Lifestyle
Decoração, Mi Casa Su Casa
17 jun 2018, 15 comentários

Mi casa, su casa – Qual e quando?

Olá Fufulétes.

Tenho algo para contar sobre o domingo passado. Eu participei da minha primeira corrida. Sim, o gordinho aqui foi sacudir as banhas publicamente por 8 kilometros.

E eu, apesar de correr com certa frequência, não ashay que seria tão difícil. Acabei não tendo fôlego para correr os 8km, mas concluí a prova, então vamos ficar feliz em participar.

Fomos em três (Paulo, Alex e euzin segurando a barriga pra foto), e não se animem com a medalha, é só de participação mesmo, HAHAHAH.

Let´s talk business now.

Recebi uma pergunta MUITO interessante de uma Fufu por email, e resolvi postar para vocês. Quer saber qual e quando contratar um profissional para construir? #vemkotio :

“Lelo, bom dia.

Li uma publicação sua no Futilish e gostei muito do modo como vc trabalha.

Tenho a impressão de que vc pensa no cliente em primeiro lugar e não apenas nos $$$

Gostaria de te perguntar qual é o profissional mais indicado para acompanhar uma obra de uma casa? Engenheiro civil, arquiteto?

Talvez eu esteja colocando o carro na frente dos bois, uma vez que nem tenho terreno ainda.

Então, vou aumentar minha pergunta: existe algum profissional que dê assessoria desde a compra de um terreno, passando pelo projeto e também o acompanhamento da obra?

Há possibilidade de contratar um profissional de longe e dar certo?

Sou de uma capital e pretendo morar numa cidade menor, no interior.

Dá certo contratar alguém que não seja de minha cidade ou imediações?

Agradeço muito se puder responder.

Se não puder, agradeço do mesmo jeito.

Abraços,

Liliam”

 

Eu fico muito feliz quando vocês leitoras mandam e-mail para gente, principalmente quando é por terem se identificado com a maneira que eu optei por trabalhar.

Realmente, aqui no escritório, tanto eu quanto as sócias procuramos nos despir de desejos próprios e durante as reuniões e entendermos os desejos dos nossos clientes. Isso acontece porque no final das contas acreditamos que somos ferramentas para transformas o seu desejo em realidade. A casa será sua e tem que ter sua cara, tem que funcionar para você, e obviamente, facilitamos as coisas com a nossa experiência.

Estar pensando no profissional desde antes de adquirir um terreno, falando sério agora: Isso faz de você uma dádiva. Essa preocupação fará diferença no resultado, pode ter certeza.

Agora vamos por partes:

No caso de compra de um terreno, eu optaria pela consultoria de um arquiteto. A partir do que você deseja, ele saberá te dizer qual a posição da testada (frente) do terreno que será mais adequada para a construção que você fará.

Exemplificando:

Supomos que você tem crianças, quer uma casa em um condomínio fechado (questões de segurança) mas você gosta de nos finais de semana ficar até um pouco mais tarde na cama. Eu indicaria um terreno com frente para o leste, porque quando os vizinhos forem chamar seus pequenos para brincar você pode dar uma espiada na janela e ver o que está acontecendo sem ter que fazer cosplay de dona Florinda andando pela casa para liberar o alvará do pimpolho para ir pro futebol só com um joínha da janela mesmo.

Ou numa outra cena – afinal não sei nada sobre você – Você preza por silêncio nos quartos, prefere que toda a área de lazer e serviços/ garagens afastada do seu ninho de amô: eu sugeriria um terreno com frente para o oeste.

Então entender a maneira que sua família vive e aproveita a casa influencia diretamente na “divisão” dos setores.

Quando somos contratados para desenvolver um projeto arquitetônico começamos a partir de um “fluxograma” e “setorização” para depois começarmos a pensar em tamanho de um ambiente propriamente, ou a composição de uma fachada.

Sobre o profissional,  eu sempre vou puxar sardinha para o arquiteto, afinal é o que a gente estudou e vive todos os dias. Não que o engenheiro seja menos importante, ou menos capacitado. A verdade é que as faculdades tem grandes diferenças e as atribuições de atividade são praticamente as mesmas.

O profissional de arquitetura estuda e volta-se mais para o usuário e para a questões funcionais e estéticas da construção. O profissional de engenharia aprende mais sobre a construção, as otimizações de materiais e de técnicas construtivas. É uma guerra longa dentre esses dois. Mas na prática eu vejo que as construções mais eficientes são idealizadas por um arquiteto (projeto arquitetônico), depois vão para um engenheiro fazer toda a parte de estrutura, hidráulica e elétrica/lógica (chamados de projetos complementares) e todos eles precisam ser compatibilizados.

Sobre quem contratar, a certeza que eu tenho é que, mesmo que você opte por um profissional de fora para idealizar seu projeto, você tenha um local para executar a obra.

Construir pode ser vendido como uma ciência exata – porque o projeto é exato – mas o pedreiro não é. E sempre vai haver algo que precisará ao longo do processo ser revisto e adaptado. Seria melhor se fosse a mesma pessoa, pois quem idealiza uma casa ou um comércio tem uma visão global que talvez outro não compreenda. Uma linha de janela, uma abertura meio polêmica, uma passagem que talvez fosse melhor pelo outro lado… tudo tem um por quê, e só o pai da ideia vai poder ponderar os prós e os contras.

Agora a dica infalível é: analise o portfólio do profissional que você pensa em contratar. Peça para ele mostrar as obras que ele gostou de criar, que são do estilo que ele aprecia. Todo profissional é preparado para fazer: Clássico, moderno, contemporâneo, brutalista, futurista… uma infinidade de estilos, que a gente aprende todos na faculdade (de arquitetura, não de engenharia #treta) a partir do material que ELE gostou de produzir é muito mais fácil selecionar o que faz o que VOCÊ deseja. Aí o processo é mais natural, porque vocês já tem afinidade de estilo.

 

Caso você opte por fazer o projeto de interiores (revestimentos, gesso, iluminação, mobiliário) nem todos os escritórios oferecem, por isso criamos a NEST, pois interiores é possível ser feito a distância tranquilamente. MESMO assim (jogando contra mim) eu digo que: caso o profissional que eleger ofereça essa parte, dê preferência para ele, pela visão global que ele tem. Mas peça um BELO desconto, pois ele também já tem 40% do trabalho desenhado.

Você Fufu que me lê, tem alguma dúvida? Deixa nos comentários, ou manda um email que assim que possivel, eu respondo.

#Bença!