso dele, ele nunca apareceu em casa com um doce, um bombom, nada.

Até presentes de natal por exemplo, ou páscoa, mesmo eu dando pra ele, ele não me deu…depois de um tempo, quando eu dei uma questionada, ele disse que não teve essa criação, não esta acostumado, que prefere me ajudar com outras coisas no dia a dia (ele pagava gasolina no meu carro quando o dele estava na oficina e comprou um filtro mais caro lá pra minha casa porque eu estava sem) e eu fico sem saber o que responder. Eu já falei pra ele que não espero joias, roupas caras, mas sei lá, um chocolate, um bombom, só pra mostrar que lembrou, que se importa. No dia dos namorados eu não comprei nada pra ele (já estava meio frustrada com essas datas) e ele me deu uma caixa de bombom de uma marca mais famosa e só…mas não é nem pelo presente em si, só fiquei pensando que ele tinha comprado meio que por obrigação, porque eu falei isso antes.

Sei que ele é só um namorado, por mais que nos conheçamos a anos, ele não é meu marido, nem quero exigir isso dele. Apesar de saber que ele gosta muito de mim, apesar de me sentir amada, isso tem me incomodado bastante.

É um assunto difícil de conversar diretamente, eu já dei indiretas, ele aceitou bem e por mais que ele perceba que eu fico mal com essas coisas, não mudou muito.

As vezes quando toquei no assunto da individualidade dele, e do egoísmo, ele disse que também me via assim as vezes, que eu também tinha atitudes que o incomodavam.

Preciso de um conselho, não sei o que fazer, só sei que estou incomodada, e nada bem, porque não sei o que pensar dessa situação. Se estou querendo demais, se estou mal acostumada, enfim.”

Miga sabe o que você vai fazer? DAR A REAL PRA ELE. Eu acho que é falta de bom senso mesmo e ele nem se tocou que tem que te ajudar com algumas coisas SIM. Não tem nada de errado em você querer isso, é mais que compreensível! Como falei, é questão de bom senso. Quando vamos jantar na casa de alguém, não levamos algo? Não perguntamos se precisa de alguma coisa? Pois numa relação é a mesma coisa! Se ele dorme na sua casa, come da sua comida, é ÓBVIO que ele tem que ter o mínimo de inteligência, educação e gentileza de retribuir de alguma maneira. Não deixe isso ir se acumulando pois o tempo vai passando, o relacionamento vai se concretizar ainda mais e láaaa na frente isso se tornará um BAITA problema, fora que você sempre terá esse nó na garganta e esse sentimento guardado. Já conversa com ele. Ele pagar a gasolina do seu carro quando ele usou NAO É GENTILEZA, É OBRIGAÇÃO. Trocar o filtro é o mínimo! Não se apegue a isso. Já me relacionei com gente assim e sei o quanto incomoda e frustra. Tem que ter mais companheirismo sim, bom senso, cuidado, gratidão. Ou ele é muito sonso e não sabe ser casal (e ter bom senso na vida) ou ele é aproveitador. No primeiro caso, dá pra consertar. No segundo, pule fora.

 

  • Choras abertos hein! Mande suas angústias, seus desabafos, suas tristezas para constanza@futilish.com e no assunto coloque CHORA QUE EU TE ESCUTO. Sejam resumidas e diretas ao ponto. “Boy lixo”, “amo fulano mas quero o sicrano também”, “o que fazer se ele não ligar no dia seguinte” somente serão publicados se for algo MUITO inédito.
Escreva seu Comentário

Quer que sua foto apareça nos comentários? Clique aqui
35 comentários em “Chora Que Eu Te Escuto!”
  1. IZabela Grambela Ribeiro25/07/18 • 15h01

    Bibi, acho que vc ta dando muita abertura para essa garota te afetar… bloqueia ela das redes sociais e evita ao máximo possível que convivência com o resto da família permitir.

    Babi, abre seu olho que pelo seu breve relato isso aí tem cheiro de relacionamento abusivo. Lembra da figurinha que a Cony já postou aqui, que não é um sinal nada bom quando o cara te culpa por tudo sempre! Concordo com a Cony, acho que vc ta empurrando com a barriga um negocio que não ta legal o por medo de confronto.. mas aqui, não se esqueça, a gente não muda ninguém e esse cara já tem demonstrado vários sinais não legais! Eu cairia fora o quanto antes.

    Bubu, acho que, se indireta não ta rolando tem que jogar a real mesmo. E de maneira objetiva. “Isso me chateia por causa disso”. “Quando vc não faz isso fico chateada” “Gostaria que fizesse mais coisas como essa aqui”. Li num livro de inteligencia emocional que para a conversa fluir e surtir efeito a gente tem que dar exemplos concretos de comportamento e explicar porque nos chateamos, se vc falar “acho egoismo da sua parte quando vc faz isso” a outra pessoa se fecha na hora e nada surte efeito. Tente focar a conversa nesse sentido, e evite focar na personalidade ou na característica da pessoa. Foca no comportamento específico. Espero que ajude e boa sorte!

  2. Rita25/07/18 • 15h32

    Bibi: nem sei que conselho dar, tamanha a infantilidade da competição que você mesma alimenta! A garota é a primeira a ver meu stories. OMG. really. Vocês todos precisam amadurecer! E essa historia deveria ficar no passado, ja que todo mundo concordou com a mentira, convivam com as consequencias.

    Babi: socorro, fuja para as colinas. Va procurar sua independencia minha querida. O cara tem tendencias a ser um marido abusivo futuramente Que furada! Saia desse barco antes que ele afunde e você se afogue por não saber nadar!

    Bubu: amiga, você tão madura e não consegue dialogar com o folgado do seu namorado. Eu ja abriria a real pra ele ou botava um freio nessas dormidas na sua casa. Ele tem casa, e se esta sem dinheiro, porque foi comprar um carro caro? Eu hein!

  3. Raissa25/07/18 • 15h41

    caso 02
    Sinais que você está num relacionamento abusivo:
    “Não demorou muito pra ele mostrar quem ele realmente era…”
    “Sempre fui compreensível e entendia que ele não estava feliz no emprego dele e etc. e acabava descontando em mim…”
    “ele só jogava a culpa de tudo encima de mim e sempre achava que estava certo.”
    “agora ele já tem 28 anos e não adianta mais querer impor nada porque ele é uma pessoa muito teimosa e não aceita a opinião de ninguém.”
    “Bom, apesar dos pesares, ele nunca foi um namorado “ruim”,”
    “cada vez que a gente briga ele me fala “se não ta bom assim então procura outro lugar pra morar”
    “Já conversei com ele MUITAS vezes e não adianta.”
    “Quando brigamos simplesmente ignoramos um ao outro até que ele vem e finge que nada aconteceu.”

    Bom, espero que consiga enxergar que esse relacionamento não faz bem para você e tome a atitude de sair dessa 🙂 Não é fácil, mas você consegue!

  4. Renata25/07/18 • 15h43

    Caso Bubu:

    – Corre, mas corre muito!
    namorei 3 anos uma pessoa assim, mas não enxergava(erro meu, pois ele sempre deu indícios) Sempre bancava as coisas, viagens, bebidas, vida boa, etc.
    Comprei um ape ha um ano, e aconteceu a mesma historia. Mobiliei sozinha, passei um aperto imenso no começo, ele passava o final de semana e as vezes durante a semana, nunca me deu nada para a casa. Com 3 meses morando sozinha, ele veio pedindo pra morar comigo. Resultado? Ele continuou sendo extremamente egoísta, comprou carro novo, suas coisas, mas a coletividade nunca existiu. E nem vai existir, sabe pq? Porque ele é assim!é o jeito dele. Não lute contra, lute para cair fora. Evitar sofrimento. Temos que encontrar alguem para correr com a gente, não atras!

    Eu demorei para enxergar, mas vi. Boa sorte 🙂

  5. Ana Paula25/07/18 • 15h52

    Sendo bem prática e objetiva,

    Chora 1, acho que estais deixando essas coisas que “não fazem parte da tua relação” afetar demais. Já passou, resolveu, sabes que teu namorado não te traiu. Os problemas do namoro do cunhado e concunhada deixa pra eles. Tu não tens nada a ver com isso, segue tua vida com teu namorado sem ficar debatendo esse “problemas de família”, que na verdade não são teus.

    Chora 2, amiga, o que estais fazendo com esse cara ainda? Ele não respeita a própria mãe e nem a ti. Sai fora dessa casa e dessa relação.

  6. Jessica25/07/18 • 15h54

    Caso 1:
    Tá parecendo novela mexicana! Você deve gostar muito do seu namorado para aguentar tanta infantilidade desse radial! Me Deu até raiva dessa menina viu!

    Caso 2:
    Amiga, esse cara te maltrata! Tome logo outros rumos antes que ele te machuque de outras formas!

    Caso 3:
    Amiga, você arrumou outro filho pra dar de comer! Absurdo você deixar de fazer uma reserva para você e seu filho para tá bancando marmanjo! Tenho uma conhecida que começou com um cara assim, arrumou outro filho, vendeu o carro dela, e ele só fez dívidas para ela pagar, detalhe: ele tinha vícios com bebidas!
    Se você namora sério com ele e acha que ele não está te enganando, comece mudando essa rotina dele E de uns toques: traga isso pro jantar, não posso Sair! Se ele não for malandro não vai te pedir o dinheiro!

  7. Psicóloga de boteco25/07/18 • 16h12

    1. Se você pretende ficar com seu namorado, dê um jeito de ignorar essas confusões todas de família disfuncional. Ignore a fulana, faça a fina que, com sorte, ela se afasta com o tempo. Se a chata continuar com o gêmeo, não vai ter jeito, você vai ter que aprender a aturar e o melhor jeito é ignorando. Não toca tambor pra maluco dançar.
    2. Fuja para longe desse homem que te trata mal. Ninguém pode te tratar assim. Recolha suas coisas, sua dignidade e vai cuidar da sua vida.
    3. Namorei um sujeito bem assim. Ele tinha grana para as próprias coisas (“pagando um carro mais caro”, “pagar o ipva do ano que vem”), mas nunca me dava um presente de dia dos namorados. Uma vez também me apareceu com uma porcaria de uma caixa de chocolates. Jantava, dormia e tomava café da manhã na minha casa, mas não trazia uma fatia de queijo. E eu vivia numa M desgraçada! Isso é falta de educação em casa, falta de limites. Meu ex não foi educado pela família a colaborar com os outros e nem a prover seu próprio sustento, sempre deixava que os outros corressem atrás das coisas dele. Foi educado para ser o rei, o único homem com 2 irmãs, mãe, tias solteironas e avó. Depois de uns 5 anos de namoro ele chegou a me dizer que até entendeu um pouco a minha situação financeira precária, mas já era tarde demais. Acho que ele mudou depois de muito tempo, ele se casou etc, mas felizmente eu não estava lá pra ver pois já tinha conseguido me livrar há anos do encosto!!!! Olha, você vai ter que decidir: ou dá educação pro moço e esperar pra ver se ele se ajeita com o tempo, ou senta-lhe o pé para procurar alguém que tem mais a ver com você.

  8. Suyan25/07/18 • 16h31

    Bubu..me encontrei total no seu depoimento, vivo exatamente a mesma coisa que vc, ele me diz que queria me ajudar, mais não pode pq oq ganha mal dá p pagar as contas mais que é uma fase e vai melhorar…=/

  9. Paula25/07/18 • 17h29

    Caso 1: ignore a fulana e evite entrar em treta familiar alheia. Se você acha que a “concu” não gosta de você, faça a egípcia mas não fique falando mal dela para o seu namorado, cunhado ou sogros. Desabafe com sua família ou suas amigas. Ninguém gosta que falem mal da nossa família, por pior que seja. A gente tem que ter um pouco de empatia nesta vida, cada um carrega sua cruz e tem os seus problemas, não cabe a nós julgar os atos de ninguém.

    Caso 2: miga, corre que ainda dá tempo. Cilada! São os primeiros sinais de que ele se tornará mais agressivo em breve. Você não precisa passar por esta situação tendo casa própria para morar. Tenha mais amor próprio e volte para sua casa. Tá cheio de homem por aí, não se contente com pouco!

    Caso 3: na família do meu marido também eles não tem o hábito de se presentearem em datas nenhumas. Eu fui lapidando e mostrando que tinha que dar presente sim, fazer festa sim, curtir a data sim. Enfim, homem não entende indireta. Temos que ser o mais diretas possível, sem ofender, claro. Siga o conselho da Cony e fale pra ele o que te incomoda.

  10. Natalia25/07/18 • 18h34

    Bubu: Vivi exatamente isso por um ano, ele vivia na minha casa, e não colaborava com nada. Fomos morar junto, por dois meses ele comprava só o que queria no mercado, no terceiro mês rodei a baiana, hoje ele divide tudo. Dinheiro tem que ser bem resolvido numa relação, senão fica muito dificil.

  11. Amiga25/07/18 • 23h31

    Caso 1: infantilidade pra todo lado – irmão dedurando irmão publicamente, a sua concunhada chegando na sogra e pedindo explicações do comportamento do namorado, sua sogra inventando desculpas pra homem feito, seu namorado não falar nada e você falando mal de todo mundo. CREDO! Pare de falar dos outros, pare de reparar tanto nessa guria. Cuide da sua vida, do seu relacionamento e pronto.

    Caso 2: Leia o seu chora de novo e de novo e de novo. Não é possível que seu orgulho próprio valha tão pouco! “não tenho dinheiro pra passagem”, sério, fiquei meio preocupada com essa desculpa para não ter ido embora já e de cabeça erguida pra nunca mais voltar! Você vale tão mais que isso!

    Caso 3: Esse cara sabe muito bem das prioridades dele e te ajudar não é uma delas. Não sei de ninguém que está tentando abrir um negócio e ao mesmo tempo dá um upgrade num carro! Tenho a sensação de que ele tem mto mais dinheiro do que ele deixa a entender.
    Antes dele ir pra sua casa, manda no whats q tá faltando certas coisas pro jantar, manda a lista já! hahaha
    Sério, é preciso conversar abertamente sobre dinheiro, sobre como você está se sentindo, sobre como ele não tem participado nas finanças da casa, sobre presentes, etc.

  12. Marlla25/07/18 • 23h31

    Melhor comentário “dinheiro tem q ser bem resolvido numa relação”. N se fala em quantidade, mas nos ajustes mesmo. Como ja falaram ali em cima, vc arranjou outro filho. Aprendi a melhor lição com a Mafalda “aqui em casa n temos chefe de família, somos uma cooperativa!
    Boa sorte!

  13. Paula26/07/18 • 00h15

    Caso 3:

    Esse cara além de abusado, tem complexo de inferioridade, querendo parecer ser/ter mais do que é/tem. Comprou carro “mais caro”, comprou um filtro de água “mais caro”, comprou caixa de bombom “mais famosa”. Precisa mostrar para os outros que pode comprar coisas caras, mas faz isso economizando nas suas costas.
    Qdo ele diz que também te acha individualista deve ser pela sua “falta de compreensão” com a situação financeira “precária” dele. Coitadinho. Até eu fiquei com pena… qdo vc começar a ser esperta e pedir p ele trazer os itens que estão faltando antes dele chegar e/ou sugerir de ir comer fora pq está sem comida em casa (pagando somente a sua despesa), veja como ele vai reagir… sinceramente acho que nem precisa sentar para conversar mais uma vez sobre o assunto. É só mudar a sua própria atitude e observar a dele.

  14. Fl[avia26/07/18 • 01h17

    Caso 3: só consigo pensar que ele é um folgado e não vai mudar. Enquanto você gasta seu dinheiro ele está economizando do dele. Não tem má criação ou situação temporária (início de carreira) que justifique tal atitude.

  15. Luciana26/07/18 • 06h29

    Estava escrevendo um comentário enorme e aí a página reiniciou e perdi tudo kkkk
    Agora fiquei com preguiça e vou ser bem direta para a Bubu.
    Já passei por isso e é terrível, mas às vezes é falta de bom senso, falta de exemplo em casa,sabe? Converse, seja bem clara sobre o que te incomoda e como você acha que deve ser e ouça também, peça que ele seja claro sobre o que o incomoda para que vocês possam crescer juntos, como casal.
    Pro relacionamento ter futuro, essas coisas têm que ser alinhadas ainda no namoro. No meu caso, deu muito certo, meu namorado da época, hoje meu marido, é outra pessoa, mais atencioso, carinhoso e tenta me agradar, mesmo muitas vezes achando besteira, sabe que é importante pra mim.
    E eu, tento também, mudar meus comportamentos que o chateiam e que ele me fez ver que não eram legais.
    Se o relacionamento vale a pena, o diálogo é fundamental! Beijos

  16. Andrea26/07/18 • 08h31

    Chora 3: pq esse receio de pedir que ele contribua e participe nas despesas da sua casa? Já parou para analisar? Se for por medo dele se aborrecer, ficar chateado ou até mesmo cair fora, vc não acha então que ele está te valorando pouco? Eu pegaria esse lado para analisar, vc precisa se conhecer e entender o porqué está permitindo esse abuso da parte dele. Qdo vc enxergar isso – bingo!! Não dou dois dias pra essa situação estar resolvida! Boa sorte!

  17. Ana Paula26/07/18 • 08h39

    1 – viva sua relação fora da família dele, como se eles não existissem a maior parte do tempo. E acabe com as redes sociais ou bloqueie ela.
    2 – Vai embora! Tome as rédeas da sua vida, seja independente, ame-se e apague esse homem da sua vida.
    3 – Mude suas atitudes, não tente convencer pela fala. Não faça o jantar, “arruine” o próximo fim de semana não movendo uma palha por vocês. Se ele não fizer algo não vai ter comida, não vai ter entretenimento, não vai ter cama quentinha. Se em uma semana ele não fizer nada vc manda ele pastar.

    Affffff haja paciência com esses caras.

  18. Isis26/07/18 • 10h46

    Chora 2:

    Seu chora me lembrou um relacionamento que eu tive. No começo era um anjo, mas tratava a mãe mal. Depois começou com as grosserias, quando a gente brigava era a mesma coisa que voce descreveu. Até que ele começou a me xingar e eu cai fora. Agressão sempre se agrava! No dia que a grosseria, os xingamentos não machucarem mais, a agressão será fisica!

  19. Nara26/07/18 • 11h12

    Caso 1 – vc não mencionou o quanto seu namorado é ligado à família. Se for muito, pense q se casar com ele, vc estará sempre inserida nessa família desestruturada e q tumultua sua vida. Se ele for um cara muito legal, pense se realmente vale pagar o preço, q é conviver com a família dele. Digo isso por experiência própria, tenho um marido maravilhoso mas a família dele não é fácil e todas as brigas q tivemos até hoje foi por influência deles, e olha q moramos em cidades diferentes. Aconselho meu filho desde já: procure conhecer e se relacionar com alguém q tenha uma estrutura familiar semelhante a sua, muitos dos seus problemas estarão resolvidos rs.

  20. Izabella26/07/18 • 12h27

    Para a primeira menina, com todo respeito, mas que chata que você parece ser em! hahah. E que competição mais infantil e fora de fundamento. Ignora, corta relação, só seja educada quando encontrar e não fique alimentando história, além disso, se não gosta que ela veja tuas coisas, exclua dos teus contatos, afinal, se ela te segue, normal que veja, não é ?

  21. Rosana Souza26/07/18 • 12h45

    Oi meninas, não quero tecer comentários acerca dos Choras, afinal, todas já disseram exatamente o que penso! Quero é colocar aqui um questionamento sobre o “nosso comportamento”. Gente qual é o nosso problema? Somos guerreiras, fortes no trabalho e na vida, possuímos uma capacidade de resiliência que nem o Hulk tem, entretanto, basta aparecer um idiota qualquer em nossas vidas que parece que o ‘dito cujo’de imediato se torna nosso senhor, controlador absoluto de nossas vontades, de tal forma que não percebemos, pior, não queremos perceber que tá tudo errado. Ignoramos todos os nossos instintos (tão úteis e quase sempre, infalíveis) e passamos a criar desculpas que nem mesmo nós acreditamos para justificar o comportamento do sujeito. Cremos no inacreditável, aceitamos tratamento que repudiamos em nosso cotidiano e permitimos que o pior do sexo oposto não só se aproxime da gente como também nos façam mal, nos destrate, magoe e por vezes até agrida fisicamente.
    Percebam que, em momento algum me exclui deste relato, pois, infelizmente me vejo inserida neste contexto triste também e tenho me preocupado bastante com a forma como nós (mulheres) temos conduzido nossas vidas, afinal o número de mulheres mortas ou agredidas por seus (ex) namorados, maridos, companheiros ou ficantes é bem maior que o daquelas que sofrem ataques de desconhecidos. Não precisamos pedir conselhos quando o assunto é desrespeito, sabemos a resposta! Basta ler o relato de cada menina do Chora que percebemos na própria escrita que o problema já foi diagnosticado, o comportamento do outro causou incômodo e o fato de externar isso e buscar a opinião de terceiros já é a forma que encontramos para ratificar nossa decisão de nos afastar ou cobrar posturas, então, porquê não nos posicionamos? O que nos impede de agir conforme aquilo que sabemos e acreditamos quando não somos expectadoras, mas sim, participantes no contexto? De verdade, quero e preciso entender essa discrepância, pois, além das minhas questões pessoais, por profissão tenho contato diário com mulheres de todos os tipos, idades, crenças, status social e formação acadêmica que passam exatamente pela mesma coisa e, por mais independentes e brilhantes que sejam, quando o assunto é homem, involuem de tal forma que chegam ao cúmulo de afirmar que não podem se posicionar por medo de serem “abandonadas”. Gente, me ajuda a entender! Se por acaso tiver aqui nos comentários alguma psicóloga, terapeuta ou psiquiatra, por favor, nos oferte uma consulta virtual, pois, verdadeiramente precisamos entender que complexo, trauma ou sei-lá-o-quê nos acomete com tal força que nos impede de nos escolhermos, de priorizarmos a nós mesmas em situações tão humilhantes e por vezes até mesmo perigosas.

    Agradeço a todas que contribuírem, opinando a respeito.

    Bjs Cony e obrigada pelo espaço.
    Rosana.

  22. Mayara26/07/18 • 13h31

    Caso 3: Já terminei um namoro, e uma das coisas que mais pesou foi isso. Ele era mão de vaca e não dava pra continuar. Por um tempo melhorou, mas depois voltou tudo de novo.

    Eu comecei a não sair mais pra jantar, não arrumar mais nada para nós dois, se ele quisesse ele que pagasse, e aí o relacionamento foi desmonorando.

    Ele sempre “esquecia” a carteira quando saíamos, aí sugeria comer na rua e ele sem carteira. Antes eu falava que não tinha problema, que eu pagava. Depois comecei a falar “Então deixa pra lá, vamos outro dia…”
    Pizza na casa dele para todo mundo comer, eu que paguei
    E ele na minha casa não gastava um real.

    Enfim, dá até raiva quando lembro, mas terminamo, graças a Deus, afinal não tinha filho de 30 anos.

  23. Fernanda26/07/18 • 14h42

    Meu comentário vai para a Bubu. Fui casada por 9 anos + 4 anos de namoro com uma pessoa que não chegava a ser como seu namorado, mas que também mantinha uma forma individualista com relação a dinheiro e presentes. Durante os 13 anos que ficamos juntos, ele nunca me assumiu financeiramente, nem nunca me deu um presente mais caro (ex: um celular ou uma joia). Quando eu estava apertada, passando apuros (por conta das nossas contas mesmo), ele simplesmente fingia não ver e seguia a vida dele com o dinheiro dele que dava e sobrava. Eu sempre me considerei uma mulher independente e que não precisava de ajuda de marido/namorado (talvez meu erro tenha sido não ter falado isso lá no início). Eramos um casal onde cada um pagava as suas contas e dividíamos as contas da casa, mas eu sentia falta de companheirismo. Eu sentia falta dele me dar um presente, sem esperar que eu desse um do mesmo valor pra ele (o presente mais caro que ele me deu foi uma bolsa, e ele me pediu na época – Natal – um presente no mesmo valor….nunca considerei o raio da bolsa como presente, afinal eu só fiz permuta com ele…rs), sentia falta dele ter mais tomada de atitude em relação ao financeiro da nossa casa e para ter ideia, quando saiamos para comer (100% das vezes) ele pedia a conta e quando chegava ele dava o cartão e já mencionava para passar 50%, e eu pagava minha parte)…sei lá, meu casamento foi por água a baixo e um dos motivos foi esse. No meu caso também tinha a questão da criação. Ele foi criado sem precisar ajudar em casa, sem se preocupar com as contas, sem ter passado perreio financeiro, ou seja, o oposto do que que eu tinha vivido. Até ai, não há problema algum, mas no meu caso, um homem que sequer pagava a conta de luz sozinho, não tinha coragem de formar uma família comigo, porque Deus me livre ele ter que sustentar outro ser humano! E assim nos separamos tem pouco menos de 1 ano.
    Hoje estou com outra pessoa, e uma das coisas que estou aprendendo é que a parceria tem que ser pra tudo. Eu tenho minha conta, ele tem a dele, mas não mendigamos ou levamos a ferro e fogo as nossas contas. No meu aniversário desse ano ele me deu uma correntinha de ouro e eu já me explicando que não ia conseguir dar um presente no mesmo ‘nível’ pra ele, quando ele me fala que o presente que ele deu foi porque ele quis, não havia importância no valor material.
    Converse com o seu namorado, explique pra ele que sentir ele como um parceiro de verdade é importante pra vc, que vc ser uma mulher forte e independente não é motivo para vc não apreciar e merecer uma gentileza de vez em quando. Isso é importante para ambos.

    • Constanza26/07/18 • 16h22

      Eu tive um namorado assim tambem rs. Se eu dava um presente de 50 reais, ele me dava um de 50. Se eu dava um de 1000, ele me dava um de 1000. O mais bizarro foi quando ele me deu o primeiro presente de aniversario (do MEU aniversario) e me pediu pra meiar com ele hahahaha. Hoje eu rio mas na época foi pesado rs

  24. Aline26/07/18 • 17h09

    Meu comentário é uma resposta para a Rosana. Olha, não sou psicóloga. Mas mesmo assim vou deixar minha opinião.
    Acho que a questão é muito complexa.
    Em alguns casos, a realidade é nitidamente vista, mas não há forças e/ou há outros valores priorizados. Exemplo: Mulheres que pensam “ruim com ele, pior sem ele”, que uma separação, principalmente a partir de uma certa idade, é atestado de fracasso, gente muito ligada a uma imagem de família/casal perfeito (conheço gente de cidade pequena que todo mundo acha que é família e casal margarina, mas metade da família vive a base de antidepressivo e os pais não dormem no mesmo quarto há mais de uma década). Nesses casos, acho que é uma questão de respeitar as decisões e prioridades de cada um.
    Em outros casos, o que é óbvio para quem está de fora não é para quem está vivendo a situação. Todos têm defeitos, erram. Delimitar a fronteira entre dificuldade “normais”, entre alguém que precisa da nossa ajuda num momento complicado, entre alguém que eventualmente está até com uma doença, como depressão e um relacionamento abusivo é algo bem mais complicado quando estamos vivendo a situação e amamos (ou acreditamos amar) o outro. Nesse tipo de situação, quem está de fora não ajuda dando “esporro”. Procure entender, escutar várias vezes os dilemas, ainda que a resposta pareça ser óbvia para você. É uma questão de a pessoa conseguir chegar as conclusões dela.
    Lembre-se: ser uma mulher profissionalmente bem sucedida e emocionalmente forte não faz com quem ninguém esteja imune a viver um relacionamento tóxico. Porém, faz com que a gente seja muito mais capaz de sair dele e superar os seus danos.

  25. indira27/07/18 • 08h44

    Rosana, muito pertinente a sua reflexão. Confesso que também já me vi inserida em uma relação desse tipo, que sugava minhas energias e com retorno mínimo. Ainda hoje não sei bem explicar pq me envolvi a ponto de me casar, mas aconteceu. Consegui sair do buraco e hoje estou em um relacionamento sadio, sei exatamente o que ‘não aceito’ mais em uma vida a dois.
    Acredito que a maneira que fomos criadas ainda nos permite aceitar pouco e exige que a gente esteja sempre disponível em nos doar por completo.
    Recebo diversas críticas (de amigAs, em sua maioria) por me cuidar e me dar prioridade, mesmo sendo mãe e casada, como se o fato de ter filha e esposo fossem motivo para me anular como mulher.
    Acho que falta muito ainda para evoluirmos neste contexto (basta ler os choras para detectarmos isso). Precisamos entender que relacionamento é muito bom, mas que precisa ser saudável, que qualquer coisa ou pessoa que nos tire a paz ou sono não vale o esforço.

  26. Thata27/07/18 • 09h28

    Caso 1: quase enviei um chora por uma situação bem parecido, a diferença que a família do meu marido não é desestruturada assim… mas eu percebi a inveja da outra pessoa, e pode ter certeza que há muita inveja nesta historia toda, e eu estava “alimentando esta competição” ate que me toquei e simplesmente comecei a ignorar, meu marido me entende e percebe as mesmas coisas que eu..
    Se a familia dele quer alimentar esta mentira, no teu lugar eu me afastaria, tenho certeza que teu namorado entenderia, se esta te fazendo mal.. este namoro do seu cunhado esta se baseando numa mentira, e tenho pena dela pq qdo ela se tocar que quem esta sendo enganada é ela mesmo, minha filha.. você não vai qrer estar por perto.

  27. Tio Lelo27/07/18 • 13h53

    Só relembrando meu amor por você Cony.
    Eu responderia da mesma forma os três casos.
    #SomosGêmeos

  28. Ca27/07/18 • 16h13

    Bubu – Na vida temos prioridades, e pelo que entendi no seu chora o seu namorado não considera você como uma na vida dele.
    Meu marido quando solteiro também não pagava nada na casa dele, ao contrário de mim, que sempre tive que ajudar em casa; mas por incrível que pareça, ele é super parceiro, dividimos tudo em casa, TUDO mesmo, ele sempre me dá presentes fora de época e não olha valor, faz até mais que eu. Esse ano no meu niver estávamos um pouco apertados financeiramente, tínhamos batido o carro, mas mesmo eu falando pra ele não se preocupar com presente, ele fez questão e comprou, disse que era para não passar em branco rsrs.
    Minha mãe foi casada por 10 anos com um cara que só colocava cesta básica em casa, é muito decepcionante você saber que não tem realmente uma pessoa do seu lado pra TUDO. Converse com seu namorado, exponha pra ele isso que você nos contou, se nada mudar, vá ser feliz sem precisar bancar marmanjo, por que as prioridades dele estão no escritório, na carreira e no carro DELE.
    Boa sorte.

  29. Ivana28/07/18 • 11h24

    Olá meninas! Vivo um caso parecido com.o caso 2. Me casei há 7 anos, mas desde o namoro passava maus bocados, mas de forma sutil. Mas, com.o casamento, uma filha de 4 anos, estou desempregada sem um tostão e problemas de saúde dele piorou muito. Fuja! Eu ainda não consegui, pois, com uma filha envolvida,não encontrei uma saída e peço ajuda de vcs também ora lidar com isso. E mais ainda só a cerca de 1 ano fui ter noção que estou em um relacionamento abusivo… Obrigada!

  30. Gabi28/07/18 • 14h06

    Bubu, vivi um relacionamento onde ele ganhava bem menos. Entao sempre me dispus a pagar mais, saídas, restaurantes, viagens. Fazia tudo de coração aberto e ‘consciente’, quando me questionava internamente achava que estava sendo mercenária e egoísta. Era difícil porque nao queria abrir mao de fazer as coisas que eu queria. Contudo, hoje me arrependo de ter hornado com tudo isso. Acabei me endividando e vendo que era sim uma entrega maior da minha parte. É difícil perceber que, durante um tempo abri mao de muita coisa para honrar com momentos para nós dois, e no fundo era sinal de desconexão, de dedicação e empenho divergentes. Claro que nao estou dizendo que um nao deve apoiar o outro nas fases mais difíceis. Tente fazer a leitura correta da situação, principalmente tentando identificar possíveis momentos de oportunismo. Se fazer de ‘sonso’ na hora de dividir alguma coisa, depois aparecer com dinheiro para outra coisa. Converse com ele, fala se sente usada, que parece confortável pra ele. Se a postura nao mudar, cai fora, nunca vai mudar! Um abraço

  31. Carol29/07/18 • 16h40

    Chora 2:

    Amiga, fiquei preocupada com você. Dá pra ver claramente pelo seu texto que seu relacionamento é abusivo, como a outra colega comentou antes. Você mesma já falou que não adianta. Será que esse homem vale tudo isso? Aguentar grosseria, humilhação pra quê?

    Mas sinceramente, fiquei mais preocupada com a sua postura do que com a dele. É só meu ponto de vista mas eu acho que nenhum homem vale a gente sacrificar nossa independência. Nem que fosse um namorado legal, não acho que a gente tem que abrir mão da nossa casa, ir morar junto com a mãe dele ainda por cima.

    E juro que não entendi essa de não tem dinheiro pra ônibus… amiga, você não trabalha? Parece que você tá querendo achar uma justificativa pra não ter que ser a pessoa a por fim nessa situação. Toma uma atitude. Corre atrás da sua vida, larga mão de ser humilhada por macho escroto, volta pra sua casa, arruma um emprego onde você tenha paz, estabilidade e seja independente. Essa situação não vai se sustentar por muito tempo.

    Quando você tiver essa paz, essa independência sua vibe vai mudar com certeza, e aí quem sabe não aparece um cara legal que te mereça. Reveja sua postura, por favor, aproveite as estruturas que você diz ter (casa, família, amigas, etc). Boa sorte!

  32. Daniele29/07/18 • 17h15

    Uma coisa que tenho observado nos choras e que me entristece um pouco: o problema da maioria da mulherada é sempre MACHO! Pelo amor de Deus! Sem querer ser desrespeitosa com ninguém, mas se amem mais, se curtam mais, preservem suas amizades, não deem tanta importância assim a relacionamentos que vocês mesmas, ao escrever os choras, dizem que não está legal há tempos.
    A maioria das minhas amigas e mulheres que conheço também são assim: se estão de bem com o boy, mil maravilhas! Do contrário, o mundo terminou. Daí eu pergunto: e o resto? e o seu trabalho, sua vida além da vida que tem com seu namorado, cadê? Pensem nisso: a vida não pode e não deve se resumir ao seu relacionamento amoroso! Jamais!
    Eu não digo que nunca sofri – e que ainda não sofro por amor – mas sempre penso que ninguém morre de amor e lembro que sempre que um relacionamento meu acabou, a vida me mandou um muito melhor depois! hehehehe. Mas é isso, mais amor próprio, menos mimimi! Beijo a todas as leitoras!

  33. Mel30/07/18 • 14h48

    Caso 2:

    Amiga… sério que sua desculpa é não ter um modo de ir pro trabalho? Corra desse relacionamento JÁ!
    Homens que tratam mal a mãe quase sempre acabam tratando mal as namoradas/mulheres. E você já percebeu isso com você!
    Meu ex marido era assim… mas infelizmente eu não percebi antes de casar. Um ano depois a situação já estava tão insuportável que eu não tinha um pingo de vontade de salvar o casamento. Decidi me separar e me divorciei em menos de um mês, tamanho o desespero de me livrar da encrenca.
    Corra, corra muito, e não volte atrás.

  34. carolina02/08/18 • 06h49

    Vim aqui comentar, mas a Cony leu os meus pensamentos pros 3 casos!
    Levem a sério, gurias 🙂